Você está na página 1de 99

Manual de Normatização dos Trabalhos Acadêmicos do Curso de

Enfermagem

Divinópolis
2015
2

Elaborado pelas docentes do curso de Enfermagem Cecília Godoi


Campos, Ieda Aparecida Diniz e Jeizziani Aparecida Ferreira Pinto.

Júlia Márcia Guimarães Fonseca Ribeiro


Coordenação do Curso de Enfermagem
Faculdade Pitágoras
Divinópolis – MG
3

Apresentação

O presente manual de normalização foi elaborado para os alunos e professores da


Faculdade Pitágoras - Divinópolis do curso de Enfermagem, para fins de se tornar um
instrumento de orientação e de desenvolvimento dos trabalhos acadêmicos: monografias ou
trabalhos de conclusão de curso, projetos de pesquisa, artigos, resumos, resenhas e outros.
Para a elaboração deste manual foram utilizadas as normas da ABNT atualizadas,
citadas na referência. Desta forma, foi possível reunir as informações necessárias em uma
única fonte, com uma linguagem acessível á todos que necessitarem consultar este material.
O manual apresenta os elementos pré-textuais, textuais, e pós-textuais que um trabalho
deve ter e os princípios básicos de elaboração e apresentação dos trabalhos acadêmicos.
Neste sentido, sugere-se que todos os trabalhos elaborados pelos alunos vinculados ao
Curso de Enfermagem da Faculdade Pitágoras se orientem por meio deste instrumento que
possibilitará a inserção ao universo da pesquisa, acreditando sempre que esta prática
gradativamente se torne uma atitude ligada ao cotidiano daquele que busca um constante
aprimoramento científico, profissional, humano e social.

Cecília Godoi Campos

Ieda Aparecida Diniz

Jeizziani Aparecida Ferreira Pinto

Docentes do Curso de Enfermagem


4

Notas de Esclarecimento

- O Trabalho de Conclusão de Curso deve ser entregue para a Banca Examinadora 15 dias
antes da data da Defesa, impressa e encadernada em espiral e plástico transparente.

- A Banca deve obrigatoriamente ser composta por quatro membros:


 Professor Orientador
 Professor da disciplina Trabalho de Conclusão de Curso
 Dois professores convidados que serão decididos pelo aluno em conjunto com o
Professor orientador. Destes convidados somente um pode ser professor externo a
Faculdade Pitágoras.

- Apenas os trabalhos com pontuação igual ou superior a 90 pontos é que serão depositados na
biblioteca, e, portanto deverão ser impressos em capa dura na cor verde esmeralda com escrito
na cor prata. O texto deve seguir os moldes dispostos neste manual.

- Os Trabalhos de Conclusão de Curso com notas inferiores a 90 pontos devem ser entregues
somente gravados em CD em arquivo pdf. O CD precisa ser identificado com o nome do
aluno, título do Trabalho de Conclusão de Curso e data da defesa.

- Após a aprovação o aluno terá 10 dias para adequar as considerações feitas pela Banca
Examinadora, e providenciar a impressão do TCC para depósito na biblioteca ou a sua
gravação em CD.

Cecília Godoi Campos

Ieda Aparecida Diniz

Jeizziani Aparecida Ferreira Pinto

Docentes do Curso de Enfermagem


5

SUMARIO

1 PROJETO DE PESQUISA............................................................................ 08
1.1 Estrutura do Projeto de Pesquisa................................................................ 08
1.1.1 Descrição do Tema.................................................................................. 08
1.1.2 Revisão de Literatura............................................................................... 09
1.1.3 Delimitação e a questão norteadora......................................................... 09
1.1.4 Hipóteses ou Pressupostos....................................................................... 09
1.1.5 Justificativa.............................................................................................. 09
1.1.6 Determinação dos Objetivos................................................................... 09
1.1.7 Metodologia............................................................................................. 10
1.1.8 Cronograma............................................................................................. 10
1.1.9 Orçamento................................................................................................ 10
2 TRABALHO DE CONCLUSÃO DE CURSO (TCC)................................. 11
2.1 Diretrizes para a elaboração de uma Monografia....................................... 11
2.1.1 Introdução................................................................................................ 11
2.1.2 Tipos de Trabalho de Conclusão de Curso.............................................. 11
2.1.3 A estrutura do Trabalho de Conclusão de Curso..................................... 12
2.1.3.1 Capa...................................................................................................... 12
2.1.3.2 Folha de Rosto...................................................................................... 13
2.1.3.3 Ficha Catalográfica............................................................................... 13
2.1.3.4 Folha de Aprovação.............................................................................. 13
2.1.3.5 Páginas Preliminares............................................................................. 14
2.1.3.6 Lista de abreviaturas, Siglas e Símbolos.............................................. 14
2.1.3.7 Lista de Figuras..................................................................................... 14
2.1.3.8 Lista de Tabelas.................................................................................... 16
2.1.3.9 Sumário................................................................................................. 17
3 APRESENTAÇÃO GRÁFICA DOS TRABALHOS 18
ACADÊMICOS..................................................................................................
3.1 Introdução.................................................................................................... 18
3.2 Aspectos gráficos da redação....................................................................... 18
3.2.1Papel.......................................................................................................... 18
3.2.2 Digitação................................................................................................... 18
6

3.2.2.1 Formato.................................................................................................. 19
3.2.2.2 Espaços entrelinhamento....................................................................... 19
3.2.2.3 Margens................................................................................................. 19
3.2.2.4 Entrada de parágrafos............................................................................ 19
3.2.2.5 Notas de rodapé..................................................................................... 20
3.2.2.6 Numeração progressiva........................................................................ 20
3.2.2.7 Paginação............................................................................................... 20
3.2.2.8 Encadernação......................................................................................... 21
4 APRESENTAÇÕES DE CITAÇÕES EM DOCUMENTOS..................... 22
4.1 Citações........................................................................................................ 22
4.1.1 Classificação das citações......................................................................... 22
4.2 Regras gerais de apresentações.................................................................... 22
4.2.1 Citações diretas......................................................................................... 22
4.2.2 Tradução................................................................................................... 23
4.2.3 Supressões................................................................................................. 24
4.2.4 Interpolações............................................................................................. 24
4.2.5 Erros constantes no trecho transcrito........................................................ 24
4.3 Citações indiretas......................................................................................... 25
4.3.1 Citação de citação..................................................................................... 26
5 NOTAS DE RODAPÉ.................................................................................... 28
6 REFERÊNCIAS............................................................................................. 29
6.1 Título............................................................................................................ 33
6.2 Edição.......................................................................................................... 35
6.3 Notas tipográficas....................................................................................... 36
6.4 Descrição física............................................................................................ 38
6.5 Séries e coleções.......................................................................................... 40
7 MODELOS DE REFERÊNCIAS................................................................. 41
7.1 Monografia e bibliografias em geral............................................................ 41
7.2 Capítulos ou partes de livro......................................................................... 46
7.3 Dicionários................................................................................................... 47
7.4 Periódicos (revisas ou seriados)................................................................... 48
7.5 Artigo ou material de jornal......................................................................... 59
7.6 Dissertação, tese e monografia (Trabalho de Conclusão de Curso, 60
7

relatório e projeto de pesquisa.............................................................................


