Você está na página 1de 2

EXCELENTÍSSIMO SR. DR.

JUIZ DE DIREITO DA ___ VARA CÍVEL DO


FORO DA COMARCA DE CAMPINAS/SP

Carlos, nacionalidade, estado civil, profissão, portador do RG n°, e do CPF n°,


residente e domiciliado na Rua, N°, bairro, Campinas/SP, por seu advogado,
vem respeitosamente à presença de Vossa Excelência ajuizar AÇÃO DE
PERDAS E DANOS, com fundamento no art. 247 e seguintes do Código de
Processo Civil, em face de Pierre, nacionalidade, estado civil, profissão,
portador do RG n°, e do CPF n°, residente e domiciliado na Rua, N°, bairro,
São Bernardo do Campo/SP, pelos motivos de fato e de direito expostos a
seguir.

AÇÃO DE PERDAS E DANOS

DOS FATOS

Carlos celebrou com Pierre contrato para a confecção de 2 (duas) telas, com a
promessa de serem pintadas pessoalmente, no prazo de 1 (um) ano, para
serem expostas em sua nova mansão. Pelo trabalho, Pierre receberia a quantia
de R$ 200.000,00 (duzentos mil reais), dos quais R$ 100.000,00 (cem mil
reais) lhe foram adiantados.

Passando o prazo contratado de 1 (um) ano, Pierre entregou as duas obras,


porém, as mesmas foram confeccionadas, por Jacque, discípula de Pierre.

Carlos se negou a receber as obras, vez que Pierre deveria ser o autor das
obras de arte.

Destarte, como o requerido não cumpriu com a obrigação de fazer


personalíssima, a ele imposta, o requerente através da presente ação, busca a
reparação o ressarcimento do valor despendido, mais perdas e danos.

DO DIREITO
O requerido ocasionou o inadimplemento do contratado por não confeccionar
as telas pessoalmente, conforme o acordo feito entre as partes, descumprindo
a obrigação de fazer personalíssima.

O artigo 389 do Código Civil de 2002 prevê que existindo inadimplemento da


obrigação, responde o devedor por perdas e danos, mais juros e valor corrigido
monetariamente, e honorários advocatícios.

O artigo 475 do Código Civil de 2002 prevê que “A parte lesada pelo
inadimplemento pode pedir a resolução do contrato, se não preferir exigir-lhe o
cumprimento, cabendo, em qualquer dos casos, indenização por perdas e
danos.”

DOS PEDIDOS

Condenar o requerido a ressarcir o requerente, na quantia paga de R$


100.000,00 (cem mil reais), corrigidos monetariamente e acrescidos com juros
correspondentes desde a data do pagamento.

A condenação do requerido a pagar os honorários advocatícios.

A citação do requerido para se manifestar nos autos, sob pena de revelia.

Dá-se a causa o valor de R$ 100.000,00.

Termos que pede deferimento.

Campinas/SP, 01 de março de 2018.

ADVOGADO OAB-SP