Você está na página 1de 22

R Comp Int Dev (2016) 51: 103 - 123 DOI

10,1007 / s12116-015-9202-6

Persistência Democrática e Desigualdade: o Papel dos Investimentos


Diretos Estrangeiros

Mathew YH Wong 1

on-line Publicado: 13 de outubro de 2015


# Springer Science + Business Media New York 2015

Abstrato Enquanto a democracia é acreditado geralmente para reduzir a desigualdade, o estudo argumenta que a persistência

democrática, representando tanto o comprimento ea qualidade da democracia, aumenta a desigualdade de rendimentos através

do investimento directo estrangeiro (IDE). Com instituições como a proteção dos direitos de propriedade no local, que promove a

entrada de capital estrangeiro. IED, por sua vez empurra para cima a desigualdade de renda, entre outras coisas, a criação de

um pequeno sector de pessoas de alta renda no mercado. A influência acumulados por esse capital na política também pode

agravar a situação. Estes argumentos são suportados empiricamente em 118 países no período de 1970 a 2008. Os resultados

também são robusta para uma série de verificações.

Palavras-chave Desigualdade. Democracia. Globalização. FDI. Redistribuição

Embora democracia é geralmente acredita-se ser a desigualdade de redução, os resultados existentes na literatura
tenham sido inconclusivos até à data. Além disso, o efeito da experiência democrática na desigualdade tem sido pouco
explorada de forma sistemática e empiricamente. Ao tomar uma perspectiva de longo prazo para o efeito do tipo de
regime na distribuição de renda, este artigo fornece uma contribuição rara argumentando que a experiência democrática
prolongada e de alta qualidade, ou B persistência democrática, ^ aumenta a desigualdade de renda. Isso mostra que
maior persistência democrática leva a um ambiente de investimento desejável com instituições políticas e econômicas
mais estabelecidos, em particular, a protecção dos direitos de propriedade eo Estado de direito. Como resultado, mais
investimento directo estrangeiro (IDE) serão atraídos para o país. FDI ' s tendência para a impactos distributivos
desiguais acabará por aumentar a desigualdade de renda no país de acolhimento através da criação de um pequeno
sector de trabalhadores de alta renda. Esta descoberta também fornece uma razão para que a relação entre democracia
e desigualdade não é tão evidente como seria de esperar.

* Mathew YH Wong
yhmwong@hku.hk

1 Departamento de Política e Administração Pública da Universidade de Hong Kong, Pokfulam, Hong

Kong
104 R Comp Int Dev (2016) 51: 103 - 123

O argumento de que a democracia a longo prazo pode aumentar a desigualdade de renda pode vir como uma surpresa para os leitores,

uma vez que contrasta com gerações de estudos bem documentados sobre o potencial redistributivo da democracia. Eu não pretendo

argumentar que a democracia não é redistributiva. De fato, como veremos abaixo, um sistema democrático existente ainda é capaz de

diminuir a desigualdade, mas o efeito não é muito robusto. Isto é particularmente evidente em face do fluxo de capital internacional que limita

as opções políticas disponíveis para os governos. Sugiro que o cenário da democracia empurrando para cima a desigualdade não é difícil

imaginar: os países com a experiência mais democrático, ou seja, aqueles com democracia de alta qualidade a longo prazo, como os EUA

eo Reino Unido, são quase sem exceção aqueles com sofisticada sistemas económicos e financeiros. Na sequência da crise financeira

global em 2008, ambos os governos foi contra a opinião consensual da maioria dos cidadãos e socorrida as instituições financeiras

responsáveis ​pela crise. Enquanto as economias como um todo sofreu as conseqüências, parecia que as elites estavam envolvidos e os

ricos não estavam fazendo muito mal. Embora a análise empírica neste artigo abrange o período até 2008, isso mostra que ele pode ser

tradicional para determinados sectores ou classes de ser tratado favoravelmente, ou desfrutar de uma vantagem sistêmica dentro do

sistema, mesmo em democracias estabelecidas (ver, por exemplo, Hacker e Pierson parecia que as elites estavam envolvidos e os ricos não

estavam fazendo muito mal. Embora a análise empírica neste artigo abrange o período até 2008, isso mostra que ele pode ser tradicional

para determinados sectores ou classes de ser tratado favoravelmente, ou desfrutar de uma vantagem sistêmica dentro do sistema, mesmo

em democracias estabelecidas (ver, por exemplo, Hacker e Pierson parecia que as elites estavam envolvidos e os ricos não estavam

fazendo muito mal. Embora a análise empírica neste artigo abrange o período até 2008, isso mostra que ele pode ser tradicional para

determinados sectores ou classes de ser tratado favoravelmente, ou desfrutar de uma vantagem sistêmica dentro do sistema, mesmo em

democracias estabelecidas (ver, por exemplo, Hacker e Pierson 2010 ).

Criticamente, a expectativa da natureza redistributiva da democracia não deve ser confundida com a hipótese de
que as democracias vai sempre levar a uma diminuição na desigualdade ou necessariamente apresentam um menor
nível de desigualdade do que os não-democracias. Nesta pesquisa, eu começo com a possibilidade de que a
democracia também pode levar a efeitos colaterais, que vão compensar, ou mesmo reverter, qualquer esforço
redistributivo. A possibilidade explorada neste trabalho é que a persistência democrático pode trazer investimentos
estrangeiros, o que pode levar a uma maior desigualdade. Embora o impacto distributivo exata de cada mecanismo
relacionadas com a democracia não é um foco desta pesquisa, eu tento distinguir explicitamente entre os efeitos a longo
prazo e de curto prazo da democracia, bem como seus efeitos sobre diferentes estágios de redistribuição.

Em comparação com os trabalhos anteriores sobre o rendimento características de distribuição da


democracia, eu revisitar o tema através da introdução de várias novas perspectivas. Primeiro, a maioria das
pesquisas no campo estritamente operacionalizar a democracia como uma característica anual contemporâneo
sem levar em conta seu efeito contínuo, tais como a estabilidade. Isso pressupõe, muitas vezes irrealisticamente,
que os sistemas democráticos são homogêneas e exibir características idênticas. Defendo que os sistemas
políticos são naturalmente afetados pela experiência democrática passado, o que molda o funcionamento actual
da política através da institucionalização de normas e valores históricos. notáveis ​exceções a essa suposição
incluem Ross ( 2006 ) E Gerring et al. ( 2012 ), Que se concentram no desenvolvimento. Atualmente poucos
estudos, analisados ​a seguir, dedicada a explorar os efeitos democráticos a longo prazo na distribuição de renda.
A segunda contribuição está intimamente relacionado com o primeiro. Este artigo postula que a persistência
democrático é distinto do estado democrático e a estabilidade do regime. I fornecer argumentos teóricos, bem
como a evidência empírica para substanciar minha afirmação. Isto serve como uma nota para futuros estudos
sobre a necessidade de separar cuidadosamente os efeitos vindos de cada componente. Em terceiro lugar, o IED
é introduzido aqui como um mecanismo causal da democracia à desigualdade. A literatura não é conclusiva em
ambos o efeito da democracia em IED ou FDI sobre a desigualdade. Este documento esclarece a direcção dos
efeitos com provas. Aproveitando os dados sobre a desigualdade de renda,
R Comp Int Dev (2016) 51: 103 - 123 105

Por exemplo, enquanto o IDE leva a uma distribuição de renda tendenciosa com a criação de um grupo de trabalhadores
bem pagos, seu impacto sobre a redistribuição é mais limitada.
O resto do artigo está organizado da seguinte forma: na próxima seção, eu rever a literatura existente
sobre a democracia, o IED ea desigualdade. Isto é seguido pelos argumentos teóricos e hipóteses deste
artigo. Eu, então, colocar para fora o projeto de pesquisa e indicadores utilizados. A seção seguinte apresenta
resultados empíricos. A seção final discute as implicações dos achados.

Revisão da literatura

Os resultados políticos e econômicos dos tipos de regime são de interesse perene para os cientistas sociais. Por
exemplo, há uma literatura longa e complicada sobre se a democracia é boa para o crescimento econômico (por
exemplo, Barro 1996 ; PRZEWORSKI et al. 2000 ). Como é o caso de todas as contribuições importantes, tais
relações sejam sempre revistos e desafiou. No link aparentemente robusta entre regime e desenvolvimento
humano, mais estudos começaram a questionar a força, ou mesmo a própria existência, de tais relações (por
exemplo, Gauri e Khaleghian 2002 ; Ross 2006 ). O sub-ramo de trabalho na democracia e desigualdade de renda se
aproxima bastante o desenvolvimento na literatura em geral.

Existem várias contribuições teóricas importantes que ligam os sistemas democráticos para uma distribuição de
renda mais igualitária. redistribuição democrática em direção a maioria está previsto pelo modelo do eleitor mediano
seminal (Meltzer e Richard 1981 ). Lenski ( 1966 ) Afirma que a energia é redistribuído em favor da maioria sob
democracia, o que deve levar a um sistema com benefícios uniformemente distribuídos. Além disso, a liberdade de
associação sob a democracia leva a B recursos de poder, ^ permitindo que as forças políticas de esquerda para lutar por
um resultado mais igualitária (Korpi 1983 ; Huber e Stephens 2001 ). Mecanismos como a competição eleitoral reforçar
ainda mais a visão de que a democracia é um regime redistributivo. Democracias também são encontrados para pagar
salários mais altos que parecem reduzir a desigualdade (Rodrik 1999 ).

