Você está na página 1de 6

Universidade de Brasília

Faculdade de Ciências da Saúde

Departamento de Enfermagem

SEMINÁRIO: TEORIAS DE ENFERMAGEM

TEORISTA:
Madeleine Leininger

DISCIPLINA:
Contextualização da Enfermagem na Saúde (Código: 177245)

DOCENTE:
Professora Andréa Mathes Fautino
Professora Cristiane

COMPONENTES DO GRUPO:
Nilton Messias Ramos 15/0143257
Rochele Natasha Cotta 15/0147210
Suelen Alencar Soares 15/0148771
Vitor Jesus Cruz 15/0154712

BRASÍLIA – DF
2015

1
SUMÁRIO

DADOS BIOGRÁFICOS, TRAJETÓRIA ACADÊMICA E PROFISSIONAL................3

TEORIA TRANSCULTURAL.......................................................................................... 3
APLICABILIDADE DA TEORIA NA PRÁTICA DA ENFERMAGEM BRASILEIRA......5
REFERÊNCIAS...............................................................................................................6

2
BIOGRAFIA, TRAJETÓRIA ACADÊMICA E PROFISSIONAL DE
MADELEINE

Madeleine Leininger nasceu em Sutton, Nebraska, no dia 13 de julho em


1925. Frequentou a Sutton High School e em 1945 iniciou os seus estudos na
Cadet Nurse. No ano de 1948, recebeu o seu diploma em Enfermagem na St.
Anthony's School of Nursing em Denver, Colorado. Em 1954, concluiu o
mestrado em Enfermagem de Saúde Mental e Psiquiátrica na Catholic
University of America em Washington, DC. Fundou em 1910 a Enfermagem
Transcultural. Doutorou-se em Antropologia na University of Washington no
ano de 1965. Em 1968, fundou o Committe on Nursing and Antropology. Em
1974, fundou a Transcultural Nursing Society. Em 1978, fundou a National
Research Care Conferences, mais tarde a International Association of Human
Caring. Em 1989, criou o Journal Of transcultural Nursing. Em 1991, publicou a
teoria completa e discutida na obra: Culture Care Diversity and Universality: a
theory of Nursing. (MELO, 2010).Leininger permaneceu ligada à sua área de
estudo e, na totalidade, escreveu e editou mais de 27 livros, cerca de 200
artigos, inúmeros filmes e relatórios de investigação centrados na Enfermagem
Transcultural. Faleceu em 10 de agosto de 2012.

TEORIA TRANSCULTURAL
A teoria de Leininger foi desenvolvida a partir da Antropologia; porém,
reformulada para Enfermagem Transcultural com perspectivas de cuidado
humanizado. A teoria transcultural de Leininger enfatiza que há diversidades no
cuidado humano, com características que são identificáveis e que podem
explicar e justificar a necessidade do cuidado transcultural de enfermagem, de
forma que este se ajuste as crenças, valores e modos das culturas, para que
um cuidado benéfico e significativo possa ser oferecido. Os atos do cuidado
cultural que são congruentes com as crenças e valores do cliente são
considerados como sendo o conceito mais significativo, unificador e dominante
para se conhecer, compreender e prever o cuidado terapêutico popular. O
cuidado baseado culturalmente é o fator principal e significativo na afirmação

3
da Enfermagem como curso e como profissão, e no fornecimento e
manutenção da qualidade do cuidado de enfermagem prestado aos indivíduos,
famílias e aos grupos comunitários. Leininger declara "o cuidado como centro,
único e dominante foco característico da Enfermagem". O cuidado cultural,
ainda referendando a autora, significa “avaliação consciente e um esforço
deliberado para usar valores culturais, crenças, modo de vida de um indivíduo,
família ou grupo comunitário, para fornecer auxílio significativo para estas
necessidades de cuidado nos serviços de saúde”. Os pressupostos básicos da
enfermagem transcultural que desafiam a Enfermagem a descobrir em
profundidade o fenômeno do cuidado, segundo Leininger (1981), são: o
cuidado humano é um fenômeno universal, mas a expressão, o processo e o
modelo variam entre as culturas; cada situação de cuidado de enfermagem tem
comportamento no cuidado transcultural, necessidades e implicações; o ato e
processo de cuidar são essenciais para o desenvolvimento humano,
crescimento e sobrevivência; o cuidado poderá ser considerado a essência e
unificação intelectual e dimensão prática do profissional de enfermagem; o
cuidado tem dimensões biofísicas, psicológicas, culturais, sociais e ambientais,
as quais puderam ser estudadas, praticadas no sentido a prover cuidado
holístico para as pessoas; o comportamento de cuidado transcultural, formas e
processos tem ainda que ser verificado em diversas culturas, quando este
corpo de conhecimento é obtido, tendo potencial para revolucionar a prática
diária da enfermagem; para fornecer cuidado de enfermagem terapêutico, o
profissional de enfermagem poderá ter conhecimento de valores culturais,
crenças e práticas dos clientes; os comportamentos de cuidados e funções
variam de acordo com características da estrutura social de determinada
cultura; a identificação de comportamento universal e não universal, cuidado
popular e cuidado profissional, crenças e práticas, serão importantes para o
avanço do corpo de conhecimentos de Enfermagem; há diferenças entre a
essência e as características essenciais de cuidado e comportamentos de cura
e processos; não existe cura sem cuidado, mas pode existir cuidado sem cura.
Leininger propôs modelo que denominou Sunrise Model, simbolizado pelo
nascer do sol, no sentido de auxiliar a análise do significado do cuidado para
diversas culturas. Este modelo considera a operacionalização de teoria e
pesquisa e orienta o estudo da diversidade e universalidade do ato de cuidar.

