Você está na página 1de 48

Índice [Ano]

Arquidiocese de Teresina 2
Paróquia São Sebastião
Catequese Paroquial
Índice

01. Meus sentimentos 60. Pare


02. Mancha ou ponto 61. Partilha
03. Identificação Pessoal com a Natureza 62. Pessoas balões
04. Quem sou eu ??? 63. Pizza
05. O outro Lado 64. Presente da alegria
06. Espelho 65. Presente de amigo
07. Números 66. Riqueza dos nomes
08. Construção de uma cidade 67. Salmo da vida
09. Sensações de vida ou morte 68. Semeando a amizade
10. Perfume – Rosa e bomba. 69. Sentindo o Espírito Santo
11. Valores 70. Ser igreja
12. Valores II 71. Temores e esperanças
13. Dinâmica de apresentação 72. Tempestade mental
14. A maleta 73. Terremoto
15. O Helicóptero 74. Teste de resistência
16. Camisetas 75. Trabalho em equipe
17. A Bala 76. Troca de um segredo
18. Árvore da Vida e Árvore da Morte 77. Tubarão
19. Virar pelo avesso 78. A teia da amizade
20. Abre o olho 79. A palavra – imã
21. Afeto 80. O barco
22. Apoio 81. Palavra chave
23. Apresentação 82. João Bobo
24. Artista 83. Nome e significado
25. As cores 84. Ser Igreja
26. Aulinha 85. Somos criação de Deus
27. A vela e o barbante 86. Dois Círculos
28. A vela e copo 87. A candidatura
29. Castigo 88. A nossa parte Participantes:
30. Chocolate 89. Técnica do abraço
31. Comprimidos para a fé 90. Exercício de qualidade
32. Comunicação gesticulada 91. Somos criação de Deus e sofremos influência do
33. Conhecendo o grupo mundo.
34. Construção do boneco 92. Meu mundo interior (Edivan Ricardo)
35. Cristo no irmão 93. Meu Deus, e agora ?
36. Cumprimento criativo 94. Bingo Bíblico
37. Desenho 95. Dominó
38. Diagrama de integração 96. Emprestando o lápis
39. Dificuldade 97. Dentro e fora do coração
40.Dramatização 98. Lobos e ovelhas
41.Encontro de grupo 99. Boas notícias
42.Espelho 100. Baú das recordações
43.Evangelho em pedaços 101. Jesus Cristo: Centralidade dos Sacramentos
45.Exercício da confiança 102. Palavra que Transforma
46.Explosao de coordenador 103. Mandamentos
47. Fileira 104. Santíssima Trindade
48. Guia de cego 105. O que você parece pra mim...
49. Jogo comunitário 106. Dinâmica do beijo
50. Jogo da verdade 107. Tiro pela Culatra
51. Jogos de bilhetes 109. Sociograma
52. Juventude e comunicação 110. Dinâmica do Emboladão
53. Karaokê 111. Dinâmica do Sentar-se no Colo
54. Líder democrático 112. Escravos de Jó
55. Maçã 113. Escultura
56. Nome perdido 114. Sensibilidade
57. Observação / ação 115. Mestre
58. Palavra iluminada 116. Rolo de Barbante
59. Palavra que transforma 117. Substantivo
Arquidiocese de Teresina 3
Paróquia São Sebastião
Catequese Paroquial

118. Verdade ou Conseqüência?


119. Qualidade
120. Pegadinha do Animal
120. O Presente
121. O Presente
122. Historinha
123. Recital das Almas Gêmeas
124. Dinâmica: "Para quem você tira o chapéu
125. Chupa ai
126. Máquina Registrada
127. Dinâmica: Medo de Desafios
128. Sorriso Milionário
129.Verificação se aprendeu o conteúdo explicado na sala
de aula ou dentro de um módulo
130. 1, 2, 3
131. Dinâmica do Amor
132. Convivendo com Máscaras
133. Problemas
134. Cabra cega no curral
135. Diferenças
136. Auxílio mútuo
137. Urso de pelúcia
138. DNA/Herança Genética
Arquidiocese de Teresina 4
Paróquia São Sebastião
Catequese Paroquial

Considerações

Você já deve ter visto alguém contar


uma piada muito engraçada, todo
mundo riu bastante e depois em
outra situação você contar essa
mesma piada e não ter graça
alguma. Isso acontece porque a
piada não foi adaptada à
situação, ao ambiente, as
pessoas.
O mesmo acontece com dinâmicas, elas devem
ser bem adaptadas ao ambiente e às pessoas. Das
mais de 130 dinâmicas, há para todas as
situações, encontro de catequese, crisma,
encontros de pastorais e até mesmo empresa.
Isso mesmo, eu faço estas dinâmicas me
treinamentos empresarial.
Procure as dinâmicas de acordo com o tema a ser
tratado, ou objetivo a ser passado.
O mais se divirta com seus catequizandos e bom
encontro.

Domingos Nunes
Catequista
Arquidiocese de Teresina 5
Paróquia São Sebastião
Catequese Paroquial

Desenvolvimento:
1. Refletir individualmente:
- A vida merece ser vivida?
- Somente a vivem os que lutam, os que querem ser
alguém?
DINÂMICAS 2. Escrever numa folha
- Quem sou eu? (enumerar seus valores, qualidades
01. Meus sentimentos e defeitos).
Objetivo: apresentação e entrosamento - O que eu quero ser? (escrever o que quer com a
Material: papel, lápis de cor. vida, os seus objetivos e ilusões).
Desenvolvimento: cada um deve retratar num - Como atuo para chegar no que quero?
desenho os sentimentos, as perspectivas que têm. 3. Terminada a reflexão pessoal, formar grupos para
Dar um tempo para este trabalho individual que deve partilhar.
ser feito em silêncio, sem nenhuma comunicação. 4. Avaliação:
Num segundo momento as pessoas se reúnem em - Como cada um se sentiu ao se comunicar?
subgrupos e se apresentam dizendo o nome, de - E depois da dinâmica?
onde vem, mostrando o seu desenho explicado-o. Palavra de Deus: Gn 1,26-31 Sl 139
O grupo escolhe um dos desenhos para ser o seu
símbolo apresentando-o e justificando.
Pode-se também fazer um grupão onde cada um
apresenta mostrando e comentando o seu desenho.
05. O outro Lado
Objetivos: ver o objetivo comum do grupo. Processo
Palavra de Deus: Fl. 1,3-11 SL 6.
de comunhão e união. Análise da realidade.
Desenvolvimento: (não dizer o objetivo da
02. Mancha ou ponto dinâmica).
Objetivo: oração, pedido de perdão, preces, revisão O coordenador pede a todos que se coloquem no
de vida... fundo da sala ocupando toda parede. Pede silêncio
Material: uma folha branca com um ponto escuro ou absoluto, muita atenção para a ordem que vai ser
mancha, bem no centro da mesa. dada e que sejam rigorosamente fieis a ela. Deve
Desenvolvimento: mostrar ao grupo a folha com o manter silêncio durante a dinâmica.
ponto ou mancha no centro. A ordem é a seguinte: Vocês deverão procurar como
Depois de um minuto de observação silenciosa, grupo, atingir o outro lado da sala, da forma mais
pedir que se expressem descrevendo o que viram. rápida possível e mais eficiente.
Provavelmente a maioria se deterá no ponto escuro. Repete-se a ordem várias vezes.
Pedir, então, que tirem conclusões práticas. O coordenador dirá que a ordem não foi cumprida,
Exemplo: em geral, nos apresentamos nos aspectos pede ao grupo que recomece. Repita a ordem várias
negativos dos acontecimentos, das pessoas, vezes, pedindo que haja silêncio.
esquecendo-nos do seu lado luminoso que, quase NOTA: É bom que haja obstáculos pelo meio da sala
sempre, é maior. (cadeiras...) dificultando a passagem. Ele
Palavra de Deus: 1 Cor 3,1-4 Sl 51 considerará a tarefa cumprida quando julgar que o
grupo se aproximou do ideal alcançando o outro lado
03. Identificação Pessoal com a unido, obedecendo ao ritmo um dos outros, tendo
incluindo todos na travessia.
Natureza Em seguida fazer comentários sobre tudo que
Objetivos: Auto conhecimento e preces
observaram e sentiram:
Material: Símbolos da natureza, papel e caneta.
- Como cada um se sentiu?
Desenvolvimento:
- Quem se sentiu esmagado e desrespeitado?
1. Contemplação da natureza. Cada um procura um
- Quem ais correu ou empurrou?
elemento na natureza que mais lhe chama a atenção
- De que forma as lideranças foram se
e reflete: Porque o escolhi? O que ele me diz?
manifestando???
2. Formação de pequenos grupos para partilha.
- Houve desistência no meio do caminho?
3. Cada pequeno grupo se junta com o outro e faz
- Surgiram animadores???
uma nova partilha. O grupo escolhe um como
Palavra de Deus: 1 Cor. 12,12-27 Sl 133
símbolo e formula uma prece.
4. Um representante de cada grupo apresenta o
símbolo ao grupo, fazendo uma prece. 06. Espelho
Palavra de Deus: Gn 1,1-25 Objetivo: Partilha dos sentimentos.
Desenvolvimento: O ambiente deve ser silencioso.
Cada um deve pensar em alguém que lhe seja muito
04. Quem sou eu ??? importante, aquém gostaria da atenção em todos os
Objetivo: Conhecimento Pessoal
Material: papel e caneta
Arquidiocese de Teresina 6
Paróquia São Sebastião
Catequese Paroquial

momentos, alguém que se ama de verdade, que Material: não há material, usar a imaginação.
merece todo cuidado. Desenvolvimento: o grupo deve estar em círculo.
Entrar em contato com essa pessoa e pensar os Colocados imaginariamente sobre a mesa. Estão o
motivos eu os tornam tão amada. perfume, a rosa e a bomba.
(Deixar tempo para interiorização). Um dos participantes pega inicialmente o vidro de
Agora cada um vai encontrar a pessoa que lhe tem perfume, faz o que quiser com ele e passa para o
um grande significado. colega do lado. Faz-se o mesmo com a rosa e por
Cada um em silêncio profundo se dirige até a caixa, último com a bomba.
olha a tampa e volta em silêncio para seu lugar. Palavra de Deus: Mt 7, 7-12 Sl 101
Depois se faz a partilha dos próprios sentimentos,
das reflexões e conclusões de cada um. 11. Valores
Palavra de Deus: Lc 12.1-3 Sl 131 Objetivo: reconhecer os valores e qualidades.
Material: Cartões com valores escritos.
07. Números Desenvolvimentos: cada pessoa recebe um cartão
Objetivos: Conhecimentos Pessoais. com um valor que ela possua.
Material: Cartões com números diferentes. Deixar um momento para a reflexão pessoal.
Desenvolvimento: Cada participante recebe um Depois cada um vai dizer se considera ter mesmo
número que não deve ser mostrado para ninguém. este valor ou não. E se reconhece no grupo alguém
Dada a ordem, cada um vai procurar o número igual que tem o mesmo valor.
e não acha. Só no final da dinâmica, alguns guardam para si,
Comentam-se as conclusões tiradas (Somos únicos outros souberam recomeçar este valor em outra
e irrepetíveis perante ao outro). pessoa, outros até duvidam o cartão com quem tem
Palavra de Deus: Lc 15.3-7 Sl 8. o mesmo valor.
Palavra de Deus: 1 Cor. 12,4-11 Lc 1, 46-55.
08. Construção de uma cidade
Objetivos: reflexão sobre a realidade. 12. Valores II
Material: Fichas com nomes de profissões. Objetivo: ressaltar o positivo do grupo.
Desenvolvimento: Cada participante recebe uma Material: folhas, canetas e alfinetes.
ficha com o nome de uma profissão e deve encarna- Desenvolvimento: cada participante recebe uma
la. folha em branco. Depois de refletirem um momento
Por um instante analisar a importância daquela sobre suas qualidades, anotam na folha colocando o
profissão. Depois da interiorização deve dizer. seu nome.
Vamos viajar porque aquela cidade fica distante Em seguida prendem a folha com alfinete nas costas
(atitude de quem viaja no mar). e andam pela sala, um lendo os valores dos outros e
Depois dizer: o navio vai afundar só há um bote que acrescentando valores que reconhecem no
pode salvar sete pessoas. companheiro. Só no final todos retiram o papel e vão
O grupo deverá decidir quais as profissões mais ler o que os colegas acrescentaram.
urgentes que devem ser salvas. Palavra de Deus: Ef 4, 1-16 Sl 111
Analisar profundamente e iluminar com um texto
bíblico. 13. Dinâmica de apresentação
Palavra de Deus: Mt 7,26-27 Sl 127 Objetivo: conhecimentos mútuos, memorização dos
nomes e integração grupal.
09. Sensações de vida ou morte Desenvolvimento:
Objetivo: analisar a pratica e revisão de vida. Cada um dirá o próprio nome acrescentando um
Material: duas velas uma nova e outra velha. adjetivo que tenha a mesma inicial do seu nome.
Desenvolvimento: grupo em círculo e ambiente Roberto Risonho.
escuro. O seguinte repete o nome do companheiro com o
Eu..., tenho apenas cinco minutos de vida. Poderia adjetivo e o seu apresenta acrescentando um
ser feita em minha existência e deixar de fazer...(a adjetivo para o seu nome e assim sucessivamente.
vela gasta, acesa, vai passando de mão em mão). Exemplos: Roberto Risonho, Nair Neutra, Luzia
Apaga-se a vela gasta e acenda a nova. Ilumina-se o Linda, Inácio Inofensivo.
ambiente. A vela passa de mão em mão e cada um Palavra de Deus: Ap. 2,17 Sl 139
completa a frase: Eu..., tenho a vida inteira pela
frente e o que eu posso fazer e desejo é ... 14. A maleta
Analisar a dinâmica e os sentimentos. Objetivo: conscientização sobre a estrutura da
Palavra de Deus: Mt 6,19-24 Sl 1. sociedade que reforça a defesa dos interesses
particulares, não estimulando o compromisso
10. Perfume – Rosa e bomba. solidário.
Objetivo: celebração penitencial e compromisso.
Arquidiocese de Teresina 7
Paróquia São Sebastião
Catequese Paroquial

Material: uma maleta chaveada, chave da maleta, a) Grupo de cinco pessoas: seu nome. Nome do
dois lápis sem ponta, duas folhas de papel em grupo e o significado do mesmo. Nome da
branco, dois apontadores iguais. comunidade ou atua, mora. Qual o eu ideal?
Desenvolvimento: forma-se duas equipes. b) Grupo de quatro pessoas: seu nome. O que faz na
A uma equipe entrega-se a maleta chaveada, dois comunidade? Estuda? O que? Onde? O que espera
lápis sem ponta e duas folhas de papel em branco do curso e o que gostaria que fosse tratado?
dentro da maleta. c) Grupo de três pessoas: Como se sente aqui?
A outra equipe entrega-se a chave da maleta e dois Porque veio? O que é pastoral para você? E
apontadores iguais. movimento? Como esta organizada a pastoral na
O coordenador pede que as duas equipes negociem sua paróquia?
entre si o material necessário para cumprimento da d) Grupo de quatro pessoas: O que é céu? O que
tarefa que é a seguinte: ambas deverão escrever Eu achou desta dinâmica de conhecimento e
tenho Pão e Trabalho. entrosamento? Porque?
A equipe vencedora será a que escrever primeiro e e) Grupo de três pessoas: Agora converse com
entregar a frase para o coordenador. alguém que você não conhece e com quem não
A frase deve ser anotada no quadro ou em cartaz em tenha conversado ainda.
letra grande e legível. Palavra de Deus: Jo 13, 34-35 Sl 133
Palavra de Deus: 2 Cor 9, 6-9 Sl 146
16. Camisetas
Objetivo: Conhecimento mútuo e levantamento da
15. O Helicóptero realidade.
Objetivo: apresentação e entrosamento. Material: Alfinetes ou fita adesiva, pincéis ou
Desenvolvimento: (duração 40 minutos). canetas, folhas de jornal e tesoura.
Faz-se um círculo com os participantes da reunião. Desenvolvimento: Cada participante pega uma
O coordenador convida a todos a fazerem um meia folha de jornal, rasga ou corta as pontas de
passeio de barco a remo. Inicia-se o passeio. Todos cima no formato de camiseta.
devem fazer gestos com os braços, como se Escreva na camiseta de jornal. O seu nome, que
estivessem remando. trabalho faz. Onde trabalha, se gosta ou não do
O coordenador anuncia a chegada à ilha. Todos trabalho. Pode dar as seguintes orientações: escreva
podem passear por ela, à vontade (todos passeiam ou desenhe algo que caracterize sua vida de
pela sala e cumprimentam o companheiro). trabalhador.
O coordenador anuncia a todos que houve um Prega-se a camiseta no corpo e circula pela sala
maremoto e a ilha vai se inundada. Por isso, virá um para cada um ler o que outro escreveu ou desenhou.
helicóptero para resgatar o grupo. Porém ele não
comporta todos de uma vez. O grupo deverá 17. A Bala
organizar rapidamente seguindo as orientações. Objetivo: Despertar a importância do outro.
a) O helicóptero chegou. Ele levará cinco pessoas. Despertar a solidariedade.
b) O helicóptero voltou. Desta vez levará quatro Perceber o nosso individualismo.
pessoas, e estas devem ser estranhas umas das Descobrir soluções em conjunto com outras pessoas.
outras. Material: Algumas balas. Dois cabos de vassoura ou
c) Nosso helicóptero deu pane no motor. Veio desta varas. Barbantes.
vez um menor. Só levará tr6es pessoas e devem ser Desenvolvimento: pede-se dois voluntários para
de comunidades diferentes. Quem não seguir abrir os braços. Por a vara ou cabo da vassoura nos
orientação poderá ser jogado no mar. ombros acompanhando os braços e amarrar os
d) O helicóptero esta aí novamente. Vai levar quatro braços abertos na vara, para não dobrar.
pessoas, devido o perigo de afogamento. Mas Por as balas numa mesa e pedir aos dois para
continua a exigência o grupo deve ser formado por chuparem balas sem dobrar os braços que estão
pessoas que ainda não se conhecem. amarrados.
e) O helicóptero não pode voltar mais. Acabou o Analisar a dinâmica:
combustível. Temos que sair de barco. Há uma Como se sentiram?
exigência fundamental: levar uma pessoa O que o grupo observou? Poderia ter sido diferente?
desconhecida com quem não se conversou ainda. Por que os dois agiram assim?
f) Anuncia que todos foram salvos. Isso tem alguma coisa com o nosso dia a dia?
NOTA: Dá-se o tempo necessário para os grupos O que acharam da dinâmica?
discutirem as questões. Elas podem ser como Pode confrontar com a Palavra de Deus?
sugeridos abaixo ou pode-se elaborar outras de Palavra de Deus: AT.4, 32-37 Sl. 15
acordo com a realidade do grupo.
Sugestões para as questões
18. Árvore da Vida e Árvore da Morte
Arquidiocese de Teresina 8
Paróquia São Sebastião
Catequese Paroquial

Objetivo: Refletir sobre os sinais de vida e morte no e deixa a briga continuar. Depois de tempo suficiente
bairro, na comunidade, na família, no grupo de para que os resultados das duas situações sejam
jovens. bem observados, o coordenador retira a venda do
Material: um galho de árvore seco, um galho de outro voluntário e encerra a experiência.
árvore verde, caneta ou pincel e pedaços de papel. Conclusão: Abre-se um debate sobre o que se
Desenvolvimento: em pequenos grupos descobrir presenciou no contexto da sociedade atual. A reação
os sinais de vida e morte que existem no bairro, na dos participantes pode ser muito variada. Por isso, é
família, no grupo de jovens... Depois, diante da conveniente refletir algumas posturas como:
árvore seca e verde vão explicando para o grupo o indiferença x indignação; aplaudir o agressor x
que escreveram e penduraram na árvore. posicionar-se para defender o indefeso; lavar as
No intervalo das colocações pode-se cantar algum mãos x envolver-se e solidarizar-se com o oprimido,
refrão. etc. Alguns questionamentos podem ajudar, primeiro
Iluminar com a palavra de Deus e em grupo refletir: perguntar aos voluntários como se sentiram e o por
Iluminados pela prática de Jesus, o que fazer para quê. Depois dar a palavra aos demais participantes.
gerar mais sinais de vida e enfrentar as situações de Qual foi a postura do grupo? Para quem torceram? O
morte de nosso bairro etc. que isso tem a ver com nossa realidade? Quais as
Fazer a leitura de João 15,1-8. Depois cada cegueiras que enfrentamos hoje? O que significa ter
participante toma um sinal de morte da árvore e faz os olhos vendados? Quem estabelece as regras do
uma prece de perdão e queima, em seguida cada jogo da vida social, política e econômica hoje? Como
um pega um sinal de vida e leva como lembrança e podemos contribuir para tirar as vendas dos olhos
desafio. daqueles que não enxergam?
Palavra de Deus: Jo. 15, 1-8. Sl 1. Palavra de Deus: Mc 10, 46-52 Lc 24, 13-34.

