Você está na página 1de 6

15/03/2012

Capítulo 2 – Cálculo Financeiro e Aplicações Capítulo 2 – Cálculo Financeiro e Aplicações


Introdução 2.1 Juros Simples

Juro: recompensa pelo sacrifício de poupar no presente,


Maioria das taxas de juros aplicadas no mercado financeiro
postergando o consumo para o futuro
são referenciadas pelo critério simples

Determina o custo de um crédito ou retorno de uma


Juros incidem unicamente sobre o capital inicialmente
aplicação de capital
aplicado ou alocado

Critérios de capitalização:
Encontra ampla aplicação prática em operações financeiras
simples (linear) de curto prazo
compostos (exponencial)

Finanças Corporativas e Valor – ASSAF Finanças Corporativas e Valor – ASSAF

Capítulo 2 – Cálculo Financeiro e Aplicações Capítulo 2 – Cálculo Financeiro e Aplicações


2.1 Juros Simples 2.1 Juros Simples

Fórmula do Montante e Capital


Fórmula do Montante (M): desconhecendo-se o Juros:
M=C+J
M = C + [C x i x n]

Fórmula dos Juros (J):


J=Cxixn
Onde: Colocando-se C em evidência: Onde:
C = Capital inicial (principal) C = Capital inicial (principal)
i = taxa (linear) de juros M = C + [1+ i x n] i = taxa (linear) de juros
J = valor (em $) dos juros ou J = valor (em $) dos juros
n = número de períodos C = M / (1 + i x n) n = número de períodos

M = montante acumulado M = montante acumulado

Finanças Corporativas e Valor – ASSAF Finanças Corporativas e Valor – ASSAF

Capítulo 2 – Cálculo Financeiro e Aplicações Capítulo 2 – Cálculo Financeiro e Aplicações


2.1.1 Taxa nominal e taxa proporcional 2.1.1 Taxa nominal e taxa proporcional

Exemplo
Taxa nominal: Taxa de juros declarada Determinar o montante (M) e os juros (J) de uma aplicação de
$ 150.000,00 efetuada pelo prazo de oito meses à taxa de
Prazo superior ao da incidência
juros simples de 26,4% a.a.
Não corresponde a taxa efetiva
Montante
Solução: M = C [1 + i x n]
M = $ 150.000,00 [1+ 0,022 x 8]
Taxa proporcional: Típica do sistema de capitalização linear
Dados M = $ 176.400,00
Prazo igual ao da incidência
C = $ 150.000,00 Juros
Ex: 3% a.m. é proporcional a 36% a.a.
n = 8 meses J=M–C
i = 26,4% / 12 meses J = $ 176.400,00 - $ 150.000,00
= 2,2% a.m. J = $ 26.400,00
Finanças Corporativas e Valor – ASSAF Finanças Corporativas e Valor – ASSAF

1
15/03/2012

Capítulo 2 – Cálculo Financeiro e Aplicações Capítulo 2 – Cálculo Financeiro e Aplicações


2.2 Juros Compostos: Capital 2.2 Juros Compostos: Capital

Encontra ampla aplicação prática em operações financeiras Fórmula do valor presente (PV):

de médio e longo prazos FV


PV 
1  i n
Os juros incidem sobre o saldo acumulado (montante)
Fórmula do valor futuro (FV): Onde:
PV = valor presente (principal)
FV  PV  1  i 
n
FV = valor futuro (montante)
O juro gerado em determinada operação é adicionado ao
i = taxa (exponencial) de juros
principal e serve de base para cálculo de juros posteriores n = número de períodos

Finanças Corporativas e Valor – ASSAF Finanças Corporativas e Valor – ASSAF

Capítulo 2 – Cálculo Financeiro e Aplicações Capítulo 2 – Cálculo Financeiro e Aplicações


2.2 Juros Compostos: Capital 2.2 Juros Compostos: Capital

Exemplo Exemplo

Se uma pessoa desejar obter $ 200.000,00 dentro de um ano, Determinar a taxa mensal de juros de uma aplicação de $
quanto deverá aplicar hoje num futuro que rende 7% a.t.? Em 120.000,00 que gera um montante de $ 130.439,50 ao final
outras palavras, qual é o valor presente dessa aplicação? de um semestre

Cálculo da taxa:
Valor presente:
Solução: Solução: 130.439,50  120.000,00  1  i 
6

