Você está na página 1de 30

MARCELO HUGO

DA ROCHA

inclui
GABARITO
JUSTIFICADO
+
DICAS DE COACHING

SIMULADO
PASSE NA OAB
2018
Nota do Organizador para 2a edição – 2018

Chegamos à 2a edição do e-book OAB Simulado Passe na OAB do Saraiva Aprova. Quando da sua
publicação, não esperávamos o grande sucesso que teve! Foram centenas de milhares de downloads
com um ótimo feedback! Inclusive o seu sucesso gerou prole, a plataforma online de Simulados OAB
Saraiva Aprova, que você pode ter acesso, gratuitamente, acessando pelo blog do Saraiva Aprova
[www.saraivaaprova.com.br/blog].
O que mudou entre a publicação da primeira edição e desta? Muita coisa! Neste período a própria
prova mudou no sentido da distribuição do número de questões por disciplina. Assim, reestruturamos
o simulado que segue, atualizando a parte das respostas, bem como revisamos as dicas de coaching.
Por outro lado, reitera-se que a ciência não deixa dúvidas quando avalia os dez métodos mais popu-
lares para aprender e atesta que apenas dois foram considerados de utilidade alta: a resolução de ques-
tões, junto com os estudos antecipados. Assim, a utilização dos simulados comprova que estudar por
questões anteriores ou que simulem a mesma abordagem pavimenta o caminho para a aprovação.
Para entregar este material a você, pesquisamos o suficiente para oferecer questões que se apro-
ximassem ao máximo não só do estilo da banca da FGV, como também do conteúdo que vem sendo
cobrado nos últimos Exames de Ordem. As questões estão identificadas com a banca e o ano que foram
publicadas. Exceto as disciplinas de Ética e Filosofia do Direito, que trouxemos dos simulados e de
questões da obra Passe na OAB 1a Fase FGV Questões Comentadas (9a edição, 2018, Editora Saraiva),
todas as outras foram retiradas de concursos públicos e adaptadas para o nosso simulado.
Importa destacar que tivemos o cuidado selecionar questões com “casos” ou situações hipotéticas,
hoje a realidade na prova da OAB. O grau de dificuldade também foi observado conforme vem sendo
monitorado desde 2005, quando assumimos a tarefa de auxiliar os futuros advogados do país, como será
o seu caso, com certeza! Todo o gabarito foi justificado para reafirmar a importância deste trabalho.
Por fim, apresentamos a única plataforma de preparação para OAB que desenvolve os estudos de
forma personalizada para cada aluno e ainda garante a devolução do investimento em caso de insu-
cesso, Saraiva Aprova. Qualquer dúvida, faça contato e ótimo simulado! Mas não esqueça: compartilhe
este material, disponibilizado gratuitamente, com seus colegas, amigos e familiares, porque diferente
dos concursos públicos, o Exame de Ordem não tem concorrência. A sua vaga está garantida!
Prof. Marcelo Hugo da Rocha
Mestre em Direito (PUCRS). Professor no Centro Universitário CNEC – UNICNEC. Escritor de mais de 60
obras publicadas pela Editora Saraiva. Leader coach (IBC). Mentor (FGV). Editor do blog Passe na OAB.
Advogado.
 mhdarocha@gmail.com
 facebook.com/marcelohugodarocha
 www.passenaoab.com.br
 Instagram: @profmarcelohugo
 Youtube: https://www.youtube.com/PasseNaOAB

2
Indicação Bibliográfica

Todo guerreiro que se preze a entrar num combate precisa de armas. Mas nenhum deles irá se
aventurar com armas frágeis ou inadequadas. Para enfrentar exames e concursos a situação é a mes-
ma. Assim, busque compor o seu arsenal com livros atualizados e especializados, que tenham referên-
cia, principalmente.
Observando esses quesitos, a Editora Saraiva apresenta ótimas opções para lutar com o que de
melhor possa se oferecer. Primeiramente, para nós, cientistas das Ciências Jurídicas e Sociais, um óti-
mo escudo para ignorância: um VADE MECUM. E o melhor, não por ser o mais vendido no país, é
aquele que traz a tradição de uma editora centenária. Indicamos um especializado para nossa aven-
tura: Vade Mecum Saraiva OAB. Ele é o único que é atualizado três vezes por ano, um para cada
edital do Exame de Ordem.
Outra arma que não se deve ignorar: um livro de questões comentadas. Indicamos o livro com
maior número de questões comentadas para OAB e atualizado com as edições mais recentes do Exame
de Ordem. Sua importância é facilitar a resolução de questões, um dos dois melhores métodos de es-
tudos comprovados pela ciência! Assim, tenha em mãos: Passe na OAB 1a fase FGV Questões Comen-
tadas (9ª edição, Editora Saraiva, 2018).
E livro de teoria? Indicamos duas obras: Passe na OAB Completaço 1a Fase FGV (4a edição, Edito-
ra Saraiva, 2018) e OAB 1a Fase Volume Único Esquematizado® (3a edição, Editora Saraiva, 2018). Este
último é de coordenação do professor Pedro Lenza e que você pode incluir no seu pacote na platafor-
ma Saraiva Aprova.
Por fim, uma poderosa arma e que será fatal para o inimigo: um livro motivacional e que traz toda
a preparação pedagógica e psicológica em 150 textos e 300 páginas, uma legítima obra de autoajuda
com conteúdo jurídico, o Poder da Aprovação: Coaching + Mentoring para OAB e Concursos (Edi-
tora Saraiva).
Com este arsenal, nenhum obstáculo ficará de pé!

3
Indicação de Plataforma de Estudos

Desde 2005 dedico-me ao Exame de Ordem. Já fui proprietário de curso preparatório presencial,
coordenador e professor de outros. Assisti o nascimento, o sucesso e o fracasso de muitos. Analisei o
mercado como poucos, análise que reflete a consulta de empresários e professores que pretendem
ingressar no “Mundo OAB”, bem como de milhares de alunos que buscam uma sugestão de prepara-
tório. O que desejo agora é indicar uma moderníssima plataforma educacional, que traz, por outro
lado, toda a tradição centenária de produção de livros jurídicos, a Editora Saraiva.
Esta plataforma é o Saraiva Aprova: www.saraivaaprova.com.br.
Conheço muito bem o projeto desde o seu nascedouro (Editora Saraiva) e tive a felicidade de in-
dicar sugestões para oferecer a você a melhor experiência de tudo o que já foi comercializado desde
1997, quando o Exame de Ordem se tornou obrigatório (fiz a primeira prova obrigatória com êxito!)
e surgiram os cursos preparatórios. Tenho certeza que esta plataforma quebra paradigmas que não
funcionam mais desde o surgimento do ensino à distância – EAD.
Cursinhos em EAD têm aos montes! Basta uma câmera, microfone, um quadro, e pronto! Cursos
preparatórios dignos de possível indicação são muito poucos. Plataforma de ensino apenas uma é de
indicação segura. Uma plataforma que oferece uma preparação ADEQUADA, portanto, que observa as
particularidades de cada aluno a partir de algoritmos de resultados tecnológicos altamente avançados
e cruzados com o diagnóstico inicial de cada disciplina avaliada por você! O Saraiva Aprova não é só
isso, mas bastaria para escolher e ser aprovado numa única oportunidade ou na última tentativa.

Todo curso preparatório que se preze informa que oferecerá material complementar para estudos.
E se há uma opção, cujo material didático é produzido pela Editora Saraiva? Você pode imaginar que
tipo de material será? Veja você mesmo na próxima página!

4
Portanto, não é “mais” um material qualquer, mas “o” material, como fosse um livro produzido na
linha de montagem da maior editora jurídica do país! Isso está incluído no seu curso sem pagar mais
por ele. Não está satisfeito ainda? Que tal receber o livro OAB Esquematizado® dentro dos valores da
plataforma e ainda levar o Vade Mecum OAB 2018? A escolha do plano é sua, mas o curso é Saraiva
Aprova segundo a legião de aprovados que passaram por ele [confira os depoimentos nas redes sociais
e no site www.saraivaaprova.com.br].
Quanto aos professores? A contar pelo frontman desta plataforma, o prof. Pedro Lenza, respon-
sável pelo livro jurídico doutrinário mais vendido do Brasil, Direito Constitucional Esquematizado®, e
um dos mais queridos e admirados, o restante da equipe, selecionada a dedo, torna a seleção docente
uma das mais respeitadas que se poderia ter! Todos são, no mínimo, mestres e, grande parte, doutores
em Direito com longa bibliografia publicada, além de serem professores experientes em faculdades,
cursos de pós-graduação e preparatórios. Mas também são reconhecidos como os professores mais
queridos do país!
Sabe da última? O Saraiva Aprova garante a sua aprovação! Por ele ter o total compromisso com
os seus alunos e na qualidade do que oferece, devolve todo o seu investimento ou libera o curso por
mais seis meses caso não haja êxito. Saiba mais no site da plataforma e ÓTIMOS ESTUDOS!

5
Dicas de Coaching

Você já deve ter se perguntado: “por onde irei começar os meus


estudos?”. E eu lhe respondo com toda a minha experiência de
mais de dez anos envolvido com o “Mundo OAB”: pelas questões!
Não há outro lugar que se possa começar e por uma única razão:
conhecimento. Não só como uma autoanálise, mas também para
conhecer o inimigo que você irá enfrentar.
Voltamos à importância do simulado e da resolução de ques-
tões em geral. Quando resolvemos questões avaliamos nossas
condições. É um legítimo RAIO-X. Ele irá nos trazer um diagnós-
tico essencial dos nossos pontos fracos e pontos fortes do con-
teúdo que será cobrado.
Talvez você já soubesse disso, mas não sabe o que fazer com
os resultados. Pois bem, invista os seus estudos, primeiro, nas suas
fraquezas, para depois garantir suas virtudes.
Não adianta eu ignorar o que não sei ou detesto, pois mesmo
nas disciplinas que tenho afinidade, provavelmente, enfrentarei dificuldades acima da média, em
razão do Exame de Ordem ser uma prova inacessível para a maioria. Assim, a preparação precisa ser
equilibrada, ou melhor, ADEQUADA às necessidades particulares de cada examinando. Também preci-
sa ser ADEQUADA ao tempo que você dispõe para estudar. Assim, por exemplo, se os testes mostraram
que tenho dificuldades com Empresarial, não é por acaso que a disciplina tem o menor percentual de
acertos entre 17, por certo a carga horária deverá ter uma atenção maior a ela para alcançar – pelo
menos – dois a três acertos das cinco questões cobradas. Por outro lado, resolver questões também
revela os temas dentro das disciplinas mais cobrados pela banca.
Como se sabe, o edital da OAB não entrega o conteúdo programático da 1a fase, ao contrário da
2 fase e dos concursos públicos. Portanto, mais um motivo forte para descobrir o que realmente cai
a

no Exame de Ordem. Se você avaliar Empresarial, descobrirá que cada uma das questões segue um
padrão. Uma cobra títulos de crédito; uma ou duas, direito societário; outra, direito falimentar e re-
cuperacional; possivelmente, a última será sobre contratos mercantis ou propriedade industrial. Todas
as outras disciplinas revelam essas tendências. Destaca-se esta dica pela fundamental razão de otimizar
os estudos, ou seja, estudar menos para acertar mais.
Ou você gostaria de ler todos os artigos do Código Civil (que são mais de 2 mil!) para acertar entre
sete a dez questões (entre Direito Civil e Empresarial)? Com certeza não! Para evitar esse desperdício de
tempo e aprendizado, resolver questões é uma forma segura de indicar os temas que vem sendo cobra-
dos pela banca. Esta “fórmula” ou “norte” é o que os cursinhos tentam buscar junto ao seu público ao
ministrar apenas o essencial. Mais dicas sobre resolução de questões (pois não basta sair a esmo resol-
vendo tudo o que aparecer), preparação e motivação em nosso blog Passe na OAB (www.passenaoab.
com.br) ou no módulo de coaching da plataforma Saraiva Aprova (www.saraivaaprova.com.br).
Bons estudos!
6
Divisão da Prova por
Disciplinas e Questões

Se você nunca fez uma prova da OAB, nem mesmo para testar, saiba que a prova não é dividida por
disciplinas e o edital não informa o número de questões em cada uma das dezessete cobradas. Confor-
me dito antes, ocorreu uma mudança radical no XXIII Exame de Ordem (em 2017) com a alteração do
número de questões por disciplina. Recordo que no XXII Exame, dois tipos de provas (no total são
quatro) tiveram alterada a ordem das disciplinas, portanto o mapa da prova não é definitivo.
O novo mapa, atualizado com a última prova de 2017, é o seguinte:

7
8
Simulado

1.  (Passe na OAB Questões Comentadas) A


respeito dos direitos do advogado, indique
inferior a cem por cento sobre o valor da hora
normal, mesmo havendo contrato escrito.
(C) As horas trabalhadas no período das vinte horas
a única alternativa que não está de acordo com o
Estatuto da Advocacia e da OAB. de um dia até as cinco horas do dia seguinte são
remuneradas como noturnas, acrescidas do adi-
(A) Ter vista dos processos judiciais ou administrativos
cional de vinte por cento.
de qualquer natureza, em cartório ou na reparti-
(D) Nas causas em que for parte o empregador ou
ção competente, ou retirá-los pelos prazos legais.
pessoa por este representada, os honorários de
(B) Reclamar, verbalmente ou por escrito, perante sucumbência não são devidos aos advogados
qualquer juízo, tribunal ou autoridade, contra a empregados.
inobservância de preceito de lei, regulamento
ou regimento.
(C) Comunicar-se com seus clientes, pessoal e re-
servadamente, mesmo sem procuração, quando
4.  (FGV/2016) As Subseções Arambaré e Ca-
maquã da OAB, ambas criadas pelo Con-
selho Seccional do Rio Grande do Sul - RS, reivin-
estes se acharem presos, detidos ou recolhidos dicam a competência para desempenhar certa
em estabelecimentos civis ou militares, ainda atribuição. Não obstante, o Conselho Seccional
Que considerados incomunicáveis. do RS defende que tal atribuição é de sua compe-
(D) ingressar livremente nas salas de sessões dos tri- tência. Caso instaurado um conflito de compe-
bunais, até os cancelos que separam a parte re- tência envolvendo as Subseções Arambaré e Ca-
servada aos magistrados. maquã e outro envolvendo a Subseção Arambaré
e o Conselho Seccional do RS, assinale a opção
2.  (Passe na OAB Questões Comentadas)
Marcelo foi se inscrever como advogado
que relaciona, respectivamente, os órgãos com-
petentes para decidir os conflitos.
junto ao Conselho Seccional, atendendo os requi-
sitos do art. 8o do EOAB: capacidade civil; diplo- (A) O conflito de competência entre as subseções
deve ser decidido pelo Conselho Seccional Ca-
ma ou certidão de graduação em direito obtido
maquã, cabendo recurso ao Conselho Federal da
em instituição de ensino oficialmente autorizada
OAB. Já o conflito entre a Subseção Arambaré e
e credenciada; título de eleitor e quitação do ser- o Conselho Seccional RS será decidido, em única
viço militar, se brasileiro; aprovação em Exame de instância, pelo Conselho Federal da OAB.
Ordem; não exercer atividade incompatível com a (B) Ambos os conflitos de competência serão deci-
advocacia; e prestar compromisso perante o con- didos, em única instância, pelo Conselho Federal
selho. No entanto, não foi aceita sua inscrição por da OAB.
um dos motivos que a lei trata. Dentre as alterna- (C) O conflito de competência entre as subseções
tivas abaixo, qual seria? deve ser decidido pelo Conselho Seccional do
(A) Idoneidade moral. RS, cabendo recurso ao Conselho Federal da
OAB. Do mesmo modo, o conflito entre a Subse-
(B) Sem condenação em processo cível.
ção Arambaré e o Conselho Seccional do RS será
(C) Não ter o nome em cadastro restritivo de crédito.
decidido pelo Conselho Seccional do RS, caben-
(D) Brasileiro nato.
do recurso ao Conselho Federal da OAB.

3.  (Passe na OAB Questões Comentadas) A (D) O conflito de competência entre as subseções
deve ser decidido, em única instância, pelo Con-
respeito do advogado empregado, assina-
selho Seccional do RS. O conflito entre a Subse-
le a alternativa correta de acordo com o EOAB.
ção Arambaré e o Conselho Seccional do RS será
(A) A relação de emprego, na qualidade de advoga- decidido, em única instância, pelo Conselho Fe-
do, não retira a isenção técnica, mas reduz a in- deral da OAB.
dependência profissional inerente à advocacia.
(B) As horas trabalhadas que excederem a jornada
normal são remuneradas por um adicional não 5.  (FGV/2012) Luigi, advogado na área em-
presarial, após concluir o mestrado em
9
renomada instituição de ensino superior, é convi- (B) Aldo não agiu corretamente, pois deveria ter re-
dado para integrar a equipe de assessoria jurídica querido apenas o licenciamento do exercício da
da empresa XYZ S/A. No dia da entrevista final, é advocacia e não o cancelamento de sua inscrição.
inquirido pelo Gerente Jurídico da empresa, ba- (C) Aldo poderia ter pedido o licenciamento do
charel em Direito, sem inscrição na OAB, apesar exercício da advocacia, mas nada a impede de
de o mesmo ter logrado êxito no Exame de Or- pedir o cancelamento de sua inscrição, caso não
dem. Observado tal relato, consoante as normas deseje mais exercer a advocacia privada.
do Regulamento Geral do Estatuto da Advocacia e (D) Aldo agiu corretamente, pois, uma vez que os
advogados públicos não podem exercer a advo-
da OAB, assinale a afirmativa correta.
cacia privada, estão obrigados a requerer o can-
(A) O bacharel em Direito pode exercer as funções de celamento de suas inscrições.
Gerência Jurídica mesmo que não tenha os requi-
sitos para ingresso na Ordem dos Advogados.
(B) O bacharel em Direito, caso preencha os requisi-
tos legais, inclusive aprovação em Exame de Or-
8.  (FGV/2016) Jorge integrou a chapa de
candidatos ao Conselho Seccional que ob-
teve a maioria dos votos válidos e tomou posse
dem, pode exercer funções de Gerente Jurídico em 1o de janeiro do ano seguinte ao de sua elei-
antes da inscrição na Ordem dos Advogados. ção. Um ano após o início do mandato, Jorge pas-
(C) A função de Gerente Jurídico é privativa de ad- sou a ocupar um cargo de direção no Conselho de
vogados com regular inscrição nos quadros da Administração de uma empresa, controlada pela
Ordem dos Advogados. Administração Pública, sediada em outro estado
(D) A função de Gerente Jurídico, como é de con-
da Federação. Nesse caso, de acordo com o Esta-
fiança da empresa, pode ser exercida por quem
tuto da OAB, assinale a afirmativa correta.
não tem formação na área.
(A) Não se extingue o mandato de Jorge, pois a ocu-

6.  (FGV/2013) Saulo é um jovem advogado


que inicia sua carreira em seu estado na-
tal, Rio Grande do Sul, angariando clientes em
pação de cargo de direção em empresa contro-
lada pela Administração Pública, em estado da
Federação distinto do abrangido pelo Conselho
decorrência das suas raras habilidades de nego- Seccional, não configura incompatibilidade a
ciador. Com o curso do tempo, sua fama de bom ensejar o cancelamento de sua inscrição.
profissional se espraia e, em razão disso, surgem (B) Extingue-se automaticamente o mandato de Jor-
convites para atuar em outros estados da federa- ge, pois a ocupação de cargo de direção em em-
ção. Ao contatar um cliente em Santa Catarina, é presa controlada pela Administração Pública, em
surpreendido pelas autoridades de SC, com de- qualquer circunstância, configura incompatibili-
terminação restritiva ao seu exercício profissio- dade a ensejar o cancelamento de sua inscrição.
nal, por não ser advogado do local. A partir do (C) Extingue-se o mandato de Jorge mediante deli-
exposto, nos termos do Estatuto da Advocacia,
beração de dois terços dos membros do Conse-
assinale a afirmativa correta.
lho Seccional, pois a ocupação de cargo de dire-
(A) O advogado deve restringir o exercício profis- ção em empresa controlada pela Administração
sional ao local em que obteve sua inscrição. Pública pode configurar incompatibilidade a
(B) O advogado deve solicitar autorização a cada ensejar o cancelamento de sua inscrição.
processo em que atuar fora do local de inscrição. (D) Não se extingue o mandato de Jorge, pois a ocu-
(C) O advogado deve realizar Exame de Ordem em pação de cargo de direção em empresa contro-
cada estado em que for atuar. lada pela Administração Pública, em qualquer
(D) O advogado pode exercer sua profissão em todo circunstância, não configura incompatibilidade
o território nacional. a ensejar o cancelamento de sua inscrição.

7.  (FGV/2015) Aldo foi aprovado em concurso


público e tomou posse como Procurador do 9.  (Passe na OAB Questões Comentadas)
Existem diversas interpretações sobre
Município em que reside. Como não pretendia qual seria o objeto da filosofia do direito. Um
mais exercer a advocacia privada, mas apenas atu- modo de selecionar a interpretação mais adequa-
ar como Procurador do Município, pediu o cance- da é estabelecer uma analogia com o objeto da
lamento de sua inscrição na OAB. A partir da hipó- filosofia. A melhor descrição do objeto da filosofia
tese apresentada, assinale a afirmativa correta. pode ser encontrada na Metafísica de Aristóteles.
A) Aldo não agiu corretamente, pois os advogados Nela, afirma o Filósofo: “De fato, quem deseja a
públicos estão obrigados à inscrição na OAB ciência por si mesma deseja acima de tudo aquela
para o exercício de suas atividades. que é ciência em máximo grau, e esta é a ciência do
10
que é maximamente cognoscível. Ora, maximamen- (C) A norma jurídica independe da adesão da vonta-
te cognoscíveis são os primeiros princípios e as de do agente para ser válida.
causas; de fato, por eles e a partir deles se conhe- (D) A norma moral depende da adesão da vontade
cem todas as outras coisas, enquanto, ao contrário, do agente para ser válida.
eles não são conhecidos por meio das coisas que
lhes estão sujeitas”. A filosofia estuda, portanto,
os primeiros princípios que regem a natureza e o
11.  (FGV/2013) Estado X editou lei, de ini-
ciativa parlamentar, concedendo gratui-
homem. Por analogia, a filosofia do direito tem dade aos portadores de deficiência e aos idosos,
por objeto os primeiros princípios sobre os quais com mais de 65 anos, em todos os estacionamen-
está edificada a ciência jurídica. Segue-se disso tos situados no território do Estado. Com relação
que os primeiros princípios do direito são exterio- ao caso descrito, assinale a afirmativa correta.
res ao próprio direito e devem ser buscados nas (A) A lei é constitucional, pois promove a proteção
diversas doutrinas que disputam a sua fundamen- de grupos sociais fragilizados.
tação. Assinale a doutrina que afirma que: (B) A lei é inconstitucional, pois promove tratamen-
to desigual entre cidadãos brasileiros.
I. O ordenamento jurídico não deve ter sua
(C) A lei é constitucional, mas, como exemplo de
fonte exclusiva na norma, mas também
norma programática, sua eficácia depende de
deve incluir a moral e noções de justiça,
decreto regulamentar.
tais como a noção de justiça equitativa.
(D) A lei é inconstitucional, pois o Estado invadiu
II. Sendo o direito teleológico, sua finalida-
competência legislativa da União.
de não deve ser exclusivamente visar à

12. 
segurança jurídica, mas deve incluir a
(FGV/2016) Roberval, estudante de di-
pretensão de estabelecer um ideal nor-
reito, leu uma alentada obra a respeito
mativo de justiça para seus destinatários.
dos direitos e garantias individuais e coletivos
III. O ordenamento jurídico não se limita às
normas jurídicas. Também os princípios
contemplados no texto constitucional. Após am-
jurídicos são fundamentais na interpre- plas reflexões, percebeu que muitos direitos eram
tação e aplicação do direito. Logo, os potencialmente colidentes com outros, a exemplo
princípios também possuem eficácia do que se verifica com o direito à honra e o direito
normativa. à liberdade de expressão. A partir dessa constata-
(A) Positivismo Jurídico. ção, procurou o seu professor de Direito Constitu-
(B) Pós-Jusnaturalismo. cional e o questionou sobre essa aparente “falha”
(C) Pós-Positivismo. do sistema constitucional, que protege bens e va-
(D) Pós-Historicismo. lores incompatíveis entre si. Após ouvir atenta-
mente a dúvida de Roberval, o professor explicou
10.  (Passe na OAB Questões Comentadas)
Afirma Norberto Bobbio: “O que distin-
que direitos e garantias aparentemente incompa-
tíveis entre si podem ser compatibilizados confor-
gue o direito da moral é precisamente o fato de me a natureza jurídica das normas constitucionais
que, enquanto o primeiro é coercitivo, a segunda que os contemplam. Com os olhos voltados a essa
não o é; esta relação diversa do direito e da moral afirmação, assinale a afirmativa correta.
com a coerção deriva da natureza diversa do ato
(A) Os direitos fundamentais possuem a natureza
jurídico e do ato moral; o ato jurídico consiste pu-
jurídica de regras, o que contribui para a sua
ramente na conformação exterior do sujeito à nor-
máxima efetividade na realidade.
ma e, assim, o fato de tal conformação ser obtida
(B) Ao ser identificado um conflito entre direitos
mediante a força não nega a juridicidade do ato; o
fundamentais, deve ser atribuída primazia àque-
ato moral consiste, ao contrário, na adesão à nor- le de hierarquia superior, o que é sempre defini-
ma por respeito à própria norma, não podendo, do no plano abstrato.
pois, ser obtido mediante a força, porque esta não (C) A concordância prática dos direitos fundamen-
obtém a adesão interna necessária para a morali- tais é viabilizada ao ser-lhes atribuída a nature-
dade do ato”. A partir da interpretação do texto za jurídica de princípios, o que permite a identi-
assinale a resposta incorreta: ficação daquele que deve ter primazia no caso
(A) A norma jurídica, embora esteja baseada na co- concreto.
erção externa, é válida para regular a conduta. (D) A concordância prática dos direitos fundamen-
(B) A norma moral, embora esteja baseada na coer- tais não é influenciada pela natureza jurídica
ção externa, é válida para regular a conduta. das normas constitucionais que os abrigam.
11
13.  (FGV/2016) Determinada empresa pú-
blica foi intimada do teor de sentença
estudo a respeito da melhor forma de impugnar a
lei municipal X perante o Poder Judiciário. A Pro-
proferida por juiz de direito que contrariava fron- curadoria elaborou um alentado parecer, no qual
talmente o teor de súmula vinculante. À luz desse examinou todos os aspectos afetos ao caso con-
fato, a assessoria jurídica informou ao presidente creto. À luz do sistema brasileiro de controle de
da referida empresa pública que utilizaria o ins- constitucionalidade, é correto afirmar que a lei
trumento processual adequado para que fosse municipal X
reconhecida, de forma célere e definitiva, a inju- (A) está sujeita ao controle concentrado de consti-
ridicidade da sentença, com a sua consequente tucionalidade perante o Tribunal de Justiça, que
cassação. À luz da sistemática constitucional bra- examinará a sua compatibilidade com a Consti-
sileira, esse instrumento é tuição da República.
(A) o recurso extraordinário endereçado ao Supre- (B) não pode ser submetida, por meio de qualquer
mo Tribunal Federal. dos instrumentos disponíveis, ao controle con-
(B) a reclamação endereçada ao Supremo Tribunal centrado de constitucionalidade perante o Su-
Federal. premo Tribunal Federal.
(C) o mandado de segurança endereçado ao Tribu- (C) somente pode ser objeto de controle difuso de
nal de Justiça. constitucionalidade, que será realizado por
(D) o recurso especial endereçado ao Superior Tri- qualquer órgão do Poder Judiciário.
bunal de Justiça. (D) pode ser submetida à apreciação do Supremo
Tribunal Federal, por meio da arguição de des-