19. Virar pelo avesso 21. Afeto


Objetivo: Despertar o grupo para a Participantes: 7 a 30 pessoas
Tempo Estimado: 20 minutos
importância da organização Material: Um bichinho de pelúcia.
Desenvolvimento:
Descrição: Após explicar o objetivo, o coordenador
1° Passo: formar um círculo, todos de mãos dadas.
pede para que todos
2° Passo: O coordenador propõe o grupo um
formem um círculo e passa entre eles o bichinho de
desafio. O grupo, todos deverão ficar voltados para
pelúcia, ao qual cada integrante deve demonstrar
fora, de costas para o centro do círculo, sem soltar
concretamente seu sentimento (carinho, afago, etc.).
as mãos. Se alguém já conhece a dinâmica deve
Deve-se ficar atento a manifestações verbais dos
ficar de fora observando ou não dar pistas nenhuma.
integrantes. Após a experiência, os integrantes são
3° Passo: o grupo deverá buscar alternativas, até
convidados a fazer o mesmo gesto de carinho no
conseguir o objetivo.
integrante da direita. Por último, deve-se debater
4° Passo: depois de conseguir virar pelo avesso, o
sobre as reações dos integrantes com relação a
grupo deverá desvirar, voltando a estar como antes.
sentimentos de carinho, medo e inibição que tiveram.
5° Passo: Analisar a dinâmica:
O que viam? Como se sentiram?
Foi fácil encontrar a saída? Porquê? 22. Apoio
Alguém desanimou? Porquê? Participantes: Indefinido.
O que isto tem a ver com o nosso dia a dia? Tempo Estimado: 10 minutos.
Nossa sociedade precisa ser transformada? Descrição: O coordenador deve pedir a todos os
O que nós podemos fazer? participantes que se apóiem em um pé só, onde
Palavra de Deus: Ex 18, 13-27 Sl 114 deveram dar um pulo para frente sem colocar o outro
pé no chão, um pulo para a direita outro para
esquerda dar uma rodadinha, uma abaixada e etc.
20. Abre o olho Mensagem: Não podemos viver com o nosso
Participantes: 2 pessoas.
individualismo porque podemos cair e não ter força
Tempo estimado: 20 minutos.
para levantar. Porque ficarmos sozinhos e temos um
Material: Dois panos para fechar os olhos e dois
ombro amigo do nosso lado?
chinelos ou porretes feitos com jornais enrolados em
forma de cassetete.
Descrição: Dois voluntários devem ter os rostos 23. Apresentação
cobertos e devem receber um chinelo ou porrete. Tamanho do grupo: 20 a 30 pessoas.
Depois devem iniciar uma briga de cegos, para ver Tempo: 45 minutos.
quem acerta mais o outro no escuro. O restante do Descrição: O coordenador explica que a dinâmica é
grupo apenas assiste. Assim que inicia a "briga", o feita para o conhecimento de quem é quem no
coordenador faz sinal para o grupo não dizer nada e grupo, e se pretende fazer apresentação a dois, para
desamarra a venda dos olhos de um dos voluntários isso se formam pares desconhecidos que durante
Arquidiocese de Teresina 9
Paróquia São Sebastião
Catequese Paroquial

uns minutos esses pares se entrevistem, após a


entrevista feita pelos pares volta ao grupo, e nisso
cada pessoal fará apresentação da pessoa que foi 26. Aulinha
entrevistada, não podendo fazer a sua própria Participantes: 25 a 30 pessoas
apresentação. Quem estiver sendo apresentado vai Tempo: 35 minutos
verificar se as informações a seu respeito estão Material: o mesmo numero de temas para o de
corretas conforme foi passada na entrevista. Termina participantes do grupo
com uma reflexão sobre a validade da dinâmica. Descrição: a AULINHA é dada quando o grupo tem
dificuldade de expressão, é inibido e prolixo. Para
isso o coordenador:
24. Artista - Entrega a cada participante o tema, sobre o qual
Participantes: Indefinido. deverá expor suas idéias, durante dois ou três
Tempo Estimado: 10 minutos. minutos;
Material: Lápis e papel. - O membro participante anterior ou posterior dará
Descrição: O dirigente pede para os participantes uma nota ou conceito ao expositor, que será
fecharem os olhos. Peça a cada participante que comunicada ao grupo no final do exercício;
desenhe com os olhos fechados uma: - A AULINHA permite diversas variações, tais como:
- Casa A) O coordenador em vez de dar a cada participante
- Nessa casa coloque janelas e portas. um título de tema para dissertar em público, poderá
- Ao lado da casa desenhe uma arvore. utilizar somente um tema, ou então vários temas,
- Desenhe um jardim cercando a casa, sol, nuvens, mas com uma introdução para auxiliar as pessoas,
aves voando. ou até mesmo um texto para ser lido
- Uma pessoa com olhos, nariz e boca. B) Ou ainda pode-se utilizar uma folha em branco
- Por fim peça para escreverem a frase a baixo: para que cada participante possa lançar nela no
- SEM A LUZ DE DEUS PAI, DEUS FILHO, DEUS mínimo dois assuntos da atualidade, notícias
ESPÍRITO SANTO, TUDO FICA FORA DO LUGAR. recentes de jornais. A seguir recolherá os assuntos,
Peça para abrirem os olhos e fazer uma exposição que cada participante possa dar sua AULINHA,
dos desenhos passando de um por um. escolhendo um dos artigos constantes na papeleta.
Comentário: Sem a luz e a presença do Pai, toda
obra sai imperfeita. Deus é única luz. Sem ela só há
trevas. 27. A vela e o barbante
Participantes: 7 a 15 pessoas
Tempo Estimado: 20 minutos
25. As cores Material: uma Bíblia, barbante, velas para todos os
Participantes: Indefinido. integrantes e mais uma para ser colocada no centro
Tempo Estimado: 25 minutos. do grupo.
Material: Fita adesiva, 5 cartolina de cores diferentes Descrição: Todos deverem estar na forma de um
cortadas uma de cada cor no tamanho de uma folha círculo, e no centro do círculo, numa mesa, coloca-se
de papel ofício. a Bíblia, junto com uma vela acesa. A Bíblia deve
Cortadas no tamanho que de para colar na testa de estar amarrada com o barbante, e este, deve ter
cada um. sobra suficiente para amarrar as velas de todos.
Descrição: Pedir para que os participantes formem Cada pessoa, com uma vela vai ao centro do círculo,
um circulo e que fechem os olhos. passa o barbante em volta de sua vela, acendendo-
O coordenador deve pregar na testa ou na costa de a, e em seguida, entrega à ponta do barbante para
cada um uma cor, e logo depois as cinco cartolinas outra pessoa, que circulará sua vela, também
de cores diferentes do tamanho de papel ofício, acendendo-a, e assim sucessivamente. Quando
devem ser colados cada um em uma parede da sala. todos estiverem enlaçados pelo barbante, lê-se a
O coordenador pode pedir par abrirem os olhos e passagem do Evangelho de João, capítulo 8,
que não podem conversar até o termino da dinâmica. versículo 12 - "Eu sou a luz do mundo, quem me
O coordenador deve explicar que eles terão um certo segue não andará nas trevas, mas possuirá a luz da
tempo para descobrirem sua cor e se destinar pata vida". Ao final, todos partilham o sentido da
perto da parede que tenha a sua cor. E tudo isto sem dinâmica, tentando relacioná-la com o texto bíblico
poderem ser comunicarem. proposto.
E os que não conseguirem terão que pagar uma
prenda.
Recomendação: Com certeza algumas pessoas que 28. A vela e copo
iram entender 1º a dinâmica, onde iram para seu Participantes: Indefinido.
lugar e ficaram rindo dos colegas em vez de ajuda- Tempo Estimado: 10 minutos.
los. Material: Uma vela, fósforos e um copo de vidro
Ao termino o coordenador deve informar que todos transparente.
venceram com exceção dos que chegaram 1º e não
ajudaram os seus irmãos.
Arquidiocese de Teresina 10
Paróquia São Sebastião
Catequese Paroquial

Descrição: Colocar uma vela sobre a mesa e Material: Três copos com água. Três comprimidos
acende-la cuidadosamente. Deixar que se queime efervescentes. (aqueles com envelope tipo sonrisal)
por alguns segundos. Descrição:
Em seguida, pegar um como transparente e, 1. Colocar três copos com água sobre a mesa.
cuidadosamente e lentamente, colocar sobre a vela. 2. Pegar três comprimidos efervescentes, ainda
Aos poucos, ela se apagará. dentro da embalagem.
Deixá-la assim e pedir que as pessoas falem o que 3. Pedir para prestarem atenção e colocar o primeiro
sentiram ou observaram, quando viram a comprimido com a embalagem ao lado do primeiro
experiência. copo com água.
4. Colocar o segundo comprimido dentro do segundo
29. Castigo copo, mas com a embalagem.
Material: Pedaços de papel e caneta. 5. Por fim, retirar o terceiro comprimido da
Desenvolvimento: Distribui-se um pedaço de papel embalagem e colocá-lo dentro do terceiro copo com
para cada um. água.
Diz a todos o seguinte: Somos todos irmãos não é? 6. Pedir que os participantes digam o que
Portanto, ninguém aqui vai ficar chateado se receber observaram.
um castigo do irmão. Então vocês vão escolher uma Conclusão: No primeiro copo é aquela pessoa que
pessoa, e dar um castigo a ela. não aceita a religião, fica de fora de tudo, no
Isso será feito da seguinte forma: no papel deverá segundo é aquele que até aceita, participa, porém
ser escrito o nome de quem vai dar o castigo, o não se abre fica fechado as verdades da fé e por
castigo e o nome de quem vai realizar o castigo. último, o terceiro copo, é aquele que participa, se
Após recolher todos os papéis o animador fala o abre, se mistura, tem o coração aberto a Deus, enfim
desfecho da dinâmica: é uma pessoa de fé.
Acontece que o feitiço virou contra o feiticeiro,
portanto quem deu o castigo é que vai realizá-lo. 32. Comunicação gesticulada
Obs: Caso a pessoa não queira realizar o castigo ela Participantes: 15 a 30 pessoas
receberá um castigo do grupo todo. Tempo Estimado: 30 minutos.
Mensagem: O que não queremos para nós, não Material: Aproximadamente vinte fichas com
desejamos para os outros. fotografias ou desenhos para serem representados
através de mímicas.
30. Chocolate Descrição: O coordenador auxiliado por outros
Material: Bombons, cabo de vassoura, fita adesiva. integrantes deve encenar através de mímicas (sem
Desenvolvimento: O animador divide o grupo em qualquer som) o que está representado nas fichas,
duas turmas. Com a primeira turma ele passa a cada qual em um intervalo de aproximadamente um
instrução de que eles somente ajudarão os outros se minuto. Os demais integrantes devem procurar
eles pedirem ajuda (isso deve ser feito sem que a adivinhar o que foi representado. Em seguida, deve-
outra turma saiba). se comentar a importância da comunicação nos
A segunda turma terá seu braço preso com o cabo trabalhos e atividades do cotidiano, bem como do
de vassoura (em forma de cruz) e a fita adesiva. entrosamento dos integrantes do grupo para que
Deve ficar bem fechado para que eles não peguem o juntos possam até mesmo sem se comunicar
chocolate com a mão. entender o que os outros pensam ou desejam fazer.
Coloca-se o bombom na mesa e pede para que cada
um tente abrir o chocolate com a boca, e se 33. Conhecendo o grupo
conseguir pode comer o chocolate. Participantes: 7 a 15 pessoas
A primeira turma ficará um atrás de cada um da Tempo Estimado: 20 minutos
segunda turma, ou seja, existirá uma pessoa da Material: Lápis e papel para os integrantes.
primeira turma para cada pessoa da segunda turma. Observação: O horizonte do desejo pode ser
Após algum tempo o animador encerra a dinâmica aumentado, como por exemplo, um sonho que se
dizendo que nunca devemos fazer as coisas deseja realizar no decorrer da vida.
sozinhos, cada um deles tinha uma pessoa a qual Descrição: O coordenador pede aos integrantes que
eles simplesmente poderiam ter pedido que abrisse pensem nas atividades que gostariam de fazer nos
o chocolate e colocasse na boca. próximos dias ou semanas (viagens, ir bem numa
Mensagem: Nunca devemos fazer nada sozinho, prova, atividades profissionais, familiares, religiosas,
sempre que preciso temos que pedir ajuda a alguém. etc.). Então, cada integrante deve iniciar um desenho
que represente o seu desejo na folha de ofício. Após
31. Comprimidos para a fé trinta segundos o coordenador pede para que todos
Participantes: Indefinido. parem e passem a folha para o vizinho da direita, e
Tempo Estimado: 25 minutos. assim sucessivamente a cada trinta segundos até
que as folhas voltem à origem. Então cada integrante
descreve o que gostaria de ter desenhado e o que
Arquidiocese de Teresina 11
Paróquia São Sebastião
Catequese Paroquial

realmente foi desenhado. Dentre as conclusões a Pedir para os grupos falarem o que observaram, bem
serem analisadas pelo coordenador pode-se citar: como as pessoas que não participaram dos grupos,
* Importância de conhecermos bem nossos objetivos e que conclusão tiraram disso tudo.
individuais e coletivos;
* Importância de sabermos expressar ao grupo 35. Cristo no irmão
nossos desejos e nossas dificuldades em alcançá- Participantes: Indefinido.
los; Tempo Estimado: 20 minutos.
* O interesse em sabermos quais os objetivos de Material: Uma cruz com o Cristo em destaque, em
cada participante do grupo e de que maneira um tamanho onde de para definir claramente as
podemos ajudá-los; partes do corpo do Cristo.
* Citar a importância do trabalho em grupo para a Descrição: O animador pede para que o pessoal
resolução de problemas; forme uma fila ou circulo, onde cada um fique do
* Outros. lado do outro.
O animador motiva as pessoas dizendo:
34. Construção do boneco Agora vocês vão beijar no Cristo à parte que vocês
Participantes: Apenas 26 pessoas. acham que ele mais fala com você, à parte que ele
Tempo Estimado: 30 minutos. mais demonstrou seu amor para com você.
Material: Pincel, tesoura e fita adesiva. OBS: Não se pode repetir o local onde o outro já
Descrição: O coordenador da dinâmica deve montar beijou.
dois grupos, com 13 pessoas em cada um. O animador passa o Cristo de um em um, até que
O primeiro grupo deverá montar um boneco, usando todos o tenha beijado.
folhas de jornal, mas trabalhando em equipe. Para Após todos terem beijado o animador pergunta: qual
isso, deverá trabalhar em um canto da sala onde não o principal mandamento que Jesus nos deixou?
possam ser visualizados pelas pessoas que não (Amar a Deus sobre todas as coisas e ao irmão com
participam dos grupos. a ti mesmo).
O segundo grupo deverá montar o mesmo boneco. O animador faz o desfecho da história dizendo:
Cada pessoa do grupo deverá confeccionar uma Então à parte que vocês beijaram no Cristo, vocês
parte do boneco, onde não poderão dizer para irão beijar no irmão do lado.
ninguém que parte é a sua e nem mostrar (para que Obs: Caso alguém não queria beijar, mostre a ele
isto ocorra é recomendado que sentem longe um dos quem está de frente com ele é Jesus Cristo.
outros). O Boneco deve ser confeccionado na Mensagem: Cristo na pessoa do meu irmão.
seguinte ordem:
1ª pessoa: cabeça.
2ª pessoa: orelha direita.
3ª pessoa: orelha esquerda.
4ª pessoa: pescoço.
5ª pessoa: corpo (tronco).
6ª pessoa: braço direito. 36. Cumprimento criativo
7ª pessoa: braço esquerdo. Participantes: Indefinido.
8ª pessoa: mão direita. Tempo Estimado: 25 minutos.
9ª pessoa: mão esquerda. Matéria: Musica animada.
10ª pessoa: perna direita. Descrição: O apresentador explica ao grupo que
11ª pessoa: perna esquerda. quando a música tocar todos deverão movimentar-se
12ª pessoa: pé direito. pela sala de acordo com o ritmo da mesma. A cada
13ª pessoa: pé esquerdo. pausa musical. Congelar o movimento prestando
Dar um tempo de aproximadamente 10 minutos para atenção a solicitação que será feita pelo
a montagem dos bonecos. Os participantes do apresentador. Quando a Musica recomeçar atender
segundo grupo não poderão ser visualizados, de a solicitação feita.
modo que irão confeccionar partes de tamanhos O apresentador pedirá formas variadas de
diferentes, porque não trabalharam em equipe. cumprimento corporal a cada parada musical.
Pedir para as equipes montar na parede, com a Exemplo:
ajuda de uma fita adesiva, seus respectivos -Com a palmas das mãos;
bonecos. -Com os cotovelos;
Conseqüências: -Com os pés;
A 1ª equipe terá um boneco mais uniforme, formado Após vários tipos de cumprimento, ao perceber que
de partes proporcionais; se estabelece no grupo um clima alegre e
A 2ª equipe, por não terem trabalhado juntos. Fez descontraído, o apresentador diminui a música
seu boneco com braços, pernas e outros membros pausadamente, pedindo a cada pessoa que procure
de tamanho desproporcionais. um lugar na sala para estar de pé, olhos fechados,
esperando que a respiração volte ao normal. Abrir os
Arquidiocese de Teresina 12
Paróquia São Sebastião
Catequese Paroquial

olhos, olhar os companheiros, formar um circulo, Imaginem que nossa cidade está sob ameaça de um
sentar. bombardeio. Aproxima-se um homem e lhes solicita
Comentar o exercício: uma decisão imediata. Existe um abrigo subterrâneo
-O que foi mais difícil executar? Porque? que só pode acomodar seis pessoas. Há doze
-O que mais gostou? pessoas interessadas a entrar no abrigo. Faça sua
-O que pode observar? escolha, destacando seis somente.
Um violinista, com 40 anos de idade, narcótico
37. Desenho viciado:
Participantes: Indefinido. Um advogado, com 25 anos de idade;
Tempo Estimado: 20 minutos. A mulher do advogado, com 24 anos de idade, que
Material: 2 folhas de papel para cada participante, acaba de sair do manicômio. Ambos preferem ou
canetas hidrocor, fita adesiva, cola e tesoura. ficar juntos no abrigo, ou fora dele;
Descrição: Cada membro do grupo deve desenhar Um sacerdote, com a idade de setenta e cinco anos;
em uma folha de papel uma parte do corpo humano, Uma prostituta, com 34 anos de idade;
sem que os outros saibam. Um ateu, com 20 anos de idade, autor de vários
Após todos terem desenhado, pedir que tentem assassinatos;
montar um boneco ( na certa não vão conseguir pois, Uma universitária que fez voto de castidade;
Terão vários olhos e nenhuma boca... ). Em seguida, Um físico, com 28 anos de idade, que só aceita
em outra folha de papel, pedir novamente que entrar no abrigo se puder levar consigo sua arma;
desenhem as partes do corpo humano (só que dessa Um declamador fanático, com 21 anos de idade;
vez em grupo) Eles devem se organizar, combinando Uma menina com 12 anos e baixo QI;
qual parte cada um deve desenhar. Em seguida, Um homossexual, com 47 anos de idade;
após desenharem, devem montar o boneco. Um deficiente mental, com 32 anos de idade, que
Terminada a montagem, cada membro deve refletir e sofre de ataques epilépticos.
falar sobre como foi montar o boneco. Quais a
dificuldades, etc. 40. Dramatização
Participantes: 30 pessoas.
38. Diagrama de integração Tempo: 30 minutos.
Participantes: 25 pessoas. Descrição:O coordenador apresenta o assunto da
Tempo: 15-20 minutos. discussão;
Material: lápis ou caneta, papel e cartolina. Depois de decorridos dez minutos, o coordenador
Descrição: o coordenador distribui um papel para orienta os participantes para que, nos próximos dez
todos, afim de que nele se escreva o nome da a quinze minutos, cada um procure identificar-se com
pessoa mais importante para o sucesso do grupo, ou o colega da direita, esforçando-se por imitá-lo na
ainda, da pessoa do grupo cujas idéias são mais discussão;
aceitas; o papel deve ser assinado de forma legível; Cada participante tentará agir exatamente como o
recolhido os papeis, será feito um diagrama no seu colega da direita, imitando seu comportamento
quadro-negro ou cartolina, marcando com um círculo no grupo;
o nome do participante escolhido, e com uma flecha, É da máxima importância que cada qual consiga
a iniciar-se com o nome da pessoa que escolheu, identificar-se com seu colega;
indo em direção à escolhida. O mesmo exercício poderá ser feito, deixando
liberdade para que cada participante faça a escolha
do colega a ser imitado, cabendo aos outros
reconhecê-lo.
39. Dificuldade
Participantes: 30 pessoas
Tempo: 1 hora 41. Encontro de grupos
Descrição: o coordenador explica os objetivos do Participantes: dois grupos com não mais de 15
exercício. A seguir distribuirá uma cópia do "abrigo pessoas.
subterrâneo" a todos os participantes, para que Tempo: 1 hora.
façam uma decisão individual, escolhendo as seis Material: folhas grandes de cartolina
pessoas de sua preferência. Organizar, a seguir, Descrição: o coordenador forma dois subgrupos.
subgrupos de 5 pessoas. Para realizar a decisão Cada um deverá responder, numa das folhas de
grupal, procurando-se alcançar um consenso. cartolina
Forma-se novamente o grupo maior, para que cada Como o nosso grupo vê o outro grupo?
subgrupo possa relatar o resultado da decisão Como o nosso grupo pensa que somos vistos pelo
grupal. Segue-se um debate sobre a experiência outro grupo?
vivida. Após 1 hora reuni-se todo o grupo e o(s)
Abrigo subterrâneo representante(s) de cada subgrupo deverá expor a
conclusão do subgrupo. Novamente os subgrupos se
reúnem para preparar uma resposta ao outro
Arquidiocese de Teresina 13
Paróquia São Sebastião
Catequese Paroquial

subgrupo e após meia hora forma-se o grupo grande Descrição: o coordenador faz uma breve introdução
de novo e serão apresentadas as defesas, podendo do exercício, falando sobre a descoberta pessoal e a
haver a discussão. importância do exercício; distribuir, uma papeleta
para cada um; um a um, os participantes lerão a
42. Espelho pergunta que estiver na papeleta, procurando
Participantes: 10 a 20 pessoas responder com toda sinceridade; no final, segue-se
Tempo Estimado: 30 minutos um debate sobre o exercício feito.
Material: Um espelho escondido dentro de uma Exemplos de pergunta:
caixa, de modo que ao abri-la o integrante veja seu 1. Qual o seu hobby predileto ou como você
próprio reflexo. preenche o seu tempo livre
Descrição: O coordenador motiva o grupo: "Cada 2. Que importância tem a religião na sua vida
um pense em alguém que lhe seja de grande 3. O que mais o aborrece
significado. Uma pessoa muito importante para você, 4. Como você encara o divórcio
a quem gostaria de dedicar a maior atenção em 5. Qual a emoção é mais difícil de se controlar
todos os momentos, alguém que você ama de 6. Qual a pessoa do grupo que lhe é mais atraente
verdade... com quem estabeleceu íntima 7. Qual a comida que você menos gosta
comunhão... que merece todo seu cuidado, com 8. Qual o traço de personalidade que lhe é mais
quem está sintonizado permanentemente... Entre em marcante
contato com esta pessoa, com os motivos que a 9. Qual é, no momento, o seu maior problema
tornam tão amada por você, que fazem dela o 10. Na sua infância, quais foram os maiores castigos
grande sentido da sua vida..." Deve ser criado um ou críticas recebidas
ambiente que propicie momentos individuais de 11. Como estudante, quais as atividades em que
reflexão, inclusive com o auxílio de alguma música participou
de meditação. Após estes momentos de reflexão, o 12. Quais são seus maiores receios em relação à
coordenador deve continuar: "... Agora vocês vão vivência em grupo
encontrar-se aqui, frente a frente com esta pessoa 13. Qual é a sua queixa em relação à vivência em
que é o grande significado de sua vida".Em seguida, grupo
o coordenador orienta para que os integrantes se 14. Você gosta do seu nome
dirijam ao local onde está a caixa (um por vez). 15. Quem do grupo você escolheria para seu líder
Todos devem olhar o conteúdo e voltar 16. Quem do grupo você escolheria para com ele
silenciosamente para seu lugar, continuando a passar suas férias
reflexão sem se comunicar com os demais. 17. Você gosta mais de viver numa casa ou num
Finalmente é aberto o debate para que todos apartamento
partilhem seus sentimentos, suas reflexões e 18. Qual o pais que você gostaria de visitar
conclusões sobre esta pessoa tão especial. É 19. Quais são algumas das causas da falta de
importante debater sobre os objetivos da dinâmica. relacionamento entre alguns pais e filhos
20. Se você fosse presidente da república, qual seria
sua meta prioritária.
43. Evangelho em pedaços
Participantes: 10 a 15 pessoas
Tempo Estimado: 15 minutos 45. Exercício da qualidade
Material: Papéis com pequenos trechos da Bíblia Participantes: 30 pessoas
(partes de passagens) com indicação do livro, Tempo: 45 minutos
capítulo e versículos. Material: lápis e papel
Descrição: Cada integrante recebe um trecho da Descrição: o coordenador inicia dizendo que na vida
Bíblia e procura compreendê-lo, entender qual a as pessoas observam não as qualidades, mas sim os
mensagem da passagem Bíblica. Como você pode defeitos dos outros. Nesse instante cada qual terá a
trazer essa mensagem que você refletiu para o seu oportunidade de realçar uma qualidade do colega.
dia-a-dia. Para melhorar a compreensão do trecho, 1. O coordenador distribuirá uma papeleta para
deve consultar a passagem completa na Bíblia. Em todos os participantes. Cada qual deverá escrever
seguida, os integrantes devem ler o seu trecho e nela a qualidade que no entender caracteriza seu
comentá-lo para o grupo. Ao final, é aberto o debato colega da direita;
sobre os trechos selecionados e as mensagens por 2. A papeleta deverá ser completamente anônima,
eles transmitidas. sem nenhuma identificação. Para isso não deve
constar nem o nome da pessoa da direita, nem vir
assinada;
44. Exercício da confiança 3. A seguir o animador solicita que todos dobrem a
Participantes: 25 a 30 pessoas papeleta para ser recolhida, embaralhada e
Tempo: 30 minutos redistribuída;
Material: papel com perguntas para ser respondida 4. Feita a redistribuição começando pela direita do
em público para cada membro. coordenador, um a um lerá em voz alta a qualidade
Arquidiocese de Teresina 14
Paróquia São Sebastião
Catequese Paroquial

