Você está na página 1de 2

CURSO ESPECIFICO TOTAL CALCULUS – ENEM 2018

PROFESSOR: MARCIVALDO SANTOS DISCIPLINA: FÍSICA


AULA: 20 ASSUNTO: Hidrostática II

PRINCÍPIO DE PASCAL De acordo com o Princípio de Pascal, a pressão


O francês Blaise Pascal, que viveu no século XVI, fez exercida pela pessoa é transmitida integralmente
importantes descobertas na Matemática e na Física. No através do óleo para o outro lado do elevador. Por isso,
campo da Mecânica dos Fluidos, a sua contribuição a razão entre a força exercida pela pessoa e a área do
mais relevante, hoje conhecida como Princípio de êmbolo menor, f/a, deve ser igual à razão entre a força
Pascal, pode ser assim enunciada: que aparece no lado oposto e a área do êmbolo maior,
“A pressão exercida sobre um líquido em F/A. Explicitando a força f, obtemos:
equilíbrio se transmite integralmente a todos os
pontos do líquido e às paredes do recipiente no
qual o líquido está confinado”.
A figura ilustra uma experiência simples para
Para erguer o carro da figura 2 com velocidade
demonstrar o Princípio de Pascal. Nela, temos um
constante, a força F exercida pelo êmbolo deve ter a
cilindro cheio de líquido, um balão de borracha
mesma intensidade que o peso do carro. Nessas
conectado ao cilindro e cinco manômetros também
condições, se a massa do carro for igual a uma
conectados ao cilindro em diferentes posições. Dentro
tonelada, então F deve ser igual a 1 000 kgf.
do balão de borracha, há um pouco de ar aprisionado.
Considerando as áreas A = 2,0 m2 e a = 0,020 m2, a
Esse ar exerce uma pressão sobre a superfície do
intensidade da força f necessária para erguer o carro
líquido. Apertando o balão, a pressão exercida pelo ar
será:
sobre a superfície do líquido aumenta. Os cinco
manômetros, que se acham distribuídos em diferentes
posições nas paredes do cilindro, registram o mesmo
aumento de pressão.
Note que o módulo da força f é 100 vezes menor do que
o de F, porque a área A é 100 vezes maior do que a
área a. Na prática, uma máquina com um quociente A/a
muito grande não é viável, pois o óleo, sendo
incompressível, deve apresentar os mesmos
deslocamentos volumétricos nos dois cilindros do
elevador. Assim, como os cilindros apresentam áreas
diferentes, os seus deslocamentos lineares são
diferentes.

PRINCÍPIO DE ARQUIMEDES

As máquinas hidráulicas, como elevadores e prensas Empuxo


hidráulicas, funcionam com base no Princípio de Quando você se encontra dentro de uma piscina com
Pascal. Uma máquina hidráulica é um dispositivo capaz água, o líquido exerce sobre seu corpo uma força
de multiplicar o efeito de uma força por meio da denominada empuxo que age de baixo para cima sobre
transmissão da pressão exercida por essa força em um você. Por isso, embora seu peso continue sendo
líquido. Para explicar o funcionamento dessas exatamente o mesmo, você se sente mais leve dentro
máquinas, vamos considerar a figura 2, que representa da água do que fora dela. O grego Arquimedes, que
um elevador hidráulico, constituído por dois cilindros viveu por volta do ano 400 a.C., foi o primeiro a estudar
dotados de êmbolos, interligados e cheios de óleo. esse fenômeno, formulando o que hoje conhecemos
como o Princípio de Arquimedes, cujo enunciado é o
seguinte:

Todo corpo imerso em um fluido (líquido ou gás)


sofre a ação de uma força de empuxo exercida
pelo fluido, cujo sentido é de baixo para cima e
cujo módulo é igual ao módulo do peso do fluido
deslocado pelo corpo.
Uma experiência simples para comprovar o Princípio de Condições de flutuação
Arquimedes está ilustrada na figura 3. Na primeira
etapa da experiência, o peso de uma pedra é registrado As intensidades do peso do objeto e do empuxo
por meio de um dinamômetro. Digamos que o valor exercido pelo líquido definirão que tipo de evento
obtido seja P = 3,5 N. Na sequência, a pedra é ocorrerá com o objeto. Para discutirmos mais
mergulhada em um recipiente com água. Nessa detalhadamente esse problema, vamos escrever o
condição, o dinamômetro registra um valor menor, por peso do objeto e o empuxo sobre ele usando as
exemplo, PA = 3,0 N, que é o modulo do peso aparente seguintes expressões:
da pedra. É claro que o peso real da pedra continua
sendo igual a 3,5 N. Porém, a água exerce uma força
de empuxo de módulo E = 0,50 N sobre a pedra, de Caso I: O objeto afunda
forma que a força exercida pelo dinamômetro sobre a Para afundar, o módulo do peso do objeto deve ser
pedra, PA = P − E, possui módulo igual a 3,0 N. Por maior do que o módulo do empuxo, de modo que, após
último, obtemos o resultado mais importante dessa ser solto, a resultante das forças que atuam sobre o
experiência: a água coletada no recipiente menor (água objeto será dirigida para baixo. Como o objeto está
deslocada pela pedra) possui um peso de 0,50 N, que totalmente imerso no líquido, temos VO = VLD. Assim,
é exatamente o módulo da força de empuxo, obtido pela para o peso ser maior do que o empuxo, devemos ter
diferença entre as duas leituras do dinamômetro. ρO > ρL.
Caso II: O objeto sobe
Para o objeto subir, o módulo de seu peso deve ser
menor do que o módulo do empuxo, pois, assim, a
resultante das forças que atuam sobre o objeto será
dirigida para cima. Isso ocorre porque ρO < ρL.
Caso III: O objeto permanece parado
Quando um objeto é abandonado dentro de um líquido
e permanece no mesmo lugar, significa que a resultante
de forças sobre ele é nula. Por isso, concluímos, para
esse caso, que o módulo peso do objeto é igual ao
módulo do empuxo. Para isso ocorrer, temos ρO = ρL.

O empuxo se deve à diferença entre as forças


exercidas pelo líquido na face inferior e superior do
objeto. Conforme a figura a baixo.

PESO APARENTE DE UM CORPO


Peso aparente de um corpo é definido como a diferença
entre a intensidade da força peso do corpo no ar com
a intensidade da força do Empuxo.

IMERSÃO DE UM CORPO EM LIQUIDOS IMISCÍVEL


Quando um corpo esta submerso em dois líquidos
imiscíveis de densidades diferentes. Podemos calcular
o empuxo considerando o volume submerso em cada
um dos líquidos.

FS = (P0 + ρghS).A e FI = (P0 + ρghI).A


Nessas equações, hS e hI são as profundidades do
líquido nos níveis onde situam-se as faces superior e
inferior, respectivamente. A diferença entre essas
forças representa o empuxo do líquido sobre o cilindro.

Note que hI − hS é a altura h do bloco, de forma que o


produto A.h é o volume V do bloco. Como esse é
também o volume do líquido deslocado, concluímos
que ρ.V é a massa do líquido deslocado, e que o
módulo do empuxo E = ρ.V.g é igual ao módulo de peso
do líquido deslocado,