Você está na página 1de 10

Sumário

O que foi a Guerra Fria?

A Guerra Fria foi uma disputa ideológica, que durou de 1947 a 1989, entre as duas
superpotências da época: Estados Unidos (EUA) e União Soviética (URSS).
Durante essa disputa não houve um conflito armado entre as duas potências, devido
a isso, o nome “Guerra Fria”.

Durante esse período, sistema da União Soviética era socialista, baseado na


economia planificada, (Partido Comunista), igualdade social e falta de democracia.
Enquanto que, nos Estados Unidos vigorava um sistema capitalista, baseado na
economia de mercado, sistema democrático e propriedade privada.

Início da guerra

Após o fim da Segunda Guerra Mundial, tanto a URSS quanto os Estados Unidos
saíram vitoriosos, tendo os dois lutado do lado dos Aliados. Iniciando uma disputa
pelo poder entre essas duas superpotências mundiais.

Com dois polos de poder, o mundo se tornara bipolar, tendo de um lado os Estados
Unidos apoiando o capitalismo e do outro a URSS apoiando o Socialismo. Diante
desse cenário, os demais países se viram “obrigados” a escolher um lado. Isso
permitiu que os que os países atuantes na guerra aumentassem sua área de
influência.

No leste europeu, os partidos comunistas locais foram apoiados pela URSS,


ascendendo ao poder estabelecendo as chamadas democracias populares na
Albânia, Romênia, Bulgária, Hungria, Polônia e Checoslováquia.

A parte oeste ou ocidental da Europa ficou sob a influência dos Estados Unidos.
Consolidando nessas áreas democracias liberais, com exceção das ditaduras na
Espanha e em Portugal.

Disputas

Visando se afirmar como maior potência global, ambos os países iniciaram uma
corrida armamentista. Essa corrida armamentista tornou-se também uma nuclear.
Os Estados Unidos obtinham essa tecnologia desde de 1945, enquanto que, a URSS
realizara seus primeiros testes em 1949.

Além da corrida armamentista, os Estados Unidos e a URSS disputaram que


conquistaria o espaço, essa briga ficou conhecida como corrida espacial. Os
soviéticos saíram na frente na corrida espacial, lançando o primeiro satélite artificial
(1957), o primeiro foguete tripulado com um ser vivo (1960) e mesmo o primeiro
voo espacial tripulado por um humano (1961). Entretanto, foi os Estados Unidos
que ganharam a corrida, chegando a Lua em 1969.

Caça as Bruxa

Nos Estado Unidos houve uma grande perseguição a pessoas que divulgasse ideias
que se aproximassem do socialismo. Sendo divulgadas, também, diversas mídias
que apoiavam valorizando o "american way of life". Já na URSS não foi diferente,
devido a perseguição pelo Partido comunista, que perseguia, e as vezes até matava,
os que desobedecessem às regras.

Conflitos indiretos

Apesar de não ocorrer um conflito direto entre as duas superpotências, houve


conflitos indiretos, marcados pela influência dos Estados Unidos e da URSS. Esses
conflitos foram fortemente marcados pela tentativa, pelos dois lados, de tentar
aumentar seu domínio nessas regiões. Esses conflitos, também, foram influenciados
pela briga entre socialismo e capitalismo.

Símbolos

Um dos maiores símbolos da Guerra foi o muro de Berlim, que separou a Alemanha
em duas. Após derrotada na Segunda Guerra Mundial, a Alemanha foi dividida
entre os vencedores, França, Inglaterra, Estados Unidos e URSS. Os país
capitalistas, Estados Unidos, Inglaterra e França, fizeram uma aliança e
estabeleceram domínio sobre a Alemanha Ocidental, enquanto que, a URSS não
aderiu à aliança e estabeleceu influência direta sobre a Alemanha Ocidental. O muro
de Berlim foi erguido em 1961, para separar a parte capitalista de socialista, sendo
derrubado somente no fim do conflito.
Objetivos dos EUA e URSS na Guerra Fria

A União soviética tinha como objetivos territórios e coisas mais tangíveis, enquanto
que, os Estado Unidos visavam coisas intangíveis, como estabelecer os rumos da
política global.

Então, a URSS foi expansionista, buscando aumentar sua influência e os territórios


sob seu domínio. Para isso, ela utilizou discursos ideológico vinculados ao
socialismo. Uma justificativa para o expansionismo soviético foi a crença de que
quanto maior fosse o território, mais difícil seria para a os Estados Unidos obterem
um ataque bem-sucedido.

Já os Estados Unidos viveram um dilema com relação aos seus objetivos. O


primeiro dilema foi decidir se combatiam o expansionismo soviético ou a expansão
do comunismo. Então em alguns casos houve a escolha entre um e o outro.
Enquanto que, o outro dilema foi se deveria prevenir todas as expansões soviéticas
ou só nos lugares que fossem necessários para o equilíbrio de poder.

