Você está na página 1de 15

QUESTÕES DE PROVA – FCC – ORÇAMENTO NA CF

1) (FCC – Analista Judiciário - Administrativa – TRT 24ª – 2011) Instrumento de planejamento utilizado
no setor público no qual devem ser estabelecidas, de forma regionalizada, as diretrizes, os objetivos e as
metas da Administração Pública Federal para as despesas de capital e outras delas decorrentes. Trata-se de

(A) Plano Plurianual.


(B) Lei Orçamentária Anual.
(C) Orçamento Plurianual.
(D) Lei de Diretrizes Orçamentárias.
(E) Plano Diretor.

2) (FCC – Analista Judiciário - Contabilidade – TRF 1ª – 2011) O instrumento constitucional de


planejamento que estabelecerá, de forma regionalizada, as diretrizes, objetivos e metas da Administração
Pública para as despesas de capital, e outras delas decorrentes, e para os programas de duração continuada,
denomina-se

(A) Lei de Diretrizes Orçamentárias.


(B) Lei Orçamentária Anual.
(C) Orçamento Fiscal.
(D) Orçamento de Investimento.
(E) Plano Plurianual.

3) (FCC – Procurador de Contas – TCE/AL – 2008) Quando a lei estabelece, de forma regionalizada, as
diretrizes, objetivos e metas da administração pública federal para as despesas de capital e outras delas
decorrentes e para as relativas aos programas de duração continuada, está instituindo

(A) a lei orçamentária anual.


(B) as diretrizes orçamentárias.
(C) o orçamento da seguridade social.
(D) o orçamento das empresas estatais.
(E) o plano plurianual.

4) (FCC - Especialista em Adm, Orçamento e Fin Pub - Prefeitura de SP - 2010) Nos termos da
Constituição Federal de 1988, o instrumento de planejamento que deve estabelecer as diretrizes relativas
aos programas de duração continuada é

(A) a LDO − Lei de Diretrizes Orçamentárias.


(B) o Anexo de Metas Fiscais.
(C) a LOA − Lei Orçamentária Anual.
(D) o Anexo de Riscos Fiscais.
(E) o PPA − Plano Plurianual.

5) (FCC – APOPF/SP – 2010) A lei que instituir o Plano Plurianual estabelecerá, de forma regionalizada,
as diretrizes, objetivos e metas da administração pública federal para as despesas

(A) de capital e outras delas decorrentes e para as relativas aos projetos de investimentos.
(B) correntes e outras delas decorrentes e para as relativas aos programas de duração continuada.
(C) de capital e outras delas decorrentes e para as relativas aos programas de duração predeterminada.
(D) de capital e outras delas decorrentes e para as relativas aos programas de duração continuada.
(E) correntes e outras delas decorrentes e para as relativas aos programas meio do governo.

1
6) (FCC – Analista Judiciário - Administrativa – TRT 24ª – 2011) As metas e prioridades da
Administração Pública, incluindo as despesas de capital para o exercício subsequente, são definidas

(A) no Plano Plurianual.


(B) na Lei de Diretrizes Orçamentárias.
(C) no Orçamento Fiscal.
(D) no Plano de Investimento.
(E) no Orçamento de Investimentos.

7) (FCC – Analista Judiciário - Administrativa – TRE/TO – 2011) Analise as seguintes afirmações


relativas à Lei das Diretrizes Orçamentárias:

I. Disporá sobre critérios e forma de limitação de empenho quando as metas de resultado primário e
nominal do ente público não possam ser alcançadas.
II. Estabelecerá a política de aplicação das agências financeiras oficiais de fomento.
III. Estabelecerá as despesas de capital para os dois exercícios financeiros subsequentes.
IV. Conterá Anexo de Metas Fiscais, onde serão avaliados os passivos contingentes e outros riscos
capazes de afetar as contas públicas.

Está correto o que se afirma APENAS em


(A) I e II.
(B) I e III.
(C) II e III.
(D) II e IV.
(E) III e IV.

8) (FCC – Técnico Judiciário - Administrativa – TRT 22ª – 2010) O instrumento que compreende as
metas e prioridades da administração pública federal, incluindo as despesas de capital para o exercício
financeiro subsequente, orienta a elaboração da lei orçamentária anual, dispõe sobre as alterações na
legislação tributária e estabelece a política de aplicação das agências financeiras oficiais de fomento,
denomina-se

(A) Parceria Público-Privada.


(B) Plano Plurianual.
(C) Lei de Diretrizes Orçamentárias.
(D) Lei de Responsabilidade Fiscal.
(E) Fundo de Participação.

9) (FCC - Agente Administrativo – MPE/RS – 2010) A lei que compreende as metas e prioridades da
administração pública federal, incluindo as despesas de capital para o exercício financeiro subsequente, é

(A) a Lei de Improbidade Administrativa.


(B) o Plano Plurianual.
(C) a Lei Orçamentária anual.
(D) a Lei de Responsabilidade Fiscal.
(E) a Lei de Diretrizes Orçamentárias.

