Você está na página 1de 8

O objetivo de uma rede telefônica é levar os pares de fios desde o DG até a casa do Cliente.

Podemos encontrar três tipos de rede:

REDES RÍGIDAS

Chama-se Rede Rígida a que não possui nenhum ponto de seccionamento entre a central e o
Cliente. Os pares do cabo primário (alimentador) são ligados diretamente às caixas terminais.
A grande vantagem em utilizar este tipo de rede está na facilidade de se identificar/remover
defeitos, visto que não há ponto de conexão entre a rede primária e a secundária.

REDES FLEXÍVEIS

Chama-se Rede Flexível a que possui seccionamento entre a central e o Cliente. Para isso,
empregam-se Armários de Distribuição (ARD) que interligam os pares dos cabos da rede
primária (alimentadora) com os pares da rede secundária (distribuidora).

Um par de fios do cabo primário, que termina no armário, pode ser conectado a qualquer par
do cabo secundário, que deixa o armário. Todas as conexões são feitas por intermédio de fios
Jumper.

A rede flexível é a mais comumente adotada no Brasil, garantindo uma margem maior para
atendimento a uma demanda futura de clientes onde não há segurança quanto às
características e o tempo das edificações que irão surgir na área.
DG (Distribuidor Geral)

É o local onde os pares de fios que saem da central são conectados aos pares dos cabos
externos.

O DG é constituído de uma estrutura metálica na qual são montados blocos separados em


duas partes:

 De um lado são dispostos blocos na horizontal que interligam os pares de fios à


central telefônica.
 De outro lado são dispostos blocos na vertical onde são conectados os pares da rede
com suas respectivas proteções.

A interligação entre o lado horizontal e o lado vertical é feita através do fio Jumper (FDG).

Conjunto de cabos, equipamentos e acessórios utilizados para a interligação dos Blocos do


Distribuidor Geral (DG) até o ponto de fronteira entre a Rede Externa e a Rede Interna do
Cliente.
Rede Primária

No caso de uma Rede Flexível, a rede primária é o trecho da rede de cabos entre o Distribuidor
Geral (DG) e os Armários de Distribuição (ARD)

Já no caso de uma Rede Rígida, a rede primária é o trecho entre o Distribuidor Geral (DG) e a
caixa terminal

Tipicamente, a rede primária é constituída de cabos subterrâneos pressurizados de grande


capacidade (acima de 600 pares). Estes cabos subterrâneos são pressurizados para evitar a
entrada de umidade.

EMENDA

Local ou elemento de rede onde é feita a interligação de dois ou mais cabos.

 Emenda direta – Ligação par a par onde a quantidade de pares do cabo de entrada é
igual à quantidade de pares nos cabos de saída (um ou mais cabos de saída);

 Emenda derivada – Ligação onde o cabo de entrada deriva para um ou mais cabos (os
pares ficam em paralelo nos dois cabos);

 Emenda reduzida – Ligação onde o cabo de entrada tem maior capacidade que o cabo
de saída. Ficam pares mortos na emenda;
 Emenda Sangria – Ligação de uma caixa/DG predial ao cabo.

ARMÁRIO DE DISTRIBUIÇÃO

Local onde é realizada a conexão entre os cabos da Rede Primária com os cabos da Rede
Secundária, através da ligação entre os blocos com fio jumper.

REDE SECUNDÁRIA

Trecho de rede de cabos entre os Armários de Distribuição e as Caixas Terminais. Tipicamente,


esta rede é aérea, com cabos de baixa capacidade de 10 a 400 pares.

CAIXAS TERMINAIS

As caixas terminais são o último ponto da rede externa antes de chegar ao Cliente.

Nelas são conectados os fios externos (FE) que ligam às instalações dos Clientes.

Tipos de caixas terminais:

 Em poste – o Cliente é atendido tipicamente em FE aéreo;


 Em fachada – o Cliente é atendido tipicamente em FE na fachada;
 Subterrânea – o Cliente é atendido em cabo CCE instalado em condutos;
 Interna – o Cliente é atendido através de uma rede interna do edifício.

PTR (Ponto de Terminação de Rede)

Ponto de transição entre rede externa (rede de acesso) e rede interna do Cliente.

REDE INTERNA/CLIENTE

Toda a rede nas instalações do Cliente, constituída de cabos ou fios, tomadas e equipamentos.
PORÃO DE CABOS

O Porão de cabos (também conhecido como Túnel ou galeria de cabos), tipicamente localizado
abaixo ou ao lado do DG, é o local onde é realizada a interligação dos cabos que vêm dos
blocos verticais com os cabos da Rede Externa (Cabos que vem da rua).
PRESSURIZAÇÃO

A pressurização de cabos é um sistema de proteção contra danos, furos, rompimento, má


vedação de luvas que impede a infiltração de água e/ou umidade para o interior do cabo,
através da injeção contínua de nitrogênio ou ar seco que provoca uma pressão maior no
interior do cabo que a pressão externa.