Fases da Guerra Fria

Utilizamos as categorizações de Nye e de Paulo Fagundes Vizentini, historiador e


pós-doutor em Relações Internacionais, para estabelecer as fases do conflito. Nye
divide os primeiros anos da Guerra Fria em três fases: o início gradual (1945-1947),
a declaração da Guerra Fria (1947-1949) e o seu auge (1950-1962). Depois dessas
fases, há convergência sobre a perspectiva de que há uma desaceleração no conflito
entre 1963 e 1979, após o qual as tensões se acirram novamente. Com a ascensão
de Gorbatchev na URSS, em 1985, a Guerra Fria começa a se encaminhar para o
fim.

Início gradual (1945-1947)

Esse período não é contabilizado como parte da Guerra Fria, porém, esse período
foi necessário para que a tensão entre os Estados Unidos e União Soviética
aumentasse. Aponta-se seis questões que teriam contribuído para a eclosão da
Guerra Fria:
 Stálin, líder da URSS na época, não realizou novas eleições na Polônia após a o
fim da Segunda Guerra Mundial, assim como os Estados Unidos acreditava e
pediram. Diante disso, foi estabelecido um “governo-fantoche” que seguia as
instruções da URSS;
 A interrupção dos empréstimos concedido pelos Estados Unidos à URSS. Em
1845, os navios que estavam seguindo para portos soviéticos deram meia volta em
pleno oceano;
 A falta de consenso de como ocorreria a reconstrução da Alemanha e como ela
pagaria suas dívidas com os vencedores da guerra;
 A briga entre Estados Unidos e URSS, sobre a divisão de terras na Ásia Oriental;
 A recusa da União Soviética em aceitar o plano de controle de armas nucleares;
 A resistência da União Soviética em retirar suas tropas do irã, que se encontrava
sob influência da Grã-Bretanha.

Declaração da Guerra Fria (1947 – 1949)

Nessa fase uma ação de um dos lados leva a reação do outro:

 Em 1947, a Doutrina Truman começou a pregar que os Estados Unidos


defenderiam os povos livres em todo o mundo (do comunismo). Com isso os
Estados Unidos começaram a ajudar outros países para aumentar sua área de
influência.
 Em 1947, Os Estados Unidos lançaram o Plano Marshall, que visava ajudar os
Estados Europeus a se reconstruírem no pós-guerra. A URSS viu isso como uma
forma dos Estados Unidos exercerem influência sobre a região e logo pressionou
os países do leste europeu a não participarem, criando o COMECON, que era
encarregado de garantir auxílio mútuo entre os países socialistas.
 A URSS tentou impedir a influência dos Estados Unidos sobre as áreas sob sua
influência, gerando o bloco da “cortina de ferro”. Sendo esse termo utilizado por
Winston Churchill – (primeiro ministro britânico), em 1946.
 Em 1948, os Estados Unidos implantaram na Alemanha uma nova moeda, o marco
alemão. Diante desse cenário, Stálin respondeu com um o Bloqueio de Berlim. O
líder da URSS cortou a comunicação entre Berlim e o restante da Alemanha
Ocidental. Até o suprimento de comida foi cortado, então, os Estados Unidos, com
a ajuda da Grã-Bretanha, fizeram uma ponte aérea, transportando suprimentos para
Berlim Ocidental através de voos regulares.
 Em 1949, a União Soviética detonou sua primeira bomba atômica. No mesmo ano,
o Partido comunista chegou ao poder na China e a Organização do Tratado do
Atlântico Norte (OTAN), aliança militar liderada pelos EUA, é oficialmente criada.
Em 1955, a URSS responde a criação da OTAN criando sua própria aliança militar:
O Pacto de Varsóvia.

Auge da Guerra Fria (1950-1962)

Essa foi a época de maior perigo para estourar uma guerra direta entre as duas
superpotências:

 Em 1950, as tropas da Coreia do Norte, apoiada pela URSS e China, atravessaram


as fronteiras e invadiram a Coreia do Sul, apoiada pela ONU e EUA. A batalha
continuou até 1953, quando uma trégua foi assinada.
 Em 1959, o Vietnã do Norte, comunista e apoiado pela URSS, avançou sobre o
Vietnã do Sul, capitalista e apoiado pelos Estados Unidos, dando início à Guerra do
Vietnã, que se estenderia até o ano de 1975. Em 1976, o país foi reunificado, após
a vitória da parte comunista.
 Em 1961, o Muro de Berlim foi erguido para separar a Alemanha Oriental da
Ocidental.
 A Crise dos Mísseis foi o período em que a Guerra Fria ficou mais próxima de um
conflito nuclear. Em 1961, havia ocorrido uma tentativa de derrubar o governo de
Fidel Castro, de regime socialista. O episódio foi realizado por um grupo
paramilitar de exilados cubanos anticastristas, apoiados pelos Estados Unidos e
ficou conhecido como “invasão da Baía dos Porcos”. Tal acontecimento, somado
com o fato dos Estados Unidos terem mísseis Itália e Turquia, fez os soviéticos
implantarem mísseis em Cuba. Os EUA ameaçaram atacar se a URSS não retirasse
os mísseis. Foram dias de muita tensão entre as duas superpotências. Após esse
período, as duas superpotências chegaram a um acordo e a URSS removeu seus
mísseis e, um tempo depois, os Estados Unidos também removeram seus mísseis.
Détente (1963 – 1979)

Após a crise dos mísseis, os dois países procuraram evitar uma possível guerra
nuclear. De 1963 a 1978, houve um afrouxamento das tensões, devido ao aumento
da abertura dos canais de comunicação entre Washington e Moscou. Durante esse
período, acordos entre os dois países foram assinados, controlando os testes
nucleares e o comércio entre as potências aumentou.

