Você está na página 1de 18

A n o taçõ es * Esboços * R e f e r ê n c ia s

Digitalizado por: Pregador Jovem


ALMEIDA REVISTA E CO RR IGID A
O LIVRO DE

O retorno dos judeus da Babilônia sob a liderança de Zorobabel e Esdras —


Reconstrução do Templo — A doração restaurada

D a t a e lu g a r : E sc rito n a P alestin a, em 546-461 a.C ., e talvez lo g o ap ó s os c asam en to s m isto s serem


an ulados.
A u to r : A trad ição ju d aic a atrib u i a au to ria de to d o o livro a E sd ra s. A prim eira parte (cap. 1-6) fo i
p rovav elm en te c o m p ila d a a p a rtir de re g istro s p ú b lic o s; a ú ltim a p o rç ã o (cap. 7 -1 0 ), que fo i escrita na
prim eira p e sso a, p rovav elm en te fo i ad icio n ad a en qu an to o s even tos oco rriam , ap ós o re to rn o de E sd ra s
a Je ru salé m . O livro se assem elh a àquele escrito p o r D an ie l m ais d o que q u a lq u e r o u tro , p o ssiv elm en te
p o rq u e am b o s au tores fo ra m ju d e u s n a B ab ilô n ia.
Prova de autoria: N ã o há p ro v a m ais defin itiv a de au to ria d o q u e o fato de que o s ju d e u s sem pre
c o n sid e raram E sd ra s o au to r d e sse livro. E le fo i o p resid en te da G ran d e S in ag o g a e n ão som en te escreveu
este livro, m as a ju d o u a estabelecer o C â n o n d as E sc ritu ras ju d aicas.
T e m a : O reto rn o d o s ju d e u s de to d as as 12 trib o s de Israel e a reedificação d o tem p lo , assim co m o
as d ificu ld ad es en fren tadas p e la n ação a re sp eito da sep aração d o m u n d o p a g ã o que vivia ao re d o r da
Palestin a.
Objetivo: R e g istrar o p rim eiro reagru p am en to n acion al de Israel ap ó s su a prim eira d isp e rsã o entre
o s gen tios. M o stra r os p ro b lem as re lacio n ad o s ao n o v o avivam en to espiritu al, em c o n fo rm id ad e co m a
lei de M o isés.
E s t a t ís t ic a s : 15° livro da B íb lia; 10 cap ítu lo s, 280 v ersícu lo s; n en h um a p ro fecia, n en h u m a m en sagem
de D e u s; n en h um a p ro m e ssa; 9 p e rgu n tas; e 43 orden an ças.

I. O retorno do remanescente (Esdras 1-2) fique a Casa do S e n h o r , D eus de Israel; M e é o Deus


1. Decreto de Ciro que habita em Jerusalém.
(2 Cr 36.22,23; Is 41.2,3,25; 44.28; 45.1-4,13; 46.11) • 4E todo aquele que ficar em alguns lugares em que an­
dar peregrinando, *os homens do seu lugar o ajudarão
1 *N O ^primeiro ano de cÇiro, rei da Pérsia (para que
se cumprisse a palavra do S e n h o r , “p o r boca de Je ­
remias), despertou o S en h o r o espírito de Ciro, rei da
com prata, e com ouro, e com fazenda, e com gados, afo­
ra as dádivas voluntárias para a Casa de Deus, que habita
Pérsia, o qual fez passar pregão por todo o seu reino, em Jerusalém.
como também por escrito, dizendo: 2. Preparação para o retorno da Babilônia;
2Assim diz Ciro, rei da Pérsia: aO S e n h o r , Deus dos céus, 5.400 utensílios de ouro e prata além de outros itens
me deu todos os reinos da terra; ht ele me encarregou de 5aEntão, se levantaram ^os chefes dos pais de cJudá e Ben­
lhe edificar uma casa em Jerusalém, que é em Judá. jamim, e os sacerdotes, e os levitas, com todos aqueles
• 3 flQuem há entre vós, de todo o seu povo, seja seu cujo espírito D eus despertou, para subirem à edificar a
Deus com ele, e suba a Jerusalém, que é em Judá, e edi­ Casa do S e n h o r , que está em Jerusalém.

Título 1 Veja Livros de Esdras e Neemias, p. 776. dos judeus e foi ensinado nas coisas de Deus e 1.4a Os, seus vizinhos persas, medos, assírios
1.1a 0 princípio do livro de Esdras se relaciona de sua Palavra. e outros (v. 4).
com a última declaração em 2 Crônicas, que 1.2b Veja a incumbência profética de Deus (is 1.5a Então - após o decreto de Ciro, que au­
também registra o decreto de Ciro, assim como 44.28-45.4,13; 46.11). Sem dúvida, Jeová, que torizou todos os israelitas a voltar à Palestina,
os w. 1-4 aqui. predisse seu nome e realizações, cerca de 150- levantaram-se os chefes dos pais de Judá e
1.1b Isso ocorreu cerca de 538 a.C. 200 anos antes de seu cumprimento, também Benjamim, e os sacerdotes e levitas, com todos
1.1c Veja Reis da Pérsia, p. 776. faiou pessoalmente a Ciro ou tornou sua vonta­ os outros que Deus despertou para restaurar a
i.1d Veja Isaías 44.28-45.1; Jeremias 25.9-12. de conhecida a ele de alguma outra forma (v. 2). nação de Israel (v. 5).
1.2a Este conhecimento de Deus foi dado a 1.3a Pergunta 1. Próxima, 4.22. 1.5b Esses chefes dos pais são nomeados no
Ciro por sua mãe, a judia rainha Ester, além de 1.3b Ciro reconheceu a Jeová como o Deus cap. 2.
Mardoqueu e Neemias. Ele aprendeu a cultura verdadeiro em seu decreto (v. 3). 1.5c Veja Judá e Israel - o mesmo povo, p. 777.
E SD R A S 2 764

6 E todos os que habitavam nos arredores lhes confor­ 8 Os filhos de Zatu, novecentos e quarenta e cinco.
taram as mãos com objetos de prata, e com ouro, e com 9 Os filhos de Zacai, setecentos e sessenta.
fazenda, e com gados, e com coisas preciosas, afora tudo 10O s filhos de Bani, seiscentos e quarenta e dois.
o que voluntariamente se deu. 11 O s filhos de Bebai, seiscentos e vinte e três.
7Também o rei “Ciro tirou os utensílios da Casa do S e ­ 12 O s filhos de Azgade, mil duzentos e vinte e dois.
n h o r , que Nabucodonosor tinha trazido de Jerusalém e 13 O s filhos de Adonicão, seiscentos e sessenta e seis.
que tinha posto na casa de seus deuses. 14O s filhos de Bigvai, dois mil e cinqüenta e seis.
8 Estes tirou Ciro, rei da Pérsia, pela mão de Mitredate, 15O s filhos de Adim, quatrocentos e cinqüenta e quatro.
o tesoureiro, que os deu por conta a Sesbazar, “príncipe 16 O s filhos de Ater, de Ezequias, noventa e oito.
dejudá. 17O s filhos de Besai, trezentos e vinte e três.
9E este é o “número deles: trinta bacias de ouro, mil ba­ 18O s filhos de Jora, cento e doze.
cias de prata, vinte e nove facas, 19O s filhos de Hasum, duzentos e vinte e três.
10trinta taças de ouro, quatrocentas e dez taças de prata 20 O s filhos de Gibar, noventa e cinco.
doutra espécie e mil outros objetos. 21 O s filhos de Belém, cento e vinte e três.
11Todos os utensílios de ouro e de prata foram cinco mil 22 Os homens de Netofa, cinqüenta e seis.
e quatrocentos; todos estes levou Sesbazar, quando os do 23 O s homens de Anatote, cento e vinte e oito.
cativeiro subiram de Babilônia para Jerusalém. 24 O s filhos de Azmavete, quarenta e dois.
3. O remanescente que retornou: 25 O s filhos de Quiriate-Arim, Cefira e Beerote, setecen­
primeira expedição sob Zorobabel tos e quarenta e três.
(1) O povo: cerca de 24.000pessoas (Ne 7.5-38) 26 O s filhos de Ramá e Gibeá, seiscentos e vinte e um.
27O s homens de Micmás, cento e vinte e dois.
E STE S são os filhos da província que “subiram do
2 cativeiro, dos transportados que Nabucodonosor, rei
de Babilônia, tinha levado para Babilônia, e tornaram a
28 O s homens de Betei e Ai, duzentos e vinte e três.
29 O s filhos de N ebo, cinqüenta e dois.
30O s filhos de Magbis, cento e cinqüenta e seis.
Jerusalém e a Judá, cada um para a sua casa,
31 O s filhos do outro Elão, mil duzentos e cinqüenta e
2os quais “vieram com Zorobabel, 4Jesua, 'Neemias, rfSera-
quatro.
ías, 'Reelaías, %Iardoqueu, sBilsã, '’Mispar, ‘Bigvai, -'Reum
32 O s filhos de Harim, trezentos e vinte.
e êBaaná. O número dos homens do povo de Israel1.
33 O s filhos de Lode, Hadide e Ono, setecentos e vinte e
3 O s filhos de Parós, dois mil cento e setenta e dois.
cinco.
4 O s filhos de Sefatias, trezentos e setenta e dois.
34 Os filhos de Jericó, trezentos e quarenta e cinco.
5 O s filhos de Ará, setecentos e setenta e cinco.
35 Os filhos de Senaá, três mil seiscentos e trinta.
6 O s filhos de Paate-Moabe, dos filhos de Jesua-Joabe,
dois mil oitocentos e doze. (2) Os sacerdotes que retornam da Babilônia:
7O s filhos de Elão, mil duzentos e cinqüenta e quatro. 4.289 (Ne 7.39)

1.7a Não somente Ciro se fez um instrumento 2.2a Estes exilados subiram sob a liderança de 8 Oficial sob a liderança de Jeoaquim (Jr 36.26).
e um sen/o de Deus para libertar Israel do ca­ Zorobabel, a quem Ciro nomeara governador 9 Irmão de Baruque (Jr 51.59,61).
tiveiro e decretar a reconstrução de Jerusalém de Judá (v. 2; v. 8, nota, com Ne 7). 2.2e Reelaias. trêmulo por causa de Jeová. Um
e do templo, como também enviou todos os 2.2b Jesua. Jeová é salvação. 9 nessoas com o dos 12 líderes dos exilados que retornaram (v.
utensílios da casa do Senhor de volta a Jeru­ nome de Jesua: 2). Chamado Raamias (Ne 7.7).
salém, os quais Nabucodonosor havia tomado 1 Um sumo sacerdote e auxiliar de Zorobabel 2.2f Mardooueu. adorador de Merodaque. Um
(7-11; 2 Rs 24.13; 25.14; 2 Cr 36.7; Jr 27.18-22; (v. 2; 3.2-9; 4.3; 5.2; 10.18; Ne 7.7). chamado líder no exílio (v. 2; Ne 7.7) e primo de Ester.
28.6; 52.18,19; Dn 1.2; 5,2). Josué (Zc 3.1; 6.11-13). Mencionado 57 vezes no livro de Ester (Ed 2.5-
1.8a Sesbazar, significando Oh! deus sol, nrn- 2 Um sacerdote (v. 36; Ne 7.39; 1 Cr 24.11). 10.3). Mardoqueu pode ter sido um dos que vi­
teia o filho, era o nome caldeu para Zorobabel, 3 Um levita do tempo de Ezequias (v, 40; Ne ram o primeiro templo (Ed 3.12), pois foi levado
que foi nomeado governador de Judá sobre os 7.43; 2 cr 31.15). cativo com Joaquim e pode ter sobrevivido aos
exilados que retornaram (1.8,11; 5.14-16; 6.7). 4 Pai de Jozabade (Ed 8.33). 70 anos de servidão (Et 2.5-7).
Este homem lançou o fundamento do templo 5 Outro exilado (v. 6; Ne 7.11). 2.2g Bilsã. pesquisador. Um dos 12 líderes dos
(5,16). Chamado Zorobabel em 2.2; 3.2,8; 4.2,3; 6 Pai de Ezer (Ne 3.19). exilados (v. 2; Ne 7.7).
5.2; Neemias7.7; 12.1,47; Ageu 1.1,12-14; 2.2- 7 Um levita sob a liderança de Esdras (Ne 8.7; 2.2h Misnar. escritura. Um dos 12 líderes dos exi­
4,21-23; Zacarias 4.6-10. 9.4,5; 12.8,24). lados que retornaram (v. 2). Chamado Misperete
1.9a 5.400 utensílios de ouro e prata: 8 Filho de Azanias (Ne 10.9). (Ne 7.7).
Travessas de ouro............. .............................30 9 Josué - Jesua (versão ACF), sendo o nome 2.2Í Bigvai. feliz. 3 nessnas com o nome de
Travessas de prata.................................... 1.000 dado ao antigo líder de Israel que sucedeu a Bigvai:
Bacias de ouro................................................30 Moisés (Ne 8.17), 1 Um dos 12 líderes dos exilados que retorna­
Bacias de prata.............................................410 2.2c Neemias. Veia nota, Neemias 1.1. ram (v. 2; 14; Ne 7.7,19).
Outros utensílios........................................1.000 2.2d seraias. Jeová é príncipe. 9 homens com o 2 Outro exilado que retornou (Ed 8.14).
Utensílios diversos.................................... 2.930 nome de Seraías: 3 Um homem que selou a aliança (Ne 10.16).
Total (w. 9-11)............................................5.400 1 Um dos 12 líderes dos exilados que retornaram 2.2j Reum. compaixão. 4 homens com o nome
Não se sabe que espécie de utensílios diversos (v. 2; Ne 10.2; 12,1,12). Chamado Azarias (Ne 7.7). rie Reum:
eram estes, exceto que eram de ouro e prata. 2 Um escrivão sob a liderança de Davi (2 Sm 1 Um dos 12 líderes dos exilados que retorna­
Somente 2.470 são especificados aqui, e de­ 8.17). ram (v. 2). chamado Neum (Ne 7.7).
pois um total de 5.400 é mencionado, de modo 3 principal sacerdote quando Nabucodonosor 2 Um persa (Ed 4.8,9,17,23).
que chegamos à quantia de 2.930 restantes. tomou Jerusalém (Ed 7.1; 2 Rs 25.23; 1 Cr 6.14; 3 Um levita (Ne 3.17).
Além destes, havia 29 facas de prata (v, 9). Jr 52.24). 4 Um signatário da aliança (Ne 10.25).
2 .1 a .subiram do cativeiro, referindo-se àqueles 4 Um capitão em Judá (2 Rs 25.23; Jr 40.8). 2.2k Baaná. filho do sofrimento. 3 pessoas com
que foram transportados para a Babilônia por 5 Filho de Quenaz (1 Cr 4.13,14). 0 nome de Baaná:
Nabucodonosor e que puderam provar a gene­ 6 Um simeonita (1 Cr 4.35). 1 Um dos 12 líderes dos exilados que retorna­
alogia de sua família (w. 1-70). 7 Um sacerdote (Ne 11.11; 12.1). ram (v. 2; Ne 7.7; 10.27).
765 E SD R A S 2

36O s sacerdotes: os filhos d e “Jedaías, da casadejesua, no­ 57 os filhos de Sefatias, os filhos de Hatil, os filhos de
vecentos e setenta e três. Poquerete-Hazebaim, os filhos de Ami.
37 O s filhos de “Imer, mil e cinqüenta e dois. 58 Todos os netineus e os filhos dos servos de Salomão,
38 O s filhos de “Pasur, mil duzentos e quarenta e sete. trezentos e noventa e dois.
39 Os filhos de “Harim, mil e dezessete.
(5) Registro do povo sem linhagem (Ne 7.61,62)
(3) Os levitas que retornaram da Babilônia: 55Também estes subiram de Tel-Melá e Tel-Harsa, Que-
341 (Ne 7.43) rabe, Adã e Imer, porém não puderam mostrar a casa de
40 Os levitas: os filhos de Jesua e Cadmiel, dos filhos de seus pais e sua linhagem, se de Israel eram.
Hodavias, setenta e quatro. 60 O s filhos de Delaías, os filhos de Tobias, os filhos de
41 Os cantores: os filhos de Asafe, cento e vinte e oito. Necoda, seiscentos e cinqüenta e dois.
42 Os filhos dos porteiros: os filhos de Salum, os filhos de
(6) Registro dos sacerdotes sem linhagem (Ne 7.63)
Ater, os filhos de Talmom, os filhos de Acube, os filhos de
61 E dos filhos dos sacerdotes: os filhos de Habaías, os
Hatita, os filhos de Sobai, por todos, cento e trinta e nove.
filhos de Coz, os filhos de Barzilai, que tomou mulher
(4) Os netineus ou servidores do Templo das filhas de Barzilai, o gileadita, e que foi chamado do
e os servos de Salomão: 392 (Ne 7.46-62) seu nome.
43 O s ‘“netineus: os filhos de Zia, os filhos de Hasufa, os 62 Estes buscaram o seu registro entre os que estavam
filhos de Tabaote, registrados “nas genealogias, mas não se acharam nelas;
44os filhos de Queros, os filhos de Sia, os filhos de Padom, pelo que por imundos foram rejeitados do sacerdócio.
45 os filhos de Lebana, os filhos de Hagaba, os filhos de 63 E o “tirsata lhes disse que não comessem das ^coisas
Acube, sagradas até que houvesse sacerdote com 'Urirn e com
46 os filhos de Hagabe, os filhos de Sanlai, os filhos de Tumim.
Hanã, (7) Total da congregação:
47os filhos de Gidel, os filhos de Gaar, os filhos de Reaías, 42.360 afora 7.337 servos e 200 cantores (Ne 7.66,67)
48 os filhos de Rezim, os filhos de Necoda, os filhos de
64Toda essa congregação junta foi de “quarenta e dois mil
Gazão,
trezentos e sessenta,
49 os filhos de U zá, os filhos de Paséia, os filhos de Besai,
65 afora os seus servos e as suas servas, que foram sete
50 os filhos de Asná, os filhos dos meunitas, os filhos dos
mil trezentos e trinta e sete; também tinham duzentos
nefuseus,
cantores e cantoras.
51 os filhos de Baquebuque, os filhos de Hacufa, os filhos
de Harur, (8) Seus bens e ofertas (Ne 7.68-73)
52 os filhos de Baslute, os filhos de Meida, os filhos de 66 O s seus “cavalos, setecentos e trinta e seis; os seus mu­
Harsa, los, duzentos e quarenta e cinco;
53os filhos de Barcos, os filhos de Sísera, os filhos de Temá, 67 os seus camelos, quatrocentos e trinta e cinco; os ju­
54 os filhos de Nesias, os filhos de Hatifa, mentos, seis mil setecentos e vinte.
55 os filhos dos servos de Salomão: os filhos de Sotai, os 68E alguns dos chefes dos pais, vindo à Casa do S e n h o r ,
filhos de Soferete, os filhos de Peruda, que habita em Jerusalém, deram voluntárias ofertas para
56 os filhos de Jaala, os filhos de Darcom, os filhos de a Casa de Deus, para a fundarem no seu lugar.
Gidel, 69 Conforme o seu poder, “deram para o tesouro da obra,