Apesar dos fundamentos teóricos, estudos empíricos sobre o efeito da democracia sobre a desigualdade, limitadas pela
qualidade dos dados, muitas vezes mostram resultados contrastantes. Sirowy e Inkeles ( 1990 ) Resumir os resultados
empíricos da literatura anterior, que não foram conclusivos. Os resultados mostraram um padrão convergente, após a
publicação de um conjunto de dados mais padronizado e melhorada de Deininger e Squire (DS) ( 1996 ). Com este conjunto
de dados (em particular a sua B De alta qualidade ^ observações), que tem sido amplamente sugeriu que a democracia reduz
a desigualdade (Reuveny e Li 2003 ; Li et al. 1998 ; Tavares andWacziarg 2001 ; para uma pesquisa, consulte Gradstein e
Milanovic 2004 ). No entanto, esta conclusão é desafiado por Timmons ( 2010 ) Como um legado do conjunto de dados DS,
como o resultado não pode ser replicado usando o sucessor do DS, o World Income Distribution banco de dados (WIID) (/
Instituto Mundial das Nações Unidas Universidade para o Desenvolvimento de Pesquisa Econômica (UNU-WIDER) 2008 ).

Assim como a relação mais ampla entre o tipo de regime e desenvolvimento, os democracia de igualdade de ligação
garante uma investigação mais aprofundada e discussão.
Para efeitos deste artigo, a persistência democrática é operacionalizada como a democracia estoque, que
é um dos acontecimentos mais excitantes na literatura (Gerring et al. 2005 , 2012 ). estoque democracia
permite a conceituação da democracia temporal e cumulativamente. Um país ' s experiência democrática deve
ser considerada igualmente importante, se não mais importante, como o seu estatuto democrático
contemporâneo.
R Comp Int Dev (2016) 51: 103 - 123

Regime depende em grande parte o seu passado, e funciona como Collier e Collier ( 1991 ) Destacam a importância
histórica da democracia e autoritarismo. Gerring et al. ( 2012 , 2) afirmam que B efeitos das instituições políticas são
susceptíveis de se desdobrar ao longo do tempo ... e que estes efeitos temporais são cumulativos. ^ Com essa visão, eles
são capazes de mostrar que um estoque crescente de democracia tem efeitos inequivocamente positivos sobre o
crescimento económico e desenvolvimento humano (Gerring et al. 2005 , 2012 ). Trabalhos anteriores sobre a experiência
democrática e desigualdade de renda incluem Muller ( 1988 ) E Gradstein e Milanovic ( 2004 ), Que afirmam que um período
prolongado de democracia é necessário para seus mecanismos igualitárias para entrar em vigor. Simpson ( 1990 ), Por
outro lado, não encontra nenhum efeito da experiência democrática na desigualdade. I revisitar o problema percebendo
regimes em termos de estoque democracia, em vez de simplesmente como o comprimento ou o nível atual de democracia. 1

Este documento sugere o IDE como uma variável interveniente. Li e Resnick ( 2003 ) sugerem
que as instituições democráticas têm efeitos contrastantes sobre o IDE. Por outro lado, Olson ( 1993 ) Argumenta que os

investimentos são mais seguros nas democracias bem estabelecidas com os direitos de propriedade garantidos pela judiciários

e eleições independentes. instituições democráticas promover, assim, os fluxos de IDE pelo reforço da protecção dos direitos de

propriedade, reduzindo assim os riscos para os investidores estrangeiros e incentivar o investimento estrangeiro (por exemplo,

Jensen

2008 ). Por outro lado, as instituições democráticas podem dificultar os fluxos de IDE através de três caminhos. Em
primeiro lugar, a política democrática enfraquece a posição superior das corporações multinacionais (MNCs) através do
monitoramento público e oposição política. Ele também impede que o país anfitrião de oferecer generosos incentivos
para investidores estrangeiros, e em terceiro lugar, ele abre caminhos para as empresas locais para buscar a proteção
do governo (Li e Resnick 2003 ). Estudos empíricos geralmente acham que a democracia tem um efeito positivo sobre o
IED entrada (por exemplo, Jensen 2003 ; Busse e Hefeker 2007 ). Movendo-se para os efeitos do IDE, medidos em ações
ou fluxos, verificou-se que o IED aumenta a desigualdade de rendimentos (por exemplo, Chase-Dunn 1975 ; Bornschier
et al. 1978 ). Isto é confirmado por uma ampla gama de estudos (por exemplo, Dixon e Boswell 1996 ; Reuveny e Li

2003 ; Basu e Guariglia 2007 ). Reuveny e Li ( 2003 ) Fornecem um resumo das possíveis razões (ver também Kentor 2001 ).
IED normalmente envolve as multinacionais, que possuem grande poder de barganha vis-à-vis o governo e trabalho para
democracia da Freedom House e centra-se na Europa de Leste por apenas um período de tempo limitado. 106
manter os níveis de bem-estar e salários no mínimo (Nafziger 1997 ; Rodrik 1997 ). sistemas fiscais nacionais não são bem
projetados para as multinacionais fiscais, levando a uma redução das receitas eo bem-estar do governo (Reuveny e Li

2003 ). Eles também são susceptíveis de repatriar lucros de países em desenvolvimento. Mesmo se não o fizerem, eles

costumam pagar salários baixos em indústrias de trabalho intensivo ou criar um pequeno setor avançado de trabalhadores com

um grande setor para trás (Nafziger 1997 ). Scheve e Slaughter ( 2004 ) Atribuem a volatilidade crescente nos salários e emprego

ao aumento da elasticidade da demanda de trabalho causada por IED. Para resumir, o IED pode empurrar para cima a

desigualdade, afetando a distribuição salário recebido por trabalhadores domésticos ou minimizar a redistribuição através da

redução de impostos e limitar os gastos do governo.

Por outro lado, como certos países, como o México, experimentar um influxo de IED em expansão e uma
igualdade melhoria (Jensen e Rosas 2007 ), Sugere-se que o IED poderia sim fornecer países de acolhimento com
práticas de capital, tecnologia e negócios que aumentam a produtividade e crescimento (por exemplo, Markusen e
Venables 1999 ). Além disso, o

1A medida da experiência democrática sugerido por Gradstein e Milanovic ( 2004 ) É semelhante ao da democracia, mas ele usa a pontuação
Dev (2016) 51: 103 - 123 107

impacto negativo dos fluxos de investimento na economia doméstica pode ser limitada por regulamentações impostas
a empresas multinacionais por governos anfitriões (Kurzer 1993 ). Dado o grande número de potenciais vias, a
pesquisa atual tentará determinar a direcção do impacto da democracia e da FDI na distribuição de renda por
desembaraçar os efeitos a longo prazo e de curto prazo. Ao comparar os seus efeitos sobre as desigualdades
pré-FISC e pós-FISC, eu também posso especular sobre a força relativa de vários canais.

Argumentos teóricos

Este artigo tem dois argumentos principais. Em primeiro lugar, sugere-se que a persistência democrática está associada a
um aumento do afluxo de IED, bem como uma maior desigualdade. O segundo argumento sustenta que as ligações são
causal; persistência democrática aumenta a desigualdade através do IDE entrada. Alderson e Nielsen ( 2002 ) Argumentam
que a globalização, medido pelo investimento estrangeiro, explica a tendência longitudinal da desigualdade dentro dos
países industriais melhor do que ele cruzar seccionalmente. 2 Como a maioria dos estudos anteriores foram baseadas em
variações transversais, a série temporal desenho transversal desta pesquisa pode oferecer uma melhor compreensão dos
efeitos do IDE.

A democracia deve ser considerado como um fator chave para determinar a atratividade do ambiente para o
investimento. Democracias são encontrados para ser mais capaz de proteger os direitos de propriedade e garantir a
aplicação contrato (Clague et al. 1996 ; Knutsen 2011 ). Embora mais tolerante para com greves e protestos, a
democracia é sugerido para ser capaz de produzir uma maior estabilidade no desempenho econômico (Rodrik 1998 ).
A relativa estabilidade e previsibilidade da política atrair investidores. Com a evidência qualitativa e quantitativa,
Jensen ( 2008 ) Argumenta convincentemente que os regimes democráticos reduzir o risco (como a expropriação) para
os investidores, principalmente através dos constrangimentos colocados no ramo executivo do governo. Todos estes
são atributos desejáveis ​para a escolha de destinos de investimentos como cuidados investidores, sobretudo, sobre
os seus riscos de investimento. Esta previsão é em linha com a cadeia a da literatura, que identifica risco política e
estrutura de administração como os principais determinantes de IED (por exemplo, Kobrin 1976 ; Globerman e Shapiro 2002
). Tomando isto como ponto de partida a partir da literatura existente, argumenta-se que a acumulação da democracia
( B persistência democrática ^) é um fator mais importante a este respeito que o estado democrático contemporâneo ou
comprimento da democracia. experiência democrática prolongado pode trazer estabilidade e legitimidade a um
estado. Com um longo período de democracia de alta qualidade, direitos políticos e liberdades civis estão melhor
protegidos e o Estado de direito é mais firmemente entrincheirado. qualidade democrática (representadas por um
placar maior democracia) durante o período também é de importância, como é possível que um sistema para
sustentar a democracia formal por um longo tempo, mas a uma baixa qualidade da democracia, que pode não ser
propício para estabelecer a estabilidade ea outros resultados positivos relacionados do regime democrático. Países
com alta persistência democrática, proxy por um estoque democracia alta acumulada nesta pesquisa, são discutidos a
ser sistematicamente diferentes dos jovens democracias.

estoque da democracia, quer como democracias recém-estabelecidas ou consistentemente aqueles de baixa


qualidade. Keefer ( 2007 ) Acha que as democracias mais jovens são mais corruptos, possuem menor qualidade
burocrática, e exibem menos Estado de direito, os quais são

2 Eles consideram saída de investimentos estrangeiros em vez de entrada. R Comp Int


R Comp Int Dev (2016) 51: 103 - 123

geralmente pouco atraente para os investidores estrangeiros. Talvez mais importante ainda, esses regimes são incapazes
de se comprometer com credibilidade aos eleitores e, portanto, dependem de políticas piores (Keefer 2007 ). Este
crucialmente distingue entre países democráticos e países de alta persistência democrática, o que leva à hipótese de que a
persistência democrática trará mais investimentos estrangeiros.