FV
PV 
1  i n 1  i 6

130.439,50
120.000,00
Dados Dados
1  i 6  1,086996
FV = $ 200.000,00 $ 200.000,00 PV = $ 120.000,00
PV  6
1  i  6 1,086996
n = 4 trimestres (1,07) 4 FV = $ 130.439,50 1  i  6 1,086996
i = 7% a.t. n = 6 meses 1  i  1,014
PV  $ 152.579,00 i  0,014 ou 1,4% a.m.
Finanças Corporativas e Valor – ASSAF Finanças Corporativas e Valor – ASSAF

Capítulo 2 – Cálculo Financeiro e Aplicações Capítulo 2 – Cálculo Financeiro e Aplicações


2.2.1 Taxa equivalente e taxa efetiva 2.2.1 Taxa equivalente e taxa efetiva

Exemplo
Taxas equivalentes são as que geram montantes idênticos
Quais as taxas de juro mensal e trimestral equivalentes de 21% a.a.
quando capitalizadas sobre um mesmo capital
Solução:

20% a.s. e 44% a.a. são equivalentes pois produzem o


a) Taxa de juros equivalente b) Taxa de juros equivalente
mesmo montante em prazo idêntico
mensal trimestral

Expressão: i  21% a.a. i  21% a.a.


Onde: q  12 meses q  4 trimestres
i q = taxa de juros equivalente relativa a uma
iq  1  i  1
q
parte de determinado intervalo de tempo
i12  12 1,21  1 i 4  4 1,21  1
q = número de partes do intervalo de tempo i12  0,016 ou 1,6% a.m. i 4  0,0488 ou 4,88% a.t.
considerado

Finanças Corporativas e Valor – ASSAF Finanças Corporativas e Valor – ASSAF

2
15/03/2012

Capítulo 2 – Cálculo Financeiro e Aplicações Capítulo 2 – Cálculo Financeiro e Aplicações


2.2.1 Taxa equivalente e taxa efetiva 2.2.1 Taxa equivalente e taxa efetiva

Exemplo
Financiamento de $ 200.000,00, contratado à taxa nominal Identidade de cálculo da taxa efetiva de qualquer operação,
de 20% a.a. com capitalização semestral (proporcional) quando o prazo de capitalização não coincidir com o prazo
definido pela taxa contratada e os juros forem distribuídos de
FV  PV  1  i 
n

forma proporcional nos períodos de capitalização

i  20% a.a. i  10% a.s.


FV  200.000,00  1,20  FV  200.000,00  1,10  Onde:
2
2
 i z = número de
FV  $ 240.000,00 FV  $ 242.000,00 i e  1    1
 z períodos de
capitalização da taxa
contratada em
Diferença ocorrida pelo prazo de capitalização determinado período
ser diferente do prazo da taxa de juros de tempo

Finanças Corporativas e Valor – ASSAF Finanças Corporativas e Valor – ASSAF

Capítulo 2 – Cálculo Financeiro e Aplicações Capítulo 2 – Cálculo Financeiro e Aplicações


2.2.1 Taxa equivalente e taxa efetiva 2.2.1 Taxa equivalente e taxa efetiva

Exemplo b) Capitalização pelo uso da taxa trimestral equivalente


Determinar o montante de uma aplicação de $ 60.000,00 composta
efetuada pelo prazo de um ano à taxa de juros de 17,5% a.a.
capitalizados trimestralmente
Taxa efetiva:
a) Capitalização de forma proporcional à taxa nominal FV  PV  1  i 
n

i e  1,175  1
4
FV  60.000,00  1,04114
4

Taxa efetiva: i e  0,4114 a.t.


FV  PV  1  i 
n
FV  $ 70.500,00
4
 0,175 
4  0,175 
FV  60.000,00  1   i e  1   1
 4   4 
FV  $ 71.209,38 i e  0,1868 ou 18,68% a.a.

Finanças Corporativas e Valor – ASSAF Finanças Corporativas e Valor – ASSAF

Capítulo 2 – Cálculo Financeiro e Aplicações Capítulo 2 – Cálculo Financeiro e Aplicações


2.3 Juros Compostos: Série de Pagamentos ou Recebimentos 2.3.1 Séries de pagamentos ou recebimentos não uniformes

Operações que envolvem séries de pagamentos ou


recebimentos: Quando as periodicidades não forem uniformes, o valor
presente (PV) é obtido da seguinte forma:

Determinação do custo de vários tipos de empréstimos e


financiamentos (BNDES, por exemplo) n CFj
PV   1  i 
j1
j

Taxa de retorno de projetos de investimento

Onde:
CFj = valor (fluxo de caixa) a ser recebido ou pago no período j
Avaliação de ações

