Você está na página 1de 33

PROGRAMA DE MONITORIA

– LEGISLAÇÕES BASES:

– Lei nº. 9.394/1996 - Estabelece as diretrizes e


bases da educação nacional
– Lei n° 9.608/1998 – Dispõe sobre o serviço
voluntário e dá outras providências
– Regulamento das Atividades de Monitoria.
Lei nº. 9.394/1996 - Estabelece as diretrizes e
bases da educação nacional

• “Art. 84. Os discentes da educação superior


poderão ser aproveitados em tarefas de
ensino e pesquisa pelas respectivas
instituições, exercendo funções de monitoria,
de acordo com seu rendimento e seu plano de
estudos”.
Lei n° 9.608/1998 – Dispõe sobre o serviço
voluntário e dá outras providências
• Art. 1º Considera-se serviço voluntário, para fins desta Lei, a atividade
não remunerada, prestada por pessoa física a entidade pública de
qualquer natureza, ou a instituição privada de fins não lucrativos, que
tenha objetivos cívicos, culturais, educacionais, científicos, recreativos
ou de assistência social, inclusive mutualidade.

• Parágrafo único. O serviço voluntário não gera vínculo empregatício,


nem obrigação de natureza trabalhista previdenciária ou afim.

• Art. 2º O serviço voluntário será exercido mediante a celebração de


termo de adesão entre a entidade, pública ou privada, e o prestador do
serviço voluntário, dele devendo constar o objeto e as condições de seu
exercício.
O QUE É MONITORIA???
• Monitoria é uma atividade atrelada ao processo de
ensino. Ela permite interação entre o aluno-
monitor-professor, de modo que ocorra um
aprofundamento teórico através de mediação das
práticas acadêmicas desenvolvidas junto aos
alunos. Assim, a monitoria é um programa de
iniciação à docência que tem na figura do
aluno/monitor um facilitador do processo de ensino-
aprendizagem, este contribuirá para melhoria da
qualidade do ensino, e integração com as instâncias
de pesquisa e extensão.
O QUE É MONITORIA???
• A monitoria acadêmica representa um espaço de
formação para o monitor e para o próprio professor
orientador, bem como uma ação que visa contribuir
com a melhoria da qualidade da educação, e
completa que a monitoria deve ser pensada a partir
do processo de ensino. O professor orientador
procura envolver o monitor nas fases de
planejamento, interação em sala de aula,
laboratório ou campo e na avaliação dos alunos e
das aulas. (NUNES apud DANTAS, 2014, p.570)
OBJETIVOS DO
PROGRAMA DE MONITORIA
• Intensificar e assegurar a cooperação entre
estudantes e professores nas atividades básicas
da UniAGES, relativas ao ensino;

• Subsidiar trabalhos acadêmicos, orientados por


professores, através de ações multiplicadoras;

• Permitir o aprofundamento teórico através de


mediação das práticas acadêmicas desenvolvidas
pelos alunos;
• Despertar no segmento discente o interesse pela
docência, estimulando o desenvolvimento de
habilidades relacionadas ao seu exercício;

• Estimular a participação do aluno/monitor na vida


acadêmica, a partir do auxílio ao professor em
suas atividades acadêmicas de ensino, associadas
à pesquisa e extensão;

• Atender e acolher os estudantes com dificuldades


de compreensão dos conteúdos ministrados pelo
professor em sala de aula.
• II – DAS CATEGORIAS:
• Art. 2º - De acordo com o estabelecido no regulamento
das atividades de assistência, existem duas modalidades
para monitoria: uma com bolsa estudantil e outra que
acontece de forma voluntária.

• a) O presente edital contempla apenas a monitoria sem


bolsa (voluntária) – O monitor tem carga horária de 8
(oito) horas semanais para disciplina de 80 horas, e 12
(doze) para disciplinas de 120 (cento e vinte) horas.
Além disso, o estudante receberá o certificado de
participação no Programa de Monitoria apenas após a
solicitação realizadas no Portal Acadêmico, sendo feito o
recolhimento da taxa institucional.
b) Os acadêmicos monitores têm a incumbência de realizar as
atividades: Auxílio ao professor em sala de aula no período de, no
máximo, 4 (quatro) horas semanais, para disciplinas de 80
(oitenta) horas; e 6 (seis) horas semanais, para disciplinas de 120
(cento e vinte) horas; Atendimento extraclasse aos discentes,
correspondendo a 2 (duas) horas semanais, no máximo; e
atividades complementares e de planejamento, como: leitura de
textos e fichamentos; participação na organização dos eventos
do colegiado; elaboração de caso, reunião de planejamento com
o (a) orientador (a) ou elaboração de atividades para aplicação
nas aulas, dentre outras, com carga horária de, no máximo, 2
(duas) horas semanais para disciplinas de 80 (oitenta) horas; e 4
(quatro) horas semanais para disciplinas de 120 (cento e vinte)
horas. Ou seja, a carga horária não deve ultrapassar 8 (oito)
horas semanais para disciplinas de 80 (oitenta) horas e 12 (doze)
horas para disciplinas de 120 (cento e vinte) horas. Esta mesma
lógica seguirá para as demais matérias.
• c) O certificado, a que se refere o item anterior, será
expedido pela Secretaria Acadêmica e conterá o
número de horas realizadas e a disciplina na qual o
aluno realizou as atividades de monitoria.

