Você está na página 1de 20

Quem é a Igreja?

“Pois também Eu te digo que tu és Pedro, e sobre esta


pedra edificarei a Minha igreja, e as portas do inferno
não prevalecerão contra ela.” Mateus 16:18
“A igreja na Terra, composta daqueles que são fieis e leais a Deus, é o verdadeiro
tabernáculo do qual o Redentor é o Ministro. Deus, e não o homem, plantou
este tabernáculo sobre uma alta plataforma.” Signs of the Times, 14 de fevereiro
de 1900.

Editado em Portugal por:


Evangelho Eterno
evangelho-eterno@hotmail.com
Telefone (351) 926 763 833

Os editores desta obra autorizam e recomendam a sua reprodução sempre e


quando não se acrescente ou se retire algo do conteúdo desta.
Introdução

Muito frequentemente o pensar geral das pessoas em relação à definição da pa-


lavra “igreja” é que esta é um determinado edifício onde se reúnem as pessoas
para terem um culto público. Outras pensam que a igreja é uma organização
religiosa, um concílio ou uma associação. Mas o que ensina a Palavra de Deus e
o Espírito de Profecia? O propósito deste material é demonstrar com um “Assim
diz o Senhor” qual é a verdadeira definição da palavra “igreja”. O que é uma igre-
ja? Quem é a igreja? Deixemos que a Bíblia e o Espírito de Profecia respondam
a estas importantes questões.
A palavra em grego para “igreja” é: “ekklesia” que significa: uma reunião popu-
lar, uma congregação religiosa, a comunidade de membros na Terra ou santos
no Céu ou ambos; uma assembleia. (Concordância Strong, #1577, pág. 26). O
significado de igreja não é outra coisa do que um grupo de homens e mulheres
fieis que desejam servir e adorar a Deus em espírito e em verdade.
É o desejo e oração dos editores que este material seja de grande ajuda espiritual
e que aclare toda a dúvida em relação a este importante tema. Disse Jesus: “E
conhecereis a verdade, e a verdade vos libertará.” João 8:32. E o profeta Isaías
disse: “À lei e ao testemunho! Se eles não falarem segundo esta palavra, é porque
não há luz neles.” Isaías 8:20.

3
Quem é a Igreja Segundo a Palavra de Deus?
“Pois também Eu te digo que tu és Pedro, e sobre esta pedra edificarei a Minha
igreja, e as portas do inferno não prevalecerão contra ela;.” Mateus 16:18
“A palavra Pedro significa pedra — uma pedra movediça. Pedro não era a rocha
sobre que a igreja estava fundada. As portas do inferno prevaleceram contra ele
quando negou seu Senhor com imprecações e juramentos. A igreja foi edificada
sobre Alguém contra o qual as portas do inferno não podiam prevalecer. ... Na
presença de Deus e de todos os entes celestiais, em presença do invisível exército
do inferno, Cristo fundou a Sua igreja sobre a Rocha viva. A Rocha é Ele próprio
— Seu próprio corpo, quebrantado e ferido por nós. Contra a igreja edificada
sobre este fundamento, não prevalecerão as portas do inferno. Quão fraca pa-
recia a igreja, quando Cristo proferiu estas palavras! Havia apenas um punhado
de crentes, contra os quais se dirigiria todo o poder dos demónios e dos homens
maus; todavia, os seguidores de Cristo não deveriam temer. Edificados sobre a
Rocha de sua fortaleza, não poderiam ser vencidos.” O Desejado de Todas as
Nações, 290, 291.
Nota: O Espírito de Profecia diz que quando Cristo veio a esta Terra já havia
uma igreja estabelecida:
“Os vigias sobre os muros de Sião deveriam ter sido os primeiros a aprender as
novas do advento do Salvador, os primeiros a alçar a voz para proclamar achar-
Se Ele perto, os primeiros a advertir o povo a fim de que se preparasse para a Sua
vinda. Entregavam-se, porém, ao comodismo, sonhando em paz e segurança,
enquanto o povo dormia em seus pecados. Jesus viu a Sua igreja, semelhando
a figueira estéril, coberta de pretensiosas folhas e no entanto destituída do pre-
cioso fruto. Notava-se alardeada observância das formas da religião, enquanto
faltava o espírito da verdadeira humildade, arrependimento e fé — o que uni-
camente poderia tornar aceitável o culto a Deus. Em vez das graças do Espírito,
havia manifesto orgulho, formalismo, vanglória, egoísmo, opressão. Uma igreja
apóstata fechava os olhos aos sinais dos tempos. Deus não a abandonou, nem
permitiu que Sua fidelidade lhe faltasse; dEle, porém, afastara-se, e separara-se
de Seu amor. Recusando-se ela a satisfazer às condições, Suas promessas não
foram para com ela cumpridas.” O Grande Conflito, pág. 315.
Tal como se lê na passagem anterior, esta professa igreja de Deus acabou por se
tornar infiel ao seu legado divino. Cristo identificou uma nova igreja composta

