Você está na página 1de 104

Manual

de Medicamentos
Código:
MN.DIR. 002
Versão:
000
MANUAL Data de edição:
27 / 10 / 2008
Data da revisão:
00/00/0000
Área responsável:
Título: Manual Farmacoterapêutico
Suprimentos

1. OBJETIVO Env: Envelope


Tb: Tubo
• Implantar políticas de utilização de medicamen-
tos com base em correta avaliação, seleção e G: Grama
emprego terapêutico no hospital; ML: Mililitro
Gts: Gotas
• Promover a atualização e a reciclagem de temas VO: Via oral
relacionados à terapêutica hospitalar;
IM: Intra-muscular
IV: Intravenoso
• Reduzir custos, visando a obter a disponibilida-
EV: Endovenoso
de dos medicamentos essenciais à cobertura dos
tratamentos necessários aos pacientes. Caps: Cápsula
SF: Soro Fisiológico

2. APLICAÇÃO Fr: Frasco


ICC: Insuficiência cardíaca congênita
Consulta rápida para os profissionais da saúde do HM.
Mcg: Micrograma
L: Litro
3. TERMINOLOGIA, DEFINIÇÕES E
SIGLAS Min: Minuto
ECG: Ecocardiograma
HM: Hospital Metropolitano S/A
IMAO: Inibidor da monoamido oxidase
Amp: Ampola
Susp: Suspensão
Fr/amp: Frasco-ampola
UI: Unidade internacional
Comp: Comprimido
mEq: Miliequivalente
Mg: Miligrama
PH: Potencial de hidrogênio
Kg: Kilograma
Nebz: Nebulização
H: hora
C/V: Com vasoconstritor

Gael Gomes Friço Fabiana Tonani Dr. Francisco Centoducatte


Não se aplica
Elaboração Análise crítica Aprovação
Validação
Colaborador Gerência / Coordenador Direção
Título: Manual Farmacoterapêutico MANUAL Código: MN.DIR.002

S/V: Sem vasoconstritor Posologia e administração:


Sol: Solução CRIANÇAS:
SNC: Sistema nervoso central Dose usual: glaucoma VO 8-30mg/kg/dia, de 8 em 8h.
Oft: Oftálmico Dose máxima: 1g/dia
Pom: Pomada ADULTOS:
Drag: Drágea Dose usual: glaucoma – VO 250 – 375mg/dia ou a
Xpe: Xarope critério medica.

SG: Soro glicosado Contra – indicação em pacientes com insuficiência


renal e hepática.
Sup: Supositório
INDICAÇÃO:
VR: Via retal
Tratamento de glaucoma de ângulo aberto, glau-
Ser: Seringa
coma secundário, glaucoma de ângulo fechado e
SC: Subcutâneo glaucoma maligno. Tratamento dos quadros de cri-
AIDS: Síndrome da imunodeficiência adquirida ses convulsivo tônico - clônicas ou mioclônicas em
epilepsia. Profilaxia e tratamento do medo de altu-
Inj: Injetável
ra: indicado para diminuir a incidência ou gravidade
Vit: Vitamina dos sintomas (cefaléias, náuseas, enjôos, sonolência
RN: Recém nascido e fadiga), especialmente em alpinistas

TGI: Trato gastrointestinal Nome comercial: DIAMOX

mMol: Micromol
NPT: Nutrição Parenteral Total ACETILCISTEÍNA – 100mg; 200mg; 600mg
granulado env.
Mm: Milímetro
Posologia e administração:
SL: Sublingual
Dissolver o envelope em meio copo de água ou
Succ: Succinato
suco.
FC: Freqüência cardíaca
ADULTO:
MAO: Monoamino oxidase
Doso usual: 600mg VO, 2 vezes ao dia.
Na+: íon Sódio
CRIANÇAS:
PA: Pressão Arterial
Dose usual: 100mg VO, 2 e3 vezes ao dia.
Bpm: Batidas por minuto
INDICAÇÃO:
IA: Intra arterial
Mucolítico: doenças broncopulmonares crônicas (en-
fisema crônico, enfisema com bronquite, tuberculo-
4. DESCRIÇÃO se, bronquiectasia, amiloidose pulmonar primária);
pneumonia, bronquite, traqueobronquite, fibrose
4.1 MEDICAMENTOS PADRONIZADOS cística, atelectasia por obstrução mucosa (tampão
mucoso), diagnóstico bronquial. Antídoto: via oral,
ACETOZOLAMIDA 250 mg comp.
para a prevenção da toxicidade potencial causada

Voltar para o índice É proibida a reprodução parcial ou total deste documento. Página 3 de 106
Título: Manual Farmacoterapêutico MANUAL Código: MN.DIR.002

pela superdose de paracetamol. Dose: 30mg/kg/dia 8/8, 7-14 dias


ATENÇÃO: INDICAÇÃO:
Contem aspartame; não deve ser usado por pacien- É indicado para o tratamento de infecções por ví-
tes fenilcetonúricos. rus herpes simples e profilaxia em pacientes imuno-
Nome comercial: FLUIMUCIL ORAL deprimidos, principalmente em infecções cutâneas
progressivas ou disseminadas. Herpes genital inicial
é recorrente em pacientes imunodeprimidos e não
ACICLOVIR – 0,03g/g tb. de 4,5g imunodeprimidos.
Posologia e administração:
Dose usual: aplicar 1 cm de pomada no saco con- ATENÇÃO:
juntival inferior, 5 vezes ao dia em intervalos de
Flebite caustica se ocorrer infiltração. Causa uropa-
aproximadamente 4 horas.
tia obstrutiva, e pode levar a alterações renais (5%):
Duração do tratamento: após cicatrização usar por aumento de creatinina e hematuria. A administra-
mais 3 dias ou 14 a 21 dias nos casos mais graves. ção iv deve ser em bomba de infusão por 1 hora.
INDICAÇÃO: Nome comercial: ZOVIRAX FR-AMP.
É indicado para o tratamento de infecções por ví-
rus herpes simples e profilaxia em pacientes imuno-
ACICLOVIR -200mg comp.
deprimidos, principalmente em infecções cutâneas
progressivas ou disseminadas. Herpes genital inicial Posologia e administração:
é recorrente em pacientes imunodeprimidos e não ADULTOS:
imunodeprimidos. Herpes simples: 1 comp. 5x dia, por 5 dias, esten-
Nome comercial: ZOVIRAX POM. Oft. dendo-se para os casos mais sérios.
CRIANÇAS:
ACICLOVIR – 250mg fr-amp. Acima de 30 dias a dose é igual a dos adultos.
Posologia e administração: INDICAÇÃO:
ADULTOS E CRIANÇAS: É indicado para o tratamento de infecções por ví-
Dose usual: 10mg/kg, iv, 3 vezes ao dia. rus herpes simples e profilaxia em pacientes imuno-
deprimidos, principalmente em infecções cutâneas
Tempo de infusão: 1h.
progressivas ou disseminadas. Herpes genital inicial
NEONATOS: é recorrente em pacientes imunodeprimidos e não
Dose: 14-21 dias 20mg/kg/dia, iv, 12/12h. imunodeprimidos.

27/34 semanas de gestação: 20/kg/dose, iv, a cada 12h. ATENÇÃO:

35/42 semanas de gestação: 20mg/kg/dose, iv, a Pode aparecer erupções cutâneas, diarréias, dores
cada 8h. abdominais, náuseas.

Maior ou = há 43 semanas: 20mg/kg/dose, iv, a Reduzir doses para pacientes com insuficiência renal.
cada 8h. Deve-se manter uma adequada hidratação para os
CRIANÇAS: pacientes que estejam tomando altas doses.
Nome comercial: ZOVIRAX COMP.

Voltar para o índice É proibida a reprodução parcial ou total deste documento. Página 4 de 106
Título: Manual Farmacoterapêutico MANUAL Código: MN.DIR.002

ÁCIDO ASCÓRBICO – 100mg/ml 5ml Nome comercial: REDOXON, CEBION, CEWIN


amp.
Posologia e administração: ACIDO ASCÓRBICO – 200mg/ml 20ml gts.
ADULTOS: Posologia e administração:
Dose usual: 100-250mg, IM ou IV, de 1 a 3 vezes ADULTOS:
ao dia.
Dose usual: 500mg (50 gts.), VO, 2 vezes ao dia.
INDICAÇÃO:
CRIANÇAS (>4 anos):
Para rápida correção de estados de carências de vi-
Dose usual: 20-50mg (2-5 gs.), VO, 1 vez ao dia.
taminas C; como estimulante das defesas orgânicas
nas épocas de maior perigo de infecção; para suprir NEONATOS:
o aumento das necessidades que ocorrem em esta- Suplemento diário
dos normais (gestação, lactação, atividade desporti-
Dose usual: 35-50mg/dia, VO, 1 vez ao dia.
va, trabalho intenso) e patológicos (doenças infec-
ciosas e estados febris). INDICAÇÃO:

ATENÇÃO: Para rápida correção de estados de carências de vi-


taminas C; como estimulante das defesas orgânicas
A relação risco - beneficio do uso da vit. C deve ser
nas épocas de maior perigo de infecção; para suprir
avaliada nos seguintes casos: insuficiência renal, ta-
o aumento das necessidades que ocorrem em esta-
lassemia, oxalose, historia de cálculos renais, ane-
dos normais (gestação, lactação, atividade desporti-
mia depranocítica.
va, trabalho intenso) e patológicos (doenças infec-
Nome comercial: REDOXON, CEBION, CEWIN ciosas e estados febris).
ATENÇÃO:
ACIDO ASCÓRBICO – 500mg comp. A vitamina c pode, nos diabéticos, sem modificar
Posologia e administração: a glicemia, falsear a dosagem de açúcar na urina.
Interromper o uso alguns dias antes do exame.
ADULTOS:
Nome comercial: REDOXON GTS, CEBION GTS,
Dose usual: 500mg VO, 1 vez ao dia.
CEWIN GTS.
INDICAÇÃO:
Para rápida correção de estados de carências de vi-
ACIDO FÓLICO – 5mg comp.
taminas C; como estimulante das defesas orgânicas
nas épocas de maior perigo de infecção; para suprir Posologia e administração:
o aumento das necessidades que ocorrem em esta- ADULTOS:
dos normais (gestação, lactação, atividade desporti-
Dose usual: 5mg, VO, 1 vez ao dia
va, trabalho intenso) e patológicos (doenças infec-
ciosas e estados febris). INDICAÇÃO:

ATENÇÃO: Estados carências de ácido fólico. Não deve ser ad-


ministrado até haver-se descartado o diagnóstico
Altera o resultado de alguns exames laboratoriais
de anemia perniciosa. A deficiência de ácido fólico
(transaminase, bilirrubina, desidrogenasse lática,
pode originar a anemia megaloblástica e macrocí-
glicose na urina, sangue oculto nas fezes)
tica, e glossite. A necessidade de ácido fólico pode

Voltar para o índice É proibida a reprodução parcial ou total deste documento. Página 5 de 106
Título: Manual Farmacoterapêutico MANUAL Código: MN.DIR.002

aumentar em: anemia hemolítica, hemodiálise crô- Dose usual: 1-2 amp, IV ou IM, 1 a 4 vezes ao dia.
nica, lactentes (de baixo peso ao nascer ou com Antes, durante e após intervenções cirúrgicas e ca-
mães com deficiência de ácido fólico). Síndrome de sos graves, 2 10 amp. Por infusão.
má-absorção associada com doenças do trato hepa-
CRIANÇAS:
tobiliar ou do intestino delgado. Preventivo de fa-
lhas do fechamento do tubo neural. Dose usual: 10mg/kg, iv, 2 a 3 vezes ao dia.

ATENÇÃO: INDICAÇÃO:

Reação alérgica: febre e erupção cutânea. Tratamento profilático e curativo das hemorragias
por aumento de fibrinólise. Tratamento do edema
Nome comercial: FOLACIN
angioneurótico hereditário.
ATENÇÃO:
ACIDO FOLÍNICO – 15mg comp.; 50mg fr-
Reduzir dose em insuficiência renal
amp.
Nome comercial: TRANSAMIN
Posologia e administração:
Tratamento de super-dosagem por antagonistas do
acido fólico ACIDO VALPRÓICO – 250mg caps.
Dose usual iv: deve ser administrado em quantida- Posologia e administração:
des iguais ao peso do antagonista administrado, em ADULTOS:
intervalo de 3 à 6h, ate que a concentração plas-
Dose usual: 500-2000mg/dia, VO, fracionado em 3
mática do antagonista administrado caia abaixo do
administrações.
limiar tóxico de 10-08 molar.
CRIANÇAS:
Dose usual VO: 15mg/dia
Dose inicial: 10-15mg/kg/dia, VO, 3 vezes ao dia,
INDICAÇÃO:
aumentando a dose para de 5-10mg/kg/dia por se-
O resgate com leucovorina é indicado após altas mana.
doses de metotrexato no tratamento do osteossar-
Dose de manutenção: 30-60mg/kg/dia, VO, 3 vezes
coma. Anemias megaloblásticas devidas à deficiên-
por dia.
cia de ácido fólico, quando não é possível utilizar a
via oral. Em combinação com o 5-fluorouracil, para NEONATOS:
prolongar a sobrevivência no tratamento paliativo Dose usual: 15mg/kg/dia, VO, fracionados em 2 ad-
dos pacientes com câncer colo-retal. ministrações.
ATENÇÃO: INDICAÇÃO:
Hipersensibilidade Tratamento da epilepsia (crise de ausência, pequeno
Nome comercial: LEUCOMIM mal). Como coadjuvante no tratamento das crises
mistas da epilepsia.
ATENÇÃO:
ACIDO TRANEXAMICO – 250mg/5ml
amp. Ingerir após alimentação, controlar enzimas hepá-
ticas e plaquetas, elevação do nível sérico de feno-
Posologia e administração:
barbital.
ADULTOS:
Nome comercial: DEPAKENE

Voltar para o índice É proibida a reprodução parcial ou total deste documento. Página 6 de 106
Título: Manual Farmacoterapêutico MANUAL Código: MN.DIR.002

ADENOSINA – 3mg/ml, 2ml amp. Oxiuríase, ascaridíase, ancilostomíase, necatoríase,


tricuríase, estrongiloidíase, teníase, himenolepíase.
Posologia e administração:
Parasitoses intestinais múltiplas. Hidatidose.
ADULTOS:
Nome comercial: AGUA OXIGENADA
Dose inicial: 6mg iv em bolus, seguidos de flush de
20ml em SF. 0,9%. Se necessário repetir após 1 a 2
minutos da dose inicial. ALBENDAZOL – 200mg; 400mg comp.
CRIANÇAS: Posologia e administração:

Dose usual: 0, 1-0, 2mg/kg IV. A seguir SF. 2-5ml. ADULTO:


Pode ser repetida a dose dobrada. Dose usual: 400mg/dia
Dose máxima: 12mg CRIANÇAS (>2 ANOS):
INDICAÇÃO: Dose usual: 400mg, VO, em dose única.
Conversão da taquicardia supraventricular paroxís- (Taenia SP ou Strongyloides Stercolares)
tica.
INDICAÇÃO:
ATENÇÃO:
Oxiuríase, ascaridíase, ancilostomíase, necatoríase,
Administrar rapidamente. Cuidado em pacientes tricuríase, estrongiloidíase, teníase, himenolepíase.
com potencial para bronco espasmo e no transplan- Parasitoses intestinais múltiplas. Hidatidose.
tado desnervado.
ATENÇÃO:
Ação rápida e meia-vida extremamente curta. Pode
Teratogênico, devendo ser usado com cautela em
ocorre rubor, dispnéia e dor torácica.
mulheres com idade fértil.
Atenção para pacientes com propensão a bradicar-
Nome comercial: ZENTEL
dia ou defeitos de condução (pré-existentes).
Nome comercial: ADENOCAR
ALBENDAZOL – 40mg/ml, 10ml fr.
Posologia e administração:
AGUA DESTILADA – 10ml; 125ml; 500;
1000ml fr. Infecção por helmintos

INDICAÇÃO: ADULTOS E CRIANÇAS (> 2 ANOS):

Diluição de medicamentos em geral. Dose única: 10ml

Nome comercial: AGUA DESTILADA Infecção por Strongyloides Stercolares e Taenia SPP
Dose única: 10ml, dose única por 3 dia consecuti-
vos. Repetir 3 semanas após se não houver cura.
AGUA OXIGENADA 10 vol. – 100ml;
1000ml fr. Giardíase

Posologia e administração: Dose usual: 10ml por 5 dias é eficaz em crianças.

Uso como anti-séptico e antiinfeccioso para pele e INDICAÇÃO:


mucosas. Oxiuríase, ascaridíase, ancilostomíase, necatoríase,
INDICAÇÃO: tricuríase, estrongiloidíase, teníase, himenolepíase.
Parasitoses intestinais múltiplas. Hidatidose.

Voltar para o índice É proibida a reprodução parcial ou total deste documento. Página 7 de 106
Título: Manual Farmacoterapêutico MANUAL Código: MN.DIR.002

ATENÇÃO: podem ser controladas por um incremento da velo-


Não é recomendável usar em crianças. cidade de infusão a um Maximo de 4,0 µg/kg/min.
ou com a administração de doses em bolus de 7,0
Deve-se assegurar, antes de utilizar o medicamento,
µg/kg/min. Essa ultima alternativa é recomendável
que não há processo de gravidez para mulheres em
quando a resposta ao estresse cirúrgico é detectada
idade fértil.
nos últimos quinze minutos da cirurgia. A adminis-
Nome comercial: ZENTEL SUSP. ORAL tração de alfentanila deve ser suspensa 10 a 15 mi-
nutos antes da finalização da cirurgia.

ALBUMINA HUMANA 20% - 50ml fr. CRIANÇAS (> 12 ANOS):

Posologia e administração: Dose não estabelecida 8mg/kg/dose

ADULTOS E CRIANÇAS: INDICAÇÃO:

Dose usual: à critério médico Analgésico coadjuvante, administrado em doses cres-


centes, na manutenção da anestesia com barbiturato/
INDICAÇÃO:
óxido nitroso/oxigênio. Analgésico administrado por
Hipoalbuminemia em cirrose hepática, nefrose, ede- infusão contínua com óxido nitroso/oxigênio na ma-
ma cerebral, toxemia gravídica, hiperbilirrubinemia nutenção da anestesia geral. Como agente anestésico
neonatal. Terapêutica substitutiva do volume circu- primário na indução da anestesia em pacientes sub-
latório. metidos à cirurgia geral que requerem intubação en-
ATENÇÃO: dotraqueal e ventilação mecânica.

Febre, urticária, infusão, rápida pode precipitar ICC ATENÇÃO:


e edema pulmonar devido à hipervolemia. A alfentanila deve ser administrada somente por
Nome comercial: ALBUMINI HUMANA pessoas treinadas no uso de agentes anestésicos
intravenosos e gerais, assim como no controle dos
efeitos respiratórios dos opióides potentes. Um an-
ALCOOL ETÍLICO 70% - 100ml fr. tagonista opióides, equipes de reanimação e intu-
Posologia e administração: bação e oxigênio devem estar disponíveis durante
a cirurgia e depois de concluída a mesmo. Como
Atenção uso restrito a hospitais
todos os opiáceos potentes, a analgesia profunda
Nome comercial: ÁLCOOL ETÍLICO associa-se evitar a administração de doses elevadas,
para assegurar que o paciente obtenha, ao sair da
sala de operações, uma respiração espontânea ade-
ALFENTANILA – 0,5mg/ml 5ml amp.
quada. A hiperventilação durante a anestesia pode
Posologia e administração: alterar a resposta do paciente ao CO₂ o qual afeta a
Infusão continua de alfentanila em doses de 0,3µg/ respiração após a operação.
kg/min., em combinação com óxido de nitroso e Nome comercial: RAPIFEN
oxigenio, em pacientes submetidos à cirurgia geral.
A velocidade de infusão para a primeira hora de ma-
nutenção reduz-se em 30% a 50% quando a indu- ALIZAPRIDA – 25mg/ml 2ml amp.
ção da anestesia é realizada como mesmo fármaco. Posologia e administração:
As mudanças nos sinais vitais que indiquem respos-
ADULTOS:
ta ao estresse cirúrgico ou a atenuação da anestesia

Voltar para o índice É proibida a reprodução parcial ou total deste documento. Página 8 de 106
Título: Manual Farmacoterapêutico MANUAL Código: MN.DIR.002

Deve ser ajustada pelo médico. Dose usual: 10mg/kg/dia, fracionado em 3 adminis-
Dose média: 3 amp/dia trações.

CRIANÇAS (> 6 ANOS): CRIANÇAS:

Dose usual: 5mg/kg/dia 3x dia. Dose usual: 300mg/dia, VO, fracionados em 2 a 3


administrações.
INDICAÇÃO:
INDICAÇÃO:
Náuseas e vômitos de qualquer tipo. Esofagite por
refluxo. ADULTOS: hiperuricemias primárias e secundárias.
Gota. Nefropatia errática. Nefrolitíase por ácido úri-
ATENÇÃO:
co. Crianças e adolescentes: nefropatia por ácido
O tratamento não deve ultrapassar uma semana. úrico durante o tratamento da leucemia.
Pode provocar sonolência, cefaléia, diarréia.
ATENÇÃO:
Nome comercial: SUPERAN
Em pacientes com diminuição clearence de creatini-
na há risco aumentado de vasculite sistêmica.
ALIZAPRIDA – 50mg comp. Nome comercial: ZYLORIC
Posologia e administração:
ADULTOS: ALTEPLASE – 50mg fr-amp
Deve ser ajustada pelo médico. Posologia e administração:
Dose média: 3 comp./dia. ADULTOS:
CRIANÇAS: Infarto agudo do miocárdio
Dose usual: 5mg/kg/dia Dose inicial: bolus 15mg, iv.
INDICAÇÃO: Dose total > 100mg. Manter heparina após (obri-
Náuseas e vômitos de qualquer tipo. Esofagite por gatório).
refluxo. CRIANÇAS:
ATENÇÃO: Dose usual: menos de 10kg-05mg diluído em SF.
O tratamento não deve ultrapassar uma semana. Dose usual: mais de 10kg-1mg diluído em SF.
Pode provocar sonolência, cefaléia, diarréia.
Trombose sistêmica:
Podem ocorrer espasmos faciais, movimentos invo-
Dose usual: 0,1-6mg/kg/L por 6h
luntários e torcicolo.
INDICAÇÃO:
Nome comercial: SUPERAN
Trombólise em infarto agudo de miocárdio, trombo-
embolia pulmonar, trombose venosa profunda peri-
ALOPURINOL – 100mg comp. férica, angina instável, trombose arterial.
Posologia e administração: ATENÇÃO:
ADULTOS: A duração do efeito hiperfibrinolítico termina após
Dose usual: 300mg VO/dia 2 a 3 vez/dia. poucas horas da suspensão da administração, o
tempo de trombina retorna ao normal em 4h. Sus-
CRIANÇAS (> 6 ANOS):
pender o medicamento se o paciente apresentar hi-

Voltar para o índice É proibida a reprodução parcial ou total deste documento. Página 9 de 106
Título: Manual Farmacoterapêutico MANUAL Código: MN.DIR.002

potensão arterial importante. ADULTOS:


Nome comercial: ACTYLISE Recomenda-se até 20ml/kg/dia.
INDICAÇÃO:
AMICACINA – 100mg e 500mg/2ml amp. Em planos terapêuticos de média duração envolven-
Posologia e administração: do tratamento e profilaxia de hipovolemia e cho-
que. Também é indicado para diluição terapêutica
ADULTOS:
do sangue (hemodiluição) utilizada em distúrbios
Dose usual: 7,5mg/kg, IV, ou IM, de 12/12h circulatórios ontogênicos e plaquetários.
Dose única: 15/mg/kg/dia ATENÇÃO:
CRIANÇAS: Não armazenar em geladeira.
Dose usual: 15mg/kg/dia, IV ou IM, fracionado em Em altas doses pode afetar o mecanismo de coagu-
2 e 3 doses. lação.
NEONATOS: Há possibilidade de insuficiência renal grave em
Menos de 26 semanas de gestação: 7,5mg/kg/dose, idosos.
IV ou IM, a cada 24h. Nome comercial: PLASMASTERIL
27 a 34 semanas de gestação: 7,5mg/kg/dose, IV ou
IM, a cada 18h.
AMILORIDA + HIDROCLOROTIAZIDA –
35 a 42 semanas de gestação: 10mg/kg/dose, IV ou (5mg + 50mg) comp.
IM, a cada 12h.
Posologia e administração:
Mais de 43 semanas de gestação: 10mg/kg/dose, IV
ADULTOS:
ou IM, a cada 8h.
Dose usual: 1 comp./dia.
Concentração sérica desejada: pico (20-30mcg/ml)
– vale (<10mcg/ml) INDICAÇÃO:

INDICAÇÃO: Anti-hipertensivo. Diurético.

Tratamento a curto prazo de infecções graves por ATENÇÃO:


germes suscetíveis nos aparelhos urinários e respi- Possui a vantagem de poupar potássio. Não possui
ratórios, ossos, intra-abdominais, na pele e tecidos ação efetiva em pacientes com clearence de creati-
moles e septicemia. nina < 50ml/min.
ATENÇÃO: Nome comercial: MODURETIC
Nefro toxicidade e otoxicidade. A absorção IM é er-
rática, especialmente no neonato com peso muito AMINOFILINA – 100mg comp.
baixo.
Posologia e administração:
Nome comercial: NOVAMIN
ADULTOS:
Dose usual: 100-200 comp. VO, 2-3x dia.
AMIDO HIDOXIETÍLICO 6% - 500ml fr.
INDICAÇÃO:
Posologia e administração:
Alívio sintomático ou prevenção da asma bronquial.

Voltar para o índice É proibida a reprodução parcial ou total deste documento. Página 10 de 106
Título: Manual Farmacoterapêutico MANUAL Código: MN.DIR.002

Prevenção da asma induzida por exercício. Enfise- Crise asmática: 10-20mcg/ml


ma pulmonar. Doença pulmonar obstrutiva crônica. Nome comercial: AMINOFILINA
Apnéia neonatal. Quadro respiratório de Cheyne-
Stokes.
Nome comercial: AMINOFILINA
AMIODARONA - 200mg comp.
Posologia e administração:
ADULTOS:
AMINOFILINA – 24mg/ml 10ml amp.
Dose usual: 200-400mg/dia.
Posologia e administração:
CRIANÇAS:
ADULTOS:
Dose usual: 10-15mg/dia, VO, até o controle da ar-
Dose usual: 240-480mg (10-20ml), IV, 1-2x dia.
ritmia. Após, reduzir para 5mg/kg/dia, VO.
CRIANÇAS:
Dose mínima efetiva: 2,5mg/kg/dia, VO.
Dose usual: 0,6mg/kg/dia 1x dia.
INDICAÇÃO:
NEONATOS:
Arritmias ventriculares (profilaxia e tratamento), su-
Apnéia da prematuridade: praventriculares, refratárias ao tratamento conven-
Dose de ataque: 5mg/kg/dose EV em 30’. cional, especialmente quando associada com a sín-
Dose de manutenção: 5mg/kg/dose 12/12h. drome de Wolf-Parkinson-White.

Bronco dilatador: ATENÇÃO:

Dose inicial: 6mg/kg/dose (infusão em 30 min.), IV. Monitorizar função tireoidiana.

Dose de manutenção: 0,2mg/kg/h, IV, contínua. Alertas para complicações corneanas e pulmonares.
Acompanhamento periódico com ECG, para avaliar
Dose intermitente: dividir a dose total da infusão
freqüência cardíaca e intervalos PR e QT.
contínua em 24h e administrar a cada 4-6h.
Nome comercial: ATLANSIL
INDICAÇÃO:
Alívio sintomático ou prevenção da asma bronquial.
Prevenção da asma induzida por exercício. Enfise- AMIODARONA – 150mg/3ml amp.
ma pulmonar. Doença pulmonar obstrutiva crônica. Posologia e administração:
Apnéia neonatal. Quadro respiratório de Cheyne- ADULTOS:
Stokes.
Dose usual: 5-7mg/kg/IV em 30-60’. Na reversão
ATENÇÃO: para ritmo sinusal utilizar 1,2-1,8g em infusão con-
Quando mudar a via de administração de IV p/ VO, tínua por dia, até completar a dose de 1g ou oral
considerar um aumento da dose em 20%. 1,2g ao dia até a dose acumular de 10g, a seguir.
Controlar FC, glicemia, nível sérico de teofilina. Manter 200-400mg/dia.
Como bronco dilatador é considerado terceira op- CRIANÇAS:
ção. Dose inicial: 5mg/kg, IV, infusão em 30 a 60 min.,
Níveis terapêuticos desejável: preferencialmente em veia central.
Apnéia da prematuridade: 1-13mcg/ml Infusão de manutenção: 7-15mcg/kg/min. Iniciar
sempre com 7mcg/kg/min. e aumentar conforme o

Voltar para o índice É proibida a reprodução parcial ou total deste documento. Página 11 de 106
Título: Manual Farmacoterapêutico MANUAL Código: MN.DIR.002

efeito desejado seja alcançado. Posologia e administração:


INDICAÇÃO: ADULTOS E CRIANÇAS (>12ANOS):
Arritmias ventriculares (profilaxia e tratamento), su- Dose usual: 500mg, VO, de 8 em 8h.
praventriculares, refratárias ao tratamento conven- CRIANÇAS:
cional, especialmente quando associada com a sín-
Dose usual: 25-50mg/kg/dia, VO, em 3 doses diá-
drome de Wolf-Parkinson-White.
rias.
ATENÇÃO:
Dose máxima: 1,5g/dia, VO.
Monitorizar intervalo QT através do ECG.
INDICAÇÃO:
Administrar com cautela em pacientes com bradi-
Infecções do trato geniturinário produzidas por
cardia sinusial, bloqueio átrio-ventricular de 1° grau
Escherichia coli, Proteus mirabilis e Streptococcus
e outros distúrbios de condução.
faecalis. Gonorréia produzida por Neisseria gonor-
A solução de amiodarona sofre degradação, portan- rhoeae. Otite, faringite e sinusite produzidas por
to deve ser trocada a cada 24h. estreptococos, pneumococos, estafilococos não
Considerar início do Tratamento VO dentro de 24- produtores de penicilinase e por Haemophilus in-
48h. VO: 5-10mg/kg/dose a cada 12h. fluenzae. Infecções da pele e tecidos moles produzi-
Nome comercial: ATLANSIL das por estreptococos, estafilococos não produtores
de penicilinase, Escherichia coli e Proteus mirabilis.
ATENÇÃO:
AMITRIPTILINA – 25mg comp.
Ocasiona erupções cutâneas maculopapulares, prin-
Posologia e administração:
cipalmente em pacientes em uso de alopurinol, ou
ADULTOS: infecção pelo HIV, leucêmicos, insuficiência renal e
Dose usual: 12,5-50mg, VO/dia. mononucleose.

INDICAÇÃO: Nome comercial: AMOXIL SUSP. E AMOXIL CAPS.

Síndrome depressiva maior, doença maníaco-de-


pressiva, distúrbios depressivos na psicose. Estados AMOXICILINA + CLAVULANATO DE PO-
de ansiedade associados com depressão. Depressão TÁSSIO – 500mg comp.; 250mg/ml;
com sinais vegetativos. Dor neurogênica: em dose 125mg/5ml 120ml susp.
de até 100mg/dia em dor crônica grave (câncer, do-
Posologia e administração:
enças reumáticas, nevralgia pós-herpética, neuropa-
tia pós-traumática ou diabética). ADULTOS e CRIANÇAS (>12 anos):

ATENÇÃO: Dose usual: 500mg, VO, 1 comp. 3x dia.

Retenção urinária. Não usar em associação com INDICAÇÃO:


IMAO. Arritmia cardíaca e epilepsia. Infecções por cepas bacterianas Gram-positivas ou
Nome comercial: TRYPTANOL Gram-negativas produtoras de beta-lactamases,
especialmente Haemophilus influenzae, Moraxella
catarrhalis, Staphylococcus aureus, E. Coli, espécies
AMOXICILINA – 250mg/5mg 150ml fr.; de Klebsiella, espécies de Enterobacter, Haemophi-
500mg caps. lus ducreyi.

Voltar para o índice É proibida a reprodução parcial ou total deste documento. Página 12 de 106
Título: Manual Farmacoterapêutico MANUAL Código: MN.DIR.002

ATENÇÃO: sos). Angina vasospástica, de Prinzmetal ou variante


Deve ser usado com cautela em pacientes com evi- (só ou em combinação com outros agentes antian-
dências de disfunção hepática grave. Eventos adver- ginosos).
sos mais freqüentes: diarréia, colite pseudomembra- ATENÇÃO:
nosa, urticária, vaginite, indigestão, náusea. Edema de membros inferiores e cefaléia.
Nome comercial: CLAVULIN CAPS. E SUSP. Nome comercial: NORVASC

AMOXICILINA + CLAVULANATO DE PO- AMPICILINA – 1g fr-amp.


TÁSSIO – 500mg e 1g fr-amp.
Posologia e administração:
Posologia e administração:
ADULTOS:
ADULTOS e CRIANÇAS (>12 anos):
Dose usual: 1-2g, IV, a cada 4 ou 6h.
Dose usual: 1g de 8 em 8h. Em casos mais graves
CRIANÇAS:
de 6/6h.
Dose usual: 100-200mg/kg/dia, IV, fracionados a
CRIANÇAS (<12 anos):
cada 4 ou 6h.
Dose usual: 30-50mg/kg/dia
Obs.: em infecções graves a dose pode ser de
INDICAÇÃO: 300mg/kg/dia em 4 doses diárias.
Infecções por cepas bacterianas Gram-positivas ou NEONATOS:
Gram-negativas produtoras de beta-lactamases,
Dose usual: 25-50mg/kg/dia, IV.
especialmente Haemophilus influenzae, Moraxella
catarrhalis, Staphylococcus aureus, E. Coli, espécies Meningite e Sepse por Streptococcusb
de Klebsiella, espécies de Enterobacter, Haemophi- Dose usual: 300mg/kg/dia 6/6h.
lus ducreyi.
INDICAÇÃO:
ATENÇÃO:
Gonorréia, meningite meningocócica, febre parati-
Deve ser usado com cautela em pacientes com evi- fóide, faringite bacteriana, pneumonia por Haemo-
dências de disfunção hepática grave. Eventos adver- philus influenzae, pneumonia por Proteus mirabilis,
sos mais freqüentes: diarréia, colite pseudomem- septicemia bacteriana, infecções de pele e tecidos
branosa, urticária, vaginite, indigestão, náusea. Não moles produzidas por enterococos, Escherichia coli,
diluir em soro glicosado. Proteus mirabilis, Shigella, Salmonella thiphy e ou-
Nome comercial: CLAVULIN IV tras espécies de Salmonella, Streptococcus, Sta-
phylococcus Pneumococus, sensíveis à penicilina G.
ATENÇÃO:
AMLODIPINA – 5mg comp.
Ocasiona erupções cutâneas maculopapulares, prin-
Posologia e administração:
cipalmente em pacientes em uso do alopurinol, u
Dose usual: 5-10mg VO, 1-2x dia. infecção pelo HIV, leucêmicos, insuficiência renal e
INDICAÇÃO: mononucleose.
Hipertensão arterial (só ou em combinação com ou- Nome comercial: AMPLACILINA
tros anti-hipertensivos). Angina crônica estável (só
ou em combinação com outros agentes antiangino-

Voltar para o índice É proibida a reprodução parcial ou total deste documento. Página 13 de 106
Título: Manual Farmacoterapêutico MANUAL Código: MN.DIR.002

ANFOTERICINA B – 50mg fr-amp. CRIANÇAS:

Posologia e administração: Dose usual: 0,8-1,0mg/kg/dose, 1x dia. Não exceder


100mg/dia
ADULTOS:
INDICAÇÃO:
Dose teste: 1mg/kg/dia, por infusão, IV, em 2 à 4h.
Hipertensão essencial, angina pectoris. Arritmias
Dose máxima: 50mg/dia, IV, em 24h.
cardíacas. Coadjuvante no tratamento da estenose
CRIANÇAS: subaórtica hipertrófica.
Dose inicial: 0,25mg/kg em 6 horas, aumentar
0,25mg/kg nos dias subseqüentes.
ATENÇÃO:
Dose usual: até 1mg/kg/dia, em infusão única, IV,
Cautela nos pacientes com depressão no miocárdio,
em 4h.
bradiarritmia, doença vacular periférica, doença pul-
NEONATOS: monar obstrutiva crônica.
Dose inicial: 0,25-0, 5, g/kg, a cada 24h, por infu- NEONATOS E CRIANÇAS
são, IV, 6h
Broncoespasmo e bradicardia.
Dose de manutenção: 0,5-1mg/kg, a cada 24h, por
Nome comercia: ATENOL
infusão, IV, 6h.
INDICAÇÃO:
ATORVASTATINA – 10mg , 20mg, 40mg
Aspergilose, blastomicose, candidíase disseminada,
comp.
coccidioidomicose, criptococose, histoplasmose,
mucormicose, esporotricose disseminada, leishma- Posologia e administração:
niose mucocutânea americana. Dose usual; 10mg, VO, dose única diária.
ATENÇÃO: Dose máxima: 80mg/dia
Só deve ser administrado por via intravenosa e sob INDICAÇÃO:
supervisão clínica rigorosa por pessoas devidamente
Hipercolesterolêmicas. Dislipidemias. Hipercoleste-
treinadas. Monitorar periodicamente ECG, função
rolemia familiar. Tratamento coadjuvante da dieta
hepática, função renal e potássio.
para diminuir os níveis elevados de colesterol total,
Não misturar com cloreto de sódio, pode ocorrer LDL-colesterol, apobetalipoproteínas e trigliceríde-
precipitação. os em pacientes com hipercolesterolemia primária
Pode provocar anemia, trombocitopnia, hipocale- (heterozigota familiar e não-familiar) e na dislipemia
mia, náuseas, febre, vômitos. mista (Fredrickson tipos lla e llb).

Nome comercial: FUNGISON ATENÇÃO:


Monitorar enzimas hepáticas.

ATENOLOL – 25mg; 50mg comp. Mialgia – pode causar rabdomiólise.

Posologia e administração: Não utilizar com genfibrosil.

ADULTOS: Nome comercial: CITALOR / LÌPITOR

Dose usual: 12,5-100mg VO, 1x dia.

