Você está na página 1de 126

#

#!"%£! PARTE SUPERIOR DO CORPO HUMANO DO OBJETO 3L   #RISTO £ A CABEÀA DO
ONDE lCAM A FACE E O C£REBRO .A "¤BLIA A CORPO A IGREJA %F  #L  
CABEÀA £ MUITO MAIS O CENTRO DE PERCEPÀâO
VISâO AUDIÀâO ETC RELACIONADO A EXPERI #!"%,/ CAMADA DE PäLOS DE UM ANIMAL
äNCIAS QUE O CENTRO DO PENSAMENTO &ERIR OU DO CORPO HUMANO ESPECIALMENTE A
A CABEÀA DE UM INIMIGO SIGNIlCAVA SUA PROTEÀâO CAPILAR DO SER HUMANO .A "¤BLIA
DERROTA TOTAL CORTAR A CABEÀA DE ALGU£M A PALAVRA SIGNIlCA NORMALMENTE O CABELO
ERA CONSIDERADO A PIOR DESGRAÀA 3L  DA CABEÀA HUMANA %M ALGUNS CASOS
-C    2EIS E SACERDOTES DE )SRAEL REFERE SE AO CABELO ANIMAL OU HUMANO EM
INICIAVAM SEU OF¤CIO QUANDO TINHAM A UMA REGIâO DIFERENTE DA CABEÀA 'N 
CABEÀA UNGIDA COM ˜LEO ,V  3M -C  
  .O .OVO 4ESTAMENTO OS DOENTES .OS TEMPOS DO !NTIGO 4ESTAMENTO HO
TAMB£M ERAM UNGIDOS -C  4G   MENS E MULHERES TINHAM CABELOS LONGOS
%SSE COSTUME APARENTEMENTE SIMBOLIZAVA 4ANTO 3ANSâO QUANTO !BSALâO ERAM ADMI
ALEGRIA E BEM ESTAR 3L    RADOS POR SEUS LONGOS CABELOS *Z  
! POSIÀâO DA CABEÀA SIMBOLIZAVA 3M    ! CALV¤CIE ERA CONSIDERADA
EMOÀµES VARIADAS -ENEAR A CABEÀA ALGO EMBARAÀOSO 2S   )S   OS
SIGNIlCAVA MENOSPREZO CURVAR A CABEÀA HOMENS ISRAELITAS ERAM PROIBIDOS DE CORTAR
INDICAVA TRISTEZA COBRIR A CABEÀA COM A O CABELO AO REDOR DA CABEÀA ,V   .O
MâO SUBENTENDIA VERGONHA 3M  ENTANTO OS .!:)2%53 CORTAVAM O CABELO
)S  -C   LEVANTAR A CABEÀA DE AP˜S O CUMPRIMENTO DO VOTO QUE HAVIAM
ALGU£M SIGNIlCAVA ELEVÖ LO A UMA POSIÀâO FEITO .M  
SUPERIOR 'N  *R   / SANGUE !S MULHERES NORMALMENTE DEIXAVAM OS
SOBRE A CABEÀA DE ALGU£M SIGNIlCAVA QUE A CABELOS SOLTOS (OMENS E MULHERES ENCRES
PESSOA TINHA RESPONSABILIDADE E CULPA POR PAVAM OS CABELOS COMO ENFEITE )S 
ALGUM MOTIVO ESPEC¤lCO *S  !T   UMA VEZ QUE DEIXÖ LOS DESPENTEADOS ERA
!MONTOAR BRASAS DE FOGO SOBRE A CABEÀA SINAL DE LUTO %D   /S CABELOS FORMOSOS
DE UMA PESSOA SIGNIlCAVA ENVERGONHAR UM ERAM APRECIADOS POR HOMENS E MULHERES
INIMIGO TRATANDO O BEM 2M   #T    JÖ OS CABELOS BRANCOS DA
! PALAVRA hCABEÀAv £ COMUMENTE USADA IDADE AVANÀADA ERAM SINAL DE HONRA 0V
PARA DESIGNAR A PONTA OU PARTE SUPERIOR   
#!"/ 

.O TEMPO DO .OVO 4ESTAMENTO OS  #IDADE FRONTEIRIÀA DO TERRIT˜RIO DE !SER


HOMENS USAVAM OS CABELOS MAIS CURTOS QUE *S  AINDA CONHECIDA COMO +ABUL
OS DAS MULHERES #O    !S MULHE ALDEIA LOCALIZADA CERCA DE  QUIL¹ME
RES CRISTâS ERAM INSTRU¤DAS A NâO USAREM TROS A SUDESTE DE !CRE
ENFEITES NOS CABELOS 0E   .A 0ALESTINA  2EGIâO NA 'ALIL£IA OU .AFTALI FORMADA
ERA COMUM OS CONVIDADOS DE HONRA TEREM A POR  CIDADES $EPOIS QUE (IRâO REI
CABEÀA UNGIDA %M DUAS OCASIµES OS P£S DE DE 4IRO RECEBEU ESSAS CIDADES COMO
*ESUS FORAM UNGIDOS POR MULHERES QUE EM PRESENTE DO REI 3ALOMâO DEU O NOME
SEGUIDA OS ENXUGARAM COM SEUS CABELOS ,C #ABUL AO LUGAR 2S   #R  
  *O    ! DECLARAÀâO DE *ESUS DE
QUE O 0AI CONTA OS lOS DE CABELO DE CADA #!":%%, $EUS RE¢NE CIDADE EM *UDÖ
PESSOA -T  INDICA A PREOCUPAÀâO DE PERTO DA FRONTEIRA COM %DOM *S  
$EUS COM RESPEITO AOS MAIS INSIGNIlCANTES
E PEQUENOS DETALHES DA VIDA #!£!$/2 VEJA 02/&)33¡%3 % /#50!­¡%3 

#!"/ 4ERMO COM PELO MENOS DOIS #!#/ FRAGMENTO DE CER½MICA )S  
SIGNIlCADOS DISTINTOS NORMALMENTE ENCONTRADO EM ESCAVA˵ES
 !LÀA DE UMA ARMA ESPECIALMENTE DE ARQUEOL˜GICAS *˜ USOU UM CACO PARA RASPAR
ESPADA OU PUNHAL *Z  EMPUNHA SEU CORPO *O   !S PONTAS AlADAS DE
DURA !2#  !O ASSASSINAR %GLOM REI UM CACO SâO COMPARADAS ÜS ESCAMAS DO
DE -OABE %¢DE CRAVOU UMA ESPADA NO ,%6)!4ª *˜   ! ASPEREZA DE UM CACO
EST¹MAGO DE %GLOM !T£ MESMO O CABO £ SEMELHANTE AO ESVAIR DA FORÀA DE UMA
DA ESPADA PENETROU LHE AP˜S A L½MINA PESSOA 3L   &RAGMENTOS MAIORES DE
*Z    CER½MICA ERAM USADOS PARA hTOMAR FOGO DA
 -EDIDA HEBRAICA DE CAPACIDADE PARA LAREIRAv OU SEJA LEVAR BRASAS DE UMA CASA
SECOS 2S  !2#  $E ACORDO COM PARA OUTRA hOU TIRAR ÖGUA DA POÀAv
RABINOS JUDEUS UM CABO EQUIVALIA ! MESMA PALAVRA HEBRAICA TRADUZIDA
Ü D£CIMA OITAVA PARTE DE UM EFA OU POR CACO TAMB£M PODE REFERIR SE A POTES DE
CERCA DE   QUARTOS PARA SECOS /UTRAS BARRO INTACTOS ,C  *R  
AUTORIDADES NO ENTANTO ACREDITAM QUE 5MA ANÖLISE CUIDADOSA DA COMPOSIÀâO
O CABO SEJA EQUIVALENTE A UMA MEDIDA DO ESTILO E DO M£TODO UTILIZADO COM
MENOR COMO METADE DE UMA PINTA (Ö RELAÀâO AOS FRAGMENTOS DE BARRO PERMITE
AINDA OUTROS QUE PENSAM EM ALGO MAIOR QUE ARQUE˜LOGOS TENHAM UM IND¤CIO
ENTRE TRäS PINTAS E DOIS QUARTOS IMPORTANTE PARA DATAR DIFERENTES N¤VEIS
DE OCUPAÀâO DAS CIDADES ANTIGAS /S CACOS
#!"/- CIDADE NA 3HEFELÖ OU BAIXA RE TAMB£M ERAM USADOS COMO MATERIAL DE
GIâO MONTANHOSA DE *UDÖ PERTO DE %GLOM ESCRITA NOS TEMPOS B¤BLICOS %SSES FRAG
E ,AQUIS *S   MENTOS CHAMADOS ˜STRACOS CONTINHAM
RECIBOS DE IMPOSTOS CORRESPONDäNCIA
#!"2! VEJA !.)-!)3 $! "Ù",)!  MILITAR E OUTRAS PEQUENAS INFORMAÀµES /
FAMOSO ˜STRACO DE ,AQUIS ERA FORMADO POR
#!"2%34/ VEJA &2%)/ % #!"2%34/  CACOS COM CORRESPONDäNCIA ENTRE A CIDADE
DE ,AQUIS E SEUS POSTOS MILITARES
#!"2)4/ VEJA !.)-!)3 $! "Ù",)! 
#!$­6%2 CORPO SEM VIDA DE ANIMAL
#!"5, NOME DE UMA CIDADE E DE UMA OU SER HUMANO 'N  2S  
REGIâO DO !NTIGO 4ESTAMENTO / LIVRO DE ,EV¤TICO RELACIONA OS ANIMAIS
 #!$-)%, #
CUJA INGESTâO ERA PROIBIDA AO ISRAELITA E $EZ DOS ESPIAS RELATARAM QUE HAVIA
CUJOS CADÖVERES NâO PODIAM SER TOCADOS GIGANTES NA TERRA E QUE )SRAEL ERA FRÖGIL PARA
PARA QUE A PESSOA NâO SE TORNASSE IMPURA ENTRAR EM #ANAâ .M   .O ENTANTO
,V    5MA PESSOA TAMB£M SERIA DOIS DOS ESPIAS *OSU£ E #ALEBE DISSERAM
CONSIDERADA IMPURA SE TOCASSE NOS OSSOS DE h.âO OS TEMAISv .M   / POVO QUIS
UMA PESSOA MORTA OU NUMA SEPULTURA APEDREJAR OS DOIS POR CAUSA DE SEU RELAT˜RIO
.M  E CHEGOU AO PONTO DE PEDIR QUE
#!$%3 #!$%3 "!2.³)! CONSAGRADO OUTRO L¤DER O LEVASSE DE VOLTA AO %GITO
REGIâO DES£RTICA ENTRE O %GITO E A TERRA 0OR CAUSA DO MEDO E DA REBELDIA EM #A
DE #ANAâ ONDE O POVO HEBREU ACAMPOU DES $T  OS ISRAELITAS FORAM FORÀADOS A
SE AP˜S O ›XODO VEJA -APA  #   PEREGRINAR NO DESERTO DE 0ARâ POR  ANOS
#ADES "ARN£IA O MODERNO OÖSIS DE !IN !PARENTEMENTE #ADES FOI O CENTRO DE
EL 1UDEIRAT SITUAVA SE NA EXTREMIDADE DE OPERA˵ES DURANTE ESSES ANOS .O PRIMEIRO
%DOM .M  A APROXIMADAMENTE  MäS DO QUADRAG£SIMO ANO DO äXODO O
QUIL¹METROS DE (EBROM E  QUIL¹METROS DE POVO NOVAMENTE SE REUNIU EM #ADES PARA
"ERSEBA NO DESERTO DE :IM #ADES "ARN£IA A MARCHA lNAL RUMO Ü TERRA PROMETIDA
£ CITADA NO DESERTO DE 0ARâ .M   %NQUANTO AINDA ESTAVAM ACAMPADOS EM
0ARâ ERA PROVAVELMENTE O NOME GEN£RICO #ADES "ARN£IA GRANDE N¢MERO DE L¤DERES
DA GRANDE REGIâO DES£RTICA ENQUANTO :IM DO POVO SE REBELOU CONTRA -OIS£S E !RâO
DEVE TER SIDO O NOME ESPEC¤lCO DA MENOR .M    %STES FORAM MORTOS EM UM
PARTE DO TERRIT˜RIO TERREMOTO    -IRIâ IRMâ DE -OI
! PRIMEIRA MENÀâO DE #ADES "ARN£IA S£S TAMB£M MORREU E FOI SEPULTADA  
OCORREU NA £POCA DE !BRAâO 1UEDORLAO %M #ADES -OIS£S TAMB£M DESOBEDECEU A
MER REI DE %LâO E SEUS EX£RCITO ALIADOS EM $EUS FERINDO A ROCHA PARA QUE DELA SA¤SSE
PREENDERAM GUERRA CONTRA OS AMALEQUITAS E ÖGUA    %LE HAVIA RECEBIDO ORDEM
OS AMORREUS DE #ADES 'N   1UANDO PARA FALAR Ü ROCHA E NâO PARA BATER NELA
FORÀADA POR 3ARA A FUGIR DA CASA DE !BRAâO ,OGO DEPOIS QUE -OIS£S E O POVO COMEÀA
!GAR FOI PROTEGIDA PELO ANJO DO 3ENHOR RAM A SAIR DE #ADES EM DIREÀâO A #ANAâ
QUE A LEVOU AO POÀO "EER ,AAI 2OI ENTRE !RâO MORREU E FOI SEPULTADO   
#ADES E "EREDE   4EMPOS DEPOIS /S EVENTOS DE #ADES "ARN£IA DEMONS
!BRAâO MUDOU SE PARA 'ERAR SITUADA TRAM CLARAMENTE O PERIGO DE SE REBELAR
ENTRE #ADES E 3UR   CONTRA L¤DERES INDICADOS POR $EUS MURMU
/S CONTATOS MAIS IMPORTANTES DOS RANDO E QUEIXANDO SE DA DIREÀâO DE $EUS E
ISRAELITAS COM #ADES "ARN£IA OCORRERAM RECUSANDO SE A SEGUIR SUAS ORDENS
DURANTE OS ANOS DE PEREGRINAÀâO NO
DESERTO $URANTE O SEGUNDO ANO AP˜S O #!$%3 .! 4%22! $/3 (%4%53 REGIâO
äXODO DO %GITO OS ISRAELITAS ACAMPARAM ENTRE 'ILEADE E $â *Aâ A LESTE DO RIO *ORDâO
SE AO REDOR DO MONTE (OREBE OU 3INAI VISITADA POR *OABE E OS CHEFES DE SEU EX£RCITO
$EUS LHES DISSE QUE PARTISSEM DO 3INAI E DURANTE O CENSO DE )SRAEL 3M  4ATIM
VIAJASSEM  DIAS EM DIREÀâO A #ADES .M (ODCHI 4" 
   $A¤ O POVO ENTRARIA DIRETAMENTE
NA TERRA DE #ANAâ -OIS£S ESCOLHEU UM #!$-)%, PRIMEIRAMENTE $EUS NOME DE
VARâO DE CADA TRIBO COMO ESPIA E ENVIOU OS TRäS HOMENS DO !NTIGO 4ESTAMENTO
PARA ESPIAR A TERRA DE #ANAâ .M    ,EVITA CUJOS DESCENDENTES VOLTARAM DO
$EPOIS DE  DIAS VOLTARAM COM UVAS E CATIVEIRO COM :OROBABEL %D  
OUTRAS FRUTAS QUE PROVAVAM QUE #ANAâ ERA  ,EVITA QUE AJUDOU NA RECONSTRUÀâO DO
UMA TERRA F£RTIL E ABUNDANTE TEMPLO AP˜S O CATIVEIRO %D  
#!$-/.%53 

 ,EVITA QUE SELOU O ACORDO AP˜S O CATIVEI -T   %SCOMBROS DE UMA SINAGOGA
RO .E    POSTERIOR COBREM OS DE OUTRA EM QUE *ESUS
ADOROU EMBORA AINDA HOJE POSSAM SER
#!$-/.%53 POVO DO LESTE TRIBO VISTOS FRAGMENTOS DESTA ¢LTIMA
N¹MADE DE CANANEUS QUE HABITAVAM O DE $EPOIS DE REJEITADO EM .AZAR£ SUA TERRA
SERTO S¤RIO ENTRE O %GITO E A -ESOPOT½MIA NATAL *ESUS FEZ DE #AFARNAUM O CENTRO DE
NA £POCA DE !BRAâO 'N   SEU MINIST£RIO NA 'ALIL£IA !LI REALIZOU
MUITOS DE SEUS MILAGRES INCLUINDO A CURA
#!&!2.!5- ALDEIA DE .AUM CIDADE DO SERVO PARAL¤TICO DO CENTURIâO -T 
MAIS IMPORTANTE DA MARGEM SETENTRIONAL   DE UM PARAL¤TICO LEVADO POR QUATRO
DO MAR DA 'ALIL£IA VEJA -APA  #  NA AMIGOS -C    DA SOGRA DE 0EDRO -T
£POCA DO .OVO 4ESTAMENTO E CENTRO DE   -C    DO lLHO DO OlCIAL DO
GRANDE PARTE DO MINIST£RIO DE *ESUS #AFAR REI *O   
NAUM NâO £ MENCIONADA NO !NTIGO 4ESTA %NQUANTO CAMINHAVA PELO MAR DA 'A
MENTO .AUM QUE FAZ PARTE DO NOME NâO LIL£IA PERTO DE #AFARNAUM *ESUS CHAMOU
SE REFERE PROVAVELMENTE AO PROFETA .AUM OS PESCADORES 3IMâO !NDR£ 4IAGO E *OâO
#OM TODA A VEROSSIMILHANÀA #AFARNAUM PARA SEREM SEUS DISC¤PULOS -C    
ERA SUlCIENTEMENTE GRANDE A PONTO DE &OI TAMB£M EM hSUA PR˜PRIA CIDADEv #A
SEMPRE SER CHAMADA hA CIDADEv -T  FARNAUM QUE *ESUS CHAMOU O COBRADOR DE
-C   4INHA SUA PR˜PRIA SINAGOGA NA IMPOSTOS -ATEUS -T   -C   
QUAL *ESUS ENSINAVA COM FREQÓäNCIA -C )MEDIATAMENTE DEPOIS DE MULTIPLICAR OS
 ,C   *O   !PARENTEMENTE PâES E OS PEIXES *ESUS PREGOU SOBRE O 0âO
A CIDADE FOI EDIlCADA POR SOLDADOS ROMANOS DA 6IDA PERTO DESSA CIDADE *O  
GUARNECIDOS EM #AFARNAUM -T  ,C %MBORA *ESUS TIVESSE CENTRALIZADO SEU
   ! SINAGOGA ERA UM CENTRO PARA MINIST£RIO EM #AFARNAUM O POVO DA
OSISTEMA ROMANO DE IMPOSTOS POIS TINHA CIDADE NâO O SEGUIU *ESUS PROFERIU UMA
UM POSTO PERMANENTE DE ARRECADAÀâO -T MALDIÀâO CONTRA A CIDADE POR CAUSA DE SUA
 -C  ,C  AL£M DE COLETORES INCREDULIDADE -T   PREDIZENDO
ITINERANTES QUE TRABALHAVAM NA CIDADE ASSIM SUA RU¤NA ,C   4âO SURPRE
2ECONSTRU ÎO DO PALÉCIO REAL NA ILHA DE #RETA OU #AFTOR !S ESCADAS CONDUZEM Ì SALA DO TRONO
 #!)&­3 #

2UÓNAS DA SINAGOGA DE #AFARNAUM

ENDENTE FOI O CUMPRIMENTO DESSA PROFECIA 6AL£RIO 'RATO #AIFÖS E SEU SOGRO !NÖS
QUE APENAS RECENTEMENTE 4ELL (UM FOI ERAM SUMOS SACERDOTES QUANDO *OâO "A
IDENTIlCADA COM SEGURANÀA COMO A TISTA INICIOU SUA PREGAÀâO -T   ,C
ANTIGA #AFARNAUM   #AIFÖS TAMB£M ERA MEMBRO DO GRUPO
DOS SADUCEUS
#!&% D£CIMA PRIMEIRA LETRA DO ALFABETO $EPOIS DE *ESUS TER RESSUSCITADO ,¬:!
HEBRAICO USADA COMO CABEÀALHO EM 3AL 2/ OS L¤DERES JUDEUS FICARAM ALARMADOS
MOS   .A L¤NGUA ORIGINAL HEBRAICA COM A POPULARIDADE DE *ESUS / 3).»$2)/
CADA UM DESSES OITO VERSOS COMEÀA COM A RAPIDAMENTE CONVOCOU UMA REUNIâO
LETRA CAFE 6EJA TAMB£M !#2Ê34)#/ DURANTE A QUAL #AIFÖS PEDIU A MORTE
DE *ESUS !S PALAVRAS DE #AIFÖS SENDO
#!&4/2 ILHA OU ÖREA MAR¤TIMA A PARTIR ESTE SUMO SACERDOTE TINHAM AUTORIDADE
DA QUAL OS lLISTEUS SURGIRAM $T  *R CONSIDERÖVEL E SEU CONSELHO FOI SEGUIDO
 !M   /S ESTUDIOSOS DIVIDEM SE *O    #OMO CONSEQÓäNCIA #AIFÖS
QUANTO AO LOCAL DE #AFTOR ! LOCALIZAÀâO PLANEJOU PRENDER *ESUS -T   E
MAIS PROVÖVEL £ A ILHA DE #2%4! AO LADO PARTICIPOU DO JULGAMENTO ILEGAL CONTRA O
DAS ILHAS PR˜XIMAS DO %GEU ! 3%045! -ESSIAS -T   
').4! NO ENTANTO REGISTRA #APAD˜CIA ! ¢LTIMA APARIÀâO DE #AIFÖS NO .OVO
PROV¤NCIA NA ¬SIA -ENOR OCIDENTAL EM VEZ 4ESTAMENTO FOI NO JULGAMENTO DE 0EDRO E
DE #AFTOR $T  !M   /S CAFTORINS *OâO &OI UM DOS L¤DERES QUE INTERROGARAM
'N  $T  #R  ERAM UM OS DOIS DISC¤PULOS A RESPEITO DA CURA MIRA
POVO ORIGINÖRIO DE #AFTOR CULOSA DO COXO hÜPORTA DO TEMPLO CHAMADA
&ORMOSAv !T  !T    %M  FOI
#!)&­3 SUMO SACERDOTE DE )SRAEL UNGIDO ENCONTRADO FORA DE *ERUSAL£M UM OSSÖRIO
EM C  D# PELO PROCURADOR ROMANO ADORNADO COM O NOME #AIFÖS CONTENDO
#!)- 

OS OSSOS DE UM HOMEM DE  ANOS %STES .INRODE ,OCALIZADA NA JUNÀâO ENTRE OS RIOS


PODEM SER OS DO PR˜PRIO #AIFÖS 4IGRE E :AB #ALÖ FOI RECONSTRU¤DA E FORTIl
CADA POR 3!,-!.%3%2 ) APROXIMADAMENTE
#!)- FERREIRO NOME DE UMA PESSOA DE   A# E FOI O LUGAR ONDE VIVEU O REI
UMA CIDADE DO !NTIGO 4ESTAMENTO E DE ASS¤RIO !3352.!3)20!, APROXIMADAMENTE
UMA TRIBO   A#  !S RU¤NAS DA CIDADE A ATUAL
 &ILHO MAIS VELHO DE !DâO E %VA E IRMâO .IMRUD SITUAM SE APROXIMADAMENTE A 
DE !BEL 'N    #AIM FOI O PRIMEI QUIL¹METROS DO SUL DE .¤NIVE
RO ASSASSINO !GRICULTOR POR PROlSSâO
#AIM LEVOU FRUTOS DA TERRA COMO SACRI #!,!"/5£/ VEJA 02)3ª/ 
F¤CIO A $EUS 3EU IRMâO !BEL PASTOR DE
OVELHAS SACRIlCOU UM CORDEIRO DE SEU #!,!) SACERDOTE QUE RETORNOU DO CATIVEI
REBANHO / 3ENHOR ACEITOU A OFERTA DE RO COM :OROBABEL .E  
!BEL MAS REJEITOU A DE #AIM 'N  
! PROVA DA INIQÓIDADE DE #AIM DIANTE #­,!-/ VEJA 0,!.4!3 $! "Ù",)! 
DE $EUS £ VISTA EM SEU IMPULSO DE MATAR
O PR˜PRIO IRMâO AO TER SUA OFERTA REJEITA #!,#!.(!2 PARTE POSTERIOR DO P£
DA 'N   #AIM FOI ANCESTRAL DE UM HUMANO 'N  *R   / SAL
CLâ DE FERREIROS 'N     MISTA FALA A RESPEITO DE UM AMIGO QUE
/ .OVO 4ESTAMENTO REFERE SE A #AIM hLEVANTOU O CALCANHARv CONTRA ELE 3L
EM TRäS PASSAGENS ! OFERTA DE !BEL A $EUS  UMA REFERäNCIA CLARA A TRAIÀâO E
FOI CONSIDERADA hMAIS EXCELENTE SACRIF¤CIOv REJEIÀâO *ESUS FEZ MENÀâO DESSE VERS¤
QUE A DE #AIM PORQUE !BEL ERA hJUSTOv CULO QUANDO *UDAS O TRAIU NA V£SPERA
3EU CORAÀâO ERA RETO DIANTE DE $EUS MAS DE SUA CRUCIlCAÀâO *O  
NâO O DE #AIM (B   *OâO AlRMA
QUE #AIM hERA DO -ALIGNOv E QUESTIONA O #!,#%$½.)! VEJA *Ê)!3 % 0%$2!3
MOTIVO QUE O LEVOU A ASSASSINAR SEU IRMâO 02%#)/3!3 
3EGUNDO *OâO £ PORQUE hSUAS OBRAS ERAM
MÖS E AS DE SEU IRMâO JUSTASv *O   #!,£À%3 ITEM SINGULAR USADO PELOS
*UDAS ADVERTE SEUS LEITORES A SE PRECAVEREM SACERDOTES DA NAˉO DE )SRAEL /S CAL˵ES
COM RELAÀâO ÜQUELES hQUE PROSSEGUIRAM ERAM SEMELHANTES A UM TECIDO QUE COBRIA
PELO CAMINHO DE #AIMv *D   O QUADRIL E AS COXAS ›X  
 #IDADE MONTANHOSA DO SUL DE *UDÖ *S 6EJA TAMB£M 2/50!3 $! "Ù",)!
 
 4RIBO MENCIONADA NA QUARTA PROFECIA DE #!,#/, DESCENDENTE DE *UDÖ #R 
"ALAâO .M  4"  2S  

#!).² NOME DE DOIS HOMENS DA "¤BLIA #!,$³)! ORIGINALMENTE O VALE DO 4IGRE


 &ILHO DE %NOS E ANCESTRAL DE *ESUS 'N E DO %UFRATES OU A PARTE SUL DA "ABIL¹NIA
  ,C   4EMPOS DEPOIS COM O IN¤CIO DO REINADO
 &ILHO DE !RFAXADE E ANCESTRAL DE *ESUS DE .ABUCODONOSOR )) REI DE "ABIL¹NIA
,C   NO PER¤ODO DE  A  A# O TERMO
#ALD£IA ACABOU POR INCLUIR PRATICAMENTE
#!, VEJA -).%2!)3 $! "Ù",)!  TODA A "ABIL¹NIA E ERA QUASE SIN¹NIMO DO
IMP£RIO NEOBABIL¹NIO
#!,­ CIDADE DA !SS¤RIA QUE DE ACORDO .A !2! O TERMO #ALD£IA £ LOCALIZADO
COM 'äNESIS   FOI EDIlCADA POR APENAS NOS LIVROS DE *EREMIAS E %ZEQUIEL
 #!,$%53 #
*EREMIAS PROFETIZOU A QUEDA DA "ABIL¹NIA !SS¤RIA O CALDEU -ARDUK APLA IDDINA ))
AO DIZER h! #ALD£IA SERVIRÖ DE PRESAv *R CHAMADO NA "¤BLIA -ERODAQUE "ALADâ )S
 E h0AGAREI ANTE OS VOSSOS PR˜PRIOS  2S  GOVERNANTE DE "IT 9AKIN
OLHOS Ü "ABIL¹NIA E A TODOS OS MORADORES REGIâO DA #ALD£IA REBELOU SE CONTRA OS
DA #ALD£IA TODA A MALDADE QUE lZERAM EM ASS¤RIOS E TORNOU SE REI DA "ABIL¹NIA
3IâOv   %M UMA VISâO O %SP¤RITO !PESAR DA OPOSIÀâO ASS¤RIA -ERODAQUE
DE $EUS LEVOU %ZEQUIEL Ü #ALD£IA AT£ OS "ALADâ DETEVE O PODER DE  A  A#
SEUS COMPATRIOTAS JUDEUS NO CATIVEIRO %Z %M  A# 2S   )S  
  / PROFETA DEPOIS FEZ REFERäNCIA AOS ENVIOU UMA EMBAIXADA A %ZEQUIAS REI
hlLHOS DA "ABIL¹NIA NA #ALD£IAv %Z  DE *UDÖ CONVIDANDO O A SE JUNTAR A UMA
   CONFEDERAÀâO DA QUAL FAZIAM PARTE "ABIL¹
6EJA TAMB£M "!"),ß.)! #!,$%53 NIA &EN¤CIA -OABE %DOM &IL¤STIA E %GITO
CONTRA A !SS¤RIA $EPOIS QUE -ERODAQUE
#!,$%)2! RECIPIENTE PARA COZINHAR NO TOMOU POSSE OS CALDEUS TORNARAM SE O PO
QUAL A CARNE ERA PREPARADA POR ADORADORES DER DOMINANTE NA "ABIL¹NIA )S  
ANTES DE SER OFERECIDA A $EUS COMO 3!#2)&Ù     .O ENTANTO ELE lNALMENTE
#)/ OU /&%24! 0!#Ù&)#! 3M   &IN£IAS FUGIU E "IT 9AKIN CAIU SOB DOM¤NIO ASS¤RIO
E (OFNI OS lLHOS MAUS E CORRUPTOS DO !O SOBREVIR O DECL¤NIO ASS¤RIO O
SUMO SACERDOTE %LI NâO ESTAVAM SATISFEITOS GOVERNANTE CALDEU .ABOPOLASSAR PAI DE
COM A PORÀâO DO SACERDOTE ,V   !L£M .ABUCODONOSOR LIDEROU UMA REVOLTA %M
DISSO PUSERAM O GARFO NA CALDEIRA DOS  A# ELE SE TORNOU REI DA "ABIL¹NIA E
ADORADORES PARA ACRESCENTAR Ü PARTE QUE JÖ INAUGUROU UMA DINASTIA CALD£IA NEOBABI
LHES CABIA L¹NICA QUE DUROU AT£ A INVASâO PERSA DE
 A# LIDERADA POR #IRO O 'RANDE REI
#!,$%)2²/ RECIPIENTE DE CER½MICA OU DA 0£RSIA DE  A  A#  / PREST¤GIO DOS
METAL PARA COZINHAR CARNE TANTO PARA O SUCESSORES DE .ABOPOLASSAR .ABUKUDURRI
CERIMONIAL QUANTO PARA lNS DOM£STICOS USSUR .ABUCODONOSOR REI DA "ABIL¹NIA
#R  -Q   0OTES DE METAL PARA DE  A  A# E .ABONIDO REI DA
COZINHAR TAMB£M FORAM ENCONTRADOS NO "ABIL¹NIA DE  A  A# FOI TAL QUE O
%GITO E NA -ESOPOT½MIA TERMO CALDEU TORNOU SE SIN¹NIMO DO TERMO
BABIL¹NIO
#!,$%53 CONQUISTADORES UM DOS POVOS .ABUCODONOSOR FOI O REI ENVOLVIDO NA
ANTIGOS QUE COMPUNHAM A POPULAÀâO CAPTURA DE *ERUSAL£M E NA DEPORTAÀâO DE
DOMINANTE DA "ABIL¹NIA ESPECIALMENTE SEUS HABITANTES PARA O CATIVEIRO BABIL¹NICO
NO IN¤CIO DO IMP£RIO DE .ABUCODONOSOR )) 2S   *R     /
REI DA "ABIL¹NIA DE  A  A#  lLHO DE .ABUCODONOSR !WEL -ARDUK
/S CALDEUS SâO PRIMEIRAMENTE MENCIO CHAMADO %VIL -ERODAQUE EM 2S  E
NADOS NA LITERATURA SECULAR NOS REGISTROS *R  LIBERTOU DA PRISâO *OAQUIM REI DE
DO REI ASS¤RIO !3352.!3)20!, )) REINOU *UDÖ DEPOIS DE ESTE TER PERMANECIDO LÖ POR
DE  A  A#  /S PRIMEIROS  ANOS / REI CONCEDEU LHE ALIMENTAÀâO
DOCUMENTOS REFEREM SE Ü MESMA ÖREA DIÖRIA PELO RESTO DA VIDA
COMO hTERRAS MAR¤TIMASv %M  A# .A "¤BLIA O TERMO CALDEU £ MENCIONADO
3ALMANESER ))) REI DA !SS¤RIA REINOU PELA PRIMEIRA VEZ COM RELAÀâO A (ARâ lLHO
DE  A  A # INVADIU A #!,$»)! E DE 4ERA E IRMâO DE !BRAâO QUE hMORREU
ATINGIU O GOLFO PERSA QUE CHAMOU DE hMAR NA TERRA DE SEU NASCIMENTO EM 5R DOS
DE +ALDUv #OM A ASCENSâO DE 3ARGâO )) CALDEUSv 'N   / LIVRO DE 'äNESIS
REINOU DE  A  A# AO TRONO DA RELATA QUE h4OMOU 4ERA A !BRâO SEU lLHO
#!,$%53 52 $/3 

E A ,˜ lLHO DE (ARâ lLHO DE SEU lLHO E A #ALEBE TAMB£M FEZ PARTE DO GRUPO
3ARAI SUA NORA MULHER DE SEU lLHO !BRâO SELECIONADO POR -OIS£S PARA AJUDAR A DIVI
E SAIU COM ELES DE 5R DOS CALDEUS PARA IR Ü DIR A TERRA ENTRE AS TRIBOS 4INHA  ANOS
TERRA DE #ANAâv 'N   !BRAâO VIVEU QUANDO lNALMENTE #ANAâ FOI CONQUISTADA
EM 5R DOS CALDEUS ANTES DE OS CALDEUS (EBROM FOI DADA A #ALEBE COMO HERANÀA
DOMINAREM A "ABIL¹NIA DIVINA
/ TERMO CALDEU TAMB£M FOI USADO  &ILHO DE (EZROM DA FAM¤LIA DE 0EREZ DA
POR VÖRIOS AUTORES ANTIGOS PARA DESIGNAR TRIBO DE *UDÖ #R     $ESCEN
SACERDOTES E OUTRAS PESSOAS CULTAS NA LITERA DIAM DESTE #ALEBE (UR ALIADO DE !RâO
TURA CLÖSSICA BABIL¹NICA PRINCIPALMENTE OS E "EZALEL NETO DE (UR HOMEM HÖBIL
LIGADOS A ASTRONOMIA E ASTROLOGIA $N  PARA AS OBRAS DO SANTUÖRIO 4AMB£M
    !LGUNS ESTUDIOSOS ACREDITAM QUE CHAMADO 1UELUBAI #R  
hOS MAGOS DO /RIENTEv -T  QUE FORAM
A *ERUSAL£M POR OCASIâO DO NASCIMENTO DE #!,%"% %&2!4! DE ACORDO COM A !2!
*ESUS PODEM TER SIDO ASTR˜LOGOS CALDEUS LUGAR ONDE (%:2/- MORREU #R   !
.A "¤BLIA GRANDE PARTE DAS REFERäNCIAS .4,( ENTRETANTO SEGUE A 3EPTUAGINTA E
AOS CALDEUS APARECE NO LIVRO DE *EREMIAS TRADUZ A FRASE HEBRAICA PARA SE REFERIR Ü RE
      *EREMIAS IDENTIl LAÀâO DE #ALEBE COM A ESPOSA DE (EZROM
COU OS CALDEUS COM OS BABIL¹NIOS OS QUAIS h$EPOIS QUE (EZROM MORREU O SEU lLHO
SITIARAM A CIDADE DE *ERUSAL£M DURANTE O #ALEBE CASOU COM %FRATA A VI¢VA DO SEU
REINADO DE .ABUCODONOSOR SAQUEARAM PAI %LES TIVERAM UM lLHO CHAMADO !ZUR
O TEMPLO E LEVARAM OS ISRAELITAS COMO QUE FUNDOU A CIDADE DE 4ECOAv #R  
CATIVOS
#!,%.$­2)/ SISTEMA DE CONTAGEM DO
#!,$%53 52 $/3 VEJA 52  TEMPO NORMALMENTE COM BASE EM UM
CICLO NATURAL RECORRENTE TAL COMO O SOL
#!,%"% CâO NOME DE DOIS HOMENS DO ATRAV£S DAS ESTAÀµES OU DA LUA ATRAV£S DE
!NTIGO 4ESTAMENTO SUAS FASES  TABELA OU REGISTRO TABULAR DE
 5M DOS  ESPIAS ENVIADOS POR -OIS£S DIAS DE ACORDO COM UM SISTEMA ANUAL E
PARA ESPIONAR A TERRA DE #ANAâ .M COM UMA REFERäNCIA DOS DIAS DE CADA MäS
       $EZ DOS  AOS DIAS DA SEMANA
ESPIAS AMEDRONTARAM OS ISRAELITAS COM $ESDE O IN¤CIO DO REGISTRO HIST˜RICO O
RELATOS DE CIDADES FORTIlCADAS E POVOS CALENDÖRIO TEM SIDO USADO PARA MANTER
GIGANTES #OMPARADOS AOS GIGANTES DA REGISTROS E PREVER O TEMPO DE MUDANÀA DAS
TERRA ESTES SE VIAM COMO hGAFANHOTOSv ESTAÀµES / CALENDÖRIO FORNECIA UM QUADRO
.M   GERAL A PARTIR DO QUAL AS PESSOAS PODERIAM
*OSU£ E #ALEBE TAMB£M VIRAM AS CIDADES PLANEJAR SEU TRABALHO %RA PORTANTO UM
FORTIlCADAS NA TERRA MAS REAGIRAM COM F£ QUADRO TEMPORAL ElCAZ PARA MARCAR VÖRIAS
EM VEZ DE MEDO !CONSELHARAM -OIS£S DAS FESTIVIDADES RELIGIOSAS QUE SE DEVIAM
E !RâO E OS ISRAELITAS A ATACAREM #ANAâ CELEBRAR EM INTERVALOS REGULARES
IMEDIATAMENTE .M   %M VEZ DE 5.)$!$%3 $/ #!,%.$¬2)/
OUVIREM OS DOIS OS ISRAELITAS OUVIRAM OS / $)! %M TERMOS DE CALENDÖRIO O DIA
OUTROS ESPIAS E O 3ENHOR VIU ESSE MEDO £ A MENOR E MAIS CONSTANTE UNIDADE DE
COMO FALTA DE F£ JULGOU OS POR SUA TIMIDEZ TEMPO .O MUNDO ANTIGO O TERMO hDIAv
ESPIRITUAL $E TODOS OS ADULTOS QUE VIVIAM ERA USADO EM PELO MENOS DOIS SENTIDOS
NAQUELA £POCA SOMENTE #ALEBE E *OSU£ $ESCREVIA UM PER¤ODO DE  HORAS MAS
VIVERIAM PARA POSSUIR A TERRA *S    TAMB£M A LUZ DO DIA EM CONTRASTE COM A
 #!,%.$­2)/ #
NOITE 'N   / PONTO INICIAL DO DIA DE SIGNIlCAVA hLUAv $T  !2#  ! RAZâO
 HORAS TINHA VARIAÀµES ! "¤BLIA TEM RE PARA A LIGAÀâO ENTRE O MäS E A LUA £ QUE
FERäNCIAS AO IN¤CIO DO DIA PELA MANHâ 'N O IN¤CIO DE UM MäS ERA MARCADO PELA LUA
 !T  ASSIM COMO Ü NOITE .E NOVA ! LUA ERA CUIDADOSAMENTE OBSERVADA
  .A £POCA DO IMP£RIO ROMANO O DIA PELAS PESSOAS DOS TEMPOS B¤BLICOS 1UANDO
PODE TER SIDO MARCADO A PARTIR DA MEIA SURGIA COMO QUARTO CRESCENTE MARCAVA O
NOITE CONFORME INDICADO PELO EVANGELHO IN¤CIO DE UM NOVO MäS
DE *OâO    / MäS LUNAR ERA DE APROXIMADAMENTE
! AURORA ERA O CREP¢SCULO ANTES DO NAS  DIAS 0ORTANTO O PRIMEIRO QUARTO CRES
CER DO SOL 3M  .4,( -T  !2#  CENTE DE UMA LUA NOVA APARECERIA  OU 
/ ANOITECER MARCAVA O lM DA TARDE $T DIAS DEPOIS DA LUA NOVA ANTERIOR 0OR VEZES
 ENTRE O DIA E A NOITE *R  0V  NâO ERA VIS¤VEL POR CAUSA DAS NUVENS -AS
OU PODIA SIGNIlCAR LITERALMENTE hTARDEv SEGUIA SE A REGRA DE QUE A LUA NOVA JAMAIS
DO DIA -C  EXATAMENTE ANTES DO SERIA CONTADA ACIMA DE  DIAS AP˜S A
DESPONTAR DAS ESTRELAS .E   ! TARDE ¢LTIMA LUA NOVA $ESSA FORMA EVITAVAM SE
INICIAVA COM O lM DA MANHâ 2S  GRANDES VARIAÀµES NO CALENDÖRIO
E MARCAVA A HORA DA REFEIÀâO 'N   / !./ ! PALAVRA HEBRAICA TRADUZIDA
!L£M DISSO REFERIA SE AO hMEIO DIAv .E POR ANO TEM ORIGEM NA ID£IA DE MUDANÀA
 OU hDIA CLAROv !M  E hCALOR DO OU AÀâO REPETIDA !SSIM O ANO EXPRESSA
DIAv 3M   O CONCEITO DE hUM CICLO COMPLETO DE
/ DIA DIVIDIA SE EM TRäS PARTES NOITE MUDANÀAv 6ISTO QUE AS ESTAÀµES SE
MANHâ E TARDE 3L   ! MEIA NOITE REPETEM AS PESSOAS lXAM UM CALENDÖRIO
ERA O PONTO CENTRAL DA NOITE -T  PARA DAR CONTA DOS ACONTECIMENTOS ANUAIS
!T   .O !NTIGO 4ESTAMENTO A NOITE E PARA LEMBRÖ LAS DAS ESTAÀµES FUTURAS /
ERA DIVIDIDA EM TRäS VIG¤LIAS *Z  ›X CALENDÖRIO GIRAVA EM TORNO DOS CICLOS DA
 ENQUANTO NO .OVO 4ESTAMENTO ELA AGRICULTURA !S PESSOAS OBSERVAVAM AS
SE DIVIDIA EM QUATRO -T  -C   ALTERAÀµES CLIMÖTICAS E A DURAÀâO DOS DIAS
/ TERMO hHORAv ERA USADO PARA SIGNIlCAR EM SEU PLANTIO E COLHEITA &ESTAS RELIGIOSAS
hIMEDIATAMENTEv $N   !2# OU TAMB£M ERAM ESTABELECIDAS PARALELAMENTE
PODIA EXPRESSAR A ID£IA DA D£CIMA SEGUNDA AO ANO AGR¤COLA .ENHUMA GRANDE FESTA RE
PARTE DA LUZ DO DIA *O   LIGIOSA POR EXEMPLO ERA CELEBRADA DURANTE
! 3%-!.! ! SEMANA ERA UMA UNIDADE O TEMPO DA MAIOR COLHEITA /BSERVAVA SE
COMPOSTA DE SETE DIAS INICIADA COM A QUE HAVIA QUATRO ESTA˵ES E QUE O ANO
CRIAÀâO 'N    ! PALAVRA hSEMANAv TINHA EM TORNO DE  DIAS %MBORA OS
SIGNIlCA hSETEv 'N  ,C   .A CALENDÖRIOS NEM SEMPRE FOSSEM PRECISOS
"¤BLIA OS DIAS DA SEMANA ERAM CHAMADOS OS AJUSTES ERAM FEITOS PERIODICAMENTE PARA
hPRIMEIRO DIAv hSEGUNDO DIAv E ASSIM POR COMPENSAR A FALTA DE PRECISâO
DIANTE 'N   -T  EMBORA O S£ 3)34%-!3 $% #!,%.$¬2)/
TIMO DIA FOSSE CONHECIDO COMO O h3ÖBADOv ./ !.4)'/ 4%34!-%.4/ A MARCAÀâO
›X  -T   / DIA ANTES DO 3ÖBADO DO TEMPO NOS DIAS DO !NTIGO 4ESTAMENTO
ERA CHAMADO hDIA DA PREPARAÀâOv -C REmETIA PRINCIPALMENTE OS MESES AS FESTAS
 E OS CRISTâOS REFERIAM SE AO PRIMEIRO RELIGIOSAS SAZONAIS E O ANO / MäS ERA
DIA DA SEMANA COMO O hDIA DO 3ENHORv MARCADO COM A PRIMEIRA APARIÀâO DO
!P   QUARTO CRESCENTE DA NOVA LUA DURANTE O
/ -›3 O MäS ERA A UNIDADE DE TEMPO P¹R DO SOL / PRIMEIRO DIA DE CADA MäS ERA
ESTREITAMENTE RELACIONADA Ü LUA ! PALAVRA CONSIDERADO DIA SANTO ASSINALADO POR SACRI
HEBRAICA TRADUZIDA POR hMäSv TAMB£M F¤CIOS ESPECIAIS .M   E DEVERIA SER
#!,%.$­2)/ 

ANUNCIADO COM O TOQUE DE TROMBETAS .M QUE CORRESPONDE A MARÀOABRIL CELE


 3L   BRAVA SE A 0ÖSCOA ›X   DO D£CIMO
.ORMALMENTE OS MESES ERAM DESIG QUINTO AO VIG£SIMO PRIMEIRO HAVIA A FESTA
NADOS NUMERICAMENTE PRIMEIRO ›X DOS 0âES !SMOS ,V   NO D£CIMO SEXTO
 SEGUNDO ›X  TERCEIRO ›X DIA ERAM DEDICADAS AS PRIM¤CIAS ,V 
 QUARTO 2S  QUINTO *R   COM OS PRIMEIROS BROTOS DE CEVADA
SEXTO #R  S£TIMO 'N  OITAVO / SEGUNDO MäS ABRILMAIO MARCAVA A
:C  NONO %D  D£CIMO 'N CELEBRAÀâO DE UMA 0ÖSCOA POSTERIOR NO
 D£CIMO PRIMEIRO $T  E D£CIMO CASO DE ALGUNS TEREM PERDIDO A PRIMEIRA
SEGUNDO %T   CELEBRAÀâO .M   
/ PRIMEIRO MäS DO CALENDÖRIO HEBRAICO .O SEXTO DIA DO TERCEIRO MäS
CA¤A NA PRIMAVERA ENTRE MARÀO E ABRIL MAIOJUNHO O POVO CELEBRAVA O DIA DE
%M SUA HIST˜RIA PRIMITIVA OS ISRAELITAS 0ENTECOSTES TAMB£M CHAMADO FESTA DAS
ADOTARAM OS NOMES CANANEUS DOS MESES 3EMANAS ,V   EM COMEMORAÀâO
OS QUAIS ESTAVAM RELACIONADOS COM A DO T£RMINO DAS COLHEITAS DE CEVADA E TRIGO
AGRICULTURA E O CLIMA 3OMENTE QUATRO .O S£TIMO MäS SETEMBROOUTUBRO O
DESSES NOMES SâO MENCIONADOS NO !NTIGO PRIMEIRO DIA ERA A FESTA DAS 4ROMBETAS ,V
4ESTAMENTO / MäS ABIBE ›X     .M  QUE CELEBRAVA O !NO
ERA O PRIMEIRO MäS ENTRE MARÀO E ABRIL .OVO O D£CIMO MäS ERA O $IA DA %XPIAÀâO
NA £POCA DA COLHEITA DA CEVADA E SIGNIlCA ,V      DO D£CIMO QUINTO
hMATURAÀâO DO GRâOv ,V   / MäS DIA AO VIG£SIMO SEGUNDO COMEMORAVA SE A
DE ZIVE 2S   ERA O SEGUNDO MäS FESTA DOS 4ABERNÖCULOS ,V   EM
ABRILMAIO  %TANIM ERA O S£TIMO MäS GRATIDâO POR TODAS AS COLHEITAS DO ANO
SETEMBROOUTUBRO QUE OCORRIA DURANTE $ESSE MODO AS FESTAS ESTAVAM ESTREITA
A ESTAÀâO DE CHUVAS "UL 2S  ERA O MENTE RELACIONADAS ÜS COLHEITAS
OITAVO MäS OUTUBRONOVEMBRO ENTRE AS .O QUE SE REFERE AO ANO O HISTORIADOR
PRIMEIRAS E AS ¢LTIMAS CHUVAS %SSES QUATRO JUDEU *OSEFO AlRMOU QUE )SRAEL TINHA DUAS
NOMES ESTAVAM ASSOCIADOS COM AS £POCAS OCASIµES PARA COMEMORAR O !NO .OVO
MAIS IMPORTANTES DA AGRICULTURA DURANTE O !NO .OVO COMERCIAL QUE COMEÀAVA
O ANO NO OUTONO S£TIMO MäS E O !NO .OVO
%M SUA HIST˜RIA POSTERIOR A NAÀâO RELIGIOSO QUE TINHA IN¤CIO NA PRIMAVERA
DE )SRAEL ADOTOU TODOS OS  MESES DO PRIMEIRO MäS  5MA VEZ QUE OS MESES
CALENDÖRIO BABIL¹NIO COMO SEU CALENDÖRIO BASEAVAM SE NO SISTEMA LUNAR E TINHAM
CIVIL .O ENTANTO NEM TODOS OS NOMES UMA M£DIA DE  DIAS E MEIO O ANO TERIA
DESSES MESES ESTâO ARROLADOS NA "¤BLIA /S  DIAS OU SEJA  DIAS A MENOS QUE O ANO
SETE MENCIONADOS SâO NISâ O PRIMEIRO MäS SOLAR %M APENAS TRäS ANOS O CALENDÖRIO
.E   SIVâ O TERCEIRO MäS %T   ELUL TERIA MAIS DE UM MäS A MENOS
O SEXTO MäS .E   QUISLEU O NONO MäS 0ARA AJUSTAR O MäS LUNAR COM O ANO
:C   TEBETE O D£CIMO MäS %T   SOLAR A "ABIL¹NIA TINHA UM SISTEMA
SEBATE O D£CIMO PRIMEIRO MäS :C  E SOlSTICADO NO QUAL ACRESCENTAVAM SE SETE
ADAR O D£CIMO SEGUNDO MäS %D   / MESES AO CALENDÖRIO POR UM PER¤ODO DE 
PRIMEIRO MäS DESSE CALENDÖRIO TAMB£M CAI ANOS RESULTANDO EM ERRO APENAS DE DUAS
NA PRIMAVERA HORAS E QUATRO MINUTOS NO lNAL DO CICLO
6ISTO QUE )SRAEL ERA UMA SOCIEDADE 0ARA A £POCA TAL EXATIDâO £ NOTÖVEL )SRAEL
AGR¤COLA SEU CALENDÖRIO ATENDIA SUlCIENTE DEVE TER AJUSTADO SEU CALENDÖRIO DE MODO
MENTE O POVO E SUAS FESTIVIDADES RELIGIOSAS SEMELHANTE ACRESCENTANDO UM hSEGUNDO
.O D£CIMO QUARTO DIA DO PRIMEIRO MäS MäS DE ADARv QUANDO NECESSÖRIO
 #­,)#% #
%.42% /3 4%34!-%.4/3 $URANTE O JULIANO QUE COMEÀAVA EM JANEIRO OU O CA
PER¤ODO EM QUE OS GREGOS GOVERNARAM O LENDÖRIO DO REINO QUE INICIAVA EM AGOSTO
MUNDO ANTIGO O CALENDÖRIO SELäUCIDA ERA ! REFERäNCIA MAIS GEN£RICA NâO SE REFERE AO
LARGAMENTE USADO $OIS SISTEMAS BÖSICOS ANO E SIM AOS REINADOS DOS IMPERADORES
ERAM UTILIZADOS PARA COMPUTAR O TEMPO #£SAR !UGUSTO ,C  E #LÖUDIO #£SAR
NA ERA SELäUCIDA O CALENDÖRIO MACED¹NIO !T  DOS GOVERNADORES DE PROV¤NCIA
E O BABIL¹NIO » DIF¤CIL DECLARAR COM SEGU 1UIRINO ,C   E 'ÖLIO !T  DO
RANÀA QUAL DOS DOIS SISTEMAS ERA USADO NO REI (ERODES -T  ,C  E DO ETNARCA
ENTANTO OS JUDEUS PARECEM TER FEITO USO DO !RETAS #O  
CALENDÖRIO MACED¹NIO )SSO SIGNIlCA QUE A 5M PROBLEMA DO CALENDÖRIO DO .OVO
ERA SELäUCIDA NA HIST˜RIA DOS JUDEUS TEVE 4ESTAMENTO £ QUE OS EVANGELHOS DE
IN¤CIO NO PRIMEIRO DIA DO S£TIMO MäS TISRI -ATEUS -ARCOS E ,UCAS MENCIONAM QUE
EM  A# APROXIMADAMENTE *ESUS CELEBROU A 0ÖSCOA COM SEUS DISC¤PULOS
./ ./6/ 4%34!-%.4/ / .OVO NA V£SPERA EM QUE FOI TRA¤DO -T  
4ESTAMENTO NâO CONT£M REFERäNCIA AO -C   ,C   ENQUANTO O
CALENDÖRIO ROMANO OU GENTIO OU AINDA AO EVANGELHO DE *OâO NARRA QUE OS JUDEUS NâO
CALENDÖRIO JUDAICO EXCETO COM RELAÀâO AOS TINHAM CELEBRADO A 0ÖSCOA NESSA OCASIâO
DIAS DA SEMANA (Ö TAMB£M UMA MENÀâO *O   -UITAS TENTATIVAS FORAM FEITAS
A hLUA NOVAv #L   / SÖBADO £ MEN PARA RESOLVER ESSA QUESTâO
CIONADO CERCA DE  VEZES POR EXEMPLO 0OSSIVELMENTE A SOLUÀâO £ QUE OS TRäS
-T    / .OVO 4ESTAMENTO TAMB£M EVANGELHOS NARRAM A PARTIR DOS EVENTOS
MENCIONA O hPRIMEIRO DIAv DOMINGO -C DA CRUCIlCAÀâO DE ACORDO COM O M£TODO
 ,C  !T  #O  hO DIA GALILEU COM O IN¤CIO DO DIA AO NASCER DO
DO 3ENHORv DOMINGO !P  E O hDIA SOL ENTâO USADO POR *ESUS OS DISC¤PULOS
DE PREPARAÀâOv SEXTA FEIRA -T  E OS FARISEUS *OâO ENTRETANTO DEVE TER
-C  ,C  *O     .O CONTABILIZADO DE ACORDO COM O M£TODO DA
ENTANTO ESSAS SâO REFERäNCIAS AOS ASPECTOS *UD£IA COM O IN¤CIO DO DIA AO P¹R DO SOL
DE CULTO DO CALENDÖRIO JUDAICO %SPECIAL SISTEMA USADO PELOS SADUCEUS 3E ISSO £
MENTE NO EVANGELHO DE *OâO A 0ÖSCOA £ VERDADE SISTEMAS DIFERENTES DE CALENDÖRIO
MENCIONADA COM FREQÓäNCIA *O   DEVEM TER SIDO USADOS AO MESMO TEMPO
      /UTRAS FESTAS DENTRO DA NAÀâO DE )SRAEL
MENCIONADAS NO .OVO 4ESTAMENTO SâO A
DOS 0âES !SMOS -T  -C   A #­,)#% PEQUENO RECIPIENTE USADO PARA
DE 0ENTECOSTES !T   #O  A BEBER ÖGUA -T  VINHO *R  E
FESTA DOS 4ABERNÖCULOS *O  E A FESTA DA OUTROS L¤QUIDOS / CÖLICE £ FREQÓENTEMEN
$EDICAÀâO *O   TE MENCIONADO NA "¤BLIA EM SEU SENTIDO
%MBORA O .OVO 4ESTAMENTO NâO FAÀA LITERAL &IGURATIVAMENTE A IMAGEM DE
REFERäNCIA AO CALENDÖRIO ROMANO OU GENTIO UM CÖLICE TAMB£M EXPRESSA VÖRIAS ID£IAS
ALUDE AOS REINOS DE SEUS GOVERNANTES / IMPORTANTES
EXEMPLO MAIS ESPEC¤lCO £ ,UCAS  QUE /S CÖLICES DESCRITOS NA "¤BLIA PODIAM
FALA SOBRE O hD£CIMO QUINTO ANO DO REINADO SER DE PRATA 'N     OU DE OURO
DE 4IB£RIO #£SARv %SSE EXEMPLO ESPECIlCA *R  !P  E TER UM ADORNO NA BORDA
O PER¤ODO DE REINADO DE GOVERNANTES NA 2S  #R   /S REIS DISPUNHAM DE
*UD£IA E NOS TERRIT˜RIOS VIZINHOS AL£M DO UM FUNCIONÖRIO CHAMADO COPEIRO 2S
IN¤CIO DO MINIST£RIO DE *OâO "ATISTA 4AL  #R  .E  QUE PREPARAVA A
GOVERNO DEVE TER SE DADO EM   D# BEBIDA E O SERVIA 'N     3UA
ADMITINDO SE QUE ,UCAS USOU O CALENDÖRIO TAREFA COMPREENDIA PROVAR A BEBIDA PARA SE
#!,.³ 

CERTIlCAR DE QUE NâO ESTAVA ENVENENADA #!,./ CIDADE CONQUISTADA PELOS ASS¤RIOS
4AL FUNCIONÖRIO ASS¤RIO QUE SERVISSE EM )S   / PROFETA )SA¤AS FALOU A RESPEITO
½MBITO MILITAR ERA CHAMADO 2!"3!15» DA ARROG½NCIA DOS ASS¤RIOS QUE DIZIAM QUE
2S  )S   ASSIM COMO #ALNO HAVIA SUCUMBIDO TAL
$E ACORDO COM OS ENSINOS DE *ESUS AT£ QUAL ACONTECERIA COM *ERUSAL£M #ALNO £
O MODESTO SERVIÀO DE OFERECER UM COPO PROVAVELMENTE OUTRO NOME DE #ALN£ 'N
DE ÖGUA FRIA -T  -C  TERÖ SUA  !M  
RECOMPENSA / hCOPO DE CONSOLAÀâOv £ A
BEBIDA COMPARTILHADA COM A AmIÀâO *R   #!,6­2)/ DA PALAVRA LATINA CALVARIA
/ hCÖLICE DA BäNÀâOv #O  REFERE SE AO hCAVEIRAv NOME USADO PELA !2! PARA SE
COPO SOBRE O QUAL A BäNÀâO £ PROFERIDA REFERIR AO LUGAR FORA DE *ERUSAL£M ONDE O
0ARA O ¤MPIO O CÖLICE £ UM DESTINO DE 3ENHOR *ESUS FOI CRUCIlCADO ,C  A
CALAMIDADE 3L  %Z   %XPERIMEN #AVEIRA .4,( !2#  .âO SE SABE EXATA
TAR A IRA DO 3ENHOR £ BEBER DO CÖLICE DE SUA MENTE O MOTIVO DE O LUGAR SER CHAMADO
IRA )S  *R   / JU¤ZO DO 3ENHOR £ hA CAVEIRAv ! RAZâO MAIS PROVÖVEL £ QUE
DESCRITO COMO UM CÖLICE DE VINHO T˜XICO O LOCAL TENHA SIDO UM LUGAR DE EXECUÀâO
QUE EMBRIAGA E FAZ CAMBALEAR 3L   A CAVEIRA £ UM DOS S¤MBOLOS LARGAMENTE
/ lM DE UMA NAÀâO SURGE COM O BEBER ASSOCIADOS Ü MORTE / LUGAR DEVE TER SIDO
DESSE CÖLICE *R    ,M  (C RELACIONADO COM CEMIT£RIO EMBORA O FATO
  ! "ABIL¹NIA FOI O CÖLICE DA MâO DO DE SER PERTO DE *ERUSAL£M TORNE IMPROVÖVEL
3ENHOR DO QUAL AS NA˵ES TIVERAM DE BEBER QUE CAVEIRAS PUDESSEM SER VISTAS ALI 4ALVEZ
AO SEREM DESTRU¤DAS *R   1UANDO O A ÖREA FOSSE LOCAL DE ELEVAÀâO MONTANHOSA
3ENHOR TERMINAR DE PUNIR )SRAEL POR£M QUE DE ALGUMA FORMA SE ASSEMELHASSE A
ELE TOMARÖ DA MâO DE )SRAEL O CÖLICE DE UMA CAVEIRA
ATORDOAMENTO )S   ! lGURA DE BEBER /S TEXTOS DE -ARCOS  E ,UCAS
O CÖLICE DA IRA DO 3ENHOR £ USADA NO .OVO  INDICAM QUE ALGUMAS PESSOAS VIRAM
4ESTAMENTO PARA DESCREVER A PUNIÀâO DO A CRUCIlCAÀâO DE *ESUS A DIST½NCIA / TEXTO
DESOBEDIENTE !P   DE *OâO  DIZ QUE O LUGAR lCAVA hPERTO
/ SOFRIMENTO E A MORTE DE *ESUS FORAM DA CIDADEv DE *ERUSAL£M E (EBREUS 
SEU CÖLICE -T  *O   0ARA ELE RELATA QUE NOSSO 3ENHOR hSOFREU FORA DA
SUPORTAR O SOFRIMENTO ERA BEBER O CÖLICE PORTAv O QUE QUER DIZER FORA DOS MUROS DA
-T    .O ENTANTO POR MEIO DE TAL CIDADE ! REFERäNCIA DE -ATEUS AOS hQUE
SOFRIMENTO *ESUS PROVIDENCIOU O MEIO PARA IAM PASSANDOv PARECE INDICAR QUE O LUGAR
A NOSSA SALVAÀâO lCAVA PR˜XIMO A UMA ESTRADA BASTANTE
USADA POR VIAJANTES » RAZOÖVEL PENSAR QUE
#!,.³ CIDADE DA -ESOPOT½MIA CUJO A SEPULTURA DE *OS£ *O  SITUAVA SE
LOCAL EXATO £ DESCONHECIDO %M 'äNESIS RELATIVAMENTE PERTO -AS A "¤BLIA NâO
 £ INCLU¤DA ENTRE AS CIDADES DO REINO INDICA CLARAMENTE ONDE *ESUS MORREU
DE .INRODE PODEROSO CAÀADOR 4AL FATO 6ÖRIOS TäM SIDO OS LOCAIS INDICADOS PARA
SUGERE UM LOCAL NO SUL DA -ESOPOT½MIA A CRUCIlCAÀâO NOS ARREDORES DE *ERUSAL£M
.O ENTANTO !M˜S   INCLUI #ALN£ EM 5M FATOR QUE TORNA DIF¤CIL DETECTAR O LOCAL
UMA LISTA DE CIDADES NO NORTE DA -ESOPO COM PRECISâO £ QUE *ERUSAL£M FOI DESTRU¤DA
T½MIA $EVE TER HAVIDO DOIS LUGARES COM O NO ANO  D# PELOS ROMANOS AL£M DA
MESMO NOME OU £ PROVÖVEL QUE A CIDADE OCORRäNCIA DE OUTRA REVOLTA JUDAICA DE
DO NORTE TENHA RECEBIDO ESSE NOME AP˜S MODO SEMELHANTE EM  0OR ESSES
O PRIMEIRO ASSENTAMENTO #ALNO )S  MOTIVOS E POR UMA S£RIE DE CONmITOS QUE
DEVE CORRESPONDER A #ALN£ PERDURARAM POR S£CULOS MUITAS CARACTE
 #!,6·#)% #
R¤STICAS GEOGRÖlCAS E O LOCAL DOS MUROS DA DETERMINADO ½NGULO !O LADO DA COLINA HÖ
CIDADE FORAM PARTICULARMENTE ALTERADOS O QUE SE CHAMA DE hCAVERNA DE *EREMIASv
#OM EXCEÀâO DE ÖREAS QUE HAVIAM SIDO NA QUAL UM T¢MULO ANTIGO FOI REPARADO
ESCAVADAS OS MUROS ATUAIS DE *ERUSAL£M PARA DAR LUGAR A UM JARDIM 4AL ÖREA £ POR
DATAM DE ANOS MAIS RECENTES ! PRESENÀA VEZES CHAMADA h4¢MULO DO *ARDIMv
DE CONSTRUÀµES MODERNAS IMPEDE QUE / LUGAR CONHECIDO COMO #ALVÖRIO DE
NOVAS ESCAVA˵ES SEJAM EMPREENDIDAS 'ORDON TEM SIDO APROVADO ESPECIALMENTE
PARA A LOCALIZAÀâO DOS MUROS NA £POCA DO POR ALGUNS GRUPOS PROTESTANTES ENQUANTO
.OVO 4ESTAMENTO !LGUNS GRUPOS DIZEM O LOCAL DA IGREJA DO 3ANTO 3EPULCRO £ ALTA
TER ENCONTRADO O LOCAL EXATO EM QUE *ESUS MENTE RECOMENDADO PELAS IGREJAS ORTODOXA
MORREU MAS OS FATORES DE COMPLICAÀâO E CAT˜LICA ROMANA
EXPOSTOS TORNAM A INFORMAÀâO POUCO 0ARA OS CRISTâOS O QUE INTERESSA NâO £
PROVÖVEL O LOCAL MAS O AUTO SACRIF¤CIO DO 3ENHOR
!TUALMENTE A OPINIâO CRISTâ DIVIDE SE *ESUS hQUE #RISTO MORREU PELOS NOSSOS
ENTRE DOIS POSS¤VEIS LUGARES PARA O #ALVÖ PECADOS SEGUNDO AS %SCRITURAS E QUE
RIO 5M SERIA A ÖREA DA IGREJA DO 3ANTO FOI SEPULTADO E RESSUSCITOU AO TERCEIRO
3EPULCRO / OUTRO CHAMADO h#ALVÖRIO DIAv #O    .O h#ALVÖRIOv A CRUZ
DE 'ORDONv SITUA SE A POUCO MAIS DE  DO '˜LGOTA hEMBLEMA DE SOFRIMENTO E
METROS A NORDESTE DO PORTâO DE $AMASCO VERGONHAv TORNOU SE O S¤MBOLO DO AMOR
NO MURO ANTIGO DA CIDADE DA BäNÀâO E DA ESPERANÀA
#ERTA TRADIÀâO QUE REMONTA AO S£CULO / NOME ARAMAICO DO LUGAR EM QUE
QUARTO DIZ QUE SE INICIOU UMA BUSCA PELO *ESUS FOI CRUCIlCADO £ '˜LGOTA -T 
HISTORIADOR CRISTâO %US£BIO E QUE O LOCAL FOI -C  *O  QUE Ü SEMELHANÀA DE
ENCONTRADO PELO BISPO -ACÖRIO 4EMPOS #ALVÖRIO SIGNIlCA hA CAVEIRAv
DEPOIS O IMPERADOR ROMANO #ONSTANTINO
EDIlCOU UM TEMPLO NO LOCAL QUE ANTES #!,6·#)% AUSäNCIA DE CABELOS NA CABEÀA
HAVIA ABRIGADO UM TEMPLO A !FRODITE ! DE UMA PESSOA 6ISTO QUE OS ISRAELITAS
TRADIÀâO TAMB£M SUSTENTA QUE ENQUANTO DAVAM AOS CABELOS VALOR EST£TICO E OS CON
PROCURAVA PELO SEPULCRO DE *ESUS A MâE SIDERAVAM MOTIVO DE GL˜RIA A CONDIÀâO DE
DE #ONSTANTINO (ELENA ENCONTROU PARTE CALVO CONDICIONAVA A UM ESTIGMA DE VERGO
DA hVERDADEIRA CRUZv EM QUE *ESUS HAVIA NHA %SSE MODO DE PENSAR PROVAVELMENTE
MORRIDO 4AIS TRADIÀµES SâO MUITO ANTIGAS EXPRESSAVA A AVERSâO DE )SRAEL DIANTE DAS
MAS SEU VALOR HIST˜RICO £ INCERTO ! IGREJA PRÖTICAS DE CERTOS PAGâOS QUE TINHAM O
DO 3ANTO 3EPULCRO lCA ATUALMENTE NO COSTUME DE RAPAR A CABEÀA 2APAR A CABEÀA
INTERIOR DO QUE SE CHAMA hANTIGA CIDADEv INDICAVA COMPORTAR SE COMO OS CANANEUS
EMBORA ALGUNS DEFENSORES INSISTAM QUE O ASSOCIANDO SE A PRÖTICAS ID˜LATRAS E
LOCAL lCASSE FORA DOS MUROS DA CIDADE NA IMORAIS
£POCA DO .OVO 4ESTAMENTO 5MA DAS OBRIGAÀµES DOS SACERDOTES ERA
%M  SEGUINDO UMA ORIENTAÀâO MAIS DISTINGUIR ENTRE A CALV¤CIE NATURAL E A CAU
ANTIGA O GENERAL BRIT½NICO #HARLES 'ORDON SADA PELA LEPRA ,V    h#ALVOv FOI
DEFENDEU lRMEMENTE OUTRO LUGAR PRINCIPAL UM TERMO DE DESPREZO E ESCÖRNIO PROFERIDO
QUE lCA FORA DOS MUROS ATUAIS DA CIDADE CONTRA O PROFETA %LISEU POR ALGUNS JOVENS
/ LOCAL £ UM OUTEIRO ROCHOSO COBERTO DE 2S   /S PROFETAS MENCIONAM A CAL
GRAMA QUE DEVIDO A ESCAVAÀµES TALVEZ V¤CIE COMO SINAL DE LUTO )S  *R   !
MINERAÀâO EM ALGUMA £POCA DURANTE CALV¤CIE TAMB£M £ USADA SIMBOLICAMENTE
OS ¢LTIMOS TRäS S£CULOS ATUALMENTE ASSE PARA INDICAR A ARIDEZ DA &IL¤STIA AP˜S O
MELHA SE A UMA CAVEIRA QUANDO VISTO SOB JULGAMENTO DE $EUS *R  
#!- 

#!- NOME DE UMA PESSOA E DE DOIS SOlSTICADAS COM DECORAÀâO EM OURO E


LUGARES DO !NTIGO 4ESTAMENTO PRATA E DESENHO EM MARlM !O FALAR EM
 -AIS NOVO DOS TRäS lLHOS DE .O£ 'N CAMAS DE MARlM !M˜S !M  REFERIA
   #AM AO LADO DA FAM¤LIA DE SE PROVAVELMENTE Ü DECORAÀâO FEITA DE
.O£ FOI SALVO DO GRANDE DIL¢VIO AO MARlM
ENTRAR NA ARCA 'N   $EPOIS QUE AS /S POBRES NORMALMENTE DORMIAM SEM
ÖGUAS BAIXARAM E A FAM¤LIA DE .O£ SAIU TROCAR DE ROUPA E COM UMA CAPA OU COBERTA
DA ARCA #AM ENCONTROU SEU PAI NU E PARA SE PROTEGEREM DO FRIO -UITAS PESSOAS
BäBADO ADORMECIDO EM SUA TENDA #AM DESSA CLASSE TINHAM APENAS UMA CAPA QUE
CHAMOU OS DOIS IRMâOS 3EM E *AF£ OS SERVIA TANTO DE MANTO QUANTO DE COBERTA
QUAIS COBRIRAM SEU PAI SEM OLHAR PARA Ü NOITE ! LEI MOSAICA PROIBIA QUE OS ISRA
SUA NUDEZ .O£ lCOU FURIOSO POR #AM ELITAS MANTIVESSEM UMA CAPA SOB PENHOR
TER VISTO SUA NUDEZ E PROFERIU UMA AL£M DO P¹R DO SOL A lM DE GARANTIR QUE
MALDIÀâO SOBRE #ANAâ lLHO DE #AM A PESSOA TIVESSE UMA COBERTA PARA DORMIR
'N    #OM ISSO OS CANANEUS ›X   $T  
DEVERIAM SERVIR OS DESCENDENTES DE 3EM .O VERâO ERA COMUM QUE AS PESSOAS
E *AF£ 'N   *S    FOSSEM PARA O TERRAÀO E DORMISSEM AO AR
#AM TEVE QUATRO lLHOS #UXE -IZRAIM LIVRE /S TERRAÀOS ERAM NORMALMENTE UM
0UTE E #ANAâ ! TRIBO DE -IZRAIM lXOU SE AMBIENTE E SERVIAM DE HABITAÀâO QUANDO
NO %GITO ENQUANTO AS TRIBOS DE #UXE E O CLIMA PERMITIA #OM FREQÓäNCIA AS CASAS
0UTE EM OUTRAS PARTES DA ¬FRICA ! TRIBO DE PESSOAS RICAS TINHAM DORMIT˜RIOS SEPA
DE #ANAâ POVOOU A &EN¤CIA E A 0ALESTINA RADOS 3E A CASA TIVESSE DOIS PAVIMENTOS O
 #IDADE A LESTE DO RIO *ORDâO NA £POCA DE SEGUNDO ERA O LOCAL PREFERIDO PARA OS QUAR
!BRAâO &OI ATACADA POR 1UEDORLAOMER TOS ! MULHER SUNAMITA PROVIDENCIOU UMA
E OUTROS REIS ALIADOS 'N   ! MO QUARTO SEPARADO COM CAMA MESA CADEIRA
DERNA CIDADE DE #AM ESTENDE SE POR SEIS E CANDEEIRO PARA %LIAS NO ANDAR DE CIMA
QUIL¹METROS AO SUL DE )RBID PORQUE ESTE NORMALMENTE SE HOSPEDAVA EM
 /UTRO NOME DO %GITO USADO NA POESIA SUA CASA E lCAVA COM ELA E O MARIDO 2S
3L       / TEXTO INDICA QUE QUARTOS DESSE
TIPO REPRESENTAVAM O MELHOR ESTILO DE
#!-! $/2-)4¼2)/ LUGAR PARA DORMIT˜RIOS PARA A £POCA EM SE TRATANDO
DORMIR -ESMO AS MELHORES CAMAS DOS DE UMA MULHER DESCRITA COMO hRICAv V 
TEMPOS B¤BLICOS SERIAM CONSIDERADAS DE ALTA CLASSE SOCIAL E NOTORIEDADE
DESCONFORTÖVEIS PELOS PADRµES MODERNOS .A "¤BLIA A CAMA NâO £ TIDA APENAS
-UITOS DORMIAM EM UMA ESTEIRA SOBRE COMO LUGAR PARA DORMIR MAS TAMB£M
O CHâO $URANTE O DIA AS ESTEIRAS ERAM COMO LUGAR DE MEDITAÀâO E ORAÀâO 0OR
ENROLADAS E GUARDADAS %RA COMUM COLOCÖ EXEMPLO $AVI MEDITAVA EM SUA CAMA NA
LAS EM UMA PLATAFORMA ELEVADA ACIMA DE VIG¤LIA DA NOITE 3L   OS PROFETAS RECE
ESTRUTURAS FRIAS DURANTE O FRIO BIAM REVELAÀâO DE $EUS ENQUANTO DEITADOS
!S CLASSES MAIS ABASTADAS SEMPRE 3M   !L£M DISSO A CAMA ERA LUGAR DE
TINHAM UMA CAMA PARA DORMIR ! CAMA COMODIDADE E LUXO !M  PREGUIÀA 0V
MAIS SIMPLES APRESENTAVA UMA ESTRUTURA  E MAQUINA˵ES 3L  
RETANGULAR DE MADEIRA SUSTENTADA POR
PERNAS #ORDAS OU TRAMAS DE TECIDO ERAM #!-!,%²/ VEJA !.)-!)3 $! "Ù",)! 
ESTIRADAS DE MODO TRANSVERSAL NA ESTRUTURA
SOBRE A QUAL SE ABRIA UMA ESTEIRA !LGUNS #®-!2! QUARTO OU APOSENTO EM CASA
MAIS ABASTADOS TINHAM CAMAS BASTANTE OU EDIF¤CIO P¢BLICO PODENDO SE LOCALIZAR
 #!-0).! 0!34!'%.3 #
NA PARTE SUPERIOR DESTES 'N   ! DA CASA DE MEU 0AI CASA DE NEG˜CIOv *O
C½MARA SUPERIOR ERA UM APOSENTO NO  
TERRAÀO LUGAR FAVORECIDO PELO FRESCOR 2S 6EJA TAMB£M 02/&)33¡%3 % /#50!­¡%3
  ! PALAVRA TAMB£M £ USADA SIMBO
LICAMENTE NA "¤BLIA O SALMISTA LOUVOU A #!-%,/ VEJA !.)-!)3 $! "Ù",)! 
$EUS POR ENVIAR CHUVA SOBRE A TERRA hDESDE
AS SUAS C½MARASv 3L  !2# 4"  6EJA #!-).(/ ESTRADA VIA PASSAGEM OU
TAMB£M #!3! RODOVIA ! PALAVRA £ USADA DE MODO
lGURADO NO !NTIGO 4ESTAMENTO COMO
#!-!2%)2/ #!-!2)34! VEJA 02/&)3 SIN¹NIMO DA MANEIRA DE VIVER DE UMA
3¡%3 % /#50!­¡%3  PESSOA JUSTA OU ¤MPIA 3L   .O .OVO
4ESTAMENTO A PALAVRA £ NORMALMENTE
#!-"! PARTE DO INTERIOR DAS RODAS DE USADA COMO METÖFORA DE COMPORTAMENTO
UM CARRO NOS TEMPOS B¤BLICOS 2S  MORAL -T   0E   / CAMINHO
BORDAS .4,( PINAS 4"  DE UMA PESSOA PODE LEVÖ LA A UMA VIDA QUE
SE ESQUECE DE $EUS *˜  MARCADA PELA
#!-")34! BANQUEIRO QUE CONVERTIA A INIQÓIDADE 0V   / CAMINHO DE UMA
MOEDA CORRENTE DE UMA NAÀâO OU UM PU PESSOA TAMB£M PODE SER ILUMINADO PELA
NHADO DE MOEDAS EM OUTRA /S CAMBISTAS 0ALAVRA DE $EUS 3L  
TIRAVAM PROVEITO DE UMA SITUAÀâO CONVE *ESUS LEMBROU AOS DISC¤PULOS QUE ELE ERA
NIENTE COBRANDO UMA TAXA GERALMENTE O ¢NICO CAMINHO PARA CHEGAREM A $EUS
EXORBITANTE POR SEUS SERVIÀOS !LGUNS h%U SOU O CAMINHO E A VERDADE E A VIDA
CAMBISTAS ATUAVAM NA ÖREA DO TEMPLO NINGU£M VEM AO 0AI SENâO POR MIMv *O
NO PÖTIO DOS GENTIOS PORQUE TODO O   .O LIVRO DE !TOS A EXPRESSâO hO
DINHEIRO ARRECADADO PELO TEMPLO DEVIA SER CAMINHOv FOI UMA FORMA DE OS INIMIGOS
EM MOEDA DE PRATA T¤RIA $E ACORDO COM DA IGREJA SE REFERIREM COM DESPREZO AO
›XODO   TODO ISRAELITA DE  ANOS MOVIMENTO CRISTâO 3EMELHANTEMENTE Ü
PARA CIMA DEVIA PAGAR UM TRIBUTO ANUAL DE PALAVRA hCRISTâOv ESSE TERMO DE MENOSPRE
MEIO SICLO AO TESOURO DO SANTUÖRIO ZO FOI OSTENTADO PELOS SEGUIDORES DE *ESUS
*ESUS EXPULSOU OS CAMBISTAS DO TEMPLO !T    
*O   -T    #OM O USO DE UM 1UANDO USADA LITERALMENTE A PALAVRA
CHICOTE DE CORDAS LANÀOU FORA DO TEMPLO REFERE SE A UMA VEREDA 'N  
TODOS OS QUE VENDIAM BOIS OVELHAS E POM
BOS VIROU AS MESAS DOS CAMBISTAS E JOGOU #!-).(/ $% 5- $)! VEJA 0%3/3 %
O DINHEIRO PELO CHâO *O     .âO £ -%$)$!3 
CLARO O MOTIVO QUE LEVOU *ESUS A lCAR TâO
FURIOSO COM OS CAMBISTAS 3UA F¢RIA NâO #!-)3! VEJA 2/50!3 $! "Ù",)! 
FOI CONTRA O IMPOSTO DO TEMPLO POIS ELE
MESMO O PAGOU PRONTAMENTE h-AS PARA #!-)4!3 DESCENDENTES DE #AM #R
QUE NâO OS ESCANDALIZEMOS VAI AO MAR  
LANÀA O ANZOL E O PRIMEIRO PEIXE QUE lSGAR
TIRA O E ABRINDO LHE A BOCA ACHARÖS UM #!-/- LUGAR DE SEPULTAMENTO DO
ESTÖTER 4OMA O E ENTREGA LHES POR MIM E GILEADITA *AIR QUE JULGOU )SRAEL POR  ANOS
POR TIv -T    *Z  
! IRA DE *ESUS DEVE TER SIDO CONTRA O
COM£RCIO NO INTERIOR DO TEMPLO PELO QUAL #!-0).! 0!34!'%.3 ÖREA DE PASTA
SE TIRAVA VANTAGEM DOS POBRES hNâO FAÀAIS GEM /S PRADOS ERAM RAROS EM )SRAEL MAS
#!-0/ 