2
10) (FCC – Analista Judiciário - Contabilidade – TRF 1ª – 2011) Lei de iniciativa do Poder Executivo que
compreenderá, dentre outras, as metas e prioridades da administração pública, incluindo as despesas de
capital para o exercício financeiro subsequente, denomina-se

(A) Plano Plurianual.


(B) Orçamentária Anual.
(C) Programação de Investimentos.
(D) Diretrizes Orçamentárias.
(E) Orçamento de Custeio e Capital.

11) (FCC – Técnico Judiciário - Administrativa – TRT 24ª – 2011) Por força do disposto na Constituição
Federal, a lei orçamentária anual

(A) compreenderá metas e prioridades da Administração Pública Federal, incluindo as despesas de capital
para o exercício financeiro.
(B) compreenderá o orçamento fiscal, apenas.
(C) compreenderá o orçamento fiscal, o de investimentos das empresas estatais e o da seguridade social.
(D) disporá sobre as alterações na legislação tributária.
(E) compreenderá e estabelecerá a política de aplicação das agências financeiras oficiais de fomento.

12) (FCC – Técnico de Controle Externo - TCM/PA – 2010) Em relação à Lei Orçamentária Anual (LOA)
de um governo estadual é correto afirmar que

(A) as funções educação, saúde e assistência social integrarão o orçamento da seguridade social.
(B) todas as receitas e despesas das empresas de economia mista serão compreendidas pela LOA.
(C) a autorização para abertura de créditos adicionais especiais poderá ser incluída na LOA.
(D) as operações de crédito por antecipação da receita orçamentária integrarão a receita prevista na LOA.
(E) os orçamentos das autarquias e fundações instituídas e mantidas pelo Poder Público serão abrangidos
pela LOA.

13) (FCC – Auditor Substituto de Conselheiro - TCE/RO – 2010) Constará da Lei Orçamentária Anual o

(A) Anexo de Riscos Fiscais.


(B) Relatório da Gestão Fiscal.
(C) Orçamento da Seguridade Social.
(D) Orçamento Monetário do Banco Central.
(E) Anexo de Metas Fiscais.

14) (FCC – Analista Judiciário - Administrativa – TRE/RN – 2011) De acordo com a Constituição Federal
de 1988, as peças que compõem o Orçamento Geral da União são:

(A) os Orçamentos Fiscal, da Seguridade Social e de Investimento das Empresas Estatais Federais.
(B) os Orçamentos Monetário, Fiscal e Social, além do Plano Plurianual (PPA).
(C) o Orçamento Fiscal, o Plano Plurianual e a Lei Orçamentária Anual.
(D) a Lei de Diretrizes Orçamentárias e os Orçamentos Fiscal e de Investimento das Empresas Estatais
Federais.
(E) a Lei Orçamentária Anual e o Orçamento Fiscal.

3
15) (FCC – Assistente de CE- TCE/AM – 2008) A lei orçamentária anual deve compreender o orçamento

(A) do Poder Executivo, somente.


(B) dos Poderes Executivo e Judiciário, somente.
(C) dos órgãos e entidades da administração direta e indireta, exceto o orçamento da Seguridade Social.
(D) dos órgãos e entidades da administração direta e indireta, exceto o orçamento das fundações
instituídas e mantidas pelo Poder Público.
(E) de investimento das empresas em que a União, direta ou indiretamente, detenha a maioria do capital
social com direito a voto.

16) (FCC – Técnico Judiciário - Administrativa – TRT 22ª – 2010) A Lei Orçamentária Anual
compreende o

(A) orçamento fiscal, as diretrizes orçamentárias e o orçamento de investimento das empresas.


(B) plano plurianual, o orçamento fiscal e o orçamento de investimento das empresas.
(C) plano plurianual, as diretrizes orçamentárias e o orçamento fiscal.
(D) orçamento fiscal, o orçamento da seguridade social e as diretrizes orçamentárias.
(E) orçamento fiscal, o orçamento de investimento das empresas e o orçamento da seguridade social.

17) (FCC - Analista Judiciário – Apoio Especializado - TRT- 18° Região-2008) A Constituição Federal,
no capítulo das Finanças Públicas e na seção dos orçamentos, prevê que leis de iniciativa do Poder
Executivo estabelecerão:

I. o plano plurianual;
II. as diretrizes orçamentárias;
III. os orçamentos anuais.

É correto o que consta em

(A) II e III, apenas.


(B) I e III, apenas.
(C) I, II e III.
(D) I e II, apenas.
(E) III, apenas.

18) (FCC – Analista Judiciário - Contabilidade – TRT 4ª – 2011) O orçamento da seguridade social
compreende SOMENTE as despesas

(A) correntes da previdência social, assistência social e saúde.


(B) nas funções previdência social, saúde e educação.
(C) nas funções previdência básica, saúde e assistência social.
(D) correntes da saúde e previdência básica e de capital da assistência social.
(E) nas funções previdência social, assistência social e saúde.

