Você está na página 1de 19

O Selo de Salomão é o maior símbolo do Judaísmo.

Também chamado de Estrela (ou escudo) de Davi,


representa os elementos do universo água, fogo, terra
e ar, sendo seus símbolos variações do triângulo. Mas
não se pode afirmar que foi realmente o símbolo do
Rei Salomão nem o do Rei Davi. Outro famoso
símbolo é o Menorá.
A cruz egípcia, também chamada de Ankh ( pronuncia Arr). A
alça oval que compõe o Ankh, sugere um cordão
entrelaçado com as duas pontas opostas que significam os
princípios feminino e masculino (as divindades Osíris e Ísis),
fundamentais para a criação da vida. O ciclo previsível e
inalterável das águas era atribuído ao conceito de
reencarnação, uma das principais características da crença
egípcia. A linha vertical que desce exatamente do centro do
laço, é o ponto de intersecção dos pólos, e representa o
fruto da união entre os opostos.
O Yin-Yang é o símbolo do Taoismo. Um círculo dividido ao
meio por uma linha ondulada; uma metade é negra (yin) e a
outra é branca(yang). Cada metade tem também um
pequeno círculo da cor oposta, ou seja, a metade branca
tem um círculo negro e a negra tem um círculo branco. Esse
símbolo representa o equilíbrio das forças positivas e
negativas do universo: a metade negra representa o
negativo, o escuro, a noturno e o feminino e a metade
branca representa o suave, o iluminado, o diurno e o
masculino. E também significa que devemos ser como água:
corrente, transparente, e principalmente flexivel.
O símbolo do Islã é a Lua Crescente com uma Estrela.
Tal símbolo pode ser observado em branco na
bandeira vermelha da Turquia, fato explicável, se
levar-se em consideração que cerca de 99% da
população turca pertence ao islamismo. O Islamismo é
uma das principais religiões abraâmicas e foi criada
pelo profeta Maomé, tomando como base os
ensinamentos de outras religiões abraâmicas.
O Om ou Aum é além do símbolo do Hinduísmo, o
principal mantra (cântico de meditação) do Hinduísmo.
Assim como muitos outros mantras, este também está
presente no Budismo e no Jainismo e representa o trimurti,
isto é, o conjunto formado pelas três principais
divindadeshindus: Brahma, o Criador do universo; Vishnu, o
Reformador do universo; e Shiva, o Destruidor (ou
Transformador) do universo. Sua forma é semelhante à de
um número três e, como os outros mantras, funciona como
uma espécie de oração, mas não relata um diálogo direto
com seus deuses.
O principal símbolo do Siquismo é o Khanda. Esse símbolo está
presente na bandeira dos sikhs, a Nishan Sahib, hasteada em
todos os templos sikhs, os gurdwaras. O símbolo é a fusão de
quatro armas, cada uma com seu significado: no centro uma
espada de dois gumes (chamada Khanda, de onde surgiu o
nome do símbolo) que simboliza a criatividade e o poder divino;
ao redor do Khanda está o Chakkar, arma com forma circular
que representa a perfeição divina; duas espadas chamadas de
Kirpans em torno do Khanda e do Chakkar: a espada esquerda
representa o pin (o poder espiritual) e a espada direita o min (o
poder temporal).
No oriente, a flor de lótus significa pureza espiritual. O lótus
(padma), também conhecido como lótus-egípcio, lótus-sagrado ou
lótus-da-índia, é uma planta aquática que floresce sobre a água. No
simbolismo budista, o significado mais importante da flor de lótus é
pureza do corpo e da mente.
O símbolo do Budismo é a Roda
Dharmica ou Dharmacakra. É um círculo com oito
braços surgidos no centro apontando direções
diferentes. Cada um dos braços representa cada uma
das oito práticas que constituem o Nobre Caminho
Óctuplo: Compreensão Correta, Pensamento Correto,
Fala Correta, Ação Correta, Meio de Vida Correto,
Atenção Correta, Sabedoria Correta e Visão Correta.
O emblema do Tenrikyo é representado como um
círculo. No interior desse círculo, há um outro menor,
de onde surgem outros cinco braços, separados em
ângulos de 72°, separando o círculo em cinco. Dos
cinco braços, surgem outros cinco círculo, um em
cada braço. O Tenrikyo é uma religião dharmica
surgida no Japão. Sua fundadora foi a camponesa
Miki Nakayama.
O Valknut é o símbolo do Ásatrú, religião instituída na
década de 1960. O Valknut é formado por três
triângulos entrelaçados entre si e representa o poder
do deus Odin. O Ásatrú tenta reviver a antiga mitologia
nórdica. O Valknut já era usado pelos
antigosVikings como símbolo religioso, pois é visto em
muitos documentos antigos.