4
de apenas um punhado de membros, os Seus discípulos. Estes nunca foram re-
conhecidos pelos líderes da nação judaica como a igreja de Cristo. Repetir-se-á
a história no tempo do fim?
“Ora, se teu irmão pecar contra ti, vai, e repreende-o entre ti e ele só; se te ouvir,
ganhaste a teu irmão; mas, se não te ouvir, leva ainda contigo um ou dois, para
que pela boca de duas ou três testemunhas toda a palavra seja confirmada. E,
se não as escutar, dize-o à igreja; e, se também não escutar a igreja, considera-o
como um gentio e publicano.” Mateus 18:15-17.
“E logo caiu aos seus pés, e expirou. E, entrando os moços, acharam-na morta, e
a sepultaram junto de seu marido. E houve um grande temor em toda a igreja, e
em todos os que ouviram estas coisas.” Atos 5:10, 11.
Nota: Os textos anteriores demonstram-nos que a igreja é composta de almas;
de seres humanos.
“Este [Moisés] é o que esteve entre a congregação no deserto, com o anjo que lhe
falava no monte Sinai, e com nossos pais, o qual recebeu as palavras de vida para
no-las dar.” Atos 7:38.
Nota: A palavra em grego para “congregação” é assembleia. Esta palavra tem o
mesmo significado da palavra igreja. (Bíblia Interlinear Hebraico e Grego, pág.
848).
“E também Saulo consentiu na morte dele. E fez-se naquele dia uma grande per-
seguição contra a igreja que estava em Jerusalém; e todos foram dispersos pelas
terras da Judeia e de Samaria, exceto os apóstolos. ... E Saulo assolava a igreja,
entrando pelas casas; e, arrastando homens e mulheres, os encerrava na prisão.”
Atos 8:1, 3.
Nota: Os textos anteriormente citados demonstram que a igreja nos dias de Pau-
lo adorava a Deus em casas por causa da perseguição que se desatou contra os
fieis.
“Durante a vida de Cristo na Terra, Ele procurou conduzir os judeus fora do seu
exclusivismo. A conversão do centurião e da mulher siro-fenícia, foram instân-
cias do Seu trabalho direto fora do reconhecido povo de Israel. O tempo havia
chegado para o trabalho continuo e ativo perante os gentios, dos quais comu-
nidades inteiras receberam o evangelho alegremente, e glorificaram a Deus pela
luz de uma fé inteligente. A incredulidade e malícia dos judeus não colocou de
lado o propósito de Deus; porque um povo Israel esta sendo enxertado na velha

5
oliveira. As sinagogas foram fechadas contra os apóstolos; mas foram abertas ca-
sas privadas para seu uso, e foram também usados edifícios públicos dos gentios
para pregar a Palavra de Deus.” Spirit of Prophecy, vol. 3, págs. 356- 357.
“E sucedeu que todo um ano se reuniram naquela igreja, e ensinaram muita gen-
te; e em Antioquia foram os discípulos, pela primeira vez, chamados cristãos.”
Atos 11:26.
“Porque, onde estiverem dois ou três reunidos em Meu nome, aí estou Eu no
meio deles.” Mateus 18:20.
“E por aquele mesmo tempo o rei Herodes estendeu as mãos sobre alguns da
igreja, para os maltratar; ... Pedro, pois, era guardado na prisão; mas a igreja fazia
contínua oração por ele a Deus.” Atos 12:1, 5.
“E, quando chegaram e reuniram a igreja, relataram quão grandes coisas Deus
fizera por eles, e como abrira aos gentios a porta da fé.” Atos 14:27.
“E eles, sendo acompanhados pela igreja, passavam pela Fenícia e por Samaria,
contando a conversão dos gentios; e davam grande alegria a todos os irmãos.
E, quando chegaram a Jerusalém, foram recebidos pela igreja e pelos apóstolos
e anciãos, e lhes anunciaram quão grandes coisas Deus tinha feito com eles. ...
Então pareceu bem aos apóstolos e aos anciãos, com toda a igreja, eleger homens
dentre eles e enviá-los com Paulo e Barnabé a Antioquia, a saber: Judas, chama-
do Barsabás, e Silas, homens distintos entre os irmãos.” Atos 15: 3, 4, 22.
Nota: A igreja primitiva trabalhava em conjunto. Quando era necessário tomar
uma decisão importante consultava-se a todo o corpo da igreja. A igreja não
estava controlada por um pequeno grupo chamado “concelho de igreja”
“Olhai, pois, por vós, e por todo o rebanho sobre que o Espírito Santo vos cons-
tituiu bispos, para apascentardes a igreja de Deus, que ele resgatou com seu pró-
prio sangue.” Atos 20:28.
Nota: O texto anterior demonstra que Cristo morreu pela igreja, ou seja, pelas
almas. Portanto, a igreja é composta por homens e mulheres fieis a Deus e não
por um determinado concílio ou organização religiosa.
“À igreja de Deus que está em Corinto, aos santificados em Cristo Jesus, chama-
dos santos, com todos os que em todo o lugar invocam o nome de nosso Senhor
Jesus Cristo, Senhor deles e nosso.” 1 Coríntios 1:2.
“Porque antes de tudo ouço que, quando vos ajuntais na igreja, há entre vós dis-

