Você está na página 1de 34

Olá, pessoal. Como estão?

A seguir, a resolução da prova de Contabilidade do AFRFB 2014, após


os recursos. São da prova tipo 01.

Grande abraço.

Gabriel Rabelo/Luciano Rosa

PROVA RESOLVIDA

11. (ESAF/Auditor Fiscal da Receita Federal/2014) O lucro obtido na


Venda de Imobilizado e o Resultado de Equivalência Patrimonial representam,
na Demonstração dos Fluxos de Caixa (DFC):

A) ingresso de caixa na atividade de investimento.


B) aumento de atividades operacionais.
c ) ajustes do resultado na elaboração da DFC.
D) ingressos por Receita Operacional.
E) aumento de investimentos.

Comentário:

Faltou mencionar que a questão se refere ao Método Indireto. O lucro na venda


de imobilizado aumenta o lucro líquido, mas não pertence ao fluxo de atividades
operacionais. Assim, deve ser ajustado (retirado) do Lucro Líquido.

O valor da venda do Imobilizado (não o lucro; o total da venda) é uma entrada


do fluxo de Investimentos.

Já o Resultado da Equivalência Patrinn onial, embora afete o lucro líquido, não


envolve entrada ou saída de caixa. Portanto, deve ser ajustado também.

Gabarito ^ C

12 (ESAF/Auditor Fiscal da Receita Federal/2014) Na elaboração da


Demonstração do Valor Adicionado (DVA), as Receitas Financeiras de Juros
recebidas por entidades comerciais e o valor da contribuição patronal para a
Previdência Social são, respectivamente:

A) Valor adicionado recebido em transferência e distribuição da riqueza obtida.


B) Distribuição da Riqueza Obtida e Valor adicionado recebido por substituição.
C) Receitas derivadas de produtos ou serviços e item do Valor Adicionado Bruto.

Prof. Gabriel Rabelo e Luciano Rosa W W W . e S t r a t e g ia C O n C U r S O S . C O m . b r 1 de 34


D) Valor Adicionado Bruto e Receitas derivadas de produtos ou serviços.
E) Receitas derivadas de produtos ou serviços e Valor adicionado recebido por
substituição.
Comentário:

Receitas Financeiras de juros Recebidas: é Valor Adicionado Recebido em


transferência.

Valor adicionado recebido em transferência representa a riqueza que não


tenha sido criada pela própria entidade, e sim por terceiros, e que a ela é
transferida, como por exemplo receitas financeiras, de equivalência patrimonial,
dividendos, aluguel, royalties, etc.

Já podemos apontar o gabarito: A.

Contribuição patronal para a Previdência Social é Distribuição do Valor


adicionado (ou, como mencionou a questão, distribuição da riqueza obtida).

Gabarito ^ A

13. (ESAF/Auditor Fiscal da Receita Federal/2014) Com relação às


assertivas a seguir, pode-se afirmar que:

I. Os Ativos Não Circulantes Mantidos para a Venda, devem ser depreciados


normalmente até a data da venda, e os encargos financeiros, se verificados,
devem ser reconhecidos como custo de operação e contrapostos aos ingressos
de caixa obtidos ao final da operação.
II. Os Ativos Não Circulantes Mantidos para a Venda, uma vez identificados,
devem estar disponíveis para a venda imediata nas condições em que se
encontram desde que a recuperação do seu valor contábil esteja firmemente
atrelada à geração de caixa por uso contínuo.
III. No Balanço Patrimonial os Ativos Não Circulantes Mantidos para a Venda e
os passivos a eles relacionados devem ser compensados e apresentados em um
único montante no Balanço Patrimonial.

Assinale a opção correta.

a) Todas são verdadeiras.


b) Somente I é falsa.
c) Somente III é verdadeira.
d) Todas são falsas.
e) Apenas a II é verdadeira.

Comentário:

Vamos analisar as alternativas:

Prof. Gabriel Rabelo e Luciano Rosa W W W . e S t r a t e g ia C O n C U r S O S . C O m . b r 2 de 34


Contabilidade Geral e Avançada para Auditor Fiscal da Receita Federal
Prova Resolvida - AFRFB 2014
Profs. Gabriel Rabelo e Luciano Rosa - Aula Extra

I. Falsa. Conforme o Pronunciamento 31 do CPC: A entidade não deve


depreciar (ou amortizar) o ativo não circulante enquanto estiver classificado
como mantido para venda ou enquanto fizer parte de grupo de ativos
classificado como mantido para venda. Os juros e os outros gastos atribuíveis
aos passivos de grupo de ativos classificado como mantido para venda devem
continuar a ser reconhecidos.

II. Falsa. A recuperação do seu valor contábil será efetuada, principalmente,


por meio de transação de venda, e não por uso contínuo.

III. Falsa. A entidade deve apresentar o ativo não circulante classificado como
mantido para venda separadamente dos outros ativos no balanço patrimonial.
Os passivos de grupo de ativos classificado como mantido para venda devem
ser apresentados separadamente dos outros passivos no balanço patrimonial.
Esses ativos e passivos não devem ser compensados nem apresentados
em um único montante.

Gabarito ^ D

(ESAF/Auditor Fiscal da Receita Federal/2014) Dados para a resolução


das questões de n. 14 a 16.

Dos registros contábeis da Cia. Corporativa, relativos aos exercícios 2010/2012,


foram extraídos os valores abaixo:

Itens 2010 2011 2012


Ativo Circulante 10.000 18.000 24.000
Ativo Não Circulante 50.000 62.000 76.000
Disponibilidade 500 200 750
Estoques 2.500 3.000 4.000
Lucro Líquido 8.000 6.000 4.000
Passivo Circulante 16.000 20.000 30.000
Passivo Não Circulante 24.000 35.000 44.000
Patrimônio Líquido 20.000 25.000 26.000
Vendas Líquidas 102.000 95.000 98.000

14 (ESAF/Auditor Fiscal da Receita Federal/2014) Com base nos dados


fornecidos, pode-se afirmar que:

A) a empresa em 2011 tem o giro do ativo de 0,74.


B) o menor índice de solvência da empresa é identificado no exercício de 2010.
C) no exercício de 2011, a empresa tem a sua menor margem líquida.
D) a participação do patrimônio líquido em 2011 é de 1,35.
E) o maior grau de endividamento da empresa é identificado no período de
2012.

Prof. Gabriel Rabelo e Luciano Rosa W W W . e S t r a t e g ia C O n C U r S O S . C O m . b r 3 de 34


Contabilidade Geral e Avançada para Auditor Fiscal da Receita Federal
Prova Resolvida - AFRFB 2014
Profs. Gabriel Rabelo e Luciano Rosa - Aula Extra

Comentário:

Vamos analisar as alternativas:

A) Giro do Ativo = Vendas Líquidas / Ativo Total Médio = 0,74

ERRADA. Não precisa fazer a conta. Veja que as Vendas Líquidas de 2011 são
de 95.000. O Ativo Total (Ativo Circulante + Ativo Não Circulante) de 2011 é de
18.000 + 62.000 = 80.000, e o Ativo Total de 2010 é de 10.000 + 50.000 =
60.000. Como as Vendas Líquidas são maiores que o total do ativo, a conta vai
dar 1,XXX, e não 0,74.

Mas vamos calcular assim mesmo:

Ativo Total Médio: (60.000 + 80.000) /2 = 70.000


Giro do Ativo = 95.000 / 70.000 = 1,357
(repare que, se o candidato inverter o índice, chegará à resposta: 70.000 /
95.000 = 0,736 =~ 0,74)

B) Índice de Solvência = Ativo total / Passivo Exigível OU

(Ativo Circulante + Ativo Não Circulante) / (Passivo Circulante + Passivo não


Circulante).

Vamos calcular o Índice de Solvência:

2010: (10.000 + 50.000)/(16.000 + 24.000) = 1,50


2011: (18.000 + 62.000)/(20.000 + 35.000) = 1,45
2012: (24.000 + 76.000)/(30.000 + 44.000) = 1,35

Alternativa ERRADA, o menor índice de solvência é o de 2012.

C) Margem líquida = Lucro líquido / vendas líquidas

2010 = 8.000 / 102.000 = 0,08


2011 = 6.000 / 95.000 = 0,06
2012 = 4.000 / 98.000 = 0,04

Alternativa ERRADA, a menor margem líquida é a do ano de 2012.

D) Participação do PL: PL / Passivo exigível + PL

2011 = 25.000 / (20.000 + 35.000 + 25.000) = 0,312

ERRADA.