Como mencionado acima, Li e Resnick ( 2003 ) Argumentam que as instituições democráticas têm
efeitos positivos e negativos sobre os fluxos de IDE. Ao tomar persistência democrática em conta, defendo
que, com uma perspectiva de longo prazo, os efeitos positivos superam os negativos. O ex-originam uma
maior confiança dos investidores na proteção da propriedade, que seria reforçada por uma democracia mais
trazer a este ponto. 108
longo e de maior qualidade. efeitos negativos sobre IED, por outro lado, vêm de causas próximas, em vez de
outras mais distantes. Por exemplo, as restrições colocadas sobre os políticos eo governo não oferecer termos
generosos para atrair capital estrangeiro dependem mais da operação, mas não a duração, da política
democrática. Eles são, sem dúvida, com efeito uma vez que o sistema democrático está em vigor,
independentemente da experiência passada do regime. 3 O mesmo vale para o acesso a funcionários eleitos.
suficiente para esperar que este mecanismo seja mais forte com maior persistência democrática. Eu gostaria de agradecer a um revisor anônimo por
Desde o estado democrático atual do país (incluído como uma variável de controle) é distinto de persistência
democrática, espero que este último fator será inequivocamente levar a um maior volume de IED. Resumindo
os argumentos, as seguintes três hipóteses serão testadas:

impacto real deste mecanismo em relação aos outros é finalmente uma questão empírica. Os resultados obtidos neste estudo não oferecem apoio

H1: persistência Democrática aumenta IED.

Coisas semelhantes podem ser dito sobre os argumentos teóricos contrastantes sobre os efeitos do IDE sobre
a desigualdade. Como IED é uma medida contemporânea dos movimentos de capitais, não se espera que o efeito
a longo prazo de IED em facilitar o crescimento tecnológico e econômico do país anfitrião para materializar dentro
os mais velhos são mais institucionalizada, especialmente nas capitais ' s acesso aos políticos (ver Discussão secção abaixo). Em segundo lugar, o
do escopo do nosso projeto de pesquisa. Pelo contrário, o impacto adverso de capital estrangeiro na repressão
salarial e bem-estar, bem como a criação de um setor de alta renda pequena pode ser refletido na distribuição de
renda quase imediatamente. Portanto, espera-se que o IDE só irá demonstrar o efeito desigual, ou seja, aumentar
a desigualdade, no período de tempo deste papel. Conclui-se que a persistência democrática terá um efeito na
mesma direção.
está claro se tais mecanismos seria realmente mais forte nas democracias de longo prazo. Novas democracias são às vezes mais populista, enquanto

H2: fluxo de IED aumenta a desigualdade de renda. H3: persistência Democrática


aumenta a desigualdade de renda.

em atrair IED entrada


Finalmente, ou anular os efeitos
comparando negativos
o resultado do IDE sobre
depende das igualdade
dimensõesde renda. Duas respostas
dos dados são oferecidos
de desigualdade aqui. Em primeiro
rendimento lugar, não
disponíveis
(abaixo discutida em pormenor), que vai ser capaz de localizar o ponto dentro do ciclo de redistribuição de rendimento (por
exemplo, antes ou depois de impostos / transferências), onde persistência democrático e FDI exercer seu efeito. Uma
interpretação dos resultados permite

3 Alternativamente, restrições políticas pode se tornar mais forte em países com alta persistência democrática. Este poderia ou neutralizar o impacto
109

-nos identificar, de entre os candidatos listados acima na seção de revisão, os canais através dos quais a
democracia e FDI influenciam a distribuição de renda de forma mais eficaz.

Pode-se argumentar que o efeito da persistência democrática poderia vir de estabilidade do regime geral.
Especificamente, de longa data e estados autoritários estáveis ​podem também atrair capital estrangeiro. China é um
exemplo óbvio, a este respeito, ranking entre os principais destinos de IED no mundo inteiro. 4 Em resposta, este papel
controla a estabilidade do regime usando idade de regime, tal como um proxy. Defendo que a idade de regime elimina o
efeito da estabilidade trazida pelo regime longevidade comum a todos os sistemas políticos, enquanto a persistência
democrática captura quaisquer aspectos adicionais exclusivos para o estado democrático de longo prazo do estado,
como o Estado de direito ea protecção dos direitos de propriedade. 5

Com base nos conhecimentos da literatura, mantenho que a persistência democrática deve ser diferenciada
de qualquer democracia (antigos vs. jovens democracias; Keefer
2007 ) ou estáveis ​não-democracias (restrições democráticas; Jensen 2008 ).

Projeto e dados de pesquisa

Este estudo emprega um pool de séries temporais desenho transversal. Com o país-ano como a unidade de
análise, inclui um painel não balanceado de 118 países, cobrindo o período de 1970 a 2008. Como com a maioria
de séries temporais modelos transversais, heterocedasticidade e autocorrelação são potenciais problemas. Embora
eles não estimativas dos coeficientes de viés fazer, eles podem levar a erros padrões ineficientes e tendenciosas.
mediante solicitação. R Comp Int Dev (2016) 51: 103 - 123
Em todos os quadros estatísticos, os erros padrão agrupados por país são relatados. testes de robustez com 3
anos variável dependente defasada, também são realizadas. 6 Na análise principal, os seguintes três equações será
estimado:

FDI isto ¼ α isto º β 1 ESTOQUE isto º β 2 NÍVEL isto º β 3 ERA isto º Z isto º ε isto ð1º

Desigualdade isto ¼ α isto º β 4 ESTOQUE isto º β 5 NÍVEL isto º β 6 ERA isto º X isto º ε isto ð2º

Desigualdade isto ¼ α isto º β 7 FDI isto º X isto º ε isto ð3º

Onde Z e X são os vectores de variáveis ​de controlo para o IDE e desigualdade, respectivamente. STOCK, nível e AGE
referem-se a ações democracia, o nível de democracia, e idade regime. Em seguida, vou apresentar as variáveis
​utilizadas neste trabalho. estatística descritiva pode ser encontrada no Apêndice .

4 China tem sido o maior receptor de IED entre os países em desenvolvimento desde meados de 1990, e superou os EUA para se tornar o

maior receptor de IDE no mundo em 2014 (UNCTAD 2015 ).


5 Como democracia tem uma natureza altamente tenderam, um modelo de atraso distribuído é inviável (Gerring et al. 2012 ).

6 Os principais resultados também pode ser replicado com efeitos fixos e RA (1) ou perturbação Prais-Winsten estimativa. Os resultados estão disponíveis
R Comp Int Dev (2016) 51: 103 - 123

Democracia e Persistência Democrática

Adoto a pontuação Polity amplamente utilizado como nossos dados sobre nível de democracia (Marshall et al.

2009 ). Oferece ampla país, e mais importante, a cobertura histórica (a partir de 1800), o que é ideal para a
construção de indicadores de regime de longo prazo. Um regime em qualquer dado ano é colocada ao longo de
uma escala de 21 pontos de - 10 (fortemente autocrático) a +10 (fortemente democrática) com base nas cinco
dimensões seguintes: competitividade e regulação da participação política, competitividade e abertura de
recrutamento de executivos, e restrições sobre o executivo-chefe.

A principal variável independente a captura de persistência democrática é da democracia, emprestando


principalmente de Gerring et al. ( 2012 ). 7 Para criar esta medida, eu resumir cada país ' s pontuação Polity de 1946
até o presente ano. A taxa de depreciação de 1% é aplicada para refletir o fato de que anos mais distantes
recebem menos peso do que os últimos. estoque Democracia tem uma média de 36,6 e varia entre - 448,8 (Butão
em 2005) para
469,1 (12 democracias em 2008). Uma grande força dessa variável é sua ênfase na experiência passada do
regime e sua inclinação contra a mudança rápida. Depois de um longo período autoritário, efeitos democráticos
não se deve esperar até depois de um desenvolvimento longo e consolidação das instituições. Esta
operacionalização reflete o fato de que nem todas as democracias iniciar na mesma linha. Alguns podem levar
mais tempo para reverter a institucionalização do autoritarismo. Em relação ao simplesmente medindo o nível ou o
comprimento da democracia, esta variável leva em consideração o regime ' s experiência antes e depois da
democratização. Tem também a vantagem distinta de objectividade. (Em contraste, ver Muller ( 1988 ) Para uma
longa discussão sobre as decisões que ele tomou para designar inauguração e interrupções democrática, etc. 8) Nenhuma
decisão arbitrária é feita neste estudo para decidir, por exemplo, o início da democracia e do comprimento da
democracia exigida para ser considerada B estável ou ^ B consolidado. ^

Também pode haver a preocupação com a criação artificialmente um resultado significativo com a variável estoque
democracia. A simples passagem do tempo pode retornar um estoque democracia aumentando, o que coincide com o
processo de globalização em termos de maior fluxo de capital internacional, e uma impressão de aumento da
desigualdade em todo o mundo. Para contrariar esta afirmação, uma variável de tendência temporal também está
incluído que começa em 1946 e aumenta em um em cada ano subsequente. 9 Além disso, embora o volume de IED tem
vindo a crescer, a desigualdade de renda não é constante crescimento em termos da média global por década.