Voltar para o índice É proibida a reprodução parcial ou total deste documento. Página 14 de 106
Título: Manual Farmacoterapêutico MANUAL Código: MN.DIR.002

ATRACÚRIO – 25mg/2,5ml Dose inferior a 0, 1mg/kg pode ocasionar bradicar-


dia paradoxal (ação central) – efeito parassimpático
Posologia e administração:
central.
Administra-se por via IV em doses de 0,3-0,6mg/kg
CRIANÇAS:
conseguindo assim rápido e completo miorrelaxa-
mento durante 15-35 minutos. Para conseguir a in- Dose usual: 0,02mg/kg, IV.
tubação endotraqueal administra-se por via IV 0,5- INDICAÇÃO:
0,6mg/kg. Para prolongar o bloqueio neuromuscular
Indicado para doenças espásticas do trato biliar, có-
podem ser administradas doses complementares de
lico-ureteral ou renal. Bexiga neurogênica hipertôni-
0,1-0,2mg/kg ou uma infusão contínua com doses
ca. Profilaxia de arritmias induzidas por intervenções
de 0,3-0,6mg/kg, especialmente no by-pass coroná-
cirúrgicas. Bradicardia sinusal grave, bloqueio A-V
rio com hipotermia (25°).
tipo I.
INDICAÇÃO:
ATENÇÃO:
Adjuvante da anestesia geral, para facilitar a intu-
Pode ocorrer sonolência, azia, tontura, visão distor-
bação endotraqueal e propiciar o relaxamento da
cida e mioclonia.
musculatura esquelética ou a ventilação controlada
durante cirurgia. Recomenda-se monitorização da pressão ocular em
tratamentos prolongados.
ATENÇÃO:
Nome comercial: ATROPINA
O atracúrio deve ser administrado sob supervisão de
médicos experientes no uso de bloqueadores neu-
romusculares. Não deve ser administrado até que AZUL DE METILENO 1% - 5ml amp.
o paciente fique inconsciente. Deve-se ter especial
Posologia e administração:
precaução, ou evitar o uso, em pacientes que apre-
sentem suspeita de serem homozigotos pata o gene Dose inicial: 1-2mg/kg de peso por infusão IV lenta.
da colinesterase plasmática atípica. A doença renal Dose de manutenção: a dose inicial pode ser repe-
e hepática pode prolongar o efeito farmacológico. tida após 1h.
Por não existirem provas conclusivas, recomenda-se
INDICAÇÃO:
não utilizarem gestantes a menos que o beneficio
para a mãe supere o risco potencial pata o feto. A Indicado a qualquer paciente com sintomas e/ou
lactação deve ser suspensa. A segurança e a eficácia sinais de hipóxia (mudanças mentais, taquicardia,
do medicamento em crianças menores de 2 anos dispnéia, dor torácica).
não foram estabelecidas. Também é usado como corante bacteriológico e
Nome comercial: TRACRIUM como indicador.
ATENÇÃO:

ATROPINA – 0,25mg/ml; 0,5mg/ml. Eventos adversos: cianose, hipertensão. Pode haver


formação de metemoglobina.
Posologia e administração:
Nome comercial: AZUL DE METILENO INJ.
ADULTOS:
Dose usual: 1-3mg.
BACLOFENO – 10mg comp.
Dose máxima: 0,03mg-0,04mg/kg.
Posologia e administração:

Voltar para o índice É proibida a reprodução parcial ou total deste documento. Página 15 de 106
Título: Manual Farmacoterapêutico MANUAL Código: MN.DIR.002

ADULTOS: a uma dose ponderal de 30mg/kg/dia.


Dose inicial: 5mg, VO, 3x dia. INDICAÇÃO:
Dose de manutenção: 40-80mg, VO, fracionados Asma brônquica, doença pulmonar obstrutiva crô-
em 3 doses. nica (DPOC) com um componente espástico, bron-
Dose máxima: 80mg/dia, VO. quites asmatiformes.

CRIANÇAS (de 2 a 7 anos): ATENÇÃO:

Dose usual: 0,75-2mg/kg/dia 8/8h. Deverá ser administrada com cuidado nos casos de
insuficiência cardíaca severa, hipertensão arterial
Dose máxima: 40mg/dia, VO.
grave não tratada, insuficiência hepática e renal, úl-
INDICAÇÃO: cera gástrica e hipertiroidismo.
Na redução dos sinais e sintomas de espasticidade Por apresentar propriedades broncoespamolíticas,
resultantes da esclerose múltipla. Quando a admi- potencializa a ação dos fármacos beta-simpaticomi-
nistração da tomada oral se mostra ineficaz, a forma méticos.
injetável (intratecal) é indicada no manejo da espas-
Nome comercial: BAMIFIX
ticidade severa originada na medula espinhal. A in-
jeção de baclofeno pode ser considerada como uma
alternativa à neurocirurgia destrutiva. Em algumas BENZILPELICILINA BENZATINA –
ocasiões tem sido utilizada como terapia coadjuvan- 1.200.000UI fr-amp.
te da neuralgia do trigêmeo, a mioclonia noturna, a Posologia e administração:
discinesia e a distonia.
ADULTOS:
ATENÇÃO:
Dose usual: 1.200.000-2.400.000UI, IM, em dose
Hipotensão, palpitação, cefaléia, sonolência, sinto- única.
mas gastrintestinais, boca seca. Controlar função
CRIANÇAS (< 27 kg):
renal.
Dose usual: 50.000UI/kg, IM, em dose única.
Administrar com leite ou alimentos.
CRIANÇAS (27 kg):
Nome comercial: LIORESAL
Dose usual: 900.000-1.200.000UI, IM, em dose úni-
ca.
BAMIFILINA – 300mg e 600 mg comp.
NEONATOS:
Posologia e administração:
Dose: 50.000UI/kg, IM, em dose única.
ADULTOS:
INDICAÇÃO:
Em geral, 1 drágea de 600mg ou 2 drágeas de
Tratamento da sífilis; profilaxia de febre reumática.
300mg pela manhã e à noite, antes das refeições. A
posologia poderá variar de 900 a 1800mg ao dia de ATENÇÃO:
acordo com a prescrição médica. Anafilaxia.
CRIANÇAS: Nome comercial: BENZETACIL
Acima de 5 anos e com capacidade de ingestão de
drágeas, recomenda-se a administração de 1 drá-
gea de 300mg, pela manhã e à noite, corresponde

Voltar para o índice É proibida a reprodução parcial ou total deste documento. Página 16 de 106
Título: Manual Farmacoterapêutico MANUAL Código: MN.DIR.002

BENZILPENICILINA POTÁSSICA CRISTALI- Evitar o uso em neonatos, devido à toxidade.


NA – 5.000.00UI fr-amp. Sífilis congênita: tratamento por 10 a 14 dias.
Posologia e administração: Nome comercial: WYCILLIN / DESPACILINA
ADULTOS:
Dose usual: 5-30 milhões UI/dia, IV, 4/4h. BICARBONATO DE SÓDIO – 8,4% 10ml
CRIANÇAS: amp. E 250ml fr.
Infecções leves: 25.000-50.000UI/kg/dia IV, fracio- Posologia e administração:
nados em 4 administrações. ADULTOS:
INDICAÇÃO: Acidose metabólica:
Meningites bacterianas não adquiridas em ambien- Dose usual: 1meQ/kg/EV em bolus.
te hospitalar; endocardites; abcessos pulmonares;
CRIANÇAS:
leptospirose.
Reanimação PCR:
ATENÇÃO:
Dose inicial: 1mEq/kg, IV ou VO.
Anafilaxia em até 0,05% dos pacientes. Alta dose
pode induzir convulsões. Erupções cutâneas, urticá- Acidose metabólica:
ria, tromboflebite, nefrite interstivial. Clorafenicol e Corrigir se PH < 7,10 ou Bicarbonato < 10mEq/L.
eritromicina reduzem o efeito da penicilina.
Bicarbonato necessário = (15-Bic. Total) x peso (kg0
Nome comercial: DESPACILINA x 0,3.)
NEONATOS:
BENZILPENICILINA POTÁSSICA + PROCA- Reanimação neonatal:
ÍNA – 400.000UI fr-amp.
Dose inicial: 1-2, Eq/kg, IV, usando diluição 1:1. Ad-
Posologia e administração: ministrar na velocidade de infusão de menos 1mEq/
ADULTOS: min.

Dose usual: 400.000UIM 12/12h. INDICAÇÃO:

CRIANÇAS: Hipercalemia pré-existente (classe I – fortemente re-


comendada).
Dose usual: 25.000-50.000UI/kg, IM, 1 vez ao dia.
Acidose pré-existente responsiva a bicarbonato
Dose máxima: 4.800.000UI/dia.
(classe ll a – boa evidência).
NEONATOS:
Pacientes que saíram da PCR após longa RCP (classe
Dose: 50.000UI/kg/dose, a cada 24h, IM. ll b).
INDICAÇÃO: Acidose hipercapnica (classe lll – ineficiente ou pre-
Pneumonias adquiridas na comunidade; infecções judicial).
de pele (impetigo, erisipela, celulite); gonorréia (pri- ATENÇÃO:
meira escolha); profilaxia da endocardite infecciosa.
NEONATOS e CRIANÇAS: edema, hemorragia,
ATENÇÃO: cerebral, alclose metabólica, hipernaremia, hipopo-
Anafilaxia. tassemia, hipocalemia, distensão gástrica, necrose

Voltar para o índice É proibida a reprodução parcial ou total deste documento. Página 17 de 106
Título: Manual Farmacoterapêutico MANUAL Código: MN.DIR.002

tecidual se ocorrer extravasamento local. Dose usual: 0,5mg/kg/dose.


Não misturar com sais de cálcio, catecolaminas ou INDICAÇÃO:
atropina. Tratamento de parkinsonismo em todas as suas for-
Respeitar a velocidade de infusão de 1mEq/kg/min.; mas (pós-encefalítico, arteriosclerótico ou idopático)
assegurar adequado suporte ventilatório antes de e tratamento das reações extrapiramidais induzidas
administrar o bicarbonato de sódio. por fármacos.
Controlar gasometria e parâmetros ventilatórios. ATENÇÃO:
Nome comercial: BICARBONATO DE SÓDIO Vide Biperideno comprimido.
Nome comercial: AKINETON
BIPERIDENO – 2mg comp.
Posologia e administração: BISACODIL – 5mg comp.
ADULTOS: Posologia e administração:
Dose usual: 2-16mg/dia, VO, fracionados em 2 ad- ADULTOS:
ministrações. Dose usual: 10mg, VO, em dose única ao dia.
CRIANÇAS: CRIANÇAS (>4 anos):
Dose usual: 0,04mg/kg/IV ou IM. Pode ser repetida Dose usual: 1comprimido, VO, 1 vez ao dia ( após a
a cada 2 horas. última refeição).
INDICAÇÃO: INDICAÇÃO:
Tratamento de parkinsonismo em todas as suas for- É indicado para favorecer a defecação em pacientes
mas (pós-encefalítico, arteriosclerótico ou idopático) geriátricos com resposta motora de cólon diminuída
e tratamento das reações extrapiramidais induzidas ou para esvaziar o cólon na preparação de exames
por fármacos. do reto ou do intestino e em cirurgia programada
ATENÇÃO: de cólon.
Boca seca, constipação, visão turva, sonolência, ATENÇÃO:
euforia, retenção urinária em homens, hipotensão Cólicas abdominais, vômitos e diarréias.
postural. Alucinações, principalmente acima de 70
Nome comercial: DULCOLAX
anos, aumento d pressão intra-ocular.
Contra-indicado em pacientes com glaucoma de
ângulo fechado, e cuidados em pacientes. BROMAZEPAM – 3mg; 6mg comp.
Nome comercial: AKINETON Posologia e administração:
Dose usual: 1,5-12mg/dia, VO, fracionados em 2
administrações.
BIPERIDENO – 5mg/1ml amp.
INDICAÇÃO:
Posologia e administração:
Ansiedade, angústia, obsessão, compulsões, fobias
ADULTOS:
e hipocondria. Tratamento das reações emocionais
Dose usual: 5-200mg/dia, IM, até 4 vezes ao dia. provocadas por situações conflitantes e de estresse.
CRIANÇAS:

Voltar para o índice É proibida a reprodução parcial ou total deste documento. Página 18 de 106
Título: Manual Farmacoterapêutico MANUAL Código: MN.DIR.002

ATENÇÃO: senectude e da estafa mental. Discinesias gastro-


Contra-indicado em pacientes com miastenia gravis. duodenais e biliares. Colopatias espasmódicas. En-
xaquecas e mal-estar de origem celíaca. Náuseas.
Nome comercial: LEXOTAN
Vômitos. Anorexia.
Particulares: exames radiológicos do tubo digestivo.
BROMOPRIDA – 10mg comp. e 4mg/ml gts. Preparação de explorações endoscópicas. Vômitos
Posologia e administração: anestésicos. Soluços. Meteorismo abdominal pós-
operatório. Manifestações digestivas após a aplica-
ADULTOS:
ção de radioterapia.
Dose usual: 10mg, VO, 3x dia, 30-40min, antes das
ATENÇÃO:
refeições.
Manifestações extrapiramidais.
Dose máxima: 60mg/dia.
Nome comercial: DIGESAN
CRIANÇAS:
Dose usual: 0,2mg/kg/dose, 6/6h ou 8/8h.
BUDESONIDA – 0,25mg/ml 2ml sol.
INDICAÇÃO:
Nebz.
Principais: distúrbios digestivos psicossomáticos da
Posologia e administração:
senectude e da estafa mental. Discinesias gastro-
duodenais e biliares. Colopatias espasmódicas. En- ADULTOS:
xaquecas e mal-estar de origem celíaca. Náuseas. Dose usual: 0,5-1mg via inalatória, 2x dia.
Vômitos. Anorexia.
CRIANÇAS E NEONATOS:
Particulares: exames radiológicos do tubo digestivo.
Dose usual: 0,25-0,50mg, bia inalatória, 2x dia.
Preparação de explorações endoscópicas. Vômitos
anestésicos. Soluços. Meteorismo abdominal pós- INDICAÇÃO:
operatório. Manifestações digestivas após a aplica- Asma brônquica, rinite alérgica. Rinossinusite alérgi-
ção de radioterapia. ca. Bronquite alérgica. Febre do feno.
ATENÇÃO: ATENÇÃO:
Sonolência e manifestações extrapiramidais. O uso de espaçadores facilita a administração do
Nome comercial: DIGESAN medicamento. Após o uso, fazer higiene oral do es-
paçador. Tais medidas diminuem o risco de candi-
díase oral e rouquidão. Pode causar cefaléia, boca
BROMOPRIDA – 5mg/ml 2ml amp. seca.
Posologia e administração: Nome comercial: PULMICORT
ADULTOS:
Dose usual: 10mg, IM ou IV. 3x dia. BUPIVACAÍNA – 0,25% 20ml; 0,75% 10ml
CRIANÇAS: com ou sem vasoconstritor; 0,5% c/v e
s/v; 0,5% pesada e 0,5% 4ml isobárica
Dose usual: 0,2-0,5mg/kg/dia.
fr-amp.
INDICAÇÃO:
Posologia e administração:
Principais: distúrbios digestivos psicossomáticos da
A bupivacaína a 0,25% produz, em gera, bloqueio

Voltar para o índice É proibida a reprodução parcial ou total deste documento. Página 19 de 106
Título: Manual Farmacoterapêutico MANUAL Código: MN.DIR.002

motor incompleto e é utilizado quando o relaxa- Dose usual: 6,25-50mg, VO, fracionados em 2 em
mento muscular não é importante. A 0,5% produz 4 vezes ao dia.
bloqlueio motor e certo relaxamento muscular. A Dose máxima: 200mg/dia.
0,75% produz bloqueio motor completo e relaxa-
CRIANÇAS (até 10 anos):
mento muscular total. Dose para ADULTOS: aneste-
sia caudal – bloqueio motor moderado de 15-30ml Dose usual: 0,5-1mg/kg/dia, fracionados em 3 em 4
de solução a 0,25% a cada 3 horas, conforme a ne- vezes ao dia.
cessidade. Bloqueio motor moderado a completo: Dose máxima: 6mg/kg/dia.
15-30ml de solução a 0,5% cada 3 horas, conforme
CRIANÇA LACTENTE:
a necessidade. Anestesia epidural: bloqueio motor
parcial a moderado, 10-20ml de solução a 0,25% Dose usual: 0,15-0,3mg/kg/dose, VO, fracionados
a cada 3 horas, conforme a necessidade. Bloqueio em 3 em 4 vezes ao dia.
motor moderado a completo: 10+20ml de solução a NEONATOS:
0,75%. Dose máxima: até 175mg como dose única
Dose usual: 0,01-0,05mg/kg/dose, VO, em interva-
ou 400mg/dia. Para infiltração e bloqueio nervoso
los de 8/8h a 12/12h.
na área maxilar e mandíbula: 9mg (1,8ml) de clori-
drato de bupivacaína em solução 0,5% com epine- INDICAÇÃO:
frina 1:200.000 por ponto de injeção. Hipertensão arterial. Insuficiência cardíaca refratária
Reações adversas: ao tratamento clássico com diuréticos e digitais.

Em geral, dependem da dose e da via de adminis- ATENÇÃO:


tração. São de incidência menos freqüente: cianose, Tosse seca como efeito colateral.
visão turva ou dupla, enjôos, ansiedade, excitação,
Monitorizar creatinina e potássio após sua intro-
sonolência, erupção cutânea, urticária, aumento da
dução.
sudoração, hipotensão e bradicardia.
Administrar com cautela em pacientes com insufici-
Composição:
ência renal.
Sol. Inj. a 0,5%: cloridato de bupivacaína 5mg/ml.
NEONATOS e CRIANÇAS: hipotensão, agranuloci-
Sol. Inj. a 0,25%: cloridato de bupivacaína 2,5mg/ml. tose, proteinúria, hipercalemia secundário a redu-
Inj. fr-amp.: cloridato de bupivacaína 7,5mg/ml. ção na produção da aldosterona.

Sol. inj.: cloridato de bupivacaína 5mg, glicose 80mg Reduzir a dose na administração a neonatos com
por ml. diminuição do fluxo sanguíneo cerebral e renal. Ad-
ministrar 1h antes da refeição.
INDICAÇÃO:
Nome comercial: CAPOTEN
Anestesia local ou regional, analgesia e bloqueio
neuromuscular antes de intervenções cirúrgicas,
dentárias e parto obstétrico. CARBAMAZEPINA – 200mg comp. e
Nome comercial: MARCAÍNA 100mg/5ml 100ml fr.
Posologia e administração:

CAPTOPRIL – 25mg compr. ADULTOS:

Posologia e administração: Dose usual: 600-160mg/dia, VO, fracionados em 3


administrações.
ADULTOS:
Voltar para o índice É proibida a reprodução parcial ou total deste documento. Página 20 de 106
Título: Manual Farmacoterapêutico MANUAL Código: MN.DIR.002

CRIANÇAS: do progressivamente até 25mg, VO, 2x dia.


Dose usual: 10-35mg/kg/dia, VO, fracionados em 3 INDICAÇÃO:
em 4 administrações. Hipertensão arterial leve ou moderada, especial-
NEONATOS: mente quando associado com hiperlipidemia, insu-
Dose inicial: 5-10mg/kg/dia, VO, 2x dia. ficiência renal ou diabete não-insulino dependente.

Obs.: a dose pode aumentar a cada 5 a 7 dias para ATENÇÃO:


10mg/dia e se necessário para 10mg/kg/dia. Administrar com cautela em pacientes com insufici-
Nível sérico terapêutico: 4-12mcg/ml. ência cardíaca.

INDICAÇÃO: Monitorizar a freqüência cardíaca e bronco-espasmo.

Epilepsia. Tratamento das crises convulsivas parciais Nome comercial: DIVELOL


com sintomatologia simples ou complexa, crises
convulsivas tônico-clônica generalizadas (grande CEFALEXINA – 500mg caps.; 250mg/5ml
mal), crises convulsivas mistas. Anticonvulsivo de susp. 100ml fr.
primeira eleição. Neuralgia do trigêmeo.
Posologia e administração:
ATENÇÃO:
ADULTOS e CRIANÇAS (>12 anos):
Controles periódicos de hemograma, função renal
Dose usual: 500, VO, de 6/6h.
e hepática.
CRIANÇAS:
Nome comercial: TEGRETOL COMP. / TEGRETOL
SUSP. Dose usual: 50-100mg/kg/dia, VO, de 6/6h.
INDICAÇÃO:

CARVÃO ATIVADO – 10g env. Infecções do trato respiratório, pele, osso e genituri-
nário por germes suscetíveis.
Posologia e administração:
Nome comercial: KEFLEX
ADULTOS:
Dose usual: 70g, VO, visando obter uma concentra-
ção carvão/droga de, pelo menos, 10:1. CEFALOTINA – 1g fr-amp.
CRIANÇAS: Posologia e administração:

Dose usual: 1g/kg/dose, VO. ADULTOS:

INDICAÇÃO: Dose usual: 0,5g, IV, de 6/6h.

Intoxicações agudas. Dose máxima: 2g, IV, de 4/4h.

Nome comercial: CARVÃO ATIVADO CRIANÇAS:


Dose usual: 80-160mg/kg/dia, IV, de 4/4h ou 6/6h,
durante 7 a 14 dias.
CARVEDILOL – 3,125mg; 6,25mg comp.
NEONATOS:
Posologia e administração:
Peso < 1.200g: idade de 0 a 4 semanas, 20mg/kg/
Insuficiência cardíaca:
dose, IV, de 12/12h.
Dose usual: iniciar com 3,125mg 2x dia, aumentan-

Voltar para o índice É proibida a reprodução parcial ou total deste documento. Página 21 de 106
Título: Manual Farmacoterapêutico MANUAL Código: MN.DIR.002

Peso 1.200 a 2.000g: idade 0 a 7 dias 20mg/kg/ CEFEPIME – 1g; 2g fr-amp.


dose, IV, de 8/8h.
Posologia e administração:
Idade > 7 dias: 20mg/kg/dose, IV, de 6/6h.
ADULTOS:
INDICAÇÃO:
Dose usual: 1-2g, IM ou IV. 2x dia.
Profilaxia de infecções perioperatorais. Infecções do
Dose máxima: 2g, IM ou IV. 3x dia.
trato geniturinário produzidas por Escherichia coli,
Klebsiella, Proteus mirabilis. Pneumonia produzi- CRIANÇAS:
da por S. aureus, Streptococcus beta-hemolíticos, Dose usual: 50mg/kg/dose (até 40 kg), IV, 2x dia.
Streptococcus pneumoniae; septicemia bacteriana
INDICAÇÃO:
por Klebsiella pneumoniae, Proteus mirabilis, S. be-
Infecções graves por microrganismos sensíveis. In-
ta-hemolíticos, Staphylococcus aureus. Infecções da
fecções abdominais, ginecológicas, obstétricas, das
pele e tecidos moles produzidas por Escherichia coli,
vias urinárias, respiratórias, pele e tecidos moles.
Klebsiella, Proteus mirabilis, Staphylococcus (pro-
Doença inflamatória pélvica, endometrite, abces-
dutores e não produtores de penicilinase), Strepto-
sos, septicemias, neumonia hospitalar, osteomielite.
coccus beta-hemolíticos. Infecções do trato urinário
Tratamento empírico em pacientes neutropênicos
produzidas por Escherichia coli, Klebsiella pneumo-
febris.
niae e Proteus mirabilis. Erisipela.
Nome comercial: MAXCEF
Nome comercial: KEFLIN

CEFAZOLINA – 1g fr-amp. CEFTRIAXONA – 1g fr-amp. IV, IM


Posologia a administração:
Posologias e administração (somente para profilaxia
cirúrgica): ADULTOS:

ADULTOS: Doe usual: 1g, IM ou EV, 1 a 2x dia.

Dose 2-6g/dia, IV, IM, de 6/6h ou 8/8h, sendo o má- Dose máxima: 4g/dia, IM ou EV, 1 ou 2x dia.
ximo 6g/dia. CRIANÇAS:
CRIANÇAS: Dose usual: 50-100mg/kg/dia, IV ou IM, 1 a 2x dia.
Dose: 50-100mg/kg/dia, IV, IM, de 8/8h, sendo o NEONATOS:
máximo 6g/dia.
Peso < 2.00g
NEONATOS:
Idade de 0 a 7 dias: 50mg/kg/dose, IM, de 24/24h.
Dose usual: 25mg/kg/dose, IV ou IM.
Idade de 8 a 28 dias: 50mg/kg/dose, IM, de
INDICAÇÃO: 24/24h.
Infecções dos tratos respiratório e geniturinário; Peso> 2.000g
otorrinolaringológicas, de pele e tecidos moles, e
Idade de 0 a7 dias: 50mg/kg/dose, IM, de 24/24h.
osteoarticulares.
Idade de 8 28 dias: 75mg/kg/dose, IM, de 24/24h.
Nome comercial: KEFAZOL
Idade > 28 dias: 100mg/kg/dose, IM, de 8/8h.
INDICAÇÃO:

Voltar para o índice É proibida a reprodução parcial ou total deste documento. Página 22 de 106
Título: Manual Farmacoterapêutico MANUAL Código: MN.DIR.002

Infecções do trato biliar produzidas por Escherichia Nome comercial: KETALAR


coli, espécies de Klebsiella, Proteus mirabilis, Sta-
phylococcus aureus, Streptococcus. Infecções ósseas
produzidas por espécies de Enterobacter, Escherichia
CETILPIRIDINEO – 2,5mg/ml 300 fr.
coli, Klebsiella pneumoniae, Proteus ou Staphylo- Posologia e administração:
coccus. Infecções do SNC por Escherichia coli, Ha- Usar em bochechos e gargarejos, puro ou diluído
emophilus influenzae, Klebsiella pneumoniae, Neis- em igual volume de água sempre que desejado ou
seria meningitidis. Infecções do trato geniturinário necessário.
produzidas por espécies de Clostridium, Escherichia
INDICAÇÃO:
coli, Staphylococcus aureus, S. epidermidis, Proteus
mirabilis, gonorréia, pneumonia, septicemia bacte- Como complemento da higiene bucal diária. Sua
riana, infecções de pele e tecidos moles. ação antisséptica e antibacteriana ajuda a combater
os germes causadores da placa bacteriana e do mau
ATENÇÃO:
hálito.
Vide cefalexina.
ATENÇÃO:
Evitar o uso em neonatologia por induzir colestase.
O uso diário e regular propicia melhores resultados.
Não remendado para uso em recém-nascido com
hiperbilirubinemia, eosinofilia, trombocitose, leuco- Nome comercial: CEPACOL
penia. Aumento do tempo de sangramento.
Nome comercial: ROCEFIN CETOPROFENO – 50mg caps.
Posologias e administração:
CETAMINA – 50mg/ml 10ml fr-amp. Antiinflamatório:
Posologia e administração: Dose usual: 50mg, VO, de 8/8h, até 200mg/dia.
Introdução por via IV: 1-2mg/kg como dose única INDICAÇÃO:
ou mediante infusão IV. Por via IM: de 5-10mg/kg.
Artrite reumatóide; osteoartrite, dor leve ou mode-
Manutenção: IV de 0,01-0,03mg/kg mediante infu-
rada, dismenorréia; inflamação não-reumática.
são. Dose limite: via IV, até 4,5mg/kg; via IM: até
13mg/kg. ATENÇÃO:

INDICAÇÃO: Em pacientes com risco aumentado de sangramen-


to do trato gastrintestinal é recomendável o uso
Anestesia em intervenções curtas, cirúrgicas e de
concomitante de medicação inibidora de bomba de
diagnóstico, que não requerem relaxamento do
prótons (por exemplo: idoso, sepses).
músculo esquelético. Indutor da anestesia antes de
ministrar outros anestésicos gerais. Nome comercial: PROFENID

ATENÇÃO:
São de incidência mais freqüente: hipertensão e CETOPROFENO IV – 100mg fr-amp.
taquicardia. Raramente: bradicardia, hipotensão, Posologia e administração:
dispnéia, movimentos musculares incontrolados.
Dose usual: 100-300mg/dia, IV.
Requer em atenção médica se persistirem ou forem
incômodos: delírios, experiência de dissociação, ilu- INDICAÇÃO:
sões visuais. Artrite reumatóide; osteoartrite, dor leve ou mode-

Voltar para o índice É proibida a reprodução parcial ou total deste documento. Página 23 de 106
Título: Manual Farmacoterapêutico MANUAL Código: MN.DIR.002

rada, dismenorréia; inflamação não-reumática. CRIANÇAS:


ATENÇÃO: Dose usual: 15-20mg/kg/dia, IV, 2x dia.
Vide cetoprofeno cápsula. Fibrose cística:
Nome comercial: PROFENID IV Dose usual: 30mg/dia, IV, 3x dia.
INDICAÇÃO:
CIPROFLOXACINA – 500mg comp. Infecções das vias respiratórias. Broncopneumonia
Posologia e administração: e pneumonia lobar. Bronquite aguda, bronquiec-
tasias, empiema. Infecções do trato geniturinário:
ADULTOS:
uretrites complicadas, pielonefrite, prostatite, go-
Dose: 500mg, VO, 2x dia, até 750mg, VO, 2x dia. norréia. Infecções osteoarticulares: osteomielite,
CRIANÇAS: artrite séptica. Infecções gastrintestinais: diarréia in-
fecciosa, febre entérica. Infecções sistêmicas graves:
Dose usual: 20-30mg/kg/dia, VO, fracionados em 2
septicemias, bacteremias, infecção das vias biliares,
administrações.
pélvicas e otorrinolaringológicas.
INDICAÇÃO:
ATENÇÃO:
Infecções das vias respiratórias. Broncopneumonia
Vide cipro comp.
e pneumonia lobar. Bronquite aguda, bronquiec-
tasias, empiema. Infecções do trato geniturinário: Nome comercial: CIPRO
uretrites complicadas, pielonefrite, prostatite, go-
norréia. Infecções osteoarticulares: osteomielite,
CIPROFLOXACINA – 3mg/g 3,5g Tb.;
artrite séptica. Infecções gastrintestinais: diarréia in-
3mg/ml 5ml fr. Sol. oft.
fecciosa, febre entérica. Infecções sistêmicas graves:
septicemias, bacteremias, infecção das vias biliares, Posologia e administração:
pélvicas e otorrinolaringológicas. ADULTOS E CRIANÇAS:
ATENÇÃO: Conjuntivite:
Alteração do SNC em até 0,4% dos pacientes: ce- Colírio: 1-2gts em intervalos de 4-6h. Pode-se au-
faléia, agitação, insônia, pesadelos, psicose e con- mentar a freqüencia em até 15 ou 30 min, a depen-
vulsões. O uso de antiinflamatórios não hormonais de da gravidade.
exacerba estas reações. Não recomendado para Pomada: 1,0cm de pomada no saco conjuntival a
crianças. Pode causar artropatia com erosão da car- cada 1-2h nos dois primeiros dias e a mesma quan-
tilagem. tidade a cada 4h por até 10 dias.
Nome comercial: CIPRO COMP. INDICAÇÃO:
Infecções das vias respiratórias. Broncopneumonia
CIPROFLOXACINA – 200/100ml IV fr- e pneumonia lobar. Bronquite aguda, bronquiec-
amp. tasias, empiema. Infecções do trato geniturinário:
Posologia e administração: uretrites complicadas, pielonefrite, prostatite, go-
norréia. Infecções osteoarticulares: osteomielite,
ADULTOS:
artrite séptica. Infecções gastrintestinais: diarréia in-
Dose: 200-400mg, IV, 2x dia. fecciosa, febre entérica. Infecções sistêmicas graves:
septicemias, bacteremias, infecção das vias biliares,

Voltar para o índice É proibida a reprodução parcial ou total deste documento. Página 24 de 106
Título: Manual Farmacoterapêutico MANUAL Código: MN.DIR.002

pélvicas e otorrinolaringológicas. na, propanolol, bloqueadores de canais de cálcio,


ATENÇÃO: lidocaína, procainamida, quinidina, furosemida, tia-
zídicos, manitol, acetozolamida, sais de magnésio,
Exclusivamente para uso tópico, o colírio não deve
agentes bloqueadores ganglionares com trimetafa-
ser injetado no olho.
no e o hexametônio. A administração concomitante
Nome comercial: BIAMOTIL POM. E SOL. OFT. de suxametônio pode prolongar os efeitos bloque-
adores neuromusculares não-despolarizantes, o que
torna difícil à reversão do efeito por administração
CiSATRACÚRIO – 2mg/ml 5mg/ml 10ml
de anticolinesterásicos. A administração crônica
amp.
prévia de fenitoína ou carbazepina pode diminuir a
Posologia e administração: magnitude ou a duração do efeito do cidtracúrio.
Bolo intravenoso. Nome comercial: NIMBIUM
ADULTOS:
Dose usual: 0,15mg/kg. Manutenção: 0,03mg/kg; CLARITROMICINA – 500 comp.; 250g/5ml
esta dose proporciona aproximadamente 20 minu- susp. 60ml
tos de bloqueio neuromuscular adicional, durante
Posologia e administração:
a anestesia com apiódie ou propofol. CRIANÇAS:
0,1mg/kg, administração durante 5 a 10 segundos. Dose: 250-500mg 12/12h 15mg/kg/dia 12/12h.
Manutenção; 0,02mg/kg; esta dose proporciona INDICAÇÃO:
aproximadamente 9 minutos de bloqueio neuro-
Infecções produzidas por microrganismos susce-
muscular adicional, durante a anestesia com halota-
tíveis em infecções do trato respiratório superior
no. Infusão intravenosa.
(p.ex. faringite estreptocócica), infecções do trato
CRIANÇAS: respiratório inferior (p.ex. bronquite, pneumonia),
Dose usual: 3µg/kg por minuto, ou 0,18mg/kg por otite média aguda, infecções da pele e tecidos mo-
hora. Manutenção: 1-2µg/kg por minuto, ou 0,06- les (p.ex. impetigo, foliculite, celulite, abscessos),
0,12mg/kg por hora. infecções produzidas por Mycobacterium avium,
M. intracellulare, M. Chelonae, M. fortuitum ou M.
INDICAÇÃO:
kansasii.
Bloqueador neuromuscular não-despolarizante de du-
ATENÇÃO:
ração intermediária para administração intravenosa.
É indicado para ser utilizado durante procedimentos Melhor absorção oral e menor efeito colateral – dos
cirúrgicos e outros procedimentos , e na terapia inten- macrolídeos de 1ª geração. Pode incrementar o ní-
siva. É utilizado como adjuvante da anestesia ou na vel sérico de carbamazepina e teofilina. Pode causar
sedação na unidade de terapia intensiva, para relaxar arritmia cardíaca quando usado concomitantamen-
os músculos esqueléticos e facilitar a intubação endo- te com cisaprida.
traqueal e a ventilação mecânica. Nome comercial: KLARICID
ATENÇÃO:
Os seguintes fármacos aumentam a magnitude ou CLINDAMICINA – 300mg/2ml e
a duração do bloqueio neuromuscular: enflurano, 600mg/4ml amp.
isoflurano, halotano, quetamina, aminoglicosídeos,
Posologia e administração:
espectinomicina, tetraciclina, licomicina, clindamici-
ADULTOS:
Voltar para o índice É proibida a reprodução parcial ou total deste documento. Página 25 de 106
Título: Manual Farmacoterapêutico MANUAL Código: MN.DIR.002

Dose: 600-900mg/dose EV – 6/6 a 8/8h. ADULTOS:


CRIANÇAS: Dose usual; 10-250mg/dia, VO.
Dose: 25-40mg/kg/dia, IV, de 6/6 a 8/8h a 2,6g/dia. INDICAÇÃO:
NEONATOS: Estados depressivos de etiologia diversa: depressão
Dose: < 1 mês: 15-20mg/kg/dia. associada com esquizofrenia e distúrbios de perso-
nalidade, síndromes depressivas senis ou pré-senis,
>1 mês: 20-40mg/kg/dia.
distimias depressivas de natureza reativa, neurótica
ou psicopática, síndromes obsessivo-compulsivas,
INDICAÇÃO: fobias e ataques de pânico, estados dolorosos crô-
nicos, enurese noturna (a partir dos 5 anos e prévia
Tratamento de infecções ósseas por estafilococos;
exclusão de causas orgânicas).
infecções geniturinárias, gastrintestinais e pneumo-
nias por anaeróbios; septicemias por anaeróbios, ATENÇÃO:
estafilococos e estreptococos; infecções da pele e Retenção urinária no homem. Não usar em associa-
tecidos moles por germes suscetíveis. ção com IMAQ arritmia cardíaca e epilepsia.
ATENÇÃO: Nome comercial: ANAFRANIL
Baixo potencial alérgeno. Muito ativo contra anae-
róbios. Não atravessa a barreira hemato-encefálica.
CLONAZEPAN – 0,5mg; 2mg.; 2,5mg/ml
Nome comercial: DALACIN C 20ml fr. gts.
Posologia e administração:
CLINDAMICINA – 300mg comp. ADULTOS e CRIANÇAS (>12 anos):
Posologia e administração: Dose usual: 1-4mg/dia, VO.
Dose usual: 300-450mg, 3-4 vezes ao dia. Dose máxima: 20mg/dia.
INDICAÇÃO: INDICAÇÃO:
Tratamento de infecções ósseas por estafilococos; Tratamento de crises mioclônicas. Ausências do
infecções geniturinárias, gastrintestinais e pneumo- tipo epilépticas refratárias a succinimidas ou ácido
nias por anaeróbios; septicemias por anaeróbios, valpróico. Crises convulsivas tônico-clônicas (geral-
estafilococos e estreptococos; infecções da pele e mente associadas com outro anticonvulsivo). Trata-
tecidos moles por germes suscetíveis. mento do pânico.
ATENÇÃO: ATENÇÃO:
Considerado o maior indutor de colite pseudomem- Hipersecreção brônquica.
branosa e magacólon tóxico, pode ocorrer trombo-
Retirar lentamente.
citopenia, diarréia e erupções cutêneas. Baixo po-
tencial alergêno. Bastante ativa contra anaeróbios. Nível sérico terapêutico: 20-90mg/ml
Nome comercial: DALACIN Nome comercial: RIVOTRIL

CLOMIPRAMINA – 25mg drag. CLONIDINA – 100mcg comp.

