Você está na página 1de 4

Patrocínio, MG, outubro de 2016

ENCONTRO DE PESQUISA & EXTENSÃO, 3., 2016, Patrocínio. Anais... Patrocínio: IFTM,
2016.

TECNOLOGIAS DE COMUNICAÇÃO SEM FIO: CONCEITOS E


APLICAÇÕES DE REDES LOCAIS WIRELESS

André Pereira de Castro (IFTM)1;


Matheus Araújo Aguiar (IFTM)2;
Olgda Laria Borges de Paula (IFTM) 3
Modalidade: Minicurso

Resumo:
O aumento da utilização de links de comunicação sem fio no decorrer dos
últimos anos é comparado ao crescimento da Internet nas últimas décadas.
Nesse contexto, as tecnologias de redes sem fio locais são apontadas como a
principal infraestrutura capaz de promover mobilidade e interoperabilidade para
múltiplos dispositivos; apresentando significativa qualidade, frente à crescente
demanda por tráfego de dados que as modernas aplicações requerem. O
objetivo deste trabalho é apresentar os principais conceitos e aplicações dos
componentes em uma infraestrutura de rede local wireless para comunicação
de dados.
Palavras-chave: redes sem fio; wireless; comunicação.

Introdução
As descobertas cientificas fizeram da utilização de ondas
eletromagnéticas a principal via para a transmissão de mensagens entre
dispositivos, permitindo a capacidade de conexão a uma rede ou a outro
aparelho por meio de links de comunicação sem fio (BRANQUINHO, 2014).
Tais tecnologias têm sido amplamente empregadas em diferentes
áreas como, por exemplo, as redes de telefonia celular, a transmissão de
dados via satélite e, sobretudo, as redes sem fio com abrangência local,

1
Estudante do Curso Superior de Licenciatura em Computação – Campus Uberaba Parque Tecnológico.
andrepereira@iftm.edu.br
2
Professor Orientador, Me. Ciência da Computação. matheusaguiar@iftm.edu.br
3
Pedagoga do Instituto Federal de Educação, Ciência e Tecnologia do Triângulo Mineiro – Campus
Patrocínio. olgda@iftm.edu.br
classificadas como Wireless LAN, também conhecidas como redes Wi-Fi,
presentes em ambientes residenciais e corporativos (BOBAK, 2001).
A utilização desse meio não guiado tem levado ao aperfeiçoamento
dos equipamentos transmissores e receptores, tornando-os menores, mais
sensíveis, potentes e precisos (BRANQUINHO, 2014).
A ampla utilização da internet em diversos segmentos possibilitou o
acesso a diferentes recursos e serviços compartilhados em rede. A
necessidade de uma conexão estável e a conveniência para os usuários em ter 34
maior mobilidade são fatores predominantes para o aperfeiçoamento e adoção
das tecnologias de redes sem fio.
Nesse contexto, o estudo das redes sem fio se faz notório em virtude
dessas tecnologias estarem presentes cada vez mais em diversos ambientes.

Objetivos
O objetivo deste trabalho é identificar as definições dos principais
conceitos relacionados às tecnologias de rede sem fio, com foco em redes
wireless locais, bem como abordar as aplicações para essa infraestrutura com
base no padrão comercial (IEEE 802.11) e na certificação Wi-Fi Alliance.

Metodologia
Como procedimento metodológico foi realizado um levantamento de
dados secundários (FINK, 2003) da literatura sobre as Tecnologias de
Informação Sem Fio para a exposição dos conceitos indicados nos artigos
referenciados. Eles estão disponíveis em bases de dados de pesquisa
acadêmica na área de Gestão e Sistemas de Informação.