Pode-se também de saber quanto do resultado é atribuível a democracias industriais avançadas. Como muitos
deles têm sido democracias de alta qualidade desde 1946 ou por um longo período de tempo, eles serão o grupo de
casos com os valores das ações democracia mais altos. Para avaliar se os nossos argumentos são movidos por este
grupo de países e se eles são aplicáveis ​em outros países, bem como, testes separados serão conduzidas com a
OCDE e os países não membros da OCDE.

7A diferença entre a medida e Gerring et al. ' s ( 2012 ) É o ponto de acumulação pontuação de partida. I começar em 1946, com o conjunto de

dados a partir de 1970.


8 Uma observação por Muller ( 1988 ) Demonstra a vantagem de objetividade. B O Uruguai é um exemplo de uma democracia instável que,

no entanto, teve muitos anos de democracia; Venezuela é um exemplo de uma democracia estável, que, no entanto, teve poucos anos
de democracia ^ ( 1988 , Fn 13). Com o benefício da retrospectiva, parece agora que os dois casos acabam por ser oposta à suas
impressões.
9 Os resultados são idênticos se o número de anos desde a formação de independência ou estado é usado. 110
111

Além do nível e estoque da democracia, a terceira variável relativa às características do regime é a idade
do regime. Os dados para a idade de regime são tomadas a partir da
Democracia e Ditadura conjunto de dados por CHEIBUB et al. ( 2010 ). 10 Ele é usado para capturar o efeito geral de
estabilidade independentemente do tipo de regime. Esta separa o efeito de longevidade regime de qualquer tipo de regime de
que a persistência de democrático.

A desigualdade de renda

A nossa variável dependente é a desigualdade de renda medida pelo coeficiente de Gini. Tem um alcance teórico de 0
(igualdade perfeita) a 100 (um destinatário tem toda a renda). Análise de desigualdade de renda é complicada por
problemas de comparabilidade dos dados. Os dados sobre a desigualdade são baseados em diferentes definições tais
como despesas; mercado de renda (valor bruto), que consiste principalmente de salários; ou lucro líquido, que é a
renda bruta mais redistribuição do governo em termos de impostos e transferências. Dollar e Kraay ( 2002 ) Desenvolver
um método econométrico para aliviar o problema de comparabilidade. No entanto, isto pressupõe um grau uniforme de
redistribuição entre os casos, o que é frequentemente o caso (por exemplo, Milanovic 2000 ; Bradley et al. 2003 ).
Embora o WIID (UNU-ALARGADA 2008 ) É o mais extenso banco de dados de renda

desigualdade, que ainda sofre com o mesmo problema. Para melhorar a comparabilidade, Solt ( 2009 ) Criou um B Padronizado
WIID ^ (SWIID) dataset padronizando observações Wiid, suavizando séries país, estimar razão entre as observações
através de unidade, região e tempo com modelagem multinível e ajustando para categorias de dados. Versão 3.1
lançado em 2011 é usado, fornecendo cobertura awide por fontes de dados incorporatingmultiple. O SWIID é
idênticos. R Comp Int Dev (2016) 51: 103 - 123
atualmente um do conjunto de dados desigualdade mais comumente usado em estudos transnacionais.

SWIID fornece estimativas de desigualdade com base em termos de rendimento de mercado e lucro líquido. A
medida baseada no lucro líquido é usado como nossa variável principal que leva tanto a distribuição no mercado e
intervenções governamentais em consideração. Ao utilizar ambas as séries de dados, é possível tomodel o ciclo de
renda, concentrando-se particularmente na etapa de redistribuição. Para ser mais preciso, incluindo mercado de Gini
no lado direito da equação, ao invés de explicar o nível geral de extant desigualdade no país, as estimativas das
variáveis ​no modelo deve agora ser interpretado como seus efeitos sobre a redistribuição processo; ou seja,
impostos e transferências após a distribuição de renda inicial são determinados pelo mercado. Este pode ser
representado pelo seguinte par de equações:

GINI NET isto ¼ α isto º β 8 GINI MERCADO isto º β 9 ESTOQUE isto º β 10 NÍVEL isto º β 11 ERA isto º X 0 isto º ε isto ð4º

GINI NET isto ¼ α isto º β 12 GINI MERCADO isto º β 13 FDI isto º X 0 isto º ε isto ð5º

Onde X ' é o vector de variáveis ​de controlo. Como a análise é deslocado de explicar o nível geral de desigualdade à
redistribuição, um conjunto mais parcimoniosa dos controles é usado. No entanto, resultados semelhantes podem ser
replicados com o uso de todo o conjunto acima ( X).

10 Nos dados original, a variável remonta a 1870, se aplicável. Com efeitos fixos por país, adaptando-o iniciar de 1946 mostra resultados
R Comp Int Dev (2016) 51: 103 - 123

FDI e seus determinantes

Outra variável de interesse é o nível de fluxos líquidos de IDE em um país a cada ano, medido em percentagem
do PIB. 11 Retirado de Indicadores de Desenvolvimento Mundial (WDI) ( 2010 ), Refere-se a entrada de
investimentos adquirindo uma participação duradoura na gestão de uma empresa operando em uma economia.
Ele inclui o capital social, lucros reinvestidos e longo prazo e capital de curto prazo. A medida pode ser negativo
devido à possibilidade de desinvestimento.

Os testes iniciais sobre os determinantes do IED incluem controlos seguintes literatura ( Z na Eq. ( 1 )). Mais
importante ainda, a liberdade de investimento, que capta o grau de restrições sobre o fluxo de capital de
investimento, é retirado do Índice de Liberdade Econômica fornecido pela Heritage Foundation / Wall Street
Journal desde 1995. Gwartney e Lawson ( 2003 ) Criticar a medição conforme B menos precisa e menos
transparente ^ de outro índice, Liberdade Econômica do Mundo. No entanto, o índice da Heritage Foundation
cobre mais países e designa explicitamente liberdade de investimento como uma categoria independente. Em
mais apropriado. 112
qualquer caso, Hanke e Walters ( 1997 ) Encontrar os dois índices altamente correlacionadas. Outros controles
incluem o PIB per capita, que pode medir implicitamente salários (Globerman e Shapiro 2002 ). O tamanho da
economia de acolhimento é capturado pelo PIB (em milhões de corrente dólar (USD)). abertura comercial, que é
a soma do total de importação e exportação como proporção do PIB, é usado para explicar o nível de abertura
da economia. A taxa de câmbio (unidade de moeda local por USD) e os impostos sobre os lucros, rendimentos e
ganhos de capital (por cento do total dos impostos) estão incluídos também. Formação bruta de capital (por
cento do PIB) mede os gastos com adições aos ativos fixos da economia, tais como infra-estrutura e de terras
melhorias. Além disso, a infra-estrutura física é medida pela razão entre a produção de eletricidade a usuários
do PIB e de Internet por 100 pessoas. Todos os dados são retirados do WDI (2010), salvo indicação contrária.

FDI é definido como investimentos estrangeiros adquirindo uma participação duradoura na gestão acima de
um certo limiar, a empresa subjacente. O limite, porém, mudou ao longo das décadas. O período coberto aqui
efectivamente mede a quantidade de IED. Como este estudo abrange também FDI ' s impacto sobre a desigualdade de renda, a escolha de IDE / PIB é
abrange vários regimes de IDE com limiares de mudança, o que pode aumentar artificialmente os níveis de IED
medidos. Para ter em conta isto, incluirá variáveis ​binárias correspondentes ao período coberto por cada regime
de IDE. Os períodos de tempo são 1961 - 1976 de 1977 - 1992, 1993 e para a frente, correspondente ao saldo de
pagamentos do FMI Manuais 3, 4, e 5, respectivamente.

Perguntas também podem ser levantadas a respeito de se os efeitos do IDE pode vir de mudanças tecnológicas
tendenciosa qualificação vez. Tecnologia é muitas vezes considerado como um forte determinante de rendimentos,
afetando trabalhadores de diferentes níveis de habilidade (por exemplo, Acemoglu e Autor 2010 ). Abate e Swagel ( 1997 )
Semelhante argumentar que a desigualdade salário em países desenvolvidos, pode ser explicado pela tendência para
trabalhadores especializados devido à tecnologia, embora alguns causa a força das provas (RODRIK 1997 ). Jaumotte et
al. ( 2008 ) Achar que o efeito da tecnologia sobre a desigualdade é ainda mais forte do que a globalização financeira e
comercial. No entanto, as multinacionais são os principais veículos através dos quais a transferência de capitais e
tecnologia para os países em desenvolvimento leva

11 Em troca, Li ( 2009 ) Argumenta que o IDE / PIB capta o país ' s confiança em ou a abertura ao capital estrangeiro, enquanto o fluxo de IED líquida
R Comp Int Dev (2016) 51: 103 - 123 113

Lugar, colocar. Como capital de IED é essencialmente gerida byMNCs, há uma sobreposição significativa entre os dois
canais. Blomstrom et al. ( 1992 ) Fornecem evidências sobre o papel do IDE na promoção da transferência de tecnologia.
Como IED poderia ser considerado como um substituto, ou mesmo uma causa parcial, da evolução tecnológica habilidade
polarizado, o último factor é minimizada no presente documento. Concentro-me em IED, uma vez que incorpora uma ampla
gama de outros fatores que afetam a economia, bem como tendo em conta a importância dos fatores internacionais na
distribuição de renda doméstica. Para garantir que o efeito do IDE é robusto à mudança tecnológica com viés de habilidade
como mencionado acima, tecnologia da informação e comunicações (TIC) de capital é incluído como uma verificação
abaixo. Ele é medido pela percentagem de capital de tecnologia da informação e comunicações no capital total (Jorgenson
e Vu 2005 ).

