Você está na página 1de 43
MÉTODO MCCABE THIELE LOCALIZAÇÃO ÓTIMA PRATO DE CARGA Definida como:
MÉTODO MCCABE THIELE
LOCALIZAÇÃO
ÓTIMA
PRATO
DE
CARGA
Definida como:

para uma dada separação e uma dada razão de refluxo exigirá o menor número de estágios, ou; para um dada razão de refluxo e um dado número de estágio produzirá a melhor separação, ou; para uma dada separação e um dado número de estágios exigirá a menor razão de refluxo.

MÉTODO MCCABE THIELE

MÉTODO MCCABE THIELE LOCALIZAÇÃO #1 Localização ótima ÓTIMA PRATO DE da carga. y #2 CARGA #3
LOCALIZAÇÃO #1 Localização ótima ÓTIMA PRATO DE da carga. y #2 CARGA #3 Utilizar a
LOCALIZAÇÃO
#1
Localização
ótima
ÓTIMA
PRATO
DE
da carga.
y
#2
CARGA
#3
Utilizar a reta de operação
mais afastada da curva de
equilíbrio para o cálculo do
número de estágios.
#4
#5(Estágio
de
Carga)
∑∑∑∑
#6
Carga
deve
ser
#7
introduzida no estágio em
que a linha "i" é cruzada
pela retas que definem um
#8
x
D
RR
+
I
estágio.
xB
xD

za

MÉTODO MCCABE THIELE

MÉTODO MCCABE THIELE COMPOSIÇÃO DA CARGA INFLUÊNCIA NO N. DE ESTÁGIOS Considerar que a parte vaporizada

COMPOSIÇÃO DA CARGA INFLUÊNCIA NO N. DE ESTÁGIOS

Considerar que a parte vaporizada da carga possua composição igual a do vapor que deixa o estágio de carga, quando:

quando a composição da parte vaporizada da carga coincide com a do vapor que sai do prato de carga (yF =); quando a carga é liquida saturado ou sub-resfriado; quando a carga é borbulhada no líquido do prato e

com ele entra em equilíbrio.

MÉTODO MCCABE THIELE

MÉTODO MCCABE THIELE COMPOSIÇÃO DA CARGA INFLUÊNCIA NO N. DE ESTÁGIOS O líquido que deixa o

COMPOSIÇÃO DA CARGA INFLUÊNCIA NO N. DE ESTÁGIOS

O líquido que deixa o prato de carga, é resultante de um processo de equilíbrio

f-1 x f-1 y f V F , y F f Z f LF, xF
f-1
x
f-1
y f
V F , y F
f
Z f
LF, xF
y
f
x
f
y f+1
f -1 (yf-1, xf-1) f (yf, xf) (xf-1, yf) (xf, yf+1)
f -1
(yf-1, xf-1)
f
(yf, xf)
(xf-1, yf)
(xf, yf+1)

MÉTODO MCCABE THIELE

MÉTODO MCCABE THIELE COMPOSIÇÃO DA CARGA ESTÁGIOS INFLUÊNCIA NO N. DE Vy V y y π

COMPOSIÇÃO DA CARGA ESTÁGIOS

INFLUÊNCIA NO N. DE

Vy V y y π y f F F y f y = f V
Vy
V
y
y
π y
f
F
F
y
f
y
=
f
V
f -1
(yf-1, xf-1)
(
y f , xf)
(yf, xf-1)

MÉTODO MCCABE THIELE

MÉTODO MCCABE THIELE BASES FRACIONAMENTO PARA PROJETOS DE COLUNAS DE Influências do número de estágios de

BASES

FRACIONAMENTO

PARA

PROJETOS

DE

COLUNAS

DE

Influências do número de estágios de equilíbrio e da razão de refluxo no fracionamento combinadas proporcionam o menor custo total, para se obter a mesma separação desejada na carga.

Quanto maior a razão de refluxo, menor o número de estágios.

Existe uma relação adequada entre o número de pratos necessários para uma dada separação e a razão de refluxo de uma coluna, que produzirá o mínimo custo total.

