Você está na página 1de 44

LINHAS COM REFLEXÕES

Álvaro Medeiros
Introdução
 Objetivos
 Mostrar o comportamento da LT com reflexões e
entrada senoidal
 Apresentar a medição de parâmetros na linha com
reflexões
Introdução
 Regime permanente AC
E= C1e −γx

+ C2 e + γx
 I=
1
Z0
(
C1e −γx − C2 e +γx )
onda propagando onda propagando
à direta ( x ↑ ) à esquerda ( x ↓ )

R + j ωL
Z0 =
G + j ωC
γ= (R + jωL )(G + jωC ) = α + jβ
Regime estacionário senoidal
 Notação
Is I Ir
+ + +
Zg
Es E Er Zr
+
Eg
- - - -
Gerador Z0 Carga

0 ℓ(m) x
x d
Regime estacionário senoidal
 Tensão e corrente
E+ E−
E (x ) = E + E
+ −
I (x ) = I − I =
+ −

Z0 Z0
 Em x=ℓ, temos E=Er=IrZr e I=Ir
Er = I r Z r = C1e −γ + C2 e + γ
I r Z 0 = C1e −γ − C2 e + γ
 Somando as duas equações
I r (Z 0 + Z r ) = 2C1e −γ
 Temos então
C1 = (Z r + Z 0 )eγ C2 = (Z r − Z 0 )e −γ
Ir Ir
2 2
Regime estacionário senoidal
 Portanto
E = r [(Z r + Z 0 )eγ ( − x ) + (Z r − Z 0 )eγ ( x − ) ]
I
2
[
I = r (Z r + Z 0 )eγ ( − x ) − (Z r − Z 0 )eγ ( x − )
I
2Z 0
]
 Fazendo d=ℓ - x
 
E (d ) = (Z r + Z 0 )eγd + (Z r − Z 0 )e −γd 
Ir
2  +    
 onda incidente E onda refletida E − 

I (d ) =
Ir
2Z 0
[
(Z 0 + Z r )eγd − (Z r − Z 0 )e −γd ]
Regime estacionário senoidal
 Solução na forma hiperbólica
 
E (d ) = Er  cosh γd + sinh γd 
Z0
 Zr 

 
I (d ) = I r  cosh γd + sinh γd 
Zr
 Z0 
Regime estacionário senoidal
 Coeficiente de reflexão de tensão
E − Z r − Z 0 − 2γd
Γ(d ) = + = e
E Zr + Z0
 Coeficiente de reflexão de tensão na carga
Zr − Z0
Γr =
Zr + Z0
 Então
Γ(d ) = Γr e −2αd e − j 2 βd
 Similarmente, o coeficiente de reflexão de corrente é
I − Z 0 − Z r − 2γd
Γ' (d ) = + = e = −Γ(d )
I Zr + Z0
Regime estacionário senoidal
 Impedância na linha
Z (d ) =
E (d )
= Z0
(Z r + Z 0 )eγd + (Z r − Z 0 )e −γd
I (d ) (Z r + Z 0 )eγd − (Z r − Z 0 )e −γd
Z (d ) = Z 0
( ) (
Z r eγd + e −γd + Z 0 eγd − e −γd )
( ) (
Z 0 eγd + e −γd + Z r eγd − e −γd )
 Dividindo por (eγd+e-γd) e usando
eγd − e −γd sinh (γd )
= = tanh (γd )
γd
e +e −γd
cosh (γd )

 Temos que
Z r + Z 0 tanh (γd )
Z (d ) = Z 0
Z 0 + Z r tanh (γd )
Regime estacionário senoidal
 Casos particulares
 LT em curto (Zr=0)
Z tanh (γd )
Z (d ) = Z 0
0 =Z 0 tanh (γd )
Z0
 Para LT sem perdas (Z0=R0, γd=jβd)

Z (d ) = R0 tanh ( jβd ) = jR0 tan (βd )

 Gráfico Z/j × πβd indutiva

Lembrando que
2π f
βd = d = 2π d
λ vf
Padrões de reatância pura
se repetem a cada λ/2
capacitiva
Regime estacionário senoidal
 Casos particulares
 LT sem perdas em aberto (Zr→∞)
Z (d ) =
R0 R0
=−j
j tanh (γd ) tan (γd )
 Gráfico Z/j × πβd
Regime estacionário senoidal
 Na carga (d=0), Z=Zr
 Impedância de transferência
= [(Z r + Z 0 )eγ + (Z r − Z 0 )e −γ ]
Es 1
Z tr =
Ir 2
Z tr = Z r cosh γ + Z 0 sinh γ

