Você está na página 1de 52

Ciclos Biogeoquímicos

 O que acontece com a matéria em um


ecossistema?

 A matéria na forma de nutrientes circula


dentro e entre os ecossistemas
CICLOS BIOGEOQUÍMICOS

Biogeoquímico é o resultado dos conjuntos de


agentes biológicos (microorganismos), constituição
da litosfera (rocha) e degradação química.

A Biogeoquímica é a ciência que estuda a


troca ou a circulação de matéria entre os
componentes vivos e físico-químicos da Biosfera
(Odum, 1971).
CICLOS BIOGEOQUÍMICOS

Ciclos: representam a troca e a circulação de


matéria entre os componentes vivos e físico-químicos da
biosfera.

Bio: os organismos interagem no processo de


síntese orgânica e na decomposição dos elementos.

Geo: o meio terrestre (solo) é o reservatório dos


elementos.

Químico: ciclo dos elementos e processos


químicos de síntese e decomposição.
Ciclos Biogeoquímicos
Ciclos Biogeoquímicos

Os compostos nutricionais movem-se


continuamente entre compartimentos:
 Solo
 Água
 Ar
 Rochas
 Organismos
Ciclos Biogeoquímicos

A ciclagem da matéria se dá direta ou


indiretamente pela ação da:

 Energia Solar
 Gravidade
Ciclos Biogeoquímicos
 O movimento dos nutrientes podem levar ao
acúmulo destes em determinadas partes;

 Formam-se os Reservatórios: locais de


armazenamento temporário
 Água
 Atmosfera
 Litosfera
Ciclos Biogeoquímicos
 Principais ciclos:

 Água
 Carbono
 Oxigênio
 Nitrogênio
 Fósforo
 Enxofre
CICLO DA ÁGUA
 Elemento essencial à vida
 A água é o principal componente dos
organismos vivos

 Solubiliza substâncias

 Atua como regulador térmico do ambiente,


fazendo com que as diferenças de
temperatura entre a noite e o dia sejam
minimizadas graças a seu alto calor
específico.
DISTRIBUIÇÃO DA ÁGUA NO PLANETA
Ciclos Biogeoquímicos
 O ciclo da água é motivado pela energia solar;

 Participam do ciclo os processos de:


 Evaporação
 Condensação
 Precipitação
 Transpiração
Ciclos Biogeoquímicos
 Energia solar Evaporação da
água dos rios,
Absorção
lagos e oceanos
Infiltração
Transpiração

Condensação
Precipitação
nas nuvens
Ciclo da água
 Influências Antrópicas
 Desmatamento
 Impermeabilização via pavimentação do
solo.
 Redução da recarga dos aqüíferos
subterrâneos
 Enchentes nos cursos de água que cortam
centros urbanos
 Poluição
 Represamento e desvios
Ciclo do Carbono
 O carbono é um elemento químico presente na
estrutura de todas as moléculas orgânicas.

 É, portanto, essencial para a vida.

 Na natureza, o carbono encontra-se à disposição


dos seres vivos na forma de CO2 (gás carbônico),
na atmosfera ou dissolvido na água.
Ciclo do Carbono
 O reservatório de carbono é a atmosfera,
onde o nutriente das plantas encontra-se na
forma de dióxido de carbono (CO2)

 Principal constituinte da matéria orgânica


(49% do peso seco).
Ciclo do Carbono
 É regulado por rações metabólica dos organismos

 Fotossíntese
6CO2 + 6 H2O + energia solar = C6H12O6 + 6O2

 Respiração
C6H12O6 + 6O2 = 6CO2 + 6 H2O + 640 kcal / molde
glicose
Ciclo do Carbono
 Cadeia Alimentar: passagem do Carbono
através dos níveis tróficos

 Excrementos e Detritos : decomposição

Retorno do Carbono
para a atmosfera
Ciclo do Carbono
 Difusão Atmosfera – Oceano

 Gás Carbônico se dissolve na água, forma


carbonatos que associam-se com o cálcio e
precipitam, ou são assimilados por
organismos
CO2 + H2O H2CO3
H2CO3 H+ + HCO3-
HCO3- H+ + CO32-
CO32- + Ca2+ CaCO3 (precipitado)
absorvido por moluscos e corais
Ciclo do Carbono
Ciclo do Carbono
Revolução Industrial: uso intenso da
energia armazenada, e do processo de queima,
passou a devolver o CO2 à atmosfera a uma
taxa superior à capacidade assimiladora das
plantas (fotossíntese) e dos oceanos (pela
reação de difusão).

