Você está na página 1de 17

DESAFIOS DO GESTOR

PARA 2018
Introdução

Gerir uma frota não é um trabalho simples. O cotidiano de um frotista


envolve a gerência de uma série de fatores que englobam muito mais
do que levar uma carga de um ponto ao outro. Alguns dos desafios que
gestores de frota encaram são: manter os veículos em boas condições,
capacitar os motoristas envolvidos com a empresa, controlar gastos, entre
outros.

Todas essas atividades tem um objetivo importantíssimo: manter a


rentabilidade da frota e aumentar a margem de lucro. A forma com que o
gestor executa essas atividades é definitiva para se diferenciar no mercado
e sair na frente dos concorrentes.

Por isso, a JS Peças trouxe um conteúdo que irá auxiliar o gestor de frotas
a se preparar para os desafios e oportunidades que ele deparará este ano.
1 - Novas Tecnologias

Os avanços tecnológicos já fazem parte do nosso cotidiano e no mercado de


veículos pesados não seria diferente. Caminhões com sistemas de integração
de frotas, monitoramento de veículos via satélite, entre outros sistemas já se
encontram no dia a dia do frotista. O uso dessas tecnologias permitiu ao gerente
de frota poder monitorar de forma mais efetiva como e onde se encontram os
veículos de sua empresa.
Veículos cada vez mais conectados

A Internet das Coisas ou Internet of Things (IoT) é uma tendência de mercado já


muito forte em alguns segmentos, principalmente voltado para a conectividade
dentro de casa dos usuários. Entretanto, essa novidade tecnológica já começou
a permear outros mercados, inclusive o automotivo.

Essa conectividade proporciona ao frotista total controle de todos os veículos


que estão rodando, e detalhes como: velocidade, consumo de combustível,
condições mecânicas do caminhão, como está a conduta de direção do
motorista, quanto tempo o veículo está em movimento ininterrupto, entre outras
informações pertinente para o monitoramento.

Já o motorista tem acesso a dados como: condições do trânsito e rodovias,


melhores rotas alternativas e condições do veículo. Fazendo uso dessas
informações, o condutor tem capacidade de definir as melhores ações para
garantir que o prazo de entrega seja executado dentro do espaço de tempo
acordado entre a empresa e o contratante.

Autonomia de veículos

Diferente do que muitos pensam, os veículos autônomos não substituem o


motorista, mas eles minimizam as chances de erro humano durante o percurso.
Mas como isso funciona? Na verdade, essa autonomia não faz uso de uma
tecnologia, mas de várias que, juntas, garantem a segurança do condutor, do
veículo e da carga a ser transportada. Algumas dessas tecnologias são o uso
de sistemas de integração de comboio e a instalação de sensores e câmeras no
veículo.
Integração de comboio

Essa integração de comboio garante às empresas que fazem uso de mais de


um veículo para transportar uma grande quantidade de produtos para o mesmo
destino. Por meio desse sistemas, todos os caminhões se “emparelham” e
começam a transitar de forma autônoma.

Enquanto o veículo se encontra com o modo automático, o condutor toma então


uma função gerencial, podendo conferir as condições de trânsito e a estrada.

Essa integração reduz as chances de erro humano, garantindo a segurança de


quem conduz o veículo e da carga. Caso o motorista considere necessário, o
emparelhamento pode ser cancelado em qualquer momento e a direção volta
a ser manual.

Sensores e câmeras

Os sensores desempenham um papel imprescindível, não só para a segurança


do motorista, como de pedestres, ciclistas e, é claro, outros veículos. Quanto
mais avançados são os sensores, mais funcionalidades eles têm ao motorista.

Por exemplo, alguns sensores, ao detectarem algum objeto próximo ao caminhão,


avisa o condutor automaticamente. Já outros reduzem a velocidade do veículo
se identificam que ele está muito próximo de outro.
Segurança

Por se tratar de veículos grandes, os caminhões possuem uma séries de pontos


cegos que o motorista não consegue enxergar. Para driblar essas limitações,
alguns fabricantes já integram dispositivos de câmeras direto de fábrica, mas se
a sua frota ainda não possui esses periféricos, eles são encontrados facilmente
no mercado. Integradas a uma central de monitoramento, o motorista tem como
conferir toda a condição externa do veículo.