O Pentagrama é um dos símbolos mais importantes símbolos
da religião chamada Wicca. Esse símbolo está bastante presente
em rituais e cerimônias da religião. É o símbolo do feminino, pois os
antigos astrônomos acreditavam que o planeta Vênus (deusa da
beleza na mitologia romana) fazia uma órbita em forma de estrela
no céu numa visão geocêntrica. Logo, o pentagrama foi adotado
como símbolo d'A Deusa, uma das principais divindades do Wicca.
O Pentagrama também foi estudado por Pitágoras e futuramente por
seus seguidores chegando assim numa denominação de um
emblema da perfeição e no próprio homem, aonde um homem esta
com os braços e pernas abertos formando o pentagrama (outras
ilustrações foram feitas por Leonardo da Vinci). O pentagrama
também possui forte significado na China antiga, aonde cada ponta
simbolizava um elemento, tendo assim Terra, Água, Fogo, Madeira e
Metal.
O Faravahar ou Ferohar é um dos símbolos mais
importantes
do Zoroastrismo, religião monoteísta fundada na Pérsia
pelo profeta Zaratustra (ou Zoroastres). Ele é formado
por uma espécie de asa com um círculo no centro.
Surgindo do círculo, está uma figura humana. O Ferohar
representa a alma dos seres humanos antes de
nascerem e depois de morrerem, ou seja, a
alma humana das pessoas enquanto estas não estão
vivas. Outro símbolo importantíssimo do Zoroastrismo é
o elemento do fogo.
O símbolo do Jainismo é uma variação
do Darmacakra. Nesse caso, a roda dharmica situa-
se no interior da figura de uma mão. A mão é
geralmente vista como símbolo de sabedoria e de
ensinamento. Logo, sendo o Darmacakra um símbolo
presente em muitas religiões dharmicas, é um símbolo
da sabedoria na sua religião. O Jainismo é
uma religião que recebeu muita influência doBudismo,
que por sua vez recebeu muita influência
do Hinduísmo, todas religiões dharmicas. Também
simboliza a oposição à violência.
O maior símbolo da Fé Bahá'í é a Estrela de Nove
Pontas. Para os bahá'ís, o número 9 é sagrado, o
número da perfeição, pois é o dígito máximo. Também
é o valor numérico da palavra árabe Baha e o número
de religiões divinamente reveladas
(sabeísmo,hinduísmo, budismo, judaísmo, cristianismo
, islamismo, zoroastrismo, fé babí e, finalmente, fé
bahá'í). A forma da estrela pode variar, desde que
contenha nove pontas. Ouros símbolos são o Máximo
Nome, o Símbolo da Pedra e o Bahá'i
O Torii é o símbolo do Xintoísmo. É uma espécie de
portal composto por duas barras verticais com uma
barra horizontal no topo (chamada de kasagi),
geralmente mais larga que a distância entre as duas
barras. Sob o kasagi está o nuki, outra trave horizontal
que liga os postes. Sua presença anuncia que há um
santuário xintoísta nas proximidades. Atualmente,
o Torii é considerado um dos mais importantes
símbolos da tradição japonesa e simboliza a
separação entre o mundo dos homens e o dos kami.
O Enkan é o símbolo da religião/filosofia
monoteísta Seicho-no-ie. Este simbolo representa as
integração das religiões mais expressivas da
humanidade. Ele é mostrado como uma estrela de oito
pontas, que representa o budismo. Ao fundo vemos
um circulo branco, representando o cristianismo. O
símbolo é complementado por uma estrela que
representa o xintoísmo, esta estrela está ligada às
outras imagens representativas do símbolo,
demonstrando a integração e coexistência entre todas
as religiões.
O emblema da Igreja Messiânica Mundial A Igreja Messiânica
Mundial foi fundada no Japão em 1º de janeiro de 1935 por
Mokiti Okada, chamado pelos messiânicos Meishu-Sama, que,
em português, significa “Senhor da Luz”. No Brasil, a Igreja foi
introduzida em junho de 1955. O símbolo significa Izunome e foi
extraído do nome de um dos deuses do panteão xintoísta,
Izunome no Ookami, que representa simultaneamente a
atuação do Fogo e da Água. Expressa a que devemos agir com
equilibrio. Usa os conceitos chamados Daijo (horizontal) e Shojo
(Vertical)
Simbolo criado pela UAC para ser usado na bandeira
nacional da Umbanda É formado por um sol que representa
a Luz Divida e uma pomba simbolo de Oxalá, principal Orixá
na tradição Umbandista. A Umbanda (língua Quimbundo
“sacerdote” ou “curador”) é uma religião genuinamente
Brasileira que foi fundada por Zélio Fernandino de
Morais (10 de abril de 1891 - 3 de outubro de 1975) através
do seu guia espiritual, o Caboclo das Sete Encruzilhadas no
ano de 1908 no bairro de Neves distrito de São Gonçalo no
Rio de Janeiro.