Você está na página 1de 12

TOPIK - Teste de Proficiência em Língua Coreana.

No dia 17/10 eu fiz o Teste de Proficiência em Língua Coreana mais conhecido por TOPIK ou 한국
어능력시험. Eu pretendo aqui dar algumas introspecções de como o exame funciona e como foi
minha experiência ao participar dessa última edição; mas primeiro, vamos contextualizar tudo.

O que é o TOPIK? O TOPIK é um teste de proficiência que é aplicado 2 vezes ao ano e que visa
avaliar o nível de coreano que o aplicante atingiu até o momento. Existem 2 formatos da prova:
TOPIK I e TOPIK II.

O TOPIK I é equivalente ao nível iniciante do idioma coreano e a prova é dividia em duas sessões,
cada uma valendo 100 pontos (ou seja, a prova vale 200 pontos no total), e com um tempo bem
definido para que cada sessão seja feita:

Sessão 1: Escuta (30 questões – 40 minutos – Valendo no total 100 pontos);

Sessão 2: Leitura (40 questões – 60 minutos – Valendo no total 100 pontos).

Através da nota atingida pelo aplicante no TOPIK I ele pode ser classificado em

Nivel 1 (Iniciante 1 – pontuação mínima 80 de 200);

Nivel 2 (Iniciante 2 – pontuação mínima 140 de 200).

O TOPIK II é equivalente ao nível intermediário e avançado, e assim como o TOPIK I a prova tem
duas sessões:

Sessão 1: Escuta (30 questões – 60 minutos – Valendo 100 pontos no total);

Escrita ( 4 questões e 2 redações – 50 minutos – Valendo 100 pontos no total);

Sessão 2: Leitura (40 questões – 70 minutos – Valendo 100 pontos no total).

O aplicante então pode conseguir atingir pontuação para ser classificado como:

Nível 3 ( Intermediário 1 – pontuação mínima 120 de 300);

Nível 4 (Intermediário 2 – pontuação mínima 150 de 300);

Nível 5 ( Avançado 1 – pontuação mínima 190 de 300);

Nível 6 ( Avançado 2 – pontuação mínima 230 de 300).

Tá bom. Mas o que esses níveis significam? Segundo o NIIED (National Institute for International
Education – Instituto Nacional de Educação Internacional ) – principal responsável pela gestão do
teste cada nível adquirido no teste tem um siginficado específico:

Nível iniciante:

Nível 1 - Capaz de utilizar de comandos básicos do coreano para a sobrevivência, como a saudação,
compras, pedidos, etc. Pode expressar-se e entender alguém em simples conversas cotidianas,
fazendo frases simples a partir de 800 palavras básicas.

Nível 2 – Capaz de discutir temas familiares que empregam um vocabulário de cerca de 1.500 à
2.000 palavras. Sabe distinguir corretamente entre situações formais e informais.

Nível intermediário:

Nível 3 – Efetuar procedimentos/transações com pessoas em espaços públicos e manter


relacionamentos sociais. Compreender o uso correto de palavras e fala. Entender muito bem as
características fundamentais da Coreia.

Nível 4 - Compreensder artigos de notícias, questões sociais gerais e temas abstratos com precisão
e fluência. Compreender conteúdos sociais e culturais coreanos contando com expressões
idiomáticas essenciais e entendendo dos aspectos representativos da cultura coreana.

Nível avançado:

Nível 5 - Alta fluência no uso do idioma coreano no âmbito de pesquisa profissional ou de


trabalho. Compreender e discutir temas menos desconhecidas na política, economia e outros
campos. Uso de expressões adequadas, distinguindo formais e informais, escritas e faladas, pelo
contexto.

Nível 6 - Absolutamente fluente na língua coreana para pesquisa profissional ou trabalho,


capacidade de compreender e expressar-se sem problema, embora sem a fluência total de um
falante nativo.