7.7 Eventos Científicos (Congresso, Seminário, Simpósio, etc)....................... 63
7.8 Documento jurídico adaptado (legislação, jurisprudência e 66
doutrina)..............................................................................................................
7.9 Outros materiais impressos.......................................................................... 70
7.10 Material audiovisual.................................................................................. 72
7.11 Documento Eletrônico............................................................................... 73
8 RESUMOS...................................................................................................... 79
8.1 Tipos de resumo........................................................................................... 79
REFERÊNCIAS................................................................................................. 81
ANEXOS............................................................................................................. 82
8

1 PROJETO DE PESQUISA
Compreende uma das fases da pesquisa. É a descrição da sua estrutura. (ABNT, 2011
a). O projeto de pesquisa segue as mesmas orientações de estrutura das dissertações, teses e
monografias, com acréscimo dos recursos utilizados e do cronograma, estabelecidos pela
norma de apresentação de projeto de pesquisa NBR 15.287 (ABNT, 2011 b).

1.1 Estrutura do projeto de pesquisa

1.1.1 Descrição do Tema

O tema para o projeto de pesquisa é amplo e deve precisar bem o assunto geral, refere-
se ao assunto que se pretende desenvolver na pesquisa. O tema pode originar de uma
dificuldade prática, da curiosidade científica, ou de desafios encontrados em outros trabalhos
ou no dia-a-dia na prática (MARCONI e LAKATOS, 2006 p. 217).
9

1.1.2 Revisão de Literatura

A Revisão de Literatura subsidia o tema do trabalho de pesquisa, e possibilita o


conhecimento a cerca de quem já escreveu sobre o tema, o que já foi publicado sobre o
assunto específico, quais os aspectos que já foram abordados e as lacunas existentes na
literatura.

1.1.3 Delimitação do objeto de estudo e a questão norteadora

A definição do objeto: delimitação do que deseja estudar. A formulação do problema


prende-se ao tema proposto e esclarece a dificuldade específica com a qual se defronta e que
se pretende resolver por intermédio da pesquisa. A pergunta de pesquisa guiará todas as
etapas da construção do projeto (MARCONI e LAKATOS, 2006 p. 220; GIL, 1999, p.58).

1.1.4 Hipótese ou Pressupostos

São suposições e tentam responder ao problema levantado e a pergunta feita. Após a


formulação do problema baseado em uma dificuldade compreendida e definida pelo
pesquisador necessita-se de uma resposta "provável, suposta e provisória", isto é, uma
hipótese os estudos quantitativos, e nos estudos qualitativos usamos o termo “pressuposto”
(MARCONI e LAKATOS, 2006 p. 220).

1.1.5 Justificativa

Refere-se a exposição das razões de ordem teórica e prática e exalta a importância do


tema e do problema a ser estudado. Convencimento de que o trabalho é fundamental
(MARCONI e LAKATOS, 2006 p. 218).

1.1.6 Determinação dos objetivos (Para que?)

Objetivo = meta, fim.

Começa com o verbo no infinitivo, responde a pergunta testando as hipóteses. Está


relacionado a uma visão geral e abrangente do tema. Relaciona-se com o conteúdo intrínseco,
10

tanto referente aos fenômenos e eventos, como as ideias estudadas (MARCONI e LAKATOS,
2006 p. 218).

1.1.7 Metodologia ou Percurso Metodológico

É a exposição dos métodos de abordagem e de procedimentos, assim como das


técnicas utilizadas (MARCONI e LAKATOS, 2006 p. 247). É na Metodologia que se
esclarece como e onde o estudo será realizado, nesta etapa do projeto descreve-se o se tipo de
estudo, o campo ou cenário a ser desenvolvida a pesquisa, a amostra ou os participantes da
pesquisa, o processo de coleta e análise dos dados, e os aspectos éticos.

1.1.8 Cronograma

Para planejar a pesquisa é preciso elaborar um cronograma de atividades. Este


planejamento consiste em dividir a pesquisa em partes, fazendo-se a previsão do tempo
necessário para passar de uma fase a outra. (MARCONI e LAKATOS, 2006 p. 225).

1.1.9 Orçamento

No item orçamento distribui-se os gastos previstos com a pesquisa. Estes gastos


devem ser detalhados e divididos em materiais de consumo (caneta, papel, lápis entre outros),
e materiais permanentes (computador, gravador entre outros) (MARCONI e LAKATOS,
2006 p. 225).
O orçamento se faz importante para avaliar o custo do estudo, se ele é viável, se existe
a possibilidade de recursos, e até mesmo há possibilidade de custeio por alguma fonte
financiadora.
11

2 TRABALHO DE CONCLUSÃO DE CURSO (TCC)

2.1 Diretrizes para a elaboração de uma monografia

2.1.1 Introdução

O termo monografia designa um tipo especial de trabalho científico. Considera-se


monografia aquele trabalho que reproduz sua abordagem a um único assunto, a um único
problema, com um tratamento específico.

Conceito: monografia significa “dissertação sobre um único assunto.”

MONOS: Um só
GRAPHEIN: Escrever

Pela origem histórica, etimologia e a evolução do uso do termo, podemos observar que
Monografia possui sentido lato e sentido estrito.
Em sentido estrito, identifica-se com a tese: tratamento estrito de um tema específico
que resulte de investigação científica, isto é, a abordagem deve abranger todos os aspectos e
ângulos do assunto.
Em sentido lato, é todo trabalho científico de primeira-mão, que resulte da
investigação científica. Consideram-se nesta categoria: as dissertações científicas, as
dissertações de mestrado, as antigas exercitações, certos relatórios de pesquisa e informações
científicas e as memórias científicas e obviamente a própria monografia no sentido
acadêmico, ou seja, o tratamento escrito aprofundado de um só assunto, de maneira descritiva
e analítica.