Finanças Corporativas e Valor – ASSAF Finanças Corporativas e Valor – ASSAF

3
15/03/2012

Capítulo 2 – Cálculo Financeiro e Aplicações Capítulo 2 – Cálculo Financeiro e Aplicações


2.3.1 Séries de pagamentos ou recebimentos não uniformes 2.3.1 Séries de pagamentos ou recebimentos não uniformes

Exemplo
A identidade do valor (montante) para uma série de
O valor presente de uma dívida que deve ser paga em três
pagamentos ou recebimentos não uniformes pode ser
parcelas mensais consecutivas de $ 100.000,00, $ 150.000,00 e
expressa da seguinte maneira:
$ 20.000,00, respectivamente, à taxa de 1,2% a.m., é:

n
PV   CF  1  i 
j
100.000,00 150.000,00 200.000,00
PV    j
1,012  1,012 2 1,012 3 j1

PV  98.814,23  146.463,78  192 .969,40 Onde:


CFj = valor (fluxo de caixa) a ser recebido ou pago no período j
PV  $ 438.247,41

Finanças Corporativas e Valor – ASSAF Finanças Corporativas e Valor – ASSAF

Capítulo 2 – Cálculo Financeiro e Aplicações Capítulo 2 – Cálculo Financeiro e Aplicações


2.3.1 Séries de pagamentos ou recebimentos não uniformes 2.3.2 Séries de pagamentos ou recebimentos uniformes

Exemplo
Quando as séries de pagamentos ou recebimentos de mesmo
O valor futuro ao final do mês 4 dos pagamentos mensais da valor e periodicidade, o valor presente (PV) poderá ser obtido
dívida apresentada atinge: da seguinte forma:

1 - 1  i 
n

PV  100.000,00  1,012   150.000,00  1,012  200.000,001,012 PV  PMT 


3 2

PV  103 .643,37  153 .621,60  202 .400 ,00


Onde:
PV  $ 459.664,97 PMT = valor de cada pagamento ou recebimento uniforme periódico
1 - 1  i  = Fator de valor presente (FVP)
n

Finanças Corporativas e Valor – ASSAF Finanças Corporativas e Valor – ASSAF

Capítulo 2 – Cálculo Financeiro e Aplicações Capítulo 2 – Cálculo Financeiro e Aplicações


2.3.2 Séries de pagamentos ou recebimentos uniformes 2.3.2 Séries de pagamentos ou recebimentos uniformes

Exemplo
O valor futuro (FV) de uma série uniforme de fluxos de
O valor presente de um bem que é pago em 10 prestações caixa é obtido por:
mensais e iguais de $ 5.000,00, à taxa de juros de 2,0% a.m., é:

1  1,02 1  i n  1
10
PV  5.000,00  FV  PMT 
0,02 i
PV  5.000,00  8,982585
Onde:
PV  $ 44.912,93 PMT = valor de cada pagamento ou recebimento uniforme periódico
Representa o preço à vista do bem, isto é, o 1  i n  1 = Fator de valor futuro (FVF)
valor máximo de pagamento à vista supondo i
uma taxa de desconto de 2% a.m.
Finanças Corporativas e Valor – ASSAF Finanças Corporativas e Valor – ASSAF

4
15/03/2012

Capítulo 2 – Cálculo Financeiro e Aplicações Capítulo 2 – Cálculo Financeiro e Aplicações


2.3.2 Séries de pagamentos ou recebimentos uniformes 2.3.3 Coeficientes ou fatores de financiamento

Exemplo
Coeficiente de financiamento (CF) é a expressão que,
Suponha que uma pessoa tenha aplicado, ao final de cada mês, a quando multiplicado pelo valor do crédito, produz as
quantia de $ 4.000,00 mensalmente, durante 12 meses, numa prestações periódicas
conta de poupança que rende 1,5% a.m. Ao final do período,
esse aplicador acumula a quantia de:
i
CF 
FV  4.000,00 
1,01512  1 1  1  i 
n

0,015

PV  4.000 ,00  13,041211 Onde


i = inverso do fator de valor presente
1  1  i 
n

PV  $ 52.164,85

Finanças Corporativas e Valor – ASSAF Finanças Corporativas e Valor – ASSAF

Capítulo 2 – Cálculo Financeiro e Aplicações Capítulo 2 – Cálculo Financeiro e Aplicações


