Você está na página 1de 21

MÓDULO I: Conjuntos (aula 1)

Conjunto

Intuitivamente, conjunto é uma lista, coleção ou classe de coisas, que podem ser
números, pessoas, letras, objetos.

Então, dizemos que:

Conjunto é uma coleção de elementos que têm uma característica comum, uma
propriedade que os distingue.

Conjunto Finito

Conjunto finito é todo conjunto em que, contando os elementos, um a um, chega-


se ao fim da contagem.

Exemplo:

Conjunto das vogais do alfabeto; elementos: a, e, i, o, u

Conjunto Infinito

Conjunto infinito é todo conjunto em que é impossível chegar ao fim da contagem.

Exemplo:

Conjunto dos números naturais ímpares; elementos: 1, 3, 5, 7, 9, 11,...

Notação dos Conjuntos

Os conjuntos são designados por letras maiúsculas do nosso alfabeto e podem ser
representados por uma das seguintes formas:

• Nomeando seus elementos entre chaves e separados por vírgulas:

B = {a, e, i, o, u}
• Atribuindo uma característica comum a todos os seus elementos:

B = {x | x é uma vogal}

P á g i n a |1
• Através de linhas simples, fechadas, conhecidas como Diagramas de Venn:

Simbologia dos Conjuntos

Significado: Significado:
A, B, C, ... indicam conjuntos ∣ tal que

a, b, c, ... indicam elementos ∀ para todo, qualquer que seja

∃ existe n(A) número de elementos do


conjunto A
∄ não existe

Relação de Pertinência

Relação estabelecida somente entre elemento e conjunto.

Símbolo: ∈ (pertence). Notação: a ∈ B

Símbolo: ∉ (não pertence). Notação: c ∉ B

Exemplo:

Dado o conjunto A = {a, b, c, d}, podemos afirmar que:

a ∈ A, b ∈ A, g ∉ A, m ∉ A

Relação de Inclusão

Dados dois conjuntos, A e B, dizemos que A está contido em B, ou que A é


subconjunto de B se, e somente se, todo elemento do conjunto A também é
elemento de B.

P á g i n a |2
Símbolo: ⊂ (está contido). Notação: A ⊂ B

Símbolo: ⊄ (não está contido). Notação: A ⊄ B

Exemplos:

Se A = {1, 2, 3} e B = {1, 2, 3, 4, 5}, então A ⊂ B, já que todo elemento de A


também é elemento de B. Neste caso, A é subconjunto de B.
Se A ⊂ B, então, B ⊃ A (lê-se: B contém A).
Do mesmo modo, se A ⊄ B, então B ⊅ A (lê-se: B não contém A).
Ainda sobre a relação de inclusão, temos algumas observações importantes:

• Se A ⊂ B e B ⊂ A, então A = B.

• Se A não é subconjunto de B, isto é, se A ⊄ B, deve haver pelo menos um


elemento de A que não é elemento de B.

• Um conjunto vazio é considerado subconjunto de qualquer conjunto.

Tipos de Conjuntos

Conjunto vazio: não possui elementos. É representado por { } ou ∅ .

Exemplo:

F = {x | 0 × x = 2}
F = { } ou F = ∅
Conjunto unitário: todo conjunto formado por um único elemento.

Exemplo:

V = {x | x é número natural par e primo}


V = {2}
Conjunto universo: conjunto formado por todos os elementos com os quais
estamos trabalhando num determinado momento. Símbolo: U.

Fixado o universo U, todos os elementos pertencem a U, e todos os demais conjuntos


trabalhados são partes de U.

Exemplo:

Resolva a equação x + 5 = 2, sendo U = ℕ.


A raiz da equação é x = − 3, mas como U = ℕ a equação não tem solução.

P á g i n a |3
Conjunto das Partes

É o conjunto formado por todos os subconjuntos de A. Indica-se por P(A).

