Você está na página 1de 12

MATEMÁTICA – 6° ANO

CENTRO DE ENSINO MUNICIPAL MONSENHOR BACELLAR


ÁREA DE CONHECIMENTO: MATEMÁTICA
PROFESSOR: IVANILDO ESCÓCIO DA SILVA

PLANO ANUAL DE ENSINO


MATEMÁTICA
6° ANO

MORROS – MA
2018
NÍVEL DE MODALIDADE: ENSINO FUNDAMENTAL

PLANO ANUAL DE ENSINO

TURMA: 6° ANO DO ENSINO FUNDAMENTAL

TURNO: MATUTINO

COMPONENTE CURRICULAR: MATEMÁTICA

OBJETIVO GERAL:

CONTRIBUIR PARA A AQUISIÇÃO DE CONHECIMENTOS E HABILIDADES MATEMÁTICAS, BUSCANDO O

DESENVOLVIMENTO INTELECTUAL DOS ALUNOS, PROMOVENDO SUA AUTONOMIA, TRABALHANDO A LEITURA

E INTERPRETAÇÃO DE TEXTOS MATEMÁTICOS, ENSINANDO-OS A EXPRESSAR-SE ATRAVÉS DA MATEMÁTICA,

INCENTIVANDO ESTRATÉGIAS VARIADAS DE RESOLUÇÃO DE PROBLEMAS.


1º Período
O que se espera ao final da etapa O que deverá ser aprendido O que deverá ser ensinado Como deverá ser ensinado
(competência) (habilidades) (conteúdo)

 Ser capaz de perceber a importância  Ampliar o conhecimento acerca da  Números naturais, operações e resolução de  Técnicas
dos números, suas prioridades, suas origem e da evolução dos números no problemas.  aulas expositiva e dialogada
inter-relações, seus significados e o decorrer da história.  atendimentos e observações individuais
modo como, historicamente foi  Reconhecer e utilizar os números para  Números naturais, e coletivas
construído, bem como sua eficácia na indicar quantidade, medida, ordem ou  Situações que envolvem a adição e a  discussão de textos/artigos que resgatam
resolução de situações-problema no código. subtração, a história da matemática
seu cotidiano  Identificar características dos sistemas de  Adição e subtração: operações inversas,  utilização de material didático
numeração egípcio e romano.  Situações que envolvem multiplicação, específico para determinadas aulas
 Representar números nos sistemas de  Situações que envolvem divisão,
numeração egípcio e romano.  Multiplicação e divisão: operações inversas  Recursos
 Ampliar a compreensão do sistema de  Expressões numéricas,  quadro e pincel
numeração decimal.  Propriedades da adição e multiplicação,  artigos
 Explorar situações problema, que  Propriedades da subtração e divisão,  material impresso/xerocado
envolvam números naturais.  Potenciação,  Atividades variadas
 Fazer com o que os alunos identifiquem,  Potenciação e raiz quadrada,
discutam e compreendam as  Geometria,
características dos números naturais e sua  Ângulos
aplicação em situações do cotidiano  Polígonos, triângulos, quadriláteros e
 Reconhecer pontos, retas, semirretas, outros,
segmentos de reta e planos  Estudando algumas figuras geométricas
 reconhecer o uso dos ângulos em espaciais,
situações cotidianas
 Identificar, entre os quadriláteros,
trapézios, retângulos e quadrados
 Identificar aresta, vértices e faces de
figuras espaciais.
 Identificar figuras que tenham eixo de
simetria.

O que deverá ser avaliado: Todas as atividades desenvolvidas pelos estudantes serão avaliadas no processo de aprendizagem: tarefas de casa, trabalhos em grupos, pesquisas, avaliações. Ao
final de cada conteúdo serão realizadas avaliações diagnósticas, para que o estudante possa se autoavaliar. Serão feitas pelo menos uma avaliação por bimestre e dois trabalhos de pesquisa.
2º Período
O que se espera ao final da etapa O que deverá ser aprendido O que deverá ser ensinado Como deverá ser ensinado
(competência) (habilidades) (conteúdo)