Prof. Gabriel Rabelo e Luciano Rosa W W W . e S t r a t e g ia C O n C U r S O S . C O m . b r 4 de 34


Contabilidade Geral e Avançada para Auditor Fiscal da Receita Federal
Prova Resolvida - AFRFB 2014
Profs. Gabriel Rabelo e Luciano Rosa - Aula Extra
E) Grau de Endividamento = Passivo Exigível / PL

2010 = (16.000 + 24.000) / 20.000 = 2,00


2011 = (20.000 + 35.000)/ 25.000 = 2,20
2012 = (30.000 + 44.000) / 26.000 = 2,85

CERTA.

Gabarito ^ E

15. (ESAF/Auditor Fiscal da Receita Federal/2014) Com relação à liquidez


da empresa, pode-se afirmar que:

A) o índice de liquidez seca em 2010 é 0,67.


b) o menor índice de liquidez imediata é o de 2011.
C) o valor do índice de liquidez corrente de 2012 é 0,63.
D) em 2011 o índice de liquidez imediata da empresa é 0,47.
E) a empresa tem o seu maior índice de liquidez seca em 2010.

Comentário:

A) ERRADA.

Liquidez seca = (Ativo Circulante - estoque) / Passivo Circulante


2010 = (10.000 - 2.500) / 16.000 = 0,47

B) Liquidez imediata = disponibilidades / Passivo Circulante

2010 = 500 / 16.000 = 0,031


2011 = 200 / 20.000 =0,010
2012 = 750 / 30.000 = 0,025

Alternativa Correta.

C) Liquidez Corrente = Ativo Circulante / Passivo Circulante

2012 = 24.000 / 30.000 = 0,80 ^ alternativa ERRADA

D) Já calculamos na letra B. Alternativa ERRADA, a liquidez imediata de 2011 é


de 0,01.

2011 = 200 / 20.000 =0,01

E) Liquidez seca = (Ativo Circulante - estoque) / Passivo Circulante

2010 = (10.000 - 2.500) / 16.000 = 0,47

Prof. Gabriel Rabelo e Luciano Rosa W W W . e S t r a t e g ia C O n C U r S O S . C O m . b r 5 de 34


Contabilidade Geral e Avançada para Auditor Fiscal da Receita Federal
Prova Resolvida - AFRFB 2014
Profs. Gabriel Rabelo e Luciano Rosa - Aula Extra
2011 = (18.000 - 3.000) / 20.000 = 0,75
2012 = (24.000 - 4.000) / 30.000 = 0,66

ERRADA, o maior índice de liquidez seca é o de 2011.

Gabarito ^ B

16. (ESAF/Auditor Fiscal da Receita Federal/2014) Analisando a


Rentabilidade dos ativos, pode-se afirmar que:

A) o Giro dos ativos em 2012 é 1,70.


B) o retorno dos ativos é crescente ao longo do período.
c ) a menor rentabilidade dos ativos verifica-se em 2011.
D) a rentabilidade do ativo em 2010 foi de 0,133.
E) o período com maior retorno do ativo foi o de 2012.

Comentário:

A) Giro do Ativo = Vendas Líquidas / Ativo Total Médio


2012 = 98.000 / ((18.000+62.000+24.000+76.000)/2) = 1,09

Alternativa ERRADA.

B) Retorno dos Ativos = Lucro Líquido / Ativo Médio

Não precisa calcular, basta observar que o Lucro Líquido á decrescente e o Ativo
Total é crescente. Portanto, o retorno dos Ativos será decrescente.

C) Rentabilidade dos ativos = retorno dos ativos

A fórmula é = Lucro Líquido / Ativo Médio. Mas pode ser usado Lucro Líquido /
Ativo Total, se não for possível calcular o Ativo Médio.
Ativo Médio = (Ativo Inicial + Ativo Final) / 2
Ativo Médio 2010 = 60.000 (não tem o ativo do ano anterior para calcular).

Ativo Médio 2011 = (60.000 + 80.000) / 2 = 70.000


Ativo Médio 2012 = (100.000 + 80.000) / 2 = 90.000

Rentabilidade dos ativos:

2010 = 8.000 / 60.000 = 0,133


2011 = 6.000 / 70.000 = 0,086
2012 = 4.000 / 90.000 = 0,044

Alternativa ERRADA, a menor rentabilidade dos ativos foi em 2012.

Prof. Gabriel Rabelo e Luciano Rosa W W W . e S t r a t e g ia C O n C U r S O S . C O m . b r 6 de 34


D) a rentabilidade do ativo em 2010 foi de 0,133. Alternativa CORRETA, já
calculamos na letra C.

E) Errada, o período com maior retorno dos ativos foi 2010.

Gabarito ^ D

17. (ESAF/Auditor Fiscal da Receita Federal/2014) Da folha de


pagamento da Cia. Pagadora foram extraídos os dados abaixo:

Salários Brutos 400.000


Imposto de Renda Retido na Fonte Pessoa Física 3.400
INSS Retido 6.000
Salário Família 1.500
FGTS 32.000
Contribuição Patronal INSS 40.000
Auxílio Maternidade 2.500

Tomando como base apenas os dados fornecidos, pode-se afirmar que o total a
ser apropriado como Despesas de Período é:

a) R$476.000.
b) R$472.000.
c) R$436.600.
d) R$400.000.
e) R$394.600.

Comentário:

A despesa da empresa é composta pelas contas:

Salários Brutos 400.000


FGTS 32.000
Contribuição Patronal INSS 40.000
Total 472.000

O Imposto de Renda Retido e o INSS retido não são despesa da empresa, que
só retém e repassa tais valores.

E o Salário Família e o Auxílio Maternidade são pagos pela empresa e


descontados do valor a recolher ao INSS.

Gabarito ^ B

Prof. Gabriel Rabelo e Luciano Rosa W W W . e S t r a t e g ia C O n C U r S O S . C O m . b r 7 de 34


18. (ESAF/Auditor Fiscal da Receita Federal/2014) Com relação à
Redução ao Valor Recuperável de Ativos, pode-se afirmar que:

A) a esta técnica estão sujeitos à aplicação desse processo todos os ativos sem
qualquer tipo de exceção.
B) é esse tipo de procedimento aplicável somente aos ativos intangíveis e aos
ativos resultantes de Contratos de Construção.
C) apenas aos ativos resultantes de Contratos de Construção e aqueles sujeitos
à aplicação do valor justo como os ativos biológicos são passíveis da aplicação
dessa redução.
D) tem como objetivo assegurar que os ativos não estejam registrados
contabilmente por valor maior do que o passível de ser recuperado por uso ou
venda.
E) não é aplicada aos imobilizados em razão dos mesmos já estarem sujeitos à
depreciação, amortização ou a exaustão que cobrem possíveis divergências no
valor de custo do ativo e o seu valor recuperável.

Comentário:

Vamos analisar as alternativas:

A) ERRADA. Conforme o Pronunciamento CPC 01 - Redução ao Valor


Recuperável de Ativos:

3. Este Pronunciamento Técnico não se aplica a estoques, ativos advindos de


contratos de construção, ativos fiscais diferidos, ativos advindos de planos de
benefícios a empregados ou ativos classificados como mantidos para venda (ou
incluídos em grupo de ativos que seja classificado como disponível para venda)
em decorrência de os Pronunciamentos Técnicos do CPC vigentes aplicáveis a
esses ativos conterem disposições orientadoras para reconhecimento e
mensuração desses ativos.___________________________________________

B) ERRADA. Não se aplica a ativos resultantes de contratos de construção.

C) ERRADA. Conforme o item 3 transcrito acima, não se aplica a contratos de


construção e nem a ativos sujeitos à aplicação do valor justo, como os ativos
biológicos.

D) CERTA. Conforme o Pronunciamento CPC 01:

1. O objetivo deste Pronunciamento Técnico é estabelecer procedimentos que a


entidade deve aplicar para assegurar que seus ativos estejam registrados
contabilmente por valor que não exceda seus valores de recuperação. Um ativo
está registrado contabilmente por valor que excede seu valor de recuperação se
o seu valor contábil exceder o montante a ser recuperado pelo uso ou pela
venda do ativo.

Prof. Gabriel Rabelo e Luciano Rosa W W W . e S t r a t e g ia C O n C U r S O S . C O m . b r 8 de 34


Contabilidade Geral e Avançada para Auditor Fiscal da Receita Federal
Prova Resolvida - AFRFB 2014
Profs. Gabriel Rabelo e Luciano Rosa - Aula Extra
E) ERRADA. O Teste de Recuperabilidade deve ser aplicado aos ativos
imobilizados. Confira a Lei 6404/76:

§ 3o A companhia deverá efetuar, periodicamente, análise sobre a recuperação


dos valores registrados no imobilizado e no intangível, a fim de que sejam:

I - registradas as perdas de valor do capital aplicado quando houver decisão de


interromper os empreendimentos ou atividades a que se destinavam ou quando
comprovado que não poderão produzir resultados suficientes para recuperação
desse valor; ou
II - revisados e ajustados os critérios utilizados para determinação da vida útil
econômica estimada e para cálculo da depreciação, exaustão e amortização.