Para quê o TOPIK serve? Grande parte das bolsas de estudos oferecidas pelas universidades
coreanas, assim, como ofertas de trabalho e estágio, exigem um nível de conhecimento mínimo do
idioma coreano que pode ser comprovado através da pontuação que se adquire no teste do TOPIK.
O nível mínimo de exigência pelas universidades geralmente é 3. E para trabalhos eu não
encontrei nada específico, mas em muitos fórums com essa questão a resposta era sempre um
nível alto, no mínimo 4. Ou seja, para qualquer um que deseja estudar ou trabalhar na Coréia
sendo Brasileiro conseguir um bom desempenho no TOPIK é muito importante.

Onde eu vejo o resultado do exame?

O resultado da prova pode ser visto em 2 lugares, o primeiro é na filiação onde foi feita sua
inscrição do TOPIK ou pelo próprio site do test http://www.topik.go.kr/ . Ambas opções precisam
do número de inscrição que você recebe ao fazer inscrição na prova, então, é bom guardá-lo com
você, pois, o resultado demora em média 45 dias pra sair.

Onde e como eu me inscrevo pra fazer o TOPIK?

Na capital de São Paulo o principal responsável pela inscrição e promoção do TOPIK é o Centro de
Educação Coreana em São Paulo (também conhecido como Centro Educacional.

Esse ano a taxa de inscrição do TOPIK I foi de R$ 60,00 e do TOPIK II foi de R$ 70,00. É necessário
para inscrição em qualquer uma das modalidades da prova, preencher um formulário de inscrição
(disponibilizado pelo Centro de Educação Coreana na página deles), levar 2 fotos 3x4, documento
de identificação com foto e levar o valor da taxa de inscrição em DINHEIRO (o Centro Educacional
não aceita cartão/cheque/transferência/paypal e etc. pelo menos não ainda).

Existe a possibilidade de a incrição ser feita pelo correio, mas parece que as incrições enviadas pelo
correio tem que chegar até a data limite da incrição. Em todo caso, é melhor ligar e se informar
melhor sobre esse método se pretender fazer assim.

Aliás, ainda com todas essas informações, nada dispensa ligar no Centro Educacional e perguntar
pois essas informações para inscrição podem mudar de uma prova para outra. Os meios de
contatos são:

Email: keisp@hanmail.net

Telefone: 3229-4324

Site*: http://www.cecsp.com.br/kr/

*O site terá um versão completa em português logo mais.

Curiosidade!

Os TOPIK I e TOPIK II geralmente acontecem no mesmo dia, porém, em períodos diferentes. Ou


seja, o TOPIK I ocorre no período da manhã e o TOPIK II no período da tarde; e isso dá a
possibilidade de os aplicantes se inscreverem nas duas provas e fazerem no mesmo dia o TOPIK I
no período da manhã e o TOPIK II no período da tarde.

Outro fato interessante é que o exame tem validade de 2 anos. O que significa que após 2 anos, a
sua nota do TOPIK expira e não tem mais valor nenhum como documento oficial. Ou seja, pode ser
necessário fazer um novo teste dependendo das exigiências da instituição que está exigindo-o.
Principalmente se for um nível baixo de TOPIK ou se o modelo da prova mudou. Mas apenas se o
certificado do exame já venceu.
Experienciando o TOPIK

Bom, como foi pra mim fazer uma prova do TOPIK? Muitos sentimentos.

Eu cheguei no local do exame com 10 minutos de antecedência, a famosa escola Polilógos (브라질
한국학교).

Na entrada uma seta com indicação em coreano mostrava a direção de onde eu precisava fazer
meu check-in para a prova. Ali eu já notei que tudo que eu iria encontrar pela frente estaria em
coreano, o que fazia todo sentido pois eu me inscrevi para o TOPIK II. Ou seja, eu supostamente já
obtive as habilidades de compreensão do nível 1 e 2 de coreano (ou não). Pois é, você começa a
ser avaliado na portaria.
Bom, fiz o que qualquer um faria sabendo ou não coreano e segui a seta que me levou ao balcão
pra fazer check-in para o teste. Mostrei meu documento com foto, conferi meus dados na ficha de
inscrição e fui procurar meu nome na lista das salas.