2 um dos poderosos de Davi (2 Sm 23.29; 1 Cr 5 De EiãO (V. 7)............................................1.254 32 De Jericó (v. 34)........................................345
11.30). 6 DeZatu (V. 8)...............................................945 33 DeSenaá (V. 35).....................................3.630
3 um capitão em Israel (2 Sm 4.5-12). 7 De Zacai (v. 9 ).............................................760 34 De Jedaías (v. 36)..................................... 973
2.36a Cabeça do 9o turno (1 Cr 24.11). 8 De Bani (V. 10).............................................642 35 De Imer (v. 37).......................................1.052
2.37a Cabeça do 16° turno (1 Cr 24.14). 9 De Bebai (v. 11)...........................................623 36 De Pasur (v. 38)..................................... 1.247
2.38a Jeremias 20.1; 21.1; 1 Crônicas 9,12. 10 De Azgade (v. 12).................................. 1.222 37 De Harim (v. 39)................................... :1.017
2.39a Cabeça do 3o turno (1 Cr 24.8). 11 De Adonicão (v. 13).................................. 666 38 De Jesua e Cadmiel (v. 40).........................74
2.43a Os netineus, servidores do templo (v. 43; 12 De Bigvai (v. 14).................................... 2.056 39 De Asafe (v. 41)................................-........128
58,70; 7.7,24; 8.17-20; Ne 3.26,31; 7.46,60,73; 13 De Adim(v. 15).........................................454 40 Filhos dos porteiros (v. 42)......................139
10.28; 11.3,21; 1 Cr 9.12). 14 De Ater (v. 16).............................................98 41 Dos Netineus e dos filhos dos servos
2.62a Somente aqueles que podiam provar 15 De Besai (v. 17)........................................ 323 de Salomão (w. 43-8).............................. 392
que eram sacerdotes pelas genealogias eram 16 DeJora (v. 18)...........................................112 42 Os filhos dos que não puderam provar
aceitos (v. 62). 17 De Hasum (v. 19)...................................... 223 sua linhagem em Israel (w. 59,60).... . 652
2.63a O título persa para governador é Tirshatha. l8D eG ibar(v. 20)........................................... 95 Total arrolado...........................................29.818
Aqui ele se refere a Zorobabel (v. 63; Ne 7.65). Em 19 De Belém (v. 21)........................................123 Não arrolado............................................17.54?
Neemias 8.9; 10.1, se refere a Neemias. O título 20 Homens de Netofa (v. 22).......................... 56 Total (V. 64)...............................................42.360
em hebraico seria Pechah (Ne 5.14,18; 12.26). 21 Homens de Anatote (v. 23)......................128 43 Servos, servas (v. 65)............................ 7.337
2.63b Isso se refere ao restante da oferta de 22 Filhos de Azmavete (v. 24)........................42 44 Cantores e cantoras (v. 65)................. 200
alimentos, oferta peio pecado, o peito da oferta 23 De Quiriate-Arim, Cefira e Beerote (v. 25).. 743 Total geral................................................. 49.897
movida e a espádua da.oferta alçada dos sacri­ 24 De Raamá e Gibeá (v. 26)........................621 2.66a Seus animais nara a viagem:
fícios pacíficos (Lv 2.3; 10.12-17; Nm 18.9,10). 25 Homens de Micmás (v. 27)......................122 Cavalos (v. 66)................................................736
2.63c Veja t/rim e Tumim, p. 181. 26 Homens de Betei e Ai (v. 28)...................223 Mulos............................................................. 245
2.64a 42.360 dos oue foram registrados: 27 Filhos de Nebo (v. 29)................................ 52 Camelos (v. 67)..............................................435
1 Filhos de Parôs (v. 3 ).............................. 2.172 28 De Magbis(v. 30)..................................... 156 Jumentos.................................................... 6.720
2 De Sefatias (v. 4).........................................372 29 DO outro ElãO (V. 31)............................. 1.254 Total............................................................ 8.136
3 De Ará (v. 5 )................................................775 30 De Harim (v. 32)............................... ........320 2.69a Ofertas voluntárias nara a reeriificacão
4 De Paate-Moabe, Jesua-Joabe (v. 6)...... 2.812 31 De Lode, Hadide e Ono (v. 33).................725 do temolo:
E SD R A S 3 766

em ouro, sessenta e um mil daricos, e, em prata, cinco mil 4. São postos os fundamentos do Templo:
arráteis, e hcem vestes sacerdotais. altas vozes de choro e júbilo
70 E habitaram os sacerdotes, e os levitas, e alguns do 8aE, no segundo ano da sua vinda à Casa de Deus, em Je ­
povo, tanto os cantores como os porteiros e os netineus rusalém, no segundo mês, ^começaram Zorobabel, filho
nas suas cidades, como também *todo o Israel nas suas de Sealtiel, e Jesua, filho de Jozadaque, e os outros seus
cidades. irmãos, os sacerdotes e os levitas, e todos os que vieram
do cativeiro a Jerusalém e constituíram levitas da idade
II. R estauração da adoração
de vinte anos e daí para cima, para que aviassem a obra
1. Edificação do altar
da Casa do S e n h o r .

3
C H E G A N D O , pois, o ^sétimo mês e estando os fi­ 9Então, se levantou Jesua, seus filhos e seus irmãos, Cad-
lhos de Israel já nas cidades, se ajuntou o povo, como miel e seus filhos, os filhos de Judá, como um só homem,
um só homem, em Jerusalém. para vigiarem os que faziam a obra na Casa de Deus, os
2E levantou-se Jesua, filho de *Jozadaque, e seus irmãos, filhos de Henadade, seus filhos e seus irmãos, os levitas.
os sacerdotes, e Zorobabel, Afilho de Sealtiel, e seus ir­ 10Quando, pois, os edificadores lançaram os alicerces do
mãos e edificaram o altar do Deus de Israel, para ofere­ templo do S e n h o r , então, apresentaram-se os sacerdo­
cerem sobre ele holocaustos, ccomo está escrito na Lei de tes, já paramentados e com trombetas, e os levitas, filhos
Moisés, o homem de Deus. de Asafe, com saltérios, para louvarem ao S e n h o r , con­
3 E f ir m a r a m o a lt a r s o b r e a s s u a s b a s e s , p o r q u e o t e r r o r forme a instituição de Davi, rei de Israel.
e s t a v a s o b r e e le s , p o r c a u s a d o s p o v o s d a s t e r r a s ; e o f e r e ­ 11E cantavam a revezes, louvando e celebrando ao S e n h o r ,
c e r a m s o b r e e le h o l o c a u s t o s a o S e n h o r , h o l o c a u s t o s d e porque é bom; porque a sua benignidade dura para sempre
*m a n h ã e d e t a r d e . sobre Israel. E todo o povo jubilou com grande júbilo, quan­
2. Festas e luas novas observadas novamente do louvou o S e n h o r , pela fundação da Casa do S e n h o r .
12 Porém muitos dos sacerdotes, e levitas, e chefes dos
4E celebraram a ^Festa dos Tabernáculos, ^como estã es­ pais, já velhos, que viram a primeira casa sobre o seu
crito, e ofereceram holocaustos de dia em dia, por ordem, fundamento, vendo perante os seus olhos esta casa,
conforme o rito, cada coisa no seu dia; choraram em altas vozes; mas muitos levantaram as vo ­
5 e, d e p o i s d i s s o , o h o l o c a u s t o c o n t í n u o e o s d a s lu a s n o ­ zes com júbilo e com alegria.
v a s e d e t o d a s a s s o le n i d a d e s c o n s a g r a d a s a o S e n h o r , 13De maneira que não discernia o povo as vozes de alegria
c o m o t a m b é m d e q u a lq u e r q u e o fe r e c ia o f e r t a v o lu n t á r ia das vozes do choro do povo; porque o povo jubilava com
ao S e n h o r. tão grande júbilo, que as vozes se ouviam de mui longe.
3. Preparativos para a edificação do Templo III. R estauração da obra impedida.
6 Desde o primeiro dia do sétimo mês, começaram a ofe­ 1. Pacto buscando enfraquecer a Judá
recer holocaustos ao S e n h o r ; porém ainda não estavam
postos aos fundamentos do templo do S e n h o r .
7Deram, pois, o dinheiro aos cortadores e artífices, como
4 Ò U V IN D O , pois, áos adversários de Judá e Benja­
mim que os que tornaram do cativeiro edificavam o
templo ao S e n h o r , Deus de Israel,
também comida, e bebida, e azeite aos sidônios e aos tí- 2 chegaram-se a Zorobabel e aos chefes dos pais e dis­
rios, para trazerem do Líbano ^madeira de cedro ao mar, seram-lhes: Deixai-nos edificar convosco, porque, como
para Jope, segundo a concessão que lhes tinha feito Ciro, vós, buscaremos a vosso Deus; como também já lhe sa­
rei da Pérsia. crificamos desde os dias de Esar-Hadom, rei da Assíria,

61.000 dracmas de ouro. de Israel em Jerusalém. Um altar foi feito e os 3,8b o início da fundação do templo pro­
2.267 kg de prata, ou 500.000 shekels (aproxi­ sacrifícios da manhã e da tarde foram ofereci­ vocou uma grande celebração em israei.
madamente 221 shekels por kg). dos de acordo com a [ei (w. 1-3). Em seguida, As cerimónias descritas nos vv. 8-13 eram
Uma dracma equivalia a um danço. a adoração nas luas-novas e todas as festas semelhantes às festas de lançamento de
2.69b As vestes dos sacerdotes eram de valor anuais fixadas pelo Senhor foram restabeleci­ hoje, cerimônias que precedem os grandes
desconhecido para o guarda-roupa sacerdotal das (w. 4,5). projetos. Os homens levitas com idade de 20
(v. 69). 3.4a A festa dos tabernáculos era um ajunta­ anos para cima eram os únicos que poderiam
2.70a A declaração "todo o Israel nas suas ci­ mento anual quando os judeus habitavam em dirigir a obra (v. 8). Outros trabalhadores par­
dades" prova que os judeus que retornaram da cabanas por oito dias para rememorar sua ticipavam, enquanto os sacerdotes e levitas
Babilônia, de todas as tribos de Israel, repre­ libertação do Egito, num tempo em que não tocavam as trombetas e cantavam louvores
sentavam toda a nação e que os judeus simbo­ tinham habitação permanente. a Jeová, em turnos (w. 9-11). O povo jubilou
lizavam todo o Israel (v. 70). 3.4b Veja Levítico 23.34-43; Deuteronômio 16.13- e chorou em altas vozes, de maneira que nin­
3.1a 0 sétimo mês era outubro, quando se 15. guém conseguia discernir entre o barulho de
comemorava a festa dos tabernáculos (w. 1,4), 3.6a Os fundamentos do templo não foram gritos de alegria e de choro (vv. 1.1-13).
3.2a Jozadaaue era-filho de Seraías (1 Cr colocados, portanto, até que a adoração fosse 4.1a Como sempre, quando Deus começa a
6.14,15), assim como Esdras (7.1). Estes irmãos restabelecida. abençoar seu povo, o Diabo levanta adversá­
eram tios de Jesua, o sumo sacerdote. 3.7a Levaria algum tempo até que os mate­ rios para se oporem à sua obra. Aqui os inimi­
3.2b zorobabel era realmente filho de Pedaías, riais do templo fossem preparados e trazidos gos de Israel se colocaram como amigos e ado­
irmão mais novo de Sealtiel, mas como Seal­ para Jerusaiém, antes de iniciar a sua efetiva radores de Jeová, oferecendo-se para edificar
tiel não tinha filhos e a linhagem reai deveria construção. Evidentemente, medidas foram to­ com eles. Eles se gabavam, alegando serem
prosseguir por meio de seu sobrinho Zoroba­ madas por Ciro a fim de prover o dinheiro para adoradores de Jeová desde os dias de Esar-
bel, o sobrinho foi contado como seu filho (1 tais materiais (v. 7). Hadom, filho de Senaqueribe, rei da Assíria (w.
Cr 3.19). 3.8a Deve ser iembrado que isso se refere ao 1-20). Um sacerdote tinha sido enviado a eles
3.2c isso mostra que os exilados que retorna­ segundo ano da vinda de Zorobabel e de todos muitos anos antes, mas eles (os samaritanos)
ram tinham a lei de Moisés. Veja Deuteronômio aqueles que estão registrados no cap. 2; Nee- não conheciam Jeová. Lemos que temiam ao
12.5-7. mias 7.5-73, e ao segundo ano após o decreto Senhor, mas serviam a seus próprios deuses (2
3.3a Isso se refere à restauração da adoração de Ciro (1.1-4). RS 17.28-41).
767 E SD R A S 4

que nos mandou vir para aqui. 10e outros povos, que o grande e afamado “Osnapar trans­
3 Porém Zorobabel, e Jesua, e os outros chefes dos pais de portou e que fez habitar na cidade de Samaria, e os outros
Israel lhes disseram: “Não convém que vós e nós edifiquemos '’dalém do rio e em tal tempo.
casa a nosso Deus; mas nós, sós, a edificaremos ao S e n h o r ,
5. Cópia da carta a Artaxerxes
Deus de Israel, como nos ordenou o rei Ciro, rei da Pérsia.
11 Este, pois, é o teor da carta que ao rei Artaxerxes lhe
2. Vários impedimentos na construção do Templo mandaram: Teus servos, os homens daquém do rio e em
4“Todavia, o povo da terra debilitava as mãos do povo de tal tempo.
Judá e inquietava-os no edificar. 12Saiba o rei que os judeus que subiram de ti vieram a nós
5 E “alugaram contra eles conselheiros para frustrarem o a Jerusalém, e edificam aquela rebelde e malvada cidade, e
seu plano, todos os dias de ^Ciro, rei da Pérsia, até ao vão restaurando os seus muros, e reparando os seus fun­
reinado de 'Dario, rei da Pérsia. damentos.
13 Agora, saiba o rei que, se aquela cidade se reedificar,
3. Restauração do Templo atrasada por acusação
e os muros se restaurarem, eles não pagarão os direitos,
feita em carta para o rei Assuero
os tributos e as rendas; e assim se danificará a fazenda
6 E sob o reinado de “Assuero, no princípio do seu rei­ dos reis.
nado, escreveram uma acusação contra os habitantes de 14 Agora, pois, como somos assalariados do paço, e não
Judá e de Jerusalém. nos convém ver a desonra do rei, por isso mandamos dar
4. Carta a Artaxerxes para impedir a obra do Templo aviso ao rei,
15para que se busque no livro das crônicas de teus pais, e,
7 “E, nos dias de Artaxerxes, escreveu Bislão, Mitredate,
então, acharás no livro das crônicas e saberás que aquela
Tabeel e os outros da sua companhia a Artaxerxes, rei da
foi uma cidade rebelde e “danosa aos reis e províncias e
Pérsia; e a carta estava escrita em ^caracteres aramaicos e
que nela houve rebelião em tempos antigos; pelo que foi
na língua siríaca.
aquela cidade destruída.
8 Escreveram, pois, Reum, o “chanceler, e Sinsai, o escri­
16N ós, pois, fazemos notório ao rei que, se aquela cidade
vão, *uma carta contra Jerusalém, ao rei Artaxerxes, nesta
se reedificar e “os seus muros se restaurarem, Mesta ma­
maneira.
neira não terás porção alguma desta banda do rio.
9Então, escreveu Reum, o chanceler, e Sinsai, o escrivão,
e os "outros da sua companhia: dinaítas e afarsaquitas, 6. O decreto de Artaxerxes, o rei,
tarpelitas, afarsitas, arquevitas, babilônios, susanquitas, para paralisar a obra do Templo
deavitas, elamitas 17 £ o rei enviou esta resposta a Reum, o chanceler, e