2.1.2 Tipos de Trabalho de Conclusão de Curso

 Monografia ou TCC (Graduação e Especializações)


 Dissertação de Mestrado
 Tese de doutorado ou Pós-doutorado
12

2.1.3 A Estrutura do Trabalho de Conclusão de Curso

A estrutura de um TCC contém na parte externa capa e lombada (elementos


obrigatórios na impressão oficial para depósito na biblioteca da faculdade) e contém na parte
interna os seguintes elementos:

Quadro 01: Estruturação dos elementos de uma monografia

Elementos Tópicos
Capa
Folha de rosto
Pré-textuais
Carta de aprovação
Dedicatória (opcional)
Agradecimento (opcional)
Epígrafe (opcional)
Resumo
Abstract
Lista de abreviações (figuras, desenhos, fotografias,
fluxogramas, gráficos e outros)
Lista de tabelas (se houver)
Lista de abreviaturas, siglas e símbolos
Sumário

Introdução
Revisão de Literatura
Textuais
Material e Método
Resultados
Discussão
Conclusão/ Considerações Finais

Pós-textuais Referências Bibliográficas


Anexos e ou apêndices

2.1.3.1 Capa

Varia de acordo com as normas da instituição; deve conter pelo menos os dois
primeiros itens abaixo:
- instituição e autor: no alto da página, centralizado em caixa alta; fonte Times New
Roman, tamanho 12;
13

- título: no meio da página, centralizado em caixa alta; fonte Times New Roman,
tamanho 16;
- local e ano: no pé da página, centralizado em caixa alta; fonte Times New Roman,
tamanho 12;
- não recebe número nem é contada;

2.1.3.2 Folha de Rosto

Além dos três elementos anteriores, nas mesmas posições, deve conter a nota de tese
ou dissertação. É recomendável que todos os trabalhos tenham esta nota, de acordo com o
nível em que realiza. A nota deve ter recuo de 4cm à direita e os seguintes dizeres:

Trabalho de Conclusão de Curso apresentado ao Curso de


Graduação em Enfermagem como requisito parcial para
obtenção do título de Bacharel em Enfermagem.
Área de concentração:
Orientador(a):

- a folha de rosto não recebe número, mas é contada;


- no verso dessa folha registra-se a ficha catalográfica.

2.1.3.3 Ficha Catalográfica

No verso da folha de rosto deve constar uma ficha catalográfica, conforme o Código
de Catalogação Anglo-Americano (CCAA), cuja preparação, em geral se dá pela biblioteca da
instituição em que elas se apresentam.

Após aprovação na banca examinadora, o aluno deve procurar a biblioteca da


faculdade para elaboração da ficha catalográfica.

2.1.3.4 Folha de Aprovação

- contem o nome dos professores examinadores e do professor orientador.


14

- não recebe número, mas é contada.


- será fornecida pelo Colegiado do Curso, depois da defesa e aprovação da Monografia
de Conclusão de Curso.

2.1.3.5 Páginas Preliminares

A dedicatória, agradecimento e epígrafe são opcionais. O resumo, palavras chave,


abstract, key-words são obrigatórios.

- Não recebem numeração, mas as folhas são contadas para o total de páginas
da monografia.
- A numeração inicia-se a partir da página da introdução.

- RESUMO (escrever esse título centralizado com caixa alta e negrito na margem
superior de uma página); texto sem recuo de parágrafo em bloco único, espaçamento 1,5, não
ultrapassando 250 palavras; evitar siglas, símbolos e palavras desnecessárias.

As palavras-chave devem ser retiradas prioritariamente dos Descritores


em Ciências da Saúde – DeCS (http//:decs.bvs.br).

2.1.3.6 Lista de Abreviaturas, Siglas e Símbolos

- O título será todo centralizado na margem superior de uma página, com caixa alta e
negrito;
- Lista, em ordem alfabética de abreviaturas, siglas e símbolos utilizados no texto.

2.1.3.7 Lista de Figuras

Considera-se como figuras: quadros, lâminas, plantas, fotografias, gráficos,


organogramas, fluxogramas, esquemas, desenhos e outros. As figuras são elementos
demonstrativos de síntese que constituem unidade autônoma e explicam ou complementam
visualmente o texto. Qualquer que seja seu tipo, sua identificação aparece na parte inferior
precedida da palavra Figura, seguida de seu número de ordem de ocorrência no texto em
15

algarismos arábicos, do respectivo título e/ou legenda explicativa e da fonte, se necessário. As


legendas das ilustrações devem ser breves e claras, dispensando consulta ao texto. Devem ser
inseridas o mais próximo possível do trecho a que se referem ABNT/ NBR 14724, 2001).

Exemplo de Quadro

Os quadros se diferenciam das tabelas por apresentarem em sua estrutura palavras


dispostas em linhas e colunas, portanto, apresentam essência esquemática descritiva e não
estatística (IBGE, 1993);

Quadro 01 – Relação das disciplinas e de suas características relacionadas ao curso de


Enfermagem
Disciplina Perfil
Enfermagem em Saúde Mental Obrigatória
Fundamentos técnicos e semiológicos de Enfermagem Obrigatória
Enfermagem do trabalho Obrigatória
Tópicos especiais Sexualidade na adolescência Optativa
Fonte: Arquivos da coordenação de Enfermagem

Exemplo de Gráfico
Os gráficos representam os dados das tabelas de forma dinâmica, e por isso é mais
eficiente na sinalização de tendências. Entretanto deve-se optar pelo uso do gráfico ou da
tabela, não se utiliza os dois juntos para demonstrar uma mesma informação (IBGE, 1993)
Os títulos dos gráficos devem ser colocados em sua parte inferior.
16

