Você está na página 1de 13

AUDITORIA PROF.

GERSON LEITE BEZERRA

AUDITORIA

MAIS O QUE É AUDITORIA???

A auditoria é um conjunto de procedimentos técnicos aplicados de forma independente,


para a revisão dos registros contábeis, objetivando emitir uma opinião (parecer) sobre a
veracidade dos procedimentos analisados. Auditoria, do latim audire, que significa
ouvir.

“Processo pautado em verificações que, quando finalizado, terá a elaboração de um


relatório.”

Está relacionada com a obrigação de determinado ente responder pelos recursos


alocados à sua disposição, ou seja, a obrigação de prestar contas, decorrente de
responsabilidade delegada.

Sempre existem duas partes: uma que delega a responsabilidade e outra que aceita,
demonstrando assim que a auditoria é uma via de mão dupla.

Para se verificar a eficiência e eficácia dos controles contábeis, a economia no uso dos
recursos físicos, materiais, humanos e financeiros, a postura ética dos gestores, a
equidade intencional de omissão ou manipulação de transações, adulteração de
documentos, registros e demonstrações contábeis, se aplica a técnica contábil da
auditoria, dentre outras.

Eficácia - significa fazer o que é certo para que a entidade possa alcançar seus
objetivos.
Eficiência - significa fazer bem com os recursos que a entidade possui, sem
desperdícios.

Sentido lato (AMPLO): procedimento técnico que compara o fato concreto com o
desejado.

Sentido estrito: conjunto de procedimentos realizados, visando verificar a veracidade


das demonstrações contábeis.

Objetiva a prestação de contas ao proprietário do patrimônio e a verificação de como


os recursos foram aplicados.

O auditor usa critérios e procedimentos adequados para se certificar da efetividade dos


valores analisados na entidade auditada.

INÍCIO DA AUDITORIA

As primeiras auditorias consistiam em exame detalhado dos registros contábeis para


verificar sua autenticidade. Após a revolução industrial começou a ganhar os contornos
atuais: examinar os controles internos e realizar testes para fundamentar o Parecer. O
crescimento do mercado de capitais tornou as empresas mais complexas, estimulando
a auditoria moderna.

www.consultefinancas.com.br Olinda/2017.1
AUDITORIA PROF. GERSON LEITE BEZERRA

EVOLUÇÃO DA AUDITORIA

A auditoria, da forma que é utilizada atualmente, como ferramenta de trabalho,


começou a ser utilizada na Europa.

Depois da Revolução Industrial, a auditoria deixa de ser uma mera ferramenta e


começa a ser utilizada em grandes empresas.

PAÍSES DETERMINANTES

A evolução da auditoria contábil começou no final do século XIX, na Inglaterra, Holanda


e Estados Unidos, impulsionada pelo crescimento das empresas e pelo interesse da
economia popular nas grandes organizações.

EVOLUÇÃO HISTÓRICA DA AUDITORIA

Com a criação da SEC (CVM) a profissão assumiu importância e criou um novo


estímulo para aquelas empresas que tinham valores negociados em bolsa, pois estas
passaram a utilizar os serviços de auditoria para garantir a sua credibilidade, por parte
dos investidores e proprietários, quanto à realidade da empresa.

No Brasil a evolução da auditoria está ligada a instalação de multinacionais de auditoria


independente, bem como com a chegada de grandes empresas multinacionais.

A CONTABILIDADE

Como ciência social, a contabilidade tem por objetivo o controle patrimonial das
entidades, utilizando-se de técnicas contábeis para atingir suas metas. Uma dessas
técnicas é a auditoria contábil.

Na realização da auditoria contábil, uma das funções do auditor é verificar se a


entidade auditada segue os princípios contábeis emanados pelo Conselho Federal de
Contabilidade e demais órgãos ligados a ele (CFC nº 1.121 de 2008).

