Você está na página 1de 12

HISTÓRIA DO BRASIL III

Prof. Dr. Thiago Cancelier Dias

Proclamação da República e organização do novo poder político;


Oligarquias, coronelismo e disputas regionais;
Revoltas populares na cidade e no campo;
Apogeu da economia agroexportadora, crescimento industrial e capitalismo;
O Brasil e a Primeira Guerra;
Movimentos culturais e modernismo;
Movimento operário, anarquismo e comunismo;
Tenentismo e crise da dominação oligárquica;
A Revolução de 1930.

OBJETIVOS

Geral:
 Pretende-se que os estudantes aprendam história do Brasil e tenham a experiência
de prática em pesquisa histórica a partir do estudo do período que se convencionou
chamar de Primeira República.

Específico:
 Deseja-se que os estudantes tenham experiência de pesquisar, argumentar e
escrever história, e isso se fará com discussão teórica, documentos históricos e
discussão em grupo.
o Propõe-se leitura de produções historiográficas, momentos de debate e
acesso a documentos históricos, em especial jornais do período em
questão, para que os estudantes aprendam pesquisar.
 Será apresentada uma série de documentários para que os estudantes tenham
conhecimento de material audiovisual e acessem produções imagéticas de
qualidade.

CONTEÚDO

Unidade I – A construção política da Primeira República e as revoltas populares


1.1. Os últimos anos da monarquia e o processo de constituição da República
1.2. Oligarquias, coronelismo e a regionalização da política.
1.3. Revoltas populares na cidade
1.4. Revoltas populares no campo

Unidade II – Crescimento econômico, conflitos sociais e movimentos culturais


na Primeira República
2.1. Transformações socioeconômicas
2.2. História das paisagens: urbanização e rios urbanos.
2.3. Movimentos culturais e modernismo
2.3. O movimento operário e suas diferentes tendências ideológicas

Unidade III – Crise e derrocada da Primeira República


3.1. Tenentismo e crise da dominação oligárquica
3.2. A Revolução de 1930

METODOLOGIA

Os estudantes conduziram debates sobre os textos indicados, em conjunto com a


visualização de documentários sobre os assuntos elencados, leitura de documentos
históricos e exposições do professor da disciplina.

PROCESSOS E CRITÉRIOS DE AVALIAÇÃO

Processos de avaliação:

- Avaliação da condução do debate sobre texto (valendo três pontos da nota semestral)
- Avaliação escrita final (valendo três pontos da nota semestral)
 Avaliação escrita dissertativa composta por questões abertas, as quais serão
resolvidas pelo discente durante o horário de aula, individual e com consulta ao
material produzido a caneta, em especial o produzido em sala aula.
 Pretende-se que as perguntas das provas sejam construídas junto aos estudantes
em sala de aula.
- Avaliação resenha (valendo um ponto da nota semestral)
 Será solicitada uma resenha.
- Avaliação da pesquisa nos jornais (valendo dois pontos da nota semestral)
 Serão realizadas mesas de discussão no qual cada estudante terá tempo para expor
a sua pesquisa de documentos, em especial na hemeroteca nacional, a qual deverá
ser relacionada a bibliografias pertinentes sobre a temática escolhida. .
- Avaliação da participação em aula (valendo um ponto da nota semestral)
 Será levada em conta a participação do aluno, assim como a sua capacidade de
trabalhar em grupo, em sala de aula.
 Outro quesito será a frequência nas aulas.

Critérios de avaliação:

- Avaliação da condução do debate (valendo três pontos da nota semestral)


 Será avaliada a leitura que o estudante fez do texto, assim como a capacidade de
trabalhar em grupo e de conduzir o debate.
- Avaliação escrita (valendo três pontos da nota semestral):
 Será ponderada a clareza, a coerência e coesão do texto, sua articulação com o
conteúdo discutido em sala de aula, profundidade das problematizações realizadas
e a utilização de documentos históricos.
 Será aferida sua adequação às normas técnicas da ABNT (inclusivamente no que
se refere ao “plágio”) e ao uso da norma escrita padrão da língua portuguesa.
- Avaliação da pesquisa nos jornais (valendo dois pontos da nota semestral):
 Será avaliada a capacidade dos estudantes de interrogarem o passado, a partir de
documentação histórica, com hipóteses e argumentações firmadas em textos
historiográficos.
 Avaliar-se-á também a capacidade de expor a sua pesquisa.
- Avaliação resenha (valendo um ponto da nota semestral):
 Será avaliado o entendimento do estudante da estrutura que deve haver em uma
resenha, a qualidade da escrita e a capacidade de síntese e interpretação.
- Avaliação da participação em aula (valendo um ponto da nota semestral)
 Qualidade da participação dos estudantes na aula.