NâO NAS PLAN¤CIES ALAGADAS DO %GITO / PASTO #!.! #!.)£/ VEJA 0,!.4!3 $!
NO QUAL AS SETE VACAS GORDAS DO SONHO DO "Ù",)! 
FARA˜ PASTAVAM APARECE NESTE TEXTO h$O RIO
SUBIAM SETE VACAS FORMOSAS Ü VISTA E GORDAS #!.! $% -%$)2 VEJA 0%3/3 % -%$)$!3
E PASTAVAM NO CARRIÀALv 'N    / &%22!-%.4!3 $! "Ù",)! 
SALMISTA DIZ QUE hOS INIMIGOS DO 3ENHOR
SERâO COMO O VIÀO DAS PASTAGENS SERâO #!.­ REGIâO DE JUNCOS NOME DE UM
ANIQUILADOS E SE DESFARâO EM FUMAÀAv 3L RIBEIRO E DE DUAS CIDADES
  .O CLIMA QUENTE E SECO DA 0ALESTINA  2IBEIRO OU TORRENTE 4" QUE SERVIA DE
A IMAGEM DE UM BELO PASTO DESVANECENDO LIMITE ENTRE OS TERRIT˜RIOS DE %FRAIM E
RAPIDAMENTE ERA UMA FORMA PARTICULARMEN -ANASS£S *S  
TE EFETIVA DE DESCREVER A SITUAÀâO ARRISCADA  #IDADE DA FRONTEIRA SETENTRIONAL DO
NA QUAL VIVEM OS ¤MPIOS TERRIT˜RIO DE !SER *S  
 !LDEIA DA 'ALIL£IA VEJA -APA  " 
#!-0/ ESPAÀO ABERTO QUE PODIA SER ONDE *ESUS REALIZOU SEU PRIMEIRO MILAGRE
USADO COM VÖRIOS PROP˜SITOS / TERMO TRANSFORMOU ÖGUA EM VINHO *O 
PODE REFERIR SE A UM LUGAR RESERVADO PARA   #ANÖ ERA A CIDADE DE .ATANAEL
CAÀA 'N  UM LOCAL CULTIVADO PARA UM DOS DOZE DISC¤PULOS *O   3UA
COLHEITAS 2T  OU LUGAR PARA PASTAGEM LOCALIZAÀâO PROVÖVEL +FAR +ANNA lCA
DE ANIMAIS 'N   5M CAMPO PODIA APROXIMADAMENTE  QUIL¹METROS A
VARIAR EM TAMANHO DESDE UM PEQUENO NORDESTE DE .AZAR£
TERRENO AT£ UMA GRANDE REGIâO
'ERALMENTE UM CAMPO NâO ERA CERCA #!.!² TERRA DE P¢RPURA NOME DE UM
DO POR VEZES CONTRASTAVA COM UMA ÖREA HOMEM E DE UM LOCAL OU REGIâO DO !NTIGO
FECHADA TAL COMO UMA VINHA ›X   4ESTAMENTO
!S FRONTEIRAS QUE SEPARAVAM OS CAMPOS  1UARTO lLHO DE #AM E NETO DE .O£
PODIAM SER MOVIDAS OU REMOVIDAS $T 'N      /S DESCENDENTES
  6ISTO QUE NâO HAVIA CERCAS PARA DE #AM FORAM DISPERSOS ENTRE DIFERENTES
MANTER ANIMAIS OS REBANHOS E MANADAS TRIBOS TAIS COMO OS JEBUSEUS E OS ZEMA
PRECISAVAM DE CONSTANTE VIGIL½NCIA E REUS 4AIS POVOS TORNARAM SE CONHECI
CUIDADO PARA EVITAR QUE SE DESVIASSEM DE DOS POSTERIORMENTE COMO #!.!.%53
SEU CURSO %RA COMUM QUE ALGUNS CAMPOS HABITANTES PAGâOS DA TERRA QUE $EUS
RECEBESSEM NOMES DE ACORDO COM DETERMI HAVIA PROMETIDO A !BRAâO E SEUS DES
NADOS ACONTECIMENTOS COMO O #AMPO DAS CENDENTES 3OB A LIDERANÀA DE *OSU£ O
%SPADAS 3M  OU POR SEU USO COMO POVO DE )SRAEL OCUPOU A TERRA DE #ANAâ
CAMPO DO LAVADEIRO )S  OU CAMPO DO E DIVIDIU A ENTRE AS DOZE TRIBOS
OLEIRO -T    2EGIâO AO LONGO DO MAR -EDITERR½NEO
VEJA -APA  #  OCUPADA PELOS CANA
#!-0/ $!3 %30!$!3 ÖREA PR˜XIMA NEUS ANTES DE SER TOMADA E OCUPADA PE
DO AÀUDE DE 'IBEâO QUE SE TORNOU CENÖ LOS ISRAELITAS 'N  *S   ! TERRA
RIO DE UM COMBATE SANGRENTO ENTRE )SRAEL DE #ANAâ ESTENDIA SE DESDE O RIO *ORDâO
E *UDÖ 3M  (ELCATE (AZURIM A LESTE AT£ O MAR -EDITERR½NEO A OESTE
!2# 4"  !LI  HOMENS DE !BNER $E NORTE A SUL COBRIA O TERRIT˜RIO ENTRE
SERVOS DE )SBOSETE REI DE )SRAEL E  A PEN¤NSULA DO 3INAI E A ANTIGA NAÀâO
DOS HOMENS DE *OABE SERVOS DE $AVI REI COSTEIRA DA &EN¤CIA / TERRIT˜RIO ERA PRA
DE *UDÖ TRAVARAM BATALHA AT£ QUE TODOS TICAMENTE SECO MONTANHOSO E ROCHOSO
MORRERAM POR ISSO IMPR˜PRIO PARA O CULTIVO .O
 #!.!.%53 #
ENTANTO POSSU¤A MUITAS ÖREAS CULTIVA "IBLOS E 2AS 3HAMRA 5GARITE NA COSTA DO
DAS PARTICULARMENTE EM VALES DE RIOS E MAR -EDITERR½NEO E (AMATE Ü MARGEM DO
PLAN¤CIES COSTEIRAS AO LONGO DO MAR %N RIO /RONTES
QUANTO CONDUZIA O POVO DE )SRAEL RUMO %MBORA TANTO OS CANANEUS QUANTO
Ü TERRA DE #ANAâ -OIS£S ENVIOU ESPIAS OS AMORREUS TENHAM SE ESTABELECIDO EM
AO TERRIT˜RIO COM A MISSâO DE CONHECER #ANAâ ANTES DE DOIS MIL A# A CIVILIZAÀâO
A REGIâO OS QUAIS RETORNARAM COM UVAS CANAN£IA FOI DOMINANTE NA )DADE DO
ROMâS E lGOS PARA ATESTAR A FERTILIDADE "RONZE -£DIO ENTRE  A  A#  !
DA TERRA .M     SOCIEDADE DOS CANANEUS APRESENTAVA VÖRIAS
! TERRA DE #ANAâ SITUAVA SE PERFEITA CLASSES QUE VARIAVAM DA ALTA NOBREZA A
MENTE NAS ROTAS COMERCIAIS QUE SE ESTEN AGRICULTORES /S CANANEUS DO NORTE USAVAM
DIAM DO %GITO AO SUL Ü 3¤RIA E Ü &EN¤CIA UM TIPO DE INSCRIÀâO CUNEIFORME CARACTE
AO NORTE E AO ANTIGO IMP£RIO BABIL¹NIO A RIZANDO SE ASSIM UM ALFABETO EM FORMA DE
LESTE 4AL LOCALIZAÀâO CONFERIU Ü PEQUENA CUNHA %M SUA TERRA HAVIA VÖRIAS CIDADES
REGIâO UMA POSIÀâO ESTRAT£GICA NO MUNDO CERCADAS POR MURALHAS DAS QUAIS GRANDE
ANTIGO $EPOIS DE CONQUISTAREM A TERRA DE PARTE SERVIA COMO CENTRO DAS CIDADES
#ANAâ OS ISRAELITAS DESENVOLVERAM UM SIS ESTADOS CADA QUAL COM O SEU PR˜PRIO REI
TEMA COMERCIAL PR˜SPERO COMERCIALIZANDO OU PREFEITO E EX£RCITO
PRODUTOS COM OUTRAS NAÀµES PELAS REFERIDAS 0OR CONSEGUINTE OS CANANEUS CONSTITU¤
ROTAS ! COR P¢RPURA DE MELHOR QUALIDADE AM UM POVO ALTAMENTE CIVILIZADO EM VÖRIOS
ERA PRODUZIDA EM #ANAâ DECORRENDO DESSE ASPECTOS QUANDO *OSU£ LIDEROU OS ISRAELITAS
FATO O SEU NOME PELO RIO *ORDâO PARA DOMINAR O POVO E SE
ESTABELECER NA TERRA %MBORA A HIST˜RIA DOS
#!.!)3 TRADUÀâO DA !2! E .4,( DA CANANEUS TERMINE COM A CONQUISTA ISRAELI
PALAVRA HEBRAICA QUE SE REFERE A BRAÀOS DE TA ALGUNS SEGMENTOS DA CULTURA CANAN£IA
RIOS OU DELTAS DO RIO .ILO ›X    ! PERMANECERAM E CAUSARAM IMPACTOS TANTO
PALAVRA ASSOCIA SE ESPECIALMENTE A CANAIS POSITIVOS QUANTO NEGATIVOS NA VIDA DO POVO
MENORES E MENOS VELOZES QUE FORMAM UMA COM O QUAL $EUS HAVIA SELADO SEU PACTO
REDE DE CURSOS DE ÖGUA NO DELTA EG¤PCIO ! ,Ù.'5! % ! ,)4%2!452! #!.!.»)!
/ CONHECIMENTO QUE SE TEM DA L¤NGUA E
#!.!.³)! MULHER ORIGINÖRIA DE #!.!ª DA LITERATURA CANAN£IA FOI DECISIVO A PARTIR
#R  A CANAN£IA !2! !2#  MULHER DA DESCOBERTA DOS TEXTOS UGAR¤TICOS EM 2AS
CANAN£IA .4,(  3HAMRA ANTIGA 5GARITE LOCAL NA COSTA
MEDITERR½NEA NA 3¤RIA ATUAL ! DESCOBERTA
#!.!.%53 POVO ANTIGO QUE VIVEU NA ACIDENTAL DE UMA ELEVAÀâO NO TERRENO POR
TERRA DE #ANAâ ANTES DE SER TIRADO DE LÖ UM FAZENDEIRO ENQUANTO ARAVA O CAMPO
PELA NAÀâO DE )SRAEL /S CANANEUS JUNTA NO TOPO DE 2AS 3HAMRA LEVOU A DIVERSAS
MENTE COM OS AMORREUS INSTALARAM SE NA ESCAVA˵ES EM GRANDE ESCALA POR #LAUDE
TERRA BEM ANTES DE DOIS MIL A# %SCAVA & ! 3CHAEFFER SENDO A PRIMEIRA EM 
ÀµES ARQUEOL˜GICAS DA TERRA E DE TERRIT˜RIOS 4AIS ESCAVAÀµES RESULTARAM NA RECUPERAÀâO
ADJACENTES CONTRIBU¤RAM COM INFORMAÀµES DE UM CONSIDERÖVEL N¢MERO DE TEXTOS E
SOBRE VARIADOS ASPECTOS DE SUA CULTURA OUTROS DOCUMENTOS EM PLACAS DE ARGILA /S
$ENTRE OS NUMEROSOS LOCAIS ESCAVADOS NA REFERIDOS ESCRITOS FORNECERAM CONHECIMENTO
ANTIGA #ANAâ OU NA ATUAL 4ERRA 3ANTA CONSIDERÖVEL SOBRE A VIDA CANAN£IA PARTICU
ESTâO (AZOR -EGIDO "ETE 3Eâ *ERIC˜ LARMENTE SOBRE SUA FORMA DE RELIGIâO
*EBUS *ERUSAL£M $EBIR ,AQUIS E !RADE ! L¤NGUA CANAN£IA EM SUA FORMA ESCRITA
.O LADO NORTE DA ANTIGA #ANAâ ESTâO CONFORME REVELADO NOS TEXTOS UGAR¤TICOS DE
#!.!.%53 

2AS 3HAMRA £ UM TIPO ALFAB£TICO CUNEI DE DEUSES 4AIS DEUSES ERAM ADORADOS POR
FORME EM FORMA DE CUNHA DE ESCRITA MEIO DE RITUAIS SOlSTICADOS 4IPOS VARIADOS
%SSA FORMA CONTRASTA GRANDEMENTE COM DE OlCIAIS RELIGIOSOS OU SACERDOTES
O CUNEIFORME SILÖBICO DAS ANTIGAS L¤NGUAS DIRIGIAM AS CERIM¹NIAS PAGâS 3EU SISTEMA
BABIL¹NICA E ASS¤RIA (Ö MUITAS SEMELHAN RELIGIOSO CARACTERIZAVA SE TAMB£M PELA
ÀAS COM OUTRAS L¤NGUAS ANTIGAS DO /RIENTE GRANDE QUANTIDADE DE LOCAIS DE ADORAÀâO
-£DIO DA £POCA DURANTE ESSE MESMO PE VARIANDO DE SIMPLES ALTARES EM AMBIENTES
R¤ODO BEM COMO DIFERENÀAS IMPORTANTES EXTERNOS A MACIÀOS TEMPLOS DE PEDRAS
%SSAS DIFERENÀAS SâO TâO MARCANTES QUE OS / !NTIGO 4ESTAMENTO REFERE SE MUITAS
ARQUE˜LOGOS CHEGAM A DIZER CONVICTOS QUE VEZES A "AAL .M  A BAALINS /S
OS CANANEUS DESENVOLVERAM UMA L¤NGUA   OU A UM BAAL ESPEC¤lCO SEGUNDO
PR˜PRIA DETERMINADO LUGAR COMO O "AAL 0EOR .M
/S TEXTOS UGAR¤TICOS DE 2AS 3HAMRA    / !NTIGO 4ESTAMENTO TAMB£M FAZ
SâO DE FATO AS FONTES LITERÖRIAS MAIS SIGNI REFERäNCIA A !SERÖ 2S  !2#  POSTE
lCATIVAS DA L¤NGUA CANAN£IA EM INSCRIÀâO IDOLO !2! .4,( E !STAROTE 2S  
CUNEIFORME 4AIS TEXTOS REMONTAM AO *Z   2EFERäNCIAS A TAIS DEUSES E DEUSAS
S£CULO  A# OU MESMO ANTES -UITOS SEMPRE CARREGAM FORTES DEN¢NCIAS DOS
DELES SâO DE NATUREZA RELIGIOSA FORNECENDO ESCRITORES B¤BLICOS .O ENTANTO OS NOMES
ASSIM DETALHES VALIOSOS SOBRE A LITERATURA MENCIONADOS NO !NTIGO 4ESTAMENTO
E A RELIGIâO DOS CANANEUS !L£M DISSO TAIS SâO APENAS ALGUNS DOS MUITOS NOMES DOS
TEXTOS PERMITIRAM QUE ESTUDIOSOS DA "¤BLIA DEUSES CANANEUS MENCIONADOS NOS TEXTOS
TIVESSEM UMA MELHOR COMPREENSâO SOBRE UGAR¤TICOS
OS ESCRITOS DO !NTIGO 4ESTAMENTO E DE SEU %L FOI O MAIOR DOS DEUSES CANANEUS
CONTEXTO CONFORME CLARAMENTE INDICADO NOS
4RäS TEXTOS MITOL˜GICOS SâO DE GRANDE TEXTOS UGAR¤TICOS -AS %L ESCOLHEU lCAR
IMPORT½NCIA COM RELAÀâO AOS DETALHES NA RETAGUARDA CONFERINDO PODER E AUTORI
SOBRE A RELIGIâO DOS CANANEUS  ! DADE A SUA LINHAGEM DE DEUSES E DEUSAS !
%POP£IA DE "AAL UM RELATO DAS AÀµES PRINCIPAL DEUSA POR MEIO DE QUEM %L GEROU
DE "AAL INCLUINDO A CONSTRUÀâO DE UM lLHOS FOI !SERÖ !MBOS FORAM PAIS DE MAIS
TEMPLO  A ,ENDA DE !QHAT lLHO ¢NICO DE  DIVINDADES / "AAL FREQÓENTEMENTE
DE UM REI CANANEU ANTIGO  E A ,ENDA MENCIONADO NO !NTIGO 4ESTAMENTO ATUAVA
DO 2EI +ERET DE (UBUR QUE SOFRE A PERDA COMO SENHOR ENTRE OS DEUSES EM VIRTUDE
DE SUA FAM¤LIA E MAIS TARDE CONSEGUE OUTRA DA AUTORIDADE CONFERIDA POR %L "AAL ERA
ESPOSA POR MEIO DE UMA CONQUISTA MILITAR CONHECIDO PRINCIPALMENTE COMO DEUS DA
4AL FATO NO ENTANTO INCORRE NA IRA DOS FERTILIDADE OU COMO DEUS DA TEMPESTADE
DEUSES %M SEU NOME FORAM CONSTRU¤DOS TEMPLOS
%STUDOS COMPARADOS ENTRE ESSES TEXTOS EM VÖRIAS LOCALIDADES INCLUINDO UM EM
E ESCRITOS DO !NTIGO 4ESTAMENTO PRINCI 5GARITE
PALMENTE OS PRIMEIROS POEMAS HEBRAICOS !NATE *Z  !SERÖ E !STARTE A
E OS SALMOS MOSTRAM COMO O !NTIGO 4ES !STAROTE DO !NTIGO 4ESTAMENTO SâO TRäS
TAMENTO FOI INmUENCIADO POR SEU AMBIENTE DEUSAS CANAN£IAS MENCIONADAS MUITAS
ANTIGO -AS TAMB£M MOSTRAM COMO A F£ VEZES NOS TEXTOS UGAR¤TICOS $ENTRE AS
DOS ISRAELITAS EM UM ¢NICO $EUS 2EDENTOR MUITAS OUTRAS DIVINDADES DOS CANANEUS
DESTACA SE FORTEMENTE DIANTE DA RELIGIâO HAVIA 2ESHEPH DEUS DA PESTE E -OT O
PAGâ DOS CANANEUS DEUS DA SECA E DA MORTE
! 2%,)')ª/ $/3 #!.!.%53 ! RELIGIâO ! RELIGIâO DOS CANANEUS APRESENTAVA AL
CANAN£IA CARACTERIZAVA SE PELA PLURALIDADE GUMAS CARACTER¤STICAS SEMELHANTES A CERTAS
 #!.% #
PRÖTICAS DO SISTEMA RELIGIOSO DOS ISRAELITAS DE ADORAÀâO SERIA UMA GRANDE TENTAÀâO AO
!SSIM COMO OS ISRAELITAS OS CANANEUS POVO 0OR ISSO DECLARA h!GORA POIS DEITAI
OFERECIAM DIVERSOS TIPOS DE SACRIF¤CIOS AOS FORA OS DEUSES ESTRANHOS QUE HÖ NO MEIO DE
SEUS DEUSES $ENTRE OS ANIMAIS USADOS V˜S E INCLINAI O CORAÀâO AO 3ENHOR $EUS
NOS SACRIF¤CIOS ERAM COMUNS OVELHAS E DE )SRAELv *S  
BOIS AL£M DE ALGUNS ANIMAIS SELVAGENS
5M SUMO SACERDOTE DENTRE OS CANANEUS #®.#%2 TUMOR MALIGNO QUE INVADE
ERA O L¤DER DE  FAM¤LIAS DE SACERDOTES TECIDOS OU C£LULAS SAUDÖVEIS DO ORGANISMO
%NTRE OUTROS IMPORTANTES L¤DERES DO / AP˜STOLO 0AULO DESCREVEU OS hFALAT˜RIOS
CULTO QUE SERVIAM NOS TEMPLOS CANANEUS IN¢TEIS E PROFANOSv 4M  DE PESSOAS
ENCONTRAVAM SE CANTORES QUE FAZIAM USO MUNDANAS E A MENSAGEM PROFANA QUE
DA LITURGIA OU DE UMA ESP£CIE DE SALMODIA PROCLAMAM COMO UM hC½NCERv 4M 
PESSOAS CONSAGRADAS DE FATO PROSTITUTOS GANGRENA !2# .4,( 4" QUE AMEAÀAVA A
E PROSTITUTAS COSTUREIROS E ESCULTORES SA¢DE E A VITALIDADE DA IGREJA 6EJA TAMB£M
E ESCRIBAS RESPONSÖVEIS POR PRESERVAR $/%.­!3 $! "Ù",)!
AS TRADIÀµES LITERÖRIAS IMPORTANTES 4AIS
COMO AS FESTAS E FESTIVIDADES HEBRAICAS #!.$!#% RAINHA DA %TI˜PIA !T  
AS COMEMORAÀµES DOS CANANEUS TAMB£M #ANDACE UM T¤TULO NâO SE REFERIA A UMA
SEGUIAM A DISPOSIˉO DAS ESTA˵ES OU CICLOS RAINHA EM PARTICULAR MAS A UMA LINHAGEM
DA AGRICULTURA DE RAINHAS / EUNUCO DE #ANDACE EM
1UANTO A OUTROS ASPECTOS A RELIGIâO !TOS CONVERTEU SE AO CRISTIANISMO POR
HEBRAICA E A CANAN£IA APRESENTAM INTERM£DIO DE &ILIPE O EVANGELISTA !T
DIFERENÀAS CONSIDERÖVEIS ! RELIGIâO DESSES   
PAGâOS CONSISTIA BASICAMENTE EM UM CULTO
DA FERTILIDADE .OS TEMPLOS ESPALHADOS #!.$%%)2/ VEJA #!.$%)! 6%,! 
POR TODA A REGIâO OS ADORADORES CANANEUS
VERDADEIRAMENTE PARTICIPAVAM DE ATOS #!.$%)! 6%,! AGLOMERADO DE SEBO
IMORAIS E LASCIVOS COM PROSTITUTAS hSAGRA OU CERA COM UM PAVIO DE ALGODâO QUE
DASv %STA ERA UMA FORMA DEPRAVADA DE SE QUEIMA PARA FORNECER LUZ .O PER¤ODO
CULTO QUE APELAVA PARA OS BAIXOS INSTINTOS B¤BLICO AS PESSOAS NâO USAVAM VELAS DESSE
DA NATUREZA HUMANA PECAMINOSA !L£M TIPO ! !2! TRADUZ O TERMO POR hL½MPADAv
DISSO OS CANANEUS OFERECIAM SACRIF¤CIOS EM *˜  E 0ROV£RBIOS  E hCANDEIAv
HUMANOS E TINHAM APROVAÀâO DA RELIGIâO EM ,UCAS 
PARA O USO DE UMA CRUELDADE IMENSURÖVEL !S CANDEIAS DO MUNDO ANTIGO ERAM
EM PER¤ODOS DE GUERRA %M CONTRAPARTIDA TIGELAS RASAS COM UMA DAS BEIRADAS COM
OS HEBREUS ADORAVAM UM $EUS SANTO QUE PRIMIDAS FORMANDO UMA RANHURA ONDE SE
INSISTIA NA PUREZA E RETIDâO NO MEIO DO SEU PRENDIA O PAVIO QUE lCAVA COM UMA PONTA
POVO ESTENDIDA ACIMA DA BORDA ENQUANTO A
%MBORA OS ISRAELITAS TENHAM SIDO OUTRA lCAVA MERGULHADA NO AZEITE DE OLIVA
CHAMADOS A UM ALTO N¤VEL £TICO EM SUA QUE SERVIA DE COMBUST¤VEL VEJA TAMB£M
ADORAÀâO ALGUMAS VEZES DEIXAVAM SE ,¸-0!$! 
LEVAR PELO ELEMENTO SENSUAL DOS CULTOS
CANANEUS QUE OS INCITAVAM AO PECADO E Ü #!.$%,!"2/ VEJA 4!"%2.¬#5,/ 
IDOLATRIA %SSE FATO EXPLICA O GRANDE APELO
FEITO POR *OSU£ AO POVO DE )SRAEL DURANTE #!.% LUGAR MENCIONADO EM %ZEQUIEL
SEU DISCURSO DE DESPEDIDA / GUERREIRO JÖ  AO LADO DE »DEN E (ARâ O QUE DÖ A
AVANÀADO EM IDADE SABIA QUE A FORMA PAGâ ENTENDER QUE PERTENCIA Ü -ESOPOT½MIA
#!.%,! 

#!.%,! VEJA 0,!.4!3 $! "Ù",)!  #®.4!2/ VASILHA PARA L¤QUIDOS JARRO DE


CER½MICA OU MORINGA DE ÖGUA .O MUNDO
#!.%,%)2!3 VEJA !2-!3 % !2-!$52!3 ANTIGO ERAM COMUNS C½NTAROS DE DUAS
$! "Ù",)!  ALÀAS OS QUAIS ERAM CARREGADOS NA CABEÀA
OU NOS OMBROS E USADOS SOBRETUDO POR
#!.(/4/ QUE USA COM MAIS HABILIDADE MULHERES PARA TRANSPORTAR ÖGUA OU PARA
A MâO ESQUERDA ! "¤BLIA INDICA QUE A TIRAR ÖGUA DE POÀO 'N   / C½NTARO
TRIBO DE "ENJAMIM TINHA MUITOS HOMEM USADO POR 2EBECA PODE TER SIDO DE CER½MI
CANHOTOS *Z   %¢DE CANHOTO DA CA MAS RECIPIENTES DE COURO TAMB£M ERAM
TRIBO DE "ENJAMIM ASSASSINOU %GLOM REI USADOS
DE -OABE COM UM PUNHAL *Z    #½NTAROS DESSE TIPO FORAM USADOS PELOS
GUERREIROS DE 'IDEâO NA BATALHA CONTRA OS
#!.)6%4% VEJA #!.)6%4% $% %3#2)6ª/  MIDIANITAS *Z    /S HOMEM ESCON
DERAM TOCHAS DENTRO DE SEUS C½NTAROS AT£
#!.)6%4% $% %3#2)6²/ PEQUENA O MOMENTO DO ATAQUE / FATO DE TEREM
L½MINA OU FACA USADA POR ESCRIBAS PARA QUEBRADO OS C½NTAROS V  INDICA QUE
AlAR OBJETOS DE ESCRITA E CORTAR OS ROLOS ERAM DE BARRO
DE 0!0)2/ / REI *EOAQUIM USOU ESSE TIPO
DE CANIVETE PARA DESTRUIR O LIVRO QUE #®.4)#/ $% 2/-!'%- EXPRESSâO
CONTINHA AS PROFECIAS DE *EREMIAS *R  QUE OCORRE NOS T¤TULOS DE  SALMOS
FAQUINHA .4,(  3ALMOS   #½NTICO DE 2OMAGEM
!2! #½NTICO DOS DEGRAUS !2#  h$EGRAUSv
#®./. VEJA "Ù",)! !  £ TRADUÀâO DA PALAVRA HEBRAICA MAALOTH
QUE SIGNIlCA hSUBIRv %SSES C½NTICOS PODEM
#!.4!2 $/ '!,/ PER¤ODO DE TEMPO TER SIDO hSALMOS DE PEREGRINAÀâOv CANTADOS
ENTRE A MEIA NOITE E AS TRäS HORAS HA POR AQUELES QUE SUBIAM PARA *ERUSAL£M EM
MANHâ TERCEIRA VIG¤LIA DA NOITE ! DIREÀâO AO TEMPLO 3M  )S  
EXPRESSâO REmETE O COSTUME ROMANO DE
DIVIDIR A NOITE EM QUATRO VIG¤LIAS TARDE #®.4)#/ $/3 #®.4)#/3 LIVRO DO !N
MEIA NOITE CANTAR DO GALO E MANHâ PELO TIGO 4ESTAMENTO ESCRITO NA FORMA DE UMA
COSTUME ISRAELITA A NOITE ERA DIVIDIDA EM CANÀâO DE AMOR L¤RICO !LGUNS INT£RPRETES
TRäS VIG¤LIAS  .A PARÖBOLA DO HOMEM QUE CRäEM QUE ESSA CANÀâO FALE SIMBOLICAMEN
VAI A UM PA¤S DISTANTE *ESUS DISSE h6IGIAI TE DO AMOR DE $EUS PELA NAÀâO DE )SRAEL
POIS PORQUE NâO SABEIS QUANDO VIRÖ O /UTROS NO ENTANTO INSISTEM QUE DEVE SER
DONO DA CASA SE Ü TARDE SE Ü MEIA NOITE INTERPRETADO LITERALMENTE COMO EXPRESSâO
SE AO CANTAR DO GALO SE PELA MANHâv -C SAUDÖVEL DO AMOR ROM½NTICO ENTRE HOMEM
  .ESSA NARRATIVA hO CANTAR DO GALOv E MULHER )NDEPENDENTEMENTE DE COMO O
REFERE SE Ü TERCEIRA VIG¤LIA DA NOITE LIVRO SEJA INTERPRETADO £ CERTAMENTE UM
4ODAS AS OUTRAS REFERäNCIAS DO .OVO DOS MAIS SINGULARES DA "¤BLIA 3EU T¤TULO
4ESTAMENTO ENTRETANTO ALUDEM AO  IMPLICA QUE ERA O MAIS CONHECIDO E
VERDADEIRO CANTO DE UM GALO -T  BELO DOS C½NTICOS DE 3ALOMâO
-C  ,C  *O   / CANTAR DO %3425452! $/ ,)62/ #½NTICOS DOS
GALO LEMBROU 0EDRO DA FACILIDADE DE NEGAR #½NTICOS £ UM LIVRO CURTO COM APENAS OITO
O 3ALVADOR CAP¤TULOS !PESAR DE SUA BREVIDADE APRE
SENTA UMA ESTRUTURA COMPLEXA QUE POR
#!.4!2%3 OUTRO NOME DE #¸.4)#/ $/3 VEZES PODE CONFUNDIR O LEITOR $IFERENTES
#¸.4)#/3 PERSONAGENS TäM VOZ OU FALAM NESSE
 #®.4)#/ $/3 #®.4)#/3 #
POEMA L¤RICO %M MUITAS TRADUÀµES DA ASSEGURA LHE SEU AMOR E EXALTA A BELEZA DA
"¤BLIA ESSES EMISSORES ALTERNAM SUA FALA DE AMADA    $ESEJANDO VISITAR SUA CI
MODO INESPERADO SEM INDICAÀâO AO LEITOR DADE NATAL   A AMADA lNALMENTE
DIlCULTANDO ASSIM SUA LEITURA ! !2! POR SEGUE JORNADA COM 3ALOMâO E SEU AMOR SE
EXEMPLO ELIMINA O PROBLEMA COM A INDI APROFUNDA    ! CANÀâO lNALIZA COM
CAÀâO DE QUEM ESTÖ FALANDO DESSE MODO O A CERTEZA DE QUE CADA UM PERMANECERÖ lEL
LEITOR AMPLIA SEU ENTENDIMENTO AO SEU AMOR
/S TRäS PARTICIPANTES PRINCIPAIS DO !54/2)! % $!4! #ONFORME A TRADIÀâO
POEMA SâO  O NOIVO O REI 3ALOMâO A AUTORIA DE #½NTICO DOS #½NTICOS FOI
 A NOIVA MULHER MENCIONADA COMO ATRIBU¤DA A 3ALOMâO VISTO QUE O PR˜PRIO
hSULAMITAv   E AS hlLHAS DE *ERUSAL£Mv LIVRO FAZ ESSA ATRIBUIÀâO   .O ENTANTO
  4AIS MULHERES DEVEM TER SIDO ESCRA ALGUNS PESQUISADORES REJEITAM TAL TEORIA
VAS DA REALEZA QUE SERVIAM COMO CRIADAS DA )NSISTEM EM QUE SE TRATA DE UMA COLET½NEA
NOIVA DO REI 3ALOMâO .O POEMA SERVEM POSTERIOR DE CANÀµES ATRIBU¤DAS A 3ALOMâO
COMO CORO PARA ECOAR OS SENTIMENTOS DA EM VIRTUDE DE SUA REPUTAÀâO COMO ESCRITOR
SULAMITA ENFATIZANDO SEU AMOR E AFEIÀâO DE SALMOS E PROV£RBIOS 2S   5MA
PELO NOIVO ANÖLISE CUIDADOSA DE EVIDäNCIAS INTERNAS
!L£M DOS PERSONAGENS PRINCIPAIS SâO NO ENTANTO OFERECE APOIO Ü VISâO DE QUE
MENCIONADOS OS IRMâOS DA SULAMITA  3ALOMâO TENHA ESCRITO O LIVRO
 QUE DEVEM TER SIDO SEUS MEIO IRMâOS (Ö VÖRIAS MENÀµES DO NOME DE 3ALO
/ POEMA INDICA QUE ELA TRABALHAVA MâO NA CANÀâO       
POR ORDEM DOS IRMâOS COMO hGUARDA DE O QUAL £ CHAMADO ESPECIlCAMENTE NOIVO
VINHASv   / LIVRO TAMB£M DÖ EVIDäNCIAS DE RIQUEZA
%SSA BELA CANÀâO DE AMOR DIVIDE SE LUXO E BENS EX˜TICOS IMPORTADOS  
PRATICAMENTE EM DUAS SEÀµES PRINCIPAIS CARACTER¤STICA DE SUA ADMINISTRAÀâO REAL
COM MAIS OU MENOS O MESMO TAMANHO O / NOIVO DO POEMA GARANTE Ü SULAMITA QUE
IN¤CIO DO AMOR CAP n E O SEU AMADURE ELA £ hUMA S˜v  DENTRE SUAS hSESSENTA
CIMENTO CAP n  RAINHASv E hOITENTA CONCUBINASv 
.A PRIMEIRA SEÀâO A SULAMITA FALA A UMA REFERäNCIA PROVÖVEL AO HAR£M REAL DE
RESPEITO DA VISITA DE 3ALOMâO Ü SUA CASA NO 3ALOMâO .O AUGE DE SEU PODER E INmUäN
CAMPO NO PER¤ODO DA PRIMAVERA    CIA 3ALOMâO TORNOU SE CONHECIDO POR TER
!L£M DISSO EVOCA MUITAS EXPERIäNCIAS  ESPOSAS E  CONCUBINAS 2S  
AGRADÖVEIS E FELIZES DE SEU CORTEJO NA OCA 4AIS EVIDäNCIAS INTERNAS DA OBRA
SIâO EM QUE ELA VISITOU 3ALOMâO NO PALÖCIO SUSTENTAM A PERSPECTIVA TRADICIONAL DE QUE
DE *ERUSAL£M    ! NOIVA PENSA NA O PR˜PRIO 3ALOMâO TENHA ESCRITO O POEMA
DOLOROSA SEPARAÀâO DE SEU AMOR DURANTE QUE LEVA SEU NOME $EVE TER SIDO ESCRITO
DETERMINADO PER¤ODO   ASSIM COMO EM APROXIMADAMENTE  A#
NA FESTIVA MARCHA NUPCIAL AT£ *ERUSAL£M #/.4%84/ ()34Ê2)#/ #OMO PODERIA
PARA SE TORNAR A NOIVA DO REI    O REI 3ALOMâO TER ESCRITO TâO BELA CANÀâO
3ALOMâO ENALTECE SUA FUTURA NOIVA EM DE AMOR A UMA ESPOSA ESPEC¤lCA TENDO
BELO POEMA SOBRE A MAGIA E A MARAVILHA DO UM HAR£M TâO GRANDE 4ALVEZ SUA UNIâO
AMOR CAP   COM A SULAMITA TENHA SIDO O ¢NICO
.A SEGUNDA SEÀâO DO LIVRO O AMOR DA RELACIONAMENTO MATRIMONIAL AUTäNTICO POR
SULAMITA E DE 3ALOMâO AMADURECE AP˜S ELE CONHECIDO -UITOS DE SEUS CASAMENTOS
O CASAMENTO ! ESPOSA TEM UM SONHO FORAM RESULTADOS DE ACORDOS POL¤TICOS DES
AGITADO QUANDO O ESPOSO PARECE DISTANTE E TINADOS A SELAR TRATADOS E PLANOS COMERCIAIS
INDIFERENTE    .O ENTANTO 3ALOMâO COM OUTRAS NAÀµES %M CONTRAPOSIÀâO
#®.4)#/ $/3 #®.4)#/3 

A SULAMITA NâO ERA UMA PRINCESA CULTA E LINGUAGEM FRANCA E BELA A CANÀâO EXALTA
RElNADA MAS UMA GUARDA DE VINHAS CUJA O AMOR M¢TUO QUE MARIDO E ESPOSA SENTEM
PELE HAVIA ESCURECIDO EM VIRTUDE DE SUA UM PELO OUTRO NO MAIS ELEVADO DOS RELACIO
LONGA EXPOSIÀâO AO SOL   !INDA ASSIM NAMENTOS HUMANOS
ELA FOI A NOIVA A RESPEITO DE QUEM 3ALOMâO ! QUESTâO SEXUAL E F¤SICA DO CASAMENTO £
DECLAROU h1UANTO MELHOR £ O TEU AMOR DO UM ELEMENTO NATURAL E ADEQUADO AO PLANO
QUE O VINHO E O AROMA DOS TEUS UNGÓENTOS DE $EUS REmETINDO SEU PROP˜SITO E DESEJO
DO QUE TODA SORTE DE ESPECIARIASv   PARA A RAÀA HUMANA %SSA £ A MESMA VERDA
4RATA SE DE UMA MENSAGEM REAL SOBRE DE EVIDENTE DESDE O IN¤CIO DOS TEMPOS COM
A NATUREZA DO AMOR VERDADEIRO / AMOR A CRIAÀâO $EUS CRIOU O HOMEM E A MULHER
AUTäNTICO £ MUITO MAIS QUE UM RELACIONA E OS UNIU COMO COMPANHEIROS A lM DE
MENTO SUPERlCIAL ESTENDE SE A CADA PARTE COMPARTILHAREM SUAS VIDAS MUTUAMENTE
DO SER HUMANO !MOR ASSIM NâO PODE SER h0OR ISSO DEIXA O HOMEM PAI E MâE E SE
COMPRADO OU VENDIDO COMO MERCADORIA UNE Ü SUA MULHER TORNANDO SE OS DOIS UMA
3ALOMâO TINHA MUITAS ESPOSAS MAS A S˜ CARNEv 'N   %XATAMENTE COMO NO
SULAMITA DEVE TER SIDO A ¢NICA COM QUEM LIVRO DE 'äNESIS #½NTICOS DOS #½NTICOS
DESFRUTAVA DE UM RELACIONAMENTO ENRIQUE DIZ hSIMv Ü BELEZA E Ü SANTIDADE DO AMOR
CEDOR E CALOROSO CONJUGAL
#/.42)"5)­ª/ 4%/,Ê')#! ! GRANDE .O ENTANTO O LIVRO TAMB£M APONTA
MENSAGEM DE #½NTICO DOS #½NTICOS £ A PARA AL£M DO AMOR HUMANO E VOLTA SE PARA
BELEZA DO AMOR ENTRE UM HOMEM E UMA O GRANDE !UTOR DO AMOR / AMOR AUTäNTICO
MULHER COMO EXPERIäNCIA ADVINDA DO £ POSS¤VEL NO MUNDO PORQUE $EUS TROUXE Ü
RELACIONAMENTO MATRIMONIAL %M SUA EXISTäNCIA O AMOR E O PLANTOU NO CORAÀâO

5- %3"/£/ $)$­4)#/
) / ).·#)/ $/ !-/2  n
#®.4)#/ $/3 #®.4)#/3

! ! PAIXÎO   


 ! NOIVA DESEJA SER AMADA  
 %XPRESSÜES DE AMOR MÞTUO n
 / REI VISITA A CASA DA NOIVA   
 ! NOIVA SONHA COM A DOR DA SEPARA ÎO   
" ! UNIÎO  n
 / CORTEJO NUPCIAL   
 / NOIVO ELOGIA A BELEZA DE SUA AMADA   
 / CASAMENTO SE CONSUMA n
)) / !-!$52%#)-%.4/ $/ !-/2  n
! / CONmITO CONJUGAL  n
 / SEGUNDO SONHO DA NOIVA COM A DOR DA
SEPARA ÎO  
 ! NOIVA ELOGIA A BELEZA DE SEU AMADO n
 / NOIVO ELOGIA A BELEZA DE SUA AMADA  n
" #RESCENDO EM AMOR n
 ! NOIVA DESEJA VISITAR SUA CASA  n
 ! VIAGEM E A VOLTA AO LAR   
 #!2!#4%2%3 #
DE SEU POVO (OMENS E MULHERES DEVEM #®.4)#/ $/3 42´3 */6%.3 3!.4/3
LEMBRAR SE DE QUE O AMOR QUE COMPARTI VEJA !0Ê#2)&/3 
LHAM UM PELO OUTRO NâO £ PRODUTO DE SUA
BONDADE OU BENIGNIDADE 3OMOS CAPAZES #!.4/ % #®.4)#/3 VEJA -·3)#! .!
DE AMAR PORQUE O AMOR DO 0AI ATUA EM "Ù",)! 
N˜S h.ISTO CONSISTE O AMOR NâO EM QUE
N˜S TENHAMOS AMADO A $EUS MAS EM QUE #!.4/2 VEJA 02/&)33¡%3 % /#50!­¡%3 
ELE NOS AMOU E ENVIOU O SEU &ILHO COMO
PROPICIAÀâO DOS NOSSOS PECADOS !MADOS #²/ VEJA !.)-!)3 $! "Ù",)! 
SE $EUS DE TAL MANEIRA NOS AMOU DEVEMOS
N˜S TAMB£M AMAR UNS AOS OUTROSv *O #!0! VEJA 2/50!3 $! "Ù",)! 
  
#/.3)$%2!­¡%3 %30%#)!)3 /S S¤MBOLOS E #!0!#%4% VEJA !2-!3 % !2-!$52!3
AS IMAGENS QUE O NOIVO USA PARA DESCREVER $! "Ù",)! 
A BELEZA DA NOIVA SULAMITA PODEM PARECER
ESTRANHOS AOS LEITORES MODERNOS 3EU CABE #!0!$¼#)! GRANDE PROV¤NCIA ROMANA
LO £ DESCRITO COMO hREBANHOS DE CABRAS QUE NO LESTE DA ¬SIA -ENOR VEJA -APA  $  
DESCEM ONDEANTES DO MONTE DE 'ILEADEv 4INHA COMO FRONTEIRA A NORTE O 0ONTO E
  3EU PESCOÀO AlRMA O AUTOR £ COMO AS MONTANHAS AO LONGO DO RIO (ALYS A
hA TORRE DE $AVI EDIlCADA PARA ARSENAL !RMäNIA E O RIO %UFRATES A LESTE A #IL¤CIA E
MIL ESCUDOS PENDEM DELA TODOS BROQU£IS A CORDILHEIRA 4AURUS AO SUL E A ,ICA¹NIA E
DE SOLDADOS VALOROSOSv   'ALÖCIA A OESTE (AVIA VISITANTES DA #APA
#OM O USO DE TAIS lGURAS O NOIVO REmETE D˜CIA EM *ERUSAL£M NO $IA DE 0%.4%#/34%3
OS PADRµES CULTURAIS DO MUNDO ANTIGO 0ARA !T    O AP˜STOLO 0EDRO INCLUIU ESSA
AQUELES QUE VIVERAM NA £POCA DE 3ALOMâO PROV¤NCIA EM SUA PRIMEIRA CARTA AOS
O EFEITO ONDULADO DE UM REBANHO DE CABRAS CONVERTIDOS DA $)30%23ª/ 0E   /
DESCENDO UM MONTE ERA ALGO SINGULAR BELE CRISTIANISMO APARENTEMENTE ESPALHOU SE
ZA A SER CONTEMPLADO ! TORRE IMPONENTE EM DIREÀâO AO NORTE DA #APAD˜CIA DESDE
NO ALTO DE UMA CIDADE REmETIA UMA AURA DE 4ARSO DA #IL¤CIA ATRAV£S DOS PORTµES DA
ESTABILIDADE E NOBREZA ! SULAMITA DEVE TER #IL¤CIA UM INTERVALO DAS MONTANHAS DE
lCADO SATISFEITA COM ELOGIOS TâO ORIGINAIS 4ARSO E EM SEGUIDA AO 0ONTO E 'ALÖCIA
VINDOS DE SEU NOIVO POETA
/S ESTUDIOSOS NâO TäM CERTEZA DO SENTIDO #!0)4%, ELEMENTO DECORATIVO COLOCADO
EXATO DA EXPRESSâO hA SULAMITAv  QUE NO TOPO DE COLUNAS DE UMA GRANDE CONS
ACABOU POR SER USADA NESSA CANÀâO COMO TRUÀâO !S IMENSAS COLUNAS CONHECIDAS
T¤TULO PARA A NOIVA 6ISTO QUE A PALAVRA COMO *!15)- % "/!: QUE lCAVAM EM
£ A FORMA FEMININA DA PALAVRA HEBRAICA FRENTE DO TEMPLO DE 3ALOMâO EM *ERUSAL£M
h3ALOMâOv TALVEZ SULAMITA SIMPLESMENTE CARACTERIZAVA SE PELOS REFERIDOS CAPIT£IS
SIGNIlQUE hNOIVA DE 3ALOMâOv 5MA VEZ QUE ORNAMENTAIS FUNDIDOS EM BRONZE 2S
O POEMA FAZ DIVERSAS REFERäNCIAS AO ,¤BANO   6EJA TAMB£M !215)4%452!
      ALGUNS ESTUDIOSOS
ACREDITAM QUE A SULAMITA SEJA DE ORIGEM DE #!2!#4%2%3 LETRAS ANTIGAS QUE COM
ALGUM TERRIT˜RIO MONTANHOSO AO LONGO DA PUNHAM UM SISTEMA DE ESCRITA %D  %T
COSTA MEDITERR½NEA NO NORTE DA 0ALESTINA   /S CARACTERES HEBRAICOS QUADRÖTICOS
DESENVOLVERAM SE A PARTIR DOS CARACTERES
#®.4)#/ $/3 $%'2!53 VEJA #¸.4)#/ ARAMAICOS 6EJA TAMB£M ,Ù.'5!3 $!
$% 2/-!'%-  "Ù",)!
#!2!6!.! 

#!2!6!.! GRUPO DE PESSOAS NORMAL #!2-%,)4! NATURAL OU HABITANTE DA


MENTE MERCADORES COM ANIMAIS DE CARGA CIDADE DE #ARMELO EM *UDÖ .ABAL ESPOSA
TAIS COMO BURROS E CAMELOS QUE VIAJAM DE !BIGAIL 3M  3M   E
JUNTAS ESPECIALMENTE PELO DESERTO OU (%:2!) 3M  OU (%:2/ #R 
REGIµES ÖRIDAS *˜   / TEXTO DE 'äNE UM DOS VALENTES DE $AVI ERAM AMBOS
SIS  MENCIONA QUE hUMA CARAVANA DE CARMELITAS
ISMAELITAS VINHA DE 'ILEADE SEUS CAMELOS
TRAZIAM AR¹MATAS BÖLSAMO E MIRRA QUE #!2-%,/ JARDIM OU POMAR DE $EUS
LEVAVAM PARA O %GITOv NOME DE UMA CORDILHEIRA E DE UMA CIDADE
!S PRINCIPAIS ROTAS DE COM£RCIO QUE DO !NTIGO 4ESTAMENTO
LIGAVAM O %GITO E A !RÖBIA COM A 3¤RIA E A  #IDADE DA REGIâO MONTANHOSA DE *UDÖ
"ABIL¹NIA PASSAVAM POR #ANAâ #ARAVANAS *S  3M      &OI IDEN
ÖRABES COM TODA SORTE DE CONDIMENTOS TIlCADA COMO A ATUAL +HIRBET EL +ERMEL
E INCENSO ATRAVESSAVAM #ANAâ POR ESSAS A APROXIMADAMENTE  QUIL¹METROS DO
ROTAS COM REGULARIDADE SUA PRESENÀA FAZIA SUDESTE DE (EBROM #ARMELO PERTO
PARTE DA VIDA EM )SRAEL DE -AOM ERA A CIDADE DE UM HOMEM
MUITO RICO E TOLO CHAMADO .ABAL
#!2"Â.#5,/ VEJA *Ê)!3 % 0%$2!3 (OMEM OBSTINADO E GROSSEIRO QUE
02%#)/3!3  HAVIA INSULTADO $AVI AO SE RECUSAR A
DAR HOSPITALIDADE AOS SERVOS DE $AVI
#!2#! LOCAL DESCONHECIDO NA FRONTEIRA / 3ENHOR hAMORTECEU NELE O CORAÀâO E
MERIDIONAL DO TERRIT˜RIO DE *UDÖ *S   lCOU ELE COMO PEDRAv3M   !P˜S
A MORTE DE .ABAL $AVI MANDOU BUSCAR
#!2#!3 UM DOS SETE EUNUCOS OU !BIGAIL TAMB£M CARMELITA E VI¢VA DE
MORDOMOS RESPONSÖVEIS PELO HAR£M DO REI .ABAL PARA SER SUA ESPOSA !BIGAIL
!SSUERO 8ERXES DA 0£RSIA %T   MULHER hSENSATA E FORMOSAv 3M 
TORNOU SE UMA DAS ESPOSAS DE $AVI (E
#!2#/2 LUGAR DA 42!.3*/2$¸.)! ONDE ZRAI 3M  OU (EZRO #R 
'IDEâO E SEU EX£RCITO DERROTARAM O QUE UM DOS VALENTES DE $AVI TAMB£M ERA DE
RESTAVA DO EX£RCITO MIDIANITA *Z    #ARMELO
 #ORDILHEIRA COM CERCA DE  QUIL¹ME
#!2$/ %30).(/ VEJA 0,!.4!3 $! TROS QUE SE ESTENDE DA COSTA SUDESTE DO
"Ù",)!  -EDITERR½NEO AT£ A PLAN¤CIE DE $OTâ
VEJA -APA  "   .A "A¤A DE !CCHO
#!2%­ CARECA PAI DE *OANâ E *¹NATAS !CRE PR˜XIMA DA MODERNA CIDADE DE
*R    (AIFA ESSA CADEIA MONTANHOSA PROJETA
SE NO MAR -EDITERR½NEO FORMANDO UMA
#!2'! MERCADORIAS LEVADAS POR NAVIO PONTA CHAMADA MONTE #ARMELO /
MERCANTE OU POR OUTRO MEIO DE TRANSPORTE MONTE ELEVA SE DA COSTA MAR¤TIMA A UMA
1UANDO UMA TEMPESTADE SE ABATEU SOBRE O ALTURA DE  METROS PERTO DE (AIFA
NAVIO NO QUAL *ONAS VIAJAVA OS MARINHEI #OMO UM TODO A CORDILHEIRA TEM EM
ROS TEMEROSOS hLANÀAVAM AO MAR A CARGA M£DIA MAIS DE  METROS ACIMA DO
QUE ESTAVA NO NAVIO PARA O ALIVIAREM DO N¤VEL DO MAR COM  METROS NO PONTO
PESOv *N   MAIS ALTO
/S CANANEUS EDIlCARAM SANTUÖRIOS A
#!2)$!$% PALAVRA DA !2# E DA 4" PARA DIVINDADES PAGâS NESSE MONTE 0OR ISSO
SE REFERIR A !-/2 O #ARMELO FOI O LOCAL APROPRIADO PARA O
 #!2.% #
CONFRONTO ENTRE %LIAS O PROFETA DO 3ENHOR HOMENS DOS ANIMAIS DAS AVES DOS PEIXES
E OS hPROFETAS DE "AALv 2S   #O  
SACERDOTES ID˜LATRAS CANANEUS &OI TAMB£M ! lGURA DA CARNE EXPRESSA DIFERENTES
DO CUME DO MONTE #ARMELO QUE %LIAS VIU ID£IAS NA "¤BLIA .âO APENAS UMA SIMPLES
IND¤CIO DA GRANDE TEMPESTADE QUE ESTAVA PARTE DO CORPO A PALAVRA TAMB£M PODERIA
POR VIR h%IS QUE SE LEVANTA DO MAR UMA SE REFERIR AO CORPO COMO UM TODO 'L
NUVEM PEQUENA COMO A PALMA DA MâO   » DESSA ID£IA QUE SURGE O CONCEITO
DO HOMEMv 2S  E ESSA NUVEM DE UM V¤NCULO HUMANO OU CARNAL ENTRE AS
INDICAVA O lM DE UMA SECA PROLONGADA PESSOAS 5M HOMEM E SUA ESPOSA DEVEM
/ PROFETA %LISEU TAMB£M ESTEVE NO MONTE TORNAR SE hUMA S˜ CARNEv 'N   O
#ARMELO 2S    HOMEM PODE DIZER Ü SUA FAM¤LIA hSOU OSSO
VOSSO E CARNE VOSSAv *Z   / TERMO hCAR
#!2-%3)- VEJA #/2%3 $! "Ù",)!  NEv £ AT£ MESMO USADO OCASIONALMENTE
PARA DESCREVER TODO O GäNERO HUMANO E
#!2-) VINHATEIRO NOME DE DOIS OU TRäS MESMO ANIMAIS 'N  
HOMENS DO !NTIGO 4ESTAMENTO /S ESCRITORES B¤BLICOS PENSAVAM SER A
 &ILHO DE 2¢BEN QUE FOI AO %GITO COM CARNE FRACA / SALMISTA CANTOU h%M $EUS
*AC˜ 'N    LOUVAREI A SUA PALAVRA EM $EUS PUS A MI
 $ESCENDENTE DE *UDÖ E PAI DE !Câ *S NHA CONlANÀA E NâO TEMEREI QUE ME PODE
  OU !CAR #R   FAZER A CARNEv 3L  !2#  ! FRAQUEZA
 &ILHO DE *UDÖ #R   $EVE CORRESPON DA CARNE FOI CENSURADA PELA INCAPACIDADE
DER Ü PESSOA DESCRITA NA ACEPÀâO  EM DOS DISC¤PULOS EM PERMANECER VIGILANTES
BORA ALGUNS ESTUDIOSOS PENSEM QUE ESSE COM *ESUS NO 'ETSäMANI NA V£SPERA DE
#ARMI SEJA UMA VARIAÀâO DE #ALEBE SUA CRUCIlCAÀâO -C  
.UM SENTIDO MAIS TEOL˜GICO A CARNE £ A
#!2.!)- PAR DE CHIFRES CIDADE DO NATUREZA TERRENA DE UMA PESSOA REPRESEN
NORTE DA 42!.3*/2$¸.)! !M   » TANDO CONCUPISCäNCIAS E DESEJOS %F  
PROVAVELMENTE O MESMO LUGAR QUE !STERO ! CARNE £ CONTRÖRIA AO %SP¤RITO 'L  
TE #ARNAIM 'N   /S QUE ESTâO NA CARNE NâO PODEM AGRADAR
A $EUS 2M   / TEXTO DE 'ÖLATAS 
#!2.!, SENSUAL MUNDANO CONTRÖRIO  CONTRASTA AS OBRAS DA CARNE COM O FRUTO
DE ESPIRITUAL RELACIONADO OU DADO AOS DO %SP¤RITO ! CARNE NO ENTANTO NâO ESTÖ
DESEJOS NATURAIS E APETITES DA #!2.% OU COMPLETAMENTE CONDENADA POIS O PR˜PRIO
DO CORPO / AP˜STOLO 0AULO CONTRASTA OS #RISTO FOI DESCRITO COMO TENDO VINDO EM
hESPIRITUAISv OU SEJA OS QUE ESTâO SOB O CARNE *O   3OMENTE #RISTO £ NOSSA
CONTROLE DO %SP¤RITO 3ANTO COM OS hCA SALVAÀâO UMA VEZ QUE PELAS OBRAS DA LEI
NAISv OU SEJA OS QUE SE DEIXAM GOVERNAR hNINGU£M SERÖ JUSTIlCADOv 'L  
PELA CARNE #O   2M    .O /UTRO SENTIDO DE CARNE £ O QUE SE
.OVO 4ESTAMENTO A PALAVRA CARNAL £ REFERE A CARNE COMEST¤VEL DE ANIMAIS
NORMALMENTE RESERVADA PARA DESCREVER OS NORMALMENTE COM REFERäNCIA A CARNE DE
CRISTâOS MUNDANOS MAM¤FEROS DISTINTA DA CARNE DE PEIXE E DE
AVES DOM£STICAS .M  $T    
#!2.% CORPO F¤SICO HUMANO OU ANIMAL .A £POCA DE 0AULO A CARNE ERA MUITAS
1UANDO REMOVEU UMA COSTELA DE !DâO VEZES SACRIlCADA EM ALTARES E DEDICADA
COM A QUAL CRIOU %VA $EUS FECHOU O LUGAR A DEUSES PAGâOS !P˜S O SACRIF¤CIO ESSA
COM CARNE 'N   / AP˜STOLO 0AULO CARNE ERA COLOCADA Ü VENDA EM MERCADOS
FALOU A RESPEITO DOS TIPOS DE CARNE DOS P¢BLICOS !LGUNS CRISTâOS DESEJAVAM SABER
#!2.% )-052! 

SE ERA MORALMENTE CORRETO COMER A CARNE %M  A# O EX£RCITO DO FARA˜ .ECO
QUE HAVIA SIDO PREVIAMENTE OFERECIDA A DO %GITO E O EX£RCITO DE .ABUCODONOSOR
DEUSES PAGâOS 0AULO EXPLICOU QUE NâO )) DA "ABIL¹NIA ENTRARAM EM CONmITO EM
DEVERIAM COMER DA CARNE SE A PRÖTICA #ARQUäMIS E OS EG¤PCIOS SOFRERAM UMA
INDUZISSE CRISTâOS MAIS FRACOS AO PECADO DERROTA ESMAGADORA ! VIT˜RIA PERMITIU
#O   6EJA TAMB£M !,)-%.4/ QUE OS BABIL¹NIOS ASSUMISSEM O CONTROLE
DA REGIâO SIRO PALESTINA !NTES DESSA BA
#!2.% )-052! ANIMAIS IMPR˜PRIOS TALHA O REI *OSIAS DE *UDÖ TENTOU IMPEDIR
PARA CONSUMO HUMANO DE ACORDO COM A O AVANÀO DO FARA˜ .ECO EM SUA MARCHA
LEI DE -OIS£S %M ,EV¤TICO  HÖ UMA LISTA RUMO AO NORTE MAS SOFREU UM GOLPE FATAL
EXTENSA DE ALIMENTOS PROIBIDOS AO POVO NO VALE DE -EGIDO #R   
HEBREU INCLUINDO O CAMELO O ARGANAZ A
LEBRE O PORCO QUALQUER ANIMAL DE ÖGUA #!22/ VE¤CULO DE DUAS OU TRäS RODAS
SALGADA OU DOCE QUE NâO TIVESSE BARBATANAS QUE ERA PUXADO POR ANIMAIS /S CARROS
E ESCAMAS  ESP£CIES DIFERENTES DE AVES MENCIONADOS NA "¤BLIA TINHAM RODAS DE
E MUITOS INSETOS VOADORES ! CARNE DE MADEIRA ERAM PUXADOS PRINCIPALMENTE
PORCO ERA ESPECIALMENTE ABOMINÖVEL PARA POR BOIS EMBORA TAMB£M ALGUMAS VEZES
OS HEBREUS POR CAVALOS 3ERVIAM PARA TRANSPORTAR
PESSOAS 'N  CARRETAS .4,(  NESSE
#!2.% /&%24! $% VEJA 3!#2)&Ù#)/3  CASO COSTUMAVAM TER UM ABRIGO PARA
PROTEGER OS CAVALEIROS DO TEMPO .M
#!2.)&)#).! LITERALMENTE PERNA COM   -AS TAMB£M TRANSPORTAVAM AS
COXA ! EXPRESSâO OCORRE EM *Z  PARA COLHEITAS DOS CAMPOS !M  OU OB
DESCREVER UM DOS ATAQUES DE 3ANSâO CONTRA JETOS PESADOS POR ALGUMA DIST½NCIA 3M
SEUS INIMIGOS lLISTEUS PARTICULARMENTE    0OR VEZES LEVAVAM PROVISµES
BEM SUCEDIDO FEROZ FURIOSO E VIOLENTO MILITARES %Z  
! PRIMEIRA MENÀâO DE UM CARRO NA
#!20)$%)2! VEJA 02/&)33¡%3 % /#50! "¤BLIA £ A DOS CARROS QUE *OS£ DEU AOS
­¡%3  hlLHOS DE )SRAELv PARA LEVAR SEU PAI *AC˜
E SUAS ESPOSAS E lLHOS AO %GITO 'N 
#!20).4%)2/ VEJA 02/&)33¡%3 % /#5    
0!­¡%3  ! REFERäNCIA EM )SA¤AS  SOBRE O
PECADO COMO QUEM PUXA UM CARRO PODE
#!20/ RESIDENTE DE 4R¹ADE COM QUEM SIGNIlCAR GRANDES PECADOS UMA VEZ QUE ERA
O AP˜STOLO 0AULO DEIXOU SUA CAPA !LGUM NECESSÖRIA UMA CORDA DE GRANDE ESPESSURA
TEMPO DEPOIS 0AULO PEDIU A 4IM˜TEO QUE PARA AMARRAR O CARRO A UM ANIMAL
TROUXESSE A CAPA AT£ ONDE ESTAVA 4M 6EJA TAMB£M !2-!3 % !2-!$52!3 $!
  "Ù",)!

#!215´-)3 CIDADE DE ;O DEUS= 1UEMOS #!22/3 $/ 3/, ARTIGOS REMOVIDOS DA


CIDADE A OESTE DO RIO %UFRATES NA PARTE ENTRADA DO TEMPLO POR *OSIAS REI DE *UDÖ
NOROESTE DA -ESOPOT½MIA #R  E EM SEGUIDA QUEIMADOS %STES DEVEM TER
)S  *R   #ARQUäMIS ERA A CAPITAL SIDO IMAGENS DE OURO USADAS NA PRÖTICA DA
ANTIGA DOS ()4)4!3 MAIS TARDE TORNOU SE IDOLATRIA DE ALGUM REI 2S   !S CUL
FORTALEZA DOS ASS¤RIOS &OI O LOCAL DE UMA TURAS GREGA E MESOPOT½MICA ACREDITAVAM
DAS MAIS IMPORTANTES BATALHAS DA HIST˜RIA EM UM DEUS DO SOL QUE CONDUZIA SEU CARRO
ANTIGA PELO C£U !PARENTEMENTE UM RITUAL DE
 #!3! #
ADORADORES DO SOL TAMB£M SURGIA DE VEZ EM RADOR ÖRVORE SAGRADA .4,( CARVALHO DE
QUANDO EM )SRAEL $T  %Z   -EONENIM !2#  TEREBINTO DE -EONENIM
4" 
#!23%.! ALTO OlCIAL PERSA EM 3USâ %RA
UM DOS SETE PR¤NCIPES hQUE SE AVISTAVAM #!26²/ SUBST½NCIA ESCURA DE CARBONO
PESSOALMENTE COM O REIv %T   / REI NORMALMENTE ADVINDA DE MADEIRA
MENCIONADO ERA !SSUERO GERALMENTE IDEN QUEIMADA EM FORNO 0V   ! BRASA
TIlCADO COMO 8ERXES )   A#  PRODUZIDA PELA QUEIMA DO CARVâO ERA USADA
PARA AQUECIMENTO )S  *O  PARA
#!24² CIDADE DO TERRIT˜RIO DE .AFTALI COZINHAR )S  *O  E PELOS FERREIROS
CONCEDIDA AOS LEVITAS DA FAM¤LIA DE '£RSON )S   
JS   4AMB£M CHAMADA 1UIRIATAIM 6EJA TAMB£M -).%2!)3 $! "Ù",)!

#!24­ CIDADE DO TERRIT˜RIO DE :EBULOM #!3! A PALAVRA TRADUZIDA POR hCASAv


CONCEDIDA AOS LEVITAS *S   APARECE COM FREQÓäNCIA NA "¤BLIA » USADA
PARA SE REFERIR A QUALQUER LUGAR DE HABITA
#!24!3 MENSAGENS POR ESCRITO TROCADAS ÀâO QUER SEJA A CABANA DE UM AGRICULTOR
ENTRE PESSOAS SEPARADAS PELA DIST½NCIA .O O PALÖCIO DE UM REI OU O TEMPLO DE $EUS
!NTIGO 4ESTAMENTO $AVI ESCREVEU UMA .OS TEMPOS B¤BLICOS EXISTIAM MUITOS
CARTA A *OABE PARA QUE 5RIAS O HETEU FOSSE TIPOS E TAMANHOS DE CASAS / ESTILO E O
COLOCADO NA LINHA DE FRENTE DA BATALHA E TAMANHO ERAM DITADOS SEGUNDO A TRADIÀâO
MORRESSE .OS TEMPOS B¤BLICOS AS CARTAS E OS RECURSOS DA FAM¤LIA /S MAIS ABASTADOS
ERAM ESCRITAS EM 0%2'!-).(/ OU PELES DE TINHAM UMA CASA DE DOIS ANDARES COM
ANIMAIS PEDAÀOS DE CER½MICA PAPIRO E VÖRIOS C¹MODOS /S COSTUMES LOCAIS E OS
PLACAS DE ARGILA MATERIAIS DISPON¤VEIS IMPUNHAM AS T£CNI
.O .OVO 4ESTAMENTO 3AULO DE 4ARSO CAS USADAS PARA A EDIlCAÀâO DAS CASAS
FOI AO SUMO SACERDOTE EM *ERUSAL£M E .EM SEMPRE AS CASAS ERAM FEITAS DE
PEDIU LHE CARTAS PARA AS SINAGOGAS DE PEDRA OU TIJOLOS OU AINDA DE BARRO -UITAS
$AMASCO 4AIS CARTAS AUTORIZAVAM 3AULO PERSONAGENS DA "¤BLIA TAIS COMO !BRAâO E
A PRENDER OS CRISTâOS E LEVÖ LOS A *ERUSAL£M -OIS£S PASSARAM GRANDE PARTE DA VIDA EM
!T    / #ONC¤LIO DE *ERUSAL£M 4%.$!3 !QUELES CUJO SUSTENTO DEPENDIA DE
TAMB£M ENVIOU UMA CARTA AOS CRISTâOS OVELHAS E CABRAS LEVAVAM SEUS REBANHOS DE
EXPRESSANDO SUA DECISâO !T    REGIâO PARA REGIâO A lM DE SE BENElCIAR
6EJA TAMB£M %0Ù34/,! %3#2)4! %3#2) DOS PASTOS DISPON¤VEIS /UTROS VIVIAM EM
4! -!4%2)!, $% TENDAS DURANTE CERTO PER¤ODO DO ANO E EM
CASAS lXAS NO RESTO DO ANO 5M AGRICULTOR
#!26!,(/ VEJA 0,!.4!3 $! "Ù",)!  POR EXEMPLO VIVIA NA CIDADE POR MOTIVOS
DE SEGURANÀA EXCETO QUANDO PRECISAVA
#!26!,(/ $/3 !$)6).(!$/2%3 PERMANECER PERTO DE SEUS CAMPOS DURANTE
ÖRVORE QUE PODIA SER VISTA DESDE O PORTâO A £POCA DE CULTIVO
DA CIDADE DE 3IQU£M *Z   !LGUNS !LGUMAS PESSOAS VIVIAM EM CAVERNAS
PESQUISADORES CRäEM QUE ESSA ÖRVORE ERA DURANTE TODOS OS PER¤ODOS DA HIST˜RIA
A MESMA MENCIONADA EM 'äNESIS  OU B¤BLICA #OMUNS EM COLINAS DE CALCÖRIO
 !PARENTEMENTE SUPµE SE SER A ÖRVORE DA REGIâO CENTRAL DE )SRAEL AS CAVERNAS
ASSOCIADA A !BRAâO E *AC˜ !QUELES QUE TINHAM MUITAS VANTAGENS EM CONTRASTE
PRATICAVAM MAGIA OU FEITIÀARIA AO REDOR COM AS CASAS ! MANUTENÀâO ERA M¤NIMA
DA ÖRVORE CONSIDERAVAM NA UM LUGAR ATER ! CAVERNA £ QUENTE NO INVERNO E FRESCA NO
#!3! 

VERâO .ORMALMENTE SERVE DE ESTÖBULO PREPAROU UM QUARTO PARA O PROFETA %LISEU


PARA OS ANIMAIS DOM£STICOS COMO TAMB£M QUE MUITAS VEZES HOSPEDOU SE EM SUA CASA
DE LUGAR PARA VIVER $E ACORDO COM A QUANDO PASSAVA PELA REGIâO 2S   
TRADIÀâO PRIMITIVA CRISTâ O ESTÖBULO EM 0/24!3 % *!.%,!3 !S PASSAGENS NO
"EL£M QUE FOI PALCO DO NASCIMENTO DE INTERIOR DE UMA CASA ERAM NORMALMENTE
*ESUS LOCALIZAVA SE EM UMA CAVERNA DESSE COBERTAS COM CORTINAS MAS A ENTRADA EX
TIPO TERNA ÜS VEZES TINHA UMA PORTA DE MADEI
-UITAS PESSOAS VIVIAM EM ALDEIAS E RA &IXADAS A PILARES AS PORTAS MOVIAM SE
CIDADES CERCADAS POR MURO DE PROTEÀâO SOBRE DOIS EIXOS OU PARAFUSOS ENCAIXADOS
CONTRA CRIMINOSOS E EX£RCITOS INIMIGOS /S EM ORIF¤CIOS %M UMA CASA DE DOIS ANDARES
ESPAÀOS NO INTERIOR DE UMA CIDADE ERAM AS JANELAS LOCALIZAVAM SE NO SEGUNDO PISO
APERTADOS COM CASAS EDIlCADAS UMA AO 3E A CASA TIVESSE UM PÖTIO CENTRAL GRANDE
LADO DA OUTRA SEPARADAS APENAS POR RUAS PARTE DAS JANELAS ABRIA SE EM SUA DIREÀâO O
ESTREITAS / PLANEJAMENTO DAS CIDADES ERA QUE DAVA SEGURANÀA E PRIVACIDADE *ANELAS
RARO 0OR VEZES £ DIF¤CIL AlRMAR COM BASE DE VIDRO NâO EXISTIAM NOS TEMPOS B¤BLICOS
EM ACHADOS ARQUEOL˜GICOS DE UM CONJUNTO -UITAS JANELAS lCAVAM ABERTAS COM TALVEZ
DE CASAS ONDE TERMINAVA UMA E COMEÀAVA UMA GRADE OU VENEZIANA PARA DAR SEGURAN
OUTRA 5M C¹MODO ESPEC¤lCO PODIA PER ÀA E REDUZIR A VISIBILIDADE DO LADO EXTERNO
TENCER A UMA CASA EM DETERMINADA £POCA #(ª/ / TIPO DE CHâO MAIS COMUM NAS
MAS QUANDO A CIDADE ERA REEDIlCADA ALGUM CASAS DURANTE OS TEMPOS B¤BLICOS ERA DE BAR
TEMPO DEPOIS O MESMO C¹MODO PODIA SER RO COMPACTADO %NTRE OUTRAS POSSIBILIDADES
UNIDO Ü CASA VIZINHA ESTAVAM UMA CAMADA DE REBOCO SOBRE O
4%,(!$/ / TELHADO T¤PICO DE UMA CASA BARRO OU PEDAÀOS lNOS DE CALCÖRIO OU PE
NA 0ALESTINA POR TODO O PER¤ODO B¤BLICO DRAS DE PAVIMENTAÀâO .A £POCA DE #RISTO
ERA FEITO DE TORAS OU VIGAS ASSENTADAS DE PISOS EM MOSAICO ERAM BASTANTE COMUNS
UM LADO A OUTRO DAS PAREDES %M SEGUIDA ENTRE AS PESSOAS ABASTADAS 4AIS PISOS ERAM
GALHOS E SAPä ERAM COLOCADOS POR CIMA DAS FEITOS COM A DISPOSIÀâO DE PEQUENOS CUBOS
VIGAS QUE ERAM ENTâO COBERTAS POR UMA DE PEDRA EM REBOCO MOLE .ORMALMENTE
CAMADA DE ARGILA 0ARA TORNÖ LO Ü PROVA USAVAM SE CUBOS DE PEDRA CALCÖRIA MAS ÜS
DÖGUA O BARRO ERA RENOVADO POR UM TRA VEZES SE FAZIAM DESENHOS SOlSTICADOS COM
TAMENTO PERI˜DICO COM ROLOS ESPECIAIS .A DIFERENTES PEDRAS COLORIDAS
£POCA DE *ESUS ALGUMAS CASAS DA 0ALESTINA 0!2%$%3 %NTRE OS MATERIAIS MAIS
ERAM EDIlCADAS NOS LIMITES ROMANOS COM COMUNS DAS PAREDES DAS CASAS DA 0ALESTINA
TELHADOS INCLINADOS COBERTOS COM TELHAS ESTAVAM OS TIJOLOS DE BARRO E AS PEDRAS
DE BARRO COZIDO MAS TAIS CASAS ERAM RARAS BRUTAS DE JAZIDA %STAS ERAM NORMALMENTE
0OR SER UMA ÖREA PLANA O TELHADO COBERTAS COM UMA CAMADA DE REBOCO QUE
TORNOU SE PARTE VITAL DA CASA 5MA ESCADA ERA CAIADO 4AL T£CNICA PERMITIA CLARIDADE
EXTERNA DAVA FÖCIL ACESSO A ELE E UM MURO CONSIDERÖVEL NO INTERIOR DA CASA !S
BAIXO AO REDOR DO TELHADO PROTEGIA OS PAREDES DAS CASAS DOS RICOS ERAM DECORADAS
MEMBROS DA FAM¤LIA PARA QUE NâO CA¤SSEM DE MODO MAIS SOlSTICADO 0ODIAM POR
LÖ DE CIMA %M UMA CIDADE POPULOSA O EXEMPLO SER PINTADAS COM DIFERENTES
TELHADO CONSISTIA EM UM LUGAR ABERTO CORES PAIN£IS DE MADEIRA E DECORAÀµES DE
NECESSÖRIO %RA O LOCAL PARA SECAR FRUTAS E MARlM TAMB£M ERAM COMUNS
GRâOS LAVAR ROUPAS E DESFRUTAR DA BRISA FRES !#%33Ê2)/3 % -/"Ù,)! ! CASA ISRAELITA
CA DA NOITE 0OR VEZES UM C¹MODO EXTRA T¤PICA ERA MOBILIADA DE MODO SIMPLES Ü SE
ERA ACRESCENTADO NESSE ESPAÀO PARA SERVIR MELHANÀA DAS CASAS DE AGRICULTORES DE MAIS
DE QUARTO OU DESPENSA ! MULHER SUNAMITA OU MENOS UM S£CULO ATRÖS COM RELAÀâO ÜS
 #!3! #
CASAS MODERNAS DE HOJE %STEIRAS COBRIAM O PR˜PRIA CISTERNA UM GRANDE C½NTARO DE
CHâO DE ALGUNS COMPARTIMENTOS E OS RICOS ÖGUA TAMB£M ERA MANTIDO POR PERTO
TINHAM TAPETES ! ILUMINAÀâO INTERIOR !LGUMAS CASAS TINHAM SEUS PR˜PRIOS
ERA POBRE COM PEQUENAS LAMPARINAS A RESERVAT˜RIOS DE ÖGUA OU CISTERNAS QUE
˜LEO QUE FORNECIAM LUZ ! MOB¤LIA SIMPLES ERAM GRANDES COMPARTIMENTOS EMBAIXO DA
CONSISTIA EM CADEIRAS E EM UMA MESA PARA CASA COM REVESTIMENTO Ü PROVA DÖGUA !
COMER TALVEZ UMA OU DUAS C¹MODAS PARA ÖGUA DE CHUVA DO TELHADO ERA CANALIZADA
DESPENSA E ESTEIRAS SOBRE UMA ESTRUTURA AT£ A CISTERNA E ARMAZENADA AT£ A ESTAÀâO
DE CAMA !S PESSOAS ABASTADAS POSSU¤AM DA SECA ! ÖGUA POTÖVEL ERA MANTIDA EM
M˜VEIS MAIS SOlSTICADOS FREQÓENTEMENTE UM GRANDE POTE DE BARRO /S POTES ERAM
COM DESENHOS DE MARlM E DECORAÀâO EM EXCELENTES REFRIGERADORES NATURAIS DE ÖGUA
OURO E PRATA POIS A ÖGUA INlLTRAVA SE NA CER½MICA E
.OS TEMPOS B¤BLICOS NâO EXISTIAM EVAPORAVA NA SUPERF¤CIE %SSE PROCESSO
SISTEMAS CENTRAIS DE AQUECIMENTO NEM REFRIGERAVA O RESTANTE DA ÖGUA
MESMO LAREIRAS 5MA VEZ QUE O CLIMA NA !S MEDIDAS SANITÖRIAS VARIAVAM CONSI
0ALESTINA £ MODERADO FONTES DE CALOR NâO DERAVELMENTE DEPENDENDO DO PER¤ODO E
SâO NECESSÖRIAS .ORMALMENTE O FOGO DA CIDADE -UITAS CIDADES NâO DISPUNHAM
PARA COZINHAR ERA PREPARADO NO QUINTAL DE CONDIÀµES NECESSÖRIAS PARA RETIRAR
OU NO INTERIOR DE UM C¹MODO COM A DEJETOS HUMANOS $EVIAM SER COLETADOS
FUMAÀA SAINDO PELA JANELA .O INVERNO EM PENICOS CARREGADOS PARA FORA DA CIDADE
O AQUECIMENTO ERA POR VEZES OBTIDO COM E USADOS PARA FERTILIZAR OS CAMPOS !LGUNS
UMA ESP£CIE DE BRASEIRO PORTÖTIL NA QUAL O QUARTOS COM BANHEIROS FORAM DESCOBERTOS
FOGO ERA MANTIDO ACESO / REI *EOAQUIM POR ARQUE˜LOGOS %M ALGUMAS CIDADES TAM
DE *UDÖ PROVAVELMENTE TENHA CORTADO O B£M FORAM DESCOBERTOS TUBOS ENTERRADOS
ROLO DAS PROFECIAS DE *EREMIAS E QUEIMADO NO SOLO QUE CONDUZIAM A ÖGUA PARA FORA DA
SUAS PARTES EM UM BRASEIRO DESSE TIPO *R CIDADE #ESAR£IA A MAIOR CIDADE PORTUÖRIA
  DA 0ALESTINA NO TEMPO DE #RISTO TINHA
02%0!2/ $/3 !,)-%.4/3 % -%$)$!3 UM M£TODO INTELIGENTE PARA A LIMPEZA DOS
3!.)4¬2)!3 / ALIMENTO ERA NORMALMENTE CANOS DE ESGOTO FEITOS NO N¤VEL DO MAR E
PREPARADO NO QUINTAL DA CASA 5M FORNO LIGADOS ÜS ÖGUAS DO MAR OS CANOS ERAM LA
OU FOGO ERA USADO PARA O COZIMENTO DOS VADOS DUAS VEZES AO DIA COM O MOVIMENTO
ALIMENTOS / FORNO ERA FEITO DE UMA PILHA DA ENCHENTE E DA VAZANTE DAS MAR£S
DE PEDRAS E TIJOLOS $E UM LADO O FOGO ! RETIRADA DE LIXO ERA UM PROBLEMA NOS
FORNECIA CALOR PARA TODO O FORNO A UMA TEMPOS ANTIGOS A EXEMPLO DE HOJE MUITO
TEMPERATURA ELEVADA ! COMIDA ERA ENTâO EMBORA SEM O VOLUME PRODUZIDO PELA
COZIDA DO OUTRO LADO DO FORNO OU EM CIMA CULTURA MODERNA .ORMALMENTE O LIXO
DO FOGO ERA LEVADO PARA FORA DA CIDADE E QUEIMADO
/ ARMAZENAMENTO DOS ALIMENTOS ERA OU ENTERRADO 1UEIMAR LIXO ERA PRÖTICA
ALGO IMPORTANTE A CONSIDERAR UMA VEZ QUE TâO COMUM NO VALE DE (INOM NO SUL DE
MUITAS FAM¤LIAS COMIAM DO QUE PLANTAVAM *ERUSAL£M QUE O VALE DEU ORIGEM Ü PALAVRA
E ESTOCAVAM ALIMENTO DURANTE O PER¤ODO GREGA TRADUZIDA POR hINFERNOv NO .OVO
LONGO E SECO DE VERâO 'RâOS E FRUTAS 4ESTAMENTO GEHENNA 
SECAS ERAM GUARDADOS EM GRANDES VASOS DE #!3!3 $/ 0%2Ù/$/ 0!42)!2#!, /S AN
CER½MICA EM UM COMPARTIMENTO ESPECIAL CESTRAIS DE !BRAâO ERAM DA CIDADE DE 5R
PERTO OU DENTRO DE CASA %RA COMUM OS VA 3E ESTA ERA A FAMOSA 5R DO SUL DO )RAQUE
SOS SEREM ENTERRADOS NO CHâO COM APENAS ERA A CIDADE PRINCIPAL 5R FOI PARCIALMENTE
A BOCA PARA FORA 3E A CASA NâO TIVESSE SUA ESCAVADA NO IN¤CIO DA D£CADA DE 
#!3! $% !2-!3 

'RANDES PALÖCIOS T¢MULOS REAIS E MUITAS PASSAVA POR UMA PORTA QUE DAVA PARA O
CASAS FORAM DESCOBERTOS ! CASA T¤PICA DA PÖTIO 0OR VEZES UM OU DOIS C¹MODOS AO
-ESOPOT½MIA TODA A REGIâO ENTRE OS RIOS LADO DO PÖTIO lCAVAM ABERTOS E VOLTADOS
4IGRE E %UFRATES TINHA NESSA £POCA DOIS PARA ELE .ESSAS CASAS VÖRIAS COLUNAS DE
ANDARES E ERA EDIlCADA AO LADO DE OUTRAS PEDRA SUSTENTAVAM O TELHADO
CASAS / PONTO CENTRAL DA CASA ERA O PÖTIO !S CASAS TINHAM ENTRE  E 
RODEADO POR VÖRIOS QUARTOS E C¹MODOS EM METROS QUADRADOS DE ÖREA COM CERCA DE
AMBOS OS PAVIMENTOS E PARA O QUAL DAVAM UM QUARTO DESSA ÖREA RESERVADO PARA O
PORTAS E JANELAS GARANTINDO ASSIM A PÖTIO -UITAS CASAS TINHAM PAVIMENTOS
PRIVACIDADE DO AMBIENTE SUPERIORES QUE PRATICAMENTE DUPLICAVAM
/S C¹MODOS DO PRIMEIRO ANDAR ERAM O TAMANHO DA HABITAÀâO %SSE ESTILO DE
USADOS PARA ARMAZENAMENTO E PARA ABRIGAR CASA FOI ENCONTRADO EM LOCAIS POR TODO
SERVOS E ANIMAIS / SEGUNDO PAVIMENTO )SRAEL !LGUMAS CIDADES TAIS COMO 4ELL
CONTINHA QUARTOS E APOSENTOS PRIVATIVOS "EIT -IRSIM TäM MUITAS CASAS ASSIM COM
DOS PROPRIETÖRIOS O MESMO TAMANHO E PADRâO O QUE SUGERE
-AIS A LESTE EM DIREÀâO AO MAR -EDI QUE FORAM FEITAS AO MESMO TEMPO SEGUNDO
TERR½NEO OS CANANEUS DESSA £POCA TINHAM UM PLANEJAMENTO GERAL
DIVIDIDO A TERRA EM VÖRIAS CIDADES ESTADOS #!3!3 $! »0/#! $/ ./6/ 4%34!-%.4/
PEQUENAS CADA QUAL FORMADA DE UMA $URANTE ESSE PER¤ODO AS CASAS DOS POBRES
GRANDE CIDADE E VÖRIAS CIDADES SAT£LITE NâO ERAM MUITO DIFERENTES DAS CASAS DE
%SCAVAÀµES FEITAS NESSAS CIDADES INDICARAM ALGUNS S£CULOS ANTES /S MATERIAIS DE CONS
EVIDäNCIAS DE UMA SOCIEDADE DIVIDIDA EM TRUÀâO ERAM SIMILARES AS PAREDES ERAM
CLASSES (AVIA POUCAS CASAS ESPAÀOSAS A FEITAS DE ENTULHO COBERTO COM REBOCO OU
MAIORIA DAS PESSOAS VIVIA EM APOSENTOS SU TIJOLOS DE BARRO /S TELHADOS CONSTITU¤AM
PERLOTADOS COM PEQUENAS CASAS EDIlCADAS UM PAVIMENTO SENDO ASSIM USADOS COMO
UMAS SOBRE AS OUTRAS .âO HAVIA UM PRO ESPAÀO HABITÖVEL
JETO COMUM PARA AS PEQUENAS HABITA˵ES !S CASAS DOS RICOS RETRATAVAM A LONGA
!S GRANDES CASAS NORMALMENTE SEGUIAM O OCUPAÀâO PERSA NA TERRA DA 0ALESTINA
PADRâO DAS CASAS DA -ESOPOT½MIA DA £PO E A INmUäNCIA POSTERIOR DOS GREGOS /S
CA COM C¹MODOS ORGANIZADOS EM TORNO DE PISOS DESSAS CASAS MAIS SOlSTICADAS ERAM
UM PÖTIO CENTRAL NORMALMENTE PAVIMENTADOS COM LADRILHOS
!BRAâO E SEUS DESCENDENTES IMEDIATOS EM MOSAICO FORMANDO BELOS DESENHOS
NâO VIVIAM EM TAIS CASAS POIS ERAM 4ELHADOS DE TIJOLOS ABAULADOS SURGIRAM
N¹MADES VIAJANDO DE UM LUGAR A OUTRO E DURANTE O QUINTO S£CULO A# .A £POCA
MORANDO EM TENDAS .O ENTANTO MUITAS DE #RISTO ERAM COMUNS POR TODA A REGIâO
VEZES VISITAVAM CIDADES E DEVIAM CONHECER /S PÖTIOS PERMANECIAM COMO PARTE VITAL
ESSE TIPO DE RESIDäNCIA TANTO NA -ESOPOT½ DA CASA MAS ERAM QUASE SEMPRE RODEADOS
MIA QUANTO EM #ANAâ POR ALPENDRES !LGUMAS CASAS DESSA £POCA
#!3!3 $% )32!%, % *5$¬ %MBORA AS EM *ERUSAL£M COM FRAGMENTOS DE BELAS
CASAS FOSSEM EDIlCADAS COM VARIEDADE DE PINTURAS DE ANIMAIS FORAM DESCOBERTAS
ESTILOS E TAMANHOS AO LONGO DOS TEMPOS POR ARQUE˜LOGOS
B¤BLICOS HAVIA UMA HABITAÀâO TIPICAMENTE
ISRAELITA QUE CONTINHA UM PÖTIO ABERTO #!3! $% !2-!3 DEP˜SITO OlCIAL OU
COM C¹MODOS EM AMBOS OS LADOS 5M TESOURARIA DE ARMAS MILITARES 2S 
OU DOIS C¹MODOS SITUAVAM SE EM UMA )S  ARSENAL !2!  %M *R  A
EXTREMIDADE DE MODO QUE O FORMATO DA PALAVRA hARSENALv E A EXPRESSâO hARMAS DA
CASA ERA RETANGULAR ! ENTRADA PARA A CASA SUA INDIGNAÀâOv SâO USADAS COMO S¤MBOLO
 #!4!#5-"!3 #
DA IRA E DO JU¤ZO DE $EUS SOBRE O PECADO DE VIR NO TEMPLO %D   !PARENTEMENTE
)SRAEL 6EJA TAMB£M $!6) 4/22% $% #ASIlA lCAVA NA ESTRADA ENTRE A "ABIL¹NIA
E *ERUSAL£M OU PERTO DELA
#!3! $% $%0¼3)4/3 CONSTRUÀµES PARA
ARMAZENAR BENS DO TEMPLO LOCALIZADAS #!3,5)- TRIBO QUE DESCENDIA DE -)
PERTO DA PORTâO SUL DO TEMPLO NO PÖTIO EX :2!)- PALAVRA HEBRAICA COMUM TRADUZIDA
TERNO #R   CASA DAS TESOURARIAS POR %GITO lLHO DE #AM ! "¤BLIA FALA QUE
!2#  !SSUPIM £ A TRANSLITERAÀâO DA PALAVRA DE #ASLUIM DESCENDIAM OS lLISTEUS 'N
HEBRAICA CORRESPONDENTE  #R   /S MEMBROS DA TRIBO
DEVEM TER VIVIDO NO !LTO %GITO
#!3!-%.4/ CERIM¹NIA ACOMPANHADA
DE FESTIVIDADES ,C   BODAS #­33)! VEJA 0,!.4!3 $! "Ù",)! 
!2#  %NTRE OS ISRAELITAS O CASAMENTO
ERA UMA OCASIâO FESTIVA DA QUAL TODA A #!34%,/ GRANDE FORTALEZA 4ORRES
COMUNIDADE PARTICIPAVA FORTIlCADAS SITUAVAM SE NORMALMENTE NOS
.O DIA DO CASAMENTO A NOIVA VESTIA SE LIMITES DE UM PA¤S OU EM OUTROS LUGARES
DE BRANCO NORMALMENTE COM ENFEITES E ESTRAT£GICOS TAIS COMO DESlLADEIROS MON
ADORNOS EMBELEZAVA SE COM J˜IAS USAVA TANHOSOS PARA SEREM PROTEGIDAS CONTRA
UM CINTO NUPCIAL AO REDOR DA CINTURA UMA EX£RCITOS INVASORES #R   3ERVIAM
GRINALDA E UMA COROA DE mORES NA CABEÀA COMO LINHA DE FRENTE NA DEFESA DE )SRAEL
/ NOIVO POR SUA VEZ PUNHA AS MELHORES / TEXTO DE #R¹NICAS   REFERE SE
ROUPAS UM BELO ORNAMENTO NA CABEÀA AO CASTELO OU FORTALEZA DE *ERUSAL£M
E CAMINHAVA EM DIREÀâO Ü CASA DOS PAIS .OS TEMPOS B¤BLICOS AS CIDADES MAIORES
DA NOIVA %LE ERA ACOMPANHADO DE SEUS NORMALMENTE TINHAM UMA CIDADE ALTA
AMIGOS M¢SICOS E CANTORES CASO O CORTEJO E UMA BAIXA ! ALTA lCAVA GERALMENTE
FOSSE Ü NOITE ERA ACOMPANHADO DE PESSOAS EM UM LOCAL ELEVADO ONDE A CIDADE MAIS
COM TOCHAS ACESAS ANTIGA HAVIA SE SITUADO ESTA ERA CHAMADA
/ NOIVO RECEBIA A NOIVA DA MâO DOS CASTELO OU FORTE #OM SEUS PR˜PRIOS MUROS
PAIS DELA COM AS BäNÀâOS E OS BONS VOTOS A CIDADE ALTA SERVIA DE SEGUNDA lLEIRA DE
DOS AMIGOS %M SEGUIDA CONDUZIA TODO O DEFESA CASO O MURO EXTERNO DE PROTEÀâO NA
GRUPO DE VOLTA Ü SUA PR˜PRIA CASA OU Ü CASA CIDADE BAIXA FOSSE ESCALADO OU DESTRU¤DO
DE SEU PAI COM M¢SICA E DANÀA $URANTE ! PALAVRA hCASTELOv TAMB£M APARECE
O PERCURSO OUTROS AMIGOS DELE E DA NOIVA NO LIVRO DE !TOS REFERINDO SE Ü FORTALEZA
JUNTAVAM SE AO GRUPO !CONTECIA ENTâO DE !.4ß.)! EM *ERUSAL£M %SSA FORTALEZA
UMA FESTA COM MUITA ALEGRIA E DIVERSâO DAVA PARA O TEMPLO DE *ERUSAL£M !LI AS
à NOITE A NOIVA ERA CONDUZIDA Ü C½MARA TROPAS ROMANAS lCAVAM A POSTOS PARA
NUPCIAL POR SEUS PAIS E O NOIVO ERA LEVADO CONTROLAR QUAISQUER ONDAS DE VIOLäNCIA
POR SEUS AMIGOS OU PELOS PAIS DA NOIVA .O 1UANDO O AP˜STOLO 0AULO FOI AMEAÀADO POR
OUTRO DIA AS FESTIVIDADES RECOMEÀAVAM E UMA MULTIDâO EM *ERUSAL£M OS SOLDADOS
CONTINUAVAM POR SETE DIAS 6EJA TAMB£M DE !NT¹NIA O RECOLHERAM NA FORTALEZA
$%30/3!2 -!42)-ß.)/ OU CASTELO PARA QUE lCASSE PROTEGIDO !T
   
#!3)&)! LUGAR DESCONHECIDO TALVEZ UMA
CIDADE OU REGIâO NA "ABIL¹NIA hPERTO DO #!4!#5-"!3 T¢NEIS E CAVERNAS SUB
RIO QUE CORRE PARA !AVAv %D   %SDRAS TERR½NEOS USADOS PRINCIPALMENTE COMO
MANDOU BUSCAR SACERDOTES NESSE LUGAR COM SEPULTURAS &AMOSAS CATACUMBAS DE 2OMA
VISTAS A ACOMPANHÖ LOS AT£ *ERUSAL£M E SER COM CENTENAS DE QUIL¹METROS DE EXTENSâO
#!4!$50! 