INFLUÊNCIA CAPITALISTA

O início do sistema capitalista foi marcado pelas empresas de capital fechado,


principalmente as pertencentes a grupos familiares.

www.consultefinancas.com.br Olinda/2017.1
AUDITORIA PROF. GERSON LEITE BEZERRA

A expansão do mercado e o aumento da concorrência fizeram com que essas


organizações ampliassem suas instalações, investissem em busca de novas
tecnologias no desenvolvimento de pessoal, no aperfeiçoamento de seus controles
internos e nos procedimentos de forma geral.

SURGIMENTO DO AUDITOR

Esses novos parceiros, seja a título de empréstimos ou participações permanentes,


precisavam analisar a situação econômico-financeira das empresas.

Para isso, fizeram uso das demonstrações contábeis, para situarem-se acerca da
segurança, liquidez e rentabilidade dessas organizações. Por conseguinte, surgiu a
figura do auditor contábil, profissional capacitado para dar confiabilidade aos dados
contidos nessas demonstrações.

FATOS QUE MARCARAM A AUDITORIA NO BRASIL

 Filiais e subsidiárias de firmas estrangeiras;


 Financiamento de empresas brasileiras através de entidades internacionais;
 Crescimento de empresas brasileiras e necessidade de descentralização e
diversificação de suas atividades;
 Evolução do mercado de capitais;
 Criação de normas de auditoria promulgadas pelo Banco Central do Brasil em
1972;
 Criação da CVM - Lei 6.385/76 e da Lei da Sociedade por Ações - Lei 6.404/76.

CRESCIMENTO DA AUDITORIA

O crescimento econômico e a globalização possibilitaram a expansão da auditoria para


outras áreas além da contabilidade.

Ex.: custos, finanças, processamento de dados, organização e métodos legislação


fiscal e comercial, etc.

O objetivo da Auditoria não é identificar fraudes, embora estas possam ser identificadas
no decorrer dos trabalhos.

Fraude – ato intencional de omissão ou manipulação de transações, adulteração de


documentos, registros e demonstrações contábeis.

Erro – ato não intencional resultante da omissão, desatenção ou má interpretação de


fatos na elaboração de registros e demonstrações contábeis.

FINALIDADE DA AUDITORIA

ADMINISTRATIVO: Reduz ineficiência, negligência, incapacidade e improbidade dos


funcionários.

PATRIMONIAL: Proporciona maior controle dos bens, direitos e obrigações.

FISCAL: Possibilita à entidade cumprir com as obrigações fiscais, evitar as multas para
a empresa, penalidades para o proprietário e sonegação de imposto para o fisco.

www.consultefinancas.com.br Olinda/2017.1
AUDITORIA PROF. GERSON LEITE BEZERRA

FINANCEIRO: Garante que terceiros tenham seus direitos resguardados contra


possíveis fraudes e dilapidações patrimoniais.

ECONÔMICO: Valida os resultados apurados, ao defender os interesses dos


investidores e dos proprietários das entidades.

SOCIAL: Informa o grau de evolução e solidez da economia nacional. Também


assegura a garantia de empregos.

TÉCNICO: Possibilita ao serviço contábil mais eficiência, mais precisão nas


informações, registro contábeis e demonstrações elaboradas de acordo com as normas
e princípios da contabilidade.

ÉTICO: Examina a moralidade do ato praticado, apesar de desse fato ter sido
registrado mediante documento idôneo que comprovou o ato.

EXERCÍCIOS

1) Assinale a alternativa que possui o conceito de Auditoria:


a) Verificação do cumprimento de atividades, disposições legais, regulamentos.
b) Ato de gerir um patrimônio. As funções da gestão são aquelas dirigidas para a
provisão, conservação e emprego dos meios necessários.
c) Exame analítico das operações contábeis, desde o início até o balanço. Identifica
deficiências de controle interno e apresenta recomendações para melhorá-lo.
d) Exame de caráter técnico, por pessoa entendida, nomeada pelo juiz, de um fato,
estado ou valor de um objeto litigioso.
e) Emissão de parecer sobre determinado assunto de sua especialidade.