que consta na papeleta, procurando entre os relação à colocação na fileira, de acordo com a
membros do grupo a pessoa que, no entender do influência que cada um exerce sobre o grupo.
leitor, é caracterizada com esta qualidade. Só poderá
escolher uma pessoa entre os participantes. 2. Segunda fase:
5. Ao caracterizar a pessoa, deverá dizer porque tal O animador pede que os participantes elejam um
qualidade a caracteriza; líder imparcial, explicando que na votação deverão
6. Pode acontecer que a mesma pessoa do grupo dar um voto para aquele que será o líder, e doze
seja apontada mais de uma vez como portadora de votos para o último colocado. Tal votação inversa
qualidades, porém, no final cada qual dirá em público dará o ensejo para que os participantes possam
a qualidade que escreveu para a pessoa da direita; experimentar novas sensações que envolvem o
7. Ao término do exercício, o animador pede aos exercício.
participantes depoimento sobre o mesmo. O grupo ou os subgrupos podem debater entre si a
ordem da escolha fazendo anotações escritas, tendo
46. Explosão do coordenador para isso dez minutos.
Participantes: 30 pessoas Processa-se a votação. Caso ocorra empate,
Tempo: 10 minutos prossegue-se o exercício, até o desempate, devendo
Descrição: Escolhe-se qualquer tema que não será a ordem corresponder à influência que cada um
o principal da reunião e a uma certa altura do debate exerce sobre o grupo.
o coordenador para e diz "Vocês não estão se Segue-se uma discussão grupal em torno do impacto
interessando suficientemente. Estou até doente e do exercício.
cansado em ver esse comportamento, esse
desinteresse caso não tomem maior seriedade, 48. Guia de cego
interrompo, agora mesmo, este debate!", após esse Participantes: Indefinido sendo Nº pares de
comentário todos estarão desconcertado e terão pessoas.
reações diferentes principalmente reprovando a Tempo Estimado: 25 minutos.
atitude do coordenador. Após o primeiro impacto o Material: Alguns vendas ou lençóis, e uma área com
coordenador, em seu estado natural deverá explicar obstáculos, de preferência em campo aberto.
que era uma dramatização para ver as reações dos Descrição: O coordenador venda os olhos de todas,
indivíduos do grupo, e nisso seguirá a discussão, caso não tenha vendas o coordenador devera pedir
sobre as reações das pessoas com reação a a todos que fechem os olhos. Os cegos devem
explosão do coordenador. caminhar desviando-se dos obstáculos durante
determinado intervalo de tempo. Após este tempo
Indicado para grupos que já tenham uma certa deve-se realizar alguns questionamentos para os
maturidade. mesmos, tais como:
Como vocês se sentiram sem poder enxergar?
47. Fileira Tiveram medo? Por quê? De quê?
Participantes: 12 pessoas Que acham da sorte dos cegos?
Tempo: 1 hora
Material: 3 folhas de papel, lápis ou caneta para Em seguida, a metade dos participantes deveram
cada participante; folhas de cartolina abrir os olhos para servir como guia, que conduzirá o
Descrição: cego por onde quiser. Depois de algum tempo
1. Primeira fase: podem ser feito tudo novamente onde os guias iram
O animador pede que os membros participantes se vendar os olhos e os cegos serão os guias. Após
organizem em fileira por ordem de influência que este tempo deve-se realizados os seguintes
cada membro exerce sobre o grupo. Caso tiver questionamentos:
vários subgrupos, os mesmos farão simultaneamente Como vocês se sentiram nas mãos dos guias?
o exercício. Todos deverão executar a tarefa em Tiveram confiança ou desconfiança? Por quê?
silêncio; É preferível sozinho ou com um guia? Por quê?
Terminada a tarefa, o coordenador colocará a ordem
numa folha de cartolina, para ser apreciado por Por último, dispõe-se dois voluntários de cego,
todos; sendo que um guiará o outro. Ao final, pode-se
A seguir, o grupo irá para o círculo, onde se realizar os mesmos questionamentos do passo
processará a discussão do exercício, bem como a anterior. Dentre os questionamentos finais, a todos,
colocação dos membros na fileira. Nessa ocasião, o pode-se citar:
coordenador poderá fazer algumas observações O que a dinâmica teve de parecido com a vida de
referentes ao exercício, ao comportamento dos cada um?
indivíduos na sua colocação; Além da cegueira física, vocês conhecem outros
Recomeça-se o exercício tantas vezes quanto forem tipos de cegueira?
necessárias, até que todos estejam satisfeitos em Quais? (ira, ignorância, inveja, apatia, soberba, etc.)
Arquidiocese de Teresina 15
Paróquia São Sebastião
Catequese Paroquial

Os homens tem necessidade de guias? Quem são integrantes devem circular pela sala, ler os bilhetes
os outros guias? (Deus, Jesus, Maria, família, dos colegas e atendê-los, sem dizer o que está
educadores, amigos, etc.) escrito no bilhete. Todos devem atender ao maior
Costumamos confiar nestes guias? O que acontece número possível de bilhetes. Após algum tempo,
com quem não aceita o serviço de um guia? todos devem voltar a posição original, e cada
Qual a pior cegueira: a física ou a de espírito? Por integrante deve tentar adivinhar o que está escrito
quê? em seu bilhete. Então cada integrante deve dizer o
que está escrito em suas costas e as razões por que
O Evangelho relata várias curas de cegos (Mt 9,27- chegou a esta conclusão. Caso não tenha
32;Jo 9,1-39). Qual a semelhança que se pode descoberto, os outros integrantes devem auxiliá-lo
encontrar, por exemplo, entre o relato de São Lucas com dicas. O que facilitou ou dificultou a descoberta
e a sociedade moderna? Qual a semelhança entre a das mensagens? Como esta dinâmica se reproduz
cura da vista e a missão da igreja de no cotidiano?
conscientização? Sugestões de bilhetes:
Em quem voto para presidente?
49. Jogo comunitário Sugira um nome para meu bebê?
Material: uma flor. Sugira um filme para eu ver?
Desenvolvimento: os participantes sentam-se em Briguei com a sogra, o que fazer?
círculo e o animador tem uma flor na mão. Diz para a Cante uma música para mim?
pessoa que está à sua esquerda: senhor... (diz o Gosto quando me aplaudem.
nome da pessoa), receba esta flor que o Sou muito carente. Me dê um apoio.
senhor...(diz o nome da pessoa da direita) lhe Tenho piolhos. Me ajude!
enviou... Estou com fome. Me console!
E entrega a flor. A pessoa seguinte deve fazer a Dance comigo.
mesma coisa. Quem trocar ou esquecer algum nome Estou com falta de ar. Me leve à janela.
passará a ser chamado pelo nome de um bicho. Por Me descreva um jacaré.
exemplo, gato. Quando tiverem que se referir a ele, Me ensine a pular.
os seus vizinhos, em vez de dizerem seu nome, Tem uma barata em minhas costas!
devem chamá-lo pelo nome do bicho. Dobre a minha manga.
O animador deve ficar atento e não deixar os Quanto eu peso?
participantes entediados. Quanto mais rápido se faz Estou dormindo, me acorde!
à entrega da flor, mais engraçado fica o jogo. Me cumprimente.
Meu sapato está apertado. Me ajude.
Quantos anos você me dá?
50. Jogo da verdade Me elogie.
Participantes: 25 pessoas O que faz o síndico de um prédio?
Material: Relação de perguntas pré-formuladas, ou Sou sósia de quem?
sorteio destas. Como conquistar um homem?
Descrição: Apresentação do tema pelo Veja se estou com febre.
coordenador, lembrando de ser utilizado o bom Chore no meu ombro.
senso tanto de quem pergunta como quem Estou de aniversário, quero meu presente.
responde. Escolhe-se um voluntário para ser Sorria para mim.
interrogado, sentando numa cadeira localizada no Me faça uma careta?
centro do círculo (que seja visível de todos), o
voluntário promete dizer somente a verdade, pode-
se revezar a pessoa que é interrogada se assim 52. Juventude e comunicação
achar necessário. Após algumas perguntas ocorre a Desenvolvimento: distribuir aos participantes papel
reflexão sobre a experiência. e convidá-los a fazer um desenho de um homem e
uma mulher.
Anotar na figura:
Diante dos olhos: as coisas que viu e mais o
51. Jogos de bilhetes impressionaram.
Participantes: 7 a 20 pessoas Diante da boca: 3 expressões (palavras, atitudes)
Tempo Estimado: 20 minutos dos quais se arrependeu ao longo da sua vida.
Material: Pedaços de papel com mensagens e fita Diante da cabeça: 3 idéias das quais não abre mão.
adesiva. Diante do coração: 3 grandes amores.
Descrição: Os integrantes devem ser dispostos em Diante das mãos: ações inesquecíveis que realizou.
um círculo, lado a lado, voltados para o lado de Diante dos pés: piores enroscadas em que se meteu.
dentro do mesmo. O coordenador deve grudar nas Comentário:
costas de cada integrante um cartão com uma frase Foi fácil ou difícil esta comunicação? Porque?
diferente. Terminado o processo inicial, os Este exercício é uma ajuda? Em que sentido?
Arquidiocese de Teresina 16
Paróquia São Sebastião
Catequese Paroquial

Em qual anotação sentiu mais dificuldade? Por que? 8. Pensa que o bem sempre acaba vencendo o mal.
Este exercício pode favorecer o diálogo entre as Jamais desanima diante da opinião daqueles que só
pessoas e o conhecimento de si mesmo? Por que? vêem perigo, sombra e fracassos.
Iluminação bíblica: Mc 7, 32-37. 9. Sabe prever, evita a improvisação. Pensa até nos
minores detalhes.
53. Karaokê 10. Acredita na possibilidade de que o grupo saiba
Participantes: Indefinido. encontrar por si mesmo as soluções, sem recorrer
Tempo Estimado: 25 minutos. sempre à ajuda dos outros.
Objetivo: Aprender o nome de todos. 11. Dá oportunidade para que os outros se
Material: Nenhum. promovam e se realizem. Pessoalmente, proporciona
Descrição: o coordenador deve pedir para os todas as condições para que o grupo funcione bem.
participantes um circulo e logo depôs deve mostra 12. Faz agir. Toma a sério o que deve ser feito.
para todos que eles devem cantar e dançar do Obtém resultados.
mesmo modo que o cantor principal. 13. É agradável. Cuida de sua aparência pessoal.
O coordenador deve dar inicio parra incentivar e Sabe conversar com todos.
quebrar a timidez. O coordenador deve cantar assim: 14. Diz o que pensa. Suas ações correspondem com
"O meu nome é Exemplo: Jesus", e todos devem suas palavras.
cantar e dançar assim: "O nome de dele é Exemplo: 15. Enfrenta as dificuldades. Não foge e nem
Jesus". Todos devem cantar e dançar em ritmo descarrega o risco nos outros.
diferente dos que já cantaram e dançaram. 16. Busca a verdade com o grupo, e não passa por
Exemplos: forró, romântica, sertaneja, axé, opera, cima do grupo.
rock, pagode etc.
Qualidades:
01. Seguro
54. Líder democrático 02. Acolhedor
Participantes: 30 pessoas 03. Desinteressado
Tempo: 45 minutos 04. Disponível
Material: caneta; uma cópia da relação de definições 05. Firme e suave
e das qualidades; 06. Juízo maduro
Descrição: o coordenador inicia falando sobre os 07. Catalisador
quatro tipos de lideres, procurando enfatizar as 08. Otimista
características de cada um 09. Previsor
1. Formando subgrupos demonstrará com ênfase, 10. Confiança nos outros
primeiro um líder autoritário, depois mudando o 11. Dá apoio
subgrupo demonstra o líder paternalista, com novos 12. Eficaz
voluntário demonstra o líder anárquico e por último 13. Sociável
demonstra um líder democrático. 14. Sincero
2. Após apresentar sem informar qual tipo de líder é, 15. Corajoso
pedir ao grupo para defini-los e nomeai-los um a um, 16. Democrático
explicando depois um a um.
3. Após a nomenclatura distribui-se as qualidades do
líder democrático, para cada membro, e discute-se
sobre cada um. 55. Maçã
Material: papel e caneta para cada um
Definições: Descrição: Primeiro se lê o texto base do
1. Sabe o que fazer, sem perder a tranqüilidade. evangelho: a cura do paralítico que é levado pelos
Todos podem confiar nele em qualquer emergência. seus amigos. (Lc 5,17-26: Mc 2,1-12; Mt 9,1-8).
2. Ninguém sente-se marginalizado ou rejeitado por Assim coordenador distribui a folha e caneta para
ele. Ao contrário, sabe agir de tal forma que cada um todos, e pede para que cada um desenhe uma maçã
se sente importante e necessário no grupo. em sua folha. E na ponta de cada braço cada um
3. Interessar-se pelo bem do grupo. Não usa o grupo deve escrever o nome de um amigo que nos levaria
para interesses pessoais. a Jesus. Depois pede-se para desenhar outra maçã
4. Sempre pronto para atender. e no meio dela colocar o nome de quatro amigos que
5. Mantém calmo nos debates, não permitindo levaríamos para Jesus.
abandono do dever. Plenário:
6. Distingue bem a diferença entre o falso e o Assumimos nossa condição de amigo de levar
verdadeiro, entre o profundo e o superficial, entre o nossos amigos até Jesus?
importante e o acessório. Existem quatro amigos verdadeiros que se tenham
7. Facilita a interação do grupo. Procura que o grupo comprometido a suportar-me sempre?
funcione harmoniosamente, sem dominação.
Arquidiocese de Teresina 17
Paróquia São Sebastião
Catequese Paroquial

Conto incondicionalmente com quatro pessoas para O grupo de ação permanece sentado em um círculo
as quais eu sou mais importante de que qualquer interno e o de observação em um círculo externo.
coisa? O grupo de ação simula um grupo de jovens que
Tenho quatro pessoas que me levantam, se caio, e pode debater qualquer tema, enquanto o grupo de
corrigem, se erro, que me animam quando observação analisa o outro grupo anotando fatos
desanimo? como quem participa, quem não participa, se existe
Tenho quatro confidentes, aos quais posso alguém que monopoliza, se alguém se demonstra
compartilhar minhas lutas, êxitos, fracassos e tímido e não consegue se expressar
tentações? após o tempo que se achar necessário volta-se o
Existem quatro pessoas com quem eu não divido grupo normal e se discute o que foi observado e
um trabalho e sim uma vida? vivido.
Posso contar com quatro amigos verdadeiros, que
não me abandonariam nos momentos difíceis, pois Exemplo: exemplos de coordenação
não me amam pelo que faço, mas, pelo que sou? Forma-se um grupo para demonstrar o primeiro tipo
Sou incondicional de quatro pessoas? de coordenador, o ditador, utilizando sempre o
Há quatro pessoas que podem tocar na porta da mesmo tema, este deve sempre mandar no grupo,
minha casa a qualquer hora? assumindo ou não responsabilidades dentro do
Há quatro pessoas que, em dificuldades grupo. Após o ditador, forma-se outro grupo para
econômicas, recorreriam a mim? exemplificar o coordenador paternalista que assume
Há quatro pessoas que sabem serem mais todas as responsabilidades que o grupo pode ter,
importantes para mim, que meu trabalho, descanso após forma-se outro grupo demonstrando o
ou planos? coordenador que não assume a responsabilidade do
grupo, sempre concordando com tudo que é
No trecho do evangelho observamos algumas proposto sem colocar em prática na maioria das
coisas como? vezes. E por último entra o coordenador democrático
Lugar onde uns necessitam ajuda e outros prestam o que seria um coordenador perfeito que sabe ouvir as
serviço necessário. pessoas e "força" o trabalho em grupo.
O ambiente de amor, onde os amigos carregam o
mais necessitado que não pode caminhar por si
mesmo. 58. Palavra iluminada
Os amigos se comprometem a ir juntos a Jesus, Participantes: 7 a 15 pessoas
conduzindo o enfermo para que seja curado por ele. Tempo Estimado: Indefinido
Deixar-se servir pelos irmãos. Material: Uma vela e trechos selecionados da Bíblia
Uma vez curado, carregar o peso da que tratem do assunto a ser debatido.
responsabilidade. Observação: Para grupos cujos integrantes já se
conhecem, a parte relativa à apresentação pode ser
eliminada da dinâmica.
56. Nome perdido Descrição: A iluminação do ambiente deve ser
Participantes: Indefinido. serena de modo a predominar a luz da vela, que
Tempo Estimado: 25 minutos. simboliza Cristo iluminando os nossos gestos e
Material: Um crachá para cada pessoa do grupo e palavras. Os participantes devem estar sentados em
um saco ou caixa de papelão para colocar todos os círculo de modo que todos possam ver a todos. O
crachás. coordenador deve ler o trecho bíblico inicial e
Descrição: O coordenador devera recolher todos os comentá-lo, sendo que a pessoa a sua esquerda
crachás colocar no saco ou na caixa; misturar bem deve segurar a vela. Após o comentário do trecho, a
todos estes crachás, depõe dê um crachá para cada pessoa que estava segurando a vela passa a mesma
pessoa. Esta deverá encontrar o verdadeiro dono do para o vizinho da esquerda e se apresenta ao grupo.
crachá, em 1 minuto. Em seguida esta pessoa realiza a leitura de outro
Ao final desse tempo, quem estiver ainda sem trecho da bíblia indicado pelo coordenador e faz
crachá ou com o crachá errado, azar! Porque terá seus comentários sobre o trecho. Este processo se
que pagar uma prenda. realiza sucessivamente até que o coordenador
venha a segurar a vela e se apresentar ao grupo.
Então, o coordenador lê uma última passagem
57. Observação / ação bíblica que resuma todo o conteúdo abordado nas
Participantes: 30 pessoas passagens anteriores. Após a leitura desta
Tempo: 30 minutos passagem, os integrantes do grupo devem buscar a
Material: papel e caneta opinião do grupo como um todo, baseado nos
Descrição: o coordenador divide o grupo em um depoimentos individuais, sobre o tema abordado.
grupo de ação e outro de observação. Quando o consenso é alcançado apaga-se à vela.
Arquidiocese de Teresina 18
Paróquia São Sebastião
Catequese Paroquial

Por último pode-se comentar a importância da Luz Descrição: Formar um circulo e entregar uma folha
(Cristo) em todos os atos de nossas vidas. em branco para cada participante, juntamente caneta
ou lápis.
Pedir para todos iniciarem uma Historia qualquer que
59. Palavra que transforma simboliza o seu cotidiano dentro da comunidade, da
Material: uma bolinha de isopor, um giz, um vidrinho igreja.
de remédio vazio, uma esponja e uma vasilha com Cada membro terá 35 segundos para essa parte e
água. depois deste tempo passa para o membro da
Desenvolvimento: Primeiro se explica que a água é esquerda do grupo.
a palavra de Deus e que o objeto somos nós, depois Pedir para um membro do grupo levar uma historia
se coloca a água na vasilha, e alguém mergulha o concluída e partilhar alguns fatos e falar se a historia
isopor, após ver o que ocorre com o isopor, terminou do jeito que ele estava imaginando.
mergulhar o giz, depois a vidro de remédio e por
último a esponja. 62. Pessoas balões
Então refletimos: Participantes: Indefinido.
Como a Palavra de Deus age na minha vida? Tempo Estimado: 15 minutos.
Eu estou agindo como o isopor que não absorve Material: Um balão cheio e um alfinete.
nada e também não afunda ou aprofunda? Descrição: O coordenador deve explicar aos
Ou estou agindo como o giz que guarda a água para participantes por que certas pessoas em
si sem partilhar com ninguém? determinados momentos de sua vida, se parecem
Ou ainda agimos como o vidrinho que tinha água só com os balões:
para passar para os outros, mas sem guardar nada Alguns estão aparentemente cheios de vida, mas
para si mesmo? por dentro nada mais têm do que ar;
Ou agimos como a esponja absorvendo bem a água Outros parecem ter opinião própria, mas se deixam
e mesmo espremendo continuamos com água? lavar pela mais suave brisa;
Por fim, alguns vivem como se fossem balões
Iluminação Bíblica: Is 40,8; Mt 7,24; 2Tm 3,16. cheios, prestes a explodir; vasta que alguém os
provoque com alguma ofensa para que (neste
60. Pare momento estoura-se um balão com um alfinete)
Participantes: 30 pessoas "estourem".
Tempo: 45 minutos
Material: caneta e papel em branco Pedir que todos dêem sua opinião e falem sobre
Descrição: a técnica do "PARE" usa-se quando se suas dificuldades em superar críticas e ofensas.
nota pouco integração grupal, quando há bloqueios,
para maior presença consciente, para descobrir a 63. Pizza
evolução do grupo. Participantes: 7 a 15 pessoas
O exercício processa-se assim: Tempo Estimado: 30 minutos
A um dado momento, durante a sessão, interrompe- Material: Lápis e papel para os integrantes.
se tudo, distribui-se uma papeleta em branco para Descrição: O coordenador propõe temas a serem
cada membro participante e, a pedido do debatidos pelo grupo. Cada integrante é motivado
coordenador, todos deverão escrever em poucas para que defina qual a importância dos diferentes
palavras o que gostariam de ouvir, de falar ao grupo, temas para si mesmo. Dentre os temas propostos
de fazer, no momento; pode-se ter temas como: drogas, sexo, namoro,
O preenchimento de papeleta será feito política, amizade, espiritualidade, liturgia, família,
anonimamente; educação, saúde, segurança, esportes, etc. Os
Uma vez preenchidas, recolhem-se às papeletas temas devem ser identificados por um número ou
dobradas, e após embaralhá-las, processa-se a uma letra (de preferência a primeira letra do tema).
redistribuição; Em seguida, cada integrante deve desenhar um
A seguir, a pedido do coordenador, todos, um a um círculo e dividi-lo de acordo com a proporção de
irão ler em público o conteúdo das papeletas; importância que tem para com cada tema. As
Finalizando o exercício, seguem-se os depoimentos divisões devem ser identificadas pelos números ou
a respeito. letras definidos anteriormente para os temas. Temas
se nenhuma importância para o integrante podem
61. Partilha ser simplesmente desconsiderados pelo mesmo.
Participantes: Indefinido. Então, cada integrante apresenta seu desenho ao
Tempo Estimado: 15 minutos. grupo comentando suas opções. Em contrapartida, o
Material: lápis ou caneta e uma folha de papel em grupo pode opinar sobre estas opções e se as
branco para cada participante. mesmas correspondem ao que o grupo esperava do
integrante.
Arquidiocese de Teresina 19
Paróquia São Sebastião
Catequese Paroquial

