Você está na página 1de 13

PONTIFÍCIA UNIVERSIDADE CATÓLICA DE MINAS GERAIS

INSTITUTO POLITÉCNICO – IPUC MG

Alfredo Augusto de Faria


Matricula: 587619

LABORATÓRIO DE ELETROMAGNETISMO:
TRABALHO FINAL A
Análise de campo magnético em núcleo de ferro

Trabalho apresentado à disciplina Laboratório de


Eletromagnetismo, do Instituto Politécnico - IPUC–
MG - da Pontifícia Universidade de Minas Gerais.

Professor: Geraldo Melo

Turma: 7495.1.02 | Sábado | 9:30 – 11:10

Belo Horizonte
21 de outubro de 2017
2

1. OBJETIVO

Simular a geometria de um núcleo magnético de ferro composto por dois materiais


diferentes, no qual é gerado um campo magnético por bobina onde passa uma corrente I = Iesp
×Nesp (corrente total equivalente, que é igual ao número de espiras da bobina vezes a corrente
que passa em cada uma delas) no software QuickField.

2. DESENVOLVIMENTO

2.1. Análise da simulação

A geometria do núcleo magnético a ser simulado é apresentada na Figura 1, conforme a


proposta do trabalho:

Figura 1: Núcleo magnético proposto para simulação

Fonte: Bossi, L. et all, Proposta do Trabalho Final A


3

Conforme a proposta do trabalho, temos:

 Corrente em cada espira = (Nx10) mA (+I e –I indicam a direção de circulação


da corrente)
 Número de espiras = 600
 Permeabilidade magnética relativa do ferro do Meio 1 = 1600+400*N
 Permeabilidade magnética relativa do ferro do Meio 2 = 1200+400*N
 Permeabilidade magnética relativa do cobre (bobina) =1
 Permeabilidade magnética relativa do ar =1
 Profundidade da geometria (Lz) = 4 cm

Como o valor de N é igual ao último algarismo significativo não nulo do número de


matricula do aluno temos que, para a matricula 587619, N = 9, assim temos que o conjunto final
de parâmetro será:

 Corrente em cada espira = Nx10 = 90 mA


 Número de espiras = 600
 Corrente total = 90 x 600 = 54 A
 Permeabilidade magnética relativa do ferro do Meio 1 = 1600+400*N = 5.200
 Permeabilidade magnética relativa do ferro do Meio 2 = 1200+400*N = 4.800
 Permeabilidade magnética relativa do cobre (bobina) = 1
 Permeabilidade magnética relativa do ar = 1
 Profundidade da geometria (Lz) = 4 cm

Além disso, por definição, temos que:


𝜇𝑜 = 4𝜋 × 10−7

Pela definição do trabalho, pede-se para obter no QuickField:


 Vetor densidade de fluxo magnético nos pontos P1 e P2;
 Vetor intensidade campo magnético nos pontos P1 e P2;
 Energia armazenada no campo magnético (energia total)
 Indutância total calculada a partir da energia e do fluxo.
4

 Apresentar um “hard copy” da tela final, mostrado os resultados de indutância e


a figura do núcleo de ferro.

Conforme a definição da proposta, o ponto P1 está exatamente no meio do braço


esquerdo do núcleo de ferro e o ponto P2 está exatamente no meio do braço direito do núcleo
de ferro.
5

2.2. Simulação

Abaixo a figura do circuito implementada no software QuickField, utilizando a opção


de “Spacing” como 0.5 cm, já com a rede mesh, a qual possui um total de 250 nós (próximo
do máximo permitido para a versão de 255 nós:

Figura 2: Geometria utilizada na simulação com rede mesh


6

A figura abaixo mostra a distribuição dos vetores de fluxo magnético (B) na estrutura:

Figura 3: Densidade de fluxo magnético (B) na geometria simulada


7

A figura abaixo mostra a intensidade de campo magnético na estrutura:

Figura 4: Campo magnético (H) na geometria simulada

Como o canto esquerdo inferior da estrutura simulada foi colocado nas cordenadas (x,y)
= (0,0), temos que os pontos P1 (meio do braço esquerdo do núcleo de ferro) e o ponto P2 (meio
do braço direito) estão nas coordenadas (6 cm, 16 cm) e (15 cm, 16 cm) respectivamente. As
medidas obtidas nestes pontos do módulo do vetor de densidade de fluxo e de intensidade de
campo magnético estão apresentadas na tabela abaixo:
8

Tabela 1: Valores obtidos nos pontos P1 e P2 mediante simulação


 
H (A/m) B (T)
Ponto P1 53,557 0,34997
Ponto P2 107,07 0,69962

Utilizando o software é obtido a energia armazenada e a indutância, calculada a partir


da energia armazenada e do fluxo, conforme resultados apresentados na tabela abaixo:

Tabela 2: Valores de energia e indutância obtidas mediante simulação


Energia (J) 0,013617
Indutância (pela energia) (H) 3,3622
Indutância (pelo fluxo) (H) 3,7529

A figura 5 apresenta o resultado da simulação do núcleo mostrando os dados do cálculo


da indutância pelo fluxo e pela energia, incluindo também a energia armazenada no núcleo e os
dados da densidade de fluxo e campo magnético no ponto P2.
9

Figura 5: Resultado da simulação com os valores da indutância


10

2.3. Análise

Pelo enunciado temos que:

𝐼𝑝𝑜𝑟 𝑒𝑠𝑝𝑖𝑟𝑎 = 90 𝑚𝐴 = 0,09 𝐴


𝑁𝑒𝑠𝑝𝑖𝑟𝑎𝑠 = 600
𝜇𝑜 = 4𝜋 × 10−7
𝜇1 (𝑚𝑒𝑖𝑜 1) = 5.200
𝜇2 (𝑚𝑒𝑖𝑜 2) = 4.800
𝐿𝑧 = 4 𝑐𝑚 = 4 × 10−2 𝑚

Pelo projeto, vemos que o braço esquerdo do núcleo possui uma largura de 4 cm,
enquanto o esquerdo, o inferior e o superior possuem largura de 2 cm. Desta forma, teremos
duas áreas de sessão distintas, uma no braço esquerdo (maior) e a das demais sessões. As áreas
das sessões serão:

𝐴4𝑐𝑚 = 4 × 4 = 16 × 10−4 𝑚
𝐴2𝑐𝑚 = 2 × 4 = 8 × 10−4 𝑚

Para calcular a relutância utilizamos o caminho médio percorrendo todo o núcleo,


desprezando a resistência do ar e considerando que o campo magnético é uniforme em cada
trecho que possua a mesma sessão reta do núcleo. Desta forma, temos que a relutância nos
meios 1 e 2 serão:

𝑙 1 0,27 − 0,17 (0,15 − 0,06) + (0,27 − 0,16)


𝑅1 = = ( + )
𝜇𝑟 𝜇𝑜 𝐴 𝜇1 𝜇𝑜 16 × 10−4 8 × 10−4
1
𝑅1 = (318,75) = 48.779,45 Ω
5.200 × 4𝜋 × 10−7
11

𝑙 1 0,16 − 0,05 (0,16 − 0,06) + (0,15 − 0,06)


𝑅2 = = ( + )
𝜇𝑟 𝜇𝑜 𝐴 𝜇2 𝜇𝑜 16 × 10−4 8 × 10−4
1
𝑅2 = (318,75) = 52.844,41 Ω
4.800 × 4𝜋 × 10−7

𝑅𝑇 = 𝑅1 + 𝑅2 = 101.623,86 Ω = 101,62 𝑘Ω

O fluxo total no núcleo será:

𝑁𝑒𝑠𝑝𝑖𝑟𝑎𝑠 × 𝐼𝑝𝑜𝑟 𝑒𝑠𝑝𝑖𝑟𝑎 600 × 0,09


Φ= = = 5,314 × 10−4 𝑊𝑏
𝑅𝑇 101.623,86

A densidade de fluxo é dada por:


Φ
𝐵=
𝐴

Desta forma a densidade do fluxo magnético será proporcional a área da sessão


transversal. Como vimos anteriormente, possuímos duas sessões diferentes no núcleo, uma com
largura de 4cm e outra com 2 cm. Em cada caso, a densidade de fluxo será:

Φ 5,314 × 10−4
𝐵4𝑐𝑚 = = = 0,332 𝑇
𝐴4𝑐𝑚 16 × 10−4
Φ
𝐵2𝑐𝑚 = = 2 × 𝐵4𝑐𝑚 = 0,664 𝑇
𝐴2𝑐𝑚

Os valores de fluxo magnético, como podemos observar, estão próximos dos valores
medidos na simulação nos pontos P1 e P2.

O campo magnético é dado por


B
𝐻=
𝜇1 𝜇𝑜
12

Desta forma, o campo magnético irá variar não só com a área da sessão transversal, mas
também com a permeabilidade magnética do meio.

No meio 1 teremos:

B4𝑐𝑚 0,332
𝐻𝑚𝑒𝑖𝑜1, 𝑆=16 𝑐𝑚2 = = = 50,81 𝐴/𝑚
𝜇1 𝜇𝑜 5.200 × 4𝜋 × 10−7
B2𝑐𝑚 2 × 0,332
𝐻𝑚𝑒𝑖𝑜1, 𝑆=8 𝑐𝑚2 = = = 2 × 𝐻𝑚𝑒𝑖𝑜1, 𝑆=16 𝑐𝑚2 = 101,61 𝐴/𝑚
𝜇1 𝜇𝑜 5.200 × 4𝜋 × 10−7

Como podemos verificar, os resultados acima estão próximos dos resultados obtidos na
simulação conforme valores medidos nos pontos P1 e P2. Embora o ponto esteja exatamente
na interseção entre os dois meios o simulador considerou a permeabilidade relativa do meio 1
para determinar o valor neste ponto sugerido na proposta do relatório.

No meio 2 teremos:

B4𝑐𝑚 0,332
𝐻𝑚𝑒𝑖𝑜2, 𝑆=16 𝑐𝑚2 = = = 55,041 𝐴/𝑚
𝜇2 𝜇𝑜 4.800 × 4𝜋 × 10−7
B2𝑐𝑚 2 × 0,332
𝐻𝑚𝑒𝑖𝑜2, 𝑆=8 𝑐𝑚2 = = = 2 × 𝐻𝑚𝑒𝑖𝑜1, 𝑆=16 𝑐𝑚2 = 110,08 𝐴/𝑚
𝜇2 𝜇𝑜 4.800 × 4𝜋 × 10−7

A indutância do núcleo será:

𝑁2 6002
𝐿= = = 3,54 𝐻
𝑅 101.623,86
Portanto
1 2 1
𝑊= 𝐿. 𝐼 = 3,54. 0,092 = 0,0143 𝑊
2 2

Conforme comparado com os valores da simulação, o resultado da indutância calculada


e da energia estão próximos dos valores simulados.
13

3. CONCLUSÃO

O experimento deste trabalho pratico possibilitou o estudo, mediante simulação, da


densidade de fluxo magnético e do campo magnético em um núcleo de ferro constituído por
dois materiais de permeabilidade diferente. Foi possível observar o efeito da variação da
permeabilidade e da área de sessão transversal no valor da densidade de fluxo e na intensidade
do campo magnético, além de possibilitar o cálculo e análise do valor da indutância. Foi
possível evidenciar na pratica que os resultados obtidos nesta são próximos dos calculados,
conforme apresentado durante a apresentação da solução analítica neste relatório. O trabalho
pratico possibilitou praticar os conceitos aprendidos durante as demais aulas do laboratório.

4. BIBLIOGRAFICA

BOSSI, L. et al. Descrição do Trabalho Final A – Análise de campo magnético em núcleo de


ferro, da disciplina de Laboratório de Eletromagnetismo do Curso de Graduação de Engenharia
Elétrica da PUC Minas. 2017.

HAYT JR., William H. Eletromagnetismo. 8. ed. Porto Alegre: Bookman, 2013