Além de cobrir os pontos cegos do veículo, conferindo mais segurança ao


motorista, as câmeras podem ainda auxiliar no monitoramento da carga dentro
do caminhão, evitando a necessidade de parar o veículo e abrir o compartimento
traseiro.

Alternativas menos poluentes


sem perder a eficiência de motor
A preocupação com o meio ambiente e o impacto que os veículos emissores
de partículas poluentes causam na aceleração das mudanças climáticas. Com
isso, diversos fabricantes começaram a desenvolver motores que emitem
menos gases poluentes. Motores híbridos, que fazem uso de combustível fóssil
e, também, combustível renovável (biometano) são uma aposta para o futuro.

Esses motores que utilizam essa combinação de combustíveis emitem menos


partículas poluentes que os tradicionais. Os híbridos ainda apresentam o mesmo
desempenho dos motores que usam exclusivamente o combustível fóssil.
2 - Sustentabilidade

Engana-se quem pensa que sustentabilidade é papo para ambientalista. Ela


engloba o uso consciente não só de recursos naturais, mas de materiais também.
Essa consciência sobre a utilização dos insumos que sua frota tem disponível
gera impacto tanto financeira como operacionalmente.

Algumas práticas podem ser adotadas no cotidiano da sua frota para que seu
negócio se torne não só mais sustentável, como mais rentável. Algumas dessas
práticas consistem em:
Gestão eficiente de frota

Saber quais veículos estão rodando e quais se encontram inativos são uma
ótima forma para distribuir as demandas de forma igualitária. Assim, você evita o
desgaste excessivo dos veículos. Por exemplo, se a frota não é bem gerida, um
veículo pode fazer muitas viagens e se desgastar desnecessariamente, enquanto
outro fica parado e se desgastar pela inatividade.

Se as demandas e veículos são gerenciados de forma eficiente, todos os veículos


rodam de forma igual. Com isso, o frotista controla o desgaste da frota e evita
gastos desnecessários com um veículo sobrecarregado de viagens.

Incentivo às boas práticas de direção

A forma com que os veículos são conduzidos influenciam diretamente no


desempenho e no consumo de combustível. Se o veículo consome de forma
mais controlada, consequentemente, emite uma quantidade significativamente
menor de partículas poluentes. Transitar em velocidade moderada e se atentar
às rotações do motor são ótimas formas de manter o consumo do veículo
controlado.

Instaurar incentivos aos motoristas e educá-los a adotarem essa prática é uma


maneira interessante de criar a política de uma direção mais econômica. Com isso,
sua empresa economiza e, ao mesmo tempo, contribui com o meio ambiente.
Avaliação constante da saúde da sua frota

Estar sempre atento ao estado da sua frota impede que ocorram gastos
inesperados no futuro. Possuir um panorama de toda a sua frota e ter o controle
sobre as condições de cada um dos veículos permite que o frotista planeje o
melhor momento para aquisições de peças e evite desperdício de dinheiro.

Monitoramento dos veículos

Por meio das tecnologias disponíveis no mercado, é possível a captação e análise


de uma série de dados como: tempo de condução, distância percorrida, tempo
de parada, velocidade média, duração de frenagem, entre outros dados.

Qual a vantagem de ter posse dessas informações? Por meio da análise, é


possível identificar quais as melhores práticas de condução, estruturar melhores
rotas para transporte e, também, dar ao frotista a possibilidade de gerir sua frota
da melhor forma possível, evitando desperdícios e gastos desnecessários.
3- Controle Financeiro

O aumento do combustível no país afetou o valor de todos os produtos e serviços


do mercado, principalmente nos custos que os frotistas têm para desempenhar
suas atividades. Afinal, o transporte de cargas depende diretamente do consumo
do combustível. Por consequência disso, o controle de gastos se tornou mais
importante do que nunca para a manutenção financeira da frota e para manter a
lucratividade do serviço prestado.
Por que as planilhas não
são o melhor caminho?
O controle de gastos foi (e em alguns lugares ainda é) feito por meio de planilhas.
Por mais que essa metodologia tenha funcionado por muitos anos, talvez
décadas, o uso dessa plataforma de controle se tornou defasado.

