Você está na página 1de 8

(Continuação do Adt S/Nr ao BI 21, de 15 de Março de 2016) Página 206 de 802

PLADIS
Escola de Sargentos de Logística (EsLog)
Período de Qualificação do
Curso de Formação de Sargentos de Material Bélico - Manutenção de Armamento

PLADIS
DISCIPLINA GESTÃO TÉCNICA II Cg H Total: 30 horas

ANO

COMPETÊNCIA PRINCIPAL: Realizar atividades e tarefas individuais de natureza técnica e/ou administrativa na sua OM
Unidade de Competência: Realizar trabalhos cotidianos de natureza administrativa em sua OM.
Elemento de Competência: Produzir documentos técnicos compatíveis com os cargos ocupados.
CONTEÚDO: 1. Documentos técnicos Cg H: 23
EIXO TRANSVERSAL PADRÕES DE DESEMPENHO
ASSUNTOS Diu N
a. Mapa de Indisponibilidade
b. Relatórios de inspeção
c. Pedido de suprimento
c. Parecer Técnico
- Elaborar documentos técnicos, conforme prescreve a legisla-
d. TREM e TEAM 23 - Organização
ção, de forma organizada, inserindo informações precisas.
e. Fichas de inspeção
f. Guias de recolhimento e remessa
g. Ordem de Serviço
h. RIT

ORIENTAÇÕES METODOLÓGICAS
1. Objetivos da Aprendizagem

1.1Documentos técnicos
a. Identificar a finalidade de cada documento técnico (FACTUAL).
b. Descrever as características de cada documento técnico (FACTUAL).
c. Identificar o fluxo de cada documento (FACTUAL).
d. Analisar os documentos técnicos (CONCEITUAL).
e. Elaborar documentos técnicos (PROCEDIMENTAL).
f. Agir de forma sistemática durante a produção de documentos, mantendo arrumada a sua área de trabalho (ATITUDINAL)

2. Orientações para Execução das Situações-Problema

a. Situações-problema são tarefas que o instruendo não dispõe de um caminho rápido e direto para apresentar a solução. É necessário que o instruendo utilize procedimento(s) de
(Continuação do Adt S/Nr ao BI 21, de 15 de Março de 2016) Página 207 de 802

ensaio e erro com as seguintes características:


1) Exigem que o próprio discente planeje as suas atividades, monitore e avalie a sua execução;
2) São complexas, mas não incompreensíveis ou insolúveis;
3) Exigem a tomada de decisão;
4) Exigem a articulação (mobilização) de diversas atitudes, habilidades, conteúdos de aprendizagem e valores, por vezes objetos e pessoas, na realização da tarefa;
5) Integram a teoria e a prática;
6) O instruendo tem que saber expressar o raciocínio que utilizou, e não somente emitir uma ordem;
7) Possuem, pelo menos, mais de uma solução;
8) Devem ser contextualizados com situações que tragam significado para a vida profissional do instruendo;
9) Utilizam critérios de desempenho para serem avaliados de modo adequado: coerência, pertinência, originalidade e outros que o instrutor julgue necessário.

b. Os critérios de desempenho devem ser:


1) coerentes com a natureza do Serviço de Intendência; e
2) coerente com a natureza do conteúdo de aprendizagem.

c. Serão realizadas ao término de cada conteúdo. Serão executadas em grupos de no máximo 6 alunos.

d. A situação-problema deverá constar no Plano de Sessão do Instrutor.

3. Procedimentos Didáticos:

Relacionados aos tipos de conteúdos da aprendizagem:

- Factuais: Associar ao aprendizado dos conceitos e procedimentos, agrupando-os por grau de afinidade, para facilitar a memorização. Utilizar processos associativos, através de
demonstrações entre objetos, configurações e suas respectivas denominações.
- Conceituais: Puxar pelos conhecimentos dos discentes, indagando-os e fomentando a discussão através de estudos de caso, levando-os, deste modo a construir conceitos e a
associá-los, através de mapas conceituais, sempre que possível.
- Procedimentais: Realizar demonstrações, exercícios, distribuindo os alunos equilibradamente (em termos técnicos). O instrutor deve apoiar direta ou indiretamente (por intermédio
de monitores) as execuções dos discentes, até que ganhem autonomia na execução. Além disto, deve pedir aos discentes para explicar os procedimentos que executa.
- Atitudinais: Propor dilemas e solicitar posicionamentos dos discentes; fomentar as atividades em grupo; revezar os discentes em posições de comando; utilizar rituais e rotinas; dar
o exemplo; discutir valores, a partir de situações do cotidiano militar e da realidade nacional e internacional.

2) Recomenda-se que as atividades sejam presenciais.

