Você está na página 1de 48

RAFAEL MONEO

FORMAÇÃO E TRABALHO
 José Rafael Moneo Vallés (Tudela, 9 de maio de 1937)
 1961: conclui o curso de arquitetura (Escola Técnica Superior de Arquitetura de
Madrid)
 1965: 1º Projeto – Fábrica Diestre em Zaragoza
 1966: Começa a lecionar e publicar artigos
 1969: Inicia o projetobUrumea
 1974: Projeta o Edf. de Escritório Bankinter junto com Ramón Bescós
 Passa a ter visibilidade internacional e começa a projetar seus projetos mais
importantes como a Estação de Trem Atocha, o Centro Cultural Kursaal, etc.
 Passa a ganhar diversos prêmios e honrarias até os dias de hoje
 Atualmente ainda leciona na Universidade de Havard e continua desenvolvendo
seus projetos e outros trabalhos.
PRÊMIOS
 1993 - Prêmio Arnold W. Brunner Memorial de Arquitetura da Academia
Americana de Artes e Letra
 1993 - Prêmio Príncipe de Viana do Governo de Navarra
 1996 - Prêmio Schock, outorgado por um comite da Real Academia Sueca de
Música.
 1996 – Prêmio Pritzker
 1996 - Medalha de Ouro da União Internacional de Arquitetos.
 2001 - Prêmio de Arquitetura Contemporânea Mies van der Rohe
 2003 - Medalha de Ouro do Royal Institute of British Architects (RIBA).
 2006 - Medalha de Ouro de Arquitetura (CSCAE).
OBRAS REPRESENTATIVAS
 Museu Nacional de Arte Romana (Mérida) (1980-85)
 Museu de Arte (Estocolmo) (1991-98)
 Biblioteca da Universidade de Aremberg (Lovaina, Bélgica) (1997-2002)
 Teatro (Basiléia, Suíça)
 Catedral de Nossa Senhora de Los Angeles (Los Angeles) (1996-2002)
 Hotel e escritórios Grand Hyatt (Berlim)
 Edifício Audrey Jones Beck, Museu de Arte (Houston) (1992-2000)
 Museu de Arte Moderna e Arquitetura (Estocolmo) (1991-98)
 Restaurante da Hospedería Real (Guadalupe, Espanha)
 Edifício Potsdamer Platz Hotel e Escritórios (Berlim)
 Prefeitura (Múrcia, Espanha) (1991-98)
 Palácio de Congressos e Auditorio Kursaal (San Sebastián, Espanha) (1990-99)
 Museu Thyssen-Bornemisza, Palácio de Villahermosa (Madrid)
 Auditório de Concertos (Barcelona) (1987-1999)
 Aeroporto San Pablo (Sevilha, Espanha) (1989-92)
OBRAS REPRESENTATIVAS
 Edifício L'Illa na Avenida Diagonal (Barcelona) (1986-93)
 Estação de Trem de Atocha (Madrid) (1985-88)
 Prefeitura de Logrono (Logrono, Espanha) (1973-81)
 Prefeitura de Amsterdão (Amsterdão)
 Arquivo Geral de Navarra (Pamplona)
 Centro de Arte e Natureza (Huesca)
 Hospital Infantil e Maternidade (Maternidad de O'Donnell), (Madrid) (1996-2003)
 Sede do Governo da Cantábria em Puertochico (Santander) (2007-?)
 Ampliação do Museu do Prado (Madrid) (2007)
 Museu da Ciência (Valladolid) (2001)
 Edifício da Previsión Española (Sevilha, Espanha) (1982-1987)
 Bodegas Julián Chivite, (Estella, Espanha) (1991-2002)
 Sede do Banco da Espanha (Jaén, Espanha) (1983-1988)
ESTAÇÃO DE TREM ATOCHA
MUSEU DE ARTE ROMANA
MUSEU DE ARTE ROMANA
MUSEU DE ARTE ROMANA

Vista interior do museu


CATEDRAL DE NOSSA SENHORA DOS ANJOS
AUDITÓRIO KURSAAL
PREFEITURA DE MÚRCIA
ÁLVARO SIZA VIEIRA

Álvaro Siza (nascido em 1933


em Matosinhos – Portugal)
estudou arquitetura na Escola de
Belas Artes no Porto (1949-1955),
trabalhou com o arquiteto
Fernando Távora. E é o mais
premiado arquiteto
contemporâneo português,
possivelmente, o maior que o país
já produziu. Seus trabalhos são
internacionalmente conhecido
pela sua coerência, clareza e que
Siza chama simplismo- uma
qualidade que reconhece a
complexidade e as contradições
de um projeto sem tentar impor o
controle artificial sobre elas.
A BOA NOVA CASA DE CHÁ - 1963