2.1.3.8 Lista de Tabelas

Conforme o IBGE (1993), as tabelas são elementos demonstrativos de síntese que


constituem unidade autônoma. As tabelas apresentam informações tratadas estatisticamente.
Em sua apresentação:
a) têm numeração independente e consecutiva;
b) o título é colocado na parte superior, precedido da palavra Tabela e de seu número de
ordem em algarismos arábicos;
c) as fontes citadas, na construção de tabelas, e notas eventuais aparecem no rodapé após o fio
de fechamento;
d) caso sejam utilizadas tabelas reproduzidas de outros documentos, a prévia autorização do
autor se faz necessária, não sendo mencionada na mesma;
e) devem ser inseridas o mais próximo possível do trecho a que se referem;
f) se a tabela não couber em uma folha, deve ser continuada na folha seguinte e, nesse caso,
não é delimitada por traço horizontal na parte inferior, sendo o título e o cabeçalho repetidos
na folha seguinte;

Exemplo de Tabela

Tabela 2 - Caracterização dos pacientes acometidos por TICS admitidos no hospital Maria do
Socorro, segundo as variáveis clínicas. Divinópolis, MG, Brasil, 2005-2010
Variável Frequência (n %)
1-Procedência
Consultório Médico Particular 612 (22,5)
Centros de Atenção Psicossocial 1123 (41,3)
Família 703 (25,9)
Outros 276 (10,1)
2. Tempo de Internação na CSBM
1 a 30 dias 1770 (65,2)
31 a 60 dias 783 (28,8)
61 a 90 dias 109 (4,0)
> 90 dias 53 (1,9)
Fonte: banco de dados do Hospital Mara do Socorro
* Dados hipotéticos
17

2.1.3.9 Sumário

O sumário tem a finalidade de dar uma visão geral do trabalho, facilitando a


localização dos assuntos. Nele são enumeradas as principais divisões, seções e outras partes
do trabalho, acompanhadas dos respectivos números de página. Devem-se observar a mesma
ordem e a mesma grafia que nele aparecem.
18

3 APRESENTAÇÃO GRÁFICA DOS TRABALHOS ACADÊMICOS


3.1 Introdução

A Associação Brasileira de Normas Técnicas (ABNT) é o Fórum Nacional de


Normalização. As Normas Brasileiras são elaboradas em todas as áreas do conhecimento e
seu conteúdo é de responsabilidade dos Comitês Brasileiros e dos Organismos Nacionais
Setoriais, particularmente organizadas pelas Comissões de Estudo formadas por
representantes dos setores envolvidos: universidades, laboratórios, produtores, consumidores
e especialistas em cada área.

3.2 Aspectos gráficos da redação

Para garantir uma apresentação gráfica uniforme e dentro dos padrões nacionais
definidos pela NBR 14724 (2002), devem ser observados criteriosamente os seguintes
princípios:

3.2.1 Papel

Os textos devem ser apresentados em papel branco de boa qualidade, formato A4


(21,0 cm x 29, 7 cm), digitados em uma só face, usando- se tinta preta. Reserva- se o uso de
tinta colorida para as ilustrações, gráficos, fotografias, mapas, etc.
O texto é apresentado somente no anverso da folha, sendo que a única folha que
contém informação no verso é a folha de rosto, que apresenta a ficha catalográfica com a
descrição física e temática do documento, elaborada por um profissional bibliotecário.
Exige-se a ficha catalográfica em trabalhos acadêmicos que serão doados à biblioteca
da instituição para armazenar a produção discente dos cursos ou que serão posteriormente
publicados.

3.2.2 Digitação

Recomenda-se para digitação dos trabalhos com relação ao formato, margens,


espaçamento, paginação, numeração progressiva.
19

3.2.2.1 Formato

a) Fonte da letra: Times New Roman;


b) Tamanho da fonte: 12 para o texto e 10 para as citações longas (transcrições com 4 ou mais
linhas) e notas de rodapé;
c) Os títulos devem ser em caixa alta e os subtítulos apenas inicial em maiúsculo. Ambos
devem ficar claramente identificados em negrito
d) Após os títulos não deve ser colocado nenhum tipo de pontuação.

3.2.2.2 Espaços de entrelinhamento

O entrelinhamento diferenciado facilita a visualização gráfica do texto, permitindo


uma correta distribuição dos elementos e/ou partes que o compõem.
Recomenda-se:

a) Para digitação do texto: 1,5 de entrelinhas;


b) Para as citações longas, as notas de rodapé, as referências, a ficha catalográfica e as notas
indicativas das folhas de rosto e de aprovação: espaço simples de entrelinhas;
c) Entre os títulos das seções e o texto correspondente, entre o texto e as citações longas e
vice-versa, entre o texto e as ilustrações e vice-versa: dois espaços de 1,5.

3.2.2.3 Margens

Para permitir uma boa visualização e encadernação do texto, recomenda-se:


a) Margem esquerda: 3 cm
b) Margem superior: 3 cm.
c) Margem direita: 2 cm
c) Margem inferior: 2 cm

3.2.2.4 Entradas de parágrafos

Recomenda-se usar:
20

a) Para indicar o início de parágrafos e de alíneas: 2 cm;


b) Nas citações longas: recuo de 4 cm a partir da margem esquerda, para todas as linhas da
citação.

3.2.2.5 Notas de rodapé

As notas podem ser de referência – quando é indicado um documento relacionado ao


assunto e explicativas – quando apresenta-se um comentário ou quando se faz a tradução de
uma palavra ou trecho que estiver em outro idioma.
Devem ser digitadas dentro das margens, ficando separadas do texto por um espaço
simples de entrelinha e por um filete de 3cm, a partir da margem esquerda.
As notas de rodapé devem ser digitadas em fonte menor – 11 ou 10, conforme o
padrão adotado na citação longa. Elas não têm espaçamento interlinear. Não devem ser
digitadas a partir da 2ª linha abaixo dos números indicativos de ordem, os quais ficam
destacados.

3.2.2.6 Numeração progressiva

Para evidenciar a sistematização do conteúdo do trabalho, hierarquizando-se as


subdivisões de assunto, deve-se adotar a numeração progressiva para as seções do texto (NBR
6024, 2003). Os títulos das seções primárias, correspondentes aos capítulos, devem iniciar em
folha distinta.
O indicativo numérico de uma seção precede seu título, alinhado à esquerda, separado
por um espaço. Não deve ser usado nenhum tipo de sinal após o indicativo.
Os títulos sem indicativo numérico, como: resumos, listas, sumário, referências,
devem ser centralizados na folha.