4.3a A oferta dos samaritanos foi rejeitada pelos so, dado a vários reis da Pérsia. Aqui talvez se ser ininteligível pelos judeus comuns (v. 7; 2 Rs
anciãos porque Israel queria permanecer como refira a Cambises, o filho de Ciro. Não pode se 18.26).
um povo separado (v. 3). Isso era o que Deus referir ao próprio Ciro, pois ele já é mencionado 4.8a O Senhor de juízos - um título do gover­
tinha requerido de Israel desde o início. Eles nesse registro (v. 5), e foi quem emitiu o decre­ nador persa de Samaria. Cada governador era
deveriam ser um povo separado em todas as to de liberação a Israel no primeiro ano de seu acompanhado à província por um escriba real,
fases da vida e um exemplo de Deus para todas reinado (1.1-4). Tal carta não teria sido escrita a ou secretário, que tinha uma autoridade inde­
as nações. De forma alguma, deveriam casar ele no início de seu reinado, pois já havia emiti­ pendente (v. 8).
com pessoas de outras nações. Deus permitiu do o decreto para a libertação dos judeus nes­ 4.8b o texto de 4.8-6.18 está em siríaco; o de
casamentos mistos e até os abençoou em raras sa ocasião. É coerente acreditar que no início 6.19-7.11, em hebraico; e o de 7.12-26, em sirí­
ocasiões, mas os costumes das nações eram do reinado seguinte tal carta foi escrita. Nessa aco. Veja introdução bíblica, p. 777.
contrários à sua lei e vontade (Dt 7.3). ocasião, os judeus já tinham retornado a Judá. 4.9a Representantes de oito diferentes povos
4.4a Já que a oferta para ajudar a construir o Sem dúvida, levou vários anos sob o reinado que se estabeleceram em Samaria após o cati­
templo foi rejeitada pelos anciãos de Israel, os de Ciro para que o povo retornasse, se esta­ veiro das dez tribos (v. 9; 2 Rs 17).
adversários tentaram outros métodos com o in­ belecesse na terra, preparasse os materiais e 4.10a Assurbanipal, o único rei assírio que entrou
tuito de enfraquecer a vontade dos judeus para iniciasse a obra. Ciro reinou por nove anos, e em Elão e conquistou Susã, a capital (v. 10).
a edificação. Contrataram conselheiros para se seu filho Cambises, por sete anos, o que signi­ 4.10b Dalém do rio (lado ocidental) do Eufra-
oporem aos judeus que buscavam colocar Ciro fica que a obra foi realizada no transcorrer do tes.
e Dario, reis da Pérsia, contra a restauração de reinado de ambos (w. 6.15). 4.15a Veja 2 Reis 24-25; 2 Crônicas 35-36.
Jerusalém e a obra do templo (w. 4,5). Acusa­ 4.7a Este rei era Histaspes, o sucessor de Cam­ 4.16a Novamente, isso é prova de que os mu­
vam os judeus de construir com a intenção de bises; reinou sete meses entre Cambises e Dario ros ainda não haviam sido concluídos. Portanto,
rebelar-se, como acontecera antes. A história Histaspes, que é mencionado no v. 24. Ele emitiu Neemias 1.1-7.4 ainda não tinha sido cumprido
demonstrava que os judeus agiram assim an­ um decreto de que a obra deveria ser obrigato­ até esse ponto dos eventos de Esdras. Tanto o
tes da destruição de sua nação (w. 6-16). riamente paralisada. Esta obra foi interrompida templo quanto os muros estavam no proces­
4.5a Os adversários contrataram homens na pela força até o segundo ano de Dario Histaspes so de ser edificados, e essa era a razão para a
corte de Ciro e na de outros reis que o segui­ (w. 17-24), quando uma investigação apropria­ oposição. Se os muros tivessem sido comple­
ram, buscando a interrupção, ou ao menos o da foi feita, e o decreto de Ciro, confirmado (v. tados, os homens que forçaram a interrupção
atraso, da obra de restauração (v. 5). 24; 5.1-6.18). Histaspes poderia chamar-se A t da obra no templo poderiam ter sido impedidos
4.5b Este Ciro deve ser identificado com aque­ taxerxes. que significa Grande rei, assim como de entrar (v. 23).
le de 1.1-4, ou seja, Ciro II, de acordo com o alguns outros reis da Pérsia. Já que as palavras 4.16b 5 fatos garantidos ao rei:
Rolo de Ciro. Veja Reis da Pérsia, p. 776. Dario. Assuero e Artaxerxes são títulos, qualquer 1 Eles não pagariam os direitos, tributos e pe­
4.5c Este Dario não deve ser identificado com um ou todos eles poderiam ser utilizados para dágios ao rei (v. 13).
o medo Dario, de Daniel cap. 5, que era o pai de designar cada um desses reis. Decidir quem 2 O rei seria desonrado (v. 14).
Ciro e marido da rainha Ester. Trata-se de Dario está sendo mencionado com base em tais títu­ 3 Jerusalém foi uma cidade rebelde e danosa
Histaspes, o 9o dos reis da Pérsia, listados na p. los é impossível. Só podemos deduzir algo pelo aos reis (v. 15).
776. Ele foi o 3o rei depois de Ciro. elemento tempo de tais passagens. 4 A cidade foi destruída por causa de muitas re­
4,6a Este não podia se referir ao Assuero de Es­ 4.7b Este era o aramaico, um dialeto de Da­ beliões.
ter 1.1, que era o pai de Ciro. A palavra Assuero masco e uma linguagem semita semelhante ao 5 O rei não teria mais porção alguma deste lado
é simplesmente um título, significando podero­ hebraico, mas suficientemente diferente para do rio.
E SD R A S 5 768

a Sinsai, o escrivão, e aos mais da sua companhia, que


habitavam em Samaria; como também ao resto dos que
estavam dalém do rio: Paz! E em tal tempo.
5 "E A G E U , profeta, e Zacarias,, filho de Ido, profeta,
profetizaram aos judeus que estavam em Judá e em
Jerusalém; em nome do Deus de Israel lhes profetiza­
18A carta que nos enviastes foi explicitamente lida diante ram.
de mim. 2 Então, se levantaram Zorobabel, filho de Sealtiel, e Je-
19 E, ordenando-o eu, "buscaram e acharam que, de tem­ sua, filho de Jozadaque, e começaram a edificar a C asa de
pos antigos, aquela cidade se levantou contra os reis, e Deus, que está em Jerusalém; e com eles os profetas de
nela se tem '’feito rebelião e sedição. Deus, que os ajudavam.
20 Também houve reis “poderosos sobre Jerusalém, que 2. Os inimigos dos judeus buscam impedir
dalém do rio dominaram em todo lugar, e se lhes paga­ a obra novamente (Ed 4)
ram direitos, e tributos, e rendas.
3 "Naquele tempo, veio a eles Tatenai, '’governador da-
• 21Agora, pois, "dai ordem para que aqueles homens pa­
quém do rio, e Setar-Bozenai, e os seus companheiros e
rem, a fim de que não se edifique aquela cidade, '’até que
disseram-lhes assim: cQuem vos deu ordem para edifi­
se dê uma ordem por mim.
cardes esta casa e ^restaurardes este muro?
• 22 E guardai-vos de cometerdes erro nisso; "por que
4 Então, assim lhes dissemos: E quais são os nomes dos
cresceria o dano para prejuízo dos reis?
homens que construíram este edifício?
7. A obra do Templo é suspensa 5"Porém os ,;olhos de Deus estavam sobre os anciãos dos
23 Então, depois que a cópia da carta do rei Artaxerxes se judeus, e não os impediram, até que o negócio veio a D a­
leu perante Reum, e Sinsai, o escrivão, e seus companhei­ rio, e, então, responderam por carta sobre isso.
ros, "apressadamente foram eles a Jerusalém, aos judeus, 3. Carta para Dario solicitando a interrupção
e os impediram a.força de braço e com violência. da obra do Templo
24 Então, cessou a obra da Casa de Deus, que estava em
6"Cópia da carta que Tatenai, o governador daquém do rio,
Jerusalém, e cessou até ao ano segundo do reinado de
com Setar-Bozenai e os seus companheiros, os afarsaquitas,
Dario, rei da Pérsia.
que estavam daquém do rio, enviaram ao rei Dario.
IV. A obra da restauração continua (Ed 5-6) 7 Enviaram-lhe uma relação; e assim estava escrito nela:
1. A obra do Templo recomeçou através de profecias Toda a paz ao "rei Dario.

4.19a 0 rei investigou e descobriu que as acu­ temporariamente a obra (v. 24). Nesse meio- 5.3c Perguntas 3-4. Próxima, v. 9.
sações contra Judá e Jerusalém eram verdadei­ tempo, Deus estava lidando com o novo rei, 5.3d Outra prova de que os muros estavam
ras - poderosos reis tinham dominado diversos Dario Histaspes, colocando em seu coração sendo edificados, de que ainda não tinham sido
países a partir destes lugares e cobrado tribu­ que permitisse a continuidade da obra que Ciro concluídos (v. 3).
tos de muitas terras (w. 17-22). havia decretado. 5.5a Esta nova obra no templo somente deu
4.19b Judá foi culpada de muitas insurreições 5.1a Então - durante esse tempo de interrup­ aos inimigos de Israel outra ocasião para tra­
contra reinos estrangeiros que tinham procura­ ção da obra, Deus começou a levantar os pro­ zer o assunto à tona diante do novo rei, Dario
do escravizá-la (2 Rs 24-25; 2 Cr 35-36). fetas Ageu e Zacarias, que estavam em Jeru­ Histaspes, e obter seu parecer sobre o decreto
4.20a Tais como Davi, Salomão, Asa, Uzias, Eze- salém. Eles começaram a encorajar os judeus de Artaxerxes em 4.17-22. Isso também deu
quias e outros (v. 20). para retomarem a obra no templo, a despeito aos judeus uma oportunidade de continuar a
4.21a A carta dos inimigos de Israel em Sama­ do decreto ser ou não confirmado. Foram ins­ obra até que eles mesmos ouvissem do novo
ria levou o rei a investigar e dar ordem para que pirados pelo Espírito Santo, que já sabia que rei (v. 5).
a obra nos muros e no templo cessasse. Nessa em breve aquele decreto para a construção do 5.5b Deus estava com os judeus, e como es­
época, cerca de 16 anos haviam passado des­ templo seria confirmado, e assim todos os im­ tavam determinados a edificar, não podiam
de o decreto de Ciro, conforme Esdras 1.1-4. pedimentos por parte do inimigos seriam der­ parar. Deus também lidou com Dario, cha­
Muitos milhares de judeus voltaram para sua rotados pela autoridade civil. A obra realmente mado Dario l na história secular. Esse rei não
própria terra, grande parte da obra nos muros recomeçou por meio desses profetas (w. 1,2). deve ser confundido com Dario, o medo, da
havia sido feita, e a obra do templo estava em Quando profetizaram que a obra deveria reco­ história sagrada (Dn 5), que foi o Assuero de
progresso. O decreto integral de Ciro foi cance­ meçar, o governador Zorobabel se levantou e Ester 1.1, o marido de Ester e pai de Ciro, um
lado temporariamente, até o segundo ano do começou outra vez a edificar. Então, os inimi­ homem que reinou 17 anos antes. Dario l fez
novo rei, o que ocorreu ao menos cerca de 1 a gos dos judeus recomeçaram a impedir a obra. uma busca e considerou os decretos de Ciro
2 anos depois da interrupção (w. 21-24). Enviaram uma carta a Dario estimulando-o a e Artaxerxes. Finalmente, ele concluiu que
4.21b A palavra até implicava que esta ordem fazer a obra parar, caso ele desejasse continu­ deveria confirmar a ordem de Ciro em vez de
com relação ã paralisação da reconstrução de ar a manter o controle desse lado do Eufrates. aquela dada peio rei anterior, o homem que
Jerusalém e do templo não era definitiva. Evi­ Dario, contudo, após conhecer o decreto ori­ fez a obra parar, o qual teve que ser execu­
dentemente, investigações posteriores foram ginal de Ciro, o confirmou, e a obra continuou tado por pretender usurpar o trono de Dario
determinadas antes que a atitude final fosse sem mais obstáculos. O templo foi terminado (6.1-18). Deus sabia qual seria o resultado
tomada (v. 21). Este rei, conhecido como Go- no sexto ano do reinado desse Dario, mas os quando o assunto viesse à consideração pelo
mates, ou Esmérdis, logo foi morto por Dario muros não foram concluídos até muitos anos novo rei, pelo que Ele motivou os judeus a
Histaspes, o real herdeiro do trono. A busca mais tarde, sob o comando de Neemias, em continuar a obra da reconstrução do templo
continuou e então no segundo ano de seu rei­ tempos de tribulação, conforme registrado em mesmo antes dessa ordem.
nado o decreto final para continuar a recons­ Neemias 2-6; Daniel 9.25. 5.6a A primeira carta foi escrita por Reum de
trução da cidade e do templo foi emitido (v. 24; 5.3a Naquele temno - quando os judeus co­ Samaria, e esta outra foi escrita por Tatenai,
5.1-6.18). meçaram a trabalhar no templo novamente, o governador da Síria (v. 6). Foi esse homem que
4.22a Pergunta 2. Próxima, 5.3. governador do lado ocidental do Eufrates veio ouvira a respeito dos judeus trabalhando no
4.23a Apressadamente, à força e com violên­ e quis saber quem tinha dado tal ordem, já que templo novamente, após ter sido dada a ordem
cia (v. 23). Os judeus poderiam ter resistido Artaxerxes ordenara a interrupção da obra. Ele de descontinuar a obra, e que então foi a Jeru­
e ter sido prejudicados ao fazer exatamente queria saber os nomes dos homens que eram salém para investigar (w. 3-5). Ele agora consi­
aquilo de que eram acusados na carta a Ar­ os chefes (w. 3,4). derava sua obrigação escrever a Dario I para
taxerxes (w, 15,16), Em vez disso, quando 5.3b Tatenai era governador da Síria e Zoroba­ obter sua decisão final sobre o assunto.
receberam a palavra definitiva do rei, fizeram bel era governador de Judá (w. 6,14; 6.6-13; Ag 5.7a Observe a saudação dessa carta escrita
o que pensaram ser o melhor; suspenderam 1.1,14; 2.2,21). nos tempos antigos (v. 7).
769 E SD R A S 6

8 Seja notório ao rei que nós fomos à província de Judá, 4. Dario confirma o decreto de Ciro (Ed 1 . 1 - 4 )
à casa do “grande Deus, que se edifica com ^grandes pe­ “EN TÃ O , o rei Dario deu ordem, e buscaram na chan­
dras, e já a madeira se está pondo sobre as paredes; e essa celaria, onde se metiam os tesouros em Babilônia.
obra apressuradamente se faz e se adianta em suas mãos. 2 E em Acmetá, no palácio que está na província de Mé­
9 Então, perguntamos aos anciãos e assim lhes dissemos: dia, se achou um rolo, e nele estava escrito um memorial,
“Quem vos deu ordem para edificardes esta casa e restau­ que dizia assim:
rardes este muro? • 3N o ano primeiro do rei Ciro, o rei Ciro deu esta or­
“ Demais disto, lhes perguntamos também pelos seus no­ dem: Com respeito à Casa de Deus em Jerusalém, essa
mes, para tos declararmos, para que te pudéssemos escre­ casa se edificará para lugar em que se ofereçam sacrifí­
ver os nomes dos homens que são entre eles os chefes. cios, e seus fundamentos serão firmes; a sua altura, de
11E esta resposta nos deram, dizendo: N ó s somos servos “sessenta côvados, e a sua largura, de sessenta côvados,
do Deus dos céus e da terra e reedificamos a casa que foi • 4 com três carreiras de grandes pedras e uma carreira de
edificada “muitos anos antes; porque um ^grande rei de madeira nova; e a despesa se fará da casa do rei.
Israel a edificou e a aperfeiçoou. ®5Demais disto, os utensílios de ouro e de prata da Casa
12 Mas, depois que nossos pais provocaram à ira o Deus de Deus, que Nabucodonosor transportou do templo
dos céus, “ele os entregou nas ^mãos de Nabucodono- que estava em Jerusalém e levou para Babilônia, se tor­
sor, rei de Babilônia, o caldeu, o qual destruiu esta casa e narão a dar, para que vão ao seu lugar, ao templo que está
transportou o seu povo para Babilônia. em Jerusalém, e os levarão à C asa de Deus.
13 Porém, “no primeiro ano de Ciro, rei de Babilônia, o 6 Agora, pois, Tatenai, governador de além do rio, Setar-
rei Ciro deu ordem para que esta Casa de Deus se edi­ Bozenai e os seus companheiros, os afarsaquitas, que es­
ficasse. tais de além do rio, apartai-vos dali.
14 E até os “utensílios de ouro e de prata, da Casa de e 7Deixa-os na obra desta Casa de Deus, para que o go­
Deus, que Nabucodonosor tomou do templo que estava vernador dos judeus e os judeus edifiquem esta Casa de
em Jerusalém e os meteu no templo de Babilônia, o rei Deus no seu lugar.
Ciro os tirou do templo de Babilônia, e foram dados a • 8 Também por mim se decreta o que haveis de fazer
um homem cujo nome era '’Sesbazar, a quem nomeou com os anciãos dos judeus, para que edifiquem a Casa de
governador. Deus, a saber, que da fazenda do rei, dos tributos dalém
®15 E disse-lhe: Toma estes utensílios, e vai, e leva-os ao do rio, se pague prontamente a despesa a estes homens,
templo que está em Jerusalém, e faze edificar a Casa de para que não sejam impedidos.
Deus, no seu lugar. * 9E o que for necessário, como bezerros, e carneiros, e
16 Então, veio o dito Sesbazar e pôs os fundamentos da cordeiros, para holocausto ao Deus dos céus, trigo, sal,
Casa de Deus, que está em Jerusalém; e desde então “para vinho e azeite, segundo o rito dos sacerdotes que estão
cá se está edificando e ainda não está acabada. em Jerusalém, dê-se-lhes de dia em dia, para que não haja
17Agora, pois, se parece bem ao rei, busque-se lá na casa falta;
dos tesouros do rei, que está em Babilônia, “se é verdade 10para que ofereçam sacrifícios de cheiro suave ao Deus
haver uma ordem do rei Ciro para edificar esta Casa de dos céus e orem pela vida do rei e de seus filhos.
Deus em Jerusalém; e sobre isso nos faça o rei saber a • u “Também por mim se decreta que todo homem que
sua vontade. mudar este decreto, um madeiro se arrancará da sua casa,