Exemplo:

Dado A = {1,3}, temos:


P(A) = { ∅ , {1}, {3}, {1, 3}}
Se o conjunto A tem k elementos, então P(A) tem 2k elementos:

n(P(A)) = 2k = 2² = 4
Observações:

• Para qualquer conjunto A, o conjunto vazio e o próprio conjunto A são seus


subconjuntos. Em outras palavras: o conjunto vazio é subconjunto de qualquer
conjunto. Além disso, todo conjunto é subconjunto de si mesmo.

• Excepcionalmente, na relação entre P(A) e seus elementos, utilizamos os


símbolos de pertinência (∈, ∉). Assim, se {1} é elemento de P(A), escrevemos {1}
∈ P(A).

Fique atento!

• Não repetimos elementos em um conjunto.

• Dois conjuntos que apresentam os mesmos elementos, em qualquer ordem, são


iguais. Assim, a ordem em que os elementos aparecem no conjunto é irrelevante.

P á g i n a |4
EXERCÍCIOS

Sequência A

• 1. Lembrando que pertinência é uma relação entre elemento e conjunto, e que inclusão
relaciona conjunto e conjunto, indique se as relações abaixo são verdadeiras (V) ou
falsas (F).

V F V F
a) 2 ∈ {0, 1, 2, 3} i) 5 ∈ {-1, 0, 1}
b) 5 ∈ {5} j) {2, 3} Ì {0, 1, 2, 3, 4}
c) 0 ∈ {1, 2, 3} k) 0 ∈ { }
d) 0 Ï {-2, -1, 0,1} l) 0 = ∅
e) 0 Ï ∅ m) {1, 3, 5}  {5, 3, 1}
f) {2, 3} ∈ {0, 1, 2, 3, 4} n) ∅ Ì {0}
g) {0, 5} Ë {0, 1, 3, 5} o) ∅ Ì {1, 2, 3}
h) {1, 2} Ì {0, 2, 4} p) ∅ ∈ {1, 2, 3}

• 2. Considere U o conjunto das letras do alfabeto, A o conjunto das letras da palavra idade
e B o conjunto das letras da palavra universidade, escreva usando os símbolos
apropriados:

a) A é subconjunto de B c) B não é subconjunto de A

b) B é subconjunto de U d) A é subconjunto de U

• 3. Sejam x e y números tais que os conjuntos {0, 7, 1} e {x, y, 1} são iguais. Então,
podemos afirmar que x + y  …

• 4. Dados os conjuntos A = {0, 1}, B = {0, 2, 3} e C = {0, 1, 2, 3}, pode-se afirmar que C É A
e que C É B? Justifique.

• 5. A sentença 3 Ì {3, {3}} é verdadeira ou falsa? Por quê?

• 6. Represente o conjunto dos números pares compreendidos entre 16 e 21, escrevendo


seus elementos entre chaves.

• 7. Represente por uma propriedade de seus elementos, o conjunto A  {5, 7, 11, 13, 17,
19, 23}.

• 8. Sendo A o conjunto cujos elementos são 2, 3 e 4, determine P(A).

P á g i n a |5
Sequência B

• 1. Considere os conjuntos A, B e C e indique se as afirmações apresentadas na tabela


são verdadeiras (V) ou falsas (F):

A = { x | x é número par maior que 10 }

B = { x | x é número ímpar compreendido entre 2 e 4 }

C = { x | x é número natural menor que 8 }

V F V F
a) A = {12, 14, 16, 18, ...} e) 0 ∉ C
b) 3 ∈ B f) B é conjunto vazio
c) 10 ∈ C g) 0 ∉ A
d) B é conjunto unitário h) A = {1, 2, 3, 4, 5, 6, 7}

• 2. Considere os conjuntos não vazios A, B e C representados pelos diagramas abaixo e


indique se as afirmações apresentadas na tabela são verdadeiras (V) ou falsas (F):

(diagrama 1) V F (diagrama 2) V F
AÌB AÌB
CÌB AÌC
BÌA CÌB
A⊄C BÌC

• 3. Posso afirmar que o conjunto com os elementos 2 e 3 pertence ao conjunto cujos


elementos são 1, 2 e 3? Justifique sua resposta.

