Você está na página 1de 8

CELEBRAÇÃO PENITENCIAL - QUARESMA 2018

“ESCOLHE, POIS A PAZ E SUPERAI A VIOLÊNCIA”

É importante relembrar que a “vida interior” é cultivada pela mística e pela


espiritualidade que se bebe no Evangelho. Por isso, a celebração penitencial com o título
“Escolhe, pois, a paz e superai a violência! ” é um momento de encontro pessoal com Deus
para levantar-se da prostração no pecado, deixar-se envolver pelo perdão e pela misericórdia
de Deus.
A celebração faz ouvir vários apelos de Deus em favor da paz. Isso ajudará os
celebrantes a compreender que o desejo da paz seja plena, que não é só humano; é sobretudo
divino. Na Liturgia da Palavra, o profeta demonstra angústia diante da violência que o rodeia
e suplica Deus por justiça. Justiça que para jesus consiste em não revidar a violência com
mais violência, mas em favorecer a reconciliação para superar a violência pela cultura do
encontro, que promove paz e fraternidade.

ESPAÇO CELEBRATIVO
1. Uma vez que o ambão é o centro da Liturgia da Palavra, sugerimos valorizar este
espaço de onde Deus fala aos celebrantes, colocando ali duas velas, uma de cada lado. Essas
velas sejam colocadas em candelabros grandes, de tal modo que fiquem superior a ele.
2. Do outro lado do ambão, dentro das possibilidades do espaço do presbitério,
coloquem uma cruz grande ou valorizem o espaço dos arranjos quaresmais, que estamos
sugerindo para este ano de 2008.

A foto é um
modelo de
como
preparar o
espaço
celebrativo.
Em vez do
globo,
colocar
outros
símbolos e
sinais, que
serão
usados no
decorrer da
celebração.

Ritos iniciais: Deus é amor e fonte de paz!

1) Canto: ONDE HÁ OFENSA QUE DÓI

- Cristo, quero ser instrumento de tua paz e do teu infinito amor:/ Onde houver ódio
e rancor, que eu leve a concórdia, que eu leve o amor.
Ref: Onde há ofensa que dói, que eu leve o perdão./ Onde houver a discórdia,
que eu leve a união, e tua paz.
- Mesmo que haja um só coração que duvida do bem, do amor e do céu,/ quero com
firmeza anunciar a Palavra que traz a clareza da fé.
- Onde eu encontrar um irmão a chorar de tristeza, sem ter voz e nem vez,/ Quero
bem no seu coração semear alegria, pra florir gratidão.
1
- Mestre, que eu saiba amar, compreender, consolar e dar sem receber!/ Quero
sempre mais perdoar, trabalhar na conquista e vitória da paz.

Acolhida presidencial
P – Em nome do Pai e do Filho e do Espírito Santo.
T – Amém!
P – A graça, a misericórdia e a paz, da parte de Deus, nosso Pai, e de seu Filho Jesus Cristo,
estejam agora e sempre convosco.
T – Bendito seja Deus que nos reuniu no amor de Cristo
P - O convite para celebrarmos esta Quaresma ilumina-se no importante tema da Campanha
da Fraternidade de 2018, convidando-nos a superar a violência. Como Igreja e como
sociedade, temos muitos motivos para interceder o perdão divino e nos empenhar em
construir a cultura do encontro que promove paz e fraternidade. Cada Quaresma é um novo
começo, um tempo privilegiado para converter-se e caminhar nos caminhos do Senhor.
Tempo para permitir que o Espírito Santo renove nossa vida em seu amor e faça crescer nossa
amizade com Jesus e com nossos irmãos e irmãs.
— Vamos nos inclinar diante da Cruz de Cristo e, em silêncio, cada um diga a Deus
que deseja a graça da paz e do perdão em sua vida.

(Pausa silenciosa)
- Obs: Aspersão com água benta perfumada.

2) Mantra:

 Lavai-me, Senhor, lavai-me, e bem limpo eu vou ficar! (bis)


 Senhor, vós me lavareis. De tão limpo eu vou brilhar! (bis)
 Mostrai-nos vossa bondade, salvai-nos, ó Redentor! (bis)
 Senhor, eu peço, escutai-me, a vós chegue o meu clamor (bis).

Oremos:
P - Pai bondoso, em vossa misericórdia infinita, vós nos concedeis o perdão de nossos
pecados pelos méritos da Cruz de vosso amado Filho Jesus Cristo. Enviai vosso Espírito Santo
para iluminar nossas mentes e reconhecer que pecamos contra vós e contra nossos irmãos e
irmãs. PNSJC.
T – Amém!

