Você está na página 1de 6

Ser médium é ser intermediário entre a vida espiritual e a material.

Cabe ao médium receber e transmitir mensagens ditadas pelo mestre, guia ou protetor.
Toda e qualquer pessoa é potencialmente um médium, sendo diversas as
modalidades, graus e faixas de evolução com que se apresenta a mediunidade de um
indivíduo.

Não é finalidade deste estudar uma a uma essas formas de mediunidade, mas de
mostrar que, em todas elas, há requisitos, direitos e deveres a serem cumpridos por
todas as pessoas, esteja ela com a mediunidade aberta ou não. Mediunidade "aberta"
se aplica naquelas pessoas em que o fenômeno da mediunidade, ou seja, a recepção
de mensagens espirituais já se manifestou de alguma forma.

A responsabilidade do médium é grande, não só porque dele dependem diversos


irmãos materiais, como também porque nele é depositada a confiança do Supremo
Criador.

O médium deve ser humilde, resignado, perseverante, caridoso e acima de tudo, justo
para com todos os que o rodeiam e o procuram. O médium deve ter fé, esperança,
compreensão e amor para distribuir a todos que, carentes de palavras de conforto,
ouvem as mensagens do Astral. Somente dotado destas virtudes pode o médium
receber transmissões de verdade, paz e harmonia para retransmití-las a seus irmãos.

O desenvolvimento da mediunidade se processa a medida que o indivíduo vai fixando


estes conceitos dentro de seu íntimo e, o que é mais importante, a medida que estes
conceitos vão sendo praticados realmente, do fundo do coração, é que ele vai subindo
na escala de desenvolvimento mediúnico. O tempo deste desenvolvimento está
diretamente relacionado com a aceitação da Verdade Divina e a aplicação desta
verdade no cotidiano do médium.

Existem certos entraves e barreiras na vida de um médium que, por vezes, em


segundos apenas, pode ele perder anos de aperfeiçoamento espiritual. Entre eles
podemos citar o ódio, o rancor, o ciúme, a inveja, o fanatismo e o materialismo abusivo.
São obras dos espíritos sem luz que estão à espreita dos menos avisados e tomam
posse do corpo astral do indivíduo, incutindo-lhes sensações e sentimentos mórbidos
que na certa irá destruí-lo se não forem combatidos a tempo. Neste caso o médium
torna-se um possesso das forças do mal, chegando até, o que muito freqüentemente
ocorre, a influir materialmente na vida do médium, fazendo com que este transmita
estes sentimentos impuros a todos os que o rodeiam. Torna-se então num antro de
forças negativas e cai no abismo escuro e profundo das trevas.

Portanto tem, o médium, sempre duas portas à sua frente e depende dele abrir a porta
certa. Não é como se diz "um tiro no escuro", todo médium ao encontrar-se numa
situação semelhante deve elevar seu pensamento à Deus e com forte e vigorosa prece
implorar aos seus mentores que iluminem sua mente e o impila a seguir por caminhos
retos.
O médium tem proteção espiritual, basta preservar esta proteção e sempre renová-la
através de pensamentos positivos de paz, amor, verdade e justiça. O médium, para
conseguir isto, não necessita ser um intelectual, nem um recluso da vida material.
Basta que tenha uma vida normal, regular, mas sempre voltado para as coisas
espirituais, que é a razão de sua existência, mas nunca com fanatismo, que é uma das
portas do abismo. Deve ser controlado, estável diante de situações tanto alegres como
tristes, felizes como desesperadoras, sem entretanto perder o sentimento de
humanidade. Deve sempre ter em mente que Deus a tudo vê e a tudo fiscaliza. Deve
semear a harmonia de partes conflitantes, não importando de que lado esteja. Deve
perdoar a todos sem exceção, não interessando por quem ou por que foi ofendido.
Deve ter paciência com os menos esclarecidos, afastando sentimentos de ódio, inveja,
ciúmes e rancor.

Não deve ter ilusões nem iludir a quem quer que seja. Deve sim, mostrar a realidade
dos fatos e aceitá-la como tal. Deve saber distinguir o certo do errado e saber dizer
esta verdade sem ferir a ninguém. Deve seguir os mandamentos ditados pelo Mestre
dos Mestres, não como uma obrigação, mas como uma coisa natural, real e verdadeira.
Para isso deve imprimir no seu íntimo a essência e as razões de tais mandamentos.
Deve principalmente: "AMAR A DEUS SOBRE TODAS AS COISAS E AO TEU
PRÓXIMO COMO A TI MESMO".