Controles para Desigualdade de Renda

Outra série de controles são usados ​nas regressões sobre a desigualdade de renda ( X em Eqs. ( 2 ) E ( 3 )). PIB sessão per
capita e o seu termo ao quadrado são adicionados para controlar o nível de desenvolvimento económico e a-L-forma
invertida curva Kuznets ( 1955 ) Entre a desigualdade e desenvolvimento. O volume de comércio (importações e
exportações como um por cento do PIB) pode capturar abertura econômica, que é acreditado para expandir o tamanho
da redistribuição governo para compensar os trabalhadores domésticos (por exemplo, Rodrik 1997 ; Cameron 1978 ). Os
gastos do governo é sempre considerada como um forte determinante da desigualdade (por exemplo, Lee 2005 ). O
mesmo vale para os gastos com educação, que irá facilitar o crescimento equitativo (por exemplo, Saint-Paul e Verdier 1993
). São incluídos como porcentagens do PIB. A inflação medida pelo índice de preços ao consumidor também é
adicionado. Finalmente, os três seguintes fatores demográficos são relevantes para a distribuição de renda: a parcela da
população com idade acima de 65 anos, a proporção da população urbana, ea taxa de crescimento da população. Todas
as variáveis ​de controle são tomadas a partir WDI (2010).

Resultados empíricos

A seção empírica fornece suporte para as hipóteses introduzidas acima. Mesa 1 testa a ligação entre a
persistência democrática e FDI. Mesa 2 estabelece a relação entre a persistência democrático, IDE, e
desigualdade. As vias causais são explorados em detalhe na Tabela 3 . Uma série de testes de robustez são
apresentados na Tabela 4 . Para começar, o efeito da persistência democrático em atrair IED é testado contra os
outros determinantes de IED. As colunas 1 e 2 da Tabela 1 mostrar os efeitos do nível de democracia e idade
regime, e as duas últimas colunas repetir a análise com a inclusão de estoque democracia. idade regime tem um
coeficiente positivo fracamente significativa no modelo 2, refletindo a constatação de que regimes de longa data,
tipicamente com uma maior estabilidade, atrair mais IDE. Como hipótese, estoque democracia demonstra um
efeito altamente significativo e positivo em modelos 3 e 4, mesmo após o controle de todos os outros fatores.
Torna também a idade de insignificante regime. Isto proporciona a confirmação para H1, que mostra que o efeito
da persistência democrático sobre o IDE é distinto do efeito genérico de estabilidade do regime. Voltando aos
efeitos contrastantes da democracia sobre o IDE (Li e Resnick 2003 ) E nossa separação de longo prazo e efeitos
contemporâneos da democracia, é interessante ver que o nível de democracia tem um negativo, embora efeito
em grande parte insignificante em atrair IED. Enquanto o nível de democracia tem uma fraca
114

tabela 1 Determinantes da FDI

Modelo 1 2 3 4

estoque democracia 0,0309 *** (0,0101) 0,0299 *** (0,0103)

nível de democracia - 0,0294 (0,0359) - 0,0148 (0,0378) - 0,0752 * (0,0449) - 0,0647 (0,0460)

Era 0,0434 * (0,0221) 0,0269 (0,0225)

invista liberdade 0,00752 (0,0161) 0,00844 (0,0161) 0,0123 (0,0169) 0,0127 (0,0168)

PIB (/ 1billion) - 0.000472 (0.000574) - 0.000520 (0.000581) - 0.000379 (0.000399) - 0.000411 (0.000406)

PIB per capita (PIBpc) (/ 1000) - 0,0749 ** (0,0369) - 0,0731 ** (0,0362) - 0,0655 * (0,0374) - 0,0646 * (0,0370)

Comércio 0,0815 *** (0,0247) 0,0823 *** (0,0245) 0,0766 *** (0,0227) 0,0772 *** (0,0226)

Troca (/ 1000) - 0,0890 (0,103) - 0,0797 (0,0953) - 0,174 * (0,0982) - 0,165 * (0,0938)

imposto sobre ganho de - 0,0113 (0,0242) - 0,0162 (0,0247) - 0,0146 (0,0250) - 0,0175 (0,0254)

Formação de capital 0,113 * (0,0683) 0,106 (0,0681) 0,107 * (0,0636) 0,103 (0,0636)

produtividade eletricidade - 1,333 ** (0,569) - 1.327 ** (0,562) - 1.189 ** (0,497) - 1.190 ** (0,495)

Internet 0,0309 (0,0222) 0,0240 (0,0214) - 0.000349 (0.0190) - 0,00364 (0,0189)

Inflação - 8.08e-05 (0,00129) 9.46e-05 (0,00129) - 7.22e-05 (0,000979) 3.63e-05 (0,000963)

R- item de quadrado 0,160 0,162 0,178 0,179

N, número de países 861, 104 861, 104 861, 104 861, 104

erros padrão cluster estão entre parênteses. variável dependente é fluxo de IED como proporção do PIB. Com efeito país fixa

* p = 0,10, ** p = 0,05, *** p = 0,01


R Comp Int Dev (2016) 51: 103 - 123
mesa 2 Democrática persistência, o IED ea desigualdade

Modelo 5 6 7 8 9

estoque democracia 0,0281 *** (0,0105) 0,0317 *** (0,0114) 0,0179 ** (0,00811)
R Comp Int Dev (2016) 51: 103 - 123

nível de democracia - 0,135 * (0,0717) - 0,0816 (0,0596)

Era - 0,0532 (0,0333) - 0,0398 (0,0254)

FDI 0.0475 ** (0,0221) 0,00960 ** (0,00404)

DV defasada (3 anos) 0,470 *** (0,0469) 0,513 *** (0,0466)

Conectado PIBpc - 1,969 (2,615) - 2,118 (2,420) - 5.983 ** (2.868) 2,063 (1,745) 0,428 (1,915)

Conectado PIBpc quadrado artigo 0,0427 (0,154) 0,0611 (0,137) 0,348 ** (0,160) - 0,110 (0,0991) 0,0165 (0,104)

Inflação 0,00111 (0,00167) 0,00110 (0,00185) - 2.80e-05 (0,00186) 0,00156 (0,000960) 0,00104 (0,000935)

Comércio - 0,0301 *** (0,0112) - 0,0263 ** (0,0108) - 0,0200 * (0,0118) - 0,0218 ** (0,00957) - 0,0214 ** (0,00953)

Gastos públicos - 0,0447 (0,107) - 0,0310 (0,0995) 0,0109 (0,110) 0,0379 (0,0902) 0,0381 (0,0908)

gastos com educação - 0,114 (0,260) - 0,138 (0,269) - 0,00379 (0,271) - 0,349 (0,237) - 0,271 (0,205)

população 65+ 0,00546 (0,207) 0,0376 (0,209) 0,344 (0,209) - 0,0242 (0,130) 0,136 (0,138)

por cento da população urbana - 0,0529 (0,0864) - 0,00946 (0,0797) - 0,0457 (0,0954) - 0,0533 (0,0502) - 0,0569 (0,0538)

Crescimento populacional 0,952 ** (0,372) 0,891 ** (0,388) 0,839 ** (0,359) 0,650 ** (0,259) 0,633 *** (0,237)

R- item de quadrado 0,170 0,190 0,106 0,407 0,376

N, número de países 924, 118 924, 118 924, 118 892, 114 892, 114

erros padrão cluster estão entre parênteses. variável dependente é a desigualdade de renda líquida. Com efeito país fixa

* p = 0,10, ** p = 0,05, *** p = 0,01


115
R Comp Int Dev (2016) 51: 103 - 123

tabela 3 Efeitos durante a fase de redistribuição

Modelo 10 11 12

mercado Gini 0,519 *** (0,0678) 0,523 *** (0,0657) 0,535 *** (0,0733)

estoque democracia 0,0123 ** (0,00581) 0,0139 ** (0,00666)

nível de democracia 0,0332 (0,0650)

Era - 0,0277 (0,0221)

FDI 0,0274 (0,0196)

Conectado PIBpc 4,193 * (2,142) 3,719 * (2,216) 3,034 (2,129)

Conectado PIBpc quadrado artigo - 0,273 ** (0,126) - 0,239 * (0,127) - 0,173 (0,121)

Comércio - 0,00535 (0,0111) - 0,00434 (0,0118) - 0.000316 (0,0109)

Gastos públicos - 0,122 * (0,0647) - 0,111 * (0,0604) - 0,0937 (0,0654)

população 65+ - 0,131 (0,147) - 0,148 (0,142) 0,0145 (0,105)

R- item de quadrado 0,588 0,595 0,577

N, número de países 922, 117 922, 117 922, 117

erros padrão cluster estão entre parênteses. variável dependente é a desigualdade de renda líquida. Com efeito país fixa

* p = 0,10, ** p = 0,05, *** p = 0,01 116

pressão descendente imediato sobre IED, isso é mais do que compensado pela forte capacidade da
democracia acumulada ao longo do tempo para promover IED. Os efeitos opostos do nível de democracia e
estoque estão em linha com o meu projeto de pesquisa, que visa separar o longo prazo e efeitos atuais da
democracia descrito acima. A dinâmica demonstrada pelas combinações destas três variáveis ​também apoiar
o meu argumento de que eles são conceitualmente e empiricamente distintas.