14.  (FGV/2016) Ednaldo soube por um


amigo que determinada empresa pú-
cumprimento de preceito fundamental, que
analisará a sua compatibilidade com a Consti-
blica estadual mantinha em seu poder diversas tuição da República.
informações, relativas à sua pessoa, que seriam
incorretas. Ato contínuo procurou um advogado e
solicitou esclarecimentos de como deveria proce- 16.  (FGV/2016) Pedro, professor, ao assu-
mir a Secretaria de Educação do Muni-
der para retificar os dados incorretos. À luz da cípio em que residia, decidiu reestruturar o siste-
sistemática constitucional brasileira, assinale a ma de ensino em vigor. Para tanto, estabeleceu,
afirmativa correta. como pilar fundamental, o referencial de acesso,
que deveria ser assegurado na forma que se mos-
(A) Ednaldo deve impetrar um mandado de segu-
trasse mais ampla sob o prisma da juridicidade. À
rança, quer tenha solicitado a retificação dos
dados à autoridade administrativa, quer não.
luz da sistemática estabelecida pela Constituição
(B) Ednaldo deve impetrar um mandado de segu- da República, assinale a afirmativa que se mostra
rança, desde que tenha solicitado a retificação constitucional, por ser compatível com os deveres
dos dados à autoridade administrativa e tal te- dos poderes constituídos.
nha sido negado. (A) O ensino médio gratuito deve ser progressiva-
(C) Ednaldo deve impetrar um mandado de injun- mente universalizado.
ção, de modo que o tribunal competente fixe os (B) Todos os níveis de ensino estão sujeitos à igual-
balizamentos a serem observados na correção dade de acesso e à universalização.
dos dados. (C) O acesso a todos os níveis de ensino deve estar
(D) Ednaldo deve impetrar um habeas data, que baseado no sistema de mérito.
pressupõe a apresentação de prova do indeferi- (D) O acesso ao ensino superior e gratuito é direito
mento administrativo do pedido de retificação. público subjetivo.

15.  (FGV/2016) O Prefeito Municipal vetou


determinado projeto de lei flagrante-
17.  (FGV/2016) O Tribunal de Contas, a
mente dissonante da Constituição da República exemplo de toda e qualquer estrutura
Federativa do Brasil, isso por violar os seus alicer- orgânica de natureza estatal, deve observar os di-
ces estruturais. Ao apreciar as razões de veto, a reitos fundamentais de todos aqueles que sejam
Câmara Municipal decidiu não mantê-lo, o que alcançados por sua atuação funcional. Conside-
resultou na promulgação e consequente publica- rando a sistemática estabelecida pela Constitui-
ção da lei municipal X. Inconformado com esse ção da República Federativa do Brasil e a interpre-
estado de coisas, o Chefe do Poder Executivo so- tação que lhe vem sendo dispensada pelo Supre-
licitou que a Procuradoria do Município realizasse mo Tribunal Federal, assinale a afirmativa correta.
12
(A) As decisões do Tribunal de Contas, por força do nome da cidade em que foi realizada. Qual das
princípio do duplo grau de jurisdição, estão su- alternativas abaixo está correta?
jeitas à revisão do Poder Legislativo. (A) Conferência de Estrasburgo.
(B) Na apreciação da legalidade do ato de concessão (B) Conferência de Viena.
inicial de pensão, antes de decorridos cinco anos, (C) Conferência de Helsinque.
é dispensável a observância do contraditório. (D) Conferência de Paris.
(C) O Tribunal de Contas somente pode apreciar as
contas de agentes públicos, não a conduta de par-
ticulares que não pratiquem atos de autoridade.
(D) O Tribunal de Contas, por força do princípio da
20.  (FGV/2014) Erik, nascido em Gana, re-
solveu transferir o seu domicílio para o
território brasileiro, aqui permanecendo, com
segurança jurídica, não dispõe de poder cautelar, conduta ilibada e plena aquiescência do Estado
somente ao alcance dos órgãos jurisdicionais. brasileiro, por dezenove anos ininterruptos. No
dia imediato à integralização desse período, for-

18.  (FGV/2016) Promotoria de Tutela Cole-


tiva especializada na Proteção à Pessoa
mulou pedido para que lhe fosse concedida a na-
cionalidade brasileira e, ato contínuo, pretendeu
praticar ato privativo de brasileiro. À luz desse
com Deficiência instaurou inquérito civil público
para apurar eventual desatendimento das dispo- quadro, é possível afirmar que Erik:
sições do Estatuto da Pessoa com Deficiência, no (A) não pode praticar ato privativo de brasileiro,
que se refere ao direito ao transporte e à mobili- pois nascido no estrangeiro.
dade da pessoa com deficiência ou com mobilida- (B) pode praticar ato privativo de brasileiro, desde
de reduzida. Identificada irregularidade cometida que haja reciprocidade de tratamento por parte
pelo investigado, com base na Lei n. 13.146/2015, de Gana, devidamente formalizada em acordo
o Promotor expediu recomendação: bilateral.
(C) não pode praticar ato privativo de brasileiro, pois
(A) à sociedade empresária que opera frota de táxi não comprovada a existência de decisão decre-
para reservar 50% (cinquenta por cento) de tando a perda de sua nacionalidade de origem.
seus veículos acessíveis à pessoa com deficiên- (D) pode praticar ato privativo de brasileiro, pois o
cia, que terá prioridade sobre os demais passa- ato de reconhecimento da nacionalidade brasi-
geiros nas filas para embarque nos táxis. leira é meramente declaratório, retroagindo à
(B) à locadora de veículos para oferecer pelo menos data do requerimento.
1 (um) veículo adaptado para uso de pessoa com
deficiência, independentemente da quantidade
total de veículos que compõem sua frota.
(C) à concessionária de serviço público de transporte
21.  (Passe na OAB Questões Comentadas)
Luigi Marcello, italiano de nascença,
mas brasileiro naturalizado, residente no Brasil
coletivo municipal de passageiros para que asse- há dez anos, é acusado na Itália por homicídio
gure à pessoa com deficiência prioridade e segu- ocorrido dois anos antes de ter sido naturalizado.
rança nos procedimentos de embarque e de de- Nesse caso, o Brasil
sembarque, de acordo com as normas técnicas. (A) não pode conceder a extradição se o crime já
(D) ao shopping center, para garantir ao menos 10 prescreveu para lei brasileira.
(dez) vagas no estacionamento, independente- (B) não pode conceder a extradição caso não tenha
mente de sua capacidade total, próximas aos transitado em julgado a sentença criminal no
acessos de circulação de pedestres, devidamen- país onde aconteceu o crime.
te sinalizadas, para veículos que transportem (C) pode conceder a extradição, independentemente
pessoa com deficiência. da nacionalidade de Luigi.
(D) pode conceder a extradição, porque o crime de ho-

19.  (Passe na OAB Questões Comentadas)


O Programa Nacional de Direitos Hu-
micídio é comum e ocorreu antes da naturalização.

manos (PNDH) desenvolvido pelo governo federal


teve sua origem numa Conferência Mundial sobre 22.  (FGV/2016) A pessoa jurídica X deixou
de recolher o imposto sobre a renda
os Direitos Humanos que se realizou em 1993. referente ao ano de 2013. No final do ano de
Essa mesma Conferência afirmou o princípio da 2014, a pessoa jurídica X requereu o parcelamen-
indivisibilidade dos direitos humanos, cujos pre- to do crédito tributário em 60 parcelas, o que foi
ceitos são aplicáveis tanto aos direitos civis deferido pela União. O contribuinte vem pagando
quanto aos direitos políticos, assim como aos di- tempestivamente as parcelas. Sobre o parcela-
reitos econômicos, sociais e culturais dos seres mento concedido à pessoa jurídica X, assinale a
humanos. A Conferência em questão levou o afirmativa correta.
13
(A) O crédito tributário foi extinto no momento do (C) A lei que majorou as alíquotas do IPI entrará em
deferimento do parcelamento. vigor no primeiro dia do exercício financeiro de
(B) Independente da previsão em lei, o parcelamen- 2016, uma vez que o IPI se submete apenas ao
to requerido pela pessoa jurídica X exclui a inci- princípio da anterioridade de exercício.
dência de juros e multa. (D) A lei que majorou as alíquotas do IPI poderá ser
(C) A exigibilidade do crédito tributário está sus- aplicada a fatos geradores ocorridos antes do
pensa, em razão do seu parcelamento. início da vigência da lei que as aumentou, uma
(D) O crédito tributário foi excluído quando a pes- vez que o IPI não se submete ao princípio da ir-
soa jurídica X recolheu a primeira parcela. retroatividade.

23.  (FGV/2016) O Estado X ajuizou execu-


ção fiscal em face de Caio. Após a sua 26.  (FGV/2017) O Estado do Rio de Janeiro
ajuizou ação de execução fiscal, no
citação, Caio ofereceu um imóvel em penhora ano de 2015, para efeito de cobrança de crédito
para a garantia da execução e posterior ofereci- tributário atualizado no valor de R$ 105,00. Con-
mento dos embargos à execução. Com base na siderando que a exigibilidade do tributo começou
hipótese apresentada, Caio deverá opor embargos no ano de 2007, o Juízo da Dívida Ativa reconhe-
à execução no prazo de ceu, de ofício, a prescrição e extinguiu o proces-
(A) 30 dias, contados do oferecimento do bem à pe- so, proferindo sentença em abril de 2016. Sobre o
nhora. caso, é correto afirmar que:
(B) 30 dias, contados da sua intimação da penhora. (A) a prescrição do crédito tributário, por envolver
(C) 45 dias, contados do oferecimento do bem à pe- matéria de interesse do erário público, não pode
nhora. ser conhecida de ofício pelo órgão judicial.
(D) 45 dias, contados da sua intimação da penhora. (B) o Estado do Rio de Janeiro tem o prazo em dobro
para interpor recurso contra a sentença referida

24.  (FGV/2016) O Município X realizou o


lançamento do Imposto sobre Proprie-
no enunciado, que começa a correr da publica-
ção da decisão no Diário Oficial.
dade Territorial Urbana – IPTU em face da contri- (C) da sentença referida no enunciado, é cabível a
buinte Igreja Cristã ABC, referente ao imóvel interposição de embargos infringentes.
onde realiza seus cultos. Por não concordar com o (D) na vigência da Lei n. 13.105/2015, não mais sub-
lançamento, a Igreja Cristã ABC ofereceu impug- siste o recurso de embargos infringentes, de
nação ao lançamento. Assinale a opção que indica modo que a sentença extintiva da execução fis-
a possível tese de defesa da contribuinte. cal somente pode ser impugnada por apelação e
(A) O IPTU não é devido, pois os templos de qual- embargos de declaração.