• 4. É correto dizer que o conjunto vazio pertence ao conjunto cujos elementos são 1, 2 e
3? Por quê?

• 5. Se um conjunto A possui 128 subconjuntos, então qual é o número de elementos do


conjunto A?

P á g i n a |6
MÓDULO I: Conjuntos (aula 2)

Operações com Conjuntos

Conjunto União

Conjunto união é o conjunto formado por todos os elementos do conjunto A ou do


conjunto B. Indica-se por: A ∪ B (lê-se: “A união B”).

Simbolicamente, temos:

A ∪ B = {x | x ∈ A ou x ∈ B}
Exemplo:

Se A = {1, 2, 5} e B = {1, 3, 4}, então A ∪ B = {1, 2, 3, 4, 5}.

Representações de A ∪ B:

A representação do conjunto união através do Diagrama de Venn facilita o entendimento


desta operação. Em cada modelo, a parte pintada representa a união dos elementos de A
com B. Note que x é elemento de “A ∪ B” nas seguintes condições:

A e B possuem alguns A e B não possuem nenhum


B é subconjunto de A. A é subconjunto de B.
elementos em comum. elemento comum.

Conjunto Interseção

É o conjunto formado por todos os elementos comuns ao conjunto A e ao conjunto


B, ou seja, formado por todos os elementos que pertencem simultaneamente aos
conjuntos A e B. Indica-se por: A ∩ B (lê-se:“A interseção B”).

Simbolicamente, temos:

A ∩ B = {x | x ∈ A e x ∈ B}
Exemplo:

Se A = {1, 2, 5} e B = {1, 3, 4}, então A ∩ B = {1}.

P á g i n a |7
Ainda sobre a operação de interseção, temos a seguinte definição:

Conjuntos Disjuntos

Se A ∩ B = ∅, então os conjuntos A e B são chamados disjuntos.

Exemplo:

Se A = {1, 7} e B = {2, 5, 8}, temos que A ∩ B = ∅. Assim, A e B são chamados


conjuntos disjuntos.

Representações de A ∩ B

Através do Diagrama de Venn, também podemos observar as condições em que o


elemento x pertence à interseção dos conjuntos A e B. Em cada modelo, a parte pintada
representa esta interseção. Veja:

A e B possuem alguns
B é subconjunto de A. A é subconjunto de B. Os conjuntos são disjuntos.
elementos em comum.

Conjunto Diferença

É o conjunto formado pelos elementos que pertencem ao conjunto A e não


pertencem ao conjunto B. Indica-se por: A – B (lê-se: “A menos B”).

Simbolicamente, temos:

A − B = {x | x ∈ A e x ∉ B}
Exemplo:

Se A = {1, 2, 5} e B = {1, 3, 4}, então A − B = {2, 5}.

P á g i n a |8
Representações de A – B

Veja as condições do conjunto diferença através do Diagrama de Venn:

A e B possuem alguns
B é subconjunto de A. A e B são conjuntos disjuntos.
elementos em comum.

Conjunto Complementar

Se A e B são conjuntos tais que A ⊂ B (Lê-se: A está contido em B), chamamos de


complementar de A em relação a B, o conjunto formado pelos elementos que pertencem
ao conjunto B e não pertencem ao conjunto A.

Indica-se por: CBA = B – A (lê-se: complementar de A em relação a B que é igual a B – A).


Quando quisermos o complementar de A em U, podemos usar uma das seguintes
notações: A' = Ā = C A = CUA

Exemplo:

Se A = {1, 2, 3} e B = {1, 2, 3, 4, 5}, então CBA = B – A = {4, 5}.

Fique atento!

O complementar de um conjunto é representado por uma diferença (operação que


vimos anteriormente), em que um conjunto está contido em outro.