 Relação entre correntes na entrada e na saída da LT


Is
=
1
I r 2Z 0
[
(Z r + Z 0 )eγ − (Z r − Z 0 )e −γ ] ou
Is
Ir
Z
= cosh γ + r sinh γ
Z0

 Se Zr=Z0, temos a linha sem reflexões e Z=Z0 em


toda a LT
Regime estacionário senoidal
 Exemplo: Linha telefônica
ℓ = 160 km
 Z0 = 685-j92 Ω
 α = 0,0031 Np/km
 β = 0,022 rad/km
 f = 1 kHz
 Zr = 2000 Ω
 |Eg| = 10 V
 Zg = 700 Ω
 Calcular Zs , |Is|, |Es |, |Ir |, |Er|
Solução em função da entrada
 Solução em função dos parâmetros do gerador
 No instante de conexão do gerador à LT, tensão na
entrada é EgZ0 /(Zg+Z0)
 Onda propaga na LT
Z0
E1+ = E g e −γx
Z g + Z0
 Onda é refletida na carga
Z0
E1− = E g Γr e −γ e −γd
Z g + Z0
 Onda propaga novamente na LT
Z 0 Eg
E =−
Γr e − 2γ eγx
Z g + Z0
1
Solução em função da entrada
 Voltando do gerador à carga
Z 0 Eg
+
E = Γr Γg e − 2γ e −γx
Z g + Z0
2

 Onda é refletida novamente na carga


Z 0 Eg − 2γ −γl −γd
Z 0 Eg

E = Γ Γg e
2
e e = Γr2 Γg e − 4γ eγx
Z g + Z0 Z g + Z0
2 r

 Voltando do gerador à carga


Z 0 Eg
+
E = Γr2 Γg2 e − 4γ e −γx
Z g + Z0
3

 Onda refletida na carga


Z 0 Eg
E3− = Γr3Γg2 e −6γ eγx
Z g + Z0
Solução em função da entrada
 Resumindo
( ) (
E = E1+ + E2+ + E3+ + ... + E1− + E2− + E3− + ... )
[
Z 0 E g 
]

E= − 2γ 2 − 4γ
( −γx
)
− 2γ − 4γ 3 2 − 4γ
[
γx 
 1 + Γr Γg e + Γr Γg e + ... e + Γr e + Γr Γg e + Γr Γg e + ... e 
Z g + Z 0 
2
 
]
 A B 

 Série geométrica
( )

1
A = ∑ Γr Γg e − 2 nγl =
n

n =0 1 − Γr Γg e − 2 nγl

∑ (Γ Γ ) e

− 2γl − 2 nγl
= Γr e − 2γl A
n
B = Γr e r g
n =0
Solução em função da entrada
 Assim
E (x ) =
Eg Z 0 1
Z g + Z 0 1 − Γr Γg e − 2γ
e {
−γx
+ Γr e − 2γ γx
e }
 Da mesma forma
I (x ) =
Eg 1
Z g + Z 0 1 − Γr ' Γg ' e − 2γ
e{−γx
+ Γr ' e − 2γ γx
e }
 Ou então
I (x ) =
Eg 1
Z g + Z 0 1 − Γr Γg e − 2γ
{
e −γx − Γr e − 2γ eγx }
 Resumindo (em função de d)
e −γ
E (d ) =
Eg Z 0
Z g + Z 0 1 − Γr Γg e − 2γ
e γd
+ {
Γr e −γd
}
e −γ
I (d ) =
Eg
Z g + Z 0 1 − Γr Γg e − 2γ
e γd
− {
Γr e −γd
}
Tensão e corrente em uma LT
 Solução independe da onda refletida no gerador
 
Eg Z 0 −γ
 γd −γd 
E (d ) =
e
e + Γr e 
− 2γ  
Z g + Z 0 1 − Γr Γg e onda 
 incidente onda refletida 
constante  na carga 

 Coeficiente de reflexão a uma distância d da carga


E − (d )
Γ(d ) = + = Γr e − 2γd = Γr e − 2αd e − j 2 βd
E (d )
 Seja Γr =|Γ r|∠δ o coeficiente de reflexão na carga (d=0) ,
então
Γ(d ) = Γr e −2αd ∠(δ − 2 βd )
Tensão e corrente em uma LT
 Diagrama vetorial
E+
δ − 2βd
E = E+ + E− E − = Γr E +