FORAM USADAS COMO LUGARES DE REF¢GIO PELOS TRIBUTO Ü !SS¤RIA E NâO SE ALIAR Ü 3¤RIA
CRISTâOS PRIMITIVOS QUE PROCURAVAM ESCA 0OR QUATRO ANOS OS ASS¤RIOS ATACARAM OS
PAR DA PERSEGUIÀâO DO IMP£RIO ROMANO S¤RIOS SEM SUCESSO 0OR UM CURTO PER¤ODO A
#ULTOS TAMB£M ERAM MINISTRADOS ALI %SSAS 3¤RIA DOMINOU O /RIENTE 0R˜XIMO MAS SEU
CATACUMBAS SITUAVAM SE FORA DOS PORTµES PODER CHEGOU AO lM COM O NOVO REI ASS¤RIO
DA CIDADE E TINHAM ENTRE  E  METROS 4IGLATE 0ILESER ))) QUE ENTâO ASCENDEU AO
DE PROFUNDIDADE !S CATACUMBAS NâO SâO TRONO
MENCIONADAS NA "¤BLIA / NOVO REI ESTAVA DETERMINADO A ESMA
GAR O PODER DA 3¤RIA E DE SEUS ALIADOS 0OR
#!4!$50! QUEDA DE ÖGUA SOBRE UMA ISSO ATACOU O REI -ENA£M DE )SRAEL C 
SUPERF¤CIE EM DECLIVE 3L  ÖGUAS DAS  A# QUE RAPIDAMENTE PAGOU TRIBUTO
CACHOEIRAS .4,(  / SALMISTA APARENTE Ü !SS¤RIA /S S¤RIOS TENTARAM CONVENCER
MENTE AFASTADO DO TEMPLO V   COMPA *UDÖ A SE ALIAR AO GRUPO CONTRA A !SS¤RIA
RA O BRAMIDO DAS ÖGUAS DO MONTE (ERMOM CHEGARAM A MARCHAR POR *UDÖ E OCUPARAM
COBERTO DE NEVE Ü AmIÀâO DE SUA ALMA O PORTO DE %LATE NO GOLFO DE ¬CABA A lM
DE DEMONSTRAR SUA FORÀA %M VEZ DISSO O
#!4!4% CIDADE NO TERRIT˜RIO DE :EBULOM REI !CAZ DE *UDÖ C   A# APELOU
*S   TALVEZ CORRESPONDA Ü CIDADE DE COM INSISTäNCIA PELA AJUDA DOS ASS¤RIOS 4I
1UITROM GLATE 0ILESER RESPONDEU ATACANDO OS S¤RIOS E
CERCANDO SUA CAPITAL $AMASCO
#!4)6%)2/ ESTADO OU CONDIÀâO DE SER $AMASCO SUCUMBIU EM  A# E EM
VIDâO A INIMIGOS PRINCIPALMENTE EM CASOS SEGUIDA 4IGLATE 0ILESER ATACOU )SRAEL PARA
DE DEPORTAÀâO PARA UMA TERRA ESTRANGEIRA IMPEDIR QUE ESTE PRESTASSE MAIS AJUDA AOS
/ TERMO hCATIVEIROv £ COMUMENTE USADO S¤RIOS / REI ASS¤RIO LEVOU CATIVAS AS TRIBOS
PARA DESCREVER OS DOIS PER¤ODOS EM QUE AS DE 'ADE DE 2¢BEN E MEIA TRIBO DE -A
NAÀµES DE )SRAEL  A# E DE *UDÖ  NASS£S PARA A -ESOPOT½MIA 2S  
A# E DEPOIS FORAM LEVADAS DE SUA TERRA !L£M DISSO FEZ COM QUE AS TRIBOS RESTANTES
NATAL PARA O EX¤LIO LHE PAGASSEM TRIBUTO %NTRETANTO QUANDO
/ #!4)6%)2/ $% )32!%, !3 $%: 42)"/3 4IGLATE 0ILESER MORREU  A# OS ISRA
$/ ./24% / PRIMEIRO CATIVEIRO FOI AT£ ELITAS DEIXARAM DE PAGAR TRIBUTO Ü !SS¤RIA
CERTO GRAU RESULTADO DA INVESTIDA DA !SS¤ %M VEZ DISSO ALIARAM SE SECRETAMENTE
RIA RUMO Ü 0ALESTINA NA TENTATIVA DE REDUZIR AO %GITO ! !SS¤RIA REAGIU RAPIDAMENTE
O PODER DO IMP£RIO S¤RIO $ESDE CERCA DE E ATACOU 3AMARIA EM  A# A CIDADE
 A# OS S¤RIOS TINHAM AMPLIADO SUAS lNALMENTE TEVE SUA QUEDA !S OUTRAS
FRONTEIRAS A LESTE AT£ A !SS¤RIA !O SUL E A TRIBOS ISRAELITAS FORAM LEVADAS CATIVAS PARA
OESTE TINHAM ATACADO O REINO DE )SRAEL A !SS¤RIA E O REINO DO NORTE SUCUMBIU /S
3¤RIA E )SRAEL RAPIDAMENTE ESQUECERAM PROFETAS HEBREUS INTERPRETARAM ESSE EVENTO
SE DE SUA DISPUTA DIANTE DA AMEAÀA DA COMO A PUNIÀâO DE $EUS CONTRA A IDOLATRIA
!SS¤RIA &ORMARAM UMA ALIANÀA E TRAVARAM DE )SRAEL 2S   E CONTRA A REJEIÀâO
GRANDE BATALHA CONTRA OS ASS¤RIOS EM  Ü ESPIRITUALIDADE DA ALIANÀA !M   
A# EM 1ARQAR NA 3¤RIA /S ASS¤RIOS FORAM .âO HÖ REGISTRO DE UMA VOLTA CONSIDERÖVEL
FORÀADOS A SE RETIRAR E A AMEAÀA FOI CONTIDA DAS TRIBOS DO NORTE DE )SRAEL Ü TERRA NATAL
COM ElCÖCIA POR VÖRIOS ANOS ,OGO A ANTIGA / #!4)6%)2/ $% *5$¬ / 2%)./ $/ 35,
HOSTILIDADE ENTRE A 3¤RIA E )SRAEL RENASCEU / COLAPSO DE )SRAEL DEVERIA TER SERVIDO
%M  A# OS ASS¤RIOS INICIARAM COMO ADVERTäNCIA Ü REBELDE *UDÖ QUE
OUTRA CAMPANHA .ESSA £POCA O REI *E¢ NESSA £POCA NâO TINHA PROTEÀâO CONTRA
DE )SRAEL C   A# DECIDIU PAGAR O ATAQUE DOS ASS¤RIOS ! !SS¤RIA ESTAVA
 #!6!,!2)! #
DETERMINADA A REDUZIR A INmUäNCIA DO RESPECTIVAMENTE *R   ACABANDO
%GITO EM *UDÖ E NA 3¤RIA 5MA VEZ QUE ASSIM COM O REINO DE *UDÖ
*UDÖ JÖ TINHA CONTATO POL¤TICO COM O %GITO 0OUCO SE SABE DA VIDA DE )SRAEL E DE *UDÖ
O MAIS SIMPLES MOVIMENTO NA DIREÀâO DO DURANTE O CATIVEIRO / CATIVEIRO SIGNIlCOU
%GITO ATRAIRIA A IRA DOS ASS¤RIOS %M UMA UMA PUNIÀâO HUMILHANTE E VERGONHOSA
MANOBRA ASTUTA O REI %ZEQUIAS DE *UDÖ A ESSE POVO ID˜LATRA E DESOBEDIENTE
C   A# APROVEITOU O MOMENTO ! CORTE REAL DE *UDÖ FOI LEVADA CATIVA
DE TENSâO ENTRE O %GITO E A 3¤RIA E TORNOU JUNTAMENTE COM SACERDOTES TRABALHADORES
*UDÖ INDEPENDENTE DE AMBOS !L£M ESPECIALIZADOS E QUALQUER UM QUE PUDESSE
DISSO RECONQUISTOU O CONTROLE DAS CIDADES LIDERAR UMA REVOLTA CONTRA A "ABIL¹NIA /S
lLIST£IAS DA REGIâO CATIVOS PERCEBERAM QUE $EUS lNALMENTE
%M  A# 3ENAQUERIBE SUCEDEU TROUXERA SOBRE ELES AS ANTIGAS MALDI˵ES
3ARGâO )) COMO REI DA !SS¤RIA E DEU DA ALIANÀA $T    %XPULSOS DE
CONTINUIDADE Ü EXPANSâO PARA O OESTE DO SUAS CASAS E DAS REGIµES CONHECIDAS FORAM
PA¤S ! !SS¤RIA NO ENTANTO ESTAVA DEBAIXO FORÀADOS A ATRAVESSAR O DESERTO ESCALDANTE
DE CONSTANTE PRESSâO DO LESTE / IMP£RIO AT£ UMA TERRA ESTRANHA -UITOS TIVERAM DE
BABIL¹NIO RENASCIA E SEU REI PROCURAVA TRABALHAR PARA SEUS CONQUISTADORES
ARRASTAR *UDÖ E O %GITO PARA UMA ALIANÀA / CATIVEIRO DUROU  ANOS PARA *UDÖ *R
CONTRA A !SS¤RIA %M  A# OS EX£RCITOS   $N  PER¤ODO AP˜S O QUAL OS
ASS¤RIOS HAVIAM CHEGADO AO -EDITERR½NEO ARREPENDIDOS RECEBERAM PERMISSâO PARA
MAS NâO FORAM BEM SUCEDIDOS NA CON VOLTAR Ü TERRA NATAL SOB A LIDERANÀA DE
QUISTA DE *ERUSAL£M 2S    %M :OROBABEL E OUTROS %D    !S TRIBOS
APROXIMADAMENTE  A# *UDÖ E O %GITO DE )SRAEL NO ENTANTO NUNCA VOLTARAM E SE
REVOLTARAM SE CONTRA O DOM¤NIO ASS¤RIO PERDERAM NA HIST˜RIA
MAS A !SS¤RIA RAPIDAMENTE REPRIMIU A 6EJA TAMB£M $)30%23ª/
TENTATIVA / PODER DA !SS¤RIA ENTRETANTO
ESTAVA EM DECL¤NIO SEU lM OCORREU QUANDO #!4)6/ PESSOA LEVADA E MANTIDA COMO
A "ABIL¹NIA CONQUISTOU A INDEPENDäNCIA PRISIONEIRA ESPECIALMENTE POR UM INIMIGO
POR VOLTA DE  A# !S BATALHAS DOS  DE GUERRA 3M  2S  2S  
ANOS SEGUINTES RESULTARAM NO COMPLETO ! PALAVRA £ USADA REFERINDO SE AO -%33)!3
COLAPSO DO IMP£RIO ASS¤RIO EM 3ALMOS  hLEVASTE CATIVO O CATI
/ FARA˜ .ECO DO %GITO ALIOU SE COM OS VEIROv UMA ALUSâO Ü LIBERTAÀâO QUE *ESUS
VACILANTES EX£RCITOS ASS¤RIOS PARA PROTEGER TRARIA %F  
SEUS PR˜PRIOS INTERESSES MAS SUA AÀâO NâO
FOI SUlCIENTE PARA IMPEDIR O DESASTRE %M #!5$! PEQUENA ILHA A APROXIMADA
VEZ DISSO O FARA˜ ATRAIU A ATENÀâO DOS MENTE  QUIL¹METROS DA COSTA SUDESTE DE
BABIL¹NIOS QUE DERROTARAM OS EX£RCITOS #RETA !T  #LAUDA TB  1UANDO O
EG¤PCIOS EM #ARQUäMIS EM  A# AP˜STOLO 0AULO VIAJAVA EM DIREÀâO A 2OMA
OBRIGARAM *UDÖ A PAGAR LHES TRIBUTO E O BARCO EM QUE ESTAVA ENCONTROU PROTEÀâO
DEPORTARAM GRANDE N¢MERO DE NOBRES DE NA ILHA E ALI lCOU DURANTE UMA GRANDE
*UDÖ $N    4RäS ANOS MAIS TARDE O TEMPESTADE
REI *EOAQUIM DE *UDÖ REBELOU SE E EM
 A# OS PODEROSOS EX£RCITOS BABIL¹NIOS #!6!,!2)! GRUPO DE GUERREIROS OU SOL
CONQUISTARAM *ERUSAL£M E LEVARAM hTRäS DADOS A CAVALO DESIGNADOS PARA BATALHAS
MIL E VINTE E TRäS JUDEUSv *R   ! QUE EXIGEM GRANDE MOBILIDADE ! "¤BLIA
TERCEIRA  A# E QUARTA  A# MENCIONA OS CAVALEIROS DE 3ALOMâO 2S
DEPORTA˵ES ENVOLVERAM  E  CATIVOS   #R    "EN (ADADE REI DA
#!6!,%)2/ 

3¤RIA 2S  E OS CALDEUS (C  BEIRO DE MESMO NOME EM ALGUMAS £POCAS
TINHAM CAVALEIROS QUE AMEAÀARAM OS ISRA DO ANO / SIGNIlCADO DO NOME £ ADEQUADO
ELITAS EM VÖRIOS MOMENTOS ›X   EM VISTA DA GRANDE DISCUSSâO QUE CERCOU
*Z   » PROVÖVEL QUE MUITAS REFERäNCIAS #EDROM AO LONGO DO TEMPOS B¤BLICOS
A CAVALARIA E CAVALEIROS NO !NTIGO 4ESTA ! TORRENTE QUE O CARACTERIZA DURANTE AS
MENTO INDIQUEM CONDUTORES DE VE¤CULOS CHUVAS DE INVERNO CONTRASTA COM A POUCA
PARECIDOS COM CHARRETES OU BIGAS UMA VEZ ÖGUA NOS MESES DE VERâO
QUE O USO DE SOLDADOS MONTANDO CAVALOS / DESlLADEIRO DO VALE DO #EDROM
APONTA PARA UMA £POCA POSTERIOR COMEÀA NO NORTE DE *ERUSAL£M PASSANDO
PERTO DO TEMPLO DO #ALVÖRIO DO JARDIM
#!6!,%)2/ VEJA 02/&)33¡%3 % /#50!­¡%3  DO 'ETSäMANI E DO MONTE DAS /LIVEIRAS
lXANDO UM LIMITE BEM DElNIDO NO LADO
#!6!,/ VEJA !.)-!)3 $! "Ù",)!  LESTE DE *ERUSAL£M $ALI O VALE E O RIBEIRO
CHEGAM AO DESERTO DA *UD£IA ONDE A TERRA
#!6%)2! ESQUELETO DA FACE HUMANA £ TâO SECA QUE O RIACHO RECEBE O NOME DE
4RäS DOS EVANGELHOS AlRMAM QUE *ESUS UÖDI EN .AR OU hUÖDI DE FOGOv &INALMENTE
FOI CRUCIlCADO NO '˜LGOTA OU ,UGAR DA SEU CURSO SOMBRIO PROSSEGUE AT£ O MAR
#AVEIRA -T  -C  *O   !L -ORTO
GUNS ESTUDIOSOS ACREDITAM QUE ESSE NOME #EDROM FOI O RIBEIRO CRUZADO POR $AVI
TENHA SIDO DADO AO LOCAL POR SE ASSEMELHAR ENQUANTO ESTE FUGIA DE !BSALâO 3M
A UMA CAVEIRA A DIST½NCIA 6EJA TAMB£M    / RIACHO NâO £ MUITO GRANDE
#!,6¬2)/  'Ê,'/4! MAS O DESlLADEIRO £ UM OBSTÖCULO GEO
GRÖlCO EXPRESSIVO 1UANDO $AVI CRUZOU
#!6%2.! CAVIDADE NATURAL SUBTERR½NEA O #EDROM E VOLTOU SE PARA O LESTE PARA
ABERTA Ü SUPERF¤CIE GRUTA OU ESPAÀO VAZIO AFASTAR SE DE !BSALâO DIRIGINDO SE PARA A
NA ENCOSTA DE COLINA OU ROCHEDO $EVIDO SEGURANÀA DE (EBROM SINALIZOU QUE ESTAVA
Ü ABUND½NCIA DE CALCÖRIO COM QUE SE RENUNCIANDO A *ERUSAL£M 3M  
FORMAM AS CAVERNAS ESTAS ERAM MUITO .O LADO OESTE DO #EDROM lCA A FONTE
COMUNS EM )SRAEL DE ')/- LIGADA PELO REI %ZEQUIAS PARA
!S PRINCIPAIS MENCIONADAS NA "¤BLIA ABASTECER A CIDADE ANTES DE OS ASS¤RIOS CER
SâO -ACPELA LUGAR DE SEPULTAMENTO DE CAREM *ERUSAL£M / REI TAMB£M OBSTRUIU
!BRAâO E 3ARA )SAQUE E 2EBECA *AC˜ E O #EDROM E FONTES MENORES DO VALE PARA
,IA 'N      -AQUEDÖ IMPEDIR QUE A ÖGUA CHEGASSE AOS ASS¤RIOS
ONDE CINCO REIS AMORREUS SE ESCONDERAM DE QUE CERCAVAM A CIDADE
*OSU£ *S    E !DULâO ONDE $AVI SE !SA %ZEQUIAS *OSIAS OS GRANDES REIS
ESCONDEU DO REI 3AUL 3M   REFORMADORES DE *UDÖ QUEIMARAM ¤DOLOS
!P˜S A DESTRUIÀâO DE 3ODOMA ,˜ E SUAS E OBJETOS DE ADORAÀâO DOS CULTOS PAGâOS
DUAS lLHAS MORARAM EM UMA CAVERNA 'N QUE HAVIAM ABOLIDO NO RIBEIRO DE #EDROM
  1UANDO AMEAÀADO POR *EZABEL O PRO 2S   !O LADO DO RIBEIRO O REI !SA
FETA %LIAS FUGIU PARA UMA CAVERNA NO MONTE DESTRUIU E QUEIMOU O POSTE ¤DOLO OU !SE
(OREBE 2S    / T¢MULO DE ,ÖZARO RÖ DE SUA MâE 2S   $EPOIS DISSO
lCAVA EM UMA GRUTA EM "ET½NIA *O   O VALE TORNOU SE DEP˜SITO DAS IMPUREZAS E
ABOMINAÀµES DOS CULTOS A ¤DOLOS QUANDO
#%$2/ VEJA 0,!.4!3 $! "Ù",)!  FORAM REMOVIDOS DO TEMPLO E DESTRU¤DOS
2S    #R   
#%$2/- SOMBRIO VALE NA ENCOSTA LESTE $O RIBEIRO DO #EDROM .EEMIAS INS
DE *ERUSAL£M ATRAV£S DO QUAL CORRE UM RI PECIONOU OS MUROS DE *ERUSAL£M DURANTE
 #%)! $/ 3%.(/2 #
A NOITE PROVAVELMENTE PORQUE OS MUROS DE *ESUS NA REFEIÀâO CONHECIDA COMO
ERAM FACILMENTE VIS¤VEIS DAQUELE LADO .E ¢LTIMA CEIA %MBORA HAJA CONSIDERÖVEL
  .A £POCA DE *OSIAS ESSE VALE ERA O DISCUSSâO SOBRE O ASSUNTO A ¢LTIMA CEIA FOI
CEMIT£RIO P¢BLICO DE *ERUSAL£M 2S  PROVAVELMENTE A REFEIÀâO DA 0¬3#/! JUDAI
*R   1UANDO DEIXOU *ERUSAL£M E FOI CA INSTITU¤DA PRIMEIRAMENTE POR $EUS NOS
PARA O JARDIM DO 'ETSäMANI NA NOITE EM DIAS DE -OIS£S ›X   .M   
QUE FOI TRA¤DO *ESUS ATRAVESSOU O VALE DO -UITOS DOS ATOS E PALAVRAS DE *ESUS
#EDROM NA ¢LTIMA CEIA TAIS COMO O PARTIR DO
PâO E A SUA DISTRIBUIÀâO FAZIAM PARTE DO
#%&!3 NOME ARAMAICO DE 3IMâO lLHO RITUAL DA 0ÖSCOA .O ENTANTO QUANDO
DE *OâO *O  QUE LHE FOI DADO POR *ESUS DISSE h%STE £ O MEU CORPOv E h%STE £
#RISTO O MEU SANGUEv ENQUANTO DISTRIBU¤A O PâO
E O VINHO FEZ ALGO COMPLETAMENTE NOVO
#%&)2! VILA ALDEIA CIDADE DE 'IBEâO 4AIS PALAVRAS PROFERIDAS PARA INVOCAR O
DADA Ü TRIBO DE "ENJAMIM *S  FAVOR DE $EUS SOBRE N˜S FORAM O FOCO DE
 %D  .E  1UElRA 4"  GRAVES DESAVENÀAS ENTRE OS CRISTâOS POR
#ORRESPONDE Ü ATUAL +HIRBET +ElREH QUE MUITOS S£CULOS %M QUE SENTIDO O PâO E O
DISTA APROXIMADAMENTE OITO QUIL¹METROS A VINHO SâO O CORPO E O SANGUE DE #RISTO
SUDOESTE DE EL *IB ANTIGA 'IBEâO  / QUE DEVE SIGNIlCAR A CEIA DO 3ENHOR
PARA N˜S !S RESPOSTAS A ESSAS PERGUNTAS
#%'/.(! VEJA !.)-!)3 $! "Ù",)!  ESTâO NORMALMENTE AGRUPADAS EM QUATRO
CATEGORIAS EMBORA HAJA VARIA˵ES ENTRE AS
#%'5%)2! VEJA $/%.­!3 $! "Ù",)!  QUATRO POSSIBILIDADES
/ 0/.4/ $% 6)34! $! 42!.35"34!.#)!
#%)! $/ 3%.(/2 CERIM¹NIA PRATI ­ª/ ! PRIMEIRA PERSPECTIVA £ A DA )GREJA
CADA NORMALMENTE DURANTE UM CULTO DE #AT˜LICA 2OMANA PRINCIPALMENTE ANTES
ADORAÀâO NO QUAL OS CRISTâOS PARTICIPAM DO #ONC¤LIO 6ATICANO )) DE   
DO PâO E DO VINHO OU SUCO DE UVA COM %SSE PONTO DE VISTA AlRMA QUE O PâO E O VI
O OBJETIVO DE RELEMBRAR O SACRIF¤CIO DE NHO TORNAM SE O PR˜PRIO CORPO E O PR˜PRIO
#RISTO RECEBENDO DELE FORÀA E REDEDICANDO SANGUE DE #RISTO QUANDO AS PALAVRAS SâO
A VIDA Ü CAUSA DO 3ENHOR » UMA DAS DUAS PROFERIDAS PELO SACERDOTE %SSA DOUTRINA
ORDENANÀAS INSTITU¤DAS POR #RISTO A SEREM CONHECIDA COMO TRANSUBSTANCIAÀâO CONSI
OBSERVADAS POR SUA IGREJA AT£ QUE ELE VOLTE DERA QUE ENQUANTO AS PROPRIEDADES F¤SICAS
/ TERMO hCEIA DO 3ENHORv £ USADO GOSTO APARäNCIA ETC DO PâO E DO VINHO
SOMENTE EM #OR¤NTIOS  ! PRÖTICA NâO SE ALTERAM A REALIDADE INTERIOR DESSES
TAMB£M £ CONHECIDA COMO COMUNHâO ELEMENTOS £ SUBMETIDA A UMA MUDANÀA
#O  MESA DO 3ENHOR #O  ESPIRITUAL
E EUCARISTIA DA PALAVRA GREGA QUE SIGNIlCA 3E POR UM LADO ESSA VISâO PODE AUXILIAR
hAÀâO DE GRAÀASv ,C   #O   A ALIMENTAR UMA S£RIA ATITUDE PARA COM A
! EXPRESSâO hPARTIR DO PâOv !T   CEIA POR OUTRO DEIXA DE COMPREENDER
  REFERE SE PROVAVELMENTE Ü CEIA DO A NATUREZA lGURADA DA LINGUAGEM DE
3ENHOR TOMADA COMO UMA REFEIÀâO COMUM *ESUS *ESUS NâO PODERIA TER SEGURADO EM
CONHECIDA COMO hFESTA DA FRATERNIDADEv SUAS PR˜PRIAS MâOS SEU CORPO E SANGUE
*D   0ROVAVELMENTE INTENCIONAVA DIZER h%STE
! INSTITUIÀâO DA CEIA DO 3ENHOR -T PâO REPRESENTA O MEU CORPOv E h%STE VINHO
  -C   ,C   #O REPRESENTA O MEU SANGUEv %RA COMUM
  DEU SE NA NOITE ANTERIOR Ü MORTE *ESUS FAZER USO DE LINGUAGEM lGURADA ,C
#%)! $/ 3%.(/2 

  EXATAMENTE COMO ALGU£M PODE DIN½MICA OU ESPIRITUAL SITUA SE ENTRE A


DIZER SEGURANDO UMA FOTOGRAlA h%STE £ O POSIÀâO DE ,UTERO E A DE :U¤NGLIO
MEU PAIv #ALVINO CONCORDAVA COM :U¤NGLIO EM
/ 0/.4/ $% 6)34! $! #/.35"34!.#)! QUE O PâO E O VINHO DEVEM SER ENTENDIDOS
­ª/ / SEGUNDO PONTO DE VISTA DESENVOL SIMBOLICAMENTE #RISTO NâO ESTÖ lSICA
VIDO POR -ARTINHO ,UTERO £ QUE O CORPO E MENTE PRESENTE NOS ELEMENTOS UMA VEZ
O SANGUE DE #RISTO ESTâO VERDADEIRAMENTE QUE SEU CORPO RESSURRETO E GLORIlCADO ESTÖ
PRESENTES hEM COM E SOBv O PâO E O NO C£U (B    -AS AINDA ASSIM
VINHO /S ELEMENTOS NâO SE TRANSFORMAM #RISTO ESTÖ DIN½MICA E ESPIRITUALMENTE
REALMENTE NO CORPO E NO SANGUE DE #RISTO PRESENTE NA CEIA DO 3ENHOR ATRAV£S DO
MAS DO MESMO MODO COMO O CALOR ESTÖ %SP¤RITO 3ANTO
PRESENTE EM UM PEDAÀO DE FERRO QUENTE .OS CULTOS MAS NâO NUM MOMENTO
#RISTO ESTÖ PRESENTE NOS ELEMENTOS ! PO ESPEC¤lCO QUANDO A 0ALAVRA DE $EUS £
SIÀâO LUTERANA £ FREQÓENTEMENTE CHAMADA PROCLAMADA E A CEIA DO 3ENHOR £ COMPAR
DE CONSUBSTANCIAÀâO TILHADA O #RISTO GLORIlCADO DE FATO DÖ
4AL POSIÀâO PODE ESTIMULAR QUEM RECEBE ALIMENTO ESPIRITUAL DE SEU PR˜PRIO CORPO
A CEIA A COMPREENDER QUE #RISTO ESTÖ DE GLORIlCADO ÜQUELES QUE O RECEBEM !SSIM
FATO PRESENTE NOS ELEMENTOS .O ENTANTO COMO O PâO ALIMENTA O CORPO F¤SICO O
ESSA PERSPECTIVA TAMB£M DESCONSIDERA O CORPO GLORIlCADO DE #RISTO DÖ ALENTO Ü
USO lGURADO DAS PALAVRAS DE *ESUS E PODE ALMA %M VIRTUDE DA UNIâO ORG½NICA ENTRE
DAR MAIOR ATENÀâO AO PâO E AO VINHO DO #RISTO O #ABEÀA RESSURRETO E OS MEMBROS
QUE AO PR˜PRIO #RISTO DE SEU CORPO A IGREJA %F    
/ 0/.4/ $% 6)34! 3)-"Ê,)#/ ! TERCEIRA  ISSO £ POSS¤VEL POR MEIO DO %SP¤RITO
POSIÀâO CONHECIDA COMO PONTO DE VISTA 3ANTO QUE HABITA NOS CRISTâOS 2M   
MEMORIAL OU SIMB˜LICO DERIVA DOS ENSINOS #ALVINO ADMITE QUE O MODO COMO O %SP¤
DO REFORMADOR SU¤ÀO 5LRICO :U¤NGLIO RITO FAZ ISSO £ UM VERDADEIRO MIST£RIO NâO
%MBORA SEU ENSINO NâO SEJA TOTALMENTE CONTRÖRIO Ü RAZâO MAS ACIMA DELA
CLARO ELE BASICAMENTE AlRMA QUE O PâO E #ALVINO POR VEZES ENFATIZA O CORPO E
O VINHO SâO APENAS S¤MBOLOS DO SACRIF¤CIO O SANGUE GLORIlCADOS DE *ESUS MAIS QUE
DO CORPO E DO SANGUE DE #RISTO %LE ENSINA O ENSINO DAS %SCRITURAS -AS SUA POSIÀâO
QUE A CEIA DO 3ENHOR £ PRINCIPALMENTE AUXILIA NA COMPREENSâO DOS MOTIVOS QUE
UMA CERIM¹NIA EM MEM˜RIA DA OBRA FAZEM DA CEIA ALGO TâO IMPORTANTE A SER
COMPLETA DE #RISTO MAS QUE TAMB£M OBSERVADO PELO CRISTâO E DA TERR¤VEL OFENSA
£ UMA OCASIâO EM QUE O POVO DE $EUS QUE REPRESENTA SEU USO INDEVIDO 3UA
GARANTE SUA UNIDADE UNS COM OS OUTROS E POSIÀâO SOBRE A OBRA DE $EUS QUE ALIMENTA
SUA lDELIDADE A #RISTO %STE £ O PONTO DE E CAPACITA SEU POVO TAMB£M CORRESPONDE
VISTA AlRMADO PELA MAIORIA DOS BATISTAS AO ENSINO DAS %SCRITURAS %F   #L
E DAS IGREJAS INDEPENDENTES !S ID£IAS DE    
:U¤NGLIO SâO BASICAMENTE CORRETAS MAS %.3)./3 "Ù",)#/3 %M #OR¤NTIOS 
ESSA POSIÀâO TENDE A COLOCAR MAIS äNFASE O AP˜STOLO 0AULO CENSUROU OS COR¤NTIOS
NO QUE O CRISTâO FAZ E PROMETE NO MOMENTO POR SEU ENVOLVIMENTO COM A IDOLATRIA
DA CEIA DO QUE NO QUE $EUS FAZ 2EFERIU SE AO CÖLICE COMO hA COMUNHâO
/ 0/.4/ $% 6)34! $).¸-)#/ 0OR ¢LTI DO SANGUE DE #RISTOv E AO PâO COMO hA
MO HÖ O PONTO DE VISTA DE *OâO #ALVINO COMUNHâO DO CORPO DE #RISTOv ! PALAVRA
E DAS IGREJAS PRESBITERIANAS E REFORMADAS GREGA TRADUZIDA POR hCOMUNHâOv TEM O
QUE SEGUEM SEUS ENSINOS #ONHECIDO COMO SENTIDO DE hFRATERNIDADE PARTICIPAÀâO E
UMA PERSPECTIVA QUE CONSIDERA A PRESENÀA COMPARTILHAMENTOv ! PARTIR DO CONTEXTO
 #%)! $/ 3%.(/2 #
PARECE QUE 0AULO ESTÖ DIZENDO QUE QUANDO ¤STAS V   NâO TINHAM DISCERNIMENTO
OS CRISTâOS PARTICIPAM DO VINHO E DO PâO DA VERDADEIRA NATUREZA DA IGREJA COMO
TAMB£M PARTICIPAM DOS BENEF¤CIOS DA CORPO DE #RISTO NO QUAL SâO DESFEITAS TODAS
MORTE DE #RISTO ALUDIDOS EM SEU SANGUE AS DISTINÀµES DE CLASSE SOCIAL RAÀA ETC
E DA VIDA RESSURRETA SEU CORPO GLORIlCADO  0OR OUTRO LADO OS CRISTâOS QUE RECEBIAM
/ MAIS IMPORTANTE DESSES BENEF¤CIOS £ A SE O PâO E O VINHO DEPOIS DE TEREM SE COMPOR
GURANÀA DO PERDâO DE PECADOS ATRAV£S DO TADO DE MODO VERGONHOSO NâO PERCEBIAM
SANGUE DE #RISTO E A CERTEZA DA PRESENÀA E QUE #RISTO NâO ABENÀOARIA E FORTALECERIA OS
DO PODER DE #RISTO ATRAV£S DE SEU CORPO  QUE PARTICIPASSEM DA CEIA DESSA MANEIRA
! EXPRESSâO hUM CORPOv A IGREJA !NTES SERIAM CULPADOS DE PECADO CONTRA O
UNIVERSAL DE #OR¤NTIOS  UNE SE CORPO E O SANGUE DE *ESUS V  
AO hCORPO DE #RISTOv DO VERS¤CULO  NO 3)'.)&)#!$/ 0!2! (/*% 1UANDO
SENTIDO DE QUE TODA A IGREJA DE #RISTO ESTÖ PERGUNTAMOS QUE SENTIDO A CEIA DO 3ENHOR
ORGANICAMENTE RELACIONADA AO CORPO VIVO PODE TER PARA O CRISTâO ATUALMENTE TRäS
GLORIlCADO E HUMANO DE #RISTO QUE AGORA CONCEITOS RELACIONADOS AO PASSADO AO
ESTÖ NO C£U ! EXPRESSAO hUM PâOv V  PRESENTE E AO FUTURO PODEM SER DE GRANDE
QUE REPRESENTA *ESUS COMO O hPâO DA VIDAv AUX¤LIO
*O  £ COMIDO PELOS CRENTES NA CEIA 0RIMEIRAMENTE A CEIA DO 3ENHOR £ UMA
SIMBOLIZANDO SUA UNIDADE E PARTICIPAÀâO OCASIâO DE LEMBRANÀA E COMUNHâO $ISSE
COMUM NO ¢NICO CORPO DE #RISTO / *ESUS hFAZEI ISTO EM MEM˜RIA DE MIMv ,C
GRANDE DISCURSO DE *ESUS SOBRE O PâO DA  #O    )SSO SE RELACIONA NâO
VIDA *O   EMBORA SEM O OBJETIVO TANTO COM AS AGONIAS DA CRUCIlCAÀâO MAS
DE UMA EXPLICAÀâO TEOL˜GICA DIRETA SOBRE COM A LEMBRANÀA DA VIDA MARAVILHOSA E DO
A CEIA DO 3ENHOR AJUDA A ENTENDER COMO MINIST£RIO DO NOSSO 3ALVADOR ! CEIA £ UM
TOMAR A CEIA PODE SER UMA FORMA PELA QUAL MOMENTO PARA EXPRESSARMOS O NOSSO MAIS
OS CRISTâOS hSE ALIMENTAMv DO 3ENHOR *O PROFUNDO LOUVOR E GRATIDâO POR TUDO O QUE
   /UTRAS FORMAS IMPORTANTES DâO *ESUS #RISTO FEZ POR N˜S
SE PELA ORAÀâO E PELO OUVIR DA 0ALAVRA DE !SSIM COMO UMA PARTE DA 0ÖSCOA
$EUS ATRAV£S DAS %SCRITURAS JUDAICA PROCLAMAVA A LIBERTAÀâO DOS HE
%M #OR¤NTIOS   0AULO CENSURA BREUS QUE ESTAVAM SOB O JUGO EG¤PCIO ›X
OS COR¤NTIOS POR SEU ORGULHO E GAN½NCIA   NA CEIA OS CRISTâOS PROCLAMAM
DURANTE A REFEIÀâO QUE ACONTECIA JUNTO SUA LIBERTAÀâO DO PECADO E DA MIS£RIA
COM A CEIA V    %M SEGUIDA V  ATRAV£S DA MORTE DE h#RISTO NOSSO CORDEIRO
 O AP˜STOLO DESCREVE A INSTITUIÀâO DA PASCALv #O   
CEIA DO 3ENHOR E ENFATIZA A NECESSIDADE DE %M SEGUNDO LUGAR A CEIA £ UMA OPOR
OS CRISTâOS PARTICIPAREM DE MANEIRA DIGNA TUNIDADE DE REVIGORAMENTO E COMUNHâO
-UITOS DOS QUE ASSIM NâO FAZIAM ESTAVAM !O PARTICIPARMOS DOS BENEF¤CIOS DA MORTE
FRACOS E DOENTES E OUTROS JÖ HAVIAM AT£ E DA RESSURREIÀâO DE *ESUS 2M  #O
MORRIDO COMO RESULTADO DO JULGAMENTO DE  ESTAMOS DE FATO SENDO ALIMENTADOS
$EUS V    E FORTALECIDOS PELO #RISTO RESSURRETO ATRAV£S
0OR QUE 0AULO USA UMA LINGUAGEM DE SEU %SP¤RITO
TâO lRME AO TRATAR DOS EXCESSOS NA CEIA *OHN 7ESLEY SABIA DISSO %M M£DIA ELE
DO 3ENHOR /S COR¤NTIOS NâO ESTAVAM PARTICIPAVA DA CEIA A CADA QUATRO OU CINCO
EXATAMENTE DISCERNINDO E RECONHECENDO DIAS DURANTE SEU LONGO E PR˜SPERO MINIST£
O CORPO DE #RISTO /S MAIS ABASTADOS QUE RIO )SSO NâO SIGNIlCA QUE $EUS NâO POSSA
ENVERGONHAVAM OS IRMâOS CRISTâOS MAIS NOS FORTALECER SEM A CEIA DO 3ENHOR MAS
POBRES COM SEUS HÖBITOS ALIMENTARES EGO QUE ELE A INSTITUIU PARA N˜S ASSIM COMO
#%)&! 

DESIGNOU A ORAÀâO E O OUVIR DAS %SCRITURAS #%,%"2!£²/ VEJA !$/2!­ª/ 


COMO FORMAS DE COMUNICAR SUA GRAÀA ! "¤
BLIA NâO FALA SOBRE A FREQÓäNCIA COM QUE SE #%,%)2/ DEP˜SITO PARA SEMENTES OU
DEVE PARTICIPAR DA CEIA MAS A ORIENTAÀâO DE GRâOS ,C   .OS TEMPOS B¤BLICOS ESSE
7ESLEY hTANTO QUANTO VOCä POSSAv MERECE TIPO DE DEP˜SITO OU ARMAZ£M ERA NORMAL
NOSSA IMPORTANTE CONSIDERAÀâO MENTE SUBTERR½NEO 6EJA TAMB£M #!3! $%
%M TERCEIRO LUGAR A #EIA £ UM MOMENTO $%0Ê3)4/3
DE RENOVAÀâO E EXPECTATIVA #ADA PARTICI
PANTE DEVE EXAMINAR SE LITERALMENTE #%- 4/22% $/3 TORRE SITUADA NO MURO
hPROVAR SEv OU hTESTAR SEv PARA PARTICIPAR DE *ERUSAL£M ENTRE A PORTA DAS /VELHAS E
DE MANEIRA CORRETA E JUSTA #O    A TORRE DE (ANANEL .E   4ORRE
!SSIM FAZENDO RENOVAMOS NOSSA DEDICAÀâO DE -EÖ !2#  &OI UM DOS LUGARES MAIS
A #RISTO E AO SEU POVO EM EXPECTATIVA ES IMPORTANTES RECONSTRU¤DOS POR .EEMIAS
PERANÀOSA hAT£ QUE ELE VENHAv #O   NOS MUROS DE *ERUSAL£M
!P˜S A VOLTA DE #RISTO PARTICIPAREMOS DA
CEIA COM ELE EM SUA PRESENÀA F¤SICA NO #%.#2³)! PORTO MAR¤TIMO NA 'R£CIA A
REINO -T   CERCA DE  QUIL¹METROS A LESTE DE #ORINTO
$URANTE SUA SEGUNDA VIAGEM MISSIONÖRIA
#%)&! COLHEITA DE CEREAL !M   O AP˜STOLO 0AULO FOI AT£ #ENCR£IA QUANDO
.A 0ALESTINA OS CEREAIS ERAM CORTADOS VOLTAVA PARA A 3¤RIA !T   &EBE SERVIA
MANUALMENTE COM A AJUDA DE UMA PEQUENA Ü IGREJA NESSA CIDADE 2M  
FOICE FEITA DE PEDAÀOS AlADOS DE PEDERNEIRA
OU METAL lXADO A UM CABO DE MADEIRA #%.3/ CONTAGEM OU REGISTRO OlCIAL DE
$EPOIS QUE SE CORTAVAM OS TALOS ELES ERAM CIDADâOS AVALIAÀâO DE PROPRIEDADE PARA
COLOCADOS EM &%)8%3 PARA SECAR %M SEGUIDA lNS DE COBRANÀA DE IMPOSTOS NA 2OMA
OS GRâOS ERAM DEBULHADOS DOS TALOS ANTIGA
/ PRIMEIRO RECENSEAMENTO DE PESSOAS
#%)&%)2/ VEJA 02/&)33¡%3 % /#50!­¡%3  DO !NTIGO 4ESTAMENTO OCORREU NA £POCA
/ GOLFO DE 3ARONA EM #ENCRÏIA SERVE COMO PORTO PARA A CIDADE DE #ORINTO
 #%2®-)#! #
DO ›8/$/ 4ODOS OS HOMENS COM  ANOS PODE SER MODELADO E RETER SUA FORMA AL£M
DE IDADE HABILITADOS PARA A GUERRA FORAM DE ENDURECER QUANDO EXPOSTO A UMA TEMPE
CONTADOS .M    5M DOS PROP˜SITOS RATURA ELEVADA 5M RECIPIENTE DE BARRO QUE
DO CENSO ERA AJUDAR NA DISTRIBUIÀâO DA TERRA TENHA SECADO AO SOL ACABARÖ SE DESFAZENDO
.M    !P˜S O #!4)6%)2/ HOUVE CASO ALGU£M O ENCHA COM ÖGUA .O ENTANTO
OUTRO CENSO %D  DE HOMENS PARA INDICAR SE O BARRO FOR AQUECIDO A UMA TEMPERATURA
QUANTOS HAVIAM RETORNADO DO CATIVEIRO DE NO M¤NIMO  GRAUS CENT¤GRADOS SUA
DA "ABIL¹NIA E TAMB£M PARA AUXILIAR NA COMPOSIÀâO QU¤MICA E CARACTER¤STICAS F¤SICAS
DISTRIBUIÀâO DA TERRA SERâO ALTERADAS E lCARÖ TâO DURO QUE NâO
.O .OVO 4ESTAMENTO O GOVERNO ROMANO PODERÖ MAIS SER MOLDADO
CONDUZIA CONTAGENS PERI˜DICAS DO POVO / BARRO EM SEU ESTADO NATURAL ERA
PARA ESTIMAR O VALOR DE IMPOSTO A SER PAGO RARAMENTE ADEQUADO PARA A FABRICAÀâO DE
AO TESOURO DO IMP£RIO ROMANO / .OVO CER½MICA 6ÖRIAS ETAPAS DE PREPARO ERAM
4ESTAMENTO MENCIONA DOIS PROP˜SITOS .A NORMALMENTE NECESSÖRIAS / BARRO ERA
£POCA DO NASCIMENTO DE *ESUS *OS£ E -ARIA MISTURADO Ü ÖGUA DEPOIS PENEIRADO PARA
FORAM A "EL£M PARA RECENSEAR SE    %SSE A REMOÀâO DE PEDRAS E PART¤CULAS MAIORES
RECENSEAMENTO FOI PROVAVELMENTE EXIGIDO %SSA TAREFA ERA FEITA COM O USO DE BACIAS
DE TODAS AS NAÀµES SOB O DOM¤NIO DE 2OMA DE SEDIMENTAÀâO UMA S£RIE DE CAVIDADES
4ODOS OS CIDADâOS DEVIAM VOLTAR AO SEU LUGAR DE RElNAMENTO QUE PRODUZIAM BARRO CADA
DE ORIGEM PARA FAZER UM REGISTRO OlCIAL DE VEZ MAIS lNO 0ALHA AREIA CASCAS OU #!#/3
SUAS PROPRIEDADES PARA POSTERIOR TRIBUTAÀâO ERAM MUITAS VEZES MISTURADOS AO BARRO
/ SEGUNDO CENSO ROMANO FOI FEITO PARA %SSES INGREDIENTES MINIMIZAVAM A RETRAÀâO
AVALIAR AS PROPRIEDADES DA *UD£IA EM  D# DO MATERIAL E PREVENIAM CONTRA RACHADURAS
.ESSA £POCA A *UD£IA ESTAVA SOB O GOVERNO DOS OBJETOS DURANTE O PROCESSO DE SECAGEM
DIRETO DE 2OMA 0OR CAUSA DISSO *UDAS O GA OU DE EXPOSIÀâO AO FOGO .A ¢LTIMA ETAPA
LILEU INCITOU UMA REVOLTA AlRMANDO QUE OS MISTURAVA SE O BARRO COM AS MâOS OU OS
JUDEUS DEVERIAM SER GOVERNADOS POR $EUS E P£S PARA REMOVER BOLHAS DE AR E ASSEGURAR A
NâO POR UM PODER ESTRANGEIRO !T   CONSISTäNCIA CORRETA
/ SISTEMA ROMANO DE RECENSEAMENTO 6ÖRIAS T£CNICAS PARA A MODELAGEM DE
INICIOU SE EM   A# /S CENSOS ACONTE UM RECIPIENTE FORAM DESENVOLVIDAS PELOS
CIAM A CADA  ANOS OLEIROS DO MUNDO ANTIGO ! MODELAGEM
Ü MâO TALVEZ TENHA SIDO A T£CNICA MAIS
#%.4%)/ VEJA 0,!.4!3 $! "Ù",)! ANTIGA NA FABRICAÀâO DE CER½MICA -AS ESSE
M£TODO ERA INADEQUADO PARA RECIPIENTES
#%.452)²/ VEJA 02/&)33¡%3 % /#50! MAIORES E MAIS COMPLEXOS !NTES DA
­¡%3  INVENÀâO DA RODA DO OLEIRO ESSE TIPO DE
CER½MICA ERA PRODUZIDO COM A T£CNICA DE
#%2®-)#! OBJETOS OU RECIPIENTES FABRI ESTRUTURA EM ESPIRAL 3EGUNDO ESSE M£TODO
CADOS A PARTIR DO BARRO E ENDURECIDOS PELO FAZIA SE UM VASO ENROLANDO SE GRANDES TIRAS
FOGO .O USO MODERNO O TERMO CER½MICA DE BARRO UMA SOBRE A OUTRA &ORMAS MAIS
REFERE SE GERALMENTE APENAS A UTENS¤LIOS COMPLEXAS ERAM POSS¤VEIS PELA VARIAÀâO DA
TIGELAS PRATOS VASOS ETC  .O ENTANTO A ESPESSURA DAS TIRAS ! SUPERF¤CIE IRREGULAR
PRODUÀâO ARTESANAL DO OLEIRO ERA BASTANTE PRODUZIDA PELAS TIRAS ERA ALISADA Ü MEDIDA
DIVERSIlCADA NOS TEMPOS B¤BLICOS QUE O OBJETO SE FORMAVA
! 02/$5­ª/ $% #%2¸-)#! / BARRO £ A /UTRA T£CNICA COMUM ERA O USO DE MOL
MAT£RIA PRIMA PARA A PRODUÀâO DA CER½MICA DES PARA ESTATUETAS E RECIPIENTES ,AMPARI
!PRESENTA DUAS IMPORTANTES CARACTER¤STICAS NAS A ˜LEO PEQUENAS ESTATUETAS E BROCHES
#%2®-)#! 

ESTAVAM DENTRE OS OBJETOS DE BARRO MAIS DA 0ALESTINA DATA DE CERCA DE  A#
COMUNS PRODUZIDOS COM MOLDES 5M DOS %MBORA HAJA VARIAÀµES A FORMA BÖSICA DO
MAIS BELOS PRODUTOS DE CER½MICA DO MUNDO FORNO PERMANECEU INALTERADA AO LONGO DO
ANTIGO CONHECIDO COMO !RRETINE OU 4ERRA PER¤ODO B¤BLICO 5MA ESTRUTURA EM FORMA
3IGILLATA ERA FABRICADO A PARTIR DE MOLDES DE COLM£IA DIVIDIA SE EM DUAS C½MARAS
%SSA CER½MICA GERALMENTE RETRATAVA PESSOAS POR UMA PARTIÀâO HORIZONTAL PERFURADA
PLANTAS ANIMAIS E FORMAS GEOM£TRICAS /S RECIPIENTES ERAM COLOCADOS NA C½MARA
! FABRICAÀâO DE CER½MICA REVOLUCIONOU SUPERIOR / COMBUST¤VEL QUE CONSISTIA
SE COM A INVENÀâO DA RODA DO OLEIRO 5MA DE MADEIRA OU ESTERCO ERA COLOCADO NA
RODA PRIMITIVA OU TIPO DE TORNO FOI DATADA C½MARA INFERIOR / CALOR PRODUZIDO PELO
COMO ORIGINÖRIA DA 0ALESTINA DE  FOGO CHEGAVA Ü C½MARA SUPERIOR ATRAV£S
A# APROXIMADAMENTE %SSE MECANISMO DOS BURACOS ! SECAGEM ERA UM PROCESSO
CONSISTIA EM UM DISCO HORIZONTAL SIMPLES DELICADO %XIGIA ARGILA BEM PREPARADA
QUE ERA GIRADO COM A MâO ! ROTAÀâO LENTA RECIPIENTES COMPLETAMENTE SECOS TEMPE
CRIAVA UMA FORÀA CENTR¤FUGA QUE PERMITIA RATURA ADEQUADA E O TEMPO NECESSÖRIO PARA
AO OLEIRO MOLDAR O OBJETO ! VERDADEIRA SECAR OS OBJETOS
RODA DE OLEIRO TINHA O SEGUNDO DISCO OU -UITAS T£CNICAS DE DECORAÀâO FORAM
RODA OPERADA COM OS P£S QUE AUMENTAVA DESENVOLVIDAS PELOS OLEIROS NOS TEMPOS
A VELOCIDADE DA ROTAÀâO / DESENVOLVIMENTO ANTIGOS $ENTRE ELAS ENCONTRAM SE A
DA RODA DO OLEIRO PASSOU POR VÖRIAS ETAPAS PINTURA O CORTE O POLIMENTO A IMPRESSâO
DESDE O TORNO AT£ A RODA OPERADA COM OS P£S DE IMAGENS E A APLICAÀâO DE ESMALTES E DE
! CER½MICA ERA POR VEZES PRODUZIDA CAMADAS DE REVESTIMENTO
COM UMA COMBINAÀâO DE T£CNICAS ! FORMA ! #%2¸-)#! #/-/ &%22!-%.4! $%
DE DETERMINADOS POTES GARRAFAS E CHALEIRAS $!4!­ª/ ! CER½MICA £ O ARTEFATO MAIS
ERA OBTIDA COM A T£CNICA DE ESTRUTURA EM COMUM DESDE O MUNDO ANTIGO %RA
ESPIRAL JÖ O GARGALO E AS BORDAS ERAM FEITOS ENCONTRADA NAS CASAS MAIS POBRES E NOS
COM A RODA PALÖCIOS MAIS LUXUOSOS NAS SUPERF¤CIES DE
6ISTO QUE UM RECIPIENTE DE CER½MICA S˜ RUAS ANTIGAS E EM FUNDAÀµES DE EDIF¤CIOS
TEM UTILIDADE DEPOIS DE EXPOSTO A TEMPE 3EPULTURAS DAS MAIS SIMPLES ÜS MAIS SOlSTI
RATURAS ELEVADAS O PROCESSO DE SECAGEM CADAS CONTINHAM CER½MICA NORMALMENTE
E AQUECIMENTO ERA UMA ETAPA CRUCIAL NA RECIPIENTES INTEIROS
PRODUÀâO DA CER½MICA %MBORA PUDESSEM 5MA ESCAVAÀâO ARQUEOL˜GICA TRAZ Ü
SECAR AO SOL COMO OS PRIMEIROS OBJETOS DE LUZ MILHARES DE FRAGMENTOS DE CER½MICA
CER½MICA ESTES PODIAM SER USADOS APENAS E MUITOS OBJETOS INTACTOS / FATO DE AS
PARA ARMAZENAR PRODUTOS SECOS 5M RECI DESCOBERTAS DE CER½MICA EXCEDEREM
PIENTE SERIA RESISTENTE PARA RETER L¤QUIDOS E EM N¢MERO QUALQUER TIPO DE ARTEFATO
ASSIM MESMO MANTER SUA FORMA CASO FOSSE ARQUEOL˜GICO DEVE SE PRINCIPALMENTE Ü
EXPOSTO A UMA TEMPERATURA M¤NIMA DE SUA INDESTRUTIBILIDADE ! ARGILA QUEIMADA
 GRAUS CENT¤GRADOS ! EXPOSIÀâO DIRETA NâO SE DESINTEGRA MESMO SE ENTERRADA POR
AO FOGO ALCANÀA TEMPERATURAS NA FAIXA DE MILHARES DE ANOS 6ÖRIOS OUTROS MATERIAIS
 A  GRAUS CENT¤GRADOS ADEQUADAS COMO METAL OU MADEIRA SE DECOMPµEM
PARA QUEIMAR RECIPIENTES DE BARRO NO 3EM CONTAR SEU VALOR PRÖTICO PARA
ENTANTO OS OBJETOS RESULTANTES TORNAVAM OS POVOS ANTIGOS A CER½MICA TEM UMA
SE FRÖGEIS POROSOS E ESCURECIDOS POR CAUSA IMPORT½NCIA ESPECIAL PARA O ESTUDO
DA FUMAÀA DESSAS CULTURAS !O LONGO DOS S£CULOS A
/ AQUECIMENTO IDEAL FOI lNALMENTE CER½MICA PASSOU POR IN¢MERAS VARIAÀµES
OBTIDO COM OS FORNOS / FORNO PRIMITIVO 4AIS MUDANÀAS REmETEM SE NO FORMATO
 #%2®-)#! #
NA DECORAÀâO NA COMPOSIÀâO DA ARGILA AUSäNCIA DE ALÀAS O TIPO DE ALÀA A MANEIRA
NA T£CNICA DE FABRICAÀâO E NA QUALIDADE E O LOCAL DE lXAÀâO DA ALÀA ESTâO ENTRE AS
DA SECAGEM ! CER½MICA £ PORTANTO UM PARTICULARIDADES DA CER½MICA COM SIGNIl
DOS INDICADORES DAS PRODUÀµES T£CNICAS E CADO CRONOL˜GICO ! FORMA DE UMA BORDA
ART¤STICAS DE UMA CULTURA ! PRESENÀA DE REPRESENTA MUITAS VEZES O MELHOR CRIT£RIO
CER½MICA IMPORTADA CLARAMENTE DISTINTA DE DATAÀâO !S PANELAS POR EXEMPLO
DOS ESTILOS E DOS ARTIGOS DA CER½MICA LOCAL APRESENTAM FORMATOS VARIADOS CONFORME
PERMITE QUE UM ARQUE˜LOGO IDENTIlQUE E AS MUDANÀAS INTRODUZIDAS AO LONGO DOS
ESTUDE A INmUäNCIA ESTRANGEIRA TAL COMO PER¤ODOS ARQUEOL˜GICOS !LGUNS FORMATOS
RELA˵ES COMERCIAIS DESLOCAMENTOS DE FORAM ALTERADOS DRASTICAMENTE ENQUANTO
POPULA˵ES E CONQUISTAS ! CONTRIBUIˉO OUTROS COMO O DA LAMPARINA MUDAM DE
FUNDAMENTAL DA CER½MICA PARA O ESTUDO MODO MAIS SUTIL E DEMORADO
DE CULTURAS ANTIGAS £ O SEU VALOR COMO /S VÖRIOS TIPOS DE POLIMENTO PINTURA E
FERRAMENTA DE DATAÀâO ESMALTAGEM SâO TAMB£M DE GRANDE VALOR
! CER½MICA £ NORMALMENTE ENCONTRADA COMO INDICADORES CRONOL˜GICOS ! COM
EM CADA N¤VEL DE UM 4%,, ANTIGO ELEVA POSIÀâO DA ARGILA E A T£CNICA DE SECAGEM
ÀâO QUE SE FORMA ARTIlCIALMENTE NO TER PODEM SER IMPORTANTES ! RECUPERAÀâO
RENO PELO AC¢MULO DE RU¤NAS ANTIGAS 5M DESSES DADOS PODE SER REALIZADA POR MEIO DE
TELL PODE SER DESCRITO COMO UMA CIDADE OU VÖRIOS TESTES CIENT¤lCOS
UM N¤VEL DE OCUPAÀâO EM CIMA DE OUTRO ! CER½MICA MAIS ANTIGA DATA DO 0ER¤ODO
PRODUZINDO UMA CONSIDERÖVEL ELEVAÀâO .EOL¤TICO .OVA )DADE DA 0EDRA OU )DADE
NO TERRENO #ADA N¤VEL DE OCUPAÀâO TEM DA 0EDRA 0OLIDA APROXIMADAMENTE 
SUA PR˜PRIA CAMADA DE RU¤NAS / ESTUDO  A# %SSE PER¤ODO ARQUEOL˜GICO £
DESSAS VÖRIAS CAMADAS REPRESENTA PARA O DIVIDIDO EM DUAS FASES POR VOLTA DE 
ARQUE˜LOGO UMA TAREFA COMPLICADA .A A# COM A PRIMEIRA APARIÀâO DA CER½MICA
FALTA DE MATERIAIS ESCRITOS A CER½MICA £ A O NEOL¤TICO ANTERIOR Ü CER½MICA E O NEOL¤
FERRAMENTA MAIS CONlÖVEL PARA DETERMI TICO POSTERIOR AO SURGIMENTO DA CER½MICA
NAR A CRONOLOGIA DE UM LOCAL OU DE CADA / SEGUNDO OU FASE DA CER½MICA DA CULTURA
UM DE SEUS N¤VEIS DE OCUPAÀâO NEOL¤TICA TEM SIDO ESTUDADO EM VÖRIOS LO
4)0/,/')! $! #%2¸-)#! / DOM¤NIO DA CAIS INCLUINDO #ATAL (UYUK EM !NAT˜LIA
TIPOLOGIA CER½MICA E A CAPACIDADE DE DATAR *ERIC˜ E O VALE DE *ARMUQUE ! CER½MICA
FRAGMENTOS SâO RESULTADOS DE MUITOS ANOS DESSE PER¤ODO £ FEITA Ü MâO E CARACTERIZA
DE ESTUDO E DE CONTATO CONSTANTE COM AS SE POR FORMAS PRIMITIVAS E SIMPLES /S
FORMAS DE CER½MICA DOS VÖRIOS PER¤ODOS UTENS¤LIOS OU AS TEXTURAS SâO NORMALMENTE
ARQUEOL˜GICOS /S LIVROS DE REFERäNCIA mEX¤VEIS E QUEBRADIÀOS COMO RESULTADO DA
SOZINHOS SâO INSUlCIENTES PARA O ESTUDO DA SECAGEM DO BARRO A BAIXAS TEMPERATURAS
TIPOLOGIA CER½MICA (Ö MUITAS CARACTER¤S $URANTE ESSE PER¤ODO A PALHA ERA MUI
TICAS QUE POTENCIALMENTE TäM IMPORT½NCIA TAS VEZES MISTURADA AO BARRO PARA MANTER A
PARA A DATAÀâO DA CER½MICA TAIS COMO CONSISTäNCIA !L£M DESSES UTENS¤LIOS MAIS
QUALIDADE E TEXTURA DA ARGILA O TIPO DE R¢STICOS TAMB£M SE USAVA UMA CER½MICA
SUBST½NCIA MISTURADA PARA AUMENTAR A MAIS RElNADA NA MESMA £POCA ! ARGILA
RESISTäNCIA O TIPO E A QUALIDADE DA DECO ERA DE MELHOR QUALIDADE A SECAGEM ERA
RAÀâO VÖRIAS CONSIDERAÀµES RELATIVAS AO FEITA SOB TEMPERATURAS MAIS ELEVADAS E A
PROCESSO DE SECAGEM E O MAIS IMPORTANTE CER½MICA ERA MUITAS VEZES DECORADA COM
O FORMATO DO UTENS¤LIO UMA CAMADA VERMELHA POLIDA EM DESENHOS
/ FORMATO DA BORDA OU DA BASE DE UM DE TRI½NGULOS OU LEMBRANDO DIVISAS DA
RECIPIENTE SUA CURVATURA A PRESENÀA OU HERÖLDICA EM FORMA DE h6v INVERTIDO !S
#%2®-)#! 

FORMAS MAIS COMUNS SâO PEQUENAS TIGELAS ! FORMA MAIS COMUM DE CER½MICA DA
TIGELAS MAIS FUNDAS COM LATERAIS LEVEMENTE )DADE DO "RONZE )NICIAL )) £ UM C½NTARO
ABAULADAS E VASOS ARREDONDADOS COM BASES OVAL DESIGNADO h!BYDOSv SEGUNDO O NOME
PLANAS !S ALÀAS SâO BASICAMENTE DE TRäS DO LOCAL EG¤PCIO ONDE FOI DESCOBERTO 5MA
TIPOS ALÀAS SIMPLES EM FORMATO DE ARGOLA CER½MICA CARACTER¤STICA DA )DADE DO "RONZE
PEQUENAS ALÀAS PERFURADAS E PEQUENAS ABAS )NICIAL ))) DESIGNADA hCER½MICA DE +HIRBET
OU PUXADORES SENDO ESTAS ¢LTIMAS UMA DAS +ERAKv NOME DO LOCAL DA ESCAVAÀâO £
CARACTER¤STICAS MAIS MARCANTES DA CER½MICA UMA DAS MAIS BELAS DA 0ALESTINA ANTIGA
DA )DADE DO "RONZE !NTIGA %MBORA A FORMA CLASSIlQUE ESSA CER½MICA
! TRANSIÀâO DO 0ER¤ODO .EOL¤TICO PARA O Ü PARTE DAS TRADIÀµES LOCAIS A DECORAÀâO £
0ER¤ODO #ALCOL¤TICO DE APROXIMADAMENTE A CARACTER¤STICA MARCANTE DESSES UTENS¤LIOS
 A  A# NâO £ COMPLETAMENTE POLIDOS DE COR VERMELHA EOU PRETA $IFERE
COMPREENDIDA 4ULEILAT EL 'HASSUL NO SUL TAMB£M DA CER½MICA LOCAL QUANTO Ü QUA
DO VALE DO *ORDâO E VÖRIOS LUGARES NA RE LIDADE DA ARGILA Ü T£CNICA DE FABRICAÀâO
GIâO DE "ERSEBA TäM CONTRIBU¤DO SIGNIlCA E Ü SECAGEM PELO FOGO %MBORA A ORIGEM
TIVAMENTE PARA A COMPREENSâO DA CULTURA E DO PRODUTO NâO ESTEJA CLARA O +HIRBET
DA CER½MICA DO 0ER¤ODO #ALCOL¤TICO +ERAK DISTRIBUI SE AMPLAMENTE POR TODA A
$UAS FORMAS DE CER½MICA CARACTER¤S 0ALESTINA SETENTRIONAL E CENTRAL
TICAS DO 0ER¤ODO #ALCOL¤TICO SâO A FORMA / PER¤ODO TRADICIONALMENTE DESIGNADO
SEMELHANTE Ü DE UM SUBMARINO E A C¹NICA COMO )DADE DO "RONZE -£DIO ) ATUAL )DA
PARECIDA COM A CASQUINHA DE SORVETE DE DO "RONZE )NICIAL )6n)DADE DO "RONZE
%STA £ NORMALMENTE PINTADA COM FAIXAS -£DIO )   A# FOI UM INTERL¢
HORIZONTAIS E TEM PEQUENAS ALÀAS 3EU DIO ENTRE AS CULTURAS URBANAS DA PRIMEIRA
FORMATO DIFERENTE TORNA A S¤MBOLO DA CER½ )DADE DO "RONZE E O PER¤ODO SEGUINTE DA
MICA CALCOL¤TICA / RECIPIENTE COM FORMA )DADE DO "RONZE -£DIO )) .OVAS FORMAS
DE SUBMARINO £ SINGULAR E SUA FUNÀâO NâO DE CER½MICA SURGIRAM -UITAS OUTRAS
ESTÖ COMPLETAMENTE CLARA !PRESENTA SE FORMAS ALGUMAS BASTANTE SOlSTICADAS
NO SENTIDO HORIZONTAL COM EXTREMIDADES APARECERAM NESSE PER¤ODO 5MA DAS
AlLADAS E ALÀAS SIMPLES EM FORMATO DE FORMAS MARCANTES FOI O VASO CARINADO
ARGOLA COLOCADAS NA PARTE SUPERIOR DE CADA OU DE CURVATURA ACENTUADA QUE DEVE TER
EXTREMIDADE PERMITINDO QUE O RECIPIENTE SIDO MOLDADO A PARTIR DE UM RECIPIENTE DE
SEJA SUSPENSO / GARGALO ÜS VEZES CONTENDO METAL /UTRO TIPO DE CER½MICA COMUM £ O
UMA PENEIRA LOCALIZA SE NO MEIO DO OBJETO h4ELL EL 9AHUDIYEHv CUJO NOME ADV£M DO
/S MAIORES SâO DECORADOS COM FAIXAS PIN LOCAL DE SUA DESCOBERTA NO DELTA DO .ILO
TADAS DE VERMELHO %NCONTRADO PRINCIPALMENTE EM BOTIJAS
%MBORA HAJA CONTROV£RSIA A )DADE DO ESSE UTENS¤LIO CARACTERIZA SE POR PEQUENOS
"RONZE )NICIAL   A# PODE SER PONTOS BRANCOS C¹NCAVOS FORMANDO
DIVIDIDA EM TRäS FASES CADA QUAL COM TIPOS DESENHOS GEOM£TRICOS
CARACTER¤STICOS DE CER½MICA E DECORAÀâO ! )DADE DO "RONZE 2ECENTE OU 0OSTERIOR
5M DOS TRAÀOS MAIS COMUNS DA CER½MICA   A# DIVIDE SE EM DUAS FASES
DESSA £POCA £ A ALÀA PARECIDA COM UM PRINCIPAIS COM A SUBSEQÓENTE DIVISâO DE
PUXADOR QUE APRESENTA FORMAS DIFERENTES CADA FASE ! VARIEDADE DE TRADIÀµES CER½
PARA CADA UMA DAS FASES DO PER¤ODO 2ECI MICAS LOCAIS E IMPORTADAS £ ABUNDANTE
PIENTES COM LINHAS PARALELAS PINTADAS COM #ARACTER¤STICA DESSE PER¤ODO £ UMA BELA
TINTA VERMELHA COBRINDO TODO O OBJETO CER½MICA PINTADA COM DUAS CORES DECORADA
CONSTITUEM OS TIPOS COMUNS DE CER½MICA COM lGURAS DE PÖSSAROS ANIMAIS PEIXES E
DA )DADE DO "RONZE )NICIAL ) DESENHOS GEOM£TRICOS -ERCADORIAS CIPRIO
 #%2®-)#! #
TAS IMPORTADAS E CER½MICAS DE -ICENAS SâO FORMAS NORMALMENTE SIMILARES AOS TIPOS
COMUNS NESSE PER¤ODO DE CER½MICA FEITOS COM O AUX¤LIO DA RODA
! )DADE DO &ERRO ESTENDE SE POR VOLTA / PER¤ODO DO EX¤LIO PERSA POR VOLTA DE
DO PER¤ODO DE  A# AT£ A DESTRUIÀâO   A# £ MARCADO POR MUITAS FORMAS
DE *ERUSAL£M EM  A# $OIS PROBLEMAS EXCLUSIVAS INCLUINDO RECIPIENTES COM PINOS
FUNDAMENTAIS ASSOCIADOS AO ESTUDO DESSE NA BASE E ALÀAS EM FORMATO DE CESTA CAN
PER¤ODO SâO A NATUREZA DA TRANSIÀâO DA DEIAS RASAS QUE SE DISTINGUEM PELAS BORDAS
)DADE DO "RONZE 2ECENTE PARA A )DADE DO LARGAS E RECIPIENTES COM FORMA SEMELHANTE
&ERRO E A DIVISâO DESTA EM FASES Ã SEME Ü DOS VIDROS DE CONSERVAS 5MA CER½MICA
LHANÀA DE TODOS OS PER¤ODOS ARQUEOL˜GICOS IMPORTADA BRILHANTE E PRETA NORMALMENTE
O mUXO CONSTANTE DE NOVAS CER½MICAS DE SOB A FORMA DE PEQUENAS TIGELAS E PRATOS £
¢LTIMAS ESCAVAÀµES TäM AJUDADO A ESCLARE A MARCA REGISTRADA DO PER¤ODO HELEN¤STICO
CER O PANORAMA ! )DADE DO &ERRO TEM SIDO POR VOLTA DE   A#  / PER¤ODO
DIVIDIDA NORMALMENTE EM DOIS PER¤ODOS E ROMANO AL£M DO CONJUNTO DE CER½MICA
A DIVISâO DO REINO DE 2OBOâO  A# USUAL PRODUZIU DUAS BELAS TRADIÀµES DE CE
lLHO DE 3ALOMâO CONSTITUI O FATO QUE SE R½MICA ! hNABAT£IAv COMUM NO .EGUEBE
PARA A PRIMEIRA FASE DA SEGUNDA !MBOS OS E NA 4RANSJORD½NIA £ UMA CER½MICA QUE
PER¤ODOS SâO POSTERIORMENTE SUBDIVIDIDOS PASSOU POR UM BOM PROCESSO DE SECAGEM
! CER½MICA DA )DADE DO &ERRO £ CARACTE lNA E DELICADA COM DESENHOS mORAIS !
RIZADA POR SOlSTICAÀâO T£CNICA E ABUND½NCIA h4ERRA 3IGILLATAv £ UMA CER½MICA VERMELHA
DE VARIA˵ES / ACABAMENTO E A DECORAˉO ESMALTADA ENFEITADA COM LISTAS E PICOTES
DESTACAM SE NITIDAMENTE NESSE PER¤ODO PRODUZIDA NA )TÖLIA E NAS PROV¤NCIAS DE
/S RECIPIENTES SâO NORMALMENTE REVESTIDOS 2OMA MAS IMITADA POR OLEIROS LOCAIS
COM UMA CAMADA DE TINTA VERMELHA PRETA ! #%2¸-)#! % 35! 02/$5­ª/ .! "Ù",)!
MARROM OU AMARELA UMA ESP£CIE DE ARGILA ! ARTE DO OLEIRO £ ALUDIDA EM DIVERSAS
AQUOSA APLICADA Ü SUPERF¤CIE DE UM OBJETO PASSAGENS B¤BLICAS PRINCIPALMENTE NO
ANTES DE SER COLOCADO NO FOGO QUE RECEBE !NTIGO 4ESTAMENTO QUE CONT£M UM
INTENSO POLIMENTO ! CER½MICA DESSE EXTENSO VOCABULÖRIO CER½MICO $ENTRE
PER¤ODO REmETE CLARAMENTE AS RELAÀµES AN AS NUMEROSAS PASSAGENS ESTâO AS QUE SE
TIGAS DE )SRAEL COM &EN¤CIA #HIPRE %GITO REFEREM A UTENS¤LIOS DE TAMANHOS VARIADOS
!SS¤RIA E OUTRAS NAÀµES 5MA DAS TRADIÀµES AMASSADEIRAS ›X   TAÀA PRATO *Z
NOTÖVEIS DA PRIMEIRA FASE DA )DADE DO &ERRO  2S   PANELAS *Z  2S  
£ A CER½MICA lLIST£IA DECORADA COM DESE JARROS E C½NTAROS 'N  *O  BILHA
NHOS GEOM£TRICOS EM VERMELHO E PRETO E DE ÖGUA 3M  BOTIJA DE AZEITE 2S
PÖSSAROS ESTILIZADOS  2S  TAÀAS *R   E CANDELABROS
'RANDE VARIEDADE DE FORMAS DE CER½MI E L½MPADAS ›X  0V   ! LISTA DOS
CA CARACTERIZA A SEGUNDA FASE DA )DADE DO TIPOS DE CER½MICA ENCONTRADOS NA "¤BLIA
&ERRO INCLUINDO OBJETOS POLIDOS DE VÖRIOS AO LADO DOS RECIPIENTES DESCOBERTOS EM
TAMANHOS COMO TIGELAS VASOS C½NTAROS ESCAVAÀµES ARQUEOL˜GICAS PERMITIU UMA
BOTIJAS X¤CARAS E UTENS¤LIOS GRANDES PARA DESCRIÀâO CLARA DA CER½MICA NOS TEMPOS
ARMAZENAMENTO OS QUAIS GERALMENTE APRE B¤BLICOS
SENTAM IMPRESSµES DE SELO REAL NAS ALÀAS *EREMIAS   £ A PASSAGEM MAIS
$A MESMA £POCA DOS UTENS¤LIOS DE BARRO DA ELOQÓENTE SOBRE A PRODUÀâO DE CER½MICA
)DADE DO &ERRO FEITOS EM RODA ENCONTRA SE NA "¤BLIA #ONT£M UMA DESCRIÀâO REALISTA
A TRADIÀâO DE CER½MICA FEITA Ü MâO CONHE DO LOCAL DE TRABALHO DO OLEIRO  
CIDA COMO DO .EGUEBE ATESTADA POR TODO E FAZ USO DE UMA LINGUAGEM lGURADA
O PER¤ODO EM UMA GRANDE VARIEDADE DE BASEADA NESSA ARTE ! IMAGEM DE $EUS
#%2#! -52/ 

COMO O /LEIRO MESTRE TAMB£M APARECE EM 2ABÖ 3M    3ENAQUERIBE TOMOU
'äNESIS  )SA¤AS   *˜   E *ERUSAL£M E TODAS AS CIDADES FORTIlCADAS DE
2OMANOS   *UDÖ )S   .O .OVO 4ESTAMENTO *ESUS
PREDISSE O CERCO ROMANO DE *ERUSAL£M ,C
#%2#! -52/ BARREIRA DE PROTEÀâO AO   
REDOR DE UMA CASA OU CAMPO OU AINDA
CERCADO PARA ANIMAIS DOM£STICOS 3L  #%2%!)3 4/34!$/3 GRâOS ASSADOS EM
MURO !2! CERCA .4,(  *˜ TAMB£M USA BRASA E COMIDOS COMO REFEIÀâO LEVE NOS
SIMBOLICAMENTE A ID£IA PARA EXPRESSAR A TEMPOS B¤BLICOS *S  CEREAIS TORRADOS
FUTILIDADE DE ESTAR CERCADO E TER SUA LIBER .4,( ESPIGAS TOSTADAS !2#  2T  
DADE RESTRINGIDA POR $EUS *˜  hFECHOU 3EMENTES LENTILHAS E FEIJµES TAMB£M ERAM
O MEU CAMINHO COM UM MUROv .4,(  TOSTADOS E COMIDOS DA MESMA FORMA 3M
%M )SA¤AS  O TERMO SEBE REmETE A  
ID£IA DE CERCA VIVA DE ESPINHEIRO EM
-ARCOS  TRATA SE DE UMA CERCA OU #%2%!, VEJA 0,!.4!3 $! "Ù",)! 
DIVISâO DE QUALQUER TIPO EM 3ALMOS 
UMA PEQUENA CERCA !S CERCAS AJUDAVAM #%26): $52! POVO DE OBSTINADO
A PROTEGER AS VINHAS CONTRA LADRµES E INmEX¤VEL ARROGANTE E ORGULHOSO !
PREDADORES E CONSISTIAM EM PEDRAS SOLTAS EXPRESSâO hPOVO DE DURA CERVIZv £ UMA
OU RAMOS E ARBUSTOS DE ESPINHEIROS lGURA DE LINGUAGEM QUE REMETE Ü REBELDIA
E DESOBEDIäNCIA DE ANIMAIS DOM£STICOS
#%2#/ 3·4)/ BLOQUEIO MILITAR DE TAIS COMO O BOI QUE AFASTA O PESCOÀO DA
CERTA DURAÀâO DE UMA CIDADE OU FORTALEZA CANGA E SE RECUSA A ATENDER AO COMANDO
PARA FORÀAR SUA RENDIÀâO / PROP˜SITO )SRAEL FOI UM POVO DE DURA CERVIZ POR SE
DE UM CERCO ERA RETIRAR A VANTAGEM DOS RECUSAR A OBEDECER Ü 0ALAVRA DE $EUS E
S˜LIDOS MUROS DE DEFESA DE UMA CIDADE PREFERIR SEGUIR A IDOLATRIA E A IMORALIDADE
ELIMINANDO SEUS SUPRIMENTOS E CONTATOS $T  .E    *R  
COM O MUNDO EXTERNO 3EM SUPRIMENTOS
A DEFESA DA CIDADE SERIA FORÀADA A SE RENDER #%26/ VEJA !.)-!)3 $! "Ù",)! 
OU A ATACAR O EX£RCITO INIMIGO
0OR VEZES O EX£RCITO INIMIGO AUMENTAVA #³3!2 T¤TULO CONFERIDO A VÖRIOS IMPERA
O CERCO TENTANDO SUBIR OS MUROS COM DORES DE 2OMA INICIANDO COM !UGUSTO
ESCADAS OU RAMPAS %NTRE OUTRAS T£CNICAS 6ÖRIOS DOS SEGUINTES IMPERADORES SâO
ESTAVAM A DESTRUIÀâO DOS MUROS OU A CONS MENCIONADOS NO .OVO 4ESTAMENTO
TRUÀâO DE T¢NEIS QUE PASSAVAM POR BAIXO  !UGUSTO  A# n  D# QUE EMITIU
DELES -AS O ATAQUE ERA PERIGOSO POIS OS UM DECRETO PARA O REGISTRO DE TODAS AS
DEFENSORES DA CIDADE NORMALMENTE lCAVAM PESSOAS NOS LIMITES DO IMP£RIO ROMANO
BEM PROTEGIDOS E PODIAM CONTINUAR A ,C   )SSO INCLU¤A A PROV¤NCIA DA
BATALHA DE UMA POSIÀâO SUPERIOR *UD£IA NA 0ALESTINA AFETANDO ASSIM A
5M CERCO PODIA DURAR MUITOS MESES VIDA DE *OS£ E -ARIA QUE FORAM AT£ "E
0ARA ENCURTÖ LO O EX£RCITO INIMIGO NOR L£M PARA O RECENSEAMENTO *ESUS NASCEU
MALMENTE TENTAVA OBSTRUIR OS SUPRIMENTOS DURANTE ESSA VIAGEM
DE ÖGUA OS QUAIS NORMALMENTE lCAVAM  4IB£RIO   D# ENTEADO DE !UGUSTO
FORA DOS MUROS DA CIDADE £ O h#£SARv MENCIONADO NOS EVANGELHOS
'RANDE PARTE DOS COMBATES DESCRITOS NO EXCETO EM ,C   $ESCONlAVA DE RIVAIS
!NTIGO 4ESTAMENTO REFERE SE A BATALHAS EM E ERA SEVERO NA DISCIPLINA DE OFENSORES
ESTADO DE S¤TIO 0OR EXEMPLO *OABE CERCOU -T  ,C    *O  
 #%3!2³)! #