MÉTODO MCCABE THIELE

MÉTODO MCCABE THIELE BASES FRACIONAMENTO PARA PROJETOS DE COLUNAS DE INFLUÊNCIA PRATOS DA RAZÃO DE REFLUXO

BASES

FRACIONAMENTO

PARA

PROJETOS

DE

COLUNAS

DE

INFLUÊNCIA PRATOS DA RAZÃO DE REFLUXO NO NÚMERO DE N Ú M ER O D
INFLUÊNCIA
PRATOS
DA
RAZÃO
DE
REFLUXO
NO
NÚMERO
DE
N Ú M ER O
D E
P R ATO S
N Ú M E R O
M ÍN IM O
D E
P R ATO S
R .R . M ÍN IM A
R .R .

MÉTODO MCCABE THIELE

MÉTODO MCCABE THIELE BASES FRACIONAMENTO PARA PROJETOS DE COLUNAS DE RAZÃO DE REFLUXO ÓTIMA Maior razão

BASES

FRACIONAMENTO

PARA

PROJETOS

DE

COLUNAS

DE

RAZÃO DE REFLUXO ÓTIMA Maior razão de refluxo, menor número de estágios, maior o custo operacional e menor o custo de investimento

i CUSTO g f TOTAL a h c OPERACIONAL d e INVESTIMENTO b RAZÃO DE
i
CUSTO
g
f
TOTAL
a
h
c
OPERACIONAL
d
e
INVESTIMENTO
b
RAZÃO DE REFLUXO ÓTIMA

RAZÃO DE REFLUXO

MÉTODO MCCABE THIELE

MÉTODO MCCABE THIELE BASES FRACIONAMENTO PARA PROJETOS DE COLUNAS DE RAZÃO DE REFLUXO MÍNIMA A razão

BASES

FRACIONAMENTO

PARA

PROJETOS

DE

COLUNAS

DE

RAZÃO DE REFLUXO MÍNIMA

A razão de refluxo e o número de pratos influências em direções opostas: razão de refluxo mínima a coluna possuiria número infinito de estágios para se obter a separação desejada da carga.

O número infinito de estágios ocorre, entre outras situações, quando as duas retas de operação se interseptam sobre a curva de equilibrio

MÉTODO MCCABE THIELE

MÉTODO MCCABE THIELE BASES FRACIONAMENTO PARA PROJETOS DE COLUNAS DE /(RR+1) RAZÃO DE REFLUXO MÍNIMA y

BASES

FRACIONAMENTO

PARA

PROJETOS

DE

COLUNAS

DE

/(RR+1)

RAZÃO DE REFLUXO MÍNIMA y a x D ESTRANGULAMENTO y a z F x B
RAZÃO DE REFLUXO MÍNIMA
y a
x D
ESTRANGULAMENTO
y a
z F
x B
x a
ESTRANGULAMENTO z F
ESTRANGULAMENTO
z
F

x B

x D

x a

MÉTODO MCCABE THIELE

MÉTODO MCCABE THIELE BASES PARA PROJETOS DE COLUNAS DE FRACIONAMENTO RAZÃO MÍNIMA DE REFLUXO

BASES

PARA

PROJETOS

DE

COLUNAS

DE

FRACIONAMENTO

RAZÃO MÍNIMA

DE

REFLUXO

Determinação da razão de refluxo mínima: reta de operação da seção de enriquecimento para que corte a "linha I", sobre curva de equilíbrio.

LINHA i x D R MIN ++++ I
LINHA i
x
D
R
MIN ++++
I

xD

MÉTODO MCCABE THIELE

MÉTODO MCCABE THIELE BASES FRACIONAMENTO PARA PROJETOS DE COLUNAS DE RAZÃO DE REFLUXO TOTAL O refluxo

BASES

FRACIONAMENTO

PARA

PROJETOS

DE

COLUNAS

DE

RAZÃO DE REFLUXO TOTAL O refluxo total corresponde a uma razão de refluxo infinita Valor de [xD/(RR + 1)] igual a zero, fazendo com que a reta de operação de seção de absorção se confunda com a primeira bissetriz, o mesmo com a reta da seção de esgotamento. O número de estágios necessários à separação será mínimo para o refluxo total: quando se alcança o melhor fracionamento da carga, deixando-se, no entanto, de se retirar produtos pela coluna.