5.8a É notável que esse governador sírio cha­ no sexto ano de Dario Histaspes (6.15). to. Um rolo contendo o edito foi encontrado,
masse Jeová de o grande Deus. Sem dúvida, Anos rie reconstrução: até mesmo fornecendo certas dimensões do
era bastante conhecido entre todas as nações 1 Começou no segundo ano após o cativeiro templo (w. 1-5). Dario então anunciou sua de­
pagãs o que o Deus de Israel fizera no pas­ da Babilônia, o qual foi o segundo ano de Ciro, cisão - a obra do templo deveria prosseguir
sado. que reinou nove anos (1.1; veja 4 reis persas, conforme o decreto de Ciro (w. 6,7). Ordenou a
5.8b Grandes neriras. isto é, pedras de tamanho p. 1419)...............................................................7 Tatenai e a outros povos das províncias, a oes­
tal que para serem manejadas tinham de ser 2 Reinado de Cambises (veja 4 reis persas, p. te do Eufrates, que ajudassem os judeus com
roladas a fim de que o transporte delas fosse 1419)...................................................................7 os tributos do rei, fornecendo animais e outras
feito (v. 8), 3 Anos sob o governo de Dario l (6.15)......... „6 coisas necessárias para os sacrifícios. Quem
5.9a Pergunta 5. Próxima, 7.23. Total de anos desse período..........................20 impedisse a obra desse dia em diante seria
5.11a Cerca de 520 anos antes. Salomão levou 7 anos e meio na edificação de destruído (w. 8 - 12).
5.116 Rei Salomão (1 Rs 1-11; 2 Cr 1-6). seu templo, comparado com 20 anos e meio 6.3a A altura do templo era de 60 côvados, ou
5.12a Estes judeus eram humildes e honestos aqui, se contarmos os 7 meses de Artaxerxes, 27 m, e a largura (na verdade, o comprimento)
quanto ao seu passado, explicando quem eram que reinou antes de Dario I. O templo de Hero- era de 60 côvados, ou 27 m. Esse era o mes­
(v. 11), como tinham tentado a Deus e porque des levou 46 anos para ser construído (Jo 2.20). mo comprimento do templo de Salomão, mas
foram enviados para o cativeiro (v. 12), como A razão para levar tanto tempo no caso de He- a altura parece estar desproporcional, sendo o
Ciro tinha emitido o decreto para enviá-los de rodes e Zorobabel é que o número de trabalha­ dobro da estrutura do templo de Salomão (2
volta para a edificação do templo, e como até dores envolvidos era bem pequeno. Salomão Cr 3.3,4, notas). Deve ter havido um erro do
os utensílios do templo anterior tinham sido tinha 153.000 trabalhadores, comparado com copista com relação a isso. Cf.. 2 Crônicas 3.4,
devolvidos a eles (w. 13-17). umas poucas centenas ou milhares nessas ou­ notas, onde se.diz que a casa deveria ter 120
' 5.12b Veja 2 Reis 24.2; 25.8-11. tras ocasiões. côvados (ou 54 m) de altura. Dario I reconhe­
5.13a 1.1-4; 2 Crônicas 36.22,23. 5.17a O governador sírio, sem dúvida, ignorava ceu a necessidade de oração por si mesmo e
5.14a 1.7,8; 6.5. o decreto de Ciro. Se é assim, ele foi sincero seus filhos (v. 10). Uma boa característica em
5.14b Zoròbabel (w. 16,17; 3.8; Zc 4.9). e honesto ao solicitar uma investigação das qualquer homem!
5.16a Quantos anos exatamente levou para Zo- declarações que os judeus haviam feito na 6.11a O decreto de Dario I não somente confir­
robabel edificar o templo, não é declarado, mas ocasião (v. 17). mou aquiio que Ciro fizera 17 ou 18 anos antes,
certos fatos sugerem um período de pelo menos 6.1a Então - após Dario I ter recebido esta car­ mas também listou penalidades pelo impedi­
18 a 20 anos. A obra começou no segundo ano ta, ordenou uma busca nos registros de Ciro mento da obra e invocou o juízo do Deus dos
do retorno da Babilônia (3.8-13) e foi concluída para saber se eie tinha emitido algum decre­ céus sobre o culpado (w. 11,12).
ESD R A S 7 770

e, levantado, o pendurarão nele, e da sua casa se fará por 18 E "puseram os sacerdotes nas suas turmas e os levitas
isso um monturo. nas suas divisões, para o ministério de Deus, que está em
12O Deus, pois, que fez habitar ali o seu nome derribe a Jerusalém, conforme o escrito do livro de Moisés.
todos os reis e povos que estenderem a sua mão para o
7. A Páscoa é celebrada novamente
mudarem e para destruírem esta Casa de Deus, que está
em Jerusalém. Eu, Dario, dei o decreto; apressuradamen- 19E os que vieram do cativeiro “celebraram a Páscoa no
te se execute. dia catorze do primeiro mês;
20porque os sacerdotes e levitas se tinham purificado como
edificação do Templo prospera através de profecia se fossem um só homem, e todos estavam, limpos; e mata­
13 “Então, Tatenai, o governador de além do rio, Setar- ram o cordeiro da Páscoa para todos os filhos do cativeiro,
Bozenai e os seus companheiros assim fizeram apressu- e para seus irmãos, os sacerdotes, e para si mesmos.
radamente, conforme o que decretara o rei Dario. 21 Assim, comeram a Páscoa os “filhos de Israel que ti­
14E os anciãos dos judeus iam edificando e prosperando nham voltado do cativeiro, com todos os que a eles se
pela profecia do profeta Ageu e de Zacarias, filho de Ido; apartavam da imundícia das nações da terra, para busca­
e edificaram a casa e a aperfeiçoaram conforme o man­ rem o S e n h o r , Deus de Israel.
dado do Deus de Israel, e conforme o mandado de Ciro,
e de Dario, e de Artaxerxes, rei da Pérsia. 8. A Festa dos Pães Asmos celebrada com grande alegria
22E celebraram “a Festa dos Pães Asmos os sete dias com
6. Conclui-se o Templo e é dedicado
alegria, porque o S e n h o r os tinha alegrado e tinha mu­
com sacrifícios e alegria
dado o coração do '’rei da Assíria a favor deles, para lhes
15E acabou-se “esta casa no dia terceiro do mês de Adar, fortalecer as mãos na obra da Casa de Deus, o Deus de
que era o sexto ano do reinado do rei Dario. Israel.
16 E os filhos de Israel, e os sacerdotes, e os levitas, e o
resto dos filhos do cativeiro fizeram a consagração desta V. Segunda expedição sob liderança de Esdras (Ed 7-8)
Casa de Deus com alegria. 1. Genealogia de Esdras
17E ofereceram para a consagração desta Casa de Deus
“cem novilhos, duzentos carneiros, quatrocentos cordei­
ros e doze cabritos, por expiação do pecado de todo o
7 E, “PASSADAS essas coisas, no reinado de '’Arta­
xerxes, rei da Pérsia, ‘"Esdras, Afilho de Seraías, filho
de Azarias, filho de Hilquias,
Israel, segundo o número das tribos de Israel. 2 filho de Salum, filho de Zadoque, filho de Aitube,

6.13a Então - após Tatenai ter recebido o de­ coa comemorada no novo templo de Zorobabel 7.1b Este Artaxerxes não é outro senão Dario
creto de Dario l, ele e seus companheiros se (w. 19-21). Histaspes, ou Dario I, o Dario de 4.24; 5.1-6.22,
apressaram para cumprira ordem do rei (v. 13). 6.21a Esses judeus são novamente referencia­ e não o Artaxerxes de 4.7-23. A história dos
Sob tais circunstâncias, os judeus prosperaram dos como filhos de Israel. Havia muitos de Ma­ cap. 5-6 continua com esse mesmo rei. Assim,
e terminaram o templo, de acordo com a or­ nasses, Efraim e outras tribos, todos chamados 0 termo Artaxerxes. significando o Grande rei, é
dem de três pessoas: judeus (69 vezes em Esdras, Neemias e Ester, aplicável a estes dois últimos reis da Medo-Pér-
1 o Deus de Israel (v. 14). das 84 vezes em que as palavras iudeu e iudeus sia. Três outros reis persas que sucederam a
2 Ciro, o persa. aparecem no AT). Nós devemos concluir, então, Dario I também usaram esse título (veja 4 reis
3 Dario, o persa. que israelitas de todas as tribos são chamados persas, p. 1419). O Artaxerxes aqui reinou por
6.15a O templo foi concluído no terceiro dia do judeus e todos os judeus são israelitas. 35 anos. um ano após a conclusão do templo,
mês de Adar (março), no sexto ano do reinado 6.22a A celebração da festa dos pães asmos em seu sexto ano, Esdras deixou a Babilônia
de Dario (v. 15). durante os 20 anos após o retorno dos exilados com os cativos dos cap. 7-8 (v. 7).
6.17a Sacrifícios de dedicarão: é mencionada aqui pela primeira vez. Contudo, 7.1c Esdras. ajuda. 3 nessoas com o nome de
100 novilhos. não é dito que esta seja a primeira observância Esdras:
150 gal de trigo (567 I). da festa durante esse período. Sabemos que 1 Descendente de Judá (1 Cr 4.17).
300 qts de vinho (283,905 I). esta foi a primeira celebração no novo templo 2 Cabeça de um dos 24 turnos de sacerdotes
300 qts de azeite (283,9051). de Zorobabel (v. 22). após o exílio (Ne 10.2-8; 12.1,13).
200 carneiros. 6.22b Este era Dario (w. 8-12). Mas a razão de 3 Um famoso escriba e sacerdote (7.1-25; 10.1-
200 gal de trigo (7571). ter sido chamado rei da Assíria pode ser ex­ 16; Ne 8.1-12; 12.26,36). Era um homem de
400 qts de vinho (378,541 I). plicado somente pelo fato de que os assírios grande força moral, saber, humildade, autone-
400 qts de azeite (378.5411). tinham sido o grande poder reinante no oci­ gação, zelo, louvor e fidelidade a Deus e a seu
400 cordeiros. dente da Ásia por tanto tempo que os escri­ povo. A tradição diz que ele foi o presidente da
200 gal de trigo (757,082 I). tores sagrados continuaram com esse título Grande Sinagoga, que estabeleceu a questão
600 qts de vinho (567,8111). para aqueles que herdaram o antigo poder e do Cânon judaico das Escrituras e começou a
600 qts de azeite (567,8111). domínio assírios (v. 22; 2 Rs 23.29). edificar sinagogas em comunidades judaicas.
12 cabritos. 7.1a Passadas estas coisas - após o retorno 7.ld Aqui temos uma genealogia incompleta de
6 gal de trigo (22,711). de 42.360 exilados (1.1-2.70), após o estabele­ Esdras desde Arão, o primeiro sumo sacerdote:
18 qts de vinho (17 I). cimento do altar e a restauração da adoração 17 gerações - Fsdras a Arão:
18 qts de galão de azeite (17 I). (3.1-7), e após a reedificação do templo (3.8- 1 Esdras (v. 1).
6.18a Os 24 turnos dos sacerdotes e (evitas 6.22), Esdras liderou uma segunda expedição 2 seraías.
foram reiniciados (v. 18). Embora esses turnos de exilados da Babilônia para Judá (7.1-8.36). 3 Azarias.
não fossem mencionados na lei de Moisés, mas isso não significa que apenas dois grupos re­ 4 Hilquias.
apenas em 1 Crônicas 24-25, faziam parte da tornaram do cativeiro, mas esses são os únicos 5 Salum (v. 2).
adoração do templo, conforme determinada na mencionados em Esdras. O primeiro foi lidera­ 6 Zadoque.
lei de Moisés. Este é o verdadeiro significado do por Zorobabel (veja 1.1-2.70). A frase passa­ 7 Aitube.
aqui no v. 18. das estas coisas denota que Esdras não tinha 8 Amarias (v. 3).
6.19a A primeira páscoa mencionada em todos estado em Jerusalém durante os eventos dos 9 Azarias.
os vinte anos do retorno dos exilados, embora cap. 1-6, e que ele veio pela primeira vez a Judá 10 Meraoite.
não se mencione que essa seja a primeira pás­ imediatamente após a reedificação do templo, 11 Zeraías (v. 4).
coa celebrada após seu retorno, isso implica conforme o cap. 6. Colocar Neemias antes de 12 Uzi.
claramente, porém, que esta foi a primeira pás­ Esdras é inteiramente anti-escriturístico. 13 Buqui.
771 ESD RA S7

3filho de Amarias, filho de Azarias, afilho de Meraiote, ®14Porquanto da parte do rei e dos seus sete conselheiros
4 filho de Zeraías, filho de U zi, filho de Buqui, és ‘‘mandado, para fazeres inquirição em Judá e em Jeru­
5 filho de Abisua, filho de Finéias, filho de Eleazar, filho salém, conforme a Lei do teu Deus, que está na tua mão;
de Arão, o sumo sacerdote, ©15e para levares a prata e o ouro que o rei e os seus con­
selheiros voluntariamente deram ao Deus de Israel, cuja
2. Esdras, sacerdote e escriba, é favorecido pelo rei
habitação está em Jerusalém;
6 este Esdras subiu de Babilônia; e era escriba ‘'hábil na ®16 e toda a prata e o ouro que achares em toda a provín­
Lei de Moisés, dada pelo S e n h o r , Deus de Israel; e, se­ cia de Babilônia, corn as ofertas voluntárias do povo e
gundo b2. mão do S e n h o r , seu Deus, que estava sobre dos sacerdotes, que voluntariamente oferecerem, para a
ele, o crei lhe deu tudo quanto lhe pedira. Casa de seu Deus, que está em Jerusalém.
3. Tempo e duração da segunda expedição ®17Portanto, comprarás com este dinheiro novilhos, car­
7 Também ^subiram a Jerusalém balguns dos filhos de neiros, cordeiros, com as suas ofertas de manjares e as
Israel, e dos sacerdotes, e dos levitas, e dos cantores, e suas libações e oferece-as sobre o altar da Casa do vosso
dos porteiros, e dos netineus, cno ano sétimo do rei Ar- Deus, que está em Jerusalém.
taxerxes. ®18 Também o que a ti e a teus irmãos bem parecer fa­
8 E, no mês quinto, veio ele a Jerusalém; e era o sétimo zerdes do resto da prata e do ouro, o fareis conforme a
ano desse rei; vontade do vosso Deus.
9 porque, no ^primeiro dia do primeiro mês, foi o prin­ ®19 E os utensílios que te foram dados para o serviço da
cípio da sua subida de Babilônia; e, no primeiro dia do Casa de teu Deus, restitui-os perante o Deus de Jerusalém.
quinto mês, chegou a Jerusalém, segundo a boa mão do ©2CE o resto do que for necessário para a Casa de teu
seu Deus sobre ele. Deus, que te convenha dar, o darás da casa dos tesouros
10Porque Esdras tinha preparado o seu coração para bus­ do rei.
car a Lei do S e n h o r , e para a cumprir, e para ensinar em • 2Í E por mim mesmo, o rei Artaxerxes, se decreta a ato-
Israel os seus estatutos e os seus direitos. dos os tesoureiros que estão dalém do rio que tudo quan­
to vos pedir o sacerdote Esdras, escriba da Lei do Deus
4. Decreto de Artaxerxes a favor de Esdras e companhia dos céus, apressuradamente se faça.
11 Esta é, pois, a cópia da carta que o rei Artaxerxes deu @22 Até cem talentos de prata, e até cem coros de trigo,
ao sacerdote Esdras, o escriba das palavras, dos manda­ e até cem batos de vinho, e até cem batos de azeite, e sal
mentos do S e n h o r e dos seus estatutos sobre Israel: sem conta.
12Artaxerxes, rei dos reis, ao sacerdote Esdras, escriba da ©23Tudo quanto se ordenar, segundo o mandado do Deus
Lei do Deus do céu,pàz p-erfeita! do céu, prontamente se faça para a Casa do Deus dos céus,
• 13Por mim se decreta que, no meu reino, todo aquele do porque ‘'para que haveria grande èira sobre o reino do rei
“povo de Israel e dos seus sacerdotes e levitas que ^quiser e de seus filhos?
ir contigo a Jerusalém, vá. ®24Também vos afazemos saber acerca de todos os sacer-

