Você está na página 1de 4

GÊNERO ÉPICO

GÊNERO ÉPICO – Definição Um épico é tradicionalmente um gênero de


poesia, conhecida como a poesia épica. No entanto, em termos modernos,
épico muitas vezes é estendida a outras formas de arte, como o teatro
épico, filmes, música, livros, jogos, televisão mostra, e vídeo jogos, onde
na história tem um tema de grandeza e heroísmo, assim como na poesia épica.
A Literatura Épica vem das tradições orais de civilizações antigas. Poemas
épicos foram criados ao longo da história, até os dias atuais. Poemas
épicos são incluídos em todos os três gêneros de poesia, que incluem
lírica, dramática e narrativa. O que é um épico? Um épico no seu sentido
mais específico é um gênero da poesia clássica, originário da Grécia. As
convenções do gênero são várias:

a) É uma longa narrativa sobre um assunto sério tradicional ou digno.

b) Sua dicção é elevada e em grande estilo. Ele emprega um tom formal,


digno, objetivo e muitas figuras de linguagem.

c) A narrativa focada nas façanhas de um herói ou semideus que representa o


valores culturais de uma raça, nação ou grupo religioso.

d) Sucesso ou fracasso do herói irá determinar o destino daquele povo ou


nação.

e) A ação ocorre em uma vasta definição, e abrange uma vasta área


geográfica. A definição é frequentemente algum tempo no passado remoto.

f) A ação contém feitos sobre-humanos de força ou destreza militar.

g) Deuses ou seres sobrenaturais freqüentemente tomar parte na ação de


afetar o resultado.

h) O poema começa com a invocação de uma musa para inspirar o poeta, uma
oração a um ser sobrenatural apropriado. O orador pede que este ser
fornecer-lhe A emoção, criatividade, ou palavras adequadas para terminar o
poema. (Eu) A narrativa começa no meio da ação. Subsequentemente, os
eventos anteriores que antecederam o início do poema será contada no
caracteres ‘narrativas ou em flashbacks.