2) Considerando o que determina o Conselho Federal de Contabilidade, assinale a


alternativa correta.
a) Recomenda-se, com vistas à manutenção da qualidade (independência), que seja
efetuado o rodízio do sócio do trabalho após o período de três anos.
b) Pelo menos uma vez a cada seis meses, a firma deve obter confirmação por escrito
do cumprimento de suas políticas e procedimentos sobre independência de todo o
pessoal da firma, que precisa ser independente por exigências éticas relevantes.
c) No caso específico de trabalho de auditoria, o período de retenção seria
normalmente de pelo menos quatro anos, a partir da data do relatório do auditor
independente ou, se superior, da data do relatório do auditor independente do grupo. A
documentação do trabalho é de propriedade da firma. A firma pode, a seu critério,
disponibilizar partes ou trechos da documentação do trabalho aos clientes, desde que
essa divulgação não prejudique a validade do trabalho realizado ou, no caso de
trabalhos de asseguração, a independência da firma ou do seu pessoal.
d) Pessoa externa qualificada é uma pessoa de dentro da firma com competência e
habilidades que poderia atuar como sócio encarregado do trabalho.
e) Equipe de trabalho são os sócios e o quadro técnico envolvidos no trabalho e
quaisquer pessoas contratadas pela firma ou uma firma da mesma rede para executar
procedimentos do trabalho. Isso exclui especialistas externos contratados pela firma ou
por firma da mesma rede.

www.consultefinancas.com.br Olinda/2017.1
AUDITORIA PROF. GERSON LEITE BEZERRA

3) Para auditar uma companhia aberta, o auditor externo deve registrar-se,


obrigatoriamente, no seguinte órgão:
a) CVM
b) Ibracon
c) CPC
d) Banco Central do Brasil
e) Audibra

4) Nas empresas, falhas que ocorram no sistema de controles internos podem facilitar
o aparecimento das fraudes internas, como as mostradas a seguir:
I. Atraso no pagamento dos salários.
II. Inexistência ou ineficiência das normas internas.
III. Plano de auditoria burocrático e repetitivo.
IV. Atraso nas conciliações.
V. Ausência de afinidade entre a alta administração e a equipe de auditoria. São falhas
ligadas ao aparecimento de fraudes internas APENAS as apresentadas em:
a) I, II, III e V.
b) I, II, e III.
c) II, III, IV e V.
d) II, III e IV.
e) I, IV e V.

5) Quando eventuais distorções, por fraude ou erro, afetarem as demonstrações


contábeis de forma relevante, cabe ao auditor independente
a) Solicitar uma segunda auditoria independente aos contratantes para confirmar os
resultados apontados na primeira auditoria.
b) Demonstrar que seus exames foram conduzidos de forma a atender as normas de
auditoria independente das demonstrações contábeis.
c) Informar imediatamente aos meios de comunicação sobre os resultados da auditoria
independente.
d) Denunciar os responsáveis pela entidade auditada aos órgãos competentes para
evitar a acusação de omissão.
e) Consultar os responsáveis pela entidade auditada sobre a conveniência de tornar
públicos os resultados da auditoria.

6) O principal objetivo da Auditoria Externa é:


a) Verificar se as normas internas estão sendo seguidas pelos empregados em geral.
b) Verificar o objetivo de novas normas.
c) Examinar as demonstrações contábeis e emitir seu parecer.
d) Examinar o Balanço Patrimonial.
e) Verificar a segregação de funções.

www.consultefinancas.com.br Olinda/2017.1
AUDITORIA PROF. GERSON LEITE BEZERRA

CLASSIFICAÇÃO DA AUDITORIA

APLICABILIDADE DOS TIPOS DE AUDITORIA

Fundamental conhecer e compreender a aplicabilidade dos diferentes tipos de


auditoria. Incide na qualidade dos demonstrativos analisados.