O Projeto representa a base da arquitetura de Siza com uma


relaçãoconvincentepara a natureza, o pequeno edifício cria uma transição da cidade para a
natureza, orientando os moradores urbanos para as rochas e mar. O acesso é através de um
passeio arquitetônico caracterizado por plataformas e escadas. O passeio cria uma relação
lúdica com a vista, escondendo o litoral e o horizonte em pontos e revelá-los em outros. Uma
alterna entre as rochas maciças do site e caminhos de pedra branca e lisa quando tomam este
passeio, sempre sendo lembrados da natureza.
FUNDAÇÃO IBERÊ CAMARGO - 2008

Localizado em Porto Alegre- RS, é uma entidade cultural, com o objetivo de conservar a obra do
pintor gaúcho Iberê Camargo.
A obra levou o arquiteto a vencer em, setembro de 2002, o Prêmio de Leão de Ouro, na Bienal da
Arquitetura de Veneza. Foi implantado entre um declive verde e uma movimentada avenida. Utilizou o
concreto branco aparente e armado e causou grande impacto na plasticidade do edifício o que foi
essencial para diferenciá-lo do verde que o cerca.
Localizado em Porto Alegre- RS, é uma entidade cultural, com o objetivo de conservar a obra do
pintor gaúcho Iberê Camargo
IGREJA DE SANTA MARIA - 1996

Criando uma pequena praça


urbana, a igreja Santa Maria e o
Centro Paroquial são propostos
como edifícios que reflitam a escala
preexistente da vizinhança. A forma
da Igreja, uma acrópole, (como se
trata de uma igreja) é implantada
dando as costas para a barulhenta
rua. A elevação do edifício está em
um platô de quatro metros de altura.
Para chegar à plataforma elevada da
igreja, os visitantes podem utilizar
uma rampa ao leste ou três
escadarias a oeste, com dois platôs
de chegada principais que se
relacionam com a disposição das
ruas na cidade.
CASA ARMANDA PASSOS - 2005

“Mais interiorizada do que exibicionista”


CASA ARMANDA PASSOS - 2005

 Planos horizontais e verticais


 Memórias de Jardim Zen e Sinais de Incêndio
CASA ARMANDA PASSOS - 2005

 Parte residência com


sala polivalente
interligadas por um
ÁTRIO;
CASA ARMANDA PASSOS - 2005

RESIDÊNCIA
CASA ARMANDA PASSOS - 2005

RESIDÊNCIA
CASA ARMANDA PASSOS - 2005

 Ateliê com luz do Norte;


 Inclinações no telhado – CHEIDE
CASA ARMANDA PASSOS - 2005
CASA ARMANDA PASSOS - 2005
PROGRAMA
 Pátio entre a sala polivalente;
 Residência para o poente;
 Pátio independente junto ao acesso automóvel;
 Espaço em frente a sala polivalente

Há portanto 3 espaços bem diferenciados.


CASA ARMANDA PASSOS - 2005
FLUXO

 Aproveitamento ao máximo do jardim, para não fazer uma


massa isolada.
 Existem três partes do programa muito claras na sua função,
duas interligadas e uma que podia ser independente, utilizou isso
para organizar os pátios.
 Há um pátio entre a sala polivalente e a residência para Poente;
 Há um outro junto ao acesso automóvel;
 Há um espaço à frente da sala polivalente, entre esta e um muro
de transição que fica entre a rua e a frente da casa.
CASA ARMANDA PASSOS - 2005
CASA ARMANDA PASSOS - 2005
TÉCNICAS CONSTRUTIVAS

 Palas para a proteger do sol e do calor e criar, também, uma transição entre o
interior e o exterior.

“As casas vizinhas têm todas dois pisos. Nesta, a parte mais
visível do lado da rua é só de um piso, embora seja mais alto que o normal. É
intencional, porque era possível articular os três volumes e,
portanto, criar pátios dos três lados. O volume com dois pisos e o volume mais elevado,
por causa dos ‘cheides’, estão para trás. O facto de
haver espaço livre à frente e dos dois lados permite colocar árvores e criar uma certa
intimidade nas zonas exteriores do lote. Sendo as casas vizinhas de dois pisos, se
esta assim o fosse, ficava com a sensação de ser estreita. Desta forma, é possível a
sensação de generosidade de espaço livre interior.”

Álvaro Siza
Em entrevista para revista Arquitetura & Construção
CASA ARMANDA PASSOS - 2005
CASA ARMANDA PASSOS - 2005

 Não sendo uma casa


demasiado envidraçada,
beneficia de
comunicação entre o
interior e o exterior nas
grandes aberturas que
enquadram esses
espaços exteriores.