MÉTODO MCCABE THIELE

MÉTODO MCCABE THIELE CORRENTES INTERMEDIÁRIAS Introdução de mais de uma carga ou retirada de um produto

CORRENTES INTERMEDIÁRIAS

Introdução de mais de uma carga ou retirada de um produto em região intermediária da coluna altera vazões molares das correntes de líquido e de vapor de cada seção, aparecimento de nova reta de operação

RETIRADA LATERAL

Trata-se de um produto retirado da torre de fracionamento

em um estágio intermediário, entre o topo e o fundo.

retirada lateral tanto pode ser na fase liquida, o que é mais

comum, como na fase vapor.

A

MÉTODO MCCABE THIELE

MÉTODO MCCABE THIELE RETIRADA LATERAL I V L S , x s II L V L

RETIRADA LATERAL

I V L S , x s II L V L ' V ' V
I
V
L
S , x s
II
L
V
L '
V '
V 5
III

D , x o

F
F

Z F

B , x B

MÉTODO MCCABE THIELE

MÉTODO MCCABE THIELE RETIRADA LATERAL Admite-se que a corrente lateral tenha a mesma composição que o

RETIRADA LATERAL

Admite-se que a corrente lateral tenha a mesma composição que o líquido do estágio onde a corrente é retirada, sendo o valor da retirada (S) e sua composição (x S ) conhecidos.

Inicialmente, determina-se a reta de operação da seção de enriquecimento, da mesma forma que no caso sem retirada lateral.

A seguir determina-se a reta de operação da seção intermediária, através de balanço:

MÉTODO MCCABE THIELE RETIRADA LATERAL  Vy = L x + Sx + Dx I
MÉTODO MCCABE THIELE
RETIRADA LATERAL
 Vy
=
L x
+
Sx
+
Dx
I
D, xo
s
D
V
L
L
S, xs
II
L
X
V
=
L
+
S
+
D
F
ZF
L
S
D
L'
V'
y=
x
+
x
+
x
s
D
V5
V
V
V
III
B, xB

Localização da reta da seção intermediária

x = y

y =

Sx

s

+

Dx

D

V

L

=

Sx

s

+

Dx

D

S

+

D

MÉTODO MCCABE THIELE
MÉTODO MCCABE THIELE

RETIRADA LATERAL

Localização da reta da seção intermediária Como a corrente lateral é normalmente líquida

V

i S

= V

=

L

L

S

= 1

Como is = 1

L

L = S

x = xs

Definir uma linha is, como mostrado pelas equações, que represente a interseção da reta da seção de enriquecimento com a intermediária. Esta linha tem como coeficiente angular o valor is.

Interseção destas retas é uma vertical passando por x = xs, quando a retirada lateral é líquido saturado.

MÉTODO MCCABE THIELE
MÉTODO MCCABE THIELE

RETIRADA LATERAL

Localização da reta da seção intermediária

Dx

D

V

"is" ∑∑∑ SEÇÃO INTERM. ∑∑∑ ∑∑∑ Sx ++++ D x s D S ++++ D
"is"
∑∑∑
SEÇÃO INTERM.
∑∑∑
∑∑∑
Sx
++++
D x
s
D
S
++++
D
"i"
∑∑∑
∑∑∑
xB
z F
x S
x D
MÉTODO MCCABE THIELE
MÉTODO MCCABE THIELE

Exercício I

Uma torre de fracionamento com um condensador parcial e um refervedor parcial, deve ser projetada para separar mistura benzeno-tolueno em quatro produtos: um destilado vapor, um destilado líquido, um produto intermediário e um resíduo. A vazão de carga é de 3.000 kmol/h contendo 50 mol% em benzeno e está a 94 o C nas condições do prato de carga. Os produtos deverão conter: destilado gasoso: 93% em mol de benzeno; retirada lateral: 60,5% mol de benzeno. Sabendo-se que a vazão molar de destilado líquido seja 800 kmol/h, que a relação entre a vazão de destilado gasoso (G) e a de líquido (D) seja 0,75 em mol e que a razão de refluxo seja 2,3 e de retirada lateral seja 400 kmol/h, calcular:

MÉTODO MCCABE THIELE
MÉTODO MCCABE THIELE

Exercício I

Calcular:

a) as vazões molares de produtos; b) número de estágios reais considerando localização ótima da carga e eficiência global da separação igual a 60%; c) a temperatura do topo da torre; d) qual é o prato de carga para uma localização ótima. e) A temperatura de cada prato da coluna.

MÉTODO MCCABE THIELE
MÉTODO MCCABE THIELE

Exercício I

V= ? kmol/h G/D=0,75 y 1 =? G R/D=2,3 F= 3000 kmol/h D zA=0,50 S
V= ? kmol/h
G/D=0,75
y
1 =?
G
R/D=2,3
F= 3000 kmol/h
D
zA=0,50
S
D= 800 kmol/h
L= ? kmol/h
TF=94 o C
F
yG=0,93
xA=0,436
S= 400 kmol/h
V= ? kmol/h
xS=0,605
yA=0,657
D T = G+D
x
T =(Gyg+DxD)/(G+D)
B
MÉTODO MCCABE THIELE
MÉTODO MCCABE THIELE

Solução I Carga contendo 50 mol% em benzeno e está a 94 o C nas condições do prato de carga Diagrama T-x-y

Diagrama T-x-y do Sistema Benzeno-Tolueno a 1 atm

108 ya=0,657 98 xa=0,436 88 za=0,5 78 0 0,1 0,2 0,3 0,4 0,5 0,6 0,7
108
ya=0,657
98
xa=0,436
88
za=0,5
78
0
0,1
0,2
0,3
0,4
0,5
0,6
0,7
0,8
0,9
1
Temperatura Celsius

Fração molar de benzeno

MÉTODO MCCABE THIELE

MÉTODO MCCABE THIELE Solução I Produtos: destilado gasoso: 93% em mol de benzeno; retirada lateral: 60,5%

Solução I Produtos: destilado gasoso: 93% em mol de benzeno; retirada lateral: 60,5% mol de benzeno. Diagrama T-x-y

F kgmol/h

z

T ºC

xa

ya

3000

0,5

78

0,436

0,657

 

0,5

94

 
  0,5 94  
 

0

94

i=L F /F=

0,710

 

0,75

94

   

F=L+V

Fza=Lxa+Vya=Lxa+(F-L)ya

F(ya-za)=L(ya-xa)

i=L/F=(ya-za)/(ya-xa)

V=F-L

MÉTODO MCCABE THIELE

MÉTODO MCCABE THIELE Solução I Produtos: destilado gasoso: 93% em mol de benzeno; retirada lateral: 60,5%

Solução I Produtos: destilado gasoso: 93% em mol de benzeno; retirada lateral: 60,5% mol de benzeno. Diagrama T-x-y

Diagrama T-x-y do Sistema Benzeno-Tolueno a 1 atm 108 y1=0,855 98 T1= 87 C yG=0,93
Diagrama T-x-y do Sistema Benzeno-Tolueno a 1 atm
108
y1=0,855
98
T1= 87 C
yG=0,93
xD=0,84
Tt=83,5 C
88
xS=0,605
TS= 89,5 C
78
0
0,1
0,2
0,3
0,4
0,5
0,6
0,7
0,8
0,9
1
Fração molar de benzeno
Temperatura Celsius

MÉTODO MCCABE THIELE

MÉTODO MCCABE THIELE Solução I Produtos: destilado gasoso: 93% em mol de benzeno; retirada lateral: 60,5%

Solução I Produtos: destilado gasoso: 93% em mol de benzeno; retirada lateral: 60,5% mol de benzeno. Diagrama T-x-y

0,930

0,93

T Gas oC.

83,5

0,605

 

T retirada oC.

