Você está na página 1de 23

fls.

13

PODER JUDICIÁRIO
TRIBUNAL DE JUSTIÇA
Quinta Câmara Criminal de São Paulo

Registro: 2014.0000840443

ACÓRDÃO

Vistos, relatados e discutidos estes autos do Mandado de


Segurança nº 0196225-42.2013.8.26.0000, da Comarca de São Paulo, em
que é impetrante SINDICATO UNIÃO DOS SERVIDORES DO PODER
JUDICIÁRIO DO ESTADO DE S. P., é impetrado PRESIDENTE DO

Se impresso, para conferência acesse o site https://esaj.tjsp.jus.br/esaj, informe o processo 0196225-42.2013.8.26.0000 e o código RI000000NY526.
TRIBUNAL DE JUSTIÇA DO ESTADO DE SÃO PAULO.

ACORDAM, em Órgão Especial do Tribunal de Justiça de São


Paulo, proferir a seguinte decisão: "DENEGARAM A SEGURANÇA. V.U.
IMPEDIDO O EXMO. SR. DES. JOSÉ RENATO NALINI. JULGAMENTO
PRESIDIDO PELO EXMO. SR. DES. EROS PICELI. SUSTENTARAM
ORALMENTE OS ADVS. DRS. DOUGLAS LOMBARDI E MARCOS
EDUARDO MIRANDA.", de conformidade com o voto do Relator, que
integra este acórdão.

O julgamento teve a participação dos Exmos.


Desembargadores EROS PICELI (Presidente), ELLIOT AKEL, GUERRIERI
REZENDE, XAVIER DE AQUINO, ANTONIO CARLOS MALHEIROS,
FERREIRA RODRIGUES, PÉRICLES PIZA, EVARISTO DOS SANTOS,
MÁRCIO BARTOLI, JOÃO CARLOS SALETTI, ROBERTO MORTARI, LUIZ
AMBRA, FRANCISCO CASCONI, PAULO DIMAS MASCARETTI,

Este documento foi assinado digitalmente por JOSE DAMIAO PINHEIRO MACHADO COGAN.
ARANTES THEODORO, TRISTÃO RIBEIRO, ANTONIO CARLOS VILLEN,
ADEMIR BENEDITO, LUIZ ANTONIO DE GODOY, NEVES AMORIM,
BORELLI THOMAZ E JOÃO NEGRINI FILHO.

São Paulo, 17 de dezembro de 2014.

JOSÉ DAMIÃO PINHEIRO MACHADO COGAN


RELATOR
Assinatura Eletrônica
fls. 14

PODER JUDICIÁRIO
TRIBUNAL DE JUSTIÇA
Quinta Câmara Criminal de São Paulo

MANDADO DE SEGURANÇA nº 0196225-42.2013.8.26.0000


IMPETRANTE: SINDICATO UNIÃO DOS SERVIDORES DO PODER
JUDICIÁRIO DO ESTADO DE S. P.
IMPETRADO: PRESIDENTE DO TRIBUNAL DE JUSTIÇA DO ESTADO DE
SÃO PAULO
INTERESSADOS: ANNA CAROLINE TRUZZI, ASSOCIAÇÃO PAULISTA
DOS TÉCNICOS JUDICIÁRIOS, CELINA DA CONCEIÇÃO JATAHI SILVA,
ASSOCIAÇÃO DOS ASSISTENTES SOCIAIS E PSICÓLOGOS DO
TRIBUNAL DE JUSTIÇA DO ESTADO DE SÃO PAULO - AASPTJ-SP,

Se impresso, para conferência acesse o site https://esaj.tjsp.jus.br/esaj, informe o processo 0196225-42.2013.8.26.0000 e o código RI000000NY526.
MARCIO MAMPRIM MOLINA, MARIA EDURDA ROCHA DE OLIVEIRA,
ELISETE RODRIGUES, MERCIA ALEXANDRE DE OLIVEIRA, LEONICE
DA SILVA CASTRO, ANA PAULA AUGUSTO, JUSCIMEIRA NUNES
MACHADO, GILBERTO DE OLIVEIRA JUNIOR, MÁRCIO JOAQUIM,
DENISE ELISAMA DA SILVA, LÚCIA GANÉO, ANNA CAROLINA TRUZZI,
ASSOCIAÇÃO DOS SERVENTUÁRIOS DE JUSTIÇA DOS CARTÓRIOS
OFICIALIZADOS DO ESTADO DE SÃO PAULO, ANA LUCIA PEREIRA
FONSECA, ADRIANA FERNANDES MONTEIRO DE PAULA, NILTON LUIZ
MONTEMOR, CLODOMIL ANTONIO ORSI, CLARICE FERREIRA
RODRIGUES, VANESSA GONÇALVES PFAFF DE FIGUEIREDO BEDA,
LUZINETE DA SILVA SANTOS, GRAZIELA MATIAS NUNES, MARIA
LOIDE DA TRINDADE UMEDA, CLAUDIO YUKIO SEKI, LUIZ JUN
UTIYAMA, ALEXANDRE SARAN GODOY, SANDRA REGINA COSTA
CASTILHO, ELISABETE ALVES DE OLIVEIRA, CASSEMIRA SILVA DOS
SANTOS, ARIANE DAVENIA GOMES, ANADETE CORREIA DE
SANTANA, SONIA RODRIGUES DOS SANTOS, LUIS EDUARDO DE

Este documento foi assinado digitalmente por JOSE DAMIAO PINHEIRO MACHADO COGAN.
MORAES, ALBERTO CHAVEZ, BENEDITA APARECIDA LUIZ, ANTONIO
JULIO BORGES, SERGIO DAILI GONÇALVES, MARILEIDE VENTURA
DOS SANTOS KANO, FERNANDA CONTESSOTO, PEDRO LEVINO DE
SOUZA COSTA, ELENI MACHADO DE SIQUEIRA, ANA MARIA DA
PAIXÃO CARDOSO, ANA MARIA DE OLIVEIRA MARCAN, EDNIR
RAIMUNDO, MOACIR GOMES VIANA, VERA LUCIA FERREIRA
BALDRIGHER, DALVA FRANCISCO, ROSELI DOS SANTOS ANDRADE
SILVA, ELIEL LAURENTINO DE MELO, ASSOCIAÇÃO DOS
SERVIDORES DA JUSTIÇA DE SÃO JOSÉ DOS CAMPOS, LUIZ
GONZAGA BIANCARDI, TANIA DA SILVA SAKATA, ALEXANDRE
MORON DE ALMEIDA, ADRIANA REGINA PEREZ BRITO, MICHEL IORIO
GONÇALVES, ALESSANDRA LUCARELLI TUCUNDUVA VARRASCHIM,
ASSOCIAÇÃO DE BASE DOS SERVIDORES E FUNCIONÁRIOS DO
PODER JUDICIÁRIO DO ESTADO DE SÃO PAULO - ASSOJUBS, SELMA
MARIA RODRIGUES MORELLI, TIAGO HELDO PITOMBEIRA JUNIOR,
LUCIANO DOS SANTOS ALMEIDA, MARIA APARECIDA DO
NASCIMENTO, ADRIANA RODRIGUES DE SOUZA, MARIA DO CARMO
ROCHA, HELIO DOS SANTOS, CLAUDIO GOMES FERREIRA,
REINALDO PEREIRA DOS SANTOS, NEUSA MARIA DE OLIVEIRA
PEREIRA, NILTON CARLOS VIRTUOSO FILHO, ANTONIA MARIA
MARTINS DE OLIVERIA, LEONARDO BUOSI, MARIA RACHEL NANCI,
SILVANA APARECIDA DE MATOS, ELIZETE APARECIDA ALVES DE

MANDADO DE SEGURANÇA Nº 0196225-42.2013.8.26.0000 SÃO PAULO 2/23


fls. 15

PODER JUDICIÁRIO
TRIBUNAL DE JUSTIÇA
Quinta Câmara Criminal de São Paulo

ALMEIDA, LUIZ CARLOS DE ALMEIDA, MARIA FABIOLA LOPES


SANCHES, RODRIGO LUIZ GARCIA PERNA, SILVANA MARQUES,
EDNA AUGUSTA DA SILVA SANTOS, ORLANDO DIAS, SALENILZA
MENDES DE ANDRADE, ROSANGELA EUGENIA DE LIMA, JOSÉ
ALMEIDA DOS SANTOS, SILVANA DA SILVA SOUZA, ANDREA
PEREIRA, MARIA CHRISTINA FRERIAS, MARIA ÂNGELA DOS SANTOS,
JUSTINA DOS SANTOS PEREIRA, AIRTON RICARDO BARBOSA,
PAULO PEREIRA DA LUZ, JORGE SALES, SALEDILZA MENDES DA
SILVA, ALEXANDRE CAMPOS JANUÁRIO PINTO, ADRIANA PRETO