Combustíveis Fósseis
CICLO DO CARBONO

 A queima de combustível fóssil é a principal fonte de


novas entradas

 A agricultura e o desmatamento também contribuem,


pois suas culturas são ativas durante apenas uma parte
do ano, não compensando o CO2 liberado do solo
(lavouras freqüentes) .

 O desmatamento poderá liberar carbono armazenado na


madeira, principalmente se a madeira for queimada
imediatamente

 Se a terra for usada para agricultura ou para


desenvolvimento urbano ocorre rápida oxidação do
húmus e liberação de CO2 gasoso que está retido no solo.
CICLO DO CARBONO

Desmatamento:

1. Aumento do CO2 emitido em função da emissão no


momento da queima.

2. Redução da taxa fotossintética.

3. Queimadas de florestas.

4. Efeito estufa – intervenções antropogênicas no


ciclo do carbono.
CICLO DO NITROGENIO
Principal reservatório é a Atmosfera (78%)
Elemento essencial para a manutenção da
vida;
 Proteinas, Ácidos Nucléicos, clorofila,
ATP
Ciclo do Nitrogênio
 O nitrogênio, assim como o fósforo, são fatores
limitantes do crescimento dos vegetais e tornaram-
se, por isso, alguns dos principais fertilizantes
utilizados hoje na agricultura.
CICLO DO NITROGÊNIO

1. Ciclo gasoso do tipo complexo.

2. Interação dinâmica entre os fluxos e


diferentes grupos de microorganismos.

3. Ciclo importante, pois limita ou


controla a abundância dos organismos.
CICLO DO NITROGÊNIO

O ciclo do nitrogênio, assim como o do carbono, é


um ciclo gasoso. Apesar dessa similaridade, existem
algumas diferenças notáveis entre os dois ciclos:

 a atmosfera é rica em nitrogênio (78%) e pobre em


Carbono (0,032%);

 apesar da abundância de nitrogênio na atmosfera,


somente poucos organismos conseguem utilizar o
nitrogênio gasoso;

 o envolvimento biológico no ciclo do nitrogênio é


muito mais extenso do que no ciclo do carbono.
CICLO DO NITROGÊNIO
Grande parte do nitrogênio existente nos
organismos vivos não é obtida diretamente da
atmosfera, uma vez que a principal forma de nutriente
para os produtores são os nitratos (NO3-).

No ciclo do nitrogênio existem quatro


mecanismos diferentes e importantes:

1. fixação do N atmosférico em nitratos;


2. amonificação;
3. nitrificação;
4. desnitrificação.
Ciclo do Nitrogênio
 Biofixação: fixação do N2 atmosférico
 Bactérias de vida livre – Azotobacter
(aeróbia) e Clostídium (anaeróbia)
 Bactérias simbiontes com plantas –
Rhizobium
 Algas azuis (cianofíceas) – Anabaena,
Nostoc
 Bactérias do solo – semelhante as
Pseudomonas
 Fungos Actinomicetos
Ciclo do Nitrogênio
 Fator chave da biofixação:
 Enzima nitrogenase – catalisa a quebra da
tripla ligação do N2

2N2 + 3 H2O 3 NH3


 Alto custo energético – 10 g de glicose fixam 1g
de nitrogênio
 Os fixadores de vida livre são menos eficientes
 Biofixação é mais eficiente em ambientes com
déficit de oxigênio (simbiose)
Ciclo do Nitrogênio
 Amonificação

 Neste processo o N não é oxidado e sua


energia potencial é mantida.

 Nitrogênio orgânico é transformado em


amônida (NH3) e íon amônio (NH4+)
Ciclo do Nitrogênio
 Nitrificação

 Envolve a transformação de NH3 em NO2-


e depois em NO3-

 Neste processo grande parte da energia


química é liberada a cada passo da reação.
Ciclo do Nitrogênio
 NH3 NO2- NO3-
Nitrosomonas Nitritobacter
Nitrosococus Nitrococus

Reações oxidantes – dependentes da presença de O2

Em ambientes anaeróbios o nitrato e nitrito estão


mais oxidados e podem agir como receptores de
elétrons: DENITRIFICAÇÃO
Ciclo do Nitrogênio
DESNITRIFICAÇÃO
Sob tais condições o nitrogênio é reduzido a
óxido nítrico
NO3- v NO2- v NO v N 2O N2(g)

O processo de denitrificação é realizado


por bactérias Pseudomonas
CICLO DO NITROGÊNIO

O nitrogênio, assim como o fósforo, são


fatores limitantes do crescimento dos vegetais
e tornaram-se, por isso, alguns dos principais
fertilizantes utilizados hoje na agricultura.

