Você está na página 1de 46

Área – Ciências Humanas e suas

Tecnologias

A CRISE ENERGÉTICA MUNDIAL


GEOGRAFIA , 3ª Série
A Crise Energética Mundial

GEOPOLÍTICA DA ENERGIA

Até a primeira metade do século XX, existia muita energia disponível, o


petróleo era uma fonte barata e não havia a consciência coletiva sobre os
impactos ambientais decorrentes da sua utilização em grande escala;
A difusão dos meios eletrônicos, o crescimento econômico em algumas
regiões do globo, o crescimento populacional verificado em alguns
continentes, a elevação do número de automóveis em circulação ampliou o
consumo de energia;
Os combustíveis fósseis representam cerca de 80% da matriz energética
mundial;
A ampliação dos recursos energéticos é um dos principais desafios das
sociedades contemporâneas;
A expansão do setor deve levar em conta a preservação do ambiente,
utilizando fontes renováveis e menos poluidoras.
GEOGRAFIA , 3ª Série
A Crise Energética Mundial

OPEP
OPEP (Organização dos Países Exportadores de Petróleo) é uma organização
internacional, formada por países que são grandes produtores de petróleo. A
OPEP foi fundada em 14 de setembro de 1960 e possui sua sede na cidade de
Viena (Áustria).
Objetivos da OPEP
Estabelecer uma política petrolífera comum a todos os grandes produtores de
petróleo do mundo (países membros);
Definir estratégias de produção;
Controlar preços de venda de petróleo no mercado mundial;
Analisar e gerar conhecimentos para os países membros sobre o mercado de
petróleo mundial;
Controlar volume de produção de petróleo da organização (1);
GEOGRAFIA , 3ª Série
A Crise Energética Mundial

O BRASIL NA OPEP?

Muitos especialistas em petróleo defendem a entrada do Brasil na OPEP,


após a descoberta de petróleo na camada pré-sal na Bacia de Santos.

A descoberta gerou um significativo aumento das reservas de petróleo do


país. Embora não seja um grande exportador, o Brasil já está entre os 10
países com maiores reservas de petróleo do mundo.

Para o Brasil se integrar, terá de acatar as regras da associação, que impõe,


por exemplo, limites de exportação e preços aos associados (2).
GEOGRAFIA , 3ª Série
A Crise Energética Mundial

Imagem: PX48 / Crusier /


GNU free documentation license

Imagem: Xingang / Luther Bailey / Creative


Commons Non Comercial Attribution
A energia está Share-alike 2.0 Generic

presente em todas as
ações que ocorrem no
Universo

Imagem: Hot iron! / Tinkerbrad /

Attribution 2.0 generic


Creative Commons
Imagem: Moscow-city at night / Dmitry A. Mottl /
GNU free documentation license
GEOGRAFIA , 3ª Série
A Crise Energética Mundial

AS FONTES DE ENERGIA

 FONTES DE ENERGIA RENOVÁVEIS são aquelas que se renovam


continuamente na natureza sendo, por isso, inesgotáveis.

 FONTES DE ENERGIA NÃO RENOVÁVEIS são aquelas cujas reservas se


esgotam, pois o seu processo de formação é muito lento comparado com o
ritmo de consumo que o ser humano faz delas (3).
GEOGRAFIA , 3ª Série
A Crise Energética Mundial

FONTES DE ENERGIA

Fonte Primária Centro de


Transformação Fonte Secundária

 Gasolina
Petróleo  Óleo combustível
Refinarias  GLP
Óleo Diesel, etc.

