Você está na página 1de 2

TÍTULO: O PROBLEMA DA LEITURA

AUTOR: MAURÍCIO BEZERRA

Estamos em pleno século XXI e vivemos então a maior revolução tecnológica


até nos dias atuais. Todo conhecimento adquirido está interligado em uma teia
chamada globalização, a informação chega a você dos quatro quantos do mundo. Isso
se refletiu também na educação, hoje no Brasil apesar de imaginarmos que as coisas
ocorrem a passos lentos a educação melhorou, ao menos em números.

Na última pesquisa do IBGE em 2015 a taxa de pessoas que não sabiam ler
e escrever chegou a 6,5, porém se levarmos em consideração os 200 milhões de
habitantes espalhados por todo território nacional o número ainda é exercitante. Com
tudo isso, numa outra pesquisa o país ainda fica devendo na questão da leitura. Em
pesquisa divulgada pelo Instituto Pró-Livro o número de não leitores ainda é muito
alto, cerca de 44% dos mais são lidos um pouco mais de 4,8 livros ao ano.

Isso acontece, por conta de alguns fatores externos. O plano educacional


brasileiro é até interessante, pede que a leitura seja realizada nas escolas, os livros
didáticos sugerem uma infinidade de livros extracurriculares para aluno ler, mas
mesmo assim parece impossível falar de leitura e pensarmos no Brasil. Na prática,
nos esbarramos em um sistema educacional do faz de conta, que aceita que
professores fujam do componente curricular deixando de ministrar conteúdos
importantes e exigindo atividades extracurriculares fora da escola, e alunos
desmotivados que nem se quer procuram sanar suas curiosidades com esses
professores. Há também um mal incentivo familiar, pais que não monitoram os seus
filhos, porque também não foram monitorados.

Paramos numa cadeia viciosa que devido a existência de um regime doente


não consegue ir além. Em 2015 tive a oportunidade de ministrar aulas de redação em
um cursinho pré-vestibular na minha cidade, dos 109 alunos matriculados na época
pouquíssimos conseguiam tirar da proposta de redação algum argumento que
pudessem se prender e desenvolver um texto, os outros se perdiam na falta de leitura
e não faziam mais que decodificar coisa vividas e discursos empregados.

As pesquisas apesar de animadoras elas ainda são preocupantes, porque se


a única solução viável é acabar de vez com esse sistema corrupto entre
administração, escola e família. A administração precisa cobrar um planejamento
verdadeiro e não mentiroso que muitos professores registram nas cadernetas, o aluno
precisa ser acolhido pela escola e incentivado fora de dentro dela a buscar
informações nos mais diversos periódicos e o último só será atingido quando nenhum
professor negligenciar aquilo que é obrigado a desenvolver, seu papel de educador e
orientador para que a sociedade se liberte desse vício e não mais trate a leitura como
um fardo e sim como um entretenimento para a vida toda.

FOTOGRAFIA:

Infográfico com essas informações:

44% da população não lê

30% nunca comprou um livro

56% Leitores

4,96 Livros por ano

0,94 Indicados pela escola

2,43 terminados

2,53 não foram terminados