Você está na página 1de 2

mbalagens.

Ao receber uma partida de embalagens vazias, o encarregado da unidade de


recebimento deverá adotar os seguintes procedimentos: Inspeção: No momento da entrega na
unidade de recebimento, o encarregado deverá inspecionar as embalagens da seguinte forma:
• Laváveis (embalagens rígidas plásticas, metálicas e de vidro), inspecionar visualmente uma a
uma quanto à lavagem adequada. Separar as embalagens não lavadas adequadamente. • Não
laváveis (rígidas, embalagem para tratamento de sementes, e secundárias, caixas coletivas de
papelão), inspecionar uma a uma para verificar a existência de contaminação aparente e
armazenar as embalagens contaminadas em área segregada na Unidade; • Flexíveis (sacos ou
saquinhos plásticos, de papel, metalizados, mistos ou de outro material flexível). Deve-se
guardar dentro das embalagens de resgate (disponíveis nos locais de compra do produto) com
a etiqueta devidamente preenchida pelo agricultor. As fotografias 3 e 4 mostram as
embalagens recebidas em uma central de recebimento. 108 Fotografia 3 – Embalagens vazias
de agrotóxicos recebidas em pequenas quantidades no posto da Associação dos Revendedores
de Insumos Agrícolas da Região de Anápolis – ARIARA, Anápolis - GO. Autor: José Luís Said
Cometti Data da foto: 2008 Fotografia 4 – Embalagens vazias de agrotóxicos recebidas em
grandes quantidades e aguardando inspeção no posto da Associação dos Revendedores de
Insumos Agrícolas da Região de Anápolis – ARIARA, Anápolis - GO. Autor: José Luís Said
Cometti Data da foto: 2008 109 O agricultor receberá um comprovante de recebimento/recibo
onde constarão as quantidades e tipos de embalagens recebidas. A quantidade e condições
das embalagens entregues em desacordo com a legislação deverão ser anotadas no verso do
recibo. De acordo com a legislação, o agricultor poderá ser penalizado por não fazer a tríplice
lavagem ou lavagem sob pressão corretamente. Uma cópia do documento deverá permanecer
na Unidade de Recebimento. Preparação: Nos postos de recebimento, as embalagens lavadas
são separadas das não lavadas e simplesmente arrumadas, preferencialmente separando-as
por matéria-prima (plástico, metal, vidro ou caixas coletivas de papelão), para posterior
transferência para uma central de recebimento. Nas centrais de recebimento, as embalagens
recebidas, depois de devidamente selecionadas e separadas por matéria-prima (PEAD, COEX,
PET, metal, vidro ou caixas coletivas de papelão), são prensadas para a redução de volume e
fardadas para viabilizar o seu transporte. As embalagens de vidro são trituradas e
armazenadas em tambores metálicos. As tampas são separadas das embalagens e
armazenadas em big bags, como mostrado na Fotografia 5. Fotografia 5 – Tampas segregadas
na Central de Recebimento da Associação dos Revendedores dos Produtos Agropecuários do
Nordeste – Arpan, Carpina - PE. Autor: José Luís Said Cometti Data da foto: 2009 110
Armazenagem: O local de armazenamento precisa estar ao abrigo das intempéries, ser
ventilado, com acesso restrito e ter piso pavimentado: armazenar as embalagens não lavadas
separadas das lavadas, em local segregado; e identificar o local com placas de advertência. O
terreno deve ser preferencialmente plano, não sujeito à inundação, e possuir sistemas de
controle de águas pluviais e de erosão do solo. As fotografias 5 e 6 mostram o armazenamento
das embalagens lavadas e enfardadas e das contaminadas em big-bags em uma central de
recebimento. Fotografia 6 – Armazenamento de embalagens plásticas lavadas e enfardadas na
Associação dos Revendedores dos Produtos Agropecuários do Nordeste – Arpan, Carpina - PE.
Autor: José Luís Said Cometti Data da foto: 2009 111 Fotografia 7 – Armazenamento de
embalagens contaminadas em big-bags na Associação dos Revendedores dos Produtos
Agropecuários do Nordeste – Arpan, Carpina - PE. Autor: José Luís Said Cometti Data da foto:
2009 Transporte: Durante o transporte das embalagens pelo agricultor fica proibido o
transporte de agrotóxicos dentro das cabines de veículos automotores ou dentro de
carrocerias quando esta transportar pessoas, animais, alimentos, rações, etc. As embalagens
que foram devidamente tríplice-lavadas não são consideradas resíduos perigosos para fins de
transporte pelo usuário. O transporte de agrotóxicos e embalagens vazias contaminadas,
acima da quantidade permitida pelos órgãos competentes, exige que o motorista seja
profissional e tenha curso para transporte de produtos perigosos. Quando ocorrer o transporte
de pequenas quantidades de agrotóxicos, o veículo recomendado é do tipo caminhonete, onde
os produtos devem estar, preferencialmente, cobertos por lona impermeável e presos à
carroceria do veículo (INPEV, 2005). 112 Fotografia 8 – Carregamento para o transporte de
embalagens plásticas para reciclagem na Associação dos Revendedores dos Produtos
Agropecuários do Nordeste – Arpan, Carpina - PE. Autor: José Luís Said Cometti Data da foto:
2009 De acordo com a recomendação do Inpev (2005), “uma caixa fechada pode ser usada
para separar pequenas quantidades de produtos fitossanitários, quando misturados com outro
tipo de carga.” O acondicionamento dos agrotóxicos deve ser feito de forma a não ultrapassar
o limite máximo da altura da carroceria. Todo motorista, ao transportar qualquer quantidade
de agrotóxicos, deve ser treinado e levar consigo as instruções para casos de acidentes,
contidas na ficha de emergência do produto. Durante o transporte do posto de recebimento
para a central de recebimento, deverá ocorrer um agendamento prévio com o Inpev,
responsável pela retirada e pelo frete. O posto de recebimento deve solicitar big bag de 1.000
litros para armazenar as embalagens contaminadas e de 2.000 litros para o transporte de
embalagens lavadas até as centrais. No transporte da unidade central de recebimento para o
destinatário final, o transporte dos fardos de embalagens plásticas e metálicas e dos tambores
contendo o vidro moído deve ser previamente agendado com o Inpev. Segundo a Luft Agro
(2009), o Brasil tem hoje um número significativo de caminhões circulando por todo o país
com esse tipo de carga: são mais de 6.100 ordens de retirada de embalagens vazias ao ano,
uma média de 20 retiradas de carga ao dia. Os caminhões utilizados são trucks com capacidade
para até 14,5 mil quilos. Quando as embalagens não estão compactadas, é possível colocar no
veículo apenas 1,5 mil quilos, contra algo em torno de 7,5 mil a 8,5 mil quilos daquelas
prensadas.