Liturgia da Palavra: Deus propõe escolher a vida!


Primeira leitura - Hab 1,2-3; 2,2-4 (A leitura encontra-se no Lecionário Dominical p. 978)
Salmo Responsorial – Sl 90 (O salmo encontra-se no Lecionário Dominical p. 741)

3) Canto de Aclamação:

Ref: É como a chuva que lava, é como o fogo que arrasa. Tua palavra é assim, não
passa por mim sem deixar um sinal É como a chuva que lava, é como o fogo que
arrasa. Tua palavra é assim, não passa por mim sem deixar um sinal.
- Tenho medo de não responder, de fingir que não escutei./ Tenho medo de ouvir teu
chamado,/Virar de outro lado e fingir que não sei.
- Tenho medo de não perceber, de não ver teu amor passar./Tenho medo de estar distraído,
magoado, ferido e então me fechar.
- Tenho medo de estar a gritar. E negar-te o meu coração. / Tenho medo do Cristo que passa,
oferece uma graça/ e eu lhe digo que não.

Evangelho – Mt 5,38-48 (O Evangelho encontra-se no Lecionário Dominical p. 269)

2
HOMILIA:

1 – A violência destrói
Como proposto nos ritos iniciais, o enfoque desta celebração ilumina-se na proposta da
Campanha da Fraternidade 2018, com o convite para superar a violência. A violência é um
pecado porque agride. Agride Deus, agride pessoas, agride o povo, agride a natureza, agride
o próprio violento. O profeta Habacuc, na 1ª leitura, é um homem que se vê cercado pela
violência e se mostra incomodado porque Deus não toma nenhuma atitude. Habacuc descreve
o coração do violento com esta queixa: “destruições e prepotência estão à minha frente; reina
a discussão, surge a discórdia.” A violência produz destruição na vida pessoal, na vida familiar,
na vida social... o violento é um prepotente; considera que tudo pode com sua violência... o
violento não conversa, sempre discute porque não consegue ouvir o outro... o violento é
promotor de discórdias, de desordens, de confusão na vida dos outros, na vida familiar, na
vida social. Cria confusão porque ele é confuso ele tem uma vida confusa. Assim, concordamos
com o profeta: a violência é destruição e promove destruição. Assim, entendemos que a
violência é um pecado por agredir e ferir a vida.

2 – A proteção divina contra a violência


Como cristãos não aceitamos a violência. Este é o motivo da Campanha da Fraternidade
2018. Uma campanha para nos lembrar que como cristãos não toleramos e nem escolhemos
o caminho dos violentos. Nosso caminho é de paz, de construção da concórdia, da promoção
da fraternidade. Por incrível que pareça, se não houvessem pessoas no mundo que se
empenhassem pela paz, pela construção da concórdia, pela promoção da fraternidade... o
mundo já estaria destruído. É a força do amor que se mostra silenciosamente protetora do
mundo e de nossas vidas. Para isso é preciso ter fé, uma grande confiança em Deus, como
cantávamos no salmo responsorial. Quem não é violento sofre com a violência dos outros,
mas não se levanta para reagir com a violência. Em vez disso, confia-se à proteção divina.
Repito o que cantávamos no salmo responsorial: “Porque a mim se confiou, hei de livrá-lo e
protegê-lo, pois meu nome ele conhece. Passarás por sobre cobras e serpentes, pisarás sobre
leões e outras feras.” Cobras, serpentes, leões e feras... símbolos da violência animal que
mata. Quem se confia ao Senhor passará por cima disso. O não-violento é uma pessoa de fé,
como dizia a conclusão da 1ª leitura, é alguém que vive pela fé. Por mais que veja a força
dos violentos, não se rende à violência porque é justo e o justo vive pela fé.

3 – Como reagir diante da violência?