3.2.2.7 Paginação

Os trabalhos acadêmicos são apresentados em uma só lauda. Por isso, consideram-se


folhas e não páginas, como nos trabalhos publicados nos quais as informações são
apresentadas no anverso e no verso da folha.
21

As folhas devem ser numeradas sequencialmente, observando-se:

a) todas as folhas do trabalho, a partir da folha de rosto, devem ser contadas sequencialmente,
mas não numeradas; cabe lembrar que a capa não é numerada e nem contada.
b) a numeração é colocada, a partir da primeira folha da parte textual, na introdução, em
algarismos arábicos, no canto superior direito da folha, a 2 cm da borda superior, ficando o
último algarismo a 2 cm da borda direita da folha;
c) as folhas preliminares ou pré-textuais, desde a folha de rosto, são consideradas na
contagem, mas não recebem numeração;
d) no caso de o trabalho ser constituído de mais de um volume, deve ser mantida uma única
sequencia de numeração de folhas, do primeiro ao último volume.

3.2.2.8 Encadernação

Para a Banca Examinadora: utilizar encadernação espiral em plástico transparente.


Para Depósito na Biblioteca: utilizar capa dura na cor verde esmeralda com escrito
na cor prata.
22

4 APRESENTAÇÃO DE CITAÇÕES EM DOCUMENTOS


4.1 Citações

As citações permitem comprovar a ideia do trabalho, conferir maior autoridade e


credibilidade ao seu texto, enriquecer as informações apresentadas.
O uso de citações demonstra o conhecimento da literatura sobre o assunto em estudo,
reconhece a contribuição dos autores no desenvolvimento de uma área de conhecimento e
permite a averiguação das informações citadas.

4.1.1 Classificação das citações

A NBR 10520: informação e documentação: apresentação de citações em documentos


(2002) adota as seguintes definições:

a) citação: é a menção no documento de uma informação extraída em outra fonte;


b) citação direta: é a transcrição textual de um trecho da obra consultada;
c) citação indireta: é a citação livre de um trecho da obra consultada;
d) citação de citação: é a citação direta ou indireta de um trecho de um documento em que
não se teve acesso ao original.

4.2 Regras gerais de apresentação

4.2.1 Citações diretas

As citações diretas, textuais ou transcrições, correspondem às citações literais de um


trecho do autor consultado, quando se quer demonstrar a clareza ou a força de seus
argumentos para fundamentação teórica de uma questão. As citações diretas devem respeitar
as características formais em relação à redação, à ortografia e à pontuação original.
As entradas das citações são feitas pelo(s) sobrenome(s) autor(es); pela instituição
responsável, em caso de obras cuja responsabilidade for de uma entidade coletiva; pela
primeira palavra do título em caixa alta seguida de reticências, em caso de obras sem autoria
definida.
23

Citações diretas curtas: até três linhas devem ser transcritas entre “aspas duplas”,
com o tipo e tamanho da letra utilizados no parágrafo ao qual será incorporada.

Exemplo:

“Os bibliotecários têm cada vez mais se preocupado com a qualidade dos serviços de
referência que fornecem.”(FIGUEIREDO, 1996, p. 37).

Citações longas : de quatro ou mais linhas são transcritas em parágrafo independente


com recuo de 4 cm da margem esquerda, com espaço interlinear simples e corpo de letra
menor que a do texto utilizado, sem as aspas duplas. Recomenda-se padronizar o uso da
fonte menor nas citações longas e nas notas de rodapé no tamanho 10, tendo em vista a
legibilidade para leitura das informações.

Exemplo:
Selecionar um assunto equivalente a eliminar aqueles aspectos que, por uma razão
plausível, devem ser evitados e fixar-se naquele que merece prioridade. Não pode
haver seleção sem critérios de sempre: convém, portanto, definir os critérios que o
investigador tomará em consideração, quando tiver de proceder à escolha de um
assunto. (CERVO; BERVIAN, 1996, p. 63).

4.2.2 Tradução

A alteração do original de palavras ou trechos deve ser indicada pela expressão


(tradução do autor) ou (tradução nossa), conforme o caso.

Exemplos:

“Manuais (handbooks) são instrumentos compactos de referência que tratam de


maneira concisa da essência de um assunto.” (FIGUEIREDO, 1996, p. 18, tradução do autor).

Abstracts (revistas de resumos) são “periódicos de resumos e boletins de bibliotecas


contendo resumos, ao condensar trabalhos originais” que facilitam a busca de informação,
economizando o tempo de leitura. ( FIGUEIREDO, 1996, p. 80, tradução nossa).
24

4.2.3 Supressões

Para suprimir partes da citação, usam-se [...] nos trechos eliminados.

Exemplos:

“[...] o trabalho acadêmico constitui-se numa preparação metodológica para


futuros trabalhos de investigação”. (FRANÇA et al, 1998, p. 33).

“A fotografia dificilmente traz alguma informação escrita [...]” (ALVES;


VALÉRIO, 1998, p. 13).

“No Brasil, [...], a Internet iniciou e ganhou força no meio acadêmico.”


( CENDÓN, 2000, p. 279).

4.2.4 Interpolações

As interpolações representam comentários, explicações ou acréscimos inseridos em


uma transcrição, apresentados entre colchetes.
Exemplo:

“Uma monografia científica [dissertação ou tese] deve, pois, assumir a forma lógica de
demonstração de uma tese proposta hipoteticamente para solucionar um problema”.
(SEVERINO,1998, p. 148).

4.2.5 Erros constantes no trecho transcrito

As transcrições devem corresponder exatamente ao original. Desse modo, deverão ser


mantidos os erros ortográficos, de concordância ou de outra natureza. Após o erro, usar a
palavra latina (sic) que significa que estava “assim mesmo”, no texto original.

Exemplo:
25

“Agora Trong eram um multilado (sic) física e espiritualmente [...]” (KONSALIK,


1995, p. 9).