6
sensões; e em parte o creio.” 1 Coríntios 11:18.
“Porque eu sou o menor dos apóstolos, que não sou digno de ser chamado após-
tolo, pois que persegui a igreja de Deus.” 1 Coríntios 15:9.
“Saudai também a igreja que está em sua casa. Saudai a Epêneto, meu amado,
que é as primícias da Acáia em Cristo.” Romanos 16:5.
“As igrejas da Ásia vos saúdam. Saúdam-vos afetuosamente no Senhor Áquila e
Priscila, com a igreja que está em sua casa.” 1 Coríntios 16:19.
Nota: O apóstolo Paulo saudava pessoalmente a Priscila e Áquila os quais ti-
nham a igreja no lar. Qual seria a atitude de muitos ministros hoje perante aque-
les que têm, como Priscila e Áquila, a igreja no lar?
“Porque já ouvistes qual foi antigamente a minha conduta no judaísmo, como
sobremaneira perseguia a igreja de Deus e a assolava.” Gálatas 1:13.
Nota: O texto anterior ressalta duas coisas: 1) Quando Saulo (Paulo) era mem-
bro do sinédrio dentro do judaísmo perseguia aqueles que segundo ele não eram
a igreja de Deus nesta Terra. A igreja verdadeira para Paulo era talvez o sinédrio,
o povo judeu somente, ou o templo em Jerusalém. 2) O texto também identifica
quem era a igreja. São todas aquelas almas fieis que eram perseguidas por causa
da verdade. Veja 2 Timóteo 3:12.
“E sujeitou todas as coisas a seus pés [Cristo], e sobre todas as coisas o constituiu
como cabeça da igreja, que é o seu corpo, a plenitude daquele que cumpre tudo
em todos.” Efésios 1:22, 23.
“Saudai aos irmãos que estão em Laodiceia e a Ninfa e à igreja que está em sua
casa.” Colossenses 4:15.
“Mas, se tardar, para que saibas como convém andar na casa de Deus, que é a
igreja do Deus vivo, a coluna e firmeza da verdade.” 1 Timóteo 3:15.
Nota: A palavra em grego para “casa” tal como aparece no texto anterior é “oi-
kos” e significa: morada, família, casa. (Concordância Stong, #3624, pág. 59).
“Porque o marido é a cabeça da mulher, como também Cristo é a cabeça da igre-
ja, sendo ele próprio o salvador do corpo. De sorte que, assim como a igreja está
sujeita a Cristo, assim também as mulheres sejam em tudo sujeitas a seus mari-
dos. Vós, maridos, amai vossas mulheres, como também Cristo amou a igreja, e
a si mesmo se entregou por ela, para a santificar, purificando-a com a lavagem

7
da água, pela palavra, para a apresentar a si mesmo igreja gloriosa, sem mácula,
nem ruga, nem coisa semelhante, mas santa e irrepreensível. ... Porque nunca
ninguém odiou a sua própria carne; antes a alimenta e sustenta, como também
o Senhor à igreja.” Efésios 5:23-27, 29 (Veja João 3:16).
“Paulo, prisioneiro de Jesus Cristo, e o irmão Timóteo, ao amado Filemom, nos-
so cooperador, e à nossa amada Áfia, e a Arquipo, nosso camarada, e à igreja que
está em tua casa: Graça a vós e paz da parte de Deus nosso Pai, e do Senhor Jesus
Cristo.” Filemom 1:1-3.
Nota: A saudação de Paulo e Timóteo que é dirigida à igreja que estava na casa
de Arquipo vinha da parte do Deus, Criador dos céus e da terra, e de nosso
Senhor Jesus Cristo, o Salvador do mundo. Se não concordasse com a igreja no
lar de Arquipo, o Espírito Santo não teria inspirado o apóstolo Paulo a escrever
essas palavras.

O Êxito da Igreja
“Assim, pois, as igrejas em toda a Judeia, e Galileia e Samaria tinham paz, e eram
edificadas; e se multiplicavam, andando no temor do Senhor e consolação do
Espírito Santo.” Atos 9:31.
Nota: O texto anterior dá-nos luz para sabermos qual é a chave para que na igre-
ja haja paz e prosperidade espiritual:

A) As igrejas eram edificadas. Como é edificada uma igreja? (Veja Mateus 7:24,
25; Efésios 2:20; 1 Pedro 2:4, 5.
B) Estavam andando (vivendo) no temor do Senhor. O que é o temor do Se-
nhor? É o viver uma vida de perfeita obediência. (Veja Génesis 22:11, 12; 26:5).
C) E eram fortalecidas porque tinham o Espírito Santo. Para poder ter o Espírito
Santo a igreja deve ser obediente a tudo. (Veja Atos 5:32). Pode Deus abençoar
uma igreja, ministério, ou grupo que pretende ser o verdadeiro povo de Deus
mas que por sua vez no seu meio exista a intriga, a crítica , a inveja, a calúnia, o
ciúme, o egoísmo e o pecado? A resposta é um categórico NÃO. A presença de
Deus não pode estar numa igreja assim. Sempre acreditámos e por sua vez ensi-
namos que Babilónia só representa uma coisa: A Grande Prostituta de Apocalip-
se 17 junto com suas filhas. Mas a mensageira do Senhor especifica que a igreja,
independentemente de quão alto e sagrado tenha sido o seu chamado, também
pode preencher as características de Babilónia. De que maneira? Vejamos o que