j) O épico contém longas catálogos de heróis ou personagens importantes,


focando reis nobres e grandes guerreiros em vez de camponeses e plebeus.
k) O épico emprega similes prolongadas (chamados épicos símiles) em pontos
apropriados de a história, e uma cena tradicional de inscrição estendido em
que o herói braços si mesmo. O termo se aplica mais diretamente aos textos
gregos clássicos como a Ilíada ea Odisséia mas é claro que autores romanos
como Virgílio imitar intencionalmente o gênero em obras como a Eneida. No
entanto, alguns críticos têm aplicado o termo mais frouxamente. O poema
anglo-saxão Beowulf. Também tem sido chamado um épico da cultura anglo-
saxã, Paraíso Perdido de Milton é chamado um épico da cultura cristã, El
Cid é um épico da cultura espanhola, Hiawatha de Longfellow é um épico de
Cultura americana, e várias peças históricas de Shakespeare foram chamados
coletivamente uma épica do Renascimento Grã-Bretanha. Gênero Épico – Origem
Seu nome vem de lira, instrumento musical que acompanhava os cantos dos
gregos. Por muito tempo, até o final da Idade Média, as poesias eram
cantadas; separando-se o texto do acompanhamento musical, a poesia passou a
apresentar uma estrutura mais rica. A partir daí, a métrica (a medida de um
verso, definida pelo número de sílabas poéticas), o ritmo das palavras, a
divisão em estrofes, a rima, a combinação das palavras foram elementos
cultivados com mais intensidade pelos poetas. Mas, cuidado! O que foi dito
acima não significa que poesia, para ser poesia, precise, necessariamente,
apresentar rima, métrica, estrofe. A poesia do Modernismo, por exemplo,
desprezou esses conceitos; é uma poesia que se caracteriza pelo verso livre
(abandono da métrica), por estrofes irregulares e pelo verso branco, ou
seja, o verso sem rima. O que, também, não impede que “subitamente na
esquina do poema, duas rimas se encontrem, como duas irmãs desconhecidas…”
Lírico – O que é A palavra lírico vem do latim, que significa lira;
instrumento musical usado para acompanhar as canções dos poetas da Grécia
antiga, e retomado na Idade Média pelos trovadores. Pode-se dizer que o
gênero lírico é a expressão do sentimento pessoal. “É a maneira como a
alma, com seus juízos subjetivos, alegrias e admirações, dores e sensações,
toma consciência de si mesma no âmago deste conteúdo” (Hegel). De fato, o
poeta lírico é o indivíduo isolado que interessa-se somente pelos estados
da alma. É aquele que preocupa-se demasiadamente com as próprias sensações
voltado para si. O universo exterior só é considerado quando existe uma
identificação, ou é passível de ser interiorizado pelo poeta. Gênero Épico
– Estilo O gênero épico remonta à antiguidade grego e latina sendo os seus
expoentes máximos Homero e Virgílio. A epopeia é um gênero narrativo em
verso, em estilo elevado, que visa celebrar feitos grandiosos de heróis
fora do comum reais ou lendários. Tem pois sempre um fundo histórico; de
notar que o gênero épico é um gênero narrativo e que exige na sua estrutura
a presença de uma ação, desempenhada por personagens num determinado tempo
e espaço. O estilo é elevado e grandioso e possui uma estrutura própria,
cujos principais aspectos são: Proposição – em que o autor apresenta a
matéria do poema; Invocação – às musas ou outras divindades e entidades
míticas protetoras das artes; Dedicatória – em que o autor dedica o poema a
alguém, sendo esta facultativa; Narração – a ação é narrada por ordem
cronológica dos acontecimentos, mas inicia-se já no decurso dos
acontecimentos (“in medias res”), sendo a parte inicial narrada
posteriormente num processo de retrospectiva, “flash-back” ou “analepse”.
Além destas quatro partes temos a presença constante da: Presença de
mitologia greco-latina – contracenando heróis mitológicos e heróis humanos.
O gênero lírico tem como característica e manifestação do eu artista. Onde
o artista demonstra de maneira expressiva seus pensamentos e emoções, ou
melhor, seu mundo interior. Uma característica marcante do texto lírico é a
musicalidade, ou seja, a exploração da sonoridade. É predominantemente
subjetivo, e sua origem que acompanhava os recitais de poesias. Por
envolver a musicalidade, a mensagem devia ter uma linguagem precisa, tendo
cada palavra seu significado. Ex: Meu amor ensinou a ser simples Como um
largo de igreja Onde não há nem um sino Nem um lápis Nem uma sensualidade
(Oswaldo de Andrade) Este texto em verso, é denominado poema. E o autor
usou de diversas figuras para dar a idéia da simplicidade mostrou o “eu” do
autor. Caracteristicas do Gênero Épico? A epopeia eterniza lendas a um
texto em prosa que dá seu recado a respeito de séculos e tradições
ancestrais, preservando-as ao longo dos tempos pela tradição oral ou