19) (FCC – Analista Judiciário - Administrativa – TRF 1ª – 2011) A Lei Orçamentária Anual – LOA

(A) compreende apenas o orçamento fiscal referente aos Poderes da União, seus fundos, órgãos e
entidades da administração direta e indireta, inclusive fundações instituídas e mantidas pelo poder público.
(B) exclui o orçamento da seguridade social, que abrange órgãos da administração direta ou indireta, bem
como os fundos e fundações instituídos e mantidos pelo poder público.
(C) não pode conter dispositivo que autorize a abertura de créditos suplementares ou a contratação de
operações de crédito.

4
(D) compreende também o orçamento de investimento das empresas em que a União detenha a totalidade
do capital social com direito a voto.
(E) discrimina os recursos orçamentários e financeiros para o a realização das metas e prioridades
estabelecidas pela Lei de Diretrizes Orçamentárias.

20) (FCC – Procurador de Contas – TCE/AP – 2010) NÃO é parte integrante do orçamento anual

(A) a reserva de contingência.


(B) o anexo de riscos fiscais.
(C) o orçamento de investimento.
(D) o orçamento da seguridade social.
(E) o orçamento fiscal.

21) (FCC – Assessor - MPE/RS – 2008) Considere as afirmações em relação ao Orçamento Público no
Brasil.

I. A Lei Orçamentária Anual compreenderá o orçamento fiscal, o orçamento de investimento das empresas
em que o Estado, direta ou indiretamente, detenha a maioria do capital social com direito a voto e o
orçamento da seguridade social.
II. A Lei de Diretrizes Orçamentárias tem a finalidade de nortear a elaboração dos orçamentos anuais de
forma a adequá-los às diretrizes, objetivos e metas da administração pública, estabelecidos no plano
plurianual.
III. O Plano Plurianual é um plano de médio prazo, através do qual procura-se ordenar as ações do
governo que levem à realização dos objetivos e metas fixadas para um período de cinco anos.
IV. A Lei dos Orçamentos Anuais é o instrumento utilizado para a conseqüente materialização do
conjunto de ações e objetivos que foram planejados visando ao atendimento e bem-estar da coletividade.
V. A Lei de Diretrizes Orçamentárias compreenderá as metas e prioridades da administração pública.
São verdadeiras APENAS as afirmações

(A) II e IV.
(B) I, II, IV e V.
(C) II e III.
(D) I, IV e V.
(E) I, II e III.

22) (FCC – Analista Judiciário - Administrativa – TRT 4ª – 2011) Com relação ao Orçamento Público no
Brasil, considere as afirmativas abaixo.

I. A Lei Orçamentária Anual inclui o orçamento fiscal, o orçamento da seguridade social e o orçamento de
investimento das empresas estatais, direta ou indiretamente, controladas pela União.
II. A lei dos orçamentos anuais é o instrumento utilizado para a conseqüente materialização do conjunto
de ações e objetivos que foram planejados visando ao atendimento e bem-estar da coletividade.
III. A Lei de Diretrizes Orçamentárias compreenderá as metas e prioridades plurianuais da administração
pública.
IV. A Lei de Diretrizes Orçamentárias tem a finalidade de nortear a elaboração dos orçamentos anuais de
forma a adequá-los às diretrizes, objetivos e metas da administração pública, estabelecidos no Plano
Plurianual.
V. O Plano Plurianual é um plano de médio prazo, através do qual procura-se ordenar as ações do governo
que levem à realização dos objetivos e metas fixadas para um período de quatro anos.

Estão corretas SOMENTE


(A) II, III e IV.

5
(B) I e V.
(C) I, II, IV e V.
(D) I e III.
(E) II, III, IV e V.

23) (FCC – Técnico de Controle Externo - TCM/PA – 2010) Sobre orçamento, é correto afirmar que

(A) o demonstrativo regionalizado do efeito, sobre as receitas e despesas, decorrente de isenções, anistias,
remissões, subsídios e benefícios de natureza financeira, tributária e creditícia é objeto do plano
plurianual.
(B) as despesas de capital para o exercício financeiro subsequente são objeto do plano plurianual.
(C) a orientação da elaboração da lei orçamentária anual é objeto da lei de diretrizes orçamentárias.
(D) as diretrizes, objetivos e metas da administração pública federal para as despesas relativas aos
programas de duração continuada são previstas na lei de diretrizes orçamentárias.
(E) o objeto do plano plurianual vem definido na Lei Complementar n° 101/00 − Lei de Responsabilidade
Fiscal.

24) (FCC – Auditor Substituto de Conselheiro - TCE/RO – 2010) Considere as afirmações a seguir,
relativas ao processo de planejamento e orçamento previsto na Constituição de 1988 e regulamentado pela
Lei de Responsabilidade Fiscal (Lei Complementar nº 101/2000):

I. O Plano Plurianual de Investimentos deverá estabelecer as diretrizes, os objetivos e as metas da


administração pública federal para as despesas de capital de forma centralizada.
II. A Lei Orçamentária Anual disporá sobre as alterações na legislação tributária a viger durante o
exercício a que se referir.
III. A Lei das Diretrizes Orçamentárias tem, entre suas atribuições, a de estabelecer a política de aplicação
das agências financeiras oficiais de fomento.
IV. O Plano Plurianual tem a vigência de quatro anos, iniciando-se no segundo ano do mandato do Chefe
do Poder Executivo e terminando no primeiro ano do mandato de seu sucessor.