8
ela nos diz da seguinte passagem, e por sua vez exortamos a que leia todo o ca-
pítulo intitulado: Os Pecados de Babilónia, págs 273-276.
“‘Grande número de pessoas que professam ser cristãs não conhecem a Deus.
O coração natural não foi mudado, e a mente carnal conserva a inimizade com
Deus. São servos fiéis de Satanás, embora hajam assumido outro nome.’ Vi que,
havendo Jesus deixado o lugar santo e entrado para dentro do segundo véu, as
igrejas têm-se tornado esconderijo de toda espécie de ave imunda e detestável.
Vi nas igrejas grande iniquidade e vileza; contudo, os seus membros professam
ser cristãos. Sua profissão, suas orações e exortações constituem uma abomina-
ção aos olhos de Deus. Disse o anjo: ‘Deus não Se agradará de suas assembleias.
Egoísmo, embuste e engano são por eles praticados sem reprovações da consci-
ência. E sobre todos esses maus traços lançam o manto da religião.’ Foi-me mos-
trado o orgulho das igrejas nominais. Deus não está em seus pensamentos; sua
mente carnal demora-se neles mesmos; decoram os seus pobres corpos mortais,
e olham então para si mesmos com satisfação e prazer. Jesus e os anjos olham
para eles com ira. Disse o anjo: ‘Seus pecados e orgulho alcançaram o Céu. Sua
porção está preparada. Justiça e juízo têm dormido por muito tempo, mas des-
pertarão logo. Minha é a vingança, e Eu darei a retribuição, diz o Senhor.’” Pri-
meiros Escritos, págs. 273-274.
“De sorte que as igrejas eram confirmadas na fé, e cada dia cresciam em núme-
ro.” Atos 16:5.
Nota: A palavra grega para “confirmados” é “stereóo” que significa: solidificar,
confirmar, afirmar. Vem da palavra grega “steréos” que significa: sólido, estável,
firme. (Concordância Strong, #4732, pág. 79). O êxito de uma igreja está no que
ensina o texto antes citado. Todos os seus líderes, membros e ministros devem
estar edificados sobre a mesma plataforma da verdade. Se o líder crê ou ensina
diferente do que ensina a Bíblia ou o Espírito de Profecia, essa igreja não está
sendo edificada sobre a base da verdade. Só existe uma plataforma segura. Qual
é essa plataforma? Vejamos a seguinte passagem:
“Foram-me mostrados três degraus — a primeira, a segunda e a terceira men-
sagens angélicas. Disse o meu anjo assistente: ‘Ai de quem mover um bloco ou
mexer num alfinete dessas mensagens. A verdadeira compreensão dessas men-
sagens é de vital importância. O destino das almas depende da maneira em que
são elas recebidas.’ De novo fui conduzida às três mensagens angélicas, e vi a que
alto preço havia o povo de Deus adquirido a sua experiência. Esta fora alcançada
através de muito sofrimento e severo conflito. Deus os havia conduzido passo

9
a passo, até que os pusera sobre uma sólida plataforma inamovível. Vi pessoas
aproximarem-se da plataforma e examinar-lhe o fundamento. Alguns com ale-
gria imediatamente subiram para ela. Outros começaram a encontrar defeito no
fundamento. Achavam que se deviam fazer melhoramentos, e então a platafor-
ma seria mais perfeita e o povo muito mais feliz. Alguns desceram da plataforma
para examiná-la, e declararam ter sido ela colocada erradamente. Mas eu vi que
quase todos permaneciam firmes sobre a plataforma e exortavam os que tinham
descido a cessar com suas queixas; pois Deus fora o Mestre Construtor, e eles
estavam lutando contra Ele. Eles reconsideravam a maravilhosa obra de Deus,
que os levara à firme plataforma, e em união levantaram os olhos ao céu e com
alta voz glorificaram a Deus. Isto afetou alguns dos que se tinham queixado e
deixado a plataforma, e contritos subiram de novo para ela.” Primeiros Escritos,
pág. 258.
“Mas, se alguém quiser ser contencioso, nós não temos tal costume, nem as igre-
jas de Deus.” 1 Coríntios 11:16.
Nota: A igreja primitiva esta desfrutando do derramamento do Espírito Santo.
Não havia guarida para membros contenciosos. A igreja que estará esperando
a segunda vinda de Cristo terá o mesmo espírito que possuía a igreja apostólica
primitiva. O Espírito de profecia esclarece-nos:
“Apesar do generalizado declínio da fé e da piedade, há verdadeiros seguidores
de Cristo nestas igrejas. Antes de os juízos finais de Deus caírem sobre a Terra,
haverá, entre o povo do Senhor, tal avivamento da primitiva piedade como não
fora testemunhado desde os tempos apostólicos. O Espírito e o poder de Deus
serão derramados sobre Seus filhos. Naquele tempo muitos se separarão das
igrejas em que o amor deste mundo suplantou o amor a Deus e à Sua Palavra.
Muitos, tanto pastores como leigos, aceitarão alegremente as grandes verdades
que Deus providenciou fossem proclamadas no tempo presente, a fim de prepa-
rar um povo para a segunda vinda do Senhor. O inimigo das almas deseja estor-
var esta obra; e antes que chegue o tempo para tal movimento, esforçar-se-á para
impedi-la, introduzindo uma contrafação. Nas igrejas que puder colocar sob seu
poder sedutor, fará parecer que a bênção especial de Deus foi derramada; ma-
nifestar-se-á o que será considerado como grande interesse religioso. Multidões
exultarão de que Deus esteja operando maravilhosamente por elas, quando a
obra é de outro espírito.” O Grande Conflito, pág. 464.

10
Devemos Separar-nos do Pecado e dos Pecadores
“Filho meu, se os pecadores procuram te atrair com agrados, não aceites.” Pro-
vérbios 1:10.
“O anjo deve pôr um sinal na testa de todos os que estão separados do pecado e
dos pecadores, e o anjo destruidor virá a seguir, para exterminar por completo
tanto adultos como jovens.” Testemunhos para Igreja, Vol.5, pág. 505.