Por fim, o Evangelho coloca em nós um questionamento sutil: como reagir diante da
violência? Jesus passa um verdadeiro prontuário de um comportamento não-violento.
Inicialemente, destitui a Lei do Taleão — dente por dente, olho por olho — que é a lei da
violência pela vingança. O violento é um vingativo e, por isso, ele vive se corronedo em sua
raíva e no seu pecado. Depois, Jesus aconselha a fugir dos violentos que batem, que agridem
com tapas, socos e pontapés. Ensina a reagir com aqueles que, em suas violências, sempre
querem levar vantagem em tudo, querem colocar processo judicial para obrigar os mais
pobres a pagar. Não entre na briga nem com os violentos e nem na briga dos violentos. Eles
são pessoas que vivem brigando dentro de si e você não precisa colocar a raiva que carregam
em seus corações dentro de você, revidando com a violência e tornando-se violento. Como
fazer isso? A orientação de Jesus pode parecer estranha: não guarde ódio, nem raiva dentro
de teu coração, mas, ame o teu inimigo. Amar o inimigo é o remédio para não se tornar
violento, para não guardar e nem cultivar raiva no coração. Vamos fazer silêncio e refletir um
pouco sobre isso. Amém!

5) Canto: Ninguém Te Ama Como Eu

Tenho esperado este momento/Tenho esperado que viesses a mim


Tenho esperado que me fales /Tenho esperado que estivesses assim

3
Eu sei bem o que tens vivido/Sei também que tens chorado/Eu sei bem que tens sofrido/Pois
permaneço ao teu lado

Ref.: Ninguém te Ama como Eu/Ninguém te Ama como Eu


Olhe para a cruz, está é a minha grande prova/Ninguém te Ama como Eu
Ninguém te Ama como Eu/Ninguém te Ama como Eu
Olhe para a cruz, foi por ti, porque Te amo/Ninguém te Ama como Eu

Eu sei bem o que me dizes/Ainda que nunca me fales/Eu sei bem o que tens sentido/Ainda
que nunca me reveles/"Tenho andado ao teu lado/Junto a ti permanecido/Eu te levo em meus
braços/Pois sou teu melhor amigo."
Ref. :

6) Canto: Eu navegarei – acender as velas


- Eu navegarei, no oceano do Espírito./ E ali adorarei,/ ao Deus de meu amor!
Ref: Espírito, Espírito, que desce como fogo,/ vem como em Pentecostes e enche-
me de novo!
- Eu adorarei, ao Deus da minha vida./ Que me compreendeu, sem nenhuma explicação!
- Eu servirei ao meu Deus fiel./ Ao meu libertador, aquele que venceu!

EXAME DE CONSCIÊNCIA

P – Iniciamos, neste momento, o exame de consciência. É um momento muito particular, no


qual nos colocamos sinceramente diante de nossas vidas, iluminando-nos com a sabedoria
do Evangelho e nos deixando conduzir pela luz do Espírito Santo para reconhecer nossos
pecados.

P – “Sois o meu Deus, no qual confio inteiramente”


 Eu confio inteiramente que Deus é a segurança da minha vida?
 Entre Deus e os bens materiais: qual é sua principal escolha?
 Você escolheu os bens materiais como a coisa mais importante de sua vida?
 O que o Evangelho representa em sua vida? O Evangelho inspira seu modo de viver?
 Como você satisfaz sua fome de infinito? A sua oração é um diálogo com Deus?
 Existem outros deuses, como a riqueza, as superstições, o espiritismo, macumba?
 Acreditei em horóscopo, ciganos ou cartomantes?
 Vive fugindo na bebida ou na droga? Ou apresenta a droga para alguém como
satisfação?
 Como você procura a paz interior? Você procura orientação para crescer na
espiritualidade? Você dedica tempo para refletir a Palavra de Deus?
 Como você presta culto a Deus? Respeita as outras religiões?
 Quem é Deus em sua vida? Um Pai ou um “resolvedor” de problemas? Deus é paz? Por
que eu mato? Aborto? Já cometi algum crime?
 Seu modo de viver é um culto agradável a Deus? Tenho hábito de julgar ou condenar
as pessoas? Tenho prejudicado as pessoas com palavras falsas, mentiras ou calúnias?

P - “O justo viverá por sua fé".


 Como vivo minha vida de fé?
 Dedico tempo e momentos para adorar a Deus em minha vida?
 Procuro incentivar e cultivar a fé em Deus na minha família?
 Minha fé é sincera, principalmente nos momentos de provações?

P - “Em minhas dores, ó Senhor, permanecei junto de mim!”


 Nos momentos de sofrimento, coloco minha confiança em Deus?
 Quando sou desafiado a testemunhar minha fé, eu confio em Deus?
 Como é minha de oração? Eu rezo todos os dias ou somente quando preciso?