 Coeficiente de reflexão de corrente


I − (d )
Γ(d ) = + = Γr e − 2αd ∠(π + δ − 2 βd )
I (d )
Tensão e corrente em uma LT
 Linha casada (onda progressiva)
 Zr=Z0 ⇒ Γr=0
Eg Z 0
E=E = +
e −γ eγd
Z g + Z0
Eg
I=I = +
e −γ eγd
Z g + Z0
 Na transmissão, temos que d=ℓ
Eg Z 0
Es =
Z g + Z0
 Então
Es −γx
E = Es e −γ eγd = Es e −γx I= e
Z0
Tensão e corrente em uma LT
 Formas de onda
e(d , t ) = 2 Re{Es eγ (d − )e jωt } = 2 Es eα (d − ) cos[ωt + β (d −  )]
Es
i (d , t ) = 2 eα (d − ) cos[ωt + β (d −  )]
Z0

 Lembrando que (d – ℓ) = – x e a referência (fase zero) está


na transmissão Es
 No transmissor (d=ℓ)
e(, t ) = 2 Es cos ωt

 Na carga (d=0)
e(0, t ) = 2 Es e −α cos(ωt − β )
Tensão e corrente em uma LT
 Se α=0 (LT sem perdas)
LT mal-terminada
 Na linha descasada, ocorre interferência entre a onda
incidente e a onda refletida
 Zr ≠ Z0 ⇒ Γr ≠ 0
E (d ) = E + + E − = E + [1 + Γ(d )]

[
E (d ) = E + 1 + Γr e −2αd ∠(δ − 2 βd )]
LT mal-terminada
 No transmissor (d=ℓ)

E + ( )
δ − 2β
E ( ) = E + + E − E − ( )

[
E ( ) = E + ( ) 1 + Γr e −2αd ∠(δ − 2 βd ) ]
onde
Eg Z 0
E ( ) =
+ 1
Z g + Z 0 1 − Γr Γg e − 2γ
LT mal-terminada
 Na carga (d=0)

− β
E + (0 )
E (0 ) = E + (0 ) + E − (0 ) δ
E − (0 )

[
E (0 ) = E + (0 ) 1 + Γr ]
E (0 ) = E + ( ) e −α ∠(− β ) ⋅ 1 + Γr ∠δ [ ]
LT mal-terminada
 Linha terminada em aberto
 Zr →∞ ⇒ Γr =1
 Considerando transmissor casado (Γg =0)

E (d ) =
Eg
2
[
e −γ eγd + e −γd ] ou E (d ) = E g e −γ cosh γd

 Em d=0, E=Er
Er = E g e −γ então E (d ) = [
Er γd
2
]
e + e −γd = Er cosh γd
 Tomando referência de fase em Er = | Er |∠0 e
cosh γd = cosh (αd + jβd ) = cosh (αd ) cos(β d ) + j sinh (αd )sin (βd )
LT mal-terminada
 Temos
 
E (d ) = Er cosh (αd ) cos(βd ) + j sinh (αd )sin (βd )
  
a
  
b 

E (d ) = Er a 2 + b 2 ∠ arctan (b a )

 Lembrando que cosh2x – senh2x =1 temos que


a 2 + b 2 = cos 2 βd + sinh 2 αd
a
= tanh αd ⋅ tan βd
b
 Portanto
E (d ) = Er cos 2 βd + sinh 2 αd ∠ arctan (tanh αd ⋅ tan βd )
LT mal-terminada
 Se α=0 (sem perdas)
E (d ) = Er cos βd

{ }
e(d , t ) = 2 Re Er cos(βd )e jωt = 2 Er cos(βd ) cos(ωt )

 Em t=0
e(d ,0 ) = 2 Er cos(βd )

 Em t =T/4
 2π T 
e(d , T 4 ) = 2 Er cos(βd ) cos =0
 T 4
 Em t =T/2
 2π T 
e(d , T 2 ) = 2 Er cos(βd ) cos  = − 2 Er cos(βd )
 T 2
LT mal-terminada
 LT sem perdas com terminação em aberto
LT mal-terminada
 Tensão medida com voltímetro ao longo da LT
Eef = Er cos βd
LT mal-terminada
 Tensão medida com voltímetro ao longo da LT
Eef = Er cos βd
I ef
Eef (Volts )

Er

d λ 3λ λ λ
4 2 4

βd 2π 3π π
π 0
2 2
LT mal-terminada
 LT sem perdas com terminação em curto
LT mal-terminada
 Tensão medida com voltímetro ao longo da LT
Eef = Er sin βd
I ef
Eef (Volts )

Er

d λ 3λ λ λ
4 2 4

βd 2π 3π π
π 0
2 2
LT mal-terminada
 De forma geral, para LT com baixas perdas
 Diagrama vetorial