Representações de CBA :

Veja a representação do conjunto complementar através do Diagrama de Venn:

O conjunto complementar de A em relação a B é formado pelos elementos do


conjunto B que não pertencem ao conjunto A, ou seja, B – A.

P á g i n a |9
Número de elementos da união de conjuntos

Sendo n(A) o número de elementos do conjunto A e n(B) o número de elementos do


conjunto B, temos:

n(A ∪ B) = n(A) + n(B) – n(A ∩ B)


Fique atento!

• Ao subtrairmos os elementos comuns (A interseção B), evitamos que eles


sejam contados duas vezes.

• Se A e B forem disjuntos, temos n(A ∪ B) = n(A) + n(B).

Exemplos:

1) Sendo A = {1, 2, 5} e B = {1, 3, 4}, temos:

n(A) = 3, n(B) = 3
(A ∩ B) = {1} → n(A ∩ B) = 1
n(A ∪ B) = n(A) + n(B) – n(A ∩ B)
n(A ∪ B) = 3 + 3 – 1 = 5
De fato, temos: (A ∪ B) = {1, 2, 3, 4, 5} → n(A ∪ B) = 5

2) Uma prova com duas questões A e B foi dada a uma classe de 40 alunos. Dez alunos
acertaram as duas questões, 25 acertaram a primeira questão e 20 acertaram a segunda
questão. Quantos alunos erraram as duas questões?

n(A ∪ B) = n(A) + n(B) – n(A ∩ B)


n(A ∪ B) = 25 + 20 – 10 = 35
40 – 35 = 5
Portanto, cinco alunos erraram as duas questões.

P á g i n a | 10
EXERCÍCIOS

Sequência A

• 1. Dados os conjuntos A = {1, 2, 3, 4, 5}, B = {2, 4, 6} e C = {3, 4}, determine:

a) A ∩ B b) A ∩ C

c) B ∩ C d) A ∪ C

• 2. Considere os conjuntos A = {-1, 0, 1, 2}, B = {-1, 1} e C = {0, 1, 2}. Determine:

a) B ∩ C b) A ∪ C

c) B ∩ C - A d) A ∩ B ∩ C

• 3. Considerando A = {x | x = 2y + 1, y ∈ ℕ} e B = {x | x = y + 3, y ∈ ℕ}, verifique se A Ì B


ou B Ì A.

• 4. Determine o conjunto D(30) ∩ D(60), onde D(n) é o conjunto dos divisores de n.

• 5. Sendo A = {a, c, e, g} e B = {a, e}, determine o conjunto (A ∩ B) – (A – B).

• 6. Sendo A = {2, 3, 4, 5} e B = {1, 4, 6, 7}, determine o conjunto (A ∩ B) ∪ (B – A).

• 7. Verifique se a afirmação a seguir é verdadeira ou falsa e justifique:

“Se A Ë B e B = {10, 23, 12, {1, 2}}, então o conjunto A pode ser A = {1}”.

• 8. Sejam os conjuntos numéricos A = {2, 4, 8, 12, 14}, B = {5, 10, 15, 20, 25} e o conjunto
C = {1, 2, 3, 18, 20}. Determine [(A – B) ∩ C] ∪ [(A ∩ B) – C].

• 9. Se A = {9, 10, 11, 12}, B = {10, 12, 13, {11}} e C = {11, 12, 13, 14}, determine o conjunto
A ∩ B – [C ∩ (B ∩ A)].

• 10. Dado o diagrama abaixo, determine A – B.

P á g i n a | 11
• 11. Dado o diagrama abaixo, determine o complementar de A em relação a B.

• 12. Se A é um conjunto com 5 elementos, B é um conjunto com 9 elementos e a


interseção de A e B tem 3 elementos, quantos elementos tem A ∪ B?

• 13. Sabe-se que um conjunto A tem 24 elementos e que um conjunto B tem 13


elementos. Uma vez que os elementos simultaneamente pertencentes a A e B são 9,
calcule o número de elementos de A ∪ B.

