Você está na página 1de 6

[ 1 ] IR PARA O CONTEÚDO

[ 2 ] IR PARA O MENU

ALTO-CONTRASTE

AUMENTAR FONTE

Planos de Ensino

Planos de Ensino Detalhes do Plano de Ensino Instituição Anhanguera - OLIM-643 - AEDU FEC Curso

Detalhes do Plano de Ensino

Instituição

Anhanguera - OLIM-643 - AEDU FEC

Curso

Psicologia - N

Disciplina

Diagnóstico e Intervenção em Psicologia

Docente

Andre Prado Nunes

Coordenador(es)

Luis Sergio Sardinha

Carga horária

80h

Atividades de Aula

66h

Atividades de Pré e Pós Aula

14h

Série - Turma

5º semestre-1580720161A1

1. OBJETIVOS DA DISCIPLINA

O objetivo dessa disciplina é desenvolver no acadêmico competências gerais ou de fundamento de área, de acordo com as unidades de ensino e conteúdos estudados, com foco nas habilidades necessárias para a atuação profissional.

DIMINUIR FONTE

Competências

Compreender os aspectos teóricos, éticos e legais para realização de psicodiagnósticos

- Relatório dos principais cuidados a serem

adotados antes, durante e após a realização de um psicodiagnóstico

Conhecer as técnicas usuais de psicodiagnóstico

- Relatório de pesquisa: o processso psicodiagnóstico

Conhecer as técnicas de intervenção e as especificidades de aplicação do psicodiagnóstico

- Seminários: manejo clínico aplicado a casos específicos.

Compreender as especificidades do público com o qual se realiza o psicodiagnóstico

- Estudo de caso clínico - Diagnóstico e Intervenção em Psicologia

2. ESTRUTURA DA DISCIPLINA

Unidades de Ensino (Conteúdo Programático)

DIAGNÓSTICO PSICOLÓGICO

- Entrevista e anamnese. Contribuições de José Bleger

- Etapas

- Formulação da escuta e compreensão da queixa

- Fundamentos e estrutura do psicodiagnóstico

- Psicodiagnóstico e legislação

- Divulgação dos resultados cliente e responsáveis

- Documentação relativa a psicodiagnósticos

- Finalização da etapa psicodiagnóstica

- Indicação terapêutica, encaminhamentos e trabalho interdisciplinar

- Psicodiagnóstico, avaliação da inteligência e avaliação da personalidade.

- O que, quando, como fazer diagnóstico em Psicanálise

- O que, quando, como fazer diagnóstico em Teorias Cognitivo-comportamentais

- O que, quando, como fazer diagnóstico em Teorias Humanistas Existenciais

- O que, quando, como fazer diagnóstico em Teorias Psicodinâmicas

- Paciente, cliente, pessoa: diferentes concepções teóricas

PSICODIAGNÓSTICO INFANTIL

- A criança, o terapeuta e os responsáveis:

contrato psicológico e questões éticas

- Instrumentos, testes e recursos diagnósticos para crianças

- Introdução às técnicas psicoterápicas infantis

- Psicodiagnóstico infantil e intervenção

- Sigilo e devolutiva aos responsáveis I

- Diagnóstico e intervenção infantil na ótica das teorias cognitivo-comportamentais

- Diagnóstico e intervenção infantil na ótica das teorias humanistas

- Diagnóstico e intervenção infantil na ótica das teorias psicodinâmicas

- Diagnóstico e intervenção infantil na ótica psicanalítica

- Introdução ao conceito de ludicidade em Psicologia

- Adolescente, lúdico e verbalização

- Instrumentos, testes e recursos diagnósticos para jovens

- Introdução às técnicas psicoterápicas para adolescentes

- Psicodiagnóstico do adolescente

- Sigilo e devolutiva aos responsáveis II

PSICODIAGNÓSTICO JUVENIL, ADULTO E IDOSOS

- Diagnóstico e intervenção juvenil na ótica das teorias cognitivo-comportamentais

- Diagnóstico e intervenção juvenil na ótica das teorias humanistas

- Diagnóstico e intervenção juvenil na ótica das teorias psicodinâmicas

- Diagnóstico e intervenção juvenil na ótica psicanalítica

- Psicodiagnóstico, avaliação de personalidade de orientação profissional

- Diagnóstico e intervenção com adultos na ótica das teorias cognitivo-comportamentais

- Diagnóstico e intervenção com adultos na ótica das teorias humanistas

- Diagnóstico e intervenção com adultos na ótica das teorias psicodinâmicas

- Diagnóstico e intervenção com adultos na ótica psicanalítica

- Diagnóstico e intervenção com adultos

- Diagnóstico e intervenção com idosos na ótica das teorias cognitivo-comportamentais

