Você está na página 1de 7

Publicidade

Ano 10 | número 2180 | Maputo, Segunda-Feira 2 de Abril de 2018


Director: Fernando Veloso | Editor: Matias Guente | Propriedade da Canal i, lda
Sede: Bairro Central, Av. Maguiguana, n.º 1049 | Casa n.º 65000 R/C | Registo: 18/GABINFO-DEC/2009
e-mail: graficocanalmoz@gmail.com | mtsgnt@gmail.com | Telefones: 823672025 - 823053185

Para tentar reduzir os danos

Comissão Política do partido Frelimo


mandatou Manuel Tomé e Caifadine
Manasse para visitar Ericino de Salema
Maputo (Canalmoz) – Com a ge- que a Justiça esclareça o atenta- encontra-se em recuperação, com
neralidade da opinião pública a do o mais rapidamente possível. um quadro clínico descrito como
colar o atentado contra Ericino de Na passada terça-feira (dia em sendo “fora de qualquer perigo”.
Salema, jornalista e jurista, ao par- que ocorreu o atentado), Fernando Ericino de Salema foi raptado ao
tido Frelimo, agravando mais a sua Lima, convidado para comentar o princípio da tarde da terça-feira, em
impopularidade, este partido viu-se crime na STV, atacou duramente frente à sede do Sindicato Nacio-
na contingência de fazer alguma aquilo a que chamou “extrema- nal de Jornalistas, e foi encontrado,
coisa para reduzir os efeitos nega- -direita” do partido Frelimo, que, mais tarde, em Marracuene, após ter

Capital
tivos para a sua imagem, depois segundo Fernando Lima, são os sido espancado, sendo CAPITAL este um ro-
Av. do Bagamoyo, n.⁰ 611, 1.⁰ Andar Direito - Beira

de mais um atentado. Na passada mesmos ligados “ao racismo, es- teiro criminal muito semelhante ao
quarta-feira, a Comissão Política do quadrões da morte e contra aCAPITAL
li- que foi executado contra Jaime Ma-
partido Frelimo mandatou Manuel berdade de expressão e de im- cuane, que também
Av. do Bagamoyo, eraDireito
n.⁰ 611, 1.⁰ Andar comenta-
- Beira

Tomé, um dos membros deste ór-


Av. do Bagamoyo, n.⁰ 611, 1.⁰ Andar Direito - Beira
prensa”, apontando que podem dor do mesmo programa televisivo.
gão, e Caifadine Manasse, porta- ser os mesmos que estejam por A memória mais recente das inter-

Capital
-voz deste partido, para irem vi- detrás do atentado contra Salema. venções de Ericino de Salema é de
sitar Ericino de Salema, facto que Entretanto, Ericino de Salema, uma crítica feita ao comportamen-Av. do Bagamoyo, n.⁰ 611, 1.⁰ Andar Direito - Beira

aconteceu na mesma quarta-feira, na passada sexta-feira, foi subme- to vergonhoso de Florindo Nyusi,
segundo contou ao “Canalmoz” tido a uma operação aos mem- filho de Filipe
CAPITAL Nyusi, Presidente da
CAPITAL
uma fonte da família de Salema.
Av. do Bagamoyo, n.⁰ 611, 1.⁰ Andar Direito - Beira bros inferiores, que sofreram frac- República. A generalidade dos co-

l
No hospital, os mandatários
Av. do Bagamoyo, n.⁰ 611, 1.⁰ Andar Direito - Beira turas, CAPITAL
devido a agressões com mentários feitos a nível da opinião
da Comissão Política transmiti- ferros e coronhadas de AK-47. A pública tem dificuldade em disso-
ram “a solidariedade” do partido
CAPITAL
Frelimo e a sua “esperança” de Capital
Av. do Bagamoyo, n.⁰ 611, 1.⁰ Andar Direito - Beira
operação teve sucesso, e Erici- ciar o atentado da crítica que foi
no de Salema, neste momento, feita a Florindo Nyusi. (Redacção)
Av. do Bagamoyo, n.⁰ 611, 1.⁰ Andar Direito - Beira CAPITAL
Av. do Bagamoyo, n.⁰ 611, 1.⁰ Andar Direito - Beira