Posologia e administração: Posologia e administração:

Voltar para o índice É proibida a reprodução parcial ou total deste documento. Página 26 de 106
Título: Manual Farmacoterapêutico MANUAL Código: MN.DIR.002

Dose usual: 75-200mcg, VO, 2x dia. cos (infarto agudo do miocárdio, acidente vascular
INDICAÇÃO: cerebral isquêmico e morte por causas vasculares)
em pacientes com história recente de AVC isquê-
Tratamento da hipertensão. Tratamento da síndro-
mico ou de IAM, ou com doença arterial periférica
me de abstinência de opiáceos (narcóticos).
estabelecida.
ATENÇÃO:
ATENÇÃO:
Pode levar a hipotensão postural e sintomas de im-
Cautela em pacientes com risco de sangramento
potência sexual.
por trauma, cirurgia ou outras condições tais como
Nome comercial: ATENSINA uso de substâncias que possam provocar lesões gas-
trintestinais e, em administração concomitante com
ácido acetil salicílico, antiinflamatórios não-hormo-
Clonidina – 150mcg/ml 1ml amp.
nais, heparina ou varfarina.
Posologia e administração:
Nome comercial: PLAVIX / ISCOVER
Pré-anestesia
Dose usual: 300mcg IM profunda ou IV lenta (7-10
CLORETO DE POTÁSSIO 10% - 10ml
min.), ou diluída.
amp.
INDICAÇÃO:
Posologia e administração:
Analgésico potente de curta duração (4 a 6 horas) por
Via IV, de acordo com a orientação médica. Diluir
mediação espinhal ou supra-espinhal. Adjuvante em
antes de usar.
analgesia por mediação espinhal ou supra-espinhal:
potencializa a ação de anestésicos tais como: lidocaína INDICAÇÃO:
e bupivacaína, favorecendo diminuição de dosagem e Repositor do eletrólito potássio no organismo.
prolongamento da ação. Associada à bupivacaína iso-
ATENÇÃO:
bárica, diminui a incidência de Tourniquet Pain. Adju-
vante em analgesia pós-operatória: redução de morfi- Usar com precaução em pacientes cárdicos, princi-
na e opióides lipofílicos com conseqüente diminuição palmente digitalizados.
de seus efeitos colaterais. Também reduz a pressão Nome comercial: CLORETO DE POTÁSSIO 10%
intra-ocular em cirurgia oftálmica. AMP.
ATENÇÃO:
Eventos adversos é dose – dependentes. A hipotensão CLORETO DE POTÁSSIO – 600mg drag.
é a reação que requer tratamento mais freqüente. Posologia e administração:
Nome comercial: CLONIDIN INJ. A critério médico.
INDICAÇÃO:
CLOPIDOGREL – 75mg comp. Repositor do eletrólito potássio no organismo.
Posologia e administração: ATENÇÃO:
Dose única: 1 compr. 1x ao dia. Contra - indicado na insuficiência renal grave; epi-
INDICAÇÃO: gastralgia.
Indicado para a redução de eventos aterotrombóti- Nome comercia: SLOW K

Voltar para o índice É proibida a reprodução parcial ou total deste documento. Página 27 de 106
Título: Manual Farmacoterapêutico MANUAL Código: MN.DIR.002

CLORETO DE SÓDIO 0,9% (10ml ; 125ml; INDICAÇÃO:


250ml; 500ml; 1000ml e 2000ml) E 20% Tratamento dos distúrbios psicóticos; é eficaz na
(10ml) esquizofrenia e na fase maníaca da doença maní-
Posologia e administração: aco-depressiva. Tratamento do controle de náuseas
e vômitos graves em pacientes selecionados. Tera-
A critério médico.
pêutica alternativa para fármacos de primeira linha
INDICAÇÃO: no tratamento de curto prazo (não mais de 12 se-
Indicado na reposição de eletrólitos dos líquidos ex- manas) da ansiedade não psicótica. Tratamento de
tracelulares, nas hiponatremias e hipocloremias; na problemas graves de comportamento em crianças
perda grave de sal quando a restauração rápida de (hiperexcitabilidade). Tratamento coadjuvante de té-
eletrólitos é de máxima importância; substituição tano e na porfiria aguda intermitente.
do plasma em caso de desidratação, queimaduras ATENÇÃO:
e diarréiras; nos casos de choque, traumatismo pós-
Hipotensão, boca seca, sonolência.
operatório, natriurese. No caso de cloreto de sódio
a 0,9%, a solução é utilizada para manter o volume Nome comercial: AMPLICTIL
de fluido extracelular eficaz e a circulação estável
em processos cirúrgicos e como veículo de drogas a
CLORTALIDONA – 25mg comp.
serem administradas por via parenteral.
Posologia e administração:
ATENÇÃO:
ADULTOS:
É contra-indicada em casos de hipernatremia, hiper-
cloremia, hipertensão, retenção de fluido e anemia. Dose usual: 12,5-50mg, VO, 1x dia.
Deve ser usada com extrema cautela na insuficiên- CRIANÇAS:
cia cardíaca congestiva leve, devendo ser evitada Dose usual: 1-2mg/kg/dia, VO, 1x dia.
nos casos mais sérios, assim como na insuficiência
INDICAÇÃO:
renal grave e em condições edematosas com reten-
ção de sódio. Edema associado com insuficiência cardíaca conges-
tiva, cirrose hepática com ascite, terapêutica com
Nome comercial: SORO FISIOLÓGICO
corticosteróides ou estrogênios e algumas formas de
disfunção renal (síndrome nefrótica, glomerulonefrite
CLORPROMAZINA – 25mg e 100mg aguda e insuficiência renal crônica). Hipertensão.
comp.; 25mg/5ml amp.; 4% gts. 20ml fr. ATENÇÃO:
Posologia e administração: Monitorizar rotineiramente o potássio. Não possui
ADULTOS: ação efetiva em pacientes com clearence de creati-
nina < 50ml/min.
Dose usual: varia de 25- 16000mg/dia.
Nome comercial: HIGROTON
Para os idosos devem-se prescrever doses menores:
1/2 a 1/4 da dose adultos, VO.
CRIANÇAS: CLOXAZOLAN – 1mg; 2mg comp.
Dose usual: 1mg/kg/dia, 2 ou 3x dia. Posologia e administração:

O máximo por dia são 40mg em crianças < 5 anos e Dose:


75mg para > de 5 anos IM.
Voltar para o índice É proibida a reprodução parcial ou total deste documento. Página 28 de 106
Título: Manual Farmacoterapêutico MANUAL Código: MN.DIR.002

- Distúrbios leves: 1-3mg/dia. luxações, contusões, distensões, fraturas), pós-ope-


- Distúrbios moderados a severos: 2-6mg/dia. ratório, pós-extração dentária, neuralgia, lombalgia,
dores de origem articular e condições similares.
- Dose de manutenção: ajustadas progressivamente.
ATENÇÃO:
Pré-anestesia:
Deve ser administrado com cautela em pacientes
0,1mg/kg de peso 1-2h antes da cirurgia.
idosos ou debilitados,e em pacientes portadores de
INDICAÇÃO: insuficiência hepática ou renal, doença de Addison
Distúrbios emocionais, especialmente ansiedade, ou hipertrofia prostática.
medo, fobias, tensão, inquietude, astenia e sinto- Nome comercial: TYLEX
mas depressivos;
Distúrbios comportamentais, especialmente má
COLCHICINA – 0,5mg comp.
adaptação social;
Posologia e administração:
Distúrbios do sono, tais como dificuldade em dormir
ou sono interrompido e despertar precoce; Dose usual: 0,5-1,5mg, VO, 1-,3x dia.

Sintomas somáticos, funcionais de origem psicogêni- INDICAÇÃO:


ca, sentimentos de opressão e certos tipos de dores. Tratamento e prevenção do ataque agudo de gota.
ATENÇÃO: ATENÇÃO:
Não é recomendado durante a lactação. Doses superiores a 1,5mg/dia causam diarréia com
Nome comercial: OLCADIL freqüência.
Nome comercial: COLCHICINA

CODEINA + PARACETAMOL – 30mg +


500mg; 7,5mg + 500mg comp. DELTAMETRINA – 20mg 100ml loção fr.
Posologia e administração: Posologia e administração:
ADULTOS: Dose usual: aplicar na área atingida por 4 dias con-
Dose usual: 7,5-30mg, VO, 6x dia. secutivos.

Dose máxima: 60mg, VO, de 6/6h. INDICAÇÃO:

CRIANÇAS: No tratamento e profilaxia da pediculose (piolhos e


lêndeas), da escabiose (sarna) e das infestações por
Dose usual: 0,5-1mg de codeína/kg/dose, VO, a
carrapatos em geral.
cada 4-6h.
ATENÇÃO:
Dose máxima: 60mg/dose, VO.
No caso de infecção ou irritação da pele, interrom-
INDICAÇÃO:
per o tratamento.
7,5 mg: alívio de dores de intensidade leve, como
Nome comercial: DELTACID
as que acompanham os estados gripais e pequenos
ferimentos ou contusões.
30 mg: alívio de dores de grau moderado a intenso, DESLANOSÍDEO – 0,2mg/ml 2ml amp.
como nas decorrentes de traumatismos (entorses, Posologia e administração:

Voltar para o índice É proibida a reprodução parcial ou total deste documento. Página 29 de 106
Título: Manual Farmacoterapêutico MANUAL Código: MN.DIR.002

ADULTOS: DESMOPRESSINA – 0,1mg/ml 2,5mg sol.


Dose usual: 0,2mg, IV, em intervalos de 12h. nasal fr.
CRIANÇAS: Posologia e administração:

Dose de ataque: 10-20mcg/kg, IV, 3x dia. Dose individualizada com dose média diária de 20-
40mcg, 2-3/dia.
Dose de manutenção: 1/3 da dose de ataque por via
IV, 2x dia. CRIANÇAS (> 12 anos):

INDICAÇÃO: Dose usual: 10-20mcg/dia

Insuficiência cardíaca congestiva aguda e crônica de INDICAÇÃO:


todos os tipos Taquicardia paroxística supraventricular. Diabetis insipidus central, teste de função renal,
ATENÇÃO: diabetes insipidus sensível à vasopressina, poliúria/
polidipsia pós-hipofisectomia, enurese noturna pri-
NEONATOS
mária.
Cautela em pacientes com bloqueio AV, estenose
ATENÇÃO:
suba ótica, arritmias ventriculares, pericardite cons-
tritiva e déficit de função renal. Atenção especial deve ser depositada no risco de
retenção de água. A ingestão de líquidos deve ser
Na associação com diuréticos e anfotericina B,
restrita a menor quantidade possível.
controlar os níveis séricos de potássio, cálcio e
magnésio. Nome comercial: DDAVP SOL. NASAL

Nome comercial: DESLANOL


DEXAMETASONA – 0,1% 10g creme
DESMOPRESSINA – 4mcg/1ml amp. Posologia e administração:

Posologia e administração: Dose usual: 2-0x dia.

ADULTO: INDICAÇÃO:

Dose usual: 2-4mcg/dia em 2 doses. É indicada no tratamento de várias patologias devi-


do a seus efeitos antiinflamatórios e imunossupres-
CRIANÇAS (< 1 ANO):
sores; proporciona um alívio sintomático, porém
Dose usual: 0,2-0,4mcg (0,05 - 0,1ml), 1-2x dia. não tem efeito sobre o desenvolvimento da doença
CRIANÇAS: subjacente. Terapêutica substitutiva no tratamento
de insuficiência supra-renal. Diagnóstico da síndro-
Dose usual: 0,4-1mcg (0,1-0,25ml), 1-2x dia.
me de Cushing. Isquemia cerebral. Prevenção da
INDICAÇÃO: Síndrome de membrana hialina (aceleração da ma-
Diabetes insipidus central. Teste de capacidade da turação pulmonar fetal). Tratamento da síndrome
concentração urinária. Hemofilia A e doença de von de angústia respiratória em adultos por insuficiência
Willebrand tipo I. Diminuição ou normalização do pulmonar pós-traumática. Tratamento do choque
tempo de sangramento antes de uma terapêutica por insuficiência adrenocortical e como coadjuvante
invasiva ou operação diagnóstica. no tratamento do choque associado com reações
anafiláticas. É selecionável quando se requer um
Nome comercial: DDAVP
corticóide de ação prolongada.
ATENÇÃO:

Voltar para o índice É proibida a reprodução parcial ou total deste documento. Página 30 de 106
Título: Manual Farmacoterapêutico MANUAL Código: MN.DIR.002

Supressão adrenal pode também ocorrer com o DEXAMETASONA – 4mg comp.


uso de corticosteróides tópicos, principalmente em
Posologia e administração:
crianças e recém nascidos.
Dose inicial: 0,5-1mg, VO, 2-4x dia.
Nome comercial: DEXADERMIL
Dose de manutenção: diminuir gradualmente até a
menor doe capaz de promover o efeito desejado.
DEXAMETASONA + NEOMICINA + POLI-
Hiperplasia supra-renal congênita:
MIXINA B – sol. oft. 5ml fr.
Dose usual: 0,5-1,5mg, VO, 1x dia.
Posologia e administração:
INDICAÇÃO:
Dose usual: instilar 1 ou 2 gts. Nos olhos 4-6x dia ou
de 1/1h se necessário, diminuindo gradativamente É indicada no tratamento de várias patologias devi-
com a melhora do quadro. do a seus efeitos antiinflamatórios e imunossupres-
sores; proporciona um alívio sintomático, porém
INDICAÇÃO:
não tem efeito sobre o desenvolvimento da doença
Nas condições inflamatórias oculares que respon- subjacente. Terapêutica substitutiva no tratamento
dam aos esteróides e onde exista infecção bacteria- de insuficiência supra-renal. Diagnóstico da síndro-
na ocular ou risco de infecção. me de Cushing. Isquemia cerebral. Prevenção da
Os esteróides oculares são indicados nas condições Síndrome de membrana hialina (aceleração da ma-
inflamatórias das pálpebras e conjuntiva bulbar, cór- turação pulmonar fetal). Tratamento da síndrome
nea e segmento anterior do globo, onde se acei- de angústia respiratória em adultos por insuficiência
ta o risco inerente ao uso de esteróides em certas pulmonar pós-traumática. Tratamento do choque
conjuntivites infectadas para se obter diminuição do por insuficiência adrenocortical e como coadjuvante
edema e inflamação. no tratamento do choque associado com reações
anafiláticas. É selecionável quando se requer um
É também indicado na uveíte anterior crônica e
corticóide de ação prolongada.
traumas corneanos causados por queimaduras quí-
micas, por radiação ou térmicas, e também em ca- ATENÇÃO:
sos de corpo estranho. O uso acima das doses fisiológicas por 7 dias pode
O uso da combinação com antiinfeccioso é indica- provocar insuficiência supra-renal. Doses elevadas
do onde o risco de infecção é grande ou quando estão associadas com alterações do SNC (tremores,
se suspeita que um número de bactérias potencial- depressão, euforia, psicose).
mente perigoso estará presente no olho. Hiperglicemia, hipertensão, hipocalemia, leuco-
É ativo contra Staphylococcus aureus, Escherichia citose, hipocalcemia, fratura, catarata, síndrome
coli, Haemophilus influenzae, Klebsiella / Enterobac- cushing, cardiomiopatia hipertrófica transitória.
ter sp, Neisseria sp e Pseudomonas aeruginosa. Afasta processo infeccioso e PCA.
Este produto não dá cobertura adequada contra Monitorizar PA, glicemia, parâmetros de crescimento.
Serratia marcescens e Streptococci, inclusive Strep-
Nome comercial: DECADRON
tococcus pneumoniae.
ATENÇÃO:
DEXAMETASONA – 2mg/ml 1ml amp.;
Não deve ser injetado.
4mg/2,5ml e 8mg/ml 2ml fr-amp.
Nome comercial: MAXITROL SOL. OFT.
Posologia e administração:

Voltar para o índice É proibida a reprodução parcial ou total deste documento. Página 31 de 106
Título: Manual Farmacoterapêutico MANUAL Código: MN.DIR.002

ADULTOS: CRIANÇAS (de 6 a 12 anos):


Dose usual: 0,5-20mg/dia, IM ou IV, 1-4x dia. Dose usual: 1mg ou 2,5ml 3x dia.
CRIANÇAS: CRIANÇAS (de 2 a 6 anos):
Dose usual: 0,08 a 0,3mg/kg/dia, IV, fracionados em Dose usual: 1/4 do comp. ou 1,25ml 3x dia.
2 a 4 administrações. INDICAÇÃO:
NEONATOS: Rinite alérgica constante ou estacionária, rinite va-
Entubação: somotora, conjuntivite alérgica. Prurido associado
Dose usual: 0,1-0,25mg/kg/dose, a cada 6h, SN com reações alérgicas. Espirros e rinorréia associados
para edema VAS.iniciar 24h antes da extubação e com o resfriado comum. Urticária (por transfusão).
continuar com 3 a 4 doses pós-extubação. Coadjuvante no tratamento das reações anafiláticas
e anafilactóides.
Displasia bronco-pulmonar:
ATENÇÃO:
Dose usual: 0,3mg;kg/dia fracionados a cada 12h,
por 3 dias 0,2mg/kg/dia fracionados a cada 12h, Causa sonolência, tem efeito aditivo com o álcool.
por 3 dias, diminuir a dose, a cada 72h, até alcançar Podem causar hipotensão em pacientes com mais
0,1mg/kg/dia. de 60 anos.
Então administrar em dias alternados por 1 semana Na superdosagem, o paciente deve ser induzido ao
e descontinuar. Todas as doses são administradas, vômito.
IV, a cada 12h. Nome comercial: POLARAMINE
ATENÇÃO:
O uso acima das doses fisiológicas por 7 dias pode DEXMEDETOMIDINA – 100mcg/ml 2ml
provocar insuficiência supra-renal. Doses elevadas fr-amp.
estão associadas com alterações do SNC (tremores,
Posologia e administração:
depressão, euforia, psicose).
Uso na sedação de paciente entubado e ventilado
Hiperglicemia, hipertensão, hipocalemia, leuco-
mecanicamente na UTI. A duração de infusão não
citose, hipocalcemia, fratura, catarata, síndrome
deve exceder 24h e só pode ser feita na terapia in-
cushing, cardiomiopatia hipertrófica transitória.
tensiva.
Afasta processo infeccioso e PCA.
Dose: infusão 1mcg/kg em 10 minutos, com infusão
Monitorizar PA, glicemia, parâmetros de crescimento. 0,2-0,7mcg/kg/h de manutenção.
Nome comercial: DECADRON / DECADRONAL Risco de hipotensão na hipovolemia (não deve ser
usado no centra cirúrgica). Não usar em bolus. Pode
DEXCLORFENIRAMINA – 2mg comp.; ser necessário ajustar dose em insuficiência renal
2mg/5ml xpe. 120ml fr. hepática.

Posologia e administração: INDICAÇÃO:

ADULTOS e CRIANÇAS (> 12 anos): A dexmedetomidina está indicada para a sedação


de pacientes inicialmente entubados e com venti-
Dose usual: 2mg ou 5ml 3-4x dia. Não ultrapassar
lação mecânica assistida durante o tratamento em
12mg/dia.
unidades de terapia intensiva. Deve ser administra-

Voltar para o índice É proibida a reprodução parcial ou total deste documento. Página 32 de 106
Título: Manual Farmacoterapêutico MANUAL Código: MN.DIR.002

da por infusão contínua por período não superior a ATENÇÃO:


24 horas. Contra-indicado em paciente com miastenia graves.
Nome comercial: PRECEDEX Cuidado especial quando administrado por via in-
travenosa: pode levar a parada respiratória.
DIAZEPAN – 5mg; 10mg comp. Nome comercial: VALIUM
Posologia e administração:
ADULTOS: DICLOFENACO POTÁSSICO – 50mg comp.
Dose usual: 15-30mg/dia, VO. Posologia e administração:
CRIANÇAS: ADULTOS:
Dose usual: 1mg/kg/dia, VO, fracionados em 2 a 3 Dose inicial: 50mg VO, VR, de 8/8h.
administrações. Dose de manutenção: 50mg VO, VR, de 12/12h.
INDICAÇÃO: CRIANÇAS:
Comprimidos: ansiedade, distúrbios psicossomáti- Dose usual: 2-3mg/kg/dia, VO, 2x dia.
cos, torcicolos, espasmos musculares. Ampolas: se-
INDICAÇÃO:
dação prévia a intervenções (endoscopias, biopsias,
fraturas); estados de agitação motora, delirium tre- Em tratamentos curtos, para as seguintes afecções
mens, convulsões. agudas: processos inflamatórios pós-traumáticos,
reumatismo extra-articular, infecções dolorosas e
ATENÇÃO:
inflamatórias de garganta, nariz e ouvido (p.ex.: fa-
Contra - indicado em pacientes com miastenia gravis. ringoamigdalite). Processos dolorosos ou inflamató-
Nome comercial: VALIUM rios em ginecologia, anexite, dismenorréia primária.
Estados dolorosos pós-operatórios.

DIAZEPAN – 10mg/2ml amp. ATENÇÃO:

Posologia e administração: Em pacientes com risco aumentado de sangramen-


to do trato gastrintestinal é recomendável o uso
ADULTOS:
concomitante de medicação inibidora de bomba de
Dose usual: 2-20mg, IV. prótons. Aumenta o risco de insuficiência renal.
CRIANÇAS: Nome comercial: CATAFLAN
Dose usual: 0,2-0,5mg/kg, IV.
Dose usual: 10mg/dose, IV. DICLOFENACO POTÁSSICO – 15mg/ml
Não exceder a dose de 1-2mg/kg/min., IV. 20ml gts.

INDICAÇÃO: Posologia e administração:

Comprimidos: ansiedade, distúrbios psicossomáti- CRIANÇAS (>1ANO):


cos, torcicolos, espasmos musculares. Ampolas: se- Dose usual: 2-3mg/kg/dia, VO, 2-4x dia.
dação prévia a intervenções (endoscopias, biopsias,
INDICAÇÃO:
fraturas); estados de agitação motora, delirium tre-
mens, convulsões. Em tratamentos curtos, para as seguintes afecções
agudas: processos inflamatórios pós-traumáticos,

Voltar para o índice É proibida a reprodução parcial ou total deste documento. Página 33 de 106
Título: Manual Farmacoterapêutico MANUAL Código: MN.DIR.002

reumatismo extra-articular, infecções dolorosas e mo cardíaco com fibrilação atrial, flutter atrial e ta-
inflamatórias de garganta, nariz e ouvido (p.ex.: fa- quicardia artrial paroxística.
ringoamigdalite). Processos dolorosos ou inflamató- ATENÇÃO:
rios em ginecologia, anexite, dismenorréia primária.
ADULTOS:
Estados dolorosos pós-operatórios.
Cuidado com medicamentos que causam hipocale-
ATENÇÃO:
mia. Eritromicina aumenta a absorção da digoxina.
Sangramento digestivo, perfuração de víscera oca e Amiodarona diminui o clearence de creatinina.
agranulocitose.
CRIANÇAS:
Nome comercial: CATAFLAN GTS
Intolerância alimentar, vômitos, diarréia, prostração
em caso de intoxicação da Digoxina.
DICLOFENACO SÓDICO – 75mg/3ml amp. Nome comercial: LANOXIM
50mg susp.
Posologia e administração:
DILTIAZEN – 30mg; 60mg comp.
Dose usual: 75mg, IM, 1x ao dia.
Posologia e administração:
Dose máxima: 150mg/dia, IM, 2x dia.
ADULTOS:
CRIANÇAS:
Dose usual: 30-60mg, VO, 2-4x dia.
Dose usual: 2-0mg/kg/dia 2x dia.
INDICAÇÃO:
INDICAÇÃO:
Angina de peito de diferentes tipos (silente, por es-
Em tratamentos curtos, para as seguintes afecções forço, por espasmo coronário, de início recente).
agudas: processos inflamatórios pós-traumáticos, Insuficiência coronariana. Cardiopatia isquêmica.
reumatismo extra-articular, infecções dolorosas e Hipertensão arterial.
inflamatórias de garganta, nariz e ouvido (p.ex.: fa-
ringoamigdalite). Processos dolorosos ou inflamató-
rios em ginecologia, anexite, dismenorréia primária. ATENÇÃO:
Estados dolorosos pós-operatórios. Bloqueios atrioventriculares.
ATENÇÃO: Ação diminuída por barbitúricos, rifamplicina e vit. D.
Vide diclofenaco sódico 50mg comp. e sup. Usar com cautela em pacientes com ICC e bradicár-
Nome comercial: VOLTAREN dicos.
Nome comercial: CARDIZEM

DIGOXINA – 0,25mg comp.; sol. oral


0,05mg/ml 60ml fr. DILTIAZEN – 25mg/5ml fr - amp.
Posologia e administração: Posologia e administração:
ADULTOS: Dose inicial: 0,25mg/kg, IV em 2 min., seguido de 2ª
Doe usual: 0,25mg/dia, VO. dose 0,35mg/kg após 15’ 1º bolus.

INDICAÇÃO: Doe de manutenção: infusão 5-15mg/hora.

Insuficiência cardíaca congestiva, alterações do rit- INDICAÇÃO:

Voltar para o índice É proibida a reprodução parcial ou total deste documento. Página 34 de 106
Título: Manual Farmacoterapêutico MANUAL Código: MN.DIR.002

Angina de peito de diferentes tipos (silente, por es- CRIANÇAS:


forço, por espasmo coronário, de início recente). Dose usual: 1,25mg/kg, IM, até 4x dia.
Insuficiência coronariana. Cardiopatia isquêmica.
INDICAÇÃO:
Hipertensão arterial.
Nas náuseas e vômitos em geral, inclusive da gravi-
ATENÇÃO:
dez. Na profilaxia e tratamento das cinetoses e suas
Podem ocorrer reações no local de aplicação da in- manifestações (enjôos causados por viagens marí-
jeção: prurido, ardor, vermelhidão. timas, terrestres e aéreas). Na profilaxia e no trata-
Nome comercial: BALCOR EV. mento dos distúrbios vestibulares. Nos distúrbios ob-
servados pós-tratamentos radioterápicos intensivos.
Na profilaxia e tratamento das náuseas e vômitos
DIMENIDRINATO + PIRIDOXINA – 50mg pré e pós-operatórios. No tratamento das labirinti-
+ 10mg comp. tes e dos estados vertiginosos de origem central.
Posologia e administração:
ATENÇÃO:
ADULTOS:
Pode ocorrer tontura, secura da boca, retenção uri-
Dose usual: 1 comp., VO, até 4x dia. nária, nervosismo.
Tratamento e prevenção da náusea e vômito pós- Nome comercial: DRAMIN B6 INJ.
operatório.
Dose usual: 2 comp. VO.
DIMENIDRINATO + GLICOSE + FRUTOSE
INDICAÇÃO: – 10ml amp.
Nas náuseas e vômitos em geral, inclusive da gravi- Posologia e administração:
dez. Na profilaxia e tratamento das cinetoses e suas
ADULTOS:
manifestações (enjôos causados por viagens marí-
timas, terrestres e aéreas). Na profilaxia e no trata- Dose usual: 10ml IV, a cada 8h.
mento dos distúrbios vestibulares. Nos distúrbios ob- CRIANÇAS:
servados pós-tratamentos radioterápicos intensivos. Dose usual: 1mg/kg, IV, lento a cada 6h.
Na profilaxia e tratamento das náuseas e vômitos
Dose máxima: 30mg
pré e pós-operatórios. No tratamento das labirinti-
tes e dos estados vertiginosos de origem central. INDICAÇÃO:

ATENÇÃO: Nas náuseas e vômitos em geral, inclusive da gravi-


dez. Nas náuseas e vômitos associados à fraqueza
Sedação, sonolência e até mesmo sono.
geral. (como por exemplo, pós-tratamentos radio-
Nome comercial: DRAMIM B6 COMP. terápicos). No tratamento e prevenção dos vômitos
e náuseas no pré e pós-operatórios. No tratamento
DIMENIDRINATO + PIRIDOXINA – (50mg das labirintites e dos estados vertiginosos de origem
+ 50mg) 1ml amp. IM central.

Posologia e administração: ATENÇÃO:

ADULTOS: Hiopotensão, palpitação, taquicardia.

Dose usual: 1ml, IM, até 6x ao dia ou 0,5ml (diluídos Nome comercial: DRAMIN B6 DL INJ.
em 20ml de SF ou SG 5%) IV., lentamente, 4x dia.

Voltar para o índice É proibida a reprodução parcial ou total deste documento. Página 35 de 106
Título: Manual Farmacoterapêutico MANUAL Código: MN.DIR.002

DIMETICONA – 40mg comp. CRIANÇAS (8 a 11 anos):

Posologia e administração: Dose usual: 300-600mg, VR, 1-4x dia.

Dose usual: 3 comp. 3x dia. CRIANÇAS (3 a 7 anos):

INDICAÇÃO: Dose usual: 300mg, FR, 1-4x dia.

Via oral: dispepsias. Fermentação intestinal. Aero- INDICAÇÃO:


fagia. Aerocolia. Flatulência gastrintestinal. Como Algias por afecções reumáticas, cefaléias ou odon-
complemento, em estudos radiológicos ou ecográ- talgias. Dores ulteriores a intervenções cirúrgicas,
ficos. espasmos do aparelho gastrintestinal, condutos bi-
ATENÇÃO: liares, rins e vias urinárias. Febre, no caso de outra
medicação antifebril não ser eficaz.
A dimeticona é fisiologicamente inerte. Após admi-
nistração VO, é eliminado de forma inalterada pelas ATENÇÃO:
fezes. Não administrar em crianças que estejam usando
Nome comercial: LUFTAL clorpromazina, pelo risco de hipotermia grave.
Nome comercial: NOVALGINA INF. SUP.

DIMETICONA – 75mg/ml 10ml fr. gts.


Posologia e administração: DIPIRONA – 500mg comp.
Dose usual: 40mg (16gts.), VO, 3x dia. Posologia e administração:

CRIANÇAS: ADULTOS e CRIANÇAS (>12 anos):

Dose usual: 15-30mg (6-12gts.), VO, 3x dia. Dose usual: 500-750mg, VO, 1-4x dia.

LACTENTES: CRIANÇAS de (8 a 11 anos):

Dose usual: 10-15mg (4-6gts.), VO, 3x dia. Dose usual: 250-500mg, VO, 1-4x dia.

INDICAÇÃO: CRIANÇAS de (5 a 7 anos):

Via oral: dispepsias. Fermentação intestinal. Aerofagia. Dose usual: 20-25mg/kg/dose, VO, 6/6h.
Aerocolia. Flatulência gastrintestinal. Como comple- INDICAÇÃO:
mento, em estudos radiológicos ou ecográficos.
Algias por afecções reumáticas, cefaléias ou odon-
ATENÇÃO: talgias. Dores ulteriores a intervenções cirúrgicas,
A dimeticona é fisiologicamente inerte. Após admi- espasmos do aparelho gastrintestinal, condutos bi-
nistração VO, é eliminado de forma inalterada pelas liares, rins e vias urinárias. Febre, no caso de outra
fezes. medicação antifebril não ser eficaz.

Nome comercial: LUFTAL GTS. ATENÇÃO:


Reações de hipersensibilidade, urticária e compro-
metimento de mucosas. Raro ocorrer choque e dis-
DIPIRONA – 300mg sup.
crasias sanguíneas. Não administrar e conjunto com
Posologia e administração: a ciclosporina.
CRIANÇAS (12 a 14 anos): Nome comercial: NOVALGINA
Dose usual: 600mg, VR, 1-4x dia.

Voltar para o índice É proibida a reprodução parcial ou total deste documento. Página 36 de 106
Título: Manual Farmacoterapêutico MANUAL Código: MN.DIR.002

DIPIRONA – 500mg/ml gts. 10ml fr. ATENÇÃO:

Posologia e administração: Vide dipirona comp.

ADULTOS: Nome comercial: NOVALGINA

Dose usual: 500-700mg (20-30 gts.), VO, 1-4x dia.


CRIANÇAS: DOBUTAMINA – 250mg/20ml amp.
Dose usual: 20-25mg/kg/dose, VO, de 6/6h, máxi- Posologia e administração:
mo de 500mg. ADULTOS, CRIANÇAS e NEONATOS:
NEONATOS: Dose usual: 2-20mcg/kg/min, IV.
Dose usual: 10mg/kg/dose, VO, de 6/6h. INDICAÇÃO:
INDICAÇÃO: A dobutamina é indicada quando se necessita de
Algias por afecções reumáticas, cefaléias ou odon- terapêutica parenteral para o suporte inotrópico
talgias. Dores ulteriores a intervenções cirúrgicas, no tratamento de curto prazo de pacientes adultos
espasmos do aparelho gastrintestinal, condutos bi- com descompensação cardíaca devida à diminuição
liares, rins e vias urinárias. Febre, no caso de outra da contratilidade resultante tanto da doença cardía-
medicação antifebril não ser eficaz. ca orgânica como de procedimentos cirúrgicos car-
díacos.
ATENÇÃO:
ATENÇÃO:
Vide dipirona comp.
Usar bomba de infusão.
Nome comercial: NOVALGINA GTS.
Pode causar taquicardia, arritmias e flutuação da
pressão arterial.
DIPIRONA – 500mg/ml 2ml amp.
O extravasamento pode causar necrose tecidual.
Posologia e administração:
Nome comercial: DOBUTREX
ADULTOS:
Dose usual: 1001000-2500mg, IM ou IV, 1-4x dia.
DOMPERIDONA – 10mg comp.
Dose máxima: 3000mg/dia IM ou IV.
Posologia e administração:
CRIANCA:
ADULTOS:
Dose usual: 20-25mg/kg/dose, VO, de 6/6h.
Síndromes dispépticas:
Dose máxima: 500mg
Dose usual; 10-20mg, VO, 3x min. Antes das re-
NEONATOS: feições.
Dose usual: 10mg/kg/dose, VO, de 6/6h. INDICAÇÃO:
INDICAÇÃO: Síndromes dispépticas associadas a retardo no esva-
Algias por afecções reumáticas, cefaléias ou odon- ziamento gástrico (gastroparesia), refluxo gastroe-
talgias. Dores ulteriores a intervenções cirúrgicas, sofágico e esofagite. Náuseas e vômitos de origem
espasmos do aparelho gastrintestinal, condutos bi- funcional, ou orgânica, causados por drogas, radiote-
liares, rins e vias urinárias. Febre, no caso de outra rapia ou alimentos. Indica-se especificamente em pa-
medicação antifebril não ser eficaz. cientes cujos vômitos e náuseas são causados pelos

Voltar para o índice É proibida a reprodução parcial ou total deste documento. Página 37 de 106
Título: Manual Farmacoterapêutico MANUAL Código: MN.DIR.002

antagonistas dopaminérgicos (bromocriptina) utiliza- INDICAÇÃO:


dos para o tratamento da doença de Parkinson. Hipotensão aguda, choque cardiogênico, insuficiên-
ATENÇÃO: cia cardíaca congestiva.
Risco pequeno de liberação extrapiramidal e galac- ATENÇÃO:
torréia. Administrar em veia central a fim de prevenir o ex-
Nome comercial: MOTILIUM travasamento, que levaria a necrose tecidual.
Nome comercial: REVIVAN
DOMPERIDONA – 1mg/ml 100ml susp. fr.
Posologia e administração: EFEDRINA – 50mg/ml 1ml amp.
Dose usual: 0,3-0,4mg/kg/doe 6/6h a 8/8h. Posologia e administração:
CRIANÇAS: ADULTOS:
Dose usual: 0,2-0,4mg/kg/dose 6/6h ou 8/8h, cerca Dose usual: 25-50mg, IV, de 3/3h ou 4/4 ou 25-
de 30min. Antes das refeições. 50mcg SC.
CRIANÇAS (> 1 ano): CRIANÇAS:
A dose pode ser dobrada se o resultado não estiver Dose usual: 3mg/kg/dia, SC, de 6/6 ou 0,2-0,3mg/
satisfatório. kg/dose, IM ou IV de 4/4 ou 6/6h.
INDICAÇÃO: INDICAÇÃO:
Síndromes dispépticas associadas a retardo no esva- Na forma parenteral é indicada para reverter os
ziamento gástrico (gastroparesia), refluxo gastroe- efeitos hipotensores da anestesia raquidiana ou de
sofágico e esofagite. Náuseas e vômitos de origem outros tipos de anestesia por condução não-tópica.
funcional, ou orgânica, causados por drogas, radiote- Hipotensão aguda. Por via oral: rinite vasomotora,
rapia ou alimentos. Indica-se especificamente em pa- sinusite aguda, febre do feno, congestão sinusal.
cientes cujos vômitos e náuseas são causados pelos Como estimulante do SNC no tratamento da narco-
antagonistas dopaminérgicos (bromocriptina) utiliza- lepsia e estado depressivos. Como coadjuvante na
dos para o tratamento da doença de Parkinson. terapêutica da urticária.
ATENÇÃO: ATENÇÃO:
Se utilizar após as refeições a absorção do medica- Antiácidos contendo cálcio ou sódio, reduzem ex-
mento será retardada. creção urinária do medicamento.
Nome comercial: MOTILIUM SUSP. Nome comercial: EFEDRINA SULFATO 5%

DOPAMINA – 50mg/10ml amp. ENALAPRIL – 5mg; 10mg comp.


Posologia e administração: Posologia e administração:
ADULTOS: ADULTOS:
Dose usual: 5-20mcg/kg/min., IV. Hipertensão:
CRIANÇAS: Dose usual: a critério médico.
Dose usual; 5-20mcg/kg/min., IV. CRIANÇAS:

Voltar para o índice É proibida a reprodução parcial ou total deste documento. Página 38 de 106
Título: Manual Farmacoterapêutico MANUAL Código: MN.DIR.002

Dose usual: 0,1mg/kg/dia, VO, aumentar lentamente INDICAÇÃO:


2x semana podendo chegar até 0,5mg/kg/dia, VO. Tratamento da trombose venosa profunda (TVP);
NEONATOS: profilaxia da TVP e recidivas associadas à ortopédi-
Dose usual: 100mcg/kg/dose, VO, a cada 24h. ca ou à cirurgia geral; profilaxia da TVP e recidivas
em pacientes acamados devido a doenças agudas,
INDICAÇÃO:
incluindo insuficiência cardíaca, insuficiência res-
Em todos os graus de hipertensão essencial e na hi- piratória, infecções graves e doenças reumáticas;
pertensão vasculorrenal. Pode ser empregado como prevenção da coagulação do circuito extracorpóreo
indicação inicial ou associado com outros agentes durante hemodiálise e infarto agudo do miocárdio
anti-hipertensivos, principalmente diuréticos. sem onda Q, administrado concomitantemente à
ATENÇÃO: aspirina.

Tosse seca como efeito colateral. ATENÇÃO:

Usar com cautela em pacientes com insuficiência Monitorizar a contagem de plaqueta.


renal. Confusão mental, febre e edema periférico.
Em CRIANÇAS e NEONATOS causa hipotensão, hi- Nome comercial: CLEXANE
percalemia, aumento de creatinina.
Nome comercial: RENITEC
EPINEFRINA – 1mg/ml 1ml amp.
Posologia e administração:
ENOXAPARINA – 20mg/0,2 40mg/0,4ml; ADULTOS:
60mg/0,6ml; 80mg/0,8ml; 100mg/1ml ser.
Parada Cardiorespiratória
Posologia e administração:
Dose usual: 1mg a cada 3-5 min. Dose acima de
PACIENTES COM RISCO TROMBOEMBÓLICO MO-
5mg ou0, 1mg/kg (classe ll B). Uso IV ou endotra-
DERADO:
queal.
Dose usual: em cirurgia geral: 40mg SC, 2h antes
Anafilaxia
da cirurgia.
Dose usual: 0,3-0,5mg, IV ou SC, repetindo a cada
PACIENTES COM ALTO RISCO TROMBOEMBÓLICO:
15min., quando necessário.
Dose usual: em cirurgia ortopédica: 40mg SC, 12h
NEONATOS:
antes da cirurgia.
Concentração 1mg/ml (1: 1000) diluir para 1:
ANGINA INSTÁVEL E AVC:
10.000.
Dose usual; 1mg/kg fracionado em 2 administra-
Dose EV bolus: 0,1-0,3ml/kg/dose (1: 10.000) a cada
ções.
5 min. se necessário.
NEONATOS:
Dose infusão EV: iniciar com 0,1mcg/kg/min. máxi-
Tratamento inicial de trombose ma: 1,5mcg/kg/min.
Dose: 1,5mg/kg/dose, SC, a cada 12h. Dose endotraqueal: 0,1 -0,3ml/kg/dose (1: 10.000)
Mais de 2 meses de vida: 1mg/kg/dose, SC, a cada diluída 1:1 com SF.
12h. INDICAÇÃO:
Pré-termo: 1mg/kg/dose, IV, a cada 8h. Asma brônquica, choque anafilático, parada cardíaca.