sermos capazes de realizar coisas grandes e


64. Presente da alegria negligenciamos de fazer coisas menores, embora de
Participantes: 3 a 10 pessoas grande significado. Na experiência que segue,
Tempo: 5 minutos por participante; seremos capazes de dar um pequeno presente de
Material: lápis e papel; alegria para alguns integrantes do
Descrição: O coordenador forma subgrupos e grupo".Prosseguindo, o coordenador convida os
fornece papel para cada participante; integrantes para que escrevam mensagens para
A seguir, o coordenador fará uma exposição, como todos os integrantes de seu subgrupo. As
segue: "muitas vezes apreciamos mais um mensagens devem ser da seguinte forma:
presente pequeno do que um grande. Muitas a) Provocar sentimentos positivos no destinatário
vezes ficamos preocupados por não sermos com relação a si mesmo;
capazes de realizar coisas grandes e b) Ser mais específicas, descrevendo detalhes
negligenciamos de fazer coisas menores, embora próprios da pessoa ao invés de características muito
de grande significado. Na experiência que segue, genéricas;
seremos capazes de dar um pequeno presente de c) Indicar os pontos positivos da pessoa dentro do
alegria para cada membro do grupo"; contexto do grupo;
Prosseguindo, o coordenador convida os membros d) Ser na primeira pessoa;
dos subgrupos para que escrevam uma mensagem e) Ser sinceras;
para cada membro do subgrupo. A mensagem visa f) Podem ser ou não assinadas, de acordo com a
provocar em cada pessoa sentimentos positivos em vontade do remetente.
relação a si mesmo; As mensagens são dobradas e o nome do
O coordenador apresenta sugestões, procurando destinatário é colocado do lado de fora. Então elas
induzir a todos a mensagem para cada membro do são recolhidas e entregues aos destinatários. Depois
subgrupo, mesmo para aquelas pessoas pelas quais que todos tiverem lido as mensagens, segue-se à
não sintam grande simpatia. conclusão da dinâmica com um debate sobre as
Na mensagem dirá: reações dos integrantes.
1. Procure ser específico, dizendo, por exemplo:
"gosto do seu modo de rir toda vez que você se
dirige a uma pessoa", em vez de: "eu gosto de sua 66. Riqueza dos nomes
atitude", que é mais geral; Participantes: Indefinido.
2. Procure escrever uma mensagem especial que se Tempo Estimado: 30 minutos.
enquadre bem na pessoa, em vez de um comentário Material: Tiras de papel ou cartolina, pincel atômico
que se aplique a várias pessoas; ou caneta hidrográfica, cartaz para escrever as
3. Inclua todos, embora não conheça palavras montadas ou quadro-negro.
suficientemente bem. Procure algo de positivo em Descrição: Os participantes de um grupo novo são
todos; convidados pelo coordenador a andar pela sala se
4. Procure dizer a cada um o que observou dentro do olhando, enquanto uma música toca.
grupo, seus pontos altos, seus sucessos, e faça a Quando o som para, escolher um par e ficar ao lado
colocação sempre na primeira pessoa, assim: "eu dele (a). Cumprimentar-se de alguma forma, com
gosto" ou "eu sinto"; algum gesto (aperto de mão, abraço, beijo no rosto e
5. Diga ao outro o que encontra nele que faz você etc).
ser mais feliz; Colocar novamente os pares a andar pela sala
(desta vez são os dois andando juntos). Assim que
Os participantes poderão, caso queiram, assinar a pára a música, devem se associar a outro par (fica o
mensagem; grupo com quatro pessoas).
Cada participante do grupo composto de quatro
Escritas às mensagens, serão elas dobradas e pessoas recebe uma cartolina e coloca nela seu
colocadas numa caixa para ser recolhidas, a seguir, nome (tira de papel também serve).
com os nomes dos endereçados no lado de fora. Após mostrar o nome para os outros três
companheiros, os participantes deste pequeno grupo
juntarão uma palavra com estas sílabas (servem
65. Presente de amigo apenas as letras).
Participantes: 10 a 30 pessoas
Tempo Estimado: 30 minutos Exemplo: Anderson + JÚlio + DAiane = Ajuda
Material: Lápis e papel para os integrantes Airton + RoMIlton + ZAira + SanDEr = Amizade
Descrição: O coordenador divide o grupo em Colocar a palavra formada num quadro-negro ou
subgrupos de quatro a seis integrantes e, em cartolina e o grupo falará sobre ela e sua importância
seguida, expõe o seguinte: "Muitas vezes na vida.
apreciamos mais um presente pequeno do que um
grande. Muitas vezes ficamos preocupados por não 67. Salmo da vida
Arquidiocese de Teresina 20
Paróquia São Sebastião
Catequese Paroquial

Participantes: 10 a 20 pessoas da dinâmica deve mostrar o cacho de uva e


perguntar a cada um como ele acha que esta o
Tempo Estimado: 45 minutos sabor destas uvas.
Material: Lápis e papel para os integrantes. Obviamente alguns irão descordar a respeito do
Descrição: Cada integrante deve escrever a história sabor destas uvas, como: acho que esta doce, que
de sua vida, destacando os acontecimentos esta azeda, que esta suculenta etc.
marcantes. O coordenador deve alertar o grupo de Após todos terem respondido o coordenador entrega
que experiências de dor e sofrimento podem ser uma uva para cada um comer. Então o coordenador
vistas como formas de crescimento e não simples deve repetir a pergunta (como esta o sabor desta
acontecimentos negativos. Em seguida, os uva?).
integrantes devem se perguntar qual foi à
experiência de Deus que fizeram a partir dos Mensagem: Só saberemos o sabor do Espírito Santo
acontecimentos descritos ou no decorrer de suas se provarmos e deixarmos agir em nos.
vidas. Depois devem escrever o salmo da vida, da
sua vida, uma oração de louvor, agradecimento, 70. Ser igreja
pedido de perdão e/ou clamor. O desenvolvimento Participantes: Indefinido.
dos salmos deve-se realizar em um ambiente de paz Tempo Estimado: 10 a 15 minutos.
e reflexão. Então, os integrantes devem ser divididos Material: Uma folha em branco para cada um.
em subgrupos de três ou quatro pessoas onde cada Descrição: Entregar uma folha de papel ofício para
integrante deve partilhar sua oração. Depois o grupo os participantes.
é reunido e quem quiser pode apresentar sua oração Pedir para todos ao mesmo tempo, movimentar as
ao grupo. Por último é realizado um debate sobre os folhas e observar; todos unidos formarão uma
objetivos da dinâmica e a experiência que a mesma sintonia alegre, onde essa sintonia significa nossa
trouxe para os integrantes. Algumas questões que caminhada na catequese, e quando iniciam alguma
podem ser abordadas: Como se sentiu recordando o atividade estaremos alegres e com isso teremos
passado? O que mais chamou a atenção? Qual foi a coragem de enfrentar tudo, quando catequizar é
reação para com acontecimentos tristes? Como tem nossa salvação.
sido a experiência com Deus? Qual a importância Mas no decorrer do tempo, as dificuldades
Dele em nossas vidas? Pode-se ainda comparar os aumentaram, ficamos desmotivados por causa das
salmos redigidos com os salmos bíblicos. fofocas, reclamações, atritos etc. Com isso surgem
as dificuldades, os descontentamentos.
Juntos vamos amassar a nossa folha para que não
68. Semeando a amizade rasque, e voltaremos a movimentar a folha
Participantes: 7 a 15 pessoas movimente todos juntos, verificando que não existe a
Tempo Estimado: 30 minutos sintonia alegre, agora só resta silêncio.
Material: Três vasos, espinhos, pedras, flores e Pegaremos essa folha, colocando-a no centro da
grãos de feijão. mão e fechando a mão, torcendo o centro da folha,
Descrição: Antes da execução da dinâmica, deve-se formará uma flor.
realizar a leitura do Evangelho de São Mateus, Essa flor será nossa motivação, nossa alegria daqui
capítulo 13, versículos de 1 a 9. Os espinhos, as pra frente dentro da catequese.
pedras e as flores devem estar colocados cada qual
em um vaso diferente. Os vasos devem estar Comentário: É um convite para uma esperança,
colocados em um local visível a todos os integrantes. para que assumamos a responsabilidade de realizar
Nesta dinâmica, cada vaso representa um coração, a vida. Todos nós apenas uma parcela pessoal e
enquanto que grãos de feijão, representam as social, nessa construção de uma humanidade nova?
sementes descritas na leitura preliminar. Então, cada Cheia de esperança e realizações. (leitura MC 3, 31
integrante deve semear um vaso, que simboliza uma - 35).
pessoa que deseje ajudar, devendo explicar o
porquê de sua decisão. Pode-se definir que as 71. Temores e esperanças
pessoas citadas sejam outros integrantes ou Participantes: 25 - 30 pessoas
qualquer pessoa. Além disso, se o tempo permitir, Tempo: 30 minutos
pode-se utilizar mais que uma semente por Material: Uma folha em branco e caneta, cartolina
integrante. ou papelógrafo.
Descrição: O coordenador começa falando que todo
69. Sentindo o Espírito Santo mundo tem medos e esperanças sobre qualquer
Participantes: indefinido. coisa, e se tratando sobre um grupo de jovens isso
Tempo Estimado: 15 minutos. também ocorre, e essa dinâmica serve para ajudar a
Material: Uvas ou balas . expressar esses medos.
Descrição: O coordenador deve falar um pouco do A dinâmica segue assim:
Espírito Santo para o grupo. Depois o coordenador Formação de subgrupos de 4 a 7 pessoas.
Arquidiocese de Teresina 21
Paróquia São Sebastião
Catequese Paroquial

Distribuição de uma folha em branco e uma caneta Descrição: Dividir em grupos de três pessoas
para cada subgrupo, seria bom que cada subgrupo lembre-se que deverá sobrar um. Cada grupo terá 2
tivesse um secretário para fazer anotações sobre o paredes e 1 morador. As paredes deverão ficar de
que for falado. frente uma para a outra e dar as mãos (como no
Em seguida cada subgrupo devera expressar seus túnel da quadrilha da Festa Junina), o morador
temores e esperanças com relação ao trabalho que deverá ficar entre as duas paredes. A pessoa que
será feito. sobrar deverá gritar uma das três opções abaixo:
Após cada subgrupo deverá expor suas conclusões
ao coordenador que anotará na cartolina ou no MORADOR!!! - Todos os moradores trocam de
papelógrafo e demonstrará que não são muito "paredes", devem sair de uma "casa" e ir para a
diferentes dos demais. outra. As paredes devem ficar no mesmo lugar e a
pessoa do meio deve tentar entrar em alguma
"casa", fazendo sobrar outra pessoa.
72. Tempestade mental
Participantes: Indefinido. PAREDE!!! - Dessa vez só as paredes trocam de
Tempo Estimado: 1 hora; lugar, os moradores ficam parados. Obs: As paredes
Material: Papel, caneta, cartolina; devem trocar os pares. Assim como no anterior, a
Descrição: O coordenador inicia dando um exemplo pessoa do meio tenta tomar o lugar de alguém.
prático:
O coordenador forma subgrupos de TERREMOTO!!! - Todos trocam de lugar, quem era
aproximadamente seis pessoas. Cada subgrupo parede pode virar morador e vice-versa. Obs:
escolherá um secretário que anotará tudo; NUNCA dois moradores poderão ocupar a mesma
Formados os subgrupos, o coordenador dirá as casa, assim como uma casa também não pode ficar
regras do exercício: não haverá crítica durante todo sem morador. Repetir isso até cansar...
exercício, acerca do que for dito; quanto mais
extremada a idéia, tanto melhor, deseja-se o maior Conclusão: Como se sentiram os que ficaram sem
número de idéias. casa? Os que tinham casa pensaram em dar o lugar
ao que estava no meio? Passar isso para a nossa
1ª fase: vida: Nos sentimos excluídos no grupo?Na Escola?
O coordenador apresenta o problema a ser No Trabalho? Na Sociedade? Sugestão: Quanto
resolvido. Por exemplo: um navio naufragou, e um menor o espaço melhor fica a dinâmica, já que isso
dos sobrevivente nadou até alcançar uma ilha propicia várias trombadas. É muito divertido!!!
deserta. Como poderá salvar-se: o grupo terá 15
minutos para dar idéias. 74. Teste de resistência
Participantes: Indefinido.
2ª fase: Tamanho: 30 pessoas
Terminado, o coordenador avisa que terminou o Tempo Estimado: 40 minutos
tempo e que a crítica é proibida. Inicia-se a avaliação Descrição: este exercício é muito válido, sendo
das idéias e a escolha das melhores. aplicado depois que o grupo já atingiu um
determinado grau de solidariedade e conhecimento
3ª fase: mútuo, e sendo por todos aceito. Para sua
No caso de haver mais subgrupos, o animador pede realização:
que seja organizada uma lista única das melhores Dois ou três participantes, voluntários ou escolhidos
idéias. pelo grupo, um de cada vez implacavelmente vai a
passarela em frente de cada participante e diz-lhe
4ª fase: tudo o que lhe parece saber, os aspectos positivos,
Forma-se o plenário. Processa-se a leitura das negativos e reticências;
melhores idéias, e procura-se formar uma pirâmide Havendo tempo e interesse, é ótimo que todos o
cuja base serão as idéias mais válidas. façam, constituindo, assim, tantas "fotos" de cada
indivíduo, quantos forem os participantes;
Este exercício permite, entre outras, a seguinte
variação: o coordenador poderá pedir que cada
73. Terremoto participante aponte os aspectos positivos, negativos
Participantes: Devem ser múltiplos de três e sobrar e reticências do seu colega sentado à direita.
um. Ex: 22 (7x3 = 21, sobra um).
Tempo Estimado: 40 minutos.
Material: Para essa dinâmica só é necessário um 75. Trabalho em equipe
espaço livre para que as pessoas possam se Participantes: 5 a 7 pessoas
movimentar Tempo: 30 minutos
Arquidiocese de Teresina 22
Paróquia São Sebastião
Catequese Paroquial

Material: uma cópia para cada membro da avenida 801 803 805 807 809
complicada, caneta
Descrição: A tarefa do grupo consiste em encontrar Coca-
Whisky Cerveja Pepsi Café
um método de trabalho que resolva com máxima cola
rapidez o problema da avenida complicada; Mercede Volkswage
O coordenador formará subgrupos de 5 a 7 pessoas, Ford Cadilac Chevrolet
z m
entregando a cada participante uma cópia da
avenida complicada; Argentin Chilen Brasileir
Peruano Mexicano
Todos os subgrupos procurarão resolver o problema o o o
da avenida complicada, com a ajuda de toda a Gato Cachorro Coelho Cavalo Vaca
equipe;
Obedecendo as informações constantes da cópia a Verde Cinza Vermelha Azul Rosa
solução final deverá apresentar cada uma das cinco
casa caracterizadas quanto à cor, ao proprietário, a
condução, a bebida e ao animal doméstico;
Será vencedor da tarefa o subgrupo que apresentar
por primeiro a solução do problema;
76. Troca de um segredo
Terminado o exercício, cada subgrupo fará uma Participantes: 15 a 30 pessoas.
avaliação acerca da participação dos membros da Tempo Estimado: 45 minutos.
equipe na tarefa grupal; Material: Lápis e papel para os integrantes.
O coordenador poderá formar um plenário com a Descrição: O coordenador distribui um pedaço de
participação de todos os membros dos subgrupos papel e um lápis para cada integrante que deverá
para. Comentários e depoimentos. escrever algum problema, angústia ou dificuldade
A avenida complicada por que está passando e não consegue expressar
A tarefa do grupo consiste em encontrar um método oralmente. Deve-se recomendar que os papéis não
de trabalho que possa resolver, com a máxima sejam identificados a não ser que o integrante assim
brevidade possível, o problema da avenida desejar. Os papéis devem ser dobrados de modo
complicada. semelhante e colocados em um recipiente no centro
Sobre a avenida complicada encontram-se cinco do grupo. O coordenador distribui os papéis
casas numeradas; 801, 803, 805, 807 e 809, da aleatoriamente entre os integrantes. Neste ponto,
esquerda para a direita. Cada casa caracteriza-se cada integrante deve analisar o problema recebido
pela cor diferente, pelo proprietário que é de como se fosse seu e procurar definir qual seria a sua
nacionalidade diferente, pela condução que é de solução para o mesmo. Após certo intervalo de
marca diferente, pela bebida diferente e pelo animal tempo, definido pelo coordenador, cada integrante
doméstico diferente. deve explicar para o grupo em primeira pessoa o
As informações que permitirão a solução da avenida problema recebido e solução que seria utilizada para
complicada são: As cinco casas estão localizadas o mesmo. Esta etapa deve ser realizada com
sobre a mesma avenida e no mesmo lado. O bastante seriedade não sendo admitidos quaisquer
mexicano mora na casa vermelha, O peruano tem comentários ou perguntas. Em seguida é aberto o
um carro Mercedes-benz, O argentino possui um debate com relação aos problemas colocados e as
cachorro, O chileno bebe coca-cola, Os coelhos soluções apresentadas.
estão à mesma distância do cadilac e da cerveja, O
gato não bebe café e não mora na casa azul, Na Possíveis questionamentos:
casa verde bebe-se whisky, A vaca é vizinha da casa Como você se sentiu ao descrever o problema?
onde se bebe coca-cola, A casa verde é vizinha da Como se sentiu ao explicar o problema de um
casa direita, cinza, O peruano e o argentino são outro?
vizinhos, O proprietário do volkswagem cria coelhos, Como se sentiu quando o seu problema foi relatado
O chevrolet pertence à casa de cor rosa, Bebe-se por outro?
pepsi-cola na 3 casa, O brasileiro é vizinho da casa No seu entender, o outro compreendeu seu
azul, O proprietário do carro ford bebe cerveja, O problema?
proprietário da vaca é vizinho do dono do cadilac, O Conseguiu por-se na sua situação?
proprietário do carro chevrolet é vizinho do dono do Você sentiu que compreendeu o problema da outra
cavalo. pessoa?
Como você se sentiu em relação aos outros
membros do grupo?
(Pode ser que algum grupo consiga montar uma resposta
diferente desta, o importante é que todos os itens Mudaram seus sentimentos em relação aos outros,
relacionados não se repitam, por exemplo ter dois animais na como conseqüência da dinâmica?
mesma casa, etc. E também que a ordem não interfira aos
detalhes como o proprietário da vaca ser vizinho do dono do
cadilac, ou então, a casa verde é vizinha da casa direita, 77. Tubarão
cinza) Participantes: Indefinido.
Resposta:
Arquidiocese de Teresina 23
Paróquia São Sebastião
Catequese Paroquial

Material: Um local espaçoso. Descrição: Dispor os participantes em círculo.


Desenvolvimento: O animador explica a dinâmica:
imaginem que agora estamos dentro de um navio, e O coordenador deverá escrever no centro de uma
neste navio existem apenas botes salva-vidas para cartolina a palavra-chave, o tema do encontro. (Por
um determinado número de pessoas, quando for dita exemplo:Escrever a palavra amor)
a frase "Ta afundando", os participantes devem fazer
grupos referentes ao número que comporta cada Pedir para cada participante escrever em torno da
bote, e quem ficar fora do grupo será "devorado" palavra-chave aquilo que lhe vier à cabeça sobre a
pelo tubarão (deve-se escolher uma pessoa com palavra-chave.
antecedência para ser o tubarão).
O número de pessoas no bote deve ser diminuído ou No final da dinâmica, todos conversarão sobre o que
aumentado, dependendo do número de pessoas. escreveram, o que sentiram.
Responder às seguintes perguntas:
Quem são os tubarões nos dias de hoje? Mensagem: Todas as pessoas possuem no seu
Quem é o barco? interior uma parcela de verdade que necessita vir à
Quem são os botes? tona algum dia.
Alguém teve a coragem de dar a vida pelo irmão?
80. O barco
78. A teia da amizade Participantes: Indefinido.
Participantes: 20 pessoas. Tempo Estimado: 10 a 15 minutos.
Tempo Estimado: 10 a 15 minutos. Material: Uma folha em branco para cada um.
Material: Um rolo (novelo) de fio ou lã. Descrição: Somos chamados por Deus à vida, e
Descrição: Dispor os participantes em círculo. esta nossa vida nós podemos representar como um
O coordenador toma nas mãos um novelo (rolo, bola) barco que navega em alto mar. (fazer o barco de
de cordão ou lã. Em seguida prende a ponta do papel).
mesmo em um dos dedos de sua mão.
Há momentos da nossa vida que este mar se mostra
Pedir para as pessoas prestarem atenção na calmo, mas em muitos momentos nós navegamos
apresentação que ele fará de si mesmo. Assim, logo por entre tempestades que quase nos leva à
após se apresentar brevemente, dizendo que é, de naufragar. Para não corrermos o risco de naufragar
onde vem, o que faz etc, joga o novelo para uma das precisamos equilibrar bem o peso de nosso barco, e
pessoas à sua frente. para isso vejamos o que pode estar pesando dentro
desse barco.
Está pessoa apanha o novelo e, após enrolar a linha
em um dos dedos, irá repetir o que lembra sobre a O barco pesa do lado direito. São as influências do
pessoa que terminou de se apresentar e que lhe mundo. Ex: Ambição, drogas, televisão, inveja, etv.
atirou o novelo. Após faze-lô, essa segunda pessoa
irá se apresentar, dizendo quem é, de onde vem, o Vamos tirar de dentro do nosso barco tudo isso para
que faz etc... que ele se equilibre novamente. (Cortar a ponta do
lado direito do barco)
Assim se dará sucessivamente, até que todos do
grupo digam seus dados pessoais e se conheçam. Navegamos mais um pouco e de repente
Como cada um atirou o novelo adiante, no final percebemos que o outro agora é que está pesado,
haverá no interior do círculo uma verdadeira teia de precisamos tirar mais alguma coisa deste barco.
fios que os une uns aos outros. Deste lado do barco está pesando: Egoísmo,
infidelidade, impaciência, desamor, falta de oração,
Pedir para as pessoas dizerem: etc. (Cortar a ponta do lado esquerdo do barco)
O que observaram;
O que sentem; Percebemos agora que existe uma parte do barco
O que significa a teia; que aponta prá cima, é a nossa fé em Jesus que nós
O que aconteceria se um deles soltasse seu fio etc. queremos ter sempre dentro do nosso barco, esta
nossa fé nós vamos guardar e cuidar com carinho
Mensagem: Todos somos importantes na imensa para nos sustentar na nossa jornada. (Cortar a ponta
teia que é a vida; ninguém pode ocupar o seu lugar. de cima do barco e colocar em algum lugar visível)