Plano de aulas
AULA 1 – Data: 13.03.2018

Tema 1: Apresentação, discussão do programa e reavaliação com diálogo com os


alunos

Tema 2: Proclamação/Proclamações da República

Documentário “A República Velha” - por Bóris Fausto


https://www.youtube.com/watch?v=LGRkoxRjRPM

AULA 2 – Data: 20.03.2018

Tema: Proclamação/Proclamações da República (continuação)

Entrevista José Murilo de Carvalho; “Os bastidores da "Proclamação da República" no


Brasil” .

Textos-base:

JANOTTI, Maria de Lourdes Monaco. O diálogo convergente: políticos e historiadores


no início da república. In: FREITAS, Marcos Cezar. Historiografia brasileira em
perspectiva. São Paulo: Contexto, 2007. pp . 119-139.
Debora
Aline
bento

COSTA, Emília Viotti. Sobre as origens da Republica (capítulo 10). In. Da monarquia
a republica: momentos decisivos. São Paulo: UNESP, 1999.

Jorge
Paula
Ana luiza

LESSA, Renato. A invenção republicana (comunicação). Belo Horizonte: Cadernos da


escola do Legislativo, v.5, nº10, p.9-38. 2000.

Marcos
Éricson

AULA 3 – Data: 27.03 EM REVISÃO

Tema: Oligarquias, coronelismo e a regionalização da política

RESENDE, Maria Efigênia Lage. O processo político na primeira república e o


liberalismo oligárquico. In: FERREIRA, Jorge e DELGADO, Lucilia de Almeida Neves
(orgs.). O Brasil republicano. O tempo do liberalismo excludente: da proclamação da
República à Revolução de 1930. Rio de Janeiro: Civilização Brasileira, 2003. pp . 89-
120.
AULA 4 – Data: 03.04

Tema: Revoltas populares na cidade

Textos-base:

CHALHOUB, Sidney. Cidade Febril: cortiços e epidemias na Corte imperial. São Paulo:
Cia da Letras, 1996.p.15-35; p.97-102; p.134-150.

CARVALHO, José Murilo de. Cidadãos ativos: a revolta da vacina. In. Os bestializados:
o Rio de Janeiro e a república que não foi. 3. ed. São Paulo: Companhia das Letras, 1987.
pp . 91-139.

Documentário –
História da saúde pública no Brasil
https://www.youtube.com/watch?v=L7NzqtspLpc&t=599s

AULA 5 – Data: 10.04


Tema: Revoltas populares no campo

Texto-base: HERMANN, Jacqueline. Religião e política no alvorecer da república: os


movimentos de Juazeiro, Canudos e Contestado. In: FERREIRA, Jorge e DELGADO,
Lucilia de Almeida Neves (orgs.). O Brasil republicano. O tempo do liberalismo
excludente: da proclamação da República à Revolução de 1930. Rio de Janeiro:
Civilização Brasileira, 2003. pp . 121-160.

Documentário: “Contestado uma guerra esquecida”.


https://www.youtube.com/watch?v=vzOCG6i4i44&t=367s

AULA 6 – Data: 17.04.2018

Documentário: Sobreviventes - filhos da guerra de Canudos.

https://www.youtube.com/watch?v=TGu_pccj9RQ

https://www.youtube.com/watch?v=K36TDwk98Bw

Aula inicial sobre pesquisa de documentos históricos e textos acadêmicos on-line.

AULA 7 - Data: 24.04.2018

Aula a distância – Tempo destinado para a resenha:

Tema: Apogeu da agroexportação e transformações na paisagem socioeconômica

Texto-base: ARIAS NETO, José Miguel. Primeira república: economia cafeeira,


urbanização e industrialização. In: FERREIRA, Jorge e DELGADO, Lucilia de Almeida
Neves (orgs.). O brasil republicano. O tempo do liberalismo excludente: da proclamação
da República à Revolução de 1930. Rio de Janeiro: Civilização Brasileira, 2003. pp . 191-
230.

