Você está na página 1de 3

Universidade Estadual de Feira de Santana

Departamento de Ciências Humanas e Filosofia


Curso de Licenciatura em História
História da Cultura Greco-Romana
Prof. Me. Ygor Klain Belchior
https://usp-br.academia.edu/YgorBelchior
ygorklain@gmail.com

HANDOUT I

1. O dilúvio sumério:

Para destruir a semente de humanidade...,


É a decisão, a ordem da assembleia [dos deuses].
Pela ordem comandada por Anu e Enlil...,
Sua realeza, seu comando [terão um fim].
Todas as tempestades de vento, extremamente poderosas, atacaram como se uma
fossem,
Ao mesmo tempo, a inundação varre sobre os centros de culto.
Depois que, por sete dias e sete noites,
A enchente havia varrido por sobre a terra
E o enorme barco havia sido jogado em todas as direções
Pelas tempestades de vento nas grandes águas,
Utu surgiu, vertendo luz no céu e na terra.
E o enorme barco havia sido jogado em todas as direções
Pelas tempestades de vento nas grandes águas,
Utu surgiu vertendo luz no Céu e na Terra.
Zizudra abriu uma janela do enorme barco.
[...] O rei mata um boi, abate um carneiro.
Vós direis sopro de céu, sopro da terra, verdadeiramente isto se estenderá pelo
seu...
Anu e Enil pronunciaram sopro do céu, sopro da terra,
A vegetação, saindo da terra cresce.

ANET, 42-44.

2. O dilúvio bíblico:

Viu Deus a Terra, e eis que estava corrompida; porque todo o ser vivente havia
corrompido o seu caminho na terra.
Então disse Deus a Noé; Resolvi dar cabo de toda a carne, porque a terra está cheia
de violência dos homens: eis que os farei perecer juntamente com a terra.
Faze uma arca de tábuas de ciprestes; divide-a em compartimentos, calafetados
com betume por dentro e por fora.

Porque, daqui sete dias, farei chover sobre a terra durante quarenta dias e quarenta
noites; e da superfície da terra exterminarei todos os seres vivos.
Assim foram exterminados todos os seres que havia sobre a face da terra, o homem
e o animal, os répteis, e as aves dos céus, foram extintos da terra; ficou somente
Noé, e os que estavam na arca.
E as águas durante cento e cinquenta dias predominaram sobre a terra.
Lembrou-se Deus de Noé, e de todos os animais selvagens e de todos os animais
domésticos que com ele estavam na arca; Deus fez soprar um vento sobre a terra e
baixaram as águas.
Ao cabo de quarenta dias, abriu Noé a janela que fizera na arca, e soltou um corvo,
que saía e voltava até se secarem as águas sobre a terra.
Noé levantou um altar ao Senhor e, tomando de animais limpos e de aves limpas,
ofereceu holocaustos sobre o altar.

GÊNESIS, 6, 7, 8.

3. O proêmio da Ilíada:

Canta, ó Deusa, a cólera de Aquiles, o Pelida


(mortífera!, que tantas dores trouxe aos Aqueus
e tantas almas valentes de heróis lançou no Hades,
ficando seus corpos como presa para cães e aves
de rapina, enquanto se cumpria a vontade de Zeus),
desde o momento em que primeiro se desentenderam
o Atrida, soberano dos homens, e o divino Aquiles.

Homero, Ilíada, 1, 1-7.

4. O proêmio da Odisseia:

O homem cantam-me, ó Musa, o multifacetado, que muitos


males padeceu, depois de arrasar Tróia, cidadela sacra.
Viu cidades e conheceu costumes de muitos mortais. No
mar, inúmeras dores feriram-lhe o coração, empenhando em
salvar a vida e garantir o regresso dos companheiros. Pereceram,
vítimas de suas presunçosas loucuras. Crianções! Forraram
a pança com carne das vacas de Hélio Hipérion. Estes os
privou, por isso, do dia do regresso. De muitas façanhas,
Deus, filha de Zeus, conta-nos algumas a teu critério.

Homero, Odisseia, 1, 1-10.

5. Os aedos:

Os aedos de outrora ainda celebram Argos ter


construído a nau, segundo os preceitos de Atena.
Agora, eu gostaria de narrar a origem e os nomes dos heróis,
seus longos trajetos pelo mar e tudo o que realizaram
em suas errâncias. Que as Musas inspirem meu canto!

Apolônio de Rodes, Argonautas, 1, 18-22.


6. A educação:

Por conseguinte, ó Glaucon, quando encontrares encomiastas de Homero, a que


dizem que esse poeta foi o educador da Grécia, e que é digno de se tomar por
modelo no que toca a administração e a educação humana, para aprender com ele a
regular toda a nossa vida, deves beijá-los e concordar com eles em que Homero é o
maior dos poetas e o primeiro dos tragediógrafos, mas reconhecer que, quanto a
poesia, somente devem receber na cidade hinos aos deuses e encômios aos varões
honestos e nada mais. Se, porém, acolheres a Musa aprazível na lírica ou na
epopeia, governarão a tua cidade o prazer e a dor, em lugar de lei e do princípio que
a comunidade considere, em todas as circunstâncias, o melhor.

Platão, A República, 606e e 607a.

7. A tradição literária:

Canta as lutas e o herói que, forçado pelo destino a fugir do


solo pátrio, partiu das praias de Troia e chegou primeiro a Lavínio,
no litoral da Itália. Muito maltrataram, em terra e mar, as forças
celestes, por causa do ódio da impiedosa Juno. Muito também
sofreu na guerra, enquanto edificava a cidade e introduzia no Lácio
os deuses de Troia: essa é a origem do povo latino, de nossos
ancestrais albanos e da altiva e inexpugnável Roma.
Diz-me, ó Musa, por que a amargurada rainha dos deuses,
contrariada em seus desejos, foi levada a desencadear tantas desgraças
sobre um Varão de insignes virtudes, submetendo-o tantos
trabalhos e provações? Há cólera assim nos corações dos deuses?

Virgílio, Eneida, 1, 1-12.

8. Sites para a pesquisa:

A Ilíada em grego: https://www.youtube.com/watch?v=sR7FGshwBWY

A Odisseia em grego: https://www.youtube.com/watch?v=MOvVWiDsPWQ

Gilgamesh em sumério: https://www.youtube.com/watch?v=QUcTsFe1PVs

Virgilio, por Paulo Martins: https://www.youtube.com/watch?v=usY6Y_tzHrU

9. Dica de download:

Tradução da Ilíada: https://www.dropbox.com/s/zovcv9u3ye654wq/HOMERO-Iliada-


Penguin-companhia.pdf?dl=0