Passando para a relação entre a persistência democrático e desigualdade na Tabela 2 , Estoque democracia
tem um efeito positivo e altamente significativa (ao nível de 1%) no modelo de 5. O significado permanece com uma
magnitude aumentada após o controle de nível democracia e idade de regime no modelo 6. Mais uma vez, da
democracia e nível demonstram efeitos divergentes , justificando ainda mais a minha reivindicação de sua distinção.
No modelo 7, IED substitui as três variáveis ​regime. Ele tem um efeito de aumento da desigualdade significativos ao
nível de 5%. Estas duas especificações são repetidos em modelos 8 e 9, com a inclusão de três anos desfasados
​variáveis ​dependentes. Com o Gini ficou para explicar cerca de metade da variação na variável dependente, não
deve vir como uma surpresa que a magnitude da maioria das variáveis ​diminui. É importante ressaltar que os
resultados do estoque democracia e FDI persistem e permanecem na direção esperada, ou seja, relação positiva
com a desigualdade. A inclusão das variáveis ​dependentes desfasados ​também significa que as variáveis ​são
apenas captura os efeitos a curto prazo. Assim, independentemente do foco sobre os efeitos de curto ou longo
prazo, H2 e H3 pode ser confirmada.

A constatação acima é de importância substantiva, bem como estatística. Com estimativas do modelo 6, a
desigualdade vai aumentar em 3,03 pontos com 10 anos de democracia plena para um país sem democracia
acumulada (95,6 estoque democracia, o que não é improvável que os países recém-independentes começar com um
estoque democracia de zero). Para colocar esses números em contexto, o Gini médio neste conjunto de dados é
37,06. Em relação aos efeitos do IDE, um aumento de um desvio padrão em IED (4,91) vai resultar num aumento de
tabela 4 testes de robustez
R Comp Int Dev (2016) 51: 103 - 123

modelos 13 14 15 16 17 18

Amostra Todos Todos Todos Todos OCDE Não-OCDE

estoque democracia 0,0313 ** (0,0130) 0,0290 ** (0,0127) 0,0279 ** (0,0132) 0,0314 ** (0,0131)

nível de democracia - 0,140 ** (0,0662) - 0,174 *** (0,0656) - 0,0320 (0,108) - 0,141 * (0,0839)

Era - 0,0548 * (0,0297) - 0,0661 ** (0,0313) 0,0129 (0,0451) - 0,0645 * (0,0371)

FDI 0,0463 ** (0,0222) 0,0397 * (0,0221)

tendência temporal 0,0123 (0,0851) 0,0365 (0,0803)

1961 - 1976 - 2,313 (1,754) - 2,326 (1,809)

1977 - 1992 - 1,709 (1,102) - 1,787 * (1,045)

R- item de quadrado 0,190 0,108 0,203 0,123 0,305 0,190

N, número de países 924, 118 924, 118 924, 118 924, 118 329, 27 595, 91

erros padrão cluster estão entre parênteses. variável dependente é a desigualdade de renda líquida. Com efeitos de campo fixo e todos os controlos normais não mostrada (a partir de PIBpc conectado ao crescimento da população na Tabela 2 ). Para os modelos 15 e
16, o período de tempo de referência é a partir de 1993 em diante

* p = 0,10, ** p = 0,05, *** p = 0,01


117
118 R Comp Int Dev (2016) 51: 103 - 123

0,23 ponto de Gini com base nos resultados do modelo 7. Apesar de este número parece menos impressionante, é
preciso notar que este é um efeito IED anual, o que não é directamente comparável com 10 anos de acumulação
democrática. Ambos os efeitos de estoque democracia e IED deve ser considerado como substantivamente
significativo.
A partir dos testes anteriores, I estabeleceu que (1) a persistência democrática aumenta fluxo de IED e
desigualdade de renda e (2) o IED aumenta a desigualdade de renda. Embora o IED é sugerido como uma
variável interveniente da democracia à desigualdade, o que é menos claro é o mecanismo causal de IED para a
desigualdade. Mesmo que o efeito de aumento da desigualdade de IED é empiricamente confirmada, uma ampla
gama de mecanismos causais podem ser responsáveis ​para o padrão. A variável independente utilizados na
análise principal acima é a desigualdade de renda líquida, que é o B produto final ^ do ciclo de rendimento e
incorpora a influência de cada canal de potencial (Eqs. ( 2 ) E ( 3 )). Nesta parte, Tabela 3 mostra os resultados das
estimativas das Eqs. ( 4 ) E ( 5 ), Que incluem Gini mercado como variável explicativa. Algo semelhante a uma
variável dependente defasada, ele capta a distribuição de renda gerada pelo mercado antes de redistribuição do
governo, reduzindo o alcance do modelo. Portanto, os efeitos das variáveis ​desta tabela pode ser interpretado
como seus efeitos unicamente durante a fase de redistribuição.

Como se observa, dada a mudança de foco no modelo, variáveis ​de controle menos relevantes são removidos; resultados

semelhantes podem ser encontrados se o conjunto completo de controles é usado. Em modelos de 10 e 11, da democracia

permanece positivo e significativo no nível de 5% (uma ligeira diminuição dos modelos principais). Isso mostra que essa

variável afeta a desigualdade de renda, tanto durante a distribuição no mercado (por influenciar os salários de mercado) e

durante a redistribuição (por impostos e transferências). Mais interessante é a insignificância do IDE no modelo de 12.

O fato de que o IED não registra um impacto aqui pode ser usado como prova de que ela aumenta principalmente a
desigualdade através afetando thewage compositionwithin a economia, mas não redistribuição governo. Algumas
especulações também pode ser oferecido sobre o mecanismo exato para aumentar a desigualdade. Contrariamente às
alegações de alguns estudiosos, o IED não parece afetar adversamente a desigualdade, restringindo a capacidade dos
países de acolhimento para impostos e redistribuição. Apesar de sua posição dominante, ele também não limita a
capacidade dos trabalhadores para lutar por, e a liberdade dos governos para fornecer, maior bem-estar. Juntamente
com a descoberta de que o IDE afeta significativamente a desigualdade de mercado, isso sugere fortemente na
capacidade de IDE para criar um pequeno sector de trabalhadores com altos salários, proporcionando pouco benefício
para a maioria da classe trabalhadora (pelo menos no curto prazo). Isto leva a grave (de mercado) a desigualdade de
renda, ampliando o fosso entre os trabalhadores de alta renda e os outros, o que está de acordo com um ramo da
literatura sobre o tema (por exemplo, Nafziger 1997 ). Embora mais trabalho precisa ser feito para verificar isso,
especula-se que o padrão pode ser criado pelo sector financeiro mencionado no início do artigo. De acordo com o Hacker
e Pierson ( 2010 ), Boa parte dos ganhos desproporcionais no topo da escada de renda nos EUA e em outros países pode
ser atribuído ao aumento na remuneração dos gestores financeiros e executivos. No entanto, também é possível que os
governos vão tomar a iniciativa para limitar a tributação, bem-estar e os gastos sociais sob a influência do capital
estrangeiro existente (mais sobre isso abaixo) para demonstrar boa vontade para os investidores estrangeiros atuais ou
para se manterem competitivas em uma tentativa de atrair futuro afluxo IED. Infelizmente, essas possibilidades não pode
ser perseguido em detalhe aqui e deve ser deixado para futuras pesquisas.

Mais testes de robustez dos principais resultados podem ser encontrados na Tabela 4 (Conjunto padrão de controlo incluídos,

mas não mostrado). Em modelos de 13 e 14, uma variável de tendência temporal é


119

incluído estoque de-tendência a democracia, o IED, e potencial de desigualdade. A variável não é significativo, e
sua inclusão não afeta o nível e importância da persistência democrática e FDI. Em relação ao efeito de deslocar
os limiares de IDE, variáveis ​indicadoras são criados correspondente ao período coberto por diferentes regimes
de IDE em modelos 15 e 16. Os efeitos de estoque democracia permanecer, enquanto o significado de IED cai
para o nível de 10%. Pode ser visto que, embora o limite FDI mudança não influenciar favoravelmente os
resultados aqui, ainda são razoavelmente fortes efeitos residuais seguintes os argumentos sugeridos neste
papel. Os resultados também persistem ao executar regressões separadas em países da OCDE e não-OCDE em
modelos de 17 e 18. O coeficiente e nível de significância de estoque democracia são semelhantes entre os dois
grupos de países. Portanto, pode-se dizer que os argumentos teóricos descritos neste documento não são nem
exclusiva para nem impulsionado por democracias industriais avançadas. A verificação final sobre o efeito do IDE
é feito com a inclusão do capital das TIC como controle. Com diminuiu ligeiramente magnitude e importância, o
efeito positivo do IDE permanece e capital das TIC não é significativo (não mostrado).