Cana
 Açúcar
de Destilarias Álcool
açúcar
Bagaço
GEOGRAFIA , 3ª Série
A Crise Energética Mundial

FONTES DE ENERGIA NÃO RENOVÁVEIS

CARVÃO MINERAL

O carvão mineral, também conhecido como carvão de pedra, é uma


substância sólida de origem orgânica resultante da transformação de restos
vegetais soterrados há milhões de anos;
Os principais depósitos de carvão mineral se formaram durante os períodos
Carbonífero e Premiano (Era Paleozoica), há cerca de 350 milhões de anos;
O carvão mineral assumiu importância mundial a partir do século XVIII,
com a Revolução Industrial e se constituiu como uma fonte de energia
básica até a primeira metade do século XX, quando foi superado pelo
petróleo. Apesar disso, continua sendo uma das mais importantes fontes de
energia da atualidade (4).
GEOGRAFIA , 3ª Série
A Crise Energética Mundial

Imagem: SEE-PE
GEOGRAFIA , 3ª Série
A Crise Energética Mundial

Turfa: É a primeira fase. Refere-se à deposição e à


putrefação dos restos vegetais em ambientes de várzeas
ou de pântanos. Apresenta baixo teor calorífico.
Linhito: É o segundo estágio. Trata-se de material escuro
e que ainda apresenta elevado percentual de água e
baixo percentual de carbono.
Hulha: É a terceira etapa, ou carvão propriamente dito.
É sólida, tem cor negra e pode ser transformada em
coque (carvão metalúrgico).
Antracito: É o último estágio. Apresenta elevado teor de
carbono (90 a 96%), cor negra, brilho vítreo e elevada
dureza. É muito utilizado para aquecimento doméstico (5).
GEOGRAFIA , 3ª Série
A Crise Energética Mundial

PETRÓLEO
Energia poluente;
Concentração geográfica das jazidas;
Alteram os habitats naturais onde se efetuam as extrações;
A queima liberta gases poluentes.

Imagem: SEE-PE
GEOGRAFIA , 3ª Série
A Crise Energética Mundial

Imagem: SEE-PE
GEOGRAFIA , 3ª Série
A Crise Energética Mundial

CRISE DO PETRÓLEO

A primeira fase ocorreu, em 1956, depois que o presidente do Egito


Gamal Nasser nacionalizou o Canal de Suez até então propriedade de
uma empresa Anglo-Francesa. O canal é uma importante passagem de
exportação de produtos da região para países ocidentais, pelo que, em
virtude dessa crise, o abastecimento foi interrompido, com o bloqueio
do Canal, levando a um aumento súbito do preço do petróleo.
A segunda fase aconteceu, em 1973, em protesto pelo apoio prestado
pelos Estados Unidos a Israel durante a Guerra do Yom Kippur, tendo os
países árabes organizados na OPEP, aumentado o preço do petróleo em
mais de 300% (6).
GEOGRAFIA , 3ª Série
A Crise Energética Mundial

CRISE DO PETRÓLEO

A terceira fase ocorreu, na segunda metade da década de 1970,


durante a crise política no Irã e a consequente deposição de Xá Reza
Pahlevi, que desorganizou todo o setor de produção no Irã, onde os
preços aumentaram em mais de 1000%. Na sequência da Revolução
iraniana, travou-se a Guerra Irã-Iraque, tendo o preço disparado em
face da súbita diminuição da produção dos dois países.
A quarta fase foi na Guerra do Golfo, em 1991, depois de o Iraque,
governado por Saddam Hussein ter invadido o país vizinho Kuwait,
quando foram incendiados alguns poços de petróleo, provocando uma
crise econômica e ecológica.
A quinta fase deu-se no ano de 2008, quando os preços subiram, em
virtude de movimentos especulativos em nível global (7).
GEOGRAFIA , 3ª Série
A Crise Energética Mundial

A GRANDE NOVIDADE...