• 14. Sendo n(A ∪ B) = 38, n(A ∩ B) = 12 e n(B) = 15, Calcule n(A).

• 15. Verificou-se que em uma cidade existem dois jornais A e B os quais têm juntos 7200
assinantes. É certo que o jornal A tem 3200 assinantes. Existem 1500 pessoas que
assinam os dois jornais. Quantas pessoas assinam o jornal B?

Sequência B

• 1. Dados os conjuntos A = {0, 1, 2, 3}, B = {0, 2} e C = {x | x é número par menor que 10},
D = {x | x é número ímpar compreendido entre 0 e 6} determine:

a) A ∩ B b) A ∩ D c) B ∩ D d) A ∩ C

e) B ∩ C f) C ∩ D g) (A ∩ B) ∩ C h) (A ∩ D) ∩ B

• 2. Complete: “se um conjunto A tem 3 elementos e um conjunto B tem 5 elementos, então


A ∩ B tem no máximo _____ elementos”.

• 4. Sendo A o conjunto dos divisores naturais de 18 e B o conjunto dos divisores naturais


de 30, complete:

(a) A =

(b) B =

(c) A ∩ B =

(d) o maior divisor comum de 18 e 30 é _____ .

• 5. Sabendo que um conjunto A tem 4 elementos, um conjunto B tem 3 elementos e um


conjunto C tem 6 elementos, quantos elementos, no máximo, podem ter os conjuntos:

P á g i n a | 12
(a) A ∩ B (b) A ∩ C (c) B ∩ C

• 6. Complete: “se A e B são disjuntos, A tem 4 elementos e B tem 3 elementos, então A ∩


B certamente tem ____ elementos”.

• 7. Sendo A = {0, 1, {2}}, B = {0, {1}, 2, {2}} e C = {{0}, {1}, 2}, determine:

(a) A ∪ B (b) A ∪ C (c) B ∪ C

• 8. Sabendo que um conjunto A tem 4 elementos, um conjunto B tem 3 elementos e um


conjunto C tem 6 elementos, quantos elementos, no mínimo, poderão ter os conjuntos:

(a) A ∪ B (b) A ∪ C (c) B ∪ C

• 9. Se um conjunto A tem a elementos e um conjunto B tem b elementos, quantos


elementos terá A ∪ B se A e B são disjuntos?

• 10. Nas figuras abaixo, hachure (destaque com traços) as operações indicadas:

A ∪ (B ∩ C) (A ∩ B) ∪ C (A ∩ B) ∪ (A ∩ C)

• 11. Numa pesquisa verificou-se que 100 pessoas liam o jornal A, 150 liam o jornal B e 20
liam os dois jornais. Quantas pessoas foram consultadas?

• 12. Sabendo que n(A ∪ B) = n(A) + n(B) – n(A ∩ B), descubra o valor de n(A ∪ B) ∪ C.

• 13. Numa pesquisa de mercado sobre a preferência por três marcas de café C, D e F
montou-se a seguinte tabela:

marcas C D F CeD DeF CeF C, D e F nenhum


Nº de usuários 100 150 200 20 40 30 10 130

Pergunta-se:

(a) Quantas pessoas foram consultadas?

(b) Quantas preferem a marca C ou D?

(c) Quantas consomem apenas uma marca?

P á g i n a | 13
• 14. Na Escola de Educação estudam 630 alunos, sendo que 350 estudam Matemática,
210 estudam Pedagogia e 160 alunos não estudam nem Matemática nem Pedagogia

• 15. Sabendo que n(A) = 47, n(B) = 30 e n(A ∪ B) = 60, determine:

(a) n(A ∩ B) (b) n(A – B) (c) n(B – A)

• 16. Sejam A, B e C conjuntos finitos. Sabe-se que n(A ∩ B ∩ C) = 8, n(A ∩ B) = 15, n(A ∩
C) = 20, n(B ∩ C) = 24, n(C) = 50, n(B) = 60 e n(A ∪ B ∪ C) = 129. Determine:

(a) n(A) (b) n(B – A) (c) n(C – A)

(d) n(A – B) (e) n(A ∩ B) – C (f) n(A ∪ C)

• 17. Os conjuntos A e B são ambos finitos e subconjuntos de U. Sabe-se que n(A) = 30,
n(B) = 36, n(U) = 68 e n(A ∪ B) = 50. Determine:

(a) n(A ∩ B) (b) n(CUA) (c) n(B') (d) n(B ∩ Ā)

P á g i n a | 14
MÓDULO I: Conjuntos (aula 3)

Conjuntos Numéricos

Quando comparamos uma grandeza (ou seja, tudo o que pode ser contado ou medido) e
uma unidade, obtemos um número.

Se a grandeza é discreta, a comparação é uma contagem e o resultado um número


natural.

Exemplo:

A contagem do número de livros de uma coleção.


Se a grandeza é contínua, a comparação é uma medição e o resultado é um número real.

Exemplo:

A medição, em quilômetros, da distância entre duas cidades.


Apresentamos a seguir alguns conjuntos numéricos.

Conjunto dos Números Naturais (ℕ)

Esse conjunto foi o primeiro sistema de números desenvolvido e usado primitivamente


para contagem.

ℕ = {0, 1, 2, 3, 4, 5, 6, 7, 8, 9, 10, 11,...}

Sucessor de n: n + 1

Sempre podemos obter o sucessor de um número natural, por isso dizemos que este
conjunto é infinito e indicamos tal fato pelas reticências.

Subconjuntos de ℕ

Temos que A é subconjunto de B se, e somente se, todo elemento do conjunto A também
é elemento de B.

ℕ* Conjunto dos números naturais não nulos.

ℕ* = {1, 2, 3, 4, 5, …}. Note que ℕ* = ℕ − {0}

P á g i n a | 15
Fique atento!

O conjunto dos números naturais admite a propriedade do fechamento para a


adição e a multiplicação, ou seja, a soma e o produto de dois números naturais
sempre é um número natural. No entanto, a subtração e a divisão entre dois
números naturais nem sempre é um número natural, como em 2 – 5 = – 3 e 1 : 2 =
0,5. Assim surgiu a necessidade de novos conjuntos numéricos.

Conjunto dos Números Inteiros (ℤ)

Esse conjunto é formado por todos os números inteiros negativos, o zero e os inteiros
positivos.

ℤ = {, −3, −2, −1, 0, 1, 2, 3, 4, }

Subconjuntos de ℤ

• Conjunto dos números inteiros não nulos

ℤ* = {, −3, −2, −1, 1, 2, 3, 4,}. Note que ℤ* = ℤ − {0}

• Conjunto dos números inteiros não negativos

ℤ+ = {0, 1, 2, 3, 4,}. Note que ℤ+ = ℕ

• Conjunto dos números inteiros positivos

ℤ*+ = {1, 2, 3, 4,}

• Conjunto dos números inteiros não positivos

ℤ- = {, −3, −2, −1, 0}

• Conjunto dos números inteiros negativos

ℤ*- = {..., −3,−2, −1}

Fique atento!

No conjunto dos números inteiros, a soma, o produto e a diferença de dois números


inteiros sempre resultam em um número inteiro. No entanto, o quociente de dois
números inteiros nem sempre é um número inteiro, como no exemplo 1 : 2 = 0,5.

P á g i n a | 16
Conjunto dos Números Racionais (ℚ)

Um número x é racional quando pode ser escrito na forma a / b sendo a e b


números inteiros e b diferente de zero. Em símbolos:

{ a
ℚ= x∣x= , a∈ℤ , b∈ℤ e b≠0
b }
Elementos de ℚ

Números inteiros:

a a 2 −5 0
Se b = 1, temos = =0 . Exemplos: =2 ; =−5 ; =0
b 1 1 1 1

Também podemos escrever os números inteiros 2 e –5 através de outras frações


equivalentes: 2 = 10/5; -5 = -15/3.