AUDITORIA GOVERNAMENTAL

Atua diretamente sobre a administração do patrimônio público. É uma importante


técnica de controle do Estado em busca da melhor alocação de seus recursos. Atua
para corrigir os desperdícios, a improbidade, a negligência e a omissão, mas,
principalmente, antecipa-se a essas ocorrências e busca garantir os resultados
pretendidos. Destaca os impactos e benefícios sociais advindos das políticas públicas.

AUDITORIA PRIVADA

Seu foco é a empresa privada:

 Seu campo de atuação é definido pelo seu objetivo, que visa a expressar uma
opinião sobre as demonstrações financeiras e assegurar que elas representem
adequadamente a posição patrimonial e financeira da empresa auditada;
 Representa o resultado de suas operações e as origens e aplicações de
recursos correspondentes aos períodos em exame de acordo com os princípios
de contabilidade aplicados em determinado período.

Ressaltamos que todas as auditorias podem ser realizadas por um profissional que
integra o quadro de recursos humanos da entidade (interna) ou por uma pessoa
contratada somente para realizar esse serviço (externa).

www.consultefinancas.com.br Olinda/2017.1
AUDITORIA PROF. GERSON LEITE BEZERRA

TIPOS DE AUDITORIA

AUDITORIA DE OPERACIONAL versus AUDITORIA CONTÁBIL

Se comparada à auditoria contábil a auditoria operacional é mais limitada, uma vez que
apresenta a característica de se aplicar a áreas críticas que necessitam de verificação
e sugestão de melhoria de eficiência e eficácia.

Para a verificação destas áreas a auditoria operacional acaba por usar muito mais o
processo de entrevista do que a auditoria contábil.

Enquanto o papel do auditor operacional é de conhecer muito mais as diversas áreas


relacionadas com o objeto de estudo; do auditor contábil se exige conhecimento
contábil, financeiro e de áreas afins.

O auditor operacional tem um foco voltado para o momento atual, verificando áreas
críticas e o que está acontecendo para que aja um problema em determinada área; o
auditor contábil, por sua vez, tem a visão mais do passado, pois verifica fatos que já
ocorreram dentro das entidades.

AUDITORIA OPERACIONAL

É realizada com o intuito de se fazer uma avaliação tanto da eficiência quanto da


eficácia das atividades operacionais que ocorrem nos processos administrativos.

Este tipo de auditoria ocorre para que haja a melhoria contínua dos processos e para
que existam soluções para o processo operacional.

Processo de avaliação de riscos e de sistemas de controles internos da atividade


operacional, comparado o resultado com a projeção esperada, o que propicia,
inevitavelmente, a apresentação de recomendações destinadas a melhorar o
desempenho e aumentar o êxito da organização.

Objetiva a revisão metodológica da atividade ou segmentos operacionais.

Está prevista na CF/88, em seus artigos 70 e 71

www.consultefinancas.com.br Olinda/2017.1
AUDITORIA PROF. GERSON LEITE BEZERRA

Art. 70. A fiscalização contábil, financeira, orçamentária, operacional e patrimonial da


União e das entidades da administração direta e indireta, quanto à legalidade,
legitimidade, economicidade, aplicação das subvenções e renúncia de receitas, será
exercida pelo Congresso Nacional, mediante controle externo, e pelo sistema de
controle interno de cada Poder.

Parágrafo único. Prestará contas qualquer pessoa física ou jurídica, pública ou privada,
que utilize, arrecade, guarde, gerencie ou administre dinheiros, bens e valores públicos
ou pelos quais a União responda, ou que, em nome desta, assuma obrigações de
natureza pecuniária.