Gabarito ^ D

19 (ESAF/Auditor Fiscal da Receita Federal/2014) A Cia. Mamoré vende a


prazo por R$15.000 um imobilizado cujo valor de registro é R$140.000 e a
depreciação acumulada, calculada até a data da venda, era de R$126.000. Para
efetuar o registro desse evento, a empresa deve:

a) registrar um débito de R$140.000 em conta do imobilizado.


b) contabilizar um crédito de R$15.000 em Ganhos com Venda de Imobilizado.
c) reconhecer um débito de R$14.000 em conta de resultado.
d) lançar um crédito de R$126.000 na conta de Depreciação Acumulada.
e) efetuar um débito de R$140.000 em perdas com imobilizado.

Comentários

A resolução para esta questão é a seguinte

Imobilizado (valor de aquisição) 140.000,00


(-) Depreciação acumulada (126.000,00)
Valor contábil 14.000,00

Valor de venda 15.000,00


Lucro na alienação do imobilizado 1.000,00

Para dar baixa, devemos lançar:

D- Valores a receber 15.000,00


D- Depreciação acumulada 126.000,00
C- Imobilizado 140.000,00
C- Ganho com venda de imobilizado 1.000,00

Analisemos, agora, as alternativas:

Prof. Gabriel Rabelo e Luciano Rosa W W W . e S t r a t e g ia C O n C U r S O S . C O m . b r 9 de 34


a) registrar um débito de R$140.000 em conta do imobilizado.

Item incorreto.

b) contabilizar um crédito de R$15.000 em Ganhos com Venda de


Imobilizado.

Item incorreto.

c) reconhecer um débito de R$14.000 em conta de resultado.

Item incorreto.

d) lançar um crédito de R$126.000 na conta de Depreciação


Acumulada.

Item incorreto.

e) efetuar um débito de R$140.000 em perdas com imobilizado.

Item incorreto.

Assim, não havia resposta correta. A questão foi impugnada. Entretanto, a


banca justificou da seguinte maneira:

Não há sustentação técnica para a argumentação apresentada, a questão não


trata em momento algum da determinação do valor final do ganho liquido
apurado com a venda do bem imobilizado. A questão argui sobre o registro
contábil desse evento. Registros contábeis envolvem valores debitados e
creditados e nesse sentido para o ganho de R$1.000,00 é necessário que seja
feito um lançamento de débito em Valores a Receber em contrapartida de um
crédito na conta de Ganhos e Perdas com imobilizado. Além disso, o CPC 27 que
trata do imobilizado é textual no seu item 68 em relação ao veto a tratar o
valor recebido nessas negociações como receita.

Gabarito ^ B.

Dados para a resolução das questões de n. 20 a 22.

A Cia. XYZ, em 01/03/2012, apresenta ao Banco Valioso o fluxo de duplicatas a


seguir:

Titulo Prazo Valores


Duplicatas 1 (D1) 30 dias 1.500.000
Duplicatas 2 (d 2) 60 dias 1.500.000
Duplicatas 3 (d 3) 90 dias 1.000.000

Prof. Gabriel Rabelo e Luciano Rosa W W W . e S t r a t e g ia C O n C U r S O S . C O m . b r 10 de 34


Contabilidade Geral e Avançada para Auditor Fiscal da Receita Federal
Prova Resolvida - AFRFB 2014
Profs. Gabriel Rabelo e Luciano Rosa - Aula Extra

Na ocasião, contrata uma operação de desconto a uma taxa mensal de 8% ao


mês (juros simples) além de taxas administrativas de R$5.000 cobradas pela
instituição financiadora.

20. (ESAF/Auditor Fiscal da Receita Federal/2014) De acordo com os


dados fornecidos, pode-se afirmar que o registro inicial da operação gera:

a) um aumento total de R$3.400.000 nos passivos circulantes.


b) uma diminuição total na situação líquida de R$600.000.
c) um aumento de R$3.995.000 total nos ativos circulantes.
d) uma diminuição total de passivo circulante de R$320.000.
e) um aumento total de despesas financeiras de R$120.000.

Comentários

O valor total dos juros é de R$ 600.000,00. Aparentemente, a Douta Banca


considerou a seguinte contabilização inicial:

D- Caixa/bancos (Ativo) 3.395.000


D- Juros a transcorrer (Ativo) 600.000
D- Despesas Bancárias (Resultado) 5.000
C- Duplicatas Descontadas (Passivo) 4.000.000

Os juros a transcorrer deveriam ser classificados no Passivo, como conta


retificadora das Duplicatas Descontadas.

Mas é bem conhecida a posição da ESAF de classificar tal conta no Ativo


Circulante.

Muito bem. Aceitamos. Vamos discutir outro ponto.

A taxa administrativa de R$5.000,00 deve ser incluída nos Encargos Financeiros


a Transcorrer, sendo apropriada no prazo da operação, por competência.

Vejamos o texto do CPC 08 (R1) - Custos de Transação:

Custos de transação são somente aqueles incorridos e diretamente atribuíveis


às atividades necessárias exclusivamente à consecução das transações citadas
no item 2. São, por natureza, gastos incrementais, já que não existiriam ou
teriam sido evitados se essas transações não ocorressem.

Exemplos de custos de transação são:

i) gastos com elaboração de prospectos e relatórios;______________________

Prof. Gabriel Rabelo e Luciano Rosa W W W . e S t r a t e g ia C O n C U r S O S . C O m . b r 11 de 34


ii) remuneração de serviços profissionais de terceiros (advogados, contadores,
auditores, consultores, profissionais de bancos de investimento, corretores
etc.);
iii) gastos com publicidade (inclusive os incorridos nos processos de road -
shows);
iv) taxas e comissões;
v) custos de transferência;
vi) custos de registro etc.

Custos de transação não incluem ágios ou deságios na emissão dos títulos e


valores mobiliários, despesas financeiras, custos internos administrativos ou
custos de carregamento.

Despesas financeiras são os custos ou as despesas que representam o ônus


pago ou a pagar como remuneração direta do recurso tomado emprestado do
financiador derivado dos fatores tempo, risco, inflação, câmbio, índice específico
de variação de preços e assemelhados; incluem, portanto, os juros, a
atualização monetária, a variação cambial etc., mas não incluem taxas,
descontos, prêmios, despesas administrativas, honorários etc.

Encargos financeiros são a soma das despesas financeiras, dos custos de


transação, prêmios, descontos, ágios, deságios e assemelhados, a qual
representa a diferença entre os valores recebidos e os valores pagos (ou a
pagar) a terceiros.

Contabilização da captação de recursos de terceiros

11. O registro do montante inicial dos recursos captados de terceiros,


classificáveis no passivo exigível, deve corresponder ao seu valor justo líquido
dos custos de transação diretamente atribuíveis à emissão do passivo
financeiro.

12. Os encargos financeiros incorridos na captação de recursos junto a terceiros


devem ser apropriados ao resultado em função da fluência do prazo, pelo custo
amortizado usando o método dos juros efetivos. (...)______________________

Assim, de acordo com o pronunciamento técnico do CPC acima, a contabilização


inicial deveria ser (já considerando o entendimento da ESAF de que os encargos
financeiros a transcorrer ficam no Ativo):

D - Caixa/bancos (Ativo) 3.395.000


D - Encargos financeiros a transcorrer (Ativo) 605.000
C - Duplicatas Descontadas (Passivo) 4.000.000

Na mesma linha, o Manual de Contabilidade Societária, de Sérgio de Iudícibus e


outros, Editora Atlas, 1a Edição, 2010, pg. 307:

Prof. Gabriel Rabelo e Luciano Rosa W W W . e S t r a t e g ia C O n C U r S O S . C O m . b r 12 de 34


Para melhor visualização, vejamos os registros contábeis necessários a uma
operação de desconto de duplicatas. Suponha a existência de duplicatas a
receber no valor de $ 1.000, descontadas em bancos, pelas quais foram
recebidos $ 900, sendo retidos $30 a título de despesas bancárias e $ 70 a
títulos de juros. Os registros contábeis seriam os seguintes:

a) quando do desconto das duplicatas e recebimento do valor líquido:

D - Bancos 900
D -Encargos Financeiros a transcorrer (redutora do Passivo) 100
C - Duplicatas Descontadas (Passivo) 1000

O Manual de Contabilidade Societária classifica corretamente os Encargos


financeiros a Transcorrer como Redutora do Passivo. Mas podemos aceitar o
"entendimento" da banca, que costuma classificar tal conta no Ativo.

Ainda assim, não haveria resposta correta. O aumento do Ativo seria de R$


4.000.000, sendo $ 3.395.000 em Caixa e $ 605.000 como Encargos
Financeiros a Transcorrer.