A mediunidade física é um dom inato, necessita de muito tempo e muita paciência para
alcançar seu pleno desenvolvimento.

A correria e o alvoroço dos dias de hoje exigem sucessos instantâneos que não podem
produzir grandes médiuns mentais ou físicos, principalmente que sejam capazes de
pesquisarem lentamente, de procurar a verdade com paciência e finalmente alcançar a
convicção de que a personalidade humana sobrevive após a morte corporal.
O estudo da raça humana dos tempos imemoriais é um objeto de lição para todos,
todavia não observamos essas lições que temos aprendido, não vemos o presente no
passado; e o que é o presente, senão o resultado dos acontecimentos passados, dos
erros anteriores, das tolices consumadas? O que nos falta realmente é simplicidade e
conhecimento da essência do espírito.

Quais são os sentimentos durante uma sessão? Ficamos completamente cientes do


que é divulgado? Entramos mesmo em transe durante uma sessão? Geralmente
ficamos muito lúcidos e podemos ouvir tudo o que é dito, tanto pelas pessoas que
estão na sessão como as vozes do espírito em nossa mente.

O médium não começou ainda a realizar o que pretende ser verdadeiramente, no


sentido real; ser preparado para se dar em amor e colocar-se a serviço de Deus;
realizando isso, o poder que emana do espírito pode mudar não só a si mesmo, mas
através dele, possivelmente o mundo todo.
Há muitas religiões diferentes, muitas até confusas, com conflitos de idéias e
pensamentos; no entanto só há uma única verdade: verdade da vida eterna, que todos
nós morrendo, vivemos. Os espíritos desejam ardentemente o bem estar da
humanidade. Muitas pessoas pensam que um médium é como uma máquina;
colocamos o dinheiro e automaticamente a máquina funciona. Não é assim. Seria
perigoso e fútil para qualquer médium dirigir sessões durante todo o tempo, ao capricho
desta ou daquela pessoa, no momento em que desejam

Os guias espirituais protegem os médiuns, para que não se desgastem, pois


pretendem conservar seu poder, com a finalidade de ser usado esses dons para fazer
comunicações e fazer caridade, de alto valor para o mundo todo e na necessidade.

A mediunidade deve ser usada eficazmente para ajudar tantas pessoas quanto for
possível, sem sobrecarregar as próprias forças e o sistema nervoso.

Devemos estar conscientes que, apesar de sermos médiuns, não devemos esperar por
uma vida fácil, nem imaginar que temos o direito a privilégios especiais. Assim foi dito:
"Não teremos tudo o quisermos, mas durante todo o tempo em que servimos com fé,
seremos providos com tudo o que precisamos."

Algumas vezes poderão ficar desapontados, deprimidos e sentir que não estão fazendo
progresso suficiente. Não se pode precisar o tempo que levará o desenvolvimento
espiritual de cada um. Com alguns ele demora anos, com outros aparece muito
depressa, se perseverarem. Mas, tenham fé, sejam sinceros de espíritos e usem seus
talentos para servirem à comunidade.

A ignorância e o egoísmo dos homens têm trazido grandes sofrimentos para a


humanidade e as pessoas perguntam: Por que Deus permite essas coisas?
Investiguem e procurem um elo através dos espíritos e lembrem-se da promessa de
Jesus quando se reunirem: "Vede, Eu estou sempre com vós". Sigam em frente,
fortalecidos, e saibam que também vocês estarão servindo. Sejam Seus servos, Suas
crianças e a Paz Eterna virá até vocês.

Cada ser humano possui uma substância conhecida como ectoplasma, que é a força
vital. O corpo físico de um médium possui esta substância em quantidade muito maior
do que a maioria das pessoas.