Imagem: SEE-PE
GEOGRAFIA , 3ª Série
A Crise Energética Mundial

Segundo a ANP (Agência Nacional do Petróleo), as


reservas de petróleo e gás natural da Petrobrás no Brasil
ficaram em 13,920 bilhões barris de óleo em 2007.
Uma nova estimativa prevê que a reserva
recentemente encontrada no pré-sal, tem potencial para
dobrar o volume de óleo e de gás que poderá ser
extraído do subsolo brasileiro.
Outras estimativas apontam que o Pré-Sal pode colocar
o Brasil entre os dez maiores produtores de petróleo do
mundo.
Maior demanda por mão de obra especializada e
investimentos, com a contratação de navios-sonda e
plataformas.
GEOGRAFIA , 3ª Série
A Crise Energética Mundial

Imagem: SEE-PE
GEOGRAFIA , 3ª Série
A Crise Energética Mundial

GÁS NATURAL
É uma energia de origem fóssil, resultado da
decomposição da matéria orgânica fóssil no
interior da Terra, encontrado acumulado em
rochas porosas no subsolo, frequentemente
acompanhado por petróleo, constituindo um Imagem: John Haynes / Geograph project / Creative
reservatório; Commons Attribution-Share Alike 2.0 Generic.

Possui facilidade de transporte e de manuseio, não requer estocagem,


eliminando os riscos do armazenamento de combustíveis. Sua distribuição é feita
através de uma rede de tubos e de maneira segura, os chamados gasodutos;
A sua combustão é completa, liberando como produtos o dióxido de carbono e
vapor de água, sendo os dois componentes não tóxicos, portanto, o gás natural é
uma fonte de energia limpa, produzindo baixo impacto ambiental;
Na área de transportes, pode ser utilizado em ônibus e automóveis,
substituindo o óleo diesel, a gasolina e o álcool (8).
GEOGRAFIA , 3ª Série
A Crise Energética Mundial

ENERGIA NUCLEAR
É limpa, porém altamente perigosa;
Em caso de acidente, liberta radioatividade prejudicial aos
seres vivos, permanecendo no meio ambiente durante
muitos anos.

Imagem: Gundremingen nuclear power plant / Felix Konig/ Imagem: Nagasaki Bomb / Public Domain
Creative Commons Attribution-Share Alike 3.0 Unported
GEOGRAFIA , 3ª Série
A Crise Energética Mundial

ACIDENTES NUCLEARES
O acidente na Usina Nuclear de Chernobyl, localizada na
Ucrânia, ocorreu no dia 26 de abril de 1986. Este acidente é
considerado o pior acidente nuclear da história e gerou uma
nuvem radioativa que atingiu a União Soviética, Europa
Oriental, Escandinávia e Reino Unido.
O acidente na Usina Nuclear
de Fukushima Japão, março de
2011, foi consequência dos
danos causados pelo abalo
sísmico que provocou falhas
em equipamentos e
lançamentos de materiais
radioativos (9). Imagem: Chernobyl zone / Piotr Andrysczac /
GNU Free documentation license
GEOGRAFIA , 3ª Série
A Crise Energética Mundial

Imagem: MRI –Phillips / Jan Ainali / Creative Commons Attribution 3.0 Unported
O LADO BOM DA ENERGIA NUCLEAR
GEOGRAFIA , 3ª Série
A Crise Energética Mundial

Imagem: SEE-PE
GEOGRAFIA , 3ª Série
A Crise Energética Mundial

ENERGIA TERMELÉTRICA
Maior custo de manutenção;
Maior impacto ambiental;
Menor investimento na construção, comparando com uma hidroelétrica;
Tanto nas hidroelétricas, quanto nas termoelétricas, a fonte primária é a
água;
Vantagem – flexibilidade na implantação de uma usina.