27. 
quer culto são imunes a qualquer imposto.
(FGV/2014) Prefeito municipal decidiu
(B) O IPTU é devido sobre qualquer propriedade ter-
extinguir contrato de concessão de
ritorial urbana, inclusive sobre o imóvel em que
a Igreja Cristã ABC realiza seus cultos. serviço público de abastecimento de água potá-
(C) O IPTU não é devido, pois os templos de qual- vel, a fim de retomar a prestação direta de tal
quer culto são isentos desse tributo. serviço, por motivo de interesse público, durante
(D) O IPTU não incide sobre imóveis onde se reali- o prazo da concessão. Para tal, obteve na Câmara
zam cultos, por ausência de previsão legal. Municipal a aprovação de lei autorizativa especí-
fica e procedeu ao prévio pagamento de indeni-

25.  (FGV/2016) Em maio de 2015, a União


aumentou, por meio de lei, as alíquotas
zação à concessionária. De acordo com a Lei
n. 8.987/95, o prefeito se valeu da seguinte for-
do Imposto sobre Produtos Industrializados (IPI) ma de extinção do contrato de concessão:
de itens de alimentação e higiene. Sobre essa lei, (A) caducidade.
assinale a afirmativa correta. (B) encampação.
(A) A lei que majorou as alíquotas do IPI entrará em (C) rescisão.
vigor imediatamente após a sua publicação, uma (D) anulação.
vez que o IPI não está sujeito ao princípio da
anterioridade.
(B) A lei que majorou as alíquotas do IPI entrará em 28.  (FGV/2014) O Estado do Rio de Janeiro,
observadas as formalidades legais, fir-
vigor 90 (noventa) dias após a sua publicação, mou ato de permissão de uso de bem público com
uma vez que o IPI não está sujeito ao princípio particular, para exploração de uma lanchonete
da anterioridade de exercício. em hospital estadual. No mês seguinte, o Estado
14
alegou que iria ampliar as instalações físicas do merenda das escolas municipais em razão da falta
hospital e revogou a permissão de uso. Passados de alimentos. Assim, com dispensa de licitação,
alguns dias, comprovou-se que o Estado não rea- providenciou a compra de hortifrutigranjeiros,
lizou nem nunca teve a real intenção de realizar pão e outros gêneros perecíveis, no tempo neces-
as obras de expansão. Em razão disso, o particular sário para a realização dos processos licitatórios
pretende invalidar judicialmente o ato adminis- correspondentes, realizada diretamente com base
trativo que revogou a permissão, a fim de viabili- no preço do dia. Com base na Lei n. 8.666/93, a
zar seu retorno às atividades na lanchonete. Nes- conduta de Joaquim está:
se contexto, é correto afirmar que a pretensão do (A) errada, porque a urgência no caso em tela ense-
particular está baseada: jaria inexigibilidade de licitação.
(A) na teoria da exceção do contrato não cumprido, (B) errada, porque a urgência no caso em tela teria
porque o Estado não poderia rescindir a permis- o condão de permitir a troca da modalidade
são de uso na vigência do contrato, exceto por adequada de licitação (a depender do valor do
ordem judicial e com a prévia indenização ao contrato) pela carta convite, que é mais célere.
particular. (C) errada, porque o princípio da continuidade do
(B) no princípio da continuidade dos serviços públi- serviço público exige o planejamento para as
cos, porque independentemente da veracidade contas públicas, não sendo possível a dispensa
dos motivos fáticos que ensejaram a extinção da de licitação no caso em tela.
permissão, o particular tem direito público subje- (D) correta, porque existe expressa previsão legal au-
tivo de utilizar a lanchonete no prazo acordado. torizando a dispensa de licitação no caso em tela.
(C) na natureza jurídica da permissão de uso, que é um
ato bilateral e vinculado, devendo ser respeitado o
prazo contratual da permissão de uso, que só pode 31.  (FGV/2014) O povo brasileiro, nos últi-
mos anos, demonstrou sua insatisfação
ser extinta por motivo de interesse público. com a qualidade dos serviços públicos prestados
(D) na teoria dos motivos determinantes, porque, pelo Estado. Atento a essa nova demanda e com o
apesar de a permissão de uso ser ato discricioná- escopo de melhorar a qualidade da educação e cul-
rio e precário, o Estado está vinculado à veraci- tura em âmbito estadual, o Governador de determi-
dade do motivo fático que utilizou para revogar nado Estado da Federação subdividiu a então Se-
a permissão de uso. cretaria de Educação e Cultura em dois novos ór-
gãos: Secretaria de Educação e Secretaria de Cul-
29.  (FGV/2014) Autoridade competente
declarou de utilidade pública, por meio
tura. De acordo com a doutrina clássica de Direito
Administrativo, trata-se da seguinte providência:
de decreto, determinada faixa de terras de imóveis
(A) desconcentração.
particulares, a fim de viabilizar a instalação de um
(B) desmembramento.
empreendimento que executará serviços públicos
(C) descentralização.
utilizando gasodutos. Após acordo entre os pro-
(D) desdobramento.
prietários dos imóveis situados na rota do gaso-

32. 
duto e o Poder Público, com indenização em valor (FGV/2014) Maria Antonieta é servi-
equivalente ao prejuízo que os particulares irão dora estadual lotada na Secretaria de
suportar, houve a regular implantação dos gaso- Segurança Pública e exerce função de confiança.
dutos nas áreas privadas. O caso em tela descreve De acordo com as disposições constitucionais que
a forma de intervenção do Estado na propriedade regem seu vínculo com a Administração Pública, é
caracterizada como direito real público que auto- correto afirmar que Maria Antonieta:
riza o Poder Público a usar a propriedade imóvel (A) necessariamente é servidora ocupante de cargo
para permitir a execução de obras e serviços de efetivo.
interesse coletivo. Trata-se da: (B) pode ser ocupante exclusivamente de cargo de
(A) requisição. livre nomeação e exoneração.
(B) ocupação temporária. (C) será aposentada pelo regime geral de previdên-
(C) servidão administrativa. cia social.
(D) limitação administrativa. (D) não pode exercer função de chefia, direção e
assessoramento.

30.  (FGV/2014) No primeiro mês em que


assumiu o cargo de Prefeito municipal,
33.  (FGV/2014) A Constituição da Repú-
Joaquim constatou um verdadeiro caos na blica de 1988 assegura que “todos têm
15
direito ao meio ambiente ecologicamente equili- particular dos seus sócios e administradores ser
brado, bem de uso comum do povo e essencial à atingido pelos efeitos de certas e determinadas
sadia qualidade de vida, impondo-se ao Poder obrigações assumidas pela sociedade. De acordo
Público e à coletividade o dever de defendê-lo e com determinação expressa do Código Civil de
preservá-lo para as presentes e futuras gera- 2002, sobre a teoria da desconsideração da perso-
ções”. Em seguida, o texto constitucional dispõe nalidade jurídica, assinale a afirmativa correta.
que, para assegurar a efetividade desse direito, (A) O patrimônio particular dos sócios da TADV po-
incumbe ao Poder Público: derá ser atingido em caso de abuso da persona-
(A) promover diretamente à elaboração e execução lidade, que ocorre quando há desvio de finalida-
de planos de recuperação de áreas degradadas, de ou confusão patrimonial, se o juiz decidir
ainda quando o dano ambiental tenha sido pra- pela desconsideração a requerimento da parte
ticado por particulares, os quais deverão supor- ou do Ministério Público.
tar a devida ação de regresso. (B) O patrimônio particular dos sócios e dos adminis-
(B) proibir a produção, a comercialização e o em- tradores da empresa TADV poderá ser atingido
prego de técnicas, métodos e substâncias que caso se configure abuso da personalidade jurídica,
comportem risco para a vida, a qualidade de caracterizada por desvio de finalidade, inadimple-
vida e o meio ambiente. mento obrigacional ou confusão patrimonial.
(C) exigir, na forma da lei, para instalação de obra (C) O patrimônio particular dos sócios e dos admi-
ou atividade potencialmente causadora de sig- nistradores da TADV poderá ser atingido caso o
nificativa degradação do meio ambiente, estudo juiz, de ofício, determine a extensão dos efeitos
prévio de impacto ambiental, a que se dará pu- das relações obrigacionais da sociedade não
blicidade. apenas aos administradores da empresa, mas
(D) cobrar de toda pessoa física ou jurídica que de- também aos demais sócios.
sempenhe atividade empresarial relatório anual (D) O patrimônio particular dos sócios da TADV só
de impacto ambiental, independentemente do será atingido em virtude de obrigações decor-
potencial poluidor da atividade. rentes de relações de consumo, ao passo que o
patrimônio particular dos administradores da

34.  (FGV/2014) O novo Código Florestal


(Lei n. 12.651/2012), em tema de regi-
empresa poderá ser atingido em caso de desvio
de finalidade ou de confusão patrimonial, por
determinação, de ofício, do juiz.
me de proteção das Áreas de Preservação Perma-
nente, dispõe que:
(A) em caso de supressão de vegetação situada em
Área de Preservação Permanente, será aplicada
36.  (FGV/2014) João, devidamente habili-
tado para dirigir, conduzia veículo de
sua propriedade com cautela e diligência, quando
ao responsável multa administrativa, que supre
foi surpreendido por ônibus em alta velocidade
a obrigação de promover a revegetação.
na contramão. Em rápida manobra, João conse-
(B) é dispensada a autorização do órgão ambiental
competente para a execução, em caráter de ur-
guiu evitar uma colisão frontal, desviando seu
gência, de atividades de segurança nacional e automóvel para cima da calçada, onde atropelou
obras de interesse da defesa civil destinadas à pre- Lucas, causando-lhe graves lesões físicas. Sobre
venção e mitigação de acidentes em áreas urbanas. os fatos descritos, assinale a afirmativa correta.
(C) é vedado o acesso de pessoas e animais às Áreas (A) João, por ter agido em estado de necessidade,
de Preservação Permanente para obtenção de não será obrigado a indenizar o dano causado a
água e para realização de atividades de baixo Lucas, cuja indenização será devida pela empre-
impacto ambiental. sa de ônibus.
(D) é permitida a intervenção ou a supressão de ve- (B) João, por não ter agido no estrito cumprimento
getação nativa em Área de Preservação Perma- de dever legal, será obrigado a indenizar o dano
nente, quando se tratar de execução de obras causado a Lucas.
habitacionais inseridas em projetos de regulari- (C) João, embora agindo em estado de necessidade,
zação fundiária de interesse social, em áreas ur- será obrigado a indenizar o dano causado a Lu-
banas, consolidadas ou não, ocupadas por popu- cas, mas terá ação de regresso contra a empresa
lação de alta ou baixa renda. de ônibus.
(D) João, por ter agido em decorrência de fato de

35.  (FGV/2014) A diretoria executiva da


empresa TADV encaminha consulta ao
terceiro, não será obrigado a indenizar o dano
causado a Lucas, cuja indenização será devida
setor jurídico sobre a possibilidade de o patrimônio pela empresa de ônibus.
16
37.  (FGV/2014) Eduardo faleceu em virtude
de um acidente automobilístico. Não
(B)
violação dos deveres do casamento e torne insu-
portável a vida em comum.
pleitear a anulação do casamento por erro es-
deixou descendentes ou ascendentes, restando
apenas quatro irmãos na qualidade de herdeiros sencial de pessoa.
legítimos. Dois irmãos, André e Cláudio, são filhos (C) como únicas opções, pleitear a separação judi-
do primeiro casamento do pai de Eduardo, en- cial em decorrência de ato que importe grave
quanto os outros dois, Valério e Gabriel, são resul- violação dos deveres de casamento e torne insu-
portável a vida em comum, ou o divórcio direto.
tantes do casamento de seu pai com sua mãe. Para
(D) como única opção, pleitear o divórcio direto.
efeito de sucessão legítima, é correto afirmar que:
(A) André e Cláudio herdarão a metade do que Valé-
rio e Gabriel herdarem.
(B) os bens serão transmitidos para a municipalidade.
40.  (FGV/2015) Armando constituiu for-
malmente o direito real de usufruto de
um apartamento em favor de sua filha Fenícia
(C) Valério e Gabriel herdarão a metade do que An- para garantir-lhe moradia próxima à sua residên-
dré e Cláudio herdarem. cia. Acontece que Fenícia, pretendendo residir em
(D) os quatros irmãos herdarão em igualdade de outro bairro, locou o imóvel em usufruto para
condições, por força das regras da ordem da vo- utilizar o valor recebido a título de locação para
cação hereditária prevista na lei civil. pagar o aluguel do outro imóvel que pretendia

38. 
alugar para morar. É correto afirmar que a loca-
(FGV/2015) Silvio, fazendeiro e criador
ção em questão é:
de gado de leite, arrendou um touro
premiado para usar na reprodução de suas vacas (A) perfeitamente válida, já que é direito do usufru-
leiteiras. Acontece que, apesar do zelo com o qual tuário fruir da coisa, percebendo os frutos.
cuidou do animal, fortes chuvas que atingiram a (B) perfeitamente válida, já que o usufrutuário pas-
sa a ser o proprietário do bem em usufruto.
região causaram a destruição das benfeitorias e
(C) perfeitamente válida, já que o usufrutuário tem,
morte de diversos animais, entre os quais o ani-
inclusive, o direito de dispor da coisa em usufruto.
mal arrendado. É correto afirmar que, em decor-
(D) juridicamente nula, já que o usufrutuário não
rência desse fato: pode dispor do bem em usufruto.
(A) resolve-se o contrato, devendo Silvio indenizar
o proprietário do touro, pagando-lhe tão so-
mente o valor do animal. 41.  (FGV/2014) As obrigações nascem para
ser satisfeitas, implementadas, cumpri-
(B) resolve-se o contrato, devendo Silvio indenizar o das. O adimplemento de uma obrigação é deno-
proprietário do touro, pagando-lhe o correspon- minado pagamento e acarreta a liquidação, a ex-
dente ao valor do animal e os lucros cessantes. tinção de uma obrigação. Dessa forma, o paga-
(C) mantém-se o contrato, devendo o proprietário mento pode ser direto ou indireto, sendo tais
providenciar a reposição do animal arrendado, formas disciplinadas pelo Código Civil. Por outro
às suas expensas. lado, o Código Civil também elenca duas formas
(D) resolve-se o contrato, arcando o proprietário de transmissão de obrigações, que não se con-
com o prejuízo decorrente da perda do touro. fundem com o pagamento. Dentre os institutos
listados a seguir, assinale o que não é previsto
39.  (FGV/2015) Após quatro meses de du-
ração de uma relação amorosa com
pelo Código Civil como pagamento e sim como
forma de transmissão de obrigação.
Flávio, Suzana contraiu matrimônio. Acontece
que, após três meses da celebração do casamento, (A) Remissão de dívida.
(B) Cessão de crédito.
Suzana, grávida, tomou conhecimento de que Flá-
(C) Novação.
vio era pedófilo, tendo sido o autor de pelo menos
(D) Sub-rogação.
quatro casos de abuso sexual e estupro com víti-