escrita. Os primeiros grandes modelos ocidentais de epopeia são os poemas
homéricos a Ilíada e a Odisseia, os quais têm a sua origem nas lendas sobre
a guerra de Troia. A epopeia pertence ao gênero épico, embora tenha
fundamentos históricos, não representa os acontecimentos com fidelidade,
geralmente reveste os acontecimentos relatados com conceitos morais e atos
exemplares que funcionam como modelos de comportamento. Epopeia é uma
narrativa que apresenta com maior qualidade os fatos originalmente contados
em versos. Os elementos dessa narrativa apresentam estas características:
personagens, tempo, espaço, ação. Também pode conter fatos heroicos muitas
vezes transcorridos durante guerras. Epopeia é um poema épico ou lírico. Um
poema heroico narrativo extenso, uma coleção de feitos, de fatos
históricos, de um ou de vários indivíduos, reais, lendários ou mitológicos.
A epopeia eterniza lendas seculares e tradições ancestrais, preservada ao
longo dos tempos pela tradição oral ou escrita. Os primeiros grandes
modelos ocidentais de epopeia são os poemas homéricos a Ilíada e a
Odisseia, os quais têm a sua origem nas lendas sobre a guerra de Troia. A
epopeia pertence ao gênero épico, mas embora tenha fundamentos históricos,
não representa os acontecimentos com fidelidade, geralmente reveste os
acontecimentos relatados com conceitos morais e atos exemplares que
funcionam como modelos de comportamento. Gêneros Literários: épico ou
dramático O gênero épico é um dos gêneros da literatura. O termo épico
deriva do grego “epos”, que significa palavra, notícia, oráculo. Épico é
quando temos uma narrativa de fundo histórico; é os feitos heróicos e os
grandes ideais de um povo o tema das epopéias. O narrador mantém um
distanciamento em relação aos acontecimentos (esse distanciamento é
reforçado, naturalmente, pelo aspecto temporal: (os fatos narrados situam-
se no passado). Temos um Poeta-observador voltado, portanto, para o mundo
exterior, tornando a narrativa objetiva. A objetividade é característica
marcante do gênero épico. A épica já foi definida como a poesia da
“terceira pessoa do tempo passado”. O gênero épico ( ou a épica)
desenvolveu-se em várias civilizações e em vários momentos históricos, mas
os seus modelos insuperáveis são a Ilíada e a Odisséia, epopéias surgidas
na Grécia por volta dos séculos IX e VIII a.C., ou mesmo do século IX a.C.
Estas obras, como outras similares, foram denominadas também poesia épica,
isto porque – possivelmente com objetivo de memorização – eram
metrificadas. A épica (ou epopéia), de acordo com Angélica Soares, é “uma
longa narrativa literária de caráter heróico, grandioso e de interesse
nacional e social […] que apresenta, juntamente com todos os elementos
narrativos (o narrador, o narratário, personagens, tema, enredo, espaço e
tempo), uma atmosfera maravilhosa que, em torno de acontecimentos
históricos passados, reúne mitos, heróis e deuses, podendo-se apresentar em
prosa (como as canções de gesta medievais) ou em verso (como Os Lusíadas)”.
A passagem do épico ao romance se deu aos poucos, com a evolução ads formas
narrativas medievais, como novelas de cavalaria, canções de gesta,
moralidades, exempla, farsas, fabliaux e a novela. Na Idade Média existiam
dois tipos de narrativas: a canção de gesta que surgiu para respeitar os
feitos históricos de povos ou heróis, às guerras históricas e aos dramas
lendários, e o romance que se preocupava com as aventuras de uma das
personagens, criatura de ficção, através do misterioso mundo, apresentando
um caráter descritivo-narrativo. Existiram duas epopéias: a clássica e a
medieval, a primeira tem um grupo de textos criados na Grécia em Roma,
Homero narra as aventuras do herói Aquiles durante a tragédia de Tróia. Na
Odisséia, conta as desventuras de Ulisses, perdido pelos mares por muitos
anos após a queda de Tróia, até sua volta triunfal com a ajuda e a
perseguição dos deuses do Olimpo. Ilíada e Odisséia, de Homero, e a Eneida,
de Virgilio foram as principais obras de concepção homérica da epopéia. As
epopéias medievais são longos poemas épicos, em versos de oito, dez ou doze
sílabas, reunidas em estrofes de extensão desigual, cada uma delas
terminando por assonância numa vogal, em vez de rima. Foram obras criadas
anonimamente, escritas em latim vulgar. Encontraram-se ambientações em
regiões que hoje constituem a Inglaterra, a Alemanha, a França e a Espanha,
podendo citar algumas como: o poema inglês “beowulf”, a “canção dos
Nibelungos”, o “cantar Del mio Cid” e os poemas do ciclo de Carlos Magno,
como “A canção de Rolando”.

FONTE: web.cn.edu/www.geocities.com/ucbweb2.castelobranco.br

Leia mais em: https://www.portalsaofrancisco.com.br/literatura/genero-epico


Copyright © Portal São Francisco

Visitado em 24 de Março de 2018

Interesses relacionados