Está correto o que se afirma APENAS em


(A) I e II.
(B) I e III.
(C) II e III.
(D) II e IV.
(E) III e IV.

25) (FCC – Técnico Judiciário - Administrativa – TRT 4ª – 2011) Com relação às características do
Orçamento Público de acordo com a Constituição Federal, considere as afirmativas abaixo:

I. A Lei Orçamentária Anual é composta de três orçamentos diferentes: fiscal, da seguridade social e de
investimentos das estatais.
II. O orçamento da seguridade social corresponde à ação do governo em três setores: saúde, previdência e
assistência social.
III. A Lei de Diretrizes Orçamentárias (LDO) prioriza as metas do PPA e orienta a elaboração do
Orçamento Geral da União que terá validade para o ano seguinte.
IV. A finalidade do PPA é a de estabelecer objetivos e metas que comprometam o Poder Executivo e o
Poder Legislativo a dar continuidade aos programas na distribuição dos recursos.
V. Com base na LDO, o Poder Executivo elabora o Plano Plurianual (PPA) para os quatro anos seguintes,
com a participação dos Ministérios (órgãos setoriais) e das unidades orçamentárias dos Poderes
Legislativo e Judiciário.

6
Estão corretas SOMENTE:
(A) I, II, III e V.
(B) II, III e V.
(C) I, III e IV.
(D) II, IV e V.
(E) I, II, III, IV.

26) (FCC – ACE/TI - TCE/AM – 2008) Sobre as finanças públicas disciplinadas na Constituição Federal,
considere:

I. A Lei Orçamentária Anual (LOA) é um instrumento intermediário entre o Plano Plurianual (PPA) e a
Lei de Diretrizes Orçamentárias (LDO).
II. As diretrizes, objetivos e metas da administração pública para investimentos que ultrapassem um ano
devem ser estabelecidos no PPA.
III. As metas e as prioridades da administração pública para um período de um ano devem ser
estabelecidas na LOA.
IV. A política econômico-financeira e o plano de trabalho do governo para um período de um ano devem
ser estabelecidos na LDO.

Está correto o que consta APENAS em


(A) I.
(B) I e II.
(C) II.
(D) II, III e IV.
(E) III e IV.

27) (Administrador – MPE/AM – 2013) A Constituição Federal de 1988 indica que o Plano Plurianual
(PPA) deve ser elaborado como um instrumento regionalizado. Esta indicação tem como motivação o fato
de

(A) a regionalização ser um termo financeiro para auxiliar a discriminação de receitas e despesas por
distintas
categorias.
(B) o país apresentar grandes diferenças e desigualdades regionais.
(C) o orçamento ter que obedecer à divisão geográfica do país em quatro macrorregiões.
(D) o Brasil ser um país de grande extensão territorial, facilitando a organização do Orçamento.
(E) a Constituição promover as especificidades culturais e regionais do país.

28) (Administrador – MPE/AM – 2013) A Lei de Diretrizes Orçamentárias (LDO)

I. está atrelada ao Plano Plurianual (PPA) como instrumento de execução que determina a consecução dos
programas governamentais.
II. deverá ser proposta por iniciativa privativa do Poder Legislativo.
III. tem, dentre suas competências, a de dispor sobre as alterações na legislação tributária.
IV. ganha complexidade, dispondo sobre mais elementos, a partir da publicação da Lei de
Responsabilidade
Fiscal (Lei Complementar no 101/2000).

Está correto o que se afirma em

(A) III e IV, apenas.


(B) I, II e III, apenas.

7
(C) I, II e IV, apenas.
(D) II e IV, apenas.
(E) I, II, III e IV.

29) (Administrador – MPE/AM – 2013) É INCORRETO afirmar que a Lei Orçamentária Anual (LOA)

(A) deve ser elaborada de forma compatível com as propostas do Plano Plurianual e da Lei de Diretrizes
Orçamentárias.
(B) contempla a possibilidade de novas dotações, já que o orçamento não pode ser uma “camisa de força”,
por meio das chamadas Cláusulas Aditivas.
(C) está sujeita a alterações por Emendas Parlamentares.
(D) compreende o orçamento fiscal dos Poderes, dos fundos, órgãos e entidades da Administração pública
direta e indireta.
(E) tem como funções do orçamento a alocativa, a distributiva e a estabilizadora.

30) (Analista - Administração – DPE/RS – 2013) Em relação à Lei Orçamentária Anual, a qual
compreende o orçamento fiscal, investimento das empresas e seguridade social, é correto afirmar que o
orçamento

(A) da seguridade social, abrange todas as entidades e órgãos a ela vinculados, da administração direta ou
indireta, bem como os fundos e fundações instituídos e mantidos pelo Poder Público.
(B) de investimento das empresas abrange todas as despesas correntes e de capital das empresas estatais
em que a União participe do seu capital social com ou sem direito a voto.
(C) fiscal abrange somente as receitas tributárias e as despesas a elas vinculadas.
(D) da seguridade social abrange apenas as receitas de contribuições dos servidores ativos e inativos e as
despesas com pagamentos de aposentadorias e pensões.
(E) fiscal estabelece normas de gestão orçamentária, financeira e patrimonial da administração pública
direta e indireta, bem como as condições para a instituição e funcionamento de fundos.