OBJETIVOS DA AUDITORIA OPERACIONAL

 Identificar possíveis áreas com riscos, possibilitando aos entes a sua


correção e melhoria continua;
 Fazer recomendações para que haja a melhoria contínua dos processos
e da gestão dos entes;
 Fazer a avaliação das medidas adotadas para que aja a preservação do
patrimônio em geral e também para que sejam evitados desperdícios de recursos,
por erros ou fraudes;
 Apresentar áreas que possuem possibilidade de redução de custos ou
despesas ou melhoria do desempenho;
 Demonstrar a confiabilidade dos sistemas administrativos, financeiros,
contábeis e patrimoniais, permitindo a transparência do ente auditado perante os
interessados na informação;
 Medir se está havendo o alcance de metas e objetivos, e caso contrário,
o que está havendo para que isso não seja possível;
 Apresentar áreas que possuem possibilidade de redução de custos ou
despesas ou melhoria do desempenho

AUDITORIA DE GESTÃO

É o tipo de Auditoria realizada mediante a análise de planos e diretrizes de uma


determinada empresa ou entidade.

A auditoria de gestão é realizada para medir a eficiência da gestão, se esta está de


acordo com as metas e planos traçados.

AUDITORIA DE SISTEMAS

É realizada nos sistemas de informação de determinada entidade para que sejam


analisados os controles existentes na área de sistemas de dados, bem como
minimizados os riscos e facilidades envolvidos na área de processamento de dados.

AUDITORIA DE PROGRAMAS

A auditoria de programas é voltada para o exame, avaliação, bem como a execução de


programas e projetos da área governamental, visando examinar a aplicação de
recursos descentralizados.

www.consultefinancas.com.br Olinda/2017.1
AUDITORIA PROF. GERSON LEITE BEZERRA

AUDITORIA ESPECIAIS

Existem alguns tipos de auditorias que são denominadas especiais por só ocorrem em
situações extraordinárias.

Em alguns casos, o presidente da república, ou ainda ministros, prefeitos ou outras


autoridades podem solicitar a verificação dos processos ou das demonstrações de
determinado ente e assim ocorrerá uma auditoria especial.

AUDITORIA CONTÁBIL

Para se verificar a eficiência e eficácia dos controles contábeis, a economia no uso dos
recursos físicos, materiais, humanos e financeiros, a postura ética dos gestores, a
equidade intencional de omissão ou manipulação de transações, adulteração de
documentos, registros e demonstrações contábeis, se aplica a técnica contábil da
auditoria, dentre outras.

Consiste na verificação das Demonstrações Contábeis de uma determinada empresa,


ou determinada entidade (órgão público, por exemplo).

MOTIVOS QUE LEVAM A REALIZAÇÃO DA AUDITORIA

 POR FORÇA DE DISPOSIÇÃO LEGAL;


 POR EXIGÊNCIA DOS SÓCIOS OU ACIONISTAS;
 POR PARTE DO GOVERNO;
 PELA A EMPRESA QUE IRÁ ADQUIRIR O CONTROLE ACIONÁRIO DE
OUTRA EMPRESA.

AUDITORIA INTERNA

Realizada por profissionais empregados da própria entidade - parcialmente


independente. Além das informações contábeis e financeiras, a auditoria interna se
preocupa também com os aspectos operacionais: avaliação de desempenho, controles
internos, sistemas de computação, qualidade de serviços e produtos, etc.

Busca a identificação de não conformidades, prevenção e/ou detecção de falhas de


operação, discrepâncias nas atividades administrativas, possibilitando maior
confiabilidade das informações geradas, bem como garantindo a salvaguarda dos
ativos da empresa.

RESOLUÇÃO n. 986/03 – CFC

 Define a auditoria interna como um conjunto de exames, análises, avaliações,


levantamentos e comprovações sistematicamente estruturadas.
 Tem a finalidade de avaliar integridade, adequação, eficácia, eficiência e
economicidade dos processos, do controle interno, dos sistemas de informações e de
gerenciamento de riscos, para que a entidade possa atingir seus objetivos.
 Auditoria interna tem a finalidade de agregar valor ao resultado da organização
ao apresentar subsídios para o aperfeiçoamento da gestão e dos controles internos.

www.consultefinancas.com.br Olinda/2017.1
AUDITORIA PROF. GERSON LEITE BEZERRA

AUDITORIA EXTERNA OU INDEPENDENTE

Expressar opinião sobre as demonstrações contábeis e assegurar que estas


representam adequadamente a posição patrimonial e financeira da empresa.