79. A palavra – imã Vamos abrir este nosso barco e ver como ficou
Participantes: indefinido. (Abrindo parece uma camisa)
Tempo Estimado: 25 minutos.
Material: Cartolina ou papel, pincel atômicos ou Está é a camisa do Cristão, somos atletas de Cristo,
canetas. e como bom atleta que somos temos que usar muito
Arquidiocese de Teresina 24
Paróquia São Sebastião
Catequese Paroquial

essa camisa para que nosso time sempre vença


(colocar alguma coisa sobre o nosso dever de ser 82. João Bobo
cristão) Participantes: Indefinido.
Tempo Estimado: 10 a 15 minutos.
Depois de suarmos esta camisa, nós podemos ter Material: Pano para vendar os olhos de um menino
certeza disto (Abrir a camisa e mostrar a cruz sinal Descrição: Forma-se um círculo com todos os
da certeza da nossa Salvação) participantes. Um deles somente deve ficar de fora.
Só conseguiremos esta salvação se assumir-mos a
proposta de Cristo (Olhando através da cruz Nada deve ser explicado até nesse momento.
podemos ver nosso próximo e entender suas Escolhe-se uma pessoa (ela será o João Bobo - de
necessidades) preferência um menino) e retira da sala. Enquanto
isso explica-se a brincadeira para todos os
Como vamos nos manter firmes nesta caminhada de participantes que ficaram na sala.
cristão não deixando que nosso barco afunde.
Temos que nos alimentar, e aui está o único e A pessoa escolhida, e que foi retirada da sala, deve
verdadeiro alimento para nossa alma, que nos faz ser orientada para não ter medo e para se deixar
fortes e perseverantes (Esta pontinha do barco que levar durante a brincadeira. Certifique-a de que não
guardamos - mostrar e perguntar o que é, resposta: irá se machucar.
eucaristia - está é a certeza que Jesus estará
sempre dentro do nosso barco para enfrentar Só então, traz-se a pessoa ja vendada para dentro
conosco qualquer tempestade). da sala, coloca-a no centro do círculo e a brincadeira
começa! As pessoas devem empurrá-la devagar, de
Obs.: Os quatro pedaços de papel que retiramos da um lado para o outro, brincando realmente de "João
ponta do barco são os remos. Nós usamos dois Bobo".
remos e os outros dois remos são de Jesus que está
sempre em toda nossa caminhada nos ajudando. Objetivo: O objetivo desse dinâmica é atingido
quando há empenho de toda a roda para que o
(leitura Mt 8, 23 - 27). amigo que está no centro não caia. A pessoa
vendada deve comentar depois de terminada a
81. Palavra chave dinâmica sobre a confiança que teve que depositar
Participantes: Indefinido. em todo o grupo.
Tempo Estimado: 10 a 15 minutos.
Material: Bíblia. Essa dinâmica além de muito divertida, promove
Descrição: Essa brincadeira segue uma certa lógica união, e confiança entre os membros do grupo.
que será explicada para o grupo; Deve-se refletir também sobre a amizade entre o
A lógica é: Com a palavra chave na mão, deve-se grupo e com Deus, pois se há um amigo com quem
com o auxílio da Bíblia, procurar um versículo que se podemos contar, é Deus!
enquadre com a palavra chave. Anotar esse
versículo e a citação Bíblica. 83. Nome e significado
Exemplo: casamento: No terceiro dia, houve uma Participantes: Indefinido.
festa de casamento em Caná da Galiléia, e a mãe de Tempo Estimado: 10 a 15 minutos.
Jesus estava aí. (Jo 2, 1) Material: Livro com o significado dos nomes (veja no
nosso site)
Outras sugestões de palavras-chave: Descrição: Faça o donwload dos significados dos
nomes que temos em nosso site. (ou então procure
pedra, pedreira, pedregulho ("Tu és Pedro") em algumas bancas de jornal algum livro com os
significados dos nomes).
pobre, pobreza ("bem aventurados os pobres...")
Pesquise os nomes de todas as pessoas do seu
oração, oratório, templo, culto ("Jesus se afastava grupo, e os significados.
da multidão para rezar")
Prepare fichas, na forma de quebra-cabeça, uma
criança ("deixai vir a mim os pequeninos) parte é o nome, a outra é o significado.
mulher ("tua fé te salvou") Distribua duas partes para cada pessoa: pode ser
dela mesma, ou outro nome, e sempre com o
semente ("se tu tiver fé do tamanho de um grão de significado desencontrado.
mostarda, serás salvo")
Diga aos participantes que andem pela sala,
ouvido ("as minhas orelhas ouvem a tua voz") procurando encontrar pares corretos de nome e
Arquidiocese de Teresina 25
Paróquia São Sebastião
Catequese Paroquial

significado, montando cada quebra-cabeça numa desenho que represente a si mesmo (pode ser um
mesa ou no chão, a medida que encontram os pares; boneco de "palitinhos" ou com detalhes), deixar uns
até que todos os nomes tenham sido montados. 2 a 3 minutos, incentivar os preguiçosos e os
tímidos. Observar o desenho: ele está pronto, mais
Cada um deve então pegar o seu próprio nome com ou menos, o que você gostaria de fazer?
o significado correto e depois, um a um lê em voz Agora cada um passa o desenho para o colega do
alta o seu nome e o significado para os demais. lado direito, pedir que ele acrescente uma coisa ao
desenho, passar novamente para a direita, repetir o
Você pode então promover uma conversa com os processo umas duas ou três vezes. Devolver o
participantes: desenho ao dono.
Quem se surpreendeu com o significado do seu
nome? Porque? Observar o que foi acrescentado. Conversar sobre
Deus ter nos criado (e repetir essa pergunta: o
Quem passou a gostar mais do seu nome depois de desenho está pronto, mais ou menos, o que você
saber o que significa? gostaria de fazer?). O que Deus quer de nós? E as
pessoas com quem convivemos, nos influênciam? (O
Por que nosso nome é importante para nós? que elas nos dizem pode nos influênciar, o que
fazem professores, amigos, acrescentam algo a
Será que Deus sabe o nosso nome? nós?)
Perguntar sobre a característica que nos diferencia
O que quer dizer o texto de Isaías "Chamei-te pelo das outras pessoas: que temos Cristo como
teu nome, tu és meu!" e o que isso tem de Salvador; desenhar um coração e uma cruz dentro
importante na nossa vida? dele na nossa figura. Será que estamos prontos aos
olhos de Deus, o que mais falta em nós? (Deixar um
Quais eram os nomes de Jesus (Emmanuel, Cristo, minuto de oração siolenciosa onde cada um deve
Nazareno, etc.) - pesquisar na Bíblia os seus pedir que Deus termine de "desenhá-los")
significados, ets.
86. Dois Círculos
84. Ser Igreja Participantes: Indefinido, mas é importante que seja
Participantes: Indefinido. um número par de pessoas.
Tempo Estimado: 10 a 15 minutos. Se não for o caso, o coordenador da dinâmica pode
Material: Agumas bexigas (mais de 3 bexigas) requisitar um “auxiliar”.
Descrição: Entregar as bexigas aos participantes e Tempo Estimado: 30 minutos.
pedir que eles fiquem brincando com as bexigas um Material: uma música animada, tocada ao violão ou
passando para o outro sem deixá-las cair no chão. com gravador.
Objetivo: motivar um conhecimento inicial, para que
Ir aos poucos retirando cada pessoa do círculo, uma as pessoas aprendam aos menos o nome das outras
a uma e perceber como aumenta a dificuldade dos antes de se iniciar uma atividade em comum.
últimos para deixar tantas bexigas no ar. Descrição: formam-se dois círculos, um dentro do
outro, ambos com o mesmo número de pessoas.
Depois de terminada a dinâmica, incentivar o debate Quando começar a tocar a música, cada círculo gira
e explicar aos adolescentes que a Igreja está dentro para um lado. Quando a música pára de tocar, as
de cada um, e que todos devem participar, pois cada pessoas devem se apresentar para quem parar à
um tem um lugar especial na Igreja. A Igreja, assim sua frente, dizendo o nome e alguma outra
como as bexigas não podem se sustentar no ar, isto informação que o coordenador da dinâmica achar
é, sozinha ou com poucas pessoas, ela precisa de interessante para o momento.
todos nós. Repete-se até que todos tenham se apresentado. A
certa altura, pode-se, também, misturar as pessoas
85. Somos criação de Deus dos dois círculos para que mais pessoas possam se
Participantes: Indefinido. conhecer.
Tempo Estimado: 30 minutos.
Material: Caneta e papel para todos os participantes 87. A candidatura
Objetivo: Na adolescência somos facilmente Participantes: grupos de cinco pessoas se houver
influênciados por nossos amigos. Nesta dinâmica, mais de 10 participantes.
queremos mostrar que Deus deve ser a principal Tempo Estimado: 30 minutos.
influência em nossa vida, e que nem sempre agir Material: papel e caneta.
como o grupo age ou exige é saudável para cada Objetivo: expressar de maneira simpática o valor
um. que têm as pessoas que trabalham conosco.
Descrição: Sentados em círculo, cada um recebe Descrição: cada grupo deve escolher um candidato
uma folha e uma caneta; escreve o nome e faz um para determinada missão. Por exemplo, ser
Arquidiocese de Teresina 26
Paróquia São Sebastião
Catequese Paroquial

presidente da associação de moradores, ser Conclusão: No início ninguém deu valor a pouca
dirigente de um clube esportivo, etc. Cada quantidade de água que ali estava, mas depois cada
participante coloca no papel as virtudes que vê um também fez a sua parte e aquele pouquinho (a
naquela pessoa indicada para o cargo e como tampinha cheia de água) acabou se tornando muito.
deveria fazer a propaganda de sua candidatura. Sendo assim temos que fazer a nossa vez e
O grupo coloca em comum o que cada um escreveu conscientizar a todos que também devem fazer o
sobre o candidato e faz uma síntese de suas mesmo. Adicione o seu comentário baseando nisso
virtudes. Prepara a campanha eleitoral e, e conclua a dinâmica conforme a sua necessidade.
dependendo do tempo disponível, faz uma
experiência da campanha prevista. Dinâmica criada por Anderson (responsável pelo
O grupo avalia a din6amica, o candidato diz como se site), paróquia Imaculada Conceição da Vila
sentiu, O grupo explica por que atribuiu Rezende - Piracicaba SP. Entre em contato através
determinadas virtudes e como se sentiram na do fale conosco.
campanha eleitoral.

89. Técnica do abraço

88. A nossa parte Participantes:


Participantes: Indeterminado (todos os que
Indeterminado (todos os que estiverem participando) estiverem participando)

Tempo Estimado: 30 minutos. Frase: "Quanta coisa cabe em um abraço."

Material: garrafa plástica transparente de 2 litros Objetivos:


vazia, tampinhas da garrafa (quanto maior o número • criar uma certa intimidade e aproximação com os
de tampinhas mais rápido se transcorre a dinâmica) colegas;
e água o suficiente, leia a preparação. • avaliar o sentimento de exclusão de quem está com
o balão;
Objetivo: Mostrar que se cada um fizer a sua parte, • sentir que precisa da colaboração do outro para
tudo pode ser transformado (Essa dinâmica também não ser "atingido" pelo balão.
pode ser usada para mostrar a importância de cada
um dentro da Igreja).
Observação: ABRAÇO (do dicionário):
Preparação: Você deve em casa preparar o demonstração de carinho, de amizade, acolhimento,
material, pegue a garrafa plástica transparente ligação, fusão, união. ABRAÇAR: apertar com os
(essas de refrigerante de 2 litros), corte-a ao meio, braços, entrelaçar-se, ligar-se, unindo-se. (Deixar
iremos utilizar a parte de baixo para depositar a claro a importância de um abraço a quem precisa e
água. Digamos que essa dinâmica será entre 40 entre o próprio grupo = UNIÃO).
participantes, então com ajuda da tampinha vá
adicionando água na parte que você cortou até OBS 2: levar bexigas e CD.
completar as 40 tampinhas de água. Observe até
onde irá encher de água a garrafa que você cortou.
Descrição: Abraçar o colega encostando o peito e
Sugiro que você marque um pouco acima (um
contando até três para trocar de "par".
centímetro) e corte novamente, deixando uma
Um participante fica de fora com um balão que
margem pequena para não transbordar a água.
deverá encostar no peito de alguém
"disponível" que assumirá o seu lugar ficando com o
Descrição: Coloque a parte da garrafa que você
balão.
cortou sobre uma mesa e peça para que um dos
Para que não seja encostado o balão, o abraço
participantes encha a tampinha com água e deposite
deverá ser forte e bem próximo e a troca de pares
essa água na parte da garrafa cortada.
deverá ser rápida.
Mostre a todos que quase nem se percebe a
quantidade de água que está ali.
Agora peça para que todos os participantes
adicionem também uma tampinha com água na parte
da garrafa cortada.
90. Exercício de qualidade
Quando todos terminarem, mostre como encheu a
garrafa cortada que quase chegou a transbordar.
Participantes: 20 pessoas aproximadamente.
Arquidiocese de Teresina 27
Paróquia São Sebastião
Catequese Paroquial

Tempo: 45 minutos. Participantes: todos

Objetivos: Tempo: 45 minutos.


Conscientizar os membros do grupo para observar
as boas qualidades nas outras pessoas e despertá- Objetivos: Na adolescência somos facilmente
las para qualidades até antes ignoradas pelas influenciáveis por nossos amigos. Nesta dinâmica,
mesmas. queremos mostrar que Deus deve ser a principal
influência em nossa vida, e que nem sempre agir
como o grupo age ou exige é saudável para cada
Material: lápis e papeleta. um.

Descrição: Material: papel e lápis suficiente para todos os


O dinamizador iniciará dizendo que, na vida diária, a participantes.
maioria das vezes as pessoas observam não as
qualidades, porém os defeitos do próximo. Nesse Descrição: Sentado em círculo, cada um recebe
instante, cada qual terá a oportunidade de realçar uma folha e um lápis; escreve o nome e faz
uma qualidade do colega. Para isso: umdesenho que represente a si mesmo (pode ser
boneco de "palitinhos" ou com detalhes) deixar uns 2
1. O dinamizador distribuirá uma papeleta para todos a 3 minutos, incentivar os preguiçosos e os tímidos.
os participantes. Cada qual deverá escrever nela a Observar o desenho: ele está pronto, mais ou
qualidade que no seu entender caracteriza seu menos, o que você gostaria de fazer?
colega da direita.
Passar o desenho ao colega do lado direito, pedir
2. A papeleta deverá ser completamente anônima, que acrescente uma coisa ao desenho, passar
sem nenhuma identificação. Para isso não deve novamente para a direita, repetir o processo umas
constar nem o nome da pessoa da direita, nem vir duas ou três vezes. Devolver o desenho ao dono.
assinada.
Observar o que foi acrescentado. Conversar sobre
3. A seguir o dinamizador solicita que todos dobrem Deus ter nos criado (e repetir as perguntas feitas c/
a papeleta para ser recolhida, embaralhada e relação ao desenho), o que Ele quer de nós. E as
redistribuída. pessoas c/ quem convivemos, nos influenciam (o que
elas nos dizem pode nos influenciar, o que fazem
4. Feita a redistribuição, começando pela direita do professores, amigos, acrescentam algo a nós)?
dinamizador, um a um lerá em voz alta a qualidade
que consta na papeleta, procurando entre os Perguntar sobre a característica que nos diferencia
membros do grupo a pessoa que, no entender do das outras pessoas: que temos Cristo como nosso
leitor, é caracterizada com esta qualidade. Só poderá salvador; desenhar um coração na figura e desenhar
escolher uma pessoa entre os participantes. uma cruz dentro dele. Será que estamos prontos aos
olhos de Deus, o que mais falta em nós? (deixar um
5. Ao caracterizar a pessoa, deverá dizer porque tal minuto de oração silenciosa onde cada um deve
qualidade a caracteriza. pedir que Deus termine de "desenhá-los")

6. Pode acontecer que a mesma pessoa do grupo Sugestão: recolher os desenhos e expô-los na igreja.
seja apontada mais de uma vez como portadora de Convidar os pais e a comunidade a ver os desenhos
qualidades, porém, no final, cada qual dirá em e escrever para cada um dos jovens uma palavra,
público a qualidade que escreveu para a pessoa da um desejo, uma benção no papel (se o papel já
direita. estiver muito ocupado pelo desenho, grampear ou
colar uma segunda folha ao lado do desenho, deixar
canetas próximas); devolver o desenho aos jovens
7. Ao término do exercício, o dinamizador pede aos
participantes depoimentos sobre o mesmo. na semana seguinte.

91. Somos criação de Deus e sofremos


influência do mundo. (LBerner) 92. Meu mundo interior (Edivan Ricardo)
Arquidiocese de Teresina 28
Paróquia São Sebastião
Catequese Paroquial

Participantes: todos sintomas vão aumentando, e por fim decide ir ao


médico. Começa-se então uma série de exames, e
Tempo: 45 minutos. terminados os mesmos você fica a aguardar. Até que
chega o dia de ir ap consultório ver o resultado
Objetivos: Reflexão interior (Neste momento quem estiver a conduzir, vai dizer a
todos para que imaginem entrando no consultório
vendo a face do médico constrangida) e eis que o
Material: papel e lápis suficiente para todos os mesmo não é dos mais satisfatórios, você descobre
participantes. que está com uma doença rara,, e infelizmente não
tem cura, e para piorar você tem apenas 2 (duas)
Descrição: • Todos devem fazer silêncio total. semanas de vida."

• A sala deve estar apenas com a claridade de velas. • E agora?

• Os participantes podem baixar a cabeça e fechar • E seus pais? seus irmãos? seus amigos? E
os olhos, ou cada qual pode ficar da maneira que se aquelas pessoas que te magoaram e as que também
sentirem mais a vontade, devem concentrar-se, tu magoaste, e que talvez por um orgulho não deste
entrando no clima da dinâmica, esquecendo de tudo, o perdão. E Jesus? O que fizeste para Deus em sua
por alguns momentos, deixarem a mente totalmente vida. Será que fez tudo o que ele lhe pediu ?
limpa. Ê importante lembrar aos participantes, que Meu Deus, e agora ?
não devem ficar tentando imaginar o que será feito
nesta dinâmica, eles apenas devem manter a O condutor da dinâmica,começa então a citar coisas
concentração em tudo o que o condutor da dinâmica que geralmente acontecem no dia a dia.
estiver falando.
Ele diz: Você que algumas vezes reclamava da vida,
• Após o ambiente estar em condições ideais, e agora se encontra com apenas duas semanas de
todos já estiverem prontos, aí então, começa-se vida. Quantas vezes você reclamou que sua vida era
dinâmica. monótona, e agora você se vê cheio de vontade de
viver. Quantas não foram as vezes que você
• Começamos fazendo com que os participantes reclamou de sua casa, de suas roupas, de todas as
mentalmente criem um painel (da maneira que suas coisas, e quantas não foram as vezes que você
imaginarem), posterior a isto, vão pensar na família chegou em casa, e sua mãe com todo o amor e
(Pai, Mãe, Irmãos enfim todos aqueles que convivem carinho havia preparado a refeição, e você olhava
em seu lar) e tirar uma fotografia (mental) e colocar para a comida, em sem se importar com os
no painel, vão pensar em amigos, inimigos, sentimentos de sua mãe você reclamava. Quantas
namorado(a), enfim as coisas mais importantes da vezes seu pai lhe deu conselhos, para o seu próprio
sua vida, fará um retrato mental e colocará no painel, bem, e você não aceitou, fez tudo errado, e seu pai e
sendo que o retrato mais importante virá por último sua mãe ficaram tristes e magoados, porque o ama.
(Cada um irá imaginar Jesus Cristo a sua maneira e E seus irmãos, aqueles com quem você vive
o colocará no centro do painel) o condutor da brigando, xingando, e agora? Como fazer para dizer-
dinâmica, com a luz do Espírito Santo, acrescentará lhes que no fundo, você os ama?
com mais palavras e colocações.
E seus amigos, você agiu realmente como amigo
• Com todos no painel, cada um pensará como é a deles. E aquelas pessoas que você magoou, ou que
convivência com todas essas pessoas, sabem te magoaram? Você gostaria de reconciliar-se? E o
agradecer, sabem pedir perdão, sabem perdoar, mais importante, Deus, você não tem o que acertar
sabem reconhecer os erros, enfim como são as suas com Deus? Você deu a Deus a chance de participar
atitudes, e principalmente como é a sua convivência de sua vida? E agora? Será que dá tempo de
com Deus. (o condutor da dinâmica, também com a concertar todos esses desacertos em sua vida? O
luz do Espírito Santo, acrescentará com mais condutor pode acrescentar mais situações e ações.
palavras e colocações).
• No final (após um grande período de reflexão)
• Após todos estarem refletindo sobre suas vidas, o pede-se para mentalizarem o painel novamente,
condutor diz aos participantes: imaginem agora seu olhar cada pessoa ali colocada e principalmente a
cotidiano, sinta-se no seu trabalho, nos seus Jesus. Pede-se também para todos refletirem o
estudos, com a sociedade. Imaginem-se em seu dia- quanto é bom viver e que hoje nós não temos duas
a-dia. Conforme passam-se os dias, você começa a semanas mas uma vida inteira pela frente, se
sentir sintomas estranhos em seu organismo, mas a pisamos na bola várias vezes, porque então não
princípio não liga. O tempo vai passando e os
Arquidiocese de Teresina 29
Paróquia São Sebastião
Catequese Paroquial

começamos hoje mesmo a mudar isso? Pois temos O condutor pode acrescentar mais situações e
saúde, e uma vida, louvemos a Deus por isso,... acões.

• Após esta forte reflexão faz-se então grande oração


pedindo a presença de Jesus e do Espírito Santo.
Detalhe: o condutor terminará esta dinâmica da
maneira que quiser, mas o importante é que toque 94. Bingo Bíblico
fundo no coração das pessoas e que as faça refletir.
DESCRIÇÃO DA DINÂMICA:

Participantes: Todos os presentes no encontro,


sendo que o catequista será quem irá sortear as
pedrinhas.

93. Meu Deus, e agora ? Material: bingo pedrinhas e bingo cartelas


(documento do word preparado)
Participantes: todos
Descrição:
Tempo: 45 minutos.
- Primeiro passo: Recortar as pedrinhas do
Objetivos: Reflexão interior documento (bingo pedrinhas.doc)

Descrição: O condutor da dinâmica, começa então a - Segundo passo: Recortar as cartelas


citar coisas que geralmente acontecem no dia a dia. (cartelas.doc) obs.: pode-se criar outras cartelas
conforme o número de participantes.
O condutor pede para que cada um reflita em cada
colocação ele irá fazer. Que cada um vá imaginado - Terceiro passo: distribuir as cartelas para cada
um painel e colocando ali todas as pessoas e os pariticpante, se o número de participantes for muito
fatos. grande, uma sugestão seria formar grupos, mas o
interessante seria cada participante receber uma
O condutor diz: Você que algumas vezes reclamava cartela.
da vida, agora se encontra com apenas duas
semanas de vida. Quantas vezes você reclamou que - Quarto passo: começar o bingo da seguinte
sua vida era monótona, e agora você se vê cheio de maneira:
vontade de viver. Quantas não foram as vezes que
você reclamou de sua casa, de suas roupas, de O catequista sorteia a primeira pedrinha, por
todas as suas coisas, e quantas não foram as vezes exemplo foi sorteado o número 15. A pergunta que
que você chegou em casa, e sua mãe com todo o
se encontra na pedrinha 15 é: Quantos são os
amor e carinho havia preparado a refeição, e você mandamentos da lei de Deus?
olhava para a comida, em sem se importar com os
sentimentos de sua mãe você reclamava. Quantas
vezes seu pai lhe deu conselhos, para o seu próprio Então ao invés de falar o número da pedrinha, o
bem, e você não aceitou, fez tudo errado, e seu pai e catequista faz a pergunta: Quantos são os
sua mãe ficaram tristes e magoados, porque o ama. mandamentos da lei de Deus?