14 Abisua (v. 5). que não pertenciam a aiguma classe especial. 6 Levar certos utensílios para os serviços do
15 Finéias. Além destes, sacerdotes, levitas, cantores, por­ templo (v. 19).
16 Eleazar. teiros e netineus vieram da Babilônia para Judá 7 Verificar o que mais seria necessário para os
17 Arão, o primeiro sumo sacerdote. com Esdras (v. 7). serviços do templo (v. 20).
7.3a Esta genealogia está incompleta: essas 7.7c Isso ocorreu cerca de um ano após a edi­ 8 Liberar instruções para os governadores da­
17 gerações possivelmente não poderiam ficação do templo (w. 7-9; 6.15). lém do Eufrates para que ajudassem na obra de
cobrir todo o período de 1.130 anos de Arão 7.9a Desde o primeiro dia do primeiro mês Deus em Judá (w. 21-26).
até a jornada de Esdras da Babiiônia. A brecha (abri!) até o primeiro dia do quinto mês (agosto), 9 Nomear magistrados e juizes em todas as
pode ser preenchida por 1 Crônicas-6.1-15, a jornada foi feita da Babilônia até Judá (v. 9). províncias dalém do Eufrates (v. 25).
onde temos vários nomes que poderiam ser 7.13a Aqui Dario reconheceu que os judeus 10 Ensinar as ieis de Deus a todos os homens.
adicionados. para quem estava escrevendo eram os filhos 7.21a Esdras tinha acesso a todos os tesouros
7.6a Hábil - capacitado escriba na lei de Moi­ de Israel (v. 13). Como todos os outros homens das várias províncías dalém do Eufrates e podia
sés. Deus lhe dera tal habilidade (v. 6). Desde da Bíblia, ele não fez distinção entre judeus e exigir delas tudo o que precisasse para a casa
esse tempo, os escribas em israel se tornaram israelitas. de Deus, até certos limites (w. 21,22).
muito numerosos e importantes, sendo estu­ 7.13b Voltar não era uma obrigação, mas uma Limites para os pedidos de Esdras:
dantes, mestres e intérpretes, assim como co­ escolha por parte do indivíduo. Somente aque­ 1 100 talentos de prata.
pistas da lei. Eles mantinham o conhecimento les que voltaram se tornaram parte da nação 2 100 coros ou cerca de 104,5 alqueires de tri­
de antigo dialeto, que foi sendo rapidamente de israel, com quem Deus lidou nos 500 anos go (3.682 I).
substituído. anteriores a Cristo. Para estes somente, o Mes­ 3 100 batos ou 3.350 qts de vinho {3.170 i).
7.6b Em ambos os Testamentos, essa expres­ sias veio (Mt 10.6; Jo 1.11; Rm 1.16). 4 100 batos ou 3.350 qts de azeite (3.170 I).
são significa que o poder e a bênção de Deus 7.14a Esdras foi enviado de volta a israel pelo Esse era um bom montante para os serviços do
estavam sobre eles (w. 6,9,28; 8.18,22,31; Ne rei e seus sete conselheiros por várias razões. templo e foi evidentemente levado por Esdras,
2.8). Cf. AtOS 4.30; 11.21. 10 razões pelas auais Esdras foi enviado de de acordo com 8.36.
7.6c Esdras possuía evidentemente um alto volta: 7.23a Pergunta 6. Próxima, 9.10,
conceito diante de Dario I, ou Artaxerxes, pois 1 inquirir de Judá e Jerusalém a respeito de sua 7.23b Isso indica que os reis da Pérsia em gerai
este homem lhe concedeu todos os seus pe­ obediência à lei (v. 14). temiam a jeová, ao menos a maioria deles, des­
didos com relação à condução dos cativos na 2 Levar de volta ouro e prata como oferta a Deus de o tempo de Assuero, o marido de Ester e pai
saída da Babiiônia (v. 6). por parte do rei e seus conselheiros (v. 15). de Ciro, até o tempo deste Artaxerxes, ou Dario
7.7a Um termo usado muitas vezes sobre o 3 Levar ofertas de ouro e prata do povo para o l, os quais buscavam escapar da ira de Deus
retorno de Judá do cativeiro (2.1,59; 4.23; 7.6,7; templo (v. 16). concedendo essas coisas para a adoração do
8.1; Ne 7.6,61; 12.1). 4 Comprar sacrifícios para ofertas dos serviços templo (v. 23).
7.7b Aiguns dos filhos de Israel, significando ju­ templo (v. 17). 7.24a Artaxerxes não somente providenciou
deus de todas as tribos. O termo é usado aqui 5 verificar se o dinheiro enviado de volta foi para a adoração do templo, mas por este de­
sobre as pessoas comuns, aquelas de Israel gasto adequadamente (v. 18). creto eie liberou dos tributos todos os sacer-
E SD R A S 8 772

dotes, levitas, cantores, porteiros, netineus e ministros cento e sessenta homens;


desta Casa de Deus que se lhes não possa impor nem 11 e dos filhos de Bebai, Zacarias, o filho de Bebai, e, com
direito, nem antigo tributo, nem renda. ele, vinte e oito homens;
*25 E 'tu, Esdras, conforme a sabedoria do teu Deus, que 12e dos filhos de Azgade, Joanã, o filho de Hacatã, e, com
está na tua mão, põe regedores e juizes que julguem a ele, cento e dez homens;
todo o povo que está dalém do rio, a todos os que sabem 13e dos últimos filhos de Adonicão, seus nomes eram estes:
as leis de teu Deus, e ao que as não sabe as fareis saber. Elifelete, Jeiel e Semaías, e, com eles, sessenta homens;
• 26E todo aquele que não observar a lei do teu Deus e a 14 e dos filhos de Bigvai, Utai e Zabude, e, com eles, se­
lei do rei, logo se faça justiça dele, quer seja morte, quer tenta homens.
degredo, quer multa sobre os seus bens, quer prisão. 7. Novas pessoas recrutadas: levitas e netineus
5. A adoração de Esdras a Deus pela bondade do rei 15E ajuntei-os perto do rio que vai a Aava, e ficamos ali
27 Bendito seja o S e n h o r , Deus de nossos pais, que tal acampados três dias; então, atentei para o povo e para os
inspirou ao coração do rei, para ornarmos a Casa do S e ­ sacerdotes e não achei ali “nenhum dos filhos de Levi.
n h o r , “que está em Jerusalém; 16Enviei, pois, Eliézer, Ariel, Semaías, “Elnatã, Jaribe, El-
28 e que estendeu para mim a sua beneficência perante o natã, N atã, Zacarias e Mesulão, os chefes, como também
rei, e os seus conselheiros, e todos os príncipes podero­ a Joiaribe e a Elnatã, que eram sábios.
sos do rei. Assim, me esforcei, segundo a mão do S e ­ • 17 E dei-lhes mandado para Ido, chefe no lugar de Ca-
n h o r sobre mim, e ajuntei “dentre Israel alguns chefes sifia, e lhes pus palavras na boca para dizerem a Ido, seu
para subirem comigo. irmão, e aos netineus, no lugar de Casifia, que nos trou­
xessem “ministros para a Casa do nosso Deus.
6. A companhia de Esdras: 1.754 homens
18 E trouxeram-nos, segundo a boa mão de Deus sobre

8
ESTES, pois, são os chefes de seus pais, “com as suas nós, um homem sábio, dos filhos de Mali, filho de Levi,
genealogias, 4os que subiram comigo de Babilônia no filho de Israel, a saber, Serebias, com os seus filhos e ir­
reinado do rei Artaxerxes: mãos, dezoito;
2dos filhos de Finéias, Gérson; dos filhos de Itamar, D a­ 19 e a Hasabias e com ele Jesaías, dos filhos de Merari,
niel; dos filhos de Davi, Hatus; com seus irmãos e os filhos deles, vinte;
3 dos filhos de Secanias e dos filhos de Parós, Zacarias, 20 e dos “netineus, que Davi e os príncipes deram para
e com ele por genealogias se contaram até cento e cin­ o ministério dos levitas, duzentos e vinte netineus, que
qüenta homens; todos foram expressos por seus nomes.
4 dos filhos de Paate-Moabe, Elioenai, filho de Zeraías, e,
com ele, duzentos homens; 8. Jejum e oração para proteção contra os inimigos (Ed 8.31)
5 dos filhos de Secanias, o filho de Jaaziel, e, com ele, tre­ 21 “Então, apregoei ali um jejum junto ao rio Aava, para
zentos homens; nos humilharmos diante da face de nosso Deus, para lhe
6 e dos filhos de Adim, Ebede, filho de Jônatas, e, com ele, pedirmos caminho direito para nós, e para nossos filhos,
cinqüenta homens; e para toda a nossa fazenda.
7e dos filhos de Elão, Jesaías, filho de Atalias, e, com ele, 22 Porque me envergonhei de pedir ao rei exército e ca­
setenta homens; valeiros para nos defenderem do inimigo no caminho,
8e dos filhos de Sefatias, Zebadias, filho de Micael, e, com porquanto tínhamos falado ao rei, dizendo: “A mão do
ele, oitenta homens; nosso Deus é sobre todos os que o buscam para o bem,
9 dos filhos de Joabe, Obadias, filho de Jeiel, e, com ele, mas a sua força e a sua ira, sobre todos os que o deixam.
duzentos e dezoito homens; 23 N ós, pois, jejuamos e pedimos isso ao nosso Deus, e
10 e dos filhos de Selomite, o filho de Josifias, e, com ele, moveu-se pelas nossas orações.

dotes, levitas, cantores, porteiros (guardas das 2 Filhos de Paate-Moabe (v. 4).....................200 tro com o mesmo nome (2 Rs 24.8; Jr 26.22;
portas), netineus (servos do templo) e outros 3 De Secanias (v. 5 ).......................................300 36.12,25).
que ministravam no templo (v. 24). 4 De Adim (v. 6 ................................................50 8.17a Esses eram os levitas que Esdras queria
7.25a Aqui nós temos a comissão de autorida­ 5 De Elão (v. 7 ..................................................70 que voltassem com ele para Jerusalém. Ele fi­
de de Esdras para estabelecer juizes dalém do 6 De Sefatias (v. 8)...........................................80 nalmente persuadiu 18 a voltarem consigo (w.
Eufrates, e para ensinar a todos os homens a lei 7 De Joabe (v. 9 )............................................218 15,17,18).
de Moisés (v. 25). A punição por quebrar a lei de 8 De Selomite (v. 10)..................................... 160 8.20a Os netineus eram os servidores do tem­
Moisés e as ordens do rei da Pérsia era morte, 9 De Bebai (v. 11).............................................28 plo que ajudavam os sacerdotes e levitas em
desterro, confisco dos bens e prisão (v. 26). 10 De Azgade (v. 12)..................................... 110 todo seu serviço no templo (v. 20).
7.27a Todas as declarações deste capítulo indicam 11 De Adonicão (v. 13).................................... 60 8.21a Fntão - quando todos os exilados es­
que o templo em Jerusalém tinha sido concluído e 12 De Bigvai (v. 14)..........................................70 tavam reunidos e prontos para partir, Esdras
a adoração apropriada deveria agora continuar ali, 13 Ministros (w. 15-8).................................... 18 proclamou um jejum para buscar a proteção
de acordo com a lei de Moisés (v. 27). 14 Filhos de Merari (v. 19).............................. 20 de Deus na jornada, que seria bastante peri­
7.28a Novamente, foi dentre Israel, não so­ 15 Netineus (v. 20)..................................... ...220 gosa em vista dos muitos inimigos e bandos
mente dentre Judá, que alguns chefes foram Total de hons..............................................1.754 de iadrões entre a Babilônia e a Palestina (w.
reunidos para a nova nação na Palestina, com 8.15a Os levitas foram lentos para escolher re­ 2 1 , 2 2 ).
Jerusalém como a capital (v. 28). tornar para a Palestina (v. 15). Somente um pe­ 8.22a isso expressa a fé de Esdras nas obras
8.1a Em todos esses capítulos, nós vemos que queno número acompanhou Zorobabel (2.36). de Deus na terra, e mostra porque ele não pe­
somente aqueles que podiam provar a descen­ Estes não estavam, então, com os sacerdotes diu por soldados para proteger sua companhia
dência de alguma família em Israel tinham per­ (2.36-39). na jornada. Ele, sem dúvida, tinha dito muitas
missão de subir para Jerusalém. 8.16a O nome Elnatã aparece 3 vezes somente coisas maravilhosas sobre Jeová ao rei e aos
8.1b 1.754 homens na companhia de Esdras: neste versículo; deve ter sido um nome popu­ seus conselheiros, e agora era tempo de viver
1 Filhos de Finéias, Itamar, Davi, lar. O significado é: Deus tem dado. Além dos de acordo com a sua pregação. Deus o honrou
Secanias, Parós (w. 2,3)............................ 150 três homens mencionados aqui, havia um ou­ e ele foi protegido na jornada (w. 23-32),
773 E SD R A S 9

9. Doze tesoureiros escolhidos para as riquezas do Templo 11. Tesouros liberados para a casa de Deus
24“Então, separei Moze dos maiorais dos sacerdotes: Se- 33 E no dia quatro se pesou a prata, e o ouro, e os vasos,
rebias, Hasabias e com eles dez dos seus irmãos. na Casa do nosso Deus, por mão de Meremote, filho do
25 E pesei-lhes a “prata, e o ouro, e os utensílios, que eram sacerdote Urias; e com ele estava Eleazar, filho de Fi-
a oferta para a C asa de nosso Deus, a qual ofereceram o néias, e com eles, Jozabade, filho de Jesua, e Noadias,
rei, e os seus conselheiros, e os seus príncipes, e todo o filho de Binui, levitas;
Israel que ali se achou. 34 conforme o número e conforme o peso de tudo aquilo;
26E pesei em suas mãos seiscentos e cinqüenta talentos de e todo o peso se descreveu no mesmo tempo.
prata, e em objetos de prata cem talentos, e cem talentos 35E os transportados que vieram do cativeiro ofereceram
de ouro. "holocaustos ao Deus de Israel: doze novilhos ^por todo
27 E vinte taças de ouro de mil “daricos e Mois vasos de o Israel, noventa e seis carneiros, setenta e sete cordeiros
bom metal lustroso, tão desejável como ouro. e doze bodes em sacrifício pelo pecado; tudo em holo­
28 E disse-lhes: Consagrados sois do S e n h o r , e sagrados causto ao S e n h o r .
são estes vasos, como também esta “prata e este ouro,
oferta voluntária, oferecida ao S e n h o r , Deus de vossos 12. Decreto do rei liberado aos vários governantes
pais. 36 Então, deram as “ordens do rei aos 4sátrapas do rei e
* 29Vigiai, pois, e guardai-os até que os peseis na presença aos governadores de aquém do rio; e ajudaram o povo e
dos maiorais dos sacerdotes, e dos levitas, e dos príncipes a C asa de Deus.
dos pais de Israel, em Jerusalém, nas câmaras da Casa do VI. Reavivam ento da religião sob liderança de Esdras
S e n h o r.
(Ed 9-10)
30 Então, receberam os sacerdotes e os levitas o peso da 1. O pecado é descoberto
prata, e do ouro, e dos vasos, para trazerem a Jerusalém,
à Casa de nosso Deus.
10. Chegada à Jerusalém após quatro meses (Ed 7.8,9)
9 A C A BA D A S, pois, essas coisas, “chegaram-se a mim
os príncipes, dizendo: bO povo de Israel, e os sacer­
dotes, e os levitas cnão se têm separado dos povos destas
31 “E partimos do rio de Aava, no dia doze do primeiro terras, seguindo as ^abominações dos cananeus, dos he-
mês, para irmos para Jerusalém; e a boa mão do nosso teus, dos ferezeus, dos jebuseus, dos amonitas, dos moa-
Deus estava sobre nós e livrou-nos da mão dos inimigos bitas, dos egípcios e dos amorreus,
e dos que nos armavam ciladas no caminho. 2 porque tomaram das suas filhas para si e para seus fi­
32 E viemos a Jerusalém e repousamos ali três dias. lhos, e assim se misturou a “semente santa com os povos