Se impresso, para conferência acesse o site https://esaj.tjsp.jus.br/esaj, informe o processo 0196225-42.2013.8.26.0000 e o código RI000000NY526.
LARANJEIRA, ALOISIO HENRIQUE ROSA, ADRIANA APARECIDA
ARANTES DE OLIVEIRA, ARLEY ANGELA DE SOUZA RODRIGUES,
ALEXANDRE DE SÁ SANTANA, SANDRA REGINA CORREARD
PERREIRA MONTEIRO, STELLA APARECIDA LOPRETI SILVA, CARLA
JUSKI DE OLIVEIRA, CRISTIANE PEREIRA DOS SANTOS, PAULO0 DE
OLIVEIRA MARQUES, FLAVIA MAZZEI ANZOLIN, CAROLINA CORRÊA
PORTO ROSA, DECIO LUCIO CANDIDO DA SILVA, MÁRCIA REGINA DE
SOUZA PRESTE, MARIA APARECIDA DA SILVA, MÔNICA DE SOUZA
RAMOS, JEFERSON ALEXANDRE FROTA DE SOUZA, GLAUCIA F. A.
MORATO, MARGARETH GUIMARÃES DE CARVALHO FERNANDES,
JOSÉ ALMEIDA GALVÃO, ALEXANDRE FRANCISCO DA SILVA,
CARLOS CESAR CALIARI, MICHELLE VILANOVA ROCHA ANDRADE,
SWAMY ROCHA DOS SANTOS, PAULO SEBASTIÃO ALBUQUERQUE,
TANIA REGINA DE OLIVEIRA, SANDRA DE CASSIA GEREMIAS,
ADRIANO DO NASCIMENTO, NEUSA APARECIDA MARCON MARTINS,
PATRICIA TAMBASCO PROENÇA DE MENEZES, ELISABETH BARBOSA

Este documento foi assinado digitalmente por JOSE DAMIAO PINHEIRO MACHADO COGAN.
DOMINATO, MARIA CLAUDIA MIWA ROCHA, EDER BRITO MATTEAZO,
MARCIA DONIZETI MANTOVAN, RITA DE CASSIA OLIVEIRA BRAGA,
REGINA PARIZOTTO SILVA, KATIA CRISTINA FREGONA GRASSI,
SARA MENDES E SOUZA, RODOLFO DE SOUSA, CLEIDE BUENO DE
MENDONÇA, ANA CRISTINA DE PAULA BARBOSA, SANDRO LEITE
DOS SANTOS, EDNEIDE CRISTINA SIMÕES, MARCIA GIULIANI
BRESAN, NILVA DEMICO, ELAINE MORIYA, ELISA SAYURI SAITO,
ANDREA SIQUEIRA NUNES MANTRIPRAGADA, ROSANA DO BARCO,
FRANCIMAR MARQUES MONTEIRO, VALDECIR ANTONIO VALENTIN,
ANA MARIA MEJIAS CAPARELLI, VALDINEI CARLOS DE MORAES,
REGIANE DA SILVA HOLANDA, MARLI FERNANDES DOS ANJOS
TODOROV, TEREZA CRISTINA DA SILVA GONÇALVES, MARIA
ELISABETE DO NASCIMENTO, SANDRO YAMAGUCHI, CATARINA
SZABO, JORGE RENATO RIBEIRO DA SILVA, NANCI MONTES,
FERNANDO PAULO FERREIRA, ELIZETE FERREIRA DE RESENDE
ALVES, MARCIA REGINA MELLO DE JESUS MARIN, MARICI CAMARGO
CARDOSO, MEIRE CRISTINA CRUCITTI, ANGELA MARIA SALSEDO,
CRISTIANE MARIA OLIVEIRA TUCCI DA SILVA, ADRIANA SIMONE
DELIA VALLE, DENISE DE SOUZA LIMA, ANDREIA BENDO DOS
SANTOS PREDOSO, CLAUDIA DE AZEVEDO JEREISSATI RODRIGUES,
MARIA DO SOCORRO APARECIDA DOS SANTOS, WALDIRENE VIEIRA
CABRAL CALVACANTE, CAIO MARCOS PEREZ, CARLOS BENEDITO

MANDADO DE SEGURANÇA Nº 0196225-42.2013.8.26.0000 SÃO PAULO 3/23


fls. 16

PODER JUDICIÁRIO
TRIBUNAL DE JUSTIÇA
Quinta Câmara Criminal de São Paulo

FRANCO, ROSANA DE OLIVEIRA FRANCO, MARIANA PIRES


SAMBINELLO, DELVINO BICALHO FILHO, CRISTINA APARECIDA
CAETANO VIEIRA, PAULA HELENA PASSOS SANTIAGO, FABIO
CASSIANO MOURA OLIVEIRA, CONCEIÇÃO APARECIDA TOLEDO,
ZILDA DINIZ BENAZZI, JANETE QUEIROZ DA SILVA, MARIA
APARECIDA NUNES, EDONS LUIZ RIBEIRO, MARCIA CRISTINA SERNE
NANTES, ANA MARIA SILVA BRASILEIRA, SILVELY GREGAITES, NADIR
BATISTA DA SILVA, ANDRE RICARDO RODRIGUES SILVA, ELIANE
RODRIGUES TELES PEREIRA, CARLOS ALBERTO DA SILVA RIBEIRO,

Se impresso, para conferência acesse o site https://esaj.tjsp.jus.br/esaj, informe o processo 0196225-42.2013.8.26.0000 e o código RI000000NY526.
GISLAINE CRISTINA BARBOSA, JOSÉ ALVES DA SILVA, ARGENTINA
OLIVEIRA CRUZ, JULIANA DE PAULA SANTOS, TIAGO ANDREZATA
MAZER, MILENE SOARES CARVALHO SANTOS, JANE ALENCAR
FIGUEIREDO, SHEILA MACIEL, LUCINÉIA DA SILVA, MARIA ALICE
FERRANTI, VITOR VIEIRA CARLOS, LIDIA FARIA LOPES, SHEILA
CRISTINA GUASCO SILVA, ENI SEVERINO NOGUEIRA, JOANA JOVITA
OLIVEIRA DOS SANTOS, CARLOS ROBERTO ESTEVAM LOPS,
AMANDA CASSIA DE SOUZA, RAFAEL SENO CHAVES, EVANICE
SCHNEIDER DOS REIS, LUCIENE SANDRA DA SILVA VINHOLA,
TERESINHA LEITE BERNARDES, JORGE RODRIGUES DE ALENCAR,
HELENA SZABO, ADRIANA MARIA SUDAHIA, VANILDA CARVALHO DE
ALMEIDA, SUZETI DE FATIMA GHELFI, NANCI RIBEIRO DE CAVALHO,
JORGE LUIZ BANDEIRA DA SILVA, MAGDALENA FERREIRA
HABERLER DA MOTA, NELSON ZANHOLO, ELISABETE MESQUITA
ARBUQUERQUE DE QUEIROZ, LEONARDO RODRIGUES, MARCOS
ANTONIO LUCIANO, MARGARETE CAMILO LOPES PEREIRA, CARLOS

Este documento foi assinado digitalmente por JOSE DAMIAO PINHEIRO MACHADO COGAN.
ROBERTO NASCIMENTO, JEFERSON LUIZ BATISTA, ANTONIO
CARLOS CHAVES, IOMAE PERREIRA DA SILVA, DENISE GORETI
CANESIN, PAULA HERVENCIO DA SILVA, CRISTINO HIKARU UEOKA,
LUIZ CESAR CEPEDA MATTOS, MARCELO SASSO GONZALES,
CLÓVIS ROGERIO MENDONÇA DUARTE, IONE MARIA DE OLIVEIRA,
DANIELA PAULA AVILA HARDUIR, ROSANA DIAS BARBOZA,
SIMONETE SILVA COSTA, RAFAEL AGIZ ALMEIDA DA SILVA, SIMONE
CAPRA MARTINS BATISTA, MARISA APARECIDO FERNANDES
OLIVEIRA BIOANOSCHI, MARLENE EROTILDE DA SILVA GRASSATO,
MARIA AUXILIADORA BARBOSA ESCARIZZA, GLAUCO ANTONIO DE
OLIVEIRA, VANESSA PERES RIGO, ANGELA MARIA DA SILVA
FRANCA, LUIZ CLAUDIO SILVEIRA, SILMA CORREA FONTES, MEIRE
CARNELOS SILVA, MARIA HELENA DE SOUZA LIMA, GISELLE A. B. DO
NASCIMENTO, GRACIE STANEV MARTINS, SANDRA APARECIDA
SEABRA, CARLOS EDUARDO KARAY, REGINA DE FARIA, RUTH DO
BARCO F. GOMES, MARCOS DOURADO ROCHA, DANIEL RIBAS
CARDOSO, ANDRÉ ARAKAKI KOGA, ROSIMEIRE DI LELLA, LÉA
SIMONETE ZEBRAL TRAVASSOS, GILBERTO LUIZ MÓDOLO,
ROSEMARY ANGELA DOS SANTOS, CLAUDI ADE OLIVEIRA LEANDRO,
MÁRCIA DE FREITAS LIMA, RICARDO CESAR MUCCI, MARCIA REGINA
ATTICO, MARILDA MARTINS, LUCINEIA DA SILVA SANTOS, MARIA
APARECIDA DE ARRUDA, LYOKO ISAWA OHAMA, ADRIANA PATRICIA