Voltar para o índice É proibida a reprodução parcial ou total deste documento. Página 39 de 106
Título: Manual Farmacoterapêutico MANUAL Código: MN.DIR.002

ATENÇÃO: insuficiência renal crônica em pacientes sob diálise,


Evitar o uso concomitante com bicarbonato de sódio. está indicado, também, no tratamento da anemia
associada ao câncer e terapêutica quimioterapica
Podem ocorrer arritmias cardíacas, hipertensão, he-
(mielossupressora ou nefrotoxica) e na anemia do
morragia intracraniana no recém-nascido.
portador de AIDS e submetido ao tratamento com
Nome comercial: ADRENALINA zidovudina (AZT).
ATENÇÃO:
ERITROPOETINA HUMANA RECOMBI- Hipertensão, cefaléia, náusea, dor muscular, dor ós-
NANTE –4000UI 1ml fr-amp. sea, prurido ou erupção cutânea.
Posologia e administração: Pode ocorrer neutropenia no recém-nascido pre-
ADULTOS E CRIANÇAS: maturo.

Anemia da insuficiência renal crônica: Comunicar ao médico se ocorrer taquicardia, disp-


néia, prurido.
Dose inicial: 50UI/kg, IV ou SC, 3x semana.
Nome comercial: EPREX, HEMAX
Dose máxima: 200UI/kg, IV ou SC, 3x semana. Doe
inicial pode ser aumentada em 25UI/kg, IV ou SC,
de cada vez, em intervalos de 4 semana. ESCOPOLAMINA – 10mg comp.
Dose de manutenção: 100-300UI/kg, IV ou SC, em in- Posologia e administração:
tervalos de 1 semana, dividia em 2 em 3 aplicações
ADULTOS e CRIANÇAS (>de 6 anos):
(quando a taxa de hemoglobina for de 10-12g/dl).
Dose usual: 1-2 drag. , VO, de 6/6 ou 8/8h.
Anemia do câncer e AIDS:
INDICAÇÃO:
Dose inicial: 100-200UI/kg, IV ou SC, 3x semana.
Espasmos do trato gastrintestinal, espasmos e discine-
Dose máxima: 250UI/kg, IV ou SC, após 6 a 8 se-
sias das vias biliares, espasmos do trato geniturinário.
mana de tratamento, caso não haja resposta satis-
fatória. ATENÇÃO:

Dose de manutenção: a dose deve ser diminuída gra- Pode apresentar efeitos Colinérgicos.
dualmente em torno de 25UI/kg, IV ou SC, em inter- Utilizar com cautela em crianças < de 2 anos.
valos de 4 semanas ou mais até uma dose mínima que Nome comercial: BUSCOPAN SIMPLES
mantenha o hematócrito no nível de 30 a 33%.
NEONATOS:
ESCOPOLAMINA – 10mg/ml 20ml fr.
Dose: 1200-1400UI/kg/semana.
Posologia e administração:
Dose IV: 200UI/kg/dia
ADULTOS e CRIANÇAS (>de 6 anos):
Dose SC: 400/kg, 3x semana.
Dose usual: 20 a 40 gotas, 3 a 5 vezes ao dia.
Administradas por 2 a 6 semanas.
CRIANÇAS (de 1 a 6 anos):
Se administrada IV, misturar com uma solução con-
Dose usual: 10 a 20 gotas, 3 vezes ao dia.
tendo proteína (albumina 5%, NPT), infundir em 4h.
LACTENTES:
INDICAÇÃO:
Dose usual: 10 gotas, 3 vezes ao dia.
Está indicada no tratamento da anemia devida à

Voltar para o índice É proibida a reprodução parcial ou total deste documento. Página 40 de 106
Título: Manual Farmacoterapêutico MANUAL Código: MN.DIR.002

INDICAÇÃO: ESCOPOLAMINA + DIPIRONA – 20mg +


Espasmos do trato gastrintestinal, espasmos e discine- 2500mg 5ml amp.
sias das vias biliares, espasmos do trato geniturinário. Posologia e administração:
ATENÇÃO: ADULTOS:
Vide Buscopan drag. Dose usual: 1 amp. De 5ml IV, lento. Se necessário
Nome comercial: BUSCOPAN SIMPLES GTS. repetir a dose 2-3x dia.
Pode ser usada a via IM profunda.

ESCOPOLAMINA 20mg/ml 1mg amp. INDICAÇÃO:

Posologia e administração: Cólicas dos tratos gastrintestinal, biliar ou urinário.


Dor espasmódica do aparelho genital feminino. Dis-
ADULTOS:
menorréia. Cólica hepática. Colecistite. Diverticulite.
Dose usual; 1ml, IV ou IM, 3 a 4x dia.
ATENÇÃO:
CRIANÇAS:
Em pacientes sensíveis independente da dose, a dipi-
Dose usual: 0,5mg/kg/dose, IV ou IM de 6/6 ou 8/8h. rona pode provocar reações de hipersensibilidade.
INDICAÇÃO: Nome comercial: BUSCOPAN COMPOSTO AMP.
Espasmos do trato gastrintestinal, espasmos e discine-
sias das vias biliares, espasmos do trato geniturinário.
ESCOPOLAMINA + DIPIRONA – 6,67mg +
ATENÇÃO: 333,4mg/ml 20ml fr.
Vide Buscopan drag. Posologia e administração:
Nome comercial: BUSCOPAN SIMPLES INJ. ADULTOS:
Dose usual: 20-40 gts. , 3-4x dia.
ESCOPOLAMINA + DIPIRONA – 10mg + CRIANÇAS (em idade de escolar):
250mg comp.
Dose usual; 10-20 gts. , 3-4x dia.
Posologia e administração:
CRIANÇAS (de 1 a 6 anos):
Dose usual; 1-2 drag. 3-4x dia sem mastigar.
Dose usual: 5-10 gts. , 3-4x dia.
INDICAÇÃO:
INDICAÇÃO:
Cólicas dos tratos gastrintestinal, biliar ou urinário.
Cólicas dos tratos gastrintestinal, biliar ou urinário.
Dor espasmódica do aparelho genital feminino. Dis-
Dor espasmódica do aparelho genital feminino. Dis-
menorréia. Cólica hepática. Colecistite. Diverticulite.
menorréia. Cólica hepática. Colecistite. Diverticulite.
ATENÇÃO:
ATENÇÃO:
Em pacientes sensíveis independente da dose, a dipi-
Em pacientes sensíveis independente da dose, a dipi-
rona pode provocar reações de hipersensibilidade.
rona pode provocar reações de hipersensibilidade.
Nome comercial: BUSCOPAN COMPOSTO
Nome comercial: BUSCOMPAN COMPOSTO GTS.

Voltar para o índice É proibida a reprodução parcial ou total deste documento. Página 41 de 106
Título: Manual Farmacoterapêutico MANUAL Código: MN.DIR.002

ESPIRONOLACTONA – 25mg; 100 comp. Dor torácica típica (consistente com infarto do mio-
cárdio).
Posologia e administração:
Elevação ST pelo menos 0,1 MV em 2 derivações
ADULTOS:
contíguas.
Dose usual: 25-100mg, VO, 1x dia.
Ausência de contra-indicações absolutas.
CRIANÇAS:
Aumento de risco de hemorragia quando utilizado
Dose usual: 1-3mg/kg/dia, VO, 1x dia. juntamente com AAS, indomentacina inibidores da
NEONATOS: agregação plaquetária.

Dose usual: 1-3mg/kg/dose, VO, a cada 24h. Pode causar febre, hemorragia, bronco espasmo.

INDICAÇÃO: Nome comercial: STREPTASE

Estados edematosos (insuficiência cardíaca conges-


tiva, cirrose hepática e síndrome nefrótica). Coadju- ETANOLAMINA – 100mg/2ml amp.
vante no tratamento da hipertensão. Diagnóstico e
Posologia e administração:
tratamento a curto e longo prazo do hiperaldoste-
ronismo primário. Prevenção e tratamento da hipo- Dose usual: 0,5-2ml em cada veia, não devendo o
potassemia. total aplicado em 7 dias ultrapassar 6ml.

ATENÇÃO: INDICAÇÃO:

Controlar nível sérico e urinário de potássio. Antivaricoso.

Podem ocorrer vômitos, diarréias, acidose metabóli- Nome comercial: ETHAMOLIN


ca, hipercloremia, desidratação.
Nome comercial: ALDACTONE ETOMIDATO – 2mg/ml 10ml amp.
Posologia e administração:
ESTREPTOQUINASE – 1.500.000UI fr-amp. A dose deve ser individualizada.
Posologia e administração: Dose de referência para ADULTOS E CRIANÇAS com
ADULTOS: mais de 10anos: 0,2-0,3mg/kg, injetados em um perí-
odo de 30 a 60 segundos. A aplicação pode ser repeti-
Dose usual: 1.500.000UI, IV, durante 30-60 min.
da utilizando 1/4 da dose administrada inicialmente.
INDICAÇÃO:
INDICAÇÃO:
Tromboses venosas profundas e trombose de artéria
É um hipnótico intravenoso de ação curta, indica-
femoral após cateterismo cardíaco.
do para a indução de anestesia geral. Esta pode ser
ATENÇÃO: mantida sem associação com anestésicos inalató-
Efeitos adversos: hipotensão, reações alérgicas, san- rios, ou com a participação desses em proporções
gramentos bastante limitadas. Como agente de indução, é par-
ticularmente indicado em intervenções de curta du-
O tratamento DEVE ser acompanhado pelo hema-
ração (menos de 10 minutos), procedimentos diag-
tologista.
nósticos e intervenções realizadas em ambulatório,
Critérios:
quando se deseja recuperação rápida com boas
Infarto agudo do miocárdio. condições de orientação, deambulação e equilíbrio.

Voltar para o índice É proibida a reprodução parcial ou total deste documento. Página 42 de 106
Título: Manual Farmacoterapêutico MANUAL Código: MN.DIR.002

A anestesia com etomidato pode ser administrada INDICAÇÃO:


a pacientes portadores de epilepsia, glaucoma ou Tratamento de base das convulsões tônico-clônicas
profíria, sem riscos adicionais. (grande mal epiléptico), parciais, simples e comple-
ATENÇÃO: xos (lóbulo temporal). Estado de doença epiléptica
Por não existirem provas conclusivas recomenda-se resistente a diazepam. Prevenção e tratamento das
não utilizar em gestantes a menos que o beneficio convulsões que ocorrem durante ou após a neuro-
para a mãe supere o risco potencial para o feto. A cirurgia ou traumatismos cranianos graves. Trata-
lactação deve ser suspensa se a mãe receber o medi- mento de segunda linha após a carbamazepina, na
camento. A segurança e a eficácia em crianças me- neuralgia do trigêmeo. Arritmias cardíacas, especifi-
nores de 10 anos não foram estabelecidas. camente causadas por digital.

Nome comercial: HYPNOMIDATE ATENÇÃO:


Metabolismo inibido pelo cloranfenicol, clordiaze-
póxido, fluconazol, halotano, propranolol.
FENILEFRINA – 10% 5ml sol. oft. fr.
Redução da absorção intestinal com medicamentos
Posologia e administração:
antineoplásicos e antiácidos; salicilatos, valproato
Dose usual: 1-2 gts. , via ocular, 1-3x dia. de sódio.
INDICAÇÃO: Redução do efeito de ácido fólico, carbamazepina,
Insuficiência vascular que não responde à reposição haloperidol e contraceptivos orais.
adequada do volume de líquidos em choque, hipo- Nome comercial: HIDANTAL
tensão induzida por fármacos ou hipersensibilidade.
Pode ser indicada ao ser usada simultaneamente
com alguns anestésicos locais para diminuir a velo- FENITOÍNA – 50mg/ml 5ml amp.
cidade de absorção vascular, e dessa forma localizar Posologia e administração:
a anestesia. ADULTOS:
ATENÇÃO: Dose usual: 18-20mg/kg em velocidade máxima de
Midriáticos podem precipitar crise de glaucoma 50mg/min.
agudo em pacientes com predisposição; Dose de manutenção: 300mg/dia.
Em crianças usar solução a 2%. CRIANÇAS:
Nome comercial: FENILEFRINA Dose inicial: 20mg/kg.
Dose máxima: 1mg/kg/min. (50mg/min.)
FENITOÍNA – 100mg comp. NEONATOS:
Posologia e administração: Estado epiléptico:
ADULTOS: Dose de ataque: 15-20mg/kg/dose, IV, na velocida-
Dose usual: 300-600mg/dia. de de infusão.
CRIANÇAS: Dose de manutenção: 4-8mg/kg/dia.
Dose usual: 6-8mg/kg/dia, fracionados em 2 admi- INDICAÇÃO:
nistrações. Tratamento de base das convulsões tônico-clônicas

Voltar para o índice É proibida a reprodução parcial ou total deste documento. Página 43 de 106
Título: Manual Farmacoterapêutico MANUAL Código: MN.DIR.002

(grande mal epiléptico), parciais, simples e comple- Sedação:


xos (lóbulo temporal). Estado de doença epiléptica Dose usual: 2-3mg/kg/dia, VO.
resistente a diazepam. Prevenção e tratamento das
INDICAÇÃO:
convulsões que ocorrem durante ou após a neuro-
cirurgia ou traumatismos cranianos graves. Trata- Anticonvulsivo.
mento de segunda linha após a carbamazepina, na ATENÇÃO:
neuralgia do trigêmeo. Arritmias cardíacas, especifi-
Reação paradoxal é descrita com quadro de hipera-
camente causadas por digital.
tividade.
ATENÇÃO:
Redução dos níveis séricos quando associado ao val-
Metabolismo inibido pelo cloranfenicol, clordiaze- proato de sódio e fenitoína; os níveis de fenitoína
póxido, fluconazol, halotano, propranolol. podem elevar-se inicialmente quando feita a asso-
Redução da absorção intestinal com medicamento- ciação, a seguir há um decréscimo.
sa e antineoplásicos e antiácidos; salicilatos, valpro- Contra - indicado em paciente com porfiria.
ato de sódio.
NEONATOS:
Redução do efeito de ácido fólico, carbamazepina,
Hipotensão, depressão respiratória, hepatite, colap-
haloperidol e contraceptivos orais.
so circulatório, anemia megaloblástica.
Nome comercial: HIDANTAL
Nome comercial: GARDENAL, FENOCRIS

FENOBARBITAL – 100mg comp. 4% 20ml


FENOBARBITAL SÓDICO IV – 200mg/2ml
gts; 200mg/ml 1ml amp.
amp.
Posologia e administração:
Posologia e administração:
ADULTOS:
Estado de mal epilético:
Comprimido e ampola
Dose de ataque: 300-800mg EV, seguido de 120-
Dose usual: 100-200mg/dia, VO. 240mg/dose em intervalos de 20 minutos até con-
Dose usual: 200mg, IM. trolar convulsões ou doe total de 1-2g.

CRIANÇAS: Dose de manutenção: 1-3mg/kg/dia em doses divi-


didas ou 50-100mg, 2-3x dia.
Gotas
INDICAÇÃO:
Dose usual: 3-5mg/kg/dia, VO, 1x dia.
Anticonvulsivante.
NEONATOS:
Nome comercial: FENOCRIS
Ataque:
20mg/kg/dose
Manutenção convulsão:
FENOTEROL – 5mg/ml 20ml gts.
Posologia e administração:
Dose usual: 3-5mg/kg/dia, VO. Iniciar 12-24h após
a dose de ataque. Para inalação:

Colestase: ADULTOS:

Dose usual: 4-5mg/kg/dia, VO, por 4-5 dias. Dose usual: 10-20 gts. , 3x dia.

Voltar para o índice É proibida a reprodução parcial ou total deste documento. Página 44 de 106
Título: Manual Farmacoterapêutico MANUAL Código: MN.DIR.002

CRIANÇAS: e manutenção) ou quando necessário no período


Dose: 0,15mg/kg/dose (1gt. /3kg) pós-operatório imediato (sala de recuperação). -
para uso como componente analgésico da aneste-
Dose máxima: 5mg/dose
sia geral e suplemento da anestesia regional. - para
Com mais de 7 anos: 3-5 gts. , diluídas em 5ml SF, administração conjunta com neuroléptico, como o
3x dia ou ACM. droperidol, na prémedicação, na indução e como
Diluir em 3ml de SF 0,9%, utilizar fluxo de O2 de componente de manutenção em anestesia geral e
6-8 litro/minutos. regional. - para uso como agente anestésico único
com oxigênio em determinados pacientes de alto
INDICAÇÃO:
risco, como os submetidos a cirurgia cardíaca ou
Tratamento e profilaxia da dispnéia na asma brôn- certos procedimentos neurológicos e ortopédicos
quica, e outras doenças com componente obstru- difíceis. - para administração espinhal no controle
tivo. Esta droga é indicada em pacientes com obs- da dor pós-operatória, operação cesariana ou outra
trução brônquica ou com assistência respiratória cirurgia abdominal.
mecânica. É utilizada no teste de broncodilatação
ATENÇÃO:
em provas fracionais respiratórias e na profilaxia da
asma induzida por exercício. Hipotensão transitória, depressão respiratória, bra-
dicardia, rigidez muscular, tolerância, dependência,
ATENÇÃO:
náuseas e vômitos. A superdosagem pode ser tra-
Se o paciente não apresentar melhora dentro de 20 tada com antagonistas dos opiáceos, naloxona, por
minutos, a inalação poderá ser repetida por até 3 exemplo.
vezes. O ipratrópio potencializa a ação do fenoterol.
Nome comercial: FENTANIL
O uso com digitálicos glicosídios e levodopa aumen-
ta o risco de arritmias cardíacas.
Nome comercial: BEROTEC FITOMENADIONA – 10mg/ml 1ml amp.
Posologia e administração:

FENTANILA – 0,05mg/ml 2ml amp.; 10ml Tratamento da deficiência da VIT K:


fr-amp. Dose usual: 10mg, por 3 dias.
Posologia e administração: Dose usual: 10-20mg, em dose única, IM (via pre-
ADULTOS: ferencial).

Fase inicial: 50-200µg. Manutenção: 1µg/kg. Em Dose de manutenção: 10mg, em intervalo de 30 dias.
procedimentos cirúrgicos a analgesia começa aos CRIANÇAS:
10 a 20 minutos. Em idosos as doses devem ser re-
Intoxicação por anticoagulante oral:
duzidas.
Dose usual: 2,5-10mg/dose, IM (esta dose pode ser
Em terapia intensiva:
repetida 12-48h após, se necessário).
Dose usual: em bolus 1-3mcg/kg
NEONATOS:
Dose de manutenção: 0,02-0,05mcg/kg/min.
Profilaxia hemorragia (ao nascimento)
INDICAÇÃO:
Dose usual: peso RN – Pré-termo: 0,5mg, IM
Está indicado para analgesia de curta duração du-
peso RN – A termo: 1mg, IM
rante o período anestésico (pré-medicação, indução

Voltar para o índice É proibida a reprodução parcial ou total deste documento. Página 45 de 106
Título: Manual Farmacoterapêutico MANUAL Código: MN.DIR.002

ATENÇÃO: Geralmente bem tolerado, os eventos adversos que


Monitorizar bilirrubinas. mais comumente estão associados ao fluconazol,
são os relacionados ao trato gastrintestinal (náusea,
(É absolutamente contra-indicado o uso de vit.
dor, flatulência, diarréia).
K, por via intravenosa devido à possibilidade de
ocorrer choque anafilático. Restringir aos casos Nome comercial: ZOLTEC
emergenciais.)
Obs.: apenas a vitamina K do Laboratório Roche FLUCONAZOL – 2mg/ml 100ml fr-amp.
(Kanakion) poderá ser administrada por via intrave- Posologia e administração:
nosa.
ADULTOS:
A injeção intramuscular pode ocasionar infiltrado
Dose usual: 200-400mg/dia, IV.
local especialmente quando a técnica empregada
não é correta. Dose máxima: 800mg/dia, IV.

O risco de doença hemorrágica do recém-nascido CRIANÇAS:


é maior em mães sob tratamento com anticonvul- Dose usual: 3-6mg/kg/dia, IV, em dose única.
sivante.
NEONATOS:
Nome comercial: KANAKION / KAVIT
Infecções sistêmicas, incluindo meningite:
Dose de ataque: 12mg/kg
FLUCONAZOL – 150mg caps.
Dose de manutenção: 6mg/kg/dose, IV, em bomba
Posologia e administração: de seringa.
Dose usual: 150mg VO, dose única. A duração do INDICAÇÃO:
tratamento é individualizada.
Candidíase orofaríngea, esofágica, infecções por
INDICAÇÃO: Candida do trato urinário, peritonite, e formas sis-
Candidíase orofaríngea, esofágica, infecções por têmicas de candidíase. Meningite criptocócica, e in-
Candida do trato urinário, peritonite, e formas sis- fecções criptocócicas em outras localizações. Podem
têmicas de candidíase. Meningite criptocócica, e in- ser tratados os pacientes imunocompetentes, pa-
fecções criptocócicas em outras localizações. Podem cientes com síndrome de imunodeficiência adquiri-
ser tratados os pacientes imunocompetentes, pa- da (AIDS), com transplante de órgãos ou com outras
cientes com síndrome de imunodeficiência adquiri- causas de imunodepressão. O fluconazol pode ser
da (AIDS), com transplante de órgãos ou com outras usado como terapia de manutenção para prevenir
causas de imunodepressão. O fluconazol pode ser a recaída da enfermidade criptocócica em pacien-
usado como terapia de manutenção para prevenir tes com AIDS. Podem ser tratados os pacientes com
a recaída da enfermidade criptocócica em pacien- enfermidades neoplásicas, internados em unidades
tes com AIDS. Podem ser tratados os pacientes com de terapia intensiva ou que recebam tratamento
enfermidades neoplásicas, internados em unidades citotóxico ou terapêutica imunossupressora, como
de terapia intensiva ou que recebam tratamento também aqueles que apresentam fatores predispo-
citotóxico ou terapêutica imunossupressora, como nentes para infecção por Candida.
também aqueles que apresentam fatores predispo- ATENÇÃO:
nentes para infecção por Candida.
Hepatotoxicidade, vertigem, distúrbios Gl, trombo-
ATENÇÃO: citopenia e leucopenia.

Voltar para o índice É proibida a reprodução parcial ou total deste documento. Página 46 de 106
Título: Manual Farmacoterapêutico MANUAL Código: MN.DIR.002

Neonatos FLUNITRAZEPAM – 1mg comp.


Avaliar funções renais e hepáticas e HMG para veri- Posologia e administração:
ficar eosinofilia.
ADULTOS:
Boa penetração em LCR tanto na administração oral
Dose usual: 1-2mg/dia, VO.
como EV.
INDICAÇÃO:
Interferem no metabolismo dos barbitúricos e feni-
toína, cafeína, teofilina e midazolam. Hipnótico.

Nome comercial: ZOLTEC INJ. Indução da anestesia.

FLUMAZENIL – 0,5mg/5ml amp. ATENÇÃO:

Posologia e administração: Contra - indicado em pacientes com miastenia gravis.

ADULTOS: Nome comercial: ROHYPNOL

Reversão de anestesia e superdosagem por benzo-


diazepínicos: FLUOXETINA – 20mg comp. ou caps.
É recomendável somente a via IV. É compatível com Posologia e administração:
as soluções de dextrose a 5%, Riger lactato e salina
ADULTOS:
normal. Pata o manejo inicial, recomenda-se uma pri-
Dose usual: 20-80mg/dia, VO.
meira dose de 0,2mg IV durante 15 segundos. Se o
nível de consciência não for obtido, esperar mais 45 INDICAÇÃO:
segundos e injetar uma dose adicional de 0,2mg, que Depressões moderadas e graves. Distúrbios obsessi-
pode ser repetida com intervalos de 60 minutos até vo-compulsivos.
alcançar uma dose total máxima de 1mg. A maioria
ATENÇÃO:
dos pacientes responde à dose de 0,6-1mg.
Não associar com IMAO.
CRIANÇAS:
Nome comercial: PROZAC
Reversão de anestesia e superdosagem por benzo-
diazepínicos:
Dose usual: 0,01mg/kg, IV. Inicialmente 0,01mg/kg FOSFATO ÁCIDO DE POTÁSSIO – 2mEq/
a cada min. até o paciente acordar. ml 10ml amp.
Dose máxima: 0,05mg/kg. Posologia e administração:

INDICAÇÃO: ADULTOS:

Antagonista de benzodiazepinos. Dose usual em mMol: 0,15mMol de fósforo/kg/


dia, IV.
ATENÇÃO:
Dose usual em mEq: 5-20mEq de fósforo/dia, IV.
Não administrar com antidepressivos cíclicos. Pré-
sedação em crianças e adultos pela curta meia-vida, CRIANÇAS:
comparada à dos benzodiazepínicos. Dose usual em mMol: 0,4-0,8mMol de fósforo/kg/
Nome comercial: LANEXAT dia, IV.
Dose usual em mEq: 4-8mEq de fósforo/kg/dia, IV.

Voltar para o índice É proibida a reprodução parcial ou total deste documento. Página 47 de 106
Título: Manual Farmacoterapêutico MANUAL Código: MN.DIR.002

NEONATOS: tiva, cirrose hepática e doença renal. Coadjuvante


Manutenção de fosfato na NPT: no tratamento do edema agudo de pulmão. Hiper-
tensão leve a moderada, geralmente associada a
Dose usual: 0,4-0,8mMol/kg/24h, IV.
anti-hipertensivos.
INDICAÇÃO:
ATENÇÃO:
Tratamento e profilaxia da hipofosfatemia, coadju-
Monitorizar o potássio.
vante no tratamento de infecções urinárias, profila-
xia da litíase renal cálcica. Seu uso crônico pode levar a um aumento de áci-
do úrico.
ATENÇÃO:
Uso bastante criterioso em CRIANÇAS e NEONA-
Precipitação com solução contendo cálcio com rela-
TOS: causa distúrbios no equilíbrio dos eletrólitos,
ção > 1:7.
nefrocalcinose, pancreatite, anemia agranulocitose.
Monitorizar cálcio, sódio, potássio, magnéiso con-
Potencialmente ototóxica, especialmente em pa-
comitante.
cientes que estejam recebendo aminoglicosídeos.
Nome comercial: FOSFATAO DE POTÁSSIO
Nome comercial: LASIX

FOSFATO DE SÓDIO MONOBÁSICO + FUROSEMIDA – 20g/2ml amp.


FOSFATO DE SÓDIO DIBÁSICO – 130 fr.
Posologia e administração:
Posologia e administração:
ADULTOS:
ADULTOS:
Dose usual: 20-40mg, IV (0,5-1,0mg/kg; dose inicial
Dose usual: 100-130ml, VR, em aplicação única. Re-
e dose total de 2mg/kg)
petir se o efeito for negativo.
CRIANÇAS:
CRIANÇAS (>2 anos):
Dose inicial: 0,5-2mg/kg/dose EV.
Dose usual: 25-50ml, VR, em aplicação única.
Dose de manutenção: 0,5-2mg/kg/dose, IV.
INDICAÇÃO:
Dose máxima: 6mg/kg/dose ou 600mg/dia, IV.
Laxante.
NEONATOS:
ATENÇÃO:
Dose usual: 0,5-1mg/kg/dose, IV, a cada 12 ou 24
Não usar em quadro abdominal agudo.
horas. Aumentar a dose em 1mg/kg, se necessário.
Nome comercial: FLEET ENEMA
INDICAÇÃO:
Edema associado com insuficiência cardíaca conges-
FUROSEMIDA – 40mg comp. tiva, cirrose hepática e doença renal. Coadjuvante
Posologia e administração: no tratamento do edema agudo de pulmão. Hiper-
tensão leve a moderada, geralmente associada à
ADULTOS:
anti-hipertensivos.
Dose usual: 20-80mg fracionados a critério médico.
ATENÇÃO:
INDICAÇÃO:
Vide furosemida comp.
Edema associado com insuficiência cardíaca conges-
Nome comercial: LASIX

Voltar para o índice É proibida a reprodução parcial ou total deste documento. Página 48 de 106
Título: Manual Farmacoterapêutico MANUAL Código: MN.DIR.002

GABAPENTINA – 300mg; 400mg caps. 34-37 semanas: 4mg/kg/dose.

Posologia e administração: Maior que 38 semanas: 4mg/kg/dose – 24 horas.

Epilepsia: INDICAÇÃO:

ADULTOS: Administração parenteral Ä dose para adultos (intra-


muscular ou por infusão intravenosa): 1 a 1,7mg/kg
Dose usual: 900-3600mg/dia
a cada 8 horas; doses pediátricas usuais Ä nascidos
O tratamento se inicia com 300mg 3 vezes ao dia, pré-termo e neonatos de até 1 semana: 2,5mg/kg a
ou progressivamente do 1º ao 3º dia. cada 12 horas durante 7 a 10 dias; neonatos maio-
Após isso, a dose ode ser aumentada até um máxi- res e lactentes: 2,5mg/kg a cada 8 horas; CRIAN-
mo de 3600mg/dia. ÇAS: de 2 a 2,5mg/kg a cada 8 horas. Em pacientes
com insuficiência renal, a dose deve ser modificada
Dor neuropática em ADULTOS:
de acordo com os valores da liberação de creatinina.
Dose inicial: 900mg: dia, dividida em 3 dose até
Pomada por via oftálmica: aplicar uma película de
uma dose máxima de 3600mg/dia
aproximadamente 1mm, com intervalos de 6 a 12
CRIANÇAS: horas. Solução oftálmica: 1 gota a cada 4 a 8 horas.
Doe inicial: 10-15mg/kg dia em 3 dose. Criar a dose Por via tópica: aplicar na pele de 3 a 4 vezes ao dia.
ideal para cada criança. ATENÇÃO:
Dose máxima: 40mg/kg/dia. Cuidado especial no uso concomitante com furose-
INDICAÇÃO: mida AINH e contrastes.

Antiepilético. Nefrotoxicidade e otoxidade.

ATENÇÃO: Monitorizar o nível sérico em pacientes em choque


e insuficiência renal, asfixia PCA ou tratamento com
O ajuste da dose é recomendado em pacientes com
indometacina.
comprometimento renal ou em hemodiálise.
A absorção IM é errática, especialmente no neonato
Nome comercial: NEURONTIN
com peso muito baixo.
Nome comercial: GARAMICINA
GENTAMICINA – 20mg/1ml; 80mg/2ml
amp.
GLIBENCLAMIDA – 5mg comp.
Posologia e administração:
Posologia e administração
ADULTOS:
ADULTOS:
Dose usual: 1,5-2mg/kg, IV ou IM, de 8/8h.
Dose usual: 2,5-10mg, VO, 1x dia.
5,0-7,0mg/kg/dia, dose única diária.
INDICAÇÃO:
Publicações preconizam a administração da dose di-
ária total em administração única. Diabetes mellitus do adulto não-complicado, está-
vel, leve ou moderado, não-cetótico, que não pode
NEONATOS:
ser controlado somente com a dieta.
Menor ou igual ha 29 semanas: 5mg/kg/dose.
ATENÇÃO:
30-33 semanas: 4,5/kg/dose.
Anti - inflamtórios não-hormonais podem potencia-

Voltar para o índice É proibida a reprodução parcial ou total deste documento. Página 49 de 106
Título: Manual Farmacoterapêutico MANUAL Código: MN.DIR.002

lizar ação hipoglicemiante. GLUCONATO DE CÁLCIO – 10% 10ml


Restrição de uso em hepatopatias. amp.
Não utilizar em diabete tipo l. Posologia e administração

Nome comercial: DAONIL Hipocalcemia sintomática


ADULTOS:

GLICERINA – sup. Dose usual: 1-2g EV diluído SF ou SG em 20-30’


EV. Infusão contínua: 0,5-1,5mg/kg/hora, letargia,
Posologia e administração
coma, decréscimo do nível de magnésio.
Dose usual: 1 supositório, VR, 1x dia.
Pode potencializar arritmias induzidas pelos digitais,
INDICAÇÃO: precipitação quando misturado com bicarbonato de
Indicado no tratamento e/ou prevenção da prisão de sódio.
ventre e tem a finalidade de provocar a evacuação. Uso com cuidado em NEONATOS digitalizados, in-
ATENÇÃO: suficiência respiratória ou acidose.

Conservar em geladeira. Não administrar em artéria.

Nome comercial: GLICERINA SUP. ADULTO E INFANTIL Nome comercial: GLUCONATO DE CÁLCIO 10%
SOL. INJ.

GLIMEPIRIDA – 2mg comp.


HALOPERIDOL-1mg e 5 mg comp.
Posologia e administração
Posologia e administração:
Dose inicial: 1-2mg, VO, 1x dia.
ADULTOS:
Dose de manutenção: 1-4mg, VO, 1x dia.
Dose usual: 1-15mg/dia,VO.
Dose máxima: 8mg, VO, 1x dia.
CRIANÇAS (3 anos):
INDICAÇÃO:
Dose inicial oral: 0,25-0,5mg/dia,2ª3x dia a cada se-
Diabetes mellitus não-insulinodependente (tipo II)
mana.
do adulto em indivíduos que não podem estabilizar
sua glicemia adequadamente mediante dieta, exer- Dose máxima: 0,01-0,03mg/kg/dia.
cício físico e diminuição de peso. INDICAÇÃO:
ATENÇÃO: Tratamento de distúrbios psicóticos agudos e crôni-
Antiinflamatório não-hormonal pode potencializar cos que incluem esquizofrenia, estados maníacos e
ação hipoglicemiante. psicose induzida por fármacos (psicose esteróidea).
Pacientes agressivos e agitados. Em esquizofrenia
Restrição de uso em hepatopatias.
crônica, é indicado o decanoato de haloperidol. Tra-
Não utilizar em diabete tipo l. tamento de problemas graves de comportamento.
Nome comercial: AMARYL Síndrome de Gilles de La Tourette.
ATENÇÃO:
Taquicardias, reações extrapiramidais, dicinesia, xe-
rostomia, retenção urinária, visão borrada.

Voltar para o índice É proibida a reprodução parcial ou total deste documento. Página 50 de 106
Título: Manual Farmacoterapêutico MANUAL Código: MN.DIR.002

Os antidepressivos podem aumentar os efeitos co- INDICAÇÃO:


laterais. Prevenção e tratamento da embolia pulmonar. Pre-
Insuficiência hepática, doença cardíaca, crise con- venção e tratamento de trombose venosa profunda.
vulsiva 1x dia até 0,15mg/kg/dia. Fibrilação auricular com embolização. Coagulação
Nome comercial: Haldol intravascular disseminada. Prevenção de oclusão de
dispositivos extracorpóreos: cânulas extravasculares,
máquinas de hemodiálise e máquinas de bypass car-
HALOPERIDOL-5mg/ml 1m amp. diopulmonar. Tromboses venosas pós-operatórias e
Posologia e administração: prolifaxia do tromboembolismo pós-cirúrgico (regi-
me de doses baixas de heparina). Pacientes em que
Dose e freqüência de acordo com a terapia
estão contra-indicados os anticoagulantes orais (por
Estado confusional agudo na UTI ex-grávidas).
Dose inicial: IV ou IM 1-2mg.pode ser aumentada ATENÇÃO:
para 2-5mg cada 8 horas.A dose pode ser dobrada
Pode interagir com ácido valpróico, antiinflamató-
a cada 30 minutos até o efeito desejável.
rios não esteróides, cloroquina, dipiridomol, agen-
CRIANÇAS (6 a 12 anos): tes trombolíticos e nitroglicerina IV.
Dose usual: 1-3mg/dose,IM cada 4-8h. NEONATOS e CRIANÇAS:
Dose máxima: 0,15mg/kg/dia Manter TTPA1, 5-2,5x o valor do controle.
INDICAÇÃO: Reações adversas: trombocitopenia.
Tratamento de distúrbios psicóticos agudos e crôni- Controles: contagem de plaquetas a cada 2 a 3
cos que incluem esquizofrenia, estados maníacos e dias,TTP e tempo de coagulação.
psicose induzida por fármacos (psicose esteróidea).
Antídoto
Pacientes agressivos e agitados. Em esquizofrenia
crônica, é indicado o decanoato de haloperidol. Tra- Sulfato de protamina, 1mg para cada 100UI de he-
tamento de problemas graves de comportamento. parina administrada nas últimas 3 a 4 horas.
Síndrome de Gilles de La Tourette. Dose máxima: 50mg
Nome comercial: HALDOL INJ. Nome comercial: LIQUEMINE

HEPARINA-25000UI/5ml; 5000UI/0,25ml HIDRALAZINA-50mg drag.


Posologia e administração: Posologia e administração:
ADULTOS: ADULTOS:
Dose usual: 80UI/Kg em bolus(5000-10000UI).infu- Hipertensão
são continua intravenosa 18UI/Kg/hora de acordo
ICC
com TTPA.
Dose usual: 50-100mg, VO, até 4x dia.
CRIANÇAS:
CRIANÇAS:
Bolus: 50-100UI/Kg,IV.
Dose usual: 0,75-3mg/kg/dia, VO, 3-4x dia.
Infusão intermitente: 50-100UI/Kg/dose,IV.
Dose máxima: 200mg/dia ou 7,5mg/kg/dia.
Infusão contínua: 10-25UI/Kg/h,IV.

Voltar para o índice É proibida a reprodução parcial ou total deste documento. Página 51 de 106
Título: Manual Farmacoterapêutico MANUAL Código: MN.DIR.002

INDICAÇÃO: cálcio, bilirrubina, glicose e ácido úrico.