4
Através dele o pesquisador determina a abrangência e a profundidade do
estudo. Combina teoria e método de pesquisa e distingue níveis de abstração e
análise, assim como a abordagem metodológica na geração de conhecimento
básico e aplicado.

APLICABILIDADE DA TEORIA NA PRÁTICA DA ENFERMAGEM


BRASILEIRA

Trazendo para o Brasil, o Sistema Único de Saúde (SUS) está fundamentado


em princípios e diretrizes que se aproximam de uma percepção mais integral
dos indivíduos. Está organizado em um modelo que oferece assistência à
saúde em três níveis de atenção: básica, secundária e terciária. Para atender
essa demanda na assistência à saúde, em todos os níveis, é necessária a
formação e contratação de profissionais de saúde capacitados, que tenham a
preocupação em prestar cuidado aos indivíduos e sua coletividade de forma
integral, não apenas dentro da perspectiva profissional oficial, voltada
exclusivamente para a manifestação biológica das doenças. Devem estar
associados às condições econômicas, sociais, culturais e de ambiente onde os
indivíduos e sua coletividade estão inseridos, pois os profissionais de saúde,
principalmente os enfermeiros que trabalham nesse sistema, se defrontam de
forma muito estreita com as características da população brasileira que é
miscigenada, caracterizada por pessoas de diferentes classes sociais,
religiões, origens étnicas e de gênero, apresentando uma diversidade cultural
que permeia as relações de saúde e doença, a adesão a tratamentos e
cuidados. Na prestação do cuidado à saúde, poucos profissionais, consideram
essas diferenças, pois a maioria deles não foi capacitada com tal visão. Assim,
prevalece a perspectiva profissional oficial, biologicista, em que o cuidado se
restringe aos aspectos fisiológicos, anatômicos e genéticos.

No que se refere especificamente aos estudos de Enfermagem relacionados


com o tema cultura, em 1985 Madeleine Leininger apresentou pela primeira vez
no Brasil a Teoria da Diversidade e Universalidade do Cuidado Cultural
(TUDCC). Despertou os estudiosos da Enfermagem brasileira para a

5
necessidade de buscar conhecimentos e estratégias para pensar a relação do
conceito de cultura e suas interfaces com a Enfermagem.

REFERÊNCIAS

ANTONINI, F. O. ; Mestrado em enfermagem área de conhecimento: filosofia,


cuidado em saúde e enfermagem. Disponível em:
https://repositorio.ufsc.br/bitstream/handle/123456789/103878/318002.pdf?seq
uence=1

LEININGER, M. (2001) - Culture Care Diversity and Universality: a theory of


Nursing. Boston: Jones and Barlett Pubs. XVI. 432 p. ISBN: 0-7637-1825-4
Disponível em : http://madeleine-leininger.webnode.com/madeleine-leininger/

MARISA, M. ; ASTRID, E. B. ; JOICE, C. G. ; TAISE, G. ; MARIALDA, M. ;


GISELE, C. M. ; Aplicações da teoria transcultural na prática da enfermagem a
partir de dissertações de mestrado. Disponível em:
http://www.scielo.br/pdf/tce/v19n2/02.pdf

MELO, Lucas Pereira de (2010) - A contemporaneidade da Teoria do Cuidado


Cultural de Madeleine Leininger: uma perspectiva geo-política. Ensaios e
Ciência: Ciências Biológicas, Agrárias e da Saúde. Universidade Anhanguera,
Brasil. ISSN 1415-6938. Vol. 14, nº 2. (2010). p. 20-32. Consultado em
25/09/2013. Disponível em http://www.redalyc.org/articulo.oa?id=26019017002

Você também pode gostar