• d) Os monitores, mediante apresentação de


certificado, poderão requerer validação de carga
horária da monitoria em atividades complementares
do seu curso, conforme regulamento estabelecido
pela Diretoria de Extensão e Pesquisa – DEP do
UniAGES.
ATRIBUIÇÕES DO
MONITOR/ALUNO ASSISTENTE
• a) Disponibilizar-se 2 (duas) horas por semana de forma presencial na
instituição para realizar atendimento aos alunos;

• b) Realizar leitura e fichamento dos textos previamente combinados para


posterior debate e aprofundamento nas reuniões para esse fim com o
professor-orientador;

• c) Organizar, conforme planejamento prévio com o docente, os horários de


atendimento aos discentes (que o desejarem ou que forem encaminhados pelo
professor) para esclarecimento de dúvidas e/ou aprofundamento dos temas
trabalhados na disciplina;

• d) Participar das aulas, auxiliando nas discussões e também na organização de


material necessário para as atividades desenvolvidas (seminários, debates,
apresentação de trabalhos dos alunos);
• e) Auxiliar o professor-orientador no planejamento das atividades a
serem desenvolvidas no decorrer do semestre;

• f) Zelar pelo patrimônio e nome da IES, bem como, cumprir suas


normas internas;

• g) Participar no apoio ao desenvolvimento de atividades institucionais,


como: Semana Acadêmica, Semana de Integração ou outros eventos
promovidos pela coordenação do curso ou pela instituição;

• h) Elaborar e entregar à Coordenação do Programa de Monitoria,


mensalmente, o relatório de atividades desenvolvidas, a frequência dos
atendimentos extraclasse e, ao final do semestre, o relatório de
avaliação do programa;

• i) O monitor deve participar, ainda, das reuniões com a coordenação


sempre que for requisitado.
COMPETÊNCIAS E DEVERES DO
PROFESSOR/ORIENTADOR
• Estimular no aluno-monitor o desejo pela iniciação à docência;

• Aprofundar estudos junto com o aluno-monitor sobre o Método Ativo ;

• Fortalecer as instâncias de pesquisa e extensão com o auxílio do aluno-


monitor;

• Dar oportunidade ao aluno para que ele acompanhe as atividades


didático-científicas da disciplina, inclusive a preparação e seleção de
material para aulas teórico-práticas e trabalhos acadêmicos;

• Planejar estratégias juntamente com o aluno-monitor para que o mesmo


faça um efetivo acompanhamento das turmas;
DAS DISPOSIÇÕES GERAIS
• A função do monitor não exime o aluno de suas atividades
escolares nem da frequência às mesmas;

• Como aluno regular, o monitor estará sujeito a todas as


restrições, obrigações e responsabilidades estabelecidas para o
corpo discente em estatuto, regimentos, normas, regulamentos
e resoluções, além daquelas previstas em Lei;

• Os alunos que forem aprovados neste processo seletivo


deverão ter disponibilidade para participar de possíveis
reuniões extra horário de atendimento e de ações visando
melhorias no desenvolvimento das atividades de monitoria.
• A função de monitor não caracteriza vínculo empregatício
e não integra a carreira docente da AGES.

• O monitor que se ausentar por mais de 3 (três) encontros


(considerado encontro a carga semanal estabelecida pela
AGES), poderá ser desligado do Programa de Monitoria,
sem direito à certificação, sendo vedada sua participação
em novo processo seletivo para fim idêntico.