4.3 Citações indiretas

As citações indiretas, também conhecidas como citações livres ou paráfrases,


constituem citações das ideias de um autor consultado, sem ocorrer a transcrição literal de
suas palavras, porém, tomando-se o cuidado de não deturpar o sentido de suas ideias. A
citação indireta baseia-se no “parafraseamento” da ideia do autor, é preciso ter cuidado com
plágio, considerado crime ético atribuído a quem copia a ideia sem parafrasear e referenciar
devidamente o autor.
Nas citações indiretas, embora seja opcional a indicação da (s) página (s)
consultada(s), conforme a NBR 10520 (2002, p. 2), sugere-se a sua utilização para facilitar a
identificação e localização da informação citada.
Como nas transcrições, há duas formas de apresentar as citações livres:
a) o nome do autor faz parte integrante da citação;

Na opinião de Ruiz (1992, p. 39), sublinhar é uma técnica utilizada em trabalhos de síntese
que exige algumas normas para garantir sua eficácia.

b) a indicação da fonte poderá suceder a citação;

A introdução é a apresentação do assunto e permite que o leitor tenha uma visão de conjunta
do tema tratado em um documento (MIRANDA; GUSMÃO, 2000, p. 12).

c) dados obtidos por informação oral (eventos científicos, entrevistas): mencionar os


dados disponíveis somente em nota de rodapé.

Exemplo:
Segundo Wright (2002), a diversidade é considerada um valor fundamental nas
bibliotecas (informação verbal)¹
___________
¹ Wright, Janet. A Biblioteconomia nos Estados Unidos. Formiga: ESBI, 13 mar. 2006.
26

Palestra ministrada aos profissionais da informação em comemoração ao Dia do


Bibliotecário.

4.3.1 Citação de citação

A citação de citação corresponde a uma transcrição direta ou indireta de um trecho de


um autor já citado pelo autor do documento que estamos consultando. Assim, trata-se de uma
fonte intermediária de citação, em que a responsabilidade pela fidelidade às palavras do autor
original são do autor consultado.
A citação de citação deverá ser usada somente quando não for possível ter acesso ao
documento original e essencial sua utilização para esclarecer, ilustrar ou comprovar a
informação que se quer demonstrar. Este tipo de citação deve ser evitado.
Na citação de citação, serão citados dois documentos simultaneamente, os quais serão
referenciados em partes distintas do trabalho:

a) no texto: cita-se o sobrenome do autor da fonte não consultada e data de publicação,


seguidos da expressão latina apud e o sobrenome do autor da fonte efetivamente consultada,
dada e paginação;

b) em nota de rodapé: apresenta-se a referencia do documento original;

c) em listagem de referencias, após a conclusão: apresenta-se a referencia do documento


efetivamente consultado.

Exemplos:
No texto¹
Segundo Bloom (1972 Apud Salvador, 1986, p. 15), a aprendizagem cognitiva pode
consistir em várias operações: conhecimento, compreensão, análise, síntese, julgamento,
aplicação, às quais pode-se acrescentar a criatividade.

Em Referências, após a conclusão do trabalho


27

SALVADOR, A. D. Métodos e técnicas de pesquisa bibliográfica: elaboração de trabalhos


científicos. 11. ed. rev. e ampl. Porto Alegre: Sulina, 1986.

Sistemas de chamada

As citações são indicadas no texto pelo sistema autor-data, o qual corresponde à forma
de entrada do documento. A lista de referências engloba todos os documentos consultados na
pesquisa bibliográfica, independe de ser um suporte impresso ou eletrônico. É apresentada
logo após a conclusão do trabalho, ordenada em ordem alfabética, conforme a forma de
entrada adotada nas citações.
Quando houver coincidência de autores com o mesmo sobrenome e data, acrescentam-
se as iniciais de seus prenomes; se persistir a coincidência, colocam-se os prenomes por
extenso.

( BARBOSA, C., 1995) (BARBOSA, Carla, 1985)


(BARBOSA, M., 1995) (BARBOSA, Celso, 1985)

As citações de diversos documentos de um mesmo autor são assim indicadas:

a) publicados no mesmo ano: são distinguidos pelo acréscimo de letras minúsculas após a
data e sem espacejamento;

(FERNANDES, 1990 a)
(FERNANDES,1990 b)

b) publicados em anos diferentes: as datas são separadas por vírgulas, quando os autores são
citados simultaneamente.

(ORNELLAS, 1989, 1991, 1995 )

As citações de diversos documentos de vários autores, mencionados simultaneamente,


devem ser separadas por ponto e virgula, em ordem alfabética.
28

5 NOTAS DE RODAPÉ
Constituem indicações, observações ou explicações feitas pelo autor, tradutor ou
editor. As notas devem ser digitadas na margem esquerda da folha, separadas do texto por um
espaço simples de entrelinha e por um filete de 3 cm. São digitadas em corpo menor de letra,
adotando-se o mesmo tamanho usado para as citações longas.
É usado o espaço simples no entrelinhamento de uma nota. As notas devem ser
alinhadas, a partir da segunda linha da mesma nota, abaixo da primeira letra da palavra, de
forma a destacar o expoente e sem espaço de entrelinhamento entre as mesmas.
29

6 REFERÊNCIAS
As referências representam um “conjunto padronizado de elementos descritivos,
retirados de um documento, que permite sua identificação individual” (NBR 6023, 2002, p.
2).
Segundo a NBR 6023 (2002), o termo referência deve ser adotado de forma genérica,
já que há grande diversidade de fontes de informação, bibliográficas e não bibliográficas.

Dispõe-se neste manual a formatação de referências no estilo ABNT e Vancouver.


Embora o Trabalho de Conclusão de Curso deva ser entregue nas padronizações da
ABNT, é importante que o aluno conheça o estilo Vancouver, considerando tratar-se de
uma formatação comumente requisitada nas publicações em periódicos.

a) Autoria
 Autor(es): pessoa(s) física(s) responsável(eis) pela criação do conteúdo intelectual ou
artístico de um documento.
 Autor(es) entidade(s): instituição(ões), organização(ões), empresa(s), comitê(s),
comissão(ões), evento(s) entre outros, responsável(eis) por publicações em que não se
distingue a autoria pessoal (ABNT, 2002a)

b) Vários autores
30

c) Responsabilidade Intelectual

d) Nomes ligados por hífen


31

e) Nomes constituídos de duas ou mais palavras que formem uma expressão

f) Nomes que possuem designação de parentesco

g) Nomes espanhóis
32

h) Nomes com prefixos

i) Vários trabalhos de um mesmo autor


No estilo Vancouver, quando for referenciar dois ou mais trabalhos do mesmo autor,
deve ser colocado o sobrenome e as iniciais do nome. Na norma ABNT usa-se um traço.

j) Autores Corporativos

As obras de responsabilidade de entidades como órgãos governamentais, associações,


etc. iniciam-se, de modo geral, pelo nome da entidade. Quando a entidade tem uma
denominação genérica, seu nome é precedido pelo nome do órgão superior, ou pelo nome da
33

jurisdição geográfica à qual pertence. Em caso de duplicidade de nomes, acrescentar no final


a unidade geográfica que identifica a jurisdição, entre parênteses (ABNT, 2002)

6.1 Título

a) Entradas pelo título


34

b) Títulos de eventos (Congressos, Seminários, Simpósios, etc.)

c) Títulos traduzidos

d) Títulos de Periódicos

 Vancouver
Para títulos de periódicos com mais de uma palavra, consulte a padronização do título
abreviado em “Journals in NCBI Database”, no Portal Pubmed, disponível em:
http://www.ncbi.nlm.nih.gov/nlmcatalog/journals. Para títulos com apenas uma palavra, não
abreviar.
35

 ABNT
Os títulos de periódicos podem ser apresentados por extenso ou abreviados de acordo
com a NBR 6032 (ABNT, 1989) e em negrito.