8.24a Então - pouco antes da partida para a de esse ponto (w. 21-32; 7.8,9). 9.1b Novamente, os judeus que retornavam do
Palestina, Esdras considerou que seria melhor 8.35a Custo dos hnlncaustos de todo Israel: exílio para a nova nação são chamados de o
repartir o ouro, a prata e outros objetos valio­ 12 novilhos. novo de Israel (v. 1).
sos para o templo. Assim, poderiam ser mais 18 gal de trigo (68,13 I). 9.1c O 14° reavivamento da religião, soh a lide­
facilmente protegidos na jornada. Dividiu-os 36 qts de vinho (341). rança de Esdras:
por peso e os distribuiu entre os 12 homens 36 qts de azeite (341). 1 Pecado descoberto:
que tinha selecionado para ser responsáveis 96 carneiros. (1) Casamento misto com pagãos (9.1).
por essas coisas valiosas até que alcançassem 96 gal de trigo (363,39 I). (2) Cometendo as abominações pelas quais ou­
Jerusalém (w. 24-30). 192 qts de vinho (181,7 I). tros foram destruídos (9.1,2).
8.24b Os 12 homens eram representativos das 192 qts de azeite (181,7 I), 2 Sofrimento por causa do pecado (9.3).
12 tribos, assim indicando que os exilados que 77 cordeiros. 3 Tremor por causa do pecado (SI 9.4).
retornavam reconheciam o fato de que os is­ 38.5 gal de trigo (145,7 I). 4 Oração e confissão do pecado (9.5-15).
raelitas de todas as 12 tribos estavam sendo 115.5 qts de vinho (109,3 I). 5 Choro e prostração do povo (10.1).
restaurados como uma nação, e não apenas 115.5 qts de azeite (109,3 I). 6 Confissão do povo (10.2).
Judá e Benjamim (v. 24). 12 cabras. 7 Aliança para separação do pecado (10.3-5).
8.25a Valores em dinheiro, divididos em 12 6 gal de trigo (22,7 I). 8 Jejum contínuo e oração de Esdras por causa
nartfis: 18 qts de vinho (17 I). do pecado do povo (10.6).
1 650 talentos de prata. 18 qts de azeite (17 I). 9 Proclamação de uma assembléia pública, ou
2 Utensílios de prata no valor de 100 talentos. Para a lista de totais de trigo, vinho e azeite uti­ excomunhão (10.7,8).
3 100 talentos de ouro. lizados para cada tipo de sacrifício de animais, 10 Assembléia pública e tremor por parte do
4 20 bacias de ouro no valor de 1.000 dracmas. veja Números 15. Azeite, vinho e trigo eram povo (10.9).
5 2 vasos de bom metal lustroso (cobre), tão usados em cada sacrifício e em várias outras 11 Sermão de Esdras exigindo separação de
precioso quanto o ouro. oblações a Deus. Isso indicava e reconhecia todo pecado (10. 10, 11).
8.27a Uma dracma - heb. dárico (v. 27; 2.69; que seu favor provia todas as bênçãos da vida, 12 Desejo do povo de submeter-se às exigên­
1 Cr 29.7). e que a verdadeira vida somente existiria por cias da lei (10.12-14).
8.27b Se esses dois utensílios de cobre eram meio da obediência a Ele e submissão total 13 Exame do povo (10.15-17).
tão preciosos quanto o ouro, pesavam tantas à sua vontade em todas as coisas, de acordo 14 Escala de todos os que tomaram esposas
dracmas quanto as taças de ouro (valendo 50 com seu plano revelado (Lv 17.11; 2 Tm 3.15- estrangeiras e daqueles que estavam agora em
dracmas cada, já que 20 taças pesavam 1.000 17, Hb 9.22; 10.1-22; 1 Jo 1.7). conformidade com a lei (10.18-44).
dracmas). 8.35b Doze novilhos foram oferecidos por todo 9.1d Uma repetição do que tinha causado o
8.28a O ouro e a prata confiados a cada um o Israel, um para cada tribo, além de Levi (v. 35). cativeiro (w. 1,2; Êx 34.12-15; Dt 7.1-3). Parece
dos 12 homens deveriam ser pesados no final Isso definitivamente indica que havia homens que a lição não tinha sido aprendida. Contudo,
da jornada, assim como no início. Por meio dis­ de cada uma das 12 tribos de Israel na nova na­ pelos versículos que se seguem, eles se torna­
so se saberia se haviam sido roubados (v. 29). ção, e todos foram chamados de iudeus várias ram desejosos de fazer as coisas certas, con­
8.31a E - quando tudo foi preparado, os exi­ vezes nesse livro (4.12,23; 5.1,5; 6.7,8,14). forme exigidas pela lei, e finalmente o fizeram
lados partiram do rio Aava no 12° dia do pri­ 8.36a O decreto real. (9.2-10.44).
meiro mês (abril) e chegaram em Jerusalém no 8.36b Sátrapas. Um título persa. 9.2a Israel não deveria misturar-se com outras
primeiro dia do quinto mês (agosto), após uma 9.1a Não todos os príncipes, pois no v. 2 muitos nações por meio do casamento. Israelitas de­
jornada de cerca de quatro meses e meio des­ deles foram os principais transgressores. veriam conservar-se como um povo separado
ESD R A S 10 774

destas terras, e até a mão dos príncipes e magistrados foi profetas, dizendo: A terra em que entrais para a possuir
a ^primeira nesta transgressão. terra imunda é pelas imundícias dos seus povos, pelas
abominações com que, na sua corrupção, a encheram de
2. V e rd a d e iro so frim e n to p e lo p eca d o
uma extremidade à outra.
3E, ouvindo eu tal coisa, "rasguei a minha veste e o meu 12Agora, pois, vossas filhas não dareis a seus filhos, e suas
manto, e arranquei os cabelos da minha cabeça e da mi­ filhas não tomareis para vossos filhos, e nunca procura­
nha barba, e me assentei atônito. reis a sua paz e o seu bem; -"‘para que vos fortaleçais, e
4 Então, se ajuntaram a mim todos os que tremiam das comais o bem da terra, e a façais possuir a vossos filhos
palavras do Deus de Israel, por causa da transgressão dos para sempre.
do cativeiro; porém eu me fiquei assentado atônito até ao 13 E, depois de tudo o que nos tem sucedido por cau­
sacrifício da tarde. sa das nossas más obras e da nossa grande culpa, ainda
3. V e rd a d e ira oração e confissão do p eca d o assim tu, ó nosso Deus, estorvaste que fôssemos destru­
5 E, perto do sacrifício da tarde, me ^levantei da minha ídos, por causa da nossa iniqüidade, e a in d a nos deste
aflição, havendo j á rasgado a minha veste e o meu man­ livramento como este,
to, e me pus de joelhos, e estendi as minhas mãos para o 14 ^tornaremos, pois, agora a violar os teus mandamentos
S e n h o r , meu Deus.
e a aparentar-nos com os povos destas abominações? N ão
6 E disse: aMeu Deus! Estou confuso e envergonhado, te indignarias tu, assim , contra nós até de todo nos consu­
mires, até que n zo ficasse resto nem quem escapasse?
para levantar a ti a minha face, meu Deus, porque as nos­
sas iniqüidades se multiplicaram sobre a nossa cabeça, e a 13 Ah! S e n h o r , Deus de Israel, justo és, pois ficamos es-
nossa culpa tem crescido até aos céus. capos, como hoje se v ê ; eis que estam os diante de ti no
nosso delito, porque ninguém h á que possa estar na tua
7D esde os dias de nossos pais até ao d ia d e hoje, estam os
presença por causa disso.
em grande culpa e, por causa das nossas iniqüidades, fo­
mos entregues, nós, os nossos reis e os nossos sacerdotes, 4. Sep a ra çã o do p eca d o :
nas mãos dos reis das terras, à espada, ao cativeiro, ao o v e rd a d e iro re su lta d o da confissão g e n u ín a
roubo e à confusão do rosto, como hoje se vê. aE O R A N D O Esdras assim, e fazendo esta con­
8 E, agora, como por u m pequeno momento, se nos fez fissão, e chorando, e prostrando-se diante da Casa
graça da parte do S e n h o r , nosso Deus, para nos deixar de Deus, ajuntou-se a ele Me Israel uma mui grande con­
alguns que escapem e para dar-nos u m a ^estabilidade no gregação de homens e mulheres e de crianças, porque o
seu santo lugar; para nos alumiar os olhos; ó Deus nosso, povo chorava com grande choro.
e para nos dar um pouco de vida na nossa servidão; 2 Então, respondeu Secanias, filho de jeiel, u m dos filhos
9 porque servos som os , porém na nossa servidão não nos de Elão, e disse a Esdras: N ó s temos transgredido con­
desamparou o nosso Deus; antes, estendeu sobre nós be­ tra o nosso Deus e casamos com mulheres estranhas do
neficência perante os reis da Pérsia, para revivermos, e povo da terra, mas, no tocante a isso, ainda há esperança
para levantarmos a Casa do nosso Deus, e para restaurar­ para Israel.
mos as suas assolações, e para que nos desse u m a parede 3 Agora, pois, façamos concerto com o nosso Deus, de
em Judá e em Jerusalém. que •'"despediremos todas as mulheres e tudo o que é nas­
10Agora, pois, ó nosso Deus, *que diremos depois disso? cido delas, conforme o conselho do Senhor e dos que
Pois deixamos os teus mandamentos, tremem no mandado do nosso Deus; e faça-se conforme
11 os quais mandaste pelo ministério de teus servos, os a Lei.

(ÊX 19.6; 22.31; Dt7.6; 14.2). 4 Agora, por um pequeno momento, se mani­ sença por causa disso (v. 15).
9.2b Essa tem sido a verdade de muitos des­ festou a graça da parte do Senhor, nosso Deus, 9,8a Uma expressão que demonstra segurança.
vios e apostasias. Quando líderes de uma cida­ para nos deixar alguns que escapem (v. 8). 9.10a Pergunta 7. Próxima, v. 14.
de ou nação governam em justiça, a maioria do 5 Porque somos servos, porém na nossa servi­ 9.12a 3 coisas aue dão forca e segurança:
povo os seguirá (v. 2). dão não nos desamparou o nosso Deus; antes 1 Viver livre da impureza (v. 11).
9.3a Rasgar as vestes, arrancar os cabelos e estendeu sobre nós a sua benignidade perante 2 Viver separado de casamento com pagãos.
sentar-se atônito eram sinais exteriores de um os reis da Pérsia, para levantarmos a casa do 3 Não buscar a eterna continuidade da perver­
sofrimento interno devido a uma grande ca­ nosso Deus e Jerusalém (v. 9). sidade (v. 12).
lamidade (w. 3,5; Js 7.6; 1 Sm 4.12; 2 Sm 1.2; 6 Deixamos os teus mandamentos. 9.14a Perguntas 8-9. Última pergunta em Es­
13.31; 2 Rs 18.37; Jo 1.20). 7 E depois de tudo o que nos tem sucedido por dras.
9.5a 8 atos de Esdras: causa das nossas más obras e da nossa grande 10.1a Observe a mudança da primeira para a
1 Ouviu sobre o pecado (v. 3). culpa, porquanto tu, ó nosso Deus, impediste terceira pessoa, Tais mudanças são comuns.
2 Rasgou suas vestes. que fôssemos destruídos, por causa da nossa Veja isaías 6.5-8; 7.3; 37.6; Jeremias 20,1-6 com
3 Arrancou os cabelos. iniqüidade (v. 13). 20.7; 21.1 COm 28.1,5.
4 Sentou-se atônito. 8 E ainda nos deste um remanescente como 10.1b Não havia em israel quem pudesse ser
5 Levantou-se de sua aflição (v. 5). este. referido neste livro, além dos judeus de todas
6 Colocou-se de joelhos. 9 Tornaremos, pois, agora a violar os teus man­ as tribos de Israel que tinham voltado do cati­
7 Estendeu suas mãos a Deus. damentos e a aparentar-nos com os povos des­ veiro. Eies eram os únicos que podiam ser de
8 Orou (w. 6-15). tas abominações? israei. isso deixa claro que o Israel após o cati­
9.6a 419 palavras na oracão de Esdras: 10 Não te indignarias tu, assim, contra nós até veiro era a nação dos judeus, tendo Jerusalém
1 Estou confuso e envergonhado porque as nos­ de todo nos consumir, até que não ficasse re­ como sua capital (w. 1,2).
sas iniqüidades têm crescido até aos céus (v. 6). manescente nem quem escapasse? 10.3a Aqui temos a aliança proposta - aqueia
2 Desde os dias de nossos pais até ao dia de 11 Ah! Senhor Deus de Israel, justo és, pois fica­ que os israelitas queriam fazer com Deus. Ela
hoje, estamos em grande culpa (v. 7). mos qual um remanescente que escapou, como foi feita com:
3 Por causa das nossas iniqüidades, somos hoje se vê. (v. 15). 1 Os chefes dos sacerdotes.
entregues ao cativeiro e à confusão do rosto, 12 Eis que estamos diante de ti na nossa culpa, 2 Os levitas.
como hoje se vê (v. 7). porque ninguém há que possa estar na tua pre­ 3 Todo o Israel (v. 5).
775 E SD R A S 10

« 4 Levanta-te, pois, porque te pertence este negócio, e • 14 Ora, ponham-se os nossos príncipes, por toda a con­
nós seremos contigo; “esforça-te e faze assim. gregação, sobre este negócio; e todos os que, em nossas
5 Então, Esdras se levantou e ajuramentou os maiorais cidades, casaram com mulheres estranhas venham em
dos sacerdotes e dos levitas e “todo o Israel, de que fa­ tempos apontados, e com eles os anciãos de cada cidade,
riam conforme esta palavra; e eles juraram. e os seus juizes, até que desviemos de nós o ardor da ira
do nosso Deus, por esta causa.
5. O contínuo jejum e oração de Esdras por todo o Israel
6“E Esdras se levantou de diante da Casa de Deus, e en­ 10. Dois meses de exame de todos que
trou na câmara de Jeoanã, filho de Eliasibe, e, vindo lá, se casaram com mulheres estrangeiras
pão não comeu, e água não bebeu, porque estava angus­ 15Porém somente Jônatas, filho de Asael, e Jazeías, filho
tiado pela transgressão dos do cativeiro. de Ticva, se puseram sobre este negócio; e Mesulão e Sa-
betai, levita, os ajudaram.
6. Proclamação para uma assembléia de todo o Israel
16 E assim o fizeram os que tornaram do cativeiro; e
7 E fizeram passar pregão, por Judá e Jerusalém, a todos
apartaram-se o sacerdote Esdras e os homens, cabeças
os que vieram do “cativeiro, para que se ajuntassem em dos pais segundo a casa de seus pais, e todos pelos seus
Jerusalém;
nomes; e assentaram-se no “primeiro dia do décimo mês,
8e que todo aquele que, em três dias, não viesse, segundo para inquirirem neste negócio.
o conselho dos príncipes e dos anciãos, “toda a sua fazen­ 17 E acabaram de tratar com todos os homens que ca­
da se poria em interdito, e ele seria separado da congre­ saram com mulheres estranhas, até ao primeiro dia do
gação dos do cativeiro. primeiro mês.
7. Assembléia de Israel diante de Deus e Esdras 11. Lista de todos que se casaram com mulheres estrangeiras
9 “Então, todos os homens de Judá e Benjamim, em três 18 E acharam-se dos filhos dos “sacerdotes que casaram
dias, se ajuntaram em Jerusalém; era o nono mês, no com mulheres estranhas: dos filhos de Jesua, filho de Jo-
dia vinte do mês; e todo o povo se assentou na praça da zadaque, e seus irmãos, Maaséias, e Eliézer, e Jaribe, e
Casa de Deus, tremendo por este negócio e por causa das Gedalias.
4grandes chuvas. 19 E deram-se as mãos, prometendo que despediriam
8. Sermão de Esdras exigindo a separação suas mulheres, e, achando-se culpados, ofereceram um
de mulheres estrangeiras carneiro do rebanho pelo seu delito.
10 Então, se levantou Esdras, o sacerdote, e disse-lhes: 20 E dos filhos de Imer: Hanani e Zebadias.
“Vós tendes transgredido e casastes com mulheres estra­ 21E dos filhos de Harim: Maaséias, e Elias, e Semaías, e
nhas, multiplicando o delito de Israel. Jeiel, e Uzias.
®n Agora, pois, fazei confissão ao S e n h o r , Deus de vos­ 22 E dos filhos de Pasur: Elioenai, Maaséias, Ismael, Na-
sos pais, e fazei a sua vontade; apartai-vos dos povos das tanael, Jozabade e Elasa.
terras e das mulheres estranhas. 23 “E dos levitas: Jozabade, e Simei, e Quelaías (este é
Quelita), e Petaías, e Judá, e Eliézer.
9. Efeito do sermão de Esdras sobre o povo: a aliança 24 E dos cantores: Eliasibe; e dos porteiros: Salum, e Te-
12 “E respondeu toda a congregação e disse em altas vo­ lém, e Uri.
zes: Assim seja; conforme as tuas palavras, nos convém 25 E de “Israel, dos filhos de Parós: Ramias, e Jezias, e
fazer. Malquias, e Miamim, e Eleazar, e Malquias, e Benaia.
13 Porém o povo é muito, e também é tempo de grandes 26 E dos filhos de Elão: Matanias, e Zacarias, e Jeiel, e
chuvas, e não se pode estar aqui fora; nem é obra de um Abdi, e Jeremote, e Elias.
dia nem de dois, porque somos muitos os que transgredi­ 27E dos filhos de Zatu: Elioenai, e Eliasibe, e Matanias, e
mos neste negócio. Jeremote, e Zabade, e Aziza.