MANDADO DE SEGURANÇA Nº 0196225-42.2013.8.26.0000 SÃO PAULO 4/23


fls. 17

PODER JUDICIÁRIO
TRIBUNAL DE JUSTIÇA
Quinta Câmara Criminal de São Paulo

PARREIRA, MARCIO PEREIRA CARVALHO, MARIA SOLANGE DO


NASCIMENTO, ASSOCIAÇÃO FAMÍLIA FORENSE DA COMARCA DE
SOROCABA SP AFFOCOS, ASSOJURIS - ASSOCIAÇÃO DOS
SERVIDORES DO PODER JUDICIARIO DO ESTADO DE SÃO PAULO,
NUBIA MARA O DE MELO MARKUS, ZILDA MARTINS DIAS, MARIA JANI
LEONIDAS RODRIGUES, LEONOR FERRAZ DE SOUZA, NELCIU
GUELFI, VALQUIRIA LEOZETTI MARTINS SANDANIELO, ELAINE
MORGADO APARIZI, MARCO TULIO MATTEI, ANA MARIA ECCLISSI,
ANTONIO ROBERTO CARVANESE, ANTONIO ROBERTO CARVANESE,

Se impresso, para conferência acesse o site https://esaj.tjsp.jus.br/esaj, informe o processo 0196225-42.2013.8.26.0000 e o código RI000000NY526.
IVONE GIANTINI, FELIX MIKIO FUNAKI, GENI APARECIDA DE
MEDEIROS, SILVANIA DOS SANTOS MADALENA SILVA, FLAVIO
BERTONHA LARA, FERNANDO ATHAYDE MARTINS, NILTON DOS
SANTOS, LUIZ ANTONIO DE ASSIS SFORCINI, ELIZABETH MARQUES
DE SOUZA LIMA, ANA PAULA APARECIDA MUSTAFE DINARELLI,
ALCIONE CRISTINA BUENO DOS SANTOS, JOSÉ ROBERTO CONTE,
DINAMALIA SARTI DINI, ANGELANE MARA CUSTODIO DOS SANTOS,
ARTUR VENTURA DA SILVA JUNIOR, JOÃO MARCOS VIDEIRA CESCO,
LEONARDO CAIEIRO GEYER, RITA DE CASSIA PEREIRA DA COSTA
GOMES, ROSEMEIRE NICODEMIO ATHAYDE MARTINS, ALBVA
ANDREIA DO CARMO SILVA, BIANCA MACHADO FOGLI, ELISA
APARECIDA URBINATTI TEIXEIRA, JEFTA NUNES DE FREITAS,
CONSUELO SALGADO BLOANCO DONADELLI, MEIRE PERES CPSTA
BALDUCCI, SILVIO PEREIRA COSTGA, COSMO LEANDRO, REGIANE
DE FATIMA SANGIACOMO, APARECIDA MARTINS ALAMINO, DANIELA
SAUTER GONÇALVES, PATRICIA PONTES SALLES, ANDRE LUIZ

Este documento foi assinado digitalmente por JOSE DAMIAO PINHEIRO MACHADO COGAN.
DOMINGUES, JOSE CARLOS TOBIAS, MARIZETE FORNAGIERO
CARVALHO, CLARICE APARECIDA DE SOUZA, ROGERIO BELISARIO
DA SILVA, MARTA GOMES DE LIMA MACEDO, CARLA CAMACJO DIAS,
PRISCILA DIOGO MARGARIDO, JULIO CESAR LOPES DEL SANTOS
VILELA DE SA, LILIAN ROSE SCHRANN DA SILVA, MARGARETH
FERREIRA NIPRUS, ANA PAULA CUSTODIO DA SILVA, MARIA REGINA
DA SILVA, MARIA VILANI DE SA, RFAQUEL LOUREIRO PINA
BREHMER, DEBORA FERREIRA CHAVES, SILVIA REGINA MESQUITTA
RUBI FERRAREZ, JOSE JOAQUIM MENDES, LUIZ VIONEZ RIBEIRO DE
ARAUJO, JOAQUIM GABRIEL PINTO, EDIZEU DOMINGUES GARROTE,
LISBIANE DE OLIVEIRA LARA, FLAVIA TERESA MARTINS FERREIRA,
MARIA DE LOURDES VICENTE PEDRO, ADRIANA RODRIGUES
GALLÃO, ELLIS REGINA NUNES PEREIRA, ELIEZER MATIAS DA SILVA,
MONISA GABRIELLE VEIGA, EDIVAL JOSE DA SILVA JUNIOR, REJANE
JOSE DA SILVA, SANDRA APARECIDA PEDROSO SAMPAIO,
ROSELANE APARECIDA FARIA, MARIA CECILIA ESTEVES DOS
SANTOS, VANESSA APARECIDA MOREIRA VILARES, CARLOS
EDUARDO CHICOLI, VANESSA BITENCOURT QUEIROZ, GLORIA
APARECIDA DA SILVA, RICARDO UMPHIR SPEDINE, ELIANA KAWAI,
CARMEN TRURQUETTI, ROSANGELA CRUZ DA FONSECA PIZZICO,
MARILSA ARIOZI, ANALU CRISTINA FERREIRA, LUCIENE DA
CONCEIÇÃO DE JESUS, MARIA APARECIDA GRANDI, SILVIA REGINA

MANDADO DE SEGURANÇA Nº 0196225-42.2013.8.26.0000 SÃO PAULO 5/23


fls. 18

PODER JUDICIÁRIO
TRIBUNAL DE JUSTIÇA
Quinta Câmara Criminal de São Paulo

DOS SANTOS, CID MAURO TAMBASCO, ANDREZA MARIA LINGER,


ELEN VALOIS CHUCRE, CLAUDETE NEGRAO GONÇALVES POLVANI,
EDINA APARECIDA DE FREITAS OLIVEIRA, APARECIDA CARDOSO
GENTINI ALVES, CLAUDIO ALVES DA SILVA, LUIZ EDUARDO
CARDOSO DE OLIVERIA, LUCI RAMOS MONTEIRO GIURANNO,
ALEXANDRE RIBIRO DE OLIVEIRA, MARIA SUELI DE MELO
PRUDENCIO SILVEIRA, ROBERTO LETT DA CRUZ, LAERCIO PRATES
DUCA, MARCIA DE FATIMA RIBEIRO DIAS, MARGARETE FONSECA
FERREIRA RODRIGUES, PAULO FERREIRA DO NASCIMENTO,

Se impresso, para conferência acesse o site https://esaj.tjsp.jus.br/esaj, informe o processo 0196225-42.2013.8.26.0000 e o código RI000000NY526.
ISIDORO DOS SANTOS FERREIRA, DANILO SENA, CELIA MORAES DE
FRETIAS, ANDRE APARECIDO DE AZEVEDO, JOSE MOURA DE SOUZA
IRMÃO, SELMA MARTINS VILAS BOAS, MARIA APARECIDA DE
ARRUDA, LUCINEIA DA SILVA SANTOS, MARIA CRISTINA DA SILVA
TREVISAN, AMANDA SANTOS SILVEIRA, ADRIANJA PATRICIA
PARREIRA, MARCIO PEREIRA CARVALHO, MARIA SOLANGE DO
NASCIMENTO, ALEX RAMOS, ALEXANDRE CUSTODIO DE SOUZA,
ANA CLAUDIA HORTA RODRIGUES DA CRUZ, ADRIANO JOSE
ANTONIALLI, ALESSANDRA APARECIDA RIBEIRO, ALTAIR DONIZETE
ANDRE, ANA CLAUDIA SOARES BASILE, ANA CRISTINA MOSSA
MOURA, ANA LUCIA LOPES DA CUNHA MONTEIRO, BENEDITO
EMILIANO DE SOUXA FILHO, BENEDITO LUIZ BITTENCOURT LIMA,
BRUNO RAFAEL AUTIERI, CLODOALDO GOMES DOS SANTOS,
DANIELA MAZIERO GINEZZI BUENO, DEBORAH REGINA VANNUCCI
ANGELINI, DIEGO LORCA PERES, SAMUEL DE LA CORTE BACCI,
SERGIO ROBERTO PRADO, SILVIA MARA MARANGAO MARQUES,