Rápido e Acessível
l Capital
Av. do Bagamoyo, n.⁰ 611, 1.⁰ Andar Direito - Beira Crédito de Consumo
Crédito de Habitação Capital
Publicidade

Junte-se a quem
CAPITAL
Av. do Bagamoyo, n.⁰ 611, 1.⁰ Andar Direito - Beira CAPITAL
acredita em si. Crédito de Negócio
Av. do Bagamoyo, n.⁰ 611, 1.⁰ Andar Direito - Beira
2 ano 10 | número 2180 | 2 de Abril de 2018

Quénia quer troca de experiências com


Moçambique sobre combate ao terrorismo
Maputo (Canalmoz) – O Governo e, claramente, isso não pode ser Portanto, o esforço contra esses
do Quénia vai cooperar e realizar realizado sem a paz e segurança grupos deve ser estendido até
troca de experiências com Moçam- sustentáveis”, afirmou Monica Ka- às fronteiras”, disse a ministra.
bique no combate ao terrorismo. thina Juma, respondendo a ques- Desde 5 de Outubro do ano pas-
A informação foi divulgada, em tões de jornalistas sobre se havia sado, Moçambique tem sido alvo
Maputo, pela ministra dos Negó- acordo entre os dois países sobre o de ataques de grupos armados so-
cios Estrangeiros e Comércio In- combate ao terrorismo, tendo em bre os quais há quem considere que
ternacional do Quénia, Monica conta a experiência do Quénia no estejam ligados àquilo a que alguns
Kathina Juma, numa conferência combate ao grupo “Al-Shabaab”. chamam “radicalismo islâmico”.
de imprensa, juntamente com o Moçambique e o Quénia assina- O Governo de Uhuru Kenyatta
seu homólogo moçambicano, José ram acordos de cooperação na área diz que está pronto para traba-
Pacheco. A conferência de impren- económica. O Governo do Quénia lhar com Moçambique, mas as
sa foi antecedida de um encontro considera que é importante que os partes não divulgaram detalhes.
entre o Presidente da Repúbli- investimentos do seu país sejam “Estamos prontos para partilhar
ca, Filipe Nyusi, e o seu homólo- em ambiente de paz e segurança. com todas as nações da região,
go do Quénia, Uhuru Kenyatta. “Os grupos como ‘Al-Shabaab’ mas também além da região, o
“Temos a tarefa de olhar para e outros grupos terroristas es- que inclui Moçambique”, dis-
as principais áreas de cooperação tão a atacar em todo o mundo. se a ministra. (André Mulungo)

Moçambique e Quénia estabelecem acordo


sobre eliminação de vistos e abertura
de um consulado do Quénia em Maputo
Maputo (Canalmoz) – O Presiden- consulado do Quénia em Moçam- informação foi tornada pública pe-
te da República, Filipe Nyusi, e o bique. No mesmo dia, Filipe Nyusi los dois presidentes durante o jan-
seu homólogo do Quénia, Uhuru e Uhuru Keyatta assinaram acor- tar de gala que Filipe Nyusi ofere-
Kenyatta, estabeleceram um acordo, dos de cooperação para as áreas ceu a Uhuru Kenyatta, no quadro
na quinta-feira, em Maputo, sobre do turismo, agricultura, energia, da visita de Estado de cinco dias
a eliminação de vistos de entrada infra-estruturas, “economia azul”, que Kenyatta fez a Moçambique.
nos dois países e a abertura de um mineração e transporte aéreo. A “Formulamos a V. Exa., Sr.
Publicidade