Quem é a Igreja Segundo o Espírito de Profecia?


“Deus tem uma igreja. Não é grande catedral, nem é a instituição nacional, nem
são as várias denominações; trata-se do povo que ama a Deus e guarda os Seus
mandamentos. ‘Onde estiverem dois ou três reunidos em Meu nome, ali estou
no meio deles.’ Mateus 18:20. Onde Cristo está, mesmo entre uns poucos hu-
mildes, eis a igreja de Cristo, pois somente a presença do Santo e Altíssimo que
habita a eternidade é que pode constituir uma igreja. Onde estão presentes dois
ou três dos que amam e obedecem aos mandamentos de Deus, ali Jesus preside,
seja no desolado lugar da Terra, no deserto, na cidade circundada por muros. A
glória de Deus tem penetrado os muros da prisão, enchendo de raios gloriosos
de luz celestial o mais escuro calabouço.” Olhando para o Alto, 28 – outubro.
“‘A igreja no deserto’ e não a orgulhosa hierarquia entronizada na grande capital
do mundo, era a verdadeira igreja de Cristo, a depositária dos tesouros da verda-
de que Deus confiara a Seu povo para ser dada ao mundo.” O Grande Conflito,
pág. 64.
Nota: A igreja do deserto é a igreja que está descrita em Apocalipse 12:6, 14. Esta
igreja foi a que sofreu a terrível perseguição. Onde estava acostumada a congre-
gar-se esta igreja durante este longo período? A história e o Espírito de Profecia
respondem a esta pergunta:
“Alguns houve, entretanto, que se recusaram a ceder à autoridade do papa ou do
prelado. Estavam decididos a manter sua fidelidade a Deus, e preservar a pureza
e simplicidade de fé. Houve separação. Os que se apegaram à antiga fé, retira-
ram-se; alguns, abandonando os Alpes nativos, alçaram a bandeira da verdade
em terras estrangeiras; outros se retraíram para os vales afastados e fortalezas
das montanhas, e ali preservaram a liberdade de culto a Deus.” O Grande Con-
flito, pág. 64.

11
“Onde quer que procurassem refúgio, os seguidores de Cristo eram caçados
como animais. Eram forçados a procurar esconderijo nos lugares desolados e
solitários. “Desamparados, aflitos e maltratados (dos quais o mundo não era
digno), errantes, pelos desertos, e montes, e pelas covas e cavernas da terra.”
Hebreus 11:37, 38. As catacumbas proporcionavam abrigo a milhares. Por sob
as colinas, fora da cidade de Roma, longas galerias tinham sido feitas através da
terra e da rocha; o escuro e complicado trama das comunicações estendia-se
quilômetros além dos muros da cidade. ... Sob a mais atroz perseguição, estas
testemunhas de Jesus conservaram incontaminada a sua fé. Posto que privados
de todo conforto, excluídos da luz do Sol, tendo o lar no seio da terra, obscuro
mas amigo, não proferiam queixa alguma. Com palavras de fé, paciência e es-
perança, animavam-se uns aos outros a suportar a privação e angústia. ... Nulos
foram os esforços de Satanás para destruir pela violência a igreja de Cristo.” O
Grande Conflito, págs. 40, 41.
“Aqueles que guardam os mandamentos de Deus, aqueles que vivem não só de
pão, mas de toda a palavra que procede da boca de Deus, compõem a igreja do
Deus vivo.” Comentário Bíblico Adventista, Vol. 7, pág. 961.
“A igreja é a fortaleza de Deus, Sua cidade de refúgio, que Ele mantém num
mundo revoltado. Qualquer infidelidade da igreja é traição para com Aquele que
comprou a humanidade com o sangue de Seu unigênito Filho. Pessoas fiéis cons-
tituíram, desde o princípio, a igreja sobre a Terra.” Atos dos Apóstolos, pág. 7.
“A igreja na Terra, composta por aqueles que são fieis e leais a Deus, é o ‘verda-
deiro tabernáculo’, portanto o Redentor é o Ministro. Deus e não o homem co-
locou este tabernáculo nas alturas, numa alta plataforma.” Comentário Bíblico
Adventista, Vol. 7, pág. 743.
“Não existe outra igreja que a assembleia daqueles que têm a Palavra de Deus, e
que são purificados por ela.” Spirit of Prophecy, vol. 4, pág. 237.
“Deus tem na Terra uma igreja que é Seu povo escolhido, que guarda os Seus
mandamentos.” Testemunhos para Ministros, pág. 61.
“Cristo tem uma igreja em cada época. A obediência aos mandamentos de Deus,
dá-nos o direito aos privilégios desta igreja.” The Review and Herald, 17 – julho
– 1900.
“Na ressurreição do Salvador, algumas tumbas foram abertas, mas em Sua se-
gunda vinda todos os queridos mortos Lhe ouvirão a voz, saindo para uma vida
12
gloriosa, imortal. O mesmo poder que ressuscitou a Cristo dentre os mortos,
erguerá Sua igreja, glorificando-a com Ele, acima de todos os principados, de to-
das as potestades, acima de todo nome que se nomeia, não somente neste mun-
do mas também no mundo por vir.” O Desejado de Todas as Nações, pág. 556.
Nota: O Espírito de Profecia estabelece na passagem anterior que a igreja são as
“almas fieis” que serão ressuscitadas quando Cristo vier. A igreja sempre, desde
o princípio do mundo, tem sido constituída pelas almas fieis. O Espírito de Pro-
fecia esclarece-nos um pouco mais na seguinte declaração:
“Por entre as vacilações da Terra, o clarão do relâmpago e o ribombo do trovão,
a voz do Filho de Deus chama os santos que dormem. Ele olha para a sepultura
dos justos e, levantando as mãos para o céu, brada: “Despertai, despertai, des-
pertai, vós que dormis no pó, e surgi!” Por todo o comprimento e largura da
Terra, os mortos ouvirão aquela voz, e os que ouvirem viverão. E a Terra inteira
ressoará com o passar do exército extraordinariamente grande de toda nação,
tribo, língua e povo. ... Todos saem do túmulo com a mesma estatura que tinham
quando ali entraram. Adão, que está em pé entre a multidão dos ressuscitados,
é de grande altura e formas majestosas, de estatura pouco menor que o Filho de
Deus.” O Grande Conflito, pág. 644.
“A igreja de Deus na Terra é uma com a igreja de Deus no Céu. Os crentes na
Terra e os seres celestiais que não pecaram constituem uma só igreja. Cada ser
celestial toma interesse nos santos que na Terra se reúnem para adorar a Deus.”
Testemunhos para a Igreja, vol. 6, pág. 366.
“No dia de Pentecostes, o Infinito revelou-Se com poder à igreja. Por intermédio
do Espírito Santo, Ele desceu das alturas do Céu como um vento impetuoso na
casa onde os discípulos estavam reunidos. Foi como se, por séculos, essa in-
fluência estivesse restringida, e então o Céu passasse a se regozijar em poder
derramar sobre a igreja as riquezas do poder do Espírito.” Testemunhos para a
Igreja, vol. 7, pág. 31.
Nota: Quantas pessoas havia no cenáculo na ocasião do derramamento do Es-
pírito Santo? A Bíblia diz que eram cento e vinte. Veja Atos 1:13-15; História da
Redenção, pág. 242. A mensageira do Senhor diz claramente que os que estavam
no cenáculo compunham a verdadeira igreja. Mas para os líderes este punha-
do de almas era meramente um grupo de fanáticos, dissidentes, separatistas, e
apóstatas. Continuemos a ver como o Espírito de Profecia abundantemente nos
esclarece quem é a igreja.