 Ser capaz de perceber a importância  Conceituar a divisibilidade de números  Padrões e regularidades  Técnicas
dos números, suas prioridades, suas naturais.  Sequência numéricas .  aulas expositiva e dialogada
inter-relações, seus significados e o  Determinar critérios de divisibilidade por 2,  Padrões geométricos  atendimentos e observações individuais
modo como, historicamente foi 5, e 10 pela observação de padrões  Múltiplos e divisores e coletivas
construído, bem como sua eficácia na numéricos.  Divisibilidade e padrões  discussão de textos/artigos que resgatam
resolução de situações-problema no  Reconhecer e usar os critérios de  Outros critérios de divisibilidade a história da matemática
seu cotidiano divisibilidade por 3, 4, 6, 8 e 9.  Os números primos  utilização de material didático
 Conceituar números primos  Decomposição em fatores primos específico para determinadas aulas
 Determinar se um número é primo  Mínimo múltiplo comum
 Verificar se um número é múltiplo de outro.  Cálculo prático e cálculo mental do mmc  Recursos
 Identificar o conjunto dos múltiplos de um  Divisores e máximo divisor comum  quadro e pincel
número natural.  Problemas envolvendo múltiplos e  artigos
 Conceituar mínimo múltiplo comum de dois divisores  material impresso/xerocado
ou mais números naturais Atividades variadas
 Obter o mmc de dois ou mais números por
sua decomposição em fatores primos
 Determinar se um número é divisor de outro
 Conceituar o máximo divisor comum de
dois ou mais números naturais
 Desenvolver habilidades de resolução de
problemas.

O que deverá ser avaliado: Todas as atividades desenvolvidas pelos estudantes serão avaliadas no processo de aprendizagem: tarefas de casa, trabalhos em grupos, pesquisas, avaliações. Ao
final de cada conteúdo serão realizadas avaliações diagnósticas, para que o estudante possa se autoavaliar. Serão feitas pelo menos uma avaliação por bimestre e dois trabalhos de pesquisa.
3º Período
O que se espera ao final da etapa O que deverá ser aprendido O que deverá ser ensinado Como deverá ser ensinado
(competência) (habilidades) (conteúdo)

 Ser capaz de perceber a importância  Reconhecer e representar as frações mais ● Frações e decimais  Técnicas
dos números, suas prioridades, suas comuns, meios, terços e quartas partes.  As frações  aulas expositiva e dialogada
inter-relações, seus significados e o  Generalizar o conceito de frações  Frações: a generalidade e as  atendimentos e observações
modo como, historicamente foi  Praticar a leitura e a escrita de frações. porcentagens individuais e coletivas
construído, bem como sua eficácia na  Identificar a forma mista de uma fração  Frações: equivalência e  discussão de textos/artigos que
resolução de situações-problema no  Resolver problemas típicos envolvendo simplificação resgatam a história da matemática
seu cotidiano frações.  Números racionais  utilização de material didático
 Conceituar frações equivalentes  Números decimais específico para determinadas aulas
 Identificar números racionais naturais e  Comparação de números decimais
números racionais fracionários.  Uso dos números decimais  Recursos
 Escrevendo frações como números  quadro e pincel
 Representar frações decimais sob a forma de
números decimais e vice-versa. decimais  artigos
 Ler e escrever números decimais  Operações com números racionais  material impresso/xerocado
 Adição e subtração de frações Atividades variadas
 Comparar números decimais.
 Multiplicação e divisão de frações
 Efetuar divisões de números naturais,
 Adição e subtração de números decimais
obtendo quocientes decimais.
 Multiplicação e divisão de números
 Efetuar adição e subtração de frações decimais
 Efetuar multiplicação e divisão de frações
 Resolver problemas envolvendo a essas
operações.
 Efetuar adição e subtração de números
decimais
 Efetuar multiplicação e divisão de números
decimais
 Resolver problemas envolvendo números
decimais.

O que deverá ser avaliado: Todas as atividades desenvolvidas pelos estudantes serão avaliadas no processo de aprendizagem: tarefas de casa, trabalhos em grupos, pesquisas, avaliações.
Ao final de cada conteúdo serão realizadas avaliações diagnósticas, para que o estudante possa se autoavaliar. Serão feitas pelo menos uma avaliação por bimestre e dois trabalhos de
pesquisa.
4º Período
O que se espera ao final da etapa O que deverá ser aprendido O que deverá ser ensinado Como deverá ser ensinado
(competência) (habilidades) (conteúdo)