2UÓNAS DOS PALÉCIOS DOS CÏSARES EM 2OMA CAPITAL DO GRANDE )MPÏRIO 2OMANO

 #LÖUDIO   D# QUE TENTOU REDUZIR #%3!2³)! RELATIVO A #£SAR IMPORTANTE
A DISPUTA DENTRO DO IMP£RIO CONFORME PORTO MAR¤TIMO B¤BLICO LOCALIZADO NA
MOSTRA SEU DECRETO MENCIONADO EM REGIâO SUL DA MODERNA (AIFA VEJA -APA
!TOS  4AMB£M £ MENCIONADO EM  !   %DIlCADA COM ENORMES DESPESAS
!TOS  POR (%2/$%3 O 'RANDE ENTRE  E  A#
 .ERO   D# CONHECIDO MAIS POR E NOMEADA EM HONRA A #£SAR !UGUSTO A
SUAS VÖRIAS INCLINAÀµES ART¤STICAS QUE POR CIDADE FOI POR VEZES CHAMADA DE #ESAR£IA
TER SIDO IMPERADOR .OS ¢LTIMOS ANOS DE DA 0ALESTINA PARA SER DISTINGUIDA DA #ESA
SEU REINADO SUA MENTE MOSTRAVA SE R£IA DE &ILIPE
PERTURBADA E ELE SE SUICIDOU &OI O PRI (ERODES LEVOU  ANOS PARA CONSTRUIR A
MEIRO IMPERADOR ROMANO A PERSEGUIR OS RARIDADE DO PORTO NO LOCAL DE UMA ANTIGA
CRISTâOS EM 2OMA  D#  / AP˜STOLO CIDADE FEN¤CIA DE NOME TORRE DE 3TRATO
0AULO APELOU A .ERO EM BUSCA DA JUSTIÀA #ONSTRUIU UM ENORME QUEBRA MAR !S
ROMANA !T  PROVAVELMENTE POR GRANDES PEDRAS USADAS NESSE PROJETO
VOLTA DE  D# 6EJA TAMB£M !TOS  MEDIAM   METROS DE COMPRIMENTO
      POR   METROS DE LARGURA E   METROS
6EJA TAMB£M !5'534/ #,¬5$)/ .%2/ DE PROFUNDIDADE !LGUMAS DELAS AINDA
4)"»2)/ PODEM SER VISTAS AO LONGO DE   METROS
DA PRAIA
#³3!2 #!3! $% TODOS OS ESCRAVOS E ! #ESAR£IA FOI CENA CONSTANTE DE
HOMENS LIVRES DO PALÖCIO DO IMPERADOR TUMULTOS TAL COMO AS CIDADES QUE
NO 0ALATINADO EM 2OMA 0AULO ENVIOU TINHAM POPULAÀâO MISTA DE JUDEUS E
LHES SAUDAÀµES NO T£RMINO DE SUA CARTA GENTIOS COSTUMAVAM SER 1UANDO 0ILATOS
AOS lLIPENSES &L  OS DO PALÖCIO DO FOI GOVERNADOR DA *UD£IA MOROU NA
)MPERADOR .4,(  !LGUNS PESQUISADORES RESIDäNCIA DO GOVERNADOR EM #ESAR£IA
PENSAM QUE O TERMO TAMB£M SE RElRA A %M  UMA PEDRA COM A INSCRIÀâO
SERVOS IMPERIAIS QUE VIVIAM NO RESTANTE DA DE SEU NOME FOI ENCONTRADA NAS RU¤NAS
)TÖLIA E DAS PROV¤NCIAS DE UM ANTIGO ANlTEATRO DO LOCAL /
#%3!2³)! $% &),)0% 

2UÓNAS DE TEATRO NA CIDADE DE #ESARÏIA

EVANGELISTA &ILIPE PREGOU EM #ESAR£IA DEIXOU O PORTO ALGEMADO POR APELAR PARA
!T   0EDRO FOI ENVIADO PARA LÖ PARA O IMPERADOR QUE ESTAVA EM 2OMA !T
FALAR AO CENTURIâO ROMANO #ORN£LIO !T    
    (ERODES !GRIPA ) MORREU
EM #ESAR£IA SENDO hCOMIDO DE VERMESv #%3!2³)! $% &),)0% CIDADE DE
!T    #£SAR DE &ILIPE CIDADE NA INCLINAÀâO
! #ESAR£IA TAMB£M FOI PROEMINENTE SUDOESTE DO MONTE (ERMOM VEJA -APA
NO MINIST£RIO DO AP˜STOLO 0AULO !P˜S  #  NA REGIâO MAIS SETENTRIONAL DE
A CONVERSâO DO AP˜STOLO ALGUNS IRMâOS ONDE *ESUS REALIZOU SEU MINIST£RIO -T
LEVARAM NO AO PORTO DE #ESAR£IA PARA  -C   .OS TEMPOS DO .OVO
ESCAPAR DOS HELENISTAS E NAVEGAR EM DI 4ESTAMENTO A CIDADE ERA CONHECIDA
REÀâO Ü SUA TERRA NATAL 4ARSO !T   COMO 0ANEAS EMBORA &ILIPE O TETRARCA
0AULO DESEMBARCOU NO PORTO DE #ESAR£IA TENHA RENOMEADO A CIDADE COMO #ESA
NA SEGUNDA E NA TERCEIRA VIAGENS MIS R£IA DE &ILIPE EM HONRA AO IMPERADOR
SIONÖRIAS !T    &£LIX ENVIOU ROMANO #£SAR !UGUSTO !GRIPA )) MAIS
0AULO PARA #ESAR£IA PARA SER JULGADO !T TARDE MUDOU SEU NOME PARA .ERONIAS
   O AP˜STOLO lCOU PRESO POR DOIS EM HONRA A .ERO ! ALDEIA ATUAL DE
ANOS ANTES DE FAZER SUA FAMOSA DEFESA "ANYIAS ESTÖ EDIlCADA NO MESMO LOCAL
DIANTE DE &ESTO E !GRIPA !T   0AULO &OI PERTO DE #ESAR£IA DE &ILIPE QUE *ESUS
 #³5 #
PERGUNTOU A SEUS DISC¤PULOS QUEM ELE ERA #%34/3 &!"2)#!.4% $% VEJA 02/&)3
AO QUE RECEBEU A RESPOSTA INSPIRADA DE 3¡%3 % /#50!­¡%3 
3IMâO 0EDRO h4U £S O #RISTO O &ILHO DO
$EUS VIVOv -T   #%42/ BASTâO OlCIAL DE UM GOVERNANTE
QUE SIMBOLIZA SUA AUTORIDADE E PODER
#%34/ RECIPIENTE FEITO DE lBRAS /RIGINALMENTE O CETRO ERA A VARA DO
TRANÀADAS OU OUTROS MATERIAIS ! "¤BLIA PASTOR UMA VEZ QUE OS PRIMEIROS REIS ERAM
TEM INFORMAÀµES ESPARSAS A RESPEITO DO PR¤NCIPES N¹MADES -Q   %M ALGUNS
TAMANHO E DO FORMATO DE CESTOS %RAM CASOS O CETRO ERA UM BORDâO FORTE %Z
FEITOS DE MATERIAIS VARIADOS DO SALGUEIRO   
DE JUNCO DOS GALHOS DE PALMEIRAS E AT£ 0OR VEZES O SIMBOLISMO DE UM CETRO
MESMO DE UMA MISTURA DE PALHA E BARRO REFERE SE AO -ESSIAS QUE GOVERNARÖ DE
!LGUNS TINHAM ALÀAS E TAMPOS E SERVIAM )SRAEL DA TRIBO DE *UDÖ EM PARTICULAR 'N
PARA IN¢MEROS PROP˜SITOS AL£M DE SEREM   .O .OVO TESTAMENTO O LIVRO DE
CONHECIDOS POR NOMES DIFERENTES (EBREUS DESCREVE #RISTO COMO O &ILHO QUE
/S CESTOS ERAM USADOS PARA CARREGAR PâO GOVERNA COM UM CETRO DE EQÓIDADE (B
'N  COLHER UVAS *R  GUARDAR  REFERINDO SE A 3L  
OS PRIMEIROS FRUTOS OFERECIDOS $T  1UEBRAR UM CETRO SIGNIlCAVA A QUEDA
CARREGAR DIVERSAS FRUTAS *R  LEVAR DAQUELE QUE O POSSU¤A %SSE SIMBOLISMO FOI
BARRO PARA A FABRICAÀâO DE TIJOLOS 3L  USADO POR VÖRIOS PROFETAS DO !NTIGO 4ES
OU PARA P¹R ARTIGOS DE GRANDE VOLUME 2S TAMENTO PARA PREDIZER O QUE ACONTECERIA
  / USO MAIS CRIATIVO DESSES RECIPIEN AOS INIMIGOS DA NAÀâO DE )SRAEL )S 
TES ACONTECEU QUANDO 0AULO FOI COLOCADO %Z   
EM UM CESTO E DESCIDO PELA MURALHA A lM 1UANDO OS SOLDADOS ROMANOS ZOMBARAM
DE ESCAPAR DE SEUS INIMIGOS !T  #O DE *ESUS ANTES DE SUA CRUCIlCAÀâO PUSERAM
  UM CANIÀO EM SUAS MâOS COMO CETRO E O
1UANDO $EUS DISSE A -OIS£S h"ENDITO SAUDARAM COMO hREI DOS *UDEUSv -T  
O TEU CESTO E A TUA AMASSADEIRAv $T
 ENFATIZOU QUE A ABUND½NCIA £ A #³5 PALAVRA QUE EXPRESSA VÖRIOS CONCEI
RECOMPENSA DA OBEDIäNCIA .O ENTANTO TOS DISTINTOS NA "¤BLIA
O CONTRÖRIO ESTÖ INDICADO NA ADVERTäNCIA  .O SENTIDO F¤SICO O C£U £ O ESPAÀO ACI
h-ALDITO O TEU CESTO E A TUA AMASSADEIRAv MA DA TERRA 'N   ! TORRE DE "ABEL
$T   A DESOBEDIäNCIA CONDUZ ÜS CHEGAVA AT£ OS C£US 'N   $EUS £ O
MâOS VAZIAS E ENTRISTECE O CORAÀâO PROPRIETÖRIO DO C£U 'N   / C£U £
O LOCAL DAS ESTRELAS 'N   DO
#%34/ $% -/)3³3 OBJETO NO QUAL -OI SOL *˜  E DA LUA 3L  ASSIM
S£S FOI COLOCADO POR SUA MâE PARA ESCONDä COMO A FONTE DE ORVALHO 'N  
LO E SALVÖ LO DO INFANTIC¤DIO DE MENINOS .AVEGADORES E MARINHEIROS SABIAM
HEBREUS ORDENADO PELO FARA˜ EG¤PCIO ›X hDISCERNIR O ASPECTO DO C£Uv ATRAV£S DOS
   / CESTO ERA FEITO DE lBRAS TRANÀADAS SINAIS CLIMÖTICOS -T   
DE PAPIRO E VEDADO COM BETUME E PICHE  / C£U £ TAMB£M O LOCAL DA HABITAÀâO DE
! TAMPA DO CESTO MANTINHA A CRIANÀA $EUS 'N  !P    » A ORIGEM
LIVRE DO ATAQUE DE INSETOS E DA INCIDäNCIA DA .OVA *ERUSAL£M !P    0OR
DIRETA DO SOL PARA QUE ELA PUDESSE DORMIR CAUSA DA OBRA DE #RISTO NA CRUZ O C£U
/ CESTO FOI DESCOBERTO PELA lLHA DO FARA˜ ESTÖ EM PARTE PRESENTE COM OS CRISTâOS
QUE HAVIA IDO SE BANHAR NO RIO ONDE O NA TERRA NA MEDIDA EM QUE SâO OBEDIEN
CESTO FORA COLOCADO TES ÜS ORIENTAÀµES DE $EUS *O   
#³5 ./6/ 

 ! PALAVRA hC£Uv TAMB£M £ USADA PARA #EVA TENTARAM EXPULSAR UM ESP¤RITO MALIG
SUBSTITUIR O NOME DE $EUS ,C   NO EM NOME DE *ESUS MAS EM VEZ DISSO
*O   / REINO DE $EUS E O REINO DO FORAM FERIDOS PELO HOMEM ENDEMONINHADO
C£U SâO FREQÓENTEMENTE TRATADOS INDIS E TIVERAM DE FUGIR NUS E HUMILHADOS
TINTAMENTE -T  -C  
.O lM DOS TEMPOS SERÖ CRIADO UM NOVO #%6!$! VEJA 0,!.4!3 $! "Ù",)! 
C£U PARA ENVOLVER A NOVA TERRA %SSE NOVO
C£U SERÖ O LUGAR DA PRESENÀA PERFEITA DE $EUS #%6!$/ ANIMAL DOM£STICO ENGORDADO
)S   !P   !SSIM HAVERÖ O CRIADO PRINCIPALMENTE PARA SER SACRIlCADO
CUMPRIMENTO LITERAL DO C£U NA TERRA NO SISTEMA DE ADORAÀâO DA ANTIGA )SRAEL
6EJA TAMB£M &)2-!-%.4/ 3M  2S   %M OCASIµES ESPE
CIAIS ESSE TIPO DE ANIMAL DE QUALIDADE
#³5 ./6/ TERMO QUE QUANDO USADO SUPERIOR TAMB£M CHAMADO DE !.)-!,
COM hNOVA TERRAv REFERE SE AO ESTADO '/2$/ ERA USADO PARA ALIMENTAÀâO
PERFEITO DO UNIVERSO CRIADO E AO LUGAR 1UANDO O lLHO PR˜DIGO VOLTOU PARA CASA
lNAL DA HABITAÀâO DOS JUSTOS ! EXPRESSâO SEU PAI MATOU UM NOVILHO CEVADO PARA A
ENCONTRA SE EM )S  0E  E MINI REFEIÀâO A lM DE CELEBRAR A OCASIâO ,C
MAMENTE MODIlCADA EM !P    
&AZIA PARTE DO PENSAMENTO TRADICIONAL
JUDEU O SONHO DE UM NOVO C£U E DE #(!#!, VEJA !.)-!)3 $! "Ù",)! 
UMA NOVA TERRA A RECRIAÀâO DO UNIVERSO
QUE OCORRERIA AP˜S O DIA DO 3ENHOR )S #(!'!3 VEJA $/%.­!3 $! "Ù",)! 
  *L      / CONCEITO DE
UM UNIVERSO RECRIADO ESTÖ ESTREITAMENTE #(!-!2 #(!-!$/ IMPORTANTE
RELACIONADO AO RELATO B¤BLICO DA CRIAÀâO CONCEITO TEOL˜GICO COM VÖRIOS SIGNIlCADOS
DA QUEDA E DO PECADO DE !DâO E %VA NO DIFERENTES NA "¤BLIA
JARDIM DO »DEN 'N    0OR CAUSA DESSE  #HAMADO DE $EUS A INDIV¤DUOS PARA A
PECADO hA CRIAÀâO ESTÖ SUJEITA Ü VAIDADE  3!,6!­ª/ TORNADA POSS¤VEL POR MEIO DO
E CATIVEIRO DA CORRUPÀâOv 2M    SACRIF¤CIO DE *ESUS #RISTO NA CRUZ 2M
! NECESSIDADE DE UM NOVO C£U E DE UMA   4S   / CHAMADO DE $EUS
NOVA TERRA SURGE DO PECADO HUMANO E DO Ü SALVAÀâO TAMB£M ENVOLVE O SERVIÀO
JU¤ZO DE $EUS E NâO DA DElCIäNCIA OU MAL DESSAS PESSOAS A OUTROS #O  
DO UNIVERSO 'N    )NVOCAÀâO A $EUS POR SOCORRO OU ORA
/ AP˜STOLO 0AULO REFERIU SE Ü DOUTRINA ÀâO 3L    ! "¤BLIA APRESENTA
DO !NTIGO 4ESTAMENTO DO DIA DO 3ENHOR IN¢MEROS EXEMPLOS DE PESSOAS QUE EM
E APLICOU A AOS EVENTOS QUE OCORRERIAM SUA AmIÀâO INVOCARAM O NOME DO 3E
NA SEGUNDA VINDA DE #RISTO 0E  NHOR $EUS £ DESCRITO COMO COMPASSIVO
  1UANDO *ESUS VOLTAR O MAL DO PREOCUPADO E LIBERTADOR PESSOAL QUE
S£CULO PRESENTE SERÖ SUBSTITU¤DO POR UMA OUVE AS ORAÀµES DE SEU POVO
NOVA ERA / UNIVERSO SERÖ PURIlCADO  $AR NOME OU CHAMAR PELO NOME
E LIMPO PELO PODER DE $EUS $E MODO 'N  ,C   !S PESSOAS TäM O
SEMELHANTE Ü PURIlCAÀâO DA TERRA DOS DIREITO DE DESIGNAR NOMES POR TEREM
DIAS DE .O£ MAS COM UMA ABRANGäNCIA SIDO CRIADAS Ü IMAGEM DE $EUS 3UA
UNIVERSAL FUNÀâO COMO TAIS £ UMA DAS MANEIRAS
PELAS QUAIS EXERCEM SEU DOM¤NIO SOBRE
#%6! SUMO SACERDOTE JUDEU DE »FESO DA O MUNDO 'N  
£POCA DE 0AULO !T   /S SETE lLHOS DE 6EJA TAMB£M %,%)­ª/
 #()&2% #
#(!0³5 PALAVRA DA !2! PARA SE REFERIR COMPARTILHAR O CONHECIMENTO COM AS
PROVAVELMENTE A 452"!.4%3 $N   PESSOAS COMUNS
6EJA TAMB£M 2/50!3 $! "Ù",)!
#(%&% PALAVRA COM DUAS ACEP˵ES
#(!2#/ P½NTANO PR˜XIMO DAS MARGENS DISTINTAS NA "¤BLIA
DE ALGUNS RIOS TAIS COMO O 1UISOM E  4¤TULO MILITAR DADO A UMA PESSOA POR SUA
VÖRIOS TRECHOS AO LONGO DO RIO *ORDâO E DO POSIÀâO DE HONRA E AUTORIDADE *R 
MAR -ORTO %Z   CAPITâO !2# OlCIAL .4,( MARECHAL 4" 
 ,¤DER DE FAM¤LIA CLâ OU TRIBO 'N 
#(!6% INSTRUMENTO USADO PARA   GOVERNANTE OU PR¤NCIPE DE UM POVO
LIBERAR OU BLOQUEAR ACESSO *Z   ! ! PALAVRA TAMB£M £ USADA PARA VÖRIOS T¤
CHAVE TAMB£M £ TIDA SIMBOLICAMENTE TULOS ADMINISTRATIVOS TAIS COMO COPEIRO
NA "¤BLIA COMO SINAL DE AUTORIDADE CHEFE E PADEIRO CHEFE 'N   
/ PROFETA )SA¤AS DESCREVEU O TEMPO
QUANDO %LIAQUIM lLHO DE (ILQUIAS #(%)2/ VEJA ).#%.3/ 
SERIA ELEVADO COMO MORDOMO DO REI 2S
  / PROFETA DECLAROU QUE ELE TERIA #()"/,%4% SENHA USADA PELOS GILEADITAS
hA CHAVE DA CASA DE $AVIv )S  OU NOS VAUS DO RIO *ORDâO PARA DETECTAR OS
A AUTORIDADE PARA AGIR NO NOME DO REI FUGITIVOS EFRAIMITAS *Z   %M UM
%STE £ PROVAVELMENTE O CONTEXTO PARA CONmITO ENTRE O POVO DE %FRAIM QUE VIVIA
A COMPREENSâO CORRETA DA DECLARAÀâO A OESTE DO *ORDâO E O POVO DE 'ILEADE QUE
DE *ESUS A RESPEITO hDAS CHAVES DO REINO VIVIA A LESTE DO *ORDâO OS GILEADITAS FORAM
DOS C£USv CONCEDIDAS A 0EDRO -T   VITORIOSOS ,IDERADOS PELO JUIZ *EFT£ OS GI
#OMO -ESSIAS DA LINHAGEM DE $AVI LEADITAS INVADIRAM OS VAUS DO *ORDâO ONDE
*ESUS ESTAVA CHAMANDO 0EDRO PARA SUA SE ENCONTRARAM COM OS INVASORES FUGITIVOS
RESPONSABILIDADE COMO L¤DER DA IGREJA E PEDIRAM LHES QUE DISSESSEM h#HIBOLETEv
PRIMITIVA / RESULTADO DE TAL AUTORIDADE -AS POR CAUSA DE UMA DIFERENÀA DE
NA VIDA DE 0EDRO SERIA O PODER DE LIGAR DIALETO OS EFRAIMITAS NâO CONSEGUIRAM
OU DESLIGAR REFERINDO SE Ü ID£IA DE COMU PRONUNCIAR A PALAVRA CORRETAMENTE V  
NHâO E REINTEGRAÀâO OU DETERMINAÀâO DE EM VEZ DISSO DIZIAM h3IBOLETEv 4RA¤DOS
OBJETOS PUROS OU IMPUROS POR SUA PRON¢NCIA OS EFRAIMITAS FORAM
! VISâO GERAL SEGUNDO O PROTESTANTISMO MORTOS NO *ORDâO POR *EFT£ E SEUS HOMENS
£ QUE A IGREJA £ O AGENTE DESSE PODER OU
AUTORIDADE PARA UNIR OU EXCLUIR QUER SEJA #()&2% PALAVRA COM DIFERENTES SIGNIlCA
POR SEUS L¤DERES OlCIAIS QUER PELOS CRISTâOS DOS NA "¤BLIA
4AL AUTORIDADE TEVE SEU AUGE NO .OVO 4ES  ! PALAVRA COMUMENTE REFERE SE AOS
TAMENTO QUANDO OS AP˜STOLOS ANUNCIARAM CHIFRES DE VÖRIOS ANIMAIS TAIS COMO O
AS CONDI˵ES PARA FAZER PARTE DO REINO MAS BOI SELVAGEM $T  O CARNEIRO 'N
CONTINUOU COM A PREGAÀâO DO EVANGELHO   /S CHIFRES DE ANIMAL TINHAM DUAS
POR 0EDRO E PELA IGREJA CONFORME DESCRI lNALIDADES NOS TEMPOS B¤BLICOS UMA DE
˵ES DO LIVRO DE !TOS LAS ERA TRANSPORTAR AZEITE ! OUTRA SERVIR
*ESUS CONDENOU OS % 3#2)"!3 DE SEU COMO INSTRUMENTO MUSICAL DEPOIS QUE SE
TEMPO POR TEREM TOMADO hA CHAVE DA RETIRAVA A PONTA DO CHIFRE BASTAVA SOPRAR
CIäNCIAv ,C   $E ACORDO COM A IN ATRAV£S DA ABERTURA / CHIFRE CURVO DE UM
TERPRETAÀâO DESTES SOMENTE ELES TINHAM CARNEIRO OU DE UM BOI ERA USADO COM ESSA
O DIREITO DE EXPLICAR O SIGNIlCADO DA LEI lNALIDADE %SSE CHIFRE CHAMADO "5:).!
DE $EUS OU %SCRITURAS &ALHARAM EM ERA USADO PARA CONVOCAR OS ISRAELITAS PARA
#()&2% $% #!2.%)2/ 

AS OCASIµES RELIGIOSAS E PARA INSTRU¤ LOS #()&2% $% #!2.%)2/ VEJA ).3425-%.


EM £POCAS DE BATALHA #R   4/3 -53)#!)3 
 / ALTAR DO TABERNÖCULO E DO TEMPLO
TINHA QUATRO PROJE˵ES OU CHIFRES UMA #()02% GRANDE ILHA NA EXTREMIDADE NOR
EM CADA PONTA SOBRE AS QUAIS O SANGUE DESTE DO MAR -EDITERR½NEO POR VOLTA DE 
DOS ANIMAIS SACRIlCADOS ERA ASPERGIDO QUIL¹METROS DA COSTA DA 3¤RIA E A CERCA DE 
›X   !DONIAS E *OABE SEGURARAM QUIL¹METROS DA COSTA DA #IL¤CIA MODERNA
NAS PONTAS DO ALTAR PARA SE PROTEGEREM 4URQUIA VEJA -APA  $   %MBORA #HIPRE
DO REI 3ALOMâO QUE DESEJAVA EXECUTÖ SEJA UMA ILHA ROCHOSA MUITAS NAÀµES BUSCA
LOS 2S    VAM SEUS RICOS DEP˜SITOS DE COBRE E RESERVAS
 / ESTOJO DE ESCREVER DE %Z   TINTEI DE MADEIRA ESPECIALMENTE O CIPRESTE 
RO DE ESCRIVâO !2# PROVAVELMENTE NâO #ONSEQÓENTEMENTE NO CURSO DA HIST˜RIA
SE REFERE A UM CHIFRE MAS A UM QUADRO #HIPRE FOI CONQUISTADA COM FREQÓäNCIA
OU PALETA USADO PELOS ESCRIBAS PARA POR MUITAS NA˵ES PODEROSAS INCLUINDO
GUARDAR SUAS PENAS E TINTAS MICENOS FEN¤CIOS ASS¤RIOS E PERSAS
 6ISTO QUE O CHIFRE ERA USADO POR ANIMAIS $EPOIS DE !LEXANDRE O 'RANDE OS
COMO ARMAMENTO PASSOU A SIMBOLIZAR PTOLOMEUS EG¤PCIOS CONTROLARAM #HIPRE
PODER E FORÀA :EDEQUIAS FALSO PROFETA AT£ QUE OS ROMANOS A CONQUISTARAM EM
DOS DIAS DE !CABE FEZ CHIFRES DE FERRO  A# $URANTE O PER¤ODO ROMANO A ILHA
PARA RETRATAR COMO !CABE DERROTARIA OS FOI ANEXADA Ü PROV¤NCIA DA #IL¤CIA E EM
S¤RIOS 2S   » PROVÖVEL QUE COMO SEGUIDA TORNOU SE UMA PROV¤NCIA IMPERIAL
EXTENSâO DE SIGNIlCADO $EUS ERGUERIA INDEPENDENTE EM  A# TORNOU SE UMA
OS JUSTOS E ABATERIA OS ¤MPIOS 3L   PROV¤NCIA SENATORIAL COM UM PROC¹NSUL
4AMB£M NAS VISµES DE $ANIEL E *OâO RESPONSÖVEL NA CIDADE DE 0AFOS
OS CHIFRES SIMBOLIZAVAM REINOS E REIS / NOME #HIPRE NâO £ ENCONTRADO NO
INDIVIDUAIS !NTIGO 4ESTAMENTO NO ENTANTO DEVIDO

2UÓNAS DE UM GINÉSIO GREGO NA CIDADE DE 3ALAMINA NA ILHA DE #HIPRE / APØSTOLO 0AULO VISITOU A CIDADE EM
SUA PRIMEIRA VIAGEM MISSIONÉRIA !T   
 #(56! #
A REFERäNCIAS DE TEXTOS EXTRA B¤BLICOS A A TODAS AS NAÀµES -T  !T   !
!LASHIYA COMO PRIMEIRA FONTE DE COBRE CHUVA ERA UM SINAL DA BäNÀâO DE $EUS AOS
MUITOS CRäEM QUE %,)3¬ 'N  #R  ISRAELITAS $T  EMBORA ELE TAMB£M
%Z  SEJA #HIPRE 1UITIM £ OUTRO NOME PUDESSE DETER A CHUVA QUER COMO ADVER
DO !NTIGO 4ESTAMENTO QUE PODE REFERIR SE TäNCIA !M   QUER COMO EXPRESSâO DE
A #HIPRE 'N  #R   SEU JULGAMENTO 2S  *R  
/ .OVO 4ESTAMENTO APRESENTA VÖRIAS !CREDITAR NO PODER DE $EUS PARA ENVIAR
REFERäNCIAS A #HIPRE TODAS NO LIVRO DE CHUVA NâO ERA FÖCIL EM UMA REGIâO COMO A
!TOS "ARNAB£ ERA NATURAL DE #HIPRE !T 0ALESTINA NA QUAL A DURAÀâO A QUANTIDADE
  /S PRIMEIROS CRISTâOS FUGIRAM PARA E A DISTRIBUIÀâO DA QUEDA DE ÖGUA ERAM IN
#HIPRE POR CAUSA DA PERSEGUIÀâO DA IGREJA CERTAS ! ESTAÀâO CHUVOSA ERA SIN¹NIMO DE
PRIMITIVA AP˜S A MORTE DE %STEVâO !T INVERNO #T  0V  EMBORA PUDESSE
     "ARNAB£ -ARCOS E 0AULO INICIAR A QUALQUER TEMPO ENTRE A METADE
INICIARAM SUA PRIMEIRA VIAGEM MISSIONÖRIA DE OUTUBRO AT£ JANEIRO .ORMALMENTE
COM UMA PARADA NA 3ELäUCIA GRANDE TERMINAVA EM ABRIL OU IN¤CIO DE MAIO !S
CIDADE DE #HIPRE NA COSTA LESTE DA ILHA PRIMEIRAS E ¢LTIMAS CHUVAS ERAM ESPECIAL
!T    MENTE SIGNIlCATIVAS NO PER¤ODO DO !NTIGO
!P˜S O AFASTAMENTO ENTRE 0AULO E "ARNA 4ESTAMENTO $T  *L   !S PESSOAS
B£ ESTE LEVOU CONSIGO *OâO -ARCOS E VOLTOU ANSIAVAM PELA CHUVA *R   AS NUVENS
A #HIPRE PARA SEU TRABALHO MISSIONÖRIO NA SECAS ERAM FONTE DE FRUSTRAÀâO E IRRITAÀâO
REGIâO !T   / CRISTâO -NASOM ERA 0V  *D  
DE #HIPRE !T   -AIS TARDE 0AULO !S CHUVAS ERAM MUITO FORTES NAS
NAVEGOU DE VOLTA Ü ILHA !T    REGIµES NORTE E OESTE E NAS COLINAS QUE
DAVAM PARA O MAR 0OR EXEMPLO NOS TEM
#(/£! ABRIGO TEMPORÖRIO OU CABANA POS MODERNOS A M£DIA ANUAL DE QUEDA
DE TRäS LADOS / PROFETA )SA¤AS REFERIU SE AO DÖGUA NAS MONTANHAS DA ALTA 'ALIL£IA
JULGAMENTO DE $EUS COMO UM FORTE VENTO £ DE  MIL¤METROS EM *ERUSAL£M DE
QUE ARRASARIA CONSTRUÀµES FRÖGEIS COMO  MIL¤METROS MAS SOMENTE DE 
ESSA )S    MIL¤METROS NO EXTREMO SUL DO MAR -ORTO
!S TEMPESTADES ERAM COM FREQÓäNCIA
#(5-"/ VEJA -).%2!)3 $! "Ù",)!  MUITO PESADAS %SSA VERDADE REmETE SE
NAS PARÖBOLAS DE *ESUS -T   E NAS
#(56! PRECIPITAÀâO L¤QUIDA QUE EXPERIäNCIAS DE %LIAS 2S  E %SDRAS
FORNECE UMIDADE NECESSÖRIA PARA PLANTAS   
ANIMAIS E HOMENS /S ESCRITORES B¤BLICOS ! CHUVA £ NORMALMENTE UM S¤MBOLO
ACREDITAVAM QUE SOMENTE O 3ENHOR E NâO DE ABUND½NCIA NA "¤BLIA UM TESTEMUNHO
OS DEUSES PAGâOS TINHA CONTROLE SOBRE ADICIONAL Ü OCASIONALIDADE DA CHUVA NA
A CHUVA %SSA CRENÀA FOI NOTADAMENTE 0ALESTINA 4AL ABUND½NCIA £ COMPARADA Ü
CONlRMADA VÖRIAS VEZES NO !NTIGO ElCIäNCIA DA 0ALAVRA DE $EUS $T  )S
4ESTAMENTO ESPECIALMENTE ATRAV£S DAS  Ü JUSTIÀA E PAZ DO REINO DE $EUS 3L
PREVISµES DE -OIS£S ›X   E 3AMUEL   /S  E Ü PROVISâO ALIMENTAR DE
3M   DAS ORAÀµES DE %LIAS 2S $EUS NO DESERTO ›X  3L   
  E DO AN¢NCIO DE $EUS SOBRE O .O ENTANTO A CHUVA TAMB£M PODIA SER
DIL¢VIO 'N     DESTRUTIVA 0V  )S   ! "¤BLIA POR
!L£M DE TAIS OCASIµES ESPECIAIS $EUS VEZES FALA SOBRE A CHUVA COMO SINAL DO
PROMETEU ENVIAR CHUVA NO TEMPO CERTO ,V JU¤ZO DE $EUS QUANDO PODIA FAZER CHOVER
 $T  PROMESSA QUE SE APLICAVA GRANIZO FOGO OU ENXOFRE ›X  
#)$!$!.)! 

.ESTA MAQUETE DE *ERUSALÏM Ï POSSÓVEL VISUALIZAR COMO DEVIA SER UMA CIDADE COM MURALHAS DURANTE OS DIAS
DE *ESUS

#)$!$!.)! CIDADâO NATURAL OU NâO UMA VILA MAS NâO TEM MUITOS DOS TRAÀOS
COM DIREITOS PRIVIL£GIOS E OBRIGAÀµES POR EXEMPLO UM MURO QUE CARACTERIZAVAM
DISTINTO DE UM ESTRANGEIRO O QUE HOJE ENTENDER¤AMOS POR METR˜POLE
! ID£IA DE hCIDADANIAv £ REFERIDA POR 3E VILA E CIDADE MANTäM UMA DISTINÀâO
DUAS VEZES NO .OVO 4ESTAMENTO 1UANDO CLARA EM L¤NGUA PORTUGUESA ISSO NâO
O COMANDANTE ROMANO #LÖUDIO ,¤SIAS ACONTECE NO HEBRAICO E NO GREGO ! DI
DISSE AO AP˜STOLO 0AULO h! MIM ME CUSTOU FERENÀA PRINCIPAL NO !NTIGO 4ESTAMENTO
GRANDE SOMA DE DINHEIRO ESTE T¤TULO DE CI £ ENTRE CIDADES COM MUROS DE DEFESA E
DADâOv 0AULO RESPONDEU h0OIS EU O TENHO RESERVADAS E ALDEIAS SEM MURO DE PROTE
POR DIREITO DE NASCIMENTOv !T   Ã ÀâO E QUE DEPENDEM DAS CIDADES MAIORES
IGREJA DE &ILIPOS 0AULO ESCREVEU QUE TODOS PARA SUA DEFESA ,V   %Z  
OS CRENTES EM #RISTO SâO CIDADâOS DOS C£US A DISTINÀâO NâO SE BASEAVA NO VOLUME
&L   !SSIM COMO A CIDADE DE &ILIPOS POPULACIONAL -UITAS TRADU˵ES PODEM
ERA UMA COL¹NIA DE 2OMA A IGREJA DE CONFUNDIR AS DIFERENÀAS DE VÖRIAS PALAVRAS
&ILIPOS ERA UMA COL¹NIA DO C£U HEBRAICAS PARA CIDADE OU VILA
#OMO CIDADâO ROMANO 0AULO TINHA O ! PALAVRA CIDADE EM L¤NGUA PORTUGUESA
DIREITO DE SER JULGADO ANTES DE SER PUNIDO AINDA TEM O SENTIDO DE METR˜POLE OU LUGAR
!T   O DE NâO SER INTERROGADO SOB HABITADO DE MAIOR TAMANHO POPULAÀâO E
AÀOITES !T   E O DE APELAR PARA IMPORT½NCIA CENTRO POPULACIONAL COMER
#£SAR !T     CIAL E CULTURAL
-UITAS CIDADES TAMB£M SE TORNARAM
#)$!$% AGLOMERAÀâO DE CASAS QUE EM CONHECIDAS POR SEU TAMANHO E PELA MAG
TERMOS DE TAMANHO E ORGANIZAÀâO VARIA NIlCäNCIA DE SEUS EDIF¤CIOS
ENTRE UMA CIDADE E UMA ALDEIA OU VILA 5MA .A ANTIGA )SRAEL UMA CIDADE GRANDE ERA
CIDADE £ MAIOR E MAIS INDEPENDENTE QUE NORMALMENTE CHAMADA DE hMâEv 3M
 #)$!$% $% $!6) #
 RODEADA POR UM GRUPO DE ALDEIAS MERCADOS RESERVADOS PARA MERCADORES
TODOS OS ESTABELECIMENTOS ADJACENTES ESTRANGEIROS *R  %Z  
.M  NOS POVOADOS AO REDOR .4,(  *ERIC˜ £ A CIDADE PALESTINA MAIS ANTIGA
! PALAVRA HEBRAICA ORIGINAL PARA ALDEIAS JÖ DESCOBERTA !RQUE˜LOGOS ACREDITAM QUE
SIGNIlCA LITERALMENTE hlLHASv UMA CIDADE DE NOVE ACRES TENHA EXISTIDO
!S CIDADES ERAM NORMALMENTE EDIl NO LOCAL DE *ERIC˜ JÖ NO ANO DE  A#
CADAS EM MONTES PARA QUE PUDESSEM SER MUITO TEMPO ANTES DE !BRAâO
DEFENDIDAS COM FACILIDADE 2S  -T
 E EM ÖREAS NAS QUAIS ESTIVESSE DISPO #)$!$% "!)8! DISTRITO DE *ERUSAL£M
N¤VEL UMA FONTE DE ÖGUA PARA AJUDAR NA NO QUAL O PROFETA (ULDA VIVEU 2S 
RESISTäNCIA A ESTADOS DE S¤TIO PROLONGADOS BAIRRO NOVO .4,( SEGUNDA PARTE !2# 
E PREFERENCIALMENTE ONDE O SOLO FOSSE 4AL DISTRITO SITUA SE NO ½NGULO FORMADO
F£RTIL /S MUROS DA CIDADE ERAM ESTRUTURAS PELO MURO OESTE DO TEMPLO NO MURO ANTIGO
MACIÀAS DE APROXIMADAMENTE  A  METROS DA CIDADE -AIS TARDE FOI INCLU¤DA DENTRO
DE ESPESSURA /S PORTµES DE MESMA ESPES DOS MUROS RESTAURADOS POR .EEMIAS
SURA TINHAM BARREIRAS COM QUART£IS DA
GUARDA NO ALTO DOS MUROS ACIMA DOS QUAIS #)$!$% #%,%34)!, ! CIDADE PREPARADA
ERA COMUM HAVER TORRES $T  *Z  E EDIlCADA POR $EUS PARA AQUELES QUE LHE
#R   SâO l£IS (B    #ONHECIDA COMO
!S CIDADES ISRAELITAS ERAM RELATIVAMENTE *ERUSAL£M CELESTIAL (B  ESTA £ A
PEQUENAS COM RUAS ESTREITAS CURVAS E NâO CIDADE DO PORVIR (B   4AIS REFERäN
PAVIMENTADAS %C  )S   $E FATO CIAS EM (EBREUS TäM SEU CUMPRIMENTO EM
MUITAS DAS RUAS PARECEM TER SIDO PARCIAL !P   ! .OVA *ERUSAL£M £ ILUMINADA
MENTE BLOQUEADAS PELOS CANTOS PROJETADOS PELA GL˜RIA DE $EUS SERVE COMO LUGAR DE
DAS CASAS 0ERTO DO PORTâO O CENTRO SOCIAL HABITAÀâO DE $EUS ENTRE OS REDIMIDOS PARA
DA CIDADE OS MERCADORES VENDIAM SEUS SEMPRE
PRODUTOS E DECISµES ERAM TOMADAS 'N
 2T    #)$!$% $!3 ­'5!3 EXPRESSâO QUE SE
5MA CIDADE ISRAELITA ERA GOVERNADA REFERE Ü PARTE BAIXA DA CIDADE AMONITA DE
POR UM CONSELHO DE ANCIâOS COMPOSTO 2!"¬ DISTINTA DA CIDADE ALTA OU #)$!$%,!
DE JU¤ZES QUE DEVIAM SER SACERDOTES $T 3M  
  $URANTE A MONARQUIA AS CIDADES
PARECEM TER TIDO GOVERNADORES 2S #)$!$% $% $!6) NOME DE DUAS
 #R   1UANDO *ERUSAL£M FOI CIDADES NA "¤BLIA
REEDIlCADA AP˜S O CATIVEIRO %SDRAS ESCO  &ORTALEZA DE 3)ª/ CIDADE FORTIlCADA DOS
LHEU MAGISTRADOS E JU¤ZES COMO OlCIAIS DA JEBUSEUS MAIS TARDE CONHECIDA COMO
CIDADE %D   *ERUSAL£M #APTURADA PELO REI $AVI E
%M GRANDES CIDADES COM PALÖCIOS E SEUS HOMENS 3M    / FORTE JEBU
TEMPLOS HAVIA UMA RUA QUE PODIA SER SEU DE 3IâO SITUAVA SE EM UM MONTE QUE
RECONHECIDA COMO hCAMINHO LARGOv » DAVA PARA O POÀO DE 3ILO£ NA JUNÀâO DO
PROVÖVEL QUE A REFERIDA RUA TENHA SIDO RIBEIROS DE #EDROM E 4YROPOEON POS
PAVIMENTADA COM PEDRA -UITAS DAS RUAS TERIORMENTE NO SUDESTE DE *ERUSAL£M 
ERAM DIVIDIDAS POR SEÀµES DE ART¤lCES / RELATO DA CAPTURA DE 3IâO INDICA QUE
TRABALHADORES DE COBRE OU FERRO EM O EX£RCITO DE $AVI ENTROU NO FORTE DE
UM CANTO JOALHEIROS EM OUTRO ETC SURPRESA 3M   / hCANAL SUBTERR½
SEMELHANTEMENTE A LOJAS OU VENDAS OCI NEOv MENCIONADO NO TEXTO REFERIA SE
DENTAIS MODERNAS !LGUMAS RUAS TINHAM APARENTEMENTE A UM T¢NEL QUE LEVAVA
#)$!$% $/ 3!, 

DA FONTE SUBTERR½NEA DE ')/- PARA A CI UMA REFERäNCIA PO£TICA A .¤NIVE A CIDADE


DADELA *OABE FOI O QUE SUBIU A FORTALEZA RAINHA DA !SS¤RIA .A  (UZABE !2# 
EM PRIMEIRO LUGAR #R   POR ESSE IMAGEM DA DEUSA .4,( 
MOTIVO CONFORME SUA PROMESSA $AVI
TORNOU *OABE O COMANDANTE OU CHEFE #)$!$% 2%!, 3EDE OU CAPITAL OU
DOS EX£RCITOS DE )SRAEL AINDA CENTRO DE UM GOVERNO REAL NOS
!P˜S A CAPTURA DE 3IâO hHABITOU $AVI TEMPOS B¤BLICOS .OTÖVEIS CAPITAIS DA
NA FORTALEZA E LHE CHAMOU A #IDADE DE "¤BLIA INCLU¤AM *%253!,»- *UDÖ 3!-!2)!
$AVIv 3M   .âO SOMENTE ESTABELE )SRAEL E $!-!3#/ 3¤RIA  / TERMO CIDADE
CEU SUA RESIDäNCIA NO LOCAL COMO TAMB£M REAL TAMB£M APLICA SE A 2!"¬ CAPITAL DOS
AUMENTOU A RESISTäNCIA DAS FORTIlCAÀµES !-/.)4!3 3M  
DA CIDADE #R   0OSTERIORMENTE
3ALOMâO TAMB£M FORTALECEU AS DEFESAS #)$!$% 3!.4! OUTRO NOME PARA *%25
DA CIDADE 2S   / LOCAL DO TEMPLO 3!,»- O CENTRO RELIGIOSO DO POVO JUDEU
DE 3ALOMâO lCAVA ENTRE O MONTE -ORIÖ .E  $N  
VIZINHO E PARTE DA MESMA ROCHA DE ONDE
SA¤A O MONTE 3IâO #)$!$%,! SISTEMA INTERNO OU lNAL DE
 "EL£M LUGAR DE NASCIMENTO DE $AVI DEFESA DE UMA CIDADE MURADA 0ROTEGIDA
3M   ,C   *O  E DE POR SEU PR˜PRIO MURO NO INTERIOR DO MURO
*ESUS O MAIOR DESCENDENTE DE $AVI EXTERNO DA CIDADE A CIDADELA ERA NORMAL
MENTE CONSTRU¤DA SOBRE UMA COLINA COM
#)$!$% $/ 3!, CIDADE NO DESERTO DE MAIOR PROTEÀâO 3ERIA ESTE O LOCAL ONDE OS
*UDÖ *S   » MENCIONADA AO LADO HABITANTES lCARIAM EM ¢LTIMO LUGAR CASO O
DE %. '%$) E PROVAVELMENTE NâO lCAVA INIMIGO DERRUBASSE AS DEFESAS EXTERNAS %M
DISTANTE DESSA CIDADE !LGUNS ESTUDIOSOS CAPITAIS COMO *ERUSAL£M E 3AMARIA O PALÖ
IDENTIlCAM A #IDADE DO 3AL COMO +HIRBET CIO REAL SITUAVA SE DENTRO DA CIDADELA 2S
1UMRAN A CERCA DE  QUIL¹METROS A NORTE  CASA DO REI !2! PALÖCIO .4,( 
DE %N 'EDI E  QUIL¹METROS A SUL DE *ERIC˜
/UTROS ENTRETANTO ESTABELECEM A CIDADE #)$!$%3 #%,%)2/3 DEP˜SITO DE SUPRI
BEM MAIS AO SUL PR˜XIMA DO EXTREMO SUL OU MENTO PARA ARMAZENAMENTO DE ESTOQUES
SUDOESTE DO MAR -ORTO NO 6!,% $/ 3!, DO GOVERNO TAIS COMO COMIDA TESOUROS E
EQUIPAMENTO MILITAR ›X  #R  !
#)$!$% $/ 3/, CIDADE DA DESTRUIÀâO DIFERENÀA ENTRE UMA CIDADE CELEIRO E UMA
EQUIVALENTE AO TERMO HEBRAICO IR HÖ HERES CASA DE DEP˜SITOS PODE REFERIR SE APENAS A
QUE APARECE EM )S  O QUAL AlRMAVA TAMANHO OU COMPLEXIDADE
QUE UMA DAS CINCO CIDADES EG¤PCIAS SERIA /S ESCRAVOS HEBREUS NO %GITO FORAM
CHAMADA DE #IDADE DO 3OL 2! .4,( FORÀADOS A EDIlCAR 0)4/- E 2 !-%33»3 hCI
OU SEJA (ELI˜POLIS A CIDADE B¤BLICA /-  DADES CELEIROSv DE FARA˜ ›X  CIDADES
!LGUMAS VERSµES EM PORTUGUäS SUPµEM QUE DE TESOUROS !2#  CIDADES ARMAZ£NS 4" 
O TEXTO ORIGINAL HEBRAICO SIGNIlCAVA #IDADE 6ÖRIOS REIS DE )SRAEL CONSTRU¤RAM CIDADES
DA $ESTRUIÀâO 2# 4"  / NOME POR TER SIDO CELEIROS $ENTRE ELES 3ALOMâO 2S 
ALTERADO DELIBERADAMENTE DE (ELI˜POLES PARA #R   QUE EDIlCOU INSTALAÀµES PARA
h#IDADE DA $ESTRUIÀâOv COM O OBJETIVO DE GUARDAR SEUS CARROS CAVALOS E CAVALEIROS
INDICAR SUA QUEDA NA IDOLATRIA "AASA #R    *OSAFÖ #R  
%ZEQUIAS #R   
#)$!$% 2!).(! (UZABE NOME DE / CONCEITO DE CIDADE CELEIRO OU CASA DE
UMA RAINHA ASS¤RIA OU MAIS PRECISAMENTE DEP˜SITO £ NO M¤NIMO TâO ANTIGO QUANTO A
 #)$!$%3 $% 2%&Â')/ #
£POCA DE *OS£ %STE ESTABELECEU UMA RESER #)$!$%3 $% 2%&Â')/ SEIS CIDADES
VA DE ALIMENTOS QUE SALVOU O %GITO DA FOME LEV¤TICAS SEPARADAS PARA PROVER ABRIGO E
'N   $URANTE SETE ANOS DE ABUND½NCIA SEGURANÀA AOS CULPADOS POR HOMIC¤DIO
*OS£ ORIENTOU OS AGRICULTORES DO %GITO A $AS  CIDADES CONCEDIDAS AOS LEVITAS SEIS
ARMAZENAR UM QUINTO DE SUA PRODUÀâO FORAM DESIGNADAS COMO CIDADES DE REF¢GIO
$ESSE MODO QUANDO OS SETE ANOS DE FOME TRäS DE CADA UM DOS LADOS DO RIO *ORDâO
CHEGASSEM OS CEREAIS GUARDADOS SACIARIAM .M   *S    !S TRäS CIDADES DE
A ESCASSEZ DA TERRA REF¢GIO A OESTE DO *ORDâO ERAM 15%$%3
.O MUNDO ANTIGO AS CASAS DE DEP˜SITO NA 'ALIL£IA NAS MONTANHAS DE .AFTALI *S
SITUAVAM SE POR VEZES NO SUBSOLO !ZEITE    3)15»- NAS MONTANHAS DE
E VINHO ERAM GUARDADOS NOS TETOS %M %FRAIM *S   #R  E (%"2/-
-EGIDO ARQUE˜LOGOS DESCOBRIRAM UM TAMB£M CONHECIDA COMO 15)2)!4% !2"!
GRANDE SILO PARA ARMAZENAMENTO DE NAS MONTANHAS DE *UDÖ *S  
GRâOS COM A CAPACIDADE DE QUASE  MIL !S TRäS CIDADES A LESTE DO RIO *ORDâO
ALQUEIRES DE GRâOS QUE DATA DA £POCA DO ERAM "%:%2 NO DESERTO DO PLANALTO OU
REI 3ALOMâO PLAN¤CIE DE -OABE E ATRIBU¤DA Ü TRIBO DE
/ PROFETA -ALAQUIAS ACUSOU O POVO DE 2¢BEN $T  *S    2!-/4%
SUA £POCA DE ROUBAR D¤ZIMOS E OFERTAS QUE '),%!$% OU 2AMOTE EM 'ILEADE DA TRIBO
PERTENCIAM A $EUS -L    $ISSE ELE DE 'ADE $T  *S    E '/,ª
h4RAZEI TODOS OS D¤ZIMOS Ü CASA DO TESOUROv EM "ASâ DA MEIA TRIBO DE -ANASS£S $T
-L   h#ASA DO TESOUROv REFERE SE  *S   
APARENTEMENTE A UMA CAIXA DE TESOUROS .O ANTIGO /RIENTE 0R˜XIMO SE UMA PES
QUE DEVIA lCAR NOS LIMITES DO TEMPLO E ERA SOA FOSSE MORTA ERA COMUM QUE O PARENTE
ADMINISTRADA PELOS ,%6)4!3 MAIS PR˜XIMO SE TORNASSE O hVINGADOR DE
SANGUEv .M    $T   ERA
#)$!$%3 $! 0,!.·#)% EXPRESSâO DE SUA RESPONSABILIDADE MATAR O ASSASSINO
USADA PARA FAZER MENÀâO A CINCO CIDADES .O ENTANTO SE UMA PESSOA MATASSE OUTRA
LOCALIZADAS PERTO DO -!2 -/24/ 'N  INVOLUNTARIAMENTE OU NâO AS CIDADES DE
  %M VIRTUDE DE SUA GRANDE IMPIEDADE REF¢GIO HAVIAM SIDO ESCOLHIDAS COMO ASILO
QUATRO DESSAS CIDADES 3ODOMA 'OMORRA PARA QUE AO FUGIR PARA UMA DESSAS CIDADES
!DMÖ E :EBOIM 'N   FORAM A PESSOA PUDESSE VIVER $T  
COMPLETAMENTE DESTRU¤DAS 3OMENTE :OAR !S REGRAS RELACIONADAS A TAIS CIDADES
ESCAPOU DA DESTRUIÀâO 'N    ENCONTRAM SE EM .M  $T   E *S
!NTES DE TAL DESTRUIÀâO A ÖREA ERA  #ASO O ASSASSINO SE ACOLHESSE EM UMA
CONSIDERAVELMENTE IRRIGADA E PRODUTIVA CIDADE DE REF¢GIO ANTES DE O VINGADOR DE
FOI COMPARADA AO JARDIM DO »DEN E AO F£RTIL SANGUE ENCONTRÖ LO TERIA DIREITO A UM
DELTA DO .ILO NO %GITO 'N   !TUAL JULGAMENTO JUSTO E ASILO AT£ A MORTE DO
MENTE A ÖREA £ TOTALMENTE IMPRODUTIVA E SUMO SACERDOTE $EPOIS DISSO O ASSASSINO
EST£RIL TESTEMUNHO ELOQÓENTE DO JU¤ZO DE RECEBIA PERMISSâO PARA VOLTAR PARA CASA
$EUS SOBRE O PECADO DESSES POVOS ANTIGOS NO ENTANTO SE DEIXASSE A CIDADE DE REF¢GIO
'äNESIS  DESCREVE A COMPLETA DESTRUIÀâO ANTES DA MORTE DO SUMO SACERDOTE ESTARIA
DA ÖREA AINDA HOJE OS TERREMOTOS SâO SUJEITO Ü MORTE PELAS MâOS DO VINGADOR DE
MUITO COMUNS SANGUE
%VIDäNCIAS ARQUEOL˜GICAS RECENTES .O .OVO 4ESTAMENTO AS CIDADES DE
LOCALIZAM AS CIDADES DA PLAN¤CIE PERTO DA REF¢GIO TORNARAM SE APARENTEMENTE UM
ENTRADA DE ,ISâ PEN¤NSULA QUE SE PROJETA TIPO OU S¤MBOLO DA SALVAÀâO ENCONTRADA
PARA O MAR -ORTO DE SUA MARGEM ORIENTAL EM #RISTO hCORREMOS PARA O REF¢GIO A lM
#)$!$%3 &/24)&)#!$!3 

DE LANÀAR MâO DA ESPERANÀA PROPOSTAv (B  #R  CANAL CORTADO EM ROCHA
  %M OUTRAS PALAVRAS QUANDO O PECA S˜LIDA A PARTIR DO RIO 'IOM AT£ O RESERVAT˜
DOR FOGE EM DIREÀâO A *ESUS #RISTO PARA SE RIO DE 3ILO£ EM *ERUSAL£M UMA DIST½NCIA
REFUGIAR ESTÖ SEGURO DA IRA DIVINA / AP˜S DE  METROS APROXIMADAMENTE
TOLO 0AULO ESCREVEU hSENDO JUSTIlCADOS
PELO SEU SANGUE SEREMOS POR ELE SALVOS DA #)$!$%3 ,%6·4)#!3  CIDADES CON
IRAv 2M  E h!GORA POIS JÖ NENHUMA CEDIDAS Ü TRIBO DE ,EVI 1UANDO A TERRA
CONDENAÀâO HÖ PARA OS QUE ESTâO EM #RIS DE #ANAâ FOI DIVIDIDA ENTRE AS TRIBOS DE
TO *ESUSv 2M   )NDEPENDENTEMENTE )SRAEL CADA TRIBO EXCETO A DE ,EVI RECEBEU
DE SEU PECADO O PECADOR PODE ENCONTRAR UMA REGIâO OU TERRIT˜RIO ESPEC¤lCO POR SUA
ASILO E REF¢GIO EM #RISTO TODOS OS QUE PARA HERANÀA ! TRIBO DE ,EVI NO ENTANTO ERA
ELE CORREM ENCONTRAM SEGURANÀA hO QUE FORMADA POR SACERDOTES QUE DEVIAM ATEN
VEM A MIM DE MODO NENHUM O LANÀAREI DER ÜS NECESSIDADES RELIGIOSAS E ESPIRITUAIS
FORAv *O   / CRENTE ESTÖ SEGURO PARA DAS OUTRAS TRIBOS 3ENDO ASSIM EM VEZ DE
SEMPRE NA CIDADE DE REF¢GIO CELESTIAL POIS RECEBEREM UM TERRIT˜RIO PARTICULARMENTE
O GRANDE 3UMO 3ACERDOTE *ESUS #RISTO SEU OS LEVITAS FORAM ESPALHADOS POR TODA
NUNCA MORRERÖ hVIVENDO ;*ESUS= SEMPRE A TERRA
PARA INTERCEDER POR ELESv (B   .¢MEROS   DECLARA UM PLANO A
PARTIR DO QUAL A TRIBO DE ,EVI DEVERIA
#)$!$%3 &/24)&)#!$!3 CIDADES OCUPAR  CIDADES DISPERSAS POR TODA A
FORTIlCADAS POR MUROS TORRES PORTµES E 0ALESTINA O REFERIDO PLANO FOI CUMPRIDO
BARRAS $T   DE ACORDO COM AS DISTRIBUI˵ES DESCRITAS
1UANDO OS ISRAELITAS ENTRARAM NA TERRA EM *S   E #R    !S  CIDADES
PROMETIDA DEPARARAM SE COM MUITAS CIDA FORAM DISTRIBU¤DAS DA SEGUINTE FORMA OS
DES FORTIlCADAS PERTENCENTES AOS CANANEUS !2/.)4!3 UMA DAS FAM¤LIAS DOS COATITAS
E AMORREUS *S   / PODER DESSES FORTES RECEBERAM  CIDADES *S    #R
£ PROVADO PELO FATO DE OS CANANEUS TEREM    O RESTANTE DOS #/!4)4!3 RECEBEU
RESISTIDO OS INVASORES ISRAELITAS POR MUITO  CIDADES *S    #R   /S
TEMPO *U¤ZES   DESCREVE A CONQUISTA '%23/.)4!3 RECEBERAM  CIDADES *S 
INCOMPLETA *ERUSAL£M POR EXEMPLO AINDA   #R  E OS -%2!2)4!3 RECEBERAM
PERMANECEU SOB O CONTROLE DOS JEBUSEUS  CIDADES *S    #R   %SSAS
AT£ A £POCA DE $AVI #R    CIDADES E TERRAS ADJACENTES EM COMUM
$EPOIS DE OCUPAREM A TERRA DE #ANAâ OS PASTOS CAMPOS E VINHAS DEVERIAM SER
ISRAELITAS REEDIlCARAM E FORTALECEREM AS DEFE USADAS EXCLUSIVAMENTE PELOS LEVITAS
SAS DESTRU¤DAS / REI 3ALOMâO EDIlCOU h-ILO 3EIS DAS CIDADES LEV¤TICAS ERAM #)$!$%3
E O MURO DE *ERUSAL£M COMO TAMB£M (AZOR $% 2%&·')/ .M    *S    5MA
E -EGIDO E 'EZERv 2S   2OBOâO FORTI PESSOA QUE TIVESSE CAUSADO A MORTE DE OUTRA
lCOU  CIDADES EM *UDÖ #R    !SA PODERIA FUGIR PARA UMA DESSAS CIDADES DE
FORTIlCOU 'EBA E -ISPA 2S   PROTEÀâO DE QUALQUER PESSOA QUE DESEJASSE
.ENHUMA CIDADE PODERIA RESISTIR POR SE VINGAR DA MORTE DE UM INOCENTE VEJA
MUITO TEMPO UM CERCO SEM UMA FONTE DE 6).'!$/2 $/ 3!.'5%  / hREFUGIADOv
ÖGUA ADEQUADA 5MA CIDADE PORTANTO ERA ESTAVA PORTANTO PROTEGIDO AT£ RECEBER
NORMALMENTE EDIlCADA PERTO DE UM RIO OU UM JULGAMENTO JUSTO OU AT£ QUE MORRESSE
UMA FONTE ,ONGAS PASSAGENS SUBTERR½NEAS O SUMO SACERDOTE DE UMA CIDADE DE REF¢GIO
FORAM ESCAVADAS PARA A PROVISâO DE ÖGUA EM PARTICULAR AP˜S O QUE ESTARIA LIVRE PARA
COMO NO CASO DO T¢NEL DE %ZEQUIAS VOLTAR Ü SUA CASA E REQUERER A PROTEÀâO DAS
TAMB£M CHAMADO DE TANQUE DE 3ILO£ 2S AUTORIDADES 
 #).:! #
4RäS DAS CIDADES DE REF¢GIO lCAVAM !T    ! #IL¤CIA TINHA COMO
A LESTE DO RIO *ORDâO "EZER DA TRIBO DE FRONTEIRA A LESTE A 3¤RIA A OESTE A 0ANF¤LIA
2¢BEN 2AMOTE EM 'ILEADE DE 'ADE E AO SUL O MAR -EDITERR½NEO !O NORTE
E 'OLâ DE -ANASS£S *S   !S OUTRAS ERA SEPARADA PELA CADEIA MONTANHOSA DE
TRäS CIDADES DE REF¢GIO lCAVAM A OESTE 4AURUS DA #APAD˜CIA DA ,ICA¹NIA E DA
DO *ORDâO 1UEDES DA TRIBO DE .AFTALI )SA¢RIA
3IQU£M DE %FRAIM E 1UIRIATE !RBA 'EOGRAlCAMENTE A #IL¤CIA DIVIDIA SE
TAMB£M CONHECIDA COMO (EBROM DE NATURALMENTE EM DUAS REGIµES PRINCIPAIS
*UDÖ *S   $E ACORDO COM ESSE PLANO A #IL¤CIA 4RAQU£IA REGIâO MONTANHOSA
OS LEVITAS SITUAVAM SE POR TODA A TERRA E E ACIDENTADA A NORTE E OESTE E A #IL¤CIA
PODIAM DAR ASSISTäNCIA AOS OUTROS ISRAELITAS 0EDIA PLAN¤CIE F£RTIL A LESTE
EM ASSUNTOS ESPIRITUAIS $E MODO PRÖTICO /S JUDEUS DA #IL¤CIA FAZIAM PARTE DE
UMA VEZ QUE SEIS DAS CIDADES LEV¤TICAS ERAM UMA SINAGOGA EM *ERUSAL£M CHAMADA hA
CIDADES DE REF¢GIO OS CIDADâOS RESIDENTES SINAGOGA DOS ,IBERTOSv !T   0AULO
EM CADA REGIâO DA 0ALESTINA TINHAM UM VISITOU A #IL¤CIA LOGO AP˜S A SUA CONVERSâO
REF¢GIO RELATIVAMENTE PR˜XIMO DE SUAS 'L  E NOVAMENTE EM SUA SEGUNDA
CASAS 5MA VISâO PANOR½MICA DO MAPA VIAGEM MISSIONÖRIA !T  
DEMONSTRA QUâO CUIDADOSAMENTE AS CIDA
DES ESTAVAM ESPALHADAS PARA FACILITAR O SEU #·-"!,/ VEJA ).3425-%.4/3 -53)#!)3
ACESSO !LGUMAS DAS CIDADES LEV¤TICAS TAIS $! "Ù",)! 
COMO 'IBEâO "ETE ¬VEN 'ILEADE "ETEL E
'ILGAL TORNARAM SE UMA PARTE IMPORTANTE #).4/ CINTA OU C˜S DE CALÀA PARA AMARRAR
DO SISTEMA RELIGIOSO DE )SRAEL 2S  /S PEÀAS DE ROUPA COMO TAMB£M PARA GUARDAR
  !M    DINHEIRO 1UANDO *ESUS ENVIOU OS DOZE
DISC¤PULOS DISSE LHES QUE NâO LEVASSEM
#)´.#)! ORGANIZAÀâO SISTEMÖTICA DE CO CONSIGO NEM OURO NEM PRATA NEM MOEDAS
NHECIMENTO A RESPEITO DAS LEIS QUE REGEM DE COBRE EM SEUS CINTOS -T  -C 
O MUNDO E O UNIVERSO ! PALAVRA hCIäNCIAv BOLSA 4"  $EVERIAM DEPENDER DA GENERO
OCORRE ALGUMAS VEZES NO TEXTO B¤BLICO SIDADE DAS PESSOAS QUE ENCONTRASSEM PELAS
DENTRE ELAS EM $N  4M  !2#  ALDEIAS E CIDADES
NESSES DOIS CASOS COM O SENTIDO DE hCONHE
CIMENTOv 4ODA A VERDADE QUER REVELADA #).:! RES¤DUO EM P˜ DE MATERIAL QUEIMA
NAS %SCRITURAS QUER OBTIDA POR EXPERIäNCIA DO AS CINZAS QUE SOBRAVAM AP˜S O SACRIF¤CIO
E OBSERVAÀâO DA CRIAÀâO DE $EUS £ VERDADE DE ANIMAIS COMO OFERTAS QUEIMADAS ERAM
DE $EUS / CONHECIMENTO ¢LTIMO ORIGINA LEVADAS E JOGADAS FORA PELO SACERDOTE
SE EM $EUS E EM SUA 0ALAVRA ! PALAVRA hCINZASv TAMB£M £ USADA DE
MODO lGURADO NA "¤BLIA )NDICAVA SINAL
#),!$! TRUQUE OU ESTRAT£GIA PLANEJADA DE LAMENTAÀâO COMO A OCASIâO EM QUE
COM O OBJETIVO DE SEDUZIR OU ENGANAR / -ORDECAI RASGOU SUAS ROUPAS COBRIU SE
AP˜STOLO 0AULO ADVERTIU OS CRISTâOS PARA DE SACO E DE CINZAS E CLAMOU COM ALTO
ESTAREM hlRMES CONTRA AS CILADAS DO DIABOv E AMARGO SOM %T   .O LIVRO DE *˜
%F  ARMADILHAS .4,(  AS CINZAS SIMBOLIZAM ABATIMENTO  E
ARREPENDIMENTO  
#),·#)! PROV¤NCIA NO SUDESTE DA ¬SIA / PROFETA )SA¤AS FALOU A RESPEITO DO ID˜
-ENOR MODERNA 4URQUIA VEJA -APA LATRA COMO A PESSOA QUE hSE APASCENTA DE
 $   ! CAPITAL DA #IL¤CIA ERA 4ARSO CINZAv lGURA DA VAIDADE E DO ENGANO /
LUGAR DE NASCIMENTO DO AP˜STOLO 0AULO -ESSIAS £ AQUELE QUE DÖ hUMA COROA EM VEZ
#)02%34% 

DE CINZASv )S  S¤MBOLO DA MUDANÀA ! CERIM¹NIA FOI RETOMADA QUANDO O POVO
OPERADA POR $EUS ATRAV£S DE *ESUS ENTROU NA TERRA DE #ANAâ *OSU£ CUMPRIU O
RITO NA GERAÀâO NASCIDA NO DESERTO
#)02%34% VEJA 0,!.4!3 $! "Ù",)!  / POVO HEBREU PASSOU A TER GRANDE
ORGULHO DA CIRCUNCISâO DE FATO TORNOU SE
#)2#5.#)3²/ REMOÀâO CIR¢RGICA DO UM EMBLEMA DE SUA SUPERIORIDADE ESPI
PREP¢CIO DO ˜RGâO SEXUAL MASCULINO / RITUAL E NACIONAL %SSA PRÖTICA FAVORECEU
ATO SERVIA COMO SINAL DA !,)!.­! DE $EUS UM ESP¤RITO DE EXCLUSIVISMO EM VEZ DE
COM O SEU POVO UM ZELO MISSIONÖRIO PARA ATINGIR OUTRAS
! CIRCUNCISâO ERA AMPLAMENTE PRATICA NAÀµES CONFORME A INTENÀâO DIVINA
DA NO MUNDO ANTIGO INCLUINDO AS CULTURAS 5M MOMENTO DE ORAÀâO DIÖRIA APENAS
EG¤PCIA E CANAN£IA .O ENTANTO ENTRE ESSES ENTRE VARµES JUDEUS ERA RESERVADO POR ESTES
POVOS O RITUAL ERA REALIZADO NO IN¤CIO DA DURANTE O QUAL AGRADECIAM A $EUS O FATO
PUBERDADE OU POR VOLTA DOS  ANOS DE DE NâO SEREM MULHERES SAMARITANOS NEM
IDADE POR RAZµES DE HIGIENE OU COMO UM GENTIOS
TIPO DE INICIAÀâO CERIMONIAL DA VIRILIDADE /S GENTIOS PASSARAM A SER VISTOS
%M CONTRAPOSIÀâO O POVO HEBREU OPERAVA PELOS JUDEUS COMO A hNâO CIRCUNCISâOv
A CIRCUNCISâO NOS REC£M NASCIDOS 4AL UM TERMO DE DESRESPEITO QUE SIGNIlCAVA
RITUAL TINHA UM IMPORTANTE SIGNIlCADO QUE NâO JUDEUS ESTAVAM FORA DO C¤RCULO
£TICO )NDICAVA A RESPONSABILIDADE DE DO AMOR DE $EUS /S TERMOS hCIRCUNCISOSv
SERVIR COMO POVO SANTO CUJO $EUS O HAVIA E hINCIRCUNCISOSv GANHARAM UMA CARGA
CHAMADO COMO SERVO ESPECIAL NO MEIO DE AFETIVA PARA SIMBOLIZAR )SRAEL E OS VIZINHOS
UM MUNDO PAGâO GENTIOS -AIS TARDE A QUESTâO RENDEU
.A PRIMEIRA MENÀâO DA "¤BLIA Ü CIRCUN DISC˜RDIA NA COMUNHâO DA IGREJA DO .OVO
CISâO $EUS INSTRUIU !BRAâO A CIRCUNCIDAR 4ESTAMENTO
CADA HOMEM DE SUA FAM¤LIA INCLUINDO OS -OIS£S E OS PROFETAS USARAM O TERMO
SERVOS h#IRCUNCIDAREIS A CARNE DO VOSSO CIRCUNCISO COMO S¤MBOLO DE PUREZA DE
PREP¢CIOv 'N  / COSTUME ERA REALI CORAÀâO E PRONTIDâO PARA OUVIR E OBEDECER
ZADO NO OITAVO DIA AP˜S O NASCIMENTO 'N 0OR MEIO DE -OIS£S O 3ENHOR DESAlOU OS
  &L   .A OCASIâO ERA DADO O ISRAELITAS A SUBMETEREM SE Ü CIRCUNCISâO DO
NOME AO lLHO ,C    .A HIST˜RIA CORAÀâO UMA REFERäNCIA Ü NECESSIDADE DE
PRIMITIVA DO POVO HEBREU A CIRCUNCISâO ERA ARREPENDIMENTO hSE O SEU CORAÀâO INCIR
REALIZADA PELO PAI MAS A TAREFA CIR¢RGICA CUNCISO SE HUMILHAR E TOMAREM ELES POR
PASSOU lNALMENTE A SER RESPONSABILIDADE BEM O CASTIGO DA SUA INIQÓIDADEv DECLAROU
DE UM ESPECIALISTA $EUS hENTâO ME LEMBRAREI DA MINHA
! CIRCUNCISâO DO VARâO JUDEU ERA UM RE ALIANÀAv ,V   TAMB£M $T  
QUISITO VIS¤VEL SINAL F¤SICO DO ACORDO ENTRE *EREMIAS CARACTERIZOU OS REBELDES ISRAELITAS
O 3ENHOR E SEU POVO 'N   1UALQUER COMO TENDO OUVIDOS hINCIRCUNCISOSv 
VARâO NâO CIRCUNCIDADO DEVERIA SER ELIMI E A CASA DE )SRAEL COMO hINCIRCUNCISA DE
NADO DO POVO 'N  E CONSIDERADO CORAÀâOv  
COMO VIOLADOR DO ACORDO ›X   .O .OVO 4ESTAMENTO A CIRCUNCISâO
%MBORA A CIRCUNCISâO SEJA UMA EXIGäNCIA FOI lELMENTE PRATICADA POR DEVOTOS JUDEUS
DA LEI MOSAICA O RITUAL FOI NEGLIGENCIADO COMO RECONHECIMENTO DA ALIANÀA CONT¤NUA
DURANTE A £POCA QUANDO O POVO DE )SRAEL DE $EUS COM )SRAEL *OâO "ATISTA ,C 
PEREGRINOU NO DESERTO 4ALVEZ SEJA UM E *ESUS ,C  FORAM CIRCUNCIDADOS
SINAL DE QUE A NAÀâO TENHA VIOLADO SUA .O ENTANTO A CONTROV£RSIA A RESPEITO
ALIANÀA COM $EUS COM A DESOBEDIäNCIA DA CIRCUNCISâO DIVIDIU A IGREJA PRIMITIVA
 #)2%.% #
%F  DA QUAL FAZIAM PARTE GENTIOS E QUE lNALMENTE IMPORTA TANTO PARA JUDEUS
JUDEUS /S CRISTâOS GENTIOS CONSIDERAVAM QUANTO PARA GENTIOS SEGUNDO 0AULO £ UM
SEUS IRMâOS JUDEUS EXCäNTRICOS POR CAUSA NATUREZA TRANSFORMADA UMA NOVA CRIAÀâO
DE SUAS LEIS CONCERNENTES Ü DIETA AO SÖBA QUE OS TORNA UM EM #RISTO %F   
DO E Ü PRÖTICA DA CIRCUNCISâO /S CRISTâOS
JUDEUS COSTUMAVAM VER OS IRMâOS GENTIOS #)2#5.#)3²/ &!,3! EXPRESSâO PARA
INCIRCUNCISOS IGNORANTES E DESOBEDIENTES Ü MUTILAÀâO USADA PELO AP˜STOLO 0AULO A
LEI DE -OIS£S !T   lM DE MOSTRAR SEU DESRESPEITO POR AQUELES
5MA CRISE ESTOUROU NA IGREJA DE !NTIO QUE INSISTIAM QUE UM GENTIO DEVERIA SER
QUIA QUANDO OS CRISTâOS DA *UD£IA CONHE CIRCUNCIDADO ANTES DE SE TORNAR UM CRISTâO
CIDOS COMO JUDAIZANTES ENSINARAM OS SEUS &L  
IRMâOS QUE CASO NâO FOSSEM CIRCUNCIDADOS
SEGUNDO A LEI DE -OIS£S NâO PODERIAM SER #)2#5.&%2´.#)! DIST½NCIA AO REDOR
SALVOS !T    $E FATO OS JUDAIZANTES DE UM OBJETO REDONDO *R  .4,( 
INSISTIAM QUE UM CRENTE QUE VIESSE DE .O TEMPLO DE 3ALOMâO AS DUAS COLUNAS DE
UM CONTEXTO NâO JUDEU GENTIO DEVERIA BRONZE CHAMADAS *!15)- E "/!: TINHAM
TORNAR SE PRIMEIRAMENTE UM JUDEU CERIMO CADA QUAL UMA CIRCUNFERäNCIA DE  C¹VA
NIALMENTE POR MEIO DA CIRCUNCISâO ANTES DOS 2S  OU CERCA DE  METROS O
DE SER ACEITO NA COMUNIDADE DE CRISTâOS -!2 $% "2/.:% TINHA UMA CIRCUNFERäNCIA
5M CONC¤LIO DE AP˜STOLOS E PRESB¤TEROS DE  C¹VADOS 2S  #R  OU CERCA
FOI REALIZADO EM *ERUSAL£M PARA RESOLVER A DE   METROS
QUESTâO !T    %NTRE OS PARTICIPAN
TES ESTAVAM 0AULO "ARNAB£ 3IMâO 0EDRO #)2%.% CIDADE NA COSTA NORTE DA ¬FRICA
E 4IAGO PASTOR DA IGREJA DE *ERUSAL£M FUNDADA POR GREGOS D˜RIOS EM  A#
3EGUNDO O ARGUMENTO DE 0EDRO INSISTIR APROXIMADAMENTE #IRENE TORNOU SE
NA CIRCUNCISâO DOS GENTIOS EQUIVALERIA A ALGUM TEMPO DEPOIS A CAPITAL DA PROV¤NCIA
UM JUGO MUITO PESADO !T    ! ROMANA DE #IRENAICA ANTIGA E ATUAL
DECISâO TOMADA PELO CONC¤LIO QUEBROU O ,¤BIA  ! MEIO CAMINHO ENTRE #ARTAGO E
LEGALISMO PRESO AO JUDA¤SMO !LEXANDRIA POR VOLTA DE  QUIL¹METROS
!NOS MAIS TARDE PARA REFORÀAR A A NORDESTE DA MODERNA "ENGHAZI A
DECISâO O AP˜STOLO 0AULO ESCREVEU AOS CIDADE FOI EDIlCADA EM UM BELO PLANALTO
CRISTâOS DE 2OMA QUE !BRAâO hO PAI DA A APROXIMADAMENTE  METROS ACIMA DO
CIRCUNCISâOv 2M  FOI SALVO PELA F£ E N¤VEL DO MAR
NâO PELA CIRCUNCISâO 2M    3EGUNDO ! MENOS DE  QUIL¹METROS DO MAR
O AP˜STOLO A CIRCUNCISâO NâO TINHA VALOR #IRENE ATRA¤A VIAJANTES E COM£RCIO DE TODO
A MENOS QUE FOSSE ACOMPANHADA DE UM O TIPO ! CIDADE lCOU FAMOSA POR SER UM
ESP¤RITO OBEDIENTE 2M    CENTRO INTELECTUAL #ARN£ADES O FUNDADOR
0AULO TAMB£M FALOU A RESPEITO DA DA NOVA !CADEMIA DE !TENAS E !RISTIPO
hCIRCUNCISâO DE #RISTOv #L  UMA O lL˜SOFO EPICUREU E AMIGO DE 3˜CRATES
REFERäNCIA Ü SUA MORTE EXPIAT˜RIA QUE ESTAVAM DENTRE OS SEUS CIDADâOS DE
hCONDENOU NA CARNE O PECADOv 2M DESTAQUE ! CIDADE RENDEU SE A !LEXANDRE
 E CRAVOU O LEGALISMO hNA CRUZv #L O 'RANDE EM  A# E PASSOU PARA O
  &UNDAMENTALMENTE 0AULO DECLAROU DOM¤NIO ROMANO EM  A#
QUE O NOVO ACORDO DO SANGUE DERRAMADO %MBORA #IRENE NâO SEJA MENCIONADA NO
DE #RISTO CONCEDEU PERDâO A JUDEUS E !NTIGO 4ESTAMENTO ERA UMA IMPORTANTE
GENTIOS E TORNOU A CIRCUNCISâO TOTALMENTE CIDADE NA £POCA DO .OVO 4ESTAMENTO POR
DESNECESSÖRIA 2M   'L   4UDO O CAUSA DE SUA GRANDE POPULAÀâO JUDAICA
#)2/ 

5M CIRENEU CHAMADO 3IMâO FOI OBRIGADO #IRO ERA CONHECIDO NA 0£RSIA COMO
A CARREGAR A CRUZ DE *ESUS -T  -C GOVERNANTE SÖBIO E TOLERANTE &OI CAPAZ
 ,C   /S CIRENEUS ESTAVAM DE GANHAR A AFEIÀâO DE GRUPOS £TNICOS E
PRESENTES NO DIA DE 0ENTECOSTES !T  RELIGIOSOS VARIADOS DENTRO DE SEU GRANDE
FORAM CONVERTIDOS E LOGO EM SEGUIDA IMP£RIO QUE SE ESTENDIA DA ÙNDIA AO
FORAM DISPERSOS POR CAUSA DA PERSEGUIÀâO EXTREMO OESTE DA ¬SIA -ENOR MODERNA
OCORRIDA AP˜S A MORTE DE %STEVâO !T 4URQUIA  / !NTIGO 4ESTAMENTO DESCREVE
   O COMO ESCOLHIDO PELO $EUS DE )SRAEL COMO
0OR SER UMA CIDADE BASTANTE POPULOSA LIBERTADOR DE SEU POVO )SSO NâO SIGNIlCA
#IRENE SUCUMBIU POR VÖRIOS MOTIVOS %M QUE #IRO TENHA SE TORNADO UM SEGUIDOR DO
UM REVOLTA JUDAICA EM   D# MAIS $EUS DE )SRAEL AO CONTRÖRIO ELE MESMO SE
DE  MIL HABITANTES DA CIDADE FORAM DESCREVEU COMO AQUELE QUE HAVIA RECEBIDO
MORTOS NO MOTIM 5M GRANDE TERREMOTO hTODOS OS REINOS DA TERRAv $ECLAROU QUE
EM  A# CONTRIBUIU PARA AUMENTAR O $EUS O HAVIA ENCARREGADO DE CONSTRUIR
SEU DECL¤NIO #OM A INVASâO ÖRABE DE  UMA CASA EM *ERUSAL£M #R   /
D# A CIDADE RENDEU SE lNALMENTE / FAMOSO #ILINDRO DE #IRO COM REGISTROS
LOCAL £ ATUALMENTE UMA TERRA DEVASTADA SOBRE O REINADO DE #IRO REVELOU QUE O
OCUPADA POR BEDU¤NOS DEUS CHEFE DA "ABIL¹NIA -ARDUQUE HAVIA
ACEITADO #IRO COMO hPR¤NCIPE VIRTUOSOv E O
#)2/ REI PODEROSO DA 0£RSIA   HAVIA ESCOLHIDO COMO GOVERNANTE hSOBRE O
A# POR VEZES CHAMADO #IRO O 'RANDE MUNDO TODOv
QUE PERMITIU AOS CATIVOS JUDEUS RETORNAREM %SDRAS   DÖ UMA ID£IA DA ORGANIZA
Ü SUA TERRA NATAL EM *ERUSAL£M DEPOIS DE OS ÀâO CUIDADOSA FEITA POR #IRO COM RELAÀâO
PERSAS TEREM SE TORNADO A NAÀâO DOMINANTE Ü RECONSTRUÀâO DO TEMPLO JUDEU EM *ERU
NO MUNDO ANTIGO .O PER¤ODO DE  ANOS SAL£M !S DIMENSµES OS MATERIAIS E SUPRI
DEPOIS DE SE TORNAR REI DA 0£RSIA #IRO HAVIA MENTOS NECESSÖRIOS FORAM CUIDADOSAMENTE
CONQUISTADO MEDOS L¤DIOS E BABIL¹NIOS DESCRITOS AO LADO DAS ESPECIlCAÀµES DE
  E  A# RESPECTIVAMENTE  » SEVERAS PENALIDADES PARA QUALQUER PESSOA
LOUVADO DE MODO SURPREENDENTE NO !NTIGO QUE ALTERASSE SUAS ORDENS COM RESPEITO Ü
4ESTAMENTO EM )S  E  TEXTOS NOS CONSTRUÀâO
QUAIS £ CHAMADO POR $EUS DE hMEU PASTORv / REINADO DE #IRO TERMINOU EM 
E hUNGIDOv » O ¢NICO GOVERNANTE PAGâO A A# QUANDO FOI MORTO EM BATALHA 3UA
SER HONRADO COM O ¢LTIMO T¤TULO SEPULTURA AINDA PERMANECE EM 0ASÖRGADA
! PRIMEIRA MENÀâO A #IRO NO !NTIGO NO SUDOESTE DO )Râ &OI SUCEDIDO POR SEU
4ESTAMENTO £ FEITA COM RELAÀâO Ü LIBERTA lLHO #AMBISES ))
ÀâO DOS CATIVOS JUDEUS LEVADOS AO CATIVEI
RO BABIL¹NIO DE *UDÖ AO SER PROCLAMADO #)3#/ CAMADA DE SUJEIRA OU RES¤DUO
O SEU RETORNO DO CATIVEIRO #R   ALGO VIL E SEM VALOR / PROFETA *EREMIAS
%D    4AL RESTAURAÀâO DESTACADA COM LAMENTOU QUE *ERUSAL£M TIVESSE SIDO POSTA
A RECONSTRUÀâO DO 4%-0,/ EM *ERUSAL£M COMO hCISCO E REFUGOv NO MEIO DE SEUS
HAVIA SIDO PROFETIZADA POR *EREMIAS *R INIMIGOS ,M  MONTE DE LIXO .4,(
  VEJA TAMB£M )S   / LIVRO ESC˜RIA 4" 
DE %SDRAS CONT£M VÖRIOS RELATOS SOBRE O
ANDAMENTO DO TRABALHO DECRETADO POR #)34%2.! RESERVAT˜RIO ARTIlCIAL PARA
#IRO %D          ARMAZENAMENTO DE L¤QUIDOS ESPECIAL
/ PROFETA $ANIEL ERA MEMBRO DE SUA CORTE MENTE ÖGUA  MAIS ESPECIlCAMENTE
$N     TANQUE SUBTERR½NEO PARA CONTER E
 #)4! #
ARMAZENAR ÖGUA DE CHUVA 0OR APROXI CADA CASA TINHA GERALMENTE SUA PR˜PRIA
MADAMENTE MEIO ANO A ÖGUA DE CHUVA CISTERNA ! QUEDA DE ÖGUA NO TELHADO ERA
EM )SRAEL £ ESCASSA CAINDO PRINCIPAL COLETADA E CANALIZADA EM DIREÀâO Ü CISTER
MENTE DURANTE OS MESES DE INVERNO NA NORMALMENTE SITUADA ABAIXO DA CASA
#OMO RESULTADO FAZIA SE NECESSÖRIO !S CISTERNAS TINHAM GRANDE IMPORT½NCIA
ARMAZENAR ESSA ÖGUA DURANTE OS MESES NAS CIDADES FORTIlCADAS PERMITINDO QUE
CHUVOSOS PARA A ESTAÀâO SECA SUPORTASSEM LONGO PER¤ODO DE CERCO
!NTES DE  A# APROXIMADAMENTE MILITAR INIMIGO
AS CISTERNAS ERAM ESCAVADAS EM ROCHA DE -UITAS REFERäNCIAS A CISTERNAS NA "¤BLIA
CALCÖRIO ENCONTRADA EM MUITAS REGIµES DE SâO SIMB˜LICAS 3OBRE O RISCO DO ADULT£RIO
#ANAâ %M VIRTUDE DA NATUREZA POROSA DO O TEXTO DE 0ROV£RBIOS  DECLARA h"EBE A
CALCÖRIO ENTRETANTO AS CISTERNAS ROMPIAM ÖGUA DA TUA PR˜PRIA CISTERNA E DAS CORRENTES
COM FREQÓäNCIA E SE TORNAVAM INADEQUADAS DO TEU POÀOv *EREMIAS  DESCREVE $EUS
PARA CONTER A ÖGUA DE CHUVA .A £POCA EM COMO hO MANANCIAL DE ÖGUA VIVASv FONTE
QUE )SRAEL CONQUISTOU A TERRA DE #ANAâ UM FRESCA PURA E NATURAL -AS A INlDELIDADE
AVANÀO NOTÖVEL NA CONSTRUÀâO DE CISTERNAS DE *UDÖ LEVOU OS A CAVAREM hCISTERNAS
PERMITIA QUE A PARTE INFERIOR E OS MUROS ROTAS QUE NâO RETäM AS ÖGUASv
DE UMA CISTERNA FOSSEM VEDADOS COM UMA 6EJA TAMB£M 0/­/
ESP£CIE DE REBOCO #OM ISTO ERA POSS¤VEL
CONSTRUIR CISTERNAS PRATICAMENTE POR TODOS #)4! POVO BÖRBARO QUE VIVEU EM
OS LADOS E POSSIBILITOU A EXPLORAÀâO E #¤TIA ANTIGA REGIâO DO SUDESTE EUROPEU
lXAÀâO PERMANENTE DE MUITAS ÖREAS SECAS E SUDOESTE ASIÖTICO VEJA -APA  $ 
5MA CISTERNA DIFERE DE UM POÀO POIS ATUALMENTE IDENTIlCADA COM A 2¢SSIA .OS
ESTE £ ALIMENTADO COM A INlLTRAÀâO DE TEMPOS B¤BLICOS OS CITAS ERAM UMA TRIBO
ÖGUA SUBTERR½NEA JÖ A CISTERNA ARMAZENA DE INVASORES N¹MADES CONHECIDOS POR SUA
ÖGUA DA CHUVA %M MUITAS CIDADES CRUELDADE E BARBÖRIE

#ISTERNA NO .EGUEBE NO SUL DE )SRAEL DE ONDE SE PODE RETIRAR ÉGUA PARA REBANHOS DE OVELHAS
#)4!£À%3 ./ ./6/ 4%34!-%.4/ 

/RIGINÖRIOS DA 3IB£RIA ORIENTAL OS MAIS DE QUATRO MIL NOVAMENTE LEVANDO EM


CITAS MIGRARAM PARA O SUL DA 2¢SSIA EM CONTA CRIT£RIOS PESSOAIS DE COMPILAÀâO
 A# APROXIMADAMENTE -UITOS $IVERSOS VERS¤CULOS DO !NTIGO 4ES
S£CULOS MAIS TARDE MUDARAM SE PARA O TAMENTO SâO MENCIONADOS MAIS DE UMA
NORTE DA 0£RSIA &INALMENTE TORNARAM SE VEZ NO .OVO 4ESTAMENTO ! MAIORIA DA
ALIADOS DOS ASS¤RIOS E OPRIMIRAM A 0£RSIA CITAÀµES SâO FEITAS A PARTIR DA 3%045!').4!
ORIENTAL POR QUASE TRäS D£CADAS $EPOIS A TRADUÀâO GREGA DO !NTIGO 4ESTAMENTO
DE SE TORNAREM UMA POTäNCIA MUNDIAL OS /S AUTORES DO .OVO 4ESTAMENTO lZERAM
MEDOS LEVARAM OS CITAS DE VOLTA Ü 2¢SSIA USO DO !NTIGO 4ESTAMENTO POR DIVERSOS
MERIDIONAL MOTIVOS  PARA DAR CREDIBILIDADE E AUTO
&AMOSOS COMO PIRATAS OS CITAS RIDADE ÜS SUAS DECLARAÀµES OU CONCLUSµES
LEVARAM A CABO GRANDE CAMPANHA DE  PARA RESPONDER QUESTµES OU CENSURAR
SAQUE CONTRA A 3¤RIA E A 0ALESTINA NO ALEGAÀµES DE OPOSITORES  PARA APROFUNDAR
lM DO S£CULO DEZESSETE A# /S PROFETAS INTERPRETAÀµES DO !NTIGO 4ESTAMENTO 
3OFONIAS E *EREMIAS DEVEM TER SE REFERIDO PARA CHAMAR ATENˉO A SITUA˵ES PARALELAS
A ESSA INVASâO *EREMIAS FALOU A RESPEITO  PARA FAZER NOT˜RIA A CONTINUIDADE DA
DE ÖGUAS QUE SE LEVANTARIAM DO NORTE E REVELAÀâO DE $EUS E  PARA DEMONSTRAR
QUE ACABARIAM SE TORNANDO EM hTORREN QUE O !NTIGO 4ESTAMENTO HAVIA PROFETIZADO
TES TRANSBORDANTESv DO JU¤ZO DE $EUS A VINDA DE *ESUS O -ESSIAS
CONTRA AS NAÀµES DESSA REGIâO DO MUNDO
*R   #·4!2! VEJA ).3425-%.4/3 -53)#!)3 

#)4!£À%3 ./ ./6/ 4%34!-%.4/ #,!2)- VEJA ).3425-%.4/3 -53)#!)3 $!