Portanto, solicitamos a anulação da questão por não apresentar reposta


correta, sendo que a ESAF acatou a sugestão.

Gabarito Preliminar ^ C.
Gabarito Definitivo ^ Anulada.

21. (ESAF/Auditor Fiscal da Receita Federal/2014) Em 16/04/2012 o


Banco Valioso comunica à Cia. XYZ que a duplicata (D1) não foi quitada pelo
cliente. No aviso de cobrança bancária, enviado para a empresa, o banco
informa que lançou na conta corrente da empresa R$1.505.500, relativos ao
valor do título em atraso e a juros adicionais e comissão de permanência no
valor de R$5.500. Nesse caso, a empresa deve registrar em sua contabilidade:

a) Contas Débito Crédito


Duplicatas /descontadas 1 500.000
Contas a Receber 5 500
a Bancos C/ Movimento 1 505.500

b) Contas Débito Crédito


Duplicatas /descontadas 1 505.500
a Bancos C/ Movimento 1 505.500

c) Contas Débito Crédito


Duplicatas a Receber 1 505.500
a Bancos C/ Movimento 1 505.500

Prof. Gabriel Rabelo e Luciano Rosa W W W . e S t r a t e g ia C O n C U r S O S . C O m . b r 13 de 34


Contabilidade Geral e Avançada para Auditor Fiscal da Receita Federal
Prova Resolvida - AFRFB 2014
Profs. Gabriel Rabelo e Luciano Rosa - Aula Extra
d) Contas Débito Crédito
Duplicatas a Receber 1.500.000
Despesas Bancárias 5.500
a Bancos C/ Movimento 1.505.500

e) Contas Débito Crédito


Contas a Receber 1.505.500
a Duplicatas Descontadas 1.505.500

Comentários

O lançamento correto, na situação em tela, seria:

Contas Débito Crédito


Duplicatas/descontadas 1.500.000
Despesas Bancárias 5.500
a Bancos C/ Movimento 1.505.500

Pois não há justificativa, pelos dados da questão, para considerar o valor de


$5.500, referente a juros adicionais e a comissão de permanência (despesa
bancária), como "Contas a Receber".

Ainda que a empresa tenha a firme intenção de cobrar futuramente tal valor do
cliente que não pagou a duplicata, não há base para contabilizá-lo como "contas
a receber", ao invés de despesa, no resultado.

Senão, vejamos:

A contabilização em contas a receber fere o princípio da prudência, pois deixa


de reconhecer uma despesa que já ocorreu.

Fere o princípio da Oportunidade, pois não fornece informações integras e


tempestivas, ao não contabilizar a despesa.

Fere o princípio da competência, deixando de reconhecer uma despesa já


ocorrida.

E não atende à definição de Ativo:

"Ativo é um recurso controlado pela entidade como resultado de eventos


passados e do qual se espera que fluam futuros benefícios econômicos para a
entidade".
O único evento passado, na situação retratada, é o pagamento de juros e
despesas ao banco. Se a empresa PRETENDE cobrar isso do seu cliente, que
cobre primeiro e depois reconheça um ativo.

Prof. Gabriel Rabelo e Luciano Rosa W W W . e S t r a t e g ia C O n C U r S O S . C O m . b r 14 de 34


Assim, por não apresentar alternativa correta, pedimos a anulação da questão,
que foi acatada pela banca.

Gabarito Preliminar ^ A.
Gabarito definitivo ^ Anulada.

22. (ESAF/Auditor Fiscal da Receita Federal/2014) De acordo com as


normas contábeis atualizadas, os juros cobrados sobre a operação de desconto
devem ser:

a) lançados como despesa financeira após o recebimento do último título


descontado.
b) contabilizados pelo montante total dos juros descontados como despesas no
momento inicial da operação.
c) registrados como despesas financeiras no momento da quitação de cada um
dos títulos descontados.
d) registrados como despesa financeira em três parcelas iguais através de
rateio do total por 90 dias.
e) transferidos para o resultado como despesa financeira de acordo com o
regime de competência.

Comentários

Dissemos que os encargos financeiros devem ficar registrados em conta


retificadora do passivo e ser apropriados ao resultado como despesa financeira,
de acordo com o regime de competência.

Gabarito ^ E.

(ESAF/Auditor Fiscal da Receita Federal/2014) No início de 2013, o


Patrimônio Líquido da Cia. Madeira era composto pelos seguintes saldos:

Contas de PL Valores R$

Capital Social 1.000.000


Capital a Integralizar (550.000)
Reserva Legal 87.500
Reservas de Lucros 57.500
Lucros Retidos 170.000

Ao final do período de 2013, a empresa apurou um Lucro antes do Imposto


sobre a Renda e Contribuições no valor de R$ 400.000.

De acordo com a política contábil da empresa, ao final do exercício, no caso da


existência de lucros, os estatutos da empresa determinam que a mesma deve

Prof. Gabriel Rabelo e Luciano Rosa W W W . e S t r a t e g ia C O n C U r S O S . C O m . b r 15 de 34


observar os percentuais abaixo para os cálculos das Participações e
Contribuições, apuração do Lucro Líquido e sua distribuição.

Dividendos a Pagar 50%


Participações da Administração nos Lucros daSociedade 20%
Participações de Debêntures 25%
Participação dos Empregados nos Lucros daSociedade 25%
Provisão para IR e Contribuições 20%
Reserva de Lucros 20%
Reserva Legal 5%

O restante do Lucro Líquido deverá ser mantido em Lucros Retidos conforme


decisão da Assembleia Geral Ordinária (AGO) até o final do exercício de 2014,
conforme Orçamento de Capital aprovado em AGO de 2012.

Com base nas informações anteriores, responda às questões de n. 23 a 26.

23. (ESAF/Auditor Fiscal da Receita Federal/2014) O valor a ser


registrado como Reserva Legal é:

a) R$ 2.000.
b) R$ 2.500.
c) R$ 3.500.
d) R$ 7.200.
e) R$ 7.500.

Comentários

Atenção! A ESAF, historicamente, sempre considerou, para os cálculos


da reserva legal, o capital subscrito, na contramão de outras bancas
que consideram o capital realizado. Todavia, a partir do concurso do
STN, em 2013, e nesta prova também, ela considerou para o cálculo o
valor do capital realizado.

Lucro antes do IR 400 000,00


(-) IR (80.000,00)
Lucro após o IR e antes das participações320. 000,00
(-) Participação de debenturistas (25%) (80.000,00)
(-) Participação de empregados (25%) (60.000,00)
(-) Participação de administradores (20%) (36.000,00)
Lucro líquido do exercício 144.000,00

Limite da reserva legal: 1.000.000 - 550.00 = 450.000,00 x 20% = 90.000,00.


Limite da reserva legal: 90.000 - 87.500 = 2.500,00.

Reserva legal: 144.000 x 5% = 7.200,00.

Prof. Gabriel Rabelo e Luciano Rosa W W W . e S t r a t e g ia C O n C U r S O S . C O m . b r 16 de 34


Contabilidade Geral e Avançada para Auditor Fiscal da Receita Federal
Prova Resolvida - AFRFB 2014
Profs. Gabriel Rabelo e Luciano Rosa - Aula Extra
Todavia, só poderemos constituir 2.500,00.

Gabarito ^ B.

24. (ESAF/Auditor Fiscal da Receita Federal/2014) O valor distribuído a


título de dividendo é:

a) R$ 160.000.
b) R$ 124.800.
c) R$ 96.000.
d) R$ 72.000.
e) R$ 68.400.

Comentários

Trata-se de questão em que se solicita o cálculo do valor distribuído a título de


dividendos.

Para chegar à resposta da banca, devemos fazer os cálculos que se seguem:

Lucro antes do IR 400.000,00


(-) IR (80.000,00)
Lucro após o IR e antes das participações320.000,00
(-) Participação de debenturistas (25%) (80.000,00)
(-) Participação de empregados (25%) (60.000,00)
(-) Participação de administradores (20%) (36.000,00)
Lucro líquido do exercício 144.000,00

Deste valor, destinaram-se 50% para o cálculo dos dividendos.

Dividendos a Pagar = 50% x 144.000,00 = 72.000,00

Ocorre que este cálculo toma direção diametralmente oposta ao que vinha
sendo adotado pela Escola de Administração Fazendária - ESAF - em outros
concursos.

A resolução ora exarada vai de encontro ao que a banca vinha adotando


sistematicamente. A ESAF sempre ajustou o lucro líquido nos termos do artigo
202 da Lei 6.404/76, mesmo que o estatuto nada dissesse a respeito.