31) (Analista - Administração – DPE/RS – 2013) Considerando a Lei Orçamentária Anual, um


instrumento de planejamento é correto afirmar que

(A) não consignará dotação para investimento com duração superior a um exercício financeiro que não
esteja previsto no plano plurianual ou em lei que autorize a sua inclusão.
(B) consignará crédito com finalidade imprecisa destinado somente à realização de despesas imprevisíveis
e/ou urgentes.
(C) conterá Anexo de Riscos Fiscais, onde serão avaliados os passivos contingentes e outros riscos
capazes de afetar as contas públicas, informando as providências a serem tomadas, caso se concretizem.
(D) compreenderá as metas e prioridades da Administração pública, incluindo as despesas de capital para
o exercício financeiro subsequente.
(E) estabelecerá, de forma regionalizada, as diretrizes, objetivos e metas da Administração pública para as
despesas de capital e outras delas decorrentes e para as relativas aos programas de duração continuada.

32) (Analista de Procuradoria - Apoio Administrativo – PGE/BA – 2013) São leis que compõem o
orçamento:

(A) o Plano Plurianual, as Diretrizes Orçamentárias e o Orçamento Anual.


(B) o Plano Plurianual, as Diretrizes Orçamentárias e o Orçamento Mensal.
(C) o Plano Plurisemestral, as Diretrizes Orçamentárias e o Orçamento Anual.
(D) o Plano Plurisemestral, as Diretrizes Orçamentárias e o Orçamento Mensal.
(E) o Plano Plurianual, as Diretrizes Orçamentárias e o Orçamento Semestral.

8
33) (Analista de Procuradoria - Apoio Administrativo – PGE/BA – 2013) É função da Lei de Diretrizes
Orçamentárias

(A) estabelecer as metas e prioridades da Administração pública federal, incluindo as despesas de capital
para o exercício financeiro subsequente, orientar a elaboração da Lei Orçamentária Anual, dispor sobre as
alterações na legislação tributária e estabelecer a política de aplicação das agências financeiras oficiais de
fomento.
(B) estabelecer, de forma regionalizada, as diretrizes, objetivos e metas da Administração pública federal
para as despesas de capital e outras delas decorrentes e para as relativas aos programas de duração
continuada.
(C) fixar o orçamento fiscal referente aos Poderes da União, seus fundos, órgãos e entidades da
Administração direta e indireta, inclusive fundações instituídas e mantidas pelo poder público.
(D) não conter dispositivo estranho à previsão da receita e à fixação da despesa, não se incluindo na
proibição a autorização para abertura de créditos suplementares e contratação de operações de crédito,
ainda que por antecipação de receita, nos termos da lei.
(E) conter o orçamento da seguridade social, abrangendo todas as entidades e órgãos a ela vinculados, da
Administração direta ou indireta, bem como os fundos e fundações instituídos e mantidos pelo poder
público.

34) (Analista de Procuradoria - Apoio Administrativo – PGE/BA – 2013 - Adaptada) A Lei federal no
4.320/1964, que estabelece normas gerais de Direito Financeiro, foi recepcionada pela Constituição
Federal de 1988 como lei

(A) complementar, sendo, portanto, formalmente ordinária e materialmente complementar.


(B) ordinária, sendo, portanto formalmente complementar e materialmente ordinária.
(C) complementar, sendo, portanto, formalmente delegada e materialmente complementar.
(D) complementar, sendo, portanto, formalmente complementar e materialmente ordinária.
(E) delegada, sendo, portanto, formalmente complementar e materialmente delegada.

35) (Analista Judiciário - Administrativa – TRT/9ª – 2013) Em relação ao orçamento público, é correto
afirmar que

(A) a Lei Orçamentária Anual poderá conter dispositivo que autorize a abertura de créditos adicionais
especiais e a contratação de operações de crédito.
(B) a Lei Orçamentária Anual é uma lei de iniciativa, em conjunto, dos Poderes Executivo, Legislativo e
Judiciário.
(C) os sistemas de acompanhamento e medição do trabalho, assim como dos resultados, são inexistentes
no orçamento-programa.
(D) a Lei Orçamentária Anual compreenderá o orçamento de investimento das empresas em que a União,
direta ou indiretamente, detenha qualquer parcela do capital social com direito a voto.
(E) o início de programas ou projetos não incluídos na Lei Orçamentária Anual é, constitucionalmente,
proibido.

36) (Analista Judiciário - Administrativa – TRT/12ª – 2013) A Lei de Diretrizes Orçamentárias, nos
termos do que prevê o § 2o do art. 165 da Constituição Federal brasileira,

(A) compreenderá as despesas de capital para os três exercícios subsequentes.


(B) não poderá dispor sobre as alterações na legislação tributária.
(C) excluirá as despesas de capital das metas da administração pública federal.
(D) orientará a elaboração do plano plurianual.
(E) estabelecerá a política de aplicação das agências financeiras oficiais de fomento.