6ÖRIOS TIPOS DE CITAÀµES APARECEM "Ù",)! 
NO .OVO 4ESTAMENTO INCLUINDO AS DE
AUTORES PAGâOS !T  #O  #,­5$)! CRISTâ ROMANA QUE SE UNIU A
4T  E PELO MENOS UMA CITAÀâO 0AULO PARA ENVIAR SAUDAÀµES A 4IM˜TEO
A CERTA DECLARAÀâO DE *ESUS QUE NâO 4M   !LGUNS PESQUISADORES CRäEM
£ REGISTRADA EM NENHUM DOS QUATRO QUE #LÖUDIA TENHA SIDO ESPOSA DE 0RUDEN
EVANGELHOS !T   TE MENCIONADO NO MESMO VERS¤CULO E QUE
/ .OVO 4ESTAMENTO TAMB£M CONT£M ,INO QUE SE TORNARIA BISPO DE 2OMA ERA
DECLARAÀµES DE LITERATURA NâO CAN¹NICA SEU lLHO
PARALELA Ü £POCA DO .OVO 4ESTAMENTO
0OR EXEMPLO *D  E  SâO TEXTOS #,­5$)/ O QUARTO IMPERADOR DO IMP£RIO
PARALELOS A %NOQUE  LIVRO !0Ê#2)&/ ROMANO   D# 4IB£RIO #LÖUDIO
/ .OVO 4ESTAMENTO MANT£M SUA PR˜PRIA .ERO 'ERM½NICO QUE ABOLIU AS ATIVIDADES
INTRATEXTUALIDADE ,C  4M   .O DE ADORAÀâO DO POVO JUDEU NA CIDADE DE
ENTANTO MAIS DO QUE ISSO CITA O !NTIGO 2OMA
4ESTAMENTO O QUE INDICA A IMPORT½NCIA .O IN¤CIO DE SEU REINADO COMO IMPERA
QUE CADA UM DOS TESTAMENTOS TEM PARA A DOR #LÖUDIO FOI FAVORÖVEL AOS JUDEUS E ÜS
COMPREENSâO DO OUTRO SUAS PRÖTICAS RELIGIOSAS .O ENTANTO MAIS
/ N¢MERO DE CITAÀµES E ALUSµES DO !NTI TARDE PROIBIU SEU AJUNTAMENTO E lNAL
GO E DO .OVO 4ESTAMENTOS VARIA DE ACORDO MENTE DECRETOU hQUE TODOS OS JUDEUS SE
COM A CONTAGEM FEITA #ITA˵ES DIRETAS RETIRASSEM DE 2OMAv !T   / REFERIDO
FORAM CALCULADAS DE  A MAIS DE  DECRETO DEVE TER SE ESTENDIDO TAMB£M AOS
1UANDO SâO CONSIDERADAS AS ALUSµES ESSES CRISTâOS QUE ERAM CONSIDERADOS NA £POCA
N¢MEROS PASSAM DE ALGO EM TORNO DE  A UMA FACÀâO DOS JUDEUS
 #/")£! #
¬QÓILA E 0RISCILA QUE SE TORNARAM #/! POVO DESCRITO COMO INIMIGO DE
AMIGOS DO AP˜STOLO 0AULO ERAM REFUGIADOS *ERUSAL£M %Z  
DA )TÖLIA EM VIRTUDE DA ORDEM DO IMPERA
DOR ROMANO !T    / LIVRO DE !TOS #/!2 SEPARAR IMPUREZAS DE UM L¤QUIDO
TAMB£M MENCIONA UMA GRANDE FOME QUE TAL COMO O VINHO -T   .ESSE TEXTO
hSOBREVEIO NOS DIAS DE #LÖUDIOv !T   *ESUS CRITICOU A HIPOCRISIA DOS FARISEUS
6EJA TAMB£M #»3!2 DESCREVENDO OS COMO ZELOSOS COM RELAÀâO
A COISAS INSIGNIlCANTES COMO COAR UM
#,­5$)/ ,·3)!3 VEJA ,Ù3)!3 #,¬5$)/  MOSQUITO ANTES DE TOMAR UM L¤QUIDO
ENQUANTO ENGOLEM UM CAMELO S¤MBOLO
#,%-%.4% MISERICORDIOSO CRISTâO QUE DE SEU PECADO E FARISA¤SMO
TRABALHOU COM O AP˜STOLO 0AULO APARENTE
MENTE EM &ILIPOS &L   %SCRITORES COMO #/!4% SEGUNDO lLHO DE ,EVI 'N  
/R¤GENES %US£BIO E *ER¹NIMO PRESUMIRAM #OATE FOI AO %GITO COM ,EVI E *AC˜ 'N
QUE ESSE #LEMENTE FOSSE O PAI APOST˜LICO  E VIVEU AT£  ANOS ›X   &OI O
CONHECIDO COMO #LEMENTE DE 2OMA 0ES FUNDADOR DOS COATITAS
QUISADORES MODERNOS NO ENTANTO ACREDITAM
QUE A IDENTIlCAÀâO SEJA BASTANTE IMPROVÖVEL #/!4)4!3 PERTENCENTES A #OATE DESCEN
DENTES DE #/!4% lLHO DE ,EVI ›X  
#,%/0!3 UM DOS DOIS DISC¤PULOS COM #OATE FOI PAI DE !NRâO )SAR (EBROM E
QUEM *ESUS CONVERSOU NO CAMINHO DE 5ZIEL ›X   #ONSEQÓENTEMENTE O CLâ
%MA¢S NO DIA DE SUA RESSURREIÀâO ,C COATITA FOI SUBDIVIDIDO ENTRE ESSAS QUATRO
  #LEOPAS APARENTEMENTE NâO FAM¤LIAS #R  
CORRESPONDE A #LOPAS MENCIONADO EM *O $URANTE A JORNADA DE )SRAEL AP˜S A
 PARTIDA DO %GITO OS COATITAS lCARAM
RESPONSÖVEIS PELO CUIDADO E TRANSPORTE DOS
#,/% MULHER SUPOSTAMENTE CRISTâ DE SEGUINTES OBJETOS hA ARCA A MESA O CANDE
#ORINTO OU »FESO QUE SABIA A RESPEITO DAS LABRO OS ALTARES OS UTENS¤LIOS DO SANTUÖRIO
DIVISµES E DISSENSµES DA IGREJA DE #ORINTO COM QUE MINISTRAM O REPOSTEIRO E TODO O
#O  #LO£ .4,( 4"  SERVIÀO A ELES DEVIDOv .M  
1UANDO OS ISRAELITAS lZERAM ACAMPA
#,/0!3 MARIDO DE -ARIA UMA DAS MENTO OS COATITAS lCARAM NO LADO SUL DO
MULHERES PRESENTES NA CRUCIlCAÀâO DE TABERNÖCULO .M    %M £POCAS
*ESUS *O  #L£OFAS $/  #L£OPAS DIFERENTES A "¤BLIA ESPECIlCA A SUA CONTA
4"  $E ACORDO COM A TRADIÀâO #LEOPAS GEM .M    !RâO E -OIS£S ERAM
CORRESPONDIA A !LFEU PAI DE 4IAGO O ME COATITAS ›X    
NOR E DE *OS£ -T  -C   -UITOS
ESTUDIOSOS CONCORDAM QUE #LOPAS NâO SE #/")£! DESEJO INTENSO DE POSSUIR ALGO
IDENTIlCA COM #LEOPAS ,C   OU ALGU£M QUE PERTENCE A OUTRA PESSOA
/S DEZ MANDAMENTOS PRO¤BEM TAL ATITUDE
#.)$/ CIDADE DA PROV¤NCIA DE #ÖRIA ›X  $T   ! COBIÀA SURGE DE
VEJA -APA  #   SITUAVA SE NO EXTREMO UM EGO¤SMO VORAZ E DESCOMPROMISSO
SUDOESTE DA ¬SIA -ENOR E lCAVA ENTRE AS ARROGANTE PARA COM A LEI DE $EUS ! "¤BLIA
ILHAS DE #˜S E 2ODES NO MAR %GEU %M REPETIDAMENTE ADVERTE CONTRA SEU PECADO
SUA VIAGEM EM DIREÀâO A 2OMA O AP˜STOLO *S  2M  0E  
0AULO PASSOU PELO PORTO DE #NIDO DEPOIS -UITOS EXEMPLOS DE COBIÀA SâO MENCIO
DE PARTIR DE -IRRA NADOS NA "¤BLIA A GAN½NCIA DE 'EAZI 2S
#/"2! 

  A TRAIÀâO DE *UDAS -T   UM IMPOSTO SOBRE A OPERAÀâO DO TEMPLO


O RICO INSENSATO ,C   O JOVEM !S DISTIN˵ES ENTRE O TIPO DE GOVERNO
DE POSIÀâO ,C   E A FRAUDE DE QUE UMA DETERMINADA PROV¤NCIA RECEBIA
!NANIAS E 3AlRA !T    / AP˜STOLO DITAVA OS TIPOS DE IMPOSTOS QUE SEU POVO
0AULO CLASSIlCOU TAL PECADO DE IDOLATRIA DEVERIA PAGAR 0OR EXEMPLO UMA VEZ QUE
#L   !DMOESTOU OS CRENTES A NâO SE ALGUMAS PROV¤NCIAS COMO A 'ALIL£IA NâO
ASSOCIAREM COM UM IRMâO GANANCIOSO OU ESTAVA SOB O REGIME DE UM GOVERNANTE IM
AVARENTO #O    PERIAL OS IMPOSTOS lCAVAM NA PROV¤NCIA
! MELHOR FORMA DE EVITAR UMA ATITUDE EM VEZ DE IREM PARA O TESOURO IMPERIAL
EGO¤STA AVARENTA £ CONlAR NO 3ENHOR E EM 2OMA 4AIS DIFERENÀAS NO SISTEMA DE
ENFRENTAR RESPONSABILIDADES 'L   IMPOSTOS MOTIVARAM OS FARISEUS NA *UD£IA
4S    0ARA AQUELES QUE FOREM UM PROV¤NCIA IMPERIAL A PERGUNTAREM A
TENTADOS PELA COBIÀA E COISAS SEM VALOR *ESUS h» L¤CITO PAGAR TRIBUTO A #£SAR OU
3L  *ESUS DECLARA h4ENDE CUIDADO NâOv -T  
E GUARDAI VOS DE TODA E QUALQUER AVAREZA #OMO MEMBROS DE UMA CLASSE OS
PORQUE A VIDA DE UM HOMEM NâO CONSISTE COBRADORES DE IMPOSTOS ERAM DESPREZADOS
NA ABUND½NCIA DOS BENS QUE ELE POSSUIv POR SEUS COMPANHEIROS JUDEUS %RAM NOR
,C   MALMENTE CLASSIlCADOS COMO hPECADORESv
-T   -C  PROVAVELMENTE
#/"2! VEJA !.)-!)3 $! "Ù",)!  PORQUE TINHAM PERMISSâO PARA COLETAR
MAIS DO QUE O GOVERNO EXIGIA E PORTANTO
#/"2!$/2 $% )-0/34/3 REPRESENTAN EMBOLSAVAM A QUANTIA EXCEDENTE *OâO
TE OU TRABALHADOR CONTRATADO QUE COLETAVA "ATISTA FALOU A ESTE RESPEITO QUANDO
IMPOSTOS PARA O GOVERNO DURANTE OS TEMPOS INSISTIU QUE OS COBRADORES DE IMPOSTOS
B¤BLICOS ! PALAVRA GREGA TRADUZIDA POR COLETASSEM APENAS A QUANTIA QUE DEVIAM
hCOBRADOR DE IMPOSTOSv £ INCORRETAMENTE ,C    -AS MESMO DEPOIS OS CO
TRADUZIDA POR hPUBLICANOv !2! !2# 4"  BRADORES DE IMPOSTOS FORAM ODIADOS VISTO
0UBLICANOS ERAM HOMENS RICOS NORMAL QUE SEUS COMPATRIOTAS OS CONSIDERAVAM
MENTE NâO JUDEUS CONTRATADOS PELO GOVERNO MERCENÖRIOS A SERVIÀO DE UM OPRESSOR
ROMANO COMO RESPONSÖVEIS PELOS IMPOSTOS DE ESTRANGEIRO DO POVO JUDEU
UM DISTRITO EM PARTICULAR DO ESTADO ROMANO *ESUS NO ENTANTO ESTABELECEU UM NOVO
IMPERIAL 4AIS PUBLICANOS ERAM FREQÓENTE PRECEDENTE ENTRE OS JUDEUS ACEITANDO
MENTE ESCOLTADOS POR FORÀA MILITAR E SE ASSOCIANDO COM OS COBRADORES DE
%M CONTRAPOSIÀâO OS COBRADORES DE IMPOSTOS / -ESTRE COMEU COM ELES -C
IMPOSTOS MENCIONADOS NO .OVO 4ESTAMENTO  CONCEDEU LHES SUA GRAÀA REDENTORA
REFEREM SE COM POSS¤VEL EXCEÀâO DE :AQUEU ,C  E AT£ ESCOLHEU UM COBRADOR DE
A PESSOAS CONTRATADAS POR PUBLICANOS PARA IMPOSTOS -ATEUS COMO UM DE SEUS DOZE
FAZEREM A COLETA REAL DE DINHEIRO NAS ÖREAS DISC¤PULOS -T   ! MENSAGEM DE *ESUS
RESTRITAS ONDE HABITAVAM 4AIS HOMENS ERAM ERA QUE $EUS RECEPCIONARIA COM ALEGRIA O
JUDEUS NORMALMENTE NâO MUITO ABASTADOS ARREPENDIDO E HUMILDE COLETOR DE IMPOS
E PODIAM SER VISTOS NO TEMPLO ,C   TOS MAS REJEITARIA O ARROGANTE FARISEU ,C
%RAM PROVAVELMENTE CONHECIDOS DO POVO    3UA MISSâO ERA LEVAR OS PERDIDOS E
DE QUEM COBRAVAM IMPOSTOS PECADORES PESSOAS COMO OS COBRADORES DE
/S COBRADORES DE IMPOSTOS REUNIAM VÖ IMPOSTOS DE SUA £POCA Ü PRESENÀA DE $EUS
RIOS E DIFERENTES TIPOS DE IMPOSTOS 2OMA -T   
ARRECADAVA DOS JUDEUS UM IMPOSTO SOBRE
A TERRA UM IMPOSTO ELEITORAL AT£ MESMO #/"2% VEJA -).%2!)3 $! "Ù",)! 
 #/,%4! #
#/"2)2 ! #!"%£! PRÖTICA ENTRE AS  &ILHO DE -AAS£IAS CUJOS DESCENDENTES
MULHERES DE USAR UMA PROTEÀâO NA CABEÀA VIVERAM EM *ERUSAL£M AP˜S O CATIVEIRO
DURANTE OS CULTOS DA IGREJA PRIMITIVA .E  
/ AP˜STOLO 0AULO ARGUMENTOU QUE UMA  0AI DE !#!"% O FALSO PROFETA CONDENADO
MULHER QUE PARTICIPASSE DOS CULTOS DEVERIA POR *EREMIAS *R   
TER SUA CABEÀA COBERTA #O   
$E ACORDO COM 0AULO ISTO ERA UM #/,!2 OS COLARES ERAM MUITO COMUNS
hSINAL DE AUTORIDADEv #O   ! EM TODO O MUNDO ANTIGO !PARECIAM COM
MULHER CRISTâ HAVIA RECEBIDO UMA NOVA FREQÓäNCIA EM MONUMENTOS E PINTURAS
LIBERDADE E AUTORIDADE ESPIRITUAL DE #RISTO MUITOS FORAM DESCOBERTOS POR ARQUE˜LOGOS
'L   3ENDO ASSIM ESTAVA APTA A ORAR 0ENDENTES EM FORMATO DE LUA OU DE MEIA
E PROFETIZAR NAS REUNIµES !O COBRIR SUA LUA ERAM USADOS AO REDOR DOS PESCOÀOS
CABEÀA NO ENTANTO DEMONSTRARIA QUE DE CAMELO TALVEZ COMO AMULETOS DA
SUA AUTORIDADE HAVIA SIDO OUTORGADA POR DEUSA !34!2/4% -UITOS COLARES ERAM
$EUS NâO VINHA DELA MESMA 3EM COBRIR USADOS PROVAVELMENTE COMO AMULETOS OU
A CABEÀA A MULHER PODERIA OFENDER OS ENCANTAMENTOS %RAM FEITOS DE METAIS
REC£M CONVERTIDOS JUDEUS OU OUTROS QUE PRECIOSOS E CORDµES DE J˜IAS #T  %Z
MANTINHAM A ANTIGA TRADIÀâO DE QUE   #ORRENTES DE OURO ERAM USADAS POR
AS MULHERES SEMPRE DEVERIAM COBRIR PESSOAS DE ALTA POSIÀâO 'N  $N 
SUAS CABEÀAS EM P¢BLICO COMO SINAL DE   6EJA TAMB£M #/22%.4% #!$%)!
MOD£STIA
#/,#(%4% PALAVRA DA !2! PARA GANCHOS
#/#%)2! 0252)$/ VEJA $/%.­!3 $! ›X   PRENDEDORES .4,(  4AIS
"Ù",)!  GANCHOS ERAM PRENDEDORES NOS QUAIS AS
CORTINAS DO TABERNÖCULO lCAVAM PRESAS
#/#(%)2/ VEJA 02/&)33¡%3 % /#50!­¡%3 
#/,%4! ARRECADAÀâO DE DINHEIRO COM
#¼$)#% PRECURSOR DO LIVRO MODERNO DOIS PROP˜SITOS DISTINTOS
5M C˜DICE CONTINHA VÖRIAS FOLHAS DE  .O !NTIGO 4ESTAMENTO REFERE SE A
PAPIRO REUNIDAS PELO MEIO E COSTURADAS UM IMPOSTO RELIGIOSO NâO VOLUNTÖRIO
PELA DOBRA 0OR SER MAIS CONVENIENTE Ü COBRADO DO POVO DE )SRAEL PELOS LEVITAS
LEITURA DO QUE O 2/,/ O C˜DICE TAMB£M #R    ! LEI MOSAICA TAMB£M
PODIA SER ESCRITO EM AMBOS OS LADOS 6EJA REFERE SE A ESSE IMPOSTO COMO hRESGATEv
TAMB£M %3#2)4! ›X  E hDINHEIRO DA EXPIAÀâOv ›X
 
#/%,(/ VEJA !.)-!)3 $! "Ù",)!   .O .OVO 4ESTAMENTO REFERE SE A UMA
CONTRIBUIÀâO VOLUNTÖRIA ARRECADADA
#/%.42/ VEJA 0,!.4!3 $! "Ù",)!  NAS IGREJAS DE TERRIT˜RIOS GENTIOS PARA
DISTRIBUIÀâO AOS CRISTâOS NECESSITADOS
#/&2% PALAVRA DA !2! PARA CAIXA DE EM *ERUSAL£M %M SUAS CARTAS ÜS IGREJAS
MADEIRA OU RECIPIENTE NO QUAL OS lLISTEUS EM #ORINTO E EM 2OMA O AP˜STOLO
DEPOSITAVAM SUA OFERTA DE CULPA AO $EUS 0AULO EXPLICOU A NECESSIDADE DA COLETA
DE )SRAEL 3M    CAIXA .4,( #R E ENCORAJOU OS CRISTâOS GENTIOS A CONTRI
   BU¤REM GENEROSAMENTE PARA ESSA CAUSA
2M   #O   #O   
#/,!·!3 NOME DE DOIS HOMENS DO !L£M DISSO O AP˜STOLO TAMB£M DEU
!NTIGO 4ESTAMENTO DIRETRIZES ¢TEIS SOBRE A CONTRIBUIÀâO CRISTâ
#/,(%)4! 

EM SEUS ENSINOS ! DOAÀâO DEVERIA SER FEITA #/, (/:³ UM VIDENTE COMPLETO
NO PRIMEIRO DIA DA SEMANA DOMINGO E DE NOME DE UM OU DOIS HOMENS DO !NTIGO
ACORDO COM A CONDIÀâO DE CADA PESSOA 4ESTAMENTO
0AULO TAMB£M ENSINOU QUE O ATO DEVE SER  0AI DE 3ALUM O HOMEM QUE REPAROU
GENEROSO VOLUNTÖRIO E EM RESPOSTA Ü GRAÀA A 0ORTA DA &ONTE DE *ERUSAL£M AP˜S O
DE $EUS E AO SEU hDOM INEFÖVELv #O CATIVEIRO .E  
  4AIS ORIENTAÀµES CONTINUAM VÖLIDAS  0AI DE "ARUQUE DA TRIBO DE *UDÖ .E
PARA TODOS OS CRISTâOS   4RATA SE PROVAVELMENTE DE #OL
(OZ£ DA ACEPÀâO ACIMA
#/,(%)4! PER¤ODO lNAL DA ESTAÀâO DE
CULTIVO QUANDO AS SAFRAS SâO COLHIDAS ! #/,·2)/ UNGÓENTO MEDICINAL COMPOSTO
COLHEITA ERA UMA DAS £POCAS MAIS FELIZES DO APLICADO NAS PÖLPEBRAS !P   %SSE
ANO NA 0ALESTINA 3L   )S  MAR COL¤RIO FOI MENCIONADO POR *OâO NO LIVRO
CADA COM COMEMORAÀµES E FESTAS RELIGIOSAS DE !POCALIPSE EM SUA MENSAGEM Ü IGREJA
›X   (AVIA DUAS COLHEITAS DE GRâOS DE ,AODIC£IA 5M REM£DIO POPULAR PARA
! CEVADA ERA COLHIDA A PARTIR DOS MEADOS OS OLHOS CONHECIDO COMO hP˜ FR¤GIOv ERA
DE ABRIL EM DIANTE E O TRIGO NO MEIO DE UMA DAS FONTES DE RIQUEZA DE ,AODIC£IA
MAIO ! COLHEITA DE FRUTAS DAS ÖRVORES E ! ESCOLA M£DICA DE ,AODIC£IA ERA FAMOSA
DAS VINHAS ACONTECIA NO OUTONO PELO PREPARO E USO DESSE COL¤RIO 0ARA TRATAR
/ PROCESSO DE COLHER O GRâO ERA FEITO DA CEGUEIRA ESPIRITUAL DA IGREJA hMORNAv DE
COM O CORTE DE UMA PEQUENA FOICE $T ,AODIC£IA *OâO DISSE LHES QUE O 3ENHOR
 -C   %M SEGUIDA ERA REUNIDO DEVERIA UNGIR SEUS OLHOS COM COL¤RIO PARA
EM FEIXES $T   $EPOIS O GRâO ERA QUE PUDESSEM VER OU CONHECER A VERDADE
LEVADO PARA A EIRA IMPORTANTE LOCAL
COM UMA SUPERF¤CIE DURA E NORMALMENTE #/,½.)! AGRUPAMENTO DE EMIGRANTES
SITUADO COM CERTA ELEVAÀâO 6ÖRIAS OU DE SEUS DESCENDENTES EM UMA TERRA
FERRAMENTAS TAIS COMO MALHOS DE METAL DISTANTE MAS QUE SE MANT£M SUJEITO AO
CORTANTES PUXADOS POR BOIS ERAM USADAS PA¤S DE ORIGEM .O .OVO 4ESTAMENTO A
PARA DEBULHAR E SOVAR )S    / PALAVRA OCORRE APENAS UMA VEZ EM UMA
GRâO ERA ENTâO JOGADO PARA O AR COM UM REFERäNCIA Ü CIDADE DE &ILIPOS !T  
GARFO DE LAVOURA / VENTO LEVAVA A PALHA !QUI TEM O SIGNIlCADO ESPEC¤lCO DE
MAS OS GRâOS MAIS PESADOS CA¤AM NO CHâO ASSENTAMENTO MILITAR OU CIDADE GUARNE
-T   CIDA DE LEGIONÖRIOS ROMANOS REFORMADOS E
&INALMENTE OS GRâOS ERAM PENEIRADOS OUTROS CIDADâOS ROMANOS POSICIONADOS EM
COM UMA PENEIRA FEITA DE ARCO DE MADEIRA UMA ÖREA PARA MANTER O CONTROLE DE UM
COM TIRAS DE COURO )S  !M   %M POVO CONQUISTADO &),)0/3 TORNOU SE UMA
SEGUIDA O CEREAL ERA ARMAZENADO COL¹NIA ROMANA EM  A# COM OS DIREITOS
! COLHEITA TORNOU SE UM S¤MBOLO DO LEGAIS DE CIDADâOS ROMANOS E LIBERDADE DO
JULGAMENTO DE $EUS *R  *L   *ESUS CONTROLE DO GOVERNADOR DA PROV¤NCIA
COMPAROU O JU¤ZO lNAL COM A COLHEITA -T
  !P    .O ENTANTO *ESUS #/,/33%.3%3 %0·34/,! !/3 UMA
USOU A MESMA METÖFORA PARA O AJUNTAMENTO DAS QUATRO EP¤STOLAS ESCRITAS POR 0AULO
DE TODOS OS QUE NELE CONlAM -T   ENQUANTO ESTAVA PRESO !S OUTRAS SâO
,C  INDICANDO QUE A COLHEITA lNAL JÖ &ILIPENSES %F£SIOS E &ILEMON ! EP¤STOLA
INICIOU COM A SUA PRIMEIRA VINDA *O   AOS #OLOSSENSES DESTACA A PESSOA E A OBRA
DE *ESUS #RISTO !TINGE AUGES DE EXPRESSâO
#/,(%)4! &%34! $! VEJA &%34!3  INCOMPARÖVEIS A QUALQUER OUTRA NAS
 #/,/33%.3%3 %0·34/,! !/3 #
5- %3"/£/ $)$­4)#/
0!24%  ! 3502%-!#)! $% #2)34/ .! )'2%*  n
) ).42/$5£²/  
! 0AULO SAÞDA OS COLOSSENSES   
#/,/33%.3%3
" 0AULO DÉ GRA AS PELOS COLOSSENSES   
# 0AULO ORA PELOS COLOSSENSES   
)) ! 3502%-!#)! $% #2)34/  n
! ! SUPREMACIA DE #RISTO NA CRIA ÎO   
" ! SUPREMACIA DE #RISTO NA REDEN ÎO  
# ! SUPREMACIA DE #RISTO NA IGREJA  n
))) ! ,)"%2$!$% %- #2)34/  
! ,IBERDADE DOS RACIOCÓNIOS FALAZES   
" ,IBERDADE DA VÎ lLOSOlA   
# ,IBERDADE DO JULGAMENTO HUMANO  
$ ,IBERDADE DO CULTO INADEQUADO  
% ,IBERDADE DAS DOUTRINAS HUMANAS   
0!24%  ! 35"-)33²/ ! #2)34/ .! )'2%*!  n
) ! #/.$)£²/ $/ #2)34²/  
)) / #/-0/24!-%.4/ #2)34²/  n
! &AZEI MORRER A NATUREZA TERRENA  
" 2EVESTI VOS DA NOVA NATUREZA   
# 0RECEITOS PARA A SANTIDADE PESSOAL  n
 ! SANTIDADE NA VIDA FAMILIAR   
 ! SANTIDADE NA VIDA PROlSSIONAL n
 ! SANTIDADE NA VIDA PÞBLICA   
))) #/.#,53²/  
! ! RECOMENDA ÎO DE 4ÓQUICO   
" 3AUDA ÜES DOS AMIGOS DE 0AULO  
# $IVERSOS ASSUNTOS RELACIONADOS Ì EPÓSTOLA   

%SCRITURAS A RESPEITO DE #RISTO ! EP¤STOLA HINO MAJESTOSO A #RISTO ENFATIZANDO SUA


APRESENTA MUITAS SEMELHANÀAS EM ESTILO E FUNÀâO NA CRIAÀâO E NA REDENÀâO   
CONTE¢DO COM RELAÀâO A %F£SIOS &OI ESCRITA Ã LUZ DO INSUPERÖVEL VALOR DE #RISTO E
PROVAVELMENTE NA MESMA £POCA DA BREVE DE SUA OBRA 0AULO PRONTAMENTE ACEITA O
CARTA A &ILEMON COMPARE #L   E &M COMPROMISSO DE PROCLAMAR #RISTO E DE
   SOFRER POR ELE    %LE TAMB£M APELA
%3425452! $! %0Ù34/,! #OLOSSENSES AOS COLOSSENSES PARA QUE SE lRMEM EM
DIVIDE SE PRATICAMENTE COMO A MAIORIA #RISTO EM VEZ DE SEGUIREM ESPECULA˵ES
DAS EP¤STOLAS DE 0AULO EM UMA SEÀâO CONFUSAS   
DOUTRINÖRIA CAP   E OUTRA PRÖTICA CAP .A SEGUNDA SEÀâO 0AULO INSISTE QUE OS
   !P˜S A ABERTURA INICIAL   0AULO CRISTâOS DE #OLOSSOS MOLDEM SEU COMPOR
EXPRESSA SUA GRATIDâO PELA F£ PELO AMOR TAMENTO DE ACORDO COM SUA F£ 6ISTO QUE
PELA ESPERANÀA E PELO EXEMPLO DOS COLOS OS CRENTES COMPARTILHAM DA RESSURREIÀâO
SENSES    %M SEGUIDA DESENVOLVE UM EM #RISTO   0AULO ENCORAJA OS A
#/,/33/3 

CONTINUAR VIVENDO PARA AGRADAR A $EUS SUTILEZAS  DOS HOMENSv  QUE TäM
2ECOMENDA AINDA QUE hSE DESPOJEMv DOS hAPARäNCIA DE SABEDORIAv  MAS SEM
MAUS HÖBITOS E hSE REVISTAMv DO CARÖTER DE PROVEITO ALGUM $ECLARA QUE O ACR£SCIMO
#RISTO    / VERDADEIRO CRISTIANISMO DE TAIS COISAS ENFRAQUECE A F£ EM VEZ DE
TAMB£M AGE SOBRE OS RELACIONAMENTOS FORTALECä LA  
SOCIAIS ENTRE MARIDOS E ESPOSAS   .O ENTANTO 0AULO VAI AL£M DE DENUNCIAR
PAIS E lLHOS   ESCRAVOS E DONOS O FALSO ENSINO / MELHOR CORRETIVO £ lRMAR
   0AULO CONCLUI COM UMA NOTA SE NA PESSOA DE *ESUS #RISTO E NO QUE ELE FEZ
SOBRE O TESTEMUNHO AOS DESCRENTES   POR NOSSA SALVAÀâO %M #RISTO hTODOS OS
E COM SUAS HABITUAIS SAUDA˵ES    TESOUROS DA SABEDORIA E DO CONHECIMENTO
!54/2)! % $!4! ! EP¤STOLA FOI ESCRITA ESTâO OCULTOSv  E NELE hRESIDE TODA
POR 0AULO E 4IM˜TEO  PARA UMA COMU A PLENITUDEv   $E FATO #RISTO h£ A
NIDADE CRISTâ TALVEZ hIGREJAS HOSPEDADAS IMAGEM DO $EUS INVIS¤VELv   %LE
EM CASASv   QUE ELE AINDA NâO HA DESPOJOU TODOS OS PODERES E PRINCIPADOS
VIA VISITADO   0AULO HAVIA ESTABELECIDO QUE SE LHE OPUNHAM  CANCELOU TODAS
UM MINIST£RIO RESIDENTE EM »FESO A  AS ACUSAÀµES CONTRA N˜S  E REALMENTE
KM A OESTE DE #OLOSSOS 0OR MAIS DE DOIS RECONCILIOU hCONSIGO MESMO TODAS AS COISASv
ANOS A INmUäNCIA DE SEU MINIST£RIO HAVIA   *ESUS NâO £ APENAS O CABEÀA DA IGREJA
ATINGIDO hTODOS OS HABITANTES DA ¬SIAv !T  COMO TAMB£M £ ANTES DOS TEMPOS
  %PAFRAS DEVE TER OUVIDO 0AULO EM ESTÖ ACIMA DE TODO O PODER E £ O lM DE TODA
»FESO E EM SEGUIDA LEVADO O EVANGELHO A HIST˜RIA  
AT£ #OLOSSOS      %SSA BELA EP¤STOLA SOBRE A MAJESTADE DE
0AULO ESCREVEU A EP¤STOLA DA PRISâO  *ESUS #RISTO FALA A RESPEITO DE N˜S TANTO
  MAS NâO INDICOU ONDE ESTAVA PRE QUANTO DOS COLOSSENSES ,EMBRA NOS QUE
SO (Ö SUGESTµES QUANTO A #ESAR£IA E »FESO *ESUS #RISTO £ SUlCIENTE PARA CADA NECES
O LUGAR MAIS PROVÖVEL POR£M £ 2OMA !T SIDADE E CONTINUA SENDO O MAIOR PODER NO
  3ENDO ASSIM A EP¤STOLA SERIA DATADA MUNDO
NO lNAL DOS ANOS  OU IN¤CIO DOS 
#/.4%84/ ()34Ê2)#/ &ALSOS ENSINOS #/,/33/3 CIDADE NA PROV¤NCIA ROMANA
HAVIAM CRESCIDO EM #OLOSSOS %STES ERAM DA ¬3)! LESTE DA 4URQUIA SITUADA NO VALE
UMA COMBINAÀâO DE LEIS JUDAICAS  E DO ,ICO POR VOLTA DE  QUIL¹METROS A
DE ESPECULAÀµES PAGâS   £ POSS¤VEL QUE LESTE DE »FESO / AP˜STOLO 0AULO ESCREVEU
ISTO TENHA SIDO RESULTANTE DE UMA FORMA UMA CARTA Ü IGREJA DE #OLOSSOS #L   !
PRIMITIVA DE './34)#)3-/ 4AL ENSINO PRE COMUNIDADE CRISTâ EM #OLOSSOS CRESCEU
TENDIA ACRESCENTAR ALGO AO EVANGELHO QUE APARENTEMENTE SOB A LIDERANÀA DE %PAFRAS
AO MENOS INDIRETAMENTE HAVIA SURGIDO DE #L   E !RQUIPO #L  &L  
0AULO 0ARTE DOS ACR£SCIMOS MENCIONADOS &ILEMON E /N£SIMO VIVIAM EM #OLOSSOS
PELO AP˜STOLO SâO FESTAS E OBSERV½NCIAS #L  
ALGUMAS DAS QUAIS RELACIONADAS A !342/ ! CIDADE FORMAVA UM TRI½NGULO COM
,/')!  AL£M DE UMA LISTA DE REGRAS OUTRAS DUAS CIDADES DO VALE DO ,ICO (IE
  4AIS PRÖTICAS HAVIAM SIDO INCLU¤DAS RÖPOLIS E ,AODIC£IA AMBAS MENCIONADAS
EM UM TIPO DE lLOSOlA NA QUAL OS ANJOS DE NO .OVO 4ESTAMENTO *Ö NO S£CULO  A#
SEMPENHAVAM UMA FUNÀâO ESPECIAL   #OLOSSOS ERA CONHECIDA COMO UMA CIDADE
0AULO CHAMA TAL lLOSOlA DE hRUDIMENTOS PR˜SPERA MAS POR VOLTA DO IN¤CIO DA ERA
DO MUNDOv   CRISTâ FOI OFUSCADA POR SEUS DOIS VIZINHOS
#/.42)"5)­ª/ 4%/,Ê')#! 0AULO #ONSEQÓENTEMENTE SUA REPUTAÀâO PASSOU
DESMASCARA O FALSO ENSINO COMO hVâS A SER A DE UMA PEQUENA CIDADE
 #/-³2#)/ #
0OUCO TEMPO DEPOIS DE O AP˜STOLO 0AULO #/-"534·6%, QUALQUER TIPO DE
ENVIAR SUA EP¤STOLA A #OLOSSOS AS CIDADES MATERIAL QUE QUEIMADO PRODUZISSE CALOR
DO VALE DO ,ICO SOFRERAM UM TERREMOTO OU LUZ .A 0ALESTINA A MADEIRA E OUTRAS
DEVASTADOR EM  D# -AS FORAM LOGO FONTES DE COMBUST¤VEL SâO RARAS !S PESSOAS
RECONSTRU¤DAS AT£ MESMO ,AODIC£IA QUE USAVAM PRATICAMENTE QUALQUER SUBST½NCIA
HAVIA SOFRIDO OS MAIORES DANOS %MBORA INmAMÖVEL COMO COMBUST¤VEL ! "¤BLIA
#OLOSSOS FOSSE PROGRESSIVAMENTE OFUSCADA FALA SOBRE A ERVA DO CAMPO ,C  E
POR (IERÖPOLIS E ,AODIC£IA MANTEVE O ESTERCO %Z  COMO COMBUST¤VEIS
IMPORT½NCIA CONSIDERÖVEL NO SEGUNDO E NO USADOS PARA COZINHAR ALIMENTOS / AZEITE
TERCEIRO S£CULOS D# -AIS TARDE SUA POPU ERA USADO PARA PRODUZIR LUZ ›X  
LAÀâO TRANSFERIU SE PARA #HONAI MODERNA
(ONAZ A TRäS MILHAS AO SUL ! COLINA QUE #/-%2 CONSUMO DE ALIMENTO DURANTE
ASSINALA A POSIˉO DE #OLOSSOS PERMANECE REFEI˵ES /S ISRAELITAS COMIAM PELA
DESABITADA AINDA HOJE MANHâ E Ü NOITE ›X  *O    
.O ENTANTO ESSE COSTUME NâO IMPEDIA
#/,5.! $% &/'/ % $% .56%- REFEI˵ES LEVES NOS INTERVALOS 0OR EXEMPLO
FEN¹MENO PELO QUAL $EUS GUIOU OS ISRAELITAS OS TRABALHADORES COMIAM UMA REFEIÀâO
DURANTE SUA VIAGEM PELO DESERTO AP˜S A LEVE AO MEIO DIA 2T   /S ISRAELITAS
PARTIDA DO %GITO ›X   ! COLUNA DE FOGO TINHAM O COSTUME DE LAVAR AS MâOS ANTES E
E DE NUVEM £ MENCIONADA PELA PRIMEIRA VEZ DEPOIS DE COMER -T  ,C  POIS
EM ›X   TEXTO NO QUAL SâO DESCRITAS A COMIDA ERA LEVADA Ü BOCA COM OS DEDOS
ALGUMAS DE SUAS CARACTER¤STICAS .A FORMA /RAÀµES TAMB£M ERAM OFERECIDAS ANTES
DE NUVEM DURANTE O DIA E DE FOGO Ü NOITE DAS REFEIÀµES 3M  EM HONRA A $EUS
A COLUNA ERA CONSTANTEMENTE VISTA PELOS QUE HAVIA ENVIADO A CHUVA E A COLHEITA
ISRAELITAS 0OR MEIO DE TAL FEN¹MENO $EUS !SSIM COMO OS GREGOS E OS EG¤PCIOS AN
CONDUZIU O POVO EM SUA JORNADA DA FRONTEIRA TIGOS E OS ÖRABES MODERNOS O POVO HEBREU
DO %GITO EM DIREÀâO Ü TERRA PROMETIDA #OMO SENTAVA SE PARA COMER PROVAVELMENTE EM
COLUNA DE FOGO PRODUZIA LUZ SUlCIENTE PARA ESTEIRAS ESPALHADAS PELO CHâO 'N 
QUE AS PESSOAS VIAJASSEM Ü NOITE *Z   -AIS TARDE ADOTARAM A PRÖTICA DE
! COLUNA DE FOGO E DE NUVEM TAMB£M RECLINAR SOBRE ALMOFADAS SOFÖS OU DIVâS %T
FOI UMA SINAL VIS¤VEL OU REPRESENTAÀâO DA   
PRESENÀA DE $EUS PARA COM O SEU POVO
%M CERTO SENTIDO $EUS ESTAVA PRESENTE NA #/-%2#)!.4% VEJA 02/&)33¡%3 %
COLUNA ›X   NELA $EUS hDESCEUv Ü /#50!­¡%3 
TENDA DA CONGREGAÀâO .M  E APARE
CEU NO TABERNÖCULO $T   #/-³2#)/ ATIVIDADE DE COMPRA E
!P˜S A CONSTRUÀâO DO 4!"%2.¬#5,/ NO VENDA NOS TEMPOS B¤BLICOS 'ERALMENTE
DESERTO ESTE FOI COBERTO POR UMA NUVEM VIAGENS ERAM NECESSÖRIAS PARA A CONDUÀâO
QUE TINHA A APARäNCIA DE FOGO Ü NOITE DESSA ATIVIDADE
%MBORA A NUVEM NâO SEJA DESCRITA COMO ! NAÀâO DE )SRAEL DISPUNHA DE POUCO
COLUNA DEVE TER SIDO O MESMO FEN¹MENO NO QUE SE REFERE A RECURSOS NATURAIS .O
%NQUANTO A COLUNA PERMANECIA Ü PORTA DO ENTANTO SUA POSIÀâO GEOGRÖlCA TORNAVA A
TABERNÖCULO O POVO NâO LEVANTAVA ACAM UM CORREDOR ESTRAT£GICO ATRAV£S DO QUAL
PAMENTO MAS QUANDO ELA SE LEVANTAVA O PASSAVA TODO O TRÖFEGO MILITAR E ECON¹MICO
POVO PUNHA SE A CAMINHO /NDE QUER QUE ENTRE A %UROPA A ¬SIA E A ¬FRICA )MPOR
ELA SE lXASSE NOVAMENTE SERIA O NOVO LUGAR TANTES ESTRADAS DO %GITO CRUZAVAM DESDE O
DE PARADA DESERTO SUL AT£ #ADES "ARN£IA E %LATE E
#/-³2#)/ 

ENTâO PROSSEGUIAM PELO NORTE AO LONGO ERAM USADAS TANTO COMO ALIMENTO COMO
DO DESERTO ATRAV£S DE -OABE (ESBOM PODIAM SER MO¤DAS PARA PRODUZIR ˜LEO
!MOM E 2AMOTE 'ILEADE AT£ $AMASCO COMEST¤VEL / AZEITE DE OLIVA TAMB£M
6ÖRIAS ESTRADAS SECUNDÖRIAS SEGUIAM PELA ERA USADO EM LAMPARINAS OU COMO LOÀâO
CORDILHEIRA DE "ERSEBA E (EBROM A *ERUSA CORPORAL TORNANDO O UM ARTIGO DE GRANDE
L£M $OTâ E "ETE 3Eâ EM SEGUIDA JUNTO AO IMPORT½NCIA NA ECONOMIA DA REGIâO
VALE DO *ORDâO DE *ERIC˜ A 'ALIL£IA $IVERSAS (AVIA GRANDES CRIAÀµES DE OVELHAS E
ESTRADAS DE LESTE A OESTE LIGAVAM A COSTA ÜS BOIS NA 0ALESTINA 3M  *O    !
CIDADES E ALDEIAS DO INTERIOR Lâ E O AGASALHO FEITOS DESSES PRODUTOS ERAM
! ROTA PRINCIPAL POR #ANAâ ERA O IMPORTANTES FONTES DE RECEITA
hCAMINHO DO MARv IMPORTANTE RODOVIA AO / PEIXE ERA PESCADO AO LONGO DA
LADO DA COSTA DO %GITO ATRAV£S DE 'AZA E COSTA DO MAR -EDITERR½NEO E NO MAR
!SQUELOM AT£ *OPE %M VIRTUDE DOS P½NTA DA 'ALIL£IA ! PARTE NORTE DA COSTA DO
NOS AO LONGO DA COSTA CENTRAL ESSA ESTRADA -EDITERR½NEO TAMB£M ERA FONTE DE MA
DESVIAVA SE NO INTERIOR PARA !FECA E EM RISCOS USADOS NA PRODUÀâO DE UM CORANTE
DIREÀâO AO NORTE PELA PASSAGEM DE !RUNA P¢RPURA MUITO VALIOSO !MPLAS IND¢STRIAS
ATRAV£S DAS MONTANHAS DO #ARMELO AT£ TäXTEIS QUE USAVAM TANTO A Lâ COMO O
-EGIDO %M -EGIDO A ESTRADA DIVIDIA SE LINHO DA PLAN¤CIE COSTEIRA PRODUZIAM O
A OESTE CONTINUAVA AO LONGO DA COSTA AT£ INCONFUND¤VEL TECIDO P¢RPURO T¤RIO QUE
OS PORTOS FEN¤CIOS DE !CO 4IRO E 3IDOM TINHA GRANDE PROCURA EM TODO O -EDITER
A LESTE ATRAVESSAVA A PLAN¤CIE DE *EZREEL R½NEO ,¤DIA DE &ILIPOS E 4IATIRA TINHAM
NA BAIXA 'ALIL£IA AT£ #AFARNAUM (AZOR RELAÀµES COMERCIAIS !T  
$â E $AMASCO ONDE SE UNIA Ü ESTRADA QUE / EXTREMO SUL DO VALE DO *ORDâO E O
VINHA DE 'ILEADE MAR -ORTO ERAM O LUGAR DE ORIGEM DE UMA
! IMPORT½NCIA MILITAR ESTRAT£GICA DESSA GRANDE E PR˜SPERA IND¢STRIA DE MINERAÀâO
ESTRADA ESTAVA NO FATO DE QUE AS NAÀµES DE SAL ! CIDADE DE *ERIC˜ PARECE TER SE
COMBATIAM PARA CONTROLAR AS PRINCIPAIS ENVOLVIDO NESSA ATIVIDADE JÖ EM  A#
CIDADES E LICENÀAS DE PASSAGEM EM -EGIDO !SFALTO OU BETUME ERAM FACILMENTE OB
E (AZOR 0OR CAUSA DO CONSTANTE DECL¤NIO TIDOS DE MINAS DE PICHE NA REGIâO DO MAR
E mUXO DE EX£RCITOS E COMERCIANTES -ORTO 'N    4AL SUBST½NCIA ERA
)SRAEL FOI GRANDEMENTE INmUENCIADA PELAS USADA COMO CALAFETAÀâO DE NAVIOS E BALSAS
NA˵ES VIZINHAS #OMO RESULTADO A NAˉO ARGAMASSA EM CONSTRUˉO E NA PRODUˉO
TORNOU SE FATOR PROEMINENTE NO COM£RCIO DE MONUMENTOS E J˜IAS ! MADEIRA DAS
INTERNACIONAL MONTANHAS DO ,¤BANO TAMB£M ERA UM
! RIQUEZA DE )SRAEL ERA INICIALMENTE IMPORTANTE PRODUTO COMERCIAL
AGR¤COLA / GRâO ESPECIALMENTE O TRIGO E A 0EQUENA QUANTIDADE DE CER½MICA ERA
CEVADA CRESCIA ABUNDANTEMENTE NOS VALES EXPORTADA DE )SRAEL COM EXCEÀâO DE
AO LONGO DAS COLINAS DE *UDÖ E 3AMARIA /S RECIPIENTES SIMPLES PARA VINHO E AZEITE !
DOIS ITENS COMPUNHAM A PRINCIPAL COLHEITA CER½MICA ISRAELITA ERA DE ORDEM MAIS PRÖTICA
DE EXPORTAÀâO &IGOS UVAS E AZEITONAS E MENOS ART¤STICA QUE A lLIST£IA E A GREGA
TAMB£M ERAM ABUNDANTES NA REGIâO MON )SRAEL TAMB£M NâO EXPORTAVA GRANDE
TANHOSA DE *UDÖ PORÀâO DE ALIMENTOS EXCETO DURANTE A
! TERRA AO REDOR DE (EBROM PRODUZIA £POCA DE 3ALOMâO QUANDO AS MINAS DE
VIDEIRAS EXCELENTES .M    COBRE NO 3INAI E AS MINAS DE FERRO NA 3¤RIA
'RANDES QUANTIDADES DE PASSAS E VINHO ERAM EXPLORADAS COMERCIALMENTE
ERAM PRODUZIDAS NA REGIâO PARA CONSUMO ! MANUFATURA DE PEDRAS DE MOINHO
DOM£STICO E EXPORTAÀâO !S AZEITONAS CONSTITU¤A IND¢STRIA DE ALTA QUALIDADE DA
 #/-5.(²/ #
PEDRA DE BASALTO ENCONTRADA NAS COLINAS -AS PARA MUITA GENTE O TRANSPORTE ERA
VULC½NICAS DO NORTE DA 'ALIL£IA %STAS FEITO NO LOMBO DE UM JUMENTO OU A P£ /S
ERAM EMBARCADAS PARA LUGARES DISTANTES PEDESTRES CONSEGUIAM ANDAR CERCA DE 
COMO %SPANHA )TÖLIA E NORTE DA ¬FRICA QUIL¹METROS POR DIA %M CIRCUNST½NCIAS
$URANTE O IN¤CIO DO REINO UNIDO NORMAIS A VIAGEM DE -ARIA E *OS£ DE
SOB A LIDERANÀA DE $AVI E 3ALOMâO .AZAR£ A "EL£M ,C   TERIA LEVADO
)SRAEL CONTROLOU TODAS AS PRINCIPAIS ROTAS PROVAVELMENTE CINCO DIAS ,EVANDO SE EM
COMERCIAIS DA REGIâO %RA IMPOSS¤VEL CONTA A GRAVIDEZ DE -ARIA E SUA IMPOSSIBI
EMBARCAR QUALQUER PRODUTO EM QUALQUER LIDADE DE VIAJAR COM FACILIDADE TAL VIAGEM
LUGAR ENTRE A ¬SIA -ENOR O VALE DA DEVE TER LEVADO DUAS SEMANAS OU MAIS
-ESOPOT½MIA E O %GITO SEM PASSAR PELO
TERRIT˜RIO CONTROLADO POR )SRAEL 0ESADOS #/-).(/ VEJA 0,!.4!3 $! "Ù",)!
IMPOSTOS INCLUINDO OS DE IMPORTAÀâO E
EXPORTAÀâO SOBRE MERCADORIAS QUE PASSA #/-0!)8²/ SENTIMENTO DE PIEDADE E
VAM POR )SRAEL GERAVAM GRANDES SOMAS DE TRISTEZA EM FAVOR DOS DESVENTURADOS .ESSE
DINHEIRO 4AIS RECEITAS lNANCIARAM PARTE SENTIDO A COMPAIXâO £ O LADO EMOCIONAL
DA CONSTRUÀâO DE ESMERADOS PALÖCIOS E DA MISERIC˜RDIA O DESEJO DE AJUDAR
TEMPLOS AL£M DE GRANDES OBRAS P¢BLICAS PESSOAS NESSE ESTADO ! COMPAIXâO PODE
E PROJETOS MILITARES 2S   #R   SER PRODUZIDA POR $EUS ESPECIALMENTE NA
#R    FUNÀâO DE 0AI CELESTIAL DE SEUS lLHOS 3L
/ TEXTO DE %ZEQUIEL   MENCIONA   4AMB£M PODE SER MANIFESTADA POR
VÖRIOS PRODUTOS COMERCIALIZADOS POR TODA A OUTROS 3L  -T  ,C   6EJA
CIDADE DE 4IRO » PROVÖVEL QUE )SRAEL TAM TAMB£M -)3%2)#Ê2$)!
B£M TENHA COMERCIALIZADO ESSES ARTIGOS
'RANDE PARTE DO MATERIAL ERA LEVADO POR #/-0!33/ VEJA &%22!-%.4!3 $!
CAMELOS OU JUMENTOS MAS CARROS PUXADOS "Ù",)! 
POR BOIS TAMB£M ERAM BASTANTE USADOS
'N   #/-02! AQUISIÀâO DE MERCADORIAS OU
0OR VOLTA DA £POCA DO .OVO 4ESTA PROPRIEDADES EM TROCA DE DINHEIRO ! "¤
MENTO VIAJAR ERA RELATIVAMENTE SIMPLES BLIA CONT£M MUITAS REFERäNCIAS ÜS PRÖTICAS
E CONSIDERAVELMENTE MAIS SEGURO QUE EM DE COMPRA E VENDA !BRAâO COMPROU A
£POCAS MAIS ANTIGAS / ESTABELECIMENTO CAVERNA DE -ACPELA PERTO DE (EBROM
DO CONTROLE ROMANO SOBRE O MAR -EDI 'N   $AVI COMPROU A EIRA DE !RA¢NA
TERR½NEO E AS TERRAS AO SEU REDOR TIVERAM O JEBUSEU 3M    / PROFETA !M˜S
PAPEL FUNDAMENTAL PARA ABOLIR A PIRATARIA E DENUNCIOU OS QUE ENGANAVAM OS POBRES EM
ROUBOS EM ESTRADAS NO PER¤ODO DO IMP£RIO SEUS NEG˜CIOS !M   
/ SISTEMA ROMANO DE ESTRADAS LIGAVA TODAS / MUNDO DO COM£RCIO FORNECE UMA
AS REGIµES DO IMP£RIO TORNANDO AS VIAGENS DAS MAIS BELAS DESCRIÀµES DO SACRIF¤CIO DE
MUITO MAIS FÖCEIS #RISTO ENCONTRADAS NA "¤BLIA $E ACORDO
1UANDO SE TRATAVA DE LONGAS DIST½NCIAS COM O AP˜STOLO 0AULO A IGREJA FUNDADA
VIAGENS DE NAVIO ERAM COMUNS *N  POR *ESUS HAVIA SIDO COMPRADA COM O SEU
!T     /lCIAIS DO GOVERNO E PR˜PRIO SANGUE !T   / PREÀO PAGO
PESSOAS DE BENS USAVAM COM FREQÓäNCIA £ A MEDIDA DA IMPORT½NCIA QUE $EUS DÖ AO
VÖRIOS TIPOS DE CARROS !T  E CADEIRAS SEU POVO
PORTÖTEIS #T   LITEIRA !2!  #AVALOS
ERAM NORMALMENTE USADOS POR RAZµES #/-5.(²/ PARTILHAR DE COISAS EM
MILITARES !T    COMUM COM OUTRAS PESSOAS .O .OVO
#/-5.(²/ $% "%.3 

4ESTAMENTO A COMUNHâO TEM UM SENTIDO ! TRAG£DIA DE !.!.)!3 E 3!&)2! MOSTRA


ESPIRITUAL PERCEPT¤VEL ! COMUNHâO PODE QUE A VENDA DE TERRA E OUTROS BENS DOS PRI
SER AlRMATIVA OU NEGATIVA MEIROS CRISTâOS ERA PARCIAL E VOLUNTÖRIA !T
.O SENTIDO AlRMATIVO OS CRISTâOS TäM    .O ENTANTO EXISTE UMA PROFUNDA
COMUNHâO COM O 0AI O &ILHO E O %SP¤RITO VERDADE QUE NâO DEVE SER DESCONSIDERADA
3ANTO *O   &L  *O  ASSIM h.INGU£M CONSIDERAVA SUA NEM UMA DAS
COMO COM OUTROS CRENTES !T  *O COISAS QUE POSSU¤A TUDO POR£M LHES ERA
   / ¢NICO MOTIVO PELO QUAL NOS COMUMv !T   ! äNFASE DEVERIA SER
ATREVEMOS A TER COMUNHâO COM $EUS NO COLOCADA NâO NA VENDA DE PROPRIEDADES
SENTIDO DE COMPARTILHAR ALGO EM COMUM MAS NA ATITUDE GENEROSA DOS CRISTâOS !T
COM ELE £ QUE ELE ELEVOU NOSSA CONDIÀâO    %STE £ O ESP¤RITO DA VERDADEIRA
POR MEIO DA MORTE E DA RESSURREIÀâO UNIâO EM *ESUS #RISTO
DE #RISTO %F    / QUE OS CRISTâOS 6EJA TAMB£M 6)$! %- #/-5-
COMPARTILHAM EM COMUM COM $EUS £
UM RELACIONAMENTO ASSIM COMO O PR˜PRIO #/.!.)!3 O 3ENHOR ESTABELECE CHEFE
CARÖTER SANTO DE $EUS 0E   !QUELES DOS LEVITAS QUE AUXILIOU NA CELEBRAÀâO DA
QUE TäM COMUNHâO COM #RISTO DEVEM 0ÖSCOA DURANTE O REINADO DO REI *OSIAS #R
DESFRUTAR DA MESMA COMUNHâO COM OUTROS   %M #R   HÖ MENÀâO A UM
CRENTES UMA PARTICIPAÀâO QUE DEVE ILUSTRAR LEVITA DE MESMO NOME APONTADO COMO
A NATUREZA DO PR˜PRIO $EUS *O  %F INTENDENTE DOS D¤ZIMOS E DAS OFERTAS DO
  *O    TEMPLO DURANTE O REINADO DE %ZEQUIAS
.O SENTIDO NEGATIVO OS CRENTES NâO TäM
COMUNHâO COM DESCRENTES )SSO SIGNIlCA #/.#·,)/ REUNIâO DE PESSOAS PARA
QUE NâO DEVEM COMPARTILHAR DO ESTILO DE DISCUTIR ASSUNTOS IMPORTANTES E TOMAR
VIDA PECAMINOSO DOS NâO CRISTâOS #O DECISµES !T  CONSELHO  !S PALAVRAS
   .âO QUER DIZER NO ENTANTO GREGAS NORMALMENTE TRADUZIDAS POR
QUE OS CRENTES NâO DEVEM TER NENHUMA CONC¤LIO PODEM REFERIR SE AO LUGAR ONDE UM
RELAÀâO COM OS DESCRENTES ! "¤BLIA ENSINA CONC¤LIO SE RE¢NE AO GRUPO PROPRIAMENTE
CLARAMENTE QUE OS CRENTES SâO RESPONSÖVEIS DITO OU Ü REUNIâO .O .OVO 4ESTAMENTO
POR AJUDAR OS DESCRENTES E COMPARTILHAR CONC¤LIO £ UM TERMO T£CNICO QUE SE REFERE
COM ELES O EVANGELHO -T   -C FREQÓENTEMENTE AO CONC¤LIO SUPREMO DOS
  #O    JUDEUS O 3).»$2)/
.OS TEMPOS ROMANOS O SIN£DRIO CON
#/-5.(²/ $% "%.3 PRÖTICA VOLUNTÖ SISTIA NO MAIS ALTO GRUPO GOVERNAMENTAL
RIA ATRAV£S DA QUAL ALGUNS CRISTâOS DO .OVO JUDAICO DA PROV¤NCIA DA *UD£IA NO SUL DA
4ESTAMENTO COMPARTILHARAM DESINTERES 0ALESTINA / CONC¤LIO OU O 3IN£DRIO ERA
SADAMENTE SUAS POSSES DISPON¤VEIS COM COMPOSTO DE SUMOS SACERDOTES ANCIâOS E
OUTROS CRISTâOS !T      ESCRIBAS %SSE CONC¤LIO ERA A MAIOR AUTORI
/ LIVRO DE !TOS RELATA QUE hOS QUE DADE EM ASSUNTOS LEGAIS GOVERNAMENTAIS E
POSSU¤AM TERRAS OU CASAS VENDENDO AS RELIGIOSOS PODIA EXERCER SEUS PODERES AT£ O
TRAZIAM OS VALORES CORRESPONDENTESv AOS PONTO EM QUE NâO INFRINGISSE A AUTORIDADE
AP˜STOLO PARA DISTRIBUIÀâO !T    ROMANA .ORMALMENTE 2OMA CONlRMAVA
)STO NâO SIGNIlCA NECESSARIAMENTE QUE E EXECUTAVA AS SENTENÀAS DE MORTE QUE
TODOS OS CRISTâOS TENHAM VENDIDO TODOS OS PASSAVAM PELO 3IN£DRIO JUDAICO
BENS IM˜VEIS QUE POSSU¤AM ! REFERäNCIA 'RANDE PARTE DAS REFERäNCIAS DO .OVO
PARECE SER FEITA A CASAS E TERRAS QUE NâO AS 4ESTAMENTO AO 3IN£DRIO APARECEM COM
DE HABITAÀâO FAMILIAR RELAÀâO AO JULGAMENTO DE *ESUS -T 
 #/.$%.!2 #/.$%.!£²/ #
-C   *O  E Ü OPOSIÀâO DO 3ALOMâO CONDUZIRAM NO Ü QUEDA TRAZENDO
TRABALHO DA IGREJA PRIMITIVA !T   / SUAS RELIGIµES PAGâS E INTRODUZINDO A IDOLA
3IN£DRIO TORNOU SE O FOCO DA OPOSIÀâO TRIA NA TERRA 2S   .E   
JUDAICA AO IN¤CIO DO CRISTIANISMO !T  .O MUNDO ANTIGO AS CONCUBINAS ERAM
      PROTEGIDAS POR LEI POR ISSO NâO PODIAM SER
/ CONC¤LIO TAMB£M PODE SER UM AJUN VENDIDAS CASO NâO MAIS FOSSEM DE INTERESSE
TAMENTO DE PESSOAS COMO EM -T  DE SEU SENHOR ! ,EI DE -OIS£S TAMB£M
NO QUAL OS FARISEUS INDIGNADOS COM A CURA RECONHECIA SEUS DIREITOS PROTEGENDO AS
E OS ENSINOS DE *ESUS SA¤RAM DA SINAGOGA CONTRA TRATAMENTO IMPIEDOSO E DURO ›X
E CONSPIRAVAM CONTRA ELE $URANTE O   $T   
JULGAMENTO DE 0AULO DIANTE DE &ESTO ESTE
CONSULTOU SE COM TAL CONC¤LIO / GRUPO ERA #/.#50)3#´.#)! DESEJO ARDENTE
PROVAVELMENTE FORMADO POR CONSELHEIROS PELO QUE £ PROIBIDO LUX¢RIA DESEJO SEXUAL
POL¤TICOS DO DISTRITO QUE GOVERNAVA OBSESSIVO %MBORA HAJA DESEJOS LEG¤TIMOS
QUE $EUS SUPRE $T    A CON
#/.#·,)/ $% *%253!,³- VEJA *%253! CUPISCäNCIA OU COBIÀA £ A ½NSIA POR COISAS
,»- #/.#Ù,)/ $% QUE SâO CONTRÖRIAS Ü VONTADE DE $EUS !
COBIÀA PELAS hCOISAS MÖSv  #O 
#/.#5").! NA £POCA DO !NTIGO 4ES COMO A DOS ISRAELITAS NO DESERTO DEVE SER
TAMENTO ESCRAVA OU SERVA COM QUEM UM EVITADA PELOS CRISTâOS
HOMEM TINHA PERMISSâO LEGAL PARA MANTER / CRENTE PODE RESISTIR Ü CONCUPISCäNCIA
RELAÀµES SEXUAIS ATRAV£S DO PODER DO %SP¤RITO 3ANTO ! CAR
! PRIMEIRA MENÀâO DE UMA CONCUBINA NE COM SUAS PAIXµES E CONCUPISCäNCIAS
OCORRE EM 'N  TEXTO NO QUAL 2EUMÖ DEVE SER CRUCIlCADA 'L  4T  
£ DESCRITA COMO CONCUBINA DE .AOR !LGUMAS TRADUÀµES MENCIONAM COBIÀA
IRMâO DE !BRAâO %NTRE OUTROS HOMENS 2M  .4,(  LASC¤VIA 4S  DESEJO DE
DO !NTIGO 4ESTAMENTO QUE TINHAM TAIS LASC¤VIA !2! PAIXµES SEXUAIS BAIXAS .4,( 
ESCRAVAS ESTAVAM !BRAâO 'N  *AC˜
'N  %LIFAZ 'N  'IDEâO *Z #/.$%.!2 #/.$%.!£²/ DECLARAR
 E 3AUL 3M   UMA PESSOA CULPADA E MERECEDORA DE PU
3ARAI APRESENTOU !'!2 SUA SERVA NIÀâO #ONDENAR E CONDENAÀâO SâO TEMOS
EG¤PCIA A !BRAâO COMO CONCUBINA PARA JUR¤DICOS O OPOSTO A *534)&)#!2 E *534)&)
QUE ELE FOSSE PAI POR MEIO DE !GAR 'N #!­ª/ -T  2M    3OMENTE
   !PARENTEMENTE ESTA ERA UMA PRÖ $EUS £ O JUIZ DAS PESSOAS %M SUA EXIGäNCIA
TICA COMUM DURANTE O PER¤ODO PATRIARCAL POR JUSTIÀA O PECADO LEVA INVARIAVELMENTE
NA HIST˜RIA DE )SRAEL /S HEBREUS ANTIGOS A CONDENAÀâO E MORTE
DAVAM GRANDE VALOR Ü CONCEPÀâO DE lLHOS ! MISSâO DE *ESUS NâO ERA CONDENAR O
3E UM CASAL PERMANECESSE SEM lLHOS MUNDO MAS SALVÖ LO AO CARREGAR SOBRE SI O
DEPOIS DE VÖRIOS ANOS DE UNIâO CONJUGAL PECADO QUE PERTENCIA AO SEU POVO *O 
O MARIDO NORMALMENTE TERIA lLHOS DE UMA   .âO HÖ CONDENAÀâO PARA PECADORES
CONCUBINA QUE TENHAM SE ARREPENDIDO E CRäEM NELE
.A £POCA DA MONARQUIA EM )SRAEL A *ESUS NâO SOMENTE CARREGOU AS CONSEQÓäN
PRÖTICA DE TER CONCUBINAS APARENTEMENTE CIAS DO PECADO COMO TAMB£M CONDENOU
ERA UMA PRIVIL£GIO SOMENTE DOS REIS / REI DESTRUIU O PR˜PRIO PECADO PARA QUE OS
3!,/-ª/ £ ESPECIALMENTE LEMBRADO POR CRENTES SEJAM LIBERTOS DE SEU PODER 2M
SUAS MUITAS CONCUBINAS 2S   -UITAS    6ISTO QUE EXPERIMENTARAM UM
DESTAS ERAM ESTRANGEIRAS !S CONCUBINAS DE PERDâO GRACIOSO OS CRISTâOS SâO LEVADOS A
#/.&%)4/3 

PRATICAR O PERDâO E A EVITAR A VINGANÀA .O !NTIGO 4ESTAMENTO A PALAVRA hCON


h.âO CONDENEIS E NâO SEREIS CONDENADOSv GREGAÀâOv £ A TRADUÀâO DE VÖRIAS PALAVRAS
,C   HEBRAICAS QUE TäM A ID£IA DE hENCONTRO
MARCADOv OU hASSEMBL£IAv 4AIS EXPRESSµES
#/.&%)4/3 PALAVRA USADA EM REFERäNCIA APONTAVAM PARA )SRAEL COMO A COMUNIDADE
A UM PRODUTO DA 0ALESTINA EXPORTADO AOS DA LEI UMA hASSEMBL£IA SAGRADAv REUNIDA
MERCADOS DE 4IRO %Z   / NOME POR $EUS E ESCOLHIDA PARA SER O POVO DA SUA
REFERE SE PROVAVELMENTE A ALGUM TIPO DE ALIANÀA #OMO TAL O TERMO hCONGREGAÀâOv
DOCE OU MASSA TALVEZ BOLOS DE lGO ERA UM CONSTANTE LEMBRETE A )SRAEL DA MâO
DE $EUS SOBRE O SEU DESTINO 3EMPRE QUE
#/.&)2-!2 #/.&)2-!£²/ ESTABE A LEI DE $EUS ERA LIDA EM REUNIâO SOLENE
LECER RATIlCAR OU FORTALECER UM ACORDO OU DA CONGREGAÀâO ERA RENOVADO O PRIVIL£GIO
ALIANÀA .A "¤BLIA AS PALAVRAS SâO USADAS SAGRADO DE )SRAEL COMO SEU POVO SOB AS
COMO VOTO OU FORMA DE JURAMENTO .M PROMESSAS DA ALIANÀA
   TRANSAÀâO DE RESGATE OU TROCA ! EXPRESSâO hAJUNTAMENTO DA CONGREGA
2T   PACTO OU ESTATUTO $N  'L ÀâO DE )SRAELv ›X  REFERE SE AO MAIOR
   PESSOA $N   PROMESSAS 2M GRUPO DO POVO HEBREU 5M ISRAELITA PER
  TESTEMUNHO DE #RISTO #O   TENCIA NO N¤VEL MAIS BÖSICO A UMA CASA
EVANGELHO &L   E SALVAÀâO (B   DEPOIS A UMA FAM¤LIA GRUPO DE CASAS EM
SEGUIDA A UMA TRIBO GRUPO DE FAM¤LIAS
#/.&)33²/ RECONHECIMENTO DE PECA E POR lM A UMA CONGREGAÀâO GRUPO
DOS *O   PROlSSâO DE F£ NAS DOUTRINAS DE TRIBOS  0ORTANTO O hAJUNTAMENTO DA
DE UMA F£ EM PARTICULAR .A "¤BLIA GRANDE CONGREGAÀâO DE )SRAELv REFERE SE Ü TODA A
PARTE DOS USOS DA PALAVRA RECAI NAS DUAS NAÀâO DE )SRAEL OU AO POVO DE $EUS
CATEGORIAS %XEMPLOS DE CONlSSâO DE .O .OVO 4ESTAMENTO O TERMO hCON
PECADO PODEM SER ENCONTRADOS NAS PALAVRA GREGAÀâOv £ USADO SOMENTE DUAS VEZES
DE *OSU£ A !Câ *S   NA CONlSSâO DU !T  (B  !2!  !S DUAS PALA
RANTE A 0ÖSCOA POR OCASIâO DO REINADO DE VRAS GREGAS TRADUZIDAS POR CONGREGAÀâO
%ZEQUIAS #R   E NA CONVOCAÀâO DE NO ENTANTO OCORREM COM FREQÓäNCIA EM
%SDRAS PARA QUE O POVO ADMITISSE OS DANOS OUTRAS PASSAGENS DO .OVO 4ESTAMENTO
DECORRENTES DE CASAMENTOS COM ESPOSAS /RIGINALMENTE TAIS TERMOS EKKLESIA
PAGâS %D   E SYNAGOGE PODIAM SER USADOS INDIS
! "¤BLIA TAMB£M USA A PALAVRA hCON TINTAMENTE .O ENTANTO COMEÀARAM
lSSâOv PARA DESCREVER UMA PROCLAMAÀâO A ADQUIRIR SIGNIlCADOS ESPECIALIZADOS E
ABERTA CORAJOSA E AUDACIOSA DA F£ / DIFERENTES Ü MEDIDA QUE A RUPTURA ENTRE
AP˜STOLO 0AULO ESCREVEU h3E COM A TUA A IGREJA CRISTâ EKKLESIA E A SINAGOGA JU
BOCA CONFESSARES *ESUS COMO 3ENHOR E EM DAICA SYNAGOGE TORNAVA SE MAIS HOSTIL
TEU CORAÀâO CRERES QUE $EUS O RESSUSCITOU !S PALAVRAS LOGO PASSARAM A SE REFERIR A
DENTRE OS MORTOS SERÖS SALVO 0ORQUE COM CRENÀAS RELIGIOSAS RIVAIS
O CORAÀâO SE CRä PARA JUSTIÀA E COM A BOCA
SE CONFESSA A RESPEITO DA SALVAÀâOv 2M #/.'2%'!£²/ -/.4% $! LUGAR
   ONDE $EUS £ ENTRONIZADO QUER NO C£U
QUER NA TERRA )S  
#/.'2%'!£²/ REUNIâO OU AJUNTA
MENTO DE PESSOAS PARA ADORAÀâO E ENSINO #/.(%#)-%.4/ VERDADES OU FATOS DA
RELIGIOSO COMUNIDADE RELIGIOSA TAL COMO O VIDA QUE UMA PESSOA ADQUIRE QUER POR
POVO DE )SRAEL OU A IGREJA CRISTâ EXPERIäNCIA QUER POR RACIOC¤NIO ! MAIOR
 #/.3/,!$/2 #
VERDADE QUE UMA PESSOA PODE POSSUIR NA OU DE SE AFASTAR DELA RESULTANDO EM UM
MENTE OU APRENDER POR MEIO DA EXPERIäN SENSO DE APROVAÀâO OU CONDENAÀâO
CIA £ A VERDADE ACERCA DE $EUS 3L  / TERMO PRATICAMENTE NâO APARECE NO
*O    %STA NâO PODE SER OBTIDA PELO !NTIGO 4ESTAMENTO Ü EXCEÀâO DE *˜ 
RACIOC¤NIO HUMANO *˜  2M  !2! MAS O CONCEITO EXISTE $AVI POR
MAS SOMENTE PELA REVELAÀâO DE $EUS SOBRE EXEMPLO lCOU EMOCIONALMENTE DERROTADO
SI MESMO NA NATUREZA E NA CONSCIäNCIA POR SUA FALTA DE VERDADE DIANTE DO PODER DE
3L  2M    NA HIST˜RIA OU NA $EUS 3M   -AS SUA CULPA TORNOU
PROVIDäNCIA $T   $N   E ESPE SE EM ALEGRIA QUANDO BUSCOU O PERDâO DO
CIALMENTE NA "¤BLIA 3L  !P    3ENHOR 3L  
/ CONHECIMENTO MENTAL POR SI MESMO .O .OVO 4ESTAMENTO O TERMO hCONSCI
POR MELHOR QUE SEJA £ INADEQUADO £ äNCIAv £ ENCONTRADO MAIS FREQÓENTEMENTE
CAPAZ APENAS DE PRODUZIR ORGULHO #O NOS TEXTOS DO AP˜STOLO 0AULO !LGUNS
   / CONHECIMENTO MORAL AFETA ARGUMENTAM ERRONEAMENTE QUE A CONS
A VONTADE DE UMA PESSOA 0V    CIäNCIA SUBSTITUI A LEI EXTERNA DO !NTIGO
*O   » CONHECIMENTO QUE INmUENCIA 4ESTAMENTO .O ENTANTO A CONSCIäNCIA
O CORAÀâO NâO APENAS A MENTE / LIVRO NâO £ O PADRâO MAIS ELEVADO DE EXCELäNCIA
DE 0ROV£RBIOS TRATA PRINCIPALMENTE DESSE MORAL #O   3OB A ANTIGA E A NOVA
TIPO DE CONHECIMENTO / CONHECIMENTO ALIANÀA A CONSCIäNCIA DEVE SER FORMADA
EMP¤RICO £ ADQUIRIDO POR EXPERIäNCIA 'N SEGUNDO O PAR½METRO DA VONTADE DE $EUS
 #O  *O    ! LEI CONCEDIDA A )SRAEL ESTAVA ESCRITA NOS
/ DESEJO DO AP˜STOLO 0AULO PARA A CORAÀµES DOS CRENTES (B    AS
IGREJA DE #OLOSSOS ERA QUE CRESCESSEM NO SIM A CONSCIäNCIA SENSIBILIZADA £ CAPAZ DE
hCONHECIMENTO DE $EUSv #L   DISCERNIR O JU¤ZO DE $EUS CONTRA O PECADO
2M   
#/.)!3 VARIAÀâO DE */!15)- ! CONSCIäNCIA DO CRISTâO FOI PURIlCADA
PELA OBRA DE *ESUS #RISTO NâO MAIS TEM
#/.3!'2!£²/ ATO DE SEPARAR O PODER DE ACUSAR E CONDENAR (B 
OU DEDICAR ALGO OU ALGU£M COMO   /S CRENTES DEVEM TRABALHAR PARA
INSTRUMENTO DE $EUS .O !NTIGO 4ES MANTER PURA A CONSCIäNCIA $EVEM TAMB£M
TAMENTO O TEMPLO E SEUS ORNAMENTOS TOMAR CUIDADO PARA NâO ENCORAJAR OUTROS A
ERAM OS OBJETOS MAIS IMPORTANTES AGIR CONTRA SUA PR˜PRIA CONSCIäNCIA !GIR
CONSAGRADOS AO 3ENHOR #R   CONTRARIAMENTE AO IMPULSO DA CONSCIäNCIA
%D    !RâO E SEUS lLHOS FORAM DE UMA PESSOA £ ERRADO POIS ATITUDES QUE
CONSAGRADOS AO SACERD˜CIO ›X  ,C CONTRARIAM A CONSCIäNCIA NâO PODEM SER
  -AS MESMO ESP˜LIOS DE GUERRA *S PROVENIENTES DA F£ #O     
 -Q  E GADO PODIAM SER CON
SAGRADOS ,C   !NTES DO IN¤CIO #/.3%,(%)2/ AQUELE QUE DÖ CONSELHOS
DO SACERD˜CIO NA HIST˜RIA DE )SRAEL O OU ID£IAS 0V  ESPECIALMENTE O CON
PRIMOGäNITO DOS HOMENS E DOS ANIMAIS SELHEIRO REAL 3M  #R  OU UM
ERAM SEMELHANTEMENTE CONSAGRADOS DOS CHEFES DE GOVERNO *˜  )S   %M
›X   .O ENTANTO AP˜S O IN¤CIO DO -C  E ,C  A PALAVRA DESIGNA UM
SACERD˜CIO A TRIBO DE ,EVI SUBSTITUIU MEMBRO DO CONSELHO DO 3).»$2)/  6EJA
ESSE TIPO DE CONSAGRAÀâO .M   TAMB£M 02/&)33¡%3 % /#50!­¡%3