www.canalmoz.co.mz
3 ano 10 | número 2180 | 2 de Abril de 2018

Publicidade

www.canalmoz.co.mz
4 ano 10 | número 2180 | 2 de Abril de 2018

Presidente, o convite para esta- estabelecidos durante a manhã de e Uhuru Kenyatta presidiram a um
belecer uma missão diplomá- ontem, na Presidência da Repú- encontro de negócios entre os dois
tica em Maputo”, disse Filipe blica. Mas ainda não são conhe- países. No final do mesmo, o mi-
Nyusi, durante o jantar de gala. cidos detalhes sobre os mesmos. nistro da Indústria e Comércio de
Segundo Filipe Nyusi, a cria- Há informações segundo as Moçambique, Ragendra de Sousa,
ção de uma missão diplomática quais o Quénia quer impor- apresentou alguns detalhes sobre
vai permitir o fortalecimento das tar carvão de Moçambique e alguns acordos. “Queremos usar
relações político-diplomáticas e também tem interesse no gás. o porto da Beira para transportar
comercias entre os dois países. Por seu turno, Uhuru Kenyat- mercadorias e também para fazer
Na ocasião, Filipe Nyusi anun- ta anunciou a abolição de vis- assistência aos barcos. Ainda está
ciou que os dois países acorda- tos de entrada no Quénia. nos nossos planos usar Nacala para
ram em trabalhar em diferen- “Acordámos a abolição de vis- as linhas aéreas. Vamos ver com a
tes áreas de interesse comum. tos. Queremos viajar livremen- ‘Kenya Air Lines’, para ver se se jun-
“Vamos cooperar nas áreas do te para fazermos negócios, para ta a nós, para termos uma solução
turismo, agricultura, energia, infra- ajudarmo-nos a reduzir a pobreza, para Nacala”, afirmou o ministro.
-estruturas, economia azul, mi- aumentar oportunidades de negó- Uma Comissão mista bilateral cria-
neração, na maximização dos cio e criando prosperidade para da pelos dois países para a materia-
portos e transporte aéreo”, disse o nosso povo”, disse Kenyatta. lização dos acordos vai reunir-se em
Filipe Nyusi. Estes acordos foram Ainda na quinta-feira, Filipe Nyusi Junho, em Nairobi. (André Mulungo)

Na “Coutada 9”, em Macossa

Caçadores furtivos mataram a tiro um fiscal


Maputo (Canalmoz) – Um que” e proprietário desta coutada. cunstâncias em que o fiscal
grupo de caçadores furti- A Polícia, em Manica, também foi morto, nem o que os ca-
vos matou a tiro um fiscal da confirmou a ocorrência, tendo çadores furtivos pretendiam.
“Coutada 9”, no distrito de Ma- dito que a arma usada no crime As coutadas são áreas de con-
cossa, na província de Manica. foi uma “Mauser”, contendo doze servação que pertencem a pri-
Esta informação foi confirmada munições, e foi apreendida no po- vados, e os donos não podem
ao “Canalmoz”, na sexta-feira, por voado de Mahope, posto adminis- caçar sem a autorização da As-
Adamo Vali, presidente dos ope- trativo de Nhamagua, em Macossa. sociação Nacional das Áreas de
radores de “Safari de Moçambi- Não foram divulgadas as cir- Conservação. (Cláudio Saúte)

Preçário de Assinaturas | Distribuição diária por e-mail | 20 edições mensais

(USD) Contratos Anuais


Tipo de Assinante (USD) Contratos Mensais (i) (12 Meses) (ii)
(a) Pessoa Singular 20 15 usd x 12 meses = 180 usd
(b) Empresas e Associações de Direito Moçambicano 40 30 x 12 = 360
(c) Órgãos e Instituições do Estado 50 40 x 12 = 480
(d) Embaixadas e Consulados em Moçambique e Organismos Internacionais
60 50 x 12 = 600
(e) Embaixadas e representações Oficiais de Moçambique no exterior 60 50 x 12 = 600
(f) ONG’s Nacionais 30 20 x 12 = 240
(g) ONG’s Internacionais 50 40 x 12 = 480

Notas
- Os valores expressos poderão ser pagos em Meticais ao câmbio do dia
Contacto:
- Nas facturas e recibos inerentes deve-se mencionar a letra que corresponde ao tipo de assinatura E-mail: graficocanalmoz@gmail.com ou
Publicidade