E seus irmãos, aqueles com quem você vive A criança, ou jovem responde: São DEZ.
brigando, xingando, e agora? Como fazer para dizer-
lhes que no fundo, você os ama? Nesse momento o catequista pode anotar na lousa o
número que foi sorteado: 15.
E seus amigos, você agiu realmente como amigo
deles. E aquelas pessoas que você magoou, ou que Repetir o processo até que alguem preencha toda a
te magoaram? Você gostaria de reconciliar-se? E o cartela.
mais importante, Deus, você não tem o que acertar
com Deus? Você deu a Deus a chance de participar Vejas as cartelas no final de apostila.
de sua vida? E agora? Será que dá tempo de
concertar todos esses desacertos em sua vida?
Arquidiocese de Teresina 30
Paróquia São Sebastião
Catequese Paroquial

Santo nos ilumine, que nos dê seus Dons, para


dignamente vivermos como Povo Santo de Deus.
95. Dominó
Na Dinâmica do Dominó verificamos que:
Dinâmica enviada por: Hélcio José de Oliveira - -
Paróquia Nsa. Sra. da Soledade - Vista Verde em - Tem sempre um para ti derrubar, mas sempre tem
São José dos Campos-SP um para ti aparar;

Objetivo: Mostrar a importância dos Dons do - É necessário que todos estejam juntos com o
Espírito Santo, bem como o importante papel de mesmo objetivo, para que este seja alcançado, pois
cada um como membro do Povo de Deus. quando não estão, fica quase impossível, só com a
ajuda de Deus;
Participantes: Todos os presentes no encontro
- É necessário que todos os membros cumpram seus
Material: dominó papéis com dignidade, de acordo com o dom
recebido, para que tudo seja realizado;
Descrição: A Dinâmica consiste em distribuir uma
peça de dominó para cada catequizando,(dominó - Caso exista alguém fora do caminho, ou seja,
daqueles que podem parar em pé, para derrubarmos desalinhado com os objetivos, sempre existe alguém
em sequência), em seguida pedimos para que para ajudá-lo;
coloquem cada um na sua vez, a sua peça de pé
enfileirada sobre uma mesa ou chão ( podemos criar - Para Deus somos todos iguais, não importa sua
um desenho qualquer, como uma cruz para Posição;
aumentar a dificuldade), após todos colocarem suas
peças, derrubamos as peças, e analizamos o - Tem sempre alguém dizendo o que fazer, assim
resultado. precisamos ter Discernimento e Entendimento para
vermos o que é certo ou errado;
Conclusão: Certamente veremos que se todas as
peças cairam alinhadas - temos que todos - As pedras têm que ser colocadas com Sabedoria e
cumpriram seu papel como Povo de Deus, caso não Ciência, para no nosso caso, alcançarmos o Reino
ocorra - é porque falhamos em nosso papel. de Deus;
Existem outras reflexões que podem ser feitas, como
- Precisamos do Dom da Fortaleza que propícia a
tem sempre aquele que quer ajudar o outro a colocar
coragem necessária para enfrentarmos as tentações
a peça no lugar certo, como também tem aquele
e não nos deixarmos cair;
quer derrubar as peças antes de acabar de montar
todas as peças, entre outras.
- E como Povo de Deus, devemos Temer a Deus,
Comentário final: Na vida do cristão existem muitas seguir os seus Mandamentos com sinceridade de
situações que nos levam a cair em tentação, somos coração, para sermos um Povo Piedoso na luz do
muitos frágeis e fáceis, iludidos e enganados o Espírito Santo.
tempo todo, como Adão e Eva foram enganados pela
serpente no Paraíso ( Gn 3 ).

Nossos Patriarcas, Abraão e Moisés, apesar de


várias quedas e dificuldades, pediam a ajuda de
Deus na suas jornadas.
96. Emprestando o lápis

Muitos outros, Reis, Profetas, pessoas do Povo de Dinâmica criada por: Anderson - Paróquia
Deus pediam à Deus a ajuda necessária para sua Imaculada Conceição - Vila Rezende - Piracicaba -
vida. SP

Com Jesus Cristo, Filho de Deus ressuscitado, os Objetivo: Mostrar a importância da partilha e a união
Discípulos receberam o Espírito Santo ( Jo 20, 22 ), entre as crianças.
para lembrá-los dos ensinamentos de Jesus e ajudá-
los na pregação e construção da Igreja Santa de Participantes: Todos os presentes no encontro
Deus.
Material: Lápis de cor e desenho impresso.
Assim, também nós devemos pedir que o Espírito
Arquidiocese de Teresina 31
Paróquia São Sebastião
Catequese Paroquial

- Pedir para que as crianças tragam para o próximo "Lobo".


encontro um lápis de cor. Importante: Cada criança
deve trazer apenas UM lápis. Se a catequista ver 3 - As ovelhas ficam circulando o lobo e cantando
que a criança trouxe a caixa com mais cores, pedir "Vamos passear no bosque enquanto o seu lobo não
para que a criança escolha a cor que mais gosta. vem, você já está pronto?"

- A catequista deve trazer impresso em papel um 4 - A cada pergunta o lobo inventa uma nova
desenho para as crianças colorirem. O ideal é uma desculpa, do tipo "não ainda estou me vestindo",
folha para cada criança. Na folha deverá ter o assim, após retardar o início do jogo, até que, de
mesmo desenho duas vezes. surpresa, ele grita: "estou pronto, e lá vou eu!..."

Clique aqui para salvar um exemplo. 5 - Todas as ovelhas devem correr para a zona
neutra para não serem pegas pelo lobo, aquela que
Clique aqui para ver outros desenhos. ele pegar será o lobo na rodada seguinte.

Descrição: Distribuí-se uma folha para cada criança,


pedindo que elas pintem apenas um desenho e com
a lápis que trouxe. O desenho vai ficar com uma
tonalidade apenas.
98. Lobos e ovelhas
Quando as crianças terminarem o primeiro desenho,
pede-se que inicie o segundo, mas agora elas não Objetivo: Estimular a participação nas reuniões e
irão pintar somente com as cores que elas trouxeram trabalhos
e sim que emprestem o lápis do outro amigo para
colorir o desenho, assim cada criança irá emprestar Participantes: Todos os presentes no encontro
o lápis de um amigo para colorir e no final todos
terão um trabalho colorido. Material: Local amplo para poder correr.

Conclusão: O primeiro desenho ficou com uma cor Descrição:


uniforme, com isso acabou ficando feio, esquisito. 1 - O coordenador da dinâmica escolhe um jogador e
Mas quando eles emprestaram o lápis do amiguinho, demarca uma zona neutra.
o desenho ficou mais bonito, colorido.
2 - Depois pede para os demais participantes
Com isso deve-se mostrar a criança que elas fazerem um círculo ao redor do escolhido, que será o
precisam se unir e se ajudarem mutuamente, "Lobo".
explica-se que quantas outras crianças pobres que
não tem o que eles tem, por exemplo, brinquedos, 3 - As ovelhas ficam circulando o lobo e cantando
comidas etc. Sendo assim, diante de nossas "Vamos passear no bosque enquanto o seu lobo não
possibilidades, devemos dar um pouquinho daquilo vem, você já está pronto?"
que temos.
4 - A cada pergunta o lobo inventa uma nova
desculpa, do tipo "não ainda estou me vestindo",
assim, após retardar o início do jogo, até que, de
surpresa, ele grita: "estou pronto, e lá vou eu!..."
97. Dentro e fora do coração 5 - Todas as ovelhas devem correr para a zona
neutra para não serem pegas pelo lobo, aquela que
Objetivo: Estimular a participação nas reuniões e ele pegar será o lobo na rodada seguinte.
trabalhos

Participantes: Todos os presentes no encontro

Material:
99. Boas notícias
Como Fazer:
1 - O coordenador da dinâmica escolhe um jogador e Objetivo: Avaliar os fatos bons de nossa vida
demarca uma zona neutra.
Participantes: Todos os presentes no encontro
2 - Depois pede para os demais participantes
fazerem um círculo ao redor do escolhido, que será o
Arquidiocese de Teresina 32
Paróquia São Sebastião
Catequese Paroquial

Material: Uma folha de papel e lápis para cada também através das coisas ... os objetos que
pessoa. guardamos como recordações revelam a nós
mesmos, assim como expressa aos demais, algo de
Descrição: nossa vida, de nossa história pessoal e familiar ... Ao
comentarmos nossas recordações, vamos revelar,
1 - O animador pode motivar o exercício da seguinte hoje, parte dessa história. Preparemos nosso espírito
maneira: "Diariamente, todos nós recebemos para receber este presente tão precioso constituído
notícias, boas ou más. Algumas delas foram motivo pela intimidade do outro, que vai partilhá-la
de grande alegria e por isso as guardamos com gratuitamente conosco".
perfeita nitidez. Vamos hoje recordar algumas
dessas boas notícias ". 2 - O animador convida a pessoa cuja chave
contenha o número 01 a retirar sua recordação do
2 - Logo após, explica como fazer o exercício: os baú, apresentá-la ao grupo e comentar o seu
participantes dispõem de 15 minutos para anotar na significado; os demais podem fazer perguntas. Assim
folha as três notícias mais felizes de sua vida. se procede até que seja retirada a última recordação.
O animador também participa.
3 - As pessoas comentam suas notícias em plenário,
a começar pelo animador, seguido pelo vizinho da Avaliação:
direita e, assim, sucessivamente, até que todos o - Para que serviu o exercício ?
façam. Em cada uma das vezes, os demais
participantes podem dar seu parecer e fazer - Como nos sentimos ao comentar nossas
perguntas. recordações?

Avaliação:
- Para que serviu a dinâmica? - Que ensinamento nos trouxe a dinâmica?
- O que descobrimos acerca dos demais?
- O que podemos fazer para nos conhecermos cada
vez melhor?

100. Baú das recordações


101. Jesus Cristo: Centralidade dos
Objetivo: Avaliar um determinado grupo. Ex: Grupos Sacramentos
de jovens formados há algum tempo.
Objetivo: Mostrar que Jesus é o Centro dos
Participantes: Todos os presentes no encontro Sacramentos.
Participantes: ilimitado
Material: Tempo Estimado: 45 minutos
Material: Bíblias, Papel em branco, Canetas
1. Cada pessoa deve trazer para o encontro uma ou Lápis, Giz e Quadro Negro.
recordação, um objeto que guarda por algum motivo Descrição: Não podemos falar em
especial. Sacramentos sem antes falar em Jesus Cristo.
É Ele a centralidade de todos os sacramentos
2. O animador deve confeccionar previamente um porque de seu coração brotam “rios de água
baú, onde serão depositadas as recordações , e uma viva que jorram até à vida eterna” (Jo 7, 38).
pequena chave numerada para cada integrante. A
numeração da chave indica a ordem de participação. O próprio Jesus se apresenta como aquele
que pode estancar as muitas sedes que o ser
3. O animador coloca o baú sobre uma mesa, no humano deseja saciar. “Se alguém tem sede
centro do grupo. Ao lado dele, encontram-se as venha a mim, e aquele que acreditar em mim,
chaves numeradas. À medida que os participantes beba” (Jo 7, 37-38).
vão chegando, depositam sua recordação no baú,
retiram uma chave e vão ocupar seu assento, Mas, o incrível é que o próprio Deus chama,
formando um círculo em volta do baú. atrai para esta fonte e quer que toda criatura
se abasteça de seus dons, de sua vida.
Descrição:
Desde o Antigo Testamento, Deus se
1- O animador motiva o exercício com as seguintes aproxima de seu povo através de muitos
palavras: "Nós, seres humanos, comunicamo-nos encontros. São encontros onde perpassa sua
Arquidiocese de Teresina 33
Paróquia São Sebastião
Catequese Paroquial

compaixão e misericórdia, sobretudo onde há estragam a vida: fome, doença, pecado,


sofrimento (Ex 3, 7-11). morte, medo, discriminação, abandono, leis
opressoras, tristeza... Ao colocar-se do lado
Há encontros de encorajamento (Js 1, 6-9), de dos crucificados ele se apresenta como o
intimidade (1Rs 19, 9-14), de exigência (Jr 1, maior sinal de vida. “Eu sou o Caminho, a
4-10), de realização, alegria... (Is 65, 17-25). Verdade e a Vida” (Jo 14, 6).

Mas, Deus se aproxima de forma radical junto Como seguidores de Jesus, não podemos
de seu povo, mandando seu próprio Filho deixar de nos comprometer diante de tanta
Jesus. Ele se encarna, se faz pequeno, se fez injustiça que produz a cada dia uma multidão
um de nós e assume, assim, as dores, as de excluídos. De nada adianta comungar o
alegrias de cada ser humano. Cristo da celebração litúrgica, se a fila dos
famintos aumenta a cada dia.
JESUS, O SACRAMENTO DO ENCONTRO
DINÂMICA:
Por sua vida, gestos, e ações, Jesus
apresenta-se como o sacramento vivo de 1 - Leitura de um dos texto em grupo: Mc 8,
Deus em unidade com todos os homens e 22-26; Mc 7, 31-37; Mc 6, 34-39; Jo 8, 1-11;
mulheres. Mc 5, 21-43; Mt 14, 25-32.

Ao olharmos o evangelho vemos Jesus 2 - Completar o esquema:


encontrando-se com uma variedade de rostos.
Sua proximidade é com os mais sofridos, • Tipo de encontro
pobres, marginalizados e pecadores. Junto • Personagens
deles Jesus se torna o sacramento do amor, • Gestos de Jesus
da gratuidade, da ternura, da acolhida, do • Palavras de Jesus
perdão, sempre através dos gestos concretos. • Exigências de Jesus
• Coisas que Jesus usa
VEJAMOS: • respostas dos tocados e curados por Jesus.

• Aproximou-se de doentes, leprosos e SACRAMENTOS E SEGUIMENTO DE


possessos (Mt 8, 16-17; Mc 1, 32-34). Toda JESUS
enfermidade era considerada um castigo de
Deus. Jesus quebrou esta maneira de pensar Certamente, também em nós ressoam as
e vai ao encontro dos atormentados em suas palavras de Jesus: “Vem e segue-me” (Lc
dores.Criticou as muitas leis da pureza legal 18,22). O nosso chamado pode ter sido feito
(Mt 23, 23-25). em meio a tantos recuos, avanços,
• Acolheu pecadores, prostitutas, mulheres, resistências... O fato é que decidimos
crianças. A todos, achegou-se sem responder ao seu chamado e aqui estamos
preconceito. Partilhou sua vida apesar de nos passos do Mestre. Sabemos que somos
censurado e mal visto pelas autoridades (Lc seus discípulos e discípulas, e queremos nos
19, 1-10). Chega a fazer uma refeição de comprometer com Ele, ter sua vida dentro de
confraternização com os pecadores (Mc 2, 15- nós, anunciar o seu Reino e, em seu nome,
17; Mt 9, 11-13). libertar as pessoas de tudo o que as
• Saciou uma multidão de famintos, escravizam.
marginalizados, pelo sistema dominante (Mc
6, 34-44). Para segui-lo, Jesus nos coloca uma grande
• Conviveu com o povo pobre da terra, exigência: Amar como ele amou. Seguimento
despojado do poder (Mt 5, 3; Lc 6, 20; Mt 11, e sacramentos adquirem sentido cristão e se
25-26). convertem em fonte de vida.
• Chamou seus colaboradores, não a partir do
templo, mas do meio da comunidade de sua Os sacramentos, sem o seguimento, seriam
convivência. A exigência máxima era o amor atos, ritos, símbolos vazios, palavras sem
(Mc 1, 16-20; Lc 5, 1-11; Jo 1, 35-49; Mt 9, 9- efeito que chamaríamos de sacramentalismo,
10). pois não insidem na transformação plena de
cada pessoa e da comunidade.
A missão de Jesus é construir o Reino de
Deus. Este Reino se concretiza no combate Sacramentos e seguimento são dinâmicos,
às divisões injustas, que geram escravidão e provocam mudança e crescimento nas
na superação de todos os males que pessoas.
Arquidiocese de Teresina 34
Paróquia São Sebastião
Catequese Paroquial

o isopor, após ver o que ocorre com o isopor,


A celebração dos sacramentos e o mergulhar o giz, depois a vidro de remédio e
seguimento de Jesus apontam para um por último a esponja. Então refletimos:
mesmo fim, o Reino de Deus, que é “Vida - Como a Palavra de Deus age na minha
abundante para todos” (Jo 10, 10). vida?
- Eu estou agindo como o isopor que não
A Palavra de Deus nos apresenta um único absorve nada e também não afunda ou
Deus presente no meio de seu povo, o aprofunda?
Emanuel. Este mesmo Deus se esconde - Ou estou agindo como o giz que guarda a
também nos símbolos sacramentais. água para si sem partilhar com ninguém?
- Ou ainda agimos como o vidrinho que tinha
“Esse Deus que escuta os pobres, que desce água só para passar para os outros, mas sem
e luta por eles e com eles, é o Senhor da guardar nada para si mesmo?
História. Esse Deus que se esconde por trás - Ou agimos como a esponja absorvendo bem
da água do Batismo, das pobres mãos de seu a água e mesmo espremendo continuamos
ministro, por trás de um pouco de azeite com água?
bento, do pão e do vinho, do “sim” que um
homem e uma mulher se dão em sua ILUMINAÇÃO BÍBLICA: Is 40,8; Mt 7,24; 2Tm
presença, esse “pobre Deus” é o mesmo que 3,16.
ressuscitou o Crucificado e nos fará participar
com Ele da “Vida em abundância” pela graça
e força de seu Espírito” (Pobres Sacramento?!
103. Mandamentos
Juan Fernando López, pág. 114).
Objetivo: Deus precisa de nós para fazer
“Os Sacramentos são símbolos, gestos e deste mundo uma casa bonita e para todos.
palavras que, pela ação do Espírito, fazem Para conviver nesta casa somos convidados a
presente, em meio da comunidade, a Jesus nos conhecer e estabelecer uma ajuda mútua,
Cristo, seus sinais, seus gestos e suas para que todos possam crescer como gente,
palavras, sua prática e sua vida toda. capaz de ter muita vida. No entanto, toda
convivência exige certas normas, que
Os Sacramentos atualizam a Vida de Jesus construídas de forma conjunta são assumidas
na comunidade cristã, a Igreja” (Idem, pág. com responsabilidade.
119). Os mandamentos do povo de Deus também
Para todo cristão e cristã conhecer e seguir a foram sendo construídos aos poucos como
Jesus Cristo é de suma importância para fazer uma casa. O povo foi percebendo que para
um processo permanente de caminhada na fé. viver conforme Deus queria, era preciso
assumir o amor, a liberdade que Ele mesmo
Os sacramentos ajudam a revitalizar, tinha dado.
alimentar a vida e a fé diante das fraquezas, A vivência dos mandamentos só pode ser
desânimos, lutas e desafios que o cotidiano pensada em comunidade. A “casa” da
nos apresenta. comunidade é chamada a se organizar de
acordo com as leis de Deus.
Precisamos assumir com garra e entusiasmo Tempo Estimado: 45 minutos.
o seguimento de Jesus e nos abastecer nas Material: Tiras de papel, cola, durex, canetas
fontes que jorram de seu coração: os ou lápis
Sacramentos. Descrição:
1.º Dividir o grupo em dois subgrupos.
2.º Dar a cada grupo 10 tiras de papel.
102. Palavra que Transforma 3.º Cada grupo, com as tiras, construirá uma
casa.
Objetivo: Fazer o grupo refletir de que forma 1.º O primeiro grupo escreverá em cada tira o
assimilamos a PALAVRA DE DEUS em que é importante para bem viver numa casa,
nossas vidas. que pode ser a casa familiar, grupal, como
Tempo Estimado: 25 minutos. também a casa do país.
Material: Uma bolinha de isopor, um giz, um 2.º O segundo Grupo escreverá os
vidrinho de remédio vazio, uma esponja e uma mandamentos assim:
vasilha com água. 1) Amar a Deus sobre todas as coisas, ou Só
Descrição: Javé como Deus.
Primeiro se explica que a água é a palavra de 2) Não usar seu nome em vão, ou use o meu
Deus e que o objeto somos nós, depois se nome só para promover a vida.
coloca a água na vasilha, e alguém mergulha 3) Guardar os domingos e festas, ou guarda
Arquidiocese de Teresina 35
Paróquia São Sebastião
Catequese Paroquial

ou dias e momentos para celebrar a vida e o Näo existem palavras nem expressões
meu amor por você. capazes de ilustrar alguma coisa que
4) Honrar pai e mãe, ou pais e filhos acolham- transcendam o universo criado. Portanto,
se com amor para que a vida seja plena. utilizarei comparaçöes e sinônimos do nosso
5) Não matar, ou respeite e promova a vida. mundo físico. Peço-lhe que seja benévolo com
6) Não cometer adultério, ou respeitem-se as minhas limitaçöes de comunicaçäo.
mutuamente: homem e mulher, menino e
menina. Que a vida e o amor prevaleçam. O CONCEITO DE SEGREDO
7) Não roubar, ou respeite o direito aos bens
necessários para poder viver. Partilhe e seja
O conceito foi um mistério através dos séculos
solidário. e é então enunciado com uma pergunta:
8) Não jurar em falso, ou seja verdadeiro e Como é possível que haja um só Deus, mas
honesto.
ao mesmo tempo que sejan Três Pessoas
9) e 10) Não desejar nada do outro. Divinas e diferentes?
Respeite e use os bens para favorecer a vida
e não para a cobiça e com ganância.
(Aqui o 9.º e 10.º mandamentos foram Vejamos: Um só Deus "está composto" de
juntados como faz a própria Bíblia - (Ex uma Substância Divina e única. Este Deus
20,17). único manifesta-se em três Pessoas Divinas.
3.º Na 10.ª tira de papel pode-se escrever: Quer dizer: Uma substância em Três Pessoas:
“Tudo faremos para observar a tua lei”. Três Manifestaçöes.
4.º Com as tiras, cada grupo constrói no chão
a sua casa. O catequista chamará atenção DETALHES
sobre o que será colocado como alicerce,
para que esta casa não caia. Nas colunas, Uma Substância Única
colocar o que sustentará toda a casa.
Aqui, na casa dos mandamentos, o 5.º “não Utilizemos a comparaçäo química: A molécula
matar” será a principal coluna. do composto chamado "Água", está formada
O amor a Deus e ao próximo são a base para por três átomos: dois átomos de hidrogênio e
a vivência de todos os outros mandamentos. um átomo de oxigênio. A fórmula química é:
5.º Pode-se fazer uma comparação entre as H2O. Quando dois átomos de hidrogênio se
duas casas e perceber que queremos combinam quimicamente com um átomo de
construir a vida, do jeito que Deus quer. Deus oxigênio para criar uma molécula, a
detesta a opressão e todo o tipo de atitude substância que daí resulta, é sempre a
que provoca morte. mesma e única: Água [H2O]. Esta substância
Os mandamentos são a expressão clara de única tem um conjunto de propriedades físicas
uma sociedade fraterna e igualitária.O povo e químicas que não se encontram noutro
da Antiga Aliança considera os mandamentos composto.
como um presente de Deus.
Eles são cantados no Salmo 119, que
Três Manifestações
proclama que a Lei de Deus é o caminho
seguro para viver a aliança e encontrar a
verdadeira liberdade. A água [H2O] pode estar no estado gasoso,
estado líquido ou estado sólido. Quer dizer,
manifesta-se nos três estados de acordo com
104. Santíssima Trindade a pressão e a temperatura do meio ambiente
em que se encontre. Isto tudo acontece sem
Objetivo: Mostrar a Santíssima Trindade, sob deixar de ser a mesma e única substância:
a ótica da água. Água [H2O].
Tempo Estimado: 30 minutos.
Material: Tiras de papel, cola, durex, canetas A Comparação
ou lápis
Descrição: O estado normal da água é aquele que se
manifesta quando se encontra em condições
Introduçäo normais (temperatura ambiental e pressão
atmosférica a nível do mar), então, a
Pela Graça de Deus, em Seu Santo Nome e "Manifestação Normal" da água [H2O] é o
de acordo com a Sua Vontade, tratarei de "Estado Líquido"'.
elucidar o conceito do segredo da Santíssima
Trindade.
Arquidiocese de Teresina 36
Paróquia São Sebastião
Catequese Paroquial