Segundo a Lei 6.404/76:

Art. 202. Os acionistas têm direito de receber como dividendo obrigatório, em


cada exercício, a parcela dos lucros estabelecida no estatuto ou, se este for
omisso, a importância determinada de acordo com as seguintes normas:

Prof. Gabriel Rabelo e Luciano Rosa W W W . e S t r a t e g ia C O n C U r S O S . C O m . b r 17 de 34


(Redação dada pela Lei n° 10.303, de 2001) (Vide Medida Provisória n° 608,
de 2013) (Vide Lei n° 12.838, de 2013)

I - metade do lucro líquido do exercício diminuído ou acrescido dos seguintes


valores: (Redação dada pela Lei n° 10.303, de 2001)

a) importância destinada à constituição da reserva legal (art. 193); e (Incluída


pela Lei n° 10.303, de 2001)
b) importância destinada à formação da reserva para contingências (art. 195) e
reversão da mesma reserva formada em exercícios anteriores; (Incluída pela
Lei n° 10.303, de 2001)_____________________________________________

Para consolidar este entendimento, analisemos uma questão explorada por esta
douta banca, no ano corrente:

(ESAF/Contador/Ministério do Turismo/2014) Na empresa Tal Qual


Lemos S.A., o lucro do exercício, quando ocorre, é distribuído da seguinte
forma: 30% para dividendos obrigatórios, 10% para Participações Estatutárias
de Administradores, 10% para Reservas Estatutárias, 5% para Reserva Legal.

No presente exercício o lucro líquido do exercício antes do imposto de renda foi


no montante de R$ 90.000,00, dele devendo-se deduzir um imposto de renda
de R$ 36.000,00.

Sendo contabilizada a distribuição acima proposta, certamente, vamos


encontrar um dividendo obrigatório no valor de

a) R$ 12.150,00
b) R$ 12.465,90
c) R$ 12.393,00
d) R$ 13.851,00
e) R$ 14.580,00

Comentários

A resolução da banca foi a seguinte:

Lucro antes do IR 90.000,00


(-) IR_________________________________ (36.000,00)
Lucro após o IR 54.000,00
(-) Participaçãodos administradores 10%_____ (5.400,00)
Lucro líquido do exercício 48.600,00

Feito isso, transferimos o lucro líquido para o PL, fazendo as destinações.


Inicialmente, devemos calcular a reserva legal.

Prof. Gabriel Rabelo e Luciano Rosa W W W . e S t r a t e g ia C O n C U r S O S . C O m . b r 18 de 34


A reserva legal é de R$ 48.600,00 x 5% = R$ 2.430,00.

A base de cálculo dos dividendos, para a ESAF, será de:

48.600,00 - 2.430,00 = 46.170,00.

Os dividendos são de 30% deste valor.

Dividendos: 46.170,00 x 30% = 13.851,00.

Vejam, pois, que se trata de questão semelhante, com entendimentos distintos,


em tão curto período de tempo. À época, esta questão fora impugnada. A ESAF
respondeu, então, em sede de Parecer:

O recorrente impetrou recurso alegando que não há nenhum impedimento na


Lei 6.404/76 ou em normas contábeis quanto à destinação da reserva
estatutária antes da distribuição de dividendos,
e solicita a anulação do quesito por entender que há duas respostas possíveis,
embora não informe quais são elas.

Na verdade a destinação da reserva estatutária não vem ao caso no enunciado,


esse destino será o previsto no estatuto. O que se pede é o cálculo de
dividendos obrigatórios, exatamente como está fixado no artigo 202 da lei
6.404/76.

Lá se diz que "Art. 202. Os acionistas têm direito de receber como dividendo
obrigatório, em cada exercício, a parcela do ... lucro líquido do exercício
diminuído ou acrescido dos seguintes valores:

a) importância destinada à constituição da reserva legal (art. 193); e


b) importância destinada à formação da reserva para contingências (art. 195) e
reversão da mesma reserva."

Veja-se que a lei fala em subtrair do lucro dois tipos de reservas, mas não
menciona a reserva estatutária, portanto a reserva estatutária não deverá ter
seu saldo reduzido do lucro antes de calcular o dividendo obrigatório.

No caso a solução teria de ser na Demonstração do Resultado (DRE):


(LAIR) 90.000,00 - (IR) 36.000 - (PA) 5.400,00 = (LLE) 48.600,00.

Na Demonstração de Lucros Acumulados

(LLE) 48.600,00 - (5%) 2.430,00 = 46.170,00 x 30% = dividendos


13.851,00.

Prof. Gabriel Rabelo e Luciano Rosa W W W . e S t r a t e g ia C O n C U r S O S . C O m . b r 19 de 34


Vê-se, pois, que a banca retirou a reserva legal para o cálculo dos dividendos
(grifo em vermelho).

Com efeito, a diversidade de critérios para a resolução de um mesmo assunto


levou uma série de candidatos ao erro. Solicitamos a anulação da referida
questão, sob pena de instaurar-se, nas mãos do examinador, um
verdadeiro poder discricionário para decidir quais os critérios utilizar
ou não para determinada matéria em prova. Pedimos, também, fosse
exarado parecer em que se pacificasse a matéria em questão, pois,
caso contrário, os candidatos se verão, a cada certame, jogados à
própria sorte.

Todavia, a banca somente se pronunciou com o seguinte discurso: A


distribuição de dividendos não é omissa.

Gabarito definitivo ^ D.

25. (ESAF/Auditor Fiscal da Receita Federal/2014) O Valor das


Participações dos Debenturistas nos Lucros da Sociedade é:

a) R$ 80.000.
b) R$ 72.000.
c) R$ 64.000.
d) R$ 48.000.
e) R$ 36.000.

Comentários

Podemos encontrar a resposta na demonstração do resultado do exercício.

Lucro antes do IR 400.000,00


(-) IR (80.000,00)
Lucro após o IR e antes das participações320.000,00
(-) Participação de debenturistas (25%) (80.000,00)
(-) Participação de empregados (25%) (60.000,00)
(-) Participação de administradores (20%) (36.000,00)
Lucro líquido do exercício 144.000,00

Gabarito ^ A.

Prof. Gabriel Rabelo e Luciano Rosa W W W . e S t r a t e g ia C O n C U r S O S . C O m . b r 20 de 34


Contabilidade Geral e Avançada para Auditor Fiscal da Receita Federal
Prova Resolvida - AFRFB 2014
Profs. Gabriel Rabelo e Luciano Rosa - Aula Extra

26. (ESAF/Auditor Fiscal da Receita Federal/2014) Com base nos dados


fornecidos, pode-se afirmar que:

a) o Capital autorizado da empresa é de R$ 550.000.


b) o valor a ser destinado para a Reserva de Lucros é de R$ 28.000.
c) após a distribuição do resultado, o saldo total do Patrimônio Líquido é de
R$837.000.
d) o valor da Participação da Administração nos Lucros da Sociedade
corresponde a R$64.000.
e) o resultado líquido e sua destinação provocam um aumento líquido de
passivo de R$ 240.000.

Comentários

a) o Capital autorizado da empresa é de R$ 550.000.

A letra a está incorreta. O capital autorizado é o valor que está previsto no


estatuto ou contrato social para que haja aumento do capital social sem haver
alteração do estatuto/contrato. Não é contabilizável.

b) o valor a ser destinado para a Reserva de Lucros é de R$ 28.000.

Reserva de lucros: 144.000 x 20% = 28.800,00.

Item incorreto.

c) após a distribuição do resultado, o saldo total do Patrimônio Líquido


é de R$837.000.

Distribuição do resultado 144.000


- Reserva legal - 2.500
- Reserva de lucros - 28.800
- Dividendos - 72.000
- Lucros Retidos - 40.700

Capital Social 1.000.000


Capital a Integralizar (550.000)
Reserva Legal 90.000
Reservas de Lucros 86.300
Lucros Retidos 210.700
Total do PL 837.000

Item correto.

d) o valor da Participação da Administração nos Lucros da Sociedade


corresponde a R$64.000.

Prof. Gabriel Rabelo e Luciano Rosa W W W . e S t r a t e g ia C O n C U r S O S . C O m . b r 21 de 34


Contabilidade Geral e Avançada para Auditor Fiscal da Receita Federal
Prova Resolvida - AFRFB 2014
Profs. Gabriel Rabelo e Luciano Rosa - Aula Extra

Lucro antes do IR 400.000,00


(-) IR (80.000,00)
Lucro após o IR e antes das participações320.000,00
(-) Participação de debenturistas(25%) (80.000,00)
(-) Participação de empregados(25%) (60.000,00)
(-) Participação de administradores (20%)(36.000,00)
Lucro líquido do exercício 144.000,00

Item incorreto.

e) o resultado líquido e sua destinação provocam um aumento líquido


de passivo de R$ 240.000.

O passivo é aumentado pelos seguintes fatos:

- Dividendos obrigatórios a pagar: 72.000


- Participações estatutárias a pagar: 176.000
- IR a pagar: 80.000
Total do aumento do passivo: 328.000,00.