Fiquei esperando com todos os aplicantes no saguão pelo sinal de aviso que poderíamos nos
dirigir a sala onde seria aplicada a prova. Neste tempo de espera encontrei com muitos conhecidos
coreanos, muitos entre seus 12 e 15 anos, nessa hora comecei a contar os ‘não-coreanos’ ao meu
redor e confesso que dava pra contar nos dedos; se brincar em uma mão só.
OLHA EU AQUI COM OS CHINGUS

O sinal tocou e a hora da verdade começou. Todos nós aplicantes começamos a nos dirigir para
nossas respectivas salas.

Ao chegar na sala notei que as carteiras eram nomeadas. Ótimo, encontrei logo a minha e sentei.
Ao começar a preparar meu material para fazer o TOPIK, os instrutores começaram a explicar como
tudo funcionaria. Tudo foi dito em coreano, nenhuma instrução durante a prova foi dada em outro
idioma. Tivémos aquele tempinho pra quem quisesse ir beber àgua, ir ao banheiro, FAZER UMA
ORAÇÃO PRA NOSSA SENHORA DO HANGUL e etc.

Pra quem tá acostumado a assistir doramas, vai achar isso muito comum, mas pra mim foi uma
surpresa das boas! Antes de iniciarmos, todos os celulares dos aplicantes foram desligados e
recolhidos pelos fiscais. Colocamos um post-it para identificar o celular e entregamos aos fiscais
que ficaram com os celulares até o final do exame.

Outro fato muito curioso é que todos os aplicantes recebem uma caneta especial que deve ser
utilizada para preencher todas, TODAS MESMO, informações no gabarito (dados pessoais,
respostas e etc.). Essa mesma caneta tem duas pontas. Uma é para o gabarito normal e outra para
a parte escrita da prova (incluindo a redação).

No TOPIK 3 você recebe 3 gabaritos. O primeiro é bem simples e é para a prova de escuta:
O segundo gabarito é para a prova de escrita, e na parte frontal do gabarito há os lugares onde
preencher as 4 perguntas e a redação 1 de poucos caractéres:
No verso do gabarito de escrita está o espaço para escrever a segunda redação:
É possível que você cometa alguns erros durante a prova, mas não fique nervoso; é só chamar o
fiscal, mostrar onde errou e ele te imprestará o branquinho pra você corrigir o seu erro. Seja ele no
preenchimento de dados, ao marcar uma questão errada, ou escrever algo errado nas questões de
escrever.

O 3º gabarito é muito parecido com o primeiro, pra não dizer igual, e ele corresponde à segunda
sessão da prova que é a de leitura:
Os fiscais são super rigorosos com a questão do tempo, e você não deve riscar o caderno de
questões além do seu nome na capa. Toda e qualquer questão, com excessão das questões de
escrever que podem ser rascunhadas, devem ser marcadas diretamente no gabarito. E acredite,
não dá tempo de marcar no caderno de questões e passar para o gabarito depois. NÃO DÁ
MESMO!!! Cada vez que uma parte da prova termina, os gabaritos daquela parte que acabou são
recolhidos. Apesar de os fiscais sempre verificarem com bastante cuidado as informações
colocadas no gabarito é de suma importância seguir as orientações de preenchimento do mesmo,
pois, os fiscais estão ali pra orientar, mas não vão fazer o exame pra você.
Chegamos ao final do exame, nós entregamos as folhas de provas da última sessão e também o
gabarito. Nossos celulares são devolvidos, e de lembrança podemos levar a caneta que recebemos
no início do TOPIK. A parte engraçada é que eu não vi ninguém saindo da prova comemorando. Na
verdade, estavam todos exaustos. E muitos dizendo que não iam bem. Eu particularmente achei a
prova bem difícil, mas vou manter a esperança enquanto minha nota não sair. Ainda que eu não
consiga um dos níveis da prova, me valeu muito a experiência e acredito estar bem mais preparado
para o próximo round.

E você? Já fez o TOPIK? Pretende fazer? Qual foi sua experiência? Ou o que você espera da prova?
Conta pra gente!