Você está na página 1de 1

O edifício localiza-se no Porto junto à via de cintura

interna entre a Av. da Boavista e o Campo Alegre.


O empreendimento foi projectado pelo Arquitecto
Adalberto Dias e consiste em dois edifícios com duas caves, R/C
e 7 andares elevados. As caves e o R/C são comuns aos dois
edifícios.
A estrutura resistente é totalmente formada por elementos
de betão armado, sendo constituída por um sistema de
pilares, vigas, lajes e paredes estruturais. Todos os elementos
estruturais aparentes são em betão branco.
Devido à sua concepção arquitectónica, o núcleo de acessos
verticais ficou situado fora dos edifícios, fazendo-se a ligação
ao nível de cada piso por um passadiço exterior, optou-se assim
por isola-lo dos edifícios dada a sua excentricidade.
Desta forma recorreu-se a outros elementos, principalmente
paredes, de modo a garantir um contraventamento eficaz da
estrutura.
Esta solução de contraventamento não proporcionou uma
distribuição simétrica da rigidez, pelo que se procedeu a uma
análise tridimensional para avaliar o funcionamento das
soluções preconizadas. O mesmo modelo serviu também para
a análise face às acções sísmicas.
As lajes de piso são na sua grande maioria do tipo nervurado, com
blocos de aligeiramento perdido e funcionamento bidireccional.
Nos pisos do 0 e -1 o funcionamento é do tipo fungiforme, tendose
adoptado bandas de acerto nos alinhamentos dos pilares.
Apenas em zonas localizadas de geometria mais irregular se
optou por troços de laje maciças.
As espessuras variam entre os 31 cm nos pisos elevados, 40
cm nos pisos 0 e -1 e 46 cm na laje de cobertura superfície
comercial. As paredes são em betão armado com espessura de
0.25 m. Devido ao facto do edifício ser em betão branco aparente
foi dada especial atenção ao controlo da fendilhação provocada
quer por deformações intrínsecas quer por acções exteriores.