- (i) Pronto pagamento ou débito directo em conta bancária mtsgnt@gmail.com


- (ii) Pronto pagamento ou débito directo em conta bancária Cel: 823672025 - 843135996 - 823053185

www.canalmoz.co.mz
5 ano 10 | número 2180 | 2 de Abril de 2018

Publicidade

www.canalmoz.co.mz
6 ano 10 | número 2180 | 2 de Abril de 2018

Doze mil pessoas com problemas de falta


de água em Ressano Garcia
Maputo (Canalmoz) – Das cator- tro Terminal de Ressano Garcia”. Outros problemas
ze mil pessoas residentes na vila de “Temos problemas de água nas zo- Mónica Macheque disse que os
Ressano Garcia (distrito da Moam- nas altas. Ressano Garcia tem cator- ataques de crocodilos às pessoas
ba, província de Maputo), doze mil ze mil habitantes e, destes, dois mil é que vão buscar água ao rio, os cor-
debatem-se com problemas de falta que têm água. Os privados têm vin- tes constantes de energia eléctrica
de água. Neste momento, a popu- do a ajudar na distribuição de água, e a degradação das vias de aces-
lação recorre ao Rio Incomáti para no abastecimento de água, mas ven- so são os problemas que afligem
ir buscar água, que escasseia no dem 20 litros a 5,00 meticais”, disse. os residentes de Ressano Garcia.
rio devido à seca na África do Sul. Mónica Macheque acrescentou “Temos problemas de energia.
Mónica Macheque, chefe do pos- que a água do rio tem criado pro- Aqui há uma Central que produz
to administrativo de Ressano Garcia, blemas de diarreias nas pessoas. energia e vende para a África do
disse ao “Canalmoz” que, devido à “Devido à falta de água, as pessoas Sul e de lá é que volta para Res-
seca que assola África do Sul, o cau- recorrem ao rio e, às vezes, são ata- sano Garcia. Tem havido mui-
dal do Rio Incomáti baixou, o que está cadas por crocodilos. No passado, tos cortes, e demoram a resta-
agravar o sofrimento da população. foi atacada uma pessoa. Têm estado belecer. Às vezes, ficamos um
Mónica Macheque fez estas de- com diarreias, devido às águas do a dois dias às escuras”, disse.
clarações à margem das jornadas rio, que a população busca e con- Mónica Macheque tam-
de limpeza organizadas pela “Gi- some sem tratamento. Este problema bém referiu a degradação
gawatt Moçambique” e pelo “Cen- foi causado por falta de água”, disse. das estradas. (Cláudio Saúte)

Canal de Opinião
por Adelino Timóteo

Se pedir ao Pai das Dívidas Escondidas


não ofende
(Panfleto alegórico por ocasião do Dia Internacional do Pai das Dívidas)

Beira (Canalmoz) – Querido Pai, bancos europeus, até contrair tão mente pedir ao desrespeitoso Pai
Senhor Pai das Dívidas Escondidas, avultadas dívidas, que causaram das Dívidas Escondidas que nos
Pelo Dia Internacio- o cancro na nossa economia, que explique como conseguir pôr o
nal do Pais das Dívidas, causaram abcessos no orçamento país a andar aceleradamente mais
nós, moçambicanos, abaixo assi- geral do Estado, que causaram ero- rápido para trás, quando dizia
nado, vimos muito desrespeitosa- são no bolso do cidadão comum que se tinha que caminhar célere,
mente pedir ao desexcelentíssimo e da “classe média”, ainda assim, para a frente, quando dizia que o
Pai das Dívidas Escondida, para que se permitir gozar da protecção seu antecessor era o deixa-andar.
faça seminários, vulgo “orkisho- da Procuradoria da República, da Nós, moçambicanos, abaixo as-
pis”, nos bares, cafés, restaurantes, Polícia de Investigação Criminal, sinado com impressões digitais, a
às moscas, por falta de disponibili- entre outras instituições jurídicas. tinta indelével, pois que só o dedo
dade financeira dos clientes, a ex- Nós, moçambicanos, abaixo as- polegar sabe escrevinhar, desde
plicar como conseguiu enganar os sinado, vimos muito desumilde- já agradecemos muito honrada-