- Diagnóstico e intervenção com idosos na ótica das teorias humanistas

- Diagnóstico e intervenção com idosos na ótica das teorias psicodinâmicas

- Diagnóstico e intervenção com idosos na ótica psicanalítica

- Diagnóstico e intervenção com idosos

TEMAS CLÁSSICOS E ATUAIS EM PSICODIAGNÓSTICO

- Diagnóstico e equipe multidisciplinar

- Diagnóstico e intervenção com portadores de deficiência e pessoas com necessidades especiais

- Diagnóstico extra-consultório

- Duração do processo psicodiagnóstico e remuneração

- Tipos de vínculos na ótica de Pichon-Riviére, dependência e apego

- Rorschach e hipótese projetiva

- Teste Rorschach - apresentação e fundamentação

- Testes e técnicas atuais em psicodiagnóstico I

- Testes e técnicas atuais em psicodiagnóstico II

- Testes e técnicas atuais em psicodiagnóstico III

- Aplicação e cuidados - noções

- Interpretação dos resultados do Rorschach I

- Interpretação dos resultados do Rorschach II

- Interpretação dos resultados do Rorschach III

- Rorschach, psicodiagnóstico e cinema

3. PROPOSTA METODOLÓGICA

O processo de ensino-aprendizagem na disciplina é estruturado com base em três

momentos: pré-aula, aula e pós-aula. Em cada um dos encontros o acadêmico desenvolve diferentes atividades para cada um dos momentos da aula. O material da disciplina composto pela bibliografia adotada, bem como atividades, textos, vídeos e demais materiais adotados pelo professor, estará disponível previamente para que o acadêmico se prepare para a aula. O professor é responsável por preparar o material e desenvolver os conteúdos trabalhados em todos os momentos da aula e o acadêmico é responsável por realizar as atividades e acompanhar os encontros de acordo com a sequência proposta. As estratégias de ensino-aprendizagem adotadas na disciplina utilizaram aulas expositivas dialogadas, estudos de casos, estudos em grupo, seminários, debates, painéis integrados ou outras metodologias ativas pertinentes ao conteúdo e a proposta do encontro.

4. SISTEMÁTICA DE AVALIAÇÃO

A avaliação do desempenho do acadêmico na disciplina é efetuada através de

avaliações parciais e oficiais. As avaliações parciais são o resultado do rendimento do acadêmico por meio de uma nota expressa em valor numérico, de acordo com as regras de avaliação da Instituição de Ensino, obtida através da realização do conjunto de atividades previamente estabelecidas pelo professor. As avaliações oficiais são o resultado do rendimento do acadêmico expresso em valor numérico, de acordo com as regras de avaliação da Instituição de Ensino, obtida através da realização de provas bimestrais, dos conteúdos ministrados pelo professor, com data e valor previamente estabelecidos. Os demais encaminhamentos referentes ao processo de avaliação seguem as regras de avaliação da Instituição de Ensino.

5. REFERÊNCIAS BIBLIOGRÁFICAS

Referências Básicas

CUNHA, Jurema Alcides e Colaboradores Psicodiagnóstico - V, 5edição Reviisada e Ampliada Local: Grupo A Porto Alegre 04/2011

PSICODIAGNÓSTICO interventivo: evolução de

uma prática. São Paulo: Cortez, 2013. 239p. ISBN

9788524920646.

OCAMPO, María Luisa Siquier de. O processo

psicodiagnóstico e as técnicas projetivas. 9 ed. São Paulo (SP) Martins Fontes 1999 446 p. ISBN

8533609981.

Referências Complementares

Bossa, Nadia A. Dificuldades de Aprendizagem Local: Grupo A Porto Alegre 2000-01-01

AVALIAÇÃO psicopedagógica do adolescente. 4 ed. Petrópolis (RJ) Vozes 2000 285 p. ISBN

853261955X.

INDISCIPLINA na escola : alternativas teóricas e práticas. 7 ed. São Paulo (SP) Summus 1996 148 p. ISBN 8532305830.

PAIN, Sara. Diagnóstico e tratamento dos problemas de aprendizagem. Porto Alegre (RS) Artmed 1985 86 p. ISBN 8573074140.

FERNÁNDEZ, Alícia. A inteligência aprisionada :

abordagem psicopedagógica clínica da criança e sua família. Porto Alegre (RS) Artmed 1991 216 p. ISBN 8573077018.

© 2018. Todos os direitos reservados.