42. 
mas menores, o que resultou em prisão e conde- (FGV/2015) Jonas, 15 anos, foi apreen-
nação criminal, com trânsito em julgado após dois dido em flagrante tomando para si
anos e dois meses. É correto afirmar que Suzana, R$ 15,00 da bolsa de uma turista na praia, en-
não mais querendo manter a relação conjugal e quanto a turista se banhava no mar. No decorrer
considerando o decurso do prazo de dois anos e do processo de apuração do ato infracional, veri-
cinco meses da celebração do casamento, pode: ficou-se que era a primeira apreensão do rapaz,
(A) como única opção, pleitear a separação judicial mas diante da elevada incidência de furtos na
em decorrência de ato que importe grave região, o juiz responsável determinou a internação
17
do adolescente. À luz do disposto na Lei n. 8.069/90 via internet. Utilizou o site de vendas da loja, im-
(ECA), assinale a afirmativa correta. primiu o boleto e pagou. O produto foi entregue
(A) A medida de internação deveria ter sido aplicada em sua residência três dias depois, mas suas di-
pelo juiz, pois a escolha se deve às necessidades mensões não permitiram a instalação que Daíra
de sanção e intimidação sociais diante da reite- pretendia. É correto afirmar que Daíra:
ração de furtos na região em que o ato infracio- (A) tem sete dias, a contar do recebimento do pro-
nal foi praticado, tratando-se de ato de discri- duto, para desistir do contrato.
cionariedade judicial exclusiva. (B) tem trinta dias, a contar da celebração do con-
(B) A medida de internação não deveria ter sido trato, para desistir do contrato.
aplicada pelo magistrado, uma vez que se revela (C) tem noventa dias para desfazer o contrato em
como incumbência privativa do representante virtude do vício do produto.
do Ministério Público a imposição desse tipo de (D) tem noventa dias para desfazer o contrato em
medida socioeducativa. virtude do fato do produto.
(C) A medida de internação não deveria ter sido
aplicada, pois não se trata de ato infracional co-
metido mediante grave ameaça ou violência à 45.  (FGV/2014) Carmem é separada, tem
seis filhos para sustentar, trabalha
como caixa de uma mercearia e, para comple-
pessoa, nem de reiteração no cometimento de
outras infrações graves ou do descumprimento mentar sua renda, no período da noite confeccio-
reiterado e injustificável de medida anterior- na bolos, doces e salgados por encomenda. Acon-
mente imposta. tece que Carmem comprou um liquidificador
(D) A medida de internação deveria ter sido aplicada
novo para cumprir uma entrega, mas o eletrodo-
méstico apresentou, logo no primeiro mês de uso,
pelo juiz, já que foi adequadamente observado o
um problema no botão de acionamento do apare-
devido processo legal, o contraditório e a ampla
lho. É correto afirmar que Carmem:
defesa na análise da conduta.
(A) é consumidora por equiparação, em virtude de

43.  (FGV/2015) O Conselho Tutelar da co-


marca X, no curso do acompanhamento
sua vulnerabilidade, podendo pleitear a prote-
ção da legislação consumerista.
(B) é consumidora por equiparação, em virtude de
de 2 anos à família do infante Gustavo, 10 anos,
representou judicialmente em face dos genitores sua hipossuficiência, podendo pleitear a prote-
do menino, pois o casal não matriculou, sem qual- ção da legislação consumerista.
quer justificativa, o filho na rede escolar, apesar (C) não é destinatária final do produto, razão pela
de várias recomendações do Conselho Tutelar nes- qual, em hipótese nenhuma, poderá pleitear a
proteção da legislação consumerista.
se sentido. Segundo o Estatuto da Criança e do
(D) embora não seja a destinatária final do produto, é
Adolescente, assinale a afirmativa correta.
considerada consumidora em razão da sua vulne-
(A) O Conselho Tutelar agiu equivocadamente, pois rabilidade, aplicando-se a teoria finalista mitigada.
é ação privativa do Ministério Público represen-
tar ao Juízo visando à aplicação de penalidades
por infrações cometidas contra as normas de
proteção à infância e à juventude.
46.  (FGV/2014) Rosário emitiu um cheque
no valor de R$ 3.000,00 (três mil reais)
em favor de Aquino no dia 11 de setembro de
(B) O Conselho Tutelar agiu corretamente, podendo 2012, pagável no mesmo lugar de emissão, em Si-
representar junto à autoridade judiciária nos ca- nop/MT. No dia 13 de outubro de 2013, o benefici-
sos de descumprimento injustificado de suas ário endossou o cheque para Carlinda, sem menção
deliberações. na cártula à data do endosso. De conformidade
(C) O Conselho Tutelar não agiu corretamente, pois com as disposições da Lei n. 7.357/85, que dispõe
é da competência da Secretaria Municipal de sobre o cheque, assinale a afirmativa correta.
Educação representar junto ao Juízo da Infância (A) O endosso em favor de Carlinda tem efeito de
pelo absenteísmo e falta de matrícula escolar. cessão de crédito, haja vista ter sido realizado
(D) O Conselho Tutelar agiu acertadamente, pois é após o prazo de apresentação a pagamento.
de sua competência privativa zelar pelo efetivo (B) O endosso em favor de Carlinda tem efeito de
respeito aos direitos e garantias legais assegura- endosso, haja vista ter sido realizado antes do
dos às crianças e adolescentes, promovendo as decurso do prazo de seis meses após o término
medidas judiciais e extrajudiciais cabíveis. do prazo de apresentação.
(C) O endosso em favor de Carlinda tem efeito de

44.  (FGV/2014) Daíra adquiriu um ar refri-


gerado por meio de contrato eletrônico,
endosso, haja vista ter sido realizado dentro do
prazo de apresentação a pagamento.
18
(D) O endosso em favor de Carlinda tem efeito de existentes àquela época, ainda que a socieda-
endosso, haja vista não ter sido datado; portan- de possua bens suficientes para solver o seu
to, presumidamente, ocorreu antes da expiração passivo.
do prazo de apresentação. (C) A cessão dos créditos referentes ao estabeleci-
mento transferido produz efeitos em relação aos

47.  (FGV/2014) Comodoro Veículos Ltda. é


uma sociedade empresária com sede
respectivos devedores, desde o momento da pu-
blicação da transferência, somente ficando exo-
em Tangará da Serra/MT e pretende requerer sua nerado se, de boa-fé, paga ao cedente.
recuperação judicial. Um dos impedimentos ao (D) O contrato de cessão produz efeitos em relação a
pedido de recuperação é terceiros desde a sua averbação à margem da ins-
(A) ter títulos protestados por falta de pagamento crição da sociedade no Registro Público de Em-
nos 90 (noventa) dias anteriores ao pedido. presas Mercantis, no caso, a cargo da Junta Co-
(B) ter, há menos de 5 (cinco) anos, obtido conces- mercial do Estado do Rio de Janeiro, independen-
são de recuperação judicial. te de a publicação ocorrer na imprensa oficial.
(C) ter como administrador ou sócio controlador
pessoa condenada por crime contra o patrimô-
nio, falimentar ou contra a fé pública.
(D) possuir ativo que não corresponda a pelo me-
50.  (FGV/2015) A Comissão de Valores
Mobiliários recebe denúncia protoco-
lizada por Marcelo, um dos acionistas da Socie-
nos 50% (cinquenta por cento) do passivo qui- dade Urca S.A, companhia de capital fechado,
rografário. por funcionar sem a constituição do Conselho de
Administração. Considerando as disposições
48.  (FGV/2014) Uma sociedade empresária
com sede em Denise/MT, composta por
contidas na Lei das Sociedades Anônimas (Lei n.
6.404/1976), a denúncia será:
três sócios pessoas naturais, adotou o nome em-
presarial “Pontes, Lacerda & Cáceres”. Sobre esse (A) arquivada, porque sua criação não é obrigatória
nome empresarial, assinale a afirmativa correta. para a administração das sociedades, seja para
aquelas de capital aberto ou fechado.
(A) Trata-se de denominação adotada por sociedade
(B) arquivada, porque a criação do Conselho de Ad-
em comandita por ações.
ministração só é necessária para funções execu-
(B) Trata-se de firma social adotada por sociedade
tivas quando se tratar de sociedade anônima de
cooperativa.
capital fechado.
(C) Trata-se de denominação adotada por sociedade
anônima. (C) acolhida, porque a criação do Conselho de Ad-
(D) Trata-se de firma adotada por sociedade em ministração, em se tratando de sociedade anô-
nome coletivo. nima de capital fechado, é órgão imprescindível
à sua administração.

49.  (FGV/2011) XYZ Produtos Alimentícios


Ltda. é uma sociedade empresária, re-
(D) acolhida, porque a sua criação é imprescindível,
já que é órgão supremo de todas as sociedades
anônimas, seja de capital aberto ou fechado.
gularmente inscrita no órgão competente desde
1999, cujo objeto constitui a exploração do ramo
de alimentos. Com sólido nome no mercado, loca-
lizada em um ponto empresarial altamente valo-
51.  (FGV/2016) Em decorrência de um tu-
multo generalizado ocorrido em uma
rizado no Estado do Rio de Janeiro, detentora de festa, Ricardo, menor de quinze anos, foi vítima de
valiosa marca e linhas de crédito pré-aprovadas violento soco, tendo sofrido fraturas na face. Su-
nos melhores bancos do Estado à sua disposição, pondo que o golpe havia partido de Cláudio, pai de
os sócios decidem, por maioria absoluta, fazer a um amigo seu, a vítima, representada por seu pai,
cessão do estabelecimento, aproveitando ótima ajuizou em face dele demanda em que pleiteava a
proposta oferecida por um empresário que já sua condenação ao pagamento de verbas repara-
atua no mesmo ramo. Em relação ao estabeleci- tórias de danos morais. Citado, Cláudio, no prazo
mento, assinale a afirmativa correta. legal, ofereceu a sua peça contestatória, alegando
(A) A sociedade empresária XYZ Produtos Alimentí- que não fora o autor do golpe que lesionara Ricar-
cios Ltda. responde de forma subsidiária por do, mas sim Bruno, que o acompanhava na festa.
eventuais débitos existentes anteriormente à Encerrada a fase instrutória, a alegação defensiva
cessão apontada. de Cláudio restou comprovada. Nesse cenário,
(B) Para ser considerada eficaz, a cessão é indis- deve o órgão ministerial dotado de atribuição para
pensável à expressa autorização dos credores intervir no feito opinar no sentido de que seja:
19
(A) o processo extinto sem resolução do mérito, em ajuizou demanda em que pleiteava a condenação
razão da ilegitimidade passiva ad causam. da operadora prestadora do serviço a lhe custear
(B) o processo extinto com resolução do mérito, um tratamento específico, indicado por seu mé-
julgando-se improcedente o pedido. dico, e que a empresa alegava não estar previsto
(C) o processo extinto com resolução do mérito, no contrato. Sem prejuízo da tutela jurisdicional
julgando-se procedente o pedido, já que o Par- definitiva, abarcando a condenação da ré a cum-
quet não pode se manifestar contrariamente aos
prir a obrigação contratual e a pagar verbas repa-
interesses da parte incapaz.
ratórias de danos morais, o autor requereu, em
(D) o processo extinto sem resolução do mérito, em
razão da ausência de interesse de agir.
sua inicial, a concessão de tutela provisória, con-
substanciada na determinação judicial, inaudita

52.  (FGV/2016) Proposta ação de usuca-


pião em relação a uma casa, observa o
altera parte, para que a empresa viabilizasse de
imediato o tratamento pretendido, o que foi de-
ferido. Quanto a essa providência provisória, po-
juiz, de imediato, que a petição inicial aludiu ape-
nas à pessoa em cujo nome se encontra registra- de-se afirmar que a sua natureza é de tutela:
do o imóvel objeto do pedido, sem que na peça (A) de urgência cautelar.
processual haja qualquer referência aos proprie- (B) de urgência satisfativa.
tários dos imóveis confinantes. Nesse cenário, (C) da evidência cautelar.
deve o magistrado: (D) da evidência sancionatória.
(A) proceder ao juízo positivo de admissibilidade da
demanda, já que a hipótese é de litisconsórcio
facultativo. 55.  (FGV/2016) Pedro, proprietário de um
bem imóvel situado na Comarca de Ni-
(B) proceder ao juízo positivo de admissibilidade da terói, ao saber que o mesmo foi ocupado, sem a
demanda, já que, embora a hipótese seja de litis- sua autorização, por Luiz, intentou ação reivindi-
consórcio necessário, somente a parte ré pode catória na Comarca do Rio de Janeiro, onde é do-
alegar, em sua contestação, a sua inobservância. miciliado. De acordo com a sistemática processual
(C) proceder ao juízo positivo de admissibilidade da vigente, o réu:
demanda, incluindo ex officio na lide os litiscon-
(A) deve alegar o vício de incompetência como pre-
sortes faltantes, já que, sendo a hipótese de li-
liminar de sua contestação, embora o juiz possa
tisconsórcio necessário, torna-se admissível a
conhecer ex officio da matéria.
chamada intervenção iussu iudicis.
(B) deve alegar o vício de incompetência como pre-
(D) determinar que o autor, em prazo a lhe ser assi-
liminar de sua contestação, sem que o juiz possa
nado, requeira a citação dos litisconsortes fal-
conhecer ex officio da matéria.
tantes, sob pena de extinção do feito sem reso-
(C) deve alegar o vício de incompetência pela via da
lução do mérito.
exceção, sem que o juiz possa conhecer ex offi-