 Ser capaz de perceber a importância  Construir e interpretar tabelas, e gráficos de barras. ● Tratamento de dados  Técnicas
dos números, suas prioridades, suas  Calcular médias aritméticas  aulas expositiva e dialogada
inter-relações, seus significados e o  Resolver problemas sobre médias e porcentagens.  Tabelas e gráficos  atendimentos e observações
modo como, historicamente foi  Conceituar comprimento como medida de uma linha.  Média aritmética e porcentagens individuais e coletivas
construído, bem como sua eficácia na  Identificar as unidades de medida de comprimento mais  discussão de textos/artigos que
resolução de situações-problema no ● Tratamento de dados resgatam a história da
usuais, o metro, o quilômetro, o centímetro e o milímetro.
seu cotidiano  Conhecer os múltiplos e submúltiplos do metro. matemática
 Comprimento  utilização de material didático
Transformar as unidades métricas de comprimento. Usar  Unidade de medida de
medidas de comprimento e suas transformações em específico para determinadas
comprimento aulas
situações-problema do cotidiano.  Área
 Identificar as unidades de medidas de área mais usuais, o  Volume
centímetro quadrado, o metro quadrado e o quilômetro  Recursos
 Capacidade
quadrado.  quadro e pincel
 Massa
  artigos
Calcular a medida de área de retângulos e quadrados.  Medindo o tempo
 material impresso/xerocado
 Aplicar o cálculo da medida de área em situações práticas.
Atividades variadas
 Identificar o centímetro cúbico como unidade de medida de
volume
 Calcular a medida de volume de paralelepípedos
 BIBLIOGRAFIA:
retangulares.
 Reconhecer o litro como unidade de capacidade.
Centurion, Marília
 Estabelecer as unidades de medida de massa. Transformar Matemática nos dias de hoje,
unidades de massa 6ºano: na medida certa\ Marília
 Conceituar as unidades mais usadas para medir intervalos Centurion, José Jakubovic. – 1.
de tempo Ed.—São Paulo: Leya, 2015.
 Resolver problemas com horas, minutos e segundos.

O que deverá ser avaliado: Todas as atividades desenvolvidas pelos estudantes serão avaliadas no processo de aprendizagem: tarefas de casa, trabalhos em grupos, pesquisas, avaliações. Ao
final de cada conteúdo serão realizadas avaliações diagnósticas, para que o estudante possa se autoavaliar. Serão feitas pelo menos uma avaliação por bimestre e dois trabalhos de pesquisa.
MATEMÁTICA – 8° ANO

CENTRO DE ENSINO MUNICIPAL MONSENHOR BACELLAR


ÁREA DE CONHECIMENTO: MATEMÁTICA
PROFESSOR: IVANILDO ESCÓCIO DA SILVA

PLANO ANUAL DE ENSINO


MATEMÁTICA
8° ANO

MORROS – MA
2018
NÍVEL DE MODALIDADE: ENSINO FUNDAMENTAL

PLANO ANUAL DE ENSINO

TURMA: 8º ANO DO ENSINO FUNDAMENTAL

TURNO: MATUTINO

COMPONENTE CURRICULAR: MATEMÁTICA

OBJETIVO GERAL:

CONTRIBUIR PARA A AQUISIÇÃO DE CONHECIMENTOS E HABILIDADES MATEMÁTICAS, BUSCANDO O

DESENVOLVIMENTO INTELECTUAL DOS ALUNOS, PROMOVENDO SUA AUTONOMIA, TRABALHANDO A LEITURA

E INTERPRETAÇÃO DE TEXTOS MATEMÁTICOS, ENSINANDO-OS A EXPRESSAR-SE ATRAVÉS DA MATEMÁTICA,

INCENTIVANDO ESTRATÉGIAS VARIADAS DE RESOLUÇÃO DE PROBLEMAS.


1º Período
O que se espera ao final da etapa O que deverá ser aprendido O que deverá ser ensinado Como deverá ser ensinado
(competência) (capacidade) (conteúdo)