“Segunda Guerra Fria” (1979-1985)

Após o détente, as tensões voltaram a aumentar entre as superpotências. Segundo


cientista político Nye, os fatores que levaram ao aumento dessa tensão são:

 O aumento dos gastos da URSS com o poder bélico;


 A intervenção soviética na Angola, Etiópia e Afeganistão, apoiando grupos que
se identificavam com o socialismo;
 Uma nova orientação política norte-americana, mais dura e identificada com a
direita.

O fim da Guerra Fria

Existem três tipos de causas que levaram ao fim da Guerra Fria:

Precipitantes

As reformas que aconteceram na URSS – reforma de Gorbachev, Perestroika e


Glasnost – acabaram acelerando o declínio da URSS. Glasnost queria a implantação
de um regime mais democrático, com maior liberdade de expressão, enquanto
Perestroika visava a modernização e abertura da economia soviética.

Gorbachev também modificou sua política externa, concedendo aos Estados do


Leste Europeu maior grau de liberdade e refreando a corrida armamentista por parte
da URSS.

Intermediárias
A adoção de ideias liberais e a expansão imperial excessiva são apontadas como
importantes causas para a queda da URSS. Com Gorbachev, a União soviética
aproximou-se das ideias defendidas pelos Estados Unidos, tais como, liberalismo,
democracia.

Enquanto a expansão excessiva gerou muitos gastos para a URSS. As despesas com
armamentos e defesa territorial eram tão grandes que outros setores começaram a
sentir um déficit de recursos.

Profundas

O declínio da ideologia comunista no mundo e a falência da economia soviética


foram consideradas causas profundas. Conforme Nye, o comunismo foi perdendo
a legitimidade, conforme os lideres tomavam atitudes autoritárias. O regime foi
perdendo apoiadores conforme valores liberais foram sendo disseminados.

As industrias soviéticas, baseadas nas industrias de base e metalúrgicas, tiveram


grades dificuldades em acompanhar os avanços tecnológicos que ocorriam no
restante do globo.

Portanto, devido aos seus problemas internos vividos pela União Soviética, ela
decidiu não apoiar o governo comunista na Alemanha Oriental, resultando na queda
do Muro de Berlim em 1990. A queda do muro de Berlim também marca o fim da
Guerra Fria. Dois anos depois a URSS, seria desmembrada em vários Estados
menores.

Opiniões

De acordo com Joseph S. Nye Jr., cientista político norte-americano, há três


principais linhas de pensamento a respeito da Guerra Fria:

Tradicionalista

Para os tradicionalistas, foi a URSS que iniciou a Guerra Fria. Após o fim da
Segunda Guerra Mundial, os Estados Unidos estariam na defensiva, enquanto a
URSS se comportaria mais agressivamente.
Eles afirmam que que após a Segunda Guerra Mundial, os Estados Unidos
desmobilizaram suas tropas, enquanto que, a URSS deixou suas tropas no leste
europeu. A URSS também só teria retirado suas tropas do Irã após forte pressão
internacional, e bloqueou Berlim em 1948 e 1949, tentando expulsar os governos
ocidentais.

De acordo com os tradicionalistas, em 1950, os avanços dos exércitos norte-


coreanos na Coreia do Sul, fizeram os Estados Unidos rever suas políticas e
realmente iniciar o conflito.

Revisionistas

Os revisionistas defendem que a Guerra Fria foi iniciada pelos norte-americanos.


Eles acreditam que o mundo não era bipolar, pois os Estados Unidos detinham
muito mais poder bélico.

Para essa linha de pensamento, os Estados Unidos teriam iniciado movimentos


expansionistas, pela necessidade econômica norte-americana de expandir o
capitalismo pelo mundo. Eles defendem, também, que a política de Stálin pós-
guerra foi moderada, permitindo governos não socialistas em seu domínio.

Pós-revisionistas

Para essa linha de pensamento a guerra entre as duas superpotências, Estados


Unidos e URSS, era inevitável, visto que, o mundo era bipolar. Sendo natural que
ambos tentassem se expandir, visando manter sua segurança. O domínio de um
sobre a Europa significaria grande riscos para o outro.
Referências

https://www.todamateria.com.br/guerra-fria/

http://www.sohistoria.com.br/ef2/guerrafria/

https://www.suapesquisa.com/guerrafria/

http://www.politize.com.br/guerra-fria/