A centralização de informações é uma cultura que tende a cair em desuso. A


tendência das organizações é uma comunicação horizontal, onde gestores
e colaboradores possuem acesso aos dados que dizem respeito ao serviço
desempenhado.

Por isso, o uso de planilhas se tornou defasado. Além disso, já estão disponíveis no
mercado diversas soluções de gestão de frotas, que garantem a horizontalidade
das informações e a possibilidade da participação de todos na gestão de
informações.

Gestão de frotas por sistemas

Quanto maior a sua frota, mais desafiador é gerir todos os veículos, cargas e
motoristas. Para que esse processo aconteça de forma mais simples, há uma
série de softwares de gestão de frota online, que dispõem de uma série de
funcionalidades para tornar a vida do gestor mais fácil.

Quanto mais elaborado for o sistema, mais informações o frotista consegue ter
controle como: rotas, número de veículos na estrada e na garagem, condições
de consumo de cada caminhão, entre outros.

Os sistemas concentram o máximo de informações possíveis sobre as condições


da frota e disponibilizam a todos os colaboradores de forma horizontal. Esses
sistemas também geram relatórios sobre as informações inseridas nelas,
auxiliando o gestor de frota a fazer acompanhamentos periódicos no desempenho
e custos dos veículos.
Acompanhamento de relatórios

Todo esse controle e dados são totalmente desperdiçados se não houver uma
análise crítica e periódica dos mesmos. Ou seja, em um período de tempo
predefinido (mensal, bimestral, etc.), o gestor da frota deve sentar e avaliar os
relatórios que ele tem ao seu dispor.

Essa análise de dados permite a mensuração do desempenho e dos gastos que


a frota teve durante o período de tempo avaliado. Com isso, o gerente pode
ter noção se algum dos veículos gerou mais custos que no período anterior,
identificar os motoristas que seguiram as práticas de direção estabelecidas, e
muito mais.

De posse desse conhecimento operacional da sua frota, você terá embasamento


para recompensar boas práticas, pensar em alternativas para garantir uma
maior margem de lucro e, se necessário, punir condutas que comprometam a
rentabilidade da frota.

Manutenção preventiva

Todos nós já ouvimos a expressão: é melhor prevenir do que remediar. Esse pode
até ser um ditado popular batido, mas sua mensagem é, até hoje, extremamente
atual e se aplica ao frotista.

Ao invés de ficar utilizando verba para realizar pequenos consertos


corriqueiramente, a melhor forma de manter uma frota sustentável é realizar a
manutenção preventiva dos veículos. O motivo? Automóveis com um sistema
regulado e peças em condições favoráveis ao funcionamento consomem menos
combustível e possuem menos chance de te “deixar na mão”.

Uma frota com a manutenção em dia garante veículos rodando nas estradas e
lucratividade ao frotista, pois não há nada pior para um empresário do ramo do
que ter caminhões impossibilitados de realizar sua função por causa de defeitos
mecânicos.
4- Produtividade

A preocupação com a produtividade deve ser um ponto a ser refletido no cotidiano


de qualquer gestor de frotas, pois é ela que dita o quão lucrativo é o negócio.
A seguir, você encontra alguns pontos a serem analisados para melhorar ainda
mais a produtividade tanto dos motoristas que trabalham com você, como do
seu negócio em si.
Capacitação dos motoristas

Antes de exigir as melhores práticas de direção dos motoristas que trabalham na


sua frota, é de suma importância que o gerente de frota capacite os profissionais
da equipe. Por isso, invista em cursos e workshops para que seus motoristas
possam não só aprender as novas práticas a serem adotadas, mas também
compreender a importância de aplicar esses conhecimentos na rotina de trabalho.