6.2 Edição
36

6.3 Notas tipográficas (local de publicação, editora e ano)

a) Cidade

b) Editora
37

c) Ano de publicação

d) Sem data de publicação


38

e) Datas incertas de publicação

6.4 Descrição Física

a) Paginação
39

b) Indicação de volume para livros, capítulos ou partes

c) Indicação de volume para periódicos


40

d) Indicação de fascículos para periódicos

6.5 Séries e Coleções

Recursos criados pelos editores ou pelas instituições responsáveis para reunir


conjuntos específicos de obras que recebem o mesmo tratamento gráfico-editorial (ABNT,
2002).
41

7 MODELOS DE REFERÊNCIA
7.1 Monografia e bibliografias em geral

a) Monografia considerada no todo com um autor

b) Com dois autores


42

c) Com três ou mais autores

d) Com indicação de responsabilidade intelectual (editor, organizador, coordenador e


outros)
43

e) Autores corporativos (órgãos governamentais, entidades, associações, etc.)

f) Trabalhos sem autoria expressa (autoria desconhecida ou não identificada)


44

g) Com indicação do tradutor (opcional)

h) Com indicação de subtítulo


45

i) Com indicação de série

j) Com indicação de volume


46

7.2) Capítulos ou partes de livros

a) Capítulo de livro cujo autor é o mesmo da obra


47

b) Capítulo de livro de autor colaborador (autor do capítulo não é o mesmo da obra)

7.3 Dicionários

a) Considerados no topo
48

b) Partes ou verbetes

7.4 Periódicos (revistas ou seriados)


49

a) Artigos com três ou mais autores


50

b) Artigo sem autoria

c) Artigo com uma ou múltiplas instituições como autor


51

d) Artigo com autoria pessoal e institucional

e) Artigo publicado eletronicamente antes da versão impressa, (Epub ahead of print)


52

f) Com dados da versão impressa e data da versão eletrônica

g) Artigo no prelo “In press”


53

h) Artigo com digital object identifier (DOI)

i) Sem indicação do volume


54

j) Volume com suplemento

l) Volume publicado em partes


55

m) Fascículo com suplemento

n) Fascículo publicado em partes


56

o) Número especial

p) Artigo sem indicação de fascículo e volume


57

q) Paginação em algarismos romanos

r) Artigo com publicação de errata


58

s) Editorial ou Carta

t) Resenhas
59

u) Revistas com títulos homônimos

Caso haja revistas com títulos idênticos, indique entre parênteses o local de
publicação.

7.5 Artigo ou matéria de jornal

Observação: este tipo de material deve ser evitado em trabalhos científicos.


60

7.6 Dissertação, tese e monografia (trabalho de conclusão de curso), relatório e projeto


de pesquisa

a) Dissertação de Mestrado
61

b) Tese de doutorado

c) Tese livre-docência
62

d) Monografia (Trabalho de Conclusão de Curso)

e) Relatório e projeto de pesquisa

Relatórios e projetos de pesquisa não são recomendados para uso como Referências
em artigos científicos, pois se considera que estes documentos são de acesso restrito e
geralmente não estão disponíveis para consulta, portanto relatórios e projetos devem ser
mencionados em nota de rodapé.
63

7.7 Eventos Científicos (Congresso, Seminário, Simpósio, etc.)

a) Considerados no todo
64

b) Trabalhos apresentados em eventos e publicados sobre forma de resumos, anais,


“proceedings”, etc.
65

c) Publicados em periódicos

d) Não publicados
Trabalhos apresentados em evento e não publicados devem ser mencionados em nota
de rodapé.
66

7.8) Documento jurídico adaptado (legislação, jurisprudência e doutrina)

a) Legislação
67

b) Constituição Federal

c) Emenda Constitucional
68

d) Medida Provisória

e) Portarias, Deliberações, Resoluções, etc.


69

f) Códigos

g) Consolidação de leis
70

7.9 Outros materiais impressos

a) Mapa

b) Bíblia
71

c) Entrevista/ Depoimento

d) Anuário estatístico e censo

e) Relatório técnico ou científico


72

f) Folder

7.10 Material audiovisual

a) Vídeo

b) DVD
73

7.11 Documento eletrônico

a) Livro e outras monografias (e-books)

b) Capítulo de livro (capítulo de e-book)


74

c) Dicionário

d) Tese de Dissertação
75

e) Evento

f) Artigo de Periódico
76

g) Artigo ou matéria em jornal

h) Documento Jurídico
77

i) Homepage/ Website

j) Bases de dados online


78

l) Software

m) Relatório de Pesquisa
79

8 RESUMOS

O resumo apresenta de modo conciso, coerente e seletivo, as informações básicas de


um texto já existente. Esse tipo de texto tem a finalidade de difundir informações contidas em
livros, artigos ou outros documentos. Também é solicitado para submeter à comissão
organizadora de algum evento científico um trabalho que se propõe ser apresentado. Neste
caso, o resumo, se aceito o trabalho, é publicado em cadernos de resumos ou em anais. Em
tais eventos, também se solicita aos palestrantes convidados um resumo de sua palestra, que
também é publicado nos veículos mencionados.
Aprender a resumir bem um texto é a primeira e mais importante tarefa no início de
uma dissertação.