I (d )
Ir I−

I r Γr = Γr ∠δ
E + ou I +
I + = E + Z0
δ
2βd
Er−
E (d )
Er
E (d ) −

Z (d ) =
E
⋅ Z0
I (d )
LT mal-terminada
 De forma geral, para LT com baixas perdas
 Pela lei dos co-senos

c 2 = a 2 + b 2 − 2ab cos θ
a

θ b
c

[
E (d ) = E + 1 + Γr + 2 Γr cos(2 βd + δ )
2 2
]
E (d ) E+
2

Erms (d ) = = 1 + Γr + 2 Γr cos(2 βd + δ )
2

2 2
LT mal-terminada
 Para Zr=Rr e Z0=R0, temos que
Rr − R0  Γr ∠0 se Rr > R0
Γr = =
Rr + R0  Γr ∠π se Rr < R0

 Se Rr > R0 , δ =0 e considerando LT com baixas perdas
[
Er = Er+ 1 + Γr ]
Er+ Er−
2βd
E = E+ + E− E−
LT mal-terminada
 Se Rr > R0 , δ =0
[
E (d ) = E + 1 + Γr e −2αd ∠ − 2 βd ]
 Em d=0, há um máximo de tensão
E max = E +
[
1 + Γr ]
 Em d=λ/4 ⇒ 2βd =π, há um mínimo de tensão
Er+ Er−

E=E +E+ − E− 2βd

 Máximos de tensão em d= 0, λ/2, λ, 3λ/2, ... , kλ/2 (k∈Z)


 Mínimos de tensão em d=λ/4, 3λ/4, ... , (2k+1)λ/4 (k∈Z)
LT mal-terminada
 Exemplo: Γr = 0,3
LT mal-terminada
 Se Rr > R0 , δ =0
Γ' (d ) = −Γ(d ) = Γr e −2αd ∠(π + δ − 2 βd )

 Na carga, considerando LT com baixas perdas


Γ' (0 ) = Γr ∠π = − Γr

[ ]
I r = I r+ 1 − Γr = I min

 Mínimos de corrente em d=0, λ/2, λ, 3λ/2, ... , kλ/2 (k∈Z)


 Máximos de corrente em d=λ/4, 3λ/4, ... , (2k+1)λ/4 (k∈Z)
LT mal-terminada
 Se Rr < R0 , δ =π
 Na carga, considerando LT com baixas perdas
Γr = Γr ∠π = − Γr

 Temos então mínimo de tensão e máximo de corrente na


carga
 Mínimos de tensão e máximos de corrente em
d=0, λ/2, λ, 3λ/2, ... , kλ/2 (k∈Z)
 Máximos de tensão e mínimos de corrente em
d=λ/4, 3λ/4, ... , (2k+1)λ/4 (k∈Z)
LT mal-terminada
 Para Zr=Rr+jXr e Z0=R0, temos que
Rr − R0 + jX r
Γr = = Γr ∠δ
Rr + R0 + jX r

(Rr − R0 )2 + X r2  Xr 
δ = arctan 
 Xr 
Γr =  − arctan  
(Rr + R0 )2 + X r2  r
R − R0  r
R + R0

Er−

Er+ δ

 Se 0< δ <π, primeiro ponto notável é Emax (Imin)


 Se π <δ <2π, primeiro ponto notável é Emin (Imax)
 Pontos notáveis em (δ –2βd)=0
Medida de características da LT
 Impedância ao longo da linha
Z r + Z 0 tanh (γd )
Z (d ) = Z 0
Z 0 + Z r tanh (γd )

 Impedância na transmissão com recepção em curto


Z s ( s ) = Z 0 tanh (γ )
 Impedância na transmissão com recepção em aberto
Z0
Z s (o ) =
tanh (γ )
 Impedância característica
Z 0 = Z s ( s ) ⋅ Z s (o )

 Constante de propagação
tanh (γ ) = Z s ( s ) Z s (o )
Medida de características da LT
 Pra evitar erros de imprecisão, ambas impedâncias
devem ter a mesma ordem de grandeza
 Assim, LT deve ter
λ
 = (2 R + 1) onde R ∈ Ζ
8
 Se perdas forme muito grandes, Zs(s) e Zs(o) se
aproximam de Z0
 Para LT com ℓ<< λ/4, temos que γℓ<<1 e tanh γℓ ≈ γℓ
Z
Z s ( s ) ≈ Z 0γ = ZY 
Y

≈ Y = (G + jωC )
1
Z s ( s ) ≈ Z = (R + jωL )
Z s (o )
Medida de características da LT
 Tensão medida com voltímetro ao longo da LT para
impedância da carga complexa e |Γr|≠1

λ Eef (Volts )
2
Er

λ 3λ λ λ
4 2 4
 Razão de onda estacionária
Emax Onda estacionária pura: VSWR=∞
VSWR = ROE = Onda caminhante pura: VSWR=1
Emin