Hipertensão: Como farmacoterapia suplementar as- Diminui os níveis sanguíneos de potássio e magnésio.
sociada a outros anti-hipertensivos, tais como beta- Nome comercial: CLORANA
bloqueadores e diuréticos. A complementação dos
mecanismos de ação de tais terapias combinadas
permite aos fármacos exercerem seu efeito anti-hi- HIDROCORTISONA-100mg; 500mg fr-
pertensivo em doses baixas. Além disso, os efeitos amp
indesejáveis das substâncias isoladas são também Posologia e administração:
parcial ou totalmente compensados. Insuficiência
Dose inicial; EV 2-4mg/4-6x dia.
cardíaca congestiva crônica: Como farmacoterapia
suplementar em pacientes que não respondem ade- INDICAÇÃO:
quadamente à terapia convencional (c/ digitálicos Insuficiência adrenocortical aguda ou primária crô-
ou outros agentes inotrópicos positivos e/ou diuré- nica, síndrome adrenogenital, doenças alérgicas,
ticos); em combinação c/ nitratos de ação prolon- doenças do colágeno, anemia hemolítica adquirida,
gada, por exemplo, na cardiomiopatia congestiva anemia hipoplástica congênita, trombocitopenia se-
devido à hipertensão, doença cardíaca isquêmica, cundária em adultos, doenças reumáticas, doenças
ou sobrecarga de volume (lesão valvar regurgitante oftálmicas, tratamento do choque. Doenças respira-
e anormalidades dos septos atrial e ventricular). tórias, neoplásicas (manejo paliativo de leucemias e
ATENÇÃO: linfomas em adultos, e de leucemia aguda na infân-
cia), estados edematosos, doenças gastrintestinais
Taquicardia, vômitos, diarréia, hipotensão, edema,
(para ajudar o paciente a superar períodos críticos
agranulocitose.
em colite ulcerativa e enterite regional), triquinose
Pode causar lupus-like. com compromisso do miocárdio.
Cautela no uso em doença cardíaca e renal. ATENÇÃO:
Nome comercial: APRESOLINA, NEPRESOL O uso acima das doses fisiológicas por 7 dias pode
provocar insuficiência supra-renal.

HIDROCLOROTIAZIDA-50mg comp. Doses elevadas estão associadas com alterações do


SNC (tremores, depressão, euforia psicose).
Posologia e administração:
Quando em pulsoterapia (bolus IV), há descrição de
ADULTOS:
morte súbita.
Hipertensão
Hipertensão, edema, catarata, úlcera péptica, imu-
Dose usual: 12,5-50mg, VO, 1x dia. nossupressão, síndrome cushing.
INDICAÇÃO: Controle: PA, glicemia, eletrólitos séricos.
Diurético no tratamento dos seguintes edemas: da Interação com vacinas de vírus vivos.
insuficiência cardíaca congestiva, renais, medica-
Nome comercial: SOLU-CORTEF
mentosos, da toxemia gravídica e como coadjuvan-
te no tratamento da hipertensão arterial.
ATENÇÃO: HIDROXICOBALAMINA-5000mcg/2ml
Monitorizar o potássio.
amp.
Posologia e administração:
NEONATOS e CRIANÇAS: Aumenta os níveis de

Voltar para o índice É proibida a reprodução parcial ou total deste documento. Página 52 de 106
Título: Manual Farmacoterapêutico MANUAL Código: MN.DIR.002

ADULTOS: réia.
Deficiência de vit. B12: Monitorar potássio (risco de hipocalemia).
Dose inicial: 100mcg, IM, 1xdia, por 5-10 dias. Pode diminuir a absorção de aminoglicosídeos e fe-
Dose de manutenção: 100-200mcg, IM, 1x por mês. nitoina pelo trato gastrointestinal.

Anemia perniciosa: Nome comercial: RUBRANOVA INJ.

Dose usual: 30-50mcg, 1x dia por 14 dias.


Dose de manutenção: 100mcg 1x mês. HIDRÓXIDO DE ALUMÍNIO-230mg comp.;
307,5mg 240ml fr.
Neuropatias menos pronunciadas:
Posologia e administração:
Dose usual: 5000mcg, IM, 1x dia, até a remissão
da dor. ADULTOS:

Neuropatias com maior componente álgico: Como antiácido: 2-4 comp. ou 10ml,2/2 ou 4/4 horas.

Dose inicial: 15.000mcg, IM, 1x dia. CRIANÇAS:

Dose de manutenção: diminuir a dose de acordo Dose usual: 1ml/kg, a cada 4 horas.
com a diminuição do componente doloroso. NEONATOS:
Intoxicação por cianeto: Dose usual: 1ml/kg/dose, a cada 4 horas.
Dose usual: 50-100mg/kg/,IM. INDICAÇÃO:
CRIANÇAS: Antiácido. Usado no tratamento de úlcera gastro-
Deficiência de vit. B12: duodenal e alívio da azia ou queimação.

Dose usual: 100mcg/dia, IM, 2 semanas ou dose to- ATENÇÃO:


tal 1500-5000mcg, IM. Pode determinar obstipação. Interfere na absorção
INDICAÇÃO: de outros medicamentos.

Como terapêutica coadjuvante de neuropatias sen- Nome comercial: PEPSAMAR


soriais suscetíveis a doses maciças de vitamina B12
e na prevenção e tratamento de uma variedade de
afecções envolvendo deficiência desta vitamina. Ru-
branova é indicada nas seguintes neuropatias senso-
HIDRÓXIDO DE FERRO III-20mg/ml 5ml
riais: Síndromes neurológicas periféricas: com com-
amp.
ponente sensitivo. Nevralgia de origem reumática: Posologia e administração:
ciática, lomboartrose, cervicobralquialgias, artrite, Deverá ser determinada individualmente, conforme
periartrite e mialgias. Nevralgias tóxicas e metabó- a necessidade total de ferro, levando-se em conta
licas: polineurite etílica, neuropatia diabética, neu- três fatores: a)grau de deficiência de ferro em mg,
rites tóxicas. Nevralgias ortopédicas e traumáticas: déficit total de ferro em mg; b)peso do paciente em
artrose lombar, poliradicoloneurite, mialgias, artrite, kg; c)reserva necessária de ferro.
neuroma de amputação. Neurite de etiologia desco-
INDICAÇÃO:
nhecida: nevralgia do trigêmio.
Anemias ferropênicas graves (pós-hemorrágicas, pós-
ATENÇÃO:
partos, pós-cirúrgicas). Distúrbios de absorção gastroin-
Trombose vascular periférica, prurido, urticária, diar-

Voltar para o índice É proibida a reprodução parcial ou total deste documento. Página 53 de 106
Título: Manual Farmacoterapêutico MANUAL Código: MN.DIR.002

testinal ou impossibilidade de se utilizar a ferroterapia Antitérmico:


por via oral nos casos de intolerância às preparações Dose usual: 6-12mg: 5-10mg/kg/dose.
orais de ferro em doenças inflamatórias gastrointes-
INDICAÇÃO:
tinais, que poderiam ser agravadas pela ferroterapia
oral e nos casos em que a falta de resposta à ferrote- Redução da febre e o alívio temporário de dores le-
rapia seja suspeita de falta de adesão ao tratamento. ves e moderadas, tais como: dor de cabeça (enxa-
Anemias no 3º trimestre da gravidez ou no puerpério. queca e cefaléia vascular), dor de dente, dor mus-
Correção da anemia ferropênica no pré-operatório de cular, dores relacionadas a problemas reumáticos
grandes cirurgias. Anemia ferropriva que acompanha não-articulares e periarticulares (como capsulite,
a insuficiência renal crônica. bursite, tendinite, tenossinovite,etc.), dores asso-
ciadas a processos inflamatórios e/ou traumáticos
ATENÇÃO:
(como entorses e distensões) e dores associadas a
Não deve ser utilizado por pacientes portadores de gripes e resfriados.
anemias que não sejam causadas por deficiência de
ATENÇÃO:
ferro e nem em situações de sobrecarga férrica ou
distúrbios da utilização de ferro. Também não deve Contra - INDICAÇÃO: hipersensibilidade ao ibu-
ser utilizado no primeiro trimestre da gravidez. profeno, aspirina, digestiva, asma brônquica.

Nome comercial: NORIPURUM Nome comercial: DALSY

HIDROXIZINE-25mg caps.; 10mg/5ml IMUNOGLOBULINA ANTITETANICA –


100ml sol. oral fr. 250UI/1ml amp.
Posologia e administração: Posologia e administração:

ADULTOS: ADULTOS E CRIANÇAS:

Dose usual: 25-100mg/dia, VO 2-3x dia. Dose usual: 250UI.

CRIANÇAS: Queimaduras extensas, ferimentos que não possam


ser remanejados por meio cirúrgico ou que tenham
Dose usual: 0,5mg/kg/dose VO 4x dia.
sido negligenciados.
INDICAÇÃO:
Dose usual: 5.000-10.000UI, IM, no primeiro dia e
Tratamento de pruridos provocados por estados prosseguir com 3.000UI em cada dia subseqüente.
alérgicos, tais como urticária, dermatite atópica e O intervalo entre as injeções e a duração do trata-
de contato; tratamento do dermografismo. mento depende do quadro clínico.
ATENÇÃO: INDICAÇÃO:
Pode ocorrer sonolência, hipertensão e boca seca. No caso de suspeita ou confirmação do tétano.
Nome comercial: HIDROXIZINE/PRURIZIN ATENÇÃO:
Dor e elevação da temperatura no local de aplica-
IBUPROFENO – 100mg/5ml 100ml susp. ção. Pode ocorrer reação urticariforme. Choque
Posologia e administração anafilático por uso inadvertido da infusão venosa.

Analgésico: Nome comercial: TETANOGAMMA

Dose usual: 4-10mg/kg/dose 6-8 horas VO.

Voltar para o índice É proibida a reprodução parcial ou total deste documento. Página 54 de 106
Título: Manual Farmacoterapêutico MANUAL Código: MN.DIR.002

IMUNOGLOBULINA ANTI-RHO – 300mcg ATENÇÃO:


fr-amp. A taxa recomendada deve ser rigorosamente apli-
Posologia e administração: cada e os pacientes devem ser observados ao longo
de toda perfusão, a fim de detectarem sinais de in-
Dose no pós-parto: 300mcg, IM de 2-72h após o
tolerância.
parto.
Nome comercial: IMUNOGLOBULIN
INDICAÇÃO:
Profilaxia da eritoblastose fetal.
INSULINA HUMANA REGULAR – 100UI/
ATENÇÃO:
ml 10ml fr.
O teste Coombs indireto pode resultar positivo.
Posologia e administração:
Nome comercial: MATERGAN
A dose deve ser individualizada e ajustada conforme
as concentrações de glicose no sangue e na urina
IMUNOGLOBULINA HUMANA – 2,5g; 5g do paciente.
fr-amp. INDICAÇÃO:
Posologia e administração: Tratamento de diabetes mellitus dependende de in-
Para o tratamento de agamaglobulinemia, hipoga- sulina ou como suplemento da produção fisiológica
maglobulinemia e terapia combinada com antibióti- de insulina endógena em pacientes com diabetes
cos em graves infecções bacterianas ou virais: mellitus não dependente de insulina. Também pode
agregar-se à soluções de hiperalimentação para fa-
ADULTOS: 2.500mg a 5.000mg em uma única
cilitar a utilização de glicose em pacientes com pou-
dose.
ca tolerância a ela.
CRIANÇAS: 100mg/kg a 150mg/kg em uma única
ATENÇÃO:
dose.
Hipoglicemia dependente da dose.
Para púrpura trombocitopênica idiopática (PTI):
Reações de hipersensibilidade no local da aplica-
200-400mg/kg por dia, durante cinco dias conse-
ção.
cutivos.
Urticária.
Para síndrome de Guillain-Barré e síndrome de Ka-
wasaki: Nome comercial: BIOHULIN REGULAR

400mg/kg/dia, durante cinco dias consecutivos.


INDICAÇÃO: INSULINA HUMANA NPH – 100UI/ml
Agamaglobulinemia congênita, hipogamaglobu-
10ml fr.
linemia e imunodeficiência combinada. Também é Posologia e administração:
utilizado para pacientes infectados por HIV, após A dose deve ser individualizada e ajustada conforme
transplante de medila óssea e com leucemia linfo- as concentrações de glicose no sangue e na urina
cítica crônica, incluindo púrpura trombocitopêni- do paciente.
ca idiopática, síndrome de Kawasaki, síndrome de
INDICAÇÃO:
Guillain-Barré e também em terapia combinada com
antibióticos apropriados para prevenir ou modificar Tratamento de diabetes mellitus dependende de in-
infecções virais graves ou bacteremias. sulina ou como suplemento da produção fisiológica

Voltar para o índice É proibida a reprodução parcial ou total deste documento. Página 55 de 106
Título: Manual Farmacoterapêutico MANUAL Código: MN.DIR.002

de insulina endógena em pacientes com diabetes ISOFLURANO – 100ml; 250ml fr.


mellitus não dependente de insulina. Também pode
Posologia e administração:
agregar-se à soluções de hiperalimentação para fa-
cilitar a utilização de glicose em pacientes com pou- Indução: concentração inicial de 0,5%. Concen-
ca tolerância a ela. tração de 1,3-3% leva a anestesia cirúrgica em
7-10min.
ATENÇÃO:
Manutenção: 0,0-2,5% com óxido nitroso e oxigê-
Hipoglicemia dependente da dose.
nio; 1,5-3% com oxigênio puro.
Reações de hipersensibilidade no local da aplicação.
INDICAÇÃO:
Urticária
Indicado para indução e manutenção da anestesia
Contra - indicado a via IV. geral.
Nome comercial: BIOHULIN NPH ATENÇÃO:
Taquicardia e hipertermia.
IPRATRÓPIO – 0,25mg/ml 20ml fr. Utilizar vaporizadores que tenham sido calibrados
Posologia e administração: especialmente para este produto.

Dose usual: 0,250-0500mg (20-40 gts.), via inalató- Nome comercial: FORANE
ria, 4-6x dia.
CRIANÇAS (>5 anos): ISSORBIDA DINITRATO – 5mg comp. SL
Dose usual: 0,125-0,250mgj (10-20 gts.), via inala- Posologia e administração:
tória, 4-6x dia.
ADULTOS:
CRIANÇAS (<5 anos):
Dose usual: 5-10mg, SL, a critério médico.
Dose usual: 0,050-0,125mg (4-10 gts.), via inalató-
INDICAÇÃO:
ria, 4-6x dia.
Angina pectoris (ataque agudo: via sublingual; pro-
NEONATOS:
filaxia: via oral). Insuficiência cardíaca aguda crônica,
Dose usual: 75-175mcg, via-inalatória a cada 6-8h, com ou sem antecedentes de enfarte do miocárdio,
como solução para nebulização. como terapêutica coadjuvante.
INDICAÇÃO: ATENÇÃO:
Broncospasmo associado com doença pulmonar Cefaléia intensa que pode melhorar após duas se-
obstrutiva crônica, incluindo bronquite crônica e manas de uso da medicação. Utilizar analgésicos
enfisema pulmonar. Coadjuvante no tratamento da para alívio.
asma brônquica.
Hipotensão postural, principalmente se hipovole-
ATENÇÃO: mia.
O pico do efeito ocorre com 1-2h após a adminis- Nome comercial: ISORDIL SL
tração.
Na crise asmática parece ter melhor efeito em crian-
ISOSSORBIDA MONONITRATO – 20mg
ças do que em adultos.
comp.
Nome comercial: ATROVENT
Posologia e administração:

Voltar para o índice É proibida a reprodução parcial ou total deste documento. Página 56 de 106
Título: Manual Farmacoterapêutico MANUAL Código: MN.DIR.002

Dose usual: 10-40mg, VO, 2-4x dia. LEVODOPA + CARBIDOPA – (250mg +


INDICAÇÃO: 25mg) comp.
Profilaxia da angina pectoris. Tratamento a longo Posologia e administração:
prazo da cardiopatia isquêmica. Dose usual: 1 comp., VO, 3x dia.
ATENÇÃO: INDICAÇÃO:
Cefaléia intensa que melhorar após 2 semanas de Parkinsonismo idiopático, pós-encefalítico ou sin-
uso da medicação. Utilizar analgésicos para alívio. tomático. Esta associação permite conseguir alívio
Hipotensão postural. Ingerir com água e com estô- sintomático com uma dose menor de levodopa do
mago vazio. que com levodopa isoladamente.

Nome comercial: MONOCORDIL ATENÇÃO:


Náusea, vômitos, arritmia, flutuações, discineia,
boca seca e disfagia.
LACTULOSE – 667mg/ml 120ml fr.
Nome comercial: SINEMET
Posologia e administração:
ADULTOS:
LEVOFLOXACINA –500mg comp.
Dose usual: 15-30ml, VO, 2x dia.
Posologia e administração
INDICAÇÃO:
Dose usual: 500mg, VO ou IV 1x dia.
Laxante suavisador ou emoliente
INDICAÇÃO:
ATENÇÃO:
Infecções do trato respiratório superior e inferior, in-
Cólicas, diarréia, distúrbios hidroeletrolíticos.
cluindo sinusites, exacerbação aguda da bronquite
Nome comercial: FARLAC crônica e pneumonia. Infecções da pele e tecidos
moles (impetigo, abscessos, furunculose, celulite e
erisipelas). Infecções do trato urinário (pielonefrite
LEVODOPA + BENSERAZIDA – (200mg +
aguda). Osteomielite. Artrite séptica. Ölcera córnea
50mg) comp.
causada por bactérias sensíveis ao fármaco.
Posologia e administração:
ATENÇÃO:
ADULTOS:
Alteração do SNC em até 0,4% dos pacientes: ce-
Dose usual: 2-4 comp., VO, por dia, fracionados em faléia, agitação, insônia, pesadelos, psicose e con-
2-4x dia. vulsões. O uso de antiinflamatórios não-hormonais
INDICAÇÃO: exacerba estas reações.

Mal de Parkinson. Parkinsonismo sintomático pós- Não recomendado para crianças. Pode causar artro-
encefalítico, tóxico ou arteriosclerótico, exceto a sín- patia com erosão da cartilagem.
drome parkinsoniana de origem medicamentosa. Nome comercial: TAVANIC / LEVAQUIN
ATENÇÃO:
Anorexia, náusea, vômito, arritmia cardíaca, hipo- LEVOTIROXINA SÓDICA – 100mcg;
tensão ortostática, flutuações, discinesia. 50mcg; 25mcg comp.
Nome comercial: PROLOPA Posologia e administração:
Voltar para o índice É proibida a reprodução parcial ou total deste documento. Página 57 de 106
Título: Manual Farmacoterapêutico MANUAL Código: MN.DIR.002

ADULTOS: Lidocaína pesada a 5%: ampolas de 2ml (50ng de


Doe inicial: 12, 5, cg, VO, 1x dia. lidocaína, 75mg de glicose por ml).

Dose de manutenção: 1,6-2,6mcg/kg/dia, VO. Lidocaína tópica, geléia a 2%:

CRIANÇAS (0 a 6 meses): Lidocaína tópica, aerosol a 10%:

Dose usual: 8-10mcg/kg, VO, 1x dia. Posologia e administração

CRIANÇAS (6 a 12 meses): Lidocaína tópica, geléia a 2%: 5ml por aplicação até
3 vezes ao dia; urologia: 25ml em homens e 15ml
Dose usual: 6-8mcg/kg, VO, 1x dia.
em mulheres.
CRIANÇAS (1 a 5 anos):
Lidocaína tópica, aerosol a 10%: não ultrapassar os
Dose usual: 5-6mcg/kg, VO, 1xdia. 20mg por quadrante de mucosa gengival ou oral
CRIANÇAS (6-12 anos): (cada atomização libera 10mg da droga).

Dose usual: 4-5mcg/kg, VO, 1x dia. Lidocaína injetável, dose usual; para ADULTOS:

CRIANÇAS (> 12 anos): Anestesia caudal: analgesia obstétrica, 200-400mg


em solução a 1%; analgesia cirúrgica, 200-400mg
Dose usual: 2-3mcg/kg, VO, 1x dia.
em solução a 2%;
INDICAÇÃO:
Anestesia epidural: analgesia lombar, 250-400mg
Tratamento do hipotireoidismo por deficiência de em solução a 1%; anestesia lombar, 200-300mg em
hormônio tireóideo de qualquer etiologia, assim solução a 2%;
como o bócio simples (não-endêmico) e na tireoidi-
Infiltração: regional intravenosa; 50-400mg em so-
te linfocítica crônica (de Hashimoto). Supressão do
lução a 0,5%; percutânea, 5-400mg em solução a
crescimento de bócios adenomatosos e para preve-
0,5 ou 1%;
nir os efeitos bociogênicos de outros fármacos (lítio,
ácido aminosalicílico e alguns compostos tipo sulfa- Bloqueio nervoso periférico: brônquico, 200-400mg
mida). Carcinoma da glândula tireóidea, dependen- em solução a 2%; dental, 20-100mg em solução a
te de tirotropinas. Estudos da função tireóidea. 2%; intercostal, 30mg em solução a 1%.

ATENÇÃO: ATENÇÃO:

Administrar 20 minutos antes da 1ª refeição. Admi- Hipersensibilidade aos anestésicos locais do tipo
nistrar com cautela em pacientes cardíacos. amida ou aos outros componentes da fórmula. De-
vem-se levar em consideração as contra-indicações
Nome comercial: EUTHIROX / TETROID
gerais das diferentes técnicas anestésicas locais e
regionais.
LIDOCAÍNA Uso durante a gravidez e lactação.
Apresentação A lidocaína atravessa a barreira placentária e as con-
Solução injetável 1% e 2% com epinefrina: frascos- centrações umbilicais são menores do que as en-
ampolas de 20ml. contradas na circulação materna. É razoável assumir
que a lidocaína tem sido administrada a um grande
Solução injetável 1% a 2% sem epinefrina: frascos-
número de mulheres grávidas ou que possam vir a
ampolas de 20ml.
engravidar.
Solução injetável 2% sem epinefrina: ampolas de
Não foram relatados distúrbios específicos no pro-
5ml.

Voltar para o índice É proibida a reprodução parcial ou total deste documento. Página 58 de 106
Título: Manual Farmacoterapêutico MANUAL Código: MN.DIR.002

cesso reprodutivo como, por exemplo, um aumento tesia persistente, parestesia, fraqueza, paralisia dos
na incidência de malformações ou efeitos nocivos membros inferiores e perda do controle esfincteria-
diretos ou indiretos no feto. no. Em raros casos, têm sido relatadas reações alér-
A lidocaína tem sido extensivamente usada em pro- gicas (nos casos mais graves, choque anafilático).
cedimentos obstétricos durante o parto, o qual é Superdosagem
uma indicação de sua segurança. A lidocaína passa Tratamento das reações adversas: o tratamento do
para o leite materno, mas em pequenas quantida- paciente com manifestações tóxicas consiste em as-
des e, geralmente, não há risco de afetar a criança segurar a ventilação adequada e controlar as con-
nas doses terapêuticas. vulsões. A ventilação deve ser mantida com oxigê-
Como para qualquer outra droga, a lidocaína so- nio por respiração assistida ou controlada, como
mente deve ser usada durante a gravidez ou lacta- necessário. Se ocorrerem convulsões, elas devem ser
ção, a critério médico. tratadas rapidamente por administração intraveno-
Reações adversas sas a de 50-100mg de succinilcolina e/ou 5-15mg
de diazepam. Também pode-ser utilizar tiopentona
Reações adversas sistêmicas graves são raras mais
na dosagem de 100-200mg para eliminar as con-
podem ocorrer na superdosegem ou injeção intra-
vulsões. Se ocorrer fibrilação ventricular ou parada
vascular acidental (ver Posologia e administração).
cardíaca, deve-se instituir tratamento de ressuscita-
A toxicidade causada pela lidocaína é similar à ob-
ção cardiovascular. Deve-se administrar epinefrina
servada com outros agentes anestésicos locais. A
em doses repetidas e bicarbonato de sódio, o mais
acidose acentuada ou hipoxia pode aumentar o
rápido possível.
risco e a gravidade das reações tóxicas. As reações
SNC incluem: dormência da língua, delírio, tontu- Nome comercial: XYLOCAÍNA
ras, visão turva e tremores, seguidos por sonolên-
cia, convulsões, inconsciência e, possivelmente, pa- LISINOPRIL – 5mg; 10mg comp.
rada respiratória. Hipotensão e gradicardia podem
Posologia e administração:
ocorrer como fenômenos fisiológicos normais após
bloqueio simpático com bloqueio neural central. As ADULTOS:
reações cardiovasculares que ocorrem com altas do- Hipertensão
ses ou injeção intravascular acidental de lidocaína
Dose usual: 5-40mg dia, VO, 1+2x dia.
incluem: depressão do miocárdio, diminuição do dé-
bito cardíaco, bloqueio cardíaco, hipotensão bradi- ICC
cardia, arritmias ventriculares, incluindo taquicardia Dose usual: 5-20mg dia, VO, 1-2x dia.
ventricular, fibrilação ventricular e parada cardíaca.
INDICAÇÃO:
A hipoxia causada por convulsões e apnéia pode ser
um fator contribuinte nas reações cardiovasculares. Hipertensão essencial e renovascular. Pode ser usado
A incidência de reações adversas neurológicas asso- como monoterapia ou associado a outras classes de
ciadas com uso de anestésicos locais é muito baixa agentes anti-hipertensivos. Também está indicado
e ela pode ser em função da dose total administra- no tratamento da insuficiência cardíaca congestiva
da, droga utilizada, via de administração e estado em pacientes não controlados adequadamente com
físico do paciente. Muitos desses efeitos podem es- digitálicos e diuréticos.
tar ligados à técnica da anestesia local, com ou sem ATENÇÃO:
participação da droga. As reações neurológicas que
Tosse seca como efeito colateral.
ocorrem com anestesia regional têm incluído: anes-

Voltar para o índice É proibida a reprodução parcial ou total deste documento. Página 59 de 106
Título: Manual Farmacoterapêutico MANUAL Código: MN.DIR.002

Administrar com cautela em pacientes com insufici- CRIANÇAS:


ência renal. Dose usual: 100mg, VO, 2x dia, por 3 dias.
Nome comercial: ZESTRIL INDICAÇÃO:
Anti-helmíntico de largo espectro.
LOPERAMIDA – 2mg comp. Nome comercial: PANTELMIN
Posologia e administração
Diarréia crônica MEROPENEM – 500mg fr-amp.
Dose usual: 4mg VO, 2 a 4 vezes a critério médico Posologia e administração:
INDICAÇÃO: ADULTOS:
Antidiarreico. Dose usual: 500mg-1g, IV, 3x dia.
ATENÇÃO: CRIANÇAS:
Não é indicado para o tratamento de diarréia aguda Dose usual: 60mg/kg/dia, IV, 3x dia.
ou persistente em crianças. Depressão SNC, boca
NEONATOS:
seca e obstipação.
Dose usual: 20/kg/dose a cada 8h-12h, infundir
Nome comercial: IMOSEC
30min. , IV.
INDICAÇÃO:
LOSARTAN – 50mg comp.
Infecções causadas por microrganismos susceptíveis
Posologia e administração: ao fármaco nas seguintes localizações: infecções do
ADULTOS: trato respiratório inferior, infecções do trato uriná-
Dose usual: 25-100mg/dia, VO. rio, infecções intra-abdominais, infecções ginecoló-
gicas, infecções da pele e órgãos anexos. Meningi-
INDICAÇÃO:
te. Septicemia.
Hipertensão arterial essencial leve a moderada. In-
ATENÇÃO:
suficiência cardíaca congestiva.
Ajustar a dose para pacientes com insuficiência re-
ATENÇÃO:
nal. Reservar para uso hospitalar em infecções com
Alternativa quando há contra-indicação para inibi- bactérias multiresistentes. Antibióticos de uso restri-
dor de enzima conversora de angiotensina. to, controlado pela CCIH.
Nome comercial: COZAAR Nome comercial: MERONEN IV

MEBENAZOL – 100mg comp. METFORMINA – 850mg; 500mg comp.


Posologia e administração: Posologia e administração:
Nematódeos Dose usual: 500-850mg, VO, 2x dia.
Dose usual: 1 comp., VO, 2x dia, por 3 dias. INDICAÇÃO:
Cestóideos Diabetes não dependente de insulina, especialmen-
Dose usual: 2 comp., VO, 2x dia, por 4 dias. te em obesos e em hipersensíveis às sulfoniluréias.

Voltar para o índice É proibida a reprodução parcial ou total deste documento. Página 60 de 106
Título: Manual Farmacoterapêutico MANUAL Código: MN.DIR.002

ATENÇÃO: Dose usual: 10-80mg, IM, 1x dia.


Não utilizar em situações clínicas que possam levar a CRIANÇAS:
acidose metabólica, como: insuficiências renais, car- Dose usual: 0,5-1mg/kg/ IM a cada 3 dias.
díacas, hepáticas e vasculares.
INDICAÇÃO:
Pode causar distúrbios gastrintestinais.
Insuficiência adrenocortical aguda ou primária crô-
Nome comercial: GLUCOFORMIN nica, síndrome adrenogenital, doenças alérgicas,
doenças do colágeno, anemia hemolítica adquirida,
METILDOPA -250mg; 500mg comp. anemia hipoplásica congênita, trombocitopenia se-
cundária em adultos, doenças reumáticas, doenças
Posologia e administração:
oftálmicas, tratamento do choque, doenças respi-
ADULTOS: ratórias, doenças neoplásicas (manejo paliativo de
Dose inicial: 250mg, VO, 2-3x dia. leucemias e linfomas em adultos e de leucemia agu-
da em crianças). Estados edematosos. Doenças gas-
Dose manutenção: 500-2000mg/dia, VO, fraciona-
trintestinais (para ajudar o paciente a superar perío-
dos em 2 a 4 administrações.
dos críticos em colite ulcerativa e enterite regional).
CRIANÇAS: Triquinose com comprometimento miocárdico.
Dose inicial: 10mg/kg/dia, VO, fracionados em 2 a 4 ATENÇÃO:
administrações.
O uso acima das doses fisiológicas por 7 dias pode
Dose máxima: 65mg/kg/dia, ou 3g/dia VO. provocar insuficiência supra-renal.
NEONATOS: Quando em pulsoterapia (bolos, IV) há descrição de
Dose usual: 5-40mg/kg/dia, fracionados em 3 a 4 morte súbita.
administrações. Interação com vacinas de vírus vivo.
INDICAÇÃO: Nome comercial: DEPO-MEDROL
Tratamento da hipertensão moderada a grave, in-
cluindo a complicada com doença renal.
METILPREDNISOLONA (SUCC. SÓDICO) –
ATENÇÃO: 125mg; 500 fr-amp.
Pode levar a hipotensão postural e impotência se- Posologia e administração:
xual.
ADULTOS:
NEONATOS e CRIANÇAS:
Dose usual: 10-250mg, IV, 1-6x dia.
Sedação, febre, coombs falso-positivo, hemólise, re-
CRIANÇAS:
tenção de sódio.
Dose usual: 0,5-1,7mg/kg/dia, IV, 2-4x dia.
Nome comercial: ALDOMET
INDICAÇÃO:
Insuficiência adrenocortical aguda ou primária crô-
METILPREDNISOLONA (ACETATO) –
nica, síndrome adrenogenital, doenças alérgicas,
40mg/ml 2ml fr-amp.
doenças do colágeno, anemia hemolítica adquirida,
Posologia e administração: anemia hipoplásica congênita, trombocitopenia se-
ADULTOS: cundária em adultos, doenças reumáticas, doenças

Voltar para o índice É proibida a reprodução parcial ou total deste documento. Página 61 de 106
Título: Manual Farmacoterapêutico MANUAL Código: MN.DIR.002

oftálmicas, tratamento do choque, doenças respi- METOCLOPRAMIDA – 10mg/2ml amp.


ratórias, doenças neoplásicas (manejo paliativo de
Posologia e administração:
leucemias e linfomas em adultos e de leucemia agu-
da em crianças). Estados edematosos. Doenças gas- ADULTOS:
trintestinais (para ajudar o paciente a superar perío- Dose usual: 10mg, IV ou IM, 3x dia.
dos críticos em colite ulcerativa e enterite regional).
CRIANÇAS:
Triquinose com comprometimento miocárdico.
Dose usual: 0,1mg/kg, IM ou IV, até 4x dia.
ATENÇÃO:
NEONATOS:
O uso acima das doses fisiológicas por 7 dias pode
Dose usual: 0,4-0,8mg/kg/dia, até 4 doses.
provocar insuficiência supra-renal.
INDICAÇÃO:
Interação com vacinas de vírus vivo.
Antiemético.
Nome comercial: SOLU-MEDROL
ATENÇÃO:

METOCLOPRAMIDA – 10mg comp.; 4mg/ Vide metoclopramida comp. e gts.


ml 10ml gts. Ped. Nome comercial: PLASIL

Posologia e administração:
ADULTOS: METOPROLOL – 100mg comp.
Dose usual: 10mg, VO, 3x dia, 30min antes das re- Posologia e administração:
feições. ADULTOS:
CRIANÇAS: Dose usual: 50-200mg/dia, VO, fracionados em 2
Não deve exceder a 0,5mg/kg/dia. administrações, ou não.

INDICAÇÃO: INDICAÇÃO:

Gastroparesia diabética aguda e recidivante. Profi- Em hipertensão, como monoterapia ou em combi-


laxia de náuseas e vômitos induzidos pela quimio- nação com outros anti-hipertensivos, principalmen-
terapia. Tratamento a curto prazo de pirose e do te com diuréticos (clortalidona, hidroclorotiazida),
esvaziamento gástrico retardado, secundários à eso- ou um vasodilatador periférico. Em angina pectoris,
fagite por refluxo. Coadjuvante da radiografia gas- para profilaxia prolongada. Arritmias cardíacas, prin-
trintestinal. cipalmente taquicardias supraventriculares. Enfarte
do miocárdio. Distúrbios funcionais cardiovasculares
ATENÇÃO:
com palpitações.
Reações extrapiramidais, agitação ou sonolência.
ATENÇÃO:
Cuidado especial no idoso. Utilizar com cuidado em
obstrução do TGI, síndromes convulsivas e portado- Cautela em pacientes com arteriopatia periférica e
res de insuficiência renal. com doença pulmonar obstrutiva crônica.

Ao utilizar em criança, cuidado com o risco de su- Biodisponibilidade aumenta se ingerido na presença
perdosagem. de alimentos.

Nome comercial: PLASIL Nome comercial: SELOKEN

Voltar para o índice É proibida a reprodução parcial ou total deste documento. Página 62 de 106
Título: Manual Farmacoterapêutico MANUAL Código: MN.DIR.002

METOPROLOL 5mg/5ml amp. e tricomoníase. Vaginite por Gardnerella vaginalis,


giardíase e algumas infecções por protozoários, ana-
Posologia e administração:
eróbios, doença intestinal inflamatória, helmintíase.
ADULTOS:
ATENÇÃO:
Dose usual: 5mg bolus, IV, em intervalos de até
Cefaléia, ataxia e convulsões, confusão mental, ar-
5min, de acordo com a PA e FC, dose total 15mg.
dor na uretra, distúrbios gastrintestinais.
INDICAÇÃO:
Interfere na ação anticoagulantes orais.
Em hipertensão, como monoterapia ou em combi-
Nome comercial: FLAGYL
nação com outros anti-hipertensivos, principalmen-
te com diuréticos (clortalidona, hidroclorotiazida),
ou um vasodilatador periférico. Em angina pectoris, METRONIDAZOL ginecológico – 50g Tb.
para profilaxia prolongada. Arritmias cardíacas, prin-
Posologia a administração:
cipalmente taquicardias supraventriculares. Enfarte
do miocárdio. Distúrbios funcionais cardiovasculares Fazer uma aplicação 5g de preferência à noite ao
com palpitações. deitar-se durante 10 a 20 dias.

ATENÇÃO: INDICAÇÃO:

Administrar de preferência com o paciente monito- Profilaxia de infecções perioperatórias e tratamento


rizado. Pode desencadear broncoespasmo e insufi- de infecções bacterianas por anaeróbios. Amebíase
ciência cardíaca. Bradicardia acentuada suspender o e tricomoníase. Vaginite por Gardnerella vaginalis,
medicamento e utilizar atropina. giardíase e algumas infecções por protozoários, ana-
eróbios, doença intestinal inflamatória, helmintíase.
Interação com antagonista de cálcio.
ATENÇÃO:
Nome comercial: SELOKEN
Não utilizar em pacientes com hipersensibilidade ao
METRONIDAZOL – 250mg comp.; 4%
metronidazol.
100ml susp.; 0,5% 100ml IV inj.
Nome comercial: FLAGYL GINICOLÓGICO
Posologia e administração:
ADULTOS:
MIDAZOLAN – 15mg comp.; 2mg/ml
Dose usual: 250-500mg, VO, ou IV, a cada 6-8h.
10ml fr. Gts.
CRIANÇAS:
Posologia e administração:
Anaeróbios
Sedativo
Dose usual: 30mg/kg/dia, VO ou IV, fracionados em 4x.
ADULTOS:
NEONATOS:
Dose usual: 0,5mg/kg, VO.
Dose de ataque: 15mg/kg, VO ou IV, correr em
CRIANÇAS:
60min quando administrado IV.
Dose usual: 0,25-0,5MG/KG, VO.
Dose de manutenção: 7,5mg/kg, VO ou IV.
INDICAÇÃO:
INDICAÇÃO:
Distúrbios do ritmo do sono e todas as formas de
Profilaxia de infecções perioperatórias e tratamento
insônia, principalmente a dificuldade em iniciar o
de infecções bacterianas por anaeróbios. Amebíase
adormecimento ou despertares precoces.

Voltar para o índice É proibida a reprodução parcial ou total deste documento. Página 63 de 106
Título: Manual Farmacoterapêutico MANUAL Código: MN.DIR.002

Sedação na pré-medicação antes de procedimentos MORFINA – 10mg; 30mg comp.


cirúrgicos ou diagnósticos.
Posologia e administração:
ATENÇÃO:
ADULTOS:
Depressão respiratória.
A critério médico.
Nome comercial: DORMINID COMP. / DORMIRE VO
CRIANÇAS:
Dose usual: 0,2-0,5mg/kg, VO, 1-6x dia.
MIDAZOLAN –5mg/ml 3ml; 50mg/10ml
INDICAÇÃO:
amp.
Tratamento moderado a grave em pacientes que re-
Posologia e administração:
queiram analgesia potente durante um tempo pro-
ADULTOS: longado.
Dose inicial: 0,03-0,3mg/kg em bolus. ATENÇÃO:
Dose de manutenção: infusão contínua 0, 012- Hipotensão, bradicardia, sonolência, prurido, obsti-
0,6mg/kg/h IV. pação, retenção urinária. Pode causar dependência.
CRIANÇAS (6 meses a 1 ano): Quando administrado com alimentos pode aumen-
tar a biodisponibilidade.
Dose inicial: 0,05-0,1mg/kg, IM.
Naloxona reverte os efeitos adversos.
0,1-0,2mg/kg, IV.
Contra-indicado em associação com inibidores da
Dose máxima: 5mg
MAO.
Indução anestésica.
Nome comercial: DIMORF
ADULTOS:
Dose usual: 50-350mcg/kg IV.
MORFINA – 10mg/1ml; 2mg/2ml;
INDICAÇÃO: 0,2mg/1ml amp.
É uma droga indutora de sono de ação curta, que é Posologia administração:
indicada em pacientes adultos, pediátricos e neona-
Administração peridural: a dose inicial de 5mg na
tos para: sedação consciente antes e durante proce-
região lombar pode proporcionar alívio da dor por
dimentos diagnósticos ou terapêuticos com ou sem
até 24 horas e, se o adequado alívio da dor não for
anestesia local (administração IV). Pré-medicação
conseguido dentro de 1 hora, administrar cuidado-
antes de indução anestésica (incluindo administra-
samente doses incrementais de 1-2mg, em interva-
do IM ou retal em crianças). Indução anestésica.
los suficientes par assegurar a eficácia necessária.
Como um componente sedativo em combinação
Não mais do que 10mg/24 horas devem ser admi-
com anestesia em adultos (não deve ser utilizado
nistrados. Para infusão contínua, uma dose inicial
para indução anestésica em crianças).
de 2-4mg/24 horas é recomendada. Doses comple-
Sedações em unidades de terapia intensiva. mentares de 1-2mg podem ser administradas se o
ATENÇÃO: alívio da dor não foi conseguido inicialmente.