 Ser capaz de assumir uma atitude de  Resolver problemas que envolvem a contagem de  Matemática do dia a dia  Técnicas
interesse nas diferentes situações que possibilidades, a organização de dados e os raciocínios  aulas expositiva e dialogada
favorecem a aprendizagem multiplicativos e combinatórios.  Tratamento da informação:  atendimentos e observações
matemática, percebendo a importância  Conceituar probabilidade de ocorrência de um evento possibilidades individuais e coletivas
dos números, suas prioridades, suas  Resolver problemas envolvendo lucros e prejuízos, usando  Tratamento da informação:  discussão de textos/artigos que
inter-relações, seus significados e o conhecimentos de Aritmética e de porcentagens. probabilidades resgatam a história da matemática
modo como historicamente foi  Resolver problemas sobre juros simples.  Matemática comercial: lucro e  utilização de material didático
construído, bem como sua eficácia na  Resolver problemas envolvendo divisão de quantias em prejuízo específico para determinadas aulas
resolução de situações-problema no partes diretamente proporcionais (regra de sociedade).  Matemática comercial: juros
seu cotidiano  Reconhecer dízimas periódicas. Obter a geratriz de uma  Matemática comercial: regra de  Recursos
dízima periódica. sociedade  quadro e pincel
 Conceituar os números irracionais.  Números reais  artigos
 Obter raízes quadradas de números racionais por  Dízimas periódicas  material impresso/xerocado
tentativas. Identificar raízes quadradas racionais e  Números irracionais  Atividades variadas
irracionais.  A raiz quadrada
 Traçar um segmento de medida √2 cm. Relacionar o  Os números irracionais na
comprimento e o diâmetro de uma circunferência com o geometria
número π.  Números reais
 Identificar o conjunto R dos números reais. Representar R
numa reta. Comparar números reais, usando os símbolos >
e <. Reconhecer e representar subconjuntos de R,
utilizando a linguagem da teoria dos conjuntos.
 Reconhecer e aplicar as propriedades das operações com
números reais.

O que deverá ser avaliado: Todas as atividades desenvolvidas pelos estudantes serão avaliadas no processo de aprendizagem: tarefas de casa, trabalhos em grupos, pesquisas, avaliações. Ao
final de cada conteúdo serão realizadas avaliações diagnósticas, para que o estudante possa se autoavaliar. Serão feitas pelo menos uma avaliação por bimestre e dois trabalhos de pesquisa .
2º Período
O que se espera ao final da etapa O que deverá ser aprendido O que deverá ser ensinado Como deverá ser ensinado
(competência) (capacidade) (conteúdo)

 Ser capaz de associar números  Reconhecer uma expressão algébrica ● . Álgebra: usando variáveis.  Técnicas
variáveis nas operações identificando  Reconhecer monômios, binômios, trinômios  aulas expositiva e dialogada
e conhecendo expressões algébricas. e polinômios.  Expressões algébricas  atendimentos e observações individuais
 Identificar o coeficiente e a parte literal de  Adição e subtração de monômios e coletivas
um monômio.  Multiplicação, divisão e potenciação de  discussão de textos/artigos que resgatam
 Identificar monômios semelhantes. monômios a história da matemática
 Determinar o grau de um monômio e de um  Adição e subtração de polinômios  utilização de material didático
polinômio. específico para determinadas aulas
 Efetuar adição, subtração, multiplicação, ● Polígonos
divisão e potenciação envolvendo  Recursos
monômios.  Tangram  quadro e pincel
 Efetuar adição e subtração, envolvendo  artigos
 Alguns ângulos notáveis
polinômios.  material impresso/xerocado
 Conhecer e construir peças do tangram.  Ângulos formados por paralelas e Atividades variadas
 Identificar ângulos e bissetrizes nas peças do transversais
tangram.
 Soma das medidas dos ângulos internos de
 Reconhecer ângulos adjacentes, opostos pelo
vértice e suplementares. um triângulo
 Conhecer diferentes classificações dos
 Quadriláteros: definições e classificação
quadriláteros.
 Compartilhar com os colegas os  Triângulos congruentes
conhecimentos adquiridos.

O que deverá ser avaliado: Todas as atividades desenvolvidas pelos estudantes serão avaliadas no processo de aprendizagem: tarefas de casa, trabalhos em grupos, pesquisas, avaliações. Ao
final de cada conteúdo serão realizadas avaliações diagnósticas, para que o estudante possa se autoavaliar. Serão feitas pelo menos uma avaliação por bimestre e dois trabalhos de pesquisa.
3º Período
O que se espera ao final da etapa O que deverá ser aprendido O que deverá ser ensinado Como deverá ser ensinado
(competência) (capacidade) (conteúdo)