13
“Então, quando os judeus procuravam destruir a igreja nascente, Nicodemos
veio em sua defesa. Não mais cauteloso nem duvidando, encorajou a fé dos dis-
cípulos, e usou sua riqueza para ajudar a manter a igreja em Jerusalém, e no
avanço da obra do evangelho.” Atos dos Apóstolos, pág. 58.
Nota: Nicodemos que era membro do Sinédrio judaico cria que pertencia à ver-
dadeira igreja de Deus, mas quando conheceu a verdade do evangelho abando-
nou essa congregação, e uniu-se à verdadeira igreja composta pelos discípulos
de Cristo.
“Os que noutros tempos o reverenciavam [a Nicodemos], agora o perseguiam e
dele escarneciam; e ele tornou-se pobre em bens deste mundo, mas não esmore-
ceu na defesa de sua fé.” Atos dos Apóstolos, pág. 58.

Qual é o Objetivo da Igreja?


“A igreja é o instrumento de Deus para a proclamação da verdade, por Ele dota-
da de poder para fazer uma obra especial; e se ela for leal ao Senhor, obediente
a todos os Seus mandamentos, nela habitará a excelência da graça divina. Se for
fiel à sua missão, se honrar ao Senhor Deus de Israel, não haverá poder capaz de
a ela se opor.” Atos dos Apóstolos, pág. 335.
Nota: Qual é essa verdade que fala a mensageira do Senhor na passagem anterior e
que deve ser proclamada? Deixemos que ela mesma responda a esta interrogação:
“Temos uma sagrada mensagem a levar ao mundo. A mensagem do terceiro
anjo não é uma teoria de invenção humana, uma especulação da imaginação;
mas é a solene verdade de Deus para estes últimos dias. É a última advertência
para as almas perdidas dos homens. Não é um sistema de verdade simplesmen-
te para gratificar e comprazer o intelecto; significa diligente labor e sacrifício
para todos os que aceitem a sua santa verdade. Os mandamentos de Deus e o
testemunho de Jesus devem ser trazidos à atenção do mundo.” The Review and
Herald, 13 – março- 1888.

A Verdadeira Igreja Não Cairá


“A igreja talvez pareça como prestes a cair, mas não cairá. Ela permanece, ao
passo que os pecadores de Sião serão lançados fora no joeiramento — a palha

14
separada do trigo precioso. É esse um transe terrível, não obstante importa que
tenha lugar.” Mensagens Escolhidas, vol. 2, pág. 380.
Nota: A passagem anterior é uma das declarações do Espírito de Profecia mais
mal interpretadas pelos líderes adventistas. Quem é a igreja que não cairá? Por
conseguinte, as almas fieis a Deus. Essa é a igreja que não cairá. Não estará com-
posta por uma organização apóstata que se afastou da verdade. Leiamos a se-
gunda parte da declaração:
“Ninguém senão os que venceram pelo sangue do Cordeiro e a palavra de seu
testemunho será encontrado com os leais e fiéis, sem mácula nem ruga de peca-
do, sem engano em sua boca. Precisamos despojar-nos de nossa própria justiça e
revestir-nos da justiça de Cristo.” Mensagens Escolhidas, vol. 2, pág. 380.