AULA 8 – Data: 08.05.2018

Documentário: São Paulo, a cidade dos rios invisíveis.

https://www.youtube.com/watch?v=ifUkXKEGfyQ

Debate sobre história das paisagens

Texto-Base: SILVA, Francisco Carlos Teixeira da. História das paisagens. In:
CARDOSO, Flamarion C.; VAIFAS, Ronaldo (orgs). Domínios da história: ensaios de
teoria e metodologia (5ª edição). RJ: Campus, 1997.

Pesquisa em banco de dados on-line de documentos históricos. Em especial o estudo


será realizado no acervo on-line da Biblioteca Nacional, na sessão de hemeroteca, e
focará a Província de Goiás. Aos estudantes caberá pesquisar assuntos relacionadas as
aulas anteriores.

Os estudantes deverão pesquisar documentos históricos que versem sobre o processo de


urbanização, industrialização, rios e situação urbana no Brasil. Pesquisa na biblioteca
nacional (hemeroteca e documentos antigos), arquivo nacional, IHGB etc.

Aula sobre pesquisa de documentos históricos on-line e textos acadêmicos.

AULA 9 – Data: 15.05.2018

Apresentação dos documentos fichados e catalogados pelos estudantes sobre a


urbanização de Goiás.

Aula sobre pesquisa de documentos históricos on-line e textos acadêmicos.

AULA 10 – Data: 22.05.2018


Tema: Movimentos culturais e modernismo

Texto-base: VELLOSO, Monica Pimenta. O modernismo e a questão nacional. In:


FERREIRA, Jorge e DELGADO, Lucilia de Almeida Neves (orgs.). O Brasil
republicano. O tempo do liberalismo excludente: da proclamação da República à
Revolução de 1930. Rio de Janeiro: Civilização Brasileira, 2003. pp . 351-386.

Documentários:
Modernismo no Brasil
https://www.youtube.com/watch?v=bqXhYROHiAE&index=7&list=RDDqiDGH8m1i
Semana de Arte Moderna
https://www.youtube.com/watch?v=LdO_ebONK9I

Aula 11 – Data: 29.05.2018


Tema: O movimento operário e suas diferentes tendências ideológicas

Texto-base: BATALHA, Cláudio H. M. O movimento operário na Primeira


República. Rio De Janeiro: Jorge Zahar Ed., 2000.

História - A Greve Geral Anarquista de 1917 - Christina Lopreato


https://www.youtube.com/watch?v=6HeUogLIQlE

Anarquismo no Brasil: das origens a 1930 // LPPE UERJ


https://www.youtube.com/watch?v=skT8FKXfw2M

AULA 12 – Data: 05.06.2018

Tema: Tenentismo e crise da dominação oligárquica

Texto-base: LANNA JÚNIOR, Mário Cléber Martins. Tenentismo e crises políticas na


primeira república. In: FERREIRA, Jorge e DELGADO, Lucilia de Almeida Neves
(orgs.). O Brasil republicano. O tempo do liberalismo excludente: da proclamação da
República à Revolução de 1930. Rio de Janeiro: Civilização Brasileira, 2003. pp . 313-
350.

Documentário: O Velho - A História de Luiz Carlos Prestes


https://www.youtube.com/watch?v=1u02uqMK6Ek

AULA 13 – Data: 12.06

Tema: A Revolução de 1930

Texto-base: FERREIRA, Marieta de Moraes; PINTO, Surama Conde Sá. A crise dos
anos 1920 e a revolução de 1930. In: FERREIRA, Jorge e DELGADO, Lucilia de
Almeida Neves (orgs.). O Brasil republicano. O tempo do liberalismo excludente: da
proclamação da República à Revolução de 1930. Rio de Janeiro: Civilização Brasileira,
2003. pp . 387-416.

AULA 14 – Data: – 19.06.2018

Pesquisa de documentos históricos e textos acadêmicos on-line, construção das


perguntas da prova e retirar dúvidas.