Este documento foi assinado digitalmente por JOSE DAMIAO PINHEIRO MACHADO COGAN.
SOLANGE APARECIDA DE SOUSA BARIONE, SONIA MARIA DE
OLIVEIRA LEME, STELA MARIA MENEGATO BACCI, SUELI DOS
SANTOS MARTIN CASTRO, TRISTAO SEBASTIAO LOPES DA CUNHA,
VANIA APARECIDA PEREIRA, VIVIANE MARIA COLLA, EDSON
BROMBAY, FABIANA DELLA TORRE PRADO, GLEICIANE FARIA
DESSIMONI, JOSE DA COSTA VIEIRA NETTO, LEANDRO DE LIMA SATI,
LUCIANA MARIA CARDOSO SOUZA, LUCIANO GUIMARAES, LUIS
PAULO BIZAIA, LUIZ RICARDO XAVIER, LUIZA MAURICIO DE SOUZA,
MARCOS SERGIO DE OLIVEIRA GOBETTI, MARIA ANGELA ZANERTTI
ROSSI, MARIA APARECIDA DE PAIVA OLIVEIRA, MARIA ELIZA
FELTRIN VICENTE, MAURO KRUGER, MOACIR TEIXEIRA, NÊMORA
SUELY MELO FERNANDES, PAULA CASALLI, PAULO CEZAR MILAN
PINHEIRO, REGINA CELIA LANCE BOSCOLO, RENATO ROMANO
BORTOLETTO, ROSA MARIA PIOVESAN DE PAIVA, ROSANGELA
FRANCISCA RODRIGUES CARVALHEIRO, GERALDO LÚCIO DE SOUZA
JÚNIOR, RENATO DE PAULA NEVES, MÁRCIA PEREIRA DO
NASCIMENTO ALVAREZ, VALQUIRIA ARAUJO OLIVEIRA AVILA DOS
SANTOS, CARLOS EDUARDO PINHEIRO, JAQUELINE ROSE GALVÃO,
MARIA LAURA DA SILVA, LUCIANO FERREIRA DA SILVA, ANGELA
MARIA FERREIRA BOSSAN, VALQUILDA GOMES DA SILVA, MARIA
LUIZA PEREIRA DOS SANTOS, ROSIMEIRE BARBOSA DE OLIVEIRA
CASEMIRO, CARLOS ALBERTO DOS SANTOS, CATIA CRISTIE

MANDADO DE SEGURANÇA Nº 0196225-42.2013.8.26.0000 SÃO PAULO 6/23


fls. 19

PODER JUDICIÁRIO
TRIBUNAL DE JUSTIÇA
Quinta Câmara Criminal de São Paulo

GONÇALVES FERREIRA, PRISCILA DIAS DE LIMA PISSINATTI,


SANDRA RAMALHO MARTINS, MAFALDA TOLEDO, MAJOLY SANAE
ALVES DA SILVA, CLAUDIO LUIZ DOS SANTOS, CARLOS JOSÉ
MOREIRA E MARIA APARECIDA DO ESPIRITO SANTO SATO
COMARCA: SÃO PAULO
VOTO Nº 25374

Mandado de Segurança. Entidade Sindical. Pretensão de

Se impresso, para conferência acesse o site https://esaj.tjsp.jus.br/esaj, informe o processo 0196225-42.2013.8.26.0000 e o código RI000000NY526.
desconto da Contribuição Sindical dos Servidores do
Tribunal de Justiça do Estado de São Paulo, correspondente
ao mês de março de cada ano, com fundamento nos artigos
545, 580 e 582, da CLT. Notificação do Presidente do
Tribunal de Justiça do Estado de São Paulo para desconto e
repasse ao sindicato-impetrante. Ausência de comprovação
da inexistência de outras entidades sindicais da categoria na
mesma base territorial. Ausência de direito líquido e certo.
Segurança denegada.

O SINDICATO UNIÃO DOS SERVIDORES DO PODER


JUDICIÁRIO DO ESTADO DE SÃO PAULO ingressa com o presente
mandado de segurança contra ato do EXMO. SR. PRESIDENTE DO

Este documento foi assinado digitalmente por JOSE DAMIAO PINHEIRO MACHADO COGAN.
TRIBUNAL DE JUSTIÇA DO ESTADO DE SÃO PAULO, pleiteando seja
efetuado o desconto e recolhimento da Contribuição Sindical de todos os
servidores deste E.Tribunal de Justiça, com exceção dos Oficiais de
Justiça, no valor de um dia de trabalho referente ao mês de março de cada
ano.

Argumenta que a autoridade coatora não teria atendido ou


sequer dado resposta à notificação protocolada no Gabinete da Presidência
em 27 de março de 2013 pedindo que fossem efetuados os descontos
compulsórios de contribuição sindical na folha de pagamento dos
servidores do Tribunal de Justiça com o consequente repasse dos
respectivos valores ao impetrante.

Sustenta ser entidade sindical devidamente reconhecida pelo


Ministério do Trabalho, com carta sindical, sendo o único e exclusivo
Sindicato e Representante da Categoria dos Auxiliares da Justiça do E.

MANDADO DE SEGURANÇA Nº 0196225-42.2013.8.26.0000 SÃO PAULO 7/23


fls. 20

PODER JUDICIÁRIO
TRIBUNAL DE JUSTIÇA
Quinta Câmara Criminal de São Paulo

Tribunal de Justiça do Estado de São Paulo, na base territorial do Estado


de São Paulo.

Entende que o recolhimento e repasse da contribuição sindical


está prevista nos artigos 545, 580 e 582 da CLT.

Cita jurisprudência do C. Superior Tribunal de Justiça (REsp


881.969-DF 2006/0189228-9) no sentido da obrigatoriedade da contribuição

Se impresso, para conferência acesse o site https://esaj.tjsp.jus.br/esaj, informe o processo 0196225-42.2013.8.26.0000 e o código RI000000NY526.
sindical compulsória independentemente de filiação face ao artigo 8º, inciso
IV, da Constituição Federal, considerando que os artigos 578 e seguintes
da CLT conferem à referida contribuição caráter tributário. Aduz ainda que o
fato dos servidores públicos serem regidos por regime estatutário não os
afasta da obrigação quanto ao recolhimento da exação.

Menciona, ainda, o acórdão no Agravo Regimental


00226312-20.2009.8.26.0000, julgado em 06.10.2010, destacando que “No
caso, não ficou demonstrado o interesse público ou grave lesão à ordem
administrativa, pela determinação judicial do desconto, sobrepondo-se, o
interesse dos próprios servidores e empregados da Requerente, no sentido

Este documento foi assinado digitalmente por JOSE DAMIAO PINHEIRO MACHADO COGAN.
de que não ocorram os descontos relativos à contribuição sindical. Saliente-
se que o agravo de instrumento n. 944.492-5/6-00, em que é agravante a
Assembleia Legislativa do Estado de São Paulo e agravado o SINDALESP-
Sindicato dos Servidores Públicos da Assembleia Legislativa e do Tribunal
de Contas de São Paulo, manteve a antecipação da tutela, agora atacada,
justificando que “A contribuição sindical prevista nos arts. 578 e seguintes
da CLT, é devida por todos os trabalhadores de determinada categoria,
inclusive pelos servidores públicos, sendo que, compulsória, independe de
filiação a sindicato (CF art. 8º, IV) e ST. RMS 21.758/DF, Rel. Min.
Sepúlveda Pertence, Primeira Turma, DJU 04.11.94)”.

Acrescenta o acórdão RMS 38.416-SP (2012/0126246-5),


relativo aos Oficiais de Justiça, no qual, por unanimidade, deram
provimento ao recurso para determinar que a autoridade impetrada proceda
ao desconto anual da contribuição sindical compulsória, e que, em

MANDADO DE SEGURANÇA Nº 0196225-42.2013.8.26.0000 SÃO PAULO 8/23


fls. 21

PODER JUDICIÁRIO
TRIBUNAL DE JUSTIÇA
Quinta Câmara Criminal de São Paulo

decorrência desta decisão, o impetrado publicou o Comunicado nº


1.584/2013-SPRH, em 24 de outubro de 2013, informando o desconto do
valor correspondente à contribuição sindical compulsória da categoria dos
Oficiais de Justiça ativos e inativos.