9
37) (Analista Judiciário - Administrativa – TRT/18ª – 2013) De acordo com a Constituição Federal de
1988, na indicação dos recursos necessários para aprovação das emendas ao projeto de lei do orçamento
anual são admitidos APENAS os provenientes de

(A) superávit financeiro do exercício anterior, reduzido do valor dos créditos adicionais especiais e
extraordinários a serem reabertos no exercício a que se refere a lei.
(B) anulação de despesa, excluídas as que incidam sobre dotações para pessoal e seus encargos, serviço da
dívida e transferências tributárias constitucionais para Estados, Municípios e Distrito Federal.
(C) excesso de arrecadação do exercício anterior, excluídas as receitas provenientes de transferências
constitucionais e legais.
(D) contratação de operações de crédito, inclusive aquelas por antecipação da receita orçamentária e com
vencimento em um prazo inferior a 12 meses.
(E) economia orçamentária do exercício anterior, excluídas as dotações não utilizadas referentes a créditos
adicionais especiais.

38) (Analista Judiciário - Administrativa – TRT/18ª – 2013) Sobre o processo de planejamento e


orçamento, considere:

I. A lei que instituir o plano plurianual estabelecerá, de forma regionalizada, as diretrizes, objetivos e
metas da Administração pública federal para as despesas relativas aos programas de curta duração.
II. A lei de diretrizes orçamentárias conterá, no mínimo, a discriminação da receita, por fontes, e da
despesa, por elementos de despesa.
III. A lei de diretrizes orçamentárias disporá sobre as alterações na legislação tributária e estabelecerá a
política de aplicação das agências financeiras oficiais de fomento.
IV. A lei orçamentária anual conterá Anexo de Metas Fiscais, em que serão estabelecidas metas anuais,
em valores correntes e constantes, relativas a receitas, despesas, resultados nominal e primário e montante
da dívida pública, para o exercício a que se referirem e para os dois seguintes.

Está correto o que se afirma APENAS em

(A) I e II.
(B) I e III.
(C) II e IV.
(D) III.
(E) IV.

39) (Analista Judiciário - Administrativa - Especialidade Contabilidade – TRT/12ª – 2013) Nos termos da
Constituição Federal de 1988, é instrumento de planejamento que tem, entre suas funções, a de reduzir
desigualdades inter-regionais, segundo o critério populacional,

(A) o Fundo de Participação dos Municípios.


(B) o Orçamento da Seguridade Social.
(C) o Orçamento Fiscal dos Órgãos e Entidades da Administração Direta e Indireta.
(D) o Plano Diretor.
(E) a Lei de Diretrizes Orçamentárias.

40) (Analista Judiciário - Administrativa - Especialidade Contabilidade – TRT/12ª – 2013) Nos termos da
Lei de Responsabilidade Fiscal, a sociedade cuja maioria de capital social com direito a voto pertença,
direta ou indiretamente, a ente da Federação é denominada

(A) Sociedade de Propósito Específico.


(B) Sociedade em Conta de Participação.

10
(C) Empresa Estatal Independente.
(D) Empresa Estatal Dependente.
(E) Empresa Controlada.

41) (Analista Ministerial - Administrador – MPE/MA – 2013) Segundo a Constituição Federal de 1988,
no processo de orçamentação seriam vedados, EXCETO:

(A) o início de programas ou projetos não incluídos na Lei Orçamentária Anual e a realização de despesas
ou a assunção de obrigações diretas que excedam os créditos orçamentários ou adicionais.
(B) a realização de despesas ou a assunção de obrigações diretas que excedam os créditos orçamentários
ou adicionais e a abertura de crédito suplementar ou especial sem prévia autorização legislativa e sem
indicação dos recursos correspondentes.
(C) o início de programas ou projetos não incluídos na Lei Orçamentária Anual e a instituição de fundos
de qualquer natureza, sem prévia autorização legislativa.
(D) a compra ou venda de títulos de emissão do tesouro nacional pelo banco central, mesmo com o
objetivo de regular a oferta de moeda ou a taxa de juros e a realização de depósito das eventuais
disponibilidades de caixa da união no banco central.
(E) a instituição de fundos de qualquer natureza, sem prévia autorização legislativa e a concessão ou
utilização de créditos ilimitados.

42) (Analista Ministerial - Administrador – MPE/MA – 2013) A Lei de Diretrizes Orçamentárias


compreenderá as metas e prioridades da administração pública, incluindo as despesas de

(A) capital para o exercício financeiro subsequente, orientará a elaboração da lei orçamentária anual,
disporá sobre as alterações na legislação tributária e estabelecerá a política de aplicação das agências
financeiras oficiais de fomento.
(B) custeio para o exercício financeiro atual, orientará a elaboração da Lei Orçamentária Bianual, disporá
sobre as alterações na legislação previdenciária e estabelecerá a política de aplicação das agências
financeiras de fomento.
(C) capital para o exercício financeiro atual, orientará a elaboração do plano plurianual e disporá sobre as
alterações na legislação tributária.
(D) custeio para o exercício financeiro subsequente, orientará a elaboração do plano plurianual e
estabelecerá a política de aplicação das agências financeiras oficiais de fomento.
(E) custeio para o exercício financeiro subsequente, orientará a elaboração dos planos de investimentos e
de despesas de capital e estabelecerá a política de aplicação das agências financeiras de fomento.