10.4a Era necessária grande coragem e graça bléia em Jerusalém para essa convocação espe­ sabedoria executar todos os muitos detalhes
para despedir as mulheres e filhos, que eram, cial de separação seria a interdição de todos os relativos a tais casamentos, de maneira que as
sem dúvida, tão amados quanto as famílias de bens, além de tornar-se separado da congrega­ pessoas deveriam ir aos juizes de cada cidade
hoje. Evidentemente, muitos corações partidos e ção daqueles que retornaram do cativeiro (v. 8). para resolver a questão da melhor forma e o
muito sofrimento perduraram por anos (w. 3-5). 10.9a Então - apôs o chamado urgente para mais rápido possível, para desviar a ira de Deus
10.5a o termo todo o Israel anui é aplicado para o ajuntamento de todo o Israel, os homens de (w. 13,14).
os judeus de todas as tribos que retornaram do todas as tribos obedeceram e conduziram uma 10.16a Levou dois meses para examinar todos
exilio, e deve ser compreendido, no sentido li­ convocação no 20° dia do nono mês (dezem­ os diferentes casos que foram apontados dian­
teral desta nova nação, como toda a nação de bro), ou seja, cerca de quatro meses e meio te dos juizes (w. 16,17). A comissão durou por
Israel, assim como o texto é compreendido em após a vinda de Esdras a Jerusalém com o se­ volta de 60 a 62 dias antes que o último caso
outras passagens. Este todo o Israel é chamado gundo grupo de exilados, (v. 9; 7.7,8; 8.31-33). viesse a eles.
de Judá no v. 7, o que significa que Judá foi re­ 10.9b Houve uma grande chuva nessa ocasião 10.18a Os sacerdotes foram ordenados pela
conhecido como Israel apôs o cativeiro. em particular, a qual prolongou a assembléia lei de Moisés a não tomarem mulheres estran­
10.6a E - após orar em público diante de todo por algum tempo (w. 9,13). geiras (Lv 21.14). Aqui estavam 18 que tinham
Israel e ser feita a aliança de despedir as mu­ 10.10a Esdras foi claro e sincero em declarar transgredido nesse assunto, e todos concorda­
lheres estrangeiras e seus filhos, Esdras se iso­ os pecados do povo, e rápido em exigir uma ram em despedir suas mulheres (w. 18-22).
lou e continuou em oração e jejum pelo povo confissão adequada e a restituição (w. 10, 11). 10.23a Dos ievitas havia seis, dos cantores, um,
que entraria em angústia e sofrimento devido 10.12a E - após seu sermão, toda a congre­ e dos porteiros, um, que tinham tomado mulhe­
às circunstâncias de tal separação (v. 6). gação foi tocada o bastante para obedecer às res estrangeiras (w. 23,24).
10,7a Os exilados, como nos w. 6-8,16: 1.11; exigências feitas a eles, até mesmo a ponto 10.25a Dos demais, 86 tinham tomado mulhe­
2.1; 4.1; 6.19-21; 8.35; 9.4. de separar maridos e esposas, pais e filhos res estrangeiras (w. 25-44). A respeito das con­
10.8a A penalidade por não participar da assem­ (v. 12). Eles concluíram que tomaria tempo e seqüências desses casos, nada é dito, exceto
E SD R A S 10 776

E dos filhos de Bebai: Jeoanã, Hananias, Zabai e Atlai. Vanias, Meremote, Eliasibe,
29 E dos filhos de Bani: Mesulão, e Maluque, e Adaías, e 37 Matanias, Matenai, Jaasai,
Jasube, e Seal, e Jeremote. 38 Bani, Binui, Simei,
30E dos filhos de Paate-Moabe: Adna, e Quelal, e Benaia, 39Selemias, Natã, Adaías,
e Maaséias, e Matanias, e Bezalel, e Binui, e Manassés. 40Macnadebai, Sasai, Sarai,
31E dos filhos de Harim: Eliézer, Issias, Malquias, Sema- 41Azarei, Selemias, Semarias,
ías, Simeão, 42 Saium, Amarias e José.
32 Benjamim, Maluque e Semarias. 43 D os “filhos de Nebo: Jeiel, Matitias, Zabade, Zebina,
33 D os filhos de Hasum: Matenai, Matatá, Zabade, Elife- Jadai, Joel e Benaia.
lete, Jeremai, Manassés e Simei. 44 “Todos estes tinham tom ado mulheres estranhas; e
34D os filhos de Bani: Maadai, Anrão, e Uel, algiíns deles tinham mulheres de quem alcançaram fi­
35 Benaia, Bedias, Queluí, lhos.

que os homens concordaram em despedir suas despedí-las, incluindo sacerdotes, levitas, can- Israel que voltaram do cativeiro. Todos, sem
mulheres e filhos (10.5,12,19). tores, porteiros e um grande número de outros exceção, concordaram em separar-se de suas
10.43a Veja a lista completa daqueles que ti­ do povo em geral, nos w. 18 a 43. mulheres estrangeiras e filhos que tiveram
nham tomado mulheres estrangeiras e deviam 10.44a Todos estes - de todas as classes de com tais mulheres (v. 44).

ESTUDOS TEMÁTICOS
Livros de Esdras e Neemias 3 Segunda festa do sétimo mês (9.1-3) época - por volta do 20° ano de Artaxerxes -,
Os livros de Esdras e Neemias foram reputados 4 Separação do povo (9,5-10.39) 0 que ocorreu 83 anos após o decreto de Ciro.
pelos judeus e cristãos primitivos como um Argumenta-se que todas as outras seções de Esses fatos tomaram iugar em Esdras antes de
único livro em duas partes. Nos manuscritos cada livro, antes e entre esses pontos fixos, Neemias, e em Ester antes de Esdras e Neemias.
hebraicos do AT e nas primeiras edições im­ devem ser compreendidas em relação a esses Além do mais, os fatos colocados dessa forma
pressas do texto hebraico, eles foram tratados pontos. estabeleceriam uma controvérsia em decorrên­
e considerados com um único livro, sendo os Por exemplo, Esdras 1.1-4 não está em Nee­ cia das chamadas porções mal colocadas, cone­
685 versículos numerados desde o primeiro mias, mas deve ser compreendido nesse livro xões falsas e discrepâncias.
versículo de Esdras até o último versículo de antes do primeiro ponto fixo desse livro. Tam­
Neemias. O versículo central era dado como bém Neemias 1.1-7.4 não está em Esdras, Reis da Pérsia (1.1)
Neemias 3.32. As notas foram colocadas no mas deve ser compreendido entre os pontos Ciro, rei da Pérsia (v. 1). Por mais de um sécu­
final do livro de Neemias. A divisão dos livros fixos um e dois do livro de Esdras. Novamente, lo, agora temos inscrições antigas decifradas
como Esdras e Neemias nas cópias posterior­ Neemias 11.1-13.31 não está em Esdras, mas e outras fontes de informação que nos dão
mente impressas quebrou o quarto dos dez deve ser compreendido como antes do quarto uma verdadeira compreensão da linha de reis
sedarim (ou cicios de leitura pública), que co­ ponto fixo. da Pérsia - fontes como Heródoto, Xenofonte,
meça com Esdras 8.35 e termina com Neemias Enfatizar tais idéias nos dois livros com o ob­ Ctesias e Nicolau de Damasco, que viveram
2 . 10 . jetivo de harmonizá-los é ir longe demais sem antes de Cristo, e Arriano, do século II d.C. Em
10 leituras públicas de Esdras-Neemias: provas definidas das Escrituras. Por exemplo, 1846, o escrito da famosa Pedra de Behistun.
1 Esdras 1.1-2.12. forçar Neemias 1.1-7.4 antes do retorno dos encontrada cerca de 500 metros acima da
2 Esdras 2.13-6.17. exilados sob Zorobabel, conforme o ponto um, planície da auto-estrada da Babilônia para o
3 Esdras 6.18-8.34. o torna fora de harmonia com todos os fatos, oriente, foi descoberto como um daqueles no
4 Esdras 8.35-Neemias 2.10. pois Esdras 1.1-2.70 nos dá uma lista dos exi­ qual Dario Histaspes apresenta sua própria ge­
5 Neemias 2.11-3.37. lados que retornaram seguindo o decreto de nealogia. Nessa rocha, ele reivindica ser o nono
6 Neemias 3.38-6.14. Ciro neste primeiro ano. Não poderia haver de uma sucessão de reis.
7 Neemias 6.15-8.9. algum retorno dos judeus antes disso para Linha dos reis da Pérsia:
8 Neemias 8.10-10.1. que Neemias tivesse retornado ou ajudado na Primeira lista:
9 Neemias 10.2-12.25. edificação dos muros, conforme registrado em História de Heródoto
10 Neemias 12.26-13.31. Neemias 1.1-7.4. Quando esses exilados que 1 Phraortes i
Os dois livros são paralelos um ao outro em retornaram são referidos no íivro de Neemias, 2 Deiokes
alguns aspectos, e eles têm dois principais te­ é claro que já tinham retornado e a geneaiogia 3 Phraortes ll
mas, como segue: já tinha sido completada antes que Neemias 4 Cyaxaros
1 Esdras - a reconstrução do templo. chegasse em Jerusalém. Foi depois da conclu­ 5 Astyages
2 Neemias - a reconstrução dos muros. são dos muros, em Neemias 1.1-7.4, que ele 6 Ciro
Enquanto Esdras se lançou principalmente à pensou na genealogia e descobriu que a mes­ 7 Cambises ll
reconstrução do templo, Neemias se lançou ma já havia sido concluída (7.5). 8 Histaspes
à reconstrução dos muros e da cidade. Esdras Tudo leva a crer que os eventos de Neemias 9 Dario Histaspes
vem primeiro na ordem cronológica, porque o 1.1-7.4 ocorreram depois e não antes desta ge­ Segunda lista:
templo é mais importante que as cidades e os nealogia. Dizer que os pontos fixos três e quatro Pedra de Behistum
muros. Alguns supõem que há certos pontos se referem às mesmas festas, exatamente nos Achaemes
fixos nos livros que devem ser reconhecidos mesmos anos, é, como outros argumentos, in­ Teispes
como iguais. Como lidam com os acontecimen­ fundado. Ocorreram festas a cada ano, durante Ariyaramnes
tos da mesma época, têm o objetivo de obter os muitos anos entre o tempo de Esdras e Ne­ Arsames
uma compreensão histórica e cronológica des­ emias e suas obras em Jerusalém. É impossível Histaspes
ses escritos. Esses assim denominados pontos harmonizar completamente esses iivros históri­ Dario Histaspes
•fixos são: ca e cronologicamente com base em registros Terceira lista:
Esdras limitados que não dão outros dados além da Rolo de Ciro
1 Retorno sob Zorobabel (1.5-2.70) menção de certos reis que possuem os mesmos Teispes
2 Festa do sétimo mês (3.1-7) títulos. É claro, a partir do que está registrado Ciro I
3 Segunda festa do sétimo mês (9.1-4) em Esdras 7, e dos estudos sobre as listas dos Cambises
4 Separação do povo (9.3-10.44) reis da Pérsia, a seguir, e sobre os 4 reis per­ Ciro ll
Neemias sas, p. 1419, que Esdras retornou a Jerusalém Cambises ll
1 Retorno sob Zorobabel (7.5-73) imediatamente após o templo ser reedificado, Note-se que no Rolo de Ciro, o persa, o único
2 Festa do sétimo mês (7.73-8.18) e que Neemias esteve ali muito depois dessa mencionado no v. 1; isaías 44.28; 45.1; Esdras
777 E ST U D O S TEM ÁTICOS

6.14, ele lista somente os reis 3-7 - seu pró­ mente com os iudeus nesta restauração nacio­ em qualquer versiculo. O termo iudeus em Ester
prio filho que o sucedeu. Na Pedra de Behistun, nal, os dois termos devem ser aplicados para o também é aplicado aos gentios que se torna­
somente os reis 2-5 e 8-9 são dados; Ciro, o mesmo povo (1.3). ram judeus convertidos (Et 8.17). Veja A teoria
persa, e seu filho Cambises II não são mencio­ 2 Os chefes dos pais de Judá e Benjamim foram anglo-saxônica, p. 574; nota. Atos 13.16.
nados por alguma razão desconhecida. Con­ chamados de homens do povo de Israel (2.2).
tudo, Dario Histaspes, que fez esta lista, não 3 somente israelitas eram considerados como Introdução bíblica (4.8)
menciona o fato de que ele foi o nono de uma dignos de ser mencionados nas genealogias I Nomes da Bíblia
sucessão de reis, de maneira que isso incluiria (2.59). A palavra Bíblia não está na versão portuguesa
os outros não nomeados. Heródoto menciona 4 O termo todo o Israel foi usado no retorno das Escrituras. Ela é o equivalente da palavra
os primeiros cinco dos nove reis persas, e a dos judeus (2.70). grega bíblia, significando livros, o termo os li­
Bíblia menciona o quinto, sexto e nono. Nós 5 Os judeus são chamados filhos de Israel (3.1). vros (ta bíblia, no grego), ocorre em Daniel 9.2
temos, com o complemento da história antiga, 6 Os judeus edificaram um altar ao Deus de Is­ da Septuaginta, referindo-se aos escritos profé­
aqueles que são omitidos na Bíblia. O quinto rael (3.2; 4.1,3; 5.1; 6.14). ticos; semelhantemente em 1 Macabeus 12,9,
rei, Astvaees. era o marido de Ester e o pai de 7 Davi é chamado rei de Israel (3.10), e isso deve os livros santos. Tal uso foi adotado pela igreja
Ciro. Ele foi o Assnero de Ester 1.1, e Dario. o se referir a Judá em particular, pois ele era dessa cristã para o AT, e mais tarde foi estendido para
medo, de Daniel 5.31. Ele é listado também por tribo. representar todas as Escrituras. A Bíblia veio a
Heródoto como o oitavo de uma sucessão de 8 A misericórdia de Deus dura para sempre a ser assim designada por Clemente, no meio do
reis de Lídia, chamado de Arvenis. o marido de Israel, e já que Ele teve misericórdia dos iudeus século II; ele chamou os escritos sagrados de
Vasti, que perdeu o reinado para Ester por cau­ nesta restauração, assim eram também Israel Ta Bíblia - Os Livros. O nome dado à Bíblia por
sa de sua rebelião contra o rei. Os quatro reis (3.11). Jerônimo (século II) foi A Biblioteca Divina. Pos­
que se levantaram na Pérsia, como é visto em 9 Os anciãos dos iudeus (4.12,23; 5.1,5; 6.7,8) teriormente, houve uma importante mudança
Daniel 11.1,2, foram os últimos três da lista aci­ são chamados os nais de Israel (4.3; 8.29). do plural para o singular. No século XIII, Os I i-
ma, além de Xerxes, o filho de Dario Histaspes. 10 Nações existentes naqueles dias tinham vros. por consentimento comum, tornaram-se
Mais seis reis governaram no período entre conhecimento de como os povos eram deno­ 0 Livro - A Bíblia.
esses quatro e a vinda de Alexandre, o Grande. minados, reconhecendo que todos os israeli­
Veja 4 reis persas, p. 1419. tas que retornaram do cativeiro eram iudeus II Como a Bíblia foi recebida
Alguma confusão tem surgido com relação (4.12,23) Veja 9 maneiras mmn a Bíblia foi daria 2 Timó­
aos reis persas devido aos títulos erroneamen­ 11 Os profetas profetizaram somente aos ju; teo 3.16, nota; Em muitas partes e formas, p.
te confundidos com nomes próprios e à sua deus (5.1,5), que foram também chamados de 1965; e Como recehemos. 1 Tessalonicenses
transliteração para outras línguas. Exemplos todo o Israel (2.70:6.17). 2.13, nota.
de apelidos são: Faraó do Egito; Abimeleoue 12 O governador dos iudeus e os anciãos dos
da Filístia; e outros, como os modernos czar, iudeus eram aqueles que comandavam a edi­ III Línguas da Bíblia
sultão e xá. Assuero, significando o Poderoso, ficação do templo (6.7-8.14), que o Deus de 1 O AT, com exceção de Esdras 4.8-6.18; 7.12-
era o título de quatro reis medos e persas. Ar- Israel ordenou que fosse edificado (1.2,3), e 26; Jeremias 10.11; Daniel 2.4-7.28, foi escrito
taxerxes, significando Grande Rei, foi usado por somente o povo de Israel se levantou para isso em hebraico. Essas passagens foram escritas
quatro reis persas. Dario. significando o que (2.2,59,70; 3.1,2; 6.16; 9.1). em aramaico (ou o assim chamado caldáico),
proíbe e o Mantenedor, também é usado por 13 Quando os iudeus terminaram o templo, um dialeto relacionado ao hebraico que gradu­
vários desses reis. ofereceram 12 sacrifícios por todo o Israel, de almente tomou seu lugar como a língua falada
0 Ciro desta passagem foi assim nomeado por acordo com o número das tribos, o que prova após o exílio.
Deus 150 anos antes do seu nascimento a Ester então que estavam presentes como os judeus 2 A língua do NT era o grego oooular (o idioma
e Assuero, e cerca de 200 anos antes deste de­ que tinham retornado do exílio (6.17; 8.35). helenista) ou hebraico-grego, assim chama­
creto ser cumprido, conforme Isaías 44.28-45.1. 14 Os filhos de Israel vieram novamente do cati­ do porque os judeus introduziram muito do
Os eventos do livro de Ester vieram antes de veiro (6.21; 7.7) e eram judeus (4.12; 6.7,8,14). seu próprio idioma no grego, o qual se tornou
Esdras e Neemias, e os acontecimentos de Nee- 15 Esdras subiu do cativeiro para ensinar a lei bastante conhecido através da influência da
mias 1.1-7.4 vieram antes de Esdras 1.1-14. em Israel, para Israel - os iudeus (7.11). Septuaginta e dos comerciantes judeus que
16 Artaxerxes fez um decreto para todos os viajavam por todos os lugares. Essa era a língua
judeus e Israel são o mesmo povo (1.5) filhos de Israel (7.13). comercial falada por todo Império Romano no
Tinha se passado cerca de 200 anos antes que 17 Esdras reuniu os principais homens do p o v o tempo de Cristo, e era a mais adequada para
a impiedade das dez tribos os levasse ao cati­ de Israel para irem com ele à Palestina (7.28; .expressar a doutrina cristã. A Bíblia é agora im­
veiro. O reino do sul, incluindo Judá e Benjamim 8.29). pressa em cerca de 1 100 idiomas e dialetos.
e muitos milhares das outras tribos, esteve em 18 Muitas pessoas de Israel, verdadeiramente
cativeiro somente 70 anos. Deus tinha lidado uma grande congregação, que eram todo o IV Divisões da Bíblia
com Judá em particular e então é compreensí­ Israel na nação de mdá. se ajuntaram para se 1 As 5 divisões do AT - 39 livros:
vel que os pais de Judá e Benjamim sejam es­ consagrar (10.1-7). (1) o Pentateuco - Cinco livros de Moisés: Gêne­
pecialmente mencionados ao iniciarem o cami­ 19 A culoa de Israel foi casar com mulheres es­ sis, Êxodo, Levftico, Números, Deuteronômio.
nho de volta à terra prometida. Com isso, não trangeiras (10.19). (2) Os 12 livros históricos: Josué, Juizes, Rute, 1
estamos supondo que as outras tribos fossem 20 Muitos iudeus que se separaram de suas Samueí, 2 Samuel, 1 Reis, 2 Reis, 1 Crônicas, 2
excluídas, pois um remanescente de todas as esposas estrangeiras são listados como sendo Crônicas, Esdras, Neemias, Ester.
tribos de Israel realmente voltou para restaurar de Israel (10.25). (3) Os 5 livros noéticos: Jó, Salmos, Provérbios,
a nação (6.17; 8.25,35). É claramente declara­ Esses fatos em Esdras poderiam ser multipli­ Eclesiastes, Cantares de Salomão.
do em 1 Crônicas 9.3 que judeus de Manassés cados muitas vezes se lidermos com Neemias (4) Os 5 livros dos profetas maiores: Isaías, Jere­
e Efraim retornaram a Jerusalém com Judá e e Ester da mesma forma. Em Neemias. o ter­ mias, Lamentações de jeremias, Ezequiel, Daniel.
Benjamim. Naturalmente, Judá e Benjamim de­ mo Israel (1.6; 2.10; 7.7,61,73; 8.1,14,17; 9.1,2; (5) Os 12 livros rios profetas menores: Oséias,
veriam ser mencionados porque o verdadeiro 10.33,39; 11.3,20; 12.47; 13.2,3,18,26) é usado Joel, Amós, Obadias, Jonas, Miquéias, Naum, Ha-
reino de Deus continuou com a casa de Davi. E com relação aos judeus (1.2; 2.16; 4.1,2,12; bacuque, Sofonias, Ageu, Zacarias, Malaquias.
quando Israel foi restaurado como uma nação 5.1,8,17;6.6; 13.23). Em Ester, o termo Israel não 2 As_5Jjvisões_doJíI^27Jyros:
após o cativeiro, essa porção de Israel ainda é usado, mas o termo iudeu. no singular e no (1) Os 4 Evangelhos - História do Messias: Ma­
era a principal parte da nação. Era essa nação plural, é usado 53 vezes. Um benjamita (Et 2.5), teus, Marcos, Lucas, João.
composta de todas as tribos que Deus estava e não alguém da tribo de Judá, era o destacado (2) O livro histórico: Atos
restaurando, não somente das duas tribos. O judeu juntamente com a rainha Ester, outrajudia (3) As 14 epístolas paulinas: Romanos, 1 Corín-
termo judeu não pode ser limitado somente a da tribo de Benjamim, e esses eram os mais im­ tios, 2 Coríntios, Gálatas, Efésios, Filipenses, Co-
Judá, mas se aplica a todos os filhos de Israel portantes judeus entre os israelitas deste livro. lossenses, 1 Tessalonicenses, 2 Tessalonicenses,
de todas as tribos, conforme provado em Es­ Assim, o termo iudeu se aplica a outras tribos 1 Timóteo, 2 Timóteo, Tito, Filemon, Hebreus.
dras, Neemias e Ester. além de Judá, e é tão abrangente em sua refe­ (4) As 7 epístolas gerais: Tiago. 1 Pedro, 2 Pedro,
ludeus e Israel são o mesmo novo- rência a todos os israelitas de todas as tribos 1 João, 2 João, 3 João, judas.
1 Jeová era o Deus de Israel, e como lidou so­ que não faz distinção entre judeus e israelitas (5) O livro profético: Apocalipse.
E ST U D O S TEM ÁTICOS 780