P – “De fato, Deus disse: honra teu pai e tua mãe” (Mt 15,4)
4
 Como você relaciona-se com seus pais e familiares?
 Como você vive dentro de sua casa? Promovendo alegria ou brigas?
 Como você vive sua vocação de pai? De mãe? De filho ou filha?
 Seu relacionamento com a família? Como estou me relacionando com meus pais?
 Enquanto pai e mãe você tem sido um exemplo para os filhos?
 Os filhos são: obedientes, compreensivos, amorosos com os Pais?
 Os pais são amorosos, compreensivos com os filhos?
 Os filhos são: malcriados, desobedientes, xingam os pais?
 Desejam até a morte deles? No meu lar, Cristo tem vez e voz? Crio divisões na minha
família? Sou causa de alegria ou tristeza em casa?
 Houve violência no seu lar?

P “Deixe tua oferenda diante do altar e vai reconciliar-te com teu irmão” (Mt 5,24)
 Suas atitudes são cristãs?
 Você se relaciona com os outros de modo respeitoso ou arrogante?
 Você tem cometido injustiças e desonestidades para com os outros?
 Você respeita a vida de todos, das crianças e dos idosos?
 Você é uma pessoa que vive com raiva e sempre agredindo os outros?
 Seu relacionamento com as pessoas é inspirado no Evangelho? Sou humilde? Invejoso
(a), orgulho?
 Você tem preconceitos para com algumas pessoas? Pobres ou negras? Pensei ou falei
mal dos outros? Tenho tido um coração de pedra diante dos sofrimentos dos irmãos?
Você é sincero ou vive tramando modos de enganar o outro? Diante dos irmãos:
guardei raiva, ódio, desejo de vingança, intrigas?
 Você é ético no seu trabalho? É honesto?

P - “Não enfrenteis quem é malvado”


 Como eu reajo diante de provocações?
 Penso em me vingar contra quem me agrediu?
 Quando agredido, revido com a mesma moeda da violência?
 Sou promotor da paz ou promotor de violências e de brigas?

CANTO: TEU SOU

Eu não sou nada e do pó nasci/mas Tu me amas e morrestes por mim/ diante da cruz
só posso exclamar, Teu sou, Teu sou.

Ref.: Toma minhas mãos te peço. Toma meus lábios, te amo. Toma minha vida,
ó Pai Teu sou. (Bis)

Quando de joelhos te olho ó Jesus/vejo tua grandeza e minha pequenez/que posso dar-
te eu? Só meu ser/Teu sou, teu sou.

Ref. Toma minhas mãos te peço. Toma meus lábios, te amo. Toma minha vida,
ó Pai Teu sou. (Bis)

P – “Aquilo que Deus uniu, o homem não separe.” (Mt 19,5-6)


 Nosso corpo é templo do Espírito Santo: como estamos vivendo a castidade? Você
abusou da castidade? Praticou sexo antes do casamento?
 Você que é casado, vive a fidelidade no seu matrimônio?
 Você que é solteiro(a) respeita a sua sexualidade e castidade?
 Você olha as pessoas com respeito ou com segundas intenções?
 Já destruí o casamento de alguém?

P – “Seja o vosso falar: sim, quando for sim e não, quando for não” (Mt 5,37)
 Você é uma pessoa que preza a verdade ou vive na mentira?
5
 Você respeita a boa reputação dos outros ou é fofoqueiro(a)?
 Você é sincero ou vive tramando modos de enganar o outro? Diante dos irmãos:
guardei raiva, ódio, desejo de vingança, intrigas?
 Você é ético no seu trabalho? É honesto?

P - “Não vires as costas a quem te pede emprestado”


 Quando um pobre pede esmola, como eu reajo?
 Sou indiferente às dificuldades de irmãos e irmãs necessitados?
 Não gosto de ajudar as pessoas, reconhecendo que sou egoísta?
 Evito participar de campanhas de solidariedade?

P - “Eu, porém, vos digo: Amai os vossos inimigos”


 Qual o meu relacionamento com quem se comporta como inimigo?
 Eu tenho coragem e sou capaz de rezar e desejar o bem para quem não gosta de mim?
 Cultivo raiva dentro de mim com quem não me é simpático?
 Desejo o mal a quem não me considera?

P – “Onde estiver o vosso tesouro, ali estará o vosso coração” (Lc 12,34)
 A coisa mais importante de sua vida é respeitar a vida dos outros?
 Como você cuida de você mesmo?
 Você testemunha o Evangelho como um tesouro de sua vida?
 Vive fugindo na bebida ou na droga? Ou apresenta a droga para alguém como
satisfação? Existem drogas no seu viver?

