Você está na página 1de 22

As características sonoras dos Modos Gregos podem ser transportadas para

qualquer tonalidade, desde que sua sequência de intervalos original não seja
alterada.

Na verdade, isso produz cinco novas escalas, e não sete, já que o jônico e o óleo
coincidem com as escalas diatônicas naturais maior e menor.

Essas cinco novas escalas constituem alternativas a estrutura melódica e


harmônica das escalas diatônicas.

Na realidade, modos e escalas possuem aplicações diferentes. As escalas


determinam a harmonia e os modos expressam as variações melódicas. Para
saber se um modo é maior ou menor basta olhar para o intervalo entre a 1ª e a
3ª notas (A tônica e a Terça).

O lídio e o mixolídio são, na verdade, maiores, enquanto dórico e o frígio são


menores.

O lócrio é incomum, na medida em que seu acorde de tônica é “diminuto”.

A atmosfera geral do modo pode ser ouvida executando-sei acordes construídos


sobre seus graus, apenas com as notas que o modo contém.

De Modos Gregos a Escalas

Modo Jônico (no tom de C)

Foi o predecessor da escala maior diatônica. Possui a mesma sequência de


intervalos e, portanto, a mesma sonoridade.
DIGITAÇÃO DO MODO JÔNICO PARA OS SEIS MODELOS DE
ACORDES:
Modo Dórico (no tom de C)

É um modo menor. Difere da escala menor (eólia) apenas


na 6ª nota, que recebe um sustenido. Muito adequado para sequências menores
(por exemplo, Im, IIm, III, IV, Vm e VII), que adquirem, assim, um toque
jazzístico.
DIGITAÇÃO DO MODO DÓRICO PARA OS SEIS MODELOS DE
ACORDES:
Modo Frígio (no tom de C)

Outro modo menor, praticamente idêntico a escala menor (eólia), exceto na 2ª


nota, que é bemolizada (Db). Essa nota é ouvida como “9ª bemolizada” quando
acrescentada a um acorde de tônica com sétima menor.
DIGITAÇÃO DO MODO FRÍGIO PARA OS SEIS MODELOS DE
ACORDES:
Modo Lídio (no tom de C)

Uma escala maior. Difere da escala maior diatônica (jônica) por possuir um
sustenido na 4ª nota (F#). Isso significa que ela possui as mesmas notas que
uma escala maior no tom de G.
DIGITAÇÃO DO MODO LÍDIO PARA OS SEIS MODELOS DE
ACORDES:
Modo Mixolídio (no tom de C)

O modo mixolídio possui a 7ª nota bemolizada (Bb). É que a diferencia da escala


maior diatônica (jônica). Na verdade, trata-se de um dos modosusados com
maior frequência para improvisação no Blues e no Jazz.
DIGITAÇÃO DO MODO MIXOLÍDIO PARA OS SEIS MODELOS DE
ACORDES:
Modo Eólio (no tom de C)

Esse modo foi o predecessor da escala natural diatônica menor. Possui a mesma
sequência de intervalos e, portanto, a mesma sonoridade.
DIGITAÇÃO DO MODO EÓLIO PARA OS SEIS MODELOS DE
ACORDES:
Modo Lócrio (no tom de C)

Todas as notas desta escala são bemolizadas, com exceção da tônica (C) e da
quarta (F). Dos sete modos, este é o menos utilizado na música ocidental, mas
desempenha um papel importante nas músicas indiana e japonesa.
DIGITAÇÃO DO MODO LÓCRIO PARA OS SEIS MODELOS DE
ACORDES:
fonte: Toque – Ralph Denyer