43) (Analista Ministerial - Administrador – MPE/MA – 2013) O plano plurianual estabelece, de forma
regionalizada, as diretrizes, objetivos e metas a serem seguidos pelo governo, ao longo de um período de

(A) três anos e tem vigência a partir do primeiro ano de um mandato.


(B) quatro anos e tem vigência a partir do segundo ano de um mandato até o final do primeiro ano do
mandato seguinte.
(C) quatro anos com vigência a partir do segundo ano para o primeiro mandato e de três anos com
vigência a partir do segundo ano, no caso de reeleição.
(D) quatro anos com vigência a partir do primeiro ano de um mandato até o final do mandato.
(E) três anos com vigência a partir do segundo ano de um mandato.

44) (Analista Ministerial - Administrador – MPE/MA – 2013) Sobre a Lei Orçamentária Anual, considere
as assertivas abaixo.

I. Na Lei Orçamentária Anual estão estimadas as receitas que serão arrecadadas durante o ano e definidas
as despesas que o governo espera realizar com esses recursos, conforme aprovado pelo Poder Legislativo.

11
II. O Poder Legislativo possui exclusividade na iniciativa das leis orçamentárias e o projeto de lei deve ser
encaminhado para apreciação do executivo até 31 de agosto de cada ano.
III. A Lei Orçamentária Anual é composta por três orçamentos, previstos na Constituição Federal, que são
o orçamento fiscal, o orçamento da seguridade social (previdência, assistência e saúde) e o orçamento de
investimentos das empresas estatais.

Está correto o que se afirma em

(A) I, apenas.
(B) II, apenas.
(C) I e II, apenas.
(D) I e III, apenas.
(E) I, II e III.

45) (Analista Ministerial - Contador – MPE/MA – 2013) Consoante Lei Complementar no 101/2000 −
LRF, os critérios e forma de limitação de empenho, a ser efetivada na hipótese da realização da receita
não comportar o cumprimento das metas de resultado primário ou nominal, constarão da Lei

(A) de Diretrizes Orçamentárias.


(B) Orçamentária Anual.
(C) Plano Plurianual.
(D) de Créditos Adicionais.
(E) Fiscal e Seguridade Social.

46) (Analista Ministerial - Contador – MPE/MA – 2013) Correspondem a vedações, aos orçamentos,
previstas na Constituição Federal:

I. O início de programas ou projetos não incluídos na Lei Orçamentária Anual.


II. O refinanciamento da dívida pública não incluído na Lei Orçamentária e nas de crédito adicional.
III. A transposição, o remanejamento ou a transferência de recursos de uma categoria de programação para
outra ou de um órgão para outro, sem prévia autorização legislativa.
IV. A realização de operações de créditos que excedam o montante das despesas de capital, ressalvadas as
autorizadas mediante créditos suplementares ou especiais com finalidade precisa, aprovados pelo Poder
Legislativo por maioria absoluta.
V. A atualização monetária do principal da dívida mobiliária refinanciada em valores superiores à
variação do índice de preços previsto na Lei de Diretrizes Orçamentárias, ou em legislação específica.

Está correto o que se afirma APENAS em


(A) I e V.
(B) I, III e IV.
(C) II, IV e V.
(D) I, IV e V.
(E) II e III.

47) (Analista Técnico - Controle Externo - Auditoria Governamental – TCE/AM – 2013) A Lei de
Responsabilidade Fiscal criou o anexo de riscos fiscais e o demonstrativo da compatibilidade da
programação dos orçamentos com os objetivos e metas. Esses documentos são agregados,
respectivamente,

(A) ao Plano Plurianual.


(B) ao Plano Plurianual e à Lei de Diretrizes Orçamentárias.
(C) ao Plano Plurianual, à Lei de Diretrizes Orçamentárias e à Lei Orçamentária Anual.
(D) à Lei Orçamentária Anual e ao Plano Plurianual.
12
(E) à Lei de Diretrizes Orçamentárias e à Lei Orçamentária Anual.

48) (Analista Técnico - Controle Externo - Ministério Público – TCE/AM – 2013). A lei que institui o
plano plurianual:

(A) só pode ser aprovada após a sanção da lei de diretrizes orçamentárias, que servirá para orientar sua
elaboração e para permitir que já englobe o orçamento anual que vigerá junto com o início de sua
vigência.
(B) é de competência concorrente do Chefe Executivo e do Presidente do Congresso e tem vigência de
cinco anos.
(C) disporá sobre as alterações na legislação tributária e estabelecerá a política de aplicação das agências
financeiras oficiais de fomento.
(D) tem por objeto unicamente os planos e programas nacionais, regionais e setoriais com prazo de
vigência superior a dois exercícios financeiros.
(E) tem por objeto a fixação de objetivos e metas da administração pública federal para as despesas
relativas aos programas de duração continuada, dentre outros.