Gabarito ^ C.

27. (ESAF/Auditor Fiscal da Receita Federal/2014) A Cia. Solimões


Industrial adquire um terreno por R$2.000.000 nas proximidades de suas
instalações, para valorização. Na tomada de decisão pelo negócio, foi
considerada a oportunidade das condições negociadas, o início de obras
governamentais nas proximidades para ampliação da malha rodoviária e a
construção de um entreposto de produtos agrícolas e a consequente valorização
de imóveis naquela região.

Ao registrar a aquisição desse imóvel, a empresa deve classificar esse bem


como Ativo:

a) Diferido.
b) Imobilizado.
c) Investimento.
d) Intangível.
e) Realizável de Longo Prazo.

Comentários

Trata-se de propriedade para investimento, nos termos do CPC 28.

Propriedade para investimento é a propriedade (terreno ou edifício - ou parte


de edifício - ou ambos) mantida (pelo proprietário ou pelo arrendatário em

Prof. Gabriel Rabelo e Luciano Rosa W W W . e S t r a t e g ia C O n C U r S O S . C O m . b r 22 de 34


arrendamento financeiro) para auferir aluguel ou para valorização do capital ou
para ambas, e não para:

(a) uso na produção ou fornecimento de bens ou serviços ou para finalidades


administrativas; ou
(b) venda no curso ordinário do negócio.

O CPC a define como aquela que é mantida para auferir aluguel ou para
valorização (ou ambas), contanto que não sejam utilizadas para finalidades
administrativas e nem sejam vendidas como curso ordinário do negócio.

Portanto, trata-se de propriedade para investimento, classificada no ativo não


circulante - investimentos.

Gabarito ^ C.

28. (ESAF/Auditor Fiscal da Receita Federal/2014) No tratamento contábil


das contas de Reservas, são classificadas como Reservas de Lucros as:

a) Reserva de Reavaliação de Ativos Próprios e a Reserva Legal.


b) Reserva para Contingências e a Reserva de incentivos Fiscais.
c) Reserva de Lucros para Expansão e a Reserva de Ágio na emissão de Ações.
d) Reserva de Contingência e a Reserva de Reavaliação de Ativos de Coligadas.
e) Reserva Especial de Ágio na Incorporação e a Reserva Legal.

Comentários

São reservas de lucros:

- Reserva Legal;
- Reservas Estatutárias;
- Reservas para Contingências;
- Reserva de Incentivos Fiscais;
- Reserva de Retenção de Lucros;
- Reserva de Lucros a Realizar;
- Reserva Especial de Dividendo Obrigatório Não Distribuído;
- Reserva Específica de Prêmio na Emissão de Debêntures.

a) Reserva de Reavaliação de Ativos Próprios e a Reserva Legal.

A reserva de reavaliação foi extinta com as mudanças contábeis. A reserva legal


é reserva de lucros.

b) Reserva para Contingências e a Reserva de incentivos Fiscais.

Este é o nosso gabarito.

Prof. Gabriel Rabelo e Luciano Rosa W W W . e S t r a t e g ia C O n C U r S O S . C O m . b r 23 de 34


Contabilidade Geral e Avançada para Auditor Fiscal da Receita Federal
Prova Resolvida - AFRFB 2014
Profs. Gabriel Rabelo e Luciano Rosa - Aula Extra

c) Reserva de Lucros para Expansão e a Reserva de Ágio na emissão de


Ações.

A reserva de ágio na emissão de ações é reserva de capital. A reserva de lucros


para expansão é sinônimo para a reserva de retenção de lucros.

d) Reserva de Contingência e a Reserva de Reavaliação de Ativos de


Coligadas.

A reserva de contingência é reserva de lucros, e não temos mais no


ordenamento jurídico a figura da reserva de reavaliação.

e) Reserva Especial de Ágio na Incorporação e a Reserva Legal.

A reserva legal é reserva de lucros, enquanto que a reserva especial de ágio na


incorporação não existe no patrimônio líquido.

Gabarito ^ B.

Em janeiro de 2011, a Cia. Amazônia subscreve 60% do capital ordinário da


Cia. Mamoré, registrando essa Participação Societária, em seus ativos, pelo
valor de R$ 720.000. Nesse mesmo período, a empresa controlada vende à
vista para a Cia. Amazônia estoques no valor de R$ 200.000, obtendo nessa
transação um lucro de R$50.000. Ao final desse exercício, o Patrimônio Líquido
da controlada ajustado correspondia a R$ 1.230.000 e a investidora repassou
para terceiros 70% dos estoques adquiridos da Cia. Mamoré pelo valor à vista
de R$ 250.000.

Considerando estas informações, responda às questões n. 29 e 30.

29. (ESAF/Auditor Fiscal da Receita Federal/2014) Ao final de dezembro, no


encerramento do exercício social, a Cia. Amazônia deve efetuar o lançamento
contábil de:

a) débito na conta Resultado de Investimentos a crédito na conta de


Participações Societárias - Cia. Mamoré no valor de R$18.000.
b) débito na conta Participações Societárias - Cia. Mamoré a crédito de Receitas
de Investimentos no valor de R$15.000.
c) débito na conta de Resultado de Equivalência Patrimonial a crédito de
Participações Societárias - Cia. Mamoré no valor de R$12.500.
d) débito na conta de Resultado de Equivalência Patrimonial a crédito de
Participações Societárias - Cia. Mamoré no valor de R$5.000.
e) débito na conta de Participações Societárias - Cia. Mamoré a crédito de
Resultado de Equivalência Patrimonial no valor de R$3.000.

Prof. Gabriel Rabelo e Luciano Rosa W W W . e S t r a t e g ia C O n C U r S O S . C O m . b r 24 de 34


Contabilidade Geral e Avançada para Auditor Fiscal da Receita Federal
Prova Resolvida - AFRFB 2014
Profs. Gabriel Rabelo e Luciano Rosa - Aula Extra
Comentários

Valor inicial do investimento 720.000


Valor final do PL - Cia Mamoré 1.230.000
x participação (60%) 738.000

Quando uma empresa vende ativos a outra, coligada ou controlada, pode haver
a ocorrência de lucros não realizados. Considera-se realizado o lucro quando o
ativo for vendido para terceiros.

O lucro não realizado pode ocorrer na venda de estoque, investimento,


instrumentos financeiros de curto prazo, imobilizado ou intangível.

Lucro não realizado = 50.000 x 30% = 15.000,00.

Assim, deve ser reconhecida equivalência patrimonial no montante de:

738.000,00 - 15.000,00 - 720.000,00 = 3.000,00.

O lançamento é o que se segue:

Débito - Participações Societárias - Cia. Mamoré R$ 3.000,00


Crédito de Resultado de Equivalência Patrimonial R$ 3.000,00

Gabarito ^ E.

30. (ESAF/Auditor Fiscal da Receita Federal/2014) Considere que a Cia.


Mamoré destina, distribui e paga dividendos no valor de R$10.000 para os
acionistas. Nesse caso, a Cia. Amazônia deve efetuar um lançamento de:

a) débito em conta de Resultado de Equivalência Patrimonial a crédito de conta


do Patrimônio Líquido no valor de R$6.000.
b) débito em Disponibilidades a crédito da conta Participações Societárias - Cia.
Mamoré no valor de R$6.000.
c) débito de Participações Societárias - Cia. Mamoré a crédito da conta
Resultado de Equivalência Patrimonial no valor de R$6.000.
d) débito de Disponibilidades a crédito da conta Resultado de Equivalência
Patrimonial no valor de R$6.000.
e) débito de Dividendos a Pagar a crédito da conta Receitas de Investimentos
no valor de R$6.000.

Comentários

Como serão distribuídos dividendos no valor de R$ 10.000,00, e deste


montante a investidora tem 60%, então, ela receberá este valor em caixa - R$
6.000,00, que também diminuirá o valor de investimento.

Prof. Gabriel Rabelo e Luciano Rosa W W W . e S t r a t e g ia C O n C U r S O S . C O m . b r 25 de 34


Contabilidade Geral e Avançada para Auditor Fiscal da Receita Federal
Prova Resolvida - AFRFB 2014
Profs. Gabriel Rabelo e Luciano Rosa - Aula Extra

O lançamento, por ocasião da distribuição dos dividendos, é:

D - Disponibilidades (ativo) 6.000,00


C - Participações societárias (ativo) 6.000,00

Gabarito ^ B.

QUESTÕES COMENTADAS NESTA AULA

11. (ESAF/Auditor Fiscal da Receita Federal/2014) O lucro obtido na


Venda de Imobilizado e o Resultado de Equivalência Patrimonial representam,
na Demonstração dos Fluxos de Caixa (DFC):

A) ingresso de caixa na atividade de investimento.