53.  (FGV/2016) Em iniciativa conjunta cio da matéria.


com a própria criança, o Ministério Pú- (D) deve alegar o vício de incompetência pela via da
blico, por meio do órgão de execução dotado de exceção, embora o juiz possa conhecer ex offi-
atribuição, ajuizou ação de investigação de pater- cio da matéria.
nidade em face do suposto pai. Entendendo pela
desnecessidade da atuação do Parquet como ór-
gão agente, determinou o juiz da causa a sua ex-
56.  (FGV/2016) Diante do descumprimento
de obrigação contratual, o credor ajui-
zou ação de cobrança em face do devedor. A peti-
clusão do polo ativo, para nele manter apenas o
ção inicial foi distribuída à 1a Vara Cível da Comarca
menor. De acordo com a disciplina processual vi-
da Capital no dia 22 de março de 2016, com juízo
gente, tal decisão é:
positivo de admissibilidade da demanda em 4 de
(A) insuscetível de impugnação por qualquer via re- abril e citação válida do réu em 19 de abril. Por seu
cursal típica ou mandado de segurança.
turno, o devedor também propôs demanda, pleite-
(B) irrecorrível, embora impugnável por mandado
ando a declaração de nulidade do mesmo contrato,
de segurança.
(C) impugnável por recurso de agravo de instrumento. tendo a sua peça exordial sido distribuída à 9a Vara
(D) impugnável por recurso de apelação. Cível da mesma comarca, no dia 24 de março de
2016, com juízo positivo de admissibilidade da ação

54.  (FGV/2016) Em razão de grave enfer-


midade, consumidor de plano de saúde
em 1o de abril e citação válida em 25 de abril. À luz
da sistemática processual vigente, os feitos:
20
(A) não podem ser reunidos, devendo cada qual tra-
mitar perante o juízo cível para onde a respecti- 59.  (FGV/2016) Diego e Júlio César, que
exercem a mesma função, estão traba-
va petição inicial foi distribuída. lhando dentro de um armazém localizado no Por-
(B) devem ser reunidos, em razão do vínculo da to de Salvador, quando se inicia um incêndio no
continência, estando prevento o juízo da 1a Vara local em razão de problemas na fiação elétrica.
Cível da Comarca da Capital. Existe apenas uma pequena porta que permite a
(C) devem ser reunidos, em razão do vínculo da saída dos trabalhadores do armazém, mas em ra-
continência, estando prevento o juízo da 9a Vara zão da rapidez com que o fogo se espalha, apenas
Cível da Comarca da Capital. dá tempo para que um dos trabalhadores saia
(D) devem ser reunidos, em razão do vínculo da co- sem se queimar. Quando Diego, que estava mais
nexão, estando prevento o juízo da 1a Vara Cível próximo da porta, vai sair, Júlio César, desespera-
da Comarca da Capital. do por ver que se queimaria se esperasse a saída

57. 
do companheiro, dá um soco na cabeça do colega
(FGV/2017) Milena celebrou um con-
de trabalho e passa à sua frente, deixando o ar-
trato de adesão com a empresa Céu
mazém. Diego sofre uma queda, tem parte do
S.A., tendo por objeto o fornecimento de sinal de
corpo queimada, mas também consegue sair vivo
TV a cabo. Em determinada cláusula do contrato
do local. Em razão do ocorrido, Diego ficou com
de prestação de serviços consta convenção das
debilidade permanente de membro. Considerando
partes, atribuindo à adquirente dos serviços o
apenas os fatos narrados na situação hipotética,
ônus de provar, em caso de eventual litígio judi-
é correto afirmar que a conduta de Júlio César
cial, que o local de sua residência oferece as con-
dições técnicas adequadas para o fornecimento (A) configura crime de lesão corporal grave, sendo
do sinal de TV a cabo com a qualidade contratada. o fato típico, ilícito e culpável.
(B) está amparada pelo instituto da legítima defesa,
Diante dessa situação hipotética, e de acordo com
causa de exclusão da ilicitude.
o CPC, é correto afirmar que a cláusula é:
(C) configura crime de lesão corporal gravíssima,
(A) nula, pois o CPC não admite convenção das par- sendo o fato típico, ilícito e culpável.
tes sobre distribuição do ônus da prova. (D) está amparada pelo instituto do estado de ne-
(B) nula, pois torna excessivamente difícil a uma cessidade, causa de exclusão da ilicitude.
parte o exercício do direito.
(C) válida, pois tem amparo no CPC.
(D) nula, pois recai sobre direito indisponível da parte. 60.  (FGV/2016) Marco, 40 anos, foi denun-
ciado pela prática do crime de lesão
corporal culposa praticada na direção de veículo

58.  (FGV/2016) Em uma embarcação pú-


blica estrangeira, em mar localizado no
automotor, cuja pena privativa de liberdade pre-
vista é de detenção de 6 meses a 2 anos. Os fatos
território do Uruguai, o presidente do Brasil sofre ocorreram em 2-2-2011, e, considerando que não
um atentado contra sua vida pela conduta de houve interesse em aceitar transação penal, com-
João, argentino residente no Brasil, que conse- posição dos danos ou suspensão condicional do
guiu se infiltrar no navio passando-se por fun- processo, foi oferecida denúncia em 27-2-2014 e
cionário da cozinha, já planejando o cometimento recebida a inicial acusatória em 11-3-2014. Após a
do delito. O presidente do Brasil, porém, é socor- instrução, foi Marco condenado à pena mínima de
rido e se recupera, enquanto João é identificado e 6 meses em sentença publicada em 29-2-2016,
preso na Bahia, um mês após os fatos. Conside- tendo a mesma transitado em julgado. Conside-
rando a situação narrada, sobre a aplicação da lei rando os fatos narrados e a atual previsão do Có-
penal no espaço, é correto afirmar que a João digo Penal, é correto afirmar que:
(A) não pode ser aplicada a lei brasileira, já que o (A) deverá ser reconhecida a extinção da punibili-
crime foi cometido no estrangeiro. dade de Marco em razão da prescrição da pre-
(B) poderá ser aplicada a lei brasileira, com base no tensão punitiva pela pena em abstrato.
princípio da territorialidade. (B) deverá ser reconhecida a extinção da punibili-
(C) poderá ser aplicada a lei brasileira, ainda que o dade de Marco em razão da prescrição da pre-
autor do crime tenha sido absolvido ou conde- tensão punitiva pela pena em concreto.
nado no estrangeiro. (C) deverá ser reconhecida a extinção da punibili-
(D) poderá ser aplicada a lei brasileira, desde que o dade de Marco em razão da prescrição da pre-
autor do crime não seja julgado no estrangeiro. tensão executória.
21
(D) não deverá ser reconhecida a extinção da puni- razão do cargo. Diante do fato narrado, Caio de-
bilidade de Marco, pois não ocorreu prescrição. verá responder por:
(A)
61. 
crime comum, mas não próprio, já que não pode
(FGV/2016) Carlos é investigado pela
ser considerado funcionário público.
prática do crime de homicídio culposo
(B) peculato-furto, com o aumento de pena em ra-
na direção de veículo automotor (art. 302, CTB – zão do cargo comissionado ocupado.
pena: detenção, de 2 a 4 anos, e suspensão ou (C) peculato-apropriação, com o aumento de pena
proibição de se obter a permissão ou habilitação em razão do cargo comissionado ocupado.
para dirigir veículo automotor). No curso das in- (D) peculato-apropriação, com direito à extinção da
vestigações, o Ministério Público encontra dificul- punibilidade se devolvida a coisa ou reparado o
dades na obtenção da justa causa, mas constam dano antes do recebimento da denúncia.
informações de que Carlos conversa e ri dos fatos
com amigos ao telefone, admitindo o crime. Dian-
te disso, o delegado representa pela interceptação 64.  (FGV/2016) Foi instaurado inquérito
policial, no Rio de Janeiro, para apurar
de comunicações telefônicas. Sobre os fatos nar- as condições da morte de Maria, que foi encon-
rados, é correto afirmar que a interceptação: trada já falecida em seu apartamento, onde resi-
dia sozinha, vítima de morte violenta. As investi-
(A) não deverá ser decretada, pois ainda na fase de
gações se estenderam por cerca de três anos, sem
inquérito policial.
que fosse identificada a autoria delitiva, apesar
(B) poderá ser decretada, mas não poderá ultrapassar
de ouvidos os familiares, o namorado e os vizi-
o prazo de 30 dias, prorrogável por igual período.
nhos da vítima. Em razão disso, o inquérito poli-
(C) não deverá ser decretada em razão da pena pre-
cial foi arquivado, nos termos da lei, por ausência
vista ao delito investigado.
de justa causa. Seis meses após o arquivamento,
(D) poderá ser decretada e a divulgação de seu con-
teúdo sem autorização judicial configura crime. superando a dor da perda da filha, a mãe de Ma-
ria resolve comparecer ao seu apartamento para

62.  (FGV/2016) João foi aprovado em con-


curso público para ingresso no quadro
pegar as roupas da vítima para doação. Encontra,
então, escondida no armário uma câmera de fil-
magem e verifica que havia sido gravada uma
de funcionários do Ministério Público, sendo no-
meado e tendo tomado posse, e, apesar de não ter briga entre a filha e um amigo do seu namorado
assumido sua função por razões burocráticas, já dois dias antes do crime, ocasião em que este
foi informado de que seria designado para atuar afirmou que sempre a amou e que se Maria não
junto à Promotoria de Justiça Criminal de Duque terminasse o namoro “sofreria as consequências”.
de Caxias. Ciente da existência de investigação Considerando a situação narrada, é correto afir-
para apurar ilícitos fiscais que estariam sendo pra- mar que a filmagem:
ticados por empresário da cidade, colega de seu (A) é considerada prova nova ou notícia de prova
pai, procura o advogado do investigado e narra nova, mas não poderá haver desarquivamento, já
que será designado para atuar na Promotoria com que a decisão de arquivamento fez coisa julgada.
atribuição para o caso, passando a solicitar a (B) não é considerada prova nova ou notícia de pro-
quantia de 50 mil reais para, de alguma forma, in- va nova, tendo em vista que já existia antes do
arquivamento, de modo que não cabe desarqui-
fluenciar naquela investigação de maneira favorá-
vamento com esse fundamento.
vel ao indiciado. Considerando a situação narrada,
(C) é considerada prova nova ou notícia de prova
é correto afirmar que a conduta de João, em tese:
nova, podendo haver desarquivamento do in-
(A) configura crime de corrupção passiva. quérito pela autoridade competente.
(B) configura crime de prevaricação. (D) considerada ou não prova nova ou notícia de
(C) configura crime de advocacia administrativa. prova nova, poderá gerar o desarquivamento di-
(D) configura crime de exercício funcional ilegal- reto pela autoridade policial para prossegui-
mente antecipado ou prolongado. mento das investigações.