Números decimais:

Os números racionais também podem ser escritos na forma decimal: 0,25; -3,4; 0,333...,
sendo sempre possível passar de uma representação a outra.

6 154
0,6 = ; −1,54 =
10 100

A técnica prática para transformar um número decimal em fração é escrever o


número sem a vírgula no numerador e o denominador como uma potência de 10,
de acordo com o número de casas decimais, ou seja, uma casa decimal (10 1 =
10),duas casas decimais (10² = 100), três casas decimais (10³ = 1000) e assim por
diante.

Por outro lado, para representar a fração 3/8, por exemplo, em forma decimal,
basta efetuar a divisão aproximada de 3 por 8.

Dízimas Periódicas Simples:

São aquelas que têm a repetição de um valor logo após a vírgula.

3 1
0,333... = =
9 3

Transformamos em fração, dentre outras técnicas, escrevendo o valor que se repete


(chamado período) no numerador e tantos algarismos 9 no denominador de acordo com a
quantidade de algarismos do período.

P á g i n a | 17
Dízimas Periódicas Compostas:

são aquelas que, entre a vírgula e o período (valor que se repete) possuem pelo
menos um algarismo.

21−2 19
−0,21111... = − = −
90 90

Para obtermos o numerador escrevemos o número formado pela parte não periódica com
a parte periódica, menos a parte não periódica. No denominador devemos escrever tantos
9 de acordo com o número de algarismos do período, e tantos zeros de acordo com a
quantidade de algarismos do não período.

Subconjuntos de ℚ

• ℚ* Conjunto dos números racionais não nulos: ℚ* = { x ∈ ℚ | x ≠ 0}

• ℚ+ Conjunto dos números racionais não negativos: ℚ+ = { x ∈ ℚ | x  0}

• ℚ*+ Conjunto dos números racionais positivos: ℚ*+ = { x ∈ ℚ | x  0}

• ℚ- Conjunto dos números racionais não positivos: ℚ- = { x ∈ ℚ | x  0}

• ℚ*- Conjunto dos números racionais negativos: ℚ*- = { x ∈ ℚ | x  0}

Fique atento!

Entre dois números racionais sempre existe um número racional.

Exemplo: entre 0,4 e 0,5 podemos encontrar infinitos números racionais como 0,41;
0,423; 0,483.

Conjunto dos Números Irracionais

Existem certos números que não podem ser escritos na forma a/b com a ∈ ℤ e b ≠
0. São os chamados números irracionais, cuja representação decimal é infinita,
mas não periódica.

Exemplos:

0,123456...
2  1, 4142135...

-4, 34562...

P á g i n a | 18
π; √3 4 ; √12 ; √6 15

O número p (pi) é um irracional bastante conhecido que vale aproximadamente 3,14.


Outros irracionais que se destacam são as raízes em que o resultado não é um número
3
inteiro: √ 5; √10 ;

Fique atento!

A soma ou diferença de um racional e um irracional é sempre irracional.


O produto e o quociente de um racional não nulo por um irracional é sempre
irracional.
O quociente de um irracional por um racional não nulo é sempre irracional.

Conjunto dos Números Reais (ℝ)

Da união do conjunto dos números racionais com o conjunto dos números


irracionais, obtemos o conjunto dos números reais.

ℝ = {x | x ∈ ℚ ou x é irracional}

2
Exemplos: 3; −4,6; ; 0,12345...
5

Subconjuntos de ℝ

• ℝ* Conjunto dos números reais não nulos: ℝ* = { x ∈ ℝ | x ≠ 0}

• ℝ+ Conjunto dos números reais não negativos: ℝ+ = { x ∈ ℝ | x  0}

• ℝ*+ Conjunto dos números reais positivos: ℝ*+ = { x ∈ ℝ | x  0}

• ℝ- Conjunto dos números reais não positivos: ℝ- = { x ∈ ℝ | x  0}

• ℝ*- Conjunto dos números reais negativos: ℝ*-= { x ∈ ℝ | x  0}

Fique atento!