#/.3#)´.#)! QUALIDADE DE UMA PESSOA #/.3/,!$/2 PALAVRA USADA POR *ESUS


ESTAR CIENTE COM RELAÀâO Ü VONTADE DE $EUS PARA DESCREVER O %30Ù2)4/ 3!.4/ *O 
#/.34%,!£À%3 

    ! PALAVRA GREGA FOI TRADU #/.42!4!2 VEJA 3!,¬2)/ 
ZIDA EM OUTRAS VERSµES DA "¤BLIA EM PORTU
GUäS POR AUXILIADOR .4,( PARÖCLITO 4" #/.42)4/ CONDIÀâO DE ESP¤RITO OU DO
ASSIM COMO CONSELHEIRO .6)  %SSA PALAVRA CORAÀâO QUE AGRADA A $EUS E £ POR ELE ACEI
GREGA TEM UM SENTIDO TâO COMPLEXO QUE £ TO 3L  !2# E 4"  ESP¤RITO OPRIMIDO
DIF¤CIL SER TRADUZIDA POR UM S˜ TERMO !2! OS QUE PERDERAM A ESPERANÀA .4,(
/ %SP¤RITO 3ANTO £ CHAMADO POR *ESUS 3L   !S PESSOAS QUE TäM UM ESP¤RITO
PARA AJUDAR ESTAR AO NOSSO LADO FORTALECER CONTRITO CHORAM PELAS TRANSGRESSµES
E DAR AUX¤LIO QUANDO NECESSÖRIO / %SP¤RITO COMETIDAS E EXPRESSAM PROFUNDA TRISTEZA
3ANTO £ O hOUTROv #ONSOLADOR *O   POR SEUS PECADOS VEJA TAMB£M -T  ,C
!SSIM COMO *ESUS ERA O GRANDE #ONSOLADOR  #O  
ENQUANTO ESTAVA NA TERRA AGORA O %SP¤RITO
3ANTO £ NOSSO !JUDADOR SE DESEJARMOS SEU #/.6%23²/ MUDANÀA INICIAL DE
AUX¤LIO ATITUDE E VONTADE QUE CONDUZ UMA PESSOA
6EJA TAMB£M %30Ù2)4/ 3!.4/ AO RELACIONAMENTO CORRETO COM $EUS !
PALAVRA hCONVERSâOv £ MENCIONADA COMO
#/.34%,!£À%3 VEJA !342/./-)!  SUBSTANTIVO SOMENTE NO .OVO 4ESTAMENTO
REFERINDO SE Ü CONVERSâO DOS GENTIOS !T
#/.34254/2 VEJA 02/&)33¡%3 % /#5   .O ENTANTO A "¤BLIA TEM VÖRIOS
0!­¡%3  EXEMPLOS DE PESSOAS CONVERTIDAS
! DESCRIÀâO MAIS COMPLETA OCORRE NAS
#/.35,4!2 !/ 3%.(/2 BUSCAR O PALAVRAS DITAS A 3AULO DE 4ARSO EM SUA
CONSELHO E A ORIENTAÀâO DE $EUS ! EX CONVERSâO h0ARA LHES ABRIRES OS OLHOS E
PRESSâO OCORRE COM FREQÓäNCIA NO !NTIGO OS CONVERTERES DAS TREVAS PARA A LUZ E DA
4ESTAMENTO 'N  3M   %NTRE OS POTESTADE DE 3ATANÖS PARA $EUS A lM DE
M£TODOS PELOS QUAIS $EUS FAZIA SUA VONTADE QUE RECEBAM ELES REMISSâO DE PECADOS E
CONHECIDA ESTAVAM A #/,5.! $% .56%- % HERANÀA ENTRE OS QUE SâO SANTIlCADOS PELA
$% &/'/ O 52)- % 45-)- E AS PALAVRAS DOS F£ EM MIMv !T  
PROFETAS ! CONVERSâO ENVOLVE VOLTAR SE DAS OBRAS
DO MAL E DA FALSA ADORAÀâO E DIRIGIR SE PARA
#/.35-!£²/ VEJA %3#!4/,/')!  O SERVIÀO E A ADORAÀâO A $EUS ! CONVERSâO
ASSINALA UM NOVO RELACIONAMENTO ENTRE
#/.35-!$/2 PESSOA QUE CONCLUI UM $EUS E A PESSOA O PERDâO DE PECADOS E A
PROJETO ! PALAVRA REFERE SE A *ESUS (B NOVA VIDA COMO PARTE DA COMUNHâO DO
  ! RAIZ GREGA INDICA CONCLUSâO OU POVO DE $EUS
lNALIZAÀâO %STREITAMENTE RELACIONADAS Ü CONVERSâO
ESTâO A F£ E O ARREPENDIMENTO %STE ¢LTIMO
#/.4%.4!-%.4/ LIBERDADE DA AN SIGNIlCA VOLTAR SE DO PECADO A F£ £ VOLTAR SE
SIEDADE OU DA PREOCUPAÀâO 4M   PARA $EUS $ESSE MODO A CONVERSâO £ MAIS
! ID£IA DE CONTENTAMENTO TEM ORIGEM QUE A TROCA DE UM CONJUNTO DE CRENÀAS POR
EM UMA PALAVRA GREGA QUE SIGNIlCA OUTRO £ VOLTAR SE SINCERAMENTE PARA $EUS
hINDEPENDäNCIAv OU hAUTO SUlCIäNCIAv ! EXPERIäNCIA INTERNA DE CONVERSâO
 -AS O AP˜STOLO 0AULO USOU A PALAVRA £ POR VEZES MENCIONADA COMO NOVO
COM UM SENTIDO CRISTâO PARA MOSTRAR NASCIMENTO *O    %SSA EXPRESSâO
QUE A REAL SATISFAÀâO OU SUlCIäNCIA VEM FOI USADA POR *ESUS EM SUA CONVERSA COM
DE $EUS hTUDO POSSO NAQUELE QUE ME .ICODEMOS / NOVO NASCIMENTO REFERE SE
FORTALECEv &L   A UMA MUDANÀA TâO RADICAL QUE S˜ PODE
 #/2­ #
SER DESCRITO COM A METÖFORA DO SURGIMENTO BETAS ,V  A &ESTA DOS 4ABERNÖCULOS
DE UMA NOVA VIDA !SSIM COMO O BEBä ,V  E A GRANDE FESTA ANUAL O $)! $!
ENTRA NO MUNDO F¤SICO COM UMA EXISTäNCIA %80)!­ª/ ,C  
COMPLETAMENTE NOVA A CONVERSâO £ UM
NOVO COMEÀO ESPIRITUAL NO RELACIONAMENTO #//24% UMA DAS DEZ DIVISµES DE UMA
DE UMA PESSOA COM $EUS LEGIâO ROMANA ANTIGA ! LEGIâO ROMANA
! EXPERIäNCIA DE CONVERSâO PODE SER TRADICIONAL CONSISTIA EM SEIS MIL SOLDADOS
DIFERENTE PARA CADA INDIV¤DUO ! CONVER A COORTE ERA FORMADA DE APROXIMADAMENTE
SâO DE 0AULO FOI INESPERADA E RADICAL !T  HOMENS EMBORA ESSE N¢MERO PUDESSE
  ENQUANTO A DE ,¤DIA !T   VARIAR / LIVRO DE !TOS MENCIONA A #//24%
GRADUAL E TRANQÓILA .O ENTANTO OS )4!,)!.! !T  BATALHâO .4,( E A
RESULTADOS DA CONVERSâO SâO SEMPRE UMA #//24% )-0%2)!, !T  "ATALHâO DO
MUDANÀA N¤TIDA DE ATITUDE E UMA NOVA )MPERADOR .4,( #OORTE !UGUSTA !2#
DIREÀâO PARA A VIDA 4" 

#/.6)#£²/ $% 0%#!$/ PROCESSO #//24% )-0%2)!, UMA DAS CINCO


DE CONDENAÀâO DE UMA PESSOA POR SUA COORTES OU REGIMENTOS DO EX£RCITO
PR˜PRIA CONSCIäNCIA COMO PECADORA EM ROMANO POSICIONADA EM #%3!2»)! OU NAS
VIRTUDE DAS EXIGäNCIAS DE $EUS ! ID£IA REDONDEZAS %NQUANTO O AP˜STOLO 0AULO FOI
DA CONVICÀâO DE PECADO £ UM DOS TEMAS TRANSPORTADO PARA 2OMA COMO PRISIONEIRO
PRINCIPAIS DAS %SCRITURAS EMBORA A EXPRES ESTAVA SOB A RESPONSABILIDADE DE UM hCEN
SâO NâO SEJA USADA 3L   !T  2M TURIâO CHAMADO *¢LIO DA #OORTE )MPERIALv
   / AGENTE DA CONVICÀâO £ O %SP¤RITO !T   5MA COORTE ERA FORMADA POR
3ANTO *O    O MEIO UTILIZADO PARA CERCA DE  HOMENS DE INFANTARIA
SUA EXPRESSâO £ A 0ALAVRA DE $EUS !T
 OU A REVELAÀâO GERAL DE $EUS QUANTO #/0%)2/ VEJA 02/&)33¡%3 % /#50!­¡%3 
ÜS SUAS ORDENS ATRAV£S DA NATUREZA E DA
CONSCIäNCIA DE UMA PESSOA COM RESPEITO AO #/2­ NOME DE QUATRO HOMENS DO
QUE £ CERTO E ERRADO 2M     / !NTIGO 4ESTAMENTO
PROP˜SITO DA CONVICÀâO £ CONDUZIR AS PES  / TERCEIRO lLHO DE %SA¢ COM SUA ESPOSA
SOAS AO ARREPENDIMENTO DE SEUS PECADOS /OLIBAMA 'N   .ASCIDO EM #A
!T   2M   E VOLTAR SE A $EUS NAâ #ORÖ TORNOU SE CHEFE DE UMA TRIBO
PARA SALVAÀâO E VIDA ETERNA EDOMITA 'N  
 .ETO DE %SA¢ POR MEIO DE %LIFAZ #ORÖ
#/.6)$!$/ VEJA (Ê30%$% ERA CHEFE EDOMITA 'N  
 ,EVITA QUE AO LADO DE $ATâ !BIRâO
#/.6/#!£²/ AJUNTAMENTO SAGRADO E /M DA TRIBO DE 2¢BEN CONDUZIRAM
DO POVO DE )SRAEL PARA DESCANSO E ADORAÀâO UMA REVOLTA CONTRA A LIDERANÀA DE -OI
,V     3EMPRE QUE A PALAVRA S£S E !RâO .M    #ORÖ ERA lLHO
hCONVOCAÀâOv APARECE NA "¤BLIA £ PRE DE )SAR E PRIMO DE -OIS£S E !RâO ›X
CEDIDA PELA PALAVRA hSANTAv .OS GRANDES   4INHA NA TRIBO DE ,EVI A MESMA
DIAS DE FESTA O POVO ERA CONVOCADO POSIÀâO QUE !RâO
COM TROMBETAS DE PRATA .M   4AIS !PARENTEMENTE #ORÖ TINHA CI¢ME
CONVOCAÀµES INCLU¤AM OS 3¬"!$/3 ,V DE !RâO POR SER ESTE O SUMO SACERDOTE
 A 0¬3#/! E A &ESTA DOS 0âES !SMOS /S RUBENITAS ERAM DESCENDENTES DO
,V   A &ESTA DE 0%.4%#/34%3 OU DAS lLHO MAIS VELHO DE *AC˜ 0ENSAVAM QUE A
3EMANAS ,V   A &ESTA DAS 4ROM RESPONSABILIDADE DE LIDERAR )SRAEL DEVERIA
#/2!£²/ 

CABER Ü SUA TRIBO E NâO Ü TRIBO DOS LEVITAS ATIVIDADE INTELECTUAL CORRESPONDE AO QUE
/S QUATRO CHEFES REUNIRAM  L¤DERES DA SE CONHECE COMO hMENTEv 3ENDO ASSIM
CONGREGAÀâO RESPONSABILIZANDO PUBLICA O CORAÀâO PODE PENSAR %T  ENTENDER
MENTE -OIS£S E !RâO POR ABUSO DE PODER *˜  IMAGINAR *R  LEMBRAR
2EIVINDICARAM QUE TODOS OS MEMBROS DA $T  SER PRUDENTE 0V  E FALAR
CONGREGAÀâO DEVERIAM TER IGUAL ACESSO AO CONSIGO MESMO $T   ! TOMADA
3ENHOR DE DECISµES TAMB£M £ REALIZADA PELO
-OIS£S ENTREGOU A DISPUTA NAS MâOS CORAÀâO 0ROP˜SITO !T  INTENÀâO
DE $EUS ORIENTANDO #ORÖ E SEU GRUPO (B  E VONTADE %F  SâO TODAS
A LEVAREM RECIPIENTES DE INCENSO COMO ATIVIDADES DO CORAÀâO
OFERTA AO 3ENHOR #ORÖ SUJEITOU SE Ü &INALMENTE O CORAÀâO NORMALMENTE
ORIENTAÀâO E FOI COM SUA CONGREGAÀâO REFERE SE AO VERDADEIRO CARÖTER OU
AT£ A PORTA DO TABERNÖCULO ONDE O PERSONALIDADE DE UMA PESSOA 0UREZA OU
3ENHOR APARECEU E AMEAÀOU CONSUMI LOS MALDADE *R  -T   SINCERIDADE OU
hNUM MOMENTOv .M   -OIS£S E RESISTäNCIA ›X  #L   MATURIDADE
!RâO INTERCEDERAM SALVANDO A NAÀâO DE OU REBELIâO 3L  *R  TUDO ISTO
)SRAEL DA DESTRUIÀâO ! DECISâO QUANTO DESCREVE O CORAÀâO OU O VERDADEIRO CARÖ
Ü LIDERANÀA NOVAMENTE lCOU DIANTE TER DAS PESSOAS $EUS CONHECE O CORAÀâO
DO 3ENHOR ENQUANTO -OIS£S INSTRU¤A A DE CADA UM 3M   6ISTO QUE O FALAR
CONGREGAÀâO PARA SE APARTAR hDAS TENDAS E O AGIR SâO IMPULSIONADOS PELO CORAÀâO
DESTES HOMENS PERVERSOSv .M   ! AS PESSOAS DEVEM GUARDÖ LO 0V  -T
DECISâO EM FAVOR DE -OIS£S FOI EXPRESSA    ! OBRIGAÀâO MAIS IMPORTANTE
DE MODO TRÖGICO QUANDO hA TERRA  ABRIU DE UMA PESSOA £ AMAR A $EUS DE TODO O
SUA BOCAv E TRAGOU TODOS OS HOMENS DE CORAÀâO -T   #OM O CORAÀâO A
#ORÖ .M   PESSOA CRä EM #RISTO *ESUS E EXPERIMENTA
!PARENTEMENTE ALGUNS DESCENDENTES O AMOR DE $EUS E A PRESENÀA DE #RISTO EM
DE #ORÖ SOBREVIVERAM E SE TORNARAM SEU INTERIOR 2M    %F  
MINISTROS DE M¢SICA NO TABERNÖCULO NA
£POCA DE $AVI #R    #/2!'%- lRMEZA DE PROP˜SITO QUE
 / lLHO MAIS VELHO DE (EBROM DESCEN HABILITA UMA PESSOA A RESISTIR AO MEDO
DENTE DE #ALEBE E *UDÖ #R   OU A UMA DIlCULDADE ! CORAGEM F¤SICA
BASEIA SE NA CORAGEM MORAL A CONlANÀA
#/2!£²/ O hEUv INTERIOR QUE PENSA NA PRESENÀA E NO PODER DE $EUS E O CUM
SENTE E DECIDE .A "¤BLIA A PALAVRA hCORA PRIMENTO DE SEUS MANDAMENTOS *S   
ÀâOv TEM UM SENTIDO MUITO MAIS AMPLIADO   #R  
QUE O SIGNIlCADO MODERNO / CORAÀâO £ A
PARTE CENTRAL DE UMA PESSOA 0RATICAMENTE #/2!·4!3 PARTE DOS LEVITAS QUE DES
TODAS AS REFERäNCIAS AO CORAÀâO NA "¤BLIA CENDIA DE #/2¬ lLHO DE )SAR E NETO DE
REFEREM SE A ALGUM ASPECTO DA PERSONALIDA ,EVI -UITOS CORA¤TAS TINHAM POSIÀµES DE
DE HUMANA RESPONSABILIDADE NO TABERNÖCULO ›X  
.A "¤BLIA TODAS AS EMOÀµES SâO EXPE /NZE SALMOS LEVAM A EXPRESSâO hDOS lLHOS
RIMENTADAS PELO CORAÀâO AMOR E ˜DIO 3L DE #ORÖv 3L        
 0E   ALEGRIA E TRISTEZA %C 
*O   PAZ E AMARGURA %Z  #L   #/2!, VEJA *Ê)!3 % 0%$2!3 02%#)/3!3 
CORAGEM E MEDO 'N  !M  
!CREDITA SE QUE O PROCESSO MENTAL #/2!:)- CIDADE AO NORTE DO MAR DA
SEJA DESENCADEADO PELO CORAÀâO ! 'ALIL£IA VEJA -APA  #  ONDE *ESUS
 #/2$! #
REALIZOU MUITOS MILAGRES -T  ,C #/2#/6!3 CURVATURAS CONVEXAS
  &OI IDENTIlCADA COM A ATUAL ACENTUADAS NO DORSO DOS CAMELOS ONDE
+HIRBET +ERAZEH QUE DISTA CERCA DE TRäS SE RESERVA ALIMENTO NA FORMA DE GORDURA
QUIL¹METROS A NORTE DE #AFARNAUM A )S   !S CORCOVAS PERMITIAM QUE
MODERNA 4ELL (UM  *ESUS PROFERIU UM OS CAMELOS lZESSEM LONGAS VIAGENS COM
JULGAMENTO SOBRE #ORAZIM POR FALTA DE PEQUENA QUANTIDADE DE ÖGUA OU COMIDA
ARREPENDIMENTO E F£
#/2#5.$! VEJA $%&)#)›.#)!3 % $%&/2
#/2"² OFERTA PALAVRA QUE SE REFERE -)$!$%3 
A UMA OFERTA OU DÖDIVA DEDICADA A $EUS
DE FORMA ESPECIAL 5MA VEZ QUE UMA #/2$! LINHA LONGA DE lBRA TORCIDA USA
OFERTA ERA APRESENTADA COM A DECLARAÀâO DA PARA AMARRAR OU PRENDER .OS TEMPOS
DE #ORBâ NâO PODERIA SER RETIRADA OU B¤BLICOS A CORDA ERA FEITA DE LINHO OU DE
ACEITA DE VOLTA SERIA CONSIDERADA TOTAL lBRAS DE TAMAREIRA OU AT£ MESMO DE TIRAS
MENTE CONSAGRADA PARA USO ESPECIAL DO DE COURO DE CAMELO %RAM USADAS PARA
TEMPLO VÖRIAS TAREFAS INCLUINDO ENCORDOAMENTO
*ESUS CONDENOU OS FARISEUS POR ENCORA DE BARCOS !T  TIRANTES DE CARRO )S
JAREM O POVO A DAR TAIS OFERTAS AO TEMPLO  MEDI˵ES 3M  E PARA AMARRAR
MAS NEGLIGENCIAREM A RESPONSABILIDADE DE PRISIONEIROS *Z   ! CORDA DE LINHO
CUIDAR DE SEUS PAIS -C    $E ACORDO ERA ESPECIALMENTE RESISTENTE E DURÖVEL E
COM *ESUS ESTA ERA UMA VIOLAÀâO CLARA DE NORMALMENTE USADA PARA FAZER REDES DE
UM GRANDE MANDAMENTO h(ONRA E TEU PAI PESCAR
E A TUA MâEv -C   6ÖRIAS PALAVRAS NAS L¤NGUAS ORIGINAIS DA
"¤BLIA SâO TRADUZIDAS POR CORDA CORDµES OU
#/2£! VEJA !.)-!)3 $! "Ù",)!  ALGO SEMELHANTE DE ACORDO COM O CON
2UÓNAS DA CIDADE DE #ORAZIM ALVO DE DENÞNCIAS DE *ESUS
#/2$!3 ).3425-%.4/3 $% 

TEXTO 5MA CORDA FOI NECESSÖRIA QUANDO #/2$%, FERRAMENTA SEMELHANTE A UMA
2AABE FEZ OS DOIS ESPIAS DESCEREM PELA TRENA PARA TOMAR MEDIDAS OU MARCAR
JANELA DE SUA CASA *S  OU QUANDO OS DIST½NCIAS $AVI SEPAROU OS MOABITAS QUE
SERVOS DO REI :EDEQUIAS LANÀARAM *EREMIAS SERIAM EXECUTADOS DOS QUE SERIAM POUPA
EM UMA CISTERNA *R    -AS QUANDO DOS COM O USO DE UM CORDEL 3M  
SâO DESCRITOS OS ORNAMENTOS DE LINHO DA !M˜S PROFETIZOU JU¤ZO COM AS SEGUINTES
CORTE DE !SSUERO %T  OU OS REPOSTEIROS PALAVRAS h E A TUA TERRA SERÖ REPARTIDA
DO TABERNÖCULO ›X  CORDµES PARECE A CORDELv   :ACARIAS TROUXE ½NIMO
SER A ID£IA MAIS APROPRIADA *ESUS FEZ UM A :OROBABEL COM SUA VISâO DO ANJO QUE
CHICOTE DE CORDAS *O  PARA EXPULSAR LEVAVA UM CORDEL PARA MEDIR AS RU¤NAS DE
OS CAMBISTAS DO TEMPLO *ERUSAL£M ANTES QUE SE INICIASSE O PROCESSO
6EJA TAMB£M !2-!$),(! DE RECONSTRUÀâO DA CIDADE :C  

#/2$!3 ).3425-%.4/3 $% VEJA #/2%3 $! "·",)! AS CORES COMO


).3425-%.4/3 -53)#!)3  ID£IA OU CONCEITO SâO RARAMENTE
MENCIONADAS NA "¤BLIA ! PALAVRA MAIS
#/2$%)2/ VEJA !.)-!)3 $! "Ù",)!  COMUM TRADUZIDA POR hCORv SIGNIlCA
PERCEPÀâO APARäNCIA OU ASPECTO ,V
#/2$%)2/ $% $%53 EXPRESSâO USADA   %XPRESSA COR EM COMPARAÀâO COM
POR *OâO "ATISTA PARA DESCREVER *ESUS *O OUTROS MATERIAIS ! PALAVRA QUE DESCREVE
   *OâO IDENTIlCOU PUBLICAMENTE PEDRAS PRECIOSAS COMO hCOLORIDASv )S
*ESUS COMO hO #ORDEIRO DE $EUS QUE TIRA  REFERE SE A ANTIM¹NIO OU EST¤BIO
O PECADO DO MUNDOv %M OUTRO TEXTO E PROVAVELMENTE AO COMPONENTE ESCURO
DO .OVO 4ESTAMENTO *ESUS £ CHAMADO NORMALMENTE USADO NA PRODUÀâO DE PE
CORDEIRO !T  0E  !P   / DRAS PRECIOSAS !LGUNS OBJETOS NA "¤BLIA
LIVRO DE !POCALIPSE FALA  VEZES A RESPEITO SâO DESCRITOS COMO TENDO VÖRIAS CORES
DE *ESUS COMO CORDEIRO 0V  %Z  
! REFERäNCIA DE *OâO A *ESUS COMO #OR %SSA TERMINOLOGIA QUE CARECE DE DElNI
DEIRO DE $EUS CHAMA ATENÀâO PARA O SISTEMA ÀâO ESPEC¤lCA NA "¤BLIA PODE SER RESULTADO
SACRIlCIAL DO !NTIGO 4ESTAMENTO .ESSE DOS MANDAMENTOS DE $EUS AOS HEBREUS
TIPO DE SACRIF¤CIO $EUS ACEITAVA O SANGUE PARA NâO FAZEREM IMAGENS ESCULPIDAS OU
DE ANIMAIS COMO MEIO DE EXPIAÀâO PARA ¤DOLOS ›X   /S HEBREUS NUNCA FORAM
O PECADO » PROVÖVEL QUE *OâO TIVESSE EM CONHECIDOS POR SEREM ARTISTAS OU AMANTES
MENTE MUITOS TEMAS DO !NTIGO 4ESTAMENTO DA ARTE 4ALVEZ A EXPERIäNCIA DE TER SIDO
QUANDO CHAMOU *ESUS DE #ORDEIRO DE $EUS UM POVO ESCRAVO TENHA CONTRIBU¤DO PARA A
4AIS TEMAS PODIAM INCLUIR A OFERTA PELO AUSäNCIA DE APRECIAÀâO ART¤STICA
PECADO ,V  A OFERTA PELA TRANSGRESSâO %M VEZ DE UMA INDICAÀâO ESPEC¤lCA
,V  O SACRIF¤CIO NO $IA DA %XPIAÀâO ,V O BRILHO OU A FALTA DE CLAREZA DE UMA COR
 E O SACRIF¤CIO DA 0ÖSCOA ›X   A LUMINOSIDADE OU A ESCURIDâO SâO MAIS
.O ENTANTO A IMAGEM MAIS FORTE FREQÓENTEMENTE ENFATIZADAS NA "¤BLIA
DO !NTIGO 4ESTAMENTO £ A DO 3ERVO ! SOMBRA EM VEZ DA COLORAÀâO PARECE
SOFREDOR QUE hCOMO CORDEIRO FOI LEVADO SER CONSIDERADA MAIS IMPORTANTE PARA OS
AO MATADOUROv )S   $ESSE MODO A ESCRITORES B¤BLICOS
REFERIDA DESCRIÀâO A RESPEITO DE *ESUS FOI #/2%3 .!452!)3 !S CORES INDIVIDUAIS
O PREN¢NCIO DA EXPIAÀâO QUE ELE PR˜PRIO MENCIONADAS NA "¤BLIA CLASSIlCAM SE EM
CUMPRIRIA EM NOSSO FAVOR DUAS CATEGORIAS PRINCIPAIS NATURAIS E
6EJA TAMB£M *%353 #2)34/ ARTIlCIAIS
 #/2%3 $! "·",)! #
!-!2%,/ ! PALAVRA TRADUZIDA POR 02%4/ 5MA DAS CORES MAIS COMUNS
hAMARELOv INDICA O AMARELO DO OURO 3L NAS %SCRITURAS / PRETO DESCREVE A COR DA
  O PäLO AMARELO NA CABEÀA PARA NOITE 0V  ESCURIDâO DA NOITE !2!
INDICAR LEPRA ,V   A DOENÀA DE PELE *˜  ENEGRECIDA
!L£M DOS CAVALOS PRETO VERMELHO E !2!  O CABELO SAUDÖVEL #T  -T  
BRANCO ALGUMAS PALAVRAS SUGEREM CORES A ESCURIDâO DA FACE DE CADÖVERES ,M 
EXCLUSIVAMENTE USADAS PARA SE REFERIR A ESCURECER O ASPECTO !2!  O C£U *R   A
CAVALOS / TERMO BAIO :C  MORENOS ESCURIDâO DO SOL E DA LUA *L   CAVALOS
!2#  :C  PODE REFERIR SE MAIS ESPECI :C   !P  
lCAMENTE A UM PADRâO DE VERMELHO COM 6%2$% !S PALAVRAS USADAS NORMAL
BRANCO / CAVALO hAMARELOv DE !P  MENTE DESCREVEM VEGETAÀâO DE ALGUM
REFERE SE Ü COR DE UM CADÖVER PÖLIDO  TIPO / VERDE DESCREVE PASTAGENS 3L
"2!.#/ !S PALAVRAS TRADUZIDAS POR   ERVA DO CAMPO 2S   ÖRVO
BRANCO DESCREVEM A COR DE ANIMAIS 'N RES EM GERAL $T  ,C  !P  
  O MANÖ ›X   O PäLO E AS O LEITO MATRIMONIAL EM SENTIDO lGURADO
CHAGAS DA LEPRA ,V    VESTES %C #T  VIÀOSAS FOLHAS !2! GRAMA VER
 $N   AS VESTES DOS JUSTOS !P  DE .4,(  O HIP˜CRITA COMPARADO A ERVAS
LINHO lN¤SSIMO RESPLANDECENTE E PURO OU REBENTOS NOVOS QUE SAEM AO SOL *O
!2!  CAVALOS :C  !P      RELVA -C   h%SVERDINHADAv £
PECADOS PERDOADOS 3L  )S   O RE UM TERMO USADO PARA MANCHAS DE PRAGA
MANESCENTE PURIlCADO $N    ,V   ASSIM COMO PARA A COR
O AMADO #T  ALVO !2!  A CLARA DO DO OURO
OVO *˜   AS VESTES RESPLANDECENTES DOS 6%2-%,(/ 6ÖRIAS PALAVRAS TRADUZIDAS
ANJOS !P  E AS DE #RISTO TRANSlGURA POR VERMELHO DESCREVEM OBJETOS NATURAIS
DO -T   O CABELO -T   SEPULCROS TAIS COMO O ENSOPADO DE *AC˜ 'N  
CAIADOS -T   E O GRANDE TRONO DE AS NOVILHAS PARA SACRIF¤CIO .M   O
JULGAMENTO !P   VINHO 0V   O REC£M NASCIDO %SA¢

/S GREGOS PINTAVAM OS TEMPLOS COM CORES VIVAS COMO SE VÐ NESSA RECONSTRU ÎO DE UM TRECHO DO 0ÉRTENON
EM !TENAS
#/2%3 $! "·",)! 

'N  RUIVO !2! VERMELHO .4,(  / 3ENHOR PRESCREVEU O USO DA P¢RPURA
OS OLHOS DE *UDÖ 'N  CINTILANTES EM DIVERSOS ORNAMENTOS DO TABERNÖCULO
DE VINHO !2! VERMELHOS DE BEBER VINHO TAIS COMO AS CORTINAS ›X  E OS REPOS
.4,(  OS OLHOS DOS BEBERRµES 0V   E TEIROS ›X   %RA TAMB£M UMA PARTE
O DRAGâO !P   ESSENCIAL DO TEMPLO #R  
#/,/2!­¡%3 !24)&)#)!)3 #ORES ARTI ! P¢RPURA ERA A COR DAS VESTES REAIS *Z
lCIAIS TAIS COMO TINTAS E CORANTES ERAM  ASSIM COMO DA ROUPA DE PESSOAS RI
LARGAMENTE USADAS NO MUNDO ANTIGO CAS 0V  ,C  O TRAJE DA MERETRIZ
.A "ABIL¹NIA OS TIJOLOS ERAM FEITOS DE !P  E O MANTO COLOCADO SOBRE *ESUS
DIFERENTES CORES ALGUMAS RESULTAVAM -C    #APAS TINGIDAS DE P¢RPURA
DOS DIFERENTES TIPOS DE ARGILA OUTRAS DOS ERAM USADAS EM VESTES REAIS DE BATALHA
PROCESSOS DE FABRICAÀâO /S EG¤PCIOS FAZIAM PELOS SACERDOTES DE 1UMRAN A P¢RPURA
TINTAS DE VÖRIAS SUBST½NCIAS /S ISRAELITAS ERA ALTAMENTE PROCURADA DURANTE O PER¤
TINHAM UMA IND¢STRIA TäXTIL AVANÀADA ODO DOS MACABEUS .OS TEMPOS DO .OVO
%RAM EX¤MIOS NâO APENAS EM TECELAGEM 4ESTAMENTO ERA UM IMPORTANTE ARTIGO DE
COMO TAMB£M EM TINGIMENTO COM£RCIO !T  !P  
6ISTO QUE ALGUMAS TINTAS ERAM FEITAS A 6%2-%,(/ / VERMELHO EXISTIA EM
PARTIR DE FONTES VEGETAIS OU DE MOLUSCOS O VÖRIOS MATIZES A TINTA ERA EXTRA¤DA DOS
CONTROLE DE QUALIDADE ERA DIF¤CIL !S CORES CORPOS DE INSETOS 5M MATIZ DO VERMELHO
ACABADAS ERAM NORMALMENTE IMPURAS E ERA O CARMESIM / LINHO DESSA TONALIDADE
SEM EXATIDâO )STO DEVIA SE AO FATO DE MUI ERA USADO NOS ORNAMENTOS DO TEMPLO #R
TOS CORANTES SEREM MANTIDOS COMO RECEITAS     %SSA COR ARTIlCIAL DEVIA SER
DE FAM¤LIA QUE POR VEZES SE PERDIAM OU PRATICAMENTE INDEL£VEL OU PERMANENTE *R
ERAM ALTERADOS  VISTO QUE O CARMESIM £ ASSOCIADO
!S COLORAÀµES ARTIlCIAIS A SEGUIR SâO lGURADAMENTE AO PECADO )S  
MENCIONADAS NA "¤BLIA /UTRO MATIZ DO VERMELHO £ CHAMADO
!:5, $URANTE OS TEMPOS B¤BLICOS O ESCARLATE %RA A COR DO lO ATADO AO PULSO
AZUL ERA UMA TINTURA DE GRANDE IMPORT½NCIA DE :ERA 'N    / ESCARLATE FOI BEM
DERIVADA DE ALGUMAS ESP£CIES DE MOLUSCO / USADO NO TABERNÖCULO ›X  CARMESIM
PANO TINGIDO COM ESSA COR ERA USADO COMO !2!  %RA A COR DO CORDâO ESTENDIDO PELA
PEÀA PADRâO NAS TAPEÀARIAS DO TABERNÖCULO JANELA DE 2AABE *S   4AMB£M ERA
›X  E NOS REPOSTEIROS DO 4EMPLO #R SINAL DE PROSPERIDADE 3M  0V  
  ! COR TAMB£M ERA USADA EM ORNAMEN / ESCARLATE DESCREVE EM -T  A COR
TOS REAIS %T   E EM VESTES DE PESSOAS DO MANTO COLOCADO EM *ESUS 6ISTO QUE O
DE POSSES *R  %Z   MANTO TAMB£M £ DESCRITO COMO P¢RPURA
0·2052! ! TINTURA ANTIGA MAIS PRECIO -C  AS DUAS CORES NEM SEMPRE
SA ERA A P¢RPURA %M 5GARITE CIDADE DOS ERAM BEM DElNIDAS NO .OVO 4ESTAMENTO
CANANEUS A Lâ ERA FREQÓENTEMENTE TINGIDA ! BESTA MONTADA PELA MERETRIZ ERA DE COR
COM ESSA COR ! &EN¤CIA TEVE SEU NOME ESCARLATE !P  COMO ERAM ALGUMAS
DERIVADO DA ORIGEM DESSA COR ! PALAVRA DAS VESTES DA PR˜PRIA MERETRIZ !P  E
h#ANAâv PROVAVELMENTE SIGNIlCA hTERRA DE SEUS SEGUIDORES !P   5MA OUTRA
DE P¢RPURAv ! TINTA ESPECIlCAMENTE PODE TONALIDADE DO VERMELHO £ O VERMELHO VIVO
TER SURGIDO DO MARISCO ENCONTRADO NO MAR USADO NA DECORAÀâO DE CASAS DE PESSOAS
-EDITERR½NEO 5M TOTAL DE  MIL MOLUS PR˜SPERAS *R  E EM PINTURAS DE ¤DOLOS
COS ERA NECESSÖRIO PARA PRODUZIR  GRAMAS %Z  
DA TINTA O QUE EXPLICA SEU ALTO PREÀO NA !LGUMAS CORES TäM SIGNIlCADO SIM
NAÀâO DE )SRAEL B˜LICO NAS %SCRITURAS / BRANCO INDICA
 #/2·.4)/3 %0·34/,!3 !/3 #
PUREZA RETIDâO E ALEGRIA O CAVALO BRANCO TOS 0AULO APELOU PARA O USO DA LIBERDADE
SIMBOLIZA VIT˜RIA / PRETO £ DESCRIÀâO CRISTâ NâO PARA O BENEF¤CIO PR˜PRIO EM
DE FOME E MORTE / VERMELHO COR DO CONSIDERAÀâO AO OUTRO ,EMBROU LHES QUE
SANGUE NORMALMENTE SIMBOLIZA A VIDA ELE CONDUZIA O SEU PR˜PRIO MINIST£RIO
£ TAMB£M UM RETRATO DE MASSACRES DE DESSA FORMA CAP  E ADVERTIU OS CONTRA
GUERRA ! COR AZUL POR VEZES DESCREVE TORNAREM SE ESTRITAMENTE LIGADOS A QUAL
O C£U ASSIM COMO A P¢RPURA £ S¤MBOLO QUER COISA QUE PUDESSE LEVAR Ü IDOLATRIA
DE REALEZA CAP  
0AULO EM SEGUIDA VOLTOU SE A OUTROS
#/2·.4)/3 %0·34/,!3 !/3 DUAS ABUSOS ESPECIALMENTE OS QUE ENVOLVIAM
CARTAS DO AP˜STOLO 0AULO ENDEREÀADAS Ü A ORDEM DA IGREJA .O CAP¤TULO  DE
IGREJA DE #ORINTO ! 0RIMEIRA %P¤STOLA SENVOLVEU O ENSINO CORRETO SOBRE A CEIA
AOS #OR¤NTIOS £ SINGULAR ENTRE AS CARTAS DO 3ENHOR NO CAP¤TULO  SOBRE OS DONS
PAULINAS EM VIRTUDE DA VARIEDADE DE SEUS ESPIRITUAIS NO  FALOU SOBRE O AMOR NO
ASSUNTOS PRÖTICOS ! SEGUNDA £ UMA DAS CAP¤TULO  SOBRE OS DONS CARISMÖTICOS DE
CARTAS MAIS PESSOAIS DE 0AULO COM UMA L¤NGUAS E PROFECIA E NO  SOBRE A RESSUR
RIQUEZA DE INSPIRAÀâO EMOCIONAL DO PASTOR REIÀâO &INALMENTE LEMBROU OS COR¤NTIOS
0AULO !MBAS REVELAM A QUE PONTO 0AULO DA COLETA SEMANAL DOS SANTOS EM *ERUSAL£M
IDENTIlCAVA SE COM SUAS IGREJAS SOFRENDO    #ONCLUIU COM OS PLANOS DE
POR SUAS FRAQUEZAS E COMEMORANDO SUAS VIAGEM E SAUDA˵ES   
VIT˜RIAS ! CORRESPONDäNCIA AOS COR¤NTIOS ! SEGUNDA EP¤STOLA £ ESTRITAMENTE RELA
LEVA NOS A UM MUNDO MUITO PARECIDO COM CIONADA ÜS CIRCUNST½NCIAS QUE RESULTARAM
O NOSSO 0AULO ANSIOSO ESCREVE A REC£M EM SUA ESCRITA ! CARTA COMEÀA FAZENDO
CONVERTIDOS PREOCUPADOS COM QUESTµES MENÀâO DE UMA EXPERIäNCIA DOLOROSA DE
REFERENTES Ü VIVäNCIA DO CRISTIANISMO EM REJEIÀâO EM #ORINTO A TERCEIRA VISITA DE
UM AMBIENTE PAGâO 0AULO  / AP˜STOLO DÖ GRAÀAS PELA RECON
%3425452! $!3 %0Ù34/,!3 !P˜S A CILIAÀâO COM OS COR¤NTIOS CAP  MAS FALA
INTRODUÀâO #O   0AULO APELOU AOS SOBRE SEU SOFRIMENTO POR CAUSA DA TEIMOSIA
COR¤NTIOS PARA CORRIGIR AS DIVISµES NO MEIO DA IGREJA CAP   /S CAP¤TULOS  E  SâO
DA IGREJA    ,EMBROU LHES DE QUE REmEXµES TEOL˜GICAS SOBRE O MINIST£RIO OS
ESTAVAM UNIDOS PELA PREGAÀâO SIMPLES CAP¤TULOS  E  LIDAM COM A RECONCILIAÀâO
MAS PODEROSA DA CRUZ #O    .O CAP¤TULO  0AULO COMPARTILHA SUA
$E FATO CADA L¤DER DE IGREJA EDIlCA SOBRE ALEGRIA PELO ARREPENDIMENTO DA IGREJA !
O ¢NICO FUNDAMENTO QUE £ *ESUS CAP  PERSPECTIVA DO AP˜STOLO MUDA NOS CAP¤TU
E CONSEQÓENTEMENTE TRABALHA EM FAVOR LOS  E  AO TRATAR DA COLETA PARA A IGREJA
DE #RISTO CAP   .OS CAP¤TULOS  E  EM *ERUSAL£M
0AULO OCUPA SE DE DOIS PROBLEMAS MORAIS / TOM DA SEGUNDA EP¤STOLA MUDA NOS
EM #ORINTO *ULGA UM HOMEM QUE TINHA CAP¤TULOS DE  A  %STES UNEM SE ÜS AD
RELAÀµES SEXUAIS COM A MULHER DE SEU PAI MOESTAÀµES AOS COR¤NTIOS E AOS OPOSITORES
CAP  E REPROVOU OS CRISTâOS POR LEVAREM DE 0AULO ÜS DEFESAS DE SEU APOSTOLADO E Ü
ASSUNTOS DIANTE DE TRIBUNAIS JULGADOS POR PROVA DE SEUS SOFRIMENTOS COMO AP˜STOLO
NâO CRISTâOS #O    3E OS CAP¤TULOS DE  A  REVELAM A ALEGRIA E
0AULO EM SEGUIDA ENCAMINHOU O AL¤VIO OS CAP¤TULOS DE  A  DEIXAM NOS
ALGUMAS QUESTµES QUE LHES HAVIAM SIDO VER AS FERIDAS F¤SICAS E EMOCIONAIS QUE
LEVADAS PELOS COR¤NTIOS SEXUALIDADE CARREGAVA COMO AP˜STOLO ! CARTA lNALIZA
   CASAMENTO CAP  E COMIDA COM A ¢NICA BäNÀâO DA TRINDADE REGISTRADA
OFERECIDA A ¤DOLOS CAP   %M TAIS ASSUN NA "¤BLIA #O  
#/2·.4)/3 %0·34/,!3 !/3 

5- %3"/£/ $)$­4)#/
0!24%  %- 2%30/34! !/ 2%,!4/ $% #,/% 3/"2% $)6)3À%3
.! )'2%*!  n

)6 ).42/$5£²/  


6 / 2%,!4/ 3/"2% !3 $)6)3À%3  
6) / 0/215´ $!3 $)6)3À%3  n
! %RRO NA COMPREENSÎO DA MENSAGEM DO
EVANGELHO  n
" %RRO NA COMPREENSÎO DO MENSAGEIRO DO
EVANGELHO  n
# %RRO NA COMPREENSÎO DO MINISTÏRIO DE
0AULO  
 #/2·.4)/3

0!24%  %- 2%30/34! !/3 2%,!4/3 3/"2% )-/2!,)$!$%  n


) 3/"2% / ).#%34/  
! 3UBMETAM OS IMORAIS Ì DISCIPLINA   
" 3EPAREM SE DOS CRENTES IMORAIS   
)) 3/"2% ,)4·')/3 %.42% /3 )2-²/3  
))) !$6%24´.#)! #/.42! ! )-/2!,)$!$% 3%85!,  
0!24%  %- 2%30/34! ° #!24! 2%#%")$!  n
)6 #/.3%,(/3 15!.4/ !/ #!3!-%.4/  
! 0RINCÓPIOS PARA A VIDA DE CASADO  
" 0RINCÓPIOS PARA O CRENTE CASADO   
# 0RINCÓPIO DE PERMANECER NO CHAMADO DE $EUS   
$ 0RINCÓPIOS PARA OS NÎO CASADOS   
% 0RINCÓPIOS PARA O NOVO CASAMENTO   
6 #/.3%,(/3 15!.4/ ° ,)"%2$!$% %30)2)45!,  n
! 0RINCÓPIOS DE LIBERDADE EM FACE DO IRMÎO MAIS
FRACO  
" ! ILUSTRA ÎO DE 0AULO E SUA LIBERDADE  
# #ONSELHOS SOBRE A FALSA LIBERDADE   
$ %XORTA ÎO QUANTO AO EMPREGO DA LIBERDADE
PARA A GLØRIA DE $EUS  n
6) #/.3%,(/3 15!.4/ !/ #5,4/ 0Â",)#/ n
! 0RINCÓPIOS PARA A ORA ÎO FEITA EM PÞBLICO  
" 2EPREENSÎO SOBRE A DESORDEM NA CEIA DO
3ENHOR   
# 0RINCÓPIOS PARA O EXERCÓCIO DOS DONS
ESPIRITUAIS  n
6)) #/.3%,(/3 #/- 2%30%)4/ ° 2%33522%)£²/  
! ! RESSURREI ÎO DE #RISTO Ï UM FATO   
" ! IMPORTÊNCIA DA RESSURREI ÎO DE #RISTO   
# ! ORDEM EM QUE SE DARÎO AS RESSURREI ÜES   
 #/2·.4)/3 %0·34/,!3 !/3 #
 #/2·.4)/3 5- %3"/£/ $)$­4)#/
$ )MPLICA ÜES MORAIS DA RESSURREI ÎO DE #RISTO   
% / CORPO DOS MORTOS QUE RESSURGIREM   
& / CORPO DOS QUE NÎO PASSAREM PELA MORTE   
6))) #/.3%,(/3 15!.4/ ° /&%24! ! 3%2 %.6)!$! 0!2!
*%253!,³-  
)8#/.#,53²/  

5- %3"/£/ $)$­4)#/
0!24%  %80,)#!£À%3 $% 0!5,/ !#%2#! $/ 3%5 -).)34³2)/ n
6)) ).42/$5£²/  
6))) 0!5,/ %80,)#! 35! -5$!.£! $% 0,!./3  
! / PLANO ORIGINAL DE 0AULO   
" ! ALTERA ÎO DOS PLANOS  n
# !PELO AO PERDÎO  
 #/2·.4)/3

)8! &),/3/&)! $% -).)34³2)/ $% 0!5,/ n


! #RISTO Ï A CAUSA DE NOSSO TRIUNFO  
" 6IDAS TRANSFORMADAS SÎO A CARTA DE
RECOMENDA ÎO DO MINISTÏRIO   
# ! NOVA ALIAN A Ï A BASE DO MINISTÏRIO   
$ #RISTO Ï O TEMA DO MINISTÏRIO   
% !S MUITAS TRIBULA ÜES NO MINISTÏRIO  
& -OTIVA ÎO NO MINISTÏRIO n
' %VITANDO MOTIVOS DE ESCÊNDALO NO MINISTÏRIO  
)6 0!5,/ %8/24! /3 #/2·.4)/3  n
! 0AULO FAZ UM APELO Ì RECONCILIA ÎO   
" 0AULO PEDE QUE NÎO TENHAM COMUNHÎO COM
OS INCRÏDULOS  n
$ 0AULO SE ENCONTRA COM 4ITO   
% ! REA ÎO DOS CORÓNTIOS Ì CARTA DE 0AULO   
0!24%  0!5,/ 0%$% /&%24!3 0!2! /3 3!.4/3  
) / %8%-0,/ $!3 )'2%*!3 $! -!#%$½.)!  n
)) %8/24!£À%3 !/3 #/2·.4)/3  n
! / EXEMPLO DE #RISTO  
" / PROPØSITO DAS OFERTAS  
# 0AULO APRESENTA AQUELES QUE ENVIOU  n
$ %XORTA ÜES QUANTO ÌS OFERTAS   
0!24%  0!5,/ $%&%.$% ! 35! !54/2)$!$% !0/34¼,)#! n
8 0!5,/ 2%30/.$% !/3 15% / !#53!-  
! 2ESPOSTA Ì ACUSA ÎO DE COVARDIA   
#/2·.4)/3 %0·34/,!3 !/3 

5- %3"/£/ $)$­4)#/
" 2ESPOSTA Ì ACUSA ÎO DE ANDAR SEGUNDO A CARNE  
 #/2·.4)/3

# 2ESPOSTA Ì ACUSA ÎO DE FRAQUEZA   


8)0!5,/ $%&%.$% 35! !54/2)$!$% !0/34¼,)#! n
! 0AULO REAlRMA SUA AUTORIDADE APOSTØLICA  
" /S SOFRIMENTOS DE 0AULO SÎO PROVA DE SEU
APOSTOLADO   
# !S REVELA ÜES DE 0AULO SÎO PROVA DE SEU
APOSTOLADO   
$ /S SINAIS E PRODÓGIOS APRESENTADOS SÎO PROVA
DE SEU APOSTOLADO  
8)) 0!5,/ -!.)&%34! 3%5 $%3%*/ $% 6)3)4­ ,/3 %-
"2%6%  n
! ! PREOCUPA ÎO DE 0AULO EM NÎO SER UM PESO
lNANCEIRO PARA OS IRMÎOS   
" ! PREOCUPA ÎO DE 0AULO EM NÎO ENCONTRÉ LOS
ANDANDO SEGUNDO A CARNE  
# 0AULO OS EXORTA A EXAMINAREM A SI MESMOS   
8))) #/.#,53²/  

!54/2)! % $!4! !S DUAS EP¤STOLAS CLASSES INFERIORES #O    !LGUNS


APRESENTAM MARCAS INEQU¤VOCAS DA AUTORIA ERAM ESCRAVOS #O   !LGUMAS POUCAS
PAULINA #O  #O   ! PRIMEIRA CAR PESSOAS PR˜SPERAS #O   E JUDEUS
TA FOI ESCRITA DE »FESO #O  DURANTE   NO ENTANTO FAZIAM PARTE DO GRUPO
A TERCEIRA VIAGEM MISSIONÖRIA DE 0AULO DE CRENTES
TALVEZ EM  D# ! SEGUNDA ESCRITA  OU 5M POUCO DE PESQUISA PERMITE A RE
 MESES MAIS TARDE SEGUIU DA -ACED¹NIA CONSTRUÀâO DAS CIRCUNST½NCIAS ENVOLVIDAS
ONDE 0AULO ENCONTROU SE COM 4ITO E RECE NA CORRESPONDäNCIA COR¤NTIA » SENSATO
BEU NOT¤CIAS DO ARREPENDIMENTO DA IGREJA DIZER QUE 0AULO ESCREVEU QUATRO CARTAS E FEZ
#O    TRäS VISITAS Ü IGREJA DE #ORINTO
#/.4%84/ ()34Ê2)#/ !TOS   $URANTE SUA TERCEIRA VIAGEM MISSIONÖ
REGISTRA O IN¤CIO DA IGREJA DE #ORINTO RIA O AP˜STOLO RECEBEU NOT¤CIAS A RESPEITO
$URANTE SUA SEGUNDA VIAGEM MISSIONÖRIA DA IMORALIDADE NA NOVA CONGREGAÀâO
0AULO SEGUIU SOZINHO DE !TENAS PARA DE #ORINTO %SCREVEU UMA CARTA QUE
#ORINTO POR VOLTA DE  D# ,Ö TRABALHOU SE PERDEU CONTRA A UNIâO COM IMPUROS
COM UM CASAL DE JUDEUS CRISTâOS !QÓILA #O   ! CARTA APARENTEMENTE NâO
E 0RISCILA ENTâO EXPULSOS DE 2OMA PELO ATINGIU SEU PROP˜SITO !LGUM TEMPO
IMPERADOR #LÖUDIO POR SEREM JUDEUS 3ILAS DEPOIS 0AULO PERCEBEU #O  
E 4IM˜TEO TAMB£M UNIRAM SE A 0AULO EM QUE AINDA EXISTIAM PROBLEMAS NA ÖREA
#ORINTO 1UANDO 0AULO DEIXOU #ORINTO  SEXUAL QUE ENVOLVIAM OUTRAS PESSOAS 5MA
MESES MAIS TARDE UMA CONGREGAÀâO CRISTâ SEGUNDA CARTA FOI ESCRITA EM RESPOSTA AO
mORESCEU ! CONGREGAÀâO ERA FORMADA ASSUNTO PROVAVELMENTE  #OR¤NTIOS NA
PRINCIPALMENTE POR EX PAGâOS #O  QUAL O AP˜STOLO TRATOU DE VÖRIAS QUESTµES
MUITOS DOS QUAIS ERAM APARENTEMENTE DE TRATADAS PELOS COR¤NTIOS VEJA AS SEÀµES QUE
 #/2·.4)/3 %0·34/,!3 !/3 #
INICIAM COM h#OM RESPEITO Av h1UANTO PARA SALVAR AQUELES QUE DIZEM hPODER DE
AO QUE ME ESCREVESTESv h.O QUE SE REFERE $EUS E SABEDORIA DE $EUSv #O   $E
Av ETC #O       !L£M ACORDO COM 0AULO A PREGAÀâO DA CRUZ NâO
DISSO 0AULO CONDENOU OS COR¤NTIOS POR SUAS £ UM ENSINO HUMANO MAS UMA REVELAÀâO
DIVISµES #O  E SUAS VIOLAÀµES SEXUAIS DO %SP¤RITO QUE TORNA CONHECIDA A MENTE
INDECENTES #O   DE #RISTO #O    / CENTRO DA CRUZ
%SSA CARTA TAMB£M NâO CUMPRIU O ULTRAPASSA TODAS AS DIVISµES INTERNAS DE
OBJETIVO DE CORRIGIR OS ABUSOS EM #ORINTO UMA IGREJA
!PARENTEMENTE POR ESSE MOTIVO 0AULO 4ENDO EM VISTA QUE MUITOS PROBLEMAS
FEZ UMA VISITA Ü CIDADE DURANTE A QUAL SURGIDOS EM #ORINTO REFERIAM SE A COMPOR
FOI REJEITADO #O   $E »FESO 0AULO TAMENTO E MORAL 0AULO PRIVILEGIOU A RECO
ESCREVEU ENTâO UMA TERCEIRA CARTA NA MENDAÀâO £TICA EM SUA CORRESPONDäNCIA
QUAL NâO DISPENSOU ATAQUES E PROTESTOS AOS / PRINC¤PIO CONDUTOR USADO PELO AP˜STOLO
COR¤NTIOS TEIMOSOS %SSA CARTA ENVIADA POR £ QUE hTODAS AS COISAS ME SâO L¤CITAS MAS
4ITO TAMB£M SE PERDEU -UITOS ESTUDIOSOS NEM TODAS CONVäMv #O    /S
ACREDITAM QUE TENHA SIDO ENVIADA COM CRISTâOS DEVEM FAZER USO DA LIBERDADE QUE
#ORINT¤OS E PRESERVADA NA FORMA DOS TäM NâO PARA SEU PR˜PRIO BENEF¤CIO MAS
CAP¤TULOS  A  DA EP¤STOLA PARA A GL˜RIA DE $EUS E O BEM DO PR˜XIMO
!NSIOSO COM RELAÀâO AO RESULTADO %SSE PRINC¤PIO VAI AL£M DA SIMPLES LEGISLAÀâO
POSS¤VEL CAUSADO PELA CARTA E IMPACIENTE DE PERMISSµES E PROIBIÀµES %M VEZ DISSO
COM A DEMORA DE 4ITO 0AULO VIAJA DE »FESO CULTIVA UMA F£ MADURA E RESPONSÖVEL CAPAZ
EM DIREÀâO AO NORTE AT£ -ACED¹NIA ,Ö DE DAR DIREÀâO PARA CADA PROBLEMA MORAL
ENCONTRA SE COM 4ITO QUE PARA AL¤VIO DE ! 0RIMEIRA %P¤STOLA AOS #OR¤NTIOS
0AULO RELATA QUE OS COR¤NTIOS TINHAM PU TAMB£M £ IMPORTANTE POR CAUSA DE SEU
NIDO O L¤DER DA OPOSIÀâO E SE ARREPENDIDO ENSINO SOBRE OS DONS DO %SP¤RITO CAP 
#O    %M SEGUIDA 0AULO ESCREVE E A RESSURREIÀâO DOS MORTOS CAP   0AULO
UMA QUARTA CARTA  #OR¤NTIOS A RESPEITO RECONHECEU UMA VARIEDADE DE DONS 
DE SUA ANSIEDADE ANTERIOR E PARA EXPRESSAR  MAS INSISTIU QUE UM S˜ %SP¤RITO £ QUEM
SUA ALEGRIA COM A MUDANÀA EM #ORINTO OS CONCEDE !SSIM COMO O CORPO CONSISTE
#/.42)"5)­ª/ 4%/,Ê')#! /S PROBLE EM MUITAS PARTES MAS PERMANECE UM S˜
MAS QUE 0AULO ENFRENTOU NA IGREJA DE #O ORGANISMO O CORPO DE #RISTO COMPµE SE
RINTO ERAM COMPLEXOS E PODIAM TER EFEITOS DE CRENTES REGENERADOS COM DIFERENTES
DRAMÖTICOS ! CORRESPONDäNCIA RESULTANTE DONS CADA QUAL DADO PELO MESMO %SP¤RITO
£ RICA E PROFUNDA EM TERMOS TEOL˜GICOS / CAP¤TULO  DE #OR¤NTIOS £ O REGISTRO
!O TRATAR DOS PROBLEMAS DE #ORINTO O PIONEIRO A RESPEITO DA RESSURREIÀâO NO .OVO
AP˜STOLO ATINGE ALGUNS MOMENTOS DA MAIS 4ESTAMENTO ! MENOS QUE #RISTO TIVESSE
SUBLIME LITERATURA DO .OVO 4ESTAMENTO RESSUSCITADO DIZ 0AULO A F£ DOS CRISTâOS
#ORINTO COMO A CIDADE VIZINHA DE SERIA VAZIA    !SSIM COMO A MORTE
!TENAS SIMBOLIZAVA A CULTURA GREGA E SEU VEIO POR !DâO A NOVA VIDA VEM POR MEIO
DESEJO POR PODER E SABEDORIA 0AULO DEVE DE #RISTO    ! RESSURREIÀâO DE
TER SOFRIDO A TENTAÀâO DE ESCREVER AOS GRE *ESUS SâO AS hPRIM¤CIASv  DA VIT˜RIA
GOS COMO UM lL˜SOFO CRISTâO #O   .O FUTURA » POR CAUSA DESSA RESSURREIÀâO QUE
ENTANTO REJEITOU TAL TENDäNCIA E lOU SE NA O CRENTE PODE CONFESSAR h/NDE ESTÖ ˜
IRONIA DA CRUZ hESC½NDALO PARA OS JUDEUS MORTE A TUA VIT˜RIAv  
LOUCURA PARA OS GENTIOSv #O   ! ! SEGUNDA EP¤STOLA £ PROVAVELMENTE
LOUCURA DO EVANGELHO DE FATO SUA OFENSA MAIS CONHECIDA POR SEU ENSINO SOBRE O
Ü CULTURA GREGA ERA INDICAÀâO DE SEU PODER MINIST£RIO CRISTâO /S CAP¤TULOS  E  SâO
#/2).4/ 

INCOMPARÖVEIS NO QUE SE REFERE Ü BELEZA DE EXCELENTEv DO AMOR AGAPE CAP   /


EXPRESSâO E GRANDEZA DE PENSAMENTO 0AULO AMOR NâO £ MERAMENTE UM SENTIMENTO
ADMIRA SE COM O TESOURO DO EVANGELHO QUE MAS UMA ATITUDE COMPROMETIDA COM A
$EUS CONlA A SEUS SERVOS HUMANOS $E FATO PACIäNCIA A ESPERANÀA E A ESTABILIDADE EM
A FRAQUEZA DOS MINISTROS DE #RISTO S˜ DESTA FACE DOS PROBLEMAS / AMOR ASSIM SOBRE
CA A MENSAGEM DE SALVAÀâO 4AL MENSAGEM VIVE AO PR˜PRIO MUNDO / AMOR AGAPE £ A
ENCONTRA SUA MAIOR EXPRESSâO EM #O  MAIOR CARACTER¤STICA DA VIDA E EXPERIäNCIA
h% ASSIM QUE SE ALGU£M ESTÖ EM #RISTO £ CRISTâS
NOVA CRIATURA AS COISAS ANTIGAS JÖ PASSARAM
EIS QUE SE lZERAM NOVASv / PODER DESSE #/2).4/ A MAIS ANTIGA E MAIS IM
ENSINO TRANSFORMA OS MENSAGEIROS CRISTâOS PORTANTE CIDADE DE COM£RCIO DA 'R£CIA
EM EMBAIXADORES DE #RISTO !T   #O  #O   4M
#/.3)$%2!­¡%3 %30%#)!)3 #OMO NO   %STRATEGICAMENTE SITUADA NO ISTMO
CASO DA RESSURREIÀâO AS CARTAS DE #ORINTO DE #ORINTO ENTRE O MAR *¹NIO E O MAR
TAMB£M APRESENTAM O PRIMEIRO REGISTRO %GEU VEJA -APA  "  #ORINTO ERA O
SOBRE A CEIA DO 3ENHOR #O    ELO ENTRE 2OMA A CAPITAL DO MUNDO E O
!S ¢LTIMAS PALAVRAS IMORTAIS DE #RISTO /RIENTE %M #ORINTO O AP˜STOLO 0AULO
h)STO £ O MEU CORPO QUE £ DADO POR V˜S  ESTABELECEU UMA IGREJA VIGOROSA COMPOSTA
%STE CÖLICE £ O .OVO 4ESTAMENTO NO MEU DE UM GRUPO REPRESENTATIVO DE PESSOAS
SANGUEv   EVOCAM SUA MORTE E DE MENTALIDADE MUNDANA QUE HAVIAM SE
CRIAM A EXPECTATIVA DE SUA VOLTA TRANSFERIDO PARA #ORINTO A lM DE PARTI
! PRIMEIRA EP¤STOLA CONT£M AL£M DISSO CIPAR DE JOGATINAS PROSTITUIÀâO LEGALIZADA
UM DOS MAIS CONHECIDOS CAP¤TULOS DO NOS TEMPLOS AVENTURAS COMERCIAIS E DE
.OVO 4ESTAMENTO %M CADäNCIA PO£TICA TODO TIPO DE DIVERSµES DISPON¤VEIS EM UMA
0AULO PROCLAMA O hCAMINHO SOBREMODO

2UÓNAS DA CIDADE DE #ORINTO FAMOSA POR SUA RIQUEZA E IMORALIDADE #O    
 #/2).4/ #

2UÓNAS DE UM TRIBUNAL CIVIL DE #ORINTO CONHECIDO COMO "ASÓLICA DE *ULIANO !S DISPUTAS ENTRE OS CRISTÎOS DE
#ORINTO #O   PODEM TER SIDO LEVADAS A ESTE TRIBUNAL

CIDADE PORTUÖRIA DO PRIMEIRO S£CULO #O MIL PESSOAS QUE VIVIAM LÖ NA £POCA DA CHE
   GADA DE 0AULO .EGOCIANTES E MARINHEIROS
%MBORA O AP˜STOLO 0AULO NâO TENHA ANSIOSOS POR TRABALHO NOS ESTALEIROS
ESTABELECIDO A IGREJA EM #ORINTO ANTES DE MIGRAVAM PARA #ORINTO *OGADORES PROlS
 D# !T   A HIST˜RIA DA CIDADE SIONAIS E ATLETAS QUE APOSTAVAM NOS JOGOS
DATA DE TEMPOS PR£ HIST˜RICOS QUANDO AN DO ISTMO lXARAM SE NO LOCAL %SCRAVOS
TIGOS HOMENS TRIBAIS lXARAM SE NA REGIâO POR VEZES LIVRES MAS SEM LUGAR DE PARADA
%MBORA FOSSE UM CENTRO DE NEG˜CIOS VAGAVAM PELAS RUAS DIA E NOITE 0ROSTITUTOS
#ORINTO JÖ ERA PR˜SPERA E FAMOSA POR SEU E PROSTITUTAS ERAM CONTADOS EM GRANDES
BRONZE SUA CER½MICA E PELA CONSTRUÀâO N¢MEROS 0ESSOAS DE 2OMA DO RESTANTE DA
NAVAL DESDE  A# / POETA GREGO 'R£CIA DO %GITO E DA ¬SIA -ENOR DE FATO
(OMERO FEZ MENÀâO Ü hPR˜SPERA #ORINTOv TODO O MUNDO MEDITERR½NEO GOSTAVAM DA
EM  A# FALTA DE PADRµES E DA LIBERDADE DE PENSA
.OS S£CULOS SEGUINTES #ORINTO COMPE MENTO QUE PREDOMINAVAM NA CIDADE
TIU COM A PODEROSA !TENAS SUA VIZINHA %RAM ESSAS AS PESSOAS QUE FORMARAM A
MAIS FORTE POR TODO O ISTMO AO NORTE %M IGREJA DE #ORINTO 4INHAM DE APRENDER A
 A# EX£RCITOS INVASORES DE 2OMA VIVER JUNTAS EM HARMONIA EMBORA SEUS
DESTRU¤RAM #ORINTO MATANDO HOMENS E PAR½METROS NACIONAIS SOCIAIS ECON¹MICOS
ESCRAVIZANDO MULHERES E CRIANÀAS (AVIA E RELIGIOSOS FOSSEM MUITO DISTINTOS
SOMENTE IND¤CIOS DE UM ASSENTAMENTO 3ITUADA EM UMA ESTREITA FAIXA DE TERRA
AT£  A# QUANDO *¢LIO #£SAR ORDENOU QUE LIGAVA O 0ELOPONESO PEN¤NSULA DO SUL
A RECONSTRUÀâO DA CIDADE .âO APENAS DA 'R£CIA AO CENTRO DA 'R£CIA E AO RESTO
A REEDIlCOU COMO CAPITAL DA PROV¤NCIA DA %UROPA #ORINTO DESFRUTAVA DE UM mUXO
ROMANA DA !CAIA COMO TAMB£M A POVOOU COMERCIAL ESTÖVEL ! CIDADE DISPUNHA DE
COM ITALIANOS LIVRES E ESCRAVOS DE VÖRIAS DUAS ENSEADAS DE DESTAQUE #ENCR£IA
NA˵ES ,OGO DEPOIS OS MERCADORES TAM PORTO OCIDENTAL NO GOLFO DE 3ARONA E ,IDA
B£M VOLTARAM A #ORINTO PORTO ORIENTAL NO GOLFO DE #ORINTO
! CIDADE ENTâO TORNOU SE UMA MISTURA .AS REGIµES MAIS AFASTADAS AO REDOR DE
RACIAL E CULTURAL DE APROXIMADAMENTE  #ORINTO LAVRADORES CUIDAVAM DE SEUS CAM
#/2).4/ 

POS DE TRIGO VINHAS E OLIVEIRAS .O ENTANTO DE UM ANlTEATRO ESTÖ INSCRITO O NOME DE


O CORAÀâO DE #ORINTO ERA A PR˜PRIA CIDADE %RASTO PROVAVELMENTE OlCIAL DE #ORINTO
CERCADA POR MUROS COM DEZ QUIL¹METROS DE MENCIONADO EM 2M  E 4M 
CIRCUNFERäNCIA 'RANDE PARTE DA ATIVIDADE !O SUL DO MERCADO lCAVA O AÀOUGUE
COMERCIAL DIÖRIA ERA CONDUZIDA NA PRAÀA .4,( QUE 0AULO MENCIONOU EM #O
P¢BLICA ÖGORA PAVIMENTADA EM MÖRMORE R¤NTIOS  /S COR¤NTIOS COMPRAVAM
OU NO MERCADO NA PARTE CENTRAL DA CIDADE SUA CARNE EM BARRACAS ! CARNE ERA
%MBORA SOMENTE UM POR CENTO DA CIDADE NORMALMENTE DEDICADA A ¤DOLOS PAGâOS
ANTIGA TENHA SIDO ESCAVADO POR ARQUE˜LO ANTES DE SER VENDIDA 4AL QUESTâO TORNOU SE
GOS ALGUMAS DESCOBERTAS INTERESSANTES DâO UM PROBLEMA CULTURAL PARA OS CRISTâOS DE
ID£IA DE COMO ERA A CIDADE QUANDO 0AULO #ORINTO #O  
ALI CHEGOU !TUALMENTE O TEMPLO DE !POLO
5MA PADIEIRA DE MÖRMORE OU VERGA PARCIALMENTE EM RU¤NAS ELEVA SE SOBRE O
DE PORTA FOI ENCONTRADA PERTO DE UMA ANTIGO MERCADO #ADA COLUNA D˜RICA COM
ÖREA RESIDENCIAL DE #ORINTO #ONTINHA CERCA DE SETE METROS DE ALTURA FOI CORTADA
PARTE DA INSCRIÀâO h3INAGOGA DOS DE UMA ¢NICA ROCHA DAS VÖRIAS PEDREIRAS
HEBREUSv %STA DEVE TER ESTADO NO MESMO SITUADAS FORA DOS MUROS DE #ORINTO
LOCAL DA ANTIGA SINAGOGA EM QUE 0AULO #OM  METROS ACIMA DA CIDADE E AO
PRIMEIRAMENTE PROCLAMOU A MENSAGEM SUL ESTÖ O !CROCORINTO ACR˜POLE OU CIDA
DO EVANGELHO A #ORINTO ACOMPANHADO DELA $ALI A ACR˜POLE DE !TENAS A CERCA
DE SEUS NOVOS AMIGOS JUDEUS ¬QÓILA E DE  QUIL¹METROS DE DIST½NCIA PODE SER
0RISCILA !T   VISTA !L£M DESTE O INFAME TEMPLO DE
.âO DISTANTE DO LOCAL DE ESCAVAÀâO DA !FRODITE OU 6äNUS LOCALIZAVA SE NO
SINAGOGA lCAVA O TRIBUNAL COBERTO COM TOPO DE SUA COLINA FORTIlCADA %SSE TEMPLO
MÖRMORE AZUL E BRANCO !LI O PROC¹NSUL E SEUS MIL PROSTITUTOS CULTUAIS CONTAMI
ROMANO DA !CAIA 'ÖLIO P¹S DE LADO O NAVAM A CULTURA E A MORAL DA CIDADE 0OR
CASO DE 0AULO !T    .O PASSEIO ESSE MOTIVO O AP˜STOLO 0AULO POR VEZES
2UÓNAS DO TEMPLO DE !POLO EM #ORINTO
 #/2/! #
TRATOU DURAMENTE COM OS CONVERTIDOS LIBERTARIA DE SEUS PECADOS E OS CONDUZIRIA A
DA IGREJA DE #ORINTO -UITOS COR¤NTIOS UMA VIDA ABUNDANTE E CHEIA DO %SP¤RITO
TINHAM VIVIDO NESSA CIDADE ¤MPIA POR $EUS ENVIOU UMA VISâO CELESTIAL TANTO A
TODA A VIDA E A ID£IA DE TOLERAR AT£ MESMO #ORN£LIO QUANTO A 3IMâO 0EDRO %M OBE
O INCESTO NâO PARECIA TâO TERR¤VEL PARA ELES DIäNCIA Ü VISâO #ORN£LIO ENVIOU ALGUNS DE
#O   SEUS HOMENS A *OPE A CERCA DE  QUIL¹
!PESAR DA REPUTAÀâO NOT˜RIA DE METROS AO SUL DE #ESAR£IA PARA ENCONTRAR
#ORINTO $EUS USOU O AP˜STOLO 0AULO PARA 0EDRO 0OR OUTRO LADO 0EDRO OBEDECEU Ü
ESTABELECER UMA IGREJA VIGOROSA NA CIDADE VISâO QUE TEVE A QUAL ELE INTERPRETOU COMO
POR VOLTA DE  D# !T    4EMPOS O FATO DE QUE A MENSAGEM DE #RISTO INCLU¤A
DEPOIS 0AULO ESCREVEU PELO MENOS DUAS OS GENTIOS E FOI AT£ #ORN£LIO %NQUANTO
CARTAS Ü IGREJA DA REGIâO VEJA #/2Ù.4)/3 0EDRO AINDA PREGAVA A #ORN£LIO E Ü SUA
%0Ù34/,! !/3  !MBAS TRATAM DE DIVISµES CASA hO %SP¤RITO 3ANTO CAIU SOBRE TODOS OS
NA IGREJA ASSIM COMO DE IMORALIDADE E QUE OUVIAM A PALAVRAv !T   0EDRO
MAU USO DA LIBERDADE CRISTâ ENTâO ORDENOU LHES QUE FOSSEM BATIZADOS
! CIDADE DE #ORINTO QUE 0AULO EM NOME DO 3ENHOR
CONHECEU FOI PARCIALMENTE DESTRU¤DA POR / FATO MARCOU A EXPANSâO DA IGREJA
UM TERREMOTO EM  D# E TOTALMENTE PRIMITIVA COM A INCLUSâO DE GENTIOS E
DEVASTADA POR OUTRO TERREMOTO EM  JUDEUS !T     0EDRO REFERIU
! MODERNA #ORINTO RECONSTRU¤DA A SE Ü CONVERSâO DE #ORN£LIO NO CONC¤LIO DE
QUATRO QUIL¹METROS APROXIMADAMENTE *ERUSAL£M !T   
DO ANTIGO LOCAL £ POUCO MAIOR QUE 6EJA TAMB£M #%.452)ª/  #//24%
UMA ALDEIA .âO £ CERTAMENTE UM )4!,)!.!
CENTRO COMERCIAL PR˜SPERO MAS BASTA
A SEUS HABITANTES OLHAR PARA AS ANTIGAS #/2.%4! VEJA ).3425-%.4/3 -53)#!)3 
RU¤NAS PARA TER ID£IA DA GL˜RIA PASSADA
DA CIDADE / SUCESSO DO EVANGELHO EM #/2/ VEJA 0%3/3 % -%$)$!3 
#ORINTO EMBORA AGRIDOCE ILUSTRA QUE
A GRAÀA DE $EUS ESTENDE SE NâO APENAS #/2/! ARTIGO ESPECIAL PARA A CABEÀA
AOS NOBRES MAS TAMB£M AOS NECESSITADOS USADO PARA SIMBOLIZAR A ALTA POSIÀâO
#O    DE UMA PESSOA E SUA AUTORIDADE 6ÖRIAS
PALAVRAS DISTINTAS NAS L¤NGUAS HEBRAICA E
#/2.³,)/ SOLDADO ROMANO A SERVIÀO GREGA DA "¤BLIA SâO TRADUZIDAS POR hCOROAv
EM #ESAR£IA E PRIMEIRO GENTIO CONVERTIDO %NTRE AS PESSOAS DESCRITAS PORTANDO COROAS
AO CRISTIANISMO DE QUE SE TEM REGISTRO NA ESTâO 6ASTI %T  E %STER %T   /
"¤BLIA !T    SUMO SACERDOTE E O REI NA HIST˜RIA PRIMITIVA
#ORN£LIO ERA UM HOMEM TEMENTE A DA NAÀâO DE )SRAEL APARENTEMENTE USAVAM
$EUS FORTEMENTE ATRA¤DO PELO ENSINO COROAS COMO SINAL DE AUTORIDADE E POSIÀâO
JUDAICO MONOTE¤STA A CRENÀA EM UM ,V  3M  
¢NICO $EUS EM OPOSIÀâO Ü IDOLATRIA E Ü ! COROA DE FOLHAS DE LOURO DADA AO
IMORALIDADE PAGâS E PELO ZELO EXPRESSO VENCEDOR DE UMA COMPETIÀâO ATL£TICA NOS
NA LEI DE -OIS£S COM RELAÀâO A AJUDAR O JOGOS GREGOS FOI USADA COMO ILUSTRAÀâO PELO
POBRE E O NECESSITADO !T   #ORN£LIO £ AP˜STOLO 0AULO #O  4M   /S SOL
APRESENTADO NO LIVRO DE !TOS COMO REPRE DADOS ROMANOS ZOMBARAM DE *ESUS NA CRUZ
SENTANTE DE MILHARES DO MUNDO GENTIO QUE COLOCANDO UMA COROA DE ESPINHOS EM SUA
ESTAVAM CANSADOS DO PAGANISMO E ANSIOSOS CABEÀA DIZENDO TRATAR SE DO hREI DOS JUDEUSv
PELA VINDA DO -ESSIAS O #RISTO QUE OS -T  TAMB£M -C  *O   
#/2/! $% %30).(/3 

/ LIVRO DE !POCALIPSE DESCREVE #RISTO hMORTIlCAR OS FEITOS DO CORPOv 2M 


COM MUITAS COROAS SOBRE A CABEÀA SIGNI E APRESENTAR SEUS CORPOS COMO SACRIF¤CIOS
lCANDO SUA AUTORIDADE REAL !P   SANTOS QUE AGRADAM A $EUS 2M  
! HERANÀA DOS CRISTâOS QUE SEGUEM A %M VIRTUDE DE O CORPO SER NECESSÖRIO
VONTADE DO 3ENHOR TAMB£M £ DESCRITA Ü VIDA HUMANA POR VEZES O TERMO
SIMBOLICAMENTE COMO UMA COROA #OMO SIMBOLIZA A PR˜PRIA PESSOA *ESUS E 0AULO
RECOMPENSA DA F£ OS CRISTâOS RECEBERAM USARAM A PALAVRA DESSA FORMA -T 
UMA COROA INCORRUPT¤VEL #O  QUE  &L   ! "¤BLIA POUCO REVELA SOBRE
NâO MURCHA NEM PERECE UMA COROA DE A EXISTäNCIA AP˜S A MORTE DO CORPO -AS A
VIDA ETERNA 4G  0E   SALVAÀâO COMPLETA E A HUMANIDADE PLENA
COMEÀAM NâO COM A MORTE MAS COM A
#/2/! $% %30).(/3 S¤MBOLO DE VOLTA DE #RISTO 3OMENTE ENTâO OS CRISTâOS
ZOMBARIA DE UMA AUTORIDADE FEITA PELOS SOL RECEBERâO CORPOS DA RESSURREIÀâO ETERNA
DADOS ROMANOS E NA FORMA DE UM hADORNOv #O   
COLOCADO NA CABEÀA DE *ESUS POUCO ANTES 6EJA TAMB£M #/20/ %30)2)45!, #/20/
DE SUA CRUCIlCAÀâO -T  -C  *O $% #2)34/
   .OS MUNDOS GREGO E ROMANO AS
COROAS ERAM S¤MBOLOS DE HONRA E AUTORIDA #/20/ $% #2)34/ EXPRESSâO USADA EM
DE ! COROA DE ESPINHOS DE *ESUS FOI USADA TRäS SENTIDOS NA "¤BLIA
PARA FAZER DE *ESUS OBJETO DE ESCÖRNIO E RI  %XPRESSâO QUE SE REFERE AO CORPO F¤SICO
DICULARIZAÀâO h3ALVE REI DOS JUDEUSv -T DE *ESUS .âO CRER QUE #RISTO TEVE UM
 -C  *O  FOI A SAUDAÀâO DOS CORPO HUMANO £ HERESIA *O   3EU
SOLDADOS EM SUA ZOMBARIA CRUEL E BRUTAL CORPO GLORIlCADO £ O MODELO DO CORPO
.O ENTANTO O INTENSO AMOR DE *ESUS Fä LO RESSURRETO DOS CRISTâOS &L  
SUPORTAR A AFRONTA PACIENTEMENTE A lM DE  h#ORPO DE #RISTOv TAMB£M REFERE SE AO
CUMPRIR SUA MISSâO TERRENA PâO DA CEIA DO 3ENHOR #O  
 / AP˜STOLO 0AULO USA A FRASE COMO S¤M
#/20/ PARTE MATERIAL OU F¤SICA DE UMA BOLO DA IGREJA /S TEXTOS DE 2M  
PESSOA VIVA OU MORTA !LGUNS RELIGIOSOS E #O   ENFATIZAM A UNIDADE
CONSIDERAM O CORPO MAU OU INFERIOR EM DA IGREJA EMBORA HAJA DIVERSOS DONS
COMPARAÀâO COM A ALMA MAS A "¤BLIA MINIST£RIOS E PERSONALIDADES %M %F 
ENSINA QUE O CORPO FOI DADO POR $EUS  E #L   #RISTO COMO CABEÀA DA
COMO BOM 'N   4RATA SE DE UM COM IGREJA £ O FOCO DO MINIST£RIO DE 0AULO
PONENTE NECESSÖRIO PARA UMA EXISTäNCIA
HUMANA COMPLETA 'N   .O !NTIGO #/20/ %30)2)45!, CORPO DE UMA
4ESTAMENTO A PALAVRA hCORPOv POR VEZES PESSOA AP˜S A RESSURREIÀâO E GLORIFICA
SIGNIlCA hCADÖVERv .M   EM OUTRAS RE ÀâO NâO MAIS SUJEITO A PECADO DOENÀA E
FERäNCIAS A PARTE DE UMA PESSOA ENVOLVIDA MORTE $EPOIS DE SUA RESSURREIÀâO *ESUS
NA REPRODUÀâO $T   NâO ERA UM ESP¤RITO OU APARIÀâO FOI
.O .OVO 4ESTAMENTO OS SIGNIlCADOS DO CAPAZ DE COMER hUM PEDAÀO DE PEIXE E
!NTIGO 4ESTAMENTO SâO AMPLIADOS 0AULO UM FAVO DE MELv ,C   .O ENTANTO
ENSINA DE UM LADO QUE O CORPO £ NORMAL O CORPO DE *ESUS JÖ TINHA DETERMINADAS
MENTE INSTRUMENTO DO PECADO #O   CARACTER¤STICAS ESPIRITUAIS -ESMO ANTES
QUE O CORPO DEVE MORRER COMO PUNIÀâO DE SUA ASCENSâO ENTROU EM UM C¹MODO
PARA O PECADO 2M   QUE O PECADO ONDE ESTAVAM REUNIDOS OS DISC¤PULOS
DESONRA O CORPO HUMANO 2M   0OR EMBORA AS PORTAS ESTIVESSEM FECHADAS
OUTRO LADO OS CRISTâOS EM #RISTO PODEM *O  
 #¼3 #
0AULO MENCIONA ESPECIlCAMENTE hCORPO CADEIASv %F  0AULO DESEJAVA QUE O
ESPIRITUALv EM #O   / AP˜STOLO REI !GRIPA FOSSE COMO ELE hEXCETO ;COM=
TORNA CLARO QUE O CORPO ESPIRITUAL NâO ESTÖ ESTAS CADEIASv !T   / AP˜STOLO
SUJEITO A PECADO OU MORTE )NCENTIVA OS 0EDRO ESTAVA ACORRENTADO !T  
CRISTâOS A MANTEREM A F£ lRME EM #RISTO O ACORRENTADO COM DUAS CADEIAS !2!
QUAL LHES DARÖ UM CORPO ESPIRITUAL NA VIDA COM DUAS CORRENTES .4,( 
FUTURA
#/2250£²/ DETERIORAÀâO DO CORPO !T
#/22%£²/ ATO DE CORRIGIR OU PUNIR   E DEGRADAÀâO DA VIDA HUMANA
.O !NTIGO 4ESTAMENTO CORREÀâO EQUIVALE COMO RESULTADO DO PECADO 0E   -AS
A DISCIPLINA 0V   REPROVAÀâO 0V POR CAUSA DA RESSURREIÀâO DE #RISTO NOSSOS
  E JULGAMENTO (C   CORPOS CORRUPT¤VEIS OU SUJEITOS Ü DECOM
/ .OVO 4ESTAMENTO DECLARA QUE TODA POSIÀâO DA MAT£RIA ORG½NICA RESSUSCITARâO
%SCRITURA £ ¢TIL PARA CORREÀâO 4M  EM INCORRUPTIBILIDADE #O    
CORRIGIR AS FALTAS .4,(  ! 0ALAVRA DE $EUS
A "¤BLIA ENSINA NOS O QUE £ VERDADEIRO E O #/24).! PEDAÀO DE TECIDO OU MATERIAL
QUE £ FALSO SIMILAR QUE FUNCIONA COMO ELEMENTO DE
DECORAÀâO PROPORCIONA SOMBRA OU SERVE
#/22%)! TIRA DE COURO USADA PARA PREN DE V£U ! PARTE INTERNA DO 4!"%2.¬#5,/
DER UMA SANDÖLIA AOS P£S -C   O 3ANTO ,UGAR E O 3ANTO DOS 3ANTOS
ERA FEITA DE DEZ CORTINAS EM AZUL P¢RPURA
#/22%.4% #!$%)! TERMOS COM E ESCARLATE ›X      /NZE
SIGNIlCADOS DISTINTOS NA "¤BLIA CORTINAS FEITAS DE PäLOS DE CABRA TAMB£M
 5MA INS¤GNIA DE POSIÀâO &ARA˜ COLOCOU COBRIAM O TABERNÖCULO
UMA CORRENTE DE OURO NO PESCOÀO DE *OS£ /UTRA CORTINA OU V£U DE lO AZUL P¢R
SINAL DE FAVOR REAL 'N  COLAR DE PURA OU ESCARLATE E DE LINHO lNO SEPARAVA
OURO !2! CORRENTE DE OURO .4,(  "ELSA O 3ANTO ,UGAR DO 3ANTO DOS 3ANTOS ›X
ZAR FEZ DE MODO SEMELHANTE A $ANIEL $N    !INDA OUTRA CORTINA DE MODELO
   CADEIA DE OURO !2! CORRENTE SEMELHANTE SERVIA DE PORTA DO TABERNÖCULO
DE OURO .4,(  %ZEQUIEL USOU A PALAVRA ›X   
PARA SIMBOLIZAR O AMOR SOBERANO DE $EUS .O .OVO 4ESTAMENTO A PALAVRA
POR *ERUSAL£M %Z  COLAR !2!  REFERE SE Ü CORTINA OU V£U DO TEMPLO QUE
 /RNAMENTO 0V  #T  COLAR !2! SEPARAVA O PÖTIO INTERNO DO EXTERNO %SSA
.4,(  $UAS CORRENTES TRANÀADAS DE CORTINA DIVIDIU SE EM DUAS DE ALTO A BAIXO
OURO PURO ESTAVAM ATADAS AO PEITORAL QUANDO *ESUS MORREU NA CRUZ -T 
DO »&/$% ›X     3ETE COR -C  ,C  SIMBOLIZANDO O ACESSO
RENTES ORNAMENTAIS FORAM USADAS PARA A UM NOVO E VIVO CAMINHO A $EUS (B
DECORAR OS CAPIT£IS DAS DUAS COLUNAS DE   
BRONZE QUE lCAVAM EM FRENTE DO TEMPLO
2S  #R    /S ¤DOLOS ERAM #/25*! VEJA !.)-!)3 $! "Ù",)! 
NORMALMENTE DECORADOS COM CADEIAS DE
PRATA )S   #/26/ VEJA !.)-!)3 $! "Ù",)! 
 'RILHµES PARA DETER PRISIONEIROS /
AP˜STOLO 0AULO ESTAVA PRESO A UM SOLDA #¼3 PEQUENA ILHA ENTRE -ILETO E 2ODES NO
DO ROMANO POR UMA CORRENTE !T  ARQUIP£LAGO OPOSTO Ü COSTA DA #ÖRIA NA ¬SIA
CADEIA !2! 4M  ALGEMAS !2!  -ENOR VEJA -APA  #   ,UGAR PELO QUAL O
!O SE DESCREVER COMO hEMBAIXADOR EM AP˜STOLO 0AULO PASSOU DURANTE SUA VIAGEM A
#/3² 