3) Recomenda-se a utilização das seguintes técnicas de ensino: A palestra (P) pode ser utilizada para introduzir os assuntos. Sugere-se que na maior parte das sessões de ensino sejam
utilizadas as técnicas de ensino de Demonstração (Dm) Exercício Individual e Coletiva.

4) Propõe-se que sejam utilizados os seguintes meios auxiliares: projetor multimídia, quadro branco e computador.

Para o desenvolvimento das capacidades do eixo transversal deverá haver uma interação direta entre discentes e docentes, que atenda às necessidades dos alunos, para que adotem uma
postura reflexiva frente ao que apreenderam.

Os docentes devem criar situações que permitam a prática das atitudes e valores que estão sendo desenvolvidos,
(Continuação do Adt S/Nr ao BI 21, de 15 de Março de 2016) Página 208 de 802

O docente deve zelar por suas atitudes e valores, servindo de exemplo aos seus discentes.
O docente deverá apresentar uma postura aberta e favorável ao discente, de maneira a desenvolver relações de confiança mútua e reciprocidade.
O docente deve utilizar variadas estratégias pedagógicas, diversificadas ferramentas didáticas, envolvendo trabalhos individuais e em grupo, dinâmicas, situações-problema, práticas
e/ou pesquisas, de maneira a propiciar o exercício das capacidades em formação.
Para o desenvolvimento das capacidades podem ser propostos alguns exercícios, como:
- Situações-problema: devem ser utilizadas para trabalhar temas complexos, onde exista mais de uma resposta correta, uma vez que o objetivo da atividade é o discente estruturar um
planejamento para a busca da solução, a reflexão sobre o problema, a capacidade de comunicar-se e de cooperar com os elementos necessários para a realização da atividade. Este tipo
de atividade permite a observação de como o discente reage a situações novas e imprevistas.
Desenvolvem as seguintes capacidades: planejamento, cooperação, resistência, disciplina, iniciativa, reflexão.
- Pesquisas: propiciam que o discente exercite a capacidade de mobilizar conhecimentos específicos, busque informações de fonte variadas.
Desenvolvem as seguintes capacidades: organização, responsabilidade, disciplina intelectual e o aprimoramento técnico-profissional.
- Grupos de discussão : são úteis para se conhecer o que os discentes pensam sobre determinado assunto. Podem ser desenvolvidos apresentando um tema (fato de domínio público
ocorrido, do qual possa se extrair lições) e propondo questionamentos a serem debatidos. O docente assume o papel de mediador do debate.
b. De modo específico, deverão ser utilizados os seguintes procedimentos didáticos:
Conteúdo 1: Documentos técnicos
Será realizada uma palestra teórica inicial para introduzir os assuntos propostos de forma superficial, após isto os alunos serão divididos em grupos de trabalho e será apresentado
para cada grupo tópicos relativos aos assuntos ministrados e cópia de documentos técnicos para que os grupos elaborem alguns documentos técnicos e apresentem, perante a turma e
os instrutores, os seus trabalhos, podendo utilizar todos os meios disponibilizados pela Seção de Ensino de Material Bélico, sendo auxiliados pelos instrutores durante a produção,
no que diz respeito de questões técnicas e práticas.

4. Atividades Compartilhadas

Não haverá.

5. Avaliação da Aprendizagem

RETIFICAÇÃO DA APRENDIZA-
TIPO DE AVALIAÇÃO TIPO DE PROVA TEMPO DE REALIZAÇÃO CONTEÚDOS / ASSUNTOS
GEM
AC ESCRITA 04 h/a 03 h/a TODOS

6. Indicações básicas de segurança na instrução

Todas as instruções deverão seguir o previsto nos Cadernos de Instrução do COTER 32-2 - Gerenciamento de Risco e 32-1 - Prevenção de Acidentes de Instrução, além das Normas
de Segurança previstas nas NGA/EsSLog, das diretrizes estabelecidas pelo Escalão Superior e do que prescreve as diretrizes estabelecidas pelo Exército Brasileiro e - Normas para
Utilização do Campo de Instrução. Para tanto deverão ser incluídos, nos Planos de Sessões, as Normas de Segurança específicas para cada instrução.

REFERÊNCIAS
BRASIL, Lei 6.880, de 09 de dezembro de 1980, Dispõe sobre o Estatuto dos Militares.
BRASIL, Portaria Nº 769, de 7 de dezembro de 2011, Aprova as Instruções Gerais para a Correspondência do Exército (EB10-IG-01.001), 1ª Edição, 2011.
BRASIL, Portaria n° 09- D Log, de 27 de junho de 2002, Aprova as Normas Administrativas Relativas ao Suprimento (NARSUP).
(Continuação do Adt S/Nr ao BI 21, de 15 de Março de 2016) Página 209 de 802