89,5

0,838

0,838

Refluxo e Destilado

83,5

   

y1=

0,852

BALANÇO NO TOPO

V=R+G+D

V y1=R xD + D

V=D+R+G Vy1=D xD+R xD+G yG (D+R+G) y1=D xD+R xD+G yG R=2,3(D+G) G=0,75D

(D+3,05D+0,75D) y1=D xD+2,3(D+0,75D) xD+0,75 DyG

y1=D xD+2,3 DxD+0,75 DyG/((4,8D)

MÉTODO MCCABE THIELE

MÉTODO MCCABE THIELE Solução I Sabendo-se que a vazão molar de destilado líquido seja 800 kmol/h

Solução I Sabendo-se que a vazão molar de destilado líquido seja 800 kmol/h e que a razão de refluxo seja 2,3 e de retirada lateral seja 400 kgmol/h Balanço no Topo:

 

RR=

2,30

xB=

0,021

R (kmol/h)=

3230,5

R/(D+G)=

yB=

0,021

xT=yT=

0

0,878

   

y0=

0,266

0,878

   

(D xD +G yG + S xS)/(D+G+S)=

0,82

0,235

 

MÉTODO MCCABE THIELE

MÉTODO MCCABE THIELE Solução I Sabendo-se que a relação entre as vazões molares de destilado líquido

Solução I Sabendo-se que a relação entre as vazões molares de destilado líquido seja 800 kmol/h e que a razão de refluxo seja 2,3 e de retirada lateral seja 400 kgmol/h Balanço na Torre:

     

B(kmol/h)=

1195,4

 

RR=

2,30

xB=

0,021

R (kmol/h)=

3230,5

R/(D+G)=

yB=

0,021

xT=yT=

0

0,878

   
MÉTODO MCCABE THIELE
MÉTODO MCCABE THIELE

Solução I Cálculo do Número de Estágios Reta da seção de enriquecimento Reta da seção intermediária Linha i

x

0

0,878

Enriquecimento

xT=yT=

y

0,266

0,878

Enriquecimento

 

(D xD +G yG + S xS)/(D+G+S)=

0,82

0,235

Intermediária

   

LINHA I

 
 

interseção S

0,685

0,605

ya=((-1+i)/i)*xa-za/i

interseção i

ya

xa

   

0,62

0,45

   

0,75

0,4

   

0,87

0,35

   

0,50

0,5

   

0,60

0,461

MÉTODO MCCABE THIELE
MÉTODO MCCABE THIELE

Solução I Cálculo do Número de Estágios

Diagrama de equilíbrio x-y do sistema Benzeno-Tolueno a 1 atm

1 0,9 0,8 0,7 0,6 0,5 0,4 0,3 0,2 0,1 0 0 0,1 0,2 0,3
1
0,9
0,8
0,7
0,6
0,5
0,4
0,3
0,2
0,1
0
0
0,1
0,2
0,3
0,4
0,5
0,6
0,7
0,8
0,9
1
Fração molar de etano na fase vapor

Fração molar de benzeno na fase líquida

MÉTODO MCCABE THIELE

MÉTODO MCCABE THIELE Solução I: Cálculo do Número de Estágios 1 y G =0,93 0,9 x=y=0,877

Solução I: Cálculo do Número de Estágios

1 y G =0,93 0,9 x=y=0,877 0,8 x=y=0,82 0,7 0,6 xs=0,605 0,5 0,4 zf=0,5 0,3
1
y
G =0,93
0,9
x=y=0,877
0,8
x=y=0,82
0,7
0,6
xs=0,605
0,5
0,4
zf=0,5
0,3
0,2
x=0
y=0,267
0,1
0
0
0,1
0,2
0,3
0,4
0,5
0,6
0,7
0,8
0,9
1
Fração molar de etano na fase vapor
x b =0,025
x b =0,025

Fração molar de benzeno na fase líquida

MÉTODO MCCABE THIELE

MÉTODO MCCABE THIELE Solução I: Cálculo do Número de Estágios   9 estágio 0,045    

Solução I: Cálculo do Número de Estágios

 

9 estágio

0,045

   
 

10 estágio

0,018

f=

0,9

 

xb

0,021

   

Número de estágios ideais

9,9-2=

7,9

 

Número de estágios reais

7.9/0,6=

14,000

 
 

Retirada Lateral

2. estágio ideal

   
 

Carga

3. estágio ideal

   

MÉTODO MCCABE THIELE

MÉTODO MCCABE THIELE Exercício II Uma torre fracionadora deve ser projetada para separar uma mistura de

Exercício II

Uma torre fracionadora deve ser projetada para separar uma mistura de 1500 kmol/h de etano/propano, cuja composição é de 60 mol% em etano, à pressão de 19 atmosferas.