Durante uma sessão mediúnica, esse elemento ou força vital e que algumas pessoas
chamam de poder, é retirado do médium e moldado pelos espíritos numa réplica do
organismo físico vocal, que dizemos "caixa vocal". O espírito comunicante concentra
seus pensamentos nessa "caixa de voz", fazendo criar uma freqüência ou vibração,
devendo equiparar a freqüência vibratória conforme o aparelho possa receber. Utilizam
os médiuns, como veículo de evolução espiritual, tornando-se guias, orientadores e
amenizadores do ser humano.
Os espíritos que se comunicam com a matéria, vêm nos dar forças e poder, afim de
tornar possível o caminho para várias entidades evoluírem ou outras comunicações de
importância para a humanidade.
A personalidade humana sobrevive após a morte corporal, isso devemos admitir e
estamos convictos. Percebemos a ruptura dos valores morais, o fracasso da
autoridade, a estagnação das igrejas e o empobrecimento da vida familiar e de nossa
juventude rebelde que, à procura de algo, é guiada a uma falsa percepção química de
alguma outra coisa, que as drogas alucinógenas podem lhe dar momentaneamente ,
porém a um alto preço. Entre esses abandonados e iludidos jovens podem existir
grandes médiuns em potencial, cujos talentos nunca se desenvolverão, pois há poucos
espíritos que podem dar convicções mostrando-lhes o caminho da verdade.

A missão da mediunidade é tratar das almas, ajudando-as a se livrarem de suas velhas


e estagnadas idéias, medo, ódio e preconceitos, que impedem seus progressos
espirituais.

As pessoas precisam saber que um homem é o que ele pensa, e pelos seus
pensamentos e ações cria seu próprio céu ou inferno no outro lado da vida.

Como se processam as mensagens enviadas ao plano mental do médium pelo


Triângulo da Forma (Crianças, Cablocos e Pai Velho), considerando também os Exus,
serventia do Triângulo da Forma? A manifestação vai do Inconsciente Puro, passa pelo
Inconsciente Arcaico, indo para o Inconsciente Atual até atingir o Consciente, de onde a
mensagem pode ser exteriorizada.

Vejamos o modelo abaixo:


Atual

Matéria

Arcaico Puro

Consciente
Núcleos de Potenciação

Densificação
Fig 1 - Mente humana – psiquismo humano e sua influência na mediunidade
(animismo).

Inconsciente:

Atual – Arquivo de memórias vividas no presente desde o momento da fecundação (ser


pensante) até a morte (experiência vividas nesta vida ), bem próximo do Consciente.

Arcaico – Arquivo de todas as nossas vivências em encarnações anteriores.

Puro – A presença da Divindade em nós, a perfectibilidade.

Os núcleos de potenciação são os problemas mal resolvidos dentro do Inconsciente


Atual.

As coisas mais profundas manifestam-se em função de vidas passadas.

Muitas vezes as manifestações que vêm do Inconsciente Puro são distorcidas até
chegar ao Consciente.

As entidades do Triângulo da Forma e suas Serventias (Exus) atuam no campo Astral


Desdobrado e a mensagem pode se distorcer à medida que se densifica, entretanto à
medida que nos espiritualizamos diminuímos os núcleos de potenciação e melhoramos
a passagem da mensagem mediúnica.

Riscos da mediunidade:
1-Infiltrações do submundo astral;

2-Fascinação – Entusiasmo inicial, que leva à perda o sentido lógico e o bom-senso e o


médium aceita tudo da Entidade ou Mentor.

3-Obsessão individual – Vivência (sintonia), vícios e local que freqüentamos. Tudo isso,
sendo de forma negativa, acaba influenciando no padrão vibratório do médium.

4-Obsessão coletiva – Também conhecida como mistificação, é o conjunto da


fascinação mais a obsessão.

5-Animismo – Não há manifestações mediúnicas, tão somente exteriozação do


Insconsciente em função de heranças Atávicas.

Notas:

-Intelectualidade não significa que a evolução espiritual também o é.

-As Entidades que falam muito bonito não significa evolução espiritual das mesmas.

-Nesta área não é suficiente ter boa vontade, tem que se ter conhecimento.

-Se floresce é porque tem que ser trabalhado.

-Obsessor nem sempre demonstra os seus maus instintos; os piores são aqueles que
lançam mão de subterfúgios para fascinar ou obsediar.

-Obsessores vivos que atrapalham os desencarnados.

-Quem procura ajuda, recebe-a conforme seu merecimento.

-O macrocosmo e o microcosmo se fundem através da mediunidade.

-O desenvolvimento da mediunidade estabelece uma ponte entre o microcosmo e o


macrocosmo.

Você também pode gostar