1988 a 1997. São Comp Int Dev (2016) 51: 103 - 123

Discussão

A conclusão de que a persistência democrática, ou seja, o estado democrático prolongado de alta qualidade, aumenta
a desigualdade contrasta com os resultados de Muller ( 1988 ) E Gradstein e Milanovic ( 2004 ), Que argumentam que
longos períodos de diminuição democracia desigualdade. Ele também contrasta com Simpson ' s ( 1990 ) Constatação de
um resultado insignificante. O grau de cobertura pode ser uma das principais razões para a discrepância. Nenhum
destes estudos se estende por 10 anos ou mais. 12 Com praticamente uma observação por país, eles se concentram em
comparação entre casos. Aqui, eu adotar uma série temporal projeto transversal com todos os dados disponíveis no
momento. O uso de efeitos fixos para controle de fatores de tempo invariante estado-específicos não observadas, bem
como o foco nas variações dentro casos, também pode explicar a diferença. Outro ponto importante é que as medições
por Muller ( 1988 ) E Simpson ( 1990 ) Ter apenas em conta o comprimento, mas não a qualidade da democracia durante
o período.
período com um ligeiro aumento número de 62 países. Gradstein e Milanovic ' s ( 2004 ) Estudo inclui apenas economias de transição de

Voltando à discussão sobre a relação entre a persistência democrática e da desigualdade, seria


interessante explorar o que outros mecanismos além FDI estão em jogo. Isto é equivalente a perguntar por
períodos prolongados de democracia pode prejudicar a igualdade de renda, por exemplo, no cenário ilustrado
na introdução. Lindblom e Dahl ( 1977 ) Argumentam que a desigualdade econômica inicial pode gerar uma
distribuição desigual de recursos políticos, que por sua vez permite que certos grupos de ter influência indevida
sobre um governo democrático (ver também Beitz 1982 ). Daqui resulta que a mais este ciclo se repete, a maior
influência desses grupos poderosos podem exercer sobre o governo. Ross ( 2006 ) Aponta que o modelo do
eleitor mediano é baseada em suposições implausíveis. Entre outras coisas, os governos não têm obrigação
de fornecer prestações de montante fixo a todos os cidadãos; pelo contrário, eles são B adepto de canalizar
benefícios para os eleitores que pretendem favorecer, ^ e, portanto, existe B mais nenhuma

12 Muller ( 1988 ) Cobre 55 países com dados em determinados pontos entre 1965 e 1975. Simpson ( 1990 ) Trabalha com o mesmo
R Comp Int Dev (2016) 51: 103 - 123

resultado eleitor mediano simples ^ ( 2006 , 870). A re-teste do modelo votante mediano e a busca de explicações
alternativas de preferências de redistribuição têm sido muito populares na literatura (por exemplo, Haggard et al. 2013 ) E
continuará a ser o caso, especialmente tendo em conta as conclusões apresentadas nesta pesquisa.

Empiricamente, nos EUA, uma das democracias mais antigas do mundo, senadores, bem como funcionários do
governo, é encontrado para ser muito mais propensos a responder às preferências políticas dos ricos (Bartels 2008 ;
Gilens 2005 ). O recente trabalho de B winner-take-all política ^ por Hacker e Pierson ( 2010 ) Também contribui para o
debate com uma investigação aprofundada da influência do capital e as empresas em um modelo avançado de
democracia. Os resultados deste trabalho complementar essa literatura, fornecendo algum suporte empírico para suas
reivindicações. Os resultados também pôr em causa a medição popularmente usado da democracia. Embora tais
medidas olhar para as instituições políticas formais e outros valores como a liberdade política, eles estão mal equipados
para dar conta de influências indesejáveis ​do poder dos ricos na política. Isso, no entanto, não é um problema limitado a
estudantes da democracia e da desigualdade, mas para quem está interessado governação democrática inwell
funcionamento e suas virtudes fundamentais como a igualdade política.

A distinção entre a persistência democrática e nível democrático carrega duas implicações


importantes para a literatura. Primeiro, examinando todos os resultados da regressão, o nível de
democracia diminui sempre desigualdade (excepto o modelo 11 com um escopo diferente), embora seus
efeitos não são consistentemente significativa. Isso traz meus resultados em linha com a maior parte das
teorias que tratam a democracia como um arranjo para a redução da desigualdade. Isso também
proporciona um nítido contraste com o efeito de estoque democracia, que é encontrado neste trabalho a
ser fortemente aumentando-a desigualdade. A distinção entre os efeitos a longo prazo e de curto prazo
da democracia deve ser tratada com precaução em futuros estudos de desigualdade de renda. Coisas
semelhantes podem ser dito sobre a estabilidade do regime, representado por idade de regime neste
estudo. Segundo, 2009 ; Lago e Baum 2001 ). Isso pode complementar os resultados apresentados nesta
pesquisa e convergir com a nossa compreensão tradicional em direção à democracia. Embora os estados
democráticos prolongados produzir uma maior desigualdade de renda, que é pelo menos parcialmente
compensada por um maior nível de boa provisão pública, o que nem sempre se reflete nos índices de
o editor da revista, e revisores anônimos por seus comentários e sugestões valiosas. 120
desigualdade de renda. Por exemplo, Costa Rica e Chile são democráticos e sofre de altos níveis de
desigualdade de renda, ainda entregar fortes performances no desenvolvimento humano (McGuire 2001 ).
Gerring et al. ( 2012 ) Propõem que a democracia de longa data promove a responsabilidade,

sociedade civil, uma cultura de igualdade, e a institucionalização da esfera política, os quais facilitam o
desenvolvimento humano, ou seja, aumentar o bem-estar. Como resultado, esses canais deve potencialmente
reduzir a desigualdade. Enquanto eles estão fora do escopo deste artigo, devem atenuar estoque democracia ' s
efeito desigual sobre a desigualdade. O fato de que eu sou capaz de estabelecer um efeito significativo nesta
direção reflete a força do canal IDE sugeriu. Claro, mais trabalho está a ser feito em futuros estudos para
identificar melhor os efeitos causais de todos os respectivos canais.

Agradecimentos Eu gostaria de agradecer Steffen Hertog, Simon Hix, Jonathan Hopkin, Rene Lindstaedt, Alejandro Quiroz, Hugh Ward,
R Comp Int Dev (2016) 51: 103 - 123 121

Apêndice

tabela 5 Estatísticas descritivas

Variável Número Significar Desvio padrão Mínimo máximo

Gini net 924 37.06 9,36 18.62 68,86

mercado Gini 922 44.33 7,60 20.11 74,61

estoque democracia 924 105,94 222,94 - 448,84 469,09

Age of regime 924 36,04 34.51 1 139

nível de democracia 924 5,79 5,73 - 10 10

FDI 924 3,47 4,91 - 15.05 52,13

Conectado PIBpc 924 8,14 1,66 4.45 11,46

Comércio 924 77,78 42,21 10,34 423,11

Inflação 924 10,34 51.32 - 9,63 1.430,72

Gastos públicos 924 15,88 5,56 4,48 41,66

gastos com educação 924 4,58 1,74 2.20e - 06 16,06

população 65+ 924 9.11 5,36 2,02 21.46

por cento da população urbana 924 58,92 22.11 5,13 100

Crescimento populacional 924 1,19 1,17 - 2.85 9,77

liberdade de investimento 757 59,19 17.69 10 90

Troca 830 556,76 1.997,08 3.79E - 11 25.000

Taxa de ganho de capital 567 36,94 16,77 0 92,73

Formação bruta de capital 923 22,40 5,57 5,88 53,17

produtividade eletricidade 824 0,90 1,47 0,02 13,31

Internet 760 21.34 24.98 0 90,77

Referências

Acemoglu D, Autor D. Skills, tarefas e tecnologias: implicações para o emprego e salário. Dentro:
Ashenfelter O, Cartão D, editors. Manual de economia do trabalho, vol. 4. Amersterdam: Elsevier; 2010. Alderson A, Nielsen F. A globalização e

a grande reviravolta: as tendências de desigualdade de renda em 16 países da OCDE.


Am J Sociol. 2002; 107 (5): 1244 - 99.
Barro RJ. Democracia e crescimento. Crescimento J Econ. 1996; 1: 1 - 27.

Bartels L. Democracia Desigual: a economia política da nova era dourada. Princeton: Princeton University
Pressione; De 2008.

Basu P, Guariglia A. de investimentos estrangeiros diretos, desigualdade e crescimento. J Macroecon. 2007; 29 (4): 824 - 39. Beitz C. Democracia nas

sociedades em desenvolvimento. In: Gastil R, editor. Liberdade no mundo: direitos políticos e


liberdades civis. New York: liberdade de imprensa; 1982.

Blomstrom M, Lipsey R, Zejan M. O que explica o desenvolvimento de crescimento dos países. Não. Documento de Trabalho NBER

4132. Cambridge: National Bureau of Economic Research; 1992.


Bornschier V, Chase-Dunn C, a evidência Rubinson R. Cross-nacional dos efeitos do investimento estrangeiro e
ajuda no crescimento econômico e desigualdade: uma pesquisa de resultados e uma reanálise. Am J Sociol. 1978; 84 (3): 651 - 83.

Bradley D, E Huber, Moller S, Nielsen M, Stephens JD. Distribuição e redistribuição de pós-industrial


democracias. Polit mundo. 2003; 55 (2): 193 - 228.
Busse M, Hefeker C. O risco político, instituições e investimento estrangeiro direto. Eur J Polit Econ. 2007; 23: 397 -
415.
122 R Comp Int Dev (2016) 51: 103 - 123

Cameron D. A expansão da economia pública: uma análise comparativa. Am Polit Rev. Sci 1978; 72 (4):
1243 - 61.
Chase-Dunn C. Os efeitos da dependência econômica internacional sobre o desenvolvimento e desigualdade: a cruzada
estudo nacional. Am Sociol Rev. 1975; 40: 720 - 38.
CHEIBUB J, J Gandhi, J. Vreeland Democracia e ditadura revisited. Escolha Pública. 2010; 143: 67 - 101. Clague C, P Keefer, Knack S,
Olson M. imóvel e direitos de contrato e em autocracias democracias. J Econ
Crescimento. 1996; 1 (2): 243 - 76.