49) (Analista Técnico - Controle Externo - Ministério Público – TCE/AM – 2013) Segundo a Constituição
Federal brasileira, a despesa com pessoal ativo e inativo da União, dos Estados, do Distrito Federal e dos
Municípios não poderá exceder os limites estabelecidos em lei complementar. Para o cumprimento dos
referidos limites estas entidades estatais adotarão as seguintes providências:

(A) demissão dos servidores não estáveis, exoneração dos que ocupam cargos em comissão e funções de
confiança e colocação em disponibilidade de, pelo menos, vinte por cento dos servidores estáveis.
(B) redução, em pelo menos, dez por cento das despesas com cargos em comissão e funções de confiança
e demissão dos servidores não estáveis.
(C) redução, em pelo menos, trinta por cento das despesas com cargos em comissão e funções de
confiança e exoneração dos servidores não estáveis.
(D) redução em pelo menos vinte por cento das despesas com cargos em comissão e funções de confiança;
exoneração dos servidores não estáveis e, se necessário, o servidor estável poderá perder o seu cargo,
fazendo jus à indenização correspondente a um mês de remuneração por ano de serviço.
(E) exoneração dos servidores não estáveis e colocação em disponibilidade dos servidores estáveis, com
remuneração integral.

50) (Auditor – TCE/SP – 2013) Consoante artigo 165 da Constituição Federal há três leis orçamentárias,
todas de iniciativa do Executivo: o Plano Plurianual (PPA), a Lei de Diretrizes Orçamentárias (LDO) e a
Lei Orçamentária Anual (LOA). Sobre elas, é correto afirmar:

(A) O Plano Plurianual (PPA), cuja lei instituidora vigora durante um triênio, estabelece, de forma
regionalizada, as diretrizes, objetivos e metas da administração pública para as despesas de capital e outras
delas
decorrentes e para as relativas aos programas de duração continuada.
(B) São anuais as Leis de Diretrizes Orçamentárias (LDO) e o Orçamento Anual (LOA). O projeto da Lei
de Diretrizes Orçamentárias (LDO) deve ser encaminhado ao Poder Legislativo até oito meses e meio
antes do encerramento do exercício financeiro e devolvido para sanção até o encerramento do primeiro
período da sessão legislativa.
(C) A Lei de Diretrizes Orçamentárias (LDO) tem natureza de lei complementar e compreende as metas e
prioridades da Administração pública, incluindo as despesas de capital para o exercício financeiro
subsequente; orienta a elaboração da lei orçamentária anual; dispõe sobre as alterações na legislação
tributária e estabelece a política de aplicação das agências financeiras oficiais de fomento.
(D) A vigência da Lei Orçamentária Anual (LOA) não coincide com o exercício financeiro. Já a da Lei de
Diretrizes Orçamentárias (LDO) coincide.

13
(E) O projeto do Plano Plurianual (PPA) deve ser encaminhado ao Poder Legislativo até oito meses antes
do encerramento do primeiro exercício financeiro do mandato do Chefe do Poder Executivo e devolvido
para sanção até o encerramento da sessão legislativa.

51) (Analista Controle Externo - Apoio Administrativo - Orçamento e Finanças – TCE/AP – 2012) O
instrumento de gestão que se torna em plano de governo expresso em forma de lei, que faz a estimativa de
receita a arrecadar e fixa a despesa para um período determinado de tempo, em geral de um ano, chamado
exercício financeiro, em que o governante não está obrigado a realizar todas as despesas ali previstas,
porém não poderá contrair outras sem a prévia aprovação do poder legislativo, é conhecido como
Orçamento

(A) Flexível.
(B) Ordinário.
(C) Contínuo.
(D) Público.
(E) Operacional.

52) (Analista Controle Externo - Apoio Administrativo - Orçamento e Finanças – TCE/AP – 2012)
Conforme o artigo 165 da Constituição Federal “a lei [...] estabelecerá, de forma regionalizada, [...]
objetivos e metas da administração pública federal para as despesas de capital e outras delas decorrentes e
para as relativas aos programas de duração continuada”, cujos princípios básicos devem incluir a
identificação clara dos objetivos e das prioridades do governo, garantia de transparência e gestão orientada
para resultados. No ciclo orçamentário tal lei será a

(A) de Diretrizes Orçamentárias.


(B) do Orçamento Anual.
(C) do Plano Plurianual.
(D) do Plano de Desenvolvimento Nacional.
(E) do Plano de Aceleração do Crescimento.

GABARITOS:

1 A 27 B
2 E 28 A
3 E 29 B
4 E 30 A
5 D 31 A
6 B 32 A
7 A 33 A
8 C 34 A
9 E 35 E
10 D 36 E
11 C 37 B
12 E 38 D
13 C 39 C
14 A 40 E
15 E 41 D

14
16 E 42 A
17 C 43 B
18 E 44 D
19 E 45 A
20 B 46 B
21 B 47 E
22 C 48 E
23 C 49 D
24 E 50 B
25 E 51 D
26 C 52 C

15