Esse excesso, carregado para os rios,


lagos e lençóis de água subterrâneos tem
provocado o fenômeno da eutrofização,
comprometendo a qualidade das águas.
Ciclo do Nitrogênio
Ciclo do Nitrogênio
CICLO DO FÓSFORO

Rochas sedimentares são o reservatório natural do fósforo.


A forma mais comum para a absorção dos vegetais é o
PO4.
Assim como o nitrogênio, é um elemento limitante,
controlando a abundância dos organismos.
O fósforo é o material genético constituinte das moléculas
de DNA e RNA e componente dos ossos e dentes.
Ciclo do Fósforo
 Ciclo: fundamentalmente sedimentar, mais precisamente
as rochas fosfatadas e alguns depósitos formados ao longo
de milênios.

 Liberação: Por meio de processos erosivos, na forma de


fosfatos, que serão utilizados pelos produtores.

 Parte desses fosfatos liberados é carreada para os oceanos,


onde se perde em depósitos a grande profundidades, ou é
consumida pelo fitoplâncton.
Ciclo do Fósforo
 Os meio de retorno do fósforo para os ecossistemas a
partir do oceanos são insuficientes para compensar a
parcela que se perde.

 Devido a movimentos tectônicos, existe a possibilidade


de levantamentos geológicos que tragam de volta o
fósforo perdido.

 Por meio da reciclagem, o fósforo, em compostos


orgânicos, é quebrado pelos decompositores e
transformado em fosfatos, sendo novamente utilizado
pelos produtores.
Ciclo do Fósforo
 Ao mesmo tempo em que reduzem a taxa de
retorno, os seres humanos, agindo sobre a
natureza com a exploração da mineração,
ocupação desordenada do solo, desmatamentos e
agricultura, entre outras atividades, aceleram o
processo de perda de fósforo do ciclo.
CICLO DO FÓSFORO
INTERVENÇÕES ANTRÓPICAS

- EUTROFIZAÇÃO -

1. Despejos de efluentes ricos em fosfatos.


Ex.: detergentes.

2. Utilização de fertilizantes químicos,


ricos em fosfatos.
Ciclo do Fósforo
 Precipitação do P nos ambientes aquáticos

 Ambientes ricos em Fe (hidróxido de Ferro


hidratado)
Fe3+ + PO4- (FePO4)3- (insolúvel)

 A cada 1mg de íon férrico = 0,5 mg PO43- são


consumidos
 Precipitação gera sedimento marrom
 Também ocorre na presença de Al3+
 Processo mais eficiente em meios ácidos
Ciclo do Fósforo
 Retorno do Fósforo para o meio
 Ocorre em baixas concentrações de O2 e em anaerobiose;
 Sem o oxigênio o Fe se mantém na forma Fe2+, e nessa
valência não se associa ao PO43+
 Em condições aeróbioas forma-se uma camada de oxidação
na superfície do sedimento, impedindo a liberação do PO4
 Se houver condição de anaerobiose no hipolimnio, ocorre a
liberação do fósforo
 Macrófitas aquáticas enraizadas nos sedimentos rasos
podem absorver o PO4 que retorna ao hipolimnio
Fósforo
Ciclo do Enxofre
 Elemento essencial na composição de aminoácidos
 Reservatório misto
 Maior no solo
 Menor na atmosfera
 É movimentado pela ação integrada de
microrganismos através de reações de oxidação e
redução
 Apresenta uma série de interações entre processos
geoquímicas, meteorológicos e biológicos
Ciclo do Enxofre
 SO4 é a principal forma absorvida pelas plantas
H2S S SO4 (Oxidação: bactérias do enxofre)

SO4 H2S (Redução anaeróbia do sulfato: bactérias


desulfovíbrias)
H2S SO4 (oxidação aeróbia do sulfeto; bactérias
triobacilos)
S(org) SO4 H2S (microrganismos heterotróficos
aeróbios ou anaeróbios)