AULA 15 – Data: 26.06

Data: Avaliação semestral

AULA 16 - Data: 03.06.2018 -

Prova Substitutiva

BIBLIOGRAFIA COMPLEMENTAR

Proclamação da República e organização do novo poder político;

 CASTRO, Celso. A proclamação da República. Rio de Janeiro: Jorge Zahar, 2000


 QUEIROZ, Sueli Robles Reis de. Os Radicais da República. Jacobinismo:
ideologia e ação 1893-1897. São Paulo, Brasiliense, 1986.
 CHALHOUB, Sidney. A Guerra Contra os Cortiços: Cidade do Rio de Janeiro,
1850-1906. Campinas, IFCH/UNICAMP, 1990 (Col. "Primeira Versão", nº 19)
 RIBEIRO, Gladys Sabina. Mata Galegos. Os Portugueses e os conflitos de
trabalho na República Velha. São Paulo, Brasiliense, 1990, (Col. "Tudo é
História", nº 129).
 FERREIRA, Jorge; DELGADO, Lucilia de Almeida Neves (orgs.). O Brasil
Republicano: O tempo do liberalismo excludente. Da Proclamação da República
à Revolução de 1930. Rio de Janeiro: Civilização Brasileira, 2003, v.1,
446p
 ___________________. Literatura como missão: tensões sociais e criação
cultural na primeira República. São Paulo: Brasiliense, 1989
 HOLANDA, Cristina B. de. Modos da representação política: o experimento da
Primeira República Brasileira. Rio de Janeiro/Belo Horizonte: Iuperj/UFMG,
2009.
 JANOTTI, Maria de L. M. Os subversivos da República, São Paulo: Brasiliense,
1986
 OLIVEIRA, Lúcia L. A questão nacional na primeira república, São Paulo:
Brasiliense, 1990
 QUEIROZ, Suely Robles R. Os radicais da república: Jacobinismo, ideologia e
ação(1893-1897)São Paulo: Brasiliense, 1986.
 SANTOS, Wanderley G. Dos. Roteiro Bibliográfico do Pensamento Político-
Social Brasileiro.(1870-1965). Belo Horizonte e Rio de Janeiro, UFMG e
FIOCRUZ, 2002.
Tema: Oligarquias, coronelismo e a regionalização da política

 Texto-base: RESENDE, Maria Efigênia Lage. O processo político na primeira


república e o liberalismo oligárquico. In: FERREIRA, Jorge e DELGADO,
Lucilia de Almeida Neves (orgs.). O brasil republicano. O tempo do liberalismo
excludente: da proclamação da República à Revolução de 1930. Rio de Janeiro:
Civilização Brasileira, 2003. pp . 89-120.
 LEAL, Vitor N. Coronelismo, enxada e voto. São Paulo: Alfa Omega, 1975.
 LEAL, Victor Nunes. Coronelismo, enxada e voto: o município e o regime
representativo no Brasil, 6ed, São Paulo: Alfa-Ômega, 1993.
 HANNER, June E. Pobreza e política: os pobres urbanos no Brasil (1870/1920),
Brasília: EDUNB, 1993.
 Martins, Luís. O patriarca e o bacharel. 2ed, São Paulo: Alameda, 200
 PINTO, Surama C. Sá. Só para iniciados: o jogo político na antiga capital federal.
Rio de Janeiro: Mauad, 2011.
 PRADO, Maria Emília. Memorial das desigualdades: os impasses da cidadania
no Brasil: 1870;1902. Rio de Janeiro, Revan, 2005.
 PRATTA, Marc A. Mestres, Santos e Pecadores: educação, religião e ideologia na
Primeira República Brasileira. São Carlos: Rima, 2002.
 QUEIROZ, Maria Isaura P. O mandonismo local na vida política brasileira. São
Paulo: I.E.B., 1969.

Tema: Revoltas populares na cidade

 CARVALHO, José Murilo de. Cidadãos ativos: a revolta da vacina. Os


bestializados: o Rio de Janeiro e a república que não foi. 3. ed. São Paulo:
Companhia das Letras, 1987. pp . 91-139.
 SEVCENKO, Nicolau. A Revolta da Vacina: Mentes insanas em corpos rebeldes.
São Paulo, Brasiliense, 1984, (Col. "Tudo é História", nº 89).
 CHALHOUB, Sidney. Cidade Febril. São Paulo: Cia. das Letras, 1996