8.1 Tipos de resumo

O resumo consiste na redução de um texto, demonstrando de forma concisa a


mensagem e as informações fundamentais nele contidas. Resumir um texto representa
sintetizá-lo. Há vários tipos de resumo, de acordo com seu objetivo:

Tipos de resumo Objetivo


Resumo ou abstract É a síntese de uma dissertação/tese; no início desta, para em no
máximo duas páginas informar o potencial ao leitor do que trata o
trabalho de pesquisa.
Resenha Trata-se de um trabalho escolar e/ou acadêmico, que resume as
ideias de um livro, filme, palestra, reunião, artigo científico etc. e
que e se destina à avaliação de um curso ou publicação em revista
técnica.
Resenha crítica A “resenha crítica”, além das informações resumidas, contém um
parecer do resenhista. Compõem-se de: a) Referências
bibliográficas, b) Credencias do autor, c) Resumo da obra, d)
Conclusões do autor (quando há), e) Metodologia da autora, f)
Quadro de referências, g) Crítica do resenhista, h) Indicações do
resenhista.
Paper É a síntese de uma comunicação oral prevista em um evento
80

científico, (seminário, simpósio, encontro, etc.), apresentando


resultados de uma pesquisa, que é enviada previamente aos
organizadores. Ao final do evento, o texto completo
(comunicação) é entregue para posterior publicação nos anais do
evento.
Comunicação É o relatório do que foi efetivamente dito no evento e anunciado
no paper, geralmente destinado à publicação posterior nos anais.
Fichamento Resumo informativo de uma publicação escrita numa ficha, com o
intuito de facilitar a consulta e levantamento bibliográfico a
respeito de determinado assunto ou para organização de biblioteca
pessoal (MEDEIROS, 2000).
81

REFERÊNCIAS BIBLIOGRÁFICAS

ASSOCIAÇÃO BRASILEIRA DE NORMAS TÉCNICAS. NBR 6023: Informação e


documentação: referências: elaboração. Rio de Janeiro, 2002.

______. NBR 6032: Abreviação de títulos de periódicos e publicações seriadas. Rio de


Janeiro, 1989.

______. NBR 14724: Informação e documentação: trabalhos acadêmicos: apresentação. Rio


de Janeiro, 2001.

______. NBR 10520: Informação e documentação: citações em documentos: apresentação.


Rio de Janeiro, 2002.

______. NBR 6024: Informação e documentação: numeração progressiva das seções de um


documento escrito: apresentação. Rio de Janeiro, 2003.

______. NBR 6027: Informação e documentação: sumário: apresentação. Rio de Janeiro,


2003.

______. NBR 6028: Informação e documentação: resumo: apresentação. Rio de janeiro, 2003.

______. NBR 14724: Informação e documentação: trabalhos acadêmicos: apresentação. 3 ed.


Rio de Janeiro, 2011.

GIL, Antonio Carlos. Métodos e técnicas de pesquisa social. 5. ed. São Paulo: Atlas, 1999.

IBGE. Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística.Normas de apresentação tubular. 3. Ed.


Rio de Janeiro, 1993.

MEDEIROS, João Bosco. Redação científica: a prática de fichamento, resumos, resenhas. 4.


ed. São Paulo: Atlas, 2000.
82

ANEXOS

Consta na seção de anexos:

1) Modelo de Capa e Lombada


2) Modelo de Folha de Rosto
3) Modelo de Ficha de Aprovação pela Banca Examinadora
4) Modelo de Ficha Catalográfica
5) Modelo de Sumário
6) Modelo de Folha de dedicatória (opcional)
7) Modelo de Folha de Agradecimentos (opcional)
8) Modelo de Epígrafe (opcional)
9) Modelo de Resumo/ Abstract
10) Modelo de Lista de Tabelas
11) Modelo de Lista de Abreviaturas
12) Modelo de Lista de Siglas
13) Modelo de Resenha Crítica
14) Modelo de Fichamento
15) Elementos opcionais e obrigatórios de Trabalhos de Conclusão de Curso (TCC)
83

1 Modelo Parte Externa


84

2 Modelo de Folha de Rosto


85

3 Modelo de ficha de aprovação de monografia


86

4 Modelo de ficha catalográfica


87

5 Modelo de Sumário
88

6 Modelo de folha de dedicatória (opcional)


89

7 Modelo de Folha de Agradecimentos (opcional)


90

8 Modelo de Epígrafe (opcional)


91

9 Modelo de Resumo/ Abstract


92

10 Modelo de Lista de Ilustrações


93

10 Modelo de Lista de Tabelas


94

11 Modelo Lista de Abreviaturas


95

12 Modelo de Lista de Siglas


96

13 Modelo de Resenha Crítica


97

14 Modelo de Fichamento

Sondagem Vesical

Tipos de Sondagem Vesical 1.1 A

POTTER, Patrícia A.; PERRY, Anne Griffin. Fundamentos de


Enfermagem. 7 ed. Rio de Janeiro: Elsevier, 2009. 1480p.

Biblioteca Faculdade Pitágoras/ Unidade Divinópolis


98

15 Elementos opcionais e obrigatórios de Trabalhos de Conclusão de Curso (TCC)

Conforme a NBR 14724 (2011), o trabalho se divide em duas partes:

Parte externa:

 Capa (Obrigatório)

 Lombada (Opcional)

Parte interna:

Elementos pré-textuais

 Folha de Rosto – (Obrigatório)

 Errata – (Opcional)

 Folha de Aprovação – (Obrigatório)¹

 Dedicatória – (Opcional)

 Agradecimentos – (Opcional)

 Epígrafe – (Opcional)

 Resumo na língua Original – (Obrigatório)

 Resumo na língua Estrangeira – (Obrigatório)

 Lista de Ilustrações – (Obrigatório, se houver ilustração no trabalho)

 Lista de Tabelas – (Obrigatório, se houver tabelas no trabalho)

 Lista de Abreviaturas e Siglas – (Obrigatório, se houver siglas no trabalho)

 Lista de símbolos – (Obrigatório, se houver símbolos no trabalho)

 Sumário – (Obrigatório)
99

Elementos textuais ²

 Introdução – (Obrigatório)

 Desenvolvimento – (Obrigatório)

 Conclusão – (Obrigatório)

Elementos pós-textuais

 Referências – (Obrigatório)

 Glossário - (Opcional)

 Apêndices - (Opcional)

 Anexos - (Opcional)
___________________________________________
1 Substituída pela Ata de Aprovação fornecida pela Faculdade Pitágoras.
2 A nomenclatura dos títulos dos elementos textuais fica a critério do autor.