No Brasil, a auditoria externa está regulamentada pelo CFC), pela Comissão de


Valores Mobiliários (CVM) e pelo Banco Central do Brasil (Bacen).

Pela Lei das Sociedades Anônimas as demonstrações contábeis das companhias


abertas devem ser auditadas por auditores independentes ou externos registrados na
CVM (Art. 177 da Lei n. 6.404/76).

Tem a função primordial de garantir a fidedignidade das demonstrações contábeis


utilizando os métodos especificados no ordenamento jurídico.

AUDITORIA CONTÁBIL OU FINANCEIRA

Visa escriturar os fatos administrativos e apresentá-los por meio das demonstrações


contábeis. Verificar se todos os dados apresentados estão corretos e analisar a
situação econômica e financeira da entidade. Tem como objetivo principal o exame das
Demonstrações Contábeis.

CLASSIFICAÇÃO QUANTO A FORMA DE ATUAÇÃO

AUDITORIA INTERNA

Ocorre por determinação da administração e, além das informações contábeis, abrange


aspectos operacionais. É utilizada como forma de assessoria e controle.
Aponta as possíveis fragilidades e erros nos controles internos.

É auditoria contábil, realizada por profissionais qualificados, externos à organização.


Visa emitir opinião independente, pautada em Normas Técnicas.

AUDITORIA INTERNA versus AUDITORIA EXTERNA

INTERNA EXTERNA
É contratado da empresa auditada, Não pode ter nenhum tipo de
ou seja, trabalha internamente na vínculo com a empresa auditada,
EMPREGADO mesma. para manutenção da
independência.

Menor grau de independência, já Independência total uma vez que a


INDEPENDÊNCIA que os funcionários são da própria empresa auditada não possui
empresa auditada. nenhum vínculo com o auditor.

TIPO DE AUDITORIA Contábil e Operacional Contábil

www.consultefinancas.com.br Olinda/2017.1
AUDITORIA PROF. GERSON LEITE BEZERRA

INTERNA EXTERNA
Verifica o cumprimento das normas Emite Parecer sobre as
internas da companhia ou do Demonstrações Contábeis,
grupo; bem como da necessidade verificando se estas refletem
de aprimoramento dos controles corretamente a posição financeira e
OBJETIVOS internos que já são praticados e a econômica das empresas.
criação de novos controles. Também, verifica se as
Também, efetua a auditoria das demonstrações estão de acordo
Demonstrações Contábeis e em com os Princípios Contábeis e
outras áreas da empresa legislação vigente.

INTERNA EXTERNA
Grande, uma vez que o processo Menor número de testes uma vez
de auditoria interna é feito de que o auditor possui tempo e uma
forma constante, assim é possível amostra determinada para o seu
VOLUME DE TESTES testar constantemente as trabalho, pois o interesse está em
Demonstrações Contábeis e os erros que de forma individual ou
processos cumulativamente possam alterar as
Demonstrações Contábeis.

INTERNA EXTERNA
Ocorre de forma voluntária, por Pode ocorrer de forma obrigatória,
vontade dos sócios, acionistas ou por força de lei, ou ainda de forma
OBRIGATORIEDADE controladores. voluntária quando pedida pelos
sócios, acionistas ou controladores.

AUDITORIA INTERNA

 Art. 70 CF/88 – Empresas e Órgãos da Administração Pública;


 Por determinação da Matriz ou Controladoria;
 Similar a auditoria independente;
 Por determinação da Administração.

AUDITORIA EXTERNA

• CVM – Sociedade por Ações de Capital Aberto


• BACEN
 Bancos Comerciais e de Investimentos
 Financeiras
 Distribuidoras de Títulos e Valores Mobiliários
 Corretoras de Câmbio e Valores
 Sociedades de Arrendamentos Mercantil
 Sociedade de Crédito Imobiliário
• SUSEP – Seguradoras
• ANS – Planos de Saúde
• SPS/MPAS – Previdência dos Servidores Públicos

www.consultefinancas.com.br Olinda/2017.1
AUDITORIA PROF. GERSON LEITE BEZERRA

Obrigatoriedade de Auditoria Externa

A legislação brasileira determina que algumas empresas são obrigadas a passarem por
uma auditoria externa e independente.