BRASIL, Decreto No 98.820, de 12 de janeiro de 1990, Aprova o Regulamento de Administração do Exército (RAE)-(R-3).
BRASIL, Cmt Ex, Portaria Nº 816, de 19 de dezembro de 2003, Aprova o Regulamento Interno e dos Serviços Gerais (R-1).
Portaria n° 10- D LOG, de 27 de junho de 2002, aprova as Normas Administrativas Relativas à Manutenção (NARMNT).
(Continuação do Adt S/Nr ao BI 21, de 15 de Março de 2016) Página 210 de 802

ORIENTAÇÕES METODOLÓGICAS
1. Objetivos da Aprendizagem

a Documentos técnicos
Identificar a finalidade de cada documento técnico (FACTUAL)
Descrever as características de cada documento técnico (FACTUAL)
Identificar o fluxo de cada documento (FACTUAL)
Analisar os documentos técnicos (CONCEITUAL)
Elaborar documentos técnicos (PROCEDIMENTAL)
Agir de forma sistemática durante a produção de documentos, mantendo arrumada a sua área de trabalho (ORGANIZAÇÃO)

2. Orientações para Execução das Situações-Problema

a. Situações-problema são tarefas que o instruendo não dispõe de um caminho rápido e direto para apresentar a solução. É necessário que o instruendo utilize procedimento(s) de ensaio e
erro com as seguintes características:
10) Exigem que o próprio discente planeje as suas atividades, monitore e avalie a sua execução;
11) São complexas, mas não incompreensíveis ou insolúveis;
12) Exigem a tomada de decisão;
13) Exigem a articulação (mobilização) de diversas atitudes, habilidades, conteúdos de aprendizagem e valores, por vezes objetos e pessoas, na realização da tarefa;
14) Integram a teoria e a prática;
15) O instruendo tem que saber expressar o raciocínio que utilizou, e não somente emitir uma ordem;
16) Possuem, pelo menos, mais de uma solução;
17) Devem ser contextualizados com situações que tragam significado para a vida profissional do instruendo;
18) Utilizam critérios de desempenho para serem avaliados de modo adequado: coerência, pertinência, originalidade e outros que o instrutor julgue necessário.

b. Os critérios de desempenho devem ser:


1) coerentes com a natureza do Serviço de Intendência; e
2) coerente com a natureza do conteúdo de aprendizagem.

c. Serão realizadas ao término de cada conteúdo. Serão executadas em grupos de no máximo 6 alunos.

d. A situação-problema deverá constar no Plano de Sessão do Instrutor.

3. Procedimentos Didáticos:

Relacionados aos tipos de conteúdos da aprendizagem:

- Factuais: Associar ao aprendizado dos conceitos e procedimentos, agrupando-os por grau de afinidade, para facilitar a memorização. Utilizar processos associativos, através de
demonstrações entre objetos, configurações e suas respectivas denominações.
- Conceituais: Puxar pelos conhecimentos dos discentes, indagando-os e fomentando a discussão através de estudos de caso, levando-os, deste modo a construir conceitos e a associá-
los, através de mapas conceituais, sempre que possível.
(Continuação do Adt S/Nr ao BI 21, de 15 de Março de 2016) Página 211 de 802

- Procedimentais: Realizar demonstrações, exercícios, distribuindo os alunos equilibradamente (em termos técnicos). O instrutor deve apoiar direta ou indiretamente (por intermédio de
monitores) as execuções dos discentes, até que ganhem autonomia na execução. Além disto, deve pedir aos discentes para explicar os procedimentos que executa.
- Atitudinais: Propor dilemas e solicitar posicionamentos dos discentes; fomentar as atividades em grupo; revezar os discentes em posições de comando; utilizar rituais e rotinas; dar o
exemplo; discutir valores, a partir de situações do cotidiano militar e da realidade nacional e internacional.

2) Recomenda-se que as atividades sejam presenciais.

3) Recomenda-se a utilização das seguintes técnicas de ensino: A palestra (P) pode ser utilizada para introduzir os assuntos. Sugere-se que na maior parte das sessões de ensino sejam
utilizadas as técnicas de ensino de Demonstração (Dm) Exercício Individual e Coletiva.

4) Propõe-se que sejam utilizados os seguintes meios auxiliares: projetor multimídia, quadro branco e computador.

Para o desenvolvimento das capacidades do eixo transversal deverá haver uma interação direta entre discentes e docentes, que atenda às necessidades dos alunos, para que adotem uma
postura reflexiva frente ao que apreenderam.

Os docentes devem criar situações que permitam a prática das atitudes e valores que estão sendo desenvolvidos,

O docente deve zelar por suas atitudes e valores, servindo de exemplo aos seus discentes.

O docente deverá apresentar uma postura aberta e favorável ao discente, de maneira a desenvolver relações de confiança mútua e reciprocidade.