Foi indeferida a liminar (fls. 125/126), bem como determinada


a citação por edital de todos os servidores do Poder Judiciário do Estado de

Se impresso, para conferência acesse o site https://esaj.tjsp.jus.br/esaj, informe o processo 0196225-42.2013.8.26.0000 e o código RI000000NY526.
São Paulo, filiados ou não ao Impetrante, por entender serem litisconsortes
passivos necessários (fls. 154).

Contestaram a lide a Associação Família Forense da Comarca


de Sorocaba AFFOCOS (fls. 182/199); Sindicato dos Trabalhadores e
Servidores do Poder Judiciário Paulista SINSPJUD, nas Regiões de
Sorocaba, Piracicaba, Rio Claro, Araraquara, Americana, Amparo, Avaré,
Bragança Paulista, Campinas, Casa Grande, Itapetininga, Itapeva, Itu,
Jundiaí, Limeira, Mogi-Mirim, Pirassununga, São Carlos e São João da Boa
Vista (fls. 347/362); ASSOJURIS Associação dos Servidores do Poder
Judiciário do Estado de São Paulo (fls. 522/539); Sindicato dos

Este documento foi assinado digitalmente por JOSE DAMIAO PINHEIRO MACHADO COGAN.
Trabalhadores e Servidores do Poder Judiciário Paulista nas Regiões de
São José do Rio Preto, Votuporanga, Fernandópolis, Catanduva, Barretos,
Jaboticabal, Franca, Batatais, Ituverava, Ribeirão Preto, Jales, Araçatuba,
Dracena e Andradina (fls. 691/704); AASPTJ-SP Associação dos
Assistentes Sociais e Psicólogos do Tribunal de Justiça do Estado de São
Paulo (fls. 955/961); Maria Eduarda Rocha de Oliveira e outros (fls.
1014/1068); Associação dos Serventuários de Justiça dos Cartórios
Oficializados do Estado de são Paulo (fls. 1072/1075); Luciene da
Conceição de Jesus e outros (fls. 7.083/7476).

Foram prestadas as informações pelo Exmo. Sr. Presidente da


Corte, afirmando que houve determinação para que fosse efetuado o
desconto de Contribuição Sindical em relação a dois funcionários celetistas,
caso fosse comprovada a unicidade sindical, bem como que quanto aos
servidores estatutários, o Tribunal segue a determinação da Administração

MANDADO DE SEGURANÇA Nº 0196225-42.2013.8.26.0000 SÃO PAULO 9/23


fls. 22

PODER JUDICIÁRIO
TRIBUNAL DE JUSTIÇA
Quinta Câmara Criminal de São Paulo

Direta do Estado de São Paulo no sentido de ser incabível o desconto ante


a inexistência de decisão judicial (fls. 128/136).

A d. Procuradoria Geral de Justiça é pela denegação da


segurança (fls. 138/152 e 7698/7700).

É o relatório.

Se impresso, para conferência acesse o site https://esaj.tjsp.jus.br/esaj, informe o processo 0196225-42.2013.8.26.0000 e o código RI000000NY526.
A Impetrante fundamenta o pedido nos artigos 545, 580 e 582
da Consolidação das Leis do Trabalho - CLT, trazendo à colação decisões
do C. Supremo Tribunal Federal e do E. Superior Tribunal de Justiça, os
quais fazem referência ao inciso IV do artigo 8º da Constituição Federal de
1988, onde estão previstas duas espécies de contribuição.

O citado artigo 545 da CLT também prevê duas espécies de


contribuições sindicais, e encontra fundamento de validade no artigo 8º,
inciso IV, da Constituição.

O artigo 8º da Constituição Federal dispõe:

Este documento foi assinado digitalmente por JOSE DAMIAO PINHEIRO MACHADO COGAN.
“Art. 8º É livre a associação profissional ou sindical, observado
o seguinte:
I - a lei não poderá exigir autorização do Estado para a
fundação de sindicato, ressalvado o registro no órgão
competente, vedadas ao Poder Público a interferência e a
intervenção na organização sindical;
II - é vedada a criação de mais de uma organização sindical,
em qualquer grau, representativa de categoria profissional ou
econômica, na mesma base territorial, que será definida pelos
trabalhadores ou empregadores interessados, não podendo
ser inferior à área de um Município;
III - ao sindicato cabe a defesa dos direitos e interesses
coletivos ou individuais da categoria, inclusive em questões
judiciais ou administrativas;
IV - a assembleia geral fixará a contribuição que, em se
tratando de categoria profissional, será descontada em folha,
para custeio do sistema confederativo da representação
sindical respectiva, independentemente da contribuição
prevista em lei”.

E a Consolidação das Leis do Trabalho trata do tema:

MANDADO DE SEGURANÇA Nº 0196225-42.2013.8.26.0000 SÃO PAULO 1 0/23


fls. 23

PODER JUDICIÁRIO
TRIBUNAL DE JUSTIÇA
Quinta Câmara Criminal de São Paulo

“Art. 545 - Os empregadores ficam obrigados a descontar na


folha de pagamento dos seus empregados, desde que por
eles devidamente autorizados, as contribuições devidas ao
Sindicato, quando por este notificados, salvo quanto à
contribuição sindical, cujo desconto independe dessas
formalidades. (Redação dada pelo Decreto-lei nº 925, de
10.10.1969)
Parágrafo único - O recolhimento à entidade sindical
beneficiária do importe descontado deverá ser feito até o

Se impresso, para conferência acesse o site https://esaj.tjsp.jus.br/esaj, informe o processo 0196225-42.2013.8.26.0000 e o código RI000000NY526.
décimo dia subsequente ao do desconto, sob pena de juros de
mora no valor de 10% (dez por cento) sobre o montante
retido, sem prejuízo da multa prevista no art. 553 e das
cominações penais relativas à apropriação indébita. (Incluído
pelo Decreto-lei nº 925, de 10.10.1969)
Art. 580. A contribuição sindical será recolhida, de uma só
vez, anualmente, e consistirá: (Redação dada pela Lei nº
6.386, de 9.12.1976)
I - Na importância correspondente à remuneração de um dia
de trabalho, para os empregados, qualquer que seja a forma
da referida remuneração; (Redação dada pela Lei nº 6.386, de
9.12.1976)
Art. 582. Os empregadores são obrigados a descontar, da
folha de pagamento de seus empregados relativa ao mês de
março de cada ano, a contribuição sindical por estes devida
aos respectivos sindicatos. (Redação dada pela Lei nº 6.386,
de 9.12.1976)”.

Este documento foi assinado digitalmente por JOSE DAMIAO PINHEIRO MACHADO COGAN.
Para a exigibilidade das contribuições, o artigo 8º da
Constituição da República nos apresenta os seguintes elementos:

1º - Unicidade sindical (inciso II);


2º - Contribuição para custeio do sistema confederativo
da representação sindical respectiva (inciso IV, 1ª parte);
3º Contribuição sindical prevista em lei (inciso IV, parte
final).

Há, portanto, de se fazer a distinção entre a Contribuição


confederativa (“Contribuição para custeio do sistema confederativo”), a
“Contribuição sindical”, analisando-se ao depois a presença do requisito da
“Unicidade sindical”.

MANDADO DE SEGURANÇA Nº 0196225-42.2013.8.26.0000 SÃO PAULO 1 1/23


fls. 24

PODER JUDICIÁRIO
TRIBUNAL DE JUSTIÇA
Quinta Câmara Criminal de São Paulo

O Inciso IV do artigo 8º distingue as duas figuras contributivas,


submetendo a Contribuição sindical à existência de lei, enquanto que para
a Contribuição confederativa limita-se a dizer que a assembleia geral fixará
a contribuição.

Se em relação à Contribuição confederativa a Constituição


não exige lei, significa que é facultativa, portanto de natureza privada,

Se impresso, para conferência acesse o site https://esaj.tjsp.jus.br/esaj, informe o processo 0196225-42.2013.8.26.0000 e o código RI000000NY526.
diferentemente da Contribuição sindical que possui natureza jurídico-
tributária, porque compulsória a sua exigibilidade, enquadrando-se no artigo
3º do Código Tributário Nacional - CTN.

Com efeito, decidiu a 2ª Turma do STF no RE 177.529/SP,


STF, 2ª Turma, Relator Ministro Marco Aurélio, Relator para Acórdão
Ministro Carlos Velloso, maioria, julgado em 13.05.1997, DJ 03.10.1997, p.
49278:

“CONSTITUCIONAL. SINDICATO. CONTRIBUIÇÃO


INSTITUÍDA PELA ASSEMBLÉIA GERAL: CARÁTER NÃO

Este documento foi assinado digitalmente por JOSE DAMIAO PINHEIRO MACHADO COGAN.
TRIBUTÁRIO. NÃO COMPULSORIEDADE. EMPREGADOS
NÃO SINDICALIZADOS: IMPOSSIBILIDADE DO
DESCONTO. C.F., art. 8º, IV. I. - A contribuição confederativa,
instituída pela assembleia geral - C.F., art. 8º, IV - distingue-
se da contribuição sindical, instituída por lei, com caráter
tributário - C.F., art. 149 - assim compulsória. A primeira é
compulsória apenas para os filiados do sindicato. II. - R.E. não
conhecido.”