Depressão respiratória. Administração intratecal em adultos uma simples


injeção de 0,2-1mg pode proporcionar satisfatório
Nome comercial: DORMONID, DORMIRE
alívio da dor por até 24 horas. Não injetar mais que
1ml da ampola. Usar sempre a área lombar. Repe-
Voltar para o índice É proibida a reprodução parcial ou total deste documento. Página 64 de 106
Título: Manual Farmacoterapêutico MANUAL Código: MN.DIR.002

tidas injeções intratecais de morfina não são reco- ADULTOS:


mendadas. Dose usual: 10mg, IM, SC ou IV 4-6x dia.
CRIANÇAS: CRIANÇAS: Pré-medicação: 0,2mg/kg (máximo
Dose usual; 0,05-0,2mg/kg/dose, IM, IV ou SC, a 20,g/dose).
cada 2-4 horas. INDICAÇÃO:
Dose máxima: 10mg. Analgésico, complemento de anestesia.
Infusão contínua: 0, 025-0,1mg/kg/h. ATENÇÃO:
NEONATOS: Hipotensão, sonolência, prurido, boca seca. Pode
Dose: 0,05-0,2mg/kg/dose, IM, IV ou SC, a cada causar dependência.
2-4h ou contínua de 0,01-0,04mg/kg/h. Nome comercial: NUBAIN
INDICAÇÃO:
Indicado para alívio da dor aguda. NALOXONA – 0,4mg/1ml amp.
ATENÇÃO: Posologia e administração:
É contra-indicado em pacientes alérgicos à mofina Hidrocloreto de naloxona pode ser ministrado por
ou outros opióides, bronquite asmática crônica ou vias intravenosa, intramuscular ou subcutânea. O
obstrução das vias aéreas superiores. Nos casos em meio mais rápido de ação é alcançado por injeção
que há problemas de coagulação causados por te- intravenosa e é recomendado em situação de emer-
rapia anticoagulante ou desordens hematológicas. gência. A dose para reversão inicial da depressão
Nos casos de administração em áreas de infecção respiratória, deve ser injetada gradativamente de 0,1
no SNC. Nos casos de dependência de analgésicos a 0,2mg por via intravenosa a dois ou três minutos
opiódies. de intervalo, para se alcançar um nível apreciável da
Vide morfina comp. reversão, isto é, ventilação e estado de consciência
Nome comercial: DIMORF SEM CONSERVANTES adequados, sem dor ou desconforto significativos.
Reversão.
CRIANÇAS:
MUPIROCINA CREME 2% 15g Tb.
Dose usual; 0,01mg/kg, IM, IV ou SC, repetindo a
Posologia e administração:
cada 2-3 min., se necessário. NEONATOS
Aplicar 3 vezes ao dia.
Depressão narcótica
INDICAÇÃO:
Dose usual: tubo endotraqueal: 0,02mg/kg, 0,01mg/
Tratamento tópico do impetigo causado por Sta- kg, IV, IM ou SC. Pode repetir em 5 min.
phylococcus aureus, Streptococcus pyogeneses e
Inicio de ação em 1-2 min., se injeção IV, e de 2-5
Streptococcus beta hemolíticos. Foliculite, antraz,
min., se SC ou IM. Duração da ação de 45 min., à
celulite e queimaduras infectadas.
4h. via preferencial: IV.
Nome comercial: BACTROBAN
INDICAÇÃO:
É indicado para uma completa ou parcial reversão da
NALBUFINA – 10mg/ml 1ml amp. depressão causada por narcótico, inclusive depres-
Posologia e administração: são respiratória, induzida por ingestão de narcóticos

Voltar para o índice É proibida a reprodução parcial ou total deste documento. Página 65 de 106
Título: Manual Farmacoterapêutico MANUAL Código: MN.DIR.002

opiáceos naturais ou sintéticos, como propoxifeno, Reversão do bloqueio neuromuscular


metadona, e analgésicos narco-antagonistas como Doe usual: 0, 025-0,08mg/kg/dose (uso com atropi-
nalbufina, pentazocina e butorfanol. É também in- na: 0,4mg de atropina para cada 1mg de neostig-
dicado para o diagnóstico de suspeita de superdo- mina).
sagem aguda por ópio.
INDICAÇÃO:
ATENÇÃO:
Constipação atônica, meteorismo (por exemplo,
Hipotensão, taquicardia, arritmias ventriculares, pa- antes do exame radiológico); atonia intestinal pós-
rada cardíaca, náuseas e vômitos. operatória e retenção urinária; miastenia gravis
Evitar em bebês de mães viciadas porque o naloxo- pseudoparalítica; antagonista dos curarizantes (para
na pode precipitar síndrome de abstinência. neutralizar o efeito miorrelaxante do curare e dos
Várias doses podem ser necessárias devido a sua preparados do mesmo tipo).
curta vida (20-60’), comparada a dos narcóticos. ATENÇÃO:
REAÇÕES ADVERSAS: Bradicardia, hipotensão, assitolia, bloqueio AV, so-
Uma abrupta reversão à depressão narcótica pode nolência, agitação, convulsões, cefaléia, náuseas,
resultar em náuseas, vômitos, taquicardia e aumen- vômitos, diarréia, miose diplopia.
to da pressão arterial, tremores e sudorese. Hipoten- Nome comercial: PROSTIGMINE
são, hipertensão, taquicardia ventricular, fibrilação
e edema pulmonar têm sido associados ao uso de
naloxona, quando administrado em pacientes de
NIFEDIPINA – 10mg; 20mg retard comp.
pós-operatórios. Posologia e administração:

Nome comercial: NARCAN ADULTOS:


A critério médico.

NEOSTIGMINE – 0,5mg/1ml amp. INDICAÇÃO:

Posologia e administração: Angina pectoris crônica, angina vasospástica (de


Prinzmetal), hipertensão.
ADULOS E CRIANÇAS:
ATENÇÃO:
Dose IV IM ou SC – 0,5-2,5mg cada 1-3 horas. Má-
ximo 10mg/24h. Edema de membros inferiores, cefaléia, rubor facial
e hiperplasia gengival em uso prolongado.
Miastenia gravis
CRIANÇAS:
Dose usual: 15-375mg/dia, IV.
Hipotensão, taquicardia, edema, cefaléia.
Reversão do bloqueio neuromuscular
Usar com cuidado em ICC e estenose aórtica.
Dose usual: 0,5-2,0mg, IV, repetindo quando neces-
sário (junto com atropina 0,5-2,5mg, sem exceder Controlar enzimas hepáticas.
5mg). Nome comercial: ADALAT RETARD
CRIANÇAS:
Miastenia gravis NIMODIPINO – 30mg comp.
Diagnóstico: 0,02-0,04mg/kg/dose, IM Posologia e administração:
Doe máxima: 375mg/dia.

Voltar para o índice É proibida a reprodução parcial ou total deste documento. Página 66 de 106
Título: Manual Farmacoterapêutico MANUAL Código: MN.DIR.002

Dose usual: 2 comp., VO 6x dia. Via oral: tratamento da candidíase orofaríngea. Via
INDICAÇÃO: tópica: tratamento da candidíase mucocutânea. Via
vaginal: tratamento da candidíase vulvovaginal.
Distúrbios isquêmicos em pacientes com hemorra-
gia subaracnoídea pós-ruptura de aneurismas con- ATENÇÃO:
gênitos. Não deve ser utilizado em para tratamento oral, tó-
ATENÇÃO: pico ou oftálmico.

Edema, hipotensão arterial, cefaléia, depressão, he- Nome comercial: MICOSTANTIN CREME VAGINAL
patite.
Nome comercial: OXIGEN NITROGLICERINA – 25mg fr-amp.
Posologia e administração:
NISTATINA – 100.000UI/ml 50ml fr. Dose usual: 5-20mcg/min., IV
Posologia e administração: Podem ser aumentadas 5-10mcg/min. a cada
ADULTOS E CRIANÇAS: 5-10min. , de acordo com a resposta terapêutica.

Dose usual: 100.000-600.000UI, VO, 4x dia. CRIANÇAS:

PREMATUROS e CRIANÇAS (baixo peso): IC 0,25-0,5mcg/kg/min.

Dose usual: 100.000UI, VO, 4x dia. INDICAÇÃO:

LACTENTE: Angina pectoris, como monoterapia ou em com-


binação com outros antianginosos, como beta-
Dose usual: 100.000-200.000UI, VO, 4x dia.
bloqueadores ou antagonistas dos canais do cálcio.
INDICAÇÃO: Insuficiência cardíaca em pacientes que não respon-
Via oral: tratamento da candidíase orofaríngea. Via dem ao tratamento convencional com digital e ou-
tópica: tratamento da candidíase mucocutânea. Via tros fármacos inotrópicos positivos e diuréticos.
vaginal: tratamento da candidíase vulvovaginal. ATENÇÃO:
ATENÇÃO: Precaução de uso em hipotensão, metahemoglobi-
Não deve ser utilizado para o tratamento de mico- nemia.
ses sistêmicas. Causa tolerância.
Metade da solução a se administrada seve ser man- Nome comercial: TRIDIL
tida em cada lado da boca por alguns minutos antes
de Sr deglutida.
NITROPRUSSIATO DE SÓDIO – 50mg fr-
Nome comercial: MICOSTANTIN SUSP.
amp.
Posologia e administração:
NISTATINA – 60g creme ginecológico ADULTOS E CRIANÇAS:
Posologia e administração:
Dose usual: 0,5-0,8mcg/kg/min., IV.
Dose usual: 1-2 medidas por via vaginal, 1x ao dia
NEONATOS:
antes de deitar-se.
Dose inicial: 0,25-0,5mcg/kg/min. Dobrar a dose a
INDICAÇÃO:
cada 15-20 min. até o efeito desejado, ou apresen-

Voltar para o índice É proibida a reprodução parcial ou total deste documento. Página 67 de 106
Título: Manual Farmacoterapêutico MANUAL Código: MN.DIR.002

tar efeitos adversos ou alcançar a dose máxima. NORFLOXACINA – 400 comp.


Dose de manutenção: < 2mcg/kg/min. Posologia e administração:
INDICAÇÃO: ADULTOS:
Hipertensão arterial refratária. Crise hipertensiva Dose usual: 400mg, VO, 2x dia.
grave. Emergências hipertensivas. Hipotensão con-
INDICAÇÃO:
trolada durante a cirurgia, para reduzir a hemorra-
gia no campo cirúrgico. Infecções do trato urinário inferior (cistite, uretrite,
prostatites agudas e crônicas) e superior (pielone-
ATENÇÃO:
frite), infecções do aparelho genital, uretrite gono-
Administrar sempre com auxílio de bomba de in- cócica não complicada. É importante conhecer a
fusão. sensibilidade dos agentes patógenos ao fármaco,
Em pacientes com restrição volêmica, diluir 1 ampo- mesmo que a terapêutica possa ser instaurada, in-
la em 125ml de soro glicosado. clusive antes de serem conhecidos os resultados do
antibiograma.
Acidose metabólica associada à toxicidade do tio-
cianato em uso prolongado e/ou insuficiência renal, ATENÇÃO:
taquicardia, coma, convulsões, hipotensão, vômitos, Não apresenta atividade antipseudomonas. Reco-
trombocitopenia e supressão da tireóide. mendada principalmente para infecções do trato
Manter o nível de tiocianato <50mg/ml. urinário inferior.

Nome comercial: NIPRIDE Nome comercial: FLOXACIN

NOREPINEFRINA – 4mg/4ml amp. ÓLEO MINERAL PURO – 100ML FR.


Posologia e administração: Posologia e administração:

A critério médico. Uso oral: com o estômago vazio, 2 horas antes das
refeições.
INDICAÇÃO:
ADULTOS:
É usado para o controle da pressão arterial em
determinados estados de hipotensão aguda (por Dose usual: 5 a 45ml.
exemplo, feocromocitomectomia, simpatectomia, CRIANÇAS:
poliomielite, anestesia espinhal, infarto do miocár-
Maiores de 6 anos: 5 a 20ml.
dio, septicemia, transfusões sanguíneas e reações a
drogas). Também pode ser utilizado como medica- INDICAÇÃO:
ção adjuvante no tratamento de parada cardíaca e Constipação intestinal.
hipotensão pronunciada.
ATENÇÃO:
ATENÇÃO:
Descontinuar o uso se o paciente apresentar dor ab-
Extravasamento produz necrose dos tecidos. dominal.
Nome comercial: LEVOPHED / NOREPINE O uso crônico de laxantes pode promover a redução
de potássio no sangue.
Nome comercial: NUJOL

Voltar para o índice É proibida a reprodução parcial ou total deste documento. Página 68 de 106
Título: Manual Farmacoterapêutico MANUAL Código: MN.DIR.002

OMEPRAZOL – 40mg fr-amp. ; 20mg Dose usual: 4mg, VO, a cada 8h.
comp. INDICAÇÃO:
Posologia e administração: Prevenção das náuseas e dos vômitos associados
A administração oral deve ser feita pela manhã. com os ciclos iniciais e repetidos de quimioterapia
anticancerosa emética, incluindo as altas doses de
Úlcera duodenal, úlcera gástrica e esofagite de re-
cisplatina.
fluxo.
ATENÇÃO:
Dose usual: 40mg, VO, 1x dia.
Aumento das enzimas hepáticas e bilirrubinas. Bron-
Síndrome de Zollinger-Ellison
coespasmo, taquicardia, hipocalemia, convulsões.
Dose inicial: 60mg 1x dia, VO ou IV.
Nome comercial: ZOFRAN
CRIANÇAS:
Menores que 20kg: 10mg, 1x dia.
ONDANSETRONA – 2mg/ml 2ml amp.
Maiores que 20kg: 20mg, 1x dia.
Posologia e administração:
INDICAÇÃO:
ADULTOS:
Tratamento de úlceras gástricas e duodenais; tra-
Quimioterapia e radioterapia emetogênica:
tamento de esogagite de refluxo; tratamento da
síndrome de Zollinger-Ellison; tratamento de ma- Dose única: 8mg, IV lentamente, imediatamente
nutenção para prevenção de recidiva em pacientes antes da quimioterapia.
com úlcera duodenal, pacientes pouco responsivos CRIANÇAS (>4 anos):
com úlcera gástrica e tratamento de manutenção
Quimioterapia e radioterapia emetogênica:
para pacientes com esofagite de refluxo cicatrizada;
tratamento de pacientes que apresentam risco de Dose única: 5mg/m2, IV, durante 15min, imediata-
aspiração de conteúdo gástrico durante anestesia mente antes da quimioterapia.
geral (profilaxia de aspiração ácida); tratamento de INDICAÇÃO:
erradicação de H. pylori associado à úlcera pépti-
Prevenção das náuseas e dos vômitos associados
ca; tratamento e prevenção de erosões ou úlceras
com os ciclos iniciais e repetidos de quimioterapia
gástricas e duodenais associadas a antiinflamatórios
anticancerosa emética, incluindo as altas doses de
não-hormonais (AINH).
cisplatina.
Nome comercial: LOSEC
ATENÇÃO:
Aumento das enzimas hepáticas e bilirrubilinas. Bron-
ONDANSETRONA – 4mg comp. coespasmo, taquicardia, hipocalemia, convulsões.
Posologia e administração: Nome comercial: ZOFRAN INJ.
ADULTOS:
Quimioterapia e radioterapia emetogênica: OXACILINA SÓDICA – 500mg fr-amp.
Dose inicial: 8mg, VO, 1-2h antes do tratamento e, Posologia e administração:
a seguir, 8mg, VO, 2x dia, por 5 dias.
ADULTOS:
CRIANÇAS (4 a 11 anos):
Dose usual: 200mg/kg/dia, 4/4h.
Quimioterapia e radioterapia emetogênica.
Voltar para o índice É proibida a reprodução parcial ou total deste documento. Página 69 de 106
Título: Manual Farmacoterapêutico MANUAL Código: MN.DIR.002

Dose usual: 2g, IV, 6x dia. Dose usual: (0,025%): 2-3 gotas em cada narina,
CRIANÇAS: 2x dia.

Dose usual: 100-200mg/kg/dia, IV, cada 6h. CRIANÇAS (até 2 anos) (0,025%):

Dose usual: 12g/dia. A critério médico.

INDICAÇÃO: INDICAÇÃO:

Infecções causadas por Staphylococcus aureus pro- Tratamento circunstancial da congestão nasal devi-
dutores de penicilinase. da a resfriados comuns, febre do feno, outras aler-
gias respiratórias ou a associada à sinusite. Rinite
ATENÇÃO:
vasomotora. Rinites e sinusites agudas e crônicas.
Disfunção hepática com uso maior que 12g/dia Laringite. Faringite. Catarro das trompas.
(TGO e TGP).
ATENÇÃO:
Erupções cutâneas, agranulocitose, eosinofilia, au-
Não utilizar com inibidores da MAO.
mento das enzimas hepáticas, nefrite.
Pode ocorrer taquicardia, palpitações, excitabilida-
Probenicida diminui sua eliminação.
de, cefaléia, tremor.
Usar com cautela em pacientes alérgicos a cefalos-
A superdosagem em crianças pode resultar em so-
porina.
nolência, hipotensão, choque e depressão respira-
Desnecessário ajuste na insuficiência renal. tória.
Nome comercial: STAFICILIN Não exceder 5 dias de uso.
Nome comercial: AFRIN
OXCARBAZEPINA – 300mg comp.
Posologia e administração: OXITOCINA – 5UI/ml 1ml amp.
Dose inicial: 300mg 2x dia Posologia e administração:
INDICAÇÃO: Indução de parto:
Epilepsia. Tratamento das crises convulsivas parciais Dose usual: 0,52mU/min., IV
com sintomatologia simples ou complexa, crises
Diluir a oxitocina e administrar por infusão na indu-
convulsivas tônico-clônicas generalizadas (grande
ção do parto
mal), crises convulsivas mistas. Anticonvulsivo de
primeira escolha. Neuralgia do trigêmeo. Dose máxima: 20mU/min., IV.

Nome comercial: TRILEPTAL Sangramento pós-parto


Dose usual: 3-10U, IM.

OXIMETAZOLINA – 0,025% 10ml inf.; Dose máxima: 20-40mU/min., IV ou IM.


0,05% 10ml adulto fr. INDICAÇÃO:
Posologia e administração Indução do parto. Tratamento do aborto inevitável,
ADULTOS e CRIANÇAS (6 anos): incompleto ou frustrado. Controle da hemorragia
pós-parto. Estimulação da secreção láctea.
Dose usual: (0,05%): 2-3 gotas em cada marina, 2x dia.
ATENÇÃO:
CRIANÇAS (entre 2 e 5 anos):

Voltar para o índice É proibida a reprodução parcial ou total deste documento. Página 70 de 106
Título: Manual Farmacoterapêutico MANUAL Código: MN.DIR.002

Monitorizar contrações uterinas, freqüência cardía- pacientes que estejam submetidos à ventilação me-
ca materna e fetal. cânica.
Nome comercial: SYNTOCINON ATENÇÃO:
Interações
PANCREATINA – caps. A atividade bloqueadora neuromuscular de amino-
Posologia e administração: glicosídeos, clindanicina, lidocaína, polimixinas ou
procaína pode ser aditiva a do pancurônio. Os efei-
Dose usual: 1-2 caps. Durante cada refeição.
tos depressores respiratórios aumentam com o uso
INDICAÇÃO: simultâneo de analgésicos opiáceos. A medicação
Insuficiência enzimática pancreática. Dispepsia. Pan- antimiastênica pode antagonizar os efeitos dos blo-
creatite. Esteatorréia. queadores neuromusculares não despolarizantes.
Os bloqueadores beta-adrenégicos potencializam
ATENÇÃO:
ou prolongam a ação do pancurônio. Os sais de
Poder causar hiperuricemia, reações alérgicas. cálcio revertem os efeitos bloqueadores neuromus-
Nome comercial: PANCREATINA culares. A terapêutica crônica com lítio potencializa
ou prolonga o bloqueio neuromuscular. Os sais de
magnésio, a procainamida e a quinidina potenciali-
PANCURÔNIO – 2mg/ml amp. zam a ação dos bloqueadores neuromusculares. A
Posologia e administração: hipopotassenia produzida por corticóides, ACTH,
anfotericina-B, bumetanida, furosemida, indapami-
CRIANÇAS:
da e diuréticos tiazídicos pode potencializar a ação
Infusão contínua dos bloqueadores neuromusculares. Também foi
Dose usual: 1 e 2mcg/kg/min. descrito que a hidrocortisona e a prednisona dimi-
nuem a eficácia do pancurônio.
NEONATOS:
Reações adversas:
Dose usual: 0,1mg/kg (0,04-0,15mg/kg) IV. Dose re-
lacionada com a necessidade de paralisia, intervalo Taquicardia, erupção cutânea, sialorréia, hipotensão
usual é de 1 à 2h. arterial, bradicardia, dor muscular e rigidez.

ADULTOS: Contra-indicações:

Via IV, 0,04-0,1mg/kg; depois pode-se aumentar a A relação risco/benéfico deverá ser avaliada na pre-
dose iniciando com 0,01mg/kg a cada 20 ou 60 mi- sença de carcinoma broncogênico, taquicardia, de-
nutos, ajustando-a conforme as necessidades. Para sidratação, desequilíbrio eletrolítico ou ácido-base,
a intubação endotraqueal: via IV, de 0,06-0,1mg/ disfunção hepática, hipertermia, hipotermia, mias-
kg. A dose deve ser individualizada pelo médico em teia grave, disfunção pulmonar, depressão respira-
crianças menores de 1 mês. tória e disfunção renal.

Ações terapêuticas: Nome comercial: PAVULON

Bloqueador neuromuscular não despolarizante.


INDICAÇÕES: PAPAVERINA – 5% 2ml amp.
Coadjuvante da anestesia para induzir o relaxamen- Posologia e administração:
to do músculo esquelético e facilitar o manuseio dos Dose usual: 10-100mcg, IV.

Voltar para o índice É proibida a reprodução parcial ou total deste documento. Página 71 de 106
Título: Manual Farmacoterapêutico MANUAL Código: MN.DIR.002

INDICAÇÃO: Injetável
Isquemia cerebral e periférica associada com espasmo Dose e freqüência de acordo com a terapia.
arterial. Isquemia do miocárdio complicada com arrit- Comprimido
mias. Tem sido utilizada isoladamente ou como coad-
Dose usual: 1 comp. 3x dia.
juvante no tratamento da impotência de ereção.
INDICAÇÃO:
ATENÇÃO:
Doença vascular periférica. Como coadjuvante da
Pode acarretar nódulos fibróticos no local da pun-
cirurgia para o tratamento da claudicação intermi-
ção. Pode ocosionar priapismo.
tente relacionada com doença arterial oclusiva crô-
Nome comercial: PAPAVERINA nica dos membros.
ATENÇÃO:
PARACETAMOL – 200mg/ml 15ml gts.; Náusea, vômito. Não utilizar durante a gravidez.
750mg comp.;
Nome comercial: TRENTAL
Posologia e administração:
ADULTOS:
PERMANGANATO DE POTÁSSIO – 100mg
Dose usual: 750mg, VO, em intervalos de até 4h, se comp.
necessário.
Posologia e administração:
Dose máxima: 3g/dia.
Dissolver o comprimido em 4 litros de água fervida e
CRIANÇAS: utilizar a solução topicamente a 1-4x dia.
Dose usual: 10-15mg/kg, VO, em intervalos de INDICAÇÃO:
4-6h.
Anti - sepsia e desodorização de áreas ulceradas e
NEONATOS: necrosadas.
Dose de ataque: 24mg/kg, VO. ATENÇÃO:
Dose de manutenção: 12mg/kg/dose, VO. Explosões podem ocorrer se colocado em contato
INDICAÇÃO: com substâncias orgânicas ou facilmente oxidáveis,
Analgésico, antipirético. tanto em solução como no estado seco.

ATENÇÃO: Nome comercial: PERMANGANATO DE POTÁSSIO

Pode causar discrasias sangüineas. Superdosabem


ou intoxicação aguda involuntária pode ser fatal ou PETIDINA – 50mg/ml 20ml amp.
insuficiência hepática. Tratamento imediato com N- Posologia e administração:
acetilcisteína.
CRIANÇAS:
Nome comercial: TYLENOL
Dose usual: 1-2mg/kg/dose, IM, SC ou IV, em inter-
valos mínimos de 3-4h.
PENTOXIFILINA – 100/5ml amp.; 400mg Dose máxima: 100mg/dose, IM, IV ou SC.
comp.
NEONATOS:
Posologia e administração:
Dose usual: 0,5-1,5mg/kg/dose, IM, IV ou SC.

Voltar para o índice É proibida a reprodução parcial ou total deste documento. Página 72 de 106
Título: Manual Farmacoterapêutico MANUAL Código: MN.DIR.002

Dose máxima: 2mg/kg, dose, IM, IV ou SC. saliva para aliviar o problema. Após o uso prolon-
INDICAÇÕES: gado, a retirada do medicamento deve ser gradual
para evitar sintomas de abstinência. Gravidez: a pe-
A petidina está indicada nos estados de dor e espas-
tidina atravessa a placenta, podendo causar depres-
mos de várias etiologias, tais como: infarto agudo do
são respiratória no feto. Portanto, seu uso durante
miocárdio, glaucoma agudo, pós-operatórios, pós-
a gravidez somente deve ser procedido, se no julga-
traumáticos, dor conseqüente a neoplasia maligna,
mento do médico os benefícios esperados supera-
espasmos da musculatura lisa dos tratos gastroin-
rem os possíveis riscos para o feto. Amamentação:
testinal, biliar, urogenital e tetania uterina. Pode ser
a petidina é detectada no leite materno; portanto,
empregado, ainda como pré-anestésico ou como
não é recomendado o uso da droga em lactantes.
terapia de apoio ao procedimento anestésico.
Pediatria: petidina injetável não deve ser utilizado as
ATENÇÃO: funções hepática e renal.
Petidina é contra-indicado a pacientes hipersensí- Efeitos adversos podem ser revertidos com adminis-
veis, doenças nas quais deve-ser evitar a depressão tração de naloxona.
do centro respiratório (tais como hipertensão in-
Nome comercial: DOLANTINA
tracraniana e ou cérebro-espinhal, dependência de
opióides, exceto nos casos de câncer, alteração da
consciência, hipotensão devido à hipovolemia e ao PIPERACILINA + TAZOBACTAMA – (4g +
alcoolismo agudo), na terapia de reposição nos ca- 500mg) fr-amp.
sos onde há uma tolerância a opióides, durante a Posologia e administração:
lactação, em casos de síndrome abdominal aguda
ADULTOS:
de etiologia desconhecida, asma brônquica aguda,
arritmia cardíaca, danos e tumor cerebral, delírium Dose usual: 4,5g, IV, de 8/8h ou 6/6h.
tremens, estados convulsivos em pacientes de uso Dose máxima: 4,5g, IV, de 6/6h.
de IMAO.
INDICAÇÃO:
Precauções e advertências
Infecções graves das vias respiratórias baixas. Infec-
Gerais: a petidina deve ser usada com cautela em ções do trato urinário, intra-abdominais, da pele e
pacientes portadores de insuficiência hepática e/ou tecidos moles, sepse, bacteremia; infecções gineco-
renal, hipotiroidismo, riscos de retenção urinária e lógicas, polimicrobianas produzidas por microrga-
caso de patologias ureto-prostáticas. Em pacientes nismos aeróbicos e anaeróbicos.
com hepatopatias são aconselháveis doses iniciais
ATENÇÃO:
menores e ajuste posológico cuidadoso. Como a pe-
tidina aumenta a pressão de liquor, os pacientes com Pode causar erupções cutâneas. Contém 1,85mEq
suspeita de doença do SNC, provavelmente não de- de Na+/g. aumento das transaminases, nefrite in-
vem receber a droga. Como os demais narcóticos, a tersticial. Infundir IV min., 30’.
petidina pode causar hipotensão ortostática. A pe- Nome comercial: TAZOCIN
tidina pode causar dependência física ou psíquica.
Os analgésicos opióides podem diminuir ou inibir o
fluxo salivar, contribuindo para o desenvolvimento PIRACETAM 400mg comp.
de cáries, doenças periodontais, candidíase oral e Posologia e administração:
desconforto. O paciente deve ser orientado para
Dose usual: 1-2 comp. 3x dia
utilizar balas e chicletes sem açúcar ou substituto da

Voltar para o índice É proibida a reprodução parcial ou total deste documento. Página 73 de 106
Título: Manual Farmacoterapêutico MANUAL Código: MN.DIR.002

INDICAÇÃO: Posologia e administração:


Síndrome senil involutiva, síndromes pós-traumáti- Dose usual: 20-40mg/dia.
cas, acidente cerebrovascular. Alterações de atenção Dose máxima: 15mg/dia.
e consciência, delírio, confusão de origem vascular,
INDICAÇÃO:
estados comatosos e subcomatosos (vasculares,
traumáticos ou tóxicos). CRIANÇAS: transtornos da Afecções que requeiram ação antiinflamatória e
aprendizagem (memorização, atenção e observa- analgésica como a artrite reumatóide, osteoartrite,
ção); transtornos de integração e do pensamento; espondilite anquilosante, distúrbios musculoesque-
transtornos do comportamento e da adaptação ao léticos agudos e gota aguda. Dismenorréia primária
meio; seqüelas psicoafetivas de afecções neurológi- em pacientes maiores de 12 anos.
cas (ictus). Eventos adversos: estomatite, anorexia, constipa-
ATENÇÃO: ção, úlcera péptica, lesão renal.

Piracetam é excepcionalmente bem tolerado e ge- Piroxican não está indicado para o tratamento pro-
ralmente não dá origem a efeitos secundários. Po- longado da gota.
der ocorrer raramente, quadros de agitação psico- Nome comercial: FELDENE SL
motora e estimulação sexual.
Nome comercial: NOOTROPIL
POLIESTIRENOSSULFONAO DE CÁLCIO –
30g env.
PIRIMETAMINA – 25mg comp. Posologia e administração:
Posologia e administração: ADULTOS E IDOSOS:
ADULTOS: Dose usual: 15-30g VO ou VR, em intervalo de6-8h.
Dose usual: 25mg/dia, VO, 1x dia CRIANÇAS:
Dose máxima: 100mg/kg/dia, VO, dose de ataque. Hiperpotassemia aguda
CRIANÇAS: Dose usual: 1g/kg/dia, VO, em doses fracionadas ou
Dose usual: 1mg/kg/dia, VO. 1g/kg, VR, em intervalos de 24 horas.

INDICAÇÃO: Dose usual: 1g/kg, VR, em intervalos de 24h.

Profilaxia e tratamento do paludismo por espécies NEONATOS:


de Plasmodium. Toxoplasmose em associação com Hiperpotassemia
uma sulfamida do tipo sulfapirimidina.
Dose usual: 1g/kg, VR, com o tempo mínimo de re-
ATENÇÃO: tenção de 30min.
Mielotoxicidade, anemia megaloblástica, leucope- INDICAÇÃO:
nia, plaquetopenia. O uso concomitante de ácido
Hiperpotassemia na insuficência renal.
folínico reduz estes efeitos. Pode ocasionar erup-
ções cutâneas, diarréia, vômitos e xerostomia. ATENÇÃO:

Nome comercial: DARAPRIN Obstipação intestinal.


NEONATOS: no período neonatal, administrar so-
mente por VR.
PIROXICAN – 20mg comp. SL

Voltar para o índice É proibida a reprodução parcial ou total deste documento. Página 74 de 106
Título: Manual Farmacoterapêutico MANUAL Código: MN.DIR.002

Controlar eletrólitos, cálcio, magnésio. suficiência renal.


Nome comercial: SORCAL Nome comercial: POLIMIXIN B

POLIMIXINA B – 500.000UI fr-amp. POLIVITAMINAS – 20ml gts.


Posologia e administração: Posologia e administração:
ADULTOS E CRIANÇAS: ADULTOS:
Dose usual: 15.000-25.000UI/kg/dia (indivíduos Dose usual: 24gts. /dia.
com função renal normal). Infusões podem ser da- CRIANÇAS:
das a cada 12 horas.
Dose usual: 12gts. /dia.
Indivíduos com comprometimento renal, a dose
INDICAÇÃO:
usual deve ser reduzida 15.000UI/kg/dia.
Carência nutricional.
A dose diária não deve exceder 25.000UI/kg/dia.
Nome comercial: PROTOVIT
NEONATOS:
Com função renal normal, podem receber acima de
40.000UI/kg/dia. PREDNISOLONA – 3mg/ml 100ml VO
INDICAÇÃO: Posologia e administração:

Infecções agudas causadas por cepas susceptíveis ADULTOS:


de Pseudomonas aeruginosa. A poIimixina B é a Dose usual: 5-60ml/dia, VO, 1x dia.
droga de escolha no tratamento de infecções do
CRIANÇAS:
trato urinário, meninges e sangue, causadas por ce-
pas susceptíveis de P. aeruginosa. Também pode ser Dose usual: 1-2mg/kg/dia, 2x.
empregada no uso tópico e subconjuntival no tra- NEONATOS:
tamento de infecções oculares causadas por cepas
Dose usual: 0,5-1mg/kg/dia, VO, de 12/12h.
susceptíveis de P. aeruginosa. Pode ser indicada tam-
bém para tratamento de sérias infecções causadas INDICAÇÃO:
por: • H. influenzae, especificamente em infecções É indicada no tratamento de várias patologias por
das meninges. • Escherichia coli, especificamente seus efeitos antiinflamatórios e imunossupressores;
em infecções do trato urinário. • Aerobacter aero- proporciona um alívio sintomático, mas não tem
genes, especificamente no caso de bacteremias. • efeito sobre o desenvolvimento da doença subja-
Klebsiella pneumoniae, especificamente no caso de cente. Terapêutica substituta no tratamento de in-
bacteremias. suficiência supra-renal, hepatite alcoólica por ence-
ATENÇÃO: falopatia, hepatite crônica ativa, necrose hepática
subaguda. Tratamento de choque por insuficiência
Não é recomendada rotineiramente, a via intramus-
adrecortical e como coadjuvante no tratamento de
cular, devido à dor severa no local da injeção, parti-
choque associado com reações anafiláticas, doenças
cularmente em crianças e neonatos.
alérgicas ou inflamatórias, doenças reumáticas, do-
Este medicamento deve ser descartado após 72 horas enças dermatológicas (dermatite, líquen, pênfigo,
seguidas sua diluição, se mantido sob refrigeração. psoríase) e doença do colágeno.
As doses devem se ajustadas em pacientes com in- ATENÇÃO:

Voltar para o índice É proibida a reprodução parcial ou total deste documento. Página 75 de 106
Título: Manual Farmacoterapêutico MANUAL Código: MN.DIR.002

O uso acima das doses fisiológicas por 7 dias ode do SNC.


provocar insuficiência supra-renal. Quando em pulsoterapia, há descrição de morte
Doses elevadas estão associadas com alterações súbita.
do SNC. Hipertensão, edema, catarata, úlcera péptica, imu-
Quando em pulsoterapia, há descrição de morte nossupressão, síndrome de cushing.
súbita. Controlar PA, glicemia, eletrólitos séricos.
Hipertensão, edema, catarata, úlcera péptica, imu- Nome comercial: METICORTEN
nossupressão, síndrome de cushing.
Controlar PA, glicemia, eletrólitos séricos.
PROMETAZINA - 25mg comp.; 25mg/ml
Nome comercial: PRELONE 2ml amp.
Posologia e administração:
PREDNISONA – 5mg; 20mg comp. A escolha da forma farmacêutica e da posologia
Posologia e administração: deve ser feita em função do distúrbio a ser tratado
ADULTOS: e exclusivamente sob orientação médica. Esquema-
ticamente - e apenas a título de orientação - podem
A critério médico.
ser prescritas as seguintes doses:
CRIANÇAS:
ADULTOS:
Imunossupressor:
2 a 6 comprimidos por dia. Estas doses devem ser
Dose usual: 0,05-2mg/kg/dia, VO, 1-4x dia. divididas em duas, três ou quatro vezes, reservando-
Tratamento da asma: se a maior fração para a noite. A forma injetável
deve ser reservada aos casos de urgência, devendo
Dose usual: 1-2mg/kg/dia.
o produto ser administrado por via intramuscular,
INDICAÇÃO: em doses a serem estabelecidas pelo médico. A ad-
Insuficiênca adrenocortical aguda ou primária crô- ministração endovenosa deste produto é bem tole-
nica, síndrome adrenogenital, doenças alérgicas, rada, mas não é isenta de riscos. Administração sub-
doenças do colágeno, anemia hemolítica adquirida, cutânea e/ou intra-arterial não deve ser utilizada.
anemia hipoplásica congênita, trombocitopenia se- INDICAÇÃO:
cundária em adultos, doenças reumáticas, doenças
É indicado no tratamento sintomático de todos os
oftálmicas, tratamento do choque, doenças respi-
distúrbios incluídos no grupo das reações anafilá-
ratórias, doenças neoplásicas (manejo paliativo de
ticas e alérgicas. Graças à sua atividade antieméti-
leucemias e linfomas em adultos e de leucemia agu-
ca, é utilizado também na prevenção de vômitos do
da na infância), estados edematosos, doenças gas-
pós-operatório e dos enjôos de viagens. Pode ser
trintestinais (para ajudar o paciente a superar perí-
utilizado, ainda, na pré-anestesia e na potencializa-
odos críticos em colite ulcerosa e enterite regional),
ção de analgésicos, devido à sua ação sedativa.
triquinose com compromisso miocárdico.
ATENÇÃO:
ATENÇÃO:
Ocorrência de boca seca, obstipação. Utilizar com
O uso acima das doses fisiológicas por 5 dias pode
cautela em insuficiência coronariana, arritmias car-
provocar insuficiência supra-renal.
díacas, presença de insuficiência renal e hepática.
Doses elevadas estão associadas com alterações

Voltar para o índice É proibida a reprodução parcial ou total deste documento. Página 76 de 106
Título: Manual Farmacoterapêutico MANUAL Código: MN.DIR.002

Nome comercial: FENERGAN haja melhora correspondente em modificações da


isquemia em ECG.