B) aumento de atividades operacionais.
c ) ajustes do resultado na elaboração da DFC.
D) ingressos por Receita Operacional.
E) aumento de investimentos.

12 (ESAF/Auditor Fiscal da Receita Federal/2014) Na elaboração da


Demonstração do Valor Adicionado (DVA), as Receitas Financeiras de Juros
recebidas por entidades comerciais e o valor da contribuição patronal para a
Previdência Social são, respectivamente:

A) Valor adicionado recebido em transferência e distribuição da riqueza obtida.


B) Distribuição da Riqueza Obtida e Valor adicionado recebido por substituição.
C) Receitas derivadas de produtos ou serviços e item do Valor Adicionado Bruto.
D) Valor Adicionado Bruto e Receitas derivadas de produtos ou serviços.
E) Receitas derivadas de produtos ou serviços e Valor adicionado recebido por
substituição.
13. (ESAF/Auditor Fiscal da Receita Federal/2014) Com relação às
assertivas a seguir, pode-se afirmar que:

I. Os Ativos Não Circulantes Mantidos para a Venda, devem ser depreciados


normalmente até a data da venda, e os encargos financeiros, se verificados,
devem ser reconhecidos como custo de operação e contrapostos aos ingressos
de caixa obtidos ao final da operação.
II. Os Ativos Não Circulantes Mantidos para a Venda, uma vez identificados,
devem estar disponíveis para a venda imediata nas condições em que se
encontram desde que a recuperação do seu valor contábil esteja firmemente
atrelada à geração de caixa por uso contínuo.
III. No Balanço Patrimonial os Ativos Não Circulantes Mantidos para a Venda e
os passivos a eles relacionados devem ser compensados e apresentados em um
único montante no Balanço Patrimonial.

Prof. Gabriel Rabelo e Luciano Rosa W W W . e S t r a t e g ia C O n C U r S O S . C O m . b r 26 de 34


Assinale a opção correta.

a) Todas são verdadeiras.


b) Somente I é falsa.
c) Somente III é verdadeira.
d) Todas são falsas.
e) Apenas a II é verdadeira.

(ESAF/Auditor Fiscal da Receita Federal/2014) Dados para a resolução


das questões de n. 14 a 16.

Dos registros contábeis da Cia. Corporativa, relativos aos exercícios 2010/2012,


foram extraídos os valores abaixo:

Itens 2010 2011 2012


Ativo Circulante 10.000 18.000 24.000
Ativo Não Circulante 50.000 62.000 76.000
Disponibilidade 500 200 750
Estoques 2.500 3.000 4.000
Lucro Líquido 8.000 6.000 4.000
Passivo Circulante 16.000 20.000 30.000
Passivo Não Circulante 24.000 35.000 44.000
Patrimônio Líquido 20.000 25.000 26.000
Vendas Líquidas 102.000 95.000 98.000

14 (ESAF/Auditor Fiscal da Receita Federal/2014) Com base nos dados


fornecidos, pode-se afirmar que:

A) a empresa em 2011 tem o giro do ativo de 0,74.


B) o menor índice de solvência da empresa é identificado no exercício de 2010.
C) no exercício de 2011, a empresa tem a sua menor margem líquida.
D) a participação do patrimônio líquido em 2011 é de 1,35.
E) o maior grau de endividamento da empresa é identificado no período de
2012.

15. (ESAF/Auditor Fiscal da Receita Federal/2014) Com relação à liquidez


da empresa, pode-se afirmar que:

A) o índice de liquidez seca em 2010 é 0,67.


b) o menor índice de liquidez imediata é o de 2011.
C) o valor do índice de liquidez corrente de 2012 é 0,63.
D) em 2011 o índice de liquidez imediata da empresa é 0,47.
E) a empresa tem o seu maior índice de liquidez seca em 2010.

16. (ESAF/Auditor Fiscal da Receita Federal/2014) Analisando a


Rentabilidade dos ativos, pode-se afirmar que:

A) o Giro dos ativos em 2012 é 1,70.

Prof. Gabriel Rabelo e Luciano Rosa W W W . e S t r a t e g ia C O n C U r S O S . C O m . b r 27 de 34


B) o retorno dos ativos é crescente ao longo do período.
C) a menor rentabilidade dos ativos verifica-se em 2011.
D) a rentabilidade do ativo em 2010 foi de 0,133.
E) o período com maior retorno do ativo foi o de 2012.

17. (ESAF/Auditor Fiscal da Receita Federal/2014) Da folha de


pagamento da Cia. Pagadora foram extraídos os dados abaixo:

Salários Brutos 400.000


Imposto de Renda Retido na Fonte Pessoa Física 3.400
INSS Retido 6.000
Salário Família 1.500
FGTS 32.000
Contribuição Patronal INSS 40.000
Auxílio Maternidade 2.500

Tomando como base apenas os dados fornecidos, pode-se afirmar que o total a
ser apropriado como Despesas de Período é:

a) R$476.000.
b) R$472.000.
c) R$436.600.
d) R$400.000.
e) R$394.600.

18. (ESAF/Auditor Fiscal da Receita Federal/2014) Com relação à


Redução ao Valor Recuperável de Ativos, pode-se afirmar que:

A) a esta técnica estão sujeitos à aplicação desse processo todos os ativos sem
qualquer tipo de exceção.
B) é esse tipo de procedimento aplicável somente aos ativos intangíveis e aos
ativos resultantes de Contratos de Construção.
C) apenas aos ativos resultantes de Contratos de Construção e aqueles sujeitos
à aplicação do valor justo como os akivos biológicos são passíveis da aplicação
dessa redução.
D) tem como objetivo assegurar que os ativos não estejam registrados
contabilmente por valor maior do que o passível de ser recuperado por uso ou
venda.
E) não é aplicada aos imobilizados em razão dos mesmos já estarem sujeitos à
depreciação, amortização ou a exaustão que cobrem possíveis divergências no
valor de custo do ativo e o seu valor recuperável.

19 (ESAF/Auditor Fiscal da Receita Federal/2014) A Cia. Mamoré vende a


prazo por R$15.000 um imobilizado cujo valor de registro é R$140.000 e a
depreciação acumulada, calculada até a data da venda, era de R$126.000. Para
efetuar o registro desse evento, a empresa deve:

Prof. Gabriel Rabelo e Luciano Rosa W W W . e S t r a t e g ia C O n C U r S O S . C O m . b r 28 de 34


a) registrar um débito de R$140.000 em conta do imobilizado.
b) contabilizar um crédito de R$15.000 em Ganhos com Venda de Imobilizado.
c) reconhecer um débito de R$14.000 em conta de resultado.
d) lançar um crédito de R$126.000 na conta de Depreciação Acumulada.
e) efetuar um débito de R$140.000 em perdas com imobilizado.

Dados para a resolução das questões de n. 20 a 22.

A Cia. XYZ, em 01/03/2012, apresenta ao Banco Valioso o fluxo de duplicatas a


seguir:

Titulo Prazo Valores


Duplicatas 1 (D1) 30 dias 1.500.000
Duplicatas 2 (d 2) 60 dias 1.500.000
Duplicatas 3 (D3) 90 dias 1.000.000

Na ocasião, contrata uma operação de desconto a uma taxa mensal de 8% ao


mês (juros simples) além de taxas administrativas de R$5.000 cobradas pela
instituição financiadora.

20. (ESAF/Auditor Fiscal da Receita Federal/2014) De acordo com os


dados fornecidos, pode-se afirmar que o registro inicial da operação gera:

a) um aumento total de R$3.400.000 nos passivos circulantes.


b) uma diminuição total na situação líquida de R$600.000.
c) um aumento de R$3.995.000 total nos ativos circulantes.
d) uma diminuição total de passivo circulante de R$320.000.
e) um aumento total de despesas financeiras de R$120.000.