Esclarece, ainda, o Ministro Celso de Mello, em voto condutor


em AgR no Agravo de Instrumento n. 657.096 (AgR no AI Nº 657.096/RS,
STF, 2ª Turma, unânime, j. 26.06.2007, DJe-087 publicação 24.08.2007):

“(...) a Constituição da República, ao delinear o estatuto

MANDADO DE SEGURANÇA Nº 0196225-42.2013.8.26.0000 SÃO PAULO 1 2/23


fls. 25

PODER JUDICIÁRIO
TRIBUNAL DE JUSTIÇA
Quinta Câmara Criminal de São Paulo

jurídico das organizações sindicais, instituiu, em favor destas,


a possibilidade de, mediante deliberação de suas
assembleias gerais, fixarem contribuição destinada ao
'custeio do sistema confederativo da representação sindical
respectiva, independentemente da contribuição prevista em
lei' (art. 8º, IV).

Se impresso, para conferência acesse o site https://esaj.tjsp.jus.br/esaj, informe o processo 0196225-42.2013.8.26.0000 e o código RI000000NY526.
Embora eminentes autores sustentam que todos os
integrantes da categoria representada pelo organismo sindical
estão sujeitos ao recolhimento de contribuição em referência,
independentemente de serem, ou não, filiados ao sindicato
respectivo [ARNALDO SUSSEKIND ... ], a jurisprudência do
Supremo Tribunal Federal interpretando a norma inscrita
no art. 8º, IV, da Constituição proclamou que a
contribuição confederativa é somente devida por aqueles que
efetivamente sejam associados à entidade sindical.

Esse entendimento jurisprudencial, que se apoia em


sucessivas decisões proferidas por ambas as Turmas do
Supremo Tribunal Federal (RE 178.927/AC, Rel. Min. ILMAR

Este documento foi assinado digitalmente por JOSE DAMIAO PINHEIRO MACHADO COGAN.
GALVÃO RE 179.290/SP, Rel. Min. SYDNEY SANCHES
RE 194.788/SP, Rel. Min. NÉRI DA SILVEIRA RE
198.092/SP, Rel. Min. CARLOS VELLOSO, v.g.), enfatiza
com fundamento no postulado constitucional que garante a
liberdade de associação que a contribuição confederativa,
fixada por deliberação da assembleia geral das organizações
sindicais, não se reveste de caráter tributário e somente se
mostra exigível àqueles que se acham formalmente
filiados ao sindicato (RTJ 166/355-356 RTJ 174/287
RTJ 175/1195), [...].

Cumpre ressaltar, por necessário, que essa orientação


jurisprudencial acha-se, agora, consagrada pela Súmula
666/STF.”

MANDADO DE SEGURANÇA Nº 0196225-42.2013.8.26.0000 SÃO PAULO 1 3/23


fls. 26

PODER JUDICIÁRIO
TRIBUNAL DE JUSTIÇA
Quinta Câmara Criminal de São Paulo

E tanto a citada Súmula 666, quanto a 677, ambas do STF,


oferecem a seguinte orientação:

“666. A contribuição confederativa de que trata o art. 8º, IV,


da Constituição, só é exigível dos filiados ao Sindicato
respectivo.”

Se impresso, para conferência acesse o site https://esaj.tjsp.jus.br/esaj, informe o processo 0196225-42.2013.8.26.0000 e o código RI000000NY526.
“677. Até que lei venha a dispor a respeito, incumbe ao
Ministério do Trabalho proceder ao registro das Entidades
Sindicais e zelar pela observância do principio da unicidade.”

Embora a Impetrante fundamente o Mandamus no artigo 545


da CLT dispositivo que prevê as duas figuras contributivas -, o pedido faz
referência expressa à “Contribuição sindical”.

A Contribuição sindical, originariamente prevista na CLT, foi


recepcionada pela Carta da República de 1988 no inciso IV do artigo 8º, e,
como já dito, possui natureza tributária.

Este documento foi assinado digitalmente por JOSE DAMIAO PINHEIRO MACHADO COGAN.
É nesse sentido a jurisprudência do Supremo Tribunal
Federal, aqui representada pelo voto-condutor do Relator, Ministro Marco
Aurélio, no MS 28.465/DF, STF, 1ª Turma, Relator Ministro Marco Aurélio,
unânime, 18-03-2014, DJe-066 publicação 03-04-2014:

“Natureza jurídica da contribuição sindical.

Dispõe a Consolidação das Leis do Trabalho:

Art. 578 As contribuições devidas as Sindicato pelos


que participem das categorias econômicas ou profissionais
ou das profissões liberais representadas pelas referidas
entidades serão, sob a denominação do 'imposto sindical',
pagas, recolhidas e aplicadas na forma estabelecida neste
Capítulo.

MANDADO DE SEGURANÇA Nº 0196225-42.2013.8.26.0000 SÃO PAULO 1 4/23


fls. 27

PODER JUDICIÁRIO
TRIBUNAL DE JUSTIÇA
Quinta Câmara Criminal de São Paulo

Art. 579 - A contribuição sindical é devida por todos


aqueles que participarem de uma determinada categoria
econômica ou profissional, ou de uma profissão liberal, em
favor do sindicato representativo da mesma categoria ou
profissão ou, inexistindo este, na conformidade do disposto
no art. 591.

Se impresso, para conferência acesse o site https://esaj.tjsp.jus.br/esaj, informe o processo 0196225-42.2013.8.26.0000 e o código RI000000NY526.
Como se verifica, a Consolidação das Leis do
Trabalho prevê prestação pecuniária compulsória, sem
estipular qualquer contrapartida, decorrente do simples fato
de pertencer a uma categoria econômica ou profissional, ou
de profissão liberal, destinando-a à categoria. Ora, o artigo
3º do Código Tributário Nacional define o tributo nos
seguintes termos:

Art. 3º Tributo é toda prestação pecuniária


compulsória, em moeda ou cujo valor nela se possa exprimir,
que não constitua sanção de ato ilícito, instituída em lei e
cobrada mediante atividade administrativa plenamente
vinculada.

Este documento foi assinado digitalmente por JOSE DAMIAO PINHEIRO MACHADO COGAN.
Da leitura do conjunto normativo depreende-se que a
natureza da contribuição sindical compulsória é
inequivocamente tributária. Na classificação das espécies,
tem se mostrado frequente o enquadramento de tal exação
nas denominadas contribuições parafiscais, porque
destinadas a entidades que não compõem o Estado. Nesse
sentido são os precedentes do Supremo: Recurso
Extraordinário nº 198.092, relator Ministro Carlos Velloso,
Segunda Turma, e Agravo Regimental no Agravo de
Instrumento nº 692.369, relatora Ministra Cármen Lúcia,
Primeira Turma.”

Quanto ao instituto constitucional da “unicidade sindical”,


os aspectos primordiais já foram examinados e decididos pelo Supremo

MANDADO DE SEGURANÇA Nº 0196225-42.2013.8.26.0000 SÃO PAULO 1 5/23


fls. 28

PODER JUDICIÁRIO
TRIBUNAL DE JUSTIÇA
Quinta Câmara Criminal de São Paulo

Tribunal Federal, como se pode ver das seguintes decisões:

“CONSTITUCIONAL. RECURSO EXTRAORDINÁRIO.


JULGAMENTO PELO RELATOR. CPC, art. 557, § 1º-A:
LEGITIMIDADE CONSTITUCIONAL. CONSTITUCIONAL.
SINDICATO. REGISTRO NO MINISTÉRIO DO

Se impresso, para conferência acesse o site https://esaj.tjsp.jus.br/esaj, informe o processo 0196225-42.2013.8.26.0000 e o código RI000000NY526.
TRABALHO: LIBERDADE E UNICIDADE SINDICAL. C.F.,
art. 8º, I e II.

[...]

II. - Liberdade e unicidade sindical: competência para o


registro de entidades sindicais (C.F., art. 8º, I e II):
recepção, pela CF/88, da competência do Ministério do
Trabalho para o registro. Esse registro é que propicia
verificar se a unicidade sindical, limitação constitucional
ao princípio da liberdade sindical, estaria sendo
observada ou não, já que o Ministério do Trabalho é
detentor das informações respectivas.