 As palas rebatem e
criam sombra que se
desenha no chão, como
uma memória da
arquitetura. As calhas de
água marcam, também,
os limites das palas no
chão.
CASA ARMANDA PASSOS - 2005
MATERIAIS EMPREGADOS

 Betão armado
 Parede em tijolo rebocada
 Granito
 Gravilha
 Madeira pintada
 Telhado com uma cobertura plana em betão impermeabilizado e,
logo por cima, uma camada de 40cm de terra para poder ter o
relvado.
 Telhado revestido a zinco
CASA ARMANDA PASSOS - 2005
CARACTERÍSTICAS FORMAIS

 Traços arrojados;
 Integração com o meio ambiente (vidros e aberturas);
 Sistema de plataformas e escadas;
 Clareza das formas;
 Características Modernistas.
CASA ARMANDA PASSOS - 2005
HISTÓRICO DO PROJETO
 Casa Ateliê
 Proprietária: Armanda Passos
 Localizada na zona da Foz do
Porto em Portugal
 Data do projeto/conclusão:
2002-2005
 Aspectos principais: conforto
térmico, ligação com o
jardim, intimidade e
qualidade de luz.
CASA ARMANDA PASSOS - 2005
ENTORNO
 Entorno residencial;
 Presença de avenidas;
CASA ARMANDA PASSOS - 2005
SOLUÇÕES ADOTADAS - EXTERNO

 A casa é ligeiramente mais baixa


que as vizinhas;
 Espaço livre à frente;
 Sensação de generosidade de
espaço livre interior;
 Muros com alturas diferentes.
CASA ARMANDA PASSOS - 2005
SOLUÇÕES ADOTADAS - PÁTIOS

 Demolição da casa existente;


 Construção de três corpos, interligados e articulados
de forma a definir dois pátios com jardins, pontuados
pelas árvores existentes.
CASA ARMANDA PASSOS - 2005
SOLUÇÕES ADOTADAS - INTERIORES

 Uma parte de residência com sala polivalente, que tem


possibilidades de projeção a partir de um palco que se
eleva a cota variável.
 A residência e a sala polivalente estão interligadas por
um espaço de transição: um átrio.
 Depois, há o ateliê com luz do Norte.
CASA ARMANDA PASSOS - 2005
SOLUÇÕES ADOTADAS - INTERIORES

“O terreno não é grande e queria aproveitar


ao máximo o jardim, para não fazer uma massa isolada. Como
existiam três partes do programa muito
claras na sua função, duas interligadas e uma que podia
ser independente, utilizei isso para organizar os pátios.”

Álvaro Siza
Em entrevista para revista Arquitetura & Construção
CASA ARMANDA PASSOS - 2005
SOLUÇÕES ADOTADAS - INTERIORES
CASA ARMANDA PASSOS - 2005
SOLUÇÕES ADOTADAS - CONFORTO TÉRMICO

 O uso das palas para a proteger do sol e do calor e criam, também,


uma transição entre o interior e o exterior;
 Colocação de uma árvore de folha permanente e uma árvore
de folha caduca;
 Aproveitamento da sombra “vizinha”;
 Uso de Claraboia, Cheides e Estores;
CASA ARMANDA PASSOS - 2005
SOLUÇÕES ADOTADAS - MATERIAIS

 As paredes e a casca são em betão


armado;
 Uso de Gravilhas;
 Mármore e Granito em áreas de água;
 As esquadrias são de madeira e por
fora uma placa em alumínio que segura
o vidro;
 Os telhados são de terra e vegetação;
CASA ARMANDA PASSOS - 2005
AVALIAÇÃO DO SIGNIFICADO E IMPORTÂNCIA DA OBRA

“Pensada para ser vivida a todas as horas do dia”.

 Desafio do conforto térmico;


 Coerência do projeto;
 Relação com o entorno;
REFERÊNCIAS
 http://alvarosizavieira.com/
 http://ultimasreportagens.com/armandapassos/
 http://www.gop.pt/projectodetalhe.php?projecto=261&catProj=10&ord
em=11
 http://www.arcoweb.com.br/artigos/rafael-moneo-resisto-muitissimo-05-10-
2009.html
 pt.wikipedia.org/wiki/Rafael_Moneo
 http://www.infopedia.pt/$museu-de-arte-romana;jsessionid=W-
JAtcarF9+i191GkYsCkg__
 http://pt.wikipedia.org/wiki/%C3%81lvaro_Siza_Vieira
 http://abduzeedo.com.br/dia-do-arquiteto-alvaro-siza
 http://alvarosizavieira.com/1994-casa-vieira-de-castro
 http://maisarquitetura.com.br/interiores-da-casa-fez-por-alvaro-leite-siza-vieira
 http://www.galinsky.com/buildings/boanova/index.htm
 http://www.thecoolhunter.net/article/detail/1812/casa-fez--portugal
 http://www.archdaily.com/355077/ad-classics-boa-nova-tea-house-alvaro-siza/