• O graduando que participar como monitor deverá ter


compromisso na realização de suas atribuições. Caso não
atue com o compromisso, poderá ser desligado como
monitor, sendo convocado o excedente da lista de
aprovados / classificados.
• Conhecer o Projeto Institucional e entender os
passos da Aula Estruturada;

• Ler e compreender o Projeto de Curso da


disciplina a qual será monitor(a);

• Ser solicito e comprometido no atendimento


aos alunos;

• Ser proativo, propositivo e criativo;


• Ser ético e solidário;

• Colaborar para melhorar e aperfeiçoar o


processo de ensino-aprendizagem pela ótica
de aluno;

• Gostar de aprender... Afinal, conforme


Aristóteles:
“É fazendo que se aprende a
fazer aquilo que se deve aprender a fazer”.
Método Ativo
 O Método Ativo tem o propósito de
colocar o estudante no centro do
processo educativo. A técnica pedagógica
da problematização adotada pela AGES
instiga a formulação de perguntas
inteligentes; inibe a transmissão de
informações pelo professor (exposição,
anotação, aluno ouvinte...) quando se
consolida o conhecimento. E este é
profundo, gera a transformação do
sujeito e do contexto (sociedade). O
aluno protagonista debate, contesta,
interage, pensa coletivamente,
transforma respostas em perguntas,
constrói sínteses provisórias em cada
aula, desperta a inteligência. Assim se
consolida o processo pedagógico.
(SANTOS, 2010, p.04)
“Assumir um papel ativo num processo de
aprendizagem e na vida pessoal ou
profissional exige do sujeito muito esforço,
coragem, disposição, administração do
tempo, humildade para assumir erros e
autonomia plena”. (SANTOS, 2010, p.05)
PEDAGOGIA DA PROBLEMATIZAÇÃO
Para BORDENAVE (1989) A Pedagogia da
Problematização parte da base que, em um
mundo de mudanças rápidas, o importante não
são os conhecimento ou ideias nem os
comportamentos corretos e fáceis que se espera,
mas sim, o aumento da capacidade do aluno,
participante e agente da transformação social,
para detectar os problemas reais e buscar para
eles soluções originais e criativas.
CARACTERÍSTICAS:
• Desenvolver a capacidade de observar a realidade imediata ou
circundante como a global e estrutural;

• Detectar todos os recursos a que se possa lançar mão;

• Identificar os problemas que obstaculizam um uso eficiente e


eqüitativo dos ditos recursos;

• Localizar as tecnologias disponíveis para usar melhor os recursos ou até


inventar novas tecnologias apropriadas;

• Encontrar formas de organização do trabalho e da ação coletiva para


conseguir tudo anteriormente citado.
O diagrama, a seguir, que nos
ajudará a representar esta
Pedagogia da Problematização
pode ser bastante simples e
Charles Maguerez, seu autor, o
chamou de “Método do Arco”.
AULA ESTRUTURADA
--> Esta estrutura de aula cultiva, metodicamente, a
inteligência e racionaliza a aprendizagem cotidiana
com o objetivo de preparar o estudante para
desenvolver-se em seu meio, de forma ativa,
reflexiva e solidária, ancorada em operações
mentais a ser desenvolvidas como: Representação,
Relação e Ação. 1. Representação: Consiste no
mapeamento das visões, concepções, experiências
e expectativas que o estudante tem acerca do
objeto de conhecimento. Seu objetivo é
diagnosticar o que o estudante sabe, o que não
sabe e o que deveria saber sobre o tema
estudado. Neste momento, ao perceber o que não
sabe, mas que deveria saber prevê-se
desencadear no estudante um conflito cognitivo
que o leve à busca de informação necessária para
explicar o tema.
AULA ESTRUTURADA - AGES

1) Observação da realidade;
2) Construção/apresentação do problema;
3) Identificação dos termos desconhecidos;
4) Tempestade de ideias;
5) Seleção dos pontos-chave;
6) Definição dos objetivos de aprendizagem;
7) Levantamento de hipóteses de solução;
8) Orientação para teorização;
9) Confronto de hipóteses;
10)Tomada de posição/aplicação na realidade;
11) Intervenção docente;
12) Avaliação formativa.
DATAS PARA ENTREGA DOS RELATÓRIOS
DATA DA ENTREGA MÊS DEREFERÊNCIA
(Até o dia)

03/03/2018 FEVEREIRO

07/04/2018 MARÇO

05/05/2018 ABRIL

30/06/2018 MAIO E JUNHO


REFERÊNCIAS:
BORDENAVE, J. E. D. Alguns fatores pedagógicos. 1989. Disponível
em: . Acesso em: 10 jun. 2011.

DANTAS, Otilia Maria. Monitoria: fonte de saberes à docência


superior . Rev. bras. Estud. pedagog. (online), Brasília, v. 95, n. 241,
p. 567-589, set./dez. 2014.

SANTOS, José Wilson. Método Ativo: Técnica De Problematização E


Estudo De Casos Como Diferencial Acadêmico. Sercore: Aracaju,
2010.
Franciele Santana de Sousa
Coordenação de Monitoria
UniAGES
francieles@uniages.edu.br