Imagem: Iskandaryah power plant, Iraq / Ben Brody / Public Domain


GEOGRAFIA , 3ª Série
A Crise Energética Mundial

COMPARAÇÃO DE FUNCIONAMENTO

x
Imagens: SEE-PE
GEOGRAFIA , 3ª Série
A Crise Energética Mundial

FONTES DE ENERGIA RENOVÁVEIS


Vantagens:
É uma energia limpa, pois não envolve
nenhum processo de queima de combustível
para ser gerada;
Devido à disponibilidade do ciclo da água, é
inesgotável;
É uma energia barata, pois os custos
operacionais são muito baixos;
Imagem: SEE-PE É viável em países com grande vazão
hidrográfica e acidentes geográficos (quedas
d'água);
O aproveitamento hidrelétrico proporciona
outros usos, tais como irrigação, navegação e
amortecimentos de cheias (10).
GEOGRAFIA , 3ª Série
A Crise Energética Mundial

Desvantagens:
Inundação de extensas áreas de produção de alimentos, indisponibilizando
terras férteis e destruição de florestas;
Limitada pela morfologia do terreno, regime de chuvas e temperatura;
As barragens afetam os leitos dos rios, causando erosão;
O represamento do rio diminui o nível da água abaixo da represa;
Desabriga pessoas e animais, danifica sítios arqueológicos; provoca pequenos
tremores de terra, devido ao peso da água e às acomodações do terreno;
Provoca alterações climáticas;
Contribui para o efeito estufa com a inundação
de florestas que geram gases tóxicos (11).

Imamge: Sarobi power plant on Kabul


river / Public Domain
GEOGRAFIA , 3ª Série
A Crise Energética Mundial

ENERGIA SOLAR
A energia solar é inbbbcomparável a
qualquer outro sistema de energia
convencional por tratar-se de uma fonte 100%
natural, ecológica, gratuita, inesgotável e que
não agride o meio ambiente;
Imagem: Solar panel / David Monniaux /
GNU free Documentation License

A energia solar não polui durante sua


produção;
As centrais necessitam de manutenção
mínima;
Os preços são muito elevados em relação
aos outros meios de energia;
Em países tropicais, como o Brasil, a
utilização da energia solar é viável (12). Imagem: Solar LEO house / Littleha /
Creative Commons Attribution 2.5 Generic
GEOGRAFIA , 3ª Série
A Crise Energética Mundial

ENERGIA EÓLICA
Captada por sistema de hélices, a energia eólica é
transformada em eletricidade nos aerogeradores;
Energia limpa;
Os parques eólicos alteram a paisagem;
Se for colocada em rotas migratórias, pode provocar a
morte de muitas aves.

Imagem: Wind power plant in Xinjiang, China / Chris

Attribution-Share Alike 2.0 Generic


Lim / Creative Commons
GEOGRAFIA , 3ª Série
A Crise Energética Mundial

ENERGIA GEOTÉRMICA

OS GÊISERES

Energia limpa;
O calor proveniente do interior da Terra pode ser
aproveitado;
A água de uma jazida geotérmica pode ser recuperada
sob a forma de calor e ser aproveitada para produzir
eletricidade;
A libertação de vapor a da alta pressão provoca poluição
sonora e a libertação de calor altera o ecossistema em
redor (13).
Imagem: Lady knox geiser / Beast from the
bush / GNU Free Documentation License
GEOGRAFIA , 3ª Série
A Crise Energética Mundial

ENERGIA MAREMOTRIZ
As marés que animam os oceanos são fontes de energia mecânica, limpas e
inesgotáveis que podem ser captadas por turbinas para gerar eletricidade.
O aproveitamento dessa energia pode ser feito através de centrais elétricas
que funcionam por ação da água das marés.
É necessária uma diferença de 5 metros entre a maré alta e a maré baixa
para que esse aproveitamento se torne rentável (14).
Imagem: SEE-PE
Imagem: SEE-PE
GEOGRAFIA , 3ª Série
A Crise Energética Mundial