63.  (FGV/2016) Caio ocupa cargo em co-


missão em órgão da administração di- 65.  (FGV/2016) Promotor de Justiça com
atribuição recebe autos de inquérito
reta, tendo se apoderado, indevidamente e em policial em que se apura a prática do crime de es-
proveito próprio, de um laptop pertencente ao tupro de vulnerável, crime este de ação penal pú-
órgão por ele dirigido e do qual tinha a posse em blica incondicionada. Entendendo que não há
22
prova de que o crime ocorreu, 5 dias após receber (A) nem Clarisse nem Lucas poderão ser conduzidos
os autos, promove pelo arquivamento, encami- coercitivamente, mas, se comparecerem, têm
nhando o inquérito para homologação do magis- obrigação de dizer a verdade.
trado. Tomando conhecimento dessa informação, (B) tanto a testemunha quanto a vítima poderão ser
a avó da vítima apresenta queixa em ação penal conduzidas coercitivamente diante da ausência
injustificada.
privada subsidiária da pública. Considerando o
(C) Lucas poderá ser conduzido coercitivamente, já
fato narrado, é correto afirmar que tal queixa:
que testemunha, mas a vítima não, e também
(A) deve ser recebida e, em caso de negligência do não poderá ser punida com multa.
querelante, deve ser reconhecida a perempção. (D) Clarisse poderá ser conduzida coercitivamente,
(B) não deve ser recebida, tendo em vista que o insti- mas a Lucas somente poderá ser aplicada multa.
tuto da ação penal privada subsidiária da pública
não foi recepcionado pela Constituição de 1988.
(C) deve ser recebida, podendo o Ministério Público 68.  (FGV/2016) Ana e Carolina foram de-
nunciadas pela prática de crimes de
homicídio em processos distintos, já que foram
oferecer denúncia substitutiva ou aditar a queixa.
(D) não deve ser recebida, pois não houve omissão imputados fatos diferentes a cada uma delas.
do Ministério Público. Após encerrada a instrução probatória da primei-
ra fase do procedimento bifásico do Tribunal do

66.  (FGV/2016) O processo penal pode ser


considerado uma relação jurídica pro-
Júri, em alegações finais, o Ministério Público pe-
diu a pronúncia de cada uma das rés em seus pro-
cessos, enquanto a defesa técnica das duas pediu
cessual envolvendo diversos atores. Dentre esses
sujeitos do processo, tanto a legislação penal absolvição sumária ou, subsidiariamente, impro-
quanto a doutrina preocupam-se em conferir um núncia. O juiz proferiu as duas decisões no mes-
mo dia, impronunciando Ana e pronunciando Ca-
tratamento detalhado sobre o acusado e seu de-
rolina, submetendo esta ao julgamento plenário
fensor, de modo a se garantir, com isso, o respeito
do Tribunal do Júri. Nesse caso, da decisão de
aos princípios constitucionais da ampla defesa e
impronúncia e da decisão de pronúncia, caberão
do contraditório. Sobre o tema, de acordo com o os seguintes recursos, respectivamente:
Código de Processo Penal, é correto afirmar que:
(A) apelação e recurso em sentido estrito.
(A) nenhum acusado poderá ser julgado sem defensor, (B) apelação e apelação.
exceto se foragido, não podendo ser localizado. (C) agravo e recurso em sentido estrito.
(B) o Ministério Público poderá oferecer denúncia (D) recurso em sentido estrito e recurso em sentido
em face de indivíduo a partir de características e estrito.
identidade física, ainda que desconhecido seu
verdadeiro nome ou completa qualificação.
(C) o acusado, em seu interrogatório, possui direito 69.  (FGV/2017) José, deputado estadual, re-
cebeu duas intimações, na condição de
integral ao silêncio, ou seja, sobre os fatos impu- testemunha, oriundas de duas diferentes ações pe-
tados e também sobre seus dados qualificativos. nais. Na primeira ação, deveria prestar depoimento
(D) o direito ao silêncio e o direito de não produzir sobre informações de que veio a ter conhecimento
provas contra si faz com que o acusado possa, em razão do exercício de seu mandato, enquanto a
de maneira legal, imputar o crime pelo qual foi segunda versava sobre crime de lesão que presen-
denunciado a terceiro determinado, ainda que o ciara na festa de aniversário de sua mãe. Diante das
saiba inocente. intimações, apresentou formalmente um pedido de
esclarecimento por parte da Procuradoria da As-
67.  (FGV/2016) Clarisse foi vítima de um
crime de lesão corporal grave, pratica-
do por seu primo. O Ministério Público ofereceu
sembleia Legislativa sobre seu dever de depor na
condição de testemunha. Diante da situação narra-
denúncia, requerendo a oitiva de Clarisse, vítima, da, o Procurador deverá esclarecer que José:
e seu vizinho Lucas, testemunha. Arrependida de (A) é obrigado a prestar depoimento sobre ambos os
narrar o fato ao Ministério Público, Clarisse não fatos, podendo vir a ser conduzido coercitiva-
comparece à audiência de instrução e julgamen- mente se deixar de comparecer aos atos nos dias
to, apesar de devidamente intimada. Lucas tam- para os quais foi intimado.
bém foi intimado pessoalmente por oficial de (B) não é obrigado a prestar depoimento sobre ne-
justiça e não comparece injustificadamente. Con- nhum dos fatos, tendo em vista que a condição
siderando a situação narrada e as previsões do de deputado lhe garante imunidade para teste-
Código de Processo Penal, é correto afirmar que: munhar.
23
(C) é obrigado a prestar depoimento sobre ambos os (D) Cláusula del credere é aquela pela qual o vende-
fatos, mas o Código de Processo Penal lhe ga- dor se torna devedor caso o comprador não efe-
rante o direito de ser inquirido em dia e hora tue o pagamento dos produtos, sendo vedada
previamente ajustados. por lei no contrato de representação comercial.
(D) não é obrigado a prestar depoimento sobre os
fatos de que veio a saber em razão do mandato,
mas deverá prestar na ação penal que apura o 72.  (FGV/2014) Em agosto de 2012, um
Município contratou diretamente uma
crime de lesão. pessoa física para atendimento ao público no bal-
cão de uma de suas repartições, sem concurso pú-

70.  (FGV/2013) Os empregados Pedro, José


e Ivo trabalham na empresa alfa e es-
blico e sem que ela ocupasse cargo de confiança
ou houvesse qualquer urgência. Um ano após, rea-
tão com seus contratos de trabalho suspensos lizou a dispensa dessa pessoa, sem nada lhe pagar,
pelos seguintes motivos: Pedro está afastado por o que motivou o ajuizamento de reclamação traba-
ter sofrido acidente de trabalho típico; José en- lhista pela pessoa contratada. Sobre essa situação,
contra-se no exterior realizando curso de douto- de acordo com o entendimento do TST e STF, assi-
rado e Ivo está prestando serviço militar junto à nale a afirmativa correta.
Marinha do Brasil. Em relação ao FGTS desses (A) O caso envolve trabalho ilícito e, assim, nenhum
empregados, assinale a afirmativa correta. direito poderá ser reconhecido, sob pena de bur-
(A) A empresa continuará tendo que depositar o la à Constituição Federal.
FGTS mensal de Pedro e Ivo. (B) O contrato em tela é proibido, mas como o tra-
(B) O depósito do FGTS somente é obrigatório em balho beneficiou o Município e a sociedade em
relação a José. geral, são devidos todos os direitos normalmen-
(C) A empresa é obrigada a depositar o FGTS de to- te (aviso prévio, 13o salário, férias e FGTS).
dos os empregados. (C) Trata-se de contrato nulo, ensejando o paga-
(D) O acidente de trabalho permite que Pedro saque mento da contraprestação pactuada, em relação
o FGTS. ao número de horas trabalhadas, respeitado o
valor da hora do salário mínimo, e dos valores

71.  (FGV/2013) Heleno, representante co-


mercial autônomo, firma contrato de
referentes aos depósitos do FGTS.
(D) O contrato é válido porque se trata de um ato
trabalho com uma empresa que fabrica utensílios administrativo. Todos os direitos serão respeita-
médicos, tendo uma área delimitada onde so- dos (aviso prévio, 13o salário, férias e FGTS) e a
mente ele pode vender os produtos. No contrato dispensa deve ser motivada, sob pena de reinte-
de Heleno há uma cláusula del credere. Sobre gração, conforme decidiu o STF.
essa situação, assinale a afirmativa correta.
(A) Cláusula del credere é aquela em que se prevê
que, caso um vendedor realize negócios na área
73.  (FGV/2016) Gerson trabalha numa so-
ciedade de economia mista estadual
desde 2004. Ele foi aprovado em concurso públi-
exclusiva de outro representante comercial, o
co para o cargo X, mas no decorrer do contrato de
titular daquela área geográfica terá direito ao
trabalho foi desviado de suas atividades e atual-
recebimento da comissão. Essa cláusula é válida.
mente exerce as funções relativas ao cargo Y, de
(B) Cláusula del credere é aquela em que o repre-
maior complexidade e salário. Ainda com o con-
sentante comercial poderá dar crédito ao com-
trato em vigor, Gerson ajuíza reclamação traba-
prador, com liberdade e de forma ilimitada, mas
não responderá por eventual insolvência do
lhista postulando o reconhecimento do desvio
comprador. A cláusula é inválida, pois transfere funcional, o enquadramento correto, de acordo
para o representado o risco do negócio. com o que está de fato realizando, e o pagamento
(C) Cláusula del credere é aquela em que o repre- das diferenças salariais pretéritas. De acordo com
sentante comercial é considerado, por força de as normas em vigor e do entendimento consoli-
contrato, empregado da empresa representada, dado do TST, assinale a afirmativa correta.
mas excepcionalmente não poderá reclamar ju- (A) Se comprovado o desvio, Gerson terá direito às
dicialmente o reconhecimento de vínculo em- diferenças salariais, mas não terá direito a um
pregatício, senão diferenças nas comissões. Em novo enquadramento.
contrapartida, recebe percentual dos lucros ob- (B) O pedido formulado é juridicamente impossível
tidos pela empresa representada. A cláusula em em razão da natureza jurídica da reclamada, de
questão é válida. modo que será julgado improcedente.
24
(C) O empregado fará jus a um novo enquadramen- desejando executá-la, já que ela foi a tomadora
to em razão do princípio da primazia da realida- dos serviços, e por isso responsável de forma sub-
de e da proteção à figura do trabalhador. sidiária em virtude da terceirização. Diante do
(D) As Leis são omissas a respeito, de modo que não quadro exposto e do entendimento consolidado
há óbice ao reconhecimento do desvio funcio- do TST, assinale a afirmativa correta.
nal, mas a diferença salarial será retroativa à
data do ajuizamento da ação. (A) Não será possível a execução desejada na 2a
ação, já que a empresa pública Municipal não

74.  (FGV/2017) Gilda pretende contratar


uma babá para tomar conta de sua fi-
participou da ação original, daí por que não
consta do título executivo.
(B) Diante do princípio da proteção ao trabalhador,
lha. De acordo com a Lei de Regência, a idade
mínima para que alguém seja contratado como é viável o ajuizamento de nova demanda na qual
empregado doméstico é de: se persiga apenas a responsabilidade subsidiária
(A) 14 anos. da empresa tomadora dos serviços.
(B) 16 anos. (C) Tanto a Lei quanto a jurisprudência são omissas
(C) 18 anos. a respeito, daí por que caberá ao juiz, em cada
(D) 21 anos. caso concreto, analisar a possibilidade de defe-
rir, ou não, a pretensão deduzida.

75.  (FGV/2016) No contracheque de Miriam


do mês de março de 2015 existem diver-
(D) Impossível o ajuizamento de nova demanda ape-
nas para fins de execução, pois o correto seria
sos descontos: INSS, imposto sobre a renda, adian- requerer, na ação original, o direcionamento da
tamento salarial que a empresa promove no dia 15 execução contra o ente Municipal, mesmo não
de cada mês, contribuição sindical, contribuição sendo ele réu original.
confederativa, contribuição de revigoramento, vale
transporte (6% do salário) e assistência médica.
Sabe-se que Miriam não é sindicalizada nem auto- 77.  (FGV/2016) Um capataz ajuizou ação
trabalhista contra o operador portuá-
rizou qualquer desconto, seja na admissão ou pos- rio e o OGMO, logrando a concessão de tutela
teriormente. Diante da situação retratada, de acor- antecipada de plano. Intimado, o operador por-
do com a CLT e o entendimento consolidado do STF tuário impetrou Mandado de Segurança, conse-
e TST, assinale a afirmativa correta. guindo junto ao relator liminar para suspender
(A) Todos os descontos são válidos, já que autoriza- os efeitos da tutela antecipada, devidamente
dos por lei. cumprida pelo juízo de 1o grau. Antes do julga-
(B) O desconto de contribuição sindical, já que a mento do writ adveio a sentença nos autos da
trabalhadora não é sindicalizada, é inválido. ação trabalhista, na qual o pedido foi julgado
(C) As subtrações efetuadas a título de contribuição procedente e deferida novamente, agora no bojo
confederativa, contribuição de revigoramento e da sentença, a tutela antecipada. Acerca da ati-
assistência médica são inválidas. tude processual necessária para atacar de ime-
(D) Os descontos efetuados sob as rubricas de diato a tutela antecipada deferida na sentença,
adiantamento salarial, contribuição sindical e
considerando a sistemática recursal vigente na
contribuição confederativa são válidos.
seara trabalhista e o entendimento consolidado