● Equações, sistemas de equações e  Técnicas


 Compreender o significado das  Revisar conceitos relativos a equações. inequações  aulas expositiva e dialogada
medidas, a partir de situações-  Revisar técnicas de resolução de equações do 1°  Equações do primeiro grau:  atendimentos e observações
problema que expressam seu uso no grau. revisão individuais e coletivas
contexto social e em outras áreas do  Conceituar sistemas de equações. Resolver sistemas  Sistemas de equações  discussão de textos/artigos que
conhecimento e que possibilitem a pelo método da substituição.  O método da substituição resgatam a história da matemática
comparação de grandezas de mesma  Resolver sistemas pelo método da substituição.  O método da adição  utilização de material didático
natureza. Resolver problemas por meio de sistemas de  Inequações específico para determinadas aulas
equações.  Resolvendo inequações
 Resolver sistemas pelo método da adição. Resolver  Grandezas e medidas  Recursos
sistemas por meio de sistemas de equações.  A necessidade de medir  quadro e pincel
 Medidas expressas por razões  artigos
 Conceituar inequações. Resolver inequações simples.
 material impresso/xerocado
Representar as soluções na reta numérica.
Atividades variadas
 Ampliar e construir a noção de medida a partir do
reconhecimento de seu uso no contexto social e das
grandezas físicas
 Reconhecer as unidades de base do Sistema
Internacional de Unidade, bem como os múltiplos e
submúltiplos dessas unidades.
 Resolver problemas que envolvam grandezas direta
ou inversamente proporcionais.
 Reconhecer grandezas determinadas pela razão entre
duas grandezas.
 Resolver problemas que envolvem grandezas e
medidas determinadas pela razão entre outras duas.

O que deverá ser avaliado: Todas as atividades desenvolvidas pelos estudantes serão avaliadas no processo de aprendizagem: tarefas de casa, trabalhos em grupos, pesquisas, avaliações.
Ao final de cada conteúdo serão realizadas avaliações diagnósticas, para que o estudante possa se autoavaliar. Serão feitas pelo menos uma avaliação por bimestre e dois trabalhos de
pesquisa.
4º Período
O que se espera ao final da etapa O que deverá ser aprendido O que deverá ser ensinado Como deverá ser ensinado
(competência) (capacidade) (conteúdo)

 Ser capaz de ver que a geometria, ● Construções geométricas  Técnicas


contribui para aprendizagem dos  Identificar raio, corda, diâmetro e ângulo central em  Circunferências  aulas expositiva e dialogada
números e medidas, estimulando a uma circunferência.  Ângulos inscritos  atendimentos e observações
observação, a percepção de  Calcular o comprimento da circunferência em função  Construção de figuras geométricas individuais e coletivas
semelhanças e diferenças, a aplicação da medida do raio. planas  discussão de textos/artigos que
de propriedades e a transformação de  Conceituar ângulo inscrito  Mais construções de figuras planas resgatam a história da
figuras.  Construir polígonos regulares com réguas e compasso.  Construindo embalagens matemática
 Reconhecer figuras geométricas espaciais comuns no ● Produtos notáveis e fatoração  utilização de material didático
dia a dia.  De aritmética à álgebra: específico para determinadas
 Construir essas figuras a partir de sua planificação multiplicação de polinômios aulas
 Calcular medidas necessárias para sua construção.  De aritmética à álgebra: divisão
 Efetuar a multiplicação de polinômios.  Fatoração de polinômios  Recursos
 Reconhecer e calcular o “o quadrado de uma soma”  Fatoração usando fatores comuns  quadro e pincel
 Desenvolver o quadrado da soma e a diferença de dois  Algumas explicações da fatoração de  artigos
termos polinômios  material impresso/xerocado
 Efetuar divisões de polinômios em casos simples. Atividades variadas
 Conceituar a fatoração de polinômios.
 Fatorar a diferença de quadrados e o trinômio
quadrado perfeito.  BIBLIOGRAFIA:
 Identificar o fator comum de uma expressão algébrica. Centurion, Marília
 Fatorar expressões algébricas por agrupamento Matemática nos dias de hoje,
 Visualizar o agrupamento no cálculo da soma das 8º ano: na medida certa\ Marília
áreas de retângulo em determinadas condições Centurion, José Jakubovic. – 1.
 Usar os casos de fatoração para simplificar frações Ed.—São Paulo: Leya, 2015.
algébricas, efetuar divisões de polinômios e resolver
equações.

O que deverá ser avaliado: Todas as atividades desenvolvidas pelos estudantes serão avaliadas no processo de aprendizagem: tarefas de casa, trabalhos em grupos, pesquisas, avaliações. Ao
final de cada conteúdo serão realizadas avaliações diagnósticas, para que o estudante possa se autoavaliar. Serão feitas pelo menos uma avaliação por bimestre e dois trabalhos de pesquisa.