A temperatura da carga e seu estado térmico é tal que a vazão molar de vapor na seção de enriquecimento seja igual a da seção de esgotamento.

O vapor de topo da torre fracionadora é parcialmente condensado no condensador de topo, mantendo-se o tambor de topo a temperatura de -14 0 C. Retira-se no tambor de topo dois produtos , um líquido D e um gasoso G, sendo que a vazão do gasoso corresponde a 0,75 em mol da vazão do líquido D. A razão de refluxo operacional é quatro vezes maior que a razão de refluxo mínima.

O produto de fundo da torre não deve conter mais do que 6% do etano que entra na carga da torre. A carga é introduzida no prato ótimo.

MÉTODO MCCABE THIELE

MÉTODO MCCABE THIELE Exercício II Calcular: A razão de refluxo mínima. O número de estágios mínimo.

Exercício II

Calcular:

A razão de refluxo mínima. O número de estágios mínimo. O número de pratos ideais para se obter a separação desejada. A concentração do vapor de topo da torre.

MÉTODO MCCABE THIELE

MÉTODO MCCABE THIELE Exercício II CARGA V2 V1 1 2 L1 V3 L2 3 V4 L3

Exercício II

CARGA

V2 V1 1 2 L1 V3 L2 3 V4 L3 4 V5 L4 5 L5
V2
V1
1
2
L1
V3
L2
3
V4
L3
4
V5
L4
5
L5

PRODUTO

VAPOR

MÉTODO MCCABE THIELE

MÉTODO MCCABE THIELE Solução II A temperatura da carga e seu estado térmico é tal que

Solução II A temperatura da carga e seu estado térmico é tal que a vazão molar de vapor na seção de enriquecimento seja igual a da seção de esgotamento. O vapor de topo da torre fracionadora é parcialmente condensado no condensador de topo, mantendo-se o tambor de topo a temperatura de -14 0 C. Retira-se no tambor de topo dois produtos , um líquido D e um gasoso G,

Diagrama T-x-y do Sistema Etano-Propano a 19 atm

60 50 40 30 T tambor= -14 C yG=0,985 xD=0,902 20 10 0 -10 za=0,6
60
50
40
30
T tambor= -14 C
yG=0,985 xD=0,902
20
10
0
-10
za=0,6
-20
Líquido Saturado
-30
0
0,1
0,2
0,3
0,4
0,5
0,6
0,7
0,8
0,9
1
Temperatura Celsius

Fração molar de etano

MÉTODO MCCABE THIELE
MÉTODO MCCABE THIELE

Solução II O vapor de topo da torre fracionadora é parcialmente condensado no condensador de topo, mantendo-se o tambor de topo a temperatura de -14 0 C. Retira-se no tambor de topo dois produtos , um líquido D e um gasoso G, sendo que a vazão do gasoso corresponde a 0,75 em mol da vazão do líquido D.

   

x

y

T Gas oC.

-14,0

0,902

0,985

T Líquido oC

-14,0

0,985

0,000

G=0,75D

D=

515,6

G=

386,7

 

xR=xD=

0,902

yG=

0,985

xT=(DxD+GyG)/(D+G)

0,938

MÉTODO MCCABE THIELE
MÉTODO MCCABE THIELE

Solução II A razão de refluxo operacional é quatro vezes maior que a razão de refluxo mínima.