*ERUSAL£M !T   #˜S ERA FAMOSA POR SEUS EXEMPLO INSPIRADOR DO CONTROLE DE $EUS
VINHOS UNGÓENTOS TINTA P¢RPURA E POR SUA SOBRE O SEU MUNDO E DO SEU PODER PARA
lNA TEXTURA DE SEDA E ALGODâO PROTEGER SEU POVO

#/3² DESCENDENTE DE $AVI E ANCESTRAL #½6!$/ VEJA 0%3/3 % -%$)$!3 


DE *ESUS ,C  
#/8! PARTE DA PERNA ENTRE O JOELHO E O
#/3") FRAUDULENTO PRINCESA MIDIANITA QUADRIL 5MA PESSOA BATIA NA PR˜PRIA COXA
ASSASSINADA POR &IN£IAS NETO DE !RâO COMO SINAL DE TRISTEZA ATO SEMELHANTE A BATER
PORQUE :INRI APARENTEMENTE LEVOU A COMO NO PEITO %Z   /S HEBREUS USAVAM POR
ESPOSA OU CONCUBINA CONTRA AS ORDENS DE VEZES A PALAVRA hCOXAv COMO EUFEMISMO PARA
-OIS£S .M    ˜RGâOS SEXUAIS #ONSEQÓENTEMENTE DURANTE
O TEMPO DOS PATRIARCAS ERA COSTUME UMA
#/3-³4)#/3 PRODUTOS COMO UNGÓENTO PESSOA AO FAZER UM JURAMENTO QUE TIVESSE
PERFUME OU MAQUILAGEM DE OLHOS USADOS RELAÀâO COM FAM¤LIA OU DESCENDENTES COLO
PARA REALÀAR A APARäNCIA DE UMA PESSOA %T CAR A MâO EMBAIXO DA COXA DA OUTRA PESSOA
 #T   /S ESCRITORES B¤BLICOS MEN QUE EXIGIA SEU JURAMENTO 'N    
CIONARAM MULHERES DESONROSAS QUE USAVAM 1UANDO *AC˜ LUTOU COM O ANJO SUA JUNTA DA
MAQUILAGEM EXCESSIVA NOS OLHOS *R  COXA NO QUADRIL FOI DESLOCADA 'N   
%Z   5NGÓENTOS OU PERFUMES ERAM 0ARA ALGUNS SACRIF¤CIOS ISRAELITAS A COXA
SUBST½NCIAS CARAS USADAS COMO ADORNOS DIREITA DO ANIMAL SACRIlCADO ERA DADA AO
PESSOAIS ASSIM COMO UM TIPO DE BÖLSAMO SACERDOTE COMO ALIMENTO ,V  
CORPORAL PARA SEPULTAMENTO #T  ,C   
 *O   
#/8/ -!.#/ INCAPACIDADE EM UM
#/52/ PELE DE ANIMAL CURTIDA E CRESTA OU MAIS MEMBROS ESPECIALMENTE NO P£ OU
DA USADA NA FABRICAÀâO DE ROUPAS COMO A PERNA QUE CAUSA DIlCULDADE A UMA PESSOA
PELE DE CABRA OU DE CARNEIRO ,C  .M PARA ANDAR OU MOVIMENTAR SE LIVREMENTE
  / OF¤CIO DE #524)$/2 AQUELE QUE -ANCAR ERA UMA DAS IMPERFEIÀµES F¤SICAS
CURTE PELES £ MENCIONADO EM !TOS  E QUE IMPEDIA A UM SACERDOTE DE ENTRAR
  0ELES DE ANIMAL ERAM POR VEZES NO 3ANTO ,UGAR OU OFERECER SACRIF¤CIOS
USADAS TAMB£M COMO RECIPIENTES PARA ,V    *ESUS CUROU MUITOS COXOS
L¤QUIDOS 6EJA TAMB£M /$2%3 -T  ,C   0EDRO E *OâO TAMB£M
CURARAM UM HOMEM COXO DE NASCENÀA
#/6! $/3 ,%À%3 COVIS *˜  OU !T    6EJA TAMB£M $/%.­!3 $!
CAVERNA 3L  .A  ONDE VIVEM "Ù",)!
OS LEµES ! MAIS FAMOSA COVA DE LEµES
NA "¤BLIA TRATA SE DAQUELA EM QUE $ANIEL #/: NOME DE TRäS HOMENS DO !NTIGO
FOI JOGADO $N   !PARENTEMENTE ERA 4ESTAMENTO
UMA CAVERNA FUNDA NATURAL OU ARTIlCIAL  $ESCENDENTE DE #ALEBE DA TRIBO DE
FECHADA COM UMA GRANDE PEDRA $N   *UDÖ #R  
/S REIS DA !SS¤RIA MANTINHAM LEµES EM  !NCESTRAL DE UMA FAM¤LIA SACERDOTAL QUE
CATIVEIRO LIBERTANDO OS PERIODICAMENTE VOLTOU DO CATIVEIRO %D   (!#/:
POR OCASIâO DO ESPORTE REAL DE CAÀA AOS #R  DEVE SER A MESMA PESSOA
LEµES » PROVÖVEL QUE OS LEµES DA NARRATIVA  !NCESTRAL DE UMA PESSOA QUE AJUDOU A
DE $ANIEL FOSSEM MANTIDOS POR $ARIO POR RECONSTRUIR OS MUROS DE *ERUSAL£M .E
ESSE MOTIVO / LIVRAMENTO DE $ANIEL £ UM   
 #2%$/ #
#/:%"! ENGANOSO ALDEIA DE *UDÖ #R #2%$/ BREVE DECLARAÀâO DE CRENÀAS
 PROVAVELMENTE O MESMO QUE !CZIBE RELIGIOSAS OlCIAIS E AUTORIZADAS ! PALAVRA
*S  -Q  E 1UEZIBE 'N   hCREDOv DE ORIGEM LATINA £ DA MESMA ORI
GEM DO VERBO CRER COM O QUAL SE INICIAM O
#/:).(! UM DOS QUATRO PEQUENOS #REDO DE .IC£IA E O #REDO DOS !P˜STOLOS
SUBPÖTIOS NOS CANTOS DO PÖTIO EXTERNO DO ! SEGUIR ENCONTRAM SE TRäS CREDOS DA
TEMPLO NA VISâO DO PROFETA %ZEQUIEL %Z IGREJA CLÖSSICOS OU HISTORICAMENTE MAIS
 LUGARES PARA COZER 4"  / POVO IMPORTANTES
PREPARAVA SEUS SACRIF¤CIOS NESSE LOCAL ANTES #2%$/ $% .)#»)! !DOTADO PELO
DE SEREM OFERECIDOS NO TEMPLO 0RIMEIRO #ONC¤LIO DE .IC£IA  D#
E REVISADO PELO 0RIMEIRO #ONC¤LIO DE
#/:).(!$/ PRATO DE ALIMENTO #ONSTANTINOPLA  D#  / 0RIMEIRO
COZIDO NORMALMENTE DE LEGUMES COMO #ONC¤LIO DE .IC£IA CONVOCADO PELO IM
LENTILHA FEIJµES OU ERVILHAS 'N  PERADOR ROMANO #ONSTANTINO O 'RANDE
  GUISADO !2#  ENSOPADO .4,(    D# REJEITOU UMA HERESIA
*AC˜ COMPROU O DIREITO DE PRIMOGENITURA CONHECIDA COMO ARIANISMO QUE NEGAVA
DE %SA¢ POR UM COZINHADO VERMELHO A DIVINDADE DE *ESUS / #REDO DE .IC£IA
DE LENTILHAS PRATO QUE FAZIA PARTE DOS PROCLAMAVA FORMALMENTE A DIVINDADE
HÖBITOS ALIMENTARES DIÖRIOS DA £POCA DE *ESUS E SUA IGUALDADE COM AS OUTRAS
/ REFERIDO ENSOPADO FORNECIA UMA FONTE PESSOAS DA TRINDADE
BARATA DE PROTE¤NA 5M COZIDO OU SOPA #2%$/ $% !4!.¬3)/ #REDO CRISTâO
DE LEGUMES FOI O ALIMENTO DOS DISC¤PULOS DE ORIGEM EUROP£IA DO S£CULO QUARTO E
DE %LISEU 2S    COZINHADO RELACIONADO ESPECIALMENTE COM AS DOU
SEMELHANTE FOI MENCIONADO PELO PROFETA TRINAS DA TRINDADE E COM A %.#!2.!­ª/
!GEU ACOMPANHADO DE PâO E VINHO DE #RISTO %SSE CREDO FOI ORIGINALMENTE
COMO ALIMENTO COMUM !G   ATRIBU¤DO A !TANÖSIO   D#
MAS ACREDITA SE ATUALMENTE QUE TENHA
#/:).(!2 PREPARAR ALIMENTOS COM O SIDO OBRA DE ALGUM ESCRITOR DESCONHECIDO
USO DO FOGO 'N   / USO DO FOGO EM DA £POCA
LUGAR ABERTO FOI PROVAVELMENTE O PRIMEIRO #2%$/ $/3 ! 0Ê34/,/3 %SSE CONHECI
M£TODO USADO PARA COZINHAR -AS COM DO CREDO £ TIDO COMO BASE DE GRANDE PARTE
O DESENVOLVIMENTO DE RECIPIENTES IM DAS DECLARAÀµES DE F£ %MBORA O NOME
PERMEÖVEIS TORNOU SE POSS¤VEL COZINHAR FAÀA REFERäNCIA AOS AP˜STOLOS NâO SE ORI
ALIMENTOS / PRIMEIRO CORDEIRO DA 0ÖSCOA GINOU NELES &OI ESCRITO AP˜S A CONCLUSâO
DEVIA SER hASSADO AO FOGOv ›X   JÖ DO C½NON DO .OVO 4ESTAMENTO E OCUPOU
NO PER¤ODO DOS JU¤ZES ALGUMAS OFERTAS IMPORTANTE POSIÀâO NA IGREJA PRIMITIVA
ERAM APARENTEMENTE COZIDAS 3M   %RA INVOCADO POR MUITAS RAMOS DA IGREJA
.O PER¤ODO B¤BLICO O PâO ERA ASSADO /S COMO TESTE DE F£ AUTäNTICA
 COLOCANDO SE A MASSA SOBRE UMA #2%$/ $/3 !0Ê34/,/3
PEDRA COM TEMPERATURA ELEVADA OU PODIA #REIO EM $EUS 0AI 4ODO 0ODEROSO
SER COZIDO EM UM PEQUENO FORNO M˜VEL #RIADOR DO C£U E DA TERRA
.ENHUMA ATIVIDADE CULINÖRIA DEVERIA SER % EM *ESUS #RISTO SEU &ILHO UNIGäNITO
REALIZADA NO SÖBADO ›X   NOSSO 3ENHOR CONCEBIDO PELO %SP¤RITO
6EJA TAMB£M !,)-%.4/ 3ANTO E NASCIDO DA 6IRGEM -ARIA QUE
PADECEU SOB 0¹NCIO 0ILATOS FOI CRUCIlCADO
#/:).(%)2/ VEJA 02/&)33¡%3 % /#50! MORTO E SEPULTADO E AO TERCEIRO DIA
­¡%3  RESSURGIU DOS MORTOS QUE SUBIU AO C£U E
#2%$/2 

ASSENTOU SE Ü DIREITA DO 0AI 4ODO 0ODEROSO AO 0AI QUANTO Ü DIVINDADE E INFERIOR AO


DE ONDE HÖ DE VIR PARA JULGAR OS VIVOS E OS 0AI QUANTO Ü HUMANIDADE 1UE EMBORA
MORTOS SEJA $EUS E HOMEM NâO £ POR£M DOIS
#REIO NO %SP¤RITO 3ANTO NA SANTA IGREJA MAS UM #RISTO 5M NâO PELA CONVERSâO
CAT˜LICA NA COMUNHâO DOS SANTOS NA DA DIVINDADE EM CARNE MAS LEVANDO DA
REMISSâO DE PECADOS NA RESSURREIÀâO DA HUMANIDADE A $EUS )NTEIRAMENTE UM
CARNE E NA VIDA ETERNA !M£M NâO PELA CONFUSâO DA SUBST½NCIA MAS
#2%$/ $% .)#»)! PELA UNIDADE DA 0ESSOA
#REMOS EM UM S˜ $EUS 0AI 4ODO 0O 0ORQUE ASSIM COMO A ALMA RACIONAL E
DEROSO #RIADOR DE TODAS AS COISAS VIS¤VEIS A CARNE SâO UM HOMEM TAMB£M $EUS
E INVIS¤VEIS E HOMEM SâO UM #RISTO QUE PADECEU
% EM UM S˜ 3ENHOR *ESUS #RISTO O PARA A NOSSA SALVAÀâO DESCEU AO INFERNO
UNIGäNITO &ILHO DE $EUS GERADO PELO RESSUSCITOU DENTRE OS MORTOS AO TERCEIRO
0AI ANTES DE TODOS OS S£CULOS ,UZ DA ,UZ DIA SUBIU AOS C£US E ESTÖ ASSENTADO Ü
VERDADEIRO $EUS DE VERDADEIRO $EUS DIREITA DO 0AI $EUS 4ODO 0ODEROSO DE
GERADO NâO CRIADO DE UMA S˜ SUBST½NCIA ONDE VIRÖ JULGAR OS VIVOS E OS MORTOS EM
COM O 0AI PELO QUAL TODAS AS COISAS CUJA VINDA TODOS OS HOMENS RESSUSCITARâO
FORAM FEITAS O QUAL POR N˜S HOMENS EM CORPO E PRESTARâO CONTAS DE SUAS
E POR NOSSA SALVAÀâO DESCEU DOS C£US OBRAS % OS QUE lZERAM O BEM IRâO PARA A
FOI FEITO CARNE PELO %SP¤RITO 3ANTO E DA VIDA ETERNA E OS QUE lZERAM O MAL PARA
6IRGEM -ARIA E TORNOU SE HOMEM E FOI O FOGO ETERNO
CRUCIlCADO POR N˜S SOB 0¹NCIO 0ILATOS E
PADECEU E FOI SEPULTADO E RESSUSCITOU AO #2%$/2 AQUELE CUJO NEG˜CIO £ EMPRES
TERCEIRO DIA CONFORME AS %SCRITURAS E TAR DINHEIRO A JUROS ›X  USURÖRIO
SUBIU AOS C£US E ASSENTOU SE Ü DIREITA DO !2#  AGIOTA .4,(  ! PALAVRA HEBRAICA
0AI E DE NOVO HÖ DE VIR COM GL˜RIA PARA TRADUZIDA POR hCREDORv £ A RAIZ QUE SIGNIlCA
JULGAR OS VIVOS E OS MORTOS E O SEU REINO hAQUELE QUE FAZ EXTORSµESv ,V   0V
NâO TERÖ lM  *R   6EJA TAMB£M #2%$/2 EM
% NO %SP¤RITO 3ANTO 3ENHOR E 6IVI 02/&)33¡%3 % /#50!­¡%3
lCADOR QUE PROCEDE DO 0AI E DO &ILHO
QUE COM O 0AI E O &ILHO CONJUNTAMENTE £ #2%2 #2%.4% DEPOSITAR CONlANÀA NA
ADORADO E GLORIlCADO QUE FALOU ATRAV£S DOS VERDADE DE $EUS AQUELE QUE CRä NO QUE
PROFETAS % NA )GREJA UNA SANTA CAT˜LICA $EUS REVELOU EM SUA 0ALAVRA E QUE NELE
E APOST˜LICA #ONFESSAMOS UM S˜ BATISMO CONlA PARA A SALVAÀâO
PARA REMISSâO DOS PECADOS %SPERAMOS A !PENAS CRER NA VERDADE DE $EUS NâO
RESSURREIÀâO DOS MORTOS E A VIDA DO S£CULO £ GARANTIA DE F£ REDENTORA DE ACORDO
VINDOURO !M£M COM A "¤BLIA *O   !T   4G
   .EM MESMO UM COMPROMISSO
#2%$/ $% !4!.¬3)/ TOTAL DE ALGU£M A *ESUS COMO 3ENHOR
0ORQUE A F£ CORRETA £ QUE CREIAMOS £ UMA FORMA DE F£ SALV¤lCA 4AL VISâO
E CONFESSEMOS QUE NOSSO 3ENHOR *ESUS DEPOSITA EXCESSIVA äNFASE NO ATO DE CRER
#RISTO &ILHO DE $EUS £ $EUS E HOMEM EM OPOSIÀâO AO OBJETO DE F£ *ESUS
$EUS DA SUBST½NCIA DO 0AI GERADO ANTES #RISTO 4AL PONTO DE VISTA VAI AL£M DA
DOS S£CULOS E HOMEM DA SUBST½NCIA DE EVIDäNCIA B¤BLICA DE F£ COMO DOM *O
SUA MâE NASCIDO NO MUNDO $EUS PER   %F   
FEITO E HOMEM PERFEITO DE ALMA RACIONAL ! F£ QUE SALVA £ AQUELA QUE DESCANSA NA
E SUBSISTINDO EM CARNE HUMANA )GUAL OBRA CONCLU¤DA DE #RISTO E CONlA SOMENTE
 #2)!£²/ #
EM $EUS PARA A SALVAÀâO *O   /S
CRENTES SâO AQUELES QUE CRäEM EM $EUS
COMO ATO DA VONTADE E DA MENTE 2M
  4S   /UTRAS REFERäNCIAS
QUE TRATAM DA F£ SâO 'N  ›X 
(C  *O  !T  2M   'L
  E *O 

#2%3#%.4% CRISTâO MENCIONADO POR 0AU


LO 4M   0OR ALGUM MOTIVO #RESCENTE
DEIXOU 0AULO E PARTIU PARA A 'ALÖCIA

#2%34!2 PROCESSO DE MURCHAR A PLANTA .O DEPØSITO QUE PERTENCIA A UM PALÉCIO REAL NA ILHA
DE #RETA FORAM ENCONTRADOS ENORMES JARROS PARA
EM VIRTUDE DE UM VENTO QUENTE E SECO ARMAZENAMENTO
DO DESERTO !M   %M SEU SONHO NO
%GITO O FARA˜ VIU hSETE ESPIGAS MIRRADAS #2%4%.3%3 HABITANTES DA ILHA DE
CRESTADAS DO VENTO ORIENTALv 'N  #2%4! NO MAR -EDITERR½NEO / LIVRO DE
QUE FORAM INTERPRETADAS POR *OS£ COMO !TOS REGISTRA QUE OS CRETENSES ESTAVAM
SETE ANOS DE FOME PRESENTES EM *ERUSAL£M NO DIA DE 0ENTE
COSTES !T   / ESTILO DE VIDA CRETENSE
#2%4! ILHA NO MAR -EDITERR½NEO VEJA ERA CONHECIDO POR SEUS EXCESSOS !O
-APA  #  ABORDADA PELO NAVIO EM ESCREVER A 4ITO 0AULO MENCIONOU TEXTO
QUE VIAJAVA O AP˜STOLO 0AULO EM VIRTUDE DO POETA GREGO %PIMäNIDES DE #NOSSO
DE UMA TEMPESTADE #RETA TEM APROXIMA  A# APROXIMADAMENTE  h#RETENSES
DAMENTE  QUIL¹METROS DE EXTENSâO E SEMPRE MENTIROSOS FERAS TERR¤VEIS VENTRES
VARIA ENTRE  E  QUIL¹METROS DE LARGURA PREGUIÀOSOSv 4T   %SSE FATO DEVE TER
!T      0ODE SER IDENTIlCADA SIDO UM VERDADEIRO DESAlO PARA 4ITO QUE
COM #!&4/2 $T  !M  PROVÖVEL HAVIA RECEBIDO A INCUMBäNCIA DE hP¹R EM
LUGAR DE ORIGEM DOS lLISTEUS #AFTORIM  ORDEM AS COISAS RESTANTESv NA IGREJA DE
'RANDE N¢MERO DE LENDAS ESTâO ASSOCIADAS #RETA 4T  
A #RETA PARTICULARMENTE AS QUE ENVOLVEM
O REI -INOS E O MINOTAURO METADE TOURO #2)!£²/ !ÀâO DE $EUS TRAZER Ü EXIS
METADE HOMEM  TäNCIA O UNIVERSO NATURAL / ESCRITOR DA
! ILHA FOI CONQUISTADA PELO ROMANOS %P¤STOLA AOS (EBREUS DECLAROU h0ELA F£
EM   A# E TORNOU SE UMA PROV¤NCIA ENTENDEMOS QUE FOI O UNIVERSO FORMADO
ROMANA PELA PALAVRA DE $EUS DE MANEIRA QUE O
$URANTE SUA VIAGEM A 2OMA O NAVIO VIS¤VEL VEIO A EXISTIR DAS COISAS QUE NâO
DE 0AULO CHEGOU A "ONS 0ORTOS ENSEADA APARECEMv (B  
NA COSTA SUL DE #RETA !T   .âO QUE /S POVOS DAS NAÀµES PAGâS DO MUNDO
RENDO SEGUIR O CONSELHO DE 0AULO SOBRE ANTIGO ACREDITAVAM QUE A QUESTâO ERA ETER
O CLIMA O SOLDADO ROMANO QUE LEVAVA NA E QUE OS DEUSES EVOLU¤AM DE PROCESSOS
0AULO SOB CUST˜DIA CONCORDOU COM O NATURAIS .O ENTANTO A "¤BLIA ENSINA QUE
CAPITâO E SEGUIRAM VIAGEM EM DIREÀâO $EUS JÖ EXISTIA ANTES DA CRIAÀâO E TROUXE
AO GRANDE PORTO DE #RETA EM &ENICE / O MUNDO Ü EXISTäNCIA A PARTIR DO NADA /
RESULTADO FOI UM NAUFRÖGIO EM -ALTA !T PRINCIPAL RELATO DE SEUS ATOS DE CRIAÀâO SâO
   ENCONTRADOS NOS PRIMEIROS DOIS CAP¤TULOS
6EJA TAMB£M #2%4%.3%3 DO LIVRO DE 'äNESIS EMBORA $EUS COMO
#2)!£²/ 

CRIADOR TAMB£M SEJA UM TEMA DE PROMESSA M¤NIO SOBRE A CRIAÀâO !SSIM COMO $EUS
EM )S   £ SANTO MORAL E £TICO E AGE COM JUSTIÀA
! EXPRESSOU hCRIOU $EUSv 'N  O HOMEM £ £TICA E MORALMENTE RESPON
  EM 'äNESIS £ OFUSCADA POR OUTRA SÖVEL E DEVE FAZER ESCOLHAS MORAIS $EUS
hDISSE $EUSv 'N        REVELOU SE COMO UM SER SOCIAL 0AI &ILHO
   3UA FREQÓäNCIA AlRMA A DEVIDA E %SP¤RITO 3ANTO  / HOMEM TAMB£M £
IMPORT½NCIA AO ENFATIZAR O MODO COMO UM SER SOCIAL QUE PRECISA SE RELACIONAR
$EUS CRIOU SIMPLESMENTE AO USAR SUA COM OUTROS SERES ! EXPERIäNCIA HUMANA
PALAVRA 3L  (B   E O RELATO B¤BLICO SUGEREM SEREM ESSAS
/ PRIMEIRO ATO DA CRIAÀâO DE $EUS FOI ALGUMAS MANEIRAS PELAS QUAIS REmETIMOS
TRAZER Ü EXISTäNCIA O GRANDE CAOS DESCRITO A IMAGEM DE $EUS
EM 'N  h! TERRA POR£M ESTAVA SEM / ESCRITOR DE 'äNESIS TAMB£M DECLAROU
FORMA E VAZIA HAVIA TREVAS SOBRE A FACE DO QUE $EUS CRIOU A O HOMEM COMO hHOMEM
ABISMOv 3EU ATO SEGUINTE FOI DAR ORDEM E MULHERv 'N  MACHO E FäMEA !2# 
AO CAOS SEPARAR A TERRA DA ÖGUA O QUE %SSE RELATO DA CRIAÀâO NâO DÖ PRIORIDADE
PERMITIU A ETAPA DA CRIAÀâO DE PLANTAS E DA NEM AO HOMEM NEM Ü MULHER !MBOS SâO
VIDA ANIMAL NECESSÖRIOS PARA REmETIR A IMAGEM DE $EUS
%M PRIMEIRO LUGAR $EUS CRIOU A VIDA ! DIFERENÀA FUNDAMENTAL NO HOMEM NâO
INANIMADA VEGETAÀâO RASTEIRA ÖRVORES E £ QUESTâO DE RAÀA MAS DE SEXO /S GREGOS
ÖRVORES FRUT¤FERAS %M SEGUIDA O MAR FOI DIZIAM QUE AS PESSOAS ERAM ANDR˜GINAS
OCUPADO POR CRIATURAS VIVENTES O AR COM n HOMENS E MULHERES AO MESMO TEMPO
SERES VOADORES E A TERRA COM SERES QUE $E ALGUM MODO PERDERAM A METADE
RASTEJAVAM $EPOIS $EUS CRIOU ANIMAIS FEMININA E DESDE ENTâO PROCURAM ESSA
TERRESTRES OUTRA METADE %NTRETANTO O ESCRITOR DE
! CRIAÀâO DO HOMEM lCOU PARA O SEXTO 'äNESIS SALIENTOU QUE A DISTINÀâO DE SEXO
E ¢LTIMO DIA POIS O HOMEM ERA ESPECIAL £ UMA ORDEM DA CRIAÀâO BOA E ADEQUADA
E DEVERIA GOVERNAR O RESTANTE DA CRIAÀâO NA VISâO DE $EUS
h4AMB£M DISSE $EUS @&AÀAMOS O HOMEM 'äNESIS  CONT£M O QUE ALGUNS
Ü NOSSA IMAGEM CONFORME A NOSSA SEME PESQUISADORES CHAMAM DE SEGUNDO RELATO
LHANÀAv 'N   4AL DECLARAÀâO TEM DA CRIAÀâO *Ö OUTROS DIZEM QUE ENFATIZA
FASCINADO MUITOS PENSADORES HÖ S£CULOS / EVENTOS ESPEC¤lCOS RELACIONADOS Ü CRIAÀâO
QUE SIGNIlCA hIMAGEM DE $EUSv 5MA VEZ Ü MEDIDA QUE ESTA SE DESENVOLVEU NO
QUE $EUS £ %SP¤RITO E NâO UMA SUBST½NCIA JARDIM DO »DEN !SSIM PREPARA A SITUAÀâO
MATERIAL DEVE SIGNIlCAR MAIS DO QUE UMA PARA O QUE SE SEGUE NOS RELATOS DA TENTAÀâO
SEMELHANÀA F¤SICA 3ER CRIADO Ü IMAGEM DE E DO PECADO 5M DOS PRINCIPAIS DESTAQUES
$EUS DEVE SER UMA REFERäNCIA AO FATO DE DO CAP¤TULO £ A CRIAÀâO DA MULHER COMO
QUE HOMENS E MULHERES EMBORA CRIADOS COMPANHEIRA DO HOMEM ! IMPERFEIÀâO
SâO PARECIDOS COM $EUS DO HOMEM SEPARADO DA MULHER £ MOSTRADA
$EUS £ #RIADOR O ¢NICO SER CAPAZ EM SUA SOLIDâO E FRUSTRAÀâO .ENHUM DOS
DE FAZER ALGO DO NADA / VERBO HEBRAICO ANIMAIS PODERIA ATENDER Ü NECESSIDADE DE
hCRIARv SEMPRE TEM SOMENTE $EUS COMO !DâO %NTâO O 3ENHOR CRIOU A MULHER DA
SUJEITO .O ENTANTO EM UM N¤VEL INFERIOR COSTELA DE !DâO
O HOMEM TAMB£M TEM A CAPACIDADE DE SER /S ESTUDIOSOS DA "¤BLIA POR MUITO TEM
CRIATIVO %STE £ UM SENTIDO CARACTER¤STICO PO TäM VISTO CERTA VERDADE SIMB˜LICA NA
DA VERDADE DE QUE FOMOS CRIADOS SEGUNDO IMAGEM DA COSTELA ! MULHER FOI TOMADA
A IMAGEM DE $EUS $EUS £ QUEM FALA E DE SOB O BRAÀO DO HOMEM PARA SIMBOLIZAR
GOVERNA / HOMEM TAMB£M RECEBEU DO SUA PROTEÀâO SOBRE ELA &OI TOMADA PERTO
 #2)!452! #
DE SEU CORAÀâO PARA QUE ELE PUDESSE AMÖ PRECISA DIVIDIR SEU PODER COM OUTROS SERES
LA E RESPEITÖ LA .âO FOI FEITA A PARTIR DE SOBRENATURAIS
SEU CR½NIO PARA NâO SER SEU GOVERNANTE 6ISTO QUE $EUS CRIOU O UNIVERSO DO
NEM DE SEUS P£S PARA NâO SER PISADA NEM NADA ESTE LHE PERTENCE E SERVIRÖ PARA
REBAIXADA 3EMELHANTEMENTE AO HOMEM A TODO O SEMPRE AO SEU PROP˜SITO 0ELO FATO
MULHER REmETE A IMAGEM DE $EUS *UNTOS DE $EUS TER DADO FORMA Ü CRIAÀâO SEM A
FORMARAM O CASAL ABENÀOADO NECESSÖRIO INTERFERäNCIA DE NENHUM OUTRO SER ELE
PARA OCUPAR E DOMINAR A TERRA MESMO DETERMINARÖ O SEU lM CONFORME
-UITOS ESTUDIOSOS DA "¤BLIA TRATAM DOS DESEJAR .ENHUM OUTRO PODER PODE FRUSTRAR
SEIS DIAS DA CRIAÀâO &ORAM ESSES DIAS DE  O #RIADOR EM SEU PROP˜SITO DE COMPLETAR O
HORAS OU PER¤ODOS INDElNIDOS DE TEMPO ! PROCESSO INICIADO NA CRIAÀâO E REVELADO NA
NOSSA INTERPRETAÀâO RECEBE AUX¤LIO DO FATO "¤BLIA .OSSA ESPERANÀA REPOUSA NO PODER
DE QUE USAMOS A PALAVRA hDIAv COM VÖRIOS SOBERANO DE $EUS QUE CRIOU O MUNDO E EN
SENTIDOS ASSIM COMO FAZIAM OS ANTIGOS TâO NOS RECRIOU ATRAV£S DO PODER REDENTOR
&ALAMOS EM DIA DE AJUSTE DE CONTAS DIA DA DE SEU &ILHO *ESUS #RISTO
OPORTUNIDADE DIA DA AmIÀâO %STES PODEM
SIGNIlCAR MAIS DO QUE SIMPLESMENTE  #2)!$! #2)!$/ VEJA 02/&)33¡%3 %
HORAS $E MODO SEMELHANTE OS ESCRITORES /#50!­¡%3 
B¤BLICOS FALARAM DO hDIA DO 3ENHORv E DO
hDIA DA VISITAÀâOv #2)!.£! &),(/ DESCENDäNCIA
/S C£TICOS RIDICULARIZAM A HIST˜RIA DA CONCEDIDA A UM MARIDO E ESPOSA COMO
CRIAÀâO RELATADA EM 'äNESIS POR RETRATAR FRUTO DO RELACIONAMENTO CONJUGAL 0ARA
QUE A CRIAÀâO SE DEU EM SEIS DIAS .O OS HEBREUS AS CRIANÀAS ERAM PRESENTES
ENTANTO O SIGNIlCADO INDElNIDO DE hDIAv DE $EUS A ESTERILIDADE ERA CONSIDERADA
RESPONDE A ESSA OBJEÀâO !L£M DISSO A DESPREZO OU VERGONHA 'N  ,C  
"¤BLIA DIZ QUE PARA O 3ENHOR hUM DIA *ESUS CLARAMENTE EXPRESSOU SEU AMOR
£ COMO MIL ANOS E MIL ANOS COMO UM E RESPEITO PELAS CRIANÀAS -C   
DIAv 0E   / ESCRITOR B¤BLICO NâO 5SOU A INOCäNCIA E A FRANQUEZA DAS
ESTAVA ESCREVENDO UM TRATADO CIENT¤lCO CRIANÀAS PARA ILUSTRAR A ATITUDE NECESSÖRIA
&OI MOVIDO PELO %SP¤RITO DE $EUS PARA RE PARA ENTRAR NO 2%)./ $% $%53 -T   
VELAR UMA REALIDADE ESPIRITUAL 3UA äNFASE 6EJA TAMB£M &!-Ù,)!
PRINCIPAL NâO ESTAVA NO PROCESSO PELO QUAL
O MUNDO HAVIA SIDO CRIADO MAS NO #RIADOR #2)!452! TODO SER CRIADO INCLUINDO
E EM SEU PROP˜SITO OS HUMANOS TRAZIDOS Ü EXISTäNCIA COMO
-UITAS DAS NAÀµES PAGâS DO MUNDO RESULTADO DO PODER E DA AUTORIDADE
ANTIGO TINHAM SUAS PR˜PRIAS HIST˜RIAS DA DE $EUS ! "¤BLIA DECLARA QUE O $EUS
CRIAÀâO -AS NESTAS SEUS DEUSES EVOLU¤AM REDENTOR £ O SOBERANO #RIADOR DE TODAS AS
DE PROCESSOS NATURAIS RELACIONADOS AO PR˜ COISAS !TRAV£S DE SEU PODER E FORÀA CRIOU
PRIO MUNDO /S POVOS ANTIGOS CRIAM QUE O UNIVERSO 'N   3L  (B  
O UNIVERSO MATERIAL ERA ETERNO E QUE ESTE 0ORTANTO TODOS OS SERES MESMO OS ANJOS
HAVIA TRAZIDO SEUS DEUSES Ü EXISTäNCIA -AS SâO SUAS CRIATURAS *O  #O   ! PO
'äNESIS DECLARA QUE $EUS EXISTIA ANTES DA SIÀâO DA CRIAÀâO DE TODOS OS SERES lNITOS E
CRIAÀâO E TEM O CONTROLE TOTAL DO UNIVERSO COISAS REVELA O DOM¤NIO SOBERANO DE $EUS
F¤SICO 4ROUXE O MUNDO Ü EXISTäNCIA POR SUA E A DEPENDäNCIA DO GäNERO HUMANO E DO
0ALAVRA 3EU PODER £ ABSOLUTO .âO TEM DE MUNDO PARA COM $EUS
SE CONFORMAR Ü NATUREZA E NâO PODE SER ! RAÀA HUMANA O AUGE DA CRIAÀâO DE
AMEAÀADO POR ELA $EUS £ SOBERANO E NâO $EUS FOI FEITA PARA DOMINAR O MUNDO 'N
#2)3/, 

  3L    .O ENTANTO OS SERES #2)3¼,)4/ #2)3¼02!3/ VEJA *Ê)!3 %


HUMANOS hMUDARAM A VERDADE DE $EUS EM 0%$2!3 02%#)/3!3 
MENTIRA ADORANDO E SERVINDO A CRIATURA
EM LUGAR DO #RIADORv 2M   / PLANO #2)30/ CHEFE DA SINAGOGA DOS JUDEUS
DE $EUS PARA QUE O HOMEM GOVERNASSE SUA EM #ORINTO QUE SE CONVERTEU A #RISTO
CRIAÀâO ESTÖ SENDO CUMPRIDO EM #RISTO !T  E FOI PESSOALMENTE BATIZADO PELO
#O   &L    #RISTO ESTÖ AP˜STOLO 0AULO #O  
ESTABELECENDO O REINO DO 0AI
! REDENÀâO ENVOLVE O SER UM NOVA #2)34!, VEJA *Ê)!3 % 0%$2!3 02%#)/3!3 
CRIATURA #O  TORNAR SE PARTE DA
NOVA CRIAÀâO EM #RISTO QUE $EUS ESTÖ #2)34²/ SEGUIDOR DE #RISTO ! PALAVRA
FORMANDO PELO SEU PODER 2M   %SSE OCORRE TRäS VEZES NO .OVO 4ESTAMENTO
REINO UNIVERSAL DE JUSTIÀA PAZ E ALEGRIA SERÖ h%M !NTIOQUIA FORAM OS DISC¤PULOS PELA
COMPLETAMENTE REVELADO QUANDO #RISTO PRIMEIRA VEZ CHAMADOS CRISTâOSv !T
VOLTAR EM TRIUNFO SOBRE TODAS AS CRIATURAS   !GRIPA DISSE A 0AULO h0OR POUCO
REBELDES E $EUS CRIAR UM NOVO C£U E UMA ME PERSUADES A ME FAZER CRISTâOv !T  
NOVA TERRA #O    0EDRO EXORTOU hMAS SE SOFRER COMO CRISTâO
NâO SE ENVERGONHE DISSO ANTES GLORIlQUE A
#2)3/, VASO USADO PARA PRODUÀâO DA PRA $EUS COM ESSE NOMEv 0E   %M CADA
TA 0V    ! FUSâO DE MIN£RIOS FEITA OCORRäNCIA A PALAVRA PRESSUPµE QUE A PES
NESSE TIPO DE RECIPIENTE PODERIA SER A ¢LTIMA SOA CHAMADA DESSA FORMA ERA SEGUIDORA DE
DAS VÖRIAS ETAPAS NO PROCESSO DE RElNAMEN #RISTO /S CRISTâOS ERAM LEAIS A #RISTO ASSIM
TO OU DE NOVO DERRETIMENTO DE FRAGMENTOS COMO OS HERODIANOS ERAM LEAIS A (ERODES
PARA RECUPERAR METAIS PRECIOSOS -T  -C   

,ADO DE DENTRO DO IMPRESSIONANTE #OLISEU ROMANO QUE OCUPA UMA ÉREA DE APROXIMADAMENTE  MIL METROS
QUADRADOS
 #2)34/ #
! DESIGNAÀâO DOS PRIMEIROS SEGUIDORES A GRANDE MAIORIA BASEAVA SE NA IMAGINAÀâO
DE #RISTO COMO CRISTâOS SURGIU DE PESSOAS DE EST˜RIAS HER˜ICAS .O ENTANTO *ESUS VIVEU
NâO CRISTâS DE !NTIOQUIA /RIGINALMENTE REALMENTE NA 0ALESTINA FOI CRUCIlCADO SE
DEVE TER SIDO UM TERMO DE ESCÖRNIO .O GUNDO ORDENS DE 0¹NCIO 0ILATOS GOVERNADOR
ENTANTO OS CRISTâOS USARAM NO PARA SE ROMANO DA *UD£IA E RESSUSCITOU DOS MORTOS
REFERIR A SI MESMOS COMO MOTIVO DE HONRA PELO PODER DE $EUS O 0AI
NâO DE VERGONHA !NTES DE ADOTAREM !S PESSOAS QUE ADORAVAM DEUSES M¤TICOS
ESSA DESIGNAÀâO OS CRISTâOS ERA CHAMADOS ESCOLHERAM DE FATO IGNORAR OS SINAIS DA
DE CRENTES !T  IRMâOS !T  OU VERDADE QUE APONTAVAM EM DIREÀâO A $EUS
SANTOS !T  NOMES QUE TAMB£M E lNALMENTE Ü SALVAÀâO POR MEIO DA GRAÀA
CONTINUARAM SENDO USADOS 2M    %SSE PLANO DE SALVAÀâO TOR
!TUALMENTE O TERMO CRISTâO TEM PERDIDO NOU SE COMPLETAMENTE CUMPRIDO NA CRUZ
PARTE DE SEU VERDADEIRO SIGNIlCADO COMO .A £POCA DO AP˜STOLO 0AULO HOUVE
SEGUIDOR DE #RISTO 0ARA ALGUNS CRISTâO SIGNI GRANDE RISCO DE OS JUDEUS CONVERTIDOS TOR
lCA POUCO MAIS QUE UM NOME QUE DISTINGUE A NAREM O CRISTIANISMO UMA MERA EXTENSâO
PESSOA EM RELAÀâO AO ISLAMISMO OU JUDA¤SMO DO JUDA¤SMO 0AULO LUTOU PARA MANTER A
ENQUANTO PARA OUTROS PASSOU A SER NOME DE SALVAÀâO SOMENTE PELA GRAÀA COMO ESSäNCIA
UMA DENOMINAÀâO ESPEC¤lCA %NTRETANTO DO CRISTIANISMO %F   
SEU SIGNIlCADO ORIGINAL £ NOBRE DO QUAL TODO / CONmITO DE 0AULO DEU SE COM UM
SEGUIDOR DE #RISTO DEVE ORGULHAR SE GRUPO DE CONVERTIDOS CHAMADOS *5$!)
:!.4%3 !T  'L  QUE PENSAVAM
#2)34)!.)3-/ RELIGIâO CRISTâ lRMADA EM QUE UM GENTIO CONVERTIDO DEVIA SER
*ESUS #RISTO O ¢NICO 3ALVADOR E -EDIADOR CIRCUNCIDADO ANTES DE SE TORNAR CRISTâO
ENTRE $EUS O 0AI E A RAÀA HUMANA CA¤DA 0AULO "ARNAB£ E OUTROS VIAJARAM A
/ CRISTIANISMO £ ¢NICO ENTRE TODAS AS *ERUSAL£M O CENTRO DO JUDA¤SMO PARA
RELIGIµES DO MUNDO -UITAS ENFATIZAM A DECIDIR A QUESTâO COM OS L¤DERES DA IGRE
VIDA DE SEU FUNDADOR MAS O CRISTIANISMO JA $E FATO DECIDIU SE QUE O CRISTIANISMO
BASEIA SE NA MORTE DE *ESUS #RISTO ! SUA DECLARAVA SE COMO RELIGIâO INDEPENDENTE
MORTE £ EXCLUSIVA POIS FOI PROFETIZADA LOGO EM EXPANSâO NâO SIMPLESMENTE UMA
NOS PRIMEIROS CAP¤TULOS DA "¤BLIA 'N  RAMIlCAÀâO DA F£ JUDAICA
E PASSOU A COMPOR O .OVO 4ESTAMENTO !TUALMENTE O BRADO DE 0AULO AINDA
MILHARES DE ANOS DEPOIS ECOA COMO BANDEIRA DA F£ CRISTâ hO HOMEM
.âO APENAS A MORTE DE #RISTO £ NâO £ JUSTIlCADO POR OBRAS DA LEI E SIM
ABSOLUTAMENTE ESSENCIAL AO CRISTIANISMO MEDIANTE A F£ EM #RISTO *ESUSv 'L  
COMO TAMB£M SUA RESSURREIÀâO TANTO QUE ! SALVAÀâO £ POSS¤VEL SOMENTE ATRAV£S DE
OS QUATRO EVANGELHOS -ATEUS -ARCOS #RISTO !T  SUA MORTE SEPULTAMENTO
,UCAS E *OâO DEDICAM PELO MENOS UM E RESSURREIÀâO / CRISTIANISMO £ MAIS QUE
QUINTO DE SEUS ENSINOS AO ASSUNTO -ARCOS UM CREDO MAIS QUE UMA RELIGIâO £ UM
 RESUME A MISSâO DE #RISTO h0OIS O MODO DE VIDA PARA TODOS OS QUE ACEITAM
PR˜PRIO &ILHO DO (OMEM NâO VEIO PARA SER *ESUS #RISTO COMO 3ENHOR E 3ALVADOR
SERVIDO MAS PARA SERVIR E DAR A SUA VIDA EM
RESGATE POR MUITOSv #2)34/ UNGIDO NOME DE *ESUS QUE
/ MUNDO JÖ TINHA DIVERSAS RELIGIµES E INDICA QUE ELE £ O REI E LIBERTADOR TâO
DEUSES NA £POCA DO NASCIMENTO DE *ESUS /S ESPERADO 0OR S£CULOS O POVO JUDEU BUSCOU
ROMANOS ASSOCIARAM SEUS DEUSES COM OS DOS UM -ESSIAS SEGUNDO AS %SCRITURAS UM
GREGOS MILHARES DE DIVINDADES ERAM ADORA LIBERTADOR QUE INTRODUZIRIA UM REINO DE
DAS .ENHUM DE TAIS DEUSES CHEGOU A EXISTIR PAZ E PROSPERIDADE 3L  )S    
#2)34/ !3#%.3²/ $% 

!M   *ESUS FOI CLARAMENTE IDENTIlCADO A EXPRESSâO DO TEXTO B¤BLICO COMO PRI
COMO ESSE -ESSIAS NA GRANDE CONlSSâO DE MEIRAMENTE ESCRITO SOB A INSPIRAÀâO DO
0EDRO h4U £S O #RISTO O &ILHO DO $EUS %SP¤RITO 3ANTO 6ISTO QUE NENHUM DOS TEX
VIVOv -T   6EJA TAMB£M *%353 TOS ORIGINAIS SOBREVIVEU E O TEXTO B¤BLICO
#2)34/  -%33)!3 EXISTE APENAS EM C˜PIAS FAZ SE NECESSÖRIO
COMPARAR AS PRIMEIRAS C˜PIAS ENTRE SI )SSO
#2)34/ !3#%.3²/ $% VEJA !3#%.3ª/ PERMITE Ü CR¤TICA TEXTUAL CLASSIlCAR TAIS
$% #2)34/  C˜PIAS EM GRUPOS SEGUNDO DETERMINADAS
CARACTER¤STICAS DECIDIR O MOTIVO DAS DIFE
#2)34/ #25#)&)#!£²/ $% VEJA RENÀAS ENTRE OS TEXTOS E QUAL TENHA SIDO
#25#)&)#!­ª/ $% #2)34/  PROVAVELMENTE A FORMA ORIGINAL
!S PRIMEIRAS C˜PIAS NAS QUAIS SE
#2)34/ $)6).$!$% $% VEJA %.#!2.! BASEIAM OS CR¤TICOS TEXTUAIS CONSISTEM
­ª/  *%353 #2)34/  PRINCIPALMENTE EM MANUSCRITOS NAS L¤N
GUAS ORIGINAIS TRADUÀµES EM OUTRAS L¤NGUAS
#2)34/ (5-!.)$!$% $% VEJA E REMISSµES B¤BLICAS FEITAS POR ESCRITORES
%.#!2.!­ª/  *%353 #2)34/  JUDEUS E CRISTâOS VEJA TAMB£M "Ù",)! !
"Ù",)! 6%23¡%3 % 42!$5­¡%3 $! 
#2)34/ -/24% $% VEJA %80)!­ª/  #2Ù4)#! ()34Ê2)#! / EXAME DA "¤BLIA
#25#)&)#!­ª/ $% #2)34/  Ü LUZ DE SEU CONTEXTO HIST˜RICO )SSO £
PARTICULARMENTE IMPORTANTE EM VIRTUDE
#2)34/ 0%33/! $% VEJA %.#!2.!­ª/  DE A "¤BLIA TER SIDO ESCRITA DURANTE UM
*%353 #2)34/  PER¤ODO DE MAIS DE MIL ANOS ! NARRATIVA
B¤BLICA ESTENDE SE DO IN¤CIO DA CIVILIZAÀâO
#2)34/ 4%.4!£²/ $% VEJA 4%.4!­ª/ NO MUNDO ANTIGO AT£ O IMP£RIO ROMANO DO
$% #2)34/  PRIMEIRO S£CULO D#
! CR¤TICA HIST˜RICA £ ¢TIL PARA DETER
#2·4)#! $! "·",)! APLICAÀâO DE UMA MINAR QUANDO OS LIVROS DA "¤BLIA FORAM
OU MAIS T£CNICAS NO ESTUDO CIENT¤lCO DA ESCRITOS !UXILIA TAMB£M NA DETERMINAÀâO
"¤BLIA 4AIS T£CNICAS NâO SâO PECULIARES DE UMA DATA APROXIMADA LEVANDO SE EM
AO ESTUDO B¤BLICO SâO IGUALMENTE ¢TEIS NO CONSIDERAÀâO A DESCRIÀâO DAS PESSOAS E OS
ESTUDOS DOS TEXTOS DE (OMERO OU 3HAKES EVENTOS NARRADOS COM O FATOR TEMPO !
PEARE 3UA INTENÀâO PRIMEIRA £ AJUDAR O DATA DOS EVENTOS DE 'äNESIS POR EXEMPLO
LEITOR DA "¤BLIA A ENTENDä LA MELHOR POR £ MUITO ANTERIOR Ü DATA EM QUE O LIVRO FOI
ESSA RAZâO A CR¤TICA B¤BLICA EXAMINA OS ESCRITO ! CR¤TICA HIST˜RICA QUESTIONA SE AS
TEXTOS GREGOS E HEBRAICOS CR¤TICA TEXTUAL NARRATIVAS DOS PATRIARCAS !BRAâO )SAQUE
O CONTEXTO HIST˜RICO DE VÖRIAS PARTES *AC˜ E *OS£ REmETEM AS CONDIÀµES DOS
DA "¤BLIA CR¤TICA HIST˜RICA E DIVERSAS TEMPOS EM QUE ELES VIVERAM
QUESTµES LITERÖRIAS RELACIONADAS A COMO / CONSENSO £ DE QUE TAIS HIST˜RIAS REmE
QUANDO ONDE E O MOTIVO DE OS LIVROS DA TEM MAIS A DATA APROXIMADA DOS EVENTOS
"¤BLIA TEREM SIDO ESCRITOS CR¤TICA LITERÖRIA  RELATADOS DO QUE EXATAMENTE A DATA DE
4AIS M£TODOS DE ESTUDO QUANDO FEITOS COM QUANDO FORAM ESCRITAS ASSIM COMO O
REVERäNCIA ÜS %SCRITURAS DEVEM AUXILIAR NA QUADRO APRESENTADO NO .OVO 4ESTAMENTO
AVALIAÀâO DO PESQUISADOR COM RELAÀâO Ü REmETE MAIS O QUE SE SABE DAS PRIMEIRAS
).30)2!­ª/ DA "¤BLIA D£CADAS DO PRIMEIRO S£CULO D#
#2Ù4)#! 4%845!, » A TENTATIVA DE #2Ù4)#! ,)4%2¬2)! %STUDO DE COMO
DETERMINAR O MAIS EXATAMENTE POSS¤VEL QUANDO ONDE E POR QUä OS LIVROS DA "¤BLIA
 #2·4)#! $! "·",)! #
FORAM ESCRITOS ! CR¤TICA LITERÖRIA PODE SER ESTÖGIOS E AS FORMAS lNAIS DADAS PELAS PESSOAS
DIVIDIDA EM QUESTµES RELACIONADAS A FONTES QUE SE COMPROMETERAM EM ESCREVä LAS
TRADIÀâO REDAÀâO E AUTORIA ! CR¤TICA DA FORMA £ A RAMIlCAÀâO DA
 ! CR¤TICA DA FONTE PROCURA DETERMI CR¤TICA DA TRADIÀâO QUE EXAMINA AS VÖRIAS
NAR SE OS ESCRITORES DOS LIVROS DA "¤BLIA hFORMASv POR EXEMPLO PARÖBOLAS MILAGRES
USARAM FONTES ANTERIORES DE INFORMAˉO E DISCURSOS NAS QUAIS AS TRADI˵ES FORAM
E NESSE CASO SE TAIS FONTES ERAM ORAIS MODELADAS ! CR¤TICA DA FORMA FOI APLICADA
OU ESCRITAS !LGUNS LIVROS B¤BLICOS A MUITAS ÖREAS DA LITERATURA B¤BLICA TAL
INDICAM CLARAMENTE SUA RELAÀâO COM COMO NA COMPOSIÀâO DOS SALMOS NOS
FONTES ANTERIORES  E #R¹NICAS ,UCAS CHAMADOS DE PROFETAS AO MINIST£RIO E NO
E !TOS !LGUMAS DAS FONTES DE #R¹NICAS CONTE¢DO DOS EVANGELHOS !LGUNS ESTU
AINDA ESTâO DISPON¤VEIS EM  E 3AMUEL DIOSOS CLASSIlCARAM POR EXEMPLO VÖRIOS
E  E 2EIS QUE FORAM ESCRITOS ANTES SALMOS COMO hREAISv hDE LAMENTAÀâOv hDA
/ AUTOR DE ,UCAS E !TOS MENCIONAM A LEIv hDE LOUVORv ETC
FONTE DE GRANDE PARTE DAS INFORMAÀµES ! CLASSIlCAÀâO DE PARTES DA "¤BLIA DE
OBTIDAS hCONFORME NOS TRANSMITIRAM ACORDO COM SUA FORMA lNAL PODE FORNECER
OS QUE DESDE O PRINC¤PIO FORAM DELES OUTRA PERSPECTIVA A PARTIR DA QUAL £ POSS¤
TESTEMUNHAS OCULARES E MINISTROS DA VEL ENTENDER MELHOR O TEXTO B¤BLICO .O
PALAVRAv ,C   ENTANTO ESSE M£TODO DEVE SER USADO COM
.O ENTANTO TAIS FONTES NORMALMENTE GRANDE PRUDäNCIA E RESTRIÀµES PARA EVITAR
ACABARAM NâO PERMANECENDO DE MODO QUE O INT£RPRETE FAÀA IMPOSIÀµES DE SEUS
INDEPENDENTE SUA IDENTIlCAÀâO E RE PRESSUPOSTOS
CONSTRUÀâO NâO PODEM SER DETERMINADAS  ! CR¤TICA DA REDAÀâO PROCURA ENTENDER A
» SUlCIENTEMENTE CLARO NO ENTANTO CONTRIBUIÀâO DO MANUSCRITO lNAL PRODUZIDO
QUE OS EVANGELHOS DE -ATEUS -ARCOS PELA PESSOA QUE REUNIU AS TRADI˵ES ORAIS
E ,UCAS TäM FONTES EM COMUM AS DUAS E ESCRITAS EM UM S˜ TEXTO )SSO PODE SER
MAIS ABRANGENTES RELACIONAM SE COM A ILUSTRADO COM O EVANGELHO DE ,UCAS /
NARRATIVA DE *ESUS E COM A COLET½NEA DE EVANGELISTA NâO TEM A PRETENSâO DE SE
SEUS ENSINOS DIZER TESTEMUNHA OCULAR DOS EVENTOS DO
 ! CR¤TICA DA TRADIÀâO INCLUINDO A MINIST£RIO DE *ESUS TUDO O QUE ELE REGISTRA
CR¤TICA DA FORMA ESTUDA COMO AS INFORMA NO EVANGELHO HAVIA SIDO RECEBIDO DE OUTROS
ÀµES FORAM TRANSMITIDAS DE UMA GERAÀâO A ! CR¤TICA DA TRADIÀâO ESTUDA O QUE ,UCAS
OUTRA ANTES DE ADQUIRIR A FORMA ATUAL ! RECEBEU E O ESTADO EM QUE O RECEBEU !
TRADIÀâO £ SIMPLESMENTE O LEGADO PODE CR¤TICA DA REDAÀâO ESTUDA O QUE O AUTOR FEZ
SER DIVINAMENTE AUTORIZADA OU MERAMENTE COM O QUE RECEBEU ,UCAS E ISSO PODE SER
A hTRADIÀâO DOS HOMENSv -C  #L   DITO DE OUTROS EVANGELISTAS FOI UM AUTOR
0OR VEZES UMA TRADIÀâO ERA TRANSMITIDA RESPONSÖVEL QUE IMPRIMIU SUA PERSONALIDADE
ORALMENTE POR VÖRIAS GERAÀµES ANTES DE NO QUE ESCREVEU
SER ESCRITA COMO NO CASO DO REGISTRO DOS » IMPORTANTE LEMBRAR QUE A CONTRIBUI
PATRIARCAS EM 'äNESIS %M OUTRAS UMA ÀâO PESSOAL DE UM AUTOR A UM LIVRO ACABA
TRADIÀâO ERA TRANSMITIDA ORALMENTE POR DO NâO ERA MENOS lDEDIGNA E PORTANTO
APENAS  OU  ANOS COMO NOS REGISTROS NâO MENOS AUTORIZADA QUE A TRADIÀâO POR
DOS ENSINOS E FEITOS DE *ESUS ANTES DE SEREM ELE RECEBIDA )NFELIZMENTE ALGUNS CR¤TICOS
ESCRITOS NOS EVANGELHOS COMETERAM O ERRO DE PRESUMIR QUE O TRABA
! CR¤TICA DA TRADIÀâO ESFORÀA SE POR TRAÀAR LHO DO AUTOR NâO £ AUTäNTICO DESPREZANDO
AS ETAPAS PELAS QUAIS ESSAS TRADIÀµES FORAM A OBRA DO %SP¤RITO 3ANTO EM INSPIRAR OS
TRANSMITIDAS AS FORMAS ASSUMIDAS EM VÖRIOS ESCRITORES DA "¤BLIA
#2/#/$),/ 

 ! CR¤TICA DA AUTORIA E DO P¢BLICO NARRATIVA FOI DIVIDIDA EM DOIS LIVROS MAIS


ALVO ENVOLVE A TENTATIVA DE DETERMINAR A BREVES #ADA UM DELES SUBDIVIDE SE EM
AUTORIA DE UMA OBRA ASSIM COMO A PESSOA DUAS PRINCIPAIS DIVISµES
O GRUPO OU O P¢BLICO MAIS ABRANGENTE PARA /S PRIMEIROS NOVE CAP¤TULOS DE
O QUAL TENHA SIDO ESCRITA 0OR VEZES NâO HÖ #R¹NICAS CONTäM LONGAS GENEALOGIAS
NECESSIDADE DE INVESTIGAR TAIS QUESTµES A OU HIST˜RIAS ENVOLVENDO FAM¤LIAS QUE SE
CARTA DE 0AULO AOS 2OMANOS POR EXEMPLO £ COMPµEM DE INFORMAÀµES DOS PRIMEIROS
CLARAMENTE OBRA DO AP˜STOLO 0AULO E FOI EN LIVROS HIST˜RICOS DA "¤BLIA !S REFERIDAS
VIADA POR ELE AOS CRISTâOS EM 2OMA -AS O GENEALOGIAS CONDUZEM O LEITOR DOS DES
USO PONDERADO DA CR¤TICA LITERÖRIA ILUMINARÖ CENDENTES DE !DâO AOS ANCESTRAIS DO REI
AS CIRCUNST½NCIAS QUE CONDUZIRAM O AUTOR $!6) !TENÀâO ESPECIAL £ DADA ÜS FAM¤LIAS
DO LIVRO E O PROP˜SITO DE TER SIDO ENVIADO DE SACERDOTES E LEVITAS     Ü
1UANDO NO ENTANTO SE LIDA COM UMA OBRA FAM¤LIA DE 3AUL E PARTICULARMENTE Ü
AN¹NIMA A INVESTIGAÀâO CR¤TICA PODE AJUDAR FAM¤LIA DE $AVI CAP    ! SEGUNDA
A REVELAR A PESSOA DO AUTOR 0OR EXEMPLO PRINCIPAL DIVISâO DO LIVRO CAP  
NâO SE SABE AO CERTO QUEM ESCREVEU A CARTA ENFATIZA O REINADO DE $AVI %SSA LONGA
AOS (EBREUS .O ENTANTO CONSIDERANDO NARRATIVA COMEÀA COM A MORTE DE 3AUL
CRITICAMENTE O LIVRO DEPREENDE SE MUITO A CAP  OMITINDO OS FATOS HIST˜RICOS
RESPEITO DO CARÖTER DO AUTOR E POUCO SOBRE QUE A PRECEDERAM ! MORTE DE 3AUL £
O CARÖTER E A SITUAÀâO DAS PESSOAS A QUEM A RELATADA PARA ESTABELECER O FATO DE QUE
CARTA FOI DIRIGIDA O REI NâO ERA QUALIlCADO COMO TAL E QUE
$AVI ERA A ESCOLHA DE $EUS PARA ASSUMIR
#2/#/$),/ VEJA !.)-!)3 $! "Ù",)!  A RESPONSABILIDADE  
/ RELATO DO REINADO DE $AVI £ APRESEN
#2½.)#!3 02)-%)2/ % 3%'5.$/ TADO DE MODO POSITIVO COM A OMISSâO DE
,)62/ $!3 DOIS LIVROS HIST˜RICOS DO TODOS OS DETALHES A RESPEITO DO GRANDE
!NTIGO 4ESTAMENTO QUE PODEM SER CARAC PECADO DE $AVI !L£M DISSO #R¹NICAS
TERIZADOS COMO hLIVROS DA ESPERANÀAv $E TAMB£M RELACIONA OS NOMES DE TODOS OS
MODO ABRANGENTE E SELETIVO ESSES LIVROS VALENTES ASSOCIADOS A $AVI CAP  
TRAÀAM A HIST˜RIA DO GäNERO HUMANO BEM COMO SUAS MAIORES VIT˜RIAS CAP 
DESDE !DâO AT£ O #!4)6%)2/ E RESTAURAÀâO    %SSA SEÀâO DO LIVRO TAMB£M LISTA
'RANDE PARTE DO MATERIAL £ UMA REPETIÀâO OS NOMES DOS LEVITAS SACERDOTES E M¢SICOS
DO QUE SE ENCONTRA NOS LIVROS DE  E 3A DA ADMINISTRAÀâO DE $AVI CAP  
MUEL E  E 2EIS .O ENTANTO O ESCRITOR ASSIM COMO OS DE OUTROS OlCIAIS CAP  
DE #R¹NICAS ESCREVEU APARENTEMENTE )NCLU¤DA TAMB£M ESTÖ O ATO DE $AVI DE
SUA HIST˜RIA PARA ENCORAJAR OS EXILADOS ESTABELECER *ERUSAL£M COMO SUA CAPITAL
QUE HAVIAM RETORNADO A *ERUSAL£M AP˜S   E COMO CENTRO DE ADORAÀâO CAP
 ANOS DE CATIVEIRO NA "ABIL¹NIA %SSA       
HIST˜RIA SELETIVA LEMBROU LHES DOS DIAS / LIVRO DE #R¹NICAS CONT£M IGUAL
DA GL˜RIA PASSADA DE )SRAEL DANDO LHES MENTE DUAS SEÀµES PRINCIPAIS /S CAP¤TULOS
ESPERANÀA PARA O FUTURO Ü MEDIDA QUE   FOCALIZAM O REINADO DE 3!,/-ª/
MEDITAVAM NAS PROMESSAS DE $EUS AO CUJA PRINCIPAL REALIZAÀâO FOI A EDIlCAÀâO
POVO DA ALIANÀA DO 4%-0,/ EM *ERUSAL£M %STÖ INCLU¤DA A
%3425452! $/ ,)62/ /S LIVROS DE  E CORRESPONDäNCIA ENTRE 3ALOMâO E (IRâO
#R¹NICAS FORAM ORIGINALMENTE ESCRITOS REI DE 4IRO A RESPEITO DO MATERIAL DE
COMO UM ¢NICO LIVRO .AS TRADUÀµES CONSTRUÀâO CAP  ASSIM COMO UM RELATO
POSTERIORES DA "¤BLIA ENTRETANTO A LONGA COMPLETO DO CULTO DE DEDICAÀâO QUANDO O
 #2½.)#!3 02)-%)2/ % 3%'5.$/ ,)62/ $!3 #
5- %3"/£/ $)$­4)#/

0!24%  $% !$²/ ! 3!5,  n


8 ! &!-·,)! $% !$²/  
! $E !DÎO A .OÏ  
" $E .OÏ A !BRAÎO   
8)! &!-·,)! $% !"2!²/  
! $E !BRAÎO A )SAQUE  
" $E )SAQUE A )SRAEL   
8)) ! &!-·,)! $% )32!%,  
! /S lLHOS DE )SRAEL  
" /S lLHOS DE *UDÉ  
 #2½.)#!3

8))) ! &!-·,)! $% $!6)  


! /S lLHOS DE $AVI   
" /S lLHOS DE 3ALOMÎO   
8)6 /3 $%3#%.$%.4%3 $!3 42)"/3 $% )32!%,  n
! /S DESCENDENTES DE *UDÉ  
" /S DESCENDENTES DE 3IMEÎO   
# /S DESCENDENTES DE 2ÞBEN   
$ /S DESCENDENTES DE 'ADE   
% /S DESCENDENTES DE -ANASSÏS  
& /S DESCENDENTES DE ,EVI  
' /S DESCENDENTES DE )SSACAR   
( /S DESCENDENTES DE "ENJAMIM   
) /S DESCENDENTES DE .AFTALI 
* /S DESCENDENTES DE -ANASSÏS  
+ /S DESCENDENTES DE %FRAIM  
, /S DESCENDENTES DE !SER   
- /S DESCENDENTES DO REI 3AUL   
86 /3 $%3#%.$%.4%3 $/ 2%-!.%3#%.4%  
! /S DESCENDENTES DAS TRIBOS QUE VOLTARAM DO
CATIVEIRO   
" /S DESCENDENTES DOS SACERDOTES QUE VOLTARAM
DO CATIVEIRO  
# /S DESCENDENTES DOS LEVITAS QUE VOLTARAM DO
CATIVEIRO   
86) ! &!-·,)! $% 3!5,  
0!24%  / 2%)./ $% $!6)  n
8)6 $!6) 4/2.! 3% 2%) n
! ! MORTE DE 3AUL   
" $AVI Ï UNGIDO REI   
# ! CONQUISTA DE *ERUSALÏM   
$ /S VALENTES DE $AVI  n
#2½.)#!3 02)-%)2/ % 3%'5.$/ ,)62/ $!3 

5- %3"/£/ $)$­4)#/
86 ! 2%-/£²/ $! !2#! $! !,)!.£!  n
! ! REMO ÎO INADEQUADA DA ARCA   
" / REINO DE $AVI Ï EXALTADO   
 #2½.)#!3

# ! REMO ÎO ADEQUADA DA ARCA   


$ ! CELEBRA ÎO EM *ERUSALÏM   
% $EUS FAZ UMA ALIAN A COM $AVI  
86) !3 6)4¼2)!3 $/ 2%) $!6)  n
! 3ÓNTESE DAS PRIMEIRAS VITØRIAS   
" 3ÓNTESE DAS ÞLTIMAS VITØRIAS  n
86)) ! 02%0!2!£²/ % ! /2'!.):!£²/ 0!2! ! #/.3425£²/
$/ 4%-0,/  n
! $AVI PECA AO ORDENAR O CENSO   
" ! PREPARA ÎO DO MATERIAL PARA A CONSTRU ÎO
DO TEMPLO  
# /S LÓDERES SÎO ENCARREGADOS DA CONSTRU ÎO DO
TEMPLO   
$ ! ORGANIZA ÎO DOS LÓDERES DO TEMPLO  n
% ! ORGANIZA ÎO DOS LÓDERES DE )SRAEL   
86)))/3 Â,4)-/3 $)!3 $% $!6) n
! !S EXORTA ÜES lNAIS DE $AVI   
" !S ÞLTIMAS PROVIDÐNCIAS PARA A CONSTRU ÎO
DO TEMPLO n
# $AVI FAZ SUA ÞLTIMA ORA ÎO DE LOUVOR   
$ ! COROA ÎO DE 3ALOMÎO   
% ! MORTE DO REI $AVI  

5- %3"/£/ $)$­4)#/
 #2½.)#!3

0!24%  / 2%).!$/ $% 3!,/-²/  n


86)) 3!,/-²/ #/-/ 2%)  
86))) / 4³2-)./ $! #/.3425£²/ $/ 4%-0,/  n
8)8 ! ',¼2)! $/ 2%)./ $% 3!,/-²/  n
88 ! -/24% $% 3!,/-²/  
0!24%  / 2%).!$/ $/3 2%)3 $% *5$­  n
8)8 / 2%).!$/ $% 2/"/²/  n
88 / 2%).!$/ $% !")!3  
88) / 2%).!$/ $% !3! n
88)) / 2%).!$/ $% */3!&­  n
88))) / 2%).!$/ $% *%/2²/  
88)6 / 2%).!$/ $% !#!:)!3  
886 / 2%).!$/ $% !4!,)!  n
886) / 2%).!$/ $% */­3  n
 #2½.)#!3 02)-%)2/ % 3%'5.$/ ,)62/ $!3 #
5- %3"/£/ $)$­4)#/
0!24%  / 2%).!$/ $% 3!,/-²/  n
86)) 3!,/-²/ #/-/ 2%)  
86))) / 4³2-)./ $! #/.3425£²/ $/ 4%-0,/  n
8)8 ! ',¼2)! $/ 2%)./ $% 3!,/-²/  n
88 ! -/24% $% 3!,/-²/  
 #2½.)#!3

0!24%  / 2%).!$/ $/3 2%)3 $% *5$­  n


8)8 / 2%).!$/ $% 2/"/²/  n
88 / 2%).!$/ $% !")!3  
88) / 2%).!$/ $% !3!  n
88)) / 2%).!$/ $% */3!&­  n
88))) / 2%).!$/ $% *%/2²/  
88)6 / 2%).!$/ $% !#!:)!3  
886 / 2%).!$/ $% !4!,)!  n
886) / 2%).!$/ $% */­3  n
886)) / 2%).!$/ $% !-!:)!3  
886))) / 2%).!$/ $% 5:)!3  
88)8 / 2%).!$/ $% */4²/  
888 / 2%).!$/ $% !#!:  
888) / 2%).!$/ $% %:%15)!3  n
888)) / 2%).!$/ $% -!.!33³3  
888))) / 2%).!$/ $% !-/-  
888)6 / 2%).!$/ $% */3)!3  n
8886 / 2%).!$/ $% */!#!:  
8886) / 2%).!$/ $% *%/!15)- 
8886)) / 2%).!$/ $% */!15)-  
8886))) / 2%).!$/ $% :%$%15)!3  
888)8 #)2/ 02/#,!-! ! 6/,4! 0!2! *%253!,³-  

TEMPLO FOI CONCLU¤DO CAP    ! SEGUNDA MAÀâO DO REI #IRO DA 0£RSIA PERMITINDO
DIVISâO PRINCIPAL CAP   £ UM RELATO A VOLTA DOS JUDEUS PARA A RECONSTRUÀâO DO
ALTAMENTE SELETIVO DOS REIS DE *UDÖ DESDE TEMPLO EM *ERUSAL£M   
2OBOâO CAP   AT£ A £POCA DO CATIVEI 5M FATO PARTICULARMENTE INTERESSANTE
RO CAP   $ENTRE OS REIS QUE RECEBERAM A RESPEITO DO LIVRO DE #R¹NICAS £ QUE ELE
DESTAQUE ESTâO !BIAS CAP  !SA CAP INCLUI POUCAS INFORMAÀµES SOBRE OS REIS DO
  *OSAFÖ CAP   *OÖS CAP  REINO DO NORTE )SRAEL JÖ OS FATOS A RESPEITO
 !MAZIAS CAP  5ZIAS OU !ZARIAS DOS REIS DE *UDÖ SâO NA MAIORIA DAS VEZES
CAP  %ZEQUIAS CAP   E *OSIAS POSITIVO %SSE FATO INDICA QUE O AUTOR ESTAVA
CAP    / LIVRO lNALIZA COM A PROCLA INTERESSADO EM TRAÀAR A LINHAGEM DE $AVI
#2½.)#!3 02)-%)2/ % 3%'5.$/ ,)62/ $!3 

E MOSTRAR QUE *UDÖ ERA A NAÀâO QUE PERMA #/.4%84/ ()34Ê2)#/ /S LIVROS DE
NECERA lEL Ü ALIANÀA ENTRE $EUS E SEU POVO  E #R¹NICAS ABRANGEM VÖRIOS S£CULOS
%SSE FATO PODE TER SIDO MOTIVO DE EST¤MULO DA HIST˜RIA DO POVO DA ALIANÀA DESDE
AOS EXILADOS QUE HAVIAM RETORNADO A OS FUNDADORES DA NAÀâO AT£ O lM DE SEU
*ERUSAL£M COM O OBJETIVO DE RECONSTRUIR CATIVEIRO NA "ABIL¹NIA E NA 0£RSIA EM
O TEMPLO 3ENTIAM SE HERDEIROS DAS FORMAS APROXIMADAMENTE  A# .O ENTANTO
E TRADI˵ES QUE OS HAVIAM SEPARADO COMO OS LIVROS FORAM ESCRITOS COM UM OBJETIVO
VERDADEIROS ADORADORES DE $EUS E LHES ESPEC¤lCO DAR CONFORTO E ESPERANÀA AOS
DADO UM SENSO DE IDENTIDADE COMO POVO QUE HAVIAM VOLTADO A *ERUSAL£M
DA ALIANÀA / CENÖRIO ESTAVA PRONTO PARA O RETORNO
!54/2)! % $!4! / AUTOR DOS ,IVROS DO POVO JUDEU A *ERUSAL£M DEPOIS DE
DE  E #R¹NICAS £ DESCONHECIDO EMBORA OS PERSAS DERROTAREM A "ABIL¹NIA E SE
%3$2!3 O SACERDOTE E ESCRIBA %D   TORNAREM O PODER DOMINANTE DO MUNDO
  SURJA COMO O MAIS PROVÖVEL !SSIM ANTIGO /S BABIL¹NIOS HAVIAM MANTIDO
COMO  E #R¹NICAS OS LIVROS DE %SDRAS E O POVO JUDEU CATIVO POR  ANOS MAS OS
.EEMIAS FORAM ESCRITOS ORIGINARIAMENTE PERSAS TINHAM UMA POL¤TICA ESTRANGEIRA
COMO UM ¢NICO LIVRO NA L¤NGUA HEBRAICA DIFERENCIADA 4INHAM COMO PONTO PAC¤lCO
/S DOIS ¢LTIMOS VERS¤CULOS DE #R¹NICAS DEIXAR AS NAÀµES SUBJUGADAS MORAR EM SUA
REPETEM SE NOS TRäS PRIMEIROS VERS¤CULOS PR˜PRIA TERRA NATAL SOB A AUTORIDADE DE UM
DE %SDRAS PROVAVELMENTE PARA INDICAR GOVERNADOR 0ERMITIRAM QUE O POVO JUDEU
QUE ORIGINARIAMENTE HAVIA CONTINUIDADE VOLTASSE A *ERUSAL£M EM VÖRIAS ETAPAS
DE UM PARA O OUTRO -UITOS PESQUISADORES COMEÀANDO COM A PRIMEIRA LEVA SOB A
CONCORDAM QUE OS QUATRO LIVROS FORAM LIDERANÀA DE :OROBABEL EM  A# #R
ESCRITOS E COMPILADOS PELA MESMA PESSOA   
MAS NEM TODOS ACEITAM A TEORIA DE %SDRAS !P˜S O RETORNO A *ERUSAL£M E A
COMO O AUTOR RECONSTRUÀâO DO TEMPLO O REMANESCENTE
%SDRAS NO ENTANTO PERMANECE COMO DO POVO ESCOLHIDO DE $EUS PRECISAVA CONS
O MELHOR CANDIDATO POR CAUSA DE SUA TANTEMENTE DE ½NIMO 0ARA MANTER VIVAS A
IMPORTANTE FUNÀâO ENTRE A COMUNIDADE DE F£ E AS TRADIÀµES ERA NECESSÖRIO UM ESFORÀO
EXILADOS EM *ERUSAL£M $EPOIS DE LIDERAR CONT¤NUO ! SITUAÀâO PEDIA DETERMINAÀâO
UM GRUPO PARA VOLTAR Ü SUA TERRA NATAL E FORTE SENSO DE ESPERANÀA ESPERANÀA
TRABALHOU COM OUTRO L¤DER JUDEU .EEMIAS DE QUE AS PROMESSAS DE $EUS A $AVI NâO
PARA FORTALECER O COMPROMISSO DO POVO SERIAM ESQUECIDAS E DE QUE UM REI DA LI
COM A LEI DE $EUS %D   .E   NHAGEM REAL GOVERNARIA NOVAMENTE O POVO
   %SDRAS DEVE TER ESCRITO OS QUATRO DE $EUS 4AL ERA A SITUAÀâO SINGULAR Ü QUAL
LIVROS  E  #R¹NICAS %SDRAS E .EEMIAS OS LIVROS DE  E #R¹NICAS SE DIRIGIAM
ALGUM TEMPO DEPOIS DE TER CHEGADO A *E #/.42)"5)­ª/ 4%/,Ê')#! /S LIVROS DE
RUSAL£M POR VOLTA DE  A# E TER LIDERADO  E #R¹NICAS CONFEREM COESâO AO !NTIGO
AS REFORMAS ENTRE O POVO 4ESTAMENTO EM UMA GRANDE AlRMAÀâO
/ CRONISTA USOU MUITAS FONTES PARA DE ESPERANÀA /S LIVROS NâO PODEM SER
ESCREVER SEU LIVRO INCLUINDO OS LIVROS DE LIDOS APENAS COMO HIST˜RIAS MAS COMO
3AMUEL E 2EIS !L£M DISSO FEZ USO DE INSPIRAÀâO DA MANEIRA DE $EUS MANTER A F£
HIST˜RIAS DA CORTE A EXEMPLO DE ESCRITORES DO POVO DA ALIANÀA ATRAV£S DOS S£CULOS !O
ANTERIORES E NARRATIVAS PROF£TICAS 5MA SELECIONAR OS EVENTOS QUE MOSTRAM COMO
ILUSTRAÀâO DESSE PROCEDIMENTO PODE SER $EUS MANT£M SUAS PROMESSAS O AUTOR
OBSERVADA EM #R  NO lNAL DA NARRATI APRESENTA UMA BELA DOUTRINA DA ESPERANÀA
VA DE 3ALOMâO QUE COMEÀA COM !DâO #R  E QUE SE
 #2/./,/')! $/ !.4)'/ 4%34!-%.4/ #
ESTENDE AT£ O lM DO CATIVEIRO DO POVO DE NAS NAÀµES VIZINHAS AT£ CERCA DO OITAVO
$EUS MILHARES DE ANOS DEPOIS #R  S£CULO A# %M CONTRAPARTIDA DATAR OS
  ! IMPLICAÀâO CLARA PARA OS CRISTâOS EVENTOS DE CADA UMA DESSAS NAÀµES ACARRE
MODERNOS £ QUE $EUS CONTINUA A SER UM TA DIlCULDADES PECULIARES &INALMENTE OS
$EUS DE ESPERANÀA CUJO ¢LTIMO PROP˜SITO SISTEMAS PELOS QUAIS )SRAEL E SEUS VIZINHOS
PREVALECERÖ NO MUNDO E NA VIDA DE SEU MANTINHAM SE INFORMADOS COM RELAÀâO A
POVO TEMPO E EVENTOS NâO SâO CLAROS
/S LIVROS DE  E #R¹NICAS ENFATIZAM 02/",%-!3 ./ %34!"%,%#)-%.4/
AINDA QUESTµES DO SACERD˜CIO TAIS COMO $% 5-! #2/./,/')! / PRIMEIRO DESSES
GENEALOGIAS OF¤CIOS E OBRIGAÀµES DOS OBSTÖCULOS PODE SER ILUSTRADO A PARTIR DA
SACERDOTES E LEVITAS A CONSTRUÀâO E A OBRA DO ARCEBISPO *AMES 5SSHER DO S£CULO
DEDICAÀâO DO TEMPLO E SEUS ACESS˜RIOS A DEZESSETE QUE LIDOU COM AS GENEALOGIAS
ORGANIZAÀâO DA LIDERANÀA E DA ADORAÀâO B¤BLICAS EMBORA FOSSEM REGISTROS MODER
DO TEMPLO 0RATICAMENTE SâO IGNORADOS OS NOS DE LINHAGEM DE GERAÀâO A GERAÀâO
L¤DERES INl£IS DO REINO DO NORTE DE )SRAEL "ASEANDO SEU TRABALHO NESSA HIP˜TESE
PRIORIZANDO UMA ATENÀâO MINIMAMENTE 5SSHER FEZ ESTIMATIVAS A PARTIR DA £POCA
RELEVANTE A CADA UM DOS  L¤DERES DO DA CRIAÀâO QUE ELE ESTABELECEU EM 
REINO DO SUL DE *UDÖ !SPECTOS POSITIVOS A# )NFORMAÀµES MAIS RECENTES ACERCA DE
DO GOVERNO DO SUL SâO ENFATIZADOS COM ANTIGAS LISTAS DE DESCENDENTES ENTRETANTO
DESTAQUES PARA OS REINADOS DE $AVI O REI INDICAM QUE MEMBROS DE FAM¤LIA SEM
IDEAL E DE 3ALOMâO SEU SUCESSOR (ONRAR IMPORT½NCIA ERAM NORMALMENTE OMITIDOS
$AVI E SUA DINASTIA £ UM OBJETIVO CLARO NO / QUE SE DEDUZ QUE LISTAS RESUMIDAS NâO
COMPROMISSO DO CRONISTA #OMO ¢LTIMO PRECISAMENTE COINCIDEM COM O PER¤ODO DE
LIVRO DO C½NON HEBRAICO #R¹NICAS PREPARA TEMPO QUE DEVERIAM ABRANGER
ASSIM O CAMINHO PARA O hLIVRO DA GENEALO 5SSHER TAMB£M CONSIDEROU AS IDADES DAS
GIA DE *ESUS #RISTO lLHO DE $AVI lLHO DE PESSOAS QUE HAVIAM VIVIDO ANTES DO DIL¢VIO
!BRAâOv -T   COMO VALOR NOMINAL 0ESQUISA POSTERIOR
IDENTIlCOU QUE ESTAS PARECEM TER SIDO
#2/.)34! VEJA 02/&)33¡%3 % /#50! BASEADAS EM UM SISTEMA SUM£RIO ANTIGO DE
­¡%3  CÖLCULO TAL COMO O USADO EM LISTAS DE REIS
SUM£RIOS AS QUAIS NâO SâO COMPLETAMENTE
#2/./,/')! $/ !.4)'/ 4%34! ENTENDIDAS #OMO RESULTADO A CRONOLOGIA
-%.4/ IDENTIlCAÀâO CIENT¤lCA DA DE 5SSHER £ TOTALMENTE IMPRECISA AT£ A
£POCA QUANDO SE DERAM OS EVENTOS £POCA DE -OIS£S UM PER¤ODO QUE POR
REGISTRADOS NO !NTIGO 4ESTAMENTO SI S˜ £ TAMB£M ASSUNTO DE CONSIDERÖVEL
#OM TODAS AS INFORMAÀµES CONTIDAS CONTROV£RSIA ENTRE OS ESTUDIOSOS
NO !NTIGO 4ESTAMENTO PARTE DELA 3E FOSSE POSS¤VEL VINCULAR O PER¤ODO DO
DETALHADA E LONGA ESBOÀAR UMA LISTA DIL¢VIO B¤BLICO COM O QUE ACONTECIA NO
lXA DE DATAS PARA OS EVENTOS RELATADOS RESTO DO MUNDO CONFORME ESTÖ DESCRITO
PARECE SER UMA TAREFA SIMPLES $E FATO NA LITERATURA BABIL¹NIA OU SUM£RIA A CRO
£ BASTANTE DIF¤CIL .âO APENAS NOS FALTA NOLOGIA DO !NTIGO 4ESTAMENTO SERIA UMA
UM REGISTRO DE EVENTOS SUlCIENTEMENTE QUESTâO SIMPLES .O ENTANTO HÖ VÖRIOS
CONT¤NUO COMO TAMB£M GRANDE PARTE MOTIVOS QUE TORNAM A RELAÀâO IMPOSS¤VEL
DAS INFORMAÀµES PODEM SER INTERPRETA / PRIMEIRO PROBLEMA £ QUE NâO HAVIA
DAS DE MANEIRAS DISTINTAS UMA BASE FORMAL NO MUNDO ANTIGO A
» DIF¤CIL RELACIONAR EVENTOS ESPEC¤lCOS PARTIR DA QUAL AS DATAS FOSSEM COMPUTADAS
DA HIST˜RIA HEBRAICA COM O QUE ACONTECIA 1UANDO SE TENTOU ESTABELECER DATAS ESTAS
#2/./,/')! $/ !.4)'/ 4%34!-%.4/ 