As instituições financeiras devem ser submetidas a auditorias a cada seis meses,


assim como as empresas de seguro. Já as empresas de capital aberto (com ações
negociadas em Bolsa) são auditadas uma vez ao ano.

EXERCÍCIOS

1) A auditoria de programa, entre outros aspectos, visa a:


a) examinar as peças que instruem os processos de tomada ou prestação de contas,
com vistas a avaliar a gestão dos gestores públicos.
b) apurar em que medida as ações implementadas lograram produzir os efeitos
pretendidos pela administração.
c) identificar as áreas críticas e riscos potenciais, proporcionado as bases para sua
eliminação ou redução.
d) verificar se os registros contábeis foram efetuados de acordo com os princípios
fundamentais de contabilidade e se as demonstrações deles originárias refletem,
adequadamente, em seus aspectos mais relevantes, a situação econômico-financeira
do patrimônio, os resultados do período administrativo examinado e as demais
situações nelas demonstradas.
e) assegurar a adequação, privacidade dos dados e informações oriundas dos
sistemas eletrônicos de processamento de dados, observando as diretrizes
estabelecidas e a legislação específica.

2) Segundo Silva (2012), a auditoria é o processo pautado em verificações que, quando


finalizado, terá a elaboração de um relatório. A respeito da classificação e dos tipos de
auditoria é correto afirmar que:
a) Quanto ao campo de atuação a auditoria classifica-se em interna e externa.
b) Quanto a forma de realização a auditoria pode ser classificada em governamental e
privada.
c) A auditoria operacional divide-se em interna e externa.
d) A auditoria pode ser dividida em Contábil e Operacional.
e) A auditoria contábil pode ocorrer nas áreas de gestão, sistemas e programas.

3) Segundo as normas de auditoria do TCU, adotadas a partir da Portaria no 280/2010,


alterada pela Portaria 168/2011, em relação à classificação das auditorias, aquela que
"objetiva examinar a economicidade, eficiência, eficácia e efetividade de organizações,
programas e atividades governamentais, com a finalidade de avaliar o seu
desempenho e de promover o aperfeiçoamento da gestão pública" classifica-se como
auditoria
a) de sistema.
b) de conformidade.
c) interna.
d) contábil.
e) operacional.

4) A _____________ deixa de ser um simples processo de verificação de erros para ser


um processo que permite a avaliação de desempenho real do ente, comparando com o

www.consultefinancas.com.br Olinda/2017.1
AUDITORIA PROF. GERSON LEITE BEZERRA

que se havia esperado e fazendo sugestões de melhorias para que sejam alcançados
os objetivos de melhoria continua dos processos. Que tipo de auditoria complete o
espaço?
a) Auditoria Interna
b) Auditoria de sistemas
c) Auditoria de programas
d) Auditoria Contábil
e) Auditoria operacional

5) Tem por princípio manter as organizações preparadas para situações adversas, seja
na prevenção de fraudes, desvios, falhas e/ou erros internos, lítigios trabalhistas;
apuração de contencioso tributário, a fim de se evitar multas elevadas por
inconsistências nos procedimentos fiscais até mesmo para o caso de levantamento de
pontos vulneráveis quanto a procedimentos de controle financeiro, estoque, materiais
de consumo e custos. De que tipo de auditoria falamos?
a) Preventiva.
b) Contábil.
c) Processual.
d) Anual.
e) Punitiva.

6) Demonstrar a confiabilidade dos sistemas e processos dos entes administrativos,


financeiros, contábeis ou patrimoniais é um dos objetivos da auditoria:
a) Especial
b) De sistemas
c) De gestão
d) Contábil
e) Operacional

www.consultefinancas.com.br Olinda/2017.1