O docente deve utilizar variadas estratégias pedagógicas, diversificadas ferramentas didáticas, envolvendo trabalhos individuais e em grupo, dinâmicas, situações-problema, práticas e/ou
pesquisas, de maneira a propiciar o exercício das capacidades em formação.

Para o desenvolvimento das capacidades podem ser propostos alguns exercícios, como:

- Situações-problema: devem ser utilizadas para trabalhar temas complexos, onde exista mais de uma resposta correta, uma vez que o objetivo da atividade é o discente estruturar um
planejamento para a busca da solução, a reflexão sobre o problema, a capacidade de comunicar-se e de cooperar com os elementos necessários para a realização da atividade. Este tipo de
atividade permite a observação de como o discente reage a situações novas e imprevistas.

Desenvolvem as seguintes capacidades: planejamento, cooperação, resistência, disciplina, iniciativa, reflexão.

- Pesquisas: propiciam que o discente exercite a capacidade de mobilizar conhecimentos específicos, busque informações de fonte variadas.

Desenvolvem as seguintes capacidades: organização, responsabilidade, disciplina intelectual e o aprimoramento técnico-profissional.

- Grupos de discussão : são úteis para se conhecer o que os discentes pensam sobre determinado assunto. Podem ser desenvolvidos apresentando um tema (fato de domínio público
ocorrido, do qual possa se extrair lições) e propondo questionamentos a serem debatidos. O docente assume o papel de mediador do debate.
(Continuação do Adt S/Nr ao BI 21, de 15 de Março de 2016) Página 212 de 802

b. De modo específico, deverão ser utilizados os seguintes procedimentos didáticos:

Conteúdo 1: Documentos técnicos


Será realizada uma palestra teórica inicial para introduzir os assuntos propostos de forma superficial, após isto os alunos serão divididos em grupos de trabalho e será apresentado pa-
ra cada grupo tópicos relativos aos assuntos ministrados e cópia de documentos técnicos para que os grupos elaborem alguns documentos técnicos e apresentem, perante a turma e os
instrutores, os seus trabalhos, podendo utilizar todos os meios disponibilizados pela Seção de Ensino de Material Bélico, sendo auxiliados pelos instrutores durante a produção, no que
diz respeito de questões técnicas e práticas.

4. Atividades Compartilhadas

Não haverá.

5. Avaliação da Aprendizagem

RETIFICAÇÃO DA APRENDIZA-
TIPO DE AVALIAÇÃO TIPO DE PROVA TEMPO DE REALIZAÇÃO CONTEÚDOS / ASSUNTOS
GEM
AC ESCRITA 04 h/a 03 h/a TODOS

6. Indicações básicas de segurança na instrução

Todas as instruções deverão seguir o previsto nos Cadernos de Instrução do COTER 32-2 - Gerenciamento de Risco e 32-1 - Prevenção de Acidentes de Instrução, além das Normas de
Segurança previstas nas NGA/EsSLog, das diretrizes estabelecidas pelo Escalão Superior e do que prescreve as diretrizes estabelecidas pelo Exército Brasileiro e - Normas para Utili-
zação do Campo de Instrução. Para tanto deverão ser incluídos, nos Planos de Sessões, as Normas de Segurança específicas para cada instrução.
Outras orientações:
Presença de equipe médica em todas as atividades de instrução.
Verificação das condições de segurança do local do exercício.
Instrutores e monitores com armamentos municiados realizando a segurança do exercício.
Verificação das condições de manutenção das viaturas antes de qualquer deslocamento.
Utilização do cinto de segurança nos deslocamentos motorizados.
Realização da segurança nos autos periódicos das marchas motorizadas.
Controle do efetivo a todo o momento.
Preparação de lista de tipagem sanguínea de todos os alunos.
Elaboração de Plano de evacuação de feridos.
(Continuação do Adt S/Nr ao BI 21, de 15 de Março de 2016) Página 213 de 802

REFERÊNCIAS
BRASIL, Lei 6.880, de 09 de dezembro de 1980, Dispõe sobre o Estatuto dos Militares.
BRASIL, Portaria Nº 769, de 7 de dezembro de 2011, Aprova as Instruções Gerais para a Correspondência do Exército (EB10-IG-01.001), 1ª Edição, 2011.
BRASIL, Portaria n° 09- D Log, de 27 de junho de 2002, Aprova as Normas Administrativas Relativas ao Suprimento (NARSUP).
BRASIL, Decreto No 98.820, de 12 de janeiro de 1990, Aprova o Regulamento de Administração do Exército (RAE)-(R-3).
BRASIL, Cmt Ex, Portaria Nº 816, de 19 de dezembro de 2003, Aprova o Regulamento Interno e dos Serviços Gerais (R-1).
Portaria n° 10- D LOG, de 27 de junho de 2002, aprova as Normas Administrativas Relativas à Manutenção (NARMNT).