ERAM NORMALMENTE EXPRESSAS EM FRASES CONlÖVEIS AT£ O PER¤ODO SA¤TICO POR VOLTA
DO TIPO hAP˜S O TERREMOTOv hOU NO QUARTO DE   A#  !L£M DISSO AS PRIMEIRA
ANO DE REINADOv %MBORA TAIS DECLARA˵ES E SEGUNDA DINASTIAS APRESENTAM hALTAv E
FOSSEM PERFEITAMENTE CLARAS A QUALQUER UM hBAIXAv CRONOLOGIAS A PRIMEIRA COM O
QUE AS LESSE NO TEMPO DE SEU REGISTRO SâO APOIO DE ESTUDIOSOS QUE DATAM O PER¤ODO
COMPLETAMENTE SEM SENTIDO PARA COMPA ENTRE  E  A# E A ¢LTIMA SUSTENTA
RAR OS EVENTOS OCORRIDOS EM DETERMINADA DA POR PESQUISADORES QUE DATAM O PER¤ODO
CULTURA COM EVENTOS PARALELOS EM OUTROS ENTRE  E  A# /UTRAS DIlCULDADES
LOCAIS #ONSEQÓENTEMENTE OS PROBLEMAS NA DATAÀâO EG¤PCIA INCLUEM A D£CIMA
ENVOLVIDOS NA QUESTâO DO ESTABELECIMENTO OITAVA DINASTIA QUE INTRODUZIU O PER¤ODO
DE DATAS DO ANTIGO /RIENTE 0R˜XIMO EM DO 2EINO .OVO CERCA DE   A# 
GERAL TAMB£M SE APLICAM Ü TENTATIVA DE %STE FOI O PER¤ODO DE TEMPO DURANTE O QUAL
ESTABELECER DATAS PARA OS FATOS DO !NTIGO FARA˜S COMO !MUNHOTEP )) !KHENATEN
4ESTAMENTO 4UTANKHAMON E OUTROS GOVERNARAM
/S PESQUISADORES QUE SE ESFORÀARAM !PESAR DE TAIS CONFUSµES ALGUMAS
POR ESTABELECER SEQÓäNCIAS DE £POCAS DA DATAS NA HIST˜RIA DO /RIENTE 0R˜XIMO
HIST˜RIA BABIL¹NIA DEPARARAM COM DUAS PODEM SER lXADAS COM RAZOÖVEL SEGURANÀA
SEQÓäNCIAS PARA UM DOS PRIMEIROS PER¤O 4âO HABILIDOSOS ERAM OS EG¤PCIOS EM
DOS %XISTE UMA CRONOLOGIA hALTAv PARA A DETERMINAR A DURAÀâO DO ANO SOLAR QUE
PRIMEIRA DINASTIA BABIL¹NIA ESTA CHEGA A A PRIMEIRA DATA ANO EXATA DA HIST˜RIA
RELACIONAR !NRAFEL REI DE 3INAR 'N  HUMANA PODE SER ATUALMENTE ESTABELECIDA
COM (!-52¬") DA "ABIL¹NIA E DATÖ LO EM  A# IN¤CIO DA ESPLENDOROSA
POR VOLTA DE  A# %M CONTRAPARTIDA D£CIMA SEGUNDA DINASTIA /S  ANOS DE
A CRONOLOGIA hBAIXAv COLOCA (AMURÖBI REINADO DE (AMURÖBI DA "ABIL¹NIA DâO SE
ENTRE  E  A# APROXIMADAMENTE PRATICAMENTE COMO CERTOS EM  
-ESMO ESSA DATA POSTERIOR ENTRETANTO A# ! QUEDA DE 3!-!2)! EM  A# 2S
£ CONSIDERADA MUITO DISTANTE POR ALGUNS  £ CONFIRMADA COM UMA DECLARAÀâO
ESTUDIOSOS QUE INTERPRETAM A DATA DE DOS REGISTROS DE 3!2'ª/ DA !SS¤RIA PARA
FORMA DIVERSA AQUELE ANO .OVAMENTE O PRIMEIRO ATAQUE
3ITUAÀâO SEMELHANTE ACONTECE COM A DA "ABIL¹NIA A *ERUSAL£M QUE RESULTOU NO
HIST˜RIA EG¤PCIA )NFORMAÀµES DE REGISTROS #!4)6%)2/ DE  A# OCORREU EM  
E LISTAS DE REIS GERALMENTE SâO BASTANTE DE MARÀO DESSE ANO CONFORME REGISTRO NA
INCERTAS QUANTO ÜS QUESTµES CRONOL˜GICAS #R¹NICA "ABIL¹NICA UM TEXTO #5.%)&/2-%
DESSE MODO £ PRECISO MUITO CUIDADO DA £POCA )NFELIZMENTE TAIS PONTOS DE
QUANDO SE TRATA COM FONTES EG¤PCIAS E CONTATO SâO RAROS %RA RARO NOS TEMPOS
COM MATERIAIS CORRELATOS DA -%3/0/4¸-)! ANTIGOS UMA NAÀâO VENCIDA REGISTRAR SUAS
REGIâO ENTRE O RIOS 4IGRE E %UFRATES  DERROTAS
(ISTORIADORES DESCOBRIRAM QUE OS REGISTROS %M PRIMEIRO LUGAR SE A GUERRA RESULTASSE
EG¤PCIOS NâO SE BASEIAM TANTO EM HIST˜RIA DA EXTINÀâO DE UMA NAÀâO COMO ACONTE
FACTUAL COMO SE ANUNCIAVA APRESENTAM A CEU QUANDO OS POVOS DO MAR EXTERMINARAM
VISâO hOlCIALv DOS FATOS PARA A INSTRUÀâO DE O IMP£RIO HITITA POR VOLTA DE  A# A
GERAÀµES EG¤PCIAS FUTURAS NAÀâO CONQUISTADA NORMALMENTE NâO DESE
!LGUNS HISTORIADORES AGRUPARAM AS JAVA OU ESTAVA IMPOSSIBILITADA DE REGISTRAR
LISTAS DE GOVERNANTES EG¤PCIOS EM  DINAS SUA DERROTA !L£M DISSO ERA PRÖTICA COMUM
TIAS 3E ESSA £ UMA MANEIRA CONVENIENTE ENTRE AS NAÀµES DO ANTIGO /RIENTE 0R˜XIMO
DE CONSIDERAR A HIST˜RIA EG¤PCIA PARA O COM EXCEÀâO DOS HEBREUS AUMENTAR RE
HISTORIADOR AS DATAS DOS FATOS NâO SâO LATOS DE VIT˜RIAS E IGNORAR DERROTAS %M TAIS
 #2/./,/')! $/ !.4)'/ 4%34!-%.4/ #
OCASIµES AMBOS OS LADOS LUTAVAM AT£ UMA ARQUEOL˜GICAS PODEM SER USADAS PARA
TR£GUA E CADA QUAL NORMALMENTE CONTAVA A OS PER¤ODOS AT£ OS 0!42)!2#!3 HEBREUS
BATALHA COMO VIT˜RIA INCLUINDO OS 4AIS DATAS DEVEM SER CONSI
/UTRA PRÖTICA QUE PARECE BASTANTE DERADAS APROXIMADAS
ESTRANHA AO LEITOR MODERNO TRATA DO 5MA FASE POSTERIOR DA ANTIGA )DADE DA
COSTUME DE ALGUNS PA¤SES DO /RIENTE 0EDRA CONHECIDA COMO NAT¢lA  A#
0R˜XIMO ACRESCENTAREM UM ANO COMO CORRESPONDE Ü INTRODUÀâO DA AGRICULTURA
PARTE DO REINADO DE DETERMINADO REI %SSE NO /RIENTE 0R˜XIMO %SSE PER¤ODO FOI
PER¤ODO NâO NECESSARIAMENTE SIGNIlCAVA SEGUIDO PELA FASE NEOL¤TICA PR£ CER½MICA
UM ANO COMPLETO DE CALENDÖRIO CONSISTIA   A# EM *ERIC˜ E OUTRAS
NORMALMENTE EM UM INTERVALO ENTRE A REGIµES / PER¤ODO CALCOL¤TICO  
POSSE DO NOVO REI E O IN¤CIO DO ANO SEGUIN A# FOI MARCADO PELO CRESCIMENTO NO USO
TE » POR ISSO QUE £ TâO DIF¤CIL COMPARAR E DE METAIS NA -ESOPOT½MIA E NO %GITO PELA
COMPREENDER A LISTA DE REIS DOS LIVROS DE  TECELAGEM E PELA FABRICAÀâO DE CER½MICA
E 2EIS E  E #R¹NICAS NA -ESOPOT½MIA /S SUM£RIOS COMEÀARAM
/UTRA PRÖTICA QUE COMPLICA A CRONOLO DRENANDO O SUL DA -ESOPOT½MIA DURANTE
GIA DO !NTIGO 4ESTAMENTO ERA O SISTEMA ESSE PER¤ODO %SSE FATO LEVOU AO IN¤CIO DE
DE CO REGäNCIAS 5M REI PODIA INICIAR UMA CULTURA QUE DEIXOU MARCAS NO RESTO
SEU REINADO ENQUANTO SEU PREDECESSOR DA HUMANIDADE 4AL CIVILIZAÀâO ATINGIU
AINDA VIVIA GOVERNANDO COM ELE VÖRIOS SEU AUGE NA )DADE DO "RONZE !NTIGA
ANOS ANTES DE SUA MORTE 4AL SISTEMA £ A   A# QUANDO O PRIMEIRO REINO
RAZâO DE ALGUMAS DIlCULDADES ˜BVIAS NA SEM¤TICO FOI ESTABELECIDO NA "ABIL¹NIA
HARMONIZAÀâO DE DATAS DE REIS DO !NTIGO !S PALAVRAS E EXPRESSµES SUM£RIAS NOS
4ESTAMENTO 3ENDO ASSIM NA HIST˜RIA DE PRIMEIROS CAP¤TULOS DE 'äNESIS MOSTRAM
*UDÖ *OSAFÖ APROXIMADAMENTE   A EXISTäNCIA DE UMA IMPORTANTE RELAÀâO
A# DE FATO FOI CO REGENTE A PARTIR DE  CULTURAL ENTRE A 3UM£RIA E )SRAEL / DIL¢VIO
A# ENQUANTO *ORâO QUE REINOU DE  PODE MUITO BEM TER ACONTECIDO NO MEIO
A  A# APROXIMADAMENTE HAVIA SIDO DESSE PER¤ODO MAS FALTAM DADOS CERTOS
CO REGENTE A PARTIR DE  A# $E ACORDO COM ALGUNS ESTUDIOSOS !BRAâO
-ESMO DEPOIS DE RECONHECER TODOS OS )SAQUE E *AC˜ VIVERAM NESSA £POCA MAS
PROBLEMAS ENVOLVIDOS NA DETERMINAÀâO OUTROS OS POSICIONAM NA )DADE DO "RONZE
DE DATAS O ESTUDIOSO DA "¤BLIA PODE lCAR -£DIA   A#  0OUCOS ESCRITORES
CERTO DE QUE OS ESCRIBAS DO ANTIGO /RIENTE PENSAM AINDA QUE ELES TENHAM mORESCIDO
0R˜XIMO TRABALHARAM COM GRANDE CUIDADO PERTO DO lM DA )DADE DO "RONZE 2ECENTE
E PRECISâO NA TRANSMISSâO DO !NTIGO OU 0OSTERIOR   A# 
4ESTAMENTO SUPRINDO ASSIM O INT£RPRETE 1UATRO DATAS FORAM SUGERIDAS PARA OS
MODERNO COM INFORMAÀµES NECESSÖRIAS PATRIARCAS HEBREUS %STAS BASEIAM SE EM
PARA OBTER UM QUADRO lEL DA HIST˜RIA DO DUAS DIFERENTES DATAS PARA O ›8/$/ !
!NTIGO 4ESTAMENTO PRIMEIRA E MAIS PROVÖVEL £  
»0/#! $/3 0!42)!2#!3 %M VIRTUDE A# PENSANDO SE EM UMA DATA DO S£CULO
DOS PROBLEMAS ENVOLVIDOS OS PER¤ODOS 86 A# PARA O ›XODO E UMA PERMANäNCIA
ARQUEOL˜GICOS PODEM SER USADOS PARA DATAR DE  ANOS DOS HEBREUS NO %GITO /
A HIST˜RIA PRIMITIVA DO !NTIGO 4ESTAMENTO MATERIAL ARQUEOL˜GICO USADO PARA JUSTIlCAR
.O ENTANTO TAIS PER¤ODOS SâO BASICAMENTE ESSA DATA TEM ORIGEM NA -ESPOT½MIA E NA
GEN£RICOS E NâO PRECISOS AL£M DISSO OS 3¤RIA ! SEGUNDA TAMB£M PRESUMINDO UM
ARQUE˜LOGOS DIVERGEM QUANTO Ü DURAÀâO ›XODO DO S£CULO 86 A# MAS CALCULANDO
DE CADA PER¤ODO 0ORTANTO ESSAS DESCRIÀµES UMA PERMANäNCIA DOS HEBREUS NO %GITO
#2/./,/')! $/ !.4)'/ 4%34!-%.4/ 

DE  ANOS £   A# -AIS UMA TENHAM SE SEGUIDO HISTORICAMENTE  A
VEZ DADOS ARQUEOL˜GICOS DA -ESOPOT½MIA SEGUNDA COBRE UM INTERVALO MENOR DE
SERVEM DE EVIDäNCIAS   A# CONSIDERANDO SE QUE OS
! TERCEIRA DATA PRESUMINDO SE O S£CULO ATOS DOS JU¤ZES SE SOBREPµEM  ! DATA
8))) A# COMO PER¤ODO DO ›XODO £  ANTERIOR £ APOIADA EM PARTE PELA CER½MICA
 A# !DEPTOS DESSA TEORIA ARGUMEN MICENIANA DE (AZOR O QUE SUGERE UMA
TAM A PARTIR DE EVIDäNCIAS ARQUEOL˜GICAS DATA PARA A CONQUISTA POUCO DEPOIS DE
DA )DADE DO "RONZE -£DIA ! QUARTA DATA  A# ! SEGUNDA DATA REIVINDICA CON
TAMB£M LEVANDO EM CONTA UM ›XODO DO SIDERÖVEL N¢MERO DE EVIDäNCIAS ADVINDAS
S£CULO 8))) A# £   A# $EFEN DE ESTUDOS ARQUEOL˜GICOS EM "ETEL (AZOR
SORES DESSA DATA ALEGAM SUA POSIÀâO A PARTIR E VÖRIOS LOCAIS DOS lLISTEUS %M AMBOS OS
DE EVIDäNCIAS DA CULTURA DA ERA DE !MARNA CASOS OS DADOS ARQUEOL˜GICOS PRESTAM SE
DO S£CULO 8)6 A# A DIVERSAS INTERPRETAÀµES
! »0/#! $/ ›8/$/ !S DUAS DATAS SUGE / 2%)./ 5.)$/ 1UANDO O REINO SE DIVI
RIDAS PARA O ›XODO DEVEM SER CONSIDERADAS DIU )SRAEL SEGUIU O SISTEMA EG¤PCIO DE NâO
! PRIMEIRA £  A# INDICADA POR 2EIS ACRESCENTAR ANOS DE ASCENSâO AT£ O NONO
 E SUGERIDA POR *U¤ZES  ! CER½MICA S£CULO A# %NTâO MUDOU PARA O SISTEMA
MICENIANA DO PER¤ODO DOS JU¤ZES EM *ERIC˜ BABIL¹NIO QUE COMPUTAVA ESSES ANOS 3OB
E (AZOR PARECE SUSTENTAR ESSA DATA ! O DOM¤NIO DE 2OBOâO *UDÖ COMEÀOU A
SEGUNDA £  A# BASEANDO SE EM EVI USAR O M£TODO DO ANO DE ASCENSâO MAS
DäNCIAS ARQUEOL˜GICAS QUE INDICAM QUE AS NO NONO S£CULO A# ADOTOU O SISTEMA
CIDADES EG¤PCIAS DE 0ITOM E 2AMESS£S ›X EG¤PCIO QUE )SRAEL TINHA ABANDONADO
 FORAM RECONSTRU¤DAS NO S£CULO 8))) !P˜S UM PEQUENO INTERVALO *UDÖ VOLTOU
A# PROVAVELMENTE COM TRABALHO ISRAELI A ESSE M£TODO E CONTINUOU A USÖ LO AT£ O
TA !L£M DISSO A ESTELA DE -ERNEPTÖ QUE CATIVEIRO 0ARECE QUE OS ESCRIBAS TAMB£M
DESCREVE A CAMPANHA DO FARA˜ NA 0ALESTINA INCLU¤AM CO REGäNCIAS EM SEUS REGISTROS
POR VOLTA DE  A# CONSIDEROU )SRAEL AL£M DISSO DOIS DIFERENTES CALENDÖRIOS
UMA NAÀâO JÖ ESTABELECIDA )SSO SUGERE UM ESTAVAM ENVOLVIDOS / ANO NOVO DE )SRAEL
äXODO DO %GITO EM TORNO DE  ANOS ANTES COMEÀAVA NA PRIMAVERA NISâ E O DE *UDÖ
#ONSIDERANDO SE AS DUAS DATAS HAVERÖ OB NO OUTONO TISRI 
VIAMENTE DUAS DATAS CORRESPONDENTES PARA $E QUALQUER FORMA )SRAEL E *UDÖ MAN
AS PEREGRINA˵ES NO DESERTO   TINHAM REGISTROS CUIDADOSOS DAS DURA˵ES
A# E   A# ! DATA DO ›XODO £ DOS REINADOS DE SEUS REIS /S LIVROS DE  E
UM DOS PROBLEMAS MAIS DIF¤CEIS DA HIST˜RIA 2EIS AJUSTARAM OS REGISTROS CRUZANDO SEUS
DO !NTIGO 4ESTAMENTO » AGRAVADA COM O DADOS
FATO DE QUE SE PODEM PRODUZIR EVIDäNCIAS -UITOS DOS REIS DAS NAÀµES DE *UDÖ E
S˜LIDAS PARA SUSTENTAR AMBAS AS POSIÀµES )SRAEL TAMB£M FORAM MENCIONADOS NOS
EMBORA A QUE FAVORECE A DATA ANTERIOR SEJA REGISTROS DE NA˵ES ESTRANGEIRAS )SSO PROVA
TIDA COMO MAIS CONVINCENTE SUA HISTORICIDADE E SERVE DE FUNDAMENTO
%SSA SITUAÀâO NâO APENAS AFETA A DATA PARA UM SISTEMA INTEGRADO DE DATAS DO
DO ›XODO E A 0%2%'2).!­ª/ DE )SRAEL /RIENTE 0R˜XIMO
PELO DESERTO MAS AFETA TAMB£M AS DATAS ! NAÀâO DE )SRAEL SOFREU UMA DESAGRE
DA CONQUISTA DA TERRA E DO PER¤ODO DOS GAÀâO EM  A# COM SUA DERROTA DIANTE
JU¤ZES $ATAS ALTERNATIVAS FORAM SUGERIDAS DOS ASS¤RIOS 3UA NAÀâO IRMâ *UDÖ TEVE O
PARA AMBOS OS FATOS ! PRIMEIRA £  MESMO DESTINO  ANOS MAIS TARDE EM
 A# PARA ENCAIXAR TODOS OS JU¤ZES  A# QUANDO *ERUSAL£M CAIU DIANTE DA
PRESUMINDO SE QUE OS FEITOS DOS JU¤ZES "ABIL¹NIA /S PRINCIPAIS CIDADâOS DE *UDÖ
 #2/./,/')! $/ ./6/ 4%34!-%.4/ #
FORAM LEVADOS CATIVOS PELOS BABIL¹NIOS ESSE DADO SEJA INCERTO  /S MACABEUS OU
INICIANDO SEU PER¤ODO DE EX¤LIO EM TERRA !3-/.%53 GOVERNARAM A *UD£IA POR UM
ESTRANGEIRA S£CULO A PARTIR DE  A# 3EU GOVERNO
2%4/2./ $/ #!4)6%)2/ / CATIVEIRO TERMINOU COM O OCUPAÀâO ROMANA DA
BABIL¹NICO DE  ANOS   A# 3¤RIA POR 0OMPEU EM  A# MARCANDO
TERMINOU COM A QUEDA DA "ABIL¹NIA DIANTE O IN¤CIO DO PER¤ODO ROMANO NA 0ALESTINA
DE #)2/ FUNDADOR DO IMP£RIO PERSA E SUA .O S£CULO SEGUINTE SOLDADOS ROMANOS
PROCLAMAÀâO DE LIBERDADE AOS POVOS CATIVOS ESTAVAM A POSTOS EM *ERUSAL£M 3OB O
NA -ESOPOT½MIA /S CATIVOS VOLTARAM PARA DOM¤NIO ATENTO DE 2OMA (ERODES O
A *UD£IA A PARTIR DE  A# E OS PROFETAS 'RANDE   A# TORNOU SE GOVERNADOR
!'%5 E :!#!2)!3  A# ENCORAJARAM A DA 'ALIL£IA E CONTROLOU A VIDA POL¤TICA
RECONSTRUÀâO DO TEMPLO QUE FOI lNALIZADA NA *UD£IA AS QUESTµES RELIGIOSAS DA
QUATRO ANOS DEPOIS  A#  / PER¤ NAÀâO ERAM GOVERNADAS PELOS &!2)3%53 E
ODO DE 8ERXES !SSUERO E %STER   3!$5#%53
A# FOI SEGUIDO EM *UDÖ PELO TRABALHO #OM A DERROTA DE !NT¹NIO E #LE˜PATRA
DE %SDRAS E .EEMIAS   A#  EM  A# /TAVIANO TORNOU SE O L¤DER DO
*UNTOS REABILITARAM A COMUNIDADE lEL E IMP£RIO ROMANO #OM O T¤TULO DE !5'53
ESTABELECERAM A VIDA NO FUNDAMENTO DA 4/ LEVOU PAZ E PROSPERIDADE AO IMP£RIO AT£
LEI !LGUNS ESTUDIOSOS TENTARAM REVERTER A SUA MORTE EM  D# $URANTE O REINADO DE
ORDEM HIST˜RICA DE %SDRAS E .EEMIAS IDEN !UGUSTO E POUCO ANTES DA MORTE DE (E
TIlCANDO %SDRAS NO REINADO DE !RTAXERXES RODES O 'RANDE *ESUS #RISTO NASCEU POR
))   A# MAS ISSO REQUER UMA VOLTA DE  A#  #OM ESSE FATO CHEGA AO
ALTERAÀâO DESNECESSÖRIA DO TEXTO HEBRAICO lM A CRONOLOGIA DO !NTIGO 4ESTAMENTO
DE %SDRAS 
$/3 0%23!3 !/ &)- $/ !.4)'/ #2/./,/')! $/ ./6/ 4%34!-%.
4%34!-%.4/ / PER¤ODO PERSA   4/ A CRONOLOGIA DO .OVO 4ESTAMENTO
A# TERMINOU ABRUPTAMENTE COM AS TEM SIDO DEBATIDA ATRAV£S DOS S£CULOS
CONQUISTAS DE !,%8!.$2% O 'RANDE E )SSO SE DEVE EM PARTE AO LIMITE DE DADOS
FOI SUBSTITU¤DO PELO PER¤ODO GREGO   DO REGISTRO B¤BLICO /S ESCRITORES B¤BLICOS
A#  !LEXANDRE MORREU EM  A# E SEU ESTAVAM MAIS INTERESSADOS NOS FATOS DO QUE
IMP£RIO FOI DIVIDIDO ENTRE SEUS GENERAIS NAS DATAS EXATAS DE SEUS ACONTECIMENTOS
*UDÖ FOI CONTROLADA PELOS 04/,/-%53 -UITAS VEZES FATOS CRONOL˜GICOS ESPEC¤lCOS
EG¤PCIOS AT£  A# QUANDO FOI ASSUMIDA SâO TRANSMITIDOS COMO NOTAS OCASIONAIS
PELOS 3%,›5#)$!3 DA 3Ù2)! OS QUAIS FORAM NA "¤BLIA » A PARTIR DE TAIS DADOS QUE OS
CONDUZIDOS POR !NT¤OCO ))) O 'RANDE %LE ESTUDIOSOS TENTAM RECONSTRUIR UM QUADRO
MORREU EM  A# ENQUANTO RESISTIA AOS CRONOL˜GICO
ROMANOS E FOI SUCEDIDO POSTERIORMENTE POR ! #2/./,/')! $! 6)$! $% *%353
SEU lLHO MAIS JOVEM !.4Ù/#/ )6 %PIF½NIO ! PRIMEIRA TAREFA COM QUE SE DEPARA O
  A#  ALUNO DO .OVO 4ESTAMENTO £ MONTAR UMA
! CRUELDADE DE !NT¤OCO )6 %PIF½NIO CRONOLOGIA DA VIDA DE *ESUS /S SEGUINTES
RAPIDAMENTE CAUSOU UMA REBELIâO EM PONTOS PRINCIPAIS DE SUA VIDA E MINIST£RIO
UMA FAM¤LIA JUDAICA CONHECIDA COMO COM DATAS APROXIMADAS SâO ACEITOS
OS -!#!"%53   A#  4AL REVOLTA PELA MAIORIA DOS PESQUISADORES DO .OVO
CULMINOU COM A INDEPENDäNCIA JUDAICA 4ESTAMENTO
DA 3¤RIA A COMUNIDADE DO MAR -ORTO EM 3%5 .!3#)-%.4/ $E ACORDO COM -T
1UMRAN FOI FUNDADA PROVAVELMENTE NA  E ,C  O NASCIMENTO DE *ESUS ACONTE
£POCA DA MORTE DE !NT¤OCO ))) EMBORA CEU ANTES DA MORTE DE (ERODES O 'RANDE
#2/./,/')! $/ ./6/ 4%34!-%.4/ 

QUE SE DEU ANTES DE MARÀO OU ABRIL DO ANO ! $52!­ª/ $% 3%5 -).)34»2)/ %MBO
 A# ,UCAS   AlRMA QUE EXATAMENTE RA ALGUNS POUCOS ESTUDIOSOS DEFENDAM UM
ANTES DO NASCIMENTO DE *ESUS 1UIRINO MINIST£RIO DE UM OU DOIS ANOS DE *ESUS
ORDENOU UM RECENSEAMENTO EM )SRAEL EN MUITOS ACHAM QUE ELE TEVE UM MINIST£RIO
QUANTO ERA GOVERNADOR DA 3¤RIA ! DATA DO DE PELO MENOS TRäS ANOS / EVANGELHO DE
GOVERNO DE 1UIRINO £ DISCUT¤VEL !LGUNS *OâO REGISTRA TRäS CELEBRAÀµES ESPEC¤lCAS
CRäEM QUE 1UIRINO TENHA GOVERNADO A DA 0ÖSCOA DURANTE O PER¤ODO *O 
3¤RIA POR DUAS VEZES POR VOLTA DA £POCA DA   QUE RESULTARIAM EM PELO
MORTE DE (ERODES E UMA D£CADA MAIS TARDE MENOS DOIS ANOS DE MINIST£RIO .O
EM   D# ENTANTO PENSA SE QUE UM ANO DEVA SER
/UTRA NOTA CRONOL˜GICA £ O FATO DE QUE ACRESCENTADO ENTRE AS 0ÖSCOAS DE *O 
QUANDO (ERODES FOI ENGANADO PELOS MAGOS E  /S MOTIVOS PARA ESSE ANO A MAIS
QUE VISITARAM O MENINO *ESUS ORDENOU QUE SURGEM DE DUAS OBSERVA˵ES A RESPEITO DA
TODAS AS CRIANÀAS DE DOIS ANOS PARA BAIXO £POCA DE *OâO
FOSSEM MORTAS !LGUNS PENSAM QUE ESSE %M *O  *ESUS FALA DE QUATRO MESES
FATO INDICARIA QUE *ESUS HAVIA NASCIDO DOIS ANTES DA COLHEITA O QUE SIGNIlCARIA QUE ELE
ANTES DA ORDEM DE (ERODES O QUE NâO £ ESTAVA EM 3AMARIA EM TORNO DE JANEIRO E
NECESSARIAMENTE VERDADEIRO (ERODES QUE FEVEREIRO AP˜S A CELEBRAÀâO DA 0ÖSCOA DE
RIA APENAS CERTIlCAR SE DE QUE NâO PERDERIA *O  *OâO  TAMB£M MENCIONA UMA
A CHANCE DE MATAR *ESUS EM SEU MASSACRE hFESTAv %MBORA OS ESTUDIOSOS DIVIRJAM
EST¢PIDO !L£M DISSO ALGUNS TENTAM FAZER COM RELAÀâO Ü IDENTIlCAÀâO DESSA FESTA A
DA ESTRELA DO /RIENTE UMA CONJUNÀâO DE REFERäNCIA PROVÖVEL £ QUE SEJA A 0ÖSCOA OU A
VÖRIAS ESTRELAS .OVAMENTE O TEXTO FALA &ESTA DOS 4ABERNÖCULOS
A RESPEITO DE UMA ESTRELA QUE PARECIA !SSIM AP˜S A 0ÖSCOA DE *O  HÖ A
ESPECIAL PARA OS MAGOS 5M CONJUNÀâO DE REFERäNCIA A JANEIRO OU FEVEREIRO DE *O 
ESTRELAS NâO TERIA SIGNIlCADO O NASCIMENTO E UMA hFESTAv DE *O  » MAIS PROVÖVEL
DE UM REI DE ACORDO COM A ASTROLOGIA QUE ESTA SE RElRA Ü 0ÖSCOA OU Ü &ESTA DOS
DAQUELE DIA 4ABERNÖCULOS ANTES DA 0ÖSCOA DE *O 
#OMO CONCLUSâO PARECE QUE *ESUS NAS 3ENDO ASSIM HÖ UM INTERVALO DE DOIS
CEU ENTRE  E  A# COM A PROBABILIDADE ANOS ENTRE AS PÖSCOAS DE *O  E  E
DE TER SIDO NO INVERNO DE  A# POUCO DE UM ANO ENTRE AS PÖSCOAS DE *O  E
ANTES DA MORTE DE (ERODES  $ESSE MODO SE *ESUS COMEÀOU SEU
/ ).Ù#)/ $% 3%5 -).)34»2)/ ,UCAS   MINIST£RIO NO VERâO OU NO OUTONO DE  E
AlRMA QUE O MINIST£RIO DE *OâO "ATISTA INI SUA PRIMEIRA 0ÖSCOA £ A IDENTIlCADA COM O
CIOU SE NO D£CIMO QUINTO ANO DE 4IB£RIO ANO  E A ¢LTIMA COM O ANO  A DURAÀâO
#£SAR QUE COMEÀOU A REINAR EM AGOSTO DE DE SEU MINIST£RIO SERIA POR VOLTA DE  ANOS
 D# !SSIM O MINIST£RIO DE *OâO "ATISTA E MEIO
TERIA COMEÀADO EM TORNO DE  D# ! / MINIST£RIO DE *ESUS ANTES DA PRIMEIRA
PARTIR DAS NARRATIVAS DO EVANGELHO SOBRE 0ÖSCOA EM  TERIA INCLU¤DO A TENTAÀâO -T
*ESUS PARECE QUE O -ESTRE FOI BATIZADO E   -C   ,C   O CHAMADO
INICIOU SEU MINIST£RIO POUCO TEMPO DEPOIS DE SEUS PRIMEIROS DISC¤PULOS -T  
DE *OâO TER INICIADO SUA PREGAÀâO ,UCAS -C   *O   AS BODAS DE #ANÖ
 AlRMA QUE *ESUS TINHA hCERCAv DE *O   E A VIAGEM A #AFARNAUM *O
 ANOS QUANDO COMEÀOU SEU MINIST£RIO  POUCO ANTES DE IR A *ERUSAL£M PARA
3E *ESUS NASCEU NO INVERNO DE  A# E SUA PRIMEIRA 0ÖSCOA *O  
COMEÀOU SEU MINIST£RIO NO VERâO OU NO !P˜S ESSA 0ÖSCOA O MINIST£RIO DE *ESUS
OUTONO DE  D# ELE TINHA  ANOS CONCENTROU SE NA *UD£IA E EM *ERUSAL£M *O
 #2/./,/')! $/ ./6/ 4%34!-%.4/ #
   !P˜S A PRISâO DE *OâO "ATISTA *ESUS LOGIA DO PER¤ODO APOST˜LICO 2EFERäNCIAS
PASSOU PARA A 'ALIL£IA -T   -C A L¤DERES POL¤TICOS DURANTE ESSE PER¤ODO
  ,C   *O    #ONTINUOU AUXILIAM NO ESTABELECIMENTO DE DATAS
SEU MINIST£RIO NA 'ALIL£IA AT£ A EXECUÀâO $/ $)! $/ 0%.4%#/34%3 Ã 3%'5.$!
DE *OâO "ATISTA %MBORA A DATA DA DECA 6)3)4! $% 0!5,/ ! *%253!,»- /
PITAÀâO NâO SEJA ESPECIlCADA OCORREU NA 0ENTECOSTES QUE DEVE TER OCORRIDO EM 
MESMA £POCA DA PRIMEIRA MULTIPLICAÀâO DE MAIO DE  £ O PONTO INICIAL DA ERA
DOS PâES -T   -C   ,C  APOST˜LICA 0ARA ESTABELECER A DATA DA CON
 QUE ACONTECEU EM TORNO DA 0ÖSCOA DE VERSâO DE 0AULO ESTUDIOSOS DETERMINARAM
 *O   A £POCA DAS PRIMEIRAS DUAS VISITAS DE 0AULO
!P˜S ESSA FESTA *ESUS AFASTOU SE DO A *ERUSAL£M ! PRIMEIRA VISITA OCORREU TRäS
MINIST£RIO P¢BLICO PARA ESTAR COM SEUS ANOS AP˜S SUA CONVERSâO !T   'L
DISC¤PULOS /UTROS EVENTOS DURANTE O ¢LTIMO  QUANDO ESCAPOU DE $AMASCO SOB
ANO DE SEU MINIST£RIO INCLUEM SUA IDA Ü &E O DOM¤NIO DO REI !RETAS #O   
N¤CIA -T   -C   A SEGUNDA /S ROMANOS PERMITIRAM QUE !RETAS CON
MULTIPLICAÀâO DOS PâES -T   -C TROLASSE $AMASCO DE  AT£ SUA MORTE EM
  A CONlSSâO DE 0EDRO EM #ESAR£IA DE  $ESSE MODO A CONVERSâO DE 0AULO TERIA
&ILIPE -T   -C   ,C   OCORRIDO ENTRE  E 
E A TRANSlGURAÀâO -T   -C   ,C ! SEGUNDA VIAGEM DE 0AULO A *ERUSAL£M
   &INALMENTE *ESUS FOI A *ERUSAL£M DEU SE  ANOS AP˜S SUA CONVERSâO 'L
PARA SER CRUCIlCADO DURANTE A CELEBRAÀâO DA   QUANDO LEVOU AJUDA AOS CRISTâOS QUE
0ÖSCOA DE  *O   SOFRIAM COM A FOME !T    
! $!4! $% 35! -/24% 5MA VEZ QUE $E ACORDO COM O HISTORIADOR JUDEU *OSEFO
*ESUS FOI INTERROGADO POR 0ILATOS SUA MORTE (ELENA RAINHA DE !DIABENA EMBARCOU
OCORREU DURANTE SEU GOVERNO QUE DUROU DE lGOS DE #HIPRE E GRâOS DOS %GITO PROVAVEL
 A  !STRONOMICAMENTE A MORTE DE MENTE NO AUGE DA FOME   OU POUCO
*ESUS MELHOR SE ENCAIXA EM  OU  0OR TEMPO DEPOIS 0AULO LEVOU CONTRIBUI˵ES
CAUSA DA SITUAÀâO POL¤TICA DE OUTROS FATOS AP˜S O CARREGAMENTO DE (ELENA E TERIA IDO
QUE CERCARAM A VIDA DE *ESUS PARECE QUE O A *ERUSAL£M NUMA SEGUNDA OPORTUNIDADE
ANO  £ A MELHOR DATA PARA A CRUCIlCAÀâO POR VOLTA DE   %STIMANDO SE  ANOS
/ DIA DA SEMANA DE SUA CRUCIlCAÀâO TEM ENTRE SUA CONVERSâO E ESSA VISITA A CONVER
SIDO DEBATIDO .O ENTANTO PARECE MELHOR SâO DE 0AULO OCORREU EM  OU  EMBORA
CONSIDERÖ LO COMO SENDO A SEXTA FEIRA UMA PUDESSE TER SIDO DEPOIS UMA VEZ QUE OS
VEZ QUE SEU CORPO FOI SEPULTADO NA NOITE DO ANTIGOS COMPUTAVAM PER¤ODOS DE ANOS
hDIA DEPOIS DA PREPARAÀâOv TERMO T£CNICO COMO ANOS INTEIROS -UITO PROVAVELMENTE
PARA SEXTA FEIRA NO DIA ANTERIOR AO SÖBADO A CONVERSâO DE 0AULO TENHA SIDO POR VOLTA
-T   -C  ,C   *O DE  NO VERâO DAQUELE ANO
   0ORTANTO *ESUS FOI CRUCIlCADO /S EVENTOS DA PRIMEIRA PARTE DE !TOS
NUMA SEXTA FEIRA TRäS DE ABRIL DE  PODEM SER RESUMIDOS COMO SEGUE MINIST£
! #2/./,/')! $! %2! !0/34Ê,)#! /U RIO DE 0EDRO EM *ERUSAL£M   !T   
TRA IMPORTANTE TAREFA NOS ESTUDOS DO .OVO MART¤RIO DE %STEVâO NA PRIMAVERA DE 
4ESTAMENTO £ ELABORAR UMA CRONOLOGIA DOS !T    CONVERSâO DE 0AULO NO VERâO DE
FATOS ESSENCIAIS OCORRIDOS DURANTE O TEMPO  !T    0AULO EM $AMASCO E NA !RÖ
DE VIDA DOS AP˜STOLOS E DOS PRIMEIROS ANOS BIA   !T   'L    PRIMEIRA
DA IGREJA CRISTâ VISITA DE 0AULO A *ERUSAL£M E MINIST£RIO EM
/ LIVRO DE !TOS E AS EP¤STOLAS DO .OVO 4ARSO E 3¤RIA #IL¤CIA  !T   'L
4ESTAMENTO SERVEM DE BASE PARA A CRONO    MINIST£RIO DE 0EDRO AOS GENTIOS
#2/./,/')! $/ ./6/ 4%34!-%.4/ 

  !T    VIAGEM DE 0AULO E TER ESTADO EM #ORINTO DURANTE O GOVERNO
"ARNAB£ A !NTIOQUIA   !T    DE 'ÖLIO !P˜S SUA LONGA ESTADA EM #ORIN
PREDIÀâO DE ¬GABO QUANTO AO PER¤ODO DE TO 0AULO LEVOU 0RISCILA E ¬QÓILA PARA »FESO
FOME  !T    MART¤RIO DE 4IAGO E EM SEGUIDA FOI PARA *ERUSAL£M QUARTA
DURANTE A PERSEGUIÀâO DE !GRIPA )  !T VISITA VOLTANDO A !NTIOQUIA NO INVERNO
  SEGUNDA VISITA DE 0AULO A *ERUSAL£M E DE 
SEU RETORNO A !NTIOQUIA   !T  4%2#%)2! 6)!'%- -)33)/.¬2)! $%
 'L    0!5,/ A TERCEIRA VIAGEM MISSIONÖRIA DE
02)-%)2! 6)!'%- -)33)/.¬2)! $% 0AULO ACONTECEU ENTRE A PRIMAVERA DE 
0!5,/ EM SUA PRIMEIRA VIAGEM MISSIO E A PRIMAVERA DE  !T    0AR
NÖRIA !T   0AULO FOI DE !NTIOQUIA TINDO DE !NTIOQUIA ELE VISITOU AS IGREJAS
A #HIPRE QUANDO 3£RGIO 0AULO GOVERNAVA DA 'ALÖCIA CHEGANDO A »FESO EM TORNO DO
COMO PROC¹NSUL ANTES DE  E MUITO OUTONO DE  E PERMANECENDO LÖ AT£ A PRI
PROVAVELMENTE EM   %M SEGUIDA MAVERA DE  0OUCO ANTES DE SUA PARTIDA
0AULO FOI ÜS IGREJAS DA 'ALÖCIA NA ¬SIA DE »FESO 0AULO ESCREVEU #OR¤NTIOS %M
-ENOR E DEPOIS VOLTOU A !NTIOQUIA %SSA VIRTUDE DO TUMULTO DE »FESO PARTIU PARA
VIAGEM DUROU DESDE A PRIMAVERA DE  AT£ A -ACED¹NIA DE ONDE ESCREVEU #OR¤NTIOS
O OUTONO DE  !O RETORNAR A !NTIOQUIA OUTONO DE   6IAJOU PARA #ORINTO ONDE
0AULO ENCONTROU SE COM 0EDRO 'L   PASSOU O INVERNO EM  E ESCREVEU
E ESCREVEU A EP¤STOLA AOS GÖLATAS ! TERCEIRA 2OMANOS .A PRIMAVERA DE  REVISITOU
VISITA DE 0AULO A *ERUSAL£M NO OUTONO DE AS IGREJAS DA -ACED¹NIA FOI PARA -ILETO
 SERVIU PARA PARTICIPAR DO CONC¤LIO !T ENCONTRAR SE COM OS PRESB¤TEROS DE »FESO E
 AP˜S O QUAL ELE RETORNOU PASSANDO O SEGUIU PARA *ERUSAL£M QUINTA VISITA PARA
INVERNO EM !NTIOQUIA EM  A FESTA DE 0ENTECOSTES EM 
3%'5.$! 6)!'%- -)33)/.¬2)! $% 0!5,/ 02)3¡%3 $% 0!5,/ ENQUANTO ESTAVA
A SEGUNDA VIAGEM MISSIONÖRIA DE 0AULO EM *ERUSAL£M 0AULO FOI PRESO E LEVADO
COMEÀOU NA PRIMAVERA DE  E lNALIZOU SE PARA #ESAR£IA ONDE FOI INTERROGADO POR
NO OUTONO DE  !T    %LE &£LIX E PRESO POR DOIS ANOS EM   !T
VISITOU AS IGREJAS DA 'ALÖCIA E FOI PARA    %MBORA SEJA DISCUT¤VEL A £POCA
4R¹ADE #RUZANDO A %UROPA FUNDOU IGREJAS DA SUCESSâO DE &£LIX POR &ESTO £ PROVÖVEL
EM &ILIPOS 4ESSAL¹NICA E "ER£IA !GUARDOU QUE SUA SUCESSâO TENHA OCORRIDO NO VERâO
EM !TENAS POR 3ILAS E 4IM˜TEO E SEGUIU DE  0AULO FOI PRIMEIRAMENTE OUVIDO POR
PARA #ORINTO ONDE PERMANECEU POR UM &ESTO !T   E POUCO TEMPO DEPOIS
ANO E MEIO !T  DA PRIMAVERA DE  POR !GRIPA )) !T   %M SEGUIDA APELOU
AO OUTONO DE  0AULO ESCREVEU  E 4ES PARA #£SAR
SALONICENSES EM  ENQUANTO ESTAVA EM 0AULO FOI PARA 2OMA EM UMA VIAGEM
#ORINTO $UAS OBSERVAÀµES CRONOL˜GICAS ARRISCADA DE AGOSTO DE  A FEVEREIRO DE
MERECEM CONSIDERAÀâO  E lCOU PRESO DA PRIMAVERA DE  Ü PRI
0RIMEIRA ENQUANTO ESTAVA EM #ORINTO MAVERA DE  !T    %NQUANTO ESTAVA
0AULO CONHECEU 0RISCILA E ¬QÓILA OS QUAIS PRESO 0AULO ESCREVEU %F£SIOS #OLOSSENSES
HAVIAM FUGIDO DA )TÖLIA POR CAUSA DA &ILEMON E &ILIPENSES
PERSEGUIÀâO AOS JUDEUS EM  !T   ! CRONOLOGIA A PARTIR DESSE PONTO
$ESSE MODO 0AULO NâO PODERIA TER IDO A £ ESTIMADA A PARTIR DE INFERäNCIAS NAS
#ORINTO ANTES DE  3EGUNDA 0AULO FOI EP¤STOLAS DO .OVO 4ESTAMENTO E DE OUTRAS
INTERROGADO DIANTE DE 'ÖLIO !T   EVIDäNCIAS DA IGREJA PRIMITIVA » PROVÖVEL
QUE FOI PROC¹NSUL DA !CAIA DESDE O VERâO QUE 0AULO TENHA SIDO LIBERTADO DEPOIS DE
DE  AT£ O VERâO DE  !SSIM 0AULO DEVE lCAR PRESO POR DOIS ANOS EM 2OMA E TENHA
 #25#)&)#!£²/ $% #2)34/ #
SEGUIDO PARA »FESO E #OLOSSOS E ENTâO DA 'R£CIA CRUCIlCOU DOIS MIL HABITANTES
PARTIDO PARA A -ACED¹NIA .O OUTONO DE DE 4IRO QUANDO CAPTUROU A CIDADE -AIS
 4IAGO IRMâO DE *ESUS FOI MARTIRIZADO TARDE OS ROMANOS ADOTARAM ESSE M£TODO
DURANTE A £POCA DE ANARQUIA ENTRE A MORTE E O USARAM COM FREQÓäNCIA EM TODO O
DE &ESTO E A CHEGADA DE !LBINO 0ROVAVEL IMP£RIO ! CRUCIlCAÀâO ERA A FORMA DE
MENTE 0EDRO FOI PARA 2OMA NAQUELE ANO EXECUÀâO MAIS SEVERA DOS ROMANOS POR
ONDE PERMANECEU AT£ SEU MART¤RIO DURANTE ISSO RESERVAVA SE SOMENTE A ESCRAVOS E
A PERSEGUIÀâO DO IMPERADOR ROMANO .ERO CRIMINOSOS .ENHUM CIDADâO ROMANO
EM  %NQUANTO 0EDRO ESTAVA EM 2OMA O PODIA SER CRUCIlCADO
EVANGELHO DE -ARCOS DEVE TER SIDO ESCRITO ! CRUCIlCAÀâO ENVOLVIA PRENDER A
SOB A SUA ORIENTAÀâO !LI 0EDRO DEVE TER V¤TIMA COM PREGOS PELOS PULSOS OU COM
ESCRITO SUAS DUAS EP¤STOLAS TIRAS DE COURO A UMA VIGA HORIZONTAL PRESA
0AULO FOI PARA A ¬SIA -ENOR NA PRIMA A UM MADEIRO VERTICAL 0OR VEZES BLOCOS DE
VERA DE  E LÖ PERMANECEU AT£ A PRIMAVERA MADEIRA OU PEQUENAS ESTACAS ERAM COLO
DE  %M SEGUIDA FOI PARA A %SPANHA E LÖ CADOS NO MADEIRO PARA SERVIR DE ASSENTO ÜS
lCOU DA PRIMAVERA DE  Ü PRIMAVERA DE V¤TIMAS ENQUANTO PERMANECIAM SUSPENSAS
 0ARTINDO DA %SPANHA FOI PARA #RETA PELA VIGA /S P£S TAMB£M PODIAM SER
COM 4ITO E O DEIXOU ALI ENQUANTO SEGUIU PRESOS AO MADEIRO VERTICAL #OMO A V¤TIMA
PARA A ¬SIA -ENOR NO VERâOOUTONO DE  lCAVA PENDENTE PELOS BRAÀOS O SANGUE
%NQUANTO ESTAVA LÖ ESCREVEU A EP¤STOLA A NâO MAIS CIRCULARIA PELOS ˜RGâOS VITAIS
4ITO 0AULO PASSOU O INVERNO DE  3OMENTE QUANDO SE APOIASSEM NO ASSENTO
EM .IC˜POLIS 4T  AP˜S O QUAL FOI £ QUE PODIAM TER AL¤VIO
PARA A -ACED¹NIA E A 'R£CIA -AS FOI .O ENTANTO COM O IN¤CIO DA EXAUSTâO
DETIDO E LEVADO A 2OMA NO OUTONO DE  GRADUAL A MORTE ERA A CONSEQÓäNCIA NA
PELA SEGUNDA VEZ %NQUANTO ESTEVE PRESO TURAL EMBORA NORMALMENTE NâO LEVASSE
EM 2OMA ESCREVEU 4IM˜TEO 0AULO FOI MUITOS DIAS 3E OS CONDENADOS TIVESSEM
EXECUTADO POR VOLTA DA PRIMAVERA DE  SIDO MUITO ESPANCADOS NâO SOBREVIVIAM
#ERCA DE DOIS ANOS AP˜S A MORTE DE POR MUITO TEMPO 0ARA ACELERAR A MORTE
0AULO *ERUSAL£M FOI DESTRU¤DA .AQUELE OS EXECUTORES COSTUMAVAM QUEBRAR AS
TEMPO SOMENTE ALGUNS LIVROS DO .OVO PERNAS DAS V¤TIMAS COM UM CASSETETE !S
4ESTAMENTO AINDA NâO HAVIAM SIDO ESCRI SIM NâO SUPORTAVAM O PESO DO CORPO PARA
TOS » POSS¤VEL QUE O EVANGELHO DE *OâO MANTER A CIRCULAÀâO SANGÓ¤NEA E A MORTE
TENHA SIDO ESCRITO POR VOLTA DE  *UDAS ERA RÖPIDA %RA COMUM QUE OS CORPOS FOS
EM APROXIMADAMENTE  AS TRäS EP¤STOLAS SEM ABANDONADOS AT£ SE DECOMPOREM OU
DE *OâO EM TORNO DE   E !POCALIPSE SEREM ATACADOS POR ANIMAIS CARNICEIROS
EM CERCA DE   MARCANDO ASSIM O lM / SIN£DRIO JUDAICO BUSCOU E OBTEVE AU
DA ERA DOS AP˜STOLOS TORIZAÀâO ROMANA PARA CRUCIlCAR *ESUS -C
   #OMO DE COSTUME A ACUSAÀâO
#25#)&)#!£²/ $% #2)34/ M£TODO DE CONTRA *ESUS FOI AlXADA NA CRUZ FOI LHE
TORTURA E EXECUÀâO USADO PELOS ROMANOS OFERECIDA UMA BEBIDA FORTE PARA AMORTECER
PARA MATAR #RISTO %M UMA CRUCIlCAÀâO SEUS SENTIDOS MAS ELE A RECUSOU -C  
A V¤TIMA NORMALMENTE ERA CRAVADA OU .âO HOUVE NECESSIDADE DE OS SOLDADOS
PREGADA EM UMA ESTACA DE MADEIRA E LÖ QUEBRAREM SUAS PERNAS COM O OBJETIVO DE
PERMANECIA AT£ MORRER APRESSAR A MORTE 0ELA HORA NONA -C 
! CRUCIlCAÀâO ERA USADA POR MUITAS   PROVAVELMENTE ÜS  HORAS OU SEJA
NAÀµES DO MUNDO ANTIGO INCLUINDO !SS¤ EM APENAS SEIS HORAS *ESUS JÖ ESTAVA MORTO
RIA -£DIA E 0£RSIA !LEXANDRE O 'RANDE *O   / CORPO DE *ESUS NâO FOI
#25: 

ABANDONADO AT£ SE DETERIORAR OS DISC¤PULOS ESTACA COM PONTA DISPOSTA EM lLEIRAS PARA
CONSEGUIRAM OBTER PERMISSâO DE 0ILATOS FORMAR UMA CERCA DE PROTEÀâO
PARA DAR LHE UM SEPULTAMENTO APROPRIADO %RA COMUM NO PER¤ODO B¤BLICO EXIBIR
EM ESTACAS CORPOS DEGOLADOS DE PESSOAS
EXECUTADAS E EMPALADAS PARA DESENCORAJAR
A DESOBEDIäNCIA CIVIL E PARA ZOMBAR DE
ADVERSÖRIOS MILITARES DERROTADOS 'N
 3M    %SSA PRÖTICA REPULSIVA
PODE EXPLICAR COMO O MADEIRO VEIO A
SER USADO COMO INSTRUMENTO DE PUNIÀâO
CIVIL E MILITAR %STACAS DESSE TIPO ACABARAM
SENDO JUNTADAS A VIGAS HORIZONTAIS QUE SER
VIAM COMO INSTRUMENTOS DE HUMILHAÀâO
TORTURA E EXECUÀâO DE PESSOAS CONDENADAS
POR SEREM CONSIDERADAS INIMIGAS DO ESTADO
SOLDADOS ESTRANGEIROS REBELDES E ESPIAS
POR EXEMPLO OU CRIMINOSOS CIVIS TAIS
COMO LADRµES 
53/ ./ -5.$/ !.4)'/ .O PER¤ODO
DO !NTIGO 4ESTAMENTO NâO HÖ INDICAÀµES
DE QUE OS JUDEUS PRENDESSEM PESSOAS A
MADEIROS NEM IND¤CIOS DA CRUZ UTILIZADA
%STE DESENHO DE UM HOMEM CRUCIlCADO BASEIA SE
EM DESCOBERTAS ARQUEOLØGICAS DE UMA CAVERNA COMO MEIO DE EXECUÀâO ! LEI ORDENAVA
EM *ERUSALÏM ³ POSSÓVEL VER COMO OS PÏS FORAM A MORTE POR APEDREJAMENTO ,V 
PREGADOS JUNTOS COM UM CRAVO ABAIXO DO CALCANHAR
$ATADO DO PRIMEIRO SÏCULO DA ERA CRISTÎ
$T   -AS A LEI PERMITIA A EXIBIÀâO
P¢BLICA DE UM INFRATOR PENDURADO hNUM
! CRUZ TEM SIDO UMA DAS PRINCIPAIS MADEIROv $T  COM ORDEM ESTRITA
PEDRAS DE TROPEÀO NO CAMINHO DOS JUDEUS PARA QUE O CADÖVER NâO PERMANECESSE hNO
EVITANDO QUE GRANDE PARTE DESTES ACEITEM MADEIRO DURANTE A NOITEv MAS QUE FOSSE
*ESUS COMO O -%33)!3 / AP˜STOLO 0AULO ENTERRADO NO MESMO DIA $T  VEJA
RESUMIU A IMPORT½NCIA DA CRUCIlCAÀâO TAMB£M *O  
h-AS N˜S PREGAMOS A #RISTO CRUCIlCADO 0OR PIOR QUE PAREÀA ESSA PRÖTICA ATUAL
ESC½NDALO PARA OS JUDEUS LOUCURA PARA OS MENTE ELA DE FATO SEPARAVA )SRAEL DE OU
GENTIOS MAS PARA OS QUE FORAM CHAMADOS TRAS NAÀµES ! PRÖTICA DE DEGRADAÀâO MAIS
TANTO JUDEUS COMO GREGOS PREGAMOS A USADA POR TODO O MUNDO ANTIGO ERA DEIXAR
#RISTO PODER DE $EUS E SABEDORIA DE $EUSv QUE O CONDENADO DEGENERASSE EM P¢BLICO
#O    !PESAR DA DISFORMIDADE E ! EXPOSIÀâO DA PESSOA OU lCAR hPENDURA
AGONIA DA CRUZ $EUS CUMPRIU O MAIOR BEM DAv AP˜S A EXECUÀâO POR APEDREJAMENTO
DE TODOS A REDENÀâO DE PECADORES EM VIRTUDE DE VIOLAÀâO DA LEI DE )SRAEL ERA
6EJA TAMB£M #25: VISTA COMO MALDIÀâO DE $EUS $T  
)SSO AJUDA A EXPLICAR AS REFERäNCIAS A *ESUS
#25: MADEIRO OU COLUNA DE MADEIRA EM SENDO MORTO hPENDURADO NUM MADEIROv
POSIÀâO VERTICAL NO QUAL CONDENADOS ERAM !T   E Ü DECLARAÀâO DE QUE *ESUS
EXECUTADOS !NTES DE A MORTE DE *ESUS TER TORNOU SE hMALDITOv EM 'L  %MBORA
TORNADO A CRUZ UM S¤MBOLO DO PR˜PRIO CEN *ESUS TENHA MORRIDO DE MANEIRA DIFERENTE
TRO DA F£ CRISTâ A PALAVRA GREGA TRADUZIDA FOI PUBLICAMENTE EXPOSTO COMO MALFEITOR E
POR CRUZ REFERIA SE PRINCIPALMENTE A UMA INIMIGO DO ESTADO
 #25: #
%SCRITORES ANTIGOS NâO FALAM MUITO ASSIM COMO PELO HISTORIADOR JUDEU *OSEFO
A RESPEITO DE COMO A EXECUÀâO EM UM ANOS MAIS TARDE
MADEIRO OU CRUZ ERA FEITA .O ENTANTO .O IN¤CIO DA 2EP¢BLICA ROMANA A MORTE
ESCAVA˵ES DE ESCULTURAS COM DESTAQUES NA CRUZ HAVIA SIDO USADA PARA ESCRAVOS
MOSTRAM QUE OS ASS¤RIOS EXECUTAVAM REBELDES E BANDIDOS EMBORA OS CIDADâOS
SEUS INIMIGOS CAPTURADOS FORÀANDO OS A ROMANOS FOSSEM RARAMENTE SUJEITOS A ESSE
SE SENTAR SOBRE ESTACAS COM PONTAS 4AL M£TODO DE EXECUÀâO ! PRÖTICA CONTINUOU
CRUELDADE NâO SE TRATA DA CRUCIlCAÀâO NO PER¤ODO DO .OVO 4ESTAMENTO COMO
COMO SE ENTENDE ATUALMENTE MAS DA UMA DAS PUNIÀµES MÖXIMAS POR CRIMES
CHAMADA EMPALAÀâO MILITARES E POL¤TICOS TAIS COMO DESERÀâO
%STUDIOSOS NâO ESTâO CERTOS DE QUE UMA ESPIONAGEM REVELAÀâO DE SEGREDOS
VIGA HORIZONTAL ERA ACRESCENTADA AO MA REBELIâO E MOTIM !P˜S A CONVERSâO DO
DEIRO ! MENÀâO DE *EREMIAS DE PR¤NCIPES IMPERADOR #ONSTANTINO AO CRISTIANISMO
hPENDURADOS PELAS MâOSv ,M  4" A CRUZ TORNOU SE UM S¤MBOLO SAGRADO E
PELOS BABIL¹NIOS PODE REFERIR SE AO USO DA FOI ABOLIDA COMO MEIO DE TORTURA E MORTE
VIGA -AS NâO HÖ OUTRO MODO DE SABER SE O USADO PELOS ROMANOS
PROFETA FALA DE UM M£TODO DE EXECUÀâO OU -/24% .! #25: !QUELES QUE ESTAVAM
DE DESONRA DE CORPOS MORTOS EM BATALHA SENTENCIADOS A MORRER EM UMA CRUZ NO
/S HISTORIADORES GREGOS CLÖSSICOS (ER˜DOTO PER¤ODO ROMANO ERAM NORMALMENTE
E 4UC¤DIDES REFEREM SE AO MADEIRO OU CRUZ ESPANCADOS COM CHICOTES DE COURO PRO
COMO M£TODO DE EXECUÀâO DURANTE A £POCA CEDIMENTO QUE RESULTAVA GERALMENTE EM
DOS PERSAS -AS NâO lCA CLARO SE O CONDE GRANDE PERDA DE SANGUE %M SEGUIDA ERAM
NADO ERA AMARRADO CRAVADO COM PREGOS Ü FORÀADOS A CARREGAR A VIGA HORIZONTAL AT£ O
MADEIRA OU EMPALADO LOCAL DE EXECUÀâO ONDE A ESTACA VERTICAL JÖ
%SDRAS  PODE IMPLICAR QUE OS lCAVA POSICIONADA
PERSAS CONTINUARAM A USAR A EMPALAÀâO $EPOIS DE SEREM AMARRADOS COM CORDAS
COMO M£TODO DE EXECUÀâO !S REFERäN Ü VIGA AINDA NO CHâO OU EM CASOS RAROS
CIAS hPENDURADOS NUMA FORCAv EM %STER COM PREGOS NOS PULSOS A V¤TIMA NUA ERA
  REFEREM SE PROVAVELMENTE ENTâO IÀADA COM A VIGA CONTRA O MADEIRO
A EMPALAÀâO OU CRUCIlCAÀâO / hN˜ DO EM POSIÀâO VERTICAL 5M BLOCO OU PEQUENA
CARRASCOv NâO ERA COMUMENTE USADO ESTACA ERA POR VEZES PRESO AO MADEIRO
NA 0£RSIA DURANTE O PER¤ODO B¤BLICO ! COMO ASSENTO %M SEGUIDA OS P£S ERAM
PALAVRA TRADUZIDA POR hFORCAv PELA !2! AMARRADOS OU PREGADOS Ü ESTACA
REFERE SE NâO A UM PATAMAR PARA PEN 0ERTO DE *ERUSAL£M UMA DESCOBERTA RE
DURAR COM UMA CORDA MAS A UMA ESTACA CENTE QUE REVELOU OSSOS DE UM CONDENADO
PARA EMPALAÀâO Ü CRUCIlCAÀâO SUGERE QUE OS JOELHOS ESTA
! CRUCIlCAÀâO EM UMA ESTACA OU CRUZ VAM DOBRADOS LADO A LADO PARALELOS Ü VIGA
ERA PRATICADA PELOS GREGOS PRINCIPALMENTE HORIZONTAL E O PREGO ESTAVA CRAVADO PELAS
POR !LEXANDRE O 'RANDE QUE CRUCIlCOU LATERAIS DOS TORNOZELOS .ORMALMENTE
DUAS MIL PESSOAS QUANDO A CIDADE DE 4IRO MORTE POR ASlXIA OU ESGOTAMENTO SEGUIA SE
FOI DESTRU¤DA $URANTE O PER¤ODO ENTRE O SOMENTE DEPOIS DE UM LONGO PER¤ODO DE
CONTROLE GREGO E ROMANO DA 0ALESTINA O DOR AGONIZANTE
GOVERNANTE JUDEU !LEXANDRE *ANEUS CRUCI ! &/2-! $! #25: #OM O TEMPO A
lCOU  FARISEUS QUE SE OPUSERAM A ELE EM ESTACA SIMPLES COM PONTA PRIMEIRAMENTE
"ETOME .O ENTANTO TAIS EXECU˵ES FORAM USADA PARA EXECUˉO SOFREU MODIlCA˵ES
CONDENADAS COMO DETESTÖVEIS E ANORMAIS /S QUATRO MODELOS PRINCIPAIS RESULTANTES
POR PESSOAS RESPEITÖVEIS DA £POCA DE *ANEUS SâO  A CRUZ LATINA EM FORMA DE hTv
#5"% 

MIN¢SCULO NA QUAL £ PROVÖVEL QUE *ESUS #5,0! #5,0!$/ SER RESPONSÖVEL POR
TENHA MORRIDO POR NOSSOS PECADOS EM OFENSA OU DELITO ESTAR CIENTE DE TER FEITO
VIRTUDE DA PLACA COLOCADA ACIMA DE SUA ALGO ERRADO ,V  %D     %MBORA
CABEÀA -T    A CRUZ DE 3ANTO !N A PALAVRA hCULPAv NâO SEJA ESPECIlCAMENTE
T¹NIO QUE TINHA UMA VIGA HORIZONTAL NO USADA ALGUNS EXEMPLOS CLÖSSICOS DE CULPA
TOPO EM FORMA DE 4 MAI¢SCULO   A CRUZ NA "¤BLIA SâO O DE !DâO E %VA 'N  
DE 3ANTO !NDR£ QUE TINHA O FORMATO DE O DE #AIM 'N   E O DE $AVI 3M
UM 8  A CHAMADA CRUZ GREGA COM UMA  3L   5MA PALAVRA GREGA TRADUZIDA POR
VIGA HORIZONTAL NO CENTRO SEMELHANTE A hCULPADOv NO .OVO 4ESTAMENTO SIGNIlCA
UM SINAL DE ADIÀâO  hSUJEITO Ü JUSTIÀAv OU RESPONSÖVEL DIANTE DO
3)'.)&)#!$/ $! #25: /S AUTORES DOS JULGAMENTO E CONDENAÀâO DE $EUS 6EJA
EVANGELHOS DIZEM QUE O 3ENHOR *ESUS FALOU TAMB£M 0%#!$/
A RESPEITO DA CRUZ ANTES DE SUA MORTE -T
 -C  ,C  COMO S¤MBOLO #5,0! /&%24! 0%,! VEJA 3!#2)&Ù
DA NECESSIDADE DE UMA ENTREGA COMPLETA #)/3 
MESMO A MORTE DAQUELES QUE SERIAM
SEUS DISC¤PULOS .O ENTANTO O SIGNIlCADO #5,4/ !/ )-0%2!$/2 VEJA )-0%2!
PRINCIPAL DA CRUZ AP˜S A MORTE E RESSURREIÀâO $/2 #5,4/ !/ 
DE *ESUS £ O SEU USO COMO S¤MBOLO DA DISPO
SIÀâO DE *ESUS EM SOFRER POR NOSSOS PECADOS #5,4/ !/3 -/24/3 SUPERSTIÀâO
&L  (B  A lM DE QUE F¹SSEMOS RELIGIOSA NA QUAL OS VIVOS BUSCAM DEIlCAR
RECONCILIADOS #O  #L  COM $EUS OS ESP¤RITOS DE SEUS PARENTES MORTOS » PRO
E TIV£SSEMOS ACESSO Ü SUA PAZ %F   VÖVEL QUE O CULTO AOS ANCESTRAIS OCORRESSE
$ESSE MODO A CRUZ SIMBOLIZA A GL˜RIA ENTRE OS CANANEUS E OUTRAS NAÀµES PAGâS
DO EVANGELHO CRISTâO  #O   O FATO VIZINHAS DE )SRAEL PRINCIPALMENTE OS S¤RIOS
DE QUE ATRAV£S DESSE MEIO OFENSIVO DE 4ODAVIA NâO EXISTEM PROVAS CONCLUSIVAS
MORTE #O  'L  O hESCRITO DE DE QUE O CULTO AOS ANCESTRAIS OU CULTO AOS
D¤VIDA QUE ERA CONTRA N˜Sv FOI ENCRAVADO MORTOS TENHA SIDO ACRESCENTADO Ü RELIGIâO
NA CRUZ #L   TENDO SIDO hCRUCIlCADOS DE )SRAEL %MBORA HOUVESSE PROIBI˵ES CON
COM #RISTOv'L  FOMOS LIBERTOS DO TRA TAIS PRÖTICAS ,V  $T  
PECADO E DA MORTE E VIVEMOS PARA $EUS ESSAS ORDENANÀAS PROVAVELMENTE SERVIAM
2M    PARA ALERTAR )SRAEL A NâO REALIZAR O CULTO AOS
! CRUZ ASSIM £ O S¤MBOLO DO AMOR DE ANCESTRAIS E NâO COMO UMA ORDEM PARA QUE
*ESUS O PODER DE $EUS PARA SALVAR E O COM ABANDONASSE O RITUAL
PROMISSO GRATO E SEM RESERVAS DO CRENTE
AO DISCIPULADO CRISTâO 0ARA AQUELES QUE #5- CIDADE DA 3¤RIA DA QUAL $AVI EXTRAIU
CONHECEM A SALVAÀâO QUE #RISTO OBTEVE BRONZE #R  
A NOSSO FAVOR ATRAV£S DE SUA MORTE £ DE
FATO UMA CRUZ MARAVILHOSA 6EJA TAMB£M #5.%)&/2-% EM FORMA DE CUNHA
#25#)&)#!­ª/ $% #2)34/ SISTEMA DE ESCRITA DESENVOLVIDO ANTES DE
 A# NA -ESOPOT½MIA O BAIXO 4IGRE
#5"% POVO QUE SE ALIOU COM O %GITO E O VALE DO %UFRATES PROVAVELMENTE PELOS
CONTRA OS BABIL¹NIOS NA £POCA DE .ABU SUM£RIOS ADOTADO POSTERIORMENTE E MO
CODONOSOR %Z   -UITOS ESTUDIOSOS DIlCADO PELOS ACADIANOS HURRITAS HETEUS
ACREDITAM QUE #UBE SEJA UM ERRO TEXTUAL ELAMITAS PERSAS E CANANEUS DE 5GARITE
QUE DEVERIA CONSTAR COMO NA 3EPTUAGINTA /S SINAIS EM FORMA DE CUNHA DA ESCRITA
,UBE OU SEJA ,¤BIA CUNEIFORME ERAM ESCULPIDOS EM PEDRA E
 #52! #
METAL OU INSCRITOS COM UM INSTRUMENTO VOLVIA AS ELIMINA˵ES %MBORA NEM TODAS
PONTUDO EM PLACAS DE ARGILA %STAS ERAM AS ELIMINAÀµES F¤SICAS SEJAM INFECCIOSAS
CUNHADAS AINDA MACIAS E ¢MIDAS MAS SE TODAS ERAM TRATADAS COMO POTENCIALMENTE
TORNAVAM DURAS COMO PEDRAS DEPOIS DE CONTAGIOSAS 0OR EXEMPLO O CORRIMENTO £
SECAS AO SOL OU COZIDAS EM FORNO -ILHARES MENCIONADO COMO UMA POSS¤VEL CAUSA DE
DESSAS TABUINHAS FORAM DESCOBERTAS POR AR INFECÀâO ,V  mUXO !2! FATO QUE S˜
QUE˜LOGOS EM 2AS 3HAMRA ANTIGA 5GARITE FOI CONlRMADO NO S£CULO 
UM ASSENTAMENTO CANANEU  /UTRO BOM EXEMPLO DESSE PRINC¤PIO £ A
! INSCRIÀâO CUNEIFORME FOI ORIGINAL INSTRUÀâO DADA ACERCA DO DESCARTE DE FEZES
MENTE UMA FORMA DE ESCRITA PICTOGRÖlCA HUMANAS 5M LUGAR ERA RESERVADO FORA DO
MAS LOGO PASSOU A SER USADA PARA EXPRESSAR ACAMPAMENTO PARA ESSE PROP˜SITO / POVO
S¤LABAS E CONSOANTES 6ARIAÀµES DESSA HEBREU DEVERIA LEVAR CONSIGO UMA PÖ COM
ESCRITA FORAM DESENVOLVIDAS PELAS ESCRITAS A QUAL CAVARIA UM BURACO E COBRIRIA AS FEZES
UGAR¤TICA E PERSA ANTIGA 6EJA TAMB£M COM TERRA $T   PORRETE !2! 
%3#2)4! ()')%.% ! LEI DE -OIS£S EXIGIA QUE O
CORPO E AS VESTES DEVIAM SER LAVADAS AP˜S
#52! PROCESSO DE APLICAR T£CNICAS O CONTATO COM UM CADÖVER OU DOENTE !S
PREVENTIVAS E MEDICINAIS PARA MANTER REGULAMENTA˵ES A RESPEITO DO CONTATO
BOA SA¢DE /S HEBREUS COSTUMAVAM COM MORTOS ESPECIlCAVA UM PER¤ODO
PENSAR A RESPEITO DA SA¢DE BASICAMENTE DE IMPUREZA DE SETE DIAS $URANTE ESSE
EM TERMOS DE FORÀA F¤SICA E BEM ESTAR PER¤ODO A PESSOA ENVOLVIDA ERA ISOLADA DAS
! TERRA DA 0ALESTINA APARENTEMENTE OUTRAS E DEVIA REALIZAR DETERMINADAS A˵ES
FORNECIA UM AMBIENTE RELATIVAMENTE INCLUINDO BANHO DO CORPO E DAS VESTES
SAUDÖVEL COMPARADA AO %GITO E Ü -E .M   
SOPOT½MIA PROVAVELMENTE POR CAUSA 0%26%23ª/ 3%85!, !S LEIS RIGOROSAS
DE SUA LOCALIZAÀâO COMO TAMB£M DAS SOBRE A MORALIDADE SEXUAL ENTRE O POVO
DIVERSAS NORMAS E PRÖTICAS PRESCRITAS NA HEBREU TAMB£M PROMOVIAM A PREVENÀâO
LEI MOSAICA DE DOENÀA VEN£REA ! #)2#5.#)3ª/ NâO
2%'5,!-%.4!­ª/ !,)-%.4!2 -UITAS ERA APENAS UM RITUAL RELIGIOSO COMO
DAS LEIS SOBRE O CONSUMO DE ALIMENTOS TAMB£M UMA MEDIDA HIGIäNICA QUE REDUZIA
ESTâO INCLU¤DAS NOS PRIMEIROS CINCO LIVROS INFECÀâO E A DOENÀA
DO !NTIGO 4ESTAMENTO !S RESTRIÀµES QUE 2%-»$)/3 % -»$)#/3 /S HEBREUS TIVE
ENVOLVIAM CARNES BASEAVAM SE EM DOIS TESTES RAM ACESSO AOS PRIMEIROS MEDICAMENTOS
SIMPLES 3OMENTE ANIMAIS RUMINANTES E COM PROVAVELMENTE POR MEIO DOS EG¤PCIOS
CASCO COM FENDAS ERAM APROPRIADOS PARA ENQUANTO ERAM ESCRAVOS .OS TEMPOS
INGESTâO ,V  )STO SIGNIlCAVA QUE PORCOS B¤BLICOS OS MEDICAMENTOS ERAM FEITOS
E COELHOS ERAM INADEQUADOS ! MEDICINA DE MINERAIS SUBST½NCIAS ANIMAIS ERVAS
MODERNA TEM MOSTRADO QUE TAIS ANIMAIS VINHOS FRUTAS E OUTRAS PARTES DAS PLANTAS
ESTâO ESPECIALMENTE SUJEITOS A INFECÀµES COM ! "¤BLIA MENCIONA VÖRIOS EXEMPLOS DE
PARASITAS SOMENTE SâO ADEQUADOS SE FOREM REM£DIOS PRIMITIVOS NOTAVELMENTE O
BEM COZIDOS !SSIM A PROIBIÀâO AO CONSUMO hBÖLSAMO DE 'ILEADEv QUE SE TRATAVA DE
DE TAIS ANIMAIS ENTRE OS HEBREUS ERA UMA UMA PROVÖVEL SUBST½NCIA AROMÖTICA TIRADA
QUESTâO DE BENEF¤CIO Ü SA¢DE DE ALGUM TIPO DE ÖRVORE
2)45!)3 $IVERSOS RITUAIS ERAM OBSERVA 6INHO MISTURADO A MIRRA ERA USADO
DOS PELOS HEBREUS COM O OBJETIVO DE SEREM PARA ALIVIAR A DOR ENTORPECENDO OS SEN
MANTIDAS BOAS CONDIÀµES SANITÖRIAS PUREZA TIDOS %SSA MISTURA FOI OFERECIDA A *ESUS
CERIMONIAL E BOA SA¢DE 5MA DELAS EN QUANDO ELE ESTAVA NA CRUZ MAS ELE NâO
#52! $/- $% 

QUIS BEBä LA -C   !ZEITE DE OLIVA E A TERRA DE -IDIâ OU A UMA PESSOA TALVEZ
ERVAS ERAM NORMALMENTE USADOS PARA UNGIR TENHA RELAÀâO COM h#USâ 2ISATAIM REI DA
OS DOENTES /S PRIMEIROS CRISTâOS CONTINU -ESOPOT½MIAv *Z   
ARAM COM A PRÖTICA DE UNGIR OS DOENTES
ENQUANTO ORAVAM POR ELES 4G   #53² 2)3!4!)- #USâ DE DUPLA PERVERSI
! "¤BLIA REFERE SE AO TRABALHO DE M£DI DADE hREI DA -ESOPOT½MIAv QUE MANTEVE
COS 'N  #R  *R   .O .OVO )SRAEL SOB JUGO DE OITO ANOS AT£ SUA LIBERTA
4ESTAMENTO ,UCAS £ MENCIONADO COMO O ÀâO POR /TNIEL *Z   
hM£DICO AMADOv #L  
/ TRATAMENTO M£DICO NO MUNDO B¤BLICO #53!·!3 LEVITA DA FAM¤LIA DE -ERARI
COM FREQÓäNCIA INCLU¤A O USO DE -!')! #R  TAMB£M CHAMADO 1UISI #R
&%)4)­!2)! % !$)6).(!­ª/ 4AIS PRÖTICAS  
FORAM PROIBIDAS PELA LEI DE -OIS£S POIS
ERAM VISTAS COMO INCOMPAT¤VEIS COM A #53) NOME DE DOIS HOMENS DO !NTIGO
NATUREZA DO $EUS 4ODO 0ODEROSO 4ESTAMENTO
/ -).)34»2)/ $% *%353 / POVO DOS  !NCESTRAL DE *EUDI A QUEM OS L¤DERES
TEMPOS DO !NTIGO 4ESTAMENTO COSTUMA JUDEUS ENVIARAM PARA PEDIR A "ARUQUE
VAM PENSAR EM DOENÀA COMO PUNIÀâO QUE LESSE O ROLO DE *EREMIAS PARA ELES *R
PARA O PECADO %SSE CONCEITO £ EXPLORADO  
COMPLETAMENTE NO LIVRO DE *˜ -AS *ESUS  &ILHO DE 'EDALIAS E PAI DO PROFETA 3OFO
ESTAVA lRMEMENTE CONVENCIDO DE QUE O NIAS 3F   6EJA TAMB£M #58)4!
PROP˜SITO DO 0AI PARA A HUMANIDADE ERA A
SA¢DE A INTEGRIDADE E A SALVAÀâO %LE NâO #530)2 LANÀAR SALIVA PELA BOCA .A LEI DE
ENSINOU QUE AS DOENÀAS ERAM UMA PUNI -OIS£S A SALIVA DE PESSOAS COM DETERMI
ÀâO ENVIADA POR $EUS %NQUANTO SEMPRE NADAS DOENÀAS ERA TIDA COMO IMPUREZA ,C
ESTEVE PREOCUPADO COM A CURA DO CORPO   &ALTA DE CONTROLE DA PR˜PRIA SALIVA
TAMB£M DEU ESPECIAL ATENÀâO Ü MENTE E INDICAVA INSANIDADE 3M  
AO ESP¤RITO DE CADA SOFREDOR #USPIR NA FACE ERA GESTO DE DESPREZO
UM INSULTO INTENCIONAL .M  *˜
#52! $/- $% VEJA $/.3 %30)2)45!)3     )SA¤AS PROFETIZOU QUE NOSSO
3ENHOR SERIA HUMILHADO A ESSE PONTO
#522!, APRISCO OU ABRIGO PARA PROTEGER O QUE DE FATO ACONTECEU )S  -T
OVELHAS .M   5M CURRAL PERMA  -C   / PR˜PRIO *ESUS FALOU
NENTE ERA FECHADO POR MUROS DE PEDRA / A RESPEITO DE TAL HUMILHAÀâO -C 
!NTIGO 4ESTAMENTO DECLARA QUE O 3ENHOR ,C  
TIROU $AVI DO MEIO DAS OVELHAS PARA SER
O GOVERNANTE SOBRE O POVO DE )SRAEL #R #54! CIDADE SITUADA NO NORTE DA "ABI
  / .OVO 4ESTAMENTO DESCREVE *ESUS L¹NIA 1UANDO O REI DA !SS¤RIA CONQUISTOU
COMO O hBOM PASTORv QUE PROTEGE SUAS )SRAEL DEPORTOU AS DEZ TRIBOS DE )SRAEL E
OVELHAS *O    LEVOU COLONIZADORES DE #UTA OU #UTÖ
.4,( PARA SE FIXAREM EM 3AMARIA 2S
#524)$/2 VEJA 02/&)33¡%3 % /#50!   
­¡%3 
#58% NOME DE DOIS HOMENS E DE DOIS
#53² NOME MENCIONADO EM (C  » LUGARES NO !NTIGO 4ESTAMENTO
DIF¤CIL DIZER SE #USâ REFERE SE A UM LUGAR  4ERRA QUE lCAVA NA FRONTEIRA DO RIO
ALGUNS SUGEREM #UCHâ -ESOPOT½MIA OU 'IOM UM DOS QUATRO RIOS DO JARDIM
 #5:! #
DO »DEN 'N    6ISTO QUE O $EUS )S   3F   /UTROS TEX
4IGRE E O %UFRATES SâO MENCIONADOS TOS INDICAM NO ENTANTO QUE ALGUNS
ESSA TERRA DEVE TER PERTENCIDO Ü DE #UXE DARâO PRESENTES A $EUS E O
-ESOPOT½MIA OU lCAVA PERTO DE LÖ ADORARâO COMO REI 3L  )S 
#UXE ACEPÀâO ABAIXO £ A ORIGEM DO   3EU NOME GREGO ANTIGO ERA
NOME %TI˜PIA QUE NâO DEVE SER CONFUNDIDO
 &ILHO DE #AM E NETO DE .O£ 3EUS COM A MODERNA NAÀâO DA %TI˜PIA 6EJA
IRMâOS ESTABELECERAM SE NO %GITO E EM TAMB£M %4)Ê0)!
#ANAâ SEU FAMOSO lLHO .INRODE VIVEU
NA -ESOPOT½MIA 'N   #R  #58)4! NATURAL OU HABITANTE DE ANTIGA
 TAMB£M -Q   TERRA DE #58% $UAS PESSOAS NA "¤BLIA
 (OMEM DA TRIBO DE "ENJAMIM QUE FORAM CHAMADAS CUXITAS
ERA INIMIGO DE $AVI VEJA T¤TULO DE  %SPOSA DE -OIS£S .M   !LGUNS
3ALMOS   ESTUDIOSOS NO ENTANTO CRäEM QUE TAL
 4ERRA DO SUL DO %GITO TAMB£M CHAMA USO DO TERMO NâO NECESSARIAMENTE
DA .¢BIA QUE INCLUI PARTE DO 3UDâO SIGNIlQUE hDA %TI˜PIAv .4,(  PODE
#UXE COMEÀOU DO OUTRO LADO DE SE REFERIR A UMA PESSOA DO NORTE DA
3EVENE MODERNA !SWAN %Z   !RÖBIA
/ IMP£RIO PERSA DE !SSUERO 8ERXES  -ENSAGEIRO ENVIADO POR *OABE A $AVI
  A# ESTENDIA SE AT£ ESSE PARA DIZER LHE A RESPEITO DE SUA VIT˜RIA
PONTO hDESDE A ÙNDIA AT£ A %TI˜PIAv SOBRE !BSALâO 3M   ET¤OPE
%T    0EDRAS PRECIOSAS VINHAM !2! CUXITA !2# 
DE #UXE hO TOPÖZIO DA %TI˜PIAv *˜
  O POVO ERA ALTO E DE PELE MACIA #5:! PROCURADOR DE (ERODES !NTIPAS
)S   LUSTROSA .4,(  BRUNIDA E EVIDENTEMENTE UM HOMEM DE POSIÀâO
!2! QUE NâO PODIA SER MUDADA *R E BENS 3UA ESPOSA *OANA ERA UMA DAS
  /S PROFETAS DISSERAM QUE A TER MULHERES QUE hPRESTAVAM ASSISTäNCIA ;A
RA DISTANTE DE #UXE SERIA JULGADA POR *ESUS= COM OS SEUS BENSv ,C