Você está na página 1de 4
Escola Estadual de Ensino Médio Professor João Bento da Costa Disciplina: Língua Portuguesa Docente: Luiz Eduardo
Escola Estadual de Ensino Médio Professor João Bento da Costa
Disciplina: Língua Portuguesa
Docente: Luiz Eduardo Souza
Aluno (a):
Nº ________
Série/turma:
________
Valor: 10.0

AVALIAÇÃO DE RECUPERAÇÃO DE LÍNGUA PORTUGUESA

Gabarito de Respostas – Preencha com A B C D E 01 02 03 04 05
Gabarito de Respostas – Preencha com
A
B
C D
E
01
02
03
04
05
06
07
08
09
10

01.Leia o texto e responda as questões

“Vício na fala”, de 1925, é um dos mais
“Vício
na
fala”,
de
1925,
é
um
dos
mais

conhecidos registros poéticos do Modernismo. Entre as características do movimento que ele apresenta, podemos identificar a

  • a) rejeição do eruditismo e do engajamento

político.

  • b) defesa da norma culta e do academicismo.

c)

valorização

da

coloquialismo.

língua

falada

e

do

  • d) celebração da vida rural e da modernidade.

  • e) crítica às políticas públicas na educação e na

saúde.

Leia o texto e responda as questões

Escola Estadual de Ensino Médio Professor João Bento da Costa Disciplina: Língua Portuguesa Docente: Luiz Eduardo

02.Em sua análise, o crítico Antonio Candido argumenta que

a)

os modernistas de 1922 exploraram uma

expressão do índio atrelada ao aspecto primitivo,

diferentemente dos escritores românticos, que o haviam idealizado.

b)

o índio, como elemento étnico nacional,

acabou marginalizado na literatura brasileira, sendo despojado dos atributos de humanidade

que caracterizavam o homem europeu.

 

c)

a autenticidade do índio, retomada pelos

modernistas

de

1922,

ganhara

com

os

românticos a

exata

dimensão

da

cultura

brasileira, em oposição à europeia.

d)

a visão romântica do índio preocupava-se

menos em engrandecê-lo do que caracterizar a

paisagem brasileira, concepção negada pelos modernistas de 1922.

e)

os escritores românticos definiram um

conceito do índio pautado em valores distintos do homem europeu, o qual, mais tarde, inspirou

os modernistas de 1922.

03.Leia o texto e responda as questões.

O mundo é grande

O mundo é grande e cabe

Nesta janela sobre o mar.

O mar é grande e cabe

Na cama e no colchão de amar.

O amor é grande e cabe

No breve espaço de beijar.

(ANDRADE, Carlos Drummond de.)

Neste

poema, o poeta realizou uma opção

estilística:

a

reiteração

de

determinadas

construções e expressões linguísticas, como o uso da mesma conjunção para estabelecer a

relação

entre

as

frases.

Essa conjunção

estabelece, entre as ideias relacionadas, um sentido de:

a)

comparação

b)

conclusão.

c)

oposição.

d)

alternância.

e)

finalidade.

04. Observe as formas sublinhadas em:

“Morava então (1893) em uma casa de pensão no Catete. Já por esse tempo este gênero de residência florescia no Rio de Janeiro. Aquela era pequena e tranquila.” Com relação ao termos destacados marque a alternativa correta:

a)As palavras destacadas são importantes operadores coesivos, pois servem para fazer referência ao que já foi dito .

b)As palavras destacadas estão sendo usadas inadequadamente no texto.

c)As palavras destacadas não retomam nenhum elemento do texto.

d)Não coesão textual no trecho acima.

e)As

palavras destacadas são pronomes

possessivos e fazem referência as pessoas do discurso.

  • 05. Em relação ao Modernismo brasileiro em sua

primeira fase, todas as afirmações seguintes são consideradas corretas, menos uma:

a.

"A poesia aproximou-se, na estrutura rítmica,

vocabular e temática, da prosa."

 

b.

Oswald de Andrade,

Mário de Andrade,

Menotti

del

Picchia

são

nomes

que

bem

representam

"os

iconoclastas

do

momento

inicial".

 

c.

O

poema "José", de

Carlos Drummond de

Andrade,

é

tido

como um

dos mais populares

desse tempo.

d.

Nesse momento histórico, estavam no poder

os senhores rurais, "fortalecidos então pela vigorosa economia do café, que girava em torno do eixo São Paulo-Minas Gerais."

e.

"Esse

sentido

destruidor da literatura

passadista processa-se no período que vai desde a realização da Semana de Arte Moderna

até o ano de 1930, aproximadamente."

  • 06. Considere os textos abaixo:

Texto 1:

"Uma arte genuinamente brasileira, filha do céu e da terra, do Homem e do Mistério.(Menotti del Picchia).

Texto 2:

"Acredito que

o

lirismo

nascido

do

subconsciente,

acrisolado

num

pensamento

claro ou confuso,

cria

fases que

são

versos

inteiros, sem prejuízo de medir tantas sílabas,

com

acentuação

determinada”.

(Mário

de

Andrade)

Assinale as ideias pregadas durante a Semana de Arte Moderna, presentes nos textos acima:

  • a. Valorização das

coisas

brasileiras

e

abandono das regras rígidas da arte poética

tradicional.

