Você está na página 1de 7

.

ESTADO DA PARAÍBA
SECRETÁRIA DE EDUCAÇÃO E CULTURA
ESCOLA ESTADUAL DE ENSINO FUNDAMENTAL E MÉDIO
INTEGRAL ALMIRANTE SALDANHA – UNIDADE CEJ

NITÍDOS E VISÍVEIS: histórias em trajetória

João Pessoa - PB
2018
THIAGO BRANDÃO DA SILVA

Projeto apresentado ao Governo do Estado da


Paraíba por intermédio da Secretaria do Estado
da Educação como critério de avaliação do
Prêmio Mestres da Educação 2018

João Pessoa-PB
2018
SUMÁRIO

Introdução.....................................................................................................................

Problematização............................................................................................................

Justificação.....................................................................................................................

Objetivos........................................................................................................................

Procedimentos Metodológicos.......................................................................................

Cronograma de atividades..............................................................................................

Referências bibliográficas ..............................................................................................


INTRODUÇÃO

uma constituição que me promulgo; a cada


instante; também a violência dum impulso;
que me ponho do avesso; com acessos de cal
e gesso; chego a ser às vezes faço questão;
de não me ver;e entupido com a visão deles;
me sinto com a visão deles; me sinto a
miséria; concebida como um; eterno
começo; fecho-me o cerco; fendo o gesto
que me nego;[...] as vezes.”

Trecho do poema Quebranto

Luiz Silva (CUTI)

O presente projeto visa contemplar socioeducandos que cumprem medidas em regime


fechado no Centro Educacional do Jovem (CEJ) e que frequentam a escola Almirante
Saldanha, sendo este apresentado pelo referido autor ao Governo do Estado da Paraíba por
intermédio da Secretaria de Educação, e se faz concorrente ao Prêmio MESTRES DA
EDUCAÇÃO (2018), nos termos da Lei 9.879, de 13 de setembro de 2012. O autor do
projeto está lotado na referida escola e atua enquanto professor de História.
Os educandos atendidos na escola estão salvaguardados pelo Estatuto da Criança e do
Adolescente – ECA, Lei 8.069/90 e que tem como marcador, as diretrizes e orientações
definidas pelo SINASE -Sistema Nacional de Atendimento Socioeducativo (2006), por isso
mesmo a atuação da escola nas vidas dos mesmos é de natureza indispensável. Além disso,
existe a preocupação para essa parcela da juventude de direcionamentos pedagógicos que
forneçam subsídios cognitivos, psíquicos e sociais e assim possibilitem a ressocialização dos
mesmos.
Todavia, o esforço quer seja dos educandos, bem como do corpo docente da escola,
para que os mesmos consigam o reencontro consigo, e assim possam refletir sobre as
consequências de uma ação, atitude de outrora não é uma tarefa de fácil manejo. É neste
sentido que aponta o estudioso da pedagogia em unidades escolares que atendem
socioeducandos, Antônio Carlos Gomes da Costa, autor do livro Por uma Pedagogia da
Presença (1991). Para ele, o primeiro passo rumo à ressocialização é o reconhecimento das
especificidades de cada um, em que cada trajetória de vida seja entendida como um caso à
parte e não algo homogêneo.
O projeto intitulado Nítidos e Visíveis: histórias em trajetórias pretende orientar os
educandos quanto ao re-conhecimento sobre trajetórias vividas por personalidades paraibanas
A apresentação trajetórias históricas de homens mulheres “gentes comuns” que de algum
modo entraram aos palcos teatrais da História da Paraíba tem por objetivo o ensino do
conhecimento da historia local, mas também o fortalecimento de referenciais positivos da
identidade, regional, étnica propiciando uma conscientização histórica, e do ponto de vista
psíquico o fortalecimento da autoestima, da autoconfiança, e do encontro consigo.
Desenvolver no educando a habilidades concernentes a sua construção enquanto Ser
social, histórico, é, sobretudo trafegar pelo acervo de memórias cuja experiência vivida pelo
jovem educando servirá de veredas na busca do “encontro consigo”. Em suma, o escopo do
projeto é fortalecer nos jovens educandos que estão sob a privação de liberdade em uma
unidade socioeducativa à conscientização histórica dos mesmos, por meio de historias vividas,
exemplificando os caminhos que outros/as vivenciaram em contextos históricos diversos e,
assim, criar através destas historias referenciais comuns.
Por fim, salientamos no debate sobre a educação em unidades que atendem jovens em
conflito com a lei, a apropriação da reflexão de historias, biografias paraibanas como forma
de aproximar os educandos do espaço-tempo que os cercam elemento pertinente quanto ao
atendimento socioeducativo de jovens apreendidos privados de liberdade. O encontro com si é
também, neste caso, o reconhecimento do protagonismo juvenil. Este protagonismo é
potencializado pelos seus eixos norteadores que buscam à valorização da identidades
encontradas.