COGERAÇÃO DE ENERGIA: UMA NOVA ALTERNATIVA

Produção simultânea e de forma sequenciada, de duas ou mais formas de


energia a partir de um único combustível. O processo mais comum é a
produção de eletricidade e de energia térmica a partir do uso de gás natural
e/ou de biomassa, entre outros;
É a forma mais eficaz atualmete para responder as preocupações de
natureza ambiental, uma vez que, ao fornecer a mesma energia final com
um menor consumo de energia primária, reduz significativamente as
emissões para o ambiente.
A cogeração assume um papel muito importante na redução das emissões
de CO2 para a atmosfera, e, consequentemente, o cumprimento das metas
assumidas no protocolo de Kyoto.
CANA DE AÇÚCAR
Etanol – Álcool Etílico Bagaço

Cogeração
O etanol combustível é composto,
no Brasil, de 96% de etanol e 4% de
água. Aparece na gasolina, como
substituto do chumbo, com 22%, Calor
formando o chamado gasool (15). Eletricidade
GEOGRAFIA , 3ª Série
A Crise Energética Mundial

BIODIESEL
Energia limpa;
É extraído de plantas oleoginosas (manona,soja, girassol,
amendoim etc);
É um biocombustível, derivado de biomassa renovável para
uso em motores a combustão interna com ignição por
compressão ou para a geração de outro tipo de energia que
possa substituir parcial ou totalmente combustíveis de origem
fóssil;
1 tonelada de biodiesel evita a emissão de 2,5 toneladas de
CO2 para a atmosfera (16).

/ Creative Commons Attribution


Imagem: Edamame / Mdid

2.0 Generic

Imagem: Biodiesel sample /


Shizhao / GNU Free
Documentation License
GEOGRAFIA , 3ª Série
A Crise Energética Mundial

Biodiesel

FONTE PRIMÁRIA FONTE SECUNDÁRIA

Soja, girassol, mamona, Óleos vegetais respectivos


amendoim, etc.

Uso Motores de veículos, geração


de eletricidade (bioeletricidade)
GEOGRAFIA , 3ª Série
A Crise Energética Mundial

Imagem: SEE-PE
BIOGÁS
GEOGRAFIA , 3ª Série
A Crise Energética Mundial

BIOMASSA
Energia limpa e renovável;
Baixo custo de aquisição;
Não emite dióxido de enxofre;
A produção de eletricidade, através da combustão, liberta gases nocivos e
partículas para a atmosfera, contribuindo para o aquecimento global.

imagem: Canaviais em são paulo / Mariordo / GNU


Free Documentation License
QUESTÕES

25 de fevereiro de 2018
GEOGRAFIA , 3ª Série
A Crise Energética Mundial

1º . UnB-DF Considerada uma questão estratégica para as atividades econômicas


de qualquer país, a energia está sendo atualmente focalizada conjuntamente com
o problema dos respectivamente impactos ambientais desde a fase de exploração
até a de consumo. Com referência às inter-relações existentes do aproveitamento
dos recursos energéticos com a questão ambiental, julgue os itens abaixo.
( V ) O aumento da eficiência energética ajuda a evitar maiores danos ao
ambiente e mudanças climáticas globais.
( V ) A maior parte da energia primária consumida no Brasil é proveniente de
fontes renováveis.
( F ) Ao contrário do que ocorre com as fontes não renováveis, na energia, como o
petróleo e o carvão, inexistem problemas ambientais na obtenção e no uso do
álcool carburante a partir da cana-de-açúcar por tratar-se de biomassa, isto é,
uma fonte renovável.
( F ) O único resíduo proveniente da queima de combustíveis fósseis nocivo ao
ambiente é o dióxido de carbono.
Está CORRETO:
a)FFVV b)FVVF c)VFFV d)VVFF e)FFVV
GEOGRAFIA , 3ª Série
A Crise Energética Mundial