21. (ESAF/Auditor Fiscal da Receita Federal/2014) Em 16/04/2012 o


Banco Valioso comunica à Cia. XYZ que a duplicata (D1) não foi quitada pelo
cliente. No aviso de cobrança bancária, enviado para a empresa, o banco
informa que lançou na conta corrente da empresa R$1.505.500, relativos ao
valor do título em atraso e a juros adicionais e comissão de permanência no
valor de R$5.500. Nesse caso, a empresa deve registrar em sua contabilidade:

a) Contas Débito Crédito


Duplicatas /descontadas 1.500.000
Contas a Receber 5.500
a Bancos C/ Movimento 1.505.500

b) Contas Débito Crédito


Duplicatas /descontadas 1.505.500
a Bancos C/ Movimento 1.505.500

c) Contas Débito Crédito

Prof. Gabriel Rabelo e Luciano Rosa W W W . e S t r a t e g ia C O n C U r S O S . C O m . b r 29 de 34


Contabilidade Geral e Avançada para Auditor Fiscal da Receita Federal
Prova Resolvida - AFRFB 2014
Profs. Gabriel Rabelo e Luciano Rosa - Aula Extra
Duplicatas a Receber 1.505.500
a Bancos C/ Movimento 1.505.500

d) Contas Débito Crédito


Duplicatas a Receber 1.500.000
Despesas Bancárias 5.500
a Bancos C/ Movimento 1.505.500

e) Contas Débito Crédito


Contas a Receber 1.505.500
a Duplicatas Descontadas 1.505.500

22. (ESAF/Auditor Fiscal da Receita Federal/2014) De acordo com as


normas contábeis atualizadas, os juros cobrados sobre a operação de desconto
devem ser:

a) lançados como despesa financeira após o recebimento do último título


descontado.
b) contabilizados pelo montante total dos juros descontados como despesas no
momento inicial da operação.
c) registrados como despesas financeiras no momento da quitação de cada um
dos títulos descontados.
d) registrados como despesa financeira em três parcelas iguais através de
rateio do total por 90 dias.
e) transferidos para o resultado como despesa financeira de acordo com o
regime de competência.

(ESAF/Auditor Fiscal da Receita Federal/2014) No início de 2013, o


Patrimônio Líquido da Cia. Madeira era composto pelos seguintes saldos:

Contas de PL Valores R$

Capital Social 1.000.000


Capital a Integralizar (550.000)
Reserva Legal 87.500
Reservas de Lucros 57.500
Lucros Retidos 170.000

Ao final do período de 2013, a empresa apurou um Lucro antes do Imposto


sobre a Renda e Contribuições no valor de R$ 400.000.

De acordo com a política contábil da empresa, ao final do exercício, no caso da


existência de lucros, os estatutos da empresa determinam que a mesma deve
observar os percentuais abaixo para os cálculos das Participações e
Contribuições, apuração do Lucro Líquido e sua distribuição.

Dividendos a Pagar 50%

Prof. Gabriel Rabelo e Luciano Rosa W W W . e S t r a t e g ia C O n C U r S O S . C O m . b r 30 de 34


Participações da Administração nos Lucros da Sociedade 20%
Participações de Debêntures 25%
Participação dos Empregados nos Lucros da Sociedade 25%
Provisão para IR e Contribuições 20%
Reserva de Lucros 20%
Reserva Legal 5%

O restante do Lucro Líquido deverá ser mantido em Lucros Retidos conforme


decisão da Assembleia Geral Ordinária (AGO) até o final do exercício de 2014,
conforme Orçamento de Capital aprovado em AGO de 2012.

Com base nas informações anteriores, responda às questões de n. 23 a 26.

23. (ESAF/Auditor Fiscal da Receita Federal/2014) O valor a ser


registrado como Reserva Legal é:

a) R$ 2.000.
b) R$ 2.500.
c) R$ 3.500.
d) R$ 7.200.
e) R$ 7.500.

24. (ESAF/Auditor Fiscal da Receita Federal/2014) O valor distribuído a


título de dividendo é:

a) R$ 160.000.
b) R$ 124.800.
c) R$ 96.000.
d) R$ 72.000.
e) R$ 68.400.

25. (ESAF/Auditor Fiscal da Receita Federal/2014) O Valor das


Participações dos Debenturistas nos Lucros da Sociedade é:

a) R$ 80.000.
b) R$ 72.000.
c) R$ 64.000.
d) R$ 48.000.
e) R$ 36.000.

26. (ESAF/Auditor Fiscal da Receita Federal/2014) Com base nos dados


fornecidos, pode-se afirmar que:

a) o Capital autorizado da empresa é de R$ 550.000.


b) o valor a ser destinado para a Reserva de Lucros é de R$ 28.000.
c) após a distribuição do resultado, o saldo total do Patrimônio Líquido é de
R$837.000.

Prof. Gabriel Rabelo e Luciano Rosa W W W . e S t r a t e g ia C O n C U r S O S . C O m . b r 31 de 34


d) o valor da Participação da Administração nos Lucros da Sociedade
corresponde a R$64.000.
e) o resultado líquido e sua destinação provocam um aumento líquido de
passivo de R$ 240.000.

27. (ESAF/Auditor Fiscal da Receita Federal/2014) A Cia. Solimões


Industrial adquire um terreno por R$2.000.000 nas proximidades de suas
instalações, para valorização. Na tomada de decisão pelo negócio, foi
considerada a oportunidade das condições negociadas, o início de obras
governamentais nas proximidades para ampliação da malha rodoviária e a
construção de um entreposto de produtos agrícolas e a consequente valorização
de imóveis naquela região.

Ao registrar a aquisição desse imóvel, a empresa deve classificar esse bem


como Ativo:

a) Diferido.
b) Imobilizado.
c) Investimento.
d) Intangível.
e) Realizável de Longo Prazo.

28. (ESAF/Auditor Fiscal da Receita Federal/2014) No tratamento contábil


das contas de Reservas, são classificadas como Reservas de Lucros as:

a) Reserva de Reavaliação de Ativos Próprios e a Reserva Legal.


b) Reserva para Contingências e a Reserva de incentivos Fiscais.
c) Reserva de Lucros para Expansão e a Reserva de Ágio na emissão de Ações.
d) Reserva de Contingência e a Reserva de Reavaliação de Ativos de Coligadas.
e) Reserva Especial de Ágio na Incorporação e a Reserva Legal.

Em janeiro de 2011, a Cia. Amazônia subscreve 60% do capital ordinário da


Cia. Mamoré, registrando essa Participação Societária, em seus ativos, pelo
valor de R$ 720.000. Nesse mesmo período, a empresa controlada vende à
vista para a Cia. Amazônia estoques no valor de R$ 200.000, obtendo nessa
transação um lucro de R$50.000. Ao final desse exercício, o Patrimônio Líquido
da controlada ajustado correspondia a R$ 1.230.000 e a investidora repassou
para terceiros 70% dos estoques adquiridos da Cia. Mamoré pelo valor à vista
de R$ 250.000.

Considerando estas informações, responda às questões n. 29 e 30.

29. (ESAF/Auditor Fiscal da Receita Federal/2014) Ao final de dezembro, no


encerramento do exercício social, a Cia. Amazônia deve efetuar o lançamento
contábil de:

Prof. Gabriel Rabelo e Luciano Rosa W W W . e S t r a t e g ia C O n C U r S O S . C O m . b r 32 de 34


a) débito na conta Resultado de Investimentos a crédito na conta de
Participações Societárias - Cia. Mamoré no valor de R$18.000.
b) débito na conta Participações Societárias - Cia. Mamoré a crédito de Receitas
de Investimentos no valor de R$15.000.
c) débito na conta de Resultado de Equivalência Patrimonial a crédito de
Participações Societárias - Cia. Mamoré no valor de R$12.500.
d) débito na conta de Resultado de Equivalência Patrimonial a crédito de
Participações Societárias - Cia. Mamoré no valor de R$5.000.
e) débito na conta de Participações Societárias - Cia. Mamoré a crédito de
Resultado de Equivalência Patrimonial no valor de R$3.000.

30. (ESAF/Auditor Fiscal da Receita Federal/2014) Considere que a Cia.


Mamoré destina, distribui e paga dividendos no valor de R$10.000 para os
acionistas. Nesse caso, a Cia. Amazônia deve efetuar um lançamento de:

a) débito em conta de Resultado de Equivalência Patrimonial a crédito de conta


do Patrimônio Líquido no valor de R$6.000.
b) débito em Disponibilidades a crédito da conta Participações Societárias - Cia.
Mamoré no valor de R$6.000.
c) débito de Participações Societárias - Cia. Mamoré a crédito da conta
Resultado de Equivalência Patrimonial no valor de R$6.000.
d) débito de Disponibilidades a crédito da conta Resultado de Equivalência
Patrimonial no valor de R$6.000.
e) débito de Dividendos a Pagar a crédito da conta Receitas de Investimentos
no valor de R$6.000.

Prof. Gabriel Rabelo e Luciano Rosa W W W . e S t r a t e g ia C O n C U r S O S . C O m . b r 33 de 34


Contabilidade Geral e Avançada para Auditor Fiscal da Receita Federal
Estratégia
C O N C U R S O S ^ Prova Resolvida - AFRFB 2014
Profs. Gabriel Rabelo e Luciano Rosa - Aula Extra

GABARITO DAS QUESTÕES

questão g a b a r it o

11 c

12 a

13 d

14 e

15 b

16 d

17 b

18 d

19 b

20 an u lad a

21 an u lad a

22 e

23 b

24 d

25 a

26 c

27 c

28 b

29 e

30 b

Prof. Gabriel Rabelo e Luciano Rosa W W W . e S t r a t e g ia C O n C U r S O S . C O m . b r 34 de 34