Você está na página 1de 1

O Tempo - MG

01/09/2002 - 06:25

Ervamatin abre portas a outros itens


A média de vendas anual dos dois produtos no exterior tem sido de cem mil frascos

Da Redação

Além do Ervamatin, a Opibra comercializa há dois anos o gel para combate à celulite, Fix Amazônia. E há um ano e meio, a empresa

lançou o spray "Amazon Anti Tobacco", que auxilia os fumantes a largarem o vício. A média de vendas anual dos dois produtos no
exterior tem sido de cem mil frascos. Segundo o diretor de marketing da empresa, Marco Amorim, a entrada desses produtos no
exterior foi fácil porque eles foram na "cola" do Ervamatin e estão presentes hoje na África do Sul, Austrália e Alemanha, entre outros
países. O Fix Amazônia, por exemplo, é vendido pela Opibra por US$ 5 e chega a ser revendido por US$ 30. O gel também já pode
ser encontrado no mercado interno. Num primeiro momento, tanto o Fix quanto o Ervamatin serão vendidos somente em Belo
Horizonte. Mas a empresa já está negociação com distribuidores do interior de Minas Gerais, Espírito Santo, Bahia e Rio de Janeiro.
Segundo Amorim, a Opibra já fechou contrato com a Rede São Paulo (rede de drogarias do Estado) e com a Drogaria Catarinense,
de Santa Catarina. A partir de outubro, o spray passa também a ser vendido no Brasil. "Vimos que nosso produto é sucesso
internacional e que temos como competir aqui", observa.

Tônico capilar é vendido a 50 países

Há dez anos no mercado, a Operações Internacionais do Brasil (Opibra), com sede em Belo Horizonte, está na faixa de exportações
de US$ 1 milhão a US$ 10 milhões anuais, conforme o catálogo de exportadores brasileiros, do Ministério do Desenvolvimento da
Indústria e Comércio. O sucesso da empresa deve-se a um tônico capilar, o Ervamatin, que no ano passado atingiu a marca de 1
milhão de frascos exportados para mais de 50 países direta e indiretamente. Trata-se de um produto destinado ao combate da
calvice, seborréia e caspa, cujo apelo é o uso de ervas provenientes da Amazônia e da flora mineira. "As plantas amazônicas são o
diferencial do nosso produtos no mercado externo", afirma o diretor de marketing da empresa, Marcos Amorim. Principalmente num
momento em que todo o mundo está voltado para a Amazônia, observa o químico da Opribra, Edson Dias, que por vários anos viveu
na região. Com uma fábrica de 2.000 metros quadrados, 50 funcionários e um lote ao lado da sede já pronto para uma possível
expansão, a primeira venda da Opibra - que sempre privilegiou a exportação - foi de 600 kits do tônico para o Equador. A opção pelo
mercado externo, conforme Amorim, sempre ocorreu pela isenção de impostos, como o ICMS, na exportação. Somente na última
semana os dirigentes da empresas colocaram à venda no mercado mineiro o Ervamatin, que passa a ser comercializado pela
Drogaria Araújo.

www.interjornal.com.br www.achanoticias.com.br