Crie entre os seus funcionários a cultura de troca de informação entre eles. Assim,
você cria uma rede de inteligência interna com motoristas veteranos repassando
o conhecimento aos novos integrantes do quadro de funcionários. Com isso, o
período de adaptação de novos motoristas se torna ainda menor e o sentimento
de pertencimento à equipe fica mais forte.

Manutenção de pneus

Os pneus são uma das partes mais importantes para manter um veículo rodando
e, ao mesmo tempo, são as mais se desgastam com o decorrer das atividades.

Depois do combustível, os pneus são os responsáveis pelo maior consumo de


dinheiro do frotista. Mais de 15% dos custos são voltados à manutenção e troca
dos pneus. Mas há algumas boas práticas que podem prolongar a vida útil dos
mesmos.

Reforma de pneus
A reforma dos pneus pode prolongar o período em que eles podem ser
usados antes de necessitar serem substituídos. Entretanto, esse é um serviço
que deve ser executado por profissionais de confiança e que ofereçam um
serviço de qualidade, pois os pneus são uma parte vitalícia para a segurança
dos motoristas.
Calibragem
Manter o controle sobre o nível da calibragem dos pneus é um fator
importantíssimo, pois influencia diretamente no rendimento do veículo.
Um caminhão com o calibragem errada consome muito mais combustível
e o motor desempenha um esforço muito maior para manter o veículo
andando.

A longo prazo, esse esforço causa o desgaste precoce dos componentes


do motor, ou seja, além do gasto elevado de combustível que esse
motor consumiu enquanto se esforçava mais que o necessário para
mover o caminhão, ele necessitará de reparos antes do tempo previsto.

Definição de rotas

O trajeto que sua frota percorre está diretamente ligado à produtividade dos
seus veículos, aos custos gerados pelas atividades e aos prazos necessários
para que os produtos sejam entregues. Por isso, a definição das rotas é uma
parte determinante na lucratividade das atividades da sua frota.
Alguns pontos devem ser levados em conta na hora de executar o planejamento
de rotas:

Os clientes
Alguns clientes possuem especificidades quando se trata das entregas.
Por isso, estruture o melhor caminho para que o momento da entrega
ocorra sem problemas. Atente-se também às exigências de dias e
horários em que o contratante definiu como ideais para a realização
das entregas.

Essa atenção às exigências do cliente mostram o comprometimento


que a sua empresa possui com a execução de um serviço vantajoso
para ele, melhorando o relacionamento a curto e longo prazos.
Imprevistos
Esteja sempre pronto para contornar possíveis imprevistos. Para não ser
pego de surpresa e comprometer prazos e entregas, mantenha total
controle sobre os veículos da sua frota. Tenha estabelecido um canal
de comunicação eficiente com motoristas, acompanhe periodicamente
as condições físicas dos veículos e possua um sistema de rastreamento
de veículos e cargas eficaz.

Também é imprescindível possuir uma quantia de dinheiro reservada


para reparos de emergência e possuir formas de contato ágeis para
informar clientes de possíveis atrasos com as entregas.

Condições de transporte

O planejamento de rotas avalia a distância que os veículos irão percorrer e,


também, a condição das pistas. Ter noção do estado de conservação das estradas
é uma ótima forma para antecipar e evitar prejuízos. Pistas em péssimo estado
de conservação comprometem o desempenho, o estado do veículo, a carga e,
em casos extremos, aumentar a chance de acidentes.
Para concluir

O gestor de frota que se planeja para acompanhar esses quatro pontos


destacados em nosso e-book estará pronto para encarar a maioria das situações
que possam vir a surgir em seu cotidiano.

Unindo boas práticas de gestão e estando atento às inovações tecnológicas


lançadas no mercado, sua frota irá se tornar mais rentável e o dinheiro direcionado
para suprir os custos com consertos inesperados será revertido em lucro.

A JS Peças possui mais de 27 anos de mercado. Com 23 lojas espalhadas em 15


estados, nosso catálogo de produtos possui uma série de peças de alta qualidade
e resistência. Tudo para que a sua frota se mantenha sempre funcional.