Este documento foi assinado digitalmente por JOSE DAMIAO PINHEIRO MACHADO COGAN.
III. - Precedentes do STF: MI 144-SP, Pertence, Plenário,
"DJ" de 28/5/93; RMS 21.758-DF, Pertence, 1a Turma,
"DJ" de 04/11/94; ADIn 1121 (MC)-RS, Celso de Mello,
"DJ" de 06/10/95; RE 134.300-DF, Pertence, 1a Turma,
16/8/94. IV. - RE provido. Agravo Improvido.” (AgR no RE
222.285/SP, STF, 2ª Turma, Carlos Velloso, unânime,
26-02-2002, DJ 22-03-2002 p. 42)

E do citado RMS 21.758 é do seguinte teor:

“EMENTA: Sindicato de servidores públicos: direito a


contribuição sindical compulsória (CLT, art. 578 ss.),
recebida pela Constituição (art. 8., IV, in fine),

MANDADO DE SEGURANÇA Nº 0196225-42.2013.8.26.0000 SÃO PAULO 1 6/23


fls. 29

PODER JUDICIÁRIO
TRIBUNAL DE JUSTIÇA
Quinta Câmara Criminal de São Paulo

condicionado, porém, a satisfação do requisito da


unicidade.

1. A Constituição de 1988, a vista do art. 8., IV, in fine,


recebeu o instituto da contribuição sindical compulsória,
exigível, nos termos dos arts. 578 ss. CLT, de todos os
integrantes da categoria, independentemente de sua

Se impresso, para conferência acesse o site https://esaj.tjsp.jus.br/esaj, informe o processo 0196225-42.2013.8.26.0000 e o código RI000000NY526.
filiação ao sindicato (cf. ADIn 1.076, med.cautelar,
Pertence, 15.6.94). 2. Facultada a formação de sindicatos
de servidores públicos (CF, art. 37, VI), não cabe exclui-
los do regime da contribuição legal compulsória exigível
dos membros da categoria (ADIn 962, 11.11.93, Galvão).

3. A admissibilidade da contribuição sindical imposta


por lei é inseparável, no entanto, do sistema de
unicidade (CF, art. 8., II), do qual resultou, de sua vez, o
imperativo de um organismo central de registro das
entidades sindicais, que, a falta de outra solução legal,
continua sendo o Ministério do Trabalho (MI 144, 3.8.92,
Pertence).

Este documento foi assinado digitalmente por JOSE DAMIAO PINHEIRO MACHADO COGAN.
4. Dada a controvérsia de fato sobre a existência, na
mesma base territorial, de outras entidades sindicais
da categoria que o impetrante congrega, não há como
reconhecer-lhe, em mandado de segurança, o direito a
exigir o desconto em seu favor da contribuição
compulsória pretendida.” (RMS 21.758/DF, STF, 1ª
Turma, Sepúlveda Pertence, unânime, 20-09-1994, DJ
04-11-1994 p. 29831)

Destarte, no inciso II do artigo 8º, a Constituição não dá


margem à duvida alguma: é vedada a criação de mais uma organização
sindical na mesma base territorial, que não poderá ser inferior à área de
um Município.

Celso Ribeiro Bastos em Curso de Direito Constitucional. São

MANDADO DE SEGURANÇA Nº 0196225-42.2013.8.26.0000 SÃO PAULO 1 7/23


fls. 30

PODER JUDICIÁRIO
TRIBUNAL DE JUSTIÇA
Quinta Câmara Criminal de São Paulo

Paulo: Editora Saraiva, 20ª edição, 1999, p.263, manifesta-se nesse


sentido, e acrescenta: “Em outras palavras, num mesmo território só pode
haver um sindicato da mesma categoria”.

O impetrante ingressou com o presente Mandado de


Segurança pretendendo o desconto em folha de pagamento dos servidores
deste E. Tribunal de Justiça de São Paulo, alegando ser o único e exclusivo

Se impresso, para conferência acesse o site https://esaj.tjsp.jus.br/esaj, informe o processo 0196225-42.2013.8.26.0000 e o código RI000000NY526.
Sindicato e Representante da Categoria dos Auxiliares da Justiça do E.
Tribunal de Justiça do Estado de São Paulo, na base territorial do Estado
de São Paulo.

Para corroborar sua pretensão, pretendendo comprovar a


unicidade sindical, juntou cópias do registro sindical no Ministério do
Trabalho (fls. 24), do estatuto (fls.29/56), bem como Parecer do Exmo. Sr.
Desembargador Samuel Alves de Melo Junior, DD. Presidente do Núcleo
de Planejamento e Gestão do Tribunal de Justiça, datado de 07 de
dezembro de 2010 (fls. 63/66), entendendo ser o ora impetrante o único
sindicato que representaria a classe dos servidores do Poder Judiciário do

Este documento foi assinado digitalmente por JOSE DAMIAO PINHEIRO MACHADO COGAN.
Estado de São Paulo em razão de ter-se reconhecido, pelo C. Órgão
Especial desta Corte, que teria legitimidade para propor ação de dissídio
coletivo que tramitou perante o mesmo Órgão Especial.

Entretanto, questão preliminar surge a respeito da


comprovação da unicidade sindical, requisito essencial à pretensão, que
teria de ser comprovado de plano pelo impetrante, o que não ocorreu.

Como sabido, com fundamento no inciso LXIX do art. 5º


CF/88, o art. 1º da Lei do Mandado de Segurança nº 12.016/09 fixa o
requisito para que se conceda a segurança: direito líquido e certo, que há
de ser demonstrado, com precisão e clareza, mediante prova pré-
constituída, portanto desde logo, junto com a petição inicial.

Com efeito, destaca-se o seguinte trecho da decisão


monocrática do Ministro Celso de Mello, do STF, no RMS 23.510/DF, DJU

MANDADO DE SEGURANÇA Nº 0196225-42.2013.8.26.0000 SÃO PAULO 1 8/23


fls. 31

PODER JUDICIÁRIO
TRIBUNAL DE JUSTIÇA
Quinta Câmara Criminal de São Paulo

13-02-2002, p. 102:

“Cabe assinalar, por necessário, consoante destacado no v.


acórdão recorrido e também ressaltado no douto parecer do
Ministério Público Federal, que a ora recorrente, quando da
impetração do writ mandamental, não demonstrou, desde

Se impresso, para conferência acesse o site https://esaj.tjsp.jus.br/esaj, informe o processo 0196225-42.2013.8.26.0000 e o código RI000000NY526.
logo, mediante prova documental pré-constituída, as
alegações em que se apoiava a sua pretensão de direito
material.

É preciso considerar, no que se refere a tal aspecto


enfatizado pelo acórdão ora recorrido e destacado pela douta
Procuradoria-Geral da República que a ausência de
comprovação documental inequívoca afeta a liquidez dos
fatos, circunstância essa que inviabiliza, por completo, a
própria utilização do writ mandamental.

A simples existência de matéria de fato controvertida a


tornar questionável a própria caracterização do direito liquido e

Este documento foi assinado digitalmente por JOSE DAMIAO PINHEIRO MACHADO COGAN.
certo (noção que não se confunde com a de direito material,
cuja tutela se busca obter em sede mandamental) revela-se
bastante para tornar inviável a utilização do writ constitucional
(RTJ 83/130 RTJ 99/68 RTJ 99/1149 RTJ 100/90 RTJ
100/537).”

O C. Supremo Tribunal Federal vem mantendo a orientação,


como se pode ver das seguintes ementas:

“AGRAVO REGIMENTAL EM RECLAMAÇÃO. AÇÃO CIVIL


PÚBLICA PROPOSTA PELO MINISTÉRIO PÚBLICO DO
TRABALHO. RECLAMAÇÃO AJUIZADA NO SUPREMO
TRIBUNAL FEDERAL. INTERPOSIÇÃO DE AGRAVO
REGIMENTAL DE DECISÃO DE RELATOR. ARTIGO 8º,

MANDADO DE SEGURANÇA Nº 0196225-42.2013.8.26.0000 SÃO PAULO 1 9/23


fls. 32

PODER JUDICIÁRIO
TRIBUNAL DE JUSTIÇA
Quinta Câmara Criminal de São Paulo

INCISOS I, II E III, DA CONSTITUIÇÃO FEDERAL.