76.  (FGV/2014) Reginaldo foi empregado


da empresa Olho Vivo Ltda., onde
do TST, assinale a afirmativa correta.
(A) Como o juiz de 1o grau desrespeitou a ordem do
atuou como vigilante. Durante todo o contrato de TRT, gerando subversão à ordem processual, o
trabalho, foi vigilante terceirizado numa empresa advogado deverá valer-se de reclamação correi-
pública Municipal, em licitação vencida pelo seu cional.
empregador. Após ter sido dispensado, Reginaldo (B) Diante da situação narrada, o advogado deverá
ajuizou reclamação trabalhista apenas contra a impetrar novo Mandado de Segurança, desta
Olho Vivo Ltda., sagrando-se vencedor no pleito feita alvejando a sentença.
de horas extras e reflexos. Iniciada a execução (C) Caberá ao advogado interpor Recurso Ordinário
contra a ex-empregadora, não logrou sucesso, e, paralelamente, ajuizar Medida Cautelar para
inclusive na tentativa de direcionar a execução tentar conferir efeito suspensivo ao RO.
contra os sócios. Não vendo esperança no recebi- (D) A hipótese retratada, por irregular, autoriza o
mento do crédito, Reginaldo ajuizou nova deman- ajuizamento de pedido de providências, sem
da apenas contra a empresa pública Municipal, prejuízo da sanção disciplinar ao magistrado.
25
78.  (FGV/2016) Em determinada reclama-
ção trabalhista, o autor postula o paga-
(A) A situação problema está equivocada, uma vez
que está pacificado que não cabe exceção de
pré-executividade na Justiça do Trabalho.
mento de horas extras. Em defesa, a empresa afir-
ma e prova que possui 7 (sete) empregados e junta (B) Caberá recurso ordinário para atacar a parte
controles de ponto com horários invariáveis (“bri- que pôs fim ao processo.
(C) Em razão do princípio da celeridade, não caberá
tânicos”). Quando de sua manifestação, o autor
qualquer recurso da decisão de exceção de pré-
impugnou os controles, afirmando que eles não
-executividade narrada.
são fidedignos. Acerca da distribuição do ônus da (D) Na situação retratada, caberá a interposição de
prova, com base na CLT e no entendimento conso- recurso de agravo de petição.
lidado do TST, assinale a afirmativa correta.
(A) Uma vez que os controles não contêm variação,
aplica-se a confissão em desfavor da empresa,
80.  (FGV/2016) O recurso de revista é de
natureza extraordinária, cabível em
sendo considerada verdadeira a jornada da petição face de acórdãos proferidos pelos Tribunais Re-
inicial e dispensada a realização de outras provas. gionais do Trabalho, tendo por objetivo uniformi-
(B) Haverá inversão do ônus da prova, que passará a zar a interpretação das legislações estadual, fe-
ser da empresa e, caso dele não se desincumba, deral e constitucional no âmbito da competência
será considerada verdadeira a jornada da peça da Justiça do Trabalho. Trata-se de recurso com
de gênese. pressupostos rígidos de conhecimento, não se
(C) Possuindo a empresa menos de 10 empregados, destinando à apreciação de fatos e provas. Acerca
sequer tinha obrigação de juntar controle; se o fez, da sistemática do recurso de revista e de acordo
mesmo com horários invariáveis, não será punida e com a CLT e o entendimento consolidado do TST,
o ônus da prova permanece com o reclamante. assinale a afirmativa correta.
(D) Controles com horários invariáveis não têm (A) A parte pode ser valer do jus postulandi na in-
qualquer efeito na seara trabalhista, pela pre- terposição do recurso de revista, ciente de que
sunção absoluta de falsidade e aplicação da arcará com os efeitos danosos caso não consiga
confissão, mesmo que sejam validados pelo au- cumprir os requisitos técnicos.
tor no depoimento pessoal. (B) No procedimento sumaríssimo cabe recurso de
revista por violação de Súmula ou OJ do TST, à

79.  (FGV/2016) No decorrer de uma causa Súmula vinculante do STF e por violação direta
trabalhista que se encontra na fase da CRFB/88.
executória, e sem que o juízo fosse garantido, o (C) Cabe recurso de revista em face dos acórdãos
prolatados em dissídio coletivo pelos Tribunais
executado apresenta exceção de pré-executivi-
Regionais do Trabalho, no prazo de 8 dias, con-
dade, ventilando três matérias de ordem pública.
tados em dobro se a parte for a Fazenda Pública.
Duas dessas matérias são rejeitadas, mas uma (D) Na fase executória cabe recurso de revista por
delas (a tese de nulidade de citação) é acolhida, violação à lei federal, por divergência jurispru-
sendo então julgada procedente, em parte a ex- dencial e por ofensa à CRFB/88 nas execuções
ceção. Sobre a situação retratada e a sistemática fiscais e nas controvérsias que envolvam a Cer-
recursal trabalhista, assinale a afirmativa correta. tidão Negativa de Débitos Trabalhistas.

26
Gabarito Justificado

QUESTÃO ALTERNATIVA JUSTIFICATIVA


1 D Incorreta, “mesmo além dos”, art. 7o, VI, a, EOAB.
De acordo com o art. 8o do EOAB, “idoneidade moral”, observado os §§ 3o e 4o do mesmo
2 A
artigo.
3 B Art. 20, § 2o, EOAB.
4 C Art. 54, IX, c/c art. 58, III, EOAB.
5 C Art. 7o do Regulamento Geral
6 D Art. 7o, I, EOAB.
7 A Art. 3o, § 1o, EOAB.
8 B Art. 28, III, EOAB.
O positivismo jurídico separa o direito da moral; não existem as doutrinas pós-jusnatu-
9 C ralista e pós-historicista. O pós-positivismo, ou neopositivismo, sustenta que a moral e
justiça são componentes intrínsecos do ordenamento jurídico.
10 B A norma moral não se utiliza da coerção externa para regular a conduta humana.
11 D A competência legislativa é da União, vide art. 22, I, da CF, por se tratar de direito civil.
Segundo Pedro Lenza, “partindo da ideia de unidade da Constituição, os bens jurídicos
constitucionalizados deverão coexistir de forma harmônica na hipótese de eventual
conflito ou concorrência entre eles, buscando, assim, evitar o sacrifício (total) de um
12 C
princípio em relação a outro em choque. O fundamento da ideia de concordância decor-
re da inexistência de hierarquia entre os princípios” (Direito Constitucional Esquemati-
zado. 17. ed. São Paulo: Saraiva, 2013, p. 160).
13 B Art. 103-A, § 3o, CF.
14 D Art. 5o, LXXII, b, CF. Súmula 2, STJ.
Segundo Pedro Lenza, a ADPF pode ser de duas espécies, autônoma (art. 1o, caput, Lei
15 D 9.882/99) e incidental (art. 1o, parágrafo único) (op.cit.). Esta última é a situação da
questão (“municipal”).
16 A Art. 208, II, CF.
17 B Súmula Vinculante 3 do STF. Vide ainda Mandado de Segurança 24.781, STF.
18 C Art. 48, § 2o, Lei n. 13.146/2015.
Foi em Viena, capital da Áustria, que se realizou a Conferência Mundial sobre os Direitos
19 B
do Homem, entre os dias 14 e 25 de junho de 1993.
Art. 12, II, b, CF. De acordo com o STF, o requerimento de aquisição de nacionalidade
20 D brasileira possui caráter meramente declaratório, cujos efeitos retroagem à data da so-
licitação (RE 264.848/TO).
21 D Art. 5o, LI, CF.
22 C Art. 151, VI, c/c art. 155-A, § 1o, CTN.
23 B Art. 16, III, Lei n. 6.830/1980.
24 A Art. 150, VI, b, CF.

27
25 B Art. 150, § 1o, CF.
26 C Art. 34 da LEF – Lei de Execução Fiscal (Lei n. 6.830/1980).
27 B Art. 38, § 1o, Lei n. 8.987/1995 (art. 37).
Segundo Licínia Rossi e Juliano Heinen, “a teoria dos motivos determinantes consiste na
seguinte premissa: a Administração se vincula aos motivos que elegeu para a prática do
28 D
ato. Os motivos devem ser verdadeiros e existentes, sob pena de anulação do ato” (Passe
em Concursos Públicos: Direito Administrativo. São Paulo: Saraiva, 2016, p. 53).
Segundo Licínia Rossi e Juliano Heinen, a servidão administrativa pode ser conceituada
29 C a partir da definição dada pelo Código Civil (art. 1.378) à servidão predial, mas que não
se confunde (op. cit.).
30 D Art. 24, XII, Lei n. 8.666/1993.
Segundo Licínia Rossi e Juliano Heinen, “desconcentração é a distribuição de competên-
31 A
cias dentro de uma mesma entidade” (op. cit., p. 98).
32 A Art. 37, V, CF.
33 C Art. 225, § 1o, IV, CF.
34 B Art. 7o, § 3o, Lei n. 12.651/2012.
35 A Art. 50, CC.
36 C Art. 188, II, c/c art. 929 e art. 930, CC.
37 A Art. 1.841, CC.
38 D Art. 238, CC.
39 B Art. 1.556 c/c art. 1.557, CC.
40 A Art. 1.393, CC.
Remissão da dívida (art. 385); Cessão de crédito (art. 286); Novação (art. 360); e Sub-
41 B
-rogação (art. 346), todos artigos do CC.
42 C Art. 122, ECA.
43 B Art. 136, b, ECA.
44 A Art. 49, CDC.
Segundo o STJ: “A jurisprudência desta Corte tem mitigado os rigores da teoria finalista
para autorizar a incidência do CDC nas hipóteses em que a parte (pessoa física ou jurí-
45 D dica), embora não seja tecnicamente a destinatária final do produto ou serviço, se
apresente em situação de vulnerabilidade. Tem aplicação a Súmula 83 do STJ” (AgRg no
AREsp 646.466/ES).
46 D Art. 27, Lei n. 7.357/85.
47 B Art. 48, II, Lei n. 11.101/2005.
48 D Art. 1.157 e parágrafo único c/c art. 1.039, CC.
49 C Art. 1.149, CC.
50 D Art. 138, § 2o, Lei n. 6.404/1976.
51 B Art. 487, I, NCPC.
52 D Art. 246, § 3o, c/c art. 321 e parágrafo único, NCPC.
53 C Art. 203, § 2o, c/c art. 1.015, VII, NCPC.
Art. 294 e parágrafo único, NCPC, observada a expressão “satisfativa” como sendo aque-
54 B
la tutela de urgência antecipada.
55 A Art. 64, NCPC.
56 D Arts. 55, 58 e 59, NCPC.

28
57 B Art. 373, § 3o, II, NCPC.
58 C Art. 7o, I, a, c/c art. 7o, § 1o, CP.
59 D Art. 24, CP.
60 D Art. 109 c/c art. 110, CP.
61 C Art. 2o, III, Lei n. 9.296/96.
62 A Art. 317, CP.
63 C Art. 312 c/c art. 327, § 2o, CP.
64 C Art. 18, CPP.
65 D Art. 29, CPP.
66 B Art. 259, CPP.
67 B Art. 201, § 1o, c/c art. 458, CPP.
68 A Art. 581, IV, c/c art. 416, CPP.
69 D Art. 53, § 6o, CF.
70 A Art. 15, § 5o, Lei n. 8.036/1990.
71 D Art. 43, Lei n. 4.886/65.
72 C Súmula 363, TST.
73 A Súmula 378, STJ, c/c OJ 125, SDI1, TST.
74 C LC 150/2015, art. 1o, parágrafo único.
75 C Súmula Vinculante 40, STF, c/c Precedente Normativo 119, TST, c/c Súmula 342, TST.
76 A Súmula 331, IV, TST.
Súmula 414, I, do TST – Com a reforma trabalhista, não é mais preciso a ação cautelar.
77 C A alternativa C está correta, mas, em vez de ação cautelar, será requerido o efeito sus-
pensivo no próprio recurso.
78 B Súmula 338, III, TST.
79 D Art. 897, a, CLT.
80 D Art. 896, § 10o, CLT.

29
Considerações Finais

Independentemente do seu resultado neste simulado, é preciso lembrar que apenas um teste é
muito pouco para um diagnóstico das suas condições para a prova. Se bastasse uma tentativa, livros
com mais de cinco mil questões comentadas não fariam sentido algum. Ao contrário, são os mais
vendidos e aceitos pelo público de Exame de Ordem e concursos públicos.
Certamente, você não encontrará nenhuma contradição em resolver milhares de questões, no
máximo algo do tipo: “O Ministério da Saúde adverte: resolver toneladas de questões causa tendinite”.
De qualquer modo, toda prova resolvida ou questões avulsas respondidas trazem alguma informação
a respeito dos seus estudos, portanto, não pode ser ignorada. Assim, se a média da 1a fase para apro-
vação é 50% de acertos, este percentual deve, no mínimo, ser uma constante na sua preparação.
Busque resolver todas as provas já aplicadas no Exame de Ordem Unificado pela FGV, das mais
novas para as mais antigas, com atenção, pois algumas questões podem estar desatualizadas. Passou
por todas elas? Questões realizadas pela CESPE para OAB também são válidas, principalmente, aquelas
que exigem interpretação de uma situação hipotética. Posso estudar por outras bancas? Sim, não há
problema, mas do mesmo modo, encare questões que tragam um “probleminha”, exatamente, como a
FGV tem cobrado no Exame de Ordem.
Sugiro, apenas, não resolver 1.000 questões de direito penal, p. ex., de uma única vez, porque o
resultado não será o mesmo caso você divida a atenção com outras disciplinas. Explico. Quando resol-
vemos apenas questões (muitas delas) de uma única disciplina, vamos trabalhar com conceitos e ins-
titutos próximos ou interligados. O cérebro irá se acostumar unicamente com um tipo de linguagem.
No entanto, se trabalharmos questões de diversas disciplinas ao mesmo tempo, como acontece no
dia da prova (lembrem, são 17 disciplinas!), certamente, o resultado será mais próximo da realidade,
ou seja, vamos precisar também enfrentar a confusão de conceitos e denominações.
Portanto, prefira trabalhar com mais de uma disciplina e sempre realize simulados completos ou
resolva uma prova do início ao fim, pois nestes casos vamos enfrentar a realidade do que nos espera
do grande “Dia D”. Tenha certeza, a sua aprovação espera por você, seja mais cedo, seja mais tarde,
mas espera. Qual é o nosso papel? Antecipá-la!

30