www.canalmoz.co.mz
7 ano 10 | número 2180 | 2 de Abril de 2018

mente, através deste papel almaço a metodologia de falência de um nhado, indicado para escrever ex-
de vinte e três linhas, que o dig- Estado, sobre a habilidade de V. clusivamente ao Senhor Querido
níssimo Pai das Dívidas Escon- Excia. de se situar acima das leis e Pai das Dívidas Escondidas, neste
didas, a quem não o vemos nem do Estado, incapaz de agir puniti- mesmo papel liso deploramos a
na TEVEÊF (o ÊF é da FRELIMU), vamente contra si e seus capangas. sua opacidade entre o povo, mas
nem no Mentícias (o maior jornal Nós, os moçambicanos, cida- garantimos-lhe que lhe temos visto
de circulação nacional), onde lhe dãos socialmente empenhados, no nas duas faces dessa crise econó-
víamos todo sorrisos de orelha a nosso espírito de cidadania, des- mica que nos atormenta, quando a
orelha, que substitua as suas pre- de já agradecemos-lhe atempada- comida não chega à mesa, quan-
sidências abertas, o pudor que o mente a V. Excia., por ter tornado do não conseguimos comprar ca-
obriga a viver a portas dentro, para prosperativamente o Nosso Mo- dernos escolares e uniformes es-
orientar seminários nacionais, nas çambique num dos mais caloteiros colares, para as crianças, quando
fábricas escandalosamente encer- países do mundo, a ponto de os em vez de em vinte folhas alma-
radas por falta de divisas e altos deputados ingleses assinarem uma ço temos de lhe escrever em uma
custos de produção, contrastados elevadíssima mnção, em reconhe- só, porque as nossas finanças não
com a inflação, do Rovuma a Ma- cimento da sua genialidade de de- cobrem o desejo de um longo de-
puto, a explicar ao Zé Povinho e fraudar instituições sólidas e segu- sabafo, quando as nossas emagre-
ao Zé Ninguém, como o nepotis- ras e situando-nos no “ranking” de cidas finanças não cobrem o de-
mo do seu negócio das Dívidas Es- um país que mais progressos co- sejo moçambicano de falar horas
condidas avantajou, na Suíça, no nhece com a endémica corrupção. a fio ao telefone, porque somos
Dubai, a conta de mussumbuluko Nós, moçambicanos, cidadãos orgulhosamente africanos falan-
(dinheiro, numa das língua nacio- socialmente empenhados, admi- do alto ao telemóvel e iludindo
nais, por isso quem quiser o tomar ramos e felicitamos a V. Excia., o interlocutor de que o país ca-
como Mussumbaluko é livre de que irá voar de helicópteros pri- minha a passos largos para a vi-
fazer confusão, clara está a con- vados, já que na orquestração do tória sobre a pobreza absoluta, a
fusão é um direito constitucional, tão retumbante desfalque conse- corrupção e estabilidade político-
por isso não há transparência nas guiu retroceder o país, torando-o -militar, e quem isso garante é o
dívidas públicas nem na respon- um exemplo mais bem sucedido nosso querido Novo Presidente,
sabilização do Pai das Dívidas). do “black empowerment”, do na- seguindo escrupulosamente com
Nós, moçambicanos, abaixo assi- cionalismo económico negro, que o plano do seu antecessor e do
nado, temos motivos de sobra para deixou depenada a nossa compa- partido que desde 1975 incen-
pedir ao Pai das Dívidas Escondidas. nhia aérea de bandeira nacional, tivou o roubo, incentiva actual-
Nós agradecemos porque não que não consegue comprar um mente e futuramente estimulará a
há outro comprimido de cura da litro sequer de combustível, para impunidade na contracção de dí-
nossa ansiedade, ao cancro da abastecer os voos, e mesmo as- vidas, senão o desdobramento das
nossa economia adoentada, da sim evocamos o nosso orgulho campanhas do Pai das Dívidas, a
nossa fome colectiva, do nosso nacional, orgulhosamente quan- quem nos impõe escutar os seus
desemprego maciço por reestru- do precisando viajar de Beira a puros e imaculados méritos, que
turação das empresas e redimen- Quelimane, tendo primeiro que tanto engrandece à Pátria Amada.
sionamento da mão-de-obra, que ir a Maputo, sem fazermos ondas, Muito atenciosamente,
não um ciclo de palestras, simpó- para não ofender a nossa digni- Os cidadãos moçambi-
sios e colóquios, onde possa a V. dade de Nação independente. canos orgulhosamente de-
Excia. compartilhar os seus ele- Nós, moçambicanos, que lhe fraudados pelo desgoverno
vadíssimos conhecimentos sobre escrevemos em papel apergami- (Adelino Timóteo)
Publicidade

www.canalmoz.co.mz