Collier RB, Collier D. Moldar a arena política: momentos críticos, o movimento de trabalho, e do regime
dinâmicas na América Latina. Princeton: Princeton University Press; 1991. Deacon R. Público boa disposição sob a ditadura ea democracia.
Escolha Pública. 2009; 139: 241 - 62. Deininger K, Squire L. Um novo conjunto de dados de medição a desigualdade de rendimento. Banco Mundial
Econ Rev. 1996; 10: 565 - 91. Dixon W, Boswell T. Dependência, desarticulação e efeitos denominador: um outro olhar para o capital estrangeiro

penetração. Am J Sociol. 1996; 102 (2): 543 - 62.


Dólar D, Kraay A. O crescimento é bom para os pobres. Crescimento J Econ. 2002; 7: 195 - 225.
Gauri V, Khaleghian P. imunização nos países em desenvolvimento: seus determinantes políticos e organizacionais.
Dev mundo. 2002; 30: 2109 - 32.
Gerring J, Bond P, W Barndt, Moreno C. Democracia e crescimento económico: um ponto de vista histórico. Mundo
Polit. 2005; 57: 323 - 64.
Gerring J, Thacker S, Alfaro R. Democracia e desenvolvimento humano. J Polit. 2012; 74: 1 - 17. Gilens M. A desigualdade e responsividade
democrática. Opin Pública Q. 2005; 69 (5): 778 - 96. Globerman S, Shapiro D. global de investimento directo estrangeiro flui: o papel da
infra-estrutura de governança. Mundo
Dev. 2002; 30 (11): 1899 - 919.
Gradstein M, Milanovic B. Será que liberte = egalite? Uma pesquisa com as ligações empíricas entre democracia e
desigualdade com alguma evidência nas economias em transição. J Econ Surv. 2004; 14: 515 - 37.
Gwartney J, Lawson R. O conceito e mensuração de liberdade econômica. Eur J Polit Econ. 2003; 19: 405 -
30.
Hacker J, Pierson P. vencedor leva toda a política: política pública, organização política, e a ascensão vertiginosa de
top rendimentos nos Estados Unidos. Polit Soe. 2010; 38: 152 - 204.
Haggard S, Kaufman RR, Long JD. Renda, ocupação e preferências de redistribuição no desenvolvimento
mundo. Stud Comp Int Dev. 2013; 48: 113 - 40.
Hanke S, a liberdade Walters S. económico, a prosperidade e igualdade: uma pesquisa. Cato J. 1997; 17: 117 - 46. ​Huber E, Stephens JD.
Desenvolvimento e crise do Estado de bem-estar. Chicago: University of Chicago Press;
2001.
Jaumotte F, Lall S, Papgeorgiou C. O aumento da desigualdade de renda: tecnologia, ou comércio e da globalização financeira?
IMF Working Paper WP / 08/185; De 2008.
Jensen N. A governança democrática e corporações multinacionais: a economia política do estrangeiro direto
investimento. Int órgão. 2003; 57 (3): 587 - 616.
Jensen N. risco político, as instituições democráticas e investimento estrangeiro direto. J Polit. 2008; 70: 1040 - 52. Jensen N, o investimento
directo Rosas G. Externa e de desigualdade de renda no México, 1990 - 2000. Int órgão. 2007; 61 (3): 467 - 87.

Jorgenson D, tecnologia da informação Vu K. e da economia mundial. Scand J Econ. 2005; 107: 631 - 50. Keefer P. clientelismo,
credibilidade e as escolhas políticas de jovens democracias. Am J Polit Sei. 2007; 51 (4):
804 - 21.
Kentor J. Os efeitos a longo prazo da globalização sobre a desigualdade de renda, crescimento populacional e econômico
desenvolvimento. Soe Probl. 2001; 48 (4): 435 - 55.
Knutsen C. democracia, ditadura e proteção dos direitos de propriedade. J Dev Stud. 2011; 47 (1): 164 - 82. Kobrin S. Os determinantes
ambientais de investimento estrangeiro direto: uma análise ex-post empírica. Int J
Bus Stud. 1976; 7 (2): 29 - 42.
Korpi W. A luta de classes democrática. London: Routledge e Kegan Paul; 1983. Kurzer P. de negócios e banca: a mudança política ea
integração económica na Europa Ocidental. Ithaca: Cornell
Jornal universitário; 1993.
Kuznets S. Crescimento econômico e desigualdade de renda. Am Econ Rev. 1955; 45: 1 - 28. Lago D, Baum M. A mão invisível da
democracia: o controlo político e a prestação de serviços públicos.
Comp Polit Stud. 2001; 34 (6): 587 - 621.
Lee CS. A desigualdade de renda, democracia e tamanho do setor público. Am Sociol Rev. 2005; 70: 158 - 81. Lenski G. poder e privilégio: a
teoria da estratificação social. New York: McGraw-Hill; 1966. Li Q. Outlier, medição, ea controvérsia democracia de IED. QJ Polit Sei. 2009;
4: 167 - 81. Li Q, Resnick A. Reversão de fortunas: as instituições democráticas e os fluxos de investimento directo estrangeiro para

países em desenvolvimento. Int órgão. 2003; 57 (1): 175 - 211.


51: 103 - 123 123

Li H, L Squire, Zou H. Explicando variações internacionais e intertemporais em desigualdade de rendimento. Econ J.


1998; 108: 26 - 43.
Lindblom C, Dahl R. Política e mercados. New York: Basic Books; 1977.
Markusen J, o investimento directo Venables A. Foreign como um catalisador para o desenvolvimento industrial. Eur Econ Rev.
1999; 43: 335 - 56.
Marshall M, Jaggers K, Gurr T. Polity IV projecto: características do regime de 1800 - 2008. College Park: Universidade de Maryland; De 2009.

política McGuire J. Social e declínio da mortalidade no leste da Ásia e América Latina. Dev mundo. 2001; 29 (10):
1673 - 97.
Meltzer A, Richard S. Uma teoria racional do tamanho do governo. J Polit Econ. 1981; 89: 914 - 27. Milanovic B. A hipótese
intermédia-eleitor, a desigualdade de renda e redistribuição de renda: um teste empírico
com os dados necessários. Eur J Polit Econ. 2000; 16 (3): 367 - 410.
Muller E. democracia, o desenvolvimento econômico e desigualdade de renda. Am Sociol Rev. 1988; 53: 50 - 68. Nafziger W. A economia
dos países em desenvolvimento. Prentice Hall: Cliffs Englewood; 1997. Olson M. Ditadura, democracia e desenvolvimento. Am Polit Rev.
Sci 1993; 87 (3): 567 - 76. Przeworski A, Alvarez M, Cheibub J, Limongi F. democracia e desenvolvimento: instituições políticas e bem-

estar no mundo de 1950 - 1990. New York: Cambridge University Press; 2000.
Reuveny R, abertura Li Q. económica, democracia e desigualdade de renda: uma análise empírica. Comp Polit
Viga. 2003; 36: 575 - 601.
Rodrik D. A globalização ido longe demais? Washington, DC: Instituto de Economia Internacional; 1997. Rodrik D. Por que economias
mais abertas têm governos maiores? J Polit Econ. 1998; 106 (5): 997 - 1032. Rodrik D. Democracias pagar salários mais altos. QJ Econ.
1999; 114 (3): 707 - 38. Ross M. é boa democracia para os pobres? Am J Polit Sei. 2006; 50 (4): 860 - 74. Saint-Paul G, Verdier T.
Educação, democracia e crescimento. J Dev Econ. 1993; 42: 399 - 407. Scheve K, insegurança económica Slaughter M. ea globalização da
produção. Am J Polit Sei. 2004; 48 (4):

662 - 74.
Simpson M. direitos políticos e desigualdade de renda: um teste de cross-nacional. Am Sociol Rev. 1990; 55: 682 - 93. Sirowy L, Inkeles A. Os efeitos da
democracia sobre o crescimento econômico e desigualdade: uma revisão. Stud Comp Int
Dev. 1990; 25: 126 - 57.
Slaughter M, Swagel P. A globalização menor salários e exportação de empregos? Questões económicas, 11. Washington,
DC: Fundo Monetário Internacional; 1997.
Solt F. Padronizar o banco de dados desigualdade de renda mundial. Soc Sci Q. 2009; 90: 231 - 42. Tavares J, Wacziarg R.
Como a democracia afeta o crescimento. Eur Econ Rev. 2001; 45: 1341 - 78. Timmons J. Será que a democracia reduzir a
desigualdade econômica? Br J Polit Sei. 2010; 40: 741 - 57. UNCTAD. World Investment Report 2015. Genebra: Nações
Unidas; 2015. UNU-MAIOR. World Income Inequality banco de dados (WIID), versão 2.0c, Maio de 2008. Banco Mundial.
Indicadores de Desenvolvimento Mundial (WDI), Washington, DC: Banco Mundial; De 2010.

Mathew YH Wong é Professor Assistente no Departamento de Política e Administração Pública da Universidade de Hong Kong. Sua
pesquisa investiga como regimes afetam a governança com foco na Ásia Oriental. Ele é o autor de B A política do salário mínimo em
Hong Kong, ^ Journal of Asia Contemporânea
(2014) e B Partido Modelos em um regime híbrido: Hong Kong 2007-2012, ^ China Review ( 2015). R Comp Int Dev (2016)
Estudos in Comparative Desenvolvimento Internacional é um autor de Springer, 2016. Todos os direitos reservados.