Desenvolvimento
As redes wireless são uma das mais importantes tecnologias de
rede para acesso à internet. A transmissão da informação por um meio não
guiado ocorre com a sua codificação em uma série de símbolos no transmissor.
Então, esses símbolos são transmitidos usando técnicas que variam os
parâmetros das ondas eletromagnéticas como, por exemplo, a amplitude, a
frequência e a fase. No receptor, os símbolos são decodificados
(BRANQUINHO, 2014).
Técnicas de modulação são empregadas para adequar o sinal ao
meio de transmissão, realizando uma translação do sinal de banda para a
frequência do canal que será utilizado.
Durante a propagação das ondas que transportam a informação
codificada, ocorrem atenuações em função da distância percorrida ao
atravessar o meio físico e também por fenômenos decorrentes de múltiplos
percursos. Já as reflexões e refrações da onda irradiada, podem favorecer a
recepção do sinal quando o dispositivo receptor não apresenta alinhamento 35
com o transmissor.
Dado os princípios de transmissão, é importante destacar a
padronização das redes sem fio. Conforme aponta Kurose (2010), embora
existam diferentes padrões para essas redes, a principal arquitetura adotada
para conectividade wireless, foi estabelecida em consenso pelo IEEE (Institute
of Electrical and Electronics Engineers) e registrado com sob a nomenclatura
802.11. Nessa temática, Branquinho (2014, p. 36) enfatiza que:

[...] O 802.11 ainda tem subpadrões, como o IEEE 802.11g, 802.11a


e 802.11n. Cada um estabelece um padrão diferente: os dois
primeiros funcionando em 2,4 e 5 GHz com taxas de 54mbps e o
ultimo usando MIMO para atingir taxas de 300 Mbps em 2.4 GHz.

Outra padronização mais recente e ainda em fase de implantação no


mercado é a emenda 802.11ac, que incorpora mais banda disponível para as
estações sem fio, maiores taxas de transmissão e maior alcance dos pontos de
acesso.
Embora as redes locais sem fio sejam conhecidas popularmente
como redes Wi-Fi, esta nomeação não é um padrão, mas sim uma certificação
dada pelo Fórum Wi-Fi Aliance, “uma cooperativa de indústrias que busca a
interoperação de redes sem fio, não apresentando a obrigatoriedade de se
implementar o padrão 802.11 inteiramente para garantir a compatibilidade”
(BRANQUINHO, 2014, p. 36).
Uma aplicação de uma infraestrutura de redes wireless é integrada
por três componentes primários, sendo eles: os hospedeiros sem fio, os
enlaces sem fio e as estações-base.
Os hospedeiros sem fio são os equipamentos de sistemas finais que
solicitam a conexão e fazem uso da transmissão dos dados. Hospedeiros sem
fio podem ser ou não ser móveis (LAGES, 2006).
Corrêa (2006) define os enlaces wireless, como as tecnologias que
conectam uma estação-base a um outro hospedeiro, compreendendo uma área
de cobertura e uma taxa de transmissão.
Já uma estação-base é a parte principal da infraestrutura com a
função de coordenar a transmissão e recebimento de dados de um enlace para 36
um hospedeiro sem fio (KUROSE, 2010).

Considerações finais
Neste trabalho, foram apresentados brevemente os conceitos
fundamentais para estudo de redes sem fio. Dada a evolução dos
componentes e da arquitetura dessas redes, é de fundamental importância
conhecer os princípios que norteiam seu funcionamento. Essas tecnologias não
estão somente aumentando a ubiquidade do acesso à internet, mas também
abrem espaço para um novo conjunto interessante de aplicações e novos
estudos.

Referências

BRANQUINHO, Omar. Tecnologias de Redes sem Fio. – Escola Superior de


Redes. Rio de Janeiro: Rede Nacional de Ensino e Pesquisa, 2014.

BOBAK, Andreas. Eletronic business with mobile personal digital


assistants (PDAs). Departamento de Tecnologia da Informação, Universidade
de Zurich, 2001.

CORRÊA, Underléa et al. Redes Locais sem Fio: Conceito e Aplicações.


Florianópolis: Universidade Federal de Santa Catarina, 2006.

FINK, Arlene. The survey handbook. Vol. 1. Sage, 2003.

LAGES, Alexandre Gomes; DELICATO, Flávia C.; PIRMEZ, Luci. Um Sistema


de Reputação Fuzzy para Segurança Orientada a Serviços em Redes de
Banda Larga sem Fio. Simpósio Brasileiro de Redes de Computadores (SBRC
2006), Curitiba, PR–Brasil, 2006.

KUROSE, James F.; ROSS, Keith W. Redes de Computadores e a Internet:


uma abordagem top-down. 5ª ed. São Paulo: Pearson. 2010.