Se um número real é racional, ele não é irracional. E se é irracional, ele não é


racional.

P á g i n a | 19
EXERCÍCIOS

Sequência A

• 1. Dados A = {x ∊ ℕ | 1 < x < 4} e B = {x ∊ ℕ | 2 < x < 20}, determine A ∩ B.

• 2. Sendo ℚ o conjunto dos números racionais e ℝ o conjunto dos números reais, a


sentença (ℚ ∩ ℝ) Ì ℚ é verdadeira ou falsa?

• 3. Determine o conjunto resultante de ℝ ∩ ℚ ∩ ℤ ∩ ℕ.

• 4. Dados os conjuntos A = {x ∈ ℤ | -3  x  5} e B = {x ∈ ℤ | x  0},


determine (B – A) ∩ B.

• 5. Dados os conjuntos A = {x ∈ ℤ | x  0} e B = {x ∈ ℤ | -3  x  4} e
C = {x ∈ ℤ | -2  x  3}, determine [(B – C) ∩ (A – B)] ∪ A .

• 6. Dados os conjuntos
A = { x ∈ ℕ | x é ímpar e menor do que 11}, B = { x ∈ ℤ | –3  x  4} e
C = {x ∈ ℤ | x  6}. Determine (A – B) – C.

• 7. Encontre o número decimal resultante da fração 4/3.

• 8. Encontre a fração geratriz da dízima periódica 1,434343 .

• 9. Encontre a fração geratriz de cada dízima periódica e resolva a expressão


0,212121 + 0,2333 .

• 10. A sentença ℤ ∩ ℕ = { } é verdadeira ou falsa? Por quê?

Sequência B

• 1. Diga se as sentenças abaixo são verdadeiras ou falsas e explique:

(a) p ∈ ℚ (b) -1/2 ∈ ℤ- (c) 0 ∈ ℚ*

(d) -4/5 ∈ ℝ (e) √5 ∈ℕ (f) √3 ∈ ℝ*+

• 2. Escreva na forma decimal:

(a) 9/5 (b) -7/4 (c) 2/3 (d) 2/45

P á g i n a | 20
• 3. Escreva os números racionais seguintes, na forma fracionária irredutível:

2
(a) 0,075 (b) 3 (c) 1,6 (d) 2,4141
5

• 4. Indique quais das afirmações abaixo são verdadeiras:

(a) ℕ É ℤ (b) ℚ Ì ℝ (c) ℕ Ì ℤ Ì ℚ Ì ℝ (d) ℕ ∪ ℤ = ℕ

(e) ℤ ∪ ℤ+ = ℤ- (f) ℝ É ℝ+ (g) ℝ ∪ ℝ+ = ℝ (h) ℝ ∩ ℝ- = ℝ-

• 5. Compare os números e escreva-os na ordem crescente:

−4 3
(a) , 0, −2, 1,
3 2

1 15
(b) π , 3, −2 , −
3 2

9 1
(c) −√3 , − , √2,
5 2

• 6. Escreva, usando a linguagem simbólica:

(a) 3 é positivo. (b) -0,5 é negativo. (c) 1 está entre -0,75 e 3.

• 7. Determine as frações que geram as seguintes dízimas periódicas:

(a) 0,451451451 (b) 0,3121212 (c) 1,24444

• 8. Determine a fração geratriz dos números decimais periódicos:

(a) 121,434343 (b) 0,3727272 (c) 0,99999

355
• 9. Quais os 6 primeiros algarismos na representação decimal de ?
113

• 10. Sabendo que a > b > 0, indique se as afirmativas abaixo são verdadeiras ou
falsas:

(a) a + b > 0 (b) a – b > 0

(c) a . b > 0 (d) a – b < 0

(e) a/b > 0

P á g i n a |1