P - “Portanto, sede perfeitos como o vosso Pai celeste é perfeito”


 Procuro ser misericordioso com todos, especialmente com os sofredores?
 Promovo a reconciliação e a paz em minha família?
 Procuro promover o amor e a bondade onde vivo?
 Procuro imitar a paciência de Deus diante do erro dos outros?

Oremos:
P – Com nosso coração arrependido, nós nos colocamos diante de vossa misericórdia
infinita, Pai bondoso, para implorar vosso perdão, vossa reconciliação e vossa paz. Concedei-
nos a graça de viver iluminados pela luz do Evangelho para promover a cultura do encontro,
a fraternidade e a superação da violência. PCNS. T – Amém!

7) Canto: POR HOJE NÃO

Deus vê o coração
Sonda com compaixão
E sabe o tamanho da sua dor
Ele não pode por
Limites no seu amor
Pois sabe até onde vai todo pecador

Lágrimas são suor


De almas que lutam só
Só Deus pode entender o que te causa dor
Pensa no seu senhor
Recorra ao seu amor e creia Ele é fiel
Justo é o seu amor

Pare de se maltratar
Não queira aos outros culpar
Diga por hoje não
Por hoje eu não vou mais pecar
Estenda a sua mão e abra o seu coração
6
Volta pro seu Senhor
E se abra a restauração
Com Cristo você vai superar
Todas as barreiras passar
Todo o pecado vencer
O novo homem vai nascer

PAUSA SILENCIOSA

Confissão genérica dos pecados


P – Neste dia que celebramos a misericórdia divina em nossas vidas e somos convidados a
morrer ao pecado e ressurgir para uma vida nova em busca da paz, superando a violência,
reconheçamo-nos necessitados da misericórdia do Pai, confessando nossos pecados:

T - Confesso a Deus todo-poderoso, e a vós irmãos e irmãs e a vós, irmãos e irmãs,


que pequei muitas vezes, por pensamentos e palavras, atos e omissões, por minha
culpa, minha tão grande culpa. E peço à Virgem Maria, aos anjos e santos e a vós,
irmãos e irmãs, que rogueis por mim a Deus nosso Senhor.

Todos de joelhos:
8) Coração inquieto

Senhor, venho pedir perdão,


Pois pequei contra vós
E com meu coração inquieto
Resolvi voltar...
E mesmo sem saber como expressar-me
Peço vossa misericórdia

Ref: Senhor, misericórdia


Cristo misericórdia
Senhor misericórdia
Meu Pai resolvi voltar

Vou voltar...

Absolvição dos pecados: Deus Pai todo poderoso tenha compaixão...

Oração do Senhor:
P – Reconhecemos nossa fragilidade e a necessidade do perdão divino. Por isso, com o
coração agradecido por participar da celebração que nos reconcilia com Deus e com os irmãos,
pelo perdão dos pecados, cantemos a oração que o Senhor nos ensinou: Pai nosso...
T – Pai nosso...

Ação de graças
P – Irmãos e irmãs, elevemos a Deus Pai nosso canto de louvor e de gratidão pelo perdão
que ele nos concede neste dia.

10) CANTO DE AÇÃO DE GRAÇAS – MINHA ESSÊNCIA

- Vim até aqui


Derramar o meu passado em ti
Vim banhar os pés quem andaram por aí
Sem carinho receber

7
Hoje estou aqui
Não porque mereço, eu sei
Pois tu sabes por onde eu andei
Conheces bem o meu perfume

Mas tu sabes também


Que o meu choro é sincero porém
Não tenho nada há oferecer, meu Senhor
Mas te dou a minha vida

É tudo que tenho


Recebe o meu nada
Refaz a morada
Habita em mim

Me pega em teu colo


Me acalma em teu peito
Sou teu sou eleito
E a minha essência é exalar teu cheiro!
Ritos finais

Bênção final

P – O Senhor esteja convosco.


T – Ele está no meio de nós!

Deus onipotente e misericordioso vos abençoe e vos conceda o dom da verdadeira


sabedoria e da sua Salvação.
T – Amém!

Ilumine vossas vidas com os ensinamentos da fé e vos ajude a perseverar no bem e no


caminho do discipulado.
T – Amém!

Mostre-vos o caminho da verdade e da paz e guie vossos passos na estrada que conduz à
vida eterna.
T – Amém!

Abraço da Paz
Quero te dá a paz