Você está na página 1de 26

Parte I:

Panorama Descritivo da Economia


Brasileira e Conceito Básicos

Capítulo 2:
Contabilidade Nacional e
Agregados Macroeconômicos

Parte I Capítulo 2 Gremaud, Vasconcellos e Toneto Jr. 2


Contabilidade Nacional
• Objetivo: apresentar os principais
agregados macroeconômicos, as formas de
medi-los e os diversos atores envolvidos no
funcionamento da economia (famílias,
empresas, governo e resto do mundo).
• Contabilidade Nacional: um instrumental
que permite mensurar a totalidade das
atividades econômicas.

Parte I Capítulo 2 Gremaud, Vasconcellos e Toneto Jr. 3


Definição de produto
• O produto é a soma daquilo que foi
produzido em um país durante determinado
período de tempo.

• Os fatores de produção são os recursos


utilizados na produção de bens e serviços.

Parte I Capítulo 2 Gremaud, Vasconcellos e Toneto Jr. 4


FATORES DE PRODUÇÃO
• Fatores de produção:
Terra, Trabalho e Capital
• Produção: combinar fatores de produção
• Função de Produção: relaciona a
quantidade de produto com a quantidade
utilizada de fatores de produção dada a
tecnologia
Parte I Capítulo 2 Gremaud, Vasconcellos e Toneto Jr. 5
Como medir o Produto?
• Moeda e Preço = são os denominadores
comuns, usados para fazer agregação dos bens
produzidos
Produto = somatório de todas as quantidades
vendidas multiplicadas pelos respectivos preços
Y =  pi x qi
Onde: y = produto; pi = preço da mercadoria i e
qi = quantidade da mercadoria i
Parte I Capítulo 2 Gremaud, Vasconcellos e Toneto Jr. 6
PROBLEMAS DE MEDIDA
• Para evitar o problema da dupla contagem
Só devem ser computados os bens para
utilização final
• PIBpm (produto interno bruto a preços de
mercado) é o valor monetário de venda dos
produtos finais produzidos dentro de um país em
determinado período de tempo.

Parte I Capítulo 2 Gremaud, Vasconcellos e Toneto Jr. 7


Produto, renda e dispêndio
• Duas formas de medir o produto:

1. através do dispêndio ou da demanda


(compras finais);
2. através da renda gerada no processo
produtivo.
– utiliza-se o conceito de valor
adicionado
Parte I Capítulo 2 Gremaud, Vasconcellos e Toneto Jr. 8
Renda
• Renda - remuneração dos fatores de produção
envolvidos no processo produtivo.
• Exemplo: salários, juros, aluguéis, lucros
(remuneração do capital produtivo, impostos (renda
do governo) etc.
• Igualdade entre produto e renda  o valor
adicionado em cada etapa produtiva corresponde à
remuneração dos fatores envolvidos naquela etapa.

Parte I Capítulo 2 Gremaud, Vasconcellos e Toneto Jr. 9


Produto, Demanda e Renda
• Assim, temos as seguintes identidades:
• PRODUTO (Valor agregado) = DEMANDA
FINAL (Dispêndio = Consumo +
Investimento + Exportações - Importações)
= RENDA (salários + lucros + juros +
aluguéis).

Parte I Capítulo 2 Gremaud, Vasconcellos e Toneto Jr. 10


INTERAÇÃO
• Interação Produto, Renda e Demanda

Produto Renda

Demanda

Parte I Capítulo 2 Gremaud, Vasconcellos e Toneto Jr. 11


FLUXO CIRCULAR DA
RENDA

Parte I Capítulo 2 Gremaud, Vasconcellos e Toneto Jr. 12


Identidades Macroeconômicas

Produto = Renda = Despesa

Investimento = Poupança

Parte I Capítulo 2 Gremaud, Vasconcellos e Toneto Jr. 13


Produto = Demanda
• Y=C+I+G+X–M
• Onde:
• Y = produto
• C = consumo das famílias
• I = Investimento
• G = consumo do governo
• X = exportações de bens e serviços não-fatores
• M = importações de bens e serviços não-fatores

Parte I Capítulo 2 Gremaud, Vasconcellos e Toneto Jr. 14


Poupança e Investimento
• Economia Fechada sem governo: I = S
• Economia fechada com governo: I = Sp +Sg
• I = Investimento total (público e Privado),
Sp = poupança privada e Sg = poupança
pública
• Economia aberta: I = Sp + Sg + Se
• Se = poupança externa
Parte I Capítulo 2 Gremaud, Vasconcellos e Toneto Jr. 15
Investimento e Depreciação
• Investimento - bens de produção, de
capital ou intermediários, que visam
aumentar a oferta de produtos no
período seguinte.
• Ex: máquinas, equipamentos, edifícios, etc.
• Depreciação - corresponde à parcela dos
bens de capital que é consumida a cada
período produtivo.