PROPAFENONA – 300mg comp. ATENÇÃO:

Posologia e administração: Hipotensão arterial.

Dose mínima: 150mg, 2-3 vezes/dia. Precaução no uso em pacientes com glaucoma e hi-
pertensão intracraniana.
Dose máxima: 300mg, VO, 3x dia.
Nome comercial: SUSTRATE
INDICAÇÃO:
Arritmias ventriculares. Devido a sua propriedade
pró-arrítmica, sua utilização não é recomendada PROPILTIURACILA – 100mg comp.
em arritmias leves. Tem sido utilizada no tratamento Posologia e administração:
da fibrilação auricular. Taquicardia ventricular e su- ADULTOS:
praventricular, tratamento e profilaxia das arritmias
Dose inicial: 300mg, VO, 3x dia.
supraventriculares incluindo a síndrome de Wolf-
Parkinson-White. Dose máxima: 600mg, VO, 3x dia.

ATENÇÃO: CRIANÇAS:

Administração com cautela em casos com insufici- Dose inicial: 5-7mg/kg/dia, VO, 3x dia.
ência cardíaca. INDICAÇÃO:
Evitar o uso em casos com distúrbios de condução e Antitireoideano.
pacientes com doença pulmonar.
Dose de manutenção: ajustar, conforme a resposta
Obstrutiva crônica. do paciente, geralmente 1/4 a 2/4 da dose inicial.
Nome comercial: RITMONORM Nome comercial: PROPILTIOURACIL

PROPATILNITRATO – 10mg comp. PROPOFOL – 10mg/ml 20ml e 50ml fr.


Posologia e administração: Posologia e administração:
Possui apresentação única para ser usado na crise Indução da anestesia
e prevenção do ataque de angina. O comprimido
40mg, cada 10 segundos, até o início da indução
pode ser usado por via oral ou sublingual, evitando
(adultos saudáveis menores de 55 anos); 20mg cada
dessa forma, a utilização de comprimidos diferentes
10 segundos até o início da indução (idosos, neu-
para cada situação.
rocirurgia ) ; 2,5-3,5mg/kg cada 20-30 segundos
É recomendado como profilático em doses de 15 a (crianças saudáveis maiores de 3 anos ).
30mg por dia, ou a critério médico, contra os sinto-
Manutenção da anestesia
mas cardioescleróticos.
Em adultos saudáveis menores de 55 anos e em
INDICAÇÃO:
neurocirurgia, infusão de 6-12mg/kg/h (100-200µg/
Em todas as condições que exijam um vasodilatador kg/min.); em idosos e pacientes debilitados, 3-6mg/
coronariano de ação imediata e prolongada, com kg/h (50-100µg/kg/min.); em crianças saudáveis
início em 55 a 150 segundos. Aumenta significa- maiores de 3 anos, 7,5-18mg/kg/h(125-50mgmg,
tivamente a execução do exercício, ainda que não segundo a necessidade.

Voltar para o índice É proibida a reprodução parcial ou total deste documento. Página 77 de 106
Título: Manual Farmacoterapêutico MANUAL Código: MN.DIR.002

Sedação em terapia intensiva Arritmia, taquicardia de ansiedade, cardiomiopatia


Dose usual: 1-3mg/kg/h hipertrófica obstrutiva e tireotoxicose:

CRIANÇAS (> 3 anos) A faixa de dose de 10 a 40 mg, três ou quatro vezes


ao dia, normalmente atinge a resposta objetivada.
Dose usual: 2,5-3,5mg/k, EV
A dose máxima de 240 mg para arritmias não deve
CRIANÇAS (2 meses) ser excedida.
Dose usual: 125mg/kg/min. Feocromocitoma:
INDICAÇÃO: Usado apenas com uma droga alfabloqueadora.
Agente anestésico intravenoso de curta ação, ade- Pré-operatório:
quado para indução e manutenção de anestesia ge-
Recomendam-se 60 mg, diariamente, por três dias.
ral em procedimentos cirúrgicos e sedação de pa-
cientes adultos em UTI. CRIANÇAS:

ATENÇÃO: A dose deve ser determinada individualmente e o


que se segue é apenas um guia.
Incidência maior de 1%. Bradicardia, hipotensão,
movimentos, ardor, dor ou prurido no local da in- Arritmias, feocromocitoma, tireotoxicose:
jeção, apnéia, erupções. Incidência menor de 1%. 0,25 a 0,5 mg/kg, três ou quatro vezes ao dia, como
Reações anafiláticas ou anafilactóides, contração for necessário.
auricular prematura, síncope, hipertonia, parestesia, Enxaqueca:
hipersalivação, mialgia, prurido, ambliopia.
Abaixo de 12 anos: 20 mg, duas ou três vezes ao
Nome comercial: DIPRIVAN 1% dia. Acima de 12 anos: a dose para adultos.
IDOSOS:
PROPRANOLOL – 40mg comp. A evidência referente à relação entre nível sangüí-
Posologia e administração: neo e idade é conflitante. Com relação aos pacien-
ADULTOS: tes idosos, a dose ótima deve ser determinada indi-
vidualmente, de acordo com a resposta clínica.
Hipertensão:
INDICAÇÃO:
Uma dose inicial de 80 mg, duas vezes ao dia, que
pode ser aumentada a intervalos semanais, de acor- Tratamento da hipertensão, tratamento da angina
do com a resposta. A dose usual está na faixa de pectoris crônica, profilaxia e tratamento de arritmias
160-320 mg por dia, e a dose máxima não deve cardíacas, tratamento da estenose subaórtica hiper-
exceder 640 mg diários. trófica, profilaxia de reinfarto de miocárdio, coadju-
vante do tratamento da feocromocitoma, profilaxia
Angina, ansiedade, enxaqueca e tremor essencial:
da dor de cabeça de origem vascular, tratamento
Uma dose inicial de 40 mg, duas ou três vezes ao dos tremores.
dia, podendo ser aumentada em igual quantidade
ATENÇÃO:
a intervalos semanais, de acordo com a resposta do
paciente. Uma resposta adequada para ansiedade, Barbitúrico, indometacina e rifampicina diminuem
enxaqueca e tremor essencial é normalmente obser- a atividade do propranolol. Cimetidina, hidralazina
vada na faixa de 80-160 mg/dia e, para angina, na e clorpromazina aumentam a atividade do propra-
faixa de 120-240 mg/dia. nolol.

Voltar para o índice É proibida a reprodução parcial ou total deste documento. Página 78 de 106
Título: Manual Farmacoterapêutico MANUAL Código: MN.DIR.002

Contra - indicado em asma e bloqueio cardíaco. Dose usual: 4-5mg/kg/dia, fracionados em 2 e 3 ad-
Gravidez e lactação ministrações.

O propranolol não deve ser usado durante a gravi- Dose máxima: 6mg/kg/dia, VO.
dez, a menos que, a juízo médico, os benefícios es- NEONATOS:
perados superem os riscos potenciais para o feto. O Dose usual: 2mg/kg/dose, VO, cada 12h.
propranolol é excretado no leite materno; portanto,
INDICAÇÃO:
deve ser usado com cautela em lactantes.
Úlcera duodenal. Úlcera gástrica. Síndrome de
Nome comercial: PROPRANOLOL
Zollinger-Ellison. Tratamento de hemorragias eso-
fágicas e gástricas com hipersecreção e profilaxia
PROTAMINA 1.000UI/5ml amp. da hemorragia recorrente em pacientes com úlcera
Posologia e administração: sangrante. Esofagite péptica. No pré-operatório de
pacientes com risco de aspiração ácida (síndrome de
Serve para neutralizar a heparina e deve ser admi-
Mendelson).
nistrada por via intravenosa, muito lentamente. A
dose necessária depende da quantidade de hepa- ATENÇÃO:
rina circulante no sangue e do período de tempo Reduz absorção de cetoconazol e diazepam.
transcorrido desde a sua administração. Caso a Nome comercial: ANTAK/LABEL
concentração de heparina não seja determinada,
recomenda-se não administrar mais do que 1 ml de
Protamina 1.000 por via intravenosa lenta. RANITIDINA-25mg/ml amp.
INDICAÇÃO: Posologia e administração:

Inativação da heparina em casos de hemorragias se- ADULTOS:


veras consecutivas à heparinoterapia; inativação da Dose usual: 50mg, IM e IV lentamente, em interva-
heparina após emprego de circulação extracorpórea los de 6-8h diluir em 30-50ml agua e infundir 15’.
e diálise.
CRIANÇAS:
ATENÇÃO:
Dose usual: 2-3mg/kg/dia, IM ou IV lentamente, em
A administração de Protamina pode determinar hi- intervalos de 8-12h.
potensão. Em algumas ocasiões, foram observadas
NEONATOS:
raras reações alérgicas, com estados semelhantes ao
choque. Dose usual: 2mg/kg/dose, a cada 12h.

Nome comercial: PROTAMINA Infusão continua IV: 0,0625mg/kg/h.


INDICAÇÃO:

RANITIDINA-150mg comp.; 150mg/10ml Úlcera duodenal. Úlcera gástrica. Síndrome de


VO fr. 120ml Zollinger-Ellison. Tratamento de hemorragias eso-
fágicas e gástricas com hipersecreção e profilaxia
Posologia e administração:
da hemorragia recorrente em pacientes com úlcera
ADULTOS: sangrante. Esofagite péptica. No pré-operatório de
Dose usual: 150mg, VO, 2x dia. pacientes com risco de aspiração ácida (síndrome de
Mendelson).
CRIANÇAS:

Voltar para o índice É proibida a reprodução parcial ou total deste documento. Página 79 de 106
Título: Manual Farmacoterapêutico MANUAL Código: MN.DIR.002

ATENÇÃO: Regeneração de tecidos oculares lesados.


Infusão em tempo inferior a 2’ está associado à bra- Nome comercial: EPITESAN
darritmias e óbito. RIFAMPICINA- 300mg caps.
Reduz absorção de cetoconazol e diazepam. Posologia e administração:
Nome comercial: ANTAK ADULTOS:
Dose usual: 600mg/dia, VO/dia, em jejum.
REMIFENTANILA-2mg amp. CRIANÇAS:
Posologia e administração: Dose usual: 10-20mg/kg/dia, VO, em intervalos 12-
Infusões contínuas de Ultiva devem ser administra- 24h.
das com equipamento de infusão calibrado para INDICAÇÃO:
uma linha de infusão de fluxo rápido ou linha exclu-
No tratamento das diversas formas de tuberculose
siva. A linha de infusão deve ser conectada ou estar
e de hanseníase causadas por microrganismos sen-
próxima da cânula venosa para evitar espaço morto
síveis, sempre em associação com outros antibacte-
em potencial. Deve-se ter cuidado para evitar obs-
rianos adequados para diminuir o risco de resistên-
trução ou desconexão das linhas de infusão e para
cia bacteriana. Como o fármaco elimina o estado de
esvaziar adequadamente as linhas para remoção de
portador nasofaríngeo de Neisseria meningitidis, de
resíduos de Ultiva. Deve ser utilizado somente por
indivíduos que tiveram contato íntimo com afetados
via intravenosa e não deve ser administrado por in-
por doença meningocócica, tem preferência nesta
jeção epidural ou intratecal.
indicação.
A administração de Ultiva deve ser individualizada
ATENÇÃO:
de acordo com a resposta do paciente.
Portadores de insuficiência hepática merecem cau-
INDICAÇÃO:
tela especial pelo risco de agravamento das condi-
É indicado como agente analgésico durante a indução ções do fígado.
e/ou manutenção da anestesia geral. É indicado tam-
Nome comercial: RIFALDIN
bém para a continuação da analgesia durante o perío-
do pós-operatório imediato, sob controle estreito, du-
rante a transição para a analgesia de longa duração. SACCHAROMYCES BOULARDII-200mg
ATENÇÃO: caps.
Contra-indicado em pacientes com reconhecida hi- Posologia e administração:
persensibilidade à droga ou a opiáceos em geral. Nas alterações da flora intestinal e na diarréia por
Nome comercial: ULTIVA Clostridium difficile:
Dose usual: 1 caps. 2x ao dia.

RETINOL+AMINOÁCIDOS+METIONINA+ Nas alterações crônicas da flora intestinal:


CLORANFENICOL 3,5g pom. oft. Dose usual: 1 caps. 1x ao dia.
Posologia e administração: INDICAÇÃO:
A critério médico. Como adjuvante: no tratamento da diarréia produ-
INDICAÇÃO: zida por Clostridium difficile, por antibioticoterapia

Voltar para o índice É proibida a reprodução parcial ou total deste documento. Página 80 de 106
Título: Manual Farmacoterapêutico MANUAL Código: MN.DIR.002

ou quimioterapia, na restauração da flora intestinal de não ultrapassar 140 b.p.m. Passar à posologia de
fisiológica. consolidação: 1 comprimido de salbutamol de 4 mg
ATENÇÃO: quatro vezes ao dia.

Em algumas crianças ou lactentes, pode-se observar ATENÇÃO:


o odor de fermento nas fezes, sem qualquer signi- Embora o salbutamol seja utilizado, sob forma de
ficado nocivo. comprimidos ou solução injetável, para o controle
Nome comercial: FLORATIL do parto prematuro, as preparações não devem ser
empregadas diante de aborto iminente. As formula-
ções orais não devem ser usadas concomitantemen-
SALBUTAMOL-injetável; comp; xarope te com betabloqueadores.
Indicação e Posologia: Nome comercial: AEROLIN
Comprimidos e Xarope:  No controle e prevenção
do broncospasmo: adultos 2 a 4 mg três ou qua-
SERTRALINA-50mg comp.
tro vezes ao dia; crianças 1 a 2 mg três ou qua-
tro vezes ao dia. Injetável: na crise ou exacerbação Posologia e administração:
da asma, adultos 8 mcg/Kg (média: 500mcg/Kg; Dose usual: 50mg/dia, VO, 1x dia.
crianças (média:10 mcg/Kg (média 300-400 mcg). INDICAÇÃO:
As doses deverão ser administradas por via S.C., ou
Tratamento da depressão e do transtorno obsessivo-
I.M. e repetidas, se necessário, a cada 4 horas. No
compulsivo (TOC).
estado de mal asmático (sempre por injeção intrave-
nosa lenta ou por infusão intravenosa gota-a-gota), ATENÇÃO:
adultos 4 mcg/kg (média: 250 mcg, repetidas, se Não deve ser usada nas seguintes situações: primei-
necessário, 15 minutos a pós). Diluir 1 ampola em ro trimestre de gestação, uso de tranilcipromina ou
9 ml de soro fisiológico. Aplicar em média, 5 ml da outro IMAO irreversível, alergia a sertralina. Pacien-
solução. Crianças 2,5 mcg/kg (repetidas, se necessá- tes com prejuízo da função do fígado devem ter a
rio, 3 horas após). Diluir 1 ampola em 9 ml de soro dose diminuída.
fisiológico. Aplicar em média, 1 ml da solução. Infu-
Nome comercial: ZOLOFT
são I.V. gota-a-gota, ADULTOS: 5 mcg/minuto. Não
havendo resposta em 30 minutos, aumentar até 10
ou 20 mcg/minuto. Diluir 10 ampolas em 500 ml SEVOFLURANO-100ml; 250ml fr.
de soro fisiológico (concentração de 10 mcg/ml). In-
Posologia e administração:
fundir  0,5 ml (5 mcg/minuto).  NO CONTROLE DE
PARTO PREMATURO NÃO COMPLICADO, diluir 10 Pré-medicação: deve ser selecionada de acordo com
ampolas em 500 ml de soro fisiológico (concentra- a necessidade individual do paciente e decisão mé-
ção de 10 mcg/ml). Infundir gota-a-gota 1 ml (10 dica. Anestesia cirúrgica: deve ser conhecida a con-
mcg, aproximadamente 20 gotas) por minuto. Se centração de sevoflurano liberada pelo vaporizador
necessário, aumentar o gotejamento, inicialmente durante a anestesia. Isto pode ser controlado atra-
10 mcg em cada 10 minutos até os primeiros sinais vés do uso de vaporizadores calibrados especifica-
de resposta, depois, mais lentamente, até a ces- mente para sevoflurano. - Indução: a dosagem deve
sação das contrações uterinas. Manter o ritmo de ser individualizada e titulada para o efeito desejado
gotejamento por 1 hora e reduzir gradativamente de acordo com a idade e quadro clínico do paciente.
(50%) de 6/6 horas. Obs.: monitorizar o pulso a fim Um barbitúrico de ação curta ou outro agente indu-

Voltar para o índice É proibida a reprodução parcial ou total deste documento. Página 81 de 106
Título: Manual Farmacoterapêutico MANUAL Código: MN.DIR.002

tor intravenoso pode ser administrado, seguindo-se Nome comercial: ZOCOR, SINVASCOR
a inalação de sevoflurano. A indução com sevoflu-
rano deve ser realizada em oxigênio, ou em uma
mistura de oxigênio/óxido nitroso. Para indução
SOLUÇÃO DE CARDIOPLEGIA-40ml fr.
anestésica, as concentrações inspiradas de até 8% Posologia e administração:
de sevoflurano geralmente produzem anestesia ci- A critério médico.
rúrgica, em menos de 2 minutos, tanto em adultos
INDICAÇÃO:
quanto em crianças. • Manutenção: níveis cirúrgicos
de anestesia podem ser sustentados com concentra- Parar o coração interrompendo a atividade eletro-
ções de 0,5 a 3% de sevoflurano, com ou sem uso mecânica, sem desgaste de energia armazenada no
concomitante de óxido nitroso. (vide tabela na bula miocárdio.
original) • Despertar: após anestesia com sevoflura- ATENÇÃO:
no, o tempo do despertar anestésico é geralmente
Deve ser diluida em SF 0,9%, fr. De 1000ml antes
curto; portanto, os pacientes podem necessitar mais
da administração.
precocemente de analgésicos no pós-operatório.
Nome comercial: SOLUÇAO DE ST.TOMAS
INDICAÇÃO:
Está indicado para indução e manutenção de
anestesia geral em pacientes pediátricos ou adul- SOLUÇÃO GLICOFISIOLÓGICA-500ml fr.
tos, em procedimentos cirúrgicos hospitalares ou Posologia e administração:
ambulatoriais.
A critério médico.
Nome comercial: SEVORANE, SEVOCRIS
INDICAÇÃO:
Para reposição hidroeletrolítica e de energia em de-
SINVASTATINA-20mg comp. sidratação isotônica, especificamente quando há
Posologia e administração: consumo de energia.

A posologia deve ser individualizada de acordo com Nome comercial: SOLUÇÃO GLICO-FISIOLÓGICA
os níveis basais de LDL-colesterol, aos objetivos pre-
tendidos e à resposta do paciente. A faixa de dosa-
SOLUÇÃO DE GLICOSE 5% - 125ml;
gem é de 5 a 80mg/dia.
250ml; 500ml; 1000ml fr.
INDICAÇÃO:
Posologia e administração:
Redução dos níveis elevados de colesterol total e de
A critério médico.
LDC-C, em pacientes com hipercolesterolemia pri-
mária; em pacientes com doença coronária, reduz INDICAÇÃO:
risco de morte por doença coronária e infarto do Desidratação, hipoglicemias, reposição calórica e
miocárdio não-fatal; reduz o risco de AVC; retarda como diluente de medicamentos.
a progressão da aterosclerose coronária, reduzindo
Nome comercial: SOLUÇÃO GLICOSE 5%
inclusive o desenvolvimento de novas lesões e de
novas oclusões totais.
ATENÇÃO: SOLUÇÃO DE GLICOSE-25% e 50% am-
pola
Monitorizar enzimas hepáticas.
Posologia e administração:

Voltar para o índice É proibida a reprodução parcial ou total deste documento. Página 82 de 106
Título: Manual Farmacoterapêutico MANUAL Código: MN.DIR.002

Varia de acordo com as necessidades metabólicas secções transuretrais, litotripsias, ressecção trans-
de cada paciente e a exclusivo critério médico. cervical, histeroscopia, artrocospias.
INDICAÇÃO: Nome comercial: PURISOLE
A glicose constitui elemento de alto valor energético
para suprir as necessidades calóricas do organismo SORO RINGER SIMPLES-500ml fr.
e para prover, sob forma hiperosmótica e intraveno-
Posologia e administração:
sa, o sangue de glicose no combate dos sintomas
de edema cerebral e no coma hipoglicêmico. Exerce A critério médico.
ação diurética e protetora sobre a célula hepática e INDICAÇÃO:
na formação de glicogênio pelo fígado.
Usado como veículo de medicamentos, para reposi-
Nome comercial: GLICOSE HIPERTÔNICA ção hidroeletrolítica, situações de alcalose metabó-
lica e desidratação com perdas de eletrólitos (vômi-
tos, diarréias e diurese excessiva).
SOLUÇÃO DE GLICOSE 10%- 500ml fr.
Nome comercial: SORO RINGER SIMPLES
Posologia e administração:
A critério médico.
INDICAÇÃO:
SORO RINGER COM LACTATO-500ml fr.
Posologia e administração:
Para casos de desidratação simples, pós-operatório
imediato, diarréia infantil, toxicose, vômito, solução A critério médico.
veículo, tratamento inicial de edema cerebral ou em INDICAÇÃO:
casos que seja indicada diurese osmótica inicial.
Para substituição de líquidos, quando o equilíbrio áci-
Nome comercial: SOLUÇÂO DE GLICOSE 10% do básico está normal ou em ligeira acidose. Também
empregado em casos de desidratação com acidose e
depleção eletrolítica; fístulas biliares, pancreáticas e ile-
SOLUÇÃO DE MANITOL-20% 250ml fr.
ostômicas, diarréia, desidratação infantil, etc.
Posologia administração:
Nome comercial: SORO RINGER C/ LACTATO
A critério médico.
INDICAÇÃO:
SULFENTANILA - 50mcg/ml 1ml amp.;
Edema cerebral; hipertensão intraocular; hiperten- 50mcg/ml 5ml amp.
são intracraniana; insuficiência renal aguda.
Posologia e administração:
Nome comercial: MANITOL 20%
A posologia deve ser individualizada de acordo com
a idade, o peso, o estado físico, patologias subja-
SOLUÇÃO MANITOL + SORBITOL - centes, o uso de outras medicações, e o tipo de pro-
2000ml fr. cedimento cirúrgico e a anestesia.
Posologia e administração: INDICAÇÃO:
A critério médico. Administrado por via intravenosa, é usado tanto
INDICAÇÃO: como agente analgésico em associação com óxido
nitroso/oxigênio, quanto como anestésico único em
Solução para irrigação, geralmente utilizada em res-

Voltar para o índice É proibida a reprodução parcial ou total deste documento. Página 83 de 106
Título: Manual Farmacoterapêutico MANUAL Código: MN.DIR.002

pacientes ventilados. Ele é particularmente útil para Posologia e administração:


procedimentos mais longos e para intervenções mais ADULTOS e CRIANÇAS (> de 12 anos):
dolorosas onde um analgésico potente é necessário
Dose usual: 2 comp. ou 10ml da suspensão a cada
para ajudar a manter a boa estabilidade cardiovas-
12horas.
cular. Também é indicado para administração epidu-
ral em anestesia espinhal. Quando utilizado pela via INDICAÇÃO:
intravenosa é indicado: como um componente anal- Tratamento das infecções causadas por germes sen-
gésico durante indução e manutenção de anestesia síveis à associação sulfametoxazol+trimetropima,
geral balanceada; como um agente anestésico para tais como: infecções do trato respiratório altas e
indução e manutenção da anestesia em pacientes baixas; infecções do trato urinário e renais; infec-
submetidos a procedimentos cirúrgicos de grande ções genitais em ambos os sexos; infecções gastrin-
porte. Quando utilizado pela via espinhal é indica- testinais; infecções da pele e tecidos moles e outras
do: para o manejo da dor pós-operatória após cirur- infecções bacterianas.
gia geral, torácica, ou procedimentos ortopédicos e
ATENÇÃO:
cesariana; como analgésico associado à bupivacaína
epidural para analgesia em parto vaginal. Efeitos colaterais gastrintestinais.

ATENÇÃO: Rashes cutâneos.

Depressão respiratória, rigidez do músculo esquelé- Nome comercial: BACTRIM COMP. /BACTRIM SUSP.
tico. Retenção urinária após o uso espidural.
Nome comercial: SUFENTA SULFAMETOXAZOL + TRIMETROPRIMA -
(400mg + 80mg) /5ml amp.
SULFADIZINA DE PRATA-10mg/g 50g Tb. Posologia e administração:
Posologia e administração: ADULTOS e CRIANÇAS (> 12 anos):

Dose usual: aplicar sobre a área afetada, após lim- Dose usual: 2 ampolas de 5ml, 2x/dia.
peza, 1 a 2x ao dia. CRIANÇAS (até 12 anos):
INDICAÇÃO: Dose usual: 2ml/5 kg de peso corpóreo diariamente,
Prevenção e tratamento de infecções bacterianas e dividido em duas doses iguais de manhã e à tarde.
fúngicas de feridas causadas por queimaduras. Tra- INDICAÇÃO:
tamento tópico de infecções bacterianas de pele e
Infecções respiratórias. Urogenitais: uretrites gono-
de úlcera dérmica. Prevenção e tratamento de feri-
cócicas e cancróide. Gastrintestinais: febre tifóide e
das com grande potencial de sepse: queimaduras,
paratifóide, shigelose, diarréia dos viajantes (Esche-
úlceras varicosas, escaras de decúbito e feridas ci-
richia coli enterotoxigênica) e cólera. Outras infec-
rúrgicas infectadas. Ação profilática contra infec-
ções bacterianas: brucelose, osteomielite aguda e
ções em cateterismos venosos e arteriais.
crônica, nocardiose, actinomicetoma, blastomicose
Nome comercial: DERMAZINE sul-americana e septicemia.
ATENÇÃO:
SULFAMETOXAZOL + TRIMETOPRIMA - Lesões graves do parênquima hepático; insuficiên-
(200mg + 40mg) /5ml; 100ml VO; (400mg cia renal grave.
+ 80mg) comp.
Prematuros e recém-nascidos.

Voltar para o índice É proibida a reprodução parcial ou total deste documento. Página 84 de 106
Título: Manual Farmacoterapêutico MANUAL Código: MN.DIR.002

Reações de hipersensibilidade. SUXAMETÔNIO - 100mg fr.-amp.


Nome comercial: BACTRIM INJ. Posologia e administração:
A dose deve ser individualizada e determinada pelo
SULFATO FERROSO-40mg drag. médico, após cuidadosa avaliação do paciente.

Posologia e administração: INDICAÇÃO:

ADULTOS e ADOLESCENTES: Agente bloqueador neuromuscular, utilizado como


relaxante muscular em anestesia de curta duração.
Dose usual: 1-2 comp./dia podendo chegar até 3
Também é utilizado para intubação endotraqueal e
comp./dia
para reduzir a intensidade das convulsões induzidas
CRIANÇAS (de 5 a 12 anos): farmacologicamente ou eletricamente.
Dose usual: 3-5mg/k/dia Nome comercial: QUELICIN INJ.
CRIANÇAS (de 1 a 5 anos):
Dose usual: 1/2 comp./dia TEICOPLAMINA- 400mg fr-amp
INDICAÇÃO: Posologia e administração:
Antianêmico. Pode ser administrada por via IM ou IV.
ATENÇÃO: ADULTOS
Pode desenvolver quadro doloroso em pacientes Dose usual: 200-400mg/dia,IM ou IV;1x dia
com úlcera péptica atual ou anterior.
CRIANÇAS
Não deve ser administrado com leite ou antiácidos.
Dose usual: 10mg/kg/dia,IV ou IM, de 12/12h,durante
Nome comercial: SULFATO FERROSO, IBEROL 4 dias.A seguir, 6mg/kg/dia em dose diária.
INDICAÇÃO:
SULFATO DE MAGNÉSIO-10%; 50% I.M/ Tratamento de infecções por microrganismos Gram-
I.V. amp. positivos sensíveis, incluindo aqueles resistentes a
Posologia e administração: outros antibióticos, tais como meticilina e cafalos-
porinas: endocardite, septicemia, infecções osteo-
A critério médico.
articulares, infecções do trato respiratório inferior,
INDICAÇÃO: infecções de pele e tecidos moles, infecção urinária
Tratamento e profilaxia da hipomagnesemia mode- e peritonite associada à diálise peritoneal crônica
rada e severa. ambulatorial. Também está indicado no tratamento
de infecções em pacientes alérgicos às penicilinas
No controle imediato das crises convulsivas causa-
ou às cefalosporinas.
das por eclampsia.
ATENÇÃO:
ATENÇÃO:
Não pode ser utilizado durante a gravidez confirmada
O uso parenteral em presença de insuficiência renal
ou suposta, ou durante a lactação, a menos que a juízo
pode levar à intoxicação com magnésio.
médico, os benefícios potenciais superem os riscos.
Nome comercial: SULFATO DE MAGNÉSIO INJ.,
Nome comercial: TARGOCID
MAGNOSTON INJ.

Voltar para o índice É proibida a reprodução parcial ou total deste documento. Página 85 de 106
Título: Manual Farmacoterapêutico MANUAL Código: MN.DIR.002

TENOXICAM-20mg comp. Deve ser administrada com alimentos.

Posologia e administração: Totalmente contra-indicado na gravidez: é terato-


gênico.
Dose usual: 20mg, VO, 1xdia.
Aumenta o nível sérico de teofilina.
INDICAÇÃO:
Nome comercial: THIABEN COMP.
É utilizado para tratar os sintomas de doenças com com-
ponentes inflamatórios, degenerativos e dolorosos em
geral, principalmente do sistema músculo-esquelético, TIAMINA (VIT. B1) – 300mg comp.
como artrite reumatóide, osteoartrite, osteoartrose, es-
Posologia e administração:
pondilite anquilosante, tendinite, bursite e gota.
Dose usual: 300mg, VO, 1-3x dia.
Atenção
INDICAÇÃO:
Não foram estabelecidas a eficácia e segurança no
tenoxicam em crianças.A administração Carência de vit. B1 provocada pelo menor aporte
ou alterações na absorção e que estão relacionadas
Concomitante com hidróxido de alumínico e cimeti-
a uma redução da eliminação diária da tiamina. Ne-
dina leva a um retardo na absorção do tenoxican.
cessidades aumentadas de B1 durante gravidez e
Cuidado em pacientes que estejam tomando anti- amamentação. Terapêutica do beribéri. Cardiomio-
coagulantes e/ou hipoglicemiantes orais, devido à patia alcoólica. Doença de Wernicke. Como adju-
interação medicamentosa. vante no tratamento das neurites e polineurites.
Nome comercial: TILATIL COMP. ATENÇÃO:
Contra-indicado para pacientes sensíveis à tiamina.
TETRACAÍNA + FENILEFRINA + ÁC. BÓRI- Nome comercial: BENERVA COMP.
CO - 5ml sol. oft.
Posologia e administração
TICLOPIDINA – 250mg comp.
A critério médico
Posologia e administração:
Nome comercial: COLÍRIO ANESTÉSICO
Dose usual: 250mg, VO, 1 a 2x dia, durante as re-
feições.
TIABENDAZOL-500mg comp. INDICAÇÃO:
Posologia e administração: Processos que podem envolver hiperagregação pla-
ADULTOS E CRIANÇAS: quetária e consequentemente risco trombogênico;
prevenção de acidentes isquêmicos, sobretudo co-
Dose usual: 50mg/kg/dia.
ronariano, em pacientes com arteriopatia dos mem-
A dose máxima diária não deve exceder 3g, inde- bros interiores; prevenção e correção de alterações
pendente do peso corpóreo. plaquetárias induzidas por circulação extracorpórea
INDICAÇÃO: (cirurgia, hemodiálise).

É indicado no tratamento da estrongiloidíase, da lar- Atenção


va migrans cutânea e visceral (toxocaríase). Evitar o uso em pacientes neutropênicos e trombo-
Atenção citopênico.

Voltar para o índice É proibida a reprodução parcial ou total deste documento. Página 86 de 106
Título: Manual Farmacoterapêutico MANUAL Código: MN.DIR.002

Acompanhamento rigoroso em presença de insufi- Dose máxima: 3mg/kg/dia


ciência renal crônica. INDICAÇÃO:
Nome comercial: TICLID COMP. Deve ser usado apenas em pacientes com esquizofre-
nia crônica ou exarcebações agudas não-responsivas
TIOPENTAL SÓDICO – 1g fr-amp. ao tratamento com outros fármacos antipsicóticos,
por causa da baixa efetividade ou incapacidade de
Posologia e administração:
alcançar uma dose eficaz devido a reações adversas
É administrado unicamente por via IV. Indução da anes- intoleráveis destes medicamentos.
tesia: 50-75mg de tiopental sódico, a intervalos de 20
ATENÇÃO:
a 40 segundos. Uma vez que a anestesia é estabeleci-
da, 25-50mg podem ser administrados cada vez que o Reações extrapiramidais, hipotensão postural, ton-
paciente se move. Controle das convulsões originadas tura, náusea e agranulocitose.
por anestésicos inalatórios ou locais: 75-125mg. Nome comercial: MELLERIL
INDICAÇÃO:
É administrado intravenosamente para a indução de TIROFIBAN – 0,25mg/ml 50ml fr.
anestesia geral ou para a produção de anestesia com- Posologia e administração
pleta de curta duração. Também é usado para hipno-
A critério médico.
se e para o controle de estados convulsivos. Tem sido
usado em pacientes neurocirúrgicos para reduzir a INDICAÇÃO:
pressão intracraniana aumentada. Não produz qual- Em combinação com heparina, é indicado para pa-
quer excitação, mas tem escassas propriedades como cientes com angina instável ou infarto agudo do
analgésico e relaxante muscular. Doses baixas têm-se
miocárdio sem elevação do segmento ST (IMSEST)
mostrado analgésicas e reduzem o limiar da dor. para prevenir a ocorrência de eventos cardíacos is-
ATENÇÃO: quêmicos. É também indicado para pacientes com
síndromes coronárias isquêmicas submetidos à an-
Probenecida: prolongamento do efeito. Zimelidina,
gioplastia coronária ou aterectomia para prevenir a
aminofilina: antagonismo. Diazóxido: hipotensão.
ocorrência de complicações coronárias isquêmicas
Midazolan: sinergismo. Analgésicos opióides: dimi-
relacionadas ao fechamento abrupto da artéria co-
nuem a ação analgésica. Depressão miocárdia e va-
ronária tratada.
sodilatação periférica e hipotensão. Concentração
máxima para infusão 50mg/ml. Atenção

Nome comercial: THIONEMBUTAL Observar sinais de sangramento, plaquetopenia.


Monitorizar plaquetas por 5 dias.
Nome comercial: AGRASTAT
TIORIDAZINA – 25mg
Posologia e administração:
ADULTOS:
TOCOFEROL (VIT E) – 400mg caps.
Posologia e administração:
Dose usual: 25mg, com aumento gradual até máxi-
mo 600-800mg/dia. Dose usual: 1 a 2 capsulas ao dia, ou a critério médico.

CRIANÇAS: INDICAÇÃO:

Dose usual: 1mg/kg/dia, fracionados em 3 doses. È indicado como suplemento vitamínico com ação

Voltar para o índice É proibida a reprodução parcial ou total deste documento. Página 87 de 106
Título: Manual Farmacoterapêutico MANUAL Código: MN.DIR.002

antioxidante; suplemento vitamínico em dietas res- Dose usual: 500mg a 1g IV, de 6/6 horas, ou 2g/dia,
tritivas e inadequadas; suplemento vitamínico nas de 24/24 horas.
doenças crônicas, principalmente naquelas relacio- Dose máxima: 4g/dia.
nadas ao envelhecimento; suplemento vitamínico
CRIANÇAS (> de 1 ano):
na deficiência de vitamina E.
Dose usual: 10mg/kg IV, de 6/6 horas.
ATENÇÃO:
INDICAÇÃO:
Contra-indicado em pacientes com hipoprotrombi-
nemia por deficiência de vitamina K, anemia por de- Infecções estafilocócicas em pacientes alérgicos às
ficiência de ferro e nos casos de hipersensibilidade penicilinas ou que não respondem a elas e infec-
conhecida a qualquer um de seus componentes. ções graves. Pneumonia, bacteremia, osteomielite,
enterocolite, abscessos de tecidos moles. Profilaxia
Nome comercial: EPHYNAL
da endocardite bacteriana. Meningite estafilocócica
e estreptocócica. Septicemia bacteriana.
TRAMADOL – 50mg caps.; 100mg/2ml ATENÇÃO:
Posologia e administração: A dose e a duração da terapia dependerão da ida-
Para se obter efeito ótimo, a posologia deve ser in- de, sensibilidade do microrganismo e gravidade da
dividualizada, ajustando-se a intensidade da dor. infecção, e deverão ser ajustadas à resposta clínica
INDICAÇÃO: do paciente.

Para o alívio da dor de intensidade moderada a gra- Corrigir dose na insuficiência renal.
ve do tipo aguda, subaguda e crônica. Nome comercial: VANCOCINA, VANCOTRAT, VAN-
ATENÇÃO: COCID

Deverá ser feito com cautela em pacientes com hi-


persensibilidade aos opióides, principalmente em VASELINA LÍQUIDA – 20ml amp.; 1000ml fr.
casos de nível reduzido de consciência de origem Posologia e administração:
não estabelecida, distúrbios da função respiratória
A critério médico.
e pressão intracraniana aumentada, exceto no caso
de ventilação. Pacientes que tenham apresentado INDICAÇÃO:
convulsões cerebrais em sua vida pregressa devem Emoliente para pele, remoção de crostas e de po-
ser cuidadosamente avaliados durante o tratamen- madas, pastas e outros produtos previamente uti-
to. - Uso durante a gravidez e lactação: somente de- lizados na pele (limpeza de pele), lubrificante, puro
verá ser utilizado durante a gravidez quando houver ou como base (veículo) de preparações farmacêuti-
indicação médica expressa, levando-se em conside- cas e cosméticas.
ração uma cuidadosa avaliação do risco/benefício.
Nome comercial: V
Nome comercial: TRAMAL, TRAMADOL, TRAMA-
ASELINA LÍQUIDA
DON, DORLESS

VERAPAMIL – 80mg comp.


