Você está na página 1de 8

PORTUGAL NO CONTEXTO EUROPEU DOS SÉCULOS XVII E XVII

O Antigo Regime europeu: regra e exceção


Meta: Conhecer e compreender o Antigo Regime europeu a nível político e social

ANTIGO REGIME
Regime político, económico e social que vigorou na Europa dos séculos XVII e
XVII, caracterizado por uma economia baseada na agricultura e no comércio,
por uma sociedade fortemente estratificada dominada pelos grupos
privilegiados, e pelo poder absoluto do Rei.
Vigorou nos países da europa com exceção da Inglaterra e da Holanda.

POLÍTICA ECOMOMIA SOCIEDADE CULTURA

Barroco e
Absolutismo Sociedade de
Mercantilismo avanço da
Régio Ordens
ciência
ANTIGO REGIME (séculos XVII e XVIII)

Economia Barroco e
Absolutismo Sociedade de
agrícola e avanço da
Régio Ordens
comercial ciência

Características Características Características Barroco


•Sociedade de •A maior parte da Características
ordens (clero, população vivia da
• Poder de nobreza e povo ou movimento,
agricultura que assentava
origem/direito terceiro estado) dramatismo e
em bases tradicionais
divino •Sociedade •A prodição e a exuberância
• Poder pessoal estratificada e produtividade era fraca o
do monarca/rei hierarquizada, com que originava formes e
• Ostentação do duas ordens baixo crescimento
poder privilegiadas demográfico Ciência
• Subordinação de •Fraca mobilidade e • As terras pertenciam aos
profundas grupos privilegiados e os
todos os Características
desigualdades camponeses pagavam
súbditos •O terceiro estado Método
pesados impostos
• O rei detinha o (povo) abrangia experimental
• nas cidades existia um
poder executivo, grupos diversos: Dúvida
forte dinamismo
legislativo e burguesia, artesãos comercial devido ao metódica
judicial e camponeses grande comércio
Antigo Regime em Portugal
 A agricultura era a actividade dominante:

 A maior parte da população vivia da agricultura;


 A terra pertencia ao rei , à nobreza e ao clero;
 Os camponeses pagavam pesados impostos.

 Características da agricultura:
• As principais produções eram o milho, a vinha e a oliveira;
• Técnicas rudimentares;
• Instrumentos de ferro e de madeira;
• Mão de obra humana e animal;
• Fertilizantes de animais e vegetais;
• Fraca produtividade, colheitas reduzidas;
Antigo Regime em Portugal
 A riqueza dependia do comércio colonial

 Os mercadores detinham a exclusividade comercial;

 Produtos importantes: açúcar, tabaco e especiarias;


 Exportava-se ainda vinho e sal da metrópole;

 importava-se cereais e produtos manufaturados;

 O comércio colonial entra em crise a partir da 2.ª metade


do século XVII devido à concorrência internacional
(açúcar holandês produzido nas Antilhas), à queda dos preços
(sobretudo do açúcar) e à Guerra da Restauração;

 Cresce o défice da balança comercial.

 Como solução para a crise alguns propõem medidas


mercantilistas
Antigo Regime
 Mercantilismo: é uma corrente de pensamento económico que
foi aplicada durante os séculos XVII e XVIII e que se apoiava na
ideia de um estado forte.

 O país que serviu de modelo na concretização das políticas


mercantilistas foi a França, durante o reinado de Luís XIV,
postas em prática pelo ministro Colbert.

 Ideias defendidas pelos mercantilistas:

 A riqueza de um país está na quantidade de


dinheiro, de metais preciosos que possui;

 A melhor forma de obter essa


riqueza é garantir uma balança
comercial favorável.
Antigo regime

 Como obter uma balança comercial favorável?

 Através da intervenção do Estado na economia, protegendo


o comércio e a indústria nacional (protecionismo);

 Através da limitação das importações aplicando-lhes taxas


alfandegárias elevadas ou mesmo proibindo o consumo de
certos produtos;

 Através da promoção das manufaturas, concedendo-lhes


monopólios;

 Através da criação de companhias comerciais.


Antigo regime em Portugal
 Para enfrentar a crise económica da 2.ª metade do século
XVII, Portugal adotou políticas mercantilistas.

 O principal defensor das políticas mercantilistas foi o Conde da


Ericeira, ministro da fazenda do rei Pedro II:

Para evitar a importação de tecidos de lã ingleses fundou


manufactores na Covilhã, Fundão e Portalegre;

Promoveu a indústria da sede, incentivando ao plantio das


amoreiras;

Mandou vir do estrangeiros técnicos experientes e novos


equipamentos;

Impulsionou as manufaturas dos chapéus, cintos, fitas, etc.;

Publicou as pragmáticas contra o luxo, proibindo o usos de tecidos


de lã e de outros artigos de vestuários importados.
Antigo regime em Portugal
 As medidas mercantilistas encontraram forte oposição e
não deram o resultado esperado, sendo abandonadas.
Como explicar este falhanço?

 Os comerciantes de vinho ingleses em sinal de protesto contra as


medidas que levaram à diminuição das importações de tecido ingleses,
passaram a comprar menos vinho português.

 Sentindo-se prejudicada, a nobreza proprietária de terras começou a


protestar e com os seus protestos conseguiu que Portugal e a
Inglaterra assinassem o Tratado de Methuen (1703):

Portugal passou a aceitar a importação de tecidos ingleses, sem


restrições;
A Inglaterra baixou as taxas alfandegárias sobre os vinhos
portugueses.

 A descoberta de ouro e de diamantes no Brasil vai


dinamizar o comércio, estimulou a emigração para essa
colónia, permitiu ao rei realizar gastos elevados, mas
ajudou à falência das manufaturas portuguesas.

Você também pode gostar