2º . U.F. Juiz de Fora - MG O preço do petróleo é dado pelo confronto entre a


produção e o consumo. A produção é determinada, administrativamente, pela
OPEP. O consumo é função da economia mundial. Marque a alternativa
INCORRETA:
a) Como a economia mundial está crescendo acima dos prognósticos mais
otimistas, o mesmo ocorre com o consumo de petróleo, tornando inevitável a
alta nos preços enquanto a produção não aumentar com a mesma velocidade.
b) O aumento dos preços do petróleo, desde a crise de 1973, tem promovido o
fim das desigualdades sociais nos países árabes que fazem parte da OPEP.
c) O Brasil, que já produz 65% do petróleo que consome, reduzindo
rapidamente sua dependência externa, deve atrelar seus preços internos aos
internacionais, de acordo com recomendações do FMI.
d) Com o aumento do preço do petróleo, há aumento em praticamente toda a
cadeia produtiva, gerando inflação nos países desenvolvidos e
subdesenvolvidos, importadores de petróleo.
GEOGRAFIA , 3ª Série
A Crise Energética Mundial

3º PUC-RJ Na “nova” economia mundial, ocorre o declínio da importância da


indústria em relação às finanças e à telecomunicações, muito menos intensivas
em energia. No entanto, ao longo do ano 2000, o aumento dos preços do
petróleo voltou a ameaçar a tranqüilidade da economia mundial. Entre as
possíveis resultantes desse fato, temos:
I. o aumento dos custos de transporte e dos custos de produção em
praticamente toda a cadeia produtiva que usa derivados de petróleo como
insumos;
II. a redução dos estoques de petróleo nos países desenvolvidos, os maiores
consumidores dessa fonte de energia e matéria-prima industrial;
III. o aumento dos gastos com a importação do petróleo, agrava o desequilíbrio
da balança comercial de alguns países em desenvolvimento.
Está (ão) correta(s) a(s) afirmativa(s):
a) I b) II c) I e II d) II e III e) I, II e III
GEOGRAFIA , 3ª Série
A Crise Energética Mundial

4º . U. Católica-DF “Quando os estudiosos relacionam as causas promotoras do crescimento


econômico ou da recessão, três são as mais citadas: taxa de juros, taxa de câmbio e déficit
público. Nos últimos dias, a discussão ganhou um novo ingrediente: energia.”
Julgue as afirmativas , relativas aos recursos energéticos, conforme (V) ou (F).
( V ) Para contornar uma crise energética, deve-se desenvolver a capacidade geradora de
energia das fontes alternativas, no intuito de diversificar ao máximo as fontes de consumo
energético.
( V ) A relação entre energia e crescimento econômico é direta, pois se a geração de
energia não for suficiente o país não pode crescer.
( V ) Desde que o preço do petróleo começou a subir (crise de 1973), o mundo parece ter
atentado ao problema da extrema dependência em relação às escassas fontes de energia de
origem fóssil, que estão nas mãos de um número reduzido de controladores e das quais não
se sabe por quanto tempo serão suficientes para suprir as necessidades globais.
( V ) No Brasil, tanto a potência instalada quanto o consumo de energia elétrica são
importantes indicadores das desigualdades regionais do país.
( F ) A importação do gás natural da Bolívia vem sendo incentivada pelo governo brasileiro,
pois a nossa energia provém, principalmente, das usinas termelétricas, fornecedoras de
mais de 90% de toda a energia que é consumida no país.
Tabela de Imagens
Slide Autoria / Licença Link da Fonte Data do
Acesso

5a PX48 / Crusier / GNU free documentation http://commons.wikimedia.org/wiki/File:Px48_ 27/02/2012