Tema: Revoltas populares no campo

 QUEIRÓS, Maurício Vinhas de. Messianismo e conflito social. São Paulo: Ática,
1977
 DOBRORUKA, Vicente. História e milenarismo: ensaios sobre tempo, história e
o milênio. Brasília: UNB, 2004
 LEVINE, Robert M. O sertão prometido: o massacre de Canudos, São Paulo:
EDUSP, 1995.
 MACHADO, Paulo P. Lideranças do Contestado. Campinas: Unicamp, 2004.
 MARTINS, Paulo E. M. A reinvenção do sertão: a estratégia organizacional de
Canudos. Rio de Janeiro: FGV, 1999
 MONIZ, Edmundo. A guerra social de Canudos, Rio de Janeiro: Civilização
Brasileira, 1978
 NETO, Lira. Padre Cícero: poder, fé e guerra no sertão. São Paulo: Cia das Letras,
2009. NOGUEIRA, Ataliba. Antônio Conselheiro e Canudos, São Paulo: Cia
Editora Nacional, 1974.
Tema: Apogeu da economia agroexportadora, crescimento industrial e capitalismo;

 CANO, Wilson. Raízes da Concentração Industrial em São Paulo. Rio de


Janeiro/São Paulo, Difel, 1977.
 DEAN, Warren. A Industrialização de São Paulo 1880-1945. SP, Difel/Edusp,
 DEAN, Warren. "A Industrialização durante a República Velha" in: FAUSTO,
Boris. História Geral da Civilização Brasileira, Tomo III, O Brasil Republicano,
Vol. 1, Estrutura de Poder e Economia (1889- 1930). 2ª ed., São Paulo, Difel,
1977. 1971.
 DECCA, Maria Auxiliadora Guzzo. A Vida fora das Fábricas. Cotidiano operário
em São Paulo 1920-1934. Rio de Janeiro, Paz e Terra, 1987
 FOOT, Francisco e LEONARDI, Victor. História da Indústria e do Trabalho no
Brasil (das origens aos anos vinte). São Paulo, Global, 1982.
 HARDMAN, Franciso Foot. Nem Pátria, Nem Patrão!. Vida operária e cultura
anarquista no Brasil. SP, Brasiliense, 1983. Cap. 1.
 CHALHOUB, Sidney. Trabalho, lar e botequim: o cotidiano dos trabalhadores no
Rio de Janeiro da Belle Époque. 2. ed. Campinas: Unicamp, 2005.
 SILVA, Sérgio. Expansão Cafeeira e Origens da Indústria no Brasil. São Paulo,
Alfa-Ômega, 1976, Parte IV.
 RAGO, Margareth. Do cabaré ao lar: a utopia da cidade disciplinas (1890-1930),
Rio de Janeiro: Paz e terra, 1985.
 RAGO, Margareth. Os prazeres da noite: prostituição e códigos da sexualidade
feminina em São Paulo (1890-1930), Rio de Janeiro: Paz e Terra, 1991.
 SILVA, Sérgio. Expansão cafeeira e origem da indústria no Brasil. 7ed, São Paulo:
Alfa-Ômega, 1986.

Tema: Movimentos culturais e modernismo;

 BRITO, Mário da S. História do modernismo brasileiro – antecedentes da


semana de arte moderna. Rio de Janeiro: Civilização Brasileira, 1978
 SEVCENKO, Nicolau. Orfeu Extático na Metrópole: São Paulo, sociedade e
cultura nos frementes anos 20. São Paulo: Companhia das Letras, 1992
 MORAIS, Eduardo J. Modernismo revisitado. Estudos Históricos, Rio de
Janeiro, vol. 1, n. 2, 1988, p.220-238.
 OLIVEIRA, Cláudia de ET alii. O moderno em revistas: representações do Rio
de Janeiro de 1890 a1930.Rio de Janeiro: Garamond, 2010.
 SEVCENKO, Nicolau. Literatura como missão: tensões sociais e criação
cultural na primeira república. 4ed, São Paulo: Brasiliense, 1995.
 TRAVASSOS, Elizabeth. Modernismo e música brasileira, Rio de Janeiro: Zahar,
2000. VELLOSO, Mônica P. História e modernismo. Belo Horizonte: Autêntica,
2010

Tema: Movimento operário, anarquismo e comunismo;

 BATALHA, Claudio H.M. "A Identidade da Classe Operária no Brasil (1880-


1920): Atipicidade ou legitimidade?", Revista Brasileira de História, 12 (23/24),
set. 1991-ago. 1992.
 FOOT, Francisco e LEONARDI, Victor. História da Indústria e do Trabalho no
Brasil (das origens aos anos vinte). São Paulo, Global, 1982.
 FORJAZ, Maria Cecilia Spina. Tenentismo e forças armadas na revolução de
30. Rio de Janeiro: Forense Universitária, 1989.