A Igreja e a Arca de Noé


“Pela fé Noé, divinamente avisado das coisas que ainda não se viam, temeu e,
para salvação da sua família, preparou a arca, pela qual condenou o mundo, e foi
feito herdeiro da justiça que é segundo a fé.” Hebreus 11:7.
Nota: Muitos ministros e inclusive a grande maioria dos membros atualmente
creem que a igreja é a arca da salvação e que portanto estaremos arriscando a
nossa vida eterna se sairmos dela. Eles ensinam isto porque creem que a igre-
ja é uma estrutura ou determinada organização religiosa. Como exemplo para
sustentarem a sua suposta afirmação, citam o caso de Noé e sua família. Segun-
do este ensinamento, que por sinal está completamente contra um “assim diz o
Senhor”, querem fazer crer que Noé e sua família se salvaram graças a estarem
dentro da arca e não fora dela, e que todos aqueles que saiam da arca [a igreja] se
perderão. É isto correto? Ensina isto a Palavra de Deus e o Espírito de Profecia?
Citaremos vários exemplos.
Só Noé era justo no meio de toda uma geração ímpia
“Noé, porém, achou graça aos olhos do Senhor. Estas são as gerações de Noé.
Noé era homem justo e perfeito em suas gerações; Noé andava com Deus.” Gé-
nesis 6:8, 9.
“Depois disse o Senhor a Noé: Entra tu e toda a tua casa na arca, porque tenho
visto que és justo diante de mim nesta geração.” Génesis 7:1.

15
Noé e sua família salvaram-se porque obedeceram a Deus
“Então disse Deus a Noé: O fim de toda a carne é vindo perante a minha face;
porque a terra está cheia de violência; e eis que os desfarei com a terra. Faze para
ti uma arca da madeira de gofer; farás compartimentos na arca e a betumarás
por dentro e por fora com betume.” Génesis 6:13, 14.
“Assim fez Noé; conforme a tudo o que Deus lhe mandou, assim o fez.” Génesis
6:22.
“E fez Noé conforme a tudo o que o Senhor lhe ordenara.” Génesis 7:5.
A arca por si só não podia resistir ao dilúvio
“A edificação desta imensa arca foi uma operação lenta, trabalhosa. Devido ao
grande tamanho das árvores, e a natureza da madeira, muito mais trabalho era
então exigido do que hoje para preparar a madeira, mesmo com a força maior
que possuíam os homens. Tudo o que o homem podia fazer, se fazia, para tornar
perfeito o trabalho; contudo, a arca não podia por si ter resistido à tempestade
que deveria sobrevir à Terra. Unicamente Deus podia preservar Seus servos das
águas tempestuosas.” Patriarcas e Profetas, pág. 56.
“A pesada arca estremecia em cada fibra, ao ser batida pelos ventos impetuosos, e
arremessada de uma vaga para outra. Os gritos dos animais, dentro, exprimiam
o seu medo e dor. Mas, por entre os elementos em luta, continuou a flutuar com
segurança. Anjos “magníficos em poder” foram comissionados para a guardar.”
Patriarcas e Profetas, pág. 61.
“A arca foi feita de cipreste ou madeira de Gofer, a qual estaria isenta de apodre-
cimento por centenas de anos. Era uma construção de grande durabilidade, que
nenhuma sabedoria de homem poderia inventar. Deus fora o planejador, e Noé
o construtor-chefe. Depois de Noé ter feito tudo ao seu alcance para fazer cor-
retamente cada parte do trabalho, era impossível que ela pudesse por si mesma
resistir à violência da tempestade que Deus em Sua ardente ira ia trazer sobre a
Terra. ... Tudo o que o homem podia fazer se fez, para tornar perfeito o trabalho;
e, afinal, depois de tudo isto, unicamente Deus podia preservar a construção
sobre furiosas e altas ondas, pelo Seu miraculoso poder.” História da Redenção,
pág. 63, 64.
Noé e sua família salvaram-se por causa da sua fidelidade a Deus
“Deus ordenou a Noé: ‘Entra tu e toda a tua casa na arca, porque te hei visto justo

16
diante de Mim, nesta geração’. Gênesis 7:1. A advertência de Noé tinha sido re-
jeitada pelo mundo, mas de sua influência e exemplo resultaram bênçãos para a
sua família. Como recompensa de sua fidelidade e integridade, Deus salvou com
ele todos os membros de sua família.” Patriarcas e Profetas, pág. 59.
Nota: Notemos que na passagem anterior é-nos dito que foi Deus e não a arca o
que salvou a Noé e sua família.
“Dentre a vasta população da Terra antes do dilúvio, apenas oito almas creram
na Palavra de Deus por intermédio de Noé, e lhe obedeceram. Durante cento e
vinte anos o pregador da justiça avisou o mundo da destruição vindoura; mas
sua mensagem foi rejeitada e desprezada. Assim será agora.” Patriarcas e Pro-
fetas, pág. 63.
A salvação não depende de termos os nossos nomes
registados nos livros da igreja
“Salvação não é ser batizado, não é ter nosso nome nos livros da igreja, nem
pregar a verdade. É, porém, uma união viva com Jesus Cristo, ser renovado no
coração, fazer as obras de Cristo com fé e serviço de amor, com paciência, man-
sidão e esperança.” Mensagens Escolhidas, vol. 2, pág. 381.
“O fato de termos o nome nos livros da igreja não nos assegura a entrada no
reino do Céu.” Maravilhosa Graça, 29 – agosto.