Parte I Capítulo 2 Gremaud, Vasconcellos e Toneto Jr. 16


Bruto e Líquido
• Devemos então diferenciar o Investimento
Bruto (IB) e o Investimento Líquido (IL):
IL = IB – depreciação.
PILpm = PIBpm – Depreciação

Parte I Capítulo 2 Gremaud, Vasconcellos e Toneto Jr. 17


Preço de Mercado e Custo de
Fatores
• Preço de Mercado – “o que se paga”:
embute impostos indiretos e subsídios
• Custo de Fatores – o que remunera os
fatores de produção (não considera
impostos indiretos e subsídios)
• PIBcf = PIBpm – impostos indiretos +
subsídios concedidos

Parte I Capítulo 2 Gremaud, Vasconcellos e Toneto Jr. 18


Interno e Nacional
• Parcela dos fatores de produção utilizados
no país é de propriedade de não residentes,
assim esta parcela da renda é remetida ao
exterior, mas parcela dos fatores de
produção de residentes é utilizada no resto
do mundo, o que gera uma renda recebida
do resto do mundo.

Parte I Capítulo 2 Gremaud, Vasconcellos e Toneto Jr. 19


Interno e Nacional
• Interno – valor do produto gerado dentro das
fronteiras do país
• Nacional – produto que fica com os residentes
• Renda Líquida Enviada ao Exterior: Diferença
entre a renda enviada ao exterior e a recebida do
exterior
• PNBcf = PIBcf – renda líquida enviada ao
exterior

Parte I Capítulo 2 Gremaud, Vasconcellos e Toneto Jr. 20


Medidas de Produto
• PIBpm = valor monetário de venda dos
produtos finais produzidos dentro de um país
em determinado período de tempo.
• PILpm = PIBpm – Depreciação.
• PILcf = PILpm – impostos indiretos +
subsídios.
• PNLcf = PILcf – renda líquida enviada ao
exterior.
• RN = PNLcf

Parte I Capítulo 2 Gremaud, Vasconcellos e Toneto Jr. 21


Medidas de Produto
RP =
RN – lucros retidos – impostos diretos sobre
empresas – outras receitas do governo +
transferências governamentais

RPD =
RP – impostos diretos sobre famílias.

Parte I Capítulo 2 Gremaud, Vasconcellos e Toneto Jr. 22


Medidas de Produto -
Transformações

Original Menos Resultante .


Bruto Depreciação Líquido
Interno R.L.E.E. Nacional
Preço Merc. (I. I + Subs.) Custo de Fatores

Parte I Capítulo 2 Gremaud, Vasconcellos e Toneto Jr. 23


PRODUTO REAL X PRODUTO
NOMINAL
Questão: produto pode variar tanto por
variações na quantidade produzida
como no preço Diferença:
• Produto real: medido a preços
constantes
• Produto nominal: medido a preços
correntes
Parte I Capítulo 2 Gremaud, Vasconcellos e Toneto Jr. 24
Real e Nominal
• “Índices de preços” - retira os efeitos da inflação
sobre a medida do produto. Correspondem a
médias ponderadas das mudanças de preços dos
diversos produtos.
• Deflator implícito do produto (DI) - razão entre
a soma de todos os preços no instante atual
multiplicados pelas quantidades no instante atual e
a soma de todos os preços no instante anterior
multiplicados pelas quantidades do instante atual.

Parte I Capítulo 2 Gremaud, Vasconcellos e Toneto Jr. 25


Produto Real – Brasil – Taxa de
Crescimento 1950/2006

Parte I Capítulo 2 Gremaud, Vasconcellos e Toneto Jr. 26

Você também pode gostar