Consideremos entäo esta comparação: Deus o mais possível, para que a 'Imagem'
Pai = "Manifestaçäo Normal" = "Estado reflectida por nós seja a mais perfeita
Líquido"; portanto "Manifestaçäo Concreta" = possível. Mantendo em mente que, uma
"Estado Sólido" de Deus Pai, é Jesus Cristo; 'Imagem' sempre ser uma 'Imagem', näo
por isso, "Manifestaçäo Espiritual" = "Estado importa o grau de perfeiçäo, porque..."Quem é
Gasoso" de Deus Pai, é o Espírito Santo. como Deus?"
Uma Substância, Três Manifestações
Diferentes. Quando Nosso Senhor Jesus Cristo disse que
vendo-o a Ele, era como ver o Pai, o que Ele
Sob determinadas condições de temperatura lhes dizia era que: Ele näo é uma 'Imagem',
e pressão, a água [H2O] manifesta-se Ele é a mesma substância, portanto, näo é
simultaneamente (em perfeito equilíbrio diferente do Pai porque... Ele própio é Deus!
termodinâmico) em três estados: gasoso,
líquido e sólido. Originalmente publicado a nível mundial en
Inglês em Maio de 1994. Nazaré, Portugal.
Tanto a água no "Estado Sólido", como no
"Estado Gasoso" provêm da água no "Estado
Líquido". Portanto a esse estado regressam
uma vez que: O "Estado Líquido" é o "Maior
de Todos", mesmo sendo os três Estados 105. O que você parece pra mim...
manifestaçöes da Mesma Substância: H2O.
Esta dinâmica pode ser empregada de duas
Comentários maneiras, como interação do grupo com
objetivos de apontar falhas, exautar
qualidades, melhorando a socilização de um
O Divino sempre se reflecte no mundo físico.
determinado grupo.
Portanto o conceito Trino manifesta-se nos
três estados físicos: Sólido, Líquido e Gasoso.
Material: papel cartão, canetas hidrocor e fita
crepe.
O homem tem a semente das duas pessoas
do Deus Trino. O homem foi criado à imagem
Desenvolvimento: Cola-se um cartão nas
de Deus mas só será completamente
costas de cada participante com uma fita
realizado quando regressar ao Pai.
crepe. Cada participante deve ficar com uma
caneta hidrocor. Ao sinal, os participantes
A semente do Espírito Santo é desvendada no devem escrever no cartão de cada integrante
Batismo. Esta semente, se for o que for determinado pelo coordenador da
cuidadosamente cultivada, frutificará nesse dinâmica (em forma de uma palavra apenas),
ser humano sob a forma de um espírito muito exemplos:
santo à imagem do Espírito Santo.
1) Qualidade que você destaca nesta pessoa;
Quanto mais profundamente o homem viva a 2) Defeito ou sentimento que deve ser
Palavra de Deus mais se assemelhará à trabalhado pela pessoa;
"Palavra (O Verbo) Encarnada", a imagem do 3) Nota que cada um daria para determinada
Filho. característica ou objetivo necessário a atingir
nesta dinâmica.
Mas para chegar a manifestar-se
completamente no homem a "Imagem do Autor: Desconhecido
Deus Triuno". o terceiro componente só pode
conseguir ao regressar ao seio do Pai.

O homem foi feito à "Imagem de Deus". Uma 106. Dinâmica do beijo


Imagem de um espelho ou projetada nunca
pode ser täo perfeita como a "Original". No
Essa dinâmica, geralmente é desenvolvida
entanto, quanto mais perfeito for o espelho ou
com um grupo que já tenha um certa
a projeçäo, mais fiel será a "Imagem" ao
intimidade, para que ela tenha sucesso.
"Original".
Desenvolvimento: Todos em círculo, em uma
Ele "...se é perfeito como o Pai é perfeito..."
grande roda. O Coordenador explica a
chama-nos a aperfeiçoar os nossos 'espelhos'
dinâmica que deve ser dito o seguinte:
Arquidiocese de Teresina 37
Paróquia São Sebastião
Catequese Paroquial

- Cada um deve dizer do colega do lado que eliminar (tantas pessoas) quem você
direito, a parte do corpo que mais admira ou eliminaria deste grupo?
acha bonita. Quando todos tiverem escolhido
esta determinada parte do corpo, coordenador Obs: As perguntas podem ser elaboradas com
dá um novo comando: o fim específico, mas lembrando que as
- Cada pessoa deverá dar um beijo perguntas não devem ser diretas para o fim
exatamente no local escolhido. proposto, mas em situações comparativas.

Autor: Desconhecido De posse dos resultados, conta-se os pontos


de cada participante e interpreta-se os dados
para utilização de estratégias dentro de
107. Tiro pela Culatra empresas e equipes esportivas.

Essa dinâmica, é desenvolvida exatamente


Autor: Desconhecido
como a número 104 acima. A única diferença
é que ao invés de se dizer uma parte do corpo
do colega da direita, deve dizer uma tarefa 110. Dinâmica do Emboladão
para que esse colega execute.
Esta dinâmica propõe uma maior interação
Quando todos tiverem escolhido a tarefa, entre os participantes e proporciona observar-
Coordenador dá um novo comando: se a capacidade de improviso e socialização,
- Cada pessoa deverá praticar a tarefa, dinamismo, paciência e liderança dos
exatamente como foi escolhida para o colega integrantes do grupo.
da direita.
Faz-se um círculo de mãos dadas com todos
É uma dinâmica bem engraçada e é muito os participantes da dinâmica.
utilizada como "quebra gelo ". O Coordenador deve pedir que cada um grave
exatamente a pessoa em que vai dar a mão
Autor: Desconhecido direita e a mão esquerda.
Em seguida pede que todos larguem as mãos
e caminhem aleatoriamente, passando uns
109.Sociograma pelos outros olhando nos olhos (para que se
despreocupem com a posição original em que
Esta dinâmica é, geralmente, desenvolvida a se encontravam). Ao sinal, o Coordenador
fim de se descobrir os líderes positivos e pede que todos se abracem no centro do
negativos de um determinado grupo, pessoas círculo" bem apertadinhos". Então, pede que
afins, pessoas em que cada um confia. É todos se mantenham nesta posição como
muito utilizada por equipes esportivas e outros estátuas, e em seguida dêem as mãos para
grupos. as respectivas pessoas que estavam de mãos
dadas anteriormente (sem sair do lugar).
Material: papel, lápis ou caneta. Então pedem para que todos, juntos, tentem
abrir a roda, de maneira que valha como
Desenvolvimento: Distribui-se um pedaço de regras: Pular, passar por baixo, girar e saltar.
papel e caneta para cada componente do
grupo. Cada um deve responder as seguintes O efeito é que todos, juntos, vão tentar fazer o
perguntas com um tempo de no máximo 20-60 melhor para que esta roda fique totalmente
segundos, cronometrados pelo Coordenador aberta.
da dinâmica. Exemplo de Perguntas:
Ao final, pode ser que alguém fique de costas,
1) Se você fosse para uma ilha deserta e o que não é uma contra-regra. O Coordenador
tivesse que estar lá por muito tempo, quem parabeniza a todos se conseguirem abrir a
você levaria dentro desse grupo? roda totalmente!
2) Se você fosse montar uma festa e tivesse
que escolher uma (ou quantas desejarem)
Obs: Pode ser feito também na água.
pessoa desse grupo quem você escoheria?
3) Se você fosse sorteado em um concurso
para uma grande viagem e só pudesse levar 3 Autor: Desconhecido
pessoas dentro desse grupo, quem você
levaria? 111. Dinâmica do Sentar-se no Colo
4) Se você fosse montar um time e tivesse
Arquidiocese de Teresina 38
Paróquia São Sebastião
Catequese Paroquial

Esta dinâmica propõe um "quebra gelo" entre esquerda


os participantes:
3º MODO:
O coordenador propõe que o grupo fique de Faz a mesma sequência acima sem cantar em
pé, de ombro-á-ombro, em círculo. Em voz alta, mas canta-se em memória.
seguida pede que todos façam 1/4 de giro
para um determinado lado ficando em uma fila 4º MODO:
indiana (assim: xxxxxxxxxxxx), embora em Faz a mesma sequência acima em pé
círculo. Ao sinal o Coordenador pede que executando com um pé.
todos se assentem no colo um do outro e
depois repitam para o outro lado. É bem 5º MODO:
divertido, causando muitos risos ! Faz a mesma sequência acima com 2
toquinhos, um para cada lado.
Autor: Desconhecido

113.Escultura

Esta dinâmica estimula a expressão corporal e


112. Escravos de Jó criatividade.
2 x 2 ou 3 x 3, os grupos devem fazer a
Esta dinâmica vem de uma brincadeira seguinte tarefa:
popular do mesmo nome, mas que nessa
atividade tem o objetivo de "quebra gelo" Um participante trabalha com escultor
podendo ser observado a atenção e enquanto os outro (s) ficam estátua (parados).
concentração dos participantes. O escultor deve usar a criatividade de acordo
com o objetivo esperado pelo Coordenador,
Em círculo, cada participante fica com um ou seja, pode buscar:
toquinho (ou qualquer objeto rígido).
Primeiro o Coordenador deve ter certeza de -estátua mais engraçada
que todos sabem a letra da música que deve -estátua mais criativa
ser: -estátua mais assustadora
-estátua mais bonita, etc.
Os escravos de jó jogavam cachangá;
os escravos de jó jogavam cachangá; Quando o escultor acabar (estipulado o prazo
Tira, põe, deixa o zé pereira ficar; para que todos finalizem), seu trabalho vai ser
Guerreiros com guerreiros fazem zigue, zigue julgado juntamente com os outros grupos.
zá (Refrão que repete duas vezes) Pode haver premiação ou apenas palmas.

1º MODO NORMAL: Autor: Desconhecido

Os escravos de jó jogavam cachangá


(PASSANDO SEU TOQUINHO PARA O
114.Sensibilidade
OUTRO DA DIREITA);
os escravos de jó jogavam cachangá Dois círculos com números iguais de
(PASSANDO SEU TOQUINHO PARA O participantes, um dentro e outro fora. O grupo
OUTRO DA DIREITA); de dentro vira para fora e o de fora vira para
Tira (LEVANTA O TOQUINHO), põe (PÕE NA dentro. Todos devem dar as mãos, sentí-las,
SUA FRENTE NA MESA), deixa o zé pereira tocá-las bem, estudá-las. Depois, todos do
ficar (APONTA PARA O TOQUINHO NA grupo interno devem fechar os olhos e
FRENTE E BALANÇA O DEDO); caminhar dentro do círculo externo. Ao sinal, o
Guerreiros com guerreiros fazem zigue Coordenador pede que façam novo círculo
(PASSANDO SEU TOQUINHO PARA O voltado para fora, dentro do respectivo círculo.
OUTRO DA DIREITA), zigue (VOLTA SEU Ainda com os olhos fechados, proibido abrí-
TOQUINHO DA DIREITA PARA O COLEGA los, vão tocando de mão em mão para
DA ESQUERDA), zá (VOLTA SEU descobrir quem lhe deu a mão anteriormente.
TOQUINHO PARA O OUTRO DA DIREITA) O Grupo de fora é quem deve movimentar-se.
(Refrão que repete duas vezes). Caso ele encontre sua mão correta deve dizer
_Esta ! Se for verdade, a dupla sai e se for
2º MODO: mentira, volta a fechar os olhos e tenta
Faz a mesma sequência acima só para a novamente.
Arquidiocese de Teresina 39
Paróquia São Sebastião
Catequese Paroquial

mais fácil, dividí-la e ajuntar com outra para


Obs: Essa dinâmica pode ser feita com outras explicar a real palavra escrita pelo
partes do corpo, ex: Pés, orelha, olhos, participante, mas é proibido soltar qualquer
joelhos, etc. Tem o objetivo de melhorar a tipo de som.
sensibilidade, concentração e socialização do
grupo. Autor: Desconhecido

Autor: Desconhecido
118.Verdade ou Conseqüência?
115. Mestre Em círculo os participantes devem estar de
posse de uma garrafa que deve ficar ao
Em círculo os participantes devem escolher centro. Ao sinal do Coordenador, alguém gira
uma pessoa para ser o advinhador. Este deve a garrafa e para quem o bico da garrafa
sair do local. Em seguida os outros devem apontar é perguntado: _Verdade ou
escolher um mestre para encabeçar os Consequência? Caso ele escolha verdade, a
movimentos/ mímicas. Tudo que o mestre pessoa onde o fundo da garrafa apontou deve
fizer ou disser, todos devem imitar . O perguntar algo e ele obrigatoriamente deve
advinhador tem 2 chances para saber quem é responder a verdade. Se ele responder
o mestre. Se errar volta e se acertar o mestre consequência deve pagar uma prenda
vai em seu lugar. (executar uma tarefa) estipulada pela pessoa
que o fundo da garrafa apontou. A que
Esta dinâmica busca a criatividade, respondeu gira a garrafa.
socialização, desinibição e a coordenação.
Autor: Desconhecido
116.Rolo de Barbante
119. Qualidade
Em círculo os participantes devem se
assentar. O Coordenador deve adquirir Cada um anota em um pequeno pedaço de
anteriormente um rolo grande de barbante. E papel a qualidade que acha importante em
o primeiro participante deve, segurando a uma pessoa. Em seguida todos colocam os
ponta do barbante, jogar o rolo para alguém (o papéis no chão, virados para baixo, ao centro
coordenador estipula antes ex: que gosta da roda. Ao sinal, todos devem pegar um
mais, que gostaria de conhecer mais, que papel e em ordem devem apontar
admira, que gostaria de lhe dizer algo, que rapidamente a pessoa que tem esta
tem determinada qualidade, etc.) que ele qualidade, justificando.
queira e justificar o porquê ! A pessoa agarra
o rolo, segura o barbante e joga para a Autor: Desconhecido
próxima. Ao final torna-se uma "teia" grande.

Essa dinâmica pode ser feita com diversos 120. Dinâmica do " Pegadinha do
objetivos e pode ser utilizada também em Animal"
festas e eventos como o Natal e festas de fim
de ano. Ex: cada pessoa que enviar o Entrega-se a cada participante um papel com
barbante falar um agradecimento e desejar o nome de um animal, sem ver o do outro. Em
feliz festas. Pode ser utilizado também o seguida todos ficam em círculo de mãos
mesmo formato da Dinâmica do Presente dadas. Quando o animal for chamado pelo
(Dinâmica 120) coordenador, a pessoa correspondente ao
animal, deve se agachar tentando abaixar os
117. Substantivo colegas da direita e da esquerda. E os outros
devem tentar impedir que ele se abaixe.
Em círculo os participantes devem estar de
posse de um pedaço de papel e caneta. Cada Obs: todos os animais são iguais, e quando o
um deve escrever um substantivo ou adjetivo coordenador chama o nome do animal todos
ou qualquer estipulado pelo Coordenador, vão cair de "bumbum" no chão, causando uma
sem permitir que os outros vejam. Em seguida grande risada geral.
deve-se passar o papel para a pessoa da
direita para que este represente em forma de Objetivo: "quebra gelo" descontração geral.
mímicas. Podendo representar uma palavra
Arquidiocese de Teresina 40
Paróquia São Sebastião
Catequese Paroquial

Autor: Desconhecido Ao repassar o presente, a pessoa que recebe


deve ouvir o parágrafo 2 e assim por diante:

121. O Presente 2. ALEGRIA! ALEGRIA!


Hoje é festa, pessoas como você transmitem
Esta dinâmica nos foi enviada e funciona otimismo e alto astral. Parabéns, com sua
muito bem no lugar de um amigo oculto em alegria passe o presente a quem acha mais
festas de fim de ano, para um grupo onde os INTELIGENTE.
membros já se conheçam bem. É um trabalho
muito interessante para ressaltar as 3. A inteligência nos foi dada por Deus.
qualidades de cada um desse grupo, dando Parabéns por ter encontrado espaço para
oportunidade de reconhecimento de certos demonstrar este talento, pois muitas pessoas
sentimentos e causa um impacto muito são inteligentes e a sociedade, com seus
interessante entre os participantes. bloqueios de desigualdade, impede que eles
Experimente ! desenvolvam sua própria inteligência. Mas o
presente ainda não é seu. Passe-o a quem
Como desenvolver a dinâmica: Estabelece-se lhe transmite PAZ.
o número de participantes e seleciona-se o
mesmo número de qualidades para serem 4. O mundo inteiro clama por paz e você
abordadas durante a dinâmica. Poderão ser gratuitamente transmite esta tão grande
introduzidas algumas que achar relevante riqueza. Parabéns! Você está fazendo falta às
dentro da situação em que vive. A pretensão é grandes potências do mundo, responsáveis
que todos escolham uns aos outros durante a por tantos conflitos entre a humanidade. Com
mesma, podendo acontecer de algum muita Paz, passe o presente a quem você
participante não ser escolhido. considera AMIGO.

O Presente: O organizador pode escolher 5. Diz uma música de Milton Nascimento, que
como presente alguma guloseima como uma "amigo é coisa para se guardar do lado
caixa de bombom com o mesmo número de esquerdo do peito, dentro do coração".
participantes, ou outro que possa ser Parabéns por ser amigo, mas o presente. . .
distribuído uniformemente no final da ainda não é seu. Passe-o a quem você
dinâmica. Este presente deve ser leve e de considera DINÂMICO.
fácil manejo pois irá passar de mão em mão.
Tente embrulhá-lo bem atrativo com um papel
6. Dinamismo é fortaleza, coragem,
bonito e brilhante para aumentar o interesse
compromisso e irradia energia. Seja sempre
dos participantes em ganhá-lo.
agente multiplicador de boas idéias e boas
ações em seu meio. Parabéns! Mas passe o
Disposição e local: os participantes devem presente a quem acha mais SOLIDÁRIO.
estar em roda ou descontraidamente
próximos.
7. Parabéns! Você prova ser continuador e
seguidor dos ensinamentos de CRISTO.
Início: O organizador com o presente nas
Solidariedade é de grande valor. Olhe para os
mãos diz (exemplo): Caros amigos, eu
amigos e passe o presente a quem você
gostaria de aproveitar este momento para
considera ELEGANTE (bonito, etc...).
satisfazer um desejo que há muito venho
querendo fazer. Eu queria presentear uma
pessoa muito especial que durante o ano foi 8. Parabéns! Elegância (beleza, etc...)
uma grande amiga e companheira e quem eu completa a criação humana e sua presença
amo muito. Abraça a pessoa e entrega o torna-se marcante, mas o presente ainda não
presente. Em seguida pede um pouquinho de será seu, passe-o a quem você acha mais
silência e lê o parágrafo 1: SEXY.

1. PARABÉNS! 9. Parabéns! A sensualidade torna a presença


*Você tem muita sorte. Foi premiado com este ainda mais marcante e atraente. Mas o
presente. Somente o amor e não o ódio é presente não será seu. Passe-o a quem você
capaz de curar o mundo. Observe os amigos acha mais OTIMISTA.
em torno e passe o presente que recebeu
para quem você acha mais ALEGRE. 10. Otimista é aquele que sabe superar todos
os obstáculos com alegria, esperando o
Arquidiocese de Teresina 41
Paróquia São Sebastião
Catequese Paroquial

melhor da vida e transmite aos outros a 16. Líderes são pessoas que sabem guiar,
certeza de dias melhores. Parabéns por você orientar e dirigir pessoas ou grupos, com
ser uma pessoa otimista! É bom conviver com capacidade, dinamismo e segurança. Junto de
você, mas o presente ainda não será seu. você que é líder sentimos seguros e
Passe-o a quem você acha COMPETENTE. confiamos em tudo o que você diz e resolve
fazer. Confiamos muito em você, que é líder,
11. Competentes são pessoas capazes de mas o presente ainda não é seu. Passe-o a
fazer bem todas as atividades a elas quem você acha mais JUSTO.
confiadas e em todos os empreendimentos
são bem sucedidas, porque foram bem 17. Justiça! Foi o que Cristo mais pediu para o
preparadas para a vida. Essas são pessoas seu povo e por isso foi crucificado. Mas não
competentes como você. Mas o presente desanime. Ser justo é colaborar com a
ainda não é seu. Passe-o a quem você transformação de nossa sociedade. Mas já
considera CARIDOSO. que você é muito justo, não vai querer o
presente só para você. Abra e distribua com
12. A caridade é como diz São Paulo aos todos, desejando-lhes FELICIDADES !
Coríntios: "ainda que eu falasse a língua dos
anjos, se não tiver caridade sou como o E assim o presente é distribuído entre todos !
bronze, que soa mesmo que conhecesse
todos os mistérios, toda a ciência, mesmo que Autor: Desconhecido
tomasse a fé para transportar montanhas, se
não tiver caridade de nada valeria. A caridade
é paciente, não busca seus próprios _____________________________
interesses e está sempre pronta a ajudar, a
socorrer. Tudo desculpa, tudo crê, tudo 122.Historinha
suporta, tudo perdoa". Você que é assim tão
perfeito na caridade, merece o presente. Mas Objetivo: Treinar a memorização e atenção.
mesmo assim, passe o presente a quem você
acha PRESTATIVO. Procedimento: Todos devem estar
posicionados em círculo de forma que todos
13. Prestativo é aquele que serve a todos com possam se ver.
boa vontade e está sempre pronto a qualquer O organizador da dinâmica deve ter em mãos
sacrifício para servir. São pessoas agradáveis um objeto pequeno e direcionando a todos
e todos se sentem bem em conviver. Você deve começar a história dizendo: Isto é um .....
bem merece o presente. Mas ele ainda não é (Ex. cavalo). Em seguida deve passar o objeto
seu. Passe-o a quem você acha que é um à pessoa ao seu lado que deverá acrescentar
ARTISTA. mais uma palavra a história sempre repetindo
tudo o que já foi dito. (Ex. Isto é um cavalo de
14. Você que tem o dom da Arte e sabe vestido...), e assim sucessivamente até que
transformar tudo, dando beleza, luz, vida, alguém erre a ordem da história pagando
harmonia a tudo que toca. Sabe suavizar e assim uma prenda a escolha do grupo. Cria-
dar alegria a tudo que faz. Admiramos você se cada história engraçada... É bem divertido,
que é realmente um artista, mas o presente aproveitem.
ainda não é seu. Passe-o a quem você acha
que tem FÉ.

