Você está na página 1de 6

UNIVERSIDADE TECNOLÓGICA FEDERAL DO PARANÁ

DEPARTAMENTO ACADÊMICO DE ENGENHARIA DE MATERIAIS

CURSO DE ENGENHARIA DE MATERIAIS

JOÃO PEDRO MARTINS

KARINA ANDRESSA ALVES SEDANS

ABS : ACRINOLITRILA BUTADIENO ESTIRENO

LONDRINA

2016
JOÃO PEDRO MARTINS

KARINA ANDRESSA ALVES SEDANS

ABS : ACRINOLITRILA BUTADIENO ESTIRENO

Relatório apresentado à disciplina de Estruturas


e Propriedades de polímeros, como requisito
parcial de nota semestral, do curso superior de
Engenharia de Materiais da Universidade
Tecnológica Federal do Paraná – UTFPR
Campus Londrina.
Orientador: Professora Dra. Elisangela

LONDRINA

2016
1. DEFINIÇÃO
Copolímero é um polímero que apresenta mais de um
mero diferente na cadeia polimérica. São ditos
comonômeros cada um dos monômeros utilizados na
copolimerização (CANEVAROLO JR, Sebastião V., 2013,
p.45).

Os copolímeros podem ter sua conformação aleatório, alternado, em


bloco ou enxertado. Os copolímeros aleatórios apresentam os monômeros
distribuídos de forma aleatória na cadeia polimérica. Os alternados
apresentam monômeros alternados na cadeia polimérica. Os copolímeros
em bloco apresentam blocos dos monômeros na cadeia polimérica. E, os
copolímeros enxertados são caracterizados por uma cadeia de um
monômero com outro monômero diferente enxertado nessa cadeia
polimérica.
2. ABS: ACRINOLITRILA BUTADIENO ESTIRENO

O copolímero ABS (Acrinolitrila Butadieno Estireno) é um terpolímero, ou


seja, apresenta três diferentes monômeros em sua estrutura.

Figura 1: Monômeros que compõem o ABS.

O ABS é um termoplástico que pode ter variação em suas propriedades


de acordo com a proporção de cada monômero utilizada, de acordo com a
aplicação desejada.
Estes monômeros passam pela polimerização e formam o terpolímero
Acrilonitrila Butadieno Estireno (ABS)

Figura 2: ABS
3. SÍNTESE
O ABS comercial, apresenta uma cadeia carbônica de copolímero
estireno-acrilonitrila com uma cadeia de estireno-butadieno enxertada nela.
A estrutura química deste copolímero é formada
principalmente por uma cadeia de homopolibutadieno
enxertada com um copolímero aleatório de estireno-
acrilonitrila. O ABS comercial também possui outras duas
fases: uma de cadeias não enxertadas de
homopolibutadieno e outra de cadeias de um copolímero
aleatório de estireno-acrinonitrila conhecido por SAN livre
(CANEVAROLO JR, Sebastião V., 2013, p.46).

Figura 3: estrutura ABS.

Inicialmente, a acrilonitrila é copolimerizada com o estireno dando


origem ao SAN, depois o SAN é extrudado junto com o polibutadieno
(butadieno polimerizado) formando o ABS.

Figura 4: Síntese do ABS


4. PROPRIEDADES