Você está na página 1de 1

24/03/2018 Bloqueio Continental - História - InfoEscola

Bloqueio Continental
Por Cristine Delphino

Ouça este conteúdo


0:00 03:12

O Bloqueio Continental foi um decreto datado de 21 de novembro de 1806, que consistia em impedir o
acesso a portos dos países dominados pelo Império Francês a navios do Reino Unido da Grã Bretanha
(Inglaterra) e Irlanda. Com isso, o principal objetivo era isolar economicamente as Ilhas Britânicas,
sufocando suas relações comerciais.

Napoleão justificou tal violação do direito internacional como uma


represália á ação de bloqueio dos portos franceses por navios da
Marinha do Reino Unido.

Mas, para que o Bloqueio Continental tivesse total eficácia, a França


dependia de que todos os países da Europa aderissem á idéia, e para
isso era necessária a adesão de todos os portos localizados nos
extremos do Continente. Os portos dos impérios russo, austríaco e
português eram os quais Napoleão precisava para seu êxito total no
decreto.

O acordo de Tilsit, firmado com o Czar Alexandre I da Rússia em julho


de 1807, garantiu o encerramento do extremo leste da Europa. Agora
faltava o extremo Oeste, onde ficavam os portos das cidades de Bloqueio Continental (1)
Lisboa e do Porto, pertencentes ao império português.

O Governo de Portugal se recusava á aderir ao bloqueio devido á sua aliança com a Inglaterra, da qual era
extremamente dependente. Suas riquezas vinham de suas colônias, principalmente do Brasil. Com um reino
decadente, Portugal não tinha como enfrentar Napoleão.

A Inglaterra reagiu, e em janeiro de 1807 foram emitidas algumas ordenanças que institucionalizaram o
comportamento da Marinha Real Britânica com relação aos navios neutros que tinham como destino os portos
franceses. Os navios abordados em alto-mar eram capturados e vendidos em leilão, além de ter toda a carga
sequestrada. Como resultado, as mercadorias coloniais desapareceram dos mercados dos países que
aderiram ao bloqueio.

Em agosto de 1807, Napoleão enviou um ultimato ao Príncipe Regente de Portugal, D. João (que viria a se
tornar D. João VI). Ou ele rompia com a Inglaterra, ou Portugal seria invadido pelas tropas francesas. Mas, a
Inglaterra ofereceu proteção à Família Real Portuguesa e forçou D. João á aceitar o embarque para o Brasil.
(Leia: a Vinda da Família Real Portuguesa para o Brasil).

O bloqueio ficou mal visto pelas nações “aliadas” á França e isto contribuiu para reduzir o prestigio de
Napoleão nas terras por ele conquistadas.

Fontes:
(1)
http://www.notapositiva.com/trab_estudantes/trab_estudantes/historia/historia_trab/periodonapoleonico.htm
http://pt.wikipedia.org/wiki/Bloqueio_Continental
http://bloguehistorico6.wordpress.com/2007/12/08/do-bloqueio-continental-a-1%C2%BA-invasao-francesa/

https://www.infoescola.com/historia/bloqueio-continental/ 1/1