AUSÊNCIA DE LEGITIMIDADE DO SINDICATO PARA
ATUAR PERANTE A SUPREMA CORTE. AUSÊNCIA DE
REGISTRO SINDICAL NO MINISTÉRIO DO TRABALHO E
EMPREGO. NECESSIDADE DE OBSERVÂNCIA DO
POSTULADO DA UNICIDADE SINDICAL. LIBERDADE E
UNICIDADE SINDICAL. 1. Incumbe ao sindicato comprovar

Se impresso, para conferência acesse o site https://esaj.tjsp.jus.br/esaj, informe o processo 0196225-42.2013.8.26.0000 e o código RI000000NY526.
que possui registro sindical junto ao Ministério do Trabalho e
Emprego, instrumento indispensável para a fiscalização do
postulado da unicidade sindical. 2. O registro sindical é o ato
que habilita as entidades sindicais para a representação de
determinada categoria, tendo em vista a necessidade de
observância do postulado da unicidade sindical. 3. O
postulado da unicidade sindical, devidamente previsto no art.
8º, II, da Constituição Federal, é a mais importante das
limitações constitucionais à liberdade sindical. 4. Existência
de precedentes do Tribunal em casos análogos. 5. Agravo
regimental interposto por sindicato contra decisão que

Este documento foi assinado digitalmente por JOSE DAMIAO PINHEIRO MACHADO COGAN.
indeferiu seu pedido de admissão na presente reclamação
na qualidade de interessado. 6. Agravo regimental
improvido.” (AgR na Rcl 4990/PB, STF, Pleno, Elllen Gracie,
unânime, 04-03-2009, DJe-059 publicação 27-03-2009)

“CONSTITUCIONAL. AGRAVO REGIMENTAL EM RECURSO


EXTRAORDINÁRIO. BASE TERRITORIAL. REGISTRO.
PRINCÍPIO DA UNICIDADE SINDICAL. ARTIGO 8º, II, DA
CONSTITUIÇÃO FEDERAL. 1. O princípio da unicidade
sindical, previsto no art. 8º, II, da Constituição Federal, é a
mais importante das limitações constitucionais à liberdade
sindical. 2. A Corte de origem negou declaração de
exclusividade de representação para fins de registro junto
ao Ministério do Trabalho e Emprego, por concluir pela
dificuldade de identificação da categoria a ser

MANDADO DE SEGURANÇA Nº 0196225-42.2013.8.26.0000 SÃO PAULO 2 0/23


fls. 33

PODER JUDICIÁRIO
TRIBUNAL DE JUSTIÇA
Quinta Câmara Criminal de São Paulo

representada. 3. Rever a decisão recorrida demanda


revolvimento das provas carreadas aos autos, cujo
procedimento não tem lugar na via extraordinária, ante o óbice
da Súmula STF 279. Precedentes. 4. Agravo regimental
improvido.” (AgR no RE 310811/SP, STF, 2ª Turma, Ellen
Gracie, unânime, 12-05-2009, DJe-104 publicação
05-06-2009.

Se impresso, para conferência acesse o site https://esaj.tjsp.jus.br/esaj, informe o processo 0196225-42.2013.8.26.0000 e o código RI000000NY526.
O parecer trazido aos autos pelo Presidente do Núcleo de
Planejamento e Gestão do Tribunal de Justiça, como bem assinalado pelo
D. Procurador Geral de Justiça, é do ano de 2010, sendo que o ora
impetrante ingressou com o Mandado de Segurança nº 0089731-
90.2012.8.26.0000 para que fosse reconhecida a unidade sindical e
efetuado o desconto, tendo o Acórdão, de relatoria do E. Desembargador
Artur Marques, julgado em 17 de outubro de 2012, o seguinte teor:

Este documento foi assinado digitalmente por JOSE DAMIAO PINHEIRO MACHADO COGAN.
“MANDADO DE SEGURANÇA - SINDICATO - PRETENSÃO
AO DESCONTO E REPASSE DA CONTRIBUIÇÃO SINDICAL
COMPULSÓRIA - REQUISITO DA UNICIDADE SINDICAL
NÃO DEMONSTRADO - CONTROVÉRSIA DE FATO A
RESPEITO DA REPRESENTATIVIDADE DO IMPETRANTE -
PRECEDENTE DO STF. 1. Embora haja decisões judiciais
favoráveis ao impetrante, não se demonstrou a contento o
preenchimento do requisito da unicidade sindical, sem o
qual não há direito líquido e certo à contribuição sindical
compulsória. Havendo controvérsia de fato sobre a existência,
na mesma base territorial, de outras entidades sindicais da
categoria que o impetrante congrega, não há como
reconhecer-lhe, em mandado de segurança, o direito a exigir o
desconto em seu favor da contribuição compulsória
pretendida. 2. Mandado de segurança denegado.”

Deste Acórdão o ora impetrante interpôs recurso


ordinário, improvido pelo C. Superior Tribunal de Justiça, em razão da falta
de comprovação da necessária unicidade sindical, cuja ementa se destaca:

MANDADO DE SEGURANÇA Nº 0196225-42.2013.8.26.0000 SÃO PAULO 2 1/23


fls. 34

PODER JUDICIÁRIO
TRIBUNAL DE JUSTIÇA
Quinta Câmara Criminal de São Paulo

“CONSTITUCIONAL. ADMINISTRATIVO. TRABALHISTA.


CONTRIBUIÇÃO SINDICAL. DEVIDO POR SERVIDORES
PÚBLICOS. TEMA PACIFICADO. INDEFINIÇÃO SOBRE A
REPRESENTATIVIDADE DO SINDICATO IMPETRANTE.
ESVAZIAMENTO DA LIQUIDEZ E DA CERTEZA NO
DIREITO POSTULADO PELA VIA MANDAMENTAL.
1. Cuida-se de recurso ordinário interposto contra acórdão que
denegou a ordem em mandado de segurança impetrado por
sindicato ante a negativa de recolhimento da contribuição
sindical compulsória, prevista no art. 578 e seguintes da

Se impresso, para conferência acesse o site https://esaj.tjsp.jus.br/esaj, informe o processo 0196225-42.2013.8.26.0000 e o código RI000000NY526.
Consolidação das Leis do Trabalho - CLT (Decreto-Lei n.
5.452/43) e no art. 8º, IV da Constituição Federal. O Tribunal
de origem acordou que não havia acervo fático suficiente
para definir que o sindicato impetrante seja o único na
base territorial, já que existem processos judiciais em
curso nos quais se discute a questão.
2. É pacifico no Superior Tribunal de Justiça que aos
sindicatos representativos dos servidores públicos é devida a
contribuição sindical (RMS 40.628/RJ, Rel. Ministra Eliana
Calmon, Segunda Turma, DJe 11.6.2013); contudo o caso dos
autos debate questão diversa, consubstanciada nos limites da
via mandamental para aferir o atendimento do requisito prévio
da unicidade sindical (art. 8º, II da CF) pelo sindicato
impetrante.
3. No caso em análise, foi demonstrado que há debates
judiciais inconclusos sobre a representatividade do sindicato
impetrante e, assim, não seria possível efetivar o desconto,

Este documento foi assinado digitalmente por JOSE DAMIAO PINHEIRO MACHADO COGAN.
pois a estabilidade do acervo fático e probatório é - com
ênfase no caso - requisito para a identificação do direito
líquido e certo. Precedentes: RMS 21758, Relator(a): Min.
Sepúlveda Pertence, Primeira Turma, publicado no DJ em
04.11.1994, p. 29831 e no Ement. col. 1765-01, p.198; e REsp
623.299/MG, Rel. Ministra Denise Arruda, Primeira Turma,
publicado no DJ em 31.5.2007, p. 325.
Recurso ordinário improvido. (RMS 42.890/SP, Rel. Ministro
HUMBERTO MARTINS, SEGUNDA TURMA, julgado em
05/09/2013, DJe 18/09/2013)”.

Chamadas a integrar a lide, inúmeras entidades sindicais,


além de funcionários do Tribunal de Justiça manifestaram-se pela não
concordância no desconto e, especialmente, pela ausência da unicidade
sindical.

Ante o exposto, conclui-se que não restou comprovado o


atendimento ao princípio da unicidade sindical, estando, pois, ausente a

MANDADO DE SEGURANÇA Nº 0196225-42.2013.8.26.0000 SÃO PAULO 2 2/23


fls. 35

PODER JUDICIÁRIO
TRIBUNAL DE JUSTIÇA
Quinta Câmara Criminal de São Paulo

demonstração de que a entidade sindical impetrante esteja devidamente


revestida de incontroversa representatividade.

A ausência de tal pressuposto afasta o cabimento da ação


mandamental para dirimir a controvérsia, podendo a impetrante procurar a
via ordinária, na qual é permitida dilação probatória para a definição da
presença do requisito relativo à unicidade sindical.

Se impresso, para conferência acesse o site https://esaj.tjsp.jus.br/esaj, informe o processo 0196225-42.2013.8.26.0000 e o código RI000000NY526.
Isso posto, denega-se a segurança.

José Damião Pinheiro Machado Cogan


Desembargador Relator

Este documento foi assinado digitalmente por JOSE DAMIAO PINHEIRO MACHADO COGAN.

MANDADO DE SEGURANÇA Nº 0196225-42.2013.8.26.0000 SÃO PAULO 2 3/23