license 1778_MKD_11.JPG
5b Moscow-city at night / Dmitry A. Mottl / GNU http://commons.wikimedia.org/wiki/File:Mosco 27/02/2012
free documentation license w-City_at_night,_2008-03.jpg
5c Hot iron! / Tinkerbrad / Creative Commons http://www.flickr.com/photos/19418451@N08/ 27/02/2012
Attribution 2.0 generic 3948664111/
5d Xingang / Luther Bailey / Creative Commons http://www.flickr.com/photos/42662038@N08/ 27/02/2012
Non Comercial Attribution Share-alike 2.0 4308798983/
Generic
9 SEE-PE Acervo SEE-PE 13/03/2012
11 SEE-PE Acervo SEE-PE 13/03/2012
12 SEE-PE Acervo SEE-PE 13/03/2012
15 SEE-PE Acervo SEE-PE 13/03/2012
17 SEE-PE Acervo SEE-PE 13/03/2012
18 John Haynes / Geograph project / Creative 13/03/2012
Commons Attribution-Share Alike 2.0 Generic.
19a Gundremingen nuclear power plant / Felix http://commons.wikimedia.org/wiki/File:Gundr 28/02/2012
Konig/ Creative Commons Attribution-Share emmingen_Nuclear_Power_Plant.jpg
Alike 3.0 Unported

19b Nagasakibomb / Public Domain http://commons.wikimedia.org/wiki/File:Nagas 28/02/2012


akibomb.jpg
Tabela de Imagens
Slide Autoria / Licença Link da Fonte Data do
Acesso

20 Chernobyl zone / Piotr Andrysczac / GNU Free http://commons.wikimedia.org/wiki/File:Chern 28/02/2012


documentation license obyl_HDR.JPG
21 MRI –Phillips / Jan Ainali / Creative http://commons.wikimedia.org/wiki/File:MRI- 28/02/2012
Commons Attribution 3.0 Unported Philips.JPG
22 SEE-PE Acervo SEE-PE 13/03/2012
23 Iskandaryah power plant, Iraq / Ben Brody / http://commons.wikimedia.org/wiki/File:Iskand 28/02/2012
Public Domain ariyah_thermal_power_plant,_Iraq.jpg
24a SEE-PE Acervo SEE-PE 13/03/2012
24b SEE-PE Acervo SEE-PE 13/03/2012
25 SEE-PE Acervo SEE-PE 13/03/2012
26 Sarobi power plant on Kabul river / Public http://commons.wikimedia.org/wiki/File:1950s 28/02/2012
Domain _Afghanistan_-_Sarobi_hydro-
power_plant_on_Kabul_River.jpg
27a Solar panel / David Monniaux / GNU free http://commons.wikimedia.org/wiki/File:Mafat 28/02;2012
Documentation License e_Marla_solar_panel_dsc00633.jpg
27b Solar LEO house / Littleha / Creative Commons http://commons.wikimedia.org/wiki/File:Solar_ 28/02/2012
Attribution 2.5 Generic LEO_House_BIPV.JPG
28 Wind power plant in Xinjiang, China / Chris Lim http://commons.wikimedia.org/wiki/File:Wind_ 28/02/2012
/ Creative Commons Attribution-Share Alike 2.0 power_plants_in_Xinjiang,_China.jpg
Generic
29 Lady knox geiser / Beast from the bush / GNU http://commons.wikimedia.org/wiki/File:Lady_ 28/02/2012
Free Documentation License Knox_geiser.jpg
Tabela de Imagens
Slide Autoria / Licença Link da Fonte Data do
Acesso

31 SEE-PE Acervo SEE-PE 13/03/2012


32 SEE-PE Acervo SEE-PE 13/03/2012
35a Biodiesel sample / Shizhao / GNU Free http://commons.wikimedia.org/wiki/File:Biodi 28/02/2012
Documentation License esel.JPG
35b Edamame / Mdid / Creative http://commons.wikimedia.org/wiki/File:Edam 28/02/2012
Commons Attribution 2.0 Generic ame_by_mdid.jpg?uselang=pt-br
37 SEE-PE Acervo SEE-PE 13/03/2012
38 Canaviais em são paulo / Mariordo / GNU Free http://en.wikipedia.org/wiki/File:Canaviais_Sa 28/02/2012
Documentation License o_Paulo_01_2008_06.jpg