Diagrama de equilíbrio x-y do sistema Etano-Propano a 19 atm

1 0,9 0,8 0,7 xT ( y0) MIN =0,85 0,6 Linha i 0,5 0,4 0,3
1
0,9
0,8
0,7
xT
( y0) MIN =0,85
0,6
Linha i
0,5
0,4
0,3
0,2
0,1
0
0
0,1
0,2
0,3
0,4
0,5
0,6
0,7
0,8
0,9
1
Fração molar de etano na fase vapor

Fração molar de etano na fase líquida

MÉTODO MCCABE THIELE
MÉTODO MCCABE THIELE

Solução II A razão de refluxo operacional é quatro vezes maior que a razão de refluxo mínima.

y o mínimo= 0,850
y o mínimo=
0,850
 

(xT/0,85)-1

RR min=

0,1588235

RR op=

0,6352941

y1=

0,9527554

T1=

-8

y o mínimo= 0,850   (xT/0,85)-1 RR min= 0,1588235 RR op= 0,6352941 y1= 0,9527554 T1= -8
MÉTODO MCCABE THIELE
MÉTODO MCCABE THIELE

Solução II A razão de refluxo operacional é quatro vezes maior que a razão de refluxo mínima. O produto de fundo da torre não deve conter mais do que 6% do etano que entra na carga da torre. A carga é introduzida no prato ótimo.

Diagrama de equilíbrio x-y do sistema Etano-Propano a 19 atm 1 0,9 0,8 yo=0,57 3
Diagrama de equilíbrio x-y do sistema Etano-Propano a 19 atm
1
0,9
0,8
yo=0,57
3
0,7
0,6
xT=x=y=0,938
0,5
Linha i
0,4
0,3
0,2
0,1
0
0
0,1
0,2
0,3
0,4
0,5
0,6
0,7
0,8
0,9
1
Fração mo lar de et ano na f ase lí quid a
MÉTODO MCCABE THIELE
MÉTODO MCCABE THIELE

Solução II Número de Estágios Mínimo: Refluxo Total 3,7 estágios sendo 1 condensador parcial e 1 refervedor – na torre 1,7 estágios

Diagrama de equilíbrio x-y do sistema Etano-Propano a 19 atm

1 0,9 0,8 0,7 0,6 0,5 0,4 0,3 0,2 0,1 0 0 0,1 0,2 0,3
1
0,9
0,8
0,7
0,6
0,5
0,4
0,3
0,2
0,1
0
0
0,1
0,2
0,3
0,4
0,5
0,6
0,7
0,8
0,9
1
Fração molar de etano na fase vapor

Fração molar de etano na fase líquida

MÉTODO MCCABE THIELE
MÉTODO MCCABE THIELE

Solução II

Número de Estágios yg=0,985 Diagrama de equilíbrio x-y do sistema Etano-Propano a 19 atm EST
Número de Estágios
yg=0,985
Diagrama de equilíbrio x-y do sistema Etano-Propano a 19 atm
EST 1
1
EST 2
EST
3
0,9
EST 4
0,8
0,7
EST 5
0,6
0,5
0,4
EST6
Linha i
0,3
0,2
EST 7
0,1
0
0,105
0
0,1
0,2
0,3
0,4
0,5
0,6
0,7
0,8
0,9
1
0,O25
0,O925
Fração molar de etano na fase líquida
Fração molar de etano na fase vapor

ConceitosConceitos BBáásicossicos dede EngenhariaEngenharia QuQuíímicamica

sicos sicos de de Engenharia Engenharia Qu Qu í í mica mica Equilíbrio Líquido-Vapor Ábaco de

Equilíbrio Líquido-Vapor Ábaco de DePriester Baixa T

sicos sicos de de Engenharia Engenharia Qu Qu í í mica mica Equilíbrio Líquido-Vapor Ábaco de

ConceitosConceitos BBáásicossicos dede EngenhariaEngenharia QuQuíímicamica

á sicos sicos de de Engenharia Engenharia Qu Qu í í mica mica Equilíbrio Líquido-Vapor Ábaco

Equilíbrio Líquido-Vapor Ábaco de DePriester Alta T

á sicos sicos de de Engenharia Engenharia Qu Qu í í mica mica Equilíbrio Líquido-Vapor Ábaco