Tema: Tenentismo e crise da dominação oligárquica;

 CARONE, Edgard. O tenentismo: acontecimentos, personagens, programas. Rio


de Janeiro: DIFEL, 1975. 518p.
 FORJAZ, Maria Cecília Spina. Tenentismo e política: tenentismo e camadas
médias urbanas na crise da primeira república. Rio de Janeiro: Paz e Terra, 1977
117p.
 BORGES, Vavy P. Tenentismo e revolução brasileira, São Paulo: Brasiliense,
1992.
 DRUMMOND, José Augusto. O movimento tenentista: a intervenção política
dos oficiais jovens (1922-1935),Rio de Janeiro: Graal, 1986.
 FORJAZ, Maria Cecília S. Tenentismo e forças armadas na revolução de 30,
Rio de Janeiro: Forense, 1988

Tema: A Revolução de 1930.

 DE DECCA, Edgar, O Silêncio dos Vencidos. São Paulo, Brasiliense, 1984.


 FAUSTO, Bóris. A Revolução de 1930: Historiografia e História. São Paulo:
Brasiliense, 1975
 FERREIRA, Jorge (org.). O populismo e sua história. Debate e crítica. Rio de
Janeiro: Civilização Brasileira, 2001, v. 1, 380p.
 GARCIA, Nelson J. O Estado Novo: ideologia e propaganda política. São Paulo:
Loyola, 1982.
GOMES, Ângela de C. A Invenção do Trabalhismo. Rio de Janeiro: Relume-
Dumará, 1994.
 LENHARO, Alcir. A Sacralização da Política. São Paulo: Papirus, 1986.
 FAUSTO, Boris. A revolução de 1930: historiografia e história. 16. ed. rev. e ampl.
2ª reimpressão São Paulo: Companhia das Letras, 2002. 159p.
 FERREIRA, Jorge Luiz. A cultura política dos trabalhadores no primeiro governo
Vargas. Estudos Históricos, Rio de Janeiro, vol. 3, n. 6, 1990, p.180-195.
 FERREIRA, Marieta de Moraes; PINTO, Surama Conde Sá. “A crise dos anos
1920 e a revolução de 1930”, in: FERREIRA, Jorge; DELGADO, Lucília de
Almeida Neves (orgs.). O Brasil Republicano. O tempo do liberalismo excludente:
da Proclamação da República à Revolução de 1930. Rio de Janeiro: Civilização
Brasileira, 2003.
 PANDOLFI, Dulce. Os anos 1930: as incertezas do regime. In: FERREIRA,
Jorge; DELGADO, Lucília de Almeida Neves. O Brasil republicano. Rio de
Janeiro: Civilização Brasileira, 2003. (vol. 2)

Mais bibliografia.

 CHALOUB, Sidney e PEREIRA, Leonardo A. (orgs.) A História contada:


capítulos de História Social da Literatura no Brasil, 3ed, Rio de Janeiro: Nova
Fronteira, 1998.
 DE LORENZO, Helena de C. e COSTA, Wilma P.(orgs) A década de vinte e as
origens do Brasil Moderno, São Paulo: UNESP, 1997.
 KUSHNIR, Beatriz. Baile de máscaras: mulheres judias e prostituição as polacas
e suas associações de ajuda mútua. Rio de Janeiro: Imago, 1986.
 LAPA, José R. do Amaral (org.) História política da república, São Paulo: Papirus,
1990.
 PAMPLONA, Marco A. Revoltas, repúblicas e cidadania: Nova York e Rio de
Janeiro na consolidação da ordem republicana. Rio de Janeiro: Record, 2003.
 PESAVENTO, Sandra J. Os pobres da cidade, 2ed, Porto Alegre: Ed. UFRGS,
1998.
 SEVCENKO, Nicolau. Orfeu extático na metrópole: São Paulo, sociedade e
cultura nos frementes anos 20. 2ed, São Paulo: Cia das Letras, 1992.
 SKIDMORE, Thomas E. O Brasil visto de fora. Rio de Janeiro: Paz e terra, 1994.

 SKIDMORE, Thomas E. Preto no branco: raça e nacionalidade no pensamento


brasileiro, 2ed, Rio de Janeiro: Paz e Terra, 1989.
 TOPIK, Steven. A presença do estado na economia política do Brasil de 1889 a
1930. Rio de Janeiro: Record, 1989.

Você também pode gostar