O Que Sucede a Uma Igreja Infiel?


“O Senhor Jesus sempre terá um povo escolhido para servi-Lo. Quando o povo
judeu rejeitou a Cristo, o Príncipe da vida, Ele retirou deles o reino de Deus
e transferiu-o aos gentios. Deus continuará a trabalhar desse modo com todo
ramo de Sua obra. Quando uma igreja se demonstra infiel à obra do Senhor,
seja qual for sua posição, embora elevado e sagrado seu chamado, o Senhor não
pode mais agir com ela. Outros então são escolhidos para levar importantes
responsabilidades. Mas, se estes por seu turno não purificarem sua vida de todo
erro, se não estabelecerem princípios puros e santos em todas as suas fronteiras,
então o Senhor os afligirá pesadamente e os humilhará, e a menos que se arre-
pendam, os removerá de seu lugar e fará deles um opróbrio.” Olhando para o
Alto, 27 – abril.

17
A Verdadeira Igreja Seguirá Toda a Verdade
“Mas quem pratica a verdade vem para a luz, a fim de que as suas obras sejam
manifestas, porque são feitas em Deus.” João 3:21.
“Deus é Espírito, e importa que os que o adoram o adorem em espírito e em
verdade.” João 4:24.
“Vós mandastes mensageiros a João, e ele deu testemunho da verdade.” João
5:33.
“E conhecereis a verdade, e a verdade vos libertará.” João 8:32.
“Mas agora procurais matar-me, a mim, homem que vos tem dito a verdade que
de Deus tem ouvido; Abraão não fez isto.” João 8:40.
“Disse-lhe Jesus: Eu sou o caminho, e a verdade e a vida; ninguém vem ao Pai,
senão por Mim.” João 14:6.
“Santifica-os na Tua verdade; a Tua palavra é a verdade.” João 17:17.

“As duras experiências que o povo de Deus enfrentara nos dias de Ester não fo-
ram peculiares a esse tempo somente. O Revelador, olhando para os séculos no
fim do tempo, declarou: ‘O dragão irou-se contra a mulher, e foi fazer guerra ao
resto da sua semente, os que guardam os mandamentos de Deus, e têm o teste-
munho de Jesus Cristo’. Apocalipse 12:17. Alguns que hoje estão vivendo na Ter-
ra verão cumpridas essas palavras. O mesmo espírito que nos séculos passados
levou os homens a perseguirem a verdadeira igreja, levará no futuro à adoção de
uma conduta similar para com os que mantêm sua lealdade a Deus. Mesmo ago-
ra estão sendo feitos preparativos para este último grande conflito. O decreto que
finalmente sairá contra o remanescente povo de Deus será muito semelhante ao
que Assuero promulgou contra os judeus. Hoje os inimigos da verdadeira igreja
vêem no pequeno grupo de guardadores do sábado, um Mardoqueu à porta. A
reverência do povo de Deus por Sua lei, é uma constante repreensão aos que
têm deixado o temor do Senhor, e estão pisando o Seu sábado. Satanás suscitará
indignação contra a minoria que recusa aceitar costumes populares e tradições.
Homens de posição e reputação unir-se-ão com os marginais e os vis para tomar
conselho contra o povo de Deus. Riqueza, gênio, educação, combinar-se-ão para
cobri-los de desprezo. Governantes perseguidores, pastores e membros de igreja
conspirarão contra eles. De viva voz e pela pena, ameaças e ridículo, procurarão
subverter-lhes a fé. Mediante falsas representações e irados apelos, os homens

18
suscitarão as paixões do povo. Não possuindo um “Assim dizem as Escrituras”
para apresentar contra os advogados do sábado bíblico, eles recorrerão a opres-
sivos preceitos de lei que lhes supram a falta. A fim de assegurar popularidade e
sua aprovação, os legisladores se renderão aos reclamos de leis dominicais. Mas
os que temem a Deus não podem aceitar uma instituição que viole um preceito
do Decálogo. Neste campo se travará o último grande conflito na controvérsia
entre a verdade e o erro. E nós não somos deixados em dúvida quanto ao desfe-
cho. Hoje, como nos dias de Ester a Mardoqueu, o Senhor vindicará Sua verdade
e Seu povo.” Profetas e Reis, págs. 308-309.

19
Outras Obras Publicadas:

A Grande Controvérsia - Ellen G. White


Como Alcançar a Paz Interior - Ellen G. White
O Sermão da Montanha - Ellen G. White
A Crise Mundial Predita - Ellen G. White
A Apostasia Omega - Ron Spear
Em Defesa do Adventismo - Russell Standish e Colin Standish
O Adventismo e Walter Martin - Dave Fiedler
Que Farei para Herdar a Vida Eterna? - Margaret Davis
Dois Cristos Dentro da Igreja - Marshal Grosboll
Quem é a Igreja? - Evangelho Eterno
Defendendo a Divindade - Vance Ferrel
Com o Espírito e o Poder de Elias - Evangelho Eterno
O Método Curativo de Deus - Dra Mary Ann McNeilus
Segredos da Boa Saúde - J. M. Orrico

Folhetos Publicados:

Três Anjos Advertem o Mundo


A Saúde Passo a Passo
Conversando com Deus Acerca do Sábado