  • b. Linguagem coloquial, valorização do folclore brasileiro, colonialismo cultural.

  • c. Versos livres e crítica à sociedade patriarcal brasileira.

  • d. Desejo de integração

no

mundo

e

atualização

no

que

diz

respeito

às

conquistas da técnica.

  • e. Forma

não-tradicional

de

poesia,

nacionalismo

e

preocupação

com

as

causas

econômicas

do

atraso

do

povo

brasileiro.

Leia o texto e responda as questões.

O farrista

Quando o almirante Cabral Pôs as patas no Brasil O anjo da guarda dos índios Estava passeando em Paris. Quando ele voltou de viagem O holandês já está aqui. O anjo respira alegre:

“Não faz mal, isto é boa gente, Vou arejar outra vez.”

O anjo transpôs a barra, Diz adeus a Pernambuco, Faz barulho, vuco-vuco, Tal e qual o zepelim Mas deu um vento no anjo, Ele perdeu a memória. E não voltou nunca mais.

MENDES, M. História do Brasil. Rio de Janeiro: Nova Fronteira, 1992

07.A Obra de Murilo Mendes situa-se na fase inicial do Modernismo, cujas propostas estéticas transparecem, no poema, por um eu lírico que

  • a. configura um ideal de nacionalidade pela integração regional.

  • b. remonta ao colonialismo assente sob um viés iconoclasta.

  • c. repercute as manifestações do sincretismo religioso.

  • d. descreve a gênese da formação do povo brasileiro.

  • e. promove inovações no repertório linguístico.

08.Leia o poema de Murilo Mendes, autor do Modernismo brasileiro

Pré-história

Mamãe vestida de rendas Tocava piano no caos Uma noite abriu as asas Cansada de tanto som Equilibrou-se no azul, De tonta não mais olhou Para mim, para ninguém! Cai no álbum de retratos.

Uma das características das vanguardas modernistas presente no poema é

a)A sequência de imagens aparentemente sem conexão entre si.

b)A sequências de imagens regionais do Brasil.

c)A sequência de imagens dos familiares do autor.

d)a sequência de imagens provenientes da memória coletiva do Brasil.

e) A sequência de imagens provenientes do cotidiano do autor.

09. Leia o texto e, a seguir, responda.

Carta aos senhores deputados (

...

)

A comissão de Meio Ambiente da Câmara

dos Deputados está para votar o Projeto de Lei 6424/05 que propõe mudanças, para pior, no Código Florestal brasileiro. A proposta, apelidada

de “Floresta Zero”, diminuiu de 80% para 50% a

área com vegetação original que deve ser conservada e usada apenas para a atividade de manejo florestal das propriedades privadas na Amazônia, a chamada Reserva Legal.

A Amazônia não é apenas a maior floresta tropical do planeta; é uma das regiões de maior biodiversidade do mundo. Seu destino está intrinsicamente ligado ao futuro do clima global:

a proteção da floresta pode significar um planeta menos quente, enquanto sua destruição representa o agravamento do aquecimento global. A chuva produzida na Amazônia, por exemplo, é essencial para a geração de energia, produção de alimentos e abastecimento de água nas regiões Centro, Sul e Sudeste do Brasil.

[ ] ...

Esta carta tem a finalidade de

  • A) apontar a diminuição da área de vegetação

original de 80% para 50%.

  • B) descrever a Floresta Amazônica, bem como sua vegetação, clima e biodiversidade.

  • C) explicar sobre a importância da chuva produzida na Amazônia que gera energia e alimentos.

  • D) instruir a comissão do Meio Ambiente da Câmara dos deputados a respeito da

proposta apelidada por “Floresta Zero.”

  • E) alertar sobre a possibilidade de se aprovar o

Projeto de Lei 6.424/05, que propõe mudanças para pior, no Código Florestal, conforme os autores da carta.

10. Sobre os tipos de intertextualidade estão corretas as seguintes proposições:

I. A paródia não pode ser considerada como um tipo de intertextualidade por se tratar de uma releitura cômica, geralmente envolvida por um caráter humorístico e irônico que altera o sentido original, criando, assim, um novo.

II.

O

termo

“paráfrase”

vem

do

grego

(paraphrasis) e significa a “reprodução de uma

sentença”.

Diferente

da

paródia,

ela

faz

referência a um ou mais textos sem que a ideia original seja alterada.

III. Muitas vezes, a paródia e a paráfrase são consideradas termos sinônimos, no entanto, cada uma apresenta sua singularidade. Ambas são recursos utilizados na literatura, artes, música, cinema, escultura, entre outros.

IV.

O termo “epígrafe” vem

do grego

epi

=

posição superior”; “graphé = escrita”. Esse tipo

de

intertextualidade

ocorre quando

um

autor

recorre a algum trecho de um texto já existente

para introduzir

o

seu

texto.

É um trecho

introdutório para

outro

que

venha

a

ser

produzido.

 

V. Na citação, o texto original é retomado, de forma que seu sentido passa a ser alterado. Normalmente, a paródia apresenta um tom crítico, muitas vezes, marcado por ironia.

  • a) I e III.

  • b) II, III e IV.

  • c) I e V.

  • d) III, IV e V.

  • e) Apenas IV está correta.