2.3.3 Coeficientes ou fatores de financiamento 2.3.4 Anuidades perpétuas

Exemplo
O cálculo do valor presente para fluxos de pagamento ou
O coeficiente de financiamento a ser pago em seis prestações recebimentos com durações indeterminadas se dá
mensais iguais, à taxa de 1,4% a.m., é de 0,174928, isto é: seguinte forma:

0,014
CF  PV 
PMT
1  1,014 
6
i

0,014
CF  Onde
0,080033
PV = valor presente
PMT = valor de cada pagamento ou recebimento uniforme periódico
CF  0,174928 i = taxa de desconto

Finanças Corporativas e Valor – ASSAF Finanças Corporativas e Valor – ASSAF

Capítulo 2 – Cálculo Financeiro e Aplicações Capítulo 2 – Cálculo Financeiro e Aplicações


2.3.4 Anuidades perpétuas 2.4 Conceitos Básicos de Taxa Interna de Retorno (IRR)

Exemplo Taxa interna de retorno é a taxa que iguala, em


determinado momento, a entrada de caixa com as saídas
Suponha uma renda mensal perpétua de $ 1.000,00. O valor
presente, à taxa de desconto de 1% a.m., é periódicas de caixa:

*
1.000,00
PV  100.000,00 150.000,00 200.000,00
0,01 438.247,41   
1,012 1,012 2 1,012 3

PV  $ 100.000,00
No exemplo acima, os pagamentos mensais de $ 100.000,00,
$ 150.000,00 e $ 200.000,00 igualam-se a uma dívida de
$ 438.247,41quando descontados à taxa de 1,2% a.m.
* Esse raciocínio é muito utilizado em avaliação de ações

Finanças Corporativas e Valor – ASSAF Finanças Corporativas e Valor – ASSAF

5
15/03/2012

Capítulo 2 – Cálculo Financeiro e Aplicações Capítulo 2 – Cálculo Financeiro e Aplicações


2.4 Conceitos Básicos de Taxa Interna de Retorno (IRR) 2.4 Conceitos Básicos de Taxa Interna de Retorno (IRR)

Exemplo
Solução na HP-12C:

Uma instituição financeira concede um empréstimo de


$ 120.000,00, a ser resgatado por três pagamentos mensais de
$ 42.000,00. A IRR da operação é: Teclas Visor Significado
f FIN f REG 0,00 Limpa registradores

42.000,00 42.000,00 42.000,00 120.000,00 PV 120.000,00 Empréstimo concedido à empresa


120.000,00   
1  i  1  i 2 1  i 3 42.000,00 CHS PMT -42.000,00 Pagamentos mensais do resgate
3 n 3,00 Quantidade de pagamentos
i 2,48 Custo mensal da operação (IRR)
Resolvendo a identidade, chega-se a:
IRR (i) = 2,48% a.m.

Finanças Corporativas e Valor – ASSAF Finanças Corporativas e Valor – ASSAF

Capítulo 2 – Cálculo Financeiro e Aplicações Capítulo 2 – Cálculo Financeiro e Aplicações


2.4.1 Taxa média de retorno (ou de custo) - IRR BIBLIOGRAFIA

Parte I – Fundamentos de Administração Financeira


É a taxa de desconto que iguala, em determinada data,
todas as entradas e saídas de caixa oriundas das várias ASSAF NETO, Alexandre. Matemática financeira e suas aplicações. 7. Ed. São
Paulo: Atlas, 2002.
operações
ASSAF NETO. Mercado financeiro. 4. Ed. São Paulo: Atlas, 2002.

BODIE, Zvi; MERTON, Robert C. Finanças. Porto Alegre: Bookman, 1999.

É utilizada tanto em operações de captação como de CHEW, Donald H. The new corporate finance. 2. Ed. New York: McGraw-Hill,
2000.
aplicação de recursos
CNBV – COMISSÃO NACIONAL DE BOLSA DE VALORES. Mercado de capitais. Rio de
Janeiro: Campus: CNBV, 2001.

PORTERFIELD, James T. S. Decisões de investimento e custo de capital. São Paulo:


Exprime a rentabilidade média equivalente obtida pela Atlas, 1976. (Série Fundamentos de Finanças.)

empresa, em determinado período, na locação de recursos SOLOMON, Ezra. Teoria da administração financeira. 3. Ed. São Paulo: Zahar,
1977.

Finanças Corporativas e Valor – ASSAF Finanças Corporativas e Valor – ASSAF