(2) Alexandrino ou Códice A, datado do século traduziu partes das Escrituras em saxão. O rei 4 Em amor (S! 119.97-104).
V. Contém a Bíblia toda, exceto parte de Gêne­ Alfredo iniciou uma tradução dos Salmos, mas 5 Com consciência da necessidade (Mt 5,6; Jo
sis, 1 Reis, Salmos, Mateus, João e 2 Coríntios. morreu em 900 d.C., antes de terminá-la. Elfric 7.37-39; 2 Pe 1.1-10; 3.18).
(3) Vaticano ou Códice B, datado do século IV. traduziu o Pentateuco e alguns dos livros histó­ 6 Em fé (Rm 10.17; Hb 11.6).
Contém quase todo o AT, e o NT até Hebreus ricos no século X . Nada mais foi feito a respeito 7 Examinando (Jo 5.39).
9,14. da tradução desde então, até o tempo de John 8 Aberto para tudo o que ela diz (2 Tm 3.16,17;
(4) Efráemi ou Códice C, datado do sécuio V. Wycliffe, que fez a primeira versão completa da Hb 4.12; Jd 3).
Contém parte do AT e todos os livros do NT, Vulgata em inglês, em 1380 d.C. A seguinte foi 9 Comparando Escritura com Escritura (1 Co
exceto 2 Tessaíonicenses e 2 João. um NT por William Tyndale, em 1535, e o Penta­ 2.13).
(5) Bezae ou Códice D, datado do sécuio VI. Está teuco, em 1530. Em 1535, Miles Coverdale fez a 10 No Espírito (Jo 14; 16,17; 15.26; Gl 5.16,26).
escrito em colunas paralelas de latim e grego primeira versão completa impressa da Bíblia in­ 11 Do começo ao fim, e vez após vez (Mt 5.18).
e contém a maioria dos evangelhos, Atos e as glesa. Então, veio a Bíblia de Genebra, em 1560, 12 Em obediência (Rm 1.15; 16.26). Veja Escri­
epístoias. seguida da Bíblia Episcopal, em 1563, e da Revi­ turas, no Dicionário Enciclopédico.
(6) Claromontanus ou Códice D, também em sada, em 1568. A igreja Romana teve a versão
grego e latim, como o Códice Bezae, datado do de Douay do NT, em 1582, e a Bíblia inteira, em XVI Estatísticas bíblicas
sécuio VI. Contém a maioria das epístolas. 1609, a qual tem sido usada por aquela igre­ 1 A Bíblia como um todo:
Além desses, há muitos outros datados dos ja até hoje. Em 1604, o rei Tiago (King James) (1) Número de livros: 66.
séculos VI ao X, mas que não nos será possível autorizou 47 homens a fazer uma tradução (2) Capítulos: 1.189.
citar por causa do espaço. completa da Bíbiia a partir dos idiomas origi­ (3) Versículos: 31.173.
4 Lecionários: nais. A obra foi concluída em 1611, depois de (4) Promessas: 1.260.
Eram coleções dos evangelhos e epístoias para 7 a 8 anos de trabalho diligente. Essa tem sido (5) Ordens: 6.468.
serem iidas nas igrejas, algumas datadas dos a versão mais popular e aceita do inglês falado (6) Predições: cerca de 8.000.
séculos Vli ao X. Eles ajudam na determinação mundialmente, desde aquele tempo até agora. (7) 3.268 versículos de profecias cumpridas.
do texto exato. Desses havia mais de mil có­ Tem havido várias versões revisadas desde en­ (8) 3.140 versículos de profecias ainda não
pias dos evangelhos e 300 cópias de Atos e das tão, e um número de Bíblias no inglês moderno, cumpridas.
epístolas. mas nenhuma tem sido tão bem recebida e tão (9) Perguntas: 3.254.
5 Citações patrísticas: duradoura quanto a versão do rei Tiago (King (10) Nome mais longo: 18 letras (ls 8.1).
São citações da Bíblia pelos primeiros escri­ James), e talvez nunca haverá. (11) Versículos mais longo: Ester 8.9.
tores cristãos, aqueles dos três primeiros sé­ (12) versículo mais curto: Êxodo 20.13 (versão
culos. Elas ajudam na determinação do texto XIII Cronologia bíblica RC).
exato, preenchendo a brecha entre o tempo A duração de certos períodos é explicitamente (13) Livros do meio da Bíblia: Miquéias e Naum.
dos apóstolos e os mais antigos manuscritos declarada nas Escrituras, os quais, acrescen­ (14) Versículos centrais da Bíblia: Salmos 103.1,2.
do século IV. tados aos anos de datas duvidosas fornecidos (15) Capítulo central e mais curto: Salmos 117.
Se o NT fosse destruído, esse poderia ser pra­ pelas enciclopédias mais amplamente aceitas, (16) Maior livro: Salmos.
ticamente reproduzido apenas por essas men­ totalizam 6.163 anos entre a criação de Adão (17) Menor livro: 3 João (palavras contadas).
ções dos primeiros pais. Leia os Pais Ante-Nice- e 1962 [data das notas da Bíblia Dakej, como (18) Capítulo mais longo: Salmos 119.
nos, p. 1850. item 5 segue: (19) A Palavra Deus ocorre 3.358 vezes.
6 Versões antigas: De Adão até o dilúvio de Noé (Gn 5)........ 1.656 (20) A Palavra Senhor ocorre 7.736 vezes.
As muitas versões antigas das Escrituras, em Do diluvio até o chamado de Abraão, (21) Autores: 40.
muitas línguas, datam do século III a.C. ao sé­ aos 75 anos de idade (Gn 11.1-12.5)...... 427 (22) Línguas traduzidas: cerca de 1.100.
culo XII d.C., acrescentando muitas provas da De Abraão até o Êxodo (Êx 12.40; Gl 3.17; (23) Primeira divisão de capítulos: cerca de 1227
genuinidade e autenticidade da Bíbiia. nota, Gn 15.15)..........................................430 d.C.
(1) Septuaeinta. em grego, século III a.C. Do Êxodo até o ministério de Cristo (24) Primeira Bíblia completa em inglês: 1380
(2) Targum caldeu, paráfrase de porções do AT, (veja Dispensação da lei, p. 80).......... 1.718 d.C.
sécuios vil! ao Xi d.c. Do ministério de Cristo (cerca de 30 d.c.) 2 O Antigo Testamento:
(3) Pentateuco samaritano. século l ou II d.C. até 1962..................................................1.932 (1) Número de livros: 39.
(4) Versão de Áoüila. grega, do AT, cerca de 160 Total - Adão até 1962 ............................... 6.163 (2) Capítulos: 929.
d.C. (3) Versículos: 23.214.
(5) Versão de Theodocião. AT em grego, século XIV Como interpretar a Bíblia (4) Livro central: Provérbios.
II d.C. Veja Fábulas, Parábolas e Alegoria, no Dicio­ (5) Capítulo central: Jó 29.
(6) Versão de Símaco. AT em grego, século II nário Enciclopédico. Veja também: (6) Versículo central: 2 Crônicas 18.30.
d.C. 1 10 classes de pessoas que acham difícil (7) Livro mais curto: Obadias.
(7) Peshitta. versão siríaca, século ll d.c. entendera Bíblia, p. 1624. (8) Versículo mais curto: Êxodo 20.13 (versão
(8) Versão árabe, séculos VIII ao XII d.C. 2 7 razões por que a Bíblia é simples, p. 1624. RC),
(9) Versão armênia, século V d.C. 3 7 razões por aue a Bíblia não é compreendi­ (9) Versículo mais longo: Ester 8.9.
(10) Versão egíocia. século IV d.C. da, Marcos 8.17, nota. (10) Capítulo mais longo: Salmos 119.
(11) Versão etíope, século IV d.C. 4 Dicas para compreensão, Marcos 10,49, nota; (11) Maior livro: Salmos.
(12) Versão gótica, século IV d.C. Marcos 11.17, nota; Marcos 14.21, nota; e Mar­ (12) Passagens que são semelhantes ou assim
(13) Versão georgina. século VI d.C. cos 15.28, nota. parecem: 2 Reis 19 e isaías 37; Esdras 2 e Ne-
{14) Versão latina, sécuio IV d .C. 5 Fáceis de entender, Hebreus 5.11-6.1, notas; emias 7; 2 Crônicas 36.22,23 e Esdras l.l-3a;
(15) Versão pérsica, sécuio ll d.C. 2 Pedro 3.16, nota. Salmos 14 e 53; Salmos 60.6-12 e 108.7-13;
O textos bíblico como temos hoje é o mesmo 6 Como compreender, Mateus 15.10, nota. Números 7 tem 12 repetições e o Salmo 107
referenciado por todas essas fontes desde os 7 Lei de interpretação, 2 Coríntios 13.1, nota. tem 4 repetições; o Salmo 136 tem 26 repe­
primeiros tempos, de maneira que não deve 8 12 regras de interpretação. Marcos 4.22, tições. Cf. Gênesis 36.31-43 com 1 Crônicas
haver nenhum questionamento em mente com nota. 1.43-54
respeito à genuinidade e autenticidade das Es­
9 Segredos de compreensão, Marcos 4.24, nota. 3 O Novo Testamento:
crituras. 10 Sendo interpretada literalmente como ou­ (1) Número de livros: 27.
tros livros, Marcos 9.10, nota. (2) Capítulos: 260.
Xll Como obtivemos a Bíbiia em inglês 11 Compartilhando corretamente a verda­ (3) Versículos: 7.959.
A Bíblia em inglês é o resultado de 1.200 anos de, p. 1938. (4) Livro central: 2 Tessaíonicenses.
de trabalho por todos os tipos de homens eru­ (5) Capítulo central: Romanos 13,14.
ditos. Porções foram traduzidas da Vulgata, a XV Como ler a Bíblia (6) Versículo central: Atos 7.7.
versão latina, começando em cerca de 700 1 Freqüentemente, diariamente (Js 1.8). (7) Livro mais curto: 3 João (palavras contadas).
d,C., quando Aldheim traduziu os Salmos para 2 Não para controvérsia, mas para proveito (Pv (8) Versículo mais curto: João 11.35.
o saxão. Egbert traduziu os quatro Evangelhos 3; 2 Tm 3.16,17). (9) Versículo mais longo: Apocalipse 20.4.
algum tempo mais tarde. Em 735 d.C., Beda 3 Meditando (S11.3). (10) Capítulo mais longo: Lucas 1.
781 E ST U D O S TEM ÁTICOS

(11) Maior livro: Lucas, Jeremias (1.273); Mateus (1.071); Lucas (1.151); culos cada.
Com relação aos Apócrifos, as estatísticas são e Atos (1.007). (17) Jeremias 51 tem uma expressão usada 9
as seguintes: livros: 14; capítulos: 184; versícu­ (8) Uma Bíblia na biblioteca da Universidade vezes - desnedacarei.
los: 6.031. de Gottingen foi escrita em 2,470 folhas de (18) Em 3 dos 5 capítulos de Lamentações, os
4 Outros fatos interessantes sobre a Bíhlia: palmeiras. versículos têm aproximadamente o mesmo
(1) 5 livros têm somente um capítulo: Obadias, (9) A palavra Senhor no AT está para Jeová na cumprimento.
Filemon, 2 e 3 João, Judas. maioria das vezes. (20) 14 versículos em Provérbios começam
(2) Ester e Cantares de Salomão não mencio­ (10) As declarações de 4 versículos em Núme­ com Filho meu.
nam o nome de Deus no texto em inglês. ros 7 são repetidas 12 vezes nesse capítulo. (21) 3 versículos em Jeremias 4 começam com
(3) Ageu tem somente dois capítulos. (11) Números 33 tem 39 versículos com as a palavra observei.
(4) 7 livros têm apenas três capítulos: Joel, duas primeiras palavras iguais. (22) o único versículo nas Escrituras que tem
Naum, Habacuque, Sofonias, 2 Tessalonicenses, (12) 12 versículos em Deuteronômio 27 come­ menino e menina está em Joel 3.3.
Tito e 2 Pedro. çam com a palavra maldito e terminam com (23) 9 versículos em Mateus começam com
(5) 6 livros têm somente quatro capítulos: Rute, Amém. Bem-aventurados.
Jonas, Malaquias, Colossenses, Filipenses, 2 Ti­ (13) 23 versículos em 1 Crônicas 25 terminam (24) 29 versículos em Lucas 3 começam com E.
móteo. de forma igual. (25) Dos 5 capítulos de Lamentações, 4 têm 22
(6) 5 livros têm somente cinco capítulos: Lamen­ (14) 21 versículos em Neemias 10 têm somente versículos cada.
tações, 1 Tessalonicenses, Tiago, 1 Pedro, 1 João. três palavras. (26) o mais longo versículo das Escrituras (Es­
(7) Somente 10 livros têm cerca de mil versí- (15) 4 versículos em Provérbios 30 começam ter 8.9) contêm 92 palavras.
cuios: Gênesis (1.533); Êxodo (1.213); Números de forma semelhante. (27) Há 8.674 palavras hebraicas e 5.624 pala­
(1.288); Jó (1.070); Saimos (2.461); [saías (1.292); (16) O Salmo 119 tem 22 seções com 8 versí­ vras gregas.