VANCOMICINA – 500mg IV fr-amp.
Posologia e administração:
Posologia e administração:
ADULTOS:
ADULTOS:

Voltar para o índice É proibida a reprodução parcial ou total deste documento. Página 88 de 106
Título: Manual Farmacoterapêutico MANUAL Código: MN.DIR.002

A dose inicial usualmente recomendada é de 240 mg, Dose usual: 1-2 amp. /dia, IM ou em dias alternados.
dividida em 2 ou 3 tomadas, na dependência da apre- Não deverá ser aplicado por via endovenosa sem
sentação escolhida, aumentando-se a dose diariamen- prévia diluição.
te. A dose diária total para a maioria dos pacientes
INDICAÇÃO:
encontra-se na faixa de 320 a 480 mg/dia.
Na hipovitaminose do complexo B; Beri-béri sub-
IDOSOS:
clássico; como adjuvante da terapêutica antibacte-
As doses devem ser individualizadas. riana, convalescenças, dieta de ulcerosos e diabé-
USO PEDIÁTRICO: ticos, estomatite, glossite, colite, doença celíaca,
Recém-nascidos: 0,75-1 mg; lactentes: 0,75-2 mg; esteatorréia, alcoolismo crônico, coma hepático;
de 1 a 5 anos: 2-3 mg; e de 5 a 14 anos: 2,5-5 mg. insuficiência hepática grave, queloses, queratite
com vascularização córnea, dermatites, anorexia,
INDICAÇÃO:
astenia, neurites e polineurites de origem variada,
Isquemia miocárdica (isquemia silenciosa, angina crosta láctea.
crônica estável e angina de repouso), hipertensão
Nome comercial: BEPLEXARON, HYPLEX B
arterial e profilaxia das taquicardias supraventricula-
res paroxísticas.
ATENÇÃO: WARFARINA – 5mg comp.

Observar a freqüência cardíaca e sinais de insufici- Posologia e administração:


ência cardíaca. ADULTOS:
Nome comercial: DILACORON COMP. Dose inicial: 2,5mg/dia, VO
Dose de manutenção: de acordo com o INR.
VITAMINAS DO COMPLEXO B – 5000mcg CRIANÇAS:
drag. Dose inicial: 0,1 mg/kg/dia, VO.
Posologia e administração: Dose de manutenção: 0,05-0,34mg/kg/dia, VO.
ADULTO: INDICAÇÃO:
Dose usual: 2 a 3 drágeas/dia. É eficaz na prevenção primária e secundária do
CRIANÇAS: tromboembolismo venoso, na prevenção do embo-
Dose usual: 2 a 3 drágeas/dia. lismo sistêmico em pacientes com prótese de válvu-
las cardíacas ou fibrilação atrial, e na prevenção do
INDICAÇÃO:
acidente vascular cerebral, infarto agudo do miocár-
Na profilaxia e tratamento das hipovitaminoses B. dio e da recorrência do infarto.
Nome comercial: BEPLEXARON, BENORMAL Atenção
Hemorragia, distúrbios GI. Não indicado em doença
VITAMINAS DO COMPLEXO B – 5000mcg hepática e renal grave e sangramentos não contro-
/ 3ml amp. lados.

Posologia e administração: Nome comercial: MAREVAN

ADULTO

Voltar para o índice É proibida a reprodução parcial ou total deste documento. Página 89 de 106
Título: Manual Farmacoterapêutico MANUAL Código: MN.DIR.002

5. ANEXOS
Anexo I - TABELA DILUIÇÃO/ESTABILIDADE
Anexo II - INTERAÇÃO MEDICAMENTO X ME-
DICAMENTO
Anexo III - INTERAÇÃO MEDICAMENTO X ALI-
MENTO
Anexo IV - GERMICIDAS
Anexo V - CUIDADOS ENFERMAGEM

6. REFERÊNCIAS
6.1 REFERêNCIAS BIBLIOGRáFICAS
Katzung, bertram G., farmacologia Básica e Clínica,
5 ed., Rio de Janeiro, Guanabara Koogan,1994.
Korolkovas , A, Dicionário terapêutico, São Paulo ,
Guanabara Koogan, 2001.
MINISTÉRIO DA SAÚDE. Secretaria de Assistência á
Saúde, Guia Básico para farmácia hospitalar, Brasília
1994.
MINISTÉRIO DA SAÚDE. Portaria nº 344, de maio de
1998. Substâncias e Medicamentos sujeitos a Con-
trole Especial. Diário da União, Brasília,1998.
Centro Integrado de Atenção À Saúde, Manual Far-
macoterapêutico 2005, Vitória,2005
Hospital Santa Rita de Cássia, Padronização, Padro-
nização de Medicamentos 2001/002,5º ed., Vitó-
ria,2001.

6.2 SITES REFERêNCIAS


www.pfizer.com.br
www.bayer.com.br
www.astrazeneca.com.br
www.cristalia.com.br
www.fresenius-kabi.com.br
www.bbraun.com.br

Voltar para o índice É proibida a reprodução parcial ou total deste documento. Página 90 de 106
Título: Manual Farmacoterapêutico MANUAL Código: MN.DIR.002

7. HISTÓRICO DAS ALTERAÇÕES


Versão Texto
Não se aplica.

Anexo I - TABELA DILUIÇÃO/ESTABILIDADE


Água Destilada Soro Fisiológico Soro Glicosado
FÁRMACO Temp. Refr. Temp. Refr. Temp. Refr. CUIDADOS
Amb. Amb. Amb.
(25°C) 2° - 8°C (25°C) 2° - 8°C (25°C) 2° - 8°C
Não pode ser
Aciclovir (Zovirax) 12h - 12h - 12h -
refrigerado.
Amoxicilina + Clavulonato
04h 08h 04h 08h - -
de potássio (Clavulin)
A ampicilina é
Uso Ime- Uso Ime-
Ampicilina 6h 6h - - instável em soro
diato diato
glicosado.
Azitromicina 24h 7 dias 24h 07 dias 24h 07 dias
Ampicilina + Sulbactam
08h 48h 08h 48h 02h 04h
(Unasyn)
Não diluir em soro
07 dias
24h pro- fisiológico, pre-
24h prote- prote- Uso ime-
Anfotericina B (Fungizon) - - tegido da cipitação rápida.
gido da luz gido da diato
luz Manter ao abrigo
luz
da luz.
Amicacina 24h 07 dias 24h 07 dias 24h 07 dias -
Benzilpenicilina G Potás-
sica Cristalina (Penicilina 24h 07 dias 24h 24h 24h 24h
Cristalina)
Administrar de
forma lenta e
Benzilpenicilina Procaina+
contínua, para
Benzilpenicilina Potássica 24h 07 dias - - - -
não ocorrer o
(Despacilina)
entupimento da
agulha.
Sob refrigeração
pode precipitar,
podendo ser redis-
Uso Ime- Uso Ime-
Cefalotina (Keflin) 12h 04 dias 12h 24h solvida com ligeiro
diato diato
aquecimento e
agitação entre as
mãos.
Agitar bem até
Cefazolina (Kefazol) 24h 10dias 24h 10dias 24h 10 dias
dissolver.
Cefepima (Maxcef) 24h 07 dias 24h 07 dias 24h 07 dias
Não utilizar solu-
Ceftazidima (Fortaz) 24h 07 dias 24h 07 dias 24h 07 dias ções de bicarbo-
nato de sódio.
Ceftriaxona (Rocefin) 24h 03 dias 24h 03 dias 24h 03 dias
É fotossensível,
retirar o frasco da
Ciprofloxacina (Cipro) - - - - - - caixa imediata-
mente antes de
sua utilização.
Clindamicina - 24h - 24h - 24h

Voltar para o índice É proibida a reprodução parcial ou total deste documento. Página 91 de 106
Título: Manual Farmacoterapêutico MANUAL Código: MN.DIR.002

Cloranfenicol (Quemice-
24h 02 dias - - 24h 02 dias
tina)
Uso imediato, não
Fluconazol (Zoltec) - - - - - - deve ser estocado
sob refrigeração.
Gentamicina 24h 24h 24h 24h 24h 24h
Hidrocortisona (Solu-
24h 03 dias - - - -
cortef)

Imipenem+Cilastatina
04h 24h 10h 48h 04h 24h
(Tienam)

Uso imediato.
Toda solução não
Levofloxacino - - - - - -
utilizada deve ser
despresada.
Uso imediato.
Toda solução não
Linezolida - - - - - -
utilizada deve ser
despresada.
As soluções não
Meropenem (Meronem) 8h 48h 10h 48h 8h 8h podem ser conge-
ladas.
Metilprednisolona (Solu-
Diluente próprio => 48h em temperatura ambiente
medrol)
Exposição pro-
longada à luz
de qualquer
tipo, causará um
Metronidazol (Flagyl) - - - - - - escurecimento
do produto. Pode
ocorrer precipita-
ção se for refrige-
rado.
Oxacilina (Staficilin) 03 dias 07 dias 03 dias 07 dias 06 h 05 dias
Não armazenar
Polimixina B 4h 72h 4h 72h 4h 72h em soluções alca-
linas.
Piperacilina + tazobactama
24h 48h - - - -
(Tazobactam)
Teicoplamina 48h 21dias - 24h - 24h
Vancomicina (Vancocina) 24h 14 dias 24h 14 dias 24h 14 dias
É um pó para
recontituição de
Voriconazol
uso único, sem
conservante.

Observações:
1) Não misturar antimicrobianos na mesma seringa;
2) Não utilizar soluções com alteração de coloração e/ou formação de precipitado.
Estabilidades suspensões, soluções, xaropes:
3) Pós para preparo de suspensão extemporânea: após a reconstituição da suspensão é estável por 10 dias
em temperatura ambiente ou 14 dias sob refrigeração.

Voltar para o índice É proibida a reprodução parcial ou total deste documento. Página 92 de 106
Título: Manual Farmacoterapêutico MANUAL Código: MN.DIR.002

4) Soluções, gotas, xaropes: Depois de aberto o prazo de validade é igual ao informado na bula ou grafado
no vidro; desde que acondicionado em condições adequadas.
Obs: Portanto para uma segurança maior para nós e nossos pacientes , após 45 dias de aberto iremos
desprezá-los.
Anti-sépticos tópicos: desprezá-los após 07 dias de aberto.

Anexo II - INTERAÇÃO MEDICAMENTO X MEDICAMENTO


Fármaco Associado com Efeito Conduta Clínica
Diazepam (ansiolítico) Álcool Potencializa o efeito do diazepam a Evitar uso concomitante
nível do SNC
Anticoncepcionais Potencializa os efeitos do diazepam Associação contra-indicada
por longos períodos de tra-
tamento. Adotar um método
anticoncepcional alternativo.
Aminofilina Diminui a ação do diazepam Ajustar dose, se necessário.
Nicotina Reduz os efeitos sedativos dos benzo- Evitar uso concomitante
diazepínicos.
Digoxina Reduz a excreção renal da digoxina, Pode ser necessária a dimi-
aumentando o risco de intoxicação nuição da dose da digoxina.
pela mesma.
Buspirona Dores de cabeça, vertigens, náuseas e O emprego conjunto dos
cãibras musculares. dois medicamentos não tem
efeito terapêutico.
Fenobarbital (anticon- Álcool Má coordenação. Graves efeitos sobre Evitar bebidas alcoólicas e
vulsivante) o SNC, óbito. medicamentos contendo
álcool.
Aminofilina Reduz os feitos da aminofilina Ajustar dose, se necessário.
Anticoncepcionais e Hor- Perda do efeito anticoncepcional, po- Usar método anticoncep-
mônios sexuais dendo ocorrer uma gravidez indese- cional alternativo, enquanto
jada. O estrógeno pode estabilizar ou estiver utilizando o fenobar-
piorar a epilepsia. bital.
Atenolol Altera parâmetros farmacocinéticos Caso não seja possível evitar
do atenol. o uso concomitante, au-
mentar a dose do atenol em
15%.
Carbamazepina Perda da eficácia da carbamazepina Evitar uso concomitante.
Metronidazol Perda do efeito do metronidazol Caso não seja possível evitar
o uso concomitante, aumen-
tar a dose do metronidazol
em 50% e observar os
efeitos.
Nifedipina Diminuição do efeito de ambos. Aumentar a dose de ambos
(principalmente da nifedipi-
na) avaliando dose-efeito.
Penicilinas Perda do efeito antimicrobiano, Evitar o uso concomitante.
podendo levar à continuidade da Usar outra classe de antibi-
infecção. ótico.
Prometazina Possível aumento da freqüência e se- Seu uso deve ser cauteloso
veridade da exitação neuromuscular. devido aos eventos adversos.
Propranolol Altera parâmetro farmacocinético do Caso não seja possível evitar
propranolol o uso concomitante, aumen-
tar a dose do propranolol em
15%.

Voltar para o índice É proibida a reprodução parcial ou total deste documento. Página 93 de 106
Título: Manual Farmacoterapêutico MANUAL Código: MN.DIR.002

Tetraciclina Perda do efeito antimicrobiano, Evitar o isso concomitante.


podendo levar à continuidade da Usar outra classe de antibi-
infecção. ótico.
Fenitoína (anticonvulsi- Acido fólico Queda dos efeitos farmacológicos da Evitar uso concomitante,
vante) fenitoína fazer ajuste de dose, observa
o paciente.
Álcool Má coordenação. Graves efeitos sobre Evitar bebidas alcoólicas e
o SNC, óbito. medicamentos contendo
álcool.
Aminofilina Queda ou perda dos efeitos de am- Evitar o uso concomitante.
bos. Administrar com pelo menos
1 hora de diferença.
Carbamazepina A fenitoína diminui os efeitos da car- Evitar o uso concomitante.
bamazepina. Administrar com pelo menos
1 hora de diferença.
Corticosteróides O uso simultâneo diminui os efeitos Observar os efeitos terapêu-
dos corticosteróides, perdurano p/ ticos e tóxicos de ambos e
aproximadamente 3 semanas após ter adaptar as doses se neces-
parado com a fenitoína. sário.
Furosemida Diminui os efeitos diuréticos da furo- Pode ser necessário aumen-
semida. tar a dose da furosemida,
monitorando seu efeito
diurético.
Hormônios sexuais Sangramento e perda dos efeitos dos Utilizar métodos anticon-
hormônios, descontrole do ciclo. cepcionais alternativos ou
aumentar a dose hormonal
em 25-30%
Levodopa Diminui os efeitos da levodopa. Usar esta combinação com
cautela.
Paracetamol Queda dos efeitos terapêuticos do Evitar uso concomitante.
paracetamol e aumento da sua hepa-
totoxicidade.
Penicilina e derivados Perda do efeito antimicrobiano, Evitar o uso concomitante.
podendo levar à continuidade da Usar outra classe de antibió-
infecção. ticos.
Sulfametoxazol + trime- Aumento das concentrações da feni- Diminuir a dosagem da sul-
toprima toína, podendo aumentar os efeitos fametoxazol + trimetoprima,
terapêuticos e tóxicos. caso não seja possível evitar
seu uso concomitante.
Diclofenaco potássio ou Carbonato de lítio Aumento dos níveis do lítio, poden- Ajustar a dose do lítio caso
sódico (antinflamatório) do elevar os efeitos ou causar uma necessário, após monitora-
intoxicação. mento de 4-5 dias dos níveis
plasmáticos do mesmo,
quando usado junto com o
diclofenaco.
Furosemida (diurético) Digoxina Pode haver distúrbios eletrolíticos in- Monitorar concentração de
duzidos pelo diurético causando serias sódio/potássio enquanto fizer
arritmias. uso simultâneo. Prescrever
uma dieta restringindo o
sódio ou adicionar diurético
poupador de potássio.
Enalapril Diminui os efeitos da furosemida. Monitorar paciente quanto
aos efeitos farmacológicos,
peso e estado geral.
Propranolol Aumenta a ação bloqueadora. Evita associação. Substituir
por atenol que não sofre
interação com a furosemida.

Voltar para o índice É proibida a reprodução parcial ou total deste documento. Página 94 de 106
Título: Manual Farmacoterapêutico MANUAL Código: MN.DIR.002

Insulina NPH (antiabé- Acido acetilsalicílico Potencializa a ação hipoglicemiante Monitorar a glicemia do
tico) da insulina. paciente e ajustar a dose da
insulina se necessário.
Álcool Potencializa a ação hipoglicemiante Evitar a ingestão de bebidas
da insulina. alcoólicas.
Fenitoína A fenitoína pode inibir a secreção en- Monitorar a glicemia do
dógena da insulina, causando sinto- paciente. Se necessário,
mas clínicos significativos relacionados diminuir a dose de fenitoína
à hiperglicemia. ou suprimi-la.
Propranolol Causa hipoglicemia prolongada. Os Pode ser necessário a redu-
sintomas da hipoglicemia permane- ção das doses de insulina.
cem mascarados.
Acido acetilsalicílico Hidróxido de Alumínio Reduz a concentração plasmática do Pacientes que utilizam
(analgésico e antitér- salicilatos. grandes doses de salicilatos
mico) devem- ser monitorados,
além de haver necessidade
de adequar a posologia do
antiácido.
Álcool Aumento da incidência e gravidade Evitar o uso concomitante.
dos sangramentos intestinais.
Corticosteróides Redução da concentração e efeito dos Suspender o uso do corticos-
salicilatos. teróide e , caso tenha de usá-
lo, administrar em intervalos
de aproximadamente 12
horas.
Betabloqueadores Altas doses dia (>2g/dia) de ácido Não usar doses maiores que
acetilsalicílico reduzem ou anulam o 2g/dia de ácido acetilsalicílico
efeito hipotensor dos betabloquea- em pacientes que estejam
dores. usando betabloqueadores.
Tetraciclinas A tetraciclina tem sua absorção dimi- Adotar o intervalo de 1-2h
nuída. entre uma medicação e
outra.
Penicilinas Aumenta a toxicidade do ácido acetil- Adotar o intervalo de 1-2h
salicílico. entre uma medicação e
outra.
Paracetamol (analgésico Álcool O uso prolongado do álcool pode Evitar a ingestão do álcool
e antitérmico) potencializar a hepatotoxicidade do ou considerar o uso de outro
paracetamol podendo causar hepatite antitérmico para pacientes
tóxica. alcoolistas.
Digoxina (glicosídeo Espironolactona Aumento dos níveis da digoxina, com Considerar o uso de outro
cardíaco) perigo de intoxicação digitálica. diurético. Adotar posologia
em separado e abandonar
uso concomitante.
Carbamazepina Álcool Má coordenação. Graves efeitos sobre Evitar o uso concomitante.
o SNC.
Eritromicina Aumento das concentrações e toxici- Evitar o uso concomitante.
dade da carbamazepina.
Haloperidol Queda dos efeitos terapêuticos do Considerar o aumento da
haloperidol. dose do haloperidol para
contornar a interação.
Imipramina Aumento das concentrações/efeitos Ajustar as doses de ambos,
e toxicidade da carbamazepina. Há se necessários.
queda nos níveis de imipramina.
Isoniazida Aumento da toxicidade da carbama- Monitorar a função hepá-
zepina e hepatotoxicidade da isonia- tica do paciente e ajustar a
zida. dose da carbamazepina, se
necessário.

Voltar para o índice É proibida a reprodução parcial ou total deste documento. Página 95 de 106
Título: Manual Farmacoterapêutico MANUAL Código: MN.DIR.002

Carbonato de lítio Pode causar neurotoxicidade. Alguns Observar os pacientes quanto


pacientes desenvolvem sintomas ad- aos sintomas de neurotoxi-
versos relacionados ao SNC, indepen- cidade e suspender um dos
dente dos níveis destes fármacos. medicamentos, caso seja
constatado o quadro.
Verapamil Aumento da concentração plasmática Se necessário, reduzir a dose
da carbamazepina, com toxicidade da carbamazepina em 40-
neurológica. 50% da dose usual.
Metildopa (anti-hiper- Salbutamol Sintomas de insuficiência cardíaca Observar atentamente o
tensivo) (ação aditiva sobre a atividade cardí- paciente.
aca).

Levodopa + carbidopa Efeito hipotensor aditivo, pode causar Considerar o uso concomi-
efeitos tóxicos no SNC como psicoses. tante apenas em casos estri-
Alem disso, inibição da resposta da tamente necessários e moni-
levodopa+carbidopa. torar o paciente quantos aos
efeitos hipotensores aditivos
em ambos os fármacos.
Holoperidol O uso concomitante destes fármacos A associação é utilizada sem
pode causar retardamento psicomo- problemas em pacientes
tor, falhas de memórias e incapacida- esquizofrênicos. Nos casos
de de concentração em pacientes não dos pacientes não esquizo-
esquizofrênicos. frênicos, os sintomas desa-
parecem quando o uso do
holoperidol é descontinuado.
Cetoconazol (antimicó- Antiácidos Os efeitos terapêuticos do cetocona- Administrar o antiácido com
tico) zol podem ser reduzidos. um intervalo superior a 2h
em relação ao cetoconazol.
Corticosteróides O efeito adrenal supressor do corti- Considerar a possibilidade de
costeróide pode ser aumentado, acar- ajustar a dose.
retando um aumento da toxicidae.
Ranitidina Diminui a absorção gástrica do ceto- Usá-lo com um intervalo
conazol. mínimo de 2h.
Prometazina (antialér- Álcool Aumento da depressão a nível do Evitar uso concomitante.
gico) SNC.
Antiácidos orais Diminui a absorção da prometazina. Usar com maior intervalo de
tempo possível entre a admi-
nistração destes fármacos.
Biperideno Os efeitos terapêuticos da prometazi- Ajustar dose da prometazina.
na podem ser diminuídos.
Hioscina Aumento da depressão a nível do Abolir o uso concomitante.
SNC.
Tetraciclina Diminui a eficácia da tetraciclina. Caso o uso se faça necessá-
rio, administrar os fármacos
com um intervalo de 3h.

Voltar para o índice É proibida a reprodução parcial ou total deste documento. Página 96 de 106
Título: Manual Farmacoterapêutico MANUAL Código: MN.DIR.002

Anexo III - INTERAÇÃO MEDICAMENTO X ALIMENTO


Alguns medicamentos cuja administração é recomendada que se realize com alimentos, para evitar irrita-
ção gástrica no trato gastrintestinal: acido acetilsalicílico, alopurinol, aminofilina, amoxacilina, carbamaze-
pina, cetoconazol, dexametasona, eritromicina, glibenclamida, hidroclorotiazida, levodopa, metronidazol,
parecetamol, prednisona, sulfato ferroso.

Medicamentos que não devem ser administrados com alimentos:


Medicamento Interação
Ampicilina Com alimentos, há diminuição de sua biodisponibilidade.
Carbonato de lítio Grande ingestão de Na, diminui o efeito benéfico, pouca ingestão, aumenta a possibilidade de
intoxicação por lítio.
Cefalexina Leite e derivados diminuem sua biodisponibilidade. Com alimentos sua absorção é retardada.
Diazepam Administração VO com alimentos, diminui a velocidade de absorção. Por via IV, apresenta níveis
séricos superiores.
Digoxina Com vitamina D, tem aumento de seus efeitos secundários e toxicidae.
Espironolactona Com alimentos há aumento da biodisponibilidade.
Fenitoína Com ácido fólico e piridoxina, ocorre diminuição nos níveis plasmáticos.
Fenobarbital Com alimentos é retardada e/ou diminuída a absorção. Com piridoxina, há diminuição nos níveis
plasmáticos.
Furosemida Com alimentos, sua absorção é retardada.
Haloperidol Por VO, com café ou chá, seu efeito diminui.
Hidrocortisona Com alimentos, sua absorção é retardada.
Hipoglicemiantes orais Com potássio, ocorre aumento do seu efeito terapêutico.
Isoniazida Com alimentos, há diminuição de sua biodisponibilidade.
Levodopa Com piridoxina, há diminuição nos níveis plasmáticos. Com proteínas, diminuição da absorção.
Lidocaína Com proteínas, diminuição da absorção.
Metronidazol Com alimentos, retardam a absorção.
Paracetamol Os alimentos retardam a absorção.
Propranolol Com proteínas, aumento da biodisponibilidade.
Rifampicina Os alimentos retardam a absorção.
Penicilinas Os alimentos prejudicam sua absorção.
Tetraciclinas O cálcio, presente no leite e derivados, propicia a formação de quelatos e precipitados, dimi-
nuindo sua absorção.

Voltar para o índice É proibida a reprodução parcial ou total deste documento. Página 97 de 106
Título: Manual Farmacoterapêutico MANUAL Código: MN.DIR.002

Anexo IV - GERMICIDAS DESINFETANTES


TERMINOLOGIA, DEFINIÇÕES E SIGLAS. Produtos
1. Anti-sépticos: substâncias ou produtos capazes Álcool etílico a 70% tempo de ação de 10 min. (03
de inibir ou destruir os microrganismos existen- aplicações)
tes nas camadas superficiais ou profundas da Emprego
pele e mucosas.
Desinfecção de artigos não- críticos é semi-críticos e
2. Bactericida: capacidade de eliminar bactérias. desinfecção de superfícies ambientais
3. Fungicida: capacidade de eliminar fungos. Cuidados Especiais
4. Virucida: capacidade de inativar vírus. O álcool etílico tem maior quantidade germicida do
5. Micobactericida: capacidade de eliminar mico- que o isopropílico.
bactérias. Contra- indicado o uso em acrílico.
6. Descontaminação: de superfícies fixas: proces- Enrijece borrachas, plásticos e danifica o cimento
so de eliminação de microrganismos presentes das lentes.
na matéria orgânica em superfícies, através do
uso de produto desinfetante.
Produtos
7. Desinfecção: processo realizado através de
agente físico ou químico que elimina microrga- Cloro orgânico
nismos na forma vegetativa. Tempo de ação de 10mim
8. Desinfetante: produto químico capaz de elimi- Emprego
nar microrganismos na forma vegetativa, atra-
Descontaminação de matéria orgânica em superfí-
vés da aplicação em superfícies ou imersão de
cies fixas (ambiente)
artigos.
Cuidados Especiais
9. Detergente: produto que contêm tensoativos
e visa limpar superfícies através da redução na Deve ser derramado diretamente na matéria orgâni-
tensão superficial da água, dispersão e suspen- ca, absorve a matéria orgânica facilitando sua remo-
são da sujidade. ção é limpeza ambiental subseqüente

10. Limpeza concorrente: procedimento de limpe-


za executado diariamente com água e detergen- Produtos
te, para remoção de sujidades e matéria orgâni-
Glutaraldeido a 2%
ca.
Tempo de imersão de 20 min.
11. Limpeza terminal: procedimento de limpeza
executado após a saída do paciente por alta, Emprego
transferência ou óbito, ou executado periodica- Desinfecção de artigos semi-críticos sensíveis ao ca-
mente para manter o ambiente limpo. lor (ex: material de anestesia ,endoscópio, lâmina de
12. Matéria orgânica: materiais biológicos, tais laringoscópio, etc.)
como: sangue, secreções, excreções e demais Deve ser utilizado em ambiente com exaustão ou
fluídos corporais. ventilação natural apropiada, pois é bastante tóxico
(procurar a CCIH).

Voltar para o índice É proibida a reprodução parcial ou total deste documento. Página 98 de 106
Título: Manual Farmacoterapêutico MANUAL Código: MN.DIR.002

Cuidados Especiais Nesta concentração é altamente corrosiva para me-


Deve ser ativado antes do uso (datar). tais e altamente tóxicos.

Depois de ativado tem validade de 14 ou 28 dias a Nesta concentração é virucida, bactericida, é tuber-
depende do fabricante. culocida.

É ideal observar a concentração da solução através É instável, reagindo á luz é a temperatura.


de fitas identificadoras (mínimo de 1%).
Enxáguar abundantemente, evitando resíduos. Produto
Utilizando em recipientes de plástico ou de vidro Álcool etílico a 70%
sempre tampados. Emprego
Não é indicado para desinfecção de superfícies. Anti-sepsia em procedimentos de médio e baixo risco.
É instável, reagindo á luz e temperatura. Anti-sepsia de coto umbilical
Cuidados Especiais
Produtos Quando empregado constantemente pode causar
Hipoclorito de sódio ressecamento da pele.
0,02% (200ppm), tempo de atuação de 1hora Efeitos adversos não foram constatados.
Emprego
Sanitização de bicos e mamadeiras e em lactário, Produto
frutas é legumes no SND. Álcool a 70%
Cuidados Especiais Com emoliente gel alcoólico
Deve se diluído criteriosamente a cada plantão Emprego
Nesta concentração não apresenta alta toxicidade, Anti - sepsia das mãos pós- lavagem básica em perí-
não sendo necessário o enxágüe do item depois do odos endêmicos de rotavirus.
progresso.
Anti-sepsia das mãos em locais onde não há pias
Deve se derramado diretamente na matéria orgânica disponíveis.
É instável reagindo á Liz e á temperatura. Cuidados Especiais
O uso do gel não substitui a lavagem das mãos visi-
Produtos velmente sujas.
Hipoclorito de sódio
A 1% (10000ppm) Produto
Tempo de atuação de 10 min. Solução de PVPOI 10% com 1% de iodo ativo
Emprego (veículo aquoso)
Descontaminação de matéria orgânica em superfí- Povidine tópico
cies fixas (ambiente) Emprego
Cuidados Especiais Anti-sepsia de pele e mucosas antes de procedimen-

Voltar para o índice É proibida a reprodução parcial ou total deste documento. Página 99 de 106
Título: Manual Farmacoterapêutico MANUAL Código: MN.DIR.002

tos invasivos Emprego


Anti-sepsia de feridas inserção de cateteres vascula- Anti-sepsia do campo operatório
res centrais, etc. Anti-sepsia de pele antes dos procedimentos invasivos
Cuidados Especiais Cuidados Especiais
Necessita de 2 min. de contato para a liberação de Necessita de2 min. de contato para liberação de
iodo livre. iodo livre.
Possui ação residual de 2-4 h. Possui ação residual de2-4 h.
Seu efeito neutraliza-se em contato com matéria or- Seu efeito neutraliza-se em contato com matéria or-
gânica. gânica.
Não deve ser usado em recém- nascidos ou pacien- Não deve ser usado em recém-nascidos ou pacien-
tes com alergia ao iodo. tes com alergia iodo.

Produto Produto
Solução degermante Solução degermante de clorexidine a 4%
De PVP-I 10% com 1% de iodo ativo Emprego
Povidine degermante ou escovas de degermação Pré - operatório: degermação das mãos da equipe
Emprego cirúrgica, descontaminação do campo operatório,
Pré- operatório: degermação das mãos da equipe banho de pacientes.
cirúrgica, descontaminação do campo operatório, Lavagem das mãos de profissionais antes dos proce-
banho de pacientes. dimentos de alto risco (inserção de cateteres).
Lavagem das mãos dos profissionais antes dos pro- Cuidados Especiais
cedimentos de alto risco (inserção de cateteres) Apresenta baixa toxicidade e irritabilidade, poden-
Cuidados Especiais do ser usado em recém-nascidos.
Necessita de 2 min. De contato para a liberação de Pode ser utilizado em pacientes alérgicos ao iodo.
iodo livre. Não deve se utilizado em olhos e ouvidos ou para
Possui ação residual de2-4h. irrigar cavidades corpóreas.
Seu efeito neutraliza-se em contato com matéria or- Pode causar mancha marrom em roupas lavada com
gânica. cloro.
Não deve ser usado em recém-nascidos ou pacien-
tes com alergia ao iodo. Produto
Solução de clorexidine a 0,5% (veículo alcoólico)
Produto Emprego
Solução de PVP-I 10% com 1% de iodo ativo (vei- Anti- sepsia do campo operatório.
culo alcoólico)
Anti- sepsia da pele antes de procedimentos inva-
Anti-sepsia do campo operatório sivos.

Voltar para o índice É proibida a reprodução parcial ou total deste documento. Página 100 de 106
Título: Manual Farmacoterapêutico MANUAL Código: MN.DIR.002

Cuidados Especiais Observar os cinco certos:


Apresenta baixa toxicidade e irritabilidade, poden- • Paciente Certo
do ser usado em recém-nascidos. • Medicamento Certo
Pode ser utilizado em pacientes alérgicos ao iodo. • Dose Certa
Não deve se utilizado em olhos e ouvidos ou para • Horário Certo
irrigar cavidades corpórias.
• Via de administração Certa
Pode causar mancha marrom em roupas lavada
com cloro.
- Prescrição clara, legível e completa;
- Uso de abreviaturas padronizadas;
Produto
- Atenção com zeros, pontos e decimais;
Glutaraldeido a 2% tempo de imersão de 8h
- Horário Padrão;
Emprego
- Manter controle dos medicamentos fora das far-
Esterilização de artigos semi-críticos sensíveis ao calor
mácias.
Cuidados Especiais
Deve ser utilizado em ambiente com exaustão ou
ventilação natural apropriada, pois é bastante tóxico
VIAS DE ADMINISTRAÇÃO ENTERAL:
(procura a CCIH). Devemos entender que a Via de Administração é o
caminho pelo qual um medicamento é levado ao
Deve ser ativado antes do uso (datar).
organismo para exercer sua função terapêutica.
Depois de ativado tem validade de 14 ou 28 dias a
depende do fabricante.
As vias de Administração são:
É ideal observa a concentração da solução através
de fitas identificadoras (mínimo de 1%). Via Oral (VO)

Enxáguar abundantemente, evitando resíduos. É a forma de administração mais segura e menos


dispendiosa. A maioria das medicações é adminis-
Não e indicado para desinfecção de superfícies.
trada por esta via. É contra indicada em pacientes
inconscientes, náuseas e vômitos, bem como na-
Anexo V - CUIDADOS ENFERMAGEM queles incapazes de engolir.
ADMINISTRAÇÃO MEDICAMENTOSA
A Administração Medicamentosa é uma das fun- Via Sublingual (SL)
ções assistenciais exercida, na maioria das vezes,
Propicia absorção rápida de pequenas doses de algu-
pela equipe de enfermagem, a partir da implemen- mas medicações, devido ao suprimento sanguíneo e
tação terapêutica médica. a pouca espessura da mucosa absortiva, permitindo
Administrar medicações, não é somente uma tarefa a absorção direta na corrente sanguínea.
mecânica a ser executada, requer também, avalia-
ção e conhecimento técnico científico.
Via Retal (VR)
Antes da Administração de um medicamento em um
É utilizada em pacientes que apresentam vômitos,
paciente é necessário observar alguns cuidados:

Voltar para o índice É proibida a reprodução parcial ou total deste documento. Página 101 de 106
Título: Manual Farmacoterapêutico MANUAL Código: MN.DIR.002

estão inconscientes e/ou não conseguem deglutir. de coagulação, com doença vascular periférica oclu-
As formas farmacêuticas empregadas são soluções, siva, edema e choque porque estas doenças prejudi-
suspensões e supositórios. Suas maiores limitações cam a absorção periférica.
de uso são a incomodidade de administração, possi-
bilidade de efeitos irritativos para a mucosa e absor-
Via Endovenosa (EV)
ção errática devido à pequena superfície absortiva.
É a administração de uma droga diretamente na
veia, a fim de obter uma ação imediata do medica-
VIAS DE ADMINISTRAÇÃO PARENTERAL: mento. A medicação poderá ser administrada em
Esta via é indicada para administração de medica- qualquer veia periférica acessível, mas com prefe-
mentos a pacientes inconscientes, com distúrbios rência para:
gastrointestinais e pacientes impossibilitados de en- Basílica – Mediana – Cefálica – Antebraço e Dorso
golir. É indicada ainda quando se espera uma ação da mão.
mais rápida da droga e na administração de medica-
A medicação poderá ser administrada ainda em
mentos que se tornam ineficientes em contato com
veias profundas, por meio de cateteres endoveno-
o suco digestivo.
sos introduzidos por punção ou flebotomia.
Esta via é utilizada em casos de emergência.
São as seguintes vias:
Via Subcutânea (SC)
Obsevações:
Uma medicação injetada nos tecidos adiposos (gor-
• A solução deve ser cristalina e não pode ser ole-
dura), abaixo da pele, se move mais rapidamente
osa;
para a corrente sanguínea do que via oral. É absor-
vida através dos capilares. Volume de injeção é de • Retirar todo o ar da seringa, para não entrar ar
0,5ml a 2,0ml. na circulação sanguínea;

Heparina e Insulina são, geralmente, administradas • Aplicar lentamente, observando a reação do pa-
por esta via.. Os locais mais comuns de injeção são ciente;
a face externa da porção superior do braço, face an- • Certificar-se que a agulha permanece na veia
terior da coxa, tecido frouxo do abdômen inferior, durante a aplicação.
região glútea e dorso superior.

Via Intra-óssea
Via Intramuscular (IM)
Utilizada quando for impossível a infusão venosa rá-
São recomendadas para pacientes não cooperativos pida. Permite a disposição de líquidos, medicações
ou aqueles que não podem tomar a medicação via ou sangue na medula óssea. Executada em crianças,
oral e para as medicações que são alteradas pelo esta técnica é utilizada em emergências.
suco digestivo. Volume de injeção é de máximo 5ml.
Se houver necessidade de um volume maior, deve-
se fracionar e aplicar em locais diferentes. Os teci- Via Intra-arterial (IA)
dos musculares possuem poucos nervos sensoriais, É raramente empregada, por dificuldades técnicas e
permitindo uma administração menos dolorosa de riscos que oferece.
medicações irritantes. As injeções intramusculares
são contra-indicadas em pacientes com distúrbios
Voltar para o índice É proibida a reprodução parcial ou total deste documento. Página 102 de 106
Título: Manual Farmacoterapêutico MANUAL Código: MN.DIR.002

Vias respiratória (VR)


Os medicamentos são administrados por inalação, estando sob a forma de gás, geradas por nebulização
ou aerossóis. As maiores vantagens desta via consistem em administração de pequenas doses para rápida
ação e minimização de efeitos adversos sistêmicos.

TABELAS
Soluções Pediátricas
Solução 1:1 = 500ml de SG 5% + 11,2 ml de NaCl 20%
Solução 1:2 = 500ml de SG5% + 7,5 ml de NaCl 20%
Solução 1:3 = 500ml de SG5% + 5,5 ml de NaCl 20%
Solução 1:4 = 500ml de SG 5% + 4,5 ml de Nal 20%

Conversão Gotas x ml
1 gota 0.05ml 11 gotas 0,55ml
2 gotas 0,10ml 12 gotas 0,60ml
3 gotas 0,15ml 13 gotas 0,65ml
4 gotas 0,20ml 14 gotas 0,70ml
5 gotas 0,25ml 15 gotas 0,75ml
6 gotas 0,30ml 16 gotas 0,80ml
7 gotas 0,35ml 17 gotas 0,85ml
8 gotas 0,40ml 18 gotas 0,90ml
9 gotas 0,45ml 19 gotas 0,95ml
10 gotas 0,50ml 20 gotas 1,0ml

Gotejamento
Volume Tempo de In fusão Gotejamento/min
500ml 24hs 7 gts/min.
500ml 12hs 14 gts/min.
500ml 08hs 21 gts/min.
500ml 06hs 28 gts/min.
500ml 05hs 35 gts/min
500ml 04hs 42 gts/min.
500ml 03hs 48 gts/min.
500ml 02hs 56 gts/min.

Voltar para o índice É proibida a reprodução parcial ou total deste documento. Página 103 de 106
Título: Manual Farmacoterapêutico MANUAL Código: MN.DIR.002

Voltar para o índice É proibida a reprodução parcial ou total deste documento. Página 104 de 106

Você também pode gostar