15. Fé é o dom que vem de Deus. Feliz de


você que tem fé, pois com ela você suporta 123. Recital das Almas Gêmeas
tudo, espera e confia porque sabe que Deus
virá em socorro nas horas difíceis e poderá Objetivo: É uma atividade muito divertida,
ser feliz. Diz o salmo 26 " O Senhor é a minha que tem como objetivo a descontração e a
luz e minha salvação, de quem terei medo?" aproximação entre os membros do grupo.
Se você acredita e espera tanto de Deus,
sabe também esperar e ter fé nos homens e Material: papel e caneta.
na vida e assim será feliz. Mas o presente não
é seu, pois você não precisa dele. Passe-o a Procedimento: Divide-se a turma em duas
quem você acha que tem o espírito de equipes. Em papeis serão escritas mensagens
LIDERANÇA. que se completam (perguntas e respostas ou
parte 1 e parte 2). Cada participante deverá
Arquidiocese de Teresina 42
Paróquia São Sebastião
Catequese Paroquial

pegar um papel, ou mais conforme a desembrulhe e coloque na boca do outro.


quantidade de papeis e participantes, sem Muito divertida esta dinâmica!
deixar que seus colegas vejam o que está
escrito. A mensagem será ex: 1 - 'eu sou um
jardim sem flor', 2- ' eu sou a flor do teu
126.Máquina Registrada
jardim'. A segunda parte complementa a
primeira. É importante que as mensagem Exercício de Decisão Grupal
sejam criativas e engraçadas. É preciso Objetivos:
demarcar quais são as primeiras partes, para 1. Demonstrar como a busca do consenso
que sejam recitadas primeiramente, sendo melhora a decisão.
completadas pela sua respectiva segunda 2. Explorar o impacto que as suposições têm
parte. sobre a decisão.
Tamanho do grupo: Subgrupos formados com
cinco a sete membros; sendo possível,
orientar vários subgrupos, simultaneamente.
Tempo exigido: quarenta minutos,
aproximadamente.
124. Dinâmica: "Para quem você tira
o chapéu"
Material utilizado:
Objetivo: Estimular a autoestima. - Uma cópia da história da “Máquina
Registradora”, para cada membro participante
Materiais: um chapéu e um espelho.O e para cada grupo.
espelho deve estar colado no fundo do - Lápis ou caneta.
chapéu.

Procedimento: O animador escolhe uma Procedimento:


pessoa do grupo e pergunta se ela tira o 1. O animador distribui uma cópia da história
chapéu para a pessoa que ver e o porquê, da “Máquina Registradora” para cada membro
sem dizer o nome da pessoa. Pode ser feito participante que durante sete a dez minutos,
em qualquer tamanho de grupo e o animador deverá ler e assinar as declarações
deve fingir que trocou a foto do chapéu antes consideradas verdadeiras, falsas ou
de chamar o próximo participante. Fizemos desconhecidas.
com um grupo de idosos e alguns chegaram a 2. A seguir, serão formados subgrupos de
se emocionar depois de dizer suas cinco a sete membros, recebendo cada
qualidades. Espero que gostem! subgrupo uma cópia da história da “Máquina
Registradora”, para um trabalho de consenso
_____________________________ de grupo, durante doze a quinze minutos,
registrando novamente as declarações
consideradas verdadeiras, falsas ou
125.Chupa ai desconhecidas.
3. O animador, a seguir, anuncia as respostas
Objetivo: Estimular o Trabalho em Equipe. corretas. (a declaração número 3 é falsa, e a
do número 6 é verdadeira, e todas as demais
Materiais: Uma bandeija e balas de acordo são desconhecidas).
com o nº de participantes. As balas devem ser 4. Em continuação, haverá um breve
colocadas dentro da bandeija. comentário acerca da experiência vivida,
focalizando-se sobretudo o impacto que as
Procedimento: forma-se um circulo, diga suposições causam sobre a decisão e os
então aos participantes: 'vocês terão que valores do grupo.
chupar uma bala, só que não poderão usar
suas mãos para desembrulhar a bala e Exercício da “Máquina Registradora”
colocar em sua própria boca'. A HISTÓRIA: Um negociante acaba de
Os participantes ficam loucos pensando como acender as luzes de uma loja de calçados,
fazer isso, é interessante colocar a bandeija quando surge um homem pedindo dinheiro. O
no chão. Alguns participantes até pegam a proprietário abre uma máquina registradora. O
bala com a boca e tenta desembrulhar na conteúdo da máquina registradora é retirado e
boca. o homem corre. Um membro da polícia é
Espera-se que eles se ajudem, um imediatamente avisado.
participante pegue a bala com as mãos, a
Arquidiocese de Teresina 43
Paróquia São Sebastião
Catequese Paroquial

Declaração acerca da história: Verdadeiro – coordenador deve estar de costas para o


Falso - Desconhecido grupo para não ver com quem está a caixa)
1. Um homem apareceu assim que o aquele que ficou com a caixa terá que cumprir
proprietário acendeu as luzes de sua loja de a tarefa...é importante que o coordenador faça
calçados ........... V F ? comentários do tipo: Você está preparado? Se
2. O ladrão foi um homem......... V F ? não tiver coragem... Depois de muito
3. O homem não pediu dinheiro.......... V F ? suspense quando finalmente o jovem abre a
4. O homem que abriu a máquina registradora caixa encontra a gostosa surpresa. (O jovem
era o proprietário.................V F ? não pode repartir o presente com ninguém).
5. O proprietário da loja de calçados retirou o Objetivos:
conteúdo da máquina registradora e fugiu O objetivo desta brincadeira é mostrar como
........V F ? somos covardes diante de situações que
6. Alguém abriu uma máquina possam representar perigo ou vergonha.
registradora......... V F ? Devemos aprender que em Deus podemos
7. Depois que o homem que pediu o dinheiro superar todos os desafios que são colocados
apanhou o conteúdo da máquina registradora, a nossa frente, por mais que pareça tudo tão
fugiu....... V F ? desesperador, o final pode ser uma feliz
8. Embora houvesse dinheiro na máquina notícia.
registradora, a história não diz a
quantidade............ V F ?
9. O ladrão pediu dinheiro ao proprietário
128. Sorriso Milionário
.................. V F ?
10. A história registra uma série de Material: bolinhas de papel amassado
acontecimentos que envolveu três pessoas: o
proprietário, um homem que pediu dinheiro é Procedimento:
um membro da polícia ............ V F ? Essa dinâmica é usada para descontrair e
11. Os seguintes acontecimentos da história integrar o grupo de uma forma divertida. Cada
são verdadeiros: alguém pediu dinheiro – uma bolinha vale R$1.000,00. O professor
máquina registradora foi aberta – seu dinheiro distribuirá para cada pessoa do grupo 5
foi retirado ...... V F ? bolinhas de papel, essas deverão estar
dispersas no local onde será realizada a
brincadeira. Dado o sinal os alunos deverão
sair e procurar um companheiro, em seguida
devem parar em sua frente, olhar fixamente
127. Dinâmica: Medo de Desafios nos olhos desse companheiro que por sua vez
não pode sorrir. Quem sorrir primeiro paga
Material: caixa, chocolate e aparelho de som uma bolinha para a pessoa a quem sorriu.
(rádio ou CD). Vence quem terminar a brincadeira com mais
"dinheiro", que será o milionário.
Procedimento:
Encha a caixa com jornal para que não se 129.Verificação se aprendeu o
perceba o que tem dentro. Coloque no fundo
o chocolate e um bilhete: COMA O
conteúdo explicado na sala de aula
CHOCOLATE! Pede-se a turma que faça um ou dentro de um módulo
círculo. O coordenador segura a caixa e
explica o seguinte pra turma: _Estão vendo Material: Quadro Negro, Giz, Perguntas da
esta caixa? Dentro dela existe uma ordem a matéria elaboradas pelo facilitador, uma fita
ser cumprida, vamos brincar de batata quente cassete, uma bola ou um objeto.
com ela, e aquele que ficar com a caixa terá
que cumprir a tarefa sem reclamar. Procedimento:
Independente do que seja... ninguém vai A técnica busca verificar se a turma
poder ajudar, o desafio deve ser cumprido aprendeu o conteúdo explicado na sala de
apenas por quem ficar com a caixa (é aula ou dentro de um módulo.
importante assustar a turma para que eles O facilitador começa fazendo um joguinho
sintam medo da caixa, dizendo que pode ser da velha, dois membros serão escolhidos com
uma tarefa extremamente dificil ou a música e passando a bola de mão em mão
vergonhosa). nos dois grupos. Cada grupo elegerá um
Começa a brincadeira, com a música ligada, nome dentro do tema. Ao terminar a música,
devem ir passando a caixa de um para o os dois membros vão ao centro e tiram par ou
outro. Quando a múica for interrompida (o ímpar, o vencedor escolhe X ou O (bolinha) e
Arquidiocese de Teresina 44
Paróquia São Sebastião
Catequese Paroquial

inicia a brincadeira. O facilitador passa a um a três, ora um começa, ora o outro. Fica
pergunta ao grupo que perdeu. O Grupo Fácil.
escolhe um dos membros para falar, esta 2º momento: Solicite que ao invés de falar o
escolha é por sorteio dentro do grupo. Cada número 1, batam palma, os outros números
membro do grupo vem para frente e vai devem ser pronunciados normalmente.
responder a pergunta. Se um deles não 3º momento: Solicite que ao invés de falar o
souber responder, ele pode pedir ajuda a um número 2, que batam com as duas mãos na
dos membros do seu grupo mas agora quem barriga, o número 3 deve ser pronunciado
escolhe é o membro que vai dar a resposta é normalmente. Começa a complicar.
o membro opositor. Não tem sorteios. Se o 4º momento: Solicite que ao invés de falar o
grupo empatar, cada um pode arriscar pontos número 3, que dêm uma "reboladinha".
em um jogo da forca onde será dado uma A situação fica bem divertida. Grato. Ricardo
única vez a dica da palavra. Cada um grupo José Rodrigues
pode escolher o membro e definir os pontos
que arrisca. Se acertar, é o campeão. Se _____________________________
errar, é um risco. É claro que o tema é
definido anteriormente em sala de aula mas
não é dito a razão de ser lido o tema. Se 131.Dinâmica do Amor
ambos ainda empatarem, escolhem dois
membros de cada grupo que vão fazer a Objetivo: Moral: Devemos desejar aos outros
dança das cadeiras somente ficará na cadeira o que queremos para nós mesmos.
aquele que responder a pergunta que agora
será falso ou verdadeiro. Mesmo que sobre Procedimento:
um, ele terá que arriscar pontos ou passar Para início de ano Ler o texto ou contar a
para outro membro então o outro grupo história do "Coração partido" - Certo homem
opositor vai escolher o membro que vai estava para ganhar o concurso do coração
responder. mais bonito. Seu coração era lindo, sem
Na verdade, esta dinâmica mostra que nenhuma ruga, sem nenhum estrago. Até que
nada na vida é fácil e tudo decorre de apareceu um velho e disse que seu coração
decisões e riscos tanto dos líderes quanto da era o mais bonito pois nele havia. Houve
liderança e que toda decisão vai agir sobre vários comentários do tipo: "Como seu
toda a ação do grupo. É uma reflexão sobre o coração é o mais bonito, com tantas marcas?"
que fazemos individualmente mas que age O bom velhinho, então explicou que por isso
sobre o grupo que vivemos e fazemos parte. A mesmo seu coração era lindo. Aquelas
reunião de pessoas para um mesmo objetivo marcas representavam sua vivência, as
deve ser direcionada para uma vitória do todo. pessoas que ele amou e que o amaram.
Então temos uma mensagem QUE SEJA UM! Fianlmente todos concordaram, o coração do
Assim é nossa missão na Terra a gente moço, apesar de lisinho, não tinha a
trabalha pela felicidade do Mundo porque experiência do velho." Após contar o texto
somos parte desta humanidade. distribuir um recorte de coração (chamex
O facilitador começa a fazer perguntas para dobrado ao meio e cortado em forma de
os grupos sobre os momentos em que as coração), revistas, cola e tesoura. Os
perguntas foram feitas e sobre as tomadas de participantes deverão procurar figuras que
decisão, depois coloca a mensagem que o poderiam estar dentro do coração de cada
Grupo deve trabalhar como um todo e que um. Fazer a colagem e apresentar ao grupo.
nesta dinâmica todos venceram porque Depois cada um vai receber um coração
aprenderam sobre o valor da tomada de menor e será instruido que dentro dele deverá
decisões e que puderam traçar metas para escrever o que quer para o seu coração. Ou o
atingir um objetivo. Isto é que se deve fazer que quer que seu coração esteja cheio.. O
em sala de aula, todos em conjunto, uns meu coração está cheio de... No final o
ajudando aos outros. instrutor deverá conduzir o grupo a trocar os
corações, entregar o seu coração a outro.
Fazer a troca de cartões com uma música
130.1, 2, 3
apropriada, tipo: Coração de Estudante,
Canção da América ou outra.
Objetivo: Quebra-gelo.

Procedimento:
1º momento: Formam-se duplas e então
solicite para que os dois comecem a contar de
Arquidiocese de Teresina 45
Paróquia São Sebastião
Catequese Paroquial

132. Convivendo com Máscaras dos participantes deixarem sua bexiga no ar e


sentarem, os restantes continuam no jogo.
Quando o facilitador perceber que quem ficou
Objetivo: Proporcionar o exercício da auto e
no centro não está dando conta de segurar
heteropercepção.
todos os problemas peça para que todos
voltem ao círculo e então ele pergunta:
1) a quem ficou no centro, o que sentiu
Material: Cartolina colorida, tintas, colas, quando percebeu que estava ficando
tesouras, papéis diversos e coloridos, palitos sobrecarregado;
de churrasco, CD com a música quem é você 2) a quem saiu, o que ele sentiu.
(Chico Buarque)
Depois destas colocações, o facilitador dará
Procedimento: os ingredientes para todos os problemas, para
1. Com a música de fundo cada participante é mostrar que não é tão dificil resolvermos
convidado a construir uma máscara com os problemas quando estamos juntos.
materiais disponíveis na sala, que fale dele no Ele perdirá aos participantres que estorem
momento atual. as bexigas e peguem o seu papel com o seu
2. A partir da sua máscara confeccionada, ingrediente, um a um deverão ler e fazer um
afixá-la no palito de churrasco para que cada comentário para o grupo, o que aquela
um se apresente falando de si através da palavra significa para ele.
mascara.
3. Organizar em subgrupos para que cada Dicas de palavras ou melhores
participante escolha: A máscara com que mais ingredientes:- amizade, solidariedade,
se identifica; A máscara com que não se confiança, cooperação, apoio, aprendizado,
identifica; A máscara que gostaria de usar. humildade, tolerância, paciência, diálogo,
4. Após concluir a atividade em subgrupo, alegria, prazer, tranquilidade, troca, crítica,
todos deverão colocar suas máscaras e fazer motivação, aceitação, etc...
um mini teatro improvisado. (as palavras devem ser feitas de acordo com
5. Formar um círculo para que cada o seu objetivo.
participante escolha um dos integrantes do Eu tratabalhei esta dinâmica com dois
grupo para lhe dizer o que vê atraz de sua grupos bem diferentes, um foi um grupo de
máscara... funcionários de uma empresa de óculos de
6. Abrir para discussões no grupo. Franca, e a outro de professoras do ensino
7. Fechamento da vivência. infantil pré-escolar. O resultado foi
Esta dinâmica foi baseada na teoria de maravilhoso !
Vygotsky, visando o processo criativo, através Espero que gostem. Abraços.
da representação, para a formação da
subjetividade e intersubjetividade do indivíduo.
Aplicada ao público a partir de 9 anos
134.Cabra cega no curral

Objetivo: Proposta da atividade: e fazer com


133.Problemas que o grupo se conheça de modo divertido,
principalmente os alunos vindos de outras
Material: Bexiga, tira de papel escolas.

Procedimento: Material: Pedaço de papel em branco, caneta,


Formação em círculo, uma bexiga vazia saco plastico, pano preto para cobrir os olhos
para cada participante, com um tira de papel e cadeiras.
dentro (que terá uma palavra para o final da
dinâmica) Procedimento:
O o facilitador dirá para o grupo que aquelas ORGANIZAÇÃO: Escreva tarefas para
bexigas são os problemas que enfretamos no serem realizadas pelos alunos; recorte-ás e as
nosso dia-a-dia(de acordo com a vivência de coloque dentro de um saco plástico para
cada um), desinteresse, intrigas, fofocas, serem sorteadas; faça um círculo com as
competições, inimizade, etc. cadeiras e coloque os alunos nas mesmas;
Cada um deverá encher a sua bexiga e escolha o primeiro participante e coloque o
brincar com ela jogando-a para cima com as pano sobre os seus olhos; coloque-o dentro
diversas partes do corpo, depois com os do círculo e movimente-o de modo que perca
outros participantes sem deixar a mesma cair. a direção inicial; o aluno deverá ir para
Aos poucos o facilitador pedirá para alguns qualquer direção de modo que encoste em
Arquidiocese de Teresina 46
Paróquia São Sebastião
Catequese Paroquial

outra que estará sentada, esta não deverá que alguém tenha a iniciativa de imaginar
sair do lugar. O participante que for tocado, como executar esta tarefa, que só há uma:
deverá se apresentar e sortear uma tarefa a oferecer o pirulito para a pessoa ao lado!!!
ser realizada por ele mesmo; o participante Assim, automaticamente, os demais irão
que já foi tocado não poderá repetir, de modo oferecer e todos poderão chupar o pirulito.
o que todos participem. Encerra-se a dinâmica, cada um pode sentar
e continuar chupando, se quiser, o pirulito que
lhe foi oferecido. Abre-se a discussão que tem
como fundamento maior dar abertura sobre a
reflexão de quanto precisamos do outro para
135.Diferenças chegar a algum objetivo e de é ajudando ao
aoutro que seremos ajudados.

Material: Pedaço de papel em branco, caneta. _____________________________

Procedimento: 137.Urso de pelúcia


O condutor da dinâmica distribui folhas de
papel sulfite em branco e canetas para o
grupo. O condutor da dinâmica pede que ao Objetivo: mostrar que o outro é importante
dar um sinal todos desenhem o que ele pedir pra nossa vida.
sem tirar a caneta do papel. Ele pede que
iniciem, dando o sinal. Pede que desenhem Material: um urso de pelúcia.
um rosto com olhos e nariz. Em seguida, pede
que desenhem uma boca cheia de dentes. Procedimento:
continuem o desenho fazendo um pescoço e Forme um círculo com todos e passe o urso
um tronco. É importante ressaltar sempre que de mão em mão, quem estiver com o urso
não se pode tirar o lápis ou caneta do papel. deverá falar o que tem vontade de fazer com
Pede que todos parem de desenhar. Todos ele. No final que todos falarem deve-se pedir
mostram seus desenhos. O condutor da para que façam o mesmo que fizeram com o
dinâmica ressalta que não há nenhum urso com a pessoa do lado.
desenho igual ao outro, portanto, todos
percebem a mesma situação de diversas _____________________________
maneiras, que somos multifacetados, porém
com visões de mundo diferentes, por este
motivo devemos respeitar o ponto de vista do
outro. 138.DNA/Herança Genética

Objetivo: Descobrir os traços de


136. Auxílio mútuo personalidade herdados da família.

Objetivo: Para reflexão da importância do Material: 1 Folha A4 para cada participante,


próximo em nossa vida. Canetas hidrocor, lápis de cor ou giz de cera,
Música ambiente.
Material: Pirulito para cada participante.
Procedimento: Deve ser acima de 15
Procedimento: participantes . Tempo: 25 min.
Todos em círculo, de pé. É dado um pirulito O coordenador reflete com o grupo as
para cada participante, e os seguintes características genéticas que herdamos de
comandos: todos devem segurar o pirulito nossos parentes mais próximos. Às vezes um
com a mão direita, com o braço estendido. comportamento ou atitude revela uma
Não pode ser dobrado, apenas levado para a característica do avô, do pai, da tia... Este
direita ou esquerda, mas sem dobrá-lo. A mão exercício irá promover no grupo uma
esquerda fica livre. Primeiro solicita-se que apresentação grupal a partir das qualidades
desembrulhem o pirulito, já na posição correta da árvore genealógica de cada um.
(braço estendido, segurando o pirulito e de pé, Entregue uma folha A4 para cada participante.
em círculo). Para isso, pode-se utilizar a mão Dobre-a em 4 partes e nomeie as partes com
esquerda. O mediador da dinâmica, recolhe sendo A, B, C e D. Coloque música ambiente.
os papéis e em seguida, dá a seguinte Na parte A o participante deverá desenhar
orientação: sem sair do lugar em que estão, livremente como ele enxerga os avós
todos devem chupar o pirulito! Aguardar até maternos (colorindo bem o desenho) e ao lado
Arquidiocese de Teresina 47
Paróquia São Sebastião
Catequese Paroquial

de cada um vai anotar uma qualidade e uma


falha que percebe em cada um dos avós
maternos.
Na parte B o participante deverá desenhar Essas dinâmicas foram tiradas do site
livremente como ele enxerga os avós paternos www.catequisar.com.br e contribuições de catequistas
(colorindo bem o desenho) e ao lado de cada de todo o Brasil através do site de relacionamento
um também vai anotar uma qualidade e uma Orkut.
falha que percebe em cada um deles.
Na parte C o participante deverá desenhar Pai Pesquisada e edição de Domingos Nunes
e Mãe e seguir o exercício anotando a E-mail: domingosdasilva@gmail.com
principal qualidade que nota nos pais e http://br.geocities.com/domingosweb
também a principal falha. Celular: (86) 9982 7898
Na parte D ele deverá desenhar um auto- Tenho em meu computador outros assunto da
retrato (como ele se vê)e observando as catequese e igreja católica.
qualidades e falhas da família, deverá anotar
que características herdou e de quem herdou.
Escrever também na folha o nome e a idade.
Após o término dos desenhos, o coordenador
orienta o grupo a sentarem-se em trio e
comentar sobre suas heranças.

Análise
A análise deste jogo se dá pela valorização
que damos à genética, à nossa história de
vida pessoal baseada nos valores e
comportamentos familiares. Da percepção que
temos do espaço social chamado Família.
Que personagem da família foi mais fácil
desenhar?
Dentre as qualidades que você herdou, qual
foi mais confortável anotar? Por que?
Que característica você nota em seus
familiares e você ainda não possui? Deseja
possuir?
Que sentimentos este exercício trouxe à tona?
Que herança é mais fácil herdar?
Características ou valores financeiros?
Estes são os produtos para auxiliar os catequistas:
™ Apostila com mais de 130 dinâmicas
™ Camisa da Catequese
™ Livro com musicas para animar catequese (
Brevemente )

Adquira o seu produto com a Coordenação Paroquial

Estes produtos servem como idéias para


catequista fazer em sua paróquia.

© Copyleft Domingos 2008


Arquidiocese de Teresina 48
Paróquia São Sebastião
Catequese Paroquial

Grato,

Fico muito grato com a contribuição do site


catequisar.com.br e dos catequistas de todo país.
Uma versão desta mesma apostila foi colocada
em anuncio no Orkut para pedirem por e-mail. A
procura foi tão grande que não dei conta da
distribuição, sendo preciso fazer um site –
br.geocities.com/domingosweb – para
downloads. Fico alegre quando recebo e-mail de
catequista que deram formações em suas
paróquias dizendo que usaram esta apostila de
dinâmicas. Tudo isso graças a contribuição